Page

Category startup

SAP Labs vai premiar startups que melhorem a vida das pessoas

Já estão abertas as inscrições para a terceira edição do SAP Innomarathon, competição regional de startups que visa estimular o desenvolvimento de soluções que melhorem a vida das pessoas por meio do uso de tecnologia. Criado pelo SAP Labs América Latina em parceria com Socialab, neste concurso as startups devem aplicar conceitos de inovação e novas tecnologia em projetos nas áreas de educação, serviços públicos, sustentabilidade e empreendedorismo social. Este ano, a maratona será realizada em nove países: Argentina, Chile, Brasil, Peru, Colômbia, México, Porto Rico, Costa Rica e Uruguai. Serão selecionadas seis startups em cada país para participar da primeira rodada de apresentações. A inscrição é gratuita e pode ser feita até 10 de julho nos links América Latina e Brasil.

Todos os inscritos vão acompanhar uma demonstração da plataforma SAP Leonardo, que inclui tecnologias emergentes como Internet das Coisas, blockchain, machine learning (aprendizado de máquina) e Big Data. Em seguida, cada participante deve fazer uma apresentação conceitual de uma solução que contemple uma das aplicações tecnológicas e que resolva um desafio enquadrado em um dos Objetivos Globais de Sustentabilidade da Organização das Nações Unidas.

Em 12 de julho, serão anunciadas as seis startups, de cada um dos países participantes, que irão avançar para a primeira rodada de apresentações, realizada em formato de maratona entre os dias 18 e 20 de julho nas cidades de Buenos Aires, Santiago do Chile, Lima, Bogotá, Cidade do México, San José, San Juan, Montevidéu e São Paulo.

A final, com as equipes vencedoras de cada país, será no dia 21 de outubro em Nova York. O vencedor receberá um prêmio de US$ 5.000 e 12 meses de mentoria da equipe de Responsabilidade Social do SAP Labs para ajudar a desenvolver o projeto.

“A SAP acredita que a tecnologia é um motor para o desenvolvimento da sociedade e quando incentivamos que os projetos busquem encontrar soluções para problemas complexos, como os colocados entre os objetivos globais de sustentabilidade da ONU. Queremos que mais pessoas e organizações debatam sobre situações reais e invistam sua capacidade criativa para inovar e apresentar novos formatos de plataforma que nos ajudem a enfrentar causas e consequências de problemas urgentes, como acabar com a pobreza, gerar bem-estar, proteger o meio ambiente, entre outros”, explica Lautaro Spotorno, Diretor de Comunicação e Sustentabilidade da SAP América Latina.
Nas edições anteriores, os projetos vencedores foram o Bikelite, uma solução para ciclistas que utiliza GPS para criar rotas seguras que evitam o risco de acidentes e situações como roubos ou ruas esburacadas, e o Ecolones, rede de pessoas que reciclam e trocam resíduos por criptomoedas para usar no comércio.

Em expansão, fintech Bcredi abrirá 50 vagas em Curitiba e São Paulo

A Bcredi – fintech especializada em crédito com garantia de imóvel – está crescendo rapidamente e abrirá até setembro processo seletivo para 50 vagas de trabalho em Curitiba (PR) e em São Paulo (SP). Do total, dez posições já estão abertas. Serão selecionados profissionais com perfil técnico que possuam experiência nas áreas de crédito imobiliário, tecnologia da informação, comercial, recursos humanos e vendas. Mais informações sobre as vagas em http://bcredi.gupy.io/.

“Iniciamos nossas operações em 2017, com 20 pessoas, e terminamos 2018 com 48. Atualmente, nosso quadro já conta com 103 colaboradores”, diz Maria Teresa Fornea, CEO da Bcredi. O crescimento do time vem para acompanhar a rápida expansão do negócio.

“Nossas projeções são ambiciosas. Queremos quadriplicar nossa operação, chegando a 120 milhões em originação até o final de 2019”, diz Maria Teresa. Muito além de metas desafiadoras do negócio, esses números representam capital de giro aplicado, dívidas quitadas, negócios abertos e estímulos sobre mercados que vão além do imobiliário.

No portal http://www.bcredi.com.br/ os usuários podem fazer simulações sobre crédito imobiliário. O investidor pode trocar uma dívida pesada por um crédito saudável, aplicar na própria empresa, abrir uma franquia ou ainda usar os recursos para construir ou reformar.

Tags, , , ,

Starter Acceleration Program seleciona startups para módulo da América Latina

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico, anuncia as startups que participarão do módulo América Latina de seu programa global de aceleração de startups, o Starter Acceleration Program. As 10 eleitas, vindas do Brasil e do México, desenvolvem soluções de inteligência artificial, big data, energias renováveis e smart grids (veja a lista).

“As startups selecionadas atuam com tecnologias emergentes que capazes de alavancar a transformação do setor de energia. Com a globalização do Starter, queremos reforçar o apoio ao ecossistema empreendedor brasileiro e, também, expandir nossa presença com inovação aberta em países da América Latina, fomentando novas soluções para o nosso negócio,” destaca Livia Brando, Head de Inovação e Ventures da EDP Brasil.

