Page

Category startup

Startup brasileira foi selecionada para receber aporte de US$ 50 mil do programa de saúde financeira do Village Capital

Village Capital anunciou hoje as duas startups de saúde financeira que foram selecionadas para receber o aporte de US$ 50 mil cada uma, entre elas está a brasileira Monetus. A seleção foi feita pelos seus pares do Finance Forward: Latin America 2019. O financiamento, feito pela MetLife Foundation, será utilizado para fortalecer e aumentar escala da operação.

O programa de aceleração é parte do Finance Forward, uma coalizão mundial de alguns anos, criada pela Village Capital juntamente com MetLife Foundation, PayPal e que conta com suporte regional de parceiros locais (que incluem Moody’s Corporation na América Latina). O objetivo do programa é auxiliar startups, em início de operação, na construção de soluções tecnológicas para saúde financeira nos quatro continentes.

A vencedora do Brasil — Monetus — auxilia clientes a diversificarem seu portfólio de investimentos, direcionando-os para o atingimento de seus objetivos financeiros, com planejamento, bons investimentos e design. A chilena ArriendoAsegurado é uma startup que busca acelerar o processo de alugar residências, sem a necessidade de depósitos em adiantamento, como o seguro-fiança. Estas duas startups foram selecionadas em função de possuírem as melhores condições de receber o aporte de US$ 100 mil. A escolha foi feita pelos seus próprios pares, ao final do workshop da etapa latino-americana do Finance Forward, que aconteceu na semana passada na Cidade do México. Foram realizados dois outros workshops: um em São Paulo, em agosto, e outro em Santiago do Chile, em setembro. Esta foi a primeira vez que o Village Capital foi lançado em três países da América Latina, tornando-se assim único da categoria na região.

Este ano foi a primeira vez que empreendedores brasileiros fizeram parte de um grupo da Village Capital. Com quatro startups – CloQ, DinDin, Monetus e Movva – o Brasil foi o país mais bem representado no grupo de 11 empresas.

Para Monetus, ser uma das empresas selecionadas por pares destaca o potencial dos empreendedores brasileiros e a relevância de conectá-los a outros atores-chave no restante da América Latina.

“Participar do programa da Village Capital foi uma excelente oportunidade de trabalhar ao lado de empreendedores incríveis, conhecer novos modelos de negócios e principalmente ver que a América Latina vai muito além do Brasil. Depois de três meses intensos de trabalho e quase 120 horas juntos, passar pelo crivo de 20 outros empreendedores que nos elegeram a melhor startup do programa nos deixa orgulhosos e ainda mais certos de que estamos realmente construindo uma empresa sólida e com o potencial de impactar a vida de milhões de pessoas,” diz Vinicius Soares, Diretor de Produto da Monetus. “Nossa meta para o próximo ano é atingir a marca de R$ 1 bilhão sob gestão e ajudar mais de 50.000 pessoas nesse processo. Queremos auxiliar as pessoas em todas as fases de sua vida financeira.”

“As onze startups do programa oferecem soluções para os mais importantes desafios da saúde financeira na América Latina”, diz Allie Burns, CEO da Village Capital. “O Finance Forward foi construído a partir de nossa experiência mundial de mais de dez anos, assim como pelos quatro programas anteriores na América Latina, que apoiam as startups de saúde financeira, gerando significativa inovação.”

“Podemos visualizar progresso na inclusão financeira na região, mas temos que ir além e focar em como a tecnologia está sendo usada para enfrentar as questões de saúde financeira e auxiliar os pequenos negócios e também cidadãos a estarem preparados para o futuro”, acrescenta Daniel Cossío, Gerente de Parcerias e Programas para a América Latina, no Village Capital.

“Nós, da MetLife Foundation, estamos entusiasmados com as duas empresas selecionadas no programa da aceleradora Village Capital. Ele permite a cooperação mútua entre os empreendedores para continuar criando soluções sólidos para a saúde financeira na América Latina. Famílias e pequenos negócios puderam ter mais cuidado com suas finanças e encarar desafios, investindo no curto e longo prazo, e assim consolidando seu futuro,” analisa Nalleli García, Gerente de Responsabilidade Social da MetLife México.

