Page

Category startup

7 startups abrem mais de 40 vagas de empregos no país

Muitas empresas sentiram o efeito da pandemia do coronavírus em seus negócios, inclusive na parte de contratação. Por outro lado, outras viram seus negócios crescerem e continuaram contratando. Entre as empresas que estão com vagas abertas estão nomes como, Bovcontrol, Plugg.To, RankMypp, Social Miner, Econodata, Netshow.me e iUPay, todas pertencentes ao portfólio da Wayra, hub de inovação da Vivo no Brasil e da Telefónica no mundo.

Confira abaixo as oportunidades:

Bovcontrol (4 vagas)
Criada para conectar o mundo da pecuária às novas tecnologias, a BovControl ajuda fazendeiros a desenvolverem a gestão de seus rebanhos, conectando-os com fornecedores, processadores e varejistas, através da coleta e análise de dados. A startup americana está com vagas abertas nas áreas de Front-end e Back-end Developer e Full Stack Developer, entre outros. Para mais informações, acesse http://bovcontrolcareers.squarespace.com/open-positions

RankMyAPP (1 vaga)
Referência global em inovação e qualidade focada em estratégia de mobile marketing, como o melhor ranqueamento nas lojas virtuais com App Store Optimization e Campanhas de mídia para aplicativos, o RankMyAPP ocupa o 3º lugar no ranking mundial de agências e/ou empresas que trabalham com ASO e conta com 150 colaboradores. A startup está com uma vaga aberta para Gerente de Marketing para atuar na geração de resultados B2B alinhados à estratégia da empresa. Para mais informações sobre a vaga acesse: http://rankmyapp.gupy.io/jobs/254335

Plugg.To (7 vagas)
O hub de integração para marketplaces está com vagas para desenvolvedores, sendo cinco para Back-End Developer e um para Front-End Developer, além de um analista de suporte. Para as vagas de Back-End, é necessário que o candidato tenha sólidos conhecimentos no uso, manutenção e criação de APIs. Em Front-End, é preciso ter conhecimento em desenvolvimento web, Vue.js e integração de APIs. Os salários dos desenvolvedores vão de 2 a 8 mil reais entre juniores, plenos e seniores.

Para mais informações, acesse:
http://trampos.co/oportunidades/159120-frontend-developer
http://trampos.co/oportunidades/159119-backend-developer
http://trampos.co/oportunidades/158934-analista-de-suporte?locale=pt-BR

Social Miner (4 vagas)
A startup especializada em dados de comportamento, que usa inteligência artificial, big-data e humanização para ajudar empresas a melhorar sua performance, está com oportunidades para Engenheiros de Software Senior, Data Engineers, Engenheiro de DevOps e Front-end Engineer Senior.

Para se candidatar acesse:
http://hipsters.jobs/job/4873/engenheiro-de-software-sp/
http://hipsters.jobs/job/6248/engenheir-de-dados-sp/
http://hipsters.jobs/job/16296/engenheiro-de-devops/
http://hipsters.jobs/job/1066/front-end-engineer-sp/

Econodata (12 vagas)
Referência em prospecções B2B, a Econodata une vendas com tecnologia para fornecer uma Plataforma de Prospecção com 20 milhões de empresas de todo o Brasil. A empresa está em constante crescimento e está com mais de 12 vagas em TI nas cidades de São Paulo, Florianópolis e Porto Alegre, trabalhando 100% remoto. O detalhamento das vagas está em http://econodata.recruitee.com/

Netshow.me (11 vagas)
A Netshow.me, startup que oferece soluções profissionais de vídeo e transmissões ao vivo para empresas e produtores de conteúdo, está com oportunidades para Customer Success, Inside Sales, Produto e Tecnologia. As vagas são para atuar em São Paulo,no modelo remoto. Para se candidatar, acesse: http://jobs.kenoby.com/netshowme

iUPay (3 vagas)
Startup de inovação em métodos de pagamento, a iUPay está com 3 vagas abertas em Sofware Engineer, para estudantes de Engenharia da Computação, Ciência da Computação ou cursos relacionados. O profissional irá desenvolver micro serviços e jobs de back-end de larga escala para servir de suporte ao novo sistema de pagamentos digitais do Brasil. Para mais informações acesse http://www.iupay.com.br/ ou envie currículo para vagas@iupay.com.br

Pesquisa revela os principais problemas jurídicos enfrentados por Startups brasileiras

O Startups Legal Report 2020, pesquisa realizada pelo BVA Advogados com o apoio do Gestão 4.0, apresenta os principais problemas jurídicos encontrados em startups. O levantamento foi feito dentro de um pool de 100 startups investidas por fundos de investimento regulados pela CVM. Foram analisadas informações e documentos apresentados pelas empresas, com foco nas principais contingências jurídicas, especialmente no âmbito trabalhista, tributário, societário, contratual e de propriedade intelectual. Das startups analisadas, 38,46% são da área de SaaS, 30,77% são marketplaces ou plataformas de intermediação de negócios e 30,77% são fintechs ou empresas de serviços financeiros.

Segundo o Report, os problemas jurídicos encontrados mais frequentemente em startups são relativos a contratos, falta de proteção de direitos de propriedade intelectual, problemas de cadastro junto aos órgãos responsáveis, passivos trabalhistas decorrentes da pejotização e terceirização e a falta de declaração de pró-labore dos sócios. Todos esses problemas, claro, podem ser sanados. No entanto, se não forem adotadas as providências necessárias, as empresas podem ter que passar por ações de execução fiscal.

“O levantamento compila informações e experiências que são resultado de milhares de horas de trabalhos executadas pelos profissionais do BVA Advogados. O compartilhamento dessas informações tem o objetivo de disseminar conhecimento para empreendedores e gestores, que serão alertados sobre os principais problemas enfrentados nos estágios iniciais do negócio. Acreditamos que, desta forma, ajudaremos o ecossistema e o país a ter empresas mais sólidas, seguras e rentáveis, contribuindo para uma economia mais forte e uma sociedade mais feliz”, destaca Felipe Barreto Veiga, sócio-fundador do BVA Advogados.

“O report nos traz a interpretação de que por desconhecimento ou porque pensam em economizar, empreendedores acabam evitando a parte burocrática e fazem de qualquer jeito, da maneira mais rápida, porque não é o core do negócio. Muitas vezes, deixam de formalizar novidades ou softwares produzidos no computador da própria empresa, e isso é um erro, pois a inovação é uma propriedade da empresa. Essa é uma economia que custa caro depois”, afirma Bruno Nardon, sócio do Gestão 4.0 e ex-Rappi.

Um dos problemas jurídicos mais peculiares e, frequentemente, encontrados nas estruturas e atividades das startups brasileiras está a ausência de assinatura em contratos pelas testemunhas ou pelas partes contratantes. O problema foi identificado em todas as empresas analisadas, em contratos celebrados com clientes e fornecedores, e até mesmo em contratos com investidores e colaboradores com contratos de vesting. Outra contingência identificada com relação aos contratos foi a data de assinatura, uma vez que os contratos indicaram uma data de celebração e apenas foram assinados posteriormente, pelo meio digital, problema jurídico foi em 15,38% das startups analisadas.

Ainda no âmbito trabalhista, a pesquisa mostra que 48,15% das empresas descumpriram a Convenção Coletiva de Trabalho e 15,38% até desconhecem a CCT que estão enquadradas. Foi constatado também que grande parte das startups possui contratos com prestadores de serviços, no entanto, as empresas deixaram de observar requisitos fundamentais do contrato de prestação de serviços, que geram o potencial de reconhecimento do vínculo empregatício com o profissional que deveria ser apenas um prestador

Outro ponto de atenção identificado foi a ausência de acordo de sócios na maioria das startups. De acordo com o estudo realizado, foi constatado que 76,92% das empresas não possuem acordo entre os sócios, o que aumenta a complexidade da saída de um sócio, caso necessário. Quanto à área tributária, a pesquisa demonstra que mais da metade das startups analisadas não realizam o recolhimento de contribuição previdenciária sobre o pagamento de pró-labore aos sócios, o que enseja risco fiscal, totalizando 53,85%.

No campo do direito autoral, considerando que as empresas analisadas possuem empregados ou prestadores de serviços para desenvolvimento de aplicativos e softwares, é necessário a celebração de um termo de cessão de propriedade intelectual com os respectivos desenvolvedores, a fim de resguardar os direitos da startup sobre a tecnologia em questão. No entanto, 69,23% das startups analisadas na pesquisa não seguiram com a celebração deste termo.

Além disso, a maioria das startups realizaram o pedido de registro de marca apenas na classe de sua principal atividade, deixando de realizar o pedido de registro de marca nas classes de atividades secundárias da sociedade. De acordo com o Report, 76,93% das startups realizaram o pedido de registro de marca apenas na classe principal. Já 7,69% das startups não realizaram o pedido de registro de marca na classe principal e classes secundárias. E um total de 15,38% não realizaram sequer o pedido de registro de marca.

Uma boa notícia se refere à necessidade de adequação das empresas para atender o previsto pela Lei Geral de Proteção de Dados. No total, 76,93% das empresas estudadas já estão adotando as medidas necessárias para o cumprimento da LGPD, o que não significa que todas estão adimplentes, mas sim que o assunto está sendo endereçado pelas empresas de tecnologia brasileiras.

Wayra anuncia Livia Brando como nova Country Manager do Brasil

A Wayra acaba de contratar a executiva Livia Brando para assumir a operação do hub de inovação aberta do grupo Telefónica e da Vivo no Brasil.

Além de gerenciar o portfólio atual da Wayra com 34 startups que juntas já ultrapassam a marca de R$ 1 bilhão de valor de mercado, a profissional terá a missão de estreitar o relacionamento dessas empresas e das investidas pelos fundos parceiros do Telefónica Innovation Ventures (TIVs) com a Vivo para gerar mais negócios. No Brasil, o TIVs investe em fundos da Redpoint eVentures e Invest Tech.

“A Wayra sempre foi uma referência para mim e estou muito feliz em fazer parte desse time e poder me dedicar ao engajamento com startups e Corporate Venture Capital. Meu propósito é reforçar o posicionamento da Wayra como hub de inovação aberta do grupo Telefónica, buscando estreitar o relacionamento das startups com grandes corporações e coinvestidores, a fim de gerar ainda mais impacto no ecossistema empreendedor”, declara Livia Brando, country manager da Wayra Brasil.

De acordo com Miguel Arias, diretor global de empreendedorismo da Telefónica, a Livia tem a combinação perfeita entre corporação e empreendedorismo. “A Livia Brando traz liderança e conhecimento em inovação aberta, incluindo Corporate Venture Capital. Ela é apaixonada por engajamento com empreendedores e nos ajudará a conectar mais startups com a Telefónica e a Vivo, aumentando os casos de negócios conjuntos no Brasil”, reforça Arias.

Formada em administração de empresas pela PUC e MBA pela FGV, a executiva atua como mentora de startups em diversos programas que seguem o conceito de inovação aberta. Na EDP Brasil onde ficou por quatro anos, ela estruturou e liderou a área de Inovação & Ventures. Foi a responsável pelo desenvolvimento do programa de aceleração de startups, o Starter, que já roda seu 4o ciclo na América Latina e, pela criação e gestão da EDP Ventures Brasil, primeiro veículo de investimento em startups com foco em tecnologias voltadas ao setor de energia no Brasil. Antes de entrar para o ecossistema, Livia trabalhou nas áreas de estratégia e inteligência de mercado nos setores de Energia, Petróleo & Gás e Mineração.

Entidade gaúcha seleciona 20 startups para terceira fase de seu Programa de Inovação

Com o objetivo de conectar startups ao setor do varejo, a CDL POA anuncia que foram selecionadas 20 startups para a terceira fase do seu Programa de Inovação. Ao total, o Programa recebeu 216 inscrições de startups de todas as regiões do Brasil, sendo 37% do Rio Grande do Sul, 18% de São Paulo, 9% de Santa Cataria, 8% do Paraná e 6% do Rio de Janeiro. A terceira fase do Programa, chamada de Pitch Day ou etapa de entrevistas, entre 11 e 12 de agosto, selecionará 10 empresas que passarão para a quarta fase, o Bootcamp ou evento imersivo.

Entre as temáticas dos macrodesafios propostos pela CDL POA, houve um equilíbrio entre as 216 soluções apresentadas na seleção. A ‘experiência de compra’ fez parte de 33% dos projetos; a ‘eficiência operacional’, 27%; a ‘inteligência de dados’, 22%; e a ‘cultura digital’ 18%. A qualidade das propostas recebidas foi destacada pelos responsáveis pela seleção, composta por representantes da AnLab, da Grow+ e da CDL POA. “O nível das startups inscritas no Programa foi muito alto, ficamos positivamente surpresos. Isto denota que estamos no caminho certo, em atrair soluções inovadoras para o varejo”, destaca o presidente da CDL POA, Irio Piva.

O Programa de Inovação está alinhado ao propósito da CDL POA para os próximos anos: investir em tecnologia e inovação a fim de fortalecer e impulsionar empresas varejistas, reconstruindo estruturas e possibilitando um ambiente de renovação aos negócios. O Projeto contará também com a mentoria da Grow+ e da AnLab – empresas reconhecidas no mercado por sua expertise em inovação.

Ao final do Programa de Inovação, serão selecionadas três startups que serão premiadas em até R﹩ 30 mil e receberão aceleração de seus negócios. Durante todo o processo de seleção e desenvolvimento, as startups terão a possibilidade de fechar contratos e parcerias comerciais com a CDL POA; aderir ao portfólio de soluções da Entidade; acessar as três mil empresas associadas e as 130 entidades parceiras da CDL POA, que impactam em mais de 200 municípios do Rio Grande do Sul e 30 mil empresas; participar de eventos e ações relacionados; e manter contato com a base de dados e produtos SCPC, já que a CDL POA é parceira de negócios da Boa Vista Serviços.

Conheça as próximas etapas do Programa de Inovação da CDL POA:

1. Inscrição das startups; (completa)

2. Seleção – 20 startups avançam para o Pitch Day; (completa)

3. Pitch Day – apresentações para a banca avaliadora;

4. Bootcamp – treinamento, identificação de gaps e aprofundamento das soluções;

5. Demoday – demonstrações das soluções e propostas de aplicabilidade ao Programa;

6. Formalização – possibilidade de contratação e de ingresso na etapa de aceleração;

7. Aceleração – startups vencedoras executarão suas soluções sob a coordenação de Grow+ e Anlab, focadas nas demandas da CDL POA

Hackathon TecBan promove o desenvolvimento de 39 projetos voltados para o ecossistema de Open Banking

Durante os dias 24 e 26 de julho aconteceu a primeira edição do Hackathon TecBan, que teve como objetivo simular as possibilidades do Open Banking no Brasil. Com 1046 inscritos e representantes de 24 estados brasileiros, foram selecionados 200 participantes que desenvolveram soluções utilizando as transações disponíveis na plataforma de Open Banking da TecBan. O grande vencedor da maratona foi o case ‘Bicos’, um aplicativo voltado para trabalhadores informais (descrição completa abaixo).

O evento, totalmente online, foi organizado pela Shawee e realizado em parceria com universidades, associações e players do mercado. Contou com 78 mentores, sete jurados de instituições parceiras (ABStartups, ABFintechs, Open Banking Brasil, FIAP, Oracle, Acrefi e Fecomercio), 40 equipes e 39 projetos submetidos para avaliação.

“O Hackathon TecBan apresentou um tema muito atual para os participantes. O Open Banking possui um grande potencial no Brasil e estamos certos de que as ideias que foram propostas durante o evento são bons exemplos da grande versatilidade e comodidade que a implementação trará ao ecossistema financeiro e para toda a população brasileira”, afirma Tiago Aguiar, superintendente de Novas Plataformas da TecBan.

Descrição do case vencedor – ‘Bicos’

A economia dos Bicos é uma realidade latente, agravada ainda mais pela COVID-19. O auxílio emergencial revelou 46 milhões de brasileiros, grande parte trabalhadores informais, até então esquecidos – invisíveis. Diante disso, foi criado o BICOS, um aplicativo de conexão e contratação de prestação de serviços. Com ele, é possível contratar um ‘BICO’ e efetuar o pagamento diretamente pelo saldo bancário. Além disso, o prestador de serviço tem acesso a diversas funções como: histórico de transações bancárias, recebimento do pagamento dos ‘bicos’ direto em sua conta, microcrédito e saque fácil no Banco24Horas! O BICOS nasceu para democratizar o acesso ao Open Banking àqueles que, antes, eram invisíveis ao sistema financeiro.

Equipe:

Thayana Mamoré – Belém (PA)

Tiago Danin – Belém (PA)

Lucas Cardoso Rodrigues – Belém (PA)

Guilherme Vieira da Silva – Sorocaba (SP)

Descrição do 2º lugar – ‘AgroBan’

Baseado nas APIs de ‘produto’ e ‘contas’ disponibilizadas, foi criada uma Agrotech. Nomeada ‘AgroBan’ tem por objetivo unir setores do campo e bancos em prol de benefícios mútuos. O agricultor realiza o cadastro na plataforma gratuitamente e concede as permissões de uso de suas contas em Open Banking. Com isso, são traçadas as melhores ofertas de produtos bancários para atendê-lo. Após a escolha do produto baseado nas melhores taxas de juros, o pedido fica em análise, à espera de um agrônomo credenciado que irá ir na propriedade do agricultor e realizará o cadastro da documentação do SICOR via AgroBan. Não obstante, também irá trazer dados relevantes para a pontuação geral e avaliação do agricultor dentro da plataforma.

Equipe:

Jonatas Conceição da Silva Cesar – São Paulo (SP)

Eduardo Tomacheski Teixeira – Charqueadas (RS)

Renato Tadeu Rodrigues – Pilar do Sul (SP)

Lucas Simões – São Paulo (SP)

Augusto Bondança – São Paulo (SP)

BTG Pactual anuncia as 8 startups selecionadas para nova rodada do programa de aceleração do boostLAB

O boostLAB, Hub de negócios para empresas Tech do BTG Pactual (BPAC11), maior banco de investimentos da América Latina, anuncia nesta semana as startups escolhidas para participar da sexta edição de seu programa de potencialização de startups em nível avançado. O programa, que conta com a parceria e metodologia da ACE, terá início no dia 13 de Agosto. As startups selecionadas são: Acordo Certo, Atta, Belvo, Conta Simples, iClubs, Ludos Pró, Provi e Rede Compras.

Pela primeira vez desde o início do programa, os sócios do banco selecionaram uma startup de fora do Brasil, a Belvo, especializada em Open-Banking, tema que vem ganhando cada vez mais relevância no cenário financeiro nacional. Também foi selecionada pela primeira vez uma EdTech, a Ludos Pro, que usa ferramentas de gamificação para ajudar no engajamento dos alunos em cursos e treinamentos.

“Se no início da pandemia ficamos preocupados por ter que migrar as mentorias da quinta rodada para o ambiente on-line, por outro, percebemos que conseguimos envolver não apenas os empreendedores, mas também suas equipes, o que acabou gerando muito mais valor para eles. Outra novidade foi que pudemos convidar também mentores do Vale do Silício para compartilharem suas experiências com os times. Isso nos animou a abrir, de maneira inédita, as inscrições para Startups estrangeiras participarem do programa. Ficamos muito felizes por termos recebido diversas inscrições de fora do Brasil”, afirma Frederico Pompeu, sócio do BTG Pactual responsável pelo boostLAB.

Um dos pontos de destaque do programa é a capacidade de gerar negócios com as Startups participantes. Pelo menos 70% das Startups que passaram pelos 5 Batches anteriores fizeram negócios com o Grupo. Vale destacar também a proximidade dos sócios seniores do BTG Pactual, que oferecem mentorias e dividem suas experiências por meio de seu Conselho. Cada um dos envolvidos tem um papel fundamental na estrutura do programa e na melhor integração entre as startups e o Banco.

Além do Conselho, um time de executivos com grande destaque em suas áreas de atuação também se dedica ao programa, como Cláudio Galeazzi, ex-CEO do GPA e BRF e grande referência em reestruturações de empresas no Brasil, Edison Ticle, CFO da Minerva, Florian Bartunek, CIO da Constellation, Otávio Araujo, CFO da Dotz, Sônia Hess, eleita pela revista americana Forbes como a terceira mulher de negócios mais poderosa do Brasil, Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre e muitos outros. As Scale-ups também contam com mais de R﹩ 300 mil de benefícios como créditos na nuvem e descontos em empresas parceiras.

Novas Mentoras

O boostLAB ganhou recentemente quatro novas mentoras que irão ajudar a alavancar as empresas selecionadas pelo programa. Conheça o perfil de cada uma delas:

Fabiana Arana, sócia do BTG Pactual
Formada em Administração de Empresas (FAAP) e Ciências Contábeis (PUC) e especialização em Business Adminstration (Berkeley). Fabiana é Sócia do BTG Pactual, Board Member da HDI Seguros Brasil e do Instituto Protea.

Mariana Cardoso, sócia do BTG Pactual
Ingressou no Pactual em 1996 e tornou-se sócia em 2006. É diretora estatutária e Global Chief Compliance Officer do Grupo BTG Pactual. Construiu sua carreira atuando na indústria de fundos de investimentos. É bacharel em economia pela UFRJ.

Renata Serra, CTO da Enforce
Formada em Análise de Sistemas, teve passagem pela Spasso, McKinsey & Company, Booz & Company, Cambridge Technology Partners e Embrapa.

Tatiana Prates, Sócia do BTG Pactual, COO e CTO da Too Seguros
É Associate Partner do BTG Pactual, onde trabalhou como Senior Financial Analyst e Business Manager da mesa proprietária de renda variável e COO do Private Equity. É Diretora de Tecnologia e de Operações da Too Seguros desde 2016. Formou-se em Engenharia de Computação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e foi Research Assistant no Laboratório de Equações Diferenciais Parciais do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).

Na lista abaixo, conheça as startups selecionadas e suas soluções:

Acordo Certo
Marketplace de negociação de dívidas que ajuda pessoas a rastrear, negociar e pagar suas dívidas de maneira fácil. A empresa possui parceria com os maiores credores do Brasil, incluindo setores como bancos, seguros, telecomunicações, varejo, educação e outros.

Atta
Empresa pioneira no desenvolvimento de integrações sistêmicas para venda de crédito imobiliário e garantias locatícias. É detentora da plataforma iSolve, a primeira voltada para a distribuição de crédito imobiliário, seguro fiança, título de capitalização e seguro incêndio.

Belvo
A Belvo permite que qualquer desenvolvedor de aplicativos acesse dados de seus usuários finais de maneira fácil e escalável por meio de uma única API vinculada a centenas de fontes bancárias e não bancárias.

Conta Simples
Oferece uma conta digital com tudo que um freelancer, profissional autônomo ou startup precisa em uma conta bancária.

iClubs
Plataforma de Loyalty as a Service (LaaS) focada em atender as necessidades das empresas e melhorar a experiência dos seus clientes, no conceito API First.

Ludos Pró
Plataforma de aprendizagem que utiliza gamificação para engajar, ensinar e aumentar a produtividade em mais de 80%. Ao mesmo tempo que instrui através de desafios lúdicos e interativos, gera informações para identificar melhorias e oportunidades para o negócio.

Provi
Criada com o objetivo de preparar profissionais para o mercado de trabalho, oferece financiamento educacional, permitindo que o aluno pague apenas quando atingir um salário mínimo.

Rede Compras
Empresa direcionada estrategicamente ao atendimento do mercado de processamento e administração de meios de pagamento eletrônico.

Certdox recebe aporte do Innovation Hub BRQ

Nos últimos 4 anos, a BRQ Digital Solutions investiu em mais de dez startups por meio do Innovation Hub e acaba de anunciar a chegada da especialista em documentos eletrônicos, a Certdox.

A empresa, que integra de forma eletrônica as operações financeiras com as entidades oficiais de registro, facilitando a adoção de novas operações irá utilizar o investimento para aprimorar sua tecnologia e aumentar a capacidade para as POCs. “Essa é nossa primeira captação na fase pré seed e estamos muito confiantes que irá nos ajudar a escalar nosso negócio. Teremos a oportunidade de contar com o know how dos profissionais da BRQ e ter acesso a uma carteira de clientes que podem se interessar pela nossa solução”, comenta Christian Ribas, Fundador e CEO da startup.

A solução da Certdox inclui desde a geração e assinatura eletrônica de documentos, fluxos especializados em cessão de créditos e até a integração e controle do processamento eletrônico dos registros, incluindo os documentos, pagamentos e controle de prazos.

Segundo Antonio Rodrigues, Vice Presidente da BRQ e Head do Innovation Hub BRQ, a entrada da Certdox para o portfólio de investidas da BRQ reforça ainda mais o objetivo da empresa em trazer soluções inovadoras para o mercado. “Nosso objetivo é apoiar startups a se conectarem com nosso ecossistema. Acreditamos que, por meio desses negócios, podemos acelerar a inovação de nossos clientes apresentando produtos com grande potencial de geração de valor e, com isso, fortalecer e conquistar grandes parcerias”, comenta Antonio.

Além da Certdox o programa de investimentos do Innovation Hub da BRQ, já aportou empresas como BBNK, Inspectos, BMSIX, Zenfinance, WORKFACILITS, IU Pay, Jobecam, PayFace e Legal Bot.

Entrega humanizada é diferencial do PluzApp durante a pandemia

Equipe PluzApp na loja da Vila Urbana em Curitiba

Durante o período de isolamento pela Covid-19, cresce, em todo o Brasil, a preocupação com a forma que produtos chegam aos lares e empresas.

Os pagamentos eletrônicos substituem o dinheiro em espécie e todo cuidado com higiene ganha importância.

Diante desse cenário de desafios para venda e entrega de produtos durante a pandemia, a startup PluzApp lança um sistema de entrega humanizada para atender os clientes que vendem pela ferramenta baseada em atendimento via WhatsApp.

Para apresentar a novidade, foi criada uma loja física na Vila Urbana, um centro gastronômico no centro de Curitiba, para as primeiras entregas. Esse primeiro ponto vai contar com duas mulheres, que vão fazer as entregas em um raio de um quilômetro de distância, a pé, observando todos os cuidados de higiene e proteção contra o novo coronavírus.

“É um projeto inovador, que visa gerar oportunidades de trabalho, atendimento personalizado e cuidados com a saúde”, destaca Eduardo Aguiar, criador do PluzApp.

A plataforma foi criada, inicialmente, com o objetivo de facilitar as vendas de empresas e prestadores de serviços, com atendimento pelo Whatsapp. Agora, personaliza entregas como forma de aproximar ainda mais a marca dos consumidores.

O aplicativo não cobra taxas no plano básico. Mas conta com uma versão “prime”, que permite recebimentos por cartão e uma carteira digital em que os fornecedores podem distribuir bônus para os clientes.

Juntamente com as entregas humanizadas, a primeira loja física do PluzApp vai contar com produtos da Empajors, que vende empadas, alfajors, sucos naturais e chás.

Após a inauguração do primeiro ponto de entrega, o PluzApp prepara a expansão para outras regiões. “Cada unidade, vai abrigar duas entregadoras, que podem trabalhar no regime de MEI – microempreendedor individual. Vamos unir geração de renda, facilidade no atendimento ao cliente e sustentabilidade com as entregas que não envolvem veículos motorizados e seguem normas rígidas de higiene”, explica Eduardo Aguiar.

App 100% brasileiro concorrente de 99 e Uber chega para revolucionar o transporte privado

A Sity Inc, aplicativo de mobilidade 100% brasileiro focado na segurança e melhor experiência dos parceiros e do usuário, é a mais nova opção de transporte privado no país. O seu diferencial está no cuidado com as pessoas: além de oferecer maior rentabilidade e qualidade de vida aos motoristas parceiros, o aplicativo também reforça a preocupação em ser a melhor escolha dos passageiros.

Para garantir a preferência do público, os veículos e motoristas da sua base passam por um processo criterioso de verificação ao ingressar na plataforma. Sendo assim, a Sity Inc, promove uma viagem com mais conforto, segurança e preço justo para usuários, e ainda a melhor remuneração aos motoristas.

Oportunidade de renda

O Sity Motorista, disponível para Android e iOS, possibilita o cadastro rápido, com envio de alguns documentos e informações, como carteira de habilitação, foto do motorista e certificado de registro de licenciamento de veículo (CRLV). Todo o cadastro é feito pelo aplicativo, sendo apenas necessária a presença do parceiro e do veículo na data e local indicado de vistoria. Com a menor taxa do mercado, os motoristas podem ganhar mais e, sendo melhor remunerados, podem trabalhar menos, descansar mais, gerando qualidade e segurança para todos os envolvidos.

Sem valores dinâmicos

Para o passageiro, o novo aplicativo oferece ainda a melhor experiência e custo-benefício, sem a cobrança de valores “dinâmicos” em horário ou momentos de alta demanda. Usuários recorrentes também terão vantagens e outro diferencial é a exclusiva categoria Corporate B2C, um serviço de diária de veículo com motorista particular à disposição para executivos, eventos, empresas privadas, órgãos públicos e demais interessados.

Segurança para passageiros e motoristas

Todos os parceiros passam por um processo criterioso, com cadastro presencial, exame médico e vistoria dos carros, de forma a evitar surpresas desagradáveis e fraudes dentro da plataforma. O aplicativo é ainda o único do mercado em que o motorista visualiza a foto e nome completo do passageiro, bem como o endereço de destino e a forma de pagamento, no momento da chamada, ainda antes de aceitar a corrida
Vantagens para motoristas

Com suporte humanizado, a SITY também é a única que não pune o motorista por não aceitar uma corrida ou por cancelar a mesma. Entre as vantagens oferecidas pela empresa aos motoristas parceiros destaque ainda na assistência para recurso de multas
Mais de 20 mil motoristas em vários estados

A plataforma de mobilidade já opera em São Paulo (SP) e no Rio de Janeiro (RJ). Com mais de 20 mil motoristas ativos e uma lista de cadastro com fila de espera, a empresa também passou a atender recentemente as regiões de Porto Alegre (RS), Caxias do Sul (RS), Florianópolis (SC), Cascavel (PR), Curitiba (PR), Vitória (ES), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

InovAtiva Brasil bate recorde em número de aceleradas

O InovAtiva Brasil , maior programa de aceleração de startups da América Latina, chegou ao seu 11º ciclo com um recorde no número de aceleradas em uma única edição. Ao todo, 128 empresas concluíram todas as atividades obrigatórias e puderam apresentar seus negócios para a maior banca de investidores do país.

Esta marca só pôde ser conquistada em virtude da realização totalmente online, por conta da pandemia da COVID-19, que atinge o mundo, conseguindo envolver participantes de todos os cantos do Brasil, tornando o programa ainda mais inclusivo, diverso e abrangente.

Durante quatro meses, as startups participantes receberam capacitação gratuita por meio de mentorias individuais e coletivas, treinamentos e apresentações de pitchs (discurso para investidores) e palestras inspiradoras. Para concluir o processo de aceleração, tiveram a oportunidade de participar do InovAtiva Experience, evento que ocorreu nos dias 18, 25, 26 e 27 de julho e contou com mais de 460 participantes, o que engloba 213 mentores e investidores, mais de 40 membros da comunidade InovAtiva, 174 empreendedores e mais de 60 conteudistas.

“No InovAtiva Experience, os empreendedores passaram por várias mentorias temáticas sobre vendas, marketing, como captar recursos e tudo aquilo que precisam para trilhar um caminho de muito sucesso dentro do ecossistema de startups. A viagem do empreendedorismo é difícil, mas também fascinante para aqueles que a percorrem. Mas no InovAtiva Brasil, eles contam com a maior comunidade de mentores do Brasil que se dedicam de forma voluntária a essa causa tão transformadora, investidores que apostam em cada história e parceiros que confiam nesse programa que vem crescendo em importância e número nos últimos anos”, afirma Carlos Da Costa, Secretário Especial da Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia.

Nesta edição, também foram realizadas 10 atividades abertas com mais de 1,8 mil visualizações, entre elas apresentações de grandes nomes do mercado, como Ariel Patschiki, Partner & Product Director do EBANX, novo unicórnio brasileiro, José Muritiba, Diretor Executivo da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e Rafael Ribeiro, Head de Operação da Bossa Nova Investimentos, fundo mais ativo na América Latina.

“A cada ciclo de aceleração do InovAtiva nunca deixamos de nos impressionar com o nível das startups, com a qualidade de suas soluções e com o crescimento do negócio durante os meses em que estão com a gente. Ter empreendedores tão qualificados e comprometidos é importantíssimo para que todo o apoio e mentoria que eles recebem tenham o máximo de aproveitamento”, destaca o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Ao final do InovAtiva Experience, 14 empresas foram escolhidas como destaque por sua solução inovadora e pitch sublime:

• Banca 1: Agronegócios – PecSmart, que tem a missão de tornar a produção animal mais inteligente a partir da pecuária de precisão;

• Banca 2: Saúde e Educação – Gomining, fornece análise e avaliação de textos de forma automatizada e personalizada;

• Banca 3: Jurídico & Financeiro – Bitfy, primeira carteira de bitcoin multiuso e não custodial;

• Banca 4: Automotivo & Mobilidade – Prakaranga, marketplace com formato inverso do padrão de mercado para busca e negociação de peças novas e usadas para carro, moto ou caminhão;

• Banca 5: Indústria Química, Metais & Combustíveis – Tractian, startup que utiliza as tecnologias de maior destaque na atualidade para analisar a saúde de máquinas e equipamentos e prever qualquer defeito;

• Banca 6: Recursos Humanos – Dialog, plataforma para comunicação interna em médias e grandes empresas em formato de intranet 4.0, mobile e participativa;

• Banca 7: Indústria Tecnologia da Informação & Comunicação – Checklist Fácil, promove eficiência operacional para os clientes por meio de um software de criação e aplicação de checklists e planos de ação, que facilita o gerenciamento e a padronização de processos;

• Banca 8: Entretenimento & Serviços – MultiplierApp, dá voz às causas sociais conectando redes sociais de pessoas e instituições de forma simultânea, orgânica e proativa, promovendo o crescimento humano;

• Banca 9: Logística & Serviços – NexAtlas, entrega informações rápidas que ajudam a planejar até mesmo os voos mais complexos e de última hora;

• Banca 10: E-commerce & Marketing – HubLocal, plataforma que transforma empresas em verdadeiras máquinas de atrair clientes fazendo com que elas sejam encontradas em mais de 50 interfaces;

• Banca 11: Infraestrutura, Construção Civil & Mercado Imobiliário – Obrafit, sistema web de gerenciamento de obras para arquitetos, engenheiros, gerenciadores e construtores, com foco nos proprietários;

• Banca 12: Saúde – Carefy, plataforma de gestão e monitoramento de internações que ajuda operadoras de saúde na tomada de decisão rápida, gerando eficiência e melhores desfechos;

• Banca 13: Jurídico & Financeiro – Akintec, aplicativo que reúne todas as informações financeiras necessárias para fazer saques e depósitos em qualquer lugar;

• Banca 14: Varejo, Comércio Físico & Bens de Consumo – Colher de Chá, aplicativo que faz listas de compras a partir de receitas, oferecendo economia, praticidade e redução de desperdício de alimentos.

Maior premiação de inovação digital prorroga inscrições

O World Summit Awards (WSA), maior premiação em conteúdo digital do mundo, abriu inscrições para edição de 202 0 e prorrogou até 10 de agosto! O prêmio anualmente seleciona, promove e divulga os projetos mais inovadores, criativos, inclusivos e com maior impacto social, bem como que oferecem soluções para as Metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Nos 17 anos de existência do WSA, já foram premiados quase 700 projetos, vindos do mundo todo.

No Brasil, o evento é realizado pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, em parceria com o Digitalks Expo. Ele conta com 8 categorias internacionais e uma categoria especial local, que premia o melhor projeto em termos de Acessibilidade.

As inscrições podem ser feitas até 10 de agosto de 2020, acessando o site http://www.premiowsa.com.br. Os vencedores da etapa brasileira serão conhecidos em evento virtual que acontecerá no dia 27 de agosto de 2020 no Digitalks Expo 2020. Esses projetos serão encaminhados para a etapa global do WSA.

Para participar do evento virtual todos deverão fazer suas inscrições gratuitamente no link: http://digitalks.com.br/expo/.
Nos anos ímpares, seleciona-se o melhor conteúdo digital de forma ampla. Nos anos pares, a premiação tem como foco conteúdo e aplicativos para celulares e dispositivos móveis.

Confira as oito categorias:

1. Government & Citizen Engagement

• Integrar os cidadãos na administração pública e aumentar o envolvimento.
• Fornecer soluções ricas em conteúdo e conectar os indivíduos, empresas e organizações.
• Permitir acesso de informações, dados e procedimentos e tornar os serviços públicos acessíveis a todos.
• Melhorar e aprimorar significativamente a profundidade dos serviços, a qualidade e os processos democráticos.
• Aumentar a transparência nos processos governamentais e facilitar a participação dos cidadãos e usuários de serviços públicos.
• Simplificar as administrações e promover a eficiência da troca de informações.
• Garantir direitos iguais aos recursos econômicos, acesso a serviços básicos, propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, herança, recursos naturais, novas tecnologias e serviços financeiros adequados, incluindo microfinanças.

2. Health & Wellbeing

• Atender às necessidades de saúde de cidadãos e pacientes com aplicativos de conteúdo inovadores.
• Reduzir a taxa de mortalidade materna e mortes evitáveis de recém-nascidos e crianças.
• Prevenção e redução de epidemias como Covid-19, AIDS, tuberculose, malária, hepatite ou abuso de substâncias.
• Suporte aos profissionais de saúde, bem como ao público em geral, formuladores de políticas e provedores de saúde, com fácil acesso a dados e ferramentas de comunicação e diagnóstico com soluções e conteúdos técnicos.
• Apoio à pesquisa e desenvolvimento de vacinas e medicamentos, financiamento e recrutamento em saúde, desenvolvimento, treinamento e retenção da força de trabalho em saúde.
• Permitir informações sobre assistência médica, nutrição, medicamentos, doenças e bem-estar através de soluções inteligentes.
• Soluções para aprender sobre saúde e bem-estar, melhorando e aprimorando comportamentos saudáveis, nutrição, higiene, esportes.
• Soluções ricas em conteúdo para aproveitar e facilitar o acesso a esportes, música, entretenimento, estilo e moda.
• Utilizando TICs para hobbies, atividades de lazer e esportes.

3. Learning & Education

• Fornecer soluções inteligentes para acesso fácil à educação para todos.
• Atender às necessidades de aprendizagem de todos os níveis de aluno e criar comunidades interativas de e-learning e recursos educacionais interativos, personalizados e distribuídos on-line.
• Apoiar a transferência de conhecimentos e o ganho de habilidades de maneira complexa e interativa.
• Ajudar os professores a aprimorar e simplificar o ensino e a criação de materiais e encontrar novos métodos e soluções inovadoras de ensino usando as TIC.
• Aprimorar o treinamento corporativo e o aprendizado ao longo da vida.
• Promover a colaboração global em ciência, para fornecer e demonstrar resultados e valor para a sociedade.
• Eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir acesso igual a todos os níveis de educação e formação profissional, incluindo pessoas com deficiência, povos indígenas e crianças em situações vulneráveis.
• Fornecer ferramentas educacionais sensíveis à criança, à deficiência e ao gênero, e ambientes de aprendizagem seguros, não violentos, inclusivos e eficazes.

4. Environment & Green Energy

• Apoiar a manutenção de ecossistemas, sistemas sustentáveis de produção de alimentos e práticas agrícolas resilientes que aumentam a produtividade e a produção.
• Adaptação às mudanças climáticas, condições climáticas extremas, secas, inundações e outros desastres.
• Utilização de recursos genéticos e conhecimento tradicional associado para agricultura sustentável.
• Facilitação do acesso oportuno às informações do mercado, inclusive sobre reservas de alimentos.
• Apoiar métodos via TIC para melhorar progressivamente a qualidade da terra e do solo.
• Aumentar a produtividade agrícola e apoiar os pequenos produtores de alimentos.
• Eficiência no uso da água em todos os setores e gestão de recursos hídricos em todos os níveis.
• Apoiar e fortalecer a participação em água e saneamento, incluindo coleta, dessalinização, eficiência da água, tratamento de águas residuais, tecnologias de reciclagem e reutilização.
• Aprimorar o acesso à pesquisa e tecnologia de energia limpa, incluindo energia renovável, eficiência energética e tecnologia avançada e mais limpa de combustíveis fósseis.

5. Culture & Tourism

• Preservar e apresentar o patrimônio cultural de acordo com os desafios do futuro.
• Demonstrar ativos culturais valiosos de maneira clara e informativa, usando tecnologia de ponta.
• Desenvolver a diversidade de culturas e subculturas e a natureza multilíngue das sociedades.
• Permitir que os viajantes encontrem atrações, sejam informados e esclarecidos, desfrutem de viagens seguras e tenham acesso a informações atualizadas sobre viagens.
• Aprimorar o uso intermodal de transporte público, apoiando a orientação nas cidades e no campo, permitindo que a indústria hoteleira atenda aos clientes e forneça conteúdo baseado em navegação.
• Promover o turismo sustentável que crie empregos e promova a cultura e os produtos locais.
• Salvaguarda e transmissão do patrimônio cultural.
• Promover a diversidade cultural.

6. Smart Settlements & Urbanization

• Apoiar níveis mais altos de produtividade econômica por meio da diversificação, atualização tecnológica e inovação.
• Apoiar emprego produtivo e trabalho decente para todas as mulheres e homens, inclusive para jovens e pessoas com deficiência, e remuneração igual por trabalho de igual valor.
• Oferecer infraestrutura regional e transfronteiriça, para apoiar o desenvolvimento econômico e o bem-estar humano.
• Aprimorar sistemas de transporte seguros, acessíveis e sustentáveis.
• Implantar planejamento e gestão inclusivos, sustentáveis e integrados de assentamentos humanos.
• Soluções para espaços verdes, públicos, seguros, inclusivos e acessíveis.
• Apoiar vínculos econômicos, sociais e ambientais positivos entre áreas urbanas e rurais.
• Soluções para assistência financeira e técnica, edifícios sustentáveis e inteligentes.
• Aumentar substancialmente o número de cidades e assentamentos humanos adotando e implementando políticas e planos integrados para inclusão e eficiência de recursos.
• Apoiar a adaptação às mudanças climáticas, resiliência a desastres e/ou gerenciamento de riscos.
• Informações do consumidor e/ou acesso inteligente a dados em todos os níveis.

7. Business & Commerce

• Suporte e otimização de processos de negócios.
• Soluções Fintech com impacto social.
• Criar novos modelos de negócios em e-commerce e m-commerce.
• Soluções que demonstram um desenvolvimento de inovação incremental ou radical/disruptivo.
• Aplicativos, processos, produtos ou modelos de negócios no setor de serviços financeiros.
• Soluções com relação aos processos de negócios suportados, como informações financeiras, pagamentos, investimentos, financiamento, consultoria e suporte entre processos.
• Soluções para o setor de seguros (“InsurTech”), como varejo, bancos privados e corporativos, bem como seguros de vida e não-vida.
• Soluções business-to-business (B2B), business-to-consumer (B2C) ou consumidor-consumidor (C2C), segurança na internet e outras áreas.
• Serviços complementares, como sistemas de gerenciamento de finanças pessoais, ou soluções competitivas, como, por exemplo, empréstimos ponto a ponto.
• Fornecer segurança de dados para proteger dados financeiros corporativos e de consumidores.

8. Inclusion & Empowerment

• Apoiar a integração da sociedade da informação global, capacitar a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente de idade, sexo, deficiência, raça, etnia, origem, religião ou status econômico etc.
• Capacitar cidadãos e partes interessadas em serviços públicos.
• Reduzir as “divisões digitais” entre comunidades capacitadas e excluídas da tecnologia.
• Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades, eliminando leis, políticas e práticas discriminatórias na legislação, políticas e ações a esse respeito.
• Aumentar a resiliência a eventos extremos relacionados ao clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais.
• Apoiar a mobilização de recursos de várias fontes.
• Garantir o acesso de todos a alimentos, educação, informação, dados etc.
• Reforçar a capacidade, em particular os países em desenvolvimento, de alerta precoce, redução de riscos, principalmente à saúde.
• Reduzir a discriminação contra todas as mulheres e meninas e impedir as formas de violência nas esferas pública e privada.
• Aprimorar o uso da tecnologia capacitadora, em particular a tecnologia da informação e comunicação, para promover o empoderamento das mulheres.

“Go Ignite” lança chamada global para startups focada em casos de uso do 5G

Após o sucesso das chamadas globais anteriores, a Go Ignite, uma aliança de quatro empresas de telecomunicações líderes no mundo, lança a chamada “Go Ignite: 5G Open Call for startups” (Chamada Aberta 5G para startups). O público-alvo é formado por startups ou empresas apoiadas por capital de risco que desenvolvam produtos ou serviços 5G destinados a consumidores ou ao setor empresarial.

A Go Ignite é composta por hubraum, Orange Fab, Singtel Innov8 e Connected Open Innovation, que são as áreas de inovação aberta das empresas Deutsche Telekom, Orange, Singtel e Telefónica, respectivamente.

Os participantes interessados podem enviar suas propostