Page

Category startup

Thomson Reuters anuncia finalistas da 3ª edição do Accelerator Day

A Thomson Reuters, multinacional de tecnologia provedora de soluções Fiscais, Tributárias, Contábeis, Jurídicas e de Comércio Exterior, anuncia no dia 06 de dezembro, em São Paulo, os selecionados da terceira edição do Accelerator Day, seu programa de aceleração de startups. O concurso é voltado para inovações em tecnologia para o segmento regulatório e, neste ano, foram avaliadas empresas iniciantes que tenham soluções em tecnologia para aprimorar a rotina dos profissionais de quatro segmentos: Tributário/Fiscal; de Comércio Exterior; Contábil; e Conteúdo Jurídico. As inscrições foram abertas para iniciativas de todas as regiões do Brasil.

O objetivo principal do programa é trazer inovações que possam aprimorar as soluções ONESOURCE Mastersaf (gestão fiscal), ONESOURCE Global Trade (gestão de comércio exterior), Thomson Reuters Contábil (gestão contábil) e Soluções de Legal (conteúdo e software jurídico). São produtos que proporcionam o cumprimento das obrigações fiscais, contábeis, de compliance, automatização de tarefas, informações estratégicas gerenciamento dos processos de importação e exportação das empresas e acesso à informação estratégica para o negócio das empresas.

Todas as startups avaliadas oferecem produtos e serviços que tenham potencial de escala e já testados em clientes reais, com soluções que utilizem Inteligência Artificial, Automação e Integração de Processos, Machine Learning e Análise de Dados. Os finalistas são: Convenia (São Paulo/SP) e Sobit (Várzea Paulista/SP), na categoria Contabilidade; D2P (São Paulo/SP) e Loginfo (Itajaí/SC), na categoria Comércio Exterior; Standard IT (São Paulo/SP) e Tria Software (São José dos Campos), na categoria Fiscal; Intelivix (Recife/PE) e NeuralMind (Campinas/SP), na categoria Conteúdo Jurídico.

No Pitch Day, a Convenia vai apresentar uma solução em nuvem para gestão de departamento pessoal para PMEs. Já a Sobit traz um produto que amplia a interação da contabilidade com os clientes, reduzindo tempo de fechamento contábil. A D2P apresenta um sistema que traz Business Intelligence e Data Analytics para o Comércio Exterior, enquanto a Loginfo propõe uma plataforma logística em ambiente Web para movimentação de carga em áreas alfandegadas. A Standard IT e a Tria trazem soluções com Automação de Processos para entregas Fiscais. E, por fim, a Intelivix e a NeuralMind apresentam soluções de análise de dados jurídicos para proporcionar insights e ampliar a inteligência na tomada de decisão.

“Tivemos um enorme sucesso nas edições anteriores do Accelerator Day, quando pudemos selecionar uma série de iniciativas com potencial de aprimorar o nosso portfólio. Para este ano, temos oito projetos muito bem estruturados, com inovações que, em conjunto com nossas soluções, podem melhorar, simplificar e agilizar o cotidiano regulatório das empresas de todos os portes no Brasil”, afirma Menotti Franceschini, líder de Corporate Value Proposition da Thomson Reuters.

Em sua terceira edição, o Accelerator Day vai selecionar quatro projetos, um em cada categoria. As soluções selecionadas serão desenvolvidas em parceria com a Thomson Reuters ao longo de 2020, incorporando-se às soluções da empresa. Desde o ano passado, a Thomson Reuters selecionou oito startups nas primeiras edições do programa, sendo que três delas já estão desenvolvendo suas soluções como aplicações complementares às da Thomson Reuters, plugadas às plataformas da empresa e disponíveis para a ampla base de clientes no Brasil.

O Pitch Day e a apresentação dos vencedores da terceira edição do programa acontecem no hotel Tryp Iguatemi, no dia 06 de dezembro, a partir das 08h30. O endereço é Rua Iguatemi, 150 – Itaim Bibi, São Paulo – SP.

Cresce número de startups que facilitam rotina de pessoas e empresas

2019 foi um ano e tanto para novos negócios no ramo de serviços. Segundo dados da Startupbase, iniciativa da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), atualmente existem, no Brasil, 12,7 mil empresas nascentes. Boa parte desse montante, 26,9% , representam segmentos que visam atender necessidades tanto de organizações públicas e privadas quanto de pessoas (Business to Business to Consumer ou B2B2C). Ou seja, um modelo de negócio que permite que empresas atendam clientes utilizando uma solução de terceiros. O MercadoLivre e o iFood funcionam dessa forma, onde empresas de bens e serviços usam a plataforma para vender para clientes que acessam esses marketplaces. A plataforma online de entregas ultra-rápidas Motoboy.com é outro exemplo.

Criada em 2013, a startup veio para atender uma necessidade de mercado, tanto de entregadores autônomos e empresários, quanto de pessoas que precisam de agilidade para entregar um produto, mercadoria ou documentos em algum lugar. Disponível por meio de aplicativo de celular ou website, a Motoboy.com é um marketplace de entregadores, onde esses profissionais podem receber chamadas de serviço de pessoas e empresas que procuram um motoboy. Além da plataforma, os clientes podem utilizar um chatbot para cotações e pedidos através do Facebook Messenger.

Conheça outros exemplos de startups criadas para facilitar a rotina de pessoas e empresas com portes e perfis diverso.

Criando ambientes de trabalho mais felizes

Após pesquisar e entender diversos problemas no setor de gestão de pessoas das empresas, os empreendedores Bruno Soares e Gabriel Leite fundaram a Feedz, com um e meio de mercado, a startup de Florianópolis (SC) conta com 90 clientes e mais de 9 mil usuários ativos na sua plataforma. A startup desenvolve uma plataforma completa para gestão estratégica de pessoas, através de feedbacks contínuos, okrs, avaliação de desempenho, pesquisa de engajamento por pulsos, celebrações, termômetro de humor, comunicados e até gamificação. Tudo em um só lugar. O objetivo é ajudar os gestores e o setor de RH das empresas a aumentar o engajamento, melhorar a comunicação interna e a reter talentos. “A Feedz nasceu com o propósito de criar ambientes de trabalhos mais felizes, a partir do nosso entendimento de que empresas são pessoas e pessoas precisam estar bem para fazer um bom trabalho”, explica Bruno Soares, CEO e cofundador da startup.

Oferecendo mão de obra qualificada em tecnologia

A Codenation, startup de Florianópolis (SC) criada em 2017, tem como propósito suprir a demanda de mão de obra especializada na área de tecnologia por meio da capacitação, criando um recrutamento sustentável. Por meio de seu programa de aceleração, o AceleraDev, fundamentado na abordagem Challenge Based Learning (aprendizado baseado em desafios), os desenvolvedores e cientistas de dados realizam desafios de programação, recebem auxílio de tutores e assistem palestras com convidados que já atuam no mercado, tudo de forma gratuita graças ao apoio de empresas parcerias. As acelerações possuem diferentes edições, cada uma com foco em uma linguagem de programação, ao final, os participantes destaque têm chances de contratação nas empresas apoiadoras. A startup atende tanto estudantes recém-saídos da universidade e sem experiência, quanto profissionais que já trabalham no setor e não conseguem chegar aos polos de tecnologia, além das próprias empresas que estão em busca de novos talentos.

