Page

Category startup

Evento gratuito mostra dia a dia de startups unicórnios

O Brasil ainda não conhece seu primeiro “Unicórnio” – nome dado às startups que valem mais de 1 bilhão de dólares -, embora este seja o sonho de todas as empresas inovadoras do país. Mas afinal, o que essas empresas estão fazendo de diferente e como é trabalhar em uma startup unicórnio?

Para que novos empreendedores conheçam melhor o dia a dia e desafios de uma startup bilionária, a Liga Ventures – aceleradora focada em gerar negócios entre startups e grandes corporações – promove, no dia 27 de setembro, às 19h, em São Paulo (SP), o Living With Unicorns, evento que contará com a presença da startup Sprinklr – plataforma de origem norte-americana e líder global em soluções tecnológicas para gestão da experiência do consumidor – e BlaBlacar – a maior plataforma de caronas do mundo com mais de 40 milhões de usuários.

“O objetivo do evento é incentivar empreendedores do ecossistema a buscarem o crescimento, além de oferecer o know-how para que encarem os desafios que envolvem a trajetória de uma startup rumo ao 1 bilhão de dólares. Nossa ideia é contar como funciona a rotina de uma empresa unicórnio e mostrar como as novas podem aplicar lições aprendidas por quem está nos bastidores das grandes startups”, explica Rogerio Tamassia, CEO da Liga Ventures.

Para Macarena Garcia, success manager LATAM da Sprinklr e uma das palestrantes, “estamos hoje vivenciando um intenso processo de transformação no modo como clientes e empresas se relacionam. É fundamental estarmos atentos à capacidade de oferecer experiências mais humanas e intuitivas por meio da criação de modelos de negócios condizentes com as necessidades do mercado e, principalmente, das pessoas”.

Painel “Qual é seu segredo”

Nesta edição, o Living With Unicorns, traz Macarena Garcia, success manager LATAM da Sprinklr e Frédéric Ollier, gerente de business development na BlaBlaCar. Além disso, o evento será transmitido online e em tempo real.

Programação

19h00 – Credenciamento

19h30 – Apresentação da BlaBlaCar

19h45 – Apresentação da Sprinklr

20h00 – Painel: “Qual é o secret sauce da BlaBlaCar e da Sprinklr?”

21h00 – Encerramento

Local: Oxigênio Aceleradora – Alameda Eduardo Prado, 415, Campos Elíseos

São Paulo, SP

Data: 27/09, às 19h

Tags, , ,

Mentores: por que são importantes para uma startup?

Por Vinicius Andrade

Se você é um empreendedor e está à frente de uma startup, provavelmente já ouviu falar sobre mentores. Mas será que você sabe o que é um mentor e qual a sua importância para as empresas?

Essas perguntas surgem quando fundadores de startups entendem que estão em um momento do negócio em que precisam de algum apoio estratégico para suas operações. O processo de mentoria é algo que está cada vez mais em evidência e, de forma simples, nos ajuda na tomada de decisões estratégicas, em nosso crescimento profissional e até mesmo para apontar caminhos que não tínhamos em mente.

Atualmente existem empresas que oferecem programas específicos de mentorias para startups. A SP Stars, por exemplo, já atendeu mais de 350 empresas, ultrapassando mil sessões realizadas. E o foco dessas ações é ajudar os empreendedores a alcançar objetivos, aprimorando suas capacidades e focando na conscientização de suas deficiências, para futuros aperfeiçoamentos.

Temos que destacar que as decisões que serão tomadas a partir das mentorias são muito importantes para a empresa. Por isso é preciso que o mentor e a startup tenham um mindset semelhante, caso contrário as decisões tomadas não serão as mais assertivas.

Eu já passei por alguns processos durante minha vida empreendedora, e posso dizer que aprendi com eles é que não adianta nada ter alguém conhecido do mercado, mas que não entende do seu ramo de negócio. Durante nossas experiências passamos por muitos mentores que estavam mais preocupados em “aparecer” do que efetivamente dar dicas para o nosso crescimento.

O que percebi também é que muitos profissionais que atuam como mentores não se preocupavam nem em entender o modelo de negócio que tínhamos e já o criticavam, falando que não tinha fit com o mercado e que nossa ideia não iria ter sucesso. Mas, quando paramos para analisar, notamos que na verdade o que não tinha fit era o mentor com nossos propósitos.

O que precisamos entender, quando buscamos essa ajuda profissional, é que ninguém vai conseguir dar dicas sobre o negócio e ajudar efetivamente qualquer empresa com conversas de 15 minutos. É necessário que tenha um entendimento do mercado, da empresa e do público que se pretende atingir. Se você procura por um mentor para ajudar, busque alguém que esteja realmente disposto a gastar o tempo em conversas mais profundas, que sejam sobre conteúdos relevantes e ajudem na tomada de decisões importantes.

Vinícius Andrade é CEO da Vesteer, maior plataforma de criação, venda e distribuição de produtos personalizados em todo o Brasil.

Tags, ,

GetNinjas abre inscrições para 1º Hackathon em São Paulo

Startup reunirá 30 jovens com a missão de encontrar soluções que ajudem a dar acesso a todo tipo de cliente às novas tecnologias para contratação de serviços online

O GetNinjas, maior plataforma para contratação de serviços do Brasil, abriu inscrições para o Hackathon Ninja 2017, primeira maratona de programação promovida pela startup. Marcado para os dias 27 e 28 de outubro, o evento tem como objetivo encontrar soluções que permitam a todos os clientes o acesso às novas tecnologias para contratação de serviços, desde aqueles com pouco conhecimento em tecnologias aos que possuem deficiência visual e/ou auditiva. As inscrições, que vão até o dia 3 de outubro, estão abertas para estudantes de cursos de tecnologia da informação, como ciência e engenharia da computação e análise de sistemas.

Serão selecionados 30 jovens, que serão divididos em pequenos grupos e terão dois dias para encontrar e sugerir uma solução ao GetNinjas que facilite a acessibilidade. O grupo vencedor poderá ter seu projeto implementado na startup e a oportunidade de passar por um processo seletivo para fazer parte do time. “Sabemos que o impacto social da nossa plataforma é muito grande e podemos ajudar pessoas com necessidades diversas de acessibilidade”, diz Lucas Souza, CTO do GetNinjas. A divulgação dos participantes selecionados para a maratona será no dia 6 de outubro.

Serviço
Quando: Das 17h do dia 27 de outubro até às 19h do dia 28 de outubro
Onde: No escritório do GetNinjas
Inscrições: até o dia 3 de outubro, por aqui.

Tags, , ,

Startup Focus: a meta é acelerar a inovação no Brasil

Criado em 2012, o SAP Startup Focus é um programa global criado para impulsionar o desenvolvimento de empresas iniciantes e inovadoras. Funciona como um ecossistema de inovação que hoje engloba 5.579 startups (1931 na América Latina) de 25 diferentes segmentos de mercado, em 58 países. A iniciativa chegou ao Brasil em 2015.