O programa, que neste ano passou a ser global, com módulos em três regiões – Europa (em Madri, Espanha), América Latina (em São Paulo, Brasil) e América do Norte (em Houston, Estados Unidos) – teve aproximadamente 500 inscrições. Foram escolhidas 10 startups para cada módulo, as quais passarão por uma semana de imersão para o desenvolvimento das propostas de projetos-piloto junto à EDP, com apoio do time de especialistas da Empresa, além das mentorias das aceleradoras.

Ao fim desse processo haverá um Demoday, no qual as startups farão os pitches. Após essa etapa, que, no País, acontece no dia 19 de julho no Unibes Cultural, em São Paulo, aquelas com maior potencial participarão da grande final em novembro, em Lisboa, durante o Web Summit, um dos maiores eventos de inovação, empreendedorismo e tecnologia do mundo. As escolhidas terão um stand no local, podendo apresentar suas soluções ao mercado e prospectar novas oportunidades de negócio durante o Congresso. A startup vencedora será premiada com 50 mil euros

Desde 2008 os veículos de Venture Capital do grupo EDP já aplicaram globalmente mais de 30 milhões de euros em 26 startups, que juntas empregam mais de 750 colaboradores e têm mais de 100 milhões de euros de receita por ano. No país, a EDP ventures Brasil é o 1º Corporate venture capital voltado ao setor de energia, lançado em 2018 já conta com duas startups investidas que passaram também pelos programas de aceleração da EDP.

Novos parceiros

Três parceiros internacionais se juntaram a esta primeira edição do Starter Acceleration Program: a American Eletric Power, utility que tem mais de cinco milhões de clientes em 11 estados norte-americanos; a Turning Tables, uma empresa de inovação do grupo espanhol Cuerva; e a Verbund, maior fornecedora de eletricidade da Áustria, com quase meio milhão de clientes. O programa conta também com a L Marks e a Ace, duas especialistas em projetos de inovação e empreendedorismo e presença mundial.

Conheça o perfil das startups selecionadas:

Loud Voice – São Paulo (Foco em soluções para Clientes): plataforma de comunicação que permite uma conversa real entre bots e humanos gerando uma experiência de qualidade.

Neras – São Paulo (Smart Grids): solução com IoT voltada para a gestão eficiente do consumo de energia em estabelecimentos comerciais e industriais.

ColabApp – São Paulo (Foco em soluções para Clientes): plataforma que conecta consumidores à administração pública ou a empresas a melhoria da qualidade dos serviços prestados.

BLU365 – São Paulo (Foco em soluções para Clientes): plataforma de negociação de dívidas para gerar valor para credores e devedores por meio da combinação de ciência de dados, CRM e marketing orientado para o desempenho e suporte aos credores.

Fhinck – São Paulo (Inteligência Artificial): utiliza a tecnologia de IoT para eficácia e produtividade da força de trabalho, fornecendo análise em tempo real para melhorar processos e aumentar o desempenho e eficiência das equipes

Rio Analytics – Rio de Janeiro (Inteligência Artificial): empresa focada na aplicação de inteligência artificial para prever falhas de ativos industriais. A plataforma digital, através de algoritmos de aprendizagem promovendo aumentando a eficiência da produção.

Já Entendi – Paraná (Inovação em processos internos): startup de inteligência educacional que oferece uma metodologia capaz de transformar qualquer conteúdo de treinamento, como livros, manuais e folhetos em videoaulas com o uso de câmeras e dispositivos inteligentes.

Thermo-Off – Santa Catarina (Energia Limpa): possui um revestimento (como uma tinta), desenvolvido com base em nanotecnologia, com um alto poder de reflexão dos raios infravermelhos, ajudando grandes empresas a reduzir custos e economizar energia.

Pix Force – Rio Grande do Sul (Inteligência Artificial): desenvolve soluções usando tecnologias de visão computacional, inteligência artificial e machine learning para tratamento e interpretação de imagens e vídeos.

Trato – México (Inovação em processos internos): oferece uma plataforma para gerenciamento e interface de contratos jurídicos utilizando a tecnologia blockchain.

Tags, , , ,

Xi’an planeja tornar-se o hub de startups da China com uma série de iniciativas para recém-formados

Xi’an planeja tornar-se o hub de startups da China com uma série de iniciativas para recém-formados (PRNewsfoto/Xi’an Municipal Government)

Xi’an, a capital da província chinesa de Shaanxi, anunciou, recentemente, o lançamento de uma série de novas políticas voltadas para as startups. As políticas visam lançar mão do potencial dos recém-formados da cidade para tornar a cidade o destino favorito das startups da China. A iniciativa conta com uma série de programas de apoio, desde financiamento direto, mentoria, incubação e matchmaking.

