Page

Category startup

Estudo da Wayra aponta que 57% das startups estão otimistas quanto ao futuro

A crise do novo coronavírus colocou todas as áreas e setores da sociedade em alerta. Nessa realidade, as startups têm a agilidade e a criatividade necessárias para responder de forma rápida e o mais positiva possível aos desafios que estão sendo gerados pela pandemia da COVID-19. Para compreender como as empresas do seu portfólio estão superando esse momento conturbado, a Wayra, hub de inovação aberta do grupo Telefónica e uma iniciativa Vivo, entrevistou as startups do seu portfólio (Wayra e Telefónica Open Innovation) espalhadas por nove países (Alemanha, Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Espanha, Peru, México e Reino Unido) entre os dias 1 e 3 de abril desse ano para melhor entender os impactos econômicos no ecossistema empreendedor e colaborar para minimizar os impactos dessa crise. Afinal, hoje mais do que nunca, a inovação não pode parar.

Oportunidades de digitalizar permitem manter e até expandir equipes

Apesar de planos de contingência em ação, incluindo corte de gastos, entre as startups entrevistadas, mais de 80% delas não têm planos de demitir colaboradores e apenas 9% estão apostando na redução de horas como forma de superar a crise. Talvez por serem essencialmente digitais, a grande maioria das startups (85%) conseguiu rapidamente implementar o trabalho a partir de casa, continuando com suas operações mesmo com as equipes atuando à distância.

Além disso, algumas startups do portfólio global da Telefônica (26%) observaram que os impactos da crise podem significar também oportunidades para seus negócios: já que o momento exige uma aceleração dos processos de digitalização das companhias de diversos setores, algumas startups ganharam uma gama de novos potenciais clientes em tempo recorde.

Por conta disso, boa parte das startups (72%) têm planos de manter ou até expandir suas equipes dentro dos próximos meses, já que o trabalho tende a aumentar. Costuma ser o caso das startups de setores como educação (edtech), finanças (fintechs), saúde (ehealth) e telecomunicações, que estão sendo bastante requisitadas, já que permitem que diversos setores possam atuar mesmo durante a crise, ajudando a sociedade a continuar em movimento apesar da pandemia.

O estudo também detectou uma especial aceleração na digitalização de pagamentos na América Latina, já que os pagamentos digitais podem ser realizados tanto à distância quanto sem contato, o que tem sido bastante indicado na atual conjuntura. Outra evolução que pode ser antecipada é a digitalização de pequenas e médias empresas (PMEs), que vão precisar adotar serviços digitais e armazenamentos na nuvem para serem mais eficientes neste momento onde todos estão sendo encorajados a trabalhar remotamente.

Planos de contingência ajudam a lidar com as preocupações

No entanto, as startups também têm lidado com grandes preocupações sobre a manutenção de seus negócios nos próximos meses. O receio é especialmente maior entre as empresas que atuam nos setores que mais sofrem com a crise neste momento, como é o caso das áreas de viagens, varejo, serviços para a casa e aquelas que precisam fechar negócios ao vivo. Em geral, a maior preocupação é a queda nas vendas (43%), seguida pela suspensão de pagamentos (17%) e a perda de clientes (11%). Diante deste cenário, as startups têm sido convidadas a montar planos de contingência para mitigar os efeitos da crise. Até o momento da pesquisa, quem mais tinha se preocupado em tomar medidas nesse sentido eram as startups europeias (66%), provavelmente pelo fato dos impactos terem sido sentidos primeiro naquela região. Na América Latina, apenas 34% disseram estar tomando o cuidado de criar planos de contingência.

“Apesar desse número, a maior parte das startups do portfólio da Wayra no Brasil vem desenhando cenários em meio à crise, redesenhando estratégias e segurando bastante o caixa. Muitas delas, inclusive, possuem soluções para ajudar empresas e população durante esse período e, com isso, aumentar sua receita e clientes”, comenta Carolina Morandini, Head de Portfólio e Startup Scout da Wayra Brasil.