As soluções desenvolvidas pelas startups são baseadas na plataforma de processamento de dados em tempo real SAP HANA para diversos fins, como soluções analíticas para Big Data, IoT (Internet das Coisas), Análise Preditiva, entre outras. Até o momento, 271 soluções foram validadas pelo programa Startup Focus. Os empreendedores têm a oportunidade de fazer umpitch para os clientes SAP em todo o mundo.

Entre os grandes diferenciais do Startup Focus, além do acesso às tecnologias SAP, entre elas às licenças de desenvolvedor HANA, estão a conexão gratuita com especialistas SAP para construção da solução; orientação sobre negócios e apresentação para potenciais clientes e investidores, sem nenhum custo. “A SAP não cobra taxas e nem adquire participação nas startups”, destaca Franklin Bruno, gerente de soluções e líder de startups na SAP Brasil.

Outros benefícios, como conta o executivo, incluem assessoria de marketing e vendas, com acesso ao SAP App Center, o marketplace digital para comercialização de aplicações de parceiros SAP e Startups; oportunidades para apresentações de vendas para a comunidade SAP e livre acesso a empreendedores, parceiros, investidores e líderes de mercado.

Em todo o mundo, 271 soluções já “se graduaram” no programa Startup Focus. Esses aplicativos, que podem ser comercializados livremente pelas startups, também recebem um selo de validação da SAP. “Ele assegura que as soluções são compatíveis com as plataformas da SAP”, conta Franklin Bruno. “É um verdadeiro passaporte para um mercado de mais de 340 mil clientes corporativos da SAP em todod o mundo”, destaca. Segundo o executivo, hoje, já são 200 negócios fechados por startups aceleradas pelo Programa.

No Brasil, o Startup Focus já teve resultados expressivos. Entre as 22 startups que contaram com o suporte do Programa e hoje se destacam no mercado estão a Brabov, que colocou no mercado uma solução de inteligência para controle agropecuário, permitindo ao pecuarista acessibilidade e segurança no gerenciamento do rebanho; a Menvia, de experiência de usuário para varejo; a Antecipa – um marketplace de antecipação de recebíveis, onde compradores disponibilizam capital para fornecedores que precisam de capital e a Looqbox, que simplifica a busca de informações dentro das empresas utilizando linguagem natural.

“O Programa Startup Focus é uma via de mão dupla, uma colaboração que beneficia tanto a inovação no País e a aceleração do sucesso para as startups junto ao ecossistema dos parceiros e clientes da SAP como também permite a agregação de capacidades disruptivas às nossas soluções”, avalia Franklin Bruno.

Tags,

Inseed Investimentos realiza aporte na Devicelab

A carioca DeviceLab receberá aporte de R$2.3 milhões do Fundo Criatec3 maior fundo de apoio ao empreendedorismo e inovação para o desenvolvimento de empresas early stage no Brasil, gerido pela Inseed Investimentos. A startup tem como missão melhorar a experiência das pessoas com seus smartphones e tablets por meio de avaliações realizadas de forma automatizada com software proprietário.

Alexandre Alves, diretor de prospecção da Inseed Investimentos, explica que a DeviceLab foi escolhida por ser pioneira na avaliação de aplicações e interfaces digitais em diferentes devices e ambientes online. “Avaliamos mais de 900 empresas nos últimos meses e agora estamos com 8 empresas em fase final de efetivação de investimento. A DeviceLab é a primeira startup da região sudeste que anunciamos investimento do Criatec 3”. O principal produto da Companhia é o Blink, plataforma na nuvem que acessa e executa scripts de testes em celulares reais de forma automatizada. “Ele integra tecnologias simplificando e reduzindo custos e tempo de execução de testes de aplicativos. Controlado remotamente, ele usa centenas de aparelhos reais e pode ser operado por funcionários sem conhecimento em programação”, explica Alexandre. Entre os clientes daDeviceLab destaque para Globosat, M4U(do Grupo Cielo) e UBook

Para Leandro Ginane, CEO da DeviceLab, o aporte será direcionado ao P&D, marketing e vendas, além de lançamento de uma nova plataforma que irá auxiliar empresas menores a testar seus aplicativos. “Com o investimento do Criatec 3, conseguiremos ampliar nossa oferta para novos segmentos de mercado, que atualmente necessitam avaliar seus aplicativos em diferentes aparelhos reais e não conseguem. Um dos objetivos da DeviceLab é democratizar o acesso aos smartphones mais usados pelos usuários, para que possam ser utilizados em cloud para realização de testes antes mesmo do lançamento de um aplicativo, contribuindo assim com a nossa missão de melhorar a experiência das pessoas ao usar seus aparelhos no dia a dia, independente de classe social, modelo do celular, sistema operacional e qualidade de conexão à internet.”

DEVICELAB

A Companhia nasceu em 2012 no Rio de Janeiro, RJ, quando Leandro Ginane percebeu uma oportunidade de melhorar a qualidade da experiência das pessoas ao usar aparelhos móveis. Com o advento dos smartphones e tablets a diversidade de dispositivos, sistemas operacionais, versões e situações de uso tornaram complexo o desenvolvimento de aplicações que sejam compatíveis e funcionais com essa variedade de situações de uso. Nesse contexto diverso grande parte das empresas já apontavam a necessidade de garantir excelência de exposição de seus produtos e marcas nesses novos canais, porém esse objetivo não estava sendo satisfeito devido a dificuldade em reproduzir o contexto de uso das pessoas para que os aplicativos fossem avaliados no mesmo cenário de uso real antes mesmo de serem lançados.

“Os smartphones e seus aplicativos estão apenas há 10 anos no mercado: o primeiro iPhone e o primeiro smartphone com o sistema operacional Android foram lançados em 2007 e o WhatsApp, aplicativo mais utilizado no Brasil, foi lançado em 2009. No entanto, com o crescimento exponencial do uso desses novos dispositivos, muitas empresas passaram a considerar os aplicativos como um dos principais canais de venda e exposição de seus produtos. Diante desse contexto, as empresas têm hoje necessidade de garantir excelência na exposição de seus produtos e marcas nesses novos canais digitais”. explica Leandro Ginane.

“Quando realizam testes limitados a alguns aparelhos e de forma manual, as empresas não conseguem obter de forma efetiva informações sobre a qualidade da interface de seus aplicativos com usuários, pois esses testes são feitos em ambientes controlados que não consideram a diversidade que o ambiente real apresenta. Esse cenário é crítico principalmente para empresas que possuem maior engajamento mobile como: bancos, seguradoras, empresas de e-commerce e meios de pagamento e companhias aéreas. Em aplicativos de bancos, por exemplo, acontecem situações de erros em que o usuário não consegue pagar uma conta (pelo fato de o botão de pagar não ser exibido em tela), atrasa o pagamento e é cobrado por multa e juros. Nesse e em outros casos similares existe um grande risco para o banco tanto em termos de imagem quanto financeiramente. Já no caso de uma empresa aérea há situações em que o passageiro está atrasado, não consegue realizar o check-in pelo aplicativo e acabar por perder seu voo, o que implica num risco de imagem e prováveis perdas financeiras e de confiança na empresa. E como ultimo exemplo, um cliente de um pequeno e-commerce pode não conseguir visualizar o carrinho de compras em sua tela, não concluir o pedido e buscar um concorrente. Nesse caso o site pode perder clientes importantes, ter recomendações negativas e outras consequências que prejudiquem sua imagem. Em muitas como essas citadas não é exatamente um erro de programação que ocorre, mas de adequação ao dispositivo do usuário, por isso a importância de que sejam feitos testes em diversos aparelhos contemplando situações de uso real”, defende Leandro.