“Como uma companhia orientada para a tecnologia e comprometida com a democratização dos serviços financeiros, tanto para cidadãos como para pequenos negócios em todo o mundo, o PayPal tem orgulho desta parceria com o Village Capital e o programa Finance Forward. Esperamos que este esforço global em busca da saúde financeira possa iniciar ação e uma mudança positiva na América Latina”, diz Julie Vennewitz-Pierce, Diretora do PayPal.

“Empoderar pessoas com conhecimento financeiro, dando-lhes segurança para utilizá-lo, auxilia na abertura de portas para o futuro”, complementa Arlene Isaabs-Lowe, Head Global de Responsabilidade Social da Moody’s. “Nós temos orgulho de apoiar o Finance Forward, iniciativa que permite que startups em toda a América Latina transformem a saúde financeira de suas comunidades.”

Finance Forward América Latina 2019 encerrará com uma visita a Buenos Aires. Na última semana de outubro, as startups selecionadas encontrarão investidores e fundos de investimento. Assim, nesta última etapa, Village Capital e seus parceiros MetLife Foundation, PayPal e Moody’s Corporation reafirmam seu papel na busca da saúde financeira na América Latina.

Startup de recrutamento digital facilita o processo de contratações no Brasil

A Connekt, plataforma inteligente de recrutamento digital, oferece um sistema completo de atuação em todas as etapas do processo seletivo, desde o marketing de atração de talentos até a seleção de pessoas para contratação efetiva. A startup faz parte do cenário do RH 4.0 que, ao longo dos anos, ganhou recursos tecnológicos e automação, criando o que é chamado de HRTechs.

“Na Connekt, nós otimizamos o processo de recrutamento e seleção. Além de auxiliar na abertura das vagas, nós temos como expertise a estratégia de marketing para atração de talentos, criamos uma experiência digital simples para empresas e candidatos e possibilitamos o ranqueamento dos participantes de acordo com o perfil da vaga e a cultura da companhia contratante”, explica Celson Hupfer, CEO da startup.

Por meio da plataforma, as empresas têm a possibilidade de criar vagas e escolher a jornada do candidato, isto é, quais os passos ele irá traçar durante o processo de candidatura, que envolve testes específicos, múltipla escolha e/ou dissertativos e entrevista em vídeo feita na própria ferramenta. A Connekt entrega para a empresa contratante todos os candidatos que se aplicam às vagas, ranqueados por grau de afinidade com os requisitos de cada uma delas. A partir disso, o empregador ou o setor de RH consegue selecionar as melhores opções, com base nas respostas da jornada digital, e convocar para as etapas presenciais apenas os perfis mais aderentes, economizando tempo do recrutador e do próprio candidato.

Entre as vantagens desse tipo de ferramenta estão a otimização de investimento no processo de recrutamento e seleção, transparência, eficiência e a redução de tempo dedicado ao processo – tanto para a empresa quanto para o candidato, já que o procedimento é realizado de modo online, gerando autonomia e redução de custos.

“A Connekt tem como objetivo ser parceira dos setores de RH. Temos a missão de ajudar as empresas a contratar pessoas com o melhor fit cultural para a vaga em aberto, porém, mais do que isso, queremos auxiliar as pessoas a melhorar suas condições de empregabilidade, num espaço democrático e que ajude-as na busca do melhor trabalho para seus respectivos perfis”, finaliza Hupfer.

Fundada em 2017, a plataforma Connekt já auxiliou marcas como Natura, Teleperformance, Centauro, Riachuelo, Pobre Juan, Kumon, entre outras, somando a abertura de mais de 18 mil vagas nos últimos dois anos, em todas as regiões do país. Além disso, a empresa é uma das unidades de negócio da 2HRH, grupo de investimentos em startups HR Techs.