Entre as principais atitudes tomadas por quem está se preparando para a turbulência que está por vir nos próximos meses, está a redução dos custos operacionais, a redução de investimentos em marketing e estratégias que ajudem a reter os clientes já conquistados. Surpreendentemente, são poucas as startups que estão apostando na redução de pessoal.

Vai passar

O receio que ronda a economia no mundo todo também afeta as startups, que em sua maioria (74%) acham que a crise do novo coronavírus terá impactos negativos nos seus negócios. Apesar dessa sensação, há uma onda de otimismo em 57% das entrevistadas, que estão na expectativa de dias melhores assim que a crise arrefecer, quando acreditam que poderão retomar suas atividades.

Além do otimismo com o futuro, a maioria das startups do portfólio da Telefônica (59%) estão liderando ações que geram impacto positivo para a sociedade nesse momento tão crítico. A atitude mais comum tem sido o desenvolvimento ou a oferta de conteúdo grátis, bem como a liberação de licenças sem custo para a área da saúde e outros setores mais afetados. Outras startups têm atuado de forma assertiva, oferecendo serviços que podem fazer toda a diferença neste momento. Algumas edtechs focaram em apoiar as escolas no desenvolvimento de aulas remotas para os alunos que estão com seus semestres letivo em suspenso.

No Brasil, as startups do portfólio da Wayra estão com várias iniciativas e benefícios como forma de amenizar os impactos da pandemia de COVID-19, com destaque para a PluginBot, startup de robôs físicos e virtuais que está com robôs de telepresença para auxiliar na triagem de pacientes em hospital de São Paulo, a bem.care que está com sessões gratuitas de psicólogo por seis meses e a Netshowme que colocou sua plataforma online à disposição de eventos presenciais que teriam que ser cancelados.

Este período serão meses em que as startups poderão provar que são disruptivas diante de cenários inimagináveis, colaborando com a sociedade e apostando na solidariedade para a resolução dos desafios de um momento tão crítico.

Confira o relatório completo do estudo aqui.

Associação Brasileira de Startups lança banco de talentos

Com a missão de fomentar o setor, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), entidade sem fins lucrativos que representa o ecossistema brasileiro de startups, anuncia a criação de uma ferramenta para ajudar profissionais e empresas a se conectarem no mercado de tecnologia.

O Abstartups Jobs é um banco de talentos digital gratuito tanto para profissionais que buscam recolocação se cadastrarem quanto para startups que estão a caça de talentos. “Trata-se de mais um pilar de atuação diante do atual cenário de pandemia que vivemos para que possamos superar e sair ainda mais unidos”, ressalta do diretor executivo da entidade, José Muritiba.

Para cadastro, acesse: http://absjobs.netlify.app/

Projeto Hora da Prosa aproxima hubs de inovação para manter ecossistema agtech ativo durante a quarentena

O Pulse, hub de inovação da Raízen, e AgriHub Space, iniciativa do Sistema Famato e LM Ventures, firmaram parceria para realização do projeto Hora da Prosa. O evento online conecta startups parceiras dos dois hubs, além de demais players do ecossistema de inovação, tecnologia e agronegócios com o intuito de gerar conexões e abordar temas relevantes do setor em meio ao cenário de pandemia. Os temas abordados nas conversas envolverão questões sobre investimentos em agtechs, digitalização de maquinários, desafios da previsão climática, conectividade no agro, agrofintechs, agricultura digital e adoções de tecnologias por grandes grupos agrícolas.
Os encontros acontecem semanalmente, sempre às quartas-feiras, no canal do Pulse Hub no Youtube. O próximo, no dia 15 de abril, contará com a participação de Carol Morandini, Head de Portfólio & Scouting da Wayra Brasil, Flávio Zaclis, Fundador da Barn Investimentos e Francisco Jardim, Sócio Fundador da SP Ventures abordando o tema Agtechs e investimentos em tempos de crise.