O CEO reforça ainda que a multiplicidade de ambientes para realização de testes torna complexa a tarefa para as empresas de garantir que os aplicativos sejam disponibilizados sem falhas para o cliente.

EMPREENDEDORES

Outro sócio da empresa é o João Souza, especialista em inovação com longa experiência em integração de soluções de software-hardware e automação de grandes bancos. Ele começou sua jornada empreendedora com a empresa Sisnav, que atuava no desenvolvimento de software para imagens e atendia clientes públicos de grande porte como Ministério da Aeronáutica, Marinha e Universidades Federais. Em 1993 fundou a Volans, focada em projetos de automação e integração hardware-software em grandes empresas e bancos como Santander, Bradesco, Caixa, Intel, TecBan, C&A, Toyota, dentre outras.

O conhecimento adquirido por João e sua equipe ao longo de mais de 20 anos no desenvolvimento de ferramentas de integração com tecnologias que abordam questões críticas para um banco como segurança e anti-fraude, chamou a atenção do Leandro quando este estava iniciando o projeto da DeviceLab. Enquanto Leandro tinha grande conhecimento em produtos e experiência do usuário, João é o sócio responsável pela criação de ferramentas e tecnologias, e o profundo conhecimento de programação e integração de equipamentos bancários (hardware).

Para o diretor da Inseed Investimentos, Alexandre Araújo, as duas competências unidas possibilitaram o desenvolvimento de um produto simples, porém com tecnologias relevantes, não triviais e de alto valor para empresas que buscam a excelência na interação entre as aplicações móveis e seus usuários.

SELECIONADA PELO BR STARTUPS

Em 2015 a DeviceLab foi escolhida para participar do programa de aceleração do MSW BR Startups – Fundo de Multi-Corporate Venture que congrega grandes corporações como a Microsoft, Qualcomm, Grupo Algar entre outras. “Nos tempos de hoje onde cada vez mais as grandes empresas buscam proporcionar a seus clientes uma experiência de usuário digital no mínimo igual ou melhor do que no mundo físico, a solução da DeviceLab passa a ser indispensável no desenvolvimento e teste de aplicativos para grandes massas de clientes. Por essa razão, e também por ser uma solução 100% brasileira que pode conquistar o mundo, em 2015 selecionamos a DeviceLab, através do Investimento da Acelera Partners na Startup”, mencionou Richard Zeiger, sócio da MSW Capital.

OUTRAS INVESTIDAS

O Fundo Criatec 3 anunciou em maio a startup Chip Inside como a primeira empresa a receber aporte do fundo. O Criatec 3 foi lançado no ano passado e tem R$230 milhões sob gestão. Com atuação nacional, ele conta com 13 cotistas composto por bancos de desenvolvimento, agências de fomento estaduais, corporações e investidores privados de todo o país. Durante o primeiro ano, realizou sua estruturação e apresentação pelo país, avaliou 936 oportunidades, e agora conta com 8 empresas em fase final de efetivação de investimento. Localizada em Santa Maria, Rio Grande do Sul, a Chip Inside nasceu em 2010 dentro da Universidade Federal da cidade, a UFSM, e é especializada no monitoramento em tempo real e com alta precisão do comportamento e do ciclo reprodutivo do gado de leite. Seu principal diferencial está na solução do seu produto voltado para a coleta de dados que permite a detecção dos níveis de ruminação, atividade e ociosidade do animal.

PROCURA-SE EMPRESA INOVADORA

Você tem uma empresa inovadora, em estágio inicial, e elevado potencial de crescimento? Estaria disposto a ter um sócio investidor com quem possa compartilhar decisões e que agregue não apenas capital, mas também estratégia, governança e gestão? Se sua resposta é sim, então o Fundo Criatec3 é uma ótima opção para você e seu negócio crescerem e se fortalecerem.

Podem participar do Criatec 3 empresas estabelecidas no Brasil que desenvolvam tecnologias inovadoras e que tenham alto potencial de crescimento. Segundo ele, essas tecnologias devem oferecer forte barreira que impeça ou dificulte sua reprodução por outros players. Devem ser ainda escaláveis e a solução ou produto apresentados deve resolver um problema de mercado muito relevante. “O Criatec 3 é uma oportunidade real em meio à crise econômica que o país está enfrentando. Por isso, é uma excelente opção não só para quem está disposto a ter um sócio investidor que agregue capital, mas também que some em termos de estratégia, governança e gestão”. O diretor ressalta ainda que são procuradas micro e pequenas empresas com faturamento líquido de até R$ 12 milhões, no ano anterior ao investimento. “O Criatec 3 tem como diretriz investir nos seguintes setores: Tecnologia da Informação e da Comunicação, Biotecnologia, Agronegócio, Novos Materiais e Nanotecnologia”, destaca Alexandre, lembrando que são setores prioritários, mas sem excluir outras áreas.

Mais informações e inscrições pelo site: http://www.inseedinvestimentos.com.br/criatec3

Tags, , , , , , ,

Empresas dos setores têxtil e de calçados buscam startups que tenham soluções para o mercado

Nesta quinta-feira, 14 de setembro, será realizado, em São Paulo, o primeiro Demoday FashionTec – Indústria e Varejo. O objetivo é conectar empresas dos setores têxtil e de calçados a startups que tenham soluções relevantes aos desafios enfrentados pelo mercado.

O Demoday é realizado pela Finep em parceria com o movimento 100 Open Startups, principal plataforma de conexão de startups e grandes empresas, e com a Abit e Abicalçados. O evento terá a presença de grandes empresas interessadas em novas parcerias, como 2 Rios, Coteminas, Arezzo, West Coast, Kidy, Solvay, Natura, Geofusion, Sascar, Dow e Dupont.

Para Daniel Dias, Head de biotech na Solvay, uma das patrocinadoras do movimento 100 Open Startups, a expectativa é reunir e conectar importantes players do setor no ecossistema de inovação para que, realmente, troquem informações, demandas e experiências e, efetivamente, acelerem e promovam novos negócios, por meio de inovação aberta, seja para o B2B ou B2C. “Espero que os participantes e o setor saiam do evento mais fortalecidos, com uma visão conjunta das demandas, das necessidades do setor e com o senso de atuação imediata na inovação, dentro do modelo open innovation. Mais que isso, espero que a cultura de inovação do setor seja desafiada para amadurecer”, acrescenta Dias.

Entre as startups que se inscreveram para o Demoday FashionTec – Indústria e Varejo, estará presente a Squidit, plataforma líder de influencer marketing no Brasil, que já tem em seu portfólio clientes do setor têxtil, além de outras convidadas

“Para empresas que trabalham com inovação, como é o caso da Squid, participar de um evento como o FashionTec é uma excelente oportunidade para iniciar o contato com grandes marcas para apresentar nossas novidades. Com apenas uma apresentação, conseguimos iniciar diversas parcerias e nos consolidar cada vez mais no setor”, comenta Felipe Oliva, CEO da Squid.

“Este evento é a oportunidade para startups apresentarem seus projetos e cocriarem soluções para os desafios enfrentados pelo mercado. Nosso objetivo é criar essa conexão entre empresas e startups, a fim de gerar novas oportunidades de negócios”, comenta Bruno Rondani, CEO e fundador do movimento 100 Open Startups.

Demoday Fashion Tech – Indústria e Varejo
Data: 14 de setembro (quinta-feira)
Horário: 08:30 às 12:00
Local: FINEP
Endereço: Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 510 – Itaim Bibi, São Paulo – SP

Tags, , , , , , ,

Startup Session será uma das atrações do Futurecom 2017

Na era em que as Organizações Exponenciais (ExOs) ganham relevância pelo caráter inovador e capacidade de serem 10 vezes mais rápidas e mais baratas que as tradicionais, nada mais oportuno do que trazer à discussão do Futurecom 2017, maior evento de telecomunicações, TI e infraestrutura de internet do Brasil, o papel das startups no desenvolvimento do empreendedorismo tecnológico no País. Em parceria com a Startup Farm, o Futurecom promoverá o Startup Session, que visa promover a integração entre corporate e empresas brasileiras inovadoras que têm em seu DNA o perfil disruptivo de fazer negócios.

Ao longo do evento, que acontece de 2 a 5 de outubro no Expo Transamérica, em São Paulo, startups terão a oportunidade de participar do Startup Wall, uma exposição dentro do Futurecom onde os empreendedores contam com um espaço para divulgar e promover seus projetos a um público grande e influenciador no setor tecnológico.

No último dia do Congresso, as empresas selecionadas farão um pitch para investidores, expositores e visitantes. Esta sessão será aberta a todos os participantes do Futurecom. “O evento permitirá que o mercado conheça grandes talentos que poderão contribuir, de maneira significativa, para a criação de valor no País. Acreditamos no potencial dessas empresas, que fazem do risco uma oportunidade para criar, desenvolver, testar e implementar novas soluções”, afirma Luis Veiga, diretor do Futurecom.

Startups mais focadas em TIC participarão do Startup Wall na exposição todos os dias, enquanto startups de diversos segmentos estarão no Startup Session no congresso. Confira aqui as startups que estão no Programa de Aceleração da Startup Farm e que têm grandes chances de participar da Session na quinta 05/10:

• A Evap é um aplicativo que oferece vendas de autopeças e serviços mecânicos por meio de oficinas afiliadas, possibilitando que o consumidor compre as peças via dispositivo móvel, para que sejam entregues no destino escolhido.

• A Homix é uma plataforma para solução corporativa de pedidos, pagamentos e gestão de reparos em imóveis residenciais.

• A Hoo.box Robotics é uma startup especializada em utilizar tecnologia 3D e inteligência artificial para entender e prever comportamentos humanos. É a empresa por trás do Wheelie, o primeiro programa do computador capaz de traduzir expressões faciais em comandos para controlar coisas.

• A Legal Insights ,da Innovaviz, é uma plataforma de Analytics e Inteligência Artificial para o departamento jurídico corporativo, focada em reduzir custos e riscos, aumentando o nível de previsibilidade do passivo legal.

• A InCast é uma plataforma que conecta influenciadores digitais e artistas com marcas no Brasil e USA, facilitando o processo de encontro e contratação de microinfluenciadores de redes sociais.

• A NuMooh é uma plataforma de comercialização de mídia offline que permite mais transparência e velocidade no processo de escolha das mídias, reduzindo o tempo de contratação de campanhas de meses para dias. Também oferece uma maneira fácil e rápida de gerenciar propagandas em diferentes mídias.

• A Pocket Health Lab possui uma tecnologia que busca melhorar a qualidade de vida pessoas com diabetes, por meio de dispositivos acessíveis, de baixo custo e baixa intervenção.

• A Total Cross é uma plataforma única que possibilita desenvolvedores Java criar Apps e distribuir para iOS, Android e desktops com um único código-fonte JAVA.

• A Vincent.ai é uma solução de inteligência artificial que permite o atendimento de múltiplos clientes, em tempo real, incentivando o engajamento de forma inovadora e eficiente. O sistema oferece mensagens customizáveis e permite a otimização do tempo e de recursos, evoluindo a cada nova interação com o usuário.

Futurecom 2017

Quando: de 02 a 05 de outubro de 2017, das 9h às 20h
Onde: Transamérica Expo Center – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387
Informações: www.futurecom.com.br
Programação: futurecom.com.br/pt/o-evento/programacao-geral.html

Tags, , , , , , , , , , ,

Startups miram oportunidades no setor público apesar das dificuldades

Nem todo empreendedor pensa somente no interesse próprio. Para alguns, a oportunidade de transformar e ajudar a comunidade, estado ou cidade do país em que vivem têm alto grau de importância. Quem afirma isso são os CEOs Daniel Merege, da CityTech e Isabela Abreu, da Boostr, e o Head de Vendas do Kitado, Marcos Mylius – que participaram do 1º ciclo de encontros presenciais do programa de aceleração do BrazilLAB entre os dias 30 de agosto de 01 de setembro.

“Nós acreditamos na capacidade transformacional de empreender no setor público, e não dá para pensar em transformar uma cidade sem trabalhar junto dos órgãos públicos de gestão”, afirma Merege, da CityTech – site que utiliza inteligência artificial para facilitar o engajamento da população na solução de problemas urbanos. “Outro ponto importante é trazermos a inovação para dentro da gestão pública, melhorando os processos e deixando-os mais transparentes, que é um dos grandes pedidos da população”, completa Isabela, da plataforma de auxílio à tomada de decisões Boostr.

Mas trabalhar com o governo não é tão fácil assim. As principais dificuldades de empreender no setor público são a grande quantidade de burocracias e a legislação vigente, dizem os participantes. Para Marcos, do Kitado – plataforma online gratuita de negociação de dívidas com órgãos públicos -, a legislação atual não acompanha os avanços tecnológicos. “Veja os cartórios, por exemplo. Você ainda não pode fazer algumas operações pela internet pois a lei requer que você vá presencialmente somente para assinar um documento”, diz Mylius. É aí que entra o BrazilLAB.

Criado em 2016, o BrazilLAB apoia projetos de inovação e auxilia na conexão entre empreendedores e o Poder Público, tendo impactado mais de 1.300 startups e acelerado diretamente 26 empreendedores. “O setor público precisa se reinventar e articular parceiros. O BrazilLAB existe para conectar startups e todo o ecossistema de empreendedorismo com gestores públicos. Nós ajudamos os empreendedores a enxergarem oportunidades e, ao mesmo tempo, ajudamos o setor público na criação de caminhos que permitam a inovação em larga escala”, afirma Letícia Piccolotto, founder do BrazilLAB.