Resumo da política:

– Processo de registro simplificado: lançamento de políticas consolidadas para simplificar o procedimento de registro de empresas, além de oferecer apoio para dedução de impostos, treinamento, mentoria e apoio para financiamentos.

– Apoio para incubação: Xi’an planeja criar 50 incubadoras, 100 centros empresariais e 500 centros de estágios em três anos para estimular que os recém-graduados abram suas empresas.

– Verbas: um novo fundo de 3 milhões de RMB em empréstimos com subsídios de juros ficará disponível para pequenas e microempresas que se qualifiquem. Os recém-formados que atenderem aos critérios também poderão candidatar-se a empréstimos de montantes menores de até 1 milhão de RMB, com parte do seguro básico coberto na negociação.

– Melhor infraestrutura: será formalmente estabelecida a Employment and Entrepreneurship Alliance (EEA, Aliança entre Emprego e Empreendimento) para estudantes universitários, que visa unir universidades, estudantes, o governo e a iniciativa privada para facilitar o apoio contínuo a negócios de pequeno e médio porte.

– Bibliotecas de projetos: serão criadas bibliotecas de projetos, municipais e distritais, para auxiliar na qualificação das startups, além da intermediação de parcerias e programas de mentoria.

– Programa de mentoria: uma equipe de 132 especialistas experientes trabalhará em conjunto com o governo, instituições e empreendedores para oferecer ainda mais orientações e promover a maior qualificação dos futuros líderes.

– Agenda de eventos: uma rede sólida de incubadoras, um grupo de experientes economistas e uma série de programas com respaldo do governo se unirão em dezenas de eventos a serem realizados ao longo do ano.

Xi’an implementará as políticas para startups por meio de um ecossistema condutivo para startups, desenvolvido para o crescimento inclusivo. Desde o lançamento da Política para Startups de Xi’an, foram concedidos mais de 272 milhões de RMB e foram criados mais de 528.000 postos de trabalho em cinco incubadoras federais e 23 distritais, em que mais de 3.123 startups foram abertas.

Entre os eventos que já ocorreram, figuram o “2018 Innovation Xi’an Entrepreneurship competition B&R Create@Alibaba Cloud Startup Contest Xi’an” e o” 2018 Star Venture Enterprise of Xi’an”. Este ano, haverá o lançamento de mais eventos, entre eles o “Star Entrepreneur of the Year Election” e o “University Maker Festival”.

A Prefeitura Municipal de Xi’an comunicará as informações sobre as mais recentes políticas para os recém-graduados através de diversos canais de notícias e mídias sociais, como a conta oficial da localidade no WeChat, em uma tentativa de envolver números cada vez maiores de jovens empreendedores potenciais nos próximos cinco anos.

Para mais informações, acesse http://cbe.xa.gov.cn/default.html.

Tags, ,

Fundador da 99, Paulo Veras, integra conselho administrativo da Cargo X

A Cargo X, logtech brasileira fundada em 2013 com o objetivo de reescrever a cultura de transporte de cargas no Brasil, anuncia Paulo Veras, fundador da 99, como novo membro do conselho administrativo. A adição chega em um momento de reposicionamento de marca, que agora passa a concentrar seus esforços nas pequenas transportadoras e empreendedores com até seis caminhões, por meio de um fundo de investimento próprio de 100 milhões de reais e oferecimento de tecnologias como machine learning e inteligência artificial. Até 2020, a Cargo X planeja injetar até 300 milhões de reais na economia brasileira por meio dessa nova medida.

“Do mesmo jeito que os aplicativos mudaram o mercado ajudando os taxistas a serem mais eficientes, a Cargo X ajuda mudar o mercado de transporte, ajudando os transportadores a ganhar mais cargas e melhorar seu capital de giro. Dada minha experiência como Fundador e ex-CEO da 99, eu consigo contribuir com a estratégia da empresa”, afirma Paulo Veras, membro do conselho administrativo da Cargo X. E continua: “Acredito que no futuro todos os fretes serão transacionados pela internet. A Cargo X é um marketplace que vai permitir ao embarcador e transportador se conectar por meio de uma plataforma eletrônica de um jeito mais seguro e eficiente. No futuro, não existirão caminhões rodando vazios, transportadores sofrendo com a falta de capital de giro e nem cargas sem caminhão”.

Paulo foi diretor geral e conselheiro da Endeavor Brasil por doze anos e, como acionista da 99, atraiu investidores milhões de reais por meio de grandes investidores internacionais. Atualmente, atua no conselho de empresas como Estapar e B2W Digital. Junto ao empreendedor, integram o conselho administrativo da Cargo X nomes como Oscar Salazar, co-fundador da Uber.

“Em razão da sua grande experiência no mercado de mobilidade, Paulo traz uma importante visão de negócio para a Cargo X. Sem dúvida, essa sinergia faz muita diferença em um cenário de mercado tão competitivo”, afirma Federico Vega, CEO da Cargo X.

Além de Paulo Veras e Oscar Salazar, integram o conselho administrativo da Cargo X nomes como Federico Vega, Hans Hiclker (ex-CEO DHL) e mais.