Crédito facilitado

O Brasil vive um crescimento no número de empreendedores, o que tem aumentado também a demanda por crédito vinda de autônomos, pequenos e médios empresários. Com a dificuldade em conseguir crédito nos bancos tradicionais, fintechs surgem no mercado como uma alternativa. O Asaas, por exemplo, que é uma conta digital para empreendedores, passou a oferecer antecipação de receitas para seus clientes neste ano. Com a compra de recebíveis, por meio de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) próprio, a empresa libera até R$ 150 milhões por mês em crédito para os usuários do software. “As altas taxas e a burocracia exigidas pelos bancos geraram essa demanda do mercado. Como empreendedores, vimos que havia uma abertura para oferecermos uma modalidade de crédito para nossos clientes que estão abrindo novos negócios ou querem fazer algum investimento”, completa.

Automatização de processos

A Effecti, startup especializada em desenvolver soluções para fornecedores que participam de editais, busca otimizar o tempo das equipes e proporcionar oportunidades para micro e pequenos empreendedores se tornarem competitivos através da automatização de processos. No total são quatro soluções: Aviso de Licitações, na qual um robô identifica quando há oportunidades em editais abertos; a Automação e Envio de Propostas, com o preenchimento automático das informações nos portais de compra; a Disputa de Lances, em que o licitante pode definir os valores que está disposto a oferecer durante o pregão eletrônico; e, por fim, o Monitoramento do Chat do Pregoeiro, que facilita a comunicação entre comprador e fornecedor. “Com a automatização, o empreendedor passa a competir em igualdade com grandes empresas, pois não precisa alocar mão de obra exclusivamente para isso. Assim, as licitações auxiliam na sustentabilidade do negócio”, comenta Fernando Salla, CEO da Effecti.

VidaClass faz captação de €2 milhões de empresas espanholas

VidaClass, a plataforma brasileira que tem como intuito ligar pessoas sem convênio a serviços de saúde por um preço acessível, acaba de receber um aporte de investimentos no valor de € 2 milhões, o equivalente a mais de R$ 13 milhões, das empresas espanholas Iporanga Advisory, sediada em Madri, e a GEM Research, com sede em Barcelona.

A startup que atua no Brasil, com abrangência nacional tem em seu projeto para os próximos anos a expansão para a Europa: “Queremos ir para Portugal e Espanha e, mais para frente, chegar ao Leste Europeu. Hoje, médicos portugueses já conseguem atender pacientes brasileiros através da teleconferência via online”, conta Vitor Moura, CEO da VidaClass.

O aporte captado será direcionado à tecnologia, ao marketing e às melhorias de infraestrutura da plataforma para ampliar o raio de atuação – “nossa meta é bem ousada: queremos promover e tornar os serviços de saúde acessíveis no Brasil e em toda a comunidade de língua portuguesa espalhada pelo mundo”, ressalta Vitor.

Green Mining vence Greentech Challenge

Rodrigo Oliveira no Greentech Challenge

Com o objetivo de conectar soluções verdes inovadoras com investidores, organizações governamentais e empresas, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho e a empresa dinamarquesa Green Innovation Group, realizaram pela primeira vez no Brasil o evento Greentech Challenge que, na última quinta-feira, 29, selecionou 3 startups para o programa de aceleração. Dentre elas, a brasileira Green Mining, que por meio da logística reversa inteligente, soluciona um dos problemas relacionados ao descarte de embalagens pós consumo.

O programa, que prevê o acompanhamento das startups escolhidas pelo período de quatro meses, entre janeiro e abril de 2020, consiste em mentorias para acompanhamento dos negócios em oito encontros quinzenais, que totalizarão 24 horas de atividades com cada uma das empresas. Atuando em três eixos: mapeamento de atores locais; acompanhamento e desenvolvimento de startups verdes com desafios de problemáticas da cidade e meetups para integração do setor, a ação foi criada para impulsionar o desenvolvimento de serviços e ações de tecnologias verdes, por meio de uma plataforma online.

“Para nós, que começamos nosso projeto em São Paulo, sermos novamente selecionados para um programa de aceleração é mais uma grande conquista e reconhecimento do nosso compromisso com o meio ambiente. Já coletamos mais de 500 toneladas de resíduos e já evitamos mais de 84 mil quilos de CO2. Seguiremos na missão de reduzir a exploração de recursos naturais e continuaremos dando dignidade ao trabalho de catadores, carroceiros ou cooperados”, afirma Rodrigo Oliveira, presidente da Green Mining que no mês de novembro completou 1 ano.

A base de dados da aceleradora conta com mais de seis mil tecnologias de impacto mapeadas globalmente. Das startups aceleradas pela Greentech, mais de 70% que participaram de edições internacionais do Greentech Challenge aumentaram o capital em aproximadamente 500 mil euros.

Tags, , ,

Abstartups anuncia vencedores do Startup Awards 2019

No dia 29 de novembro, durante a Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior evento latino-americano voltado para startups, a Associação Brasileira de Startups (A HYPERLINK “http://abstartups.com.br/”bs HYPERLINK “http://abstartups.com.br/”tartups), entidade que representa o ecossistema, anunciou os vencedores da premiação Startups Awards, o Oscar das startups brasileiras.

Dentre as 13 categorias premiadas estão: Aceleradoras, Comunidade do Ano, Comunidade Revelação, Corporate, Educação, Herói (a), HUB, Impacto Social, Investidor (a) Anjo (a), Mentor (a), Imprensa, Startup do Ano e Startup Revelação, cujo objetivo é reconhecer os profissionais e empresas mais influentes do ecossistema brasileiro de startups.

Confira a relação completa dos vencedores:

– Aceleradora: Darwin Startups
– Comunidade do Ano: Startup SC
– Comunidade Revelação: Rapadura Valley
– Corporate: Accenture
– Educação: Gama Academy
– Herói (a): Dani Junco
– HUB de Inovação: ACATE
– Impacto Social: Programaria
– Investidor (a) Anjo (a): Marco Poli
– Mentor (a): Vinícius Machado
– Imprensa: Beatriz Bevilaqua
– Startup do Ano: Agenda Edu
– Startup Revelação: Apponte./me

Tags, ,

Startup de brasileiro fecha parceria com multinacional Nvidia

Startup focada em salvar vidas com sistemas de segurança que usam tecnologia de inteligência artificial, a Aiquimist, comandada pelo jovem programador brasileiro Nicholas Guimarães, 22 anos, acaba de fechar a parceria dos sonhos de toda empresa nascente. A Nvidia Corporation, multinacional de tecnologia com sede na Califórnia (EUA), acaba de inclui-la em seu programa Inception (espécie de banco de soluções a nível mundial), que dará todo o suporte necessário – inclusive de cientistas seus – para a startup continuar aperfeiçoando seu algoritmo de segurança até torna-lo vendável a nível mundial.

A Nvidia é responsável pela explosão recente da A.I. (Artificial Intelligence), com a geração de tecnologias que tornaram possível explorá-la em projetos de atendimento por chat em e-commerce e de assistentes de aparelhos celulares, como a Siri do Iphone, por exemplo. Ter colocado a Aiquimist “debaixo de seu guarda-chuva” é uma prova irrefutável de que enxerga grande potencial nos projetos da startup.