Neste primeiro ciclo de encontros presenciais, os empreendedores das 15 startups selecionadas, entre mais de 250 inscritas para a edição de 2017 do programa de aceleração do BrazilLAB, conversaram com Sérgio Lazzarini, professor do Insper e especialista em avaliação de impacto, Ronaldo Lemos, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e colunista da Folha de S. Paulo, e Vinicius Müller, professor de História Econômica no Insper.

As startups passarão por mais três ciclos de encontros, nos quais aprenderão mais sobre como trabalhar com o setor público e ainda participarão de visita à prefeitura e outros órgãos públicos.

Tags, , , , , , , ,

Startup inova ao apoiar games nacionais independentes

Lançada no final de 2016, em São Lourenço no sul de Minas Gerais, a Game Nacional (www.gamenacional.com.br), é a primeira plataforma brasileira a atuar na promoção dos trabalhos de desenvolvedores indie de jogos digitais brasileiros, dando suporte desde a venda e compra de cotas em seus projetos – que podem estar em estágio de desenvolvimento ou já finalizados.

Para isso a startup faz uma seleção dos games com maior potencial e inicia um trabalho de advisor, apresentando o jogo para a mídia e investidores. “Exibimos os games em eventos e festivais, apresentamos para investidores, orientamos sobre a gestão das redes sociais, fornecemos tradutores para dar uma nova perspectiva de distribuição, oferecemos sonoplastia e suporte no relacionamento com a imprensa e influenciadores. Enfim, criamos toda base para levar o game a um novo nível, podendo alcançar outras plataformas antes não vislumbradas como o Xbox, Playstation ou AppStore. Tudo isso com a curadoria de consultores experientes no mercado”, explica Adriano Reis, fundador da plataforma que atualmente conta no portfólio com seis jogos, dos quais três já receberam investimento. Adriano complementa: “Infelizmente no Brasil desperdiçamos muitos talentos e desta f orma para nós é extremamente importante apoiar os projetos e sonhos de quem merece e dedica, apesar da falta de ajuda”.

O mercado mundial de games em 2016 teve um faturamento de 99 bilhões, sendo maior que o mercado do cinema, somente o Brasil foi responsável por 3 bilhões deste montante. Os brasileiros têm jogado cada vez mais e os homens representam 47,4% dos jogadores e as mulheres 52,6%. Quanto à idade dos jogadores 34,8% têm entre 35 a 54 anos e 31,5% têm de 16 a 24 anos

Cases de Sucesso – A plataforma já conquistou aporte para três jogos, e um deles está sendo atualizado para o lançamento até o final do ano. “O Restless (https://www.facebook.com/restlessgame/), um game 3D de ação com uma pegada de terror em terceira pessoa com puzzles. O DarkElf (www.darkelf.com.br), um RPG 2D de ação com um visual vivo e um enredo dinâmico , e o game do Sansão, ação e aventura com gráficos incríveis, tendo sua história adaptada da Bíblia, também receberam aporte e estão investindo em melhorias para serem lançados a partir do segundo semestre desse ano”, afirma Maria Eduarda, diretora da Game Nacional.

Sobre fazer parte do portfólio da plataforma, o CEO da Restless, Raphael Coelho, vê que foi o passo essencial para viabilizar o prosseguimento dos trabalhos: “As ações desenvolvidas pela Game Nacional foram de grande valia para captarmos fundos para nosso projeto que agora está a todo vapor!”, pontua.

Parceiros – Para o desenvolvimento deste trabalho, a startup conta com parceiros de peso, a BGC (Brasil Game Cup) e a BGS (Brasil Game Show), que disponibilizam stands para a apresentação dos jogos eletrônicos. A BGS é o maior evento de games da América Latina.

Se você quer ajudar os games nacionais investindo um valor pequeno ou elevado entre em contato com a equipe da Game Nacional (contato@gamenacional.com.br).

Tags,

Samsung apoia startup que oferece viagens com destino surpresa

Caio se formou em Direito pela Universidade de São Paulo (SP) e, cansado do estresse da capital paulista, resolveu fazer um “mochilão” Brasil afora. Com a mente aberta para negócios inovadores, teve a ideia de um serviço de contratação de viagens com destino surpresa. Chamado de Instaviagem, o serviço foi lançado oficialmente neste ano pela Dubbi, startup fundada por Caio Martins, após sua participação no Intensivo #5, programa gratuito de pré-aceleração promovido pelo Samsung Ocean USP, uma parceria entre a empresa e a Escola Politécnica da USP (Poli-USP).

“A criação do Instaviagem somente foi possível devido ao programa do Samsung Ocean USP. Ao realizar os estudos e participar das atividades, notamos que a oportunidade de negócio era imensa e resolvemos investigar mais a fundo como poderíamos entrar no mercado de viagem online”, explica Caio.

Após o período de pré-aceleração no Samsung Ocean, foram quatro meses para estruturar a execução do Instaviagem, definir os processos e deixá-lo pronto para atender ao consumidor. Em menos de dois meses, a única agência online do Brasil que cuida da experiência ponta-a-ponta do viajante realizou mais de 100 viagens, se tornando referência por seu modo inovador de geração de roteiros, feito com base nos gostos do cliente e trazendo uma proposta surpresa para o contratante do serviço.

“O Samsung Ocean USP é um centro de capacitação de desenvolvedores e empreendedorismo. Nosso programa vai ao encontro dos objetivos da companhia, que estabeleceu a parceria com a USP justamente para estar mais próxima à comunidade acadêmica e fomentar o surgimento de tendências que possam ter impacto no mercado consumidor nos próximos anos”, explica Guilherme Selber, gerente de Inovação da Samsung América Latina. “No Instaviagem, vimos essa proposta se tornar realidade”, ressalta.

Dicas para quem quer empreender

Para Caio, o mais importante é que o empreendedor realmente goste e se divirta durante o período da criação da sua empresa. “No fundo, é isso que vai mantê-lo em seu negócio, uma vez que passará por todos os tipos de desafios. Também é fundamental ter algo que dê sustentação – pode ser sua fé, amigos, familiares ou até mesmo o desejo de mudar o mundo.”
O criador do Instaviagem frisa, contudo, que isso não é o suficiente. “Além da paixão, é necessário conhecimento técnico. Já passamos daquela fase em que a pessoa montava um negócio e as coisas simplesmente aconteciam. É muito importante que o dono do empreendimento estude muito e aprenda com pessoas da área”.

Caio recomenda ainda que ajuda externa e disciplina sejam sempre bem-vindas: “É bom que se pense em instituições como incubadores, aceleradoras e redes de mentores. Por fim, deve-se ter uma rotina de alta performance, porque controle emocional e organização são imprescindíveis”.

Para saber mais sobre o Instaviagem e a Dubbi, acesse https://instaviagem.com/.

Tags, ,

Startup cria aplicativo que caça corruptos

A corrupção virou pauta de todo o dia no Brasil. A cada semana, novas delações, denúncias e acusações envolvendo empresas e governo, recebem destacada cobertura da mídia.

Todo esse clima de desconfiança que tomou conta do país acendeu um sinal de alerta em empresas de todos os portes. Hoje, pequenas, médias e grandes companhias estão mais preocupadas em evitar que surjam atos de irregularidades e corrupção internos. Para se ter uma ideia, segundo pesquisa da consultoria Deloitte em 2013, 30% das empresas pesquisadas no Brasil afirmaram ter um programa de compliance. Esse percentual subiu para 65% em 2016.