ACE lança software para medir inovação corporativa

De acordo com a última edição da ACE Innovation Survey sobre o estado da inovação corporativa no Brasil, mais da metade dos executivos acreditam que a inovação nas empresas é um fator muito importante, e os gestores de inovação cuidam em média de até 50 projetos ao mesmo tempo. Pensando em facilitar e otimizar o acompanhamento das iniciativas, a ACE criou o Mynnovation, software de gestão unificada e eficiente para inovação.

“É muito difícil provar o retorno da inovação e acompanhar de forma prática tudo o que acontece na empresa, e dado esses desafios, vimos a importância de criar um software baseado em metodologia validada e aderente às necessidades dos gestores”, relata Sulivan Santiago, CTO da ACE.

Com a plataforma é possível visualizar o andamento e progresso dos projetos, fazer gestão por horizontes de investimento e controle de KPIs, o gestor passa a ter uma visão consolidada de todas as iniciativas de inovação da empresa. Tem ainda um banco de métodos para cada estágio de evolução dos projetos, que deve ser utilizado pelos times. “Desta forma e com essa lógica, viabilizamos a mensuração de ponta a ponta, desde projetos de conexão com startups até processos de ideação com colaboradores, tudo de forma customizada.”, complementa Sulivan.

Módulos

Para auxiliar em todos os âmbitos da inovação o Mynnovation dispõe de módulos específicos para cada dor dos gestores de inovação. O Fórum da inovação, auxilia no desafio de escolher quais projetos devem seguir ou não, quem deve receber investimento, quais tarifas cobrar, além de auxiliar a medir as evoluções dos projetos.

Já o Innovation Accounting, traz a metodologia utilizada em stage gates para diminuir a incerteza da inovação, onde são realizados checkpoints ao longo do tempo para medir, em cada fase, quais os indicadores de performance que a empresa tem para tomar uma decisão.

O Innovation Designer, profissional especialista em inovação que fica à disposição online, apoia as empresas em casos de suporte e pedido de ajuda. O último módulo é Educação, um portfólio de treinamentos para trabalhar a cultura da inovação da liderança e times de projetos.

“Disponibilizamos todo o nosso expertise acumulado em quase 7 anos de empresa, que investiu em mais de 100 startups e deu suporte para o crescimento de mais de 250 negócios no Mynnovation, para apoiar uma das áreas mais importantes de uma empresa”, finaliza Sulivan. Além de utilizar os métodos da ACE, de forma customizada, as empresas que adquirirem o software também podem criar suas próprias metodologias.

Empresa curitibana Ebanx é o primeiro unicórnio do Vale do Pinhão

Na imagem, Os cofundadores do Ebanx, Alphonse Voigt, Wagner Ruiz e João Del Valle. Foto: Divulgação

A startup curitibana Ebanx é o primeiro unicórnio – denominação dada às empresas de tecnologia avaliadas em US$ 1 bilhão ou mais – do Vale do Pinhão e da Região Sul. Até o momento, todas as empresas que chegaram à marca eram de São Paulo e do Rio de Janeiro.

O feito acontece após a Ebanx, líder em serviços de processamento de pagamentos, receber recursos do FTV Capital, fundo de investimento do Vale do Silício (EUA). O valor do aporte não é revelado, mas parte do montante será usada na contratação de novos funcionários para a sede de Curitiba, que atualmente conta com 500 empregados.

“Alcançar o status de unicórnio é um reflexo das soluções únicas que criamos para atender às demandas de algumas das maiores marcas do mundo, desde que fundamos o Ebanx, em 2012”, destaca Alphonse Voigt, cofundador e CEO da startup curitibana.

Com previsão de dobrar o volume de processamento este ano em relação a 2017, para mais de US$ 2 bilhões, o Ebanx decidiu tomar o aporte para acelerar seu crescimento, reforçando o time em Curitiba e outros escritórios, nas áreas de vendas, marketing e TI, e a expansão pela América Latina.