“Nosso critério de seleção para novos membros do conselho administrativo é bastante rígido, queremos investidores que compartilham da nosso propósito de reescrever a cultura do transporte de cargas no Brasil”, finaliza Vega.

Tags, , ,

Convenia desburocratiza área de gestão de pessoas e humaniza processos de RH

Criada com o objetivo de trazer alta tecnologia para o setor de recursos humanos, de maneira acessível e prática, a Convenia foi fundada em 2012 pelos empreendedores Marcelo Furtado, Rodrigo Silveira e Anderson Poli. A ideia do negócio surgiu quando eles olharam para trás e perceberam que, apesar da carreira promissora que tinham, sentiam-se mal geridos nas empresas em que trabalhavam.

Juntos, os três decidiram desenvolver um software para auxiliar nos processos de departamento pessoal de pequenas e médias empresas, otimizando e desburocratizando o RH, da contratação ao desligamento de um funcionário.

“A área de Recursos Humanos sempre foi muito manual, com muita papelada e um gap de tecnologia muito grande. A partir disso, vimos uma real necessidade de mercado e, com os insights adquiridos, desenvolvemos uma ferramenta para suprir, de forma automatizada, os processos de gestão da rotina na área, reduzindo o tempo gasto com questões operacionais e destinando-o para as pessoas”, destaca Marcelo Furtado, CEO da startup.

Hoje, a Convenia oferece uma cartela de produtos — com teste gratuito — como gestão de dos dados dos colaboradores, terceirização da folha de pagamento, gestão de férias, benefícios e um clube de vantagens direcionado para o engajamento dos colaboradores. Dentre as três mil empresas clientes, estão companhias como Itaú, Dasa, Loggi, Resultados Digitais, Sambatech, Endeavor e OAB.

Para otimizar os serviços oferecidos, a empresa que contrata o Convenia precisa ter um histórico de dados dos funcionários e, em 70% dos casos, a startup participa ativamente do processo de importação desse banco e auxilia na busca de informações junto ao contador do cliente. Os serviços por meio de software só não incluem recrutamento e seleção.

“A Convenia gerencia o colaborador a partir do momento em que é contratado e durante toda a vida dele dentro da empresa. Assim que ele é admitido, consegue preencher, pela nossa plataforma, todos os dados, tirar cópia dos documentos de seus dependentes, mandar foto pelo celular. O RH só acompanha esse processo”, pontua o CEO da Convenia.

A meta da empresa é sensibilizar a gestão de pessoas por meio de seu software e humanizar os processos burocráticos em PMEs, aumentando a eficiência e eliminando perdas operacionais, trabalhistas e financeiras.

ABES apoia programa de Startup da Prefeitura de São Paulo

A prefeitura de São Paulo divulgou, dia 27 de junho, durante a realização dos eventos MundoGeo Connect 2019 e Drone Show, o resultado final do concurso Hackatona GeoSampa 2019 que premiou Fernando Gomes com o projeto “Descobrindo e mapeando a diversidade tipomórfica em São Paulo: em busca da inteligência coletiva na cidade espontânea por intermédio do ‘BigData’ disponibilizado pelo GeoSampa”. O prêmio foi entregue ao vencedor por Rodolfo Fücher, presidente da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software), apoiadora do evento. “O evento, que foi desenhado a partir da integração dos principais pilares econômicos do Brasil, das tecnologias disruptivas e das geotecnologias, é essencial para fomentar o mercado de startups e dar visibilidade para projetos que impactam tão positivamente nossa sociedade”, comenta Fücher.

O Hackatona é uma maratona para desenvolvimento de ferramentas de análise, planejamento e gestão, aplicativos para a smartphones, tablets, entre outros, utilizando dados do GeoSampa – Portal de Informações Geográficas da Cidade de São Paulo. A aplicação vencedora dessa maratona será entregue para uso gratuito da população.

O concurso teve outros dois finalistas: Thomas Len Yuba desenvolveu o projeto “Modelo de distribuição de arquivos estáticos do GeoSampa” e Alexandre Sahade Goncalves apresentou o “Rios DesCobertos – O resgate das águas da cidade”. Os trabalhos inscritos tiveram o desafio de facilitar e qualificar a vida dos cidadãos da capital paulista e foram avaliados em cinco quesitos: Interesse público, Monitoramento participativo, Criatividade, Sustentabilidade e Qualidade técnica. Os três projetos foram premiados com cursos de especialização, startup mentoring, smartphones, tablets e computadores.

O evento, que durou três dias e também teve apoio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), reuniu gestores públicos, profissionais experientes e novos talentos na área de tecnologia e gestão da informação visando qualificar o debate para a proposição de soluções para uma cidade inteligente, aberta e conectada.