Foi pensando nesse cenário brasileiro que o advogado Fábio Moreno e o engenheiro André Cepukas, desenvolveram o IComply, um aplicativo de fácil uso que auxilia o empresário a regularizar e controlar de forma mais certeira sua empresa de possíveis atos de corrupção.

“O IComply é uma ferramenta de compliance que busca o desenvolvimento moral e ético do funcionário, o que resulta na proteção da empresa e de seus administradores.”, Fábio Moreno, CEO da empresa. A ferramenta busca o desenvolvimento e disseminação de uma Cultura de Integridade, que possibilita a implementação eficaz de um Programa de Compliance, protegendo a empresa e os seus administradores.

Conheça as funcionalidades do aplicativo:

Por meio do aplicativo, é possível que qualquer colaborador da empresa ou terceiro, acesse o aplicativo IComply, que veicula documentos e comunicados institucionais, treinamentos e questionários, vídeos e entrevistas sobre compliance. “O app alcança, com extrema agilidade e eficácia todos os colaboradores da empresa, terceiros, fornecedores e demais parceiros negociais. Há também um canal de denúncia anônimo, além de grupos de discussões animados pelos próprios usuários.”, explica Fábio.

Outro objetivo do aplicativo é aprimorar e facilitar o acesso ao programa de compliance, produzindo provas positivas para a empresa a partir dos dados de acesso gerados pelo aplicativo, como tempo de uso, participação em treinamentos, respostas aos questionários.

Tags, ,

Goodyear expande sua Rede de Inovação para o Vale do Silício

A Goodyear Tire & Rubber Company abriu seu primeiro escritório no Vale do Silício para estar próxima a montadoras, fornecedores e startups relacionados a mobilidade, que estão desenvolvendo as próximas gerações de veículos e modelos de serviços.

As áreas de foco inicial do escritório no Vale do Silício abrangem a otimização de pneus e soluções em serviço para veículos autônomos e frotas de compartilhamento de viagens, o uso de dados de pneus e veículos para planejar serviços de substituição e manutenção, além do contato com os líderes da indústria automotiva para acelerar suas próprias plataformas de inovação.

“As pessoas não associam imediatamente os pneus à transformação digital na indústria automotiva”, diz Chris Helsel, diretor de tecnologia da Goodyear. “Mas vemos uma oportunidade sem precedentes para que os componentes eletrônicos e os sistemas de informação do pneu permitam melhorar o desempenho e a segurança do veículo, e em especial a experiência do passageiro”.

Como líder em inovação na indústria global de pneus, a Goodyear tem quase 120 anos de conhecimento e informação em mecânica de pneus e veículos de passeio e caminhões comerciais, além de aeronaves e escavadoras.

O escritório da Goodyear está localizado no Centro Tecnológico Plug and Play em Sunnyvale, Califórnia, o maior acelerador de tecnologia global do mundo e fundos de investimento. A Goodyear é membro fundadora da plataforma de mobilidade Plug and Play, lançada em 2016.

“Nosso objetivo é oferecer serviços e fabricar produtos inteligentes e conectados, que respondam às futuras gerações de veículos e modelos de negócios”, afirma Helsel. “Estamos abertos para o desenvolvimento de negócios no Vale do Silício a fim de colaborar com os melhores e mais brilhantes pensadores que estão trabalhando no futuro da mobilidade”.

O escritório da Goodyear no Vale do Silício é uma extensão da rede global de inovação da companhia, que inclui nove centros de inovação, centros de desenvolvimento e campos de provas ao redor do mundo. A rede ainda inclui parcerias de inovação com inúmeros clientes, fornecedores, governos e universidades.

Tags, , , ,

TruckPad é finalista em copa mundial de Startups

O TruckPad, conhecido no mercado como o “Uber dos Caminhoneiros”, acaba de alcançar mais um importante reconhecimento: o aplicativo ganhou a etapa brasileira e foi selecionado para representar o Brasil no Vale do Silício, em maio de 2018, na copa mundial de startups. A premiação aconteceu ontem durante o 2º SP Conecta – evento promovido pela agência ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo

O TruckPad, aplicativo que conecta o caminhoneiro autônomo à carga, é a primeira startup brasileira de tecnologia aplicada ao transporte rodoviário de cargas. Lançado em 2013 por Carlos Mira, ele foi idealizado para ser o amigo eletrônico do motorista de caminhão e criar soluções para o seu dia a dia. Ao baixar o aplicativo no smartphone, o motorista se cadastra e informa seus dados básicos, as características de seu caminhão, cursos que possui, entre outros. Na outra ponta, as empresas que necessitam de um transporte de carga também têm suas necessidades listadas no ambiente digital, mas em versão para computadores. Assim, o sistema conecta as demandas de serviço com os motoristas disponíveis. Hoje, o TruckPad já contabiliza a marca dos 500 mil downloads, o que significa que 50% do universo dos caminhoneiros autônomos, conhecem esta ferramenta.

“Representar o Brasil em uma das maiores iniciativas apoiadoras da inovação e do empreendedorismo dos ecossistemas de startups em todo o mundo é motivo de muito orgulho para mim e para toda a equipe do TruckPad”, diz Carlos. “Este prêmio vem somar-se a muitos outros conquistados por nós, como o Prêmio Startup Weekend 2013, pela Brazil Inovators (2013), Prêmio Lide de Startups (2015), Prêmio Fretes e Frotas Verdes (2016), e em 2014, foi eleita pela Plug and Play Winter Expo como a Startup mais inovadora do mundo, entre outros títulos”.

O SP Conecta foi idealizado a partir da necessidade de se criar novas conexões entre empreendedores, incubadoras, aceleradoras, acadêmicos, associações e governos para acelerar o desenvolvimento de startups paulistas. Além disso, pretende aproximar as startups de grandes empresas e corporações inovadoras. Em 2016, a ação também resultou na criação do Mapa SP Conecta, uma ferramenta colaborativa onde as próprias instituições de apoio à inovação cadastram suas informações e ficam mais fácil de serem encontradas por quem precisa delas.

Nesta segunda edição, a novidade foi a realização da etapa regional da Startup World Cup, competição mundial que avalia startups de qualquer segmento ao redor do mundo. Os vencedores regionais participam da final no Vale do Silício, onde o campeão recebe a premiação de um milhão de dólares e mentoria. A iniviativa é organizada e financiada pela Fenox Venture Capital e conta com a participação de importantes nomes do meio.

Tags, , , ,

LatAm Edge 2017 anuncia os seis finalistas

4 startups são brasileiras e irão para Londres disputar a final

Seis startups, 4 do Brasil e 2 do México, foram selecionadas para a fase final do Prêmio LatAm Edge 2017. As finalistas estarão em Londres no dia 11 de outubro para apresentar seus modelos de negócios aos jurados ingleses na sede do WeWork em Moorgate, que hoje é o maior WeWork do mundo.

Os finalistas são:

Brasil:

Round Pegs

DP6

Strider Agro

OMINIC

México:

ERN Resilios

Softtek

O prêmio de mais de £ 100.000 é composto por duas posições gratuitas em um espaço de co-trabalho do WeWork por um ano, serviços de contabilidade da Blick Rothenberg, marketing e PR pelo GrupoCASAUK, suporte legal pelo escritório jurídico Joelson, desenvolvimento de negócios no Reino Unido da Trade Horizons, campanhas digitais pela Eydos Digital, coaching por Sapovalova Coaching e pesquisa de mercado pela Talent Capital. Tudo isso gratuitamente durante um ano.

“Foi muito difícil decidir. Na minha opinião, se pudéssemos, teríamos escolhido pelo menos 9 para ir a Londres, mas o prêmio é muito seletivo. Então, os que estão nessa fase final já podem se considerar vencedores”, diz Sandra Sinicco, CEO do GrupoCASA e uma dos criadoras do prêmio. “É muito interessante ver que este ano temos setores como agricultura, Business Intelligence, Software, marketplaces e Inteligência Estratégica de Marketing bem diferente do ano passado quando contamos com soluções para Fintech, RH, Meio Ambiente e Organização Empresarial”.

Alguns números sobre os inscritos deste ano

Concorreram ao LatAm Edge Award deste ano, 60 empresas com mais de US$ 1 milhão de faturamento ou investimento.

Brasil, México, Chile e Peru tiveram o maior número de empresas registradas. As semi finalistas foram do Brasil, Chile e México.

Algumas empresas do Reino Unido, Moldávia, Israel e EUA também tentaram entrar na competição, mas foram desqualificadas por não terem operações na América Latina.

A maioria das empresas inscritas não está buscando funding e sim expansão internacional com os próprios recursos.

Entre os apoiadores do Prêmio estão o DIT, Departamento de Comércio Internacional do Governo do Reino Unido, a Blick Rothenberg, uma das maiores empresas de consultoria em contabilidade e aquisições de fusões da Inglaterra, British Airways, F6s, uma das plataformas mais avançadas de monitoramento e dados sobre empresas startups do mundo, a Talent Capital, uma empresa especializada em pesquisa de informações estratégicas para expansão comercial e contatos.

O vencedor terá à sua disposição a consultoria da Sapovalova Consulting liderada por Tamara Medina. Nascida no México e morando em Londres há 17 anos, Tamara conhece bem as duas culturas. “O meu desafio será preparar a empresa para chegar ao Reino Unido mediando as características, os riscos e as vantagens do mercado. Esta preparação é um passo decisivo para o sucesso do desenvolvimento nessa região “, comenta Tamara. Já a Eydos Digital ficará responsável pelas campanhas de marketing digital do vencedor e a Talent Capital com as pesquisas de mercado para fundamentar as estratégias de desenvolvimento de negócios elaboradas pela Trade Horizons.

O prêmio conta com o apoio do governo britânico, da Câmara de Comércio do Brasil na Grã-Bretanha, da Tech London Advocates, , da Start-Up Chile, das Câmaras de Comércio no Reino Unido do México, Colômbia, Chile, Brasil e Argentina e também a divulgação nos vários países latino-americanas feita pela rede LatamPR de agências latino-americanas de relações públicas. Entre as apoiadoras estão a BMR do Chile, Consulting de Comunicação da Guatemala, Innovarte da Colômbia, Smartcom (Venezuela e Panamá) e Percepción & Image do México.

Data da final: 11 de outubro de 2017
Local: WeWork Moorgate
Horário: 18:30 horas

A vencedora será anunciada após os pitches que durarão 5 minutos cada com direito a perguntas por parte da audiência. Teremos cerca de 20 jurados especialistas ingleses no evento.
Antes do evento as finalistas contarão com o apoio de mentores para preparar suas apresentações.

Tags,

Imposto sobre rendimentos de investidores anjo pode ser contestado na Justiça, alerta tributarista Janssen Murayama

O investimento em ciência e inovação é um indicador da evolução de uma economia, e hoje ele está muito atrelado ao crescente mercado de startups. Apesar de os investimentos no setor serem principalmente privados, o Estado tem papel fundamental na criação de um ambiente propício ao investimento nessas empresas. Países como Portugal e Irlanda surgem como emergentes nesse cenário, enquanto Israel, por exemplo, reúne em Tel Aviv a vanguarda tecnológica de diferentes setores. O Brasil, por sua vez, começou há pouco a dedicar atenção a essa área.

A regulamentação dos investidores anjo por aqui só ocorreu em outubro de 2016, com a Lei Complementar nº 155. Segundo a legislação, uma microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP) pode receber capital de pessoa física ou jurídica sem que o dinheiro faça parte do capital social da companhia. Isso significa que o investidor anjo não é considerado sócio e não responde pelas dívidas da empresa investida.

A remuneração do investidor passa a ter o prazo máximo de cinco anos, respeitando-se o limite de 50% dos lucros da sociedade. Esse resgate, porém, só pode ser exercido dois anos depois do aporte de capital. Todas essas regras foram mantidas pela Instrução Normativa nº 1.719, publicada pela Receita Federal em julho. No entanto, a tributação dos rendimentos das startups não agradou o mercado, mas já existe espaço para contestações judiciais.

As alíquotas do Imposto de Renda sobre essas quantias variam de acordo com o prazo de participação do investidor no negócio: quanto maior o tempo, menor a taxação. Nos contratos válidos por até 180 dias, o leão abocanha 22,5% do dinheiro. A fatia, porém, pode ser reduzida a 15% se o dinheiro ficar investido por mais de 720 dias.

O tributarista do escritório Murayama Advogados e fundador do Grupo de Debates Tributários (GDT) Janssen Murayama explica que as alíquotas são praticamente as mesmas de outros investimentos, que possuem risco bem menor do que as startups. Outras formas possuem ainda isenção tributária, como os fundos imobiliários. “O poder executivo mitigou o interesse de investidores em startups ao restringir as possibilidades que havia criado há seis meses”, critica o especialista.

Uma alternativa aos investidores é tentar, na Justiça, contestar a Instrução Normativa, sob o argumento de que ela extrapola o âmbito regulamentar da Receita Federal. O art. 61-A, § 10, da Lei Complementar nº 155/2016, permite a regulamentação da tributação do investimento pelo Ministério da Fazenda. “Os parâmetros adotados para aplicação das alíquotas representam uma novidade do mundo jurídico, já que a lei 13.259/2016 — que altera apuração do IR sobre ganho de capital — se refere apenas ao ganho oriundo da alienação de bens e direitos por pessoas físicas, e possui parâmetros diferentes para a aplicação de suas alíquotas”, detalha Murayama.

Tributação das empresas

Para que a startup esteja apta a receber capital de investidores anjo é necessário estar enquadrada como micro ou pequena empresa, mas ela não precisa estar enquadrada no Simples Nacional, podendo optar pelo Lucro Presumido ou Lucro Real.

Janssen Murayama é advogado tributarista, sócio do Murayama Advogados, graduado em Direito e Ciências Contábeis pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), fundador e Diretor do Grupo de Debates Tributários – GDT.