O mais ambicioso desenvolvido pela Aiquimist, até agora, é o AllSeenEye, que, conectado a câmeras de vídeo, consegue detectar, em tempo real, o porte de armas de fogo. Ainda emite alertas imediatos (para polícia e todo tipo de usuário) sobre o local e o tipo de armamento detectado. A tecnologia ainda pode emitir alertas para que pessoas nas proximidades de ataques se afastem, e até avisos para as redes sociais interromperem eventual transmissão ao vivo de um episódio envolvendo arma de fogo.

“Esse projeto de armas é 100% para proteger pessoas”, define o programador Nicholas. Ele teve a ideia de trabalhar no algoritmo após conhecer e avaliar sistemas de reconhecimento facial usando A.I. desenvolvidos por chineses, israelenses e russos.

Refletindo sobre a facilidade com que esses sistemas podem ser “enganados” apenas com o uso de óculos e boné por quem não quer ser reconhecido pelas câmeras de segurança, questionou-se: “Sempre que acontece algum ato que coloca as pessoas em risco tem uma arma de fogo envolvida. Por que não desenvolver um algoritmo de reconhecimento de armas? “. E começou a desenvolver e treinar a rede neural, que já é capaz de identificar armas de fogo curtas ou longas (pistola, revólver, fuzil, escopeta) em filmagens de vídeo.

Segundo o jovem programador, a ideia inicial é que o sistema seja utilizado por governos, em câmeras de segurança de escolas, aeroportos, estações de trem e ônibus ou no trânsito, por exemplo. Mas empresas privadas, como agências bancárias, estádios e shoppings, também podem se beneficiar dele. Em qualquer hipótese, trata-se de uma ferramenta para proteger vidas, por meio de uma verificação sistemática e constante das imagens das câmeras. Ao contrário do monitoramento humano, este não para e tem condições de checar numerosas câmeras 24 horas por dia.

Votorantim apresenta soluções inovadoras no CASE 2019

O Centro de Excelência da Votorantim participará nos dias 28 e 29 de novembro da 6ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo – Case 2019 – maior evento latino-americano voltado para startups no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

O Centro de Excelência da Votorantim estará presente apresentando duas de suas soluções mais inovadoras: Avaliei – empresa de soluções tecnológicas que fornece ferramentas de avaliação imobiliária por meio de uma plataforma online; e Loss Prevention – solução com foco em aumentar os ganhos e evitar perdas financeiras.

A expectativa é que 10 mil pessoas circularão nos dois dias do evento que trará conteúdos focados no futuro da inovação. Informações e inscrições pelo site http://case.abstartups.com.br.

Avaliei
A Avaliei é uma empresa de soluções tecnológicas que fornece ferramentas de avaliação imobiliária por meio de uma plataforma online. É a primeira startup do Centro de Excelência da Votorantim.

O principal diferencial da solução é tornar o processo mais ágil e assertivo, integrando tecnologias como Geo Data Analytics e Inteligência Artificial, em conjunto com dados de mercado, econômicos e sociais, aliados à expertise imobiliária. Além disso, otimiza recursos ao trabalhar com uma base de engenheiros cadastrados que atuam sob demanda para a realização de vistoria técnica aos imóveis avaliados.

A solução atende a todas as necessidades de avaliação de imóveis, seja para pessoas físicas ou jurídicas, mas tem como foco de atuação o atendimento a instituições financeiras que concedem crédito com lastro imobiliário e que precisam de informações e atualizações rápidas e precisas.

Loss Prevention

Erros, desperdícios e abusos podem levar a perdas que comprometem a rentabilidade. Quanto antes forem detectadas anomalias e fraudes, maiores serão as chances de evitar perdas.

O software, concebido no modelo SaaS (Software as a Service), pode ser adaptado para diferentes demandas como transações com parceiros de negócios, despesas de viagem dos funcionários e pagamentos externos. As vantagens da ferramenta são: detectar transações anômalas mais cedo; simplificar esforços de triagem; melhorar a precisão da detecção a um custo menor; prevenir futuras anomalias; e dissuadir atividade suspeita.

A tecnologia de processamento em memória ajuda a equipe a realizar um processo rápido e de análises de dados históricos. Além disso, usando critérios granulares, é possível reduzir o número de falsos positivos.

CASE 2019

Data: 28 e 29 de novembro de 2019, das 10h às 20h

Local: Transamérica Expo Center

Endereço: Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387, Santo Amaro – São Paulo, SP

Informações e ingressos: http://case.abstartups.com.br

Tags,

Startup Fishtag recebe R$1.8 milhão de 4 grupos de investidores

Pela primeira vez, quatro grupos de investidores-anjo participam de uma mesma rodada de investimento: Anjos do Brasil, GVAngels, Insead Angels e MIT Alumni Angels – sendo os três últimos formados por ex-alunos de renomadas universidades. Além dos grupos citados, participaram também alguns investidores independentes, totalizando um aporte de R$1.8 milhão em uma única startup.

A startup escolhida para receber este significativo aporte é a Fishtag, que possui uma atuação bem específica: agilizar e aprimorar a cadeia de venda e compra de pescados. O desafio da empresa é aproximar produtores de compradores em uma cadeia produtiva que possui até 10 intermediários.

A Fishtag oferece um serviço B2B, baseado em tecnologia online, fornecendo entrega porta a porta, preços competitivos, e garantindo a qualidade dos produtos por meio de rastreabilidade. A curadoria dos produtores também fica por conta deles. A Fishtag trabalha apenas com produtores que possuem as devidas licenças de pesca e comercializam pescado legalizados com Selo de Inspeção Federal (SIF).

“O nosso objetivo é estreitar a relação entre os produtores de pescado e restaurantes, enquanto promovemos um consumo consciente de pescado. Você sabe de onde vem o peixe que você come?”, aponta Barbara Granek, fundadora da Fishtag. A empresária, que fez seu MBA no MIT Sloan School of Management (EUA) e trabalhou em consultoria estratégica por 5 anos, idealizou o conceito da marca após passar dois anos inserida na realidade desse mercado, liderando a empresa de pesca da família com cerca de 60 funcionários.

Atualmente com uma equipe de apenas seis pessoas e sem investimentos específicos em marketing, os resultados da Fishtag chamaram a atenção de investidores. Fundada em janeiro de 2019 e com um investimento inicial de apenas R$150 mil, a startup já vendeu mais de 10 toneladas de peixes, com um faturamento acima de R$500 mil.

“Os recursos levantados irão permitir que Fishtag faça uma transformação digital na indústria, a começar pelo Brasil, pois o capital será investido principalmente em tecnologia e vendas”, relata Barbara.

A rodada de investimento

Com esta rodada de investimento, que conta com um aporte composto por mais de uma origem, os quatro grupos de investidores-anjo visam deixar claro para o mercado de startups, que atuar em parceria em prol do mesmo objetivo é sempre benéfico. Este é o resultado de um forte networking entre os principais investidores-anjo no país. Dessa forma, as rodadas de investimentos elaboradas em conjunto também permitem uma condução do processo de due diligence mais aprofundado, o que traz recursos para decisões de investimento ainda mais qualificadas.

A Anjos do Brasil viu com bons olhos a startup desde o primeiro contato com a empresa no primeiro semestre deste ano. “Percebemos uma startup com potencial de agregar valor para um grande mercado ainda muito carente de inovação. Temos uma ótima empreendedora liderando o time e ficamos satisfeitos em efetuarmos mais um coinvestimento entre as redes de investidores anjo”, diz Maria Rita Spina Bueno, Diretora Executiva do grupo.

Para Wlado Teixeira, head do Comitê de Seleção do GVAngels, grupo de investidores-anjo formado por ex-alunos da FGV, a empresa tende a revolucionar o setor de pescados no Brasil. “A Fishtag apresentou seu pitch em nosso 15º Fórum de Investimento, em agosto. Logo ficamos contagiados com o conhecimento que a empreendedora tem sobre os desafios que esse mercado enfrenta. Porém, ainda no processo de due diligence, percebemos que tínhamos que envolver grupos de investimento parceiros. Queremos explorar ao máximo seu potencial de escalabilidade”, observa Wlado, ressaltando o propósito dos cerca de 130 membros C-Level que compõem o smartmoney do GVAngels e potencializam o networking das startups.

Já para o Insead Angels Club Brazil (IACB), formado por ex-alunos da renomada escola global de negócio, o diferencial da rodada de investimento é que se trata de smartmoney. “Queremos focar na oferta de capital intelectual e não apenas no capital financeiro. Investimos em startups capazes de gerar movimentos inovadores no país e em empreendedores abertos a contribuição dos nossos investidores. Ao propor uma inovação na cadeia de valor de pescados, a Fishtag está alinhada com essa estratégia”, esclarece Alieksiei Martins, fundador e líder do IACB.
Lançado em março de 2019, o MIT Alumni Angels do Brasil, se interessou pela startup, inclusive pelo fato da empreendedora Bárbara ser ex-aluna da instituição, nos Estados Unidos. “É o terceiro investimento que fazemos em menos de um ano. A startup chamou nossa atenção por ser uma solução disruptiva, além de se tratar de um negócio já tracionado (early stage). Outro ponto positivo é o track record da Bárbara como ex-aluna do MIT e ex-consultora estratégica e sua expertise no setor”, aponta Maria Alice Frontini, presidente do grupo.

Confira a programação dos principais eventos da SPTW 2019

Entre os dias 23 e 29 de novembro acontece um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo, a São Paulo Tech Week 2019 . O festival, que está em sua 5ª edição, terá como tema central a inovação e as transformações sociais em diferentes áreas e promete movimentar a cidade de São Paulo.

Com o patrocínio de SPACES, Regus, ArcelorMittal, TOTVS, Daniel Advogados, Embratel, Sympla, Estação Hack SP from Facebook e Atento, além de dezenas de apoiadores, a programação já conta com mais de 500 eventos e mais de 60 temáticas, incluindo inovação, IoT, internacionalização, sustentabilidade, diversidade, atração de talentos, transformação digital, Indústria 4.0, lawtech, criptomoedas, UX/UI, criatividade e tecnologia.

“O festival se consolidou como um dos maiores do mundo e cada vez mais tem atraído empresas e investidores do Brasil e do exterior com interesse em fazer negócios com a cidade de São Paulo.”, analisa Juan Quirós, presidente da SP Negócios.

A seguir, confira os eventos que serão destaques da São Paulo Tech Week 2019:

CASE 2019

Principal evento de startups da América Latina, o CASE 2019 traz quatro frentes de conteúdos para empreendedores e empresas que querem crescer exponencialmente com as melhores práticas das startups que mais crescem no mundo. O evento irá acontecer nos dias 28 e 29 de novembro, no Transamérica Expo Center e tem expectativa de reunir mais de 10 mil participantes por dia.

CX Summit

O CX Summit é o maior evento de Experiência do Cliente do Brasil e reúne profissionais e empresas de alto nível de conhecimento e networking para discutir o tema. Nos dias 27 e 28 de novembro, serão apresentados os melhores cases, soluções e ferramentas do mundo para serem utilizadas no dia a dia das empresas, com validação de tendências de gestão, usabilidade e resultados dessas estratégias e ferramentas de CX, aprendendo a encantar profissionais com a cultura Customer Centric Hero.

Festival Ninja

Durante os últimos anos a Midia Ninja lutou lado a lado de mulheres, artistas, indígenas, negros e negras, LGBTQI+, hackers, ambientalistas, veganos, cineastas, dançarinos, artistas plásticos, professores, estudantes, metalúrgicos, sem terra, sem teto, moradores de rua, prostitutas, crentes, cientistas, músicos, ciclistas, canabistas, designers e garis. Juntos, nas ruas e nas redes; dividindo sua trajetória com centenas de personagens que ajudaram a Mídia Ninja chegar até aqui. Agora é hora de reunir toda esta inteligência coletiva em um grande evento: a primeira edição do Festival Ninja – Narrativas Independentes, jornalismo e ação. O evento será realizado nos dias 23 e 24 de novembro.

G10 Favelas

G10 Favelas – Slum Summit do Canal Transformadores é um evento que promete ser um encontro de líderes e empreendedores de diversas comunidades brasileiras, para a assinatura de um Protocolo de Cooperação e Diretrizes para um Desenvolvimento Econômico Sustentável dessas áreas urbanas. Criado por Comunidades, em uma comunidade, contará com a participação de entidades governamentais, empresas privadas, ONGs e convidados especiais do Brasil e do exterior e irá acontecer no dia 23 de novembro, em Paraisópolis.

Greentech Challenge

O Green Innovation Group traz para a América do Sul pela primeira vez o Greentech Challenge, evento que acontecerá de 25 a 28 de novembro em São Paulo e contará com competição entre startups verdes, além de palestrantes e painéis da área de negócios sustentáveis. Durante o Greentech Challenge, 12 startups selecionadas de sustentabilidade passarão por um intenso programa de rápido crescimento. Nos primeiros três dias, consultores de várias indústrias treinarão startups para ajudá-las a ter sucesso nos mercados doméstico e internacional. O treinamento se encerra na quinta-feira (28) com o Dia do Investidor, quando as startups apresentarão seus negócios a todos os convidados, incluindo os investidores locais.

HUB SPTW 2019

Uma das grandes novidades para essa edição, a HUB SPTW traz para o público entre os dias 25 e 27 de novembro o melhor e mais relevante conteúdo e experiências oferecidas por diferentes setores que permeiam o dia a dia dos brasileiros. Serão três dias de programação 100% gratuita e contará com palestras, painéis, workshops e experiências de marca, atraindo empreendedores, entusiastas, profissionais e empresas de áreas e setores em sinergia com os temas apresentados.

Hyper Festival Brazil

Único evento brasileiro exclusivo sobre produção e negócios com Realidade Aumentada, Virtual e Experiências Imersivas, a Hyper Festival Brazil acontece no dia 23 de novembro, no Digital House. Painéis com os melhores profissionais do mercado e dezenas de expositores com suas soluções, softwares, hardwares e produtos e muito networking e negócios fazem parte da programação.

Pixel Show

Organizado pela Zupi, o Pixel Show é o maior Festival da América Latina de Criatividade e acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro. Desde 2005, o Pixel Show tem participação de criativos nas áreas de ilustração, motion graphics, design gráfico, UX design, quadrinhos, 3D, artes visuais, graffiti, moda, arquitetura, publicidade, tecnologia, design de produto, FX, make-up, cinema, games e muito mais.