Estímulo ao mercado de startups

Entidade que representa, aproximadamente, 2 mil empresas no mercado de brasileiro de software, a ABES tem entre suas metas o apoio a startups. Recentemente, selou parceria com a IBI-TECH, empresa israelense com filial no Brasil, para apoiar o ingresso de startups israelenses no Mercado Brasileiro. “Estamos apostando também em parcerias internacionais para estimular o mercado de startups. No começo de junho, selamos uma parceria com a IBI-TECH (Israel Brasil Innovations LTD), empresa israelense com filial no Brasil, para apoiar o ingresso de startups israelenses no Mercado Brasileiro. Com mais de 30 anos de experiência na área jurídica, regulatória e tributária, a ABES pode auxiliar companhias estrangeiras que desejem operar no Brasil e também empresas iniciantes como as que víamos no Hacktona Geo Sampa”, afirma Fücher.

O que há de novo no mundo das startups?

De acordo com estudo divulgado recentemente pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o ano de 2018 terminou com mais de 10 mil startups cadastradas, o dobro do número registrado em 2017. Para a instituição, o cenário para 2019 se mantém promissor.

O mundo das startups apresenta oportunidades não só para empreendedores, mas também para investidores. Segundo levantamento da Lavca (Association for Private Capital Investment in Latin America), em 2018 os investimentos em capital de risco bateram o recorde de US$ 1,3 bilhão, o que representa melhores oportunidades de crescimento e expansão para empresas de todos os portes, com alavancagens mais rápidas devido à troca de experiência com o investidor.

De acordo com Felipe Collins, sócio da aceleradora ACE Startups e um dos palestrantes do We Are Omie, festival de empreendedorismo organizado pela fintech Omie, a tendência é de que o venture capital amadureça progressivamente a partir de negociações com grandes corporações e maiores números de rodadas de investimento. Collins participa da trilha de Marketing e vendas de resultados no evento, que acontece no dia 8 de agosto em São Paulo.

No cenário promissor, grandes startups crescem cada vez mais. É o caso da Movile, iFood, Nubank, Rappi e 99, com valor de mercado estimado em mais de US$ 1 bilhão cada.

As fintechs Stone Pagamentos e PagSeguro já fizeram suas Ofertas Públicas Iniciais – ou seja, já registraram a entrada da empresa na Bolsa de Valores – e estão listadas, respectivamente, na Nasdaq e na NYSE.

Mas não há só unicórnios no mercado. O número de criações de startups e o ritmo dos investimentos aumenta cada vez mais. Confira 6 tendências listadas por Felipe Collins para que o empreendedor não perca nenhuma oportunidade:

1 – Grandes empresas atuando como mentoras e investidoras

Grandes corporações estão se aproximando de startups para tê-las como fornecedoras, oferecendo mentorias e também atuando por meio do corporate venture, em que operam como fundo de venture capital.

2 – Fintechs vão integrar cada vez mais o mercado financeiro

As fintechs passaram a integrar fortemente o mercado financeiro, já que entregam atendimento individualizado e taxas mais atrativas a partir de tecnologias avançadas. De acordo com Collins, a regulamentação do open banking, iniciada pelo Banco Central em abril, contribuirá para o cenário diminuindo os obstáculos para novas empresas que desejem prover serviços financeiros.

3. O mercado é oportuno para Agritechs

O agronegócio é uma área adepta às novas tecnologias, principalmente por ainda apresentar problemas, como crédito de safra e monitoramento de produção. Outra tendência é que startups de métricas passem a se desenvolver em centros de pesquisa no interior no país.

4. Empresas que observam necessidades têm mais sucesso

Ainda existem vários problemas na gestão e serviços e um número alto de intermediários em todos os tipos de processos. Segundo Anthony Ulwick, empresas que identificam problemas antes de investir em tecnologias têm 86% mais chances de alcançarem o sucesso. Portanto, antes de qualquer coisa, é preciso observar as necessidades.

5. Formação empreendedora capacita profissionais para o mundo das startups

De acordo com uma pesquisa divulgada pelo fundo de investimentos Canary, 37% dos universitários brasileiros querem seguir carreiras empreendedoras ou abrir empresas voltadas para a tecnologia. Neste sentido, a educação empreendedora está contribuindo para a capacitação de profissionais que desejam trabalhar em startups.

6. A lógica de colaboração encurta caminhos

As startups vêm se ajudando com compartilhamento de informações, criação de conteúdo, networking e conhecimentos que ajudem a encurtar caminhos para o sucesso.

Tags, , ,

Iugu participa do Fórum E-commerce Brasil 2019

Entre os dias 16 e 18 de julho, acontece a maior feira de e-commerce da América Latina, o Fórum E-commerce Brasil. Serão mais de 196 empresas nacionais e internacionais expondo suas soluções e produtos e, entre elas, está a plataforma online de meios de pagamento, iugu. A startup faz parte do conjunto do evento que mostrará o papel da tecnologia para promover a inovação no mercado.

“O nosso objetivo é oferecer todas as ferramentas para o cliente resolver os principais problemas de meios de pagamento e obstáculos de gestão financeira. Por isso, estar presente em um evento de renome como o Fórum E-commerce Brasil, irá reforçar os benefícios e funcionalidades das nossas soluções para os empreendedores. Além de nos conectarmos ainda mais com público do evento “, comenta Patrick Negri, CEO da iugu.