Amadurecimento

“O Ebanx é o primeiro unicórnio do Vale do Pinhão e da Região Sul, uma amostra do amadurecimento do ecossistema de Curitiba”, comemora o prefeito Rafael Greca.

Greca lembra que, desde o início de sua gestão, o município vem desenvolvendo ações para que Curitiba volte a ter um ambiente mais favorável a investimentos.

Além de agilizar a abertura de empresas com a adesão da cidade ao sistema Empresa Fácil (Redesim), a Prefeitura relançou, em 2018, o Curitiba Tecnoparque, programa de fomento municipal que oferece desconto de 5% para 2% no Imposto Sobre Serviços (ISS) a empresas que investem em tecnologia e inovação na capital.

Como resultado, no primeiro trimestre de 2019, a arrecadação de Imposto sobre Serviço (ISS) cresceu 20%. As empresas do Tecnoparque juntas faturam R$ 4,1 bilhões e geram 8,1 mil empregos diretos na capital.

Curitiba criou ainda 17.632 vagas com carteira assinada de janeiro a agosto, o melhor resultado para o período desde 2012, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. Em oito meses, o volume de vagas geradas na capital já supera o de todo o ano passado, quando foram criados 13.681 empregos.

Curitiba foi a terceira cidade que mais gerou empregos no País, atrás apenas de São Paulo (63.920) e Belo Horizonte (18.194).

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Tags, , , ,

Darwin torna-se primeira aceleradora mantenedora da Abstartups

No Brasil, estima-se que, atualmente, haja entre 10 e 15 mil startups. Destas, quase 13 mil são mapeadas e acompanhadas pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups),instituição sem fins lucrativos que representa as startups brasileiras e ajuda a desenvolver o ecossistema e a economia. Apoiando essa missão, a Darwin Startups acaba de se tornar a primeira aceleradora mantenedora da Associação.

Com o intuito de estimular e servir de combustível para startups em todo Brasil, as mantenedoras apoiam a Abstartups em seus projetos institucionais e têm contato direto com empresas inovadoras em todo território nacional. “Se tornar mantenedor é uma forma de contribuir ativamente com o ecossistema de startups e participar de uma organização que está há oito anos gerando impacto empreendedor em todo Brasil”, pontua a vice-presidente, Tânia Gomes.

Ao se tornar mantenedor da Abstartups, a Darwin abre as portas para outras aceleradoras perceberem seu papel no apoio às ações de impulsionamento ao ecossistema. “A Darwin Startups acredita no poder das comunidades e nós, como investidores e aceleradora, temos um papel importante no desenvolvimento do ecossistema de startups. Assim, melhor do que criar e fazer separadamente, queremos unir esforços e potencializar o impacto que a Abstartups vem criando. Juntos queremos oferecer mais educação empreendedora e um ecossistema conectado disposto a se ajudar e dar exemplos”, diz o diretor de marketing, André Hotta.

Vale lembrar que as aceleradoras têm um papel fundamental na capacitação dos empreendedores como ação de impulsionamento ao ecossistema, visto que apresentam em sua rede e portfólio, empreendedores que já passaram pela fase inicial da jornada e podem contribuir com mentorias, experiência e conhecimento para quem está começando. “Todos investem no networking e ferramentas, contudo, poucos de fato investem na representatividade das startups e na capacitação empreendedora para que bons empreendedores possam ser formados”, diz Hotta.

Além dela, mais de 20 empresas já fazem parte dos mantenedores dos mantenedores da Abstartups. “Por ano, conseguimos impactar mais de 50 mil empreendedores diretamente e isso não seria possível sem uma rede de parceiros e mantenedores que trabalham para impulsionar as startups”, afirma Tânia Gomes.