Tags

Votorantim S.A. e 100 Open Startups lançam desafio para startups voltadas ao desenvolvimento de negócios

A Votorantim S.A. lança o desafio “Territórios Inteligentes” em parceria com a 100 Open Startups, plataforma internacional que conecta startups e grandes companhias. O desafio faz parte de uma iniciativa do Centro de Excelência da empresa, que atua nas áreas de soluções compartilhadas, tecnologia da informação e gestão de ativos imobiliários. As inscrições estão abertas até 30 de setembro e podem ser feitas por este link.

O desafio “Territórios Inteligentes” tem como objetivo propor novas soluções em gestão de territórios para aumentar a eficiência da atuação local, além de buscar formas de automatizar serviços e atividades nos territórios sob gestão da Votorantim S.A. e suas empresas investidas. A companhia busca startups que proponham soluções para monitorar territórios e mitigar riscos; conhecer e preservar a biodiversidade; fiscalizar serviços prestados em campo; identificar eventos de causa natural e construir mapas de uso e ocupação do solo.

“Somos uma empresa quase centenária e ao longo da nossa trajetória sempre buscamos trazer inovação para os negócios. Nosso foco neste desafio é encontrar startups que apresentem soluções e tecnologias inovadoras para a gestão de territórios, uma vez que a Votorantim possui uma área de 450.000 hectares, equivalente a 3 vezes a cidade de São Paulo”, conta André Carloni, gerente de gestão imobiliária do Centro de Excelência da Votorantim S.A.

No dia 17 de outubro serão selecionados os projetos das 10 melhores startups e nas semanas seguintes, serão feitas avaliações para a escolha da startup vencedora. No início do próximo ano, a startup escolhida colocará em prática o projeto-piloto com as aplicações adaptadas aos projetos da Votorantim S.A.

A 100 Open Startups é uma plataforma online patrocinada por empresas globais que, juntas, avaliam e classificam startups do mundo inteiro. As jovens empresas mais atraentes são selecionadas a partir de uma metodologia que envolve cinco etapas e uma produção baseada em atratividade, geração de negócios e atração de investimentos.

Tags, ,

Conferência de carreiras conecta jovens com startups e empresas de tecnologia

A Fundação Estudar está com inscrições abertas para a Conferência Na Prática Empreendedorismo e Tecnologia, destinada a universitários e recém-formados. Marcado para o dia 30 de outubro, o evento será inteiramente focado em startups e empresas de tecnologia, a fim de conectar os jovens participantes com organizações destas duas áreas.

A Conferência Na Prática Empreendedorismo e Tecnologia contará com a presença de empresas dos mais variados segmentos, além de companhias de grande porte que buscam constante inovação. Entre as confirmadas, já estão Stone, Itaú, Ambev, Grupo Agiplan, Quinto Andar, Endeavor, SumUp e Mira Educação

Serão selecionados 250 jovens de alto potencial, que poderão participar de sessões de speed coaching com especialistas, conferir painéis com profissionais sobre as diferentes áreas de atuação em startups e empresas de tecnologia, ouvir bate-papos com líderes inspiradores e, principalmente, interagir face a face com recrutadores e profissionais das empresas – que estarão na conferência para oferecer oportunidades de estágio e vagas efetivas. A Fundação Estudar também realiza um mapeamento das empresas e dos jovens, a fim de ajudá-los a encontrar aquelas que mais se encaixam com o seu perfil profissional.

Dentre os selecionados, 50 deles participarão ainda do pitch de talentos, um momento do evento no qual cada um ‘vende seu peixe’ durante dois minutos para as organizações, que avaliarão o potencial desses jovens e poderão convidar aqueles que mais se destacarem para eventuais conversas sobre oportunidades.

O evento também oferece a possibilidade de networking por meio do aplicativo de celular, garantindo que os participantes enviem suas próprias dúvidas sobre carreira durante os painéis. As empresas também utilizarão o app para localizar potenciais candidatos e marcar entrevistas.

A Conferência Na Prática Empreendedorismo e Tecnologia acontece na Amcham Business Center, em São Paulo, das 7h30 às 18h. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até dia 3 de setembro pelo nesse link.

Conferência Na Prática Empreendedorismo e Tecnologia
Data: 30 de outubro de 2017
Horário: das 7h30 às 18h
Local: Amcham Business Center
Endereço: Rua da Paz, 1431 – Chácara Santo Antônio – São Paulo
Inscrições: até 3 de setembro pelo site https://estudar.napratica.org.br/conferencia-empreendedorismo/?utm_source=SiteExterno&utm_medium=ParceiroP&utm_campaign=pegn

Tags,

Incubadora abeLLha potencializa o trabalho de novas startups voltadas para resolver problemas socioambientais

Com o objetivo de auxiliar novas startups a potencializarem suas atividades, a incubadora abeLLha, tornou-se referência para empreendedores que estão no começo da jornada, com sua metodologia especializada em alavancar negócios em estágio inicial. Voltada para gerar novas oportunidades para a melhoria da sociedade, a empresa apoia projetos voltados para educação, inclusão de minorias, aumento de renda, saneamento básico, saúde, mobilidade e meio ambiente, baseados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (Organização das Nações Unidas) que devem ser implementados por todos os países do mundo até 2030.

A incubadora auxilia no desenvolvimento e soluções de problemas reais de microempresas que tenham fortes modelos de negócio, além de ser a solução para quem busca aprimoramento. Por meio de acompanhamento contínuo e acesso a rede de mentores profissionais com vasta experiência de mercado, a abeLLha possui duas vertentes: incubação para empreendedores, por meio de acompanhamento quinzenal com foco em construir e evoluir no detalhe da estratégia, planejamento financeiro, produto, operações, vendas, marketing e comunicação; e projetos voltados para inovação interna em empresas, onde é aplicada a metodologia de incubação para escalar ideias e inovações que precisam ser maturadas até se acoplarem ao core bussiness e gerarem impacto direto no negócio.

Além disso, a abeLLha possui ferramentas próprias que dão suporte no desenvolvimento desses negócios. O GoodPeople, aplicativo que conecta pessoas que possuam talentos complementares, para que empreendedores consigam encontrar pessoas para auxiliá-los em seus projetos e a plataforma Honeycomb, de gestão estratégica que cria um ambiente transparente e focado em resultados, sem esquecer das pessoas.

O processo de seleção da incubadora se baseia primeiramente na ideia inicial de valor que a startup agrega para resolver problemas na sociedade, no possível impacto de crescimento e escalabilidade e, principalmente, no foco e valores da equipe. “Queremos encontrar projetos que gerem impacto em grande escala e resolvam algum problema recorrente na sociedade. Entendemos que cada um pode ser determinante na mudança que deseja ver no mundo e que podemos fazer o bem e lucrar com isso também”, explica Ana Julia Ghirello, fundadora da abeLLha.

Fundada em janeiro de 2016, a abeLLha já incubou mais de 20 projetos. 13% das empresas criaram tração inicial de mercado e caminham para modelos de negócio sustentáveis, fazendo a diferença na vida de milhares de brasileiros. O processo de seleção para 2018 começa no dia 4 de setembro e vai até 16 de outubro.

Tags, , , , ,