O evento está na 10º edição e estima 15.000 participantes, que irão conferir as novas oportunidades de negócios. A proposta da iugu é trazer ao cenário as suas soluções e planos de negócios que ocorrem em três pilares diferentes: Tradicional, Recorrente e Marketplace, atuando em diversas áreas, se tornando assim uma das principais plataformas de meio de pagamentos do Brasil.

Fórum E-commerce Brasil

Local: Transamérica Expo Center – Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro
Data e horário: 16 a 18 de julho, das 8h às 20h
Stand iugu: S-13

Tags, ,

Ágil e eficiente: como a brasileira Pipefy se tornou referência na filosofia Lean?

Para manter a competitividade, empresas devem se atentar às diferentes formas de inovação. Tendência em corporações de base tecnológica, a filosofia Lean pode ser uma aliada quando aplicada corretamente na cultura da organização. Garantir maior qualidade, agilidade e eficiência focados nas necessidades do cliente, eliminando desperdícios e melhorando continuamente produtos e serviços, se tornou tão essencial quanto vender em qualquer segmento ou mercado.

Empresas que nasceram com a cultura já implementada em seus times disparam na frente. Esse é o caso da brasileira Pipefy, que desde 2014, quando foi fundada, estabeleceu o Lean como pilar fundamental para seu funcionamento. A estratégia vem trazendo resultados expressivos: nos dois últimos anos, a startup de SaaS (Software as a Service – Software como Serviço), que fornece uma plataforma intuitiva e customizável para o gerenciamento de processos, cresceu 300%.

O sucesso pode ser atribuído à equipe liderada pelo paranaense Alessio Alionço, fundador e CEO da Pipefy. Desde o primeiro dia, o empreendedor estabeleceu dois grandes objetivos: ser global e referência no método. As duas metas foram cumpridas em um curto espaço de tempo. Hoje, a startup está presente em 150 países, tem bases no Vale do Silício e Austin, nos Estados Unidos, além da matriz em Curitiba, e ainda é modelo de eficiência na aplicação da filosofia.

Além da eficiência nos processos internos, a Pipefy ainda é capaz de implementar o Lean em outras companhias que desejam a filosofia aplicada em sua cultura. Com a plataforma, qualquer profissional ou gestor consegue ter plena autonomia para executar tarefas, controlar fluxos e prevenir falhas, exercendo a máxima da metodologia, com qualidade, agilidade e eficiência.

“Enxergamos uma combinação entre Lean e tecnologia muito interessante. Um é capaz de maximizar e otimizar o outro. Com a tecnologia, tiramos o máximo proveito do Lean e vice-versa”, explica o especialista no método na Pipefy, Leonardo Tomadon. Para ele, a filosofia foi capaz de fazer com que a empresa mantivesse, ainda que com o crescimento acelerado, a mesma qualidade e eficiência entregues no primeiro dia, ao primeiro cliente.

“Aqui na Pipefy, estimulamos que o time execute mais com menos e adotamos o mindset de Learn by Doing, ou seja, fazer, medir e, então, aprender. Como conseguimos isso? Empoderando nossos colaboradores a terem total autonomia em resolver problemas. É preciso que eles tenham a cabeça de dono e pensem sempre em como evitar erros e manter qualidade e o valor que tanto prezamos e entregamos ao cliente”, conta Alessio.

Desde sua fundação, a startup já recebeu investimentos da Redpoint Ventures, Valor Capital, 500 Startups, Founders Fund e dos fundadores da Zendesk, Morten Primdahl e Alexander Aghassipour. Em 2018, a Pipefy levantou US$ 16 mi em sua rodada de investimentos Series A, encabeçada pela OpenView Partners e Trinity Ventures.

Hoje com mais de 162 funcionários, incluindo profissionais de países como Estados Unidos, Nicarágua, Israel, Egito e Venezuela, a empresa está entre as melhores PMEs brasileiras para trabalhar. “A junção de produto inovador e eficiência de método chamou a atenção de gigantes que hoje fazem parte do nosso portfólio. Entre os mais de 15 mil clientes estão o McDonald’s, Unilever, Ambev, IBM e Accenture”, comemora o executivo.

Tags, ,

Edenred convoca startups para programa de aceleração

Gilles Coccoli, Chief Operating Officer Américas da Edenred

A Edenred, líder mundial em soluções transacionais para empresas, comerciantes e empregados e que integra as marcas Ticket, Ticket Log, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas no Brasil, em parceria com a Kyvo, plataforma de inovação e design de serviços, abrem a 3ª edição do Programa de Open Innovation, o Edenred Connect, que visa aproximar o Grupo de startups com o objetivo de trazer inovação de fora para dentro. Entre 14 de junho e 14 de julho, startups de todo o País, que tenham projetos inovadores e que contribuam com novas soluções ou com a melhoria de produtos e serviços relacionados a todas as marcas do grupo, poderão fazer suas inscrições.