Roadsec São Paulo 2019

Maior festival hacker da América Latina, o Roadsec SP acontece no dia 23 de novembro e traz grandes atrações incluindo keynotes internacionais e mais de 60 palestrantes, 40 oficinas e comunidades, 20 DJs e muito mais. O evento conta com 8 eixos de conteúdo ao longo de suas 24h: hardware, software, ataque e defesa, blockchain e criptoativos, privacidade e sociedade, carreira e empreendedorismo, ciência e engenharia social.

SP Elevator Pitch

O SP Elevator Pitch, realizado em parceria da Câmara de Comércio Brasil-Canadá, SPTW e SP Negócios acontece no dia 24 de novembro e irá promover uma competição em que os representantes das startups pré-selecionadas são desafiados a realizar um pitch para jurados brasileiros e canadenses dentro do elevador do tradicional Edifício Martinelli, um dos mais imponentes prédios do centro da capital.

Startup Weekend Smart Cities São Paulo

Entre os dias 22 e 24 de novembro acontece o Startup Weekend, um evento de imersão e uma experiência única onde empreendedores e aspirantes a empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis para serem lançadas. Nesta edição, o tema será “Smart Cities”, soluções inovadoras que irão melhorar a conectividade das nossas cidades.

5ª São Paulo Tech Week
Quando: de 23 a 29 de novembro de 2019
Onde: São Paulo/SP
Informações: www.saopaulotechweek.com

Tags, , ,

Competição reúne startups para criar soluções inovadoras para o mercado de alimentos

A Duas Rodas, líder brasileira na fabricação de aromas e ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, patrocina por meio da sua divisão de negócios Aromas & Condimentos o Desafio Visionários, primeira competição de soluções inovadoras para o mercado de alimentação envolvendo startups organizada pela Tacta Food School. O evento conta também com a parceria da Seara Alimentos.

Podem participar projetos em fases iniciais, modelos de negócio, startups ou scale-ups. Os candidatos podem se inscrever gratuitamente até dia 30 de novembro pelo site. A competição termina com a apresentação de cinco projetos escolhidos para cerca de 300 líderes da indústria de alimentos, durante o Horizonte Food 2020, fórum multifocal que traça o cenário do setor para o ano de 2020, que acontece dias 30 e 31 de janeiro, em São Paulo.

“Para nós, faz todo sentido patrocinarmos essa iniciativa, uma vez que está alinhada tanto ao nosso negócio, já que visa encontrar soluções para as maiores indústrias alimentícias, quanto à inovação, que é o pilar estratégico para orientar o nosso crescimento sustentável”, explica o Diretor Comercial e de Marketing, Hilton Siqueira Leonetti.

Competição conta com quatro desafios

Dois dos quatro desafios foram propostos pela Duas Rodas. No Desafio 3, com a temática Clean label & Plant-based, a empresa busca soluções voltadas à fabricação de produtos vegetarianos clean label e com poucos ingredientes. No Desafio 4, The Silver Generation, as soluções em alimentos devem ser destinadas à terceira idade, levando em consideração as suas necessidades nutricionais e os diferentes momentos de consumo, indulgência e praticidade.

“Nós realizamos com frequência pesquisas de comportamento que indicam tendências de consumo. Nesse sentido, nos tornamos referência para avaliar as melhores soluções voltadas a públicos mais específicos”, comenta o executivo.

A Seara Alimentos propôs os outros dois temas: Food Sustainability (Desafio 1), no qual o foco é a redução de consumo e desperdício, além da economia circular na indústria de alimentos; e Food Score & Valuation (Desafio 2), voltado às startups com soluções de plataforma, que conectem consumidores para avaliação de conceitos e atributos de alimentos. Nesse caso, levam-se em consideração os aspectos técnico-sensoriais e afetivos de forma prática e confiável, para aumentar a velocidade e assertividade de projetos.

Segundo o regulamento, a primeira etapa de avaliação dos inscritos será realizada pela Tacta Food School. E, a partir da 2ª fase de avaliação, representantes da Duas Rodas e da Seara Alimentos participarão do processo.

“Esse tema é de extrema importância para nós, da Duas Rodas, já que fomentamos a Planta.vc, a primeira plataforma de inovação aberta direcionada à cocriação de ideias inovadoras, insights e soluções voltadas à indústria de alimentos e bebidas do País”, acrescenta o Gerente Geral de Inovação da Duas Rodas, Steven Rumsey.

Vencedores ganham visita à fábrica da Duas Rodas em Jaraguá do Sul

Dentre os prêmios destinados ao vencedor, está uma visita à fábrica da multinacional em Jaraguá do Sul e acesso à equipe técnica da empresa para ajudar a direcionar futuros trabalhos. “Nós possuímos a maior capacidade produtiva e o portfólio mais completo do mercado. Oferecemos a oportunidade de conhecerem nossa fábrica, pois contamos com modernas instalações aliadas à tecnologia de ponta e à diversidade de processo, o que reforça o nosso diferencial competitivo no mercado. Além disso, é muito interessante ver de perto todo o processo de produção dos nossos aromas e ingredientes”, afirma Hilton Leonetti.

O primeiro colocado ainda ganha: apresentação para a diretoria da Seara; 10 horas de Consultoria da Tacta Food School; um mês de acesso à ferramenta de inteligência de mercado Mintel GNPD Americas; e busca prévia e registro da marca com a OrtenziAvila Advogados, além de três horas de mentoria jurídica/negócios.

“A participação da Duas Rodas como sponsor deste Desafio reforça o protagonismo que a empresa tem na busca de soluções inovadoras no mercado de alimentos. Como uma das maiores empresas de ingredientes da América Latina, esta é uma excelente oportunidade para startups de todos os estágios que desejam se conectar com os líderes da indústria alimentícia, ganhar visibilidade e buscar futuros investidores e clientes”, afirma a Diretora de Inovação da Tacta Food School, Cristina Leonhardt.

Startup de Marketing Digital cria plataforma e automatiza análise de concorrentes

A Incubadora de Negócios ESPM , escola de negócios referência nas áreas de Marketing, Administração, Consumo, Economia Criativa e Gestão, hospeda a startup Metlycs. Criada por ex-alunos, a Metlycs é uma plataforma de marketing digital que analisa e acompanha os dados da concorrência das empresas usuárias de forma instantânea.

O cadastro e o acesso à plataforma são gratuitos. “Os usuários podem testar à vontade o pacote básico de serviços e contribuir para o aperfeiçoamento da ferramenta”, diz Lucas Longhi, um dos fundadores da startup. “Nosso sistema apresenta funcionalidades inéditas e nos posiciona à frente dos demais.”

Segundo Longhi, o principal diferencial da Metlycs em relação a outras soluções de marketing digital é a automatização das informações. O usuário abre os sites das empresas concorrentes na plataforma e escolhe as informações que deseja rastrear. O gerenciador da atividade receberá uma notificação, no e-mail cadastrado, a cada mudança de dados.

A tecnologia também verifica a instabilidade de websites, gerencia o relacionamento com clientes (CRM) e cria campanhas de e-mail marketing. Permite criar landing pages e pop-ups para a captação de contatos — recursos utilizados em websites para rastrear e direcionar os consumidores na jornada de compra — e analisar métricas de campanhas de marketing digital.

A Metlycs foi criada no final de 2018, a partir de trabalhos de marketing digital de Longhi, ex-aluno do curso de Publicidade e Propaganda da ESPM SP, e seu sócio Matheus Lugon. “Dado o empenho da dupla, a startup tornou-se parte da Incubadora de Negócios da escola, onde seus criadores passaram a receber apoio gerencial, operacional e financeiro”, afirma Letícia Menegon, coordenadora do Centro de Empreendedorismo, da ESPM SP. “A empresa está em uma fase madura e pronta para encarar o mercado.

InovAtiva Brasil participa da conferência anual de startups e empreendedorismo e anuncia novos projetos para 2020

Durante os dias 28 e 29 de novembro, o InovAtiva Brasil , programa de aceleração de startups, realizado pelo Sebrae e Ministério da Economia, irá participar da 5ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE 2019) e aproveitará a ocasião para anunciar os novos projetos para 2020. O evento, considerado um dos principais voltados para o ecossistema de startups e empreendedorismo da América Latina, acontecerá no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Em parceria com ArcelorMittal e Darwin Startups, as startups irão receber mentorias gratuitas e participar de desafios. Com duração de 45 minutos – sendo 20 para cada startup – as mentorias têm como objetivo incentivar a troca de conhecimento e experiência entre as startups e mentores. Ao todo, serão três mentores convidados que irão auxiliar os empreendedores em relação ao potencial do seu negócio e dar dicas de como crescer em seu mercado de atuação, totalizando seis negócios atendidos no estande do Sebrae.

Em conjunto com a Darwin Startups, o InovAtiva também terá como missão conectar as startups participantes com desafios propostos pelos parceiros da aceleradora, como: B3, Neoway, Safra, TransUnion e RTM. Cada empreendedor terá que realizar um pitch para três jurados com duração de cinco minutos, seguido de perguntas e feedbacks. As áreas que serão englobadas com essa dinâmica são: Fintech, Telecom, Big Data, Smart Cities, Health Tech, AgTech, IoT e Logística.

Por fim, junto com a Arcelor Mittal, oito rodadas de negócios com duração de 20 minutos serão realizadas durante o CASE. Na ocasião, as startups terão como desafio desenvolver projetos e estratégias para melhorar algumas áreas de atuação da empresa.

Para Gustavo Ene, Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, o evento será uma excelente oportunidade para mostrar a importância de um programa de aceleração para startups, além de divulgar os planos que temos para o próximo ano.

“Mais 2 mil startups de todas as regiões do Brasil já participaram do programa InovAtiva e mais de 900 delas chegaram à fase de apresentar seus negócios em bancas presenciais com investidores de 2013 até hoje. São iniciativas como a nossa que ajudam a agilizar o processo para que essas empresas ganhem mercado, utilizando mentoria, capacitação, conexão com o mercado e vivência experimental, além de proporcionar acesso a investimentos e recursos. Além disso, queremos aproveitar o alto fluxo de pessoas que irão participar do CASE para anunciarmos nossas novidades para 2020”, finaliza.

NeuroUp, startup de Recife, recebe aporte de R$ 2,5 milhões

A NeuroUp acaba de receber um aporte de 2,5 milhões do Criatec 3 (fundo gerido pela Inseed Investimentos e criado pelo BNDES). A empresa, criada em 2014 e sediada em Recife (PE), desenvolve soluções de biofeedback – que ajudam o usuário a reduzir a tensão do corpo e atingir o relaxamento avançado. Com o aporte, a empresa pretende fortalecer a área comercial, adquirir escala e buscar a internacionalização. Trata-se do primeiro aporte do Fundo Criatec 3 na Região Nordeste.

“A tecnologia permite que o usuário aprenda técnicas de relaxamento e as aplique no dia a dia. Controlar a tensão dos músculos é uma capacidade que poucas pessoas possuem, principalmente as que apresentam dores crônicas ou que vivem em situações de estresse. Portanto, o treinamento com o biofeedback pode beneficiar as pessoas com dificuldade para relaxar por vontade própria. Também pode ser usado em exercícios, já que o sistema indica o nível de contração muscular através de jogos”, afirma Ubirakitan Maciel – co-fundador e diretor executivo da NeuroUp. Segundo ele, “a tecnologia é bastante intuitiva e o custo é acessível”.

Segundo ele, o dispositivo pode ser acoplado ao corpo e se comunica com um aplicativo para celular. “Os sensores são capazes de captar a informação oferecida pelo corpo e devolvê-las em tempo real. Assim, é possível identificar o nível de tensão corporal e trabalhar técnicas que ajudam a reduzi-la”, diz Diogo Jardim – co-fundador e diretor técnico.

Gameficação

O dispositivo leva a pessoa a aprender uma nova habilidade de forma dinâmica. “O participante do treinamento se posiciona em frente à tela de um celular ou tablet e passa a interagir com gráficos visuais ou auditivos. Quando ele contrai, obtém resposta negativa. Quando ele consegue relaxar, há resposta positiva. Assim, o uso da gameficação ensina o participante a relaxar – que é algo muito mais difícil do que aprender a contrair”, explica Ubirakitan. Segundo ele, são realizadas de uma a duas sessões por semana, com duração de mais ou menos 20 minutos. “É parecido com aprender a tocar um instrumento novo. Em média são realizadas de 5 a 10 sessões de treinamento e os efeitos podem durar muitos anos”, afirma.

A origem dos empreendedores está na pesquisa universitária. Chegaram a residir na Espanha e França, onde passaram a se interessar ainda mais pela neurotecnologia. “Vimos muitas soluções capazes de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Mas, infelizmente, ainda são muito caras e difíceis de serem utilizadas fora dos laboratórios. Um dos nossos principais objetivos é democratizar e tornar mais acessível esse tipo de tecnologia”, explica

Para Gustavo Junqueira, CEO da Inseed Investimentos, a NeuroUp foi selecionada pela equipe por ter um potencial de alcance global. “A empresa conseguiu transformar um conhecimento profundo, na área de neurodinâmica, em um produto que cuida de um problema a nível mundial: as dores crônicas”.

O Banco do Nordeste (BNB) é um dos investidores do Criatec 3. Ernesto Lima Cruz, superintendente estadual do BNB em Pernambuco, reafirma o compromisso de apoiar empresas inovadoras e com elevado potencial de crescimento. “O objetivo é construir ou expandir, junto aos empreendedores, ofertas de valor muito diferenciadas e levar o negócio a uma fase de crescimento acelerado. Além do aporte de capital, o fundo é um sócio proativo, que agrega estratégia, governança e compartilha decisões. Ele auxilia a empresa a avançar rápido e chegar mais longe do que faria sozinha”, diz.

Unicórnios: startups bilionárias são as mais buscadas pelos brasileiros

No último ano, muito se ouviu falar nos “unicórnios”: startups “raras” que valem mais de um bilhão de reais. E no Brasil, não é diferente: o país é um verdadeiro celeiro dessas empresas, e das 10 startups mais pesquisadas pelos brasileiros, oito são unicórnios fundados no país. É o que aponta uma pesquisa realizada pela SEMrush, líder global em marketing digital. E o interesse pelo assunto vem crescendo cada vez mais, pois apenas nos últimos três meses, as buscas pelo termo “startup” cresceram consideravelmente: de 90,5 mil em junho para 135 mil em setembro.

Em primeiro lugar no ranking vem o PagSeguro, fintech de meios de pagamento, com mais de 2,8 milhões de buscas mensais na internet, de acordo com dados da SEMrush. A pesquisa engloba mecanismos de busca como Google e Bing, e apurou dados de janeiro de 2018 a setembro de 2019. Em segundo e terceiro lugar, as únicas gringas da lista: Uber, com 2,6 milhões de pesquisas, e Airbnb, com 1,6 milhão. Seguindo a lista, o Nubank apurou 1,3 milhão de buscas, e recentemente a fintech anunciou que, em breve, os clientes poderão utilizar a nova modalidade para guardar dinheiro automaticamente.

No quinto lugar vem iFood, foodtech brasileira da holding Movile, que apurou 1,2 milhão de pesquisas. A 99 vem logo em seguida, com 363 mil buscas. A lista segue com Gympass, com 234 mil pesquisas, Stone, com 153 mil, Ebanx, com 117 mil e Loggi, com 92 mil.

Segue abaixo o ranking completo apurado pela SEMrush:

Startups mais buscadas na internet pelos brasileiros (média mensal de janeiro de 2018 a setembro de 2019):

1) PagSeguro: 2,8 milhões

2) Uber: 2,6 milhões

3) Airbnb: 1,6 milhão

4) Nubank: 1,3 milhão

5) iFood: 1,2 milhão

6) 99: 363 mil

7) Gympass: 234 mil

9) Stone: 153 mil

9) Ebanx: 117 mil

10) Loggi: 92 mil

 

Empresários e empreendedores terão a oportunidade de imergir no ecossistema de Israel em missão organizada pela ABES e IBI-Tech

Após firmarem parceria em junho deste ano, a ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) e a IBI-Tech, empresa israelense com filial no Brasil, estão organizando uma missão de negócios para Israel, entre 19 a 24 de abril de 2020, passando pelas cidades de Tel Aviv, Haifa e Jerusalém. Com o objetivo de oferecer aos empresários e empreendedores brasileiros o acesso e imersão no ecossistema de inovação e tecnologia israelense e incentivar parcerias entre empresas e startups dos dois países, a agenda da missão inclui visitas a companhias e hubs de inovação; encontros de alto padrão com representantes do governo, pesquisadores, executivos e investidores; e rodada de negócios com empreendedores das áreas de Indústria 4.0 e Iot, Agrotech e Smart Cities. As inscrições para a missão vão até o dia 15 de janeiro ou até esgotarem as vagas. Para mais informações, envie um email para: missão.israel@abes.org.br

Israel é atualmente considerado o segundo maior hub de inovação do mundo, atrás apenas do Vale do Silício, EUA, investindo cerca de 4,5% do PIB em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) – em 2018, foram investidos mais de US$ 7,2 bilhões por fundos de venture capital no mercado local. Por oferecer condições especiais para empresas internacionais interessadas em investir na instalação de centros de pesquisa e desenvolvimento, Israel abriga mais de 400 centros de P&D multinacionais, sendo que grande parte destes investem ativamente em empreendimentos. Estima-se que o país tenha mais de seis mil startups ativas, mais de 500 delas na área de Agrotech e mais de 300 relacionadas a Smart Cities e Mobilidade.

“A ABES tem trabalhado cada vez mais seu reposicionamento no mercado de tecnologia, realizando parcerias e ações que auxiliem em seu objetivo de incentivar a internacionalização e formas de negócios inovadoras de empresas e startups brasileiras. Alinhada a este propósito está a ideia da missão para Israel, organizada em parceria com a IBI-Tech, uma vez que seu principal objetivo é estimular e transmitir aos empreendedores brasileiros o DNA israelense de disrupção e incentivar parcerias e projetos reais entre empresas e startups dos dois países”, explica Rodolfo Fücher, presidente da ABES.

Tags, , , ,

FGV realiza workshop sobre Private Equity, Venture Capital e Investimentos em Startups

A Fundação Getulio Vargas realizará na segunda-feira (2/12), a partir das 8h30, em São Paulo, um workshop sobre o mercado de private equity, venture capital e investimentos em startups. O objetivo é debater o crescimento e desenvolvimento do país a partir dos investimentos em startups, inovação, venture capital e private equity.

O evento reunirá em um mesmo ambiente investidores, gestores de private equity e venture capital, corporações interessadas em inovação, conselheiros e executivos de fundos de pensão, formuladores de políticas públicas, consultores, advogados, fundadores de startups e demais interessados no tema.

O workshop será dividido em quatro painéis: Alocação pelos LPs em Venture Capital e Private Equity: Desafios e Oportunidades; Investimentos de Private Equity; Inovação, Venture Capital, Private Equity e a Revolução nos Negócios Tradicionais; e Venture Capital e Investimentos em Startups.

Participam grandes nomes do mercado como: Eric Acher, sócio, Monashees; Luís Ricardo Martins, presidente, ABRAPP; Luiz Chrysostomo, sócio, NEO Investimentos e Diretor, ANBIMA; Carlos Garcia, sócio, Itajubá Investimentos; Alexandre Saigh, sócio, Patria Investments; Cristiano Lauretti, sócio, Kinea Private Equity; Mario Malta, sócio, Advent International; Priscila Rodrigues, sócia, Crescera Investimentos; Luiz Maia, sócio, Brookfield; Anderson Thees, sócio, Redpoint eventures; Frederico Pompeu, sócio, BTG Pactual e head, BoostLab; Rafael Padilha, diretor, Bradesco Private Equity & Venture Capital; Cláudio V. Furtado, presidente, INPI; Fernando Wagner da Silva, sócio, Crescera Investimentos; Izabel Gallera, sócia, Canary; Laura Constantini, sócia, Astella Investimentos; Pedro Oliveira, senior investment officer, Kaszek Ventures; e Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva, Anjos do Brasil.

Inscrições:http://educacao-executiva.fgv.br/sp/sao-paulo/eventos/workshop-de-lancamento-do-mba-em-private-equity-venture-capital-e-investimentos-em-startups?geo-popup=hide

Workshop Private Equity e Venture Capital

Data: 2 de dezembro de 2019

Horário: 8h30-13h

Local: FGV – Rua Itapeva, 432 – Auditório FGV

Tags, , , ,

Japoneses querem investir em startups brasileiras

De acordo com o Banco Central (BC), o Japão ocupa a 9ª posição no ranking de principais países investidores no Brasil, principalmente nos segmentos de fabricação e montagem de veículos, reboques e carrocerias, artigos de borracha e plástico, além de produtos alimentícios e bebidas. Mas os investimentos podem sofrer um incremento em breve. As companhias daquele país, que já atuam por aqui, estão de olho nas boas oportunidades junto as empresas inovadoras, em especial startups. Chama a atenção deles, aquelas dos setores de agritech (22%), tecnologia da informação (13%), fintech e logística (ambas com 9% cada).

Os dados integram um relatório do Grupo de Estudos das Empresas Japonesas sobre Inovação no Brasil criado em maio último pela Japan External Trade Organization (JETRO) em parceria com as companhias que integram o Grupo de Trabalho de Inovação da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil, que reúne 22 corporações que atuam no país. Além das quatro áreas citadas, os nipônicos têm interesse nos setores de mobilidade, health tech e infraestrutura (todos com 6%). Outros, como biotecnologia, marketing, retailtech e security (com 3%) também são mencionados.

A boa notícia para os brasileiros é que 26% dos japoneses querem inovar a partir dos novos modelos de negócios das startups, e outros 17% objetivam investir e até adquirir companhias ou atuar no co-desenvolvimento de produtos e serviços com empresas recém-criadas e rentáveis. “Há interesse das companhias do Japão em ampliar os negócios a partir das subsidiárias que conhecem bem o mercado local, mas outras nações têm recebido prioritariamente os investimentos, embora reconheçam a importância brasileira”, argumenta Atsushi Okubo, diretor-presidente da JETRO no Brasil.

De acordo com ele, outros mercados acabam por receber investimentos japoneses pelo desconhecimento, muitas vezes, do potencial brasileiro de inovação. “Para obter mais apoio, 40% das companhias que compõem o grupo de estudos afirmam que é preciso a matriz enviar seus principais executivos para desbravarem o Brasil”, afirma Okubo. “Os dois países são grandes parceiros comerciais, mas as relações nessa área de inovação são tímidas. Nosso papel com a JETRO, como organização de fomento do comércio exterior e investimentos do governo japonês, é diminuir essa lacuna, pois sentimos que há um grande potencial para o incremento de novos negócios”, completa. O SoftBank Group já descobriu isso e, por meio do seu fundo de investimento, já investiu por aqui em grandes startups como a fintech Creditas, a empresa de ginástica Gympass e as de logística Loggi e Rappi, com valores que chegam a US$ 1 bilhão por rodada de aporte.

Na pesquisa do Grupo de Inovação, a visita ao ecossistema brasileiro para a construção de um networking e a participação em programas de aceleradoras privadas e mesmo de inovação aberta por agências governamentais, respectivamente, foram citados por 41% e 18% dos japoneses como fundamentais para avançar no Brasil. “Hoje, temos casos em que as empresas buscam solucionar problemas resultantes dos ambientes de negócios no Brasil, como o Custo Brasil, através da inovação, porém, 50% delas priorizam a busca de novos negócios a partir de suas operações locais”, diz Okubo.

Encontro de inovação na Japan House – Para diminuir essa lacuna no ambiente de inovação entre brasileiros e japoneses, a JETRO, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil, o Consulado Geral do Japão em São Paulo e a Japan House São Paulo, promovem no dia 18 de novembro o Primeiro Grande Encontro de Inovação Aberta Brasil-Japão. O evento reunirá grandes empresas japonesas atuantes na América Latina e tem o objetivo de aproximar e fomentar o diálogo e conhecimento sobre inovação com as corporações, startups brasileiras e seus ecossistemas.

Na programação, painéis de “Como e porque inovar no Brasil”, com apresentações de André Maciel (Softbank Latin America), Mitsuru Nakayama (CEO da Brazil Venture Capital) e Francisco Jardim (CEO da SP Ventures), e discussões com grupos de empresas japonesas (Sompo Seguros, Mitsui & Co. Brasil e Yamaha Motor do Brasil) e brasileiras, respectivamente, moderadas pela KPMG e Plug and Play Brazil. Haverá ainda o relato de cases da Ambev (Bruno Stefani), Truckpad (Carlos Mira), Checklist Fácil (Maurício Fragoso), Everis NTT Data (Roberto Celestino Pereira) e Caixa (Luis Felipe Bismarchi), além da participação da Associação Brasileira de Startups (Amure Pinho).

A JETRO, com a analista Tatiana Nagamine, aproveita também o encontro para apresentar seus programas de fomento para levar empresas brasileiras ao Japão por meio do Invest Japan. Já o diretor Kenji Kainuma abordará aspectos de propriedade intelectual relacionadas às startups no Japão. “O Brasil é um oásis de oportunidades para nós, sobretudo pelo longo histórico de relacionamento econômico e social. Por isso é fundamental termos bons parceiros no país”, diz o diretor-presidente da JETRO São Paulo.

De acordo com o estudo Global R&D Funding Forecast, os gastos com P&D devem crescer 3,6% em todo o mundo em 2019, totalizando US$ 2,3 trilhões. E, segundo o Índice Global de Inovação (IGI), o Brasil ocupa a 66ª posição entre as nações mais inovadoras do planeta, em lista liderada pelo trio Suiça, Suécia e Estados Unidos. O Japão ficou em 15º lugar.

Primeiro Grande Encontro de Inovação Aberta Brasil-Japão

Data: 18 de novembro de 2019

Horário: das 14 às 18 horas (vagas limitadas)

Local: Japan House São Paulo
Endereço: Avenida Paulista, 52, São Paulo

Informações: http://www.jetro.go.jp/brazil/topics/446610.html

Inscrições para o Safira Labs terminam amanhã (12/11)

As inscrições para o Safira Labs, programa que oferece um espaço de incubação e uma rede de conexões para startups de diversos setores que precisam estruturar melhor seus modelos de negócios, terminam nesta terça-feira (12/11).

Não há limites para apresentação de projetos, e podem se inscrever startups que atuem nos segmentos de Analytics, Inteligência Artificial, Big Data, Lawtech, HRtech, Computação em Nuvem, Digital Midia, e-Commerce, Fintech, Marketplace, SaaS e IoT. Os interessados devem se inscrever no portal http://www.safiralabs.com.br/.

Criado pela Safira Energia, uma das principais comercializadoras e consultorias em análises, estratégias e soluções para o setor energético do Brasil, a segunda edição do programa já registrou até agora mais de 200 projetos.

“Ficamos muito surpresos com o grande número de interessados em participar do programa. Por essa razão, o prazo, que inicialmente terminaria no fim de outubro, foi ampliado. Também decidimos incluir um atrativo a mais, e o melhor projeto, ao término do programa pode ser capitalizado, caso seja de interesse de ambas as partes”, revela o diretor executivo da Safira, Mikio Kawai Junior.

O Safira Labs irá selecionar 15 startups para participar de um Pitch Day, que acontece nos dias 26 e 27 de novembro. Na sequência, os selecionados passarão por entrevistas com especialistas da Safira entre os dias 02 e 06 de dezembro. Os projetos que integrarão a segunda edição do programa serão conhecidos no dia 13/12, e a startup que apresentar o melhor projeto receberá ainda um prêmio especial: uma passagem de ida e volta aos Estados Unidos para uma experiência no Vale do Silício (EUA).

O programa tem duração de um ano, podendo ser renovado, e terá início em janeiro de 2020. As startups selecionadas contarão com infraestrutura física na região de Pinheiros, em São Paulo, participarão de workshops com profissionais dos mais diversos ecossistemas, e farão mentoria com especialistas externos e também com profissionais da própria Safira, das áreas jurídica, de marketing, recursos humanos e contabilidade.

Com mais de 11 anos de história, a Safira é uma empresa de destaque no setor elétrico brasileiro, consolidada e integra os rankings das 1.000 maiores empresas da revista Valor 1000, das 1.000 maiores empresas da revista Melhores da Dinheiro e das 300 melhores empresas da revista Época Negócios 360. “A origem da Safira Energia é semelhante à de muitas startups, razão pela qual queremos nos conectar e incentivar ideias e empresas inovadoras que, ao empreender, podem fazer a diferença em diversos setores da economia”, completa Mikio Kawai Junior.