INSEED e EDP Ventures Brasil investem R$ 4,5 milhões em startup de gestão de recursos hídricos

A EDP Ventures Brasil, veículo de investimento de capital de risco do Grupo EDP, e o Criatec 3, fundo gerido pela INSEED Investimentos e criado pelo BNDES, anunciam um coinvestimento de R$ 4,5 milhões na Fractal Engenharia e Sistemas. A empresa catarinense desenvolve soluções destinadas à previsão de eventos hidrológicos e sistemas inteligentes capazes de auxiliar no gerenciamento de barragens, promovendo a automatização de processos e aumentando o nível de segurança das usinas hidrelétricas no País.

Pioneira no Brasil, a plataforma integrada e de tecnologia própria da Fractal engloba machine learning e big data para consolidar serviços de gestão dos recursos hídricos e contribuir para a segurança de barragens a partir da assimilação de dados de diversas fontes meteorológicas, de estações que medem as chuvas e o nível dos rios, e de sensores de acompanhamento das usinas.

Com o cruzamento dessas informações, o sistema é capaz de realizar a previsão de vazão de bacias hidrográficas, ajudando na tomada de decisão para prevenir inundações, estiagens e outros acidentes críticos relacionados aos fenômenos naturais.

As informações de previsão de operação das usinas hidrelétricas são enviadas ao ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) para otimizar a produção e gerenciar o risco hidrológico.

“Nossas hidrelétricas são reconhecidas pela Aneel pelo rigor e excelência de suas operações. Recentemente, a Usina de Lajeado foi considerada a melhor do Brasil, com nota 100 em Segurança e Meio-Ambiente, de acordo com o órgão regulador do setor. Além do investimento, realizaremos um projeto-piloto com o modelo de gestão oferecido pela Fractal para aprimorar ainda mais a eficiência dos nossos processos internos e manter a busca incessante pela aplicação das melhores práticas em nossas usinas”, destaca Livia Brando, gestora executiva de Estratégia, Inovação e Ventures da EDP no Brasil.

O Fundo Criatec 3 investe em empresas de alta tecnologia e viu na Fractal um negócio com alto potencial de crescimento. “Além do profundo conhecimento envolvido, a Fractal chamou a atenção da nossa equipe por entregar previsões em tempo real, com mais assertividade e menor custo”, aponta Gustavo Junqueira, CEO da INSEED.

“O aporte da EDP Ventures Brasil e da INSEED será essencial para o desenvolvimento de novas tecnologias e ferramentas que deixarão a plataforma cada vez mais inteligente e autônoma. Queremos contribuir para aumentar a eficiência e a assertividade nas tomadas de decisão das empresas, por meio de análise em tempo real das usinas e de um diagnóstico mais preciso dos processos hídricos”, afirma Henrique Lucini Rocha, CEO da Fractal Engenharia e Sistemas.

Ecossistema de inovação

Criada em maio de 2018, a EDP Ventures Brasil é o primeiro veículo de investimento do setor elétrico brasileiro, com R$ 30 milhões em recursos a serem destinados a startups que atuam em seis verticais: energia renovável, redes inteligentes, armazenamento de energia, inovação digital (blockchain, IoT, big data, realidade virtual), soluções com foco no cliente e áreas transversais (legal techs, fintechs, hrtechs). Interessados podem acessar o site www.edpventures.vc para obter mais informações.

Desde 2008, os veículos de Venture Capital do Grupo EDP já aplicaram globalmente 33 milhões de euros em 27 startups, que juntas empregam mais de 750 colaboradores e têm mais de 100 milhões de euros de receita por ano.

Programa Startups Connected anuncia vencedores

No último dia 2 de outubro, durante a 7ª edição do Congresso Brasil-Alemanha de Inovação, foram anunciadas as startups vencedoras do programa Startups Connected. Em sua 4ª edição, a iniciativa da Câmara Brasil-Alemanha consiste em um programa de aceleração que fomenta não só a conexão entre startups e grandes empresas, mas também a cocriação de novas soluções em conjunto com as empresas âncoras que propuseram os desafios.