Para participar é necessário preencher o formulário no link abaixo.
Link para inscrição: http://conteudo.pulsehub.com.br/hora-da-prosa-3-inscricao

Hora da Prosa – Agtechs e investimentos em tempos de crise. 
Local: Canal do Youtube Pulse Hub de Inovação
Data: 15/04 Horário: 14:02

Startup de recrutamento oferece serviço gratuito para empresas e candidatos de saúde e varejo

Com o avanço da pandemia do coronavírus, alguns setores passam por um pico de demanda de contratações, sobretudo, os das áreas de saúde e varejo, no caso de supermercados. Para auxiliar nesse momento, a Connekt, plataforma inteligente de recrutamento digital, oferece de forma gratuita todas as as suas funcionalidades.

“Nós criamos essa ação visando auxiliar os setores que necessitam de ajuda para recrutar novos colaboradores, de forma mais rápida e eficiente. As empresas que buscam médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares do setor de saúde, sejam hospitais, laboratórios e até drogarias ou ainda, supermercados, de qualquer região do Brasil, têm direito a um mês de uso gratuito da nossa plataforma. Além disso, os candidatos têm, em um só lugar, as vagas disponíveis para cada perfil “, afirma Celson Hupfer, CEO da startup.

Dentro da plataforma da Connekt, as empresas podem abrir vagas e ordenar toda a jornada do candidato, é possível incluir testes online e entrevistas em vídeo. Além disso, a admissão também pode ser feita no modelo digital, por meio de uma parceria com a sturtup ÚnicoRH. Ambos os processos seguem as recomendações sobre distanciamento social, divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atualmente, a Connekt conta com mais de 200 mil currículos de profissionais das áreas da saúde hospitalar e 800 mil no setor de varejo. Empresas que desejam utilizar a plataforma gratuitamente, podem acessar.

Para candidatos 

Além dos editais abertos pelas próprias secretarias regionais de saúde, a Connekt também reúne vagas em todas as regiões do Brasil. Atualmente, existem mais de 3.900 vagas abertas, para todas as áreas do país. Os maiores números são para as regiões sudeste e nordeste. Para se candidatar ou avaliar as vagas e os requisitos exigidos, os interessados podem acessar.

Conheça três programas de conexão com startups para ajudar a alavancar seus negócios nesta crise

O cenário de incerteza atual tem sido desafiador, especialmente, para as pequenas empresas. No Brasil, mais de 10 mil startups enfrentam essa realidade, tendo que lidar com perda de faturamento, dificuldade de captação de recursos de investidores e tentativa de manutenção de sua mão de obra empregada. Uma das possíveis saídas para a crise pode ser a geração de novos negócios, por meio de parceria entre startups e grandes empresas.

As empresas SLC Agrícola, Ingredion e Ocyan, em parceria com a Innoscience, estão com as inscrições abertas para os seus programas de conexão com startups. As companhias são gigantes nacionais e multinacionais do segmento agrícola, soluções em ingredientes e de óleo e gás.

O objetivo dos programas é resolver desafios de forma eficiente e inovadora. As startups selecionadas poderão executar um projeto piloto pago em uma das empresas, com suporte da consultoria. As que tiverem melhor desempenho poderão ser contratadas como fornecedoras, parceiras ou até discutir relação de investimento em participação. Ao todo são 19 desafios nos mais diversos segmentos. São elegíveis startups que tenham pelo menos um MVP (mínimo produto viável) desenvolvido e validado no mercado.

No próximo dia 15 de abril, às 17h, representantes das empresas farão uma live para apresentar os programas de forma detalhada e compartilhar informações sobre os desafios. As inscrições estão abertas e são gratuitas e podem ser feitas pelo link http://www.sympla.com.br/digital-roadshow—programas-de-conexao-grandes-oportunidades__830387
Confira mais detalhes dos programas abaixo

Programa Ingredion Open – Ingredion – Inscrições até 26 de abril
Desafios: Gestão de ponto, Automação planejamento industrial, Gestão de documentos, Antecipação de recebíveis, rastreabilidade de matéria-prima, novos canais para comercialização de ingredientes.
Acesse o site e faça sua inscrição: www.ingredionopen.com.br

Programa AgroExponencial – SLC Agrícola – Inscrições até 3 de maio
Desafios: Operações, Vendas & Novos Negócios, RH e Sustentabilidade
Acesse o site e faça sua inscrição: http://slcagricola.brightidea.com/agroexponencial

Programa Ocyan Waves Challenge – Ocyan – Inscrições até 15 de maio
Desafios: Digital Twin do BOP, Análise de fluido do BOP em tempo real, Gestão de Alarmes, Predição de Falhas e Gestão de mangueiras do Topdrive e Autoatendimento em almoxarifado
Acesse o site e faça sua inscrição: http://www.ocyan-sa.com/

Startups usam IBM Cloud para oferecer serviços de saúde e educação durante pandemia de COVID-19

Duas startups brasileiras adotaram a nuvem publica da IBM para oferecer novos serviços de saúde e educação durante a pandemia de COVID-19. A Mindify, empresa que desenvolve softwares de apoio a decisões clínicas, criou um sistema voltado para a triagem e acompanhamento de pacientes com suspeita ou diagnóstico de COVID-19, e a Adalace, companhia que oferece aplicações de negócios, está oferecendo de maneira gratuita um sistema de gestão da aprendizagem personalizado. As duas soluções são hospedadas na nuvem pública da IBM. 

O lançamento dessas soluções foram possíveis graças ao suporte do StartuWitIBM, programa que visa apoiar empreendedores e startups por meio de acesso a infraestrutura e serviços em IBM public cloud, que podem chegar até 120 mil dólares por ano em créditos. Esses créditos podem ser usados para acessar mais de 130 serviços da empresa, incluindo o IBM Watson, IBM Blockchain, Analytics e Security. 

Para Flávia Carvalho, líder de startups e ecossistema de desenvolvedores da IBM Brasil, prover tecnologia e orientação para essas startups significa, acima de tudo, incentivar a criação de soluções que podem se tornar essenciais para a sociedade. “Nosso time acompanha de perto desenvolvimentos de plataformas como essa por acreditar no potencial da inovação para o bem-estar de todos. E ter uma parcela de contribuição em projetos tão relevantes mostra que estamos no caminho certo”, comenta. 

Mindify: Ajudando a triagem de pacientes 
O sistema de diagnósticos automatizados lançado pela Mindify pode ser disponibilizado para empresas e instituições de saúde de todo Brasil. A plataforma, que conta com segurança e escalabilidade da nuvem pública IBM, interage a partir de inteligência artificial com o paciente, fazendo perguntas essenciais para o diagnóstico e, após as respostas, realizando a classificação e o direcionamento, de acordo com as respostas, para um profissional da saúde por telefone ou videoconferência. 

Além disso, caso o sistema confirme que o paciente está infectado com o COVID-19, o software realiza contatos diários para acompanhar a evolução do caso e fazer os encaminhamentos adequados a partir da evolução da doença. A solução já está sendo utilizada por planos de saúde e instituições de Goiás e São Paulo, com projetos de expansão para outras regiões do país. 

Segundo André de Paula Ramos, fundador da Mindify, em um período como o atual, em que as idas aos hospitais devem ser evitadas, a tecnologia pode ser uma forte aliada. “Nosso objetivo foi criar uma ferramenta intuitiva e ágil, que permite às unidades de saúde a otimização de tempo com diagnósticos e treinamentos, podendo focar nos atendimentos dos casos mais graves, além de propiciar conforto e segurança aos pacientes que utilizam o serviço”, ressalta o executivo. 

Adalace: Educação de qualidade a distância 
Elaborada por um time de desenvolvedores do Rio Grande do Norte, a solução de gestão da aprendizagem da Adalace é voltada para instituições de ensino de todo o Brasil que desejam continuar trabalhando conteúdos educacionais com alunos remotamente durante o período de quarentena devido à pandemia de COVID-19. A plataforma, que roda na nuvem pública da IBM, disponibiliza uma série de recursos, como textos, vídeos e salas de aulas virtuais, que dão suporte ao processo de aprendizagem, permitindo seu planejamento, implementação e avaliação. 

O sistema oferecido e adaptado pela startup é o Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment), um dos pacotes de software educacionais mais populares do mundo. Trata-se de uma plataforma livre que ajuda a criar experiências efetivas no ensino e aprendizado on-line em um ambiente privado e colaborativo. Disponível em mais de 100 idiomas, o Moodle é utilizado por pequenas e grandes organizações, impactando milhões de usuários em todo o mundo. 

O objetivo da Adalace é que o sistema personalizado seja implementado por dezenas de instituições do País, que contarão com a flexibilidade e alta estabilidade da nuvem pública IBM e a capacitação oferecida pela startup para a utilização e administração da plataforma. “Com a compreensão de que a educação é um direito fundamental e observando a dificuldade das organizações em um momento como esse, de pandemia e quarentena, não poderíamos ficar de braços cruzados. Por isso, decidimos usar nossa expertise em prover aplicações com excelência operacional e entregar uma plataforma como essa de forma gratuita”, afirma Samuel Queiroz, CEO da Adalace. 

Empresas de saúde e outras organizações interessadas na plataforma da Mindify podem entrar em contato com startup por meio do site http://www.mindify.net. Já as instituições interessadas em adotar a plataforma educacional da Adalace podem se inscrever por meio do site http://www.adalace.com. 

Abstartups e CIEB divulgam 2º mapeamento de edtechs

Buscando compreender o ecossistema de startups em suas diversas atuações a fim de conectar soluções e demandas, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB), anuncia a divulgação do Mapeamento Edtech – Investigação sobre as startups de tecnologia educacional – 2019.

O mapeamento de 2019 reúne iniciativas, segmentos de atuação, soluções oferecidas e modelos de negócio, baseado nas informações das startups do setor cadastradas na base de dados da Abstartups, o StartupBase. “Nossa intenção é que cada vez mais agentes participem e venham somar forças com esse setor e com as tecnologias apresentadas, fazendo parte desse movimento de inovação na educação”, ressalta o presidente da Abstartups, Amure Pinho.

Em um acordo de cooperação técnica firmado desde 2017, o mapeamento conta com a coordenação de Mairum Andrade, gerente de tecnologias educacionais do CIEB, e tem como objetivo ser um levantamento sistemático e banco de dados vivo das soluções de tecnologias educacionais disponíveis no Brasil.

“Conhecer as ofertas disponíveis no mercado é indispensável para que educadores e redes de ensino possam saber quais são as possibilidades de uso de tecnologia e onde elas estão disponíveis para a efetiva incorporação em seus processos educacionais”, afirma Mairum Andrade. “Do outro lado, empreendedores e investidores podem identificar os gaps de ofertas de solução e adequar seus produtos ou desenvolver novos projetos e produtos para atender, de forma mais completa e integral, às necessidades dos educadores, escolas e redes de ensino”, ressalta o coordenador do mapeamento.

Destaques do Mapeamento

Realizado entre agosto e outubro de 2019, o mapeamento compreendeu 449 edtechs ativas no Brasil, sendo a maioria (59%) localizada na Região Sudeste, com o estado de São Paulo liderando (35,1%). Em relação aos perfis, predominam soluções cujo modelo de negócio são SaaS (61%), em negócios operados por até funcionários (64,1%).

Quando agrupadas pelo segmento de ensino que atendem, desde educação até aquelas voltadas ao corporativo, 48,11% focam no ensino fundamental e médio, seguido pelo ensino infantil (22,49%), cursos livres (16,93%), ensino superior (16,04%) e corporativo (13,59%) fechando o TOP 5.

Vale lembrar que as edtechs foram identificadas e classificadas de acordo com o segmento e os tipos de recursos educacionais que oferecem para o ecossistema de educação, sendo possível que uma mesma edtech atue em mais de um segmento. Essa soma nos mostra um dado importante: 70,6% estão focadas em soluções para o ensino básico.

Grande parte das startups (67,04%) são classificadas como plataformas, seguidas pelas ferramentas (26,28%) e conteúdos (14,03%). Ao todo, contempla-se a seguinte divisão das edtechs voltadas para os ensinos infantil, fundamental e médio; superior; educação corporativa; preparatórios; idiomas e cursos livres.

“A diversidade de soluções disponibilizadas por essas edtechs pode apoiar diferentes processos escolares ou de ensino e aprendizagem. Chama a atenção, por exemplo, o aumento de soluções voltadas a inclusão de alunos com algum tipo de deficiência física ou intelectual”, analisa Pinho.

O raio-x por atuação das edtechs e o mapeamento completo estão disponíveis em http://abstartups.com.br/edtech-2020/

Startup cria projeto para ajudar profissionais desempregados durante pandemia de COVID-19

O número de pessoas desligadas por conta do impacto do COVID-19 à economia deve passar de 20 milhões, de acordo com especialistas ouvidos pela BBC Brasil. Pensando em ajudar a reverter esse cenário, a Matchbox, HRTech pioneira em marketing de recrutamento, acaba de lançar o Conexão Match, iniciativa que tem como objetivo conectar profissionais em busca de recolocação à empresas com vagas abertas.

O projeto é 100% gratuito e permanecerá no ar nos meses de abril e maio. Tanto candidatos quanto profissionais de RH podem se inscrever no hotsite http://conexaomatch.matchboxbrasil.com/, onde ambos receberão instruções com próximos passos após a inscrição.

“Nesse período de crise é importante cada empresa contribuir com a sociedade da forma que puder e conseguir. A Matchbox tem dentre suas especializações o Recrutamento e Seleção e este projeto foi a forma de usar nosso conhecimento para o bem da população,” afirma Kleber Piedade, CEO da startup.

Sinqia apoia Darwin Startups em 8º ciclo de aceleração

A Sinqia, líder em tecnologia para o mercado financeiro, está apoiando o 8º ciclo de aceleração da Darwin Startups, eleita duas vezes como a melhor aceleradora do Brasil pelo Startups Awards da ABStartups, em mais uma iniciativa de conectar as instituições financeiras ao futuro. A parceria entre as empresas foi anunciada em março deste ano e este é o primeiro batch da aceleradora que contará com a participação da Sinqia, que está fazendo um aporte de mais de R$ 1 milhão em jovens empresas de tecnologia. A Sinqia se juntou a um grupo seleto de parceiros corporativos que apoiam a iniciativa, entre eles: B3, Grupo J.Safra, RTM e TransUnion.

O Batch#8 busca startups com potencial para tornarem-se grandes negócios, preferencialmente nas verticais Big Data & Analytics, FinTech e TI & Telecom. Os empreendedores interessados já realizaram suas inscrições e a terceira etapa do processo de seleção acontecerá entre 08 e 09 de abril, das 13h30 às 18h, por meio do Zoom, plataforma digital de videoconferência. Esta é a penúltima fase antes da escolha final das startups que serão aceleradas.

“O Brasil vinha em um crescente de empreendedorismo, que aumentou significativamente nos últimos anos. Especulava-se que 2020 seria o ano das startups, principalmente as fintechs, que carregam consigo a geração de novos empregos, além do desenvolvimento tecnológico e econômico nacional como um todo. Junto com a Darwin, percebemos que não podemos deixar esse movimento decair neste momento desafiador. Devemos prestar apoio como podemos”, afirma Leo Monte, diretor de Marketing e Inovação da Sinqia, que está à frente da parceria com da Darwin Startups.

Nos últimos anos, a Sinqia destinou cerca de 2,5% de seu faturamento para as áreas de P&D de software e, só este ano, direcionou R$ 3,5 milhões a mais para investimentos em inovação, sendo parte desse valor direcionado para o Torq, hub de inovação da empresa, e parte para a Darwin, com o objetivo de investir em tecnologias emergentes e novas soluções para o mercado.

“Depois de debatermos com nosso time e com os nossos parceiros, entendemos que o melhor que a Darwin poderia fazer nesse momento é continuar acreditando no empreendedorismo. Vamos reforçar nosso compromisso com os empreendedores e continuar o processo seletivo com celeridade para escolher e investir nas startups que acreditamos”, explica Marcos Mueller, CEO da Darwin Startups.

Startups oferecem serviços digitais gratuitos para hospitais durante a crise da Covid-19

Em alerta por conta da pandemia causada pelo Covid-19 e, principalmente, da demanda do sistema de saúde, empresas de tecnologia focadas em processos de RH se juntaram para agilizar a contratação de profissionais como médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e técnicos em enfermagem.

Juntas, a Gupy, startup líder em recrutamento e seleção de candidatos por meio de inteligência artificial, se uniu a Acesso Digital, IDTech líder em reconhecimento facial e admissão online, e a Jobecam, plataforma de vídeo recrutamento e diversidade, criaram o movimento “Contratando pela Saúde”. As empresas vão disponibilizar seus serviços de recrutamento e seleção e admissão gratuitamente a hospitais e profissionais.

Por meio da plataforma da Gupy, hospitais podem se inscrever pelo link, solicitando atendimento da startup. Todos os pedidos vão passar por uma triagem, dando prioridade a hospitais com maior demanda. O time Gupy vai ajudar a entidade hospitalar a desenhar todo o processo de seleção: desde a abertura de vagas na plataforma até o manuseio e gerenciamento da ferramenta. Com a ajuda da Gaia, inteligência artificial da Gupy, os hospitais terão mais agilidade para encontrar o candidato ideal para a vaga.

Aos profissionais de saúde interessados, a Gupy vai disponibilizar uma página que dará acesso ao painel de vagas em aberto, assim o profissional se candidata a posição que tiver mais interesse. “Neste momento, é importante criar movimentos como este a fim de ajudar no combate da propagação do vírus. Para a Gupy, é muito importante colaborar com estes profissionais e entidades que estão na linha de frente, trabalhando duro pelo bem da população”, comenta Guilherme Dias, CMO e cofundador da Gupy.

Para o projeto a Jobecam disponibilizará sua plataforma para realização de entrevistas online, por videoconferência, com os candidatos que tiverem mais aderência à posição e garantindo que o processo seja 100% remoto, gerando mais eficiência e segurança para os participantes. “O momento atual é crítico e disponibilizar nossa tecnologia de vídeo para ajudar os recrutadores a terem mais eficiência e principalmente, garantir a segurança necessária que a situação exige é muito gratificante para todo o time”, comenta Cammila Yochabell, CEO da Jobecam.

Após a etapa de seleção, a Acesso Digital vai disponibilizar aos hospitais o uso do AcessoRH, que permite que os candidatos selecionados enviem os documentos para admissão pelo smartphone, sem que precisem se deslocar até a empresa. De forma rápida e segura, a ferramenta faz a validação dos dados e qualificação no e-Social. “Com a urgência que o momento pede, os candidatos de RH podem acompanhar o andamento do processo em tempo real. Com isso, conseguimos viabilizar contratações que levariam dias em cerca de três horas”, destaca Diego Martins, CEO da Acesso Digital.

O movimento “Contratando pela Saúde” está disponível desde segunda-feira, 30 de março, e os interessados podem entrar em contato através do site.

Plataforma EAD do Programa Conecta Startup Brasil orienta os primeiros passos do empreendedorismo

Interessadas em conhecer os primeiros passos no empreendedorismo e buscar os caminhos para transformar uma ideia inovadora em uma startup podem aproveitar o momento de quarentena da Covid-19 tirando proveito de uma ferramenta extremamente útil: a plataforma EAD do Programa Conecta Startup Brasil.

O conteúdo, dividido em 12 Módulos, foi desenvolvido e é apresentado por especialistas, e incluem, entre outros temas: “Desenvolvimento do Mindset Empreendedor”, “Como ter ideias?”, “Job To Be Done”, “Dores e Ganhos do Cliente”, “Canvas de Proposta de Valor” e “Estruturando Juridicamente sua Startup”.

A plataforma é voltada para os mais diversos públicos interessados em empreendedorismo, desde iniciantes, estudantes universitários e entusiastas; até startups em processo de descoberta e validação de clientes e empreendedores em fase inicial que precisam identificar seus clientes e entender suas necessidades e expectativas.

Resultado de uma ação conjunta entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTIC, o Conecta Startup Brasil se destaca por apoiar startups e empreendedores em estágio inicial (early stage) localizados em todas as regiões do Brasil.

Para mais informações sobre o EAD do Conecta Startup Brasil acesse http://cursos.conectastartupbrasil.org.br/. Ao final, um certificado de conclusão será emitido pela Softex.

Sinqia investe em programa de aceleração de startups

A Sinqia (B3: SQIA3), maior provedora de tecnologia para o mercado financeiro, anunciou sua entrada na Darwin Startups, eleita duas vezes consecutivas como a melhor aceleradora do Brasil pelo Startups Awards, da ABStartups, em 2018 e 2019. A aceleradora atua focada em descobrir e apoiar startups nacionais, que tem como foco fintechs, insurtechs, Big Data & Analytics e TI & Telecom. A Sinqia se junta a um grupo seleto de parceiros corporativos que apoiam a iniciativa, entre eles: B3, Grupo J.Safra, RTM e TransUnion.

Para Leo Monte, diretor de Marketing e Inovação da Sinqia, a parceria com a aceleradora faz parte do plano estratégico da companhia de se conectar cada vez mais com o futuro do mercado financeiro. “Nos últimos anos, destinamos cerca de 2,5% do nosso faturamento para as áreas de P&D de software e, este ano, destinaremos R$ 3,5 milhões a mais para investimentos em inovação, sendo parte desse valor direcionado para o Torq, nosso hub de inovação, e parte para a Darwin, com o objetivo de investir em tecnologias emergentes e novas soluções para o mercado. Queremos apoiar o empreendedorismo brasileiro e acelerar, cada vez mais, a inovação na Sinqia. A Darwin se encaixa perfeitamente na nossa estratégia e se apresenta com um grande portfólio de startups e reconhecimento do mercado”.

A Sinqia também enxerga esse movimento como uma oportunidade de promover ainda mais a inovação dentro da empresa. “A cultura de inovação das startups nos interessa muito, pois ela promove uma mudança de mindset nos colaboradores e também uma troca de conhecimento entre ambas as partes”, complementa Monte.

O programa da Darwin tem o objetivo de descobrir startups e realizar a aceleração com foco em vendas, gestão de pessoas e governança, além de oferecer orientações estratégicas de mentores, parceiros corporativos, potenciais clientes e outros investidores. As startups selecionadas recebem um investimento de R$ 200 mil, em troca de 7% de participação — que pode ser flexibilizada ou ter um valor de aporte maior, caso a empresa tenha investimento prévio qualificado com valuation superior ou um faturamento anual significativo.

No total, os serviços oferecidos durante o período de aceleração podem chegar a R$ 500 mil em benefícios, entre eles acesso a Cloud Services, CRMs e ferramentas de marketing. Desde 2015, já foram 50 startups aceleradas e mais de R$ 10 milhões investidos. A previsão da Darwin para 2020 é investir em mais de 20 startups.

“A chegada da Sinqia no nosso grupo de parceiros corporativos é bastante positiva, pois é mais um passo que damos no processo evolutivo e de expansão de empresas de tecnologia que querem fazer a diferença no mercado. Acredito que todos temos a mesma visão e caminhamos rumo à transformação digital do país e à criação de novos modelos de negócios”, comenta Marcos Mueller, CEO da Darwin Startups.

As startups interessadas podem realizar a inscrição a qualquer momento diretamente no site www.darwinstartups.com