Como uma precursora da inovação aberta, a Edenred desenvolveu um sistema global que antecipa tendências e explora ecossistemas que tenham afinidade com seu core business e o Edenred Connect faz parte do plano estratégico de aceleração do grupo. “Em 2018, tivemos um recorde de inscrições, foram mais de 220 startups que participaram do processo, o que mostra o potencial de atuação que elas têm em nosso mercado, a confiança em nosso programa e a solidez de grupo. Somos uma empresa que conecta empresas e pessoas e acreditamos muito na força da associação de uma empresa multinacional líder de mercado às startups, que agregam ainda mais valor ao nosso trabalho pela força e agilidade que depositam em seus negócios”, destaca o Chief Operating Officer Américas da Edenred, Gilles Coccoli.

Em 2019, serão selecionados até cinco parceiros, que passarão por etapas que incluem a avaliação do material disponibilizado na inscrição, entrevistas com os projetos selecionados e o Pitch Day, última etapa, que acontecerá em 8 de agosto, em que as 15 startups finalistas terão a oportunidade de apresentar seus modelos de negócios destacando as oportunidades de sinergia com a Edenred Brasil. A banca que definirá quem seguirá no programa, avaliará quesitos, como crescimento e evolução da startup, estrutura da equipe dedicada para a execução do projeto, clientes já atendidos, potencial do negócio e sua maturidade.

O processo de aceleração terá duração estimada de cinco meses. Nesse período, as equipes farão de uma imersão, na qual poderão aprofundar aspectos, como estratégia de usabilidade do projeto e contarão ainda com espaço físico, horas de mentoria de diretores do grupo e workshops da Kyvo, que terão como foco as necessidades apresentadas pelas startups, como planejamento estratégico, gestão de recursos humanos, marketing digital, análise de dados, recursos financeiros e relações mercadológicas, entre outros.

“Estamos muito contentes com o nível que o nosso programa de aceleração tem atingido. Com o amadurecimento do projeto e de nossa experiência, observamos resultados relevantes para nossa atuação no Brasil e também para nossos clientes, nos três níveis: empresas, comerciantes e trabalhadores.”, avalia Coccoli.

Podem ser inscritos projetos de startups de todo o Brasil. Detalhes sobre o programa e o processo de inscrições estão disponíveis no site: http://edenred.com.br/aceleracao/
Programa de Open Innovation Endered Connect

Adotado no Brasil em 2017, o Programa de Open Innovation Edenred Connect faz parte do plano estratégico de aceleração do grupo com foco na digitalização de sua oferta e na consolidação da liderança em B2B2C, refletido pelo posicionamento: “We connect, you win.”

Em 2018, o Edenred Connect recebeu mais de 220 inscrições e selecionou cinco startups com as quais trabalhou durante seis meses. Nesse período, os parceiros receberam cerca de 30 sessões de mentorias e coaching, que os auxiliaram no desenvolvimento dos projetos.

Como resultado dos programas de inovação já realizados pela Edenred, destacam-se a parceria fechada pela Repom com a Credisfera, que oferece a disponibilidade de contratação de empréstimo pessoal para os caminhoneiros. Outra parceria de destaque foi realizada pela Ticket Log com a integração da Onboard no Log&Go, que permite a utilização do saldo do Ticket Car para a recarga do Bilhete Único na cidade de São Paulo.

Tags, ,

Fintech de pagamentos por aproximação ATAR cresce com cartão e conta digital

As grandes operadoras globais de cartões elegeram o pagamento por aproximação como carro-chefe para expandir seus negócios. O avanço da modalidade abriu caminho para o crescimento de empresas especializadas na tecnologia contactless. É o caso da startup catarinense ATAR. A empresa, que lançou a primeira pulseira de pagamentos por aproximação da América Latina, recentemente se tornou parceiro tecnológico da Mastercard na criação de cartões pré-pagos promocionais contactless para eventos esportivos.

A ATAR apresentou sua pulseira de pagamentos ao mercado em 2016, quando não havia outro acessório semelhante no país, nem era comum realizar uma compra usando o celular. A ATAR band era vista como uma promessa revolucionária. Hoje, três anos depois, os usuários do wearable – como são chamadas as tecnologias adotadas como acessórios de vestir – já realizaram pagamentos por aproximação em mais de 9.000 estabelecimentos diferentes no Brasil e em outros 15 países.

“A ATAR band foi protagonista da maior pré-venda de um produto brasileiro de tecnologia na época, com mais de 1.000 unidades encomendadas”, conta Orlando Purim Junior, diretor executivo da ATAR. “A ideia era tão inovadora que as pessoas queriam ter acesso antecipado à pulseira, apoiando o projeto ao comprá-las mesmo sem pronta entrega”.

Para desenvolver o produto, a ATAR contou com nomes de peso. A Mastercard se tornou a bandeira da ATAR band, permitindo que a pulseira fosse aceita em estabelecimentos comerciais em mais de 200 países. Já a Edenred Soluções Pré-Pagas, que se adaptou para atuar com pagamentos por aproximação, virou o emissor.

“Essas empresas apostaram no contactless e nos wearables de pagamento quando ainda eram uma promessa. Agora que esse segmento ganha tração, temos uma solução robusta pronta para atender o mercado”, diz Purim. Para Alfredo Bernacchi, diretor geral da Edenred Soluções Pré-Pagas, a tendência é de expansão. “Emitimos dispositivos de pagamento por aproximação pela primeira vez com a ATAR. A modalidade dá agilidade ao processo de compra, permitindo que a transação seja até dez vezes mais rápida do que com outros meios”.

Parceria com a Mastercard

O pioneirismo e a expertise em contactless levaram a ATAR a ser escolhida pela Mastercard para parceria durante alguns eventos esportivos que a operadora patrocina. Entre maio e junho, mais de 9.500 cartões pré-pagos promocionais com a tecnologia de pagamentos por aproximação da fintech foram distribuídos a clientes da Mastercard. Também foram entregues 500 pulseiras de pagamento da ATAR, personalizadas para a Mastercard, a torcedores, executivos e influenciadores.

Esses cartões tinham um crédito de R$ 15 e as pulseiras da ATAR, de R$ 30. Para usar o recurso, válido até 31 de julho de 2019, era preciso ativá-los por meio da conta digital e do aplicativo ATAR pay. “Nos empenhados em assegurar comodidade, operacionalizando back-office, tesouraria e atendimento”, diz Mike Allan Pellin, diretor de operações da ATAR.

Ganhando corpo

A ATAR band funciona por meio da tecnologia NFC (transmissão de dados sem contato). Após adquirir a pulseira, o usuário deve baixar o aplicativo ATAR pay (disponível para iOS e Android), criar uma conta digital (Conta ATAR pay) e fazer a ativação do produto. Para realizar pagamentos, é preciso depositar recursos na Conta ATAR pay, o que pode ser feito com cartões de crédito, TED ou boleto bancário emitido no próprio aplicativo. A ATAR band é aceita em toda a rede contactless da Mastercard, presente em 85% das maquininhas no Brasil.

Entre cartões e pulseiras, a ATAR emitiu mais de 17 mil dispositivos de pagamento nos últimos 12 meses. Instituições financeiras como o banco Bradesco e a cooperativa Sicredi se tornaram clientes corporativos da fintech. Neste ano, até maio, o volume de depósitos na conta digital ATAR pay cresceu 146% em relação ao mesmo período de 2018. “Acreditamos que estamos fazendo a diferença para a disseminação dos pagamentos por aproximação no país”, afirma Purim. Os pagamentos por aproximação já podem ser feitos em cerca de 4.500 cidades brasileiras.

Pivot no modelo de negócio

Fundada em Timbó, cidade de 43 mil habitantes no interior de Santa Catarina, a ATAR nasceu focada no desenvolvimento de wearables de pagamento. A empresa foi uma das selecionadas para participar da primeira turma do InovaBRA, programa de inovação criado pelo banco Bradesco, em 2015, quando o modelo da ATAR band foi testado e aprovado. Até o momento, a empresa recebeu cerca de R$ 1 milhão em aportes, entre investimentos anjo e equity free (sem envolver participação societária).

Diante da resposta dos clientes à ATAR band, os executivos perceberam que havia uma oportunidade de ajuste no modelo de negócio da empresa. Com o tempo, a base de usuários se diversificou. “Notamos que muitos clientes se consideravam mal atendidos pelos bancos”, diz Pellin. Ao mesmo tempo, a forma de usar a solução também evoluiu. “Os clientes estavam usando a Conta ATAR pay para finalidades que não tínhamos previsto, como guardar dinheiro, pagar mesada, rachar a conta com os amigos ou fazer cobranças”.

A startup, então, decidiu democratizar o acesso à conta digital. Até o ano passado, só tinha acesso à ATAR pay quem comprasse a pulseira de pagamentos. Em maio de 2019, os dois foram desvinculados – agora, é possível aderir à conta digital sem ter a pulseira. Os resultados estão aparecendo. Neste ano, até maio de 2019, o número de novas contas foi o dobro das abertas em 2018 inteiro. “Começamos com o ‘tech’, mas resolvemos agregar o ‘fin’. Com a conta digital podendo ser aberta por qualquer pessoa, hoje somos oficialmente uma ‘fintech’, empresa dedicada à tecnologia para a área financeira”, conclui Pellin.

A conta digital ATAR pay não tem taxa de manutenção e nenhum custo para depósito. Deve ser lançado também o Cartão ATAR, cartão pré-pago internacional, com a bandeira Mastercard, sem cobrança de anuidade. Em fase de teste, o cartão permitirá fazer saques no Brasil e no exterior, além de pagamentos em mais de 40 milhões de estabelecimentos no mundo.

Tags, , ,