A startup vencedora de cada desafio será acelerada durante 5 meses, tendo acesso a diversos benefícios, como assessoria nas áreas de gestão da inovação, desenvolvimento do negócio, finanças, questões jurídicas e incentivos à inovação, de acordo com o estágio de maturidade.

Conheça as vencedoras:

  • Cadeia Produtiva 4.0 (Volkswagen): Forsee

  • Data Farming (Bayer): TCX

 

  • Digitalização de Processos Produtivos (Siemens): ProHauser

  • Economia Circular (BASF): Biosolvit

  • Eficiência Energética Industrial – GIZ (Agência Alemã para Cooperação Internacional): Biohack

  • Jornada do Paciente (Hospital Alemão Oswaldo Cruz): Laura

 

  • Inovação em Papel e Celulose (Voith): Peerdustry e Pix Force

 

  • Mobilidade Urbana Sustentável – Ministério Alemão de Meio Ambiente, Preservação da Natureza e Segurança Nuclear (BMU): Origem

  • TravelTech (Lufthansa): Oktoplus Fidelidade

  • Categoria Alemanha (DWIH): Re:edu

Desde sua 3ª edição, o Programa Startups Connected conta com a parceria do Edital de Inovação para a Indústria SENAI/SEBRAE. Esta parceria possibilita que as startups possam usufruir dos benefícios da Categoria C do Edital, que vão desde acesso a estrutura dos Institutos de Inovação SENAI à disponibilização de insumos e especialistas.

Banco Original e Força Meninas premiam garotas com viagem para o Vale do Silício

Prêmio “Mude o Mundo Como Uma Menina”, promovido em parceria entre o Banco Original — primeiro banco no Brasil a proporcionar abertura de conta 100% digital -, e o Força Meninas — negócio de impacto social voltado a capacitar garotas de 6 a 18 anos a desenvolverem habilidades sociais e culturais para serem líderes no futuro -, premia cinco meninas, nas categorias Criativa, Pioneira, Visionária, Líder e Determinada, com viagem para o Vale do Silício.

A premiação tinha o objetivo de reconhecer e homenagear as garotas que se destacaram em projetos e inciativas que impactam a sociedade. Durante o evento, que aconteceu na tarde do dia 11, na Unibes Cultural, cerca de 110 meninas de 10 a 14 anos foram convidadas para participar de oficinas inspiradas nas categorias do prêmio, com atividades voltadas para o empoderamento feminino e a equidade de gênero. O vídeo do evento pode ser visto aqui .

As premiadas foram:

Categoria Criativa – Anna Luísa Beserra, de 21 anos, que criou a startup “Safe Drinking Water for all – SDW”, que desenvolve tecnologias para tratamento, gestão e monitoramento de recursos hídricos, incubada pela INOVAPoli (Incubadora de base tecnológica da Escola Politécnica da UFBA).

Categoria Pioneira – Mariana Bigolin Groff, de 17 anos, primeira brasileira a ganhar medalha de ouro na Olimpíada Europeia Feminina de Matemática, é co-fundadora do Movimento Meninas Olímpicas. É também vencedora de 28 medalhas nacionais de olimpíadas em áreas como Física, Astronomia, Química e informática.

Categoria Líder – Isabelle Christina, de 16 anos, moradora do Grajaú, na Grande São Paulo, foi a criadora do projeto Meninas Negras, que tem como objetivo a inclusão digital de jovens afrodescendentes para maior inserção delas em meios ligados à educação, cultura e no mercado de trabalho.

Categoria Determinada – Verônica Hipólito, de 23 anos, é multimedalhista paraolímpica. A atleta, que já teve câncer no cérebro e um AVC, é pentacampeã brasileira dos 100m e 200m. Ela possui ainda quatro medalhas em para-panamericanos, duas medalhas em mundiais, três ouros em sul-americanos e uma prata e um bronze nos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016 no Rio de Janeiro.

Categoria Visionária – Rafaella De Bona, de 22 anos, conquistou o prêmio alemão iF Design Talent Award 2019, pela criação de um absorvente sustentável pensado para mulheres que vivem em situação de rua.

Corporate Venture 2019 busca conectar startups inovadoras e investidores

Em sua quinta edição, o evento será realizado em São Paulo nos dias 15 e 16/10 e reunirá um público extremamente qualificado de investidores estrangeiros, executivos de grandes corporações e startups com modelos promissores de negócios

Um público seleto de investidores estrangeiros, empreendedores, autoridades públicas brasileiras, executivos de grandes corporações e startups em busca de conexões que propiciem oportunidades de investimentos em projetos inovadores em desenvolvimento no Brasil. Esse é o grande mote da quinta edição do Corporate Venture in Brasil, evento organizado em parceria pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Global Corporate Venturing (GCV) e Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) em São Paulo, nos dias 15 e 16 de outubro.

Durante o evento, os cerca de 700 participantes confirmados terão a oportunidade de aprofundar o seu conhecimento sobre o ambiente de inovação e investimento do Brasil em setores como óleo e gás, energia, agronegócios, varejo, mobilidade urbana e economia criativa. O evento apresentará melhores práticas de empreendedorismo corporativo e um panorama sobre como os grandes investidores estão atuando no País para fomentar projetos inovadores com potencial de crescimento e geração de negócios.

“A Apex-Brasil acredita que o fomento a soluções e modelos de negócio inovadores é um ótimo canal para apoiar o investimento em empresas brasileiras, propiciar o desenvolvimento de seus negócios em âmbito mundial e, assim, ajudar a posicionar o Brasil como um destino estratégico para investidores estrangeiros”, acredita o presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia, que falará na abertura do evento ao lado de James Mawson, fundador da GCV.

A programação do Corporate Venture 2019 inclui debates e apresentações de investidores de grupos como Samsung Next, BP Ventures, FEMSA Ventures, Yamaha Motors Ventures & Labs, dentre outros. Haverá painéis específicos sobre: como ocorrem as melhores práticas de capital empreendedor em Israel, diversificação de riscos, o caso de sucesso da Positivo Informática, as parcerias que a alemã BASF fez no Brasil para desenvolver novas tecnologias e a visão de negócios do Softbank para a América Latina.

A agenda também inclui debates sobre tecnologias em agronegócios, alimentos e petróleo e gás. Além de mais de 100 reuniões de negócios entre investidores, empreendedores e fundos de Venture Capital (VC) brasileiros, 17 startups inovadoras brasileiras terão a oportunidade de apresentar, em cinco minutos, seus modelos de negócios para uma banca julgadora de investidores estrangeiros.

Magalu abre concurso para escolher startups

O Magazine Luiza está com inscrições abertas para seu primeiro pitch day de serviços digitais. A empresa vai selecionar startups para se tornarem parceiras em serviços oferecidos para o consumidor. Os empreendedores digitais com boas ideias podem se inscrever no site: http://maga.lu/pitchday.

“Estamos procurando todos os tipos de startups. Podem ser soluções financeiras, para saúde, educacionais, de entretenimento, não temos barreiras: queremos ser surpreendidos”, afirma Juliana Silva, gerente de serviços digitais do Magazine Luiza. “Só precisamos que a ideia tenha alguma ligação com os produtos que vendemos aqui no Magalu, como smartphones, smartwatches, notebooks, tablets etc.”

Inicialmente, o Magalu vai escolher parceiros. Contudo, nos últimos três anos, foram cinco startups parceiras que foram adquiridas pela empresa. “Neste momento, não é necessário ter um plano de negócios, estar financeiramente estável, estamos atrás de ideias. Se a ideia for muito boa, trabalharemos o plano de negócios juntos”, afirma Juliana.

Após a fase de inscrição, o Magalu vai pré-selecionar 20 startups para apresentarem seus serviços para os diretores da companhia, no dia 6 de novembro. As melhores ideias desse grupo serão escolhidas para, ao lado do Magalu, discutir opções financeiras.

Pitch Day Magalu
Inscrições: http://maga.lu/pitchday
Apresentação das ideias: 6 de novembro

Tags, , ,

Quero Educação é única brasileira entre 100 maiores empresas da Y Combinator

A Y Combinator, uma das aceleradoras mais influentes do Vale do Silício, divulgou na última semana a lista das 100 Top Companies entre as 2.000 já aprovadas, tendo como base o valuation – estimativa do valor da empresa. A Quero Educação, edtech que desenvolve soluções para o mercado de educação, é a única brasileira na lista, cujo anúncio oficial aconteceu durante o Disrupt San Francisco 2019, evento que reúne empreendedores, investidores e especialistas para discutir tendências tecnológicas no maior polo de inovação do mundo.

“Ficamos felizes em ver o nome da Quero Educação ao lado das maiores startups do mundo, entre as mais bem sucedidas empresas que passaram pela Y Combinator. Os aprendizados que tivemos durante o programa foram fundamentais para escalar o negócio rumo ao objetivo de ser tornar a maior edtech do mundo”, afirma Lucas Gomes, fundador da Quero Educação. A empresa paulista, criada em São José dos Campos, foi a primeira edtech brasileira aprovada e também a primeira startup brasileira a estar duas vezes nos programas da aceleradora, o YC Core Program 2016 e YC Growth Program 2018.

A lista é encabeçada pelas startups Stripe, Airbnb e Cruise. O valuation combinado das 100 empresas chega a mais de $155B. Juntas, elas geraram mais de 195 mil empregos em todo o mundo, somente a Quero Educação gerou aproximadamente 700. Confira a lista completa das empresas aqui.

Criada em 2012, a Quero Educação cresceu mais de 20 vezes nos últimos três anos. Por meio do Quero Bolsa, marketplace que conecta alunos a vagas que seriam ociosas em instituições de ensino com descontos de até 70%, já matriculou mais de 500 mil alunos. Com foco em melhorar a performance das mais de 6.000 instituições de ensino parceiras, lançou o Quero Pago – solução de pagamentos e retenção para o mercado de educação, e o Quero Analytics – plataforma de inteligência de dados em tempo real.

ARPAC capta R$ 1,3 milhão em rodada de investimentos

A ARPAC, startup prestadora de serviços especializadas em pulverização de lavouras com drones, abriu rodada de investimentos e captou 1,3 milhão de reais. Entre os investidores estão Francisco Forbes (Brasil) , investidor anjo; a MOR Capital (Brasil), hub de investimentos; e o Drone Fund (Japão), fundo global de investimento especializado em drones – que faz seu primeiro investimento em uma empresa brasileira.

Fundada em 2016, pelo administrador e piloto de aviões Eduardo Goerl, a ARPAC teve um primeiro aporte em 2017 e para ampliar seus serviços abriu nova rodada para investidores neste ano.

“Com o aporte captado nesta última rodada vamos continuar a investir em tecnologia, na distribuição e capilaridade das nossas áreas de atuação no Brasil. Esta safra contamos com 5 bases operacionais e devemos ao menos duplicar para a próxima safra.”, comenta Eduardo Goerl.

Para Francisco Forbes, a oportunidade do investimento vai de encontro ao momento do país. “O Brasil é uma referência mundial no agronegócio tradicional e tem todas as condições de criar tecnologia para um campo mais eficiente e mais saudável.”, afirma.

“Os drones são novidade no Brasil; o mercado está muito receptivo e nos faz enxergar um futuro promissor para a região.”, diz Soki Omae da Drone Found. “O investimento na ARPAC marca a nossa entrada como investidores no Brasil, nós acreditamos na empresa e no potencial do país, especialmente no setor de agricultura”, completa.

Em um mercado aquecido e promissor, a ARPAC espera atender mais de 200 mil hectares de serviços para a próxima safra e já possui contratos com grandes empresas do setor. A startup está em crescimento e prevê faturar mais de 1 milhão até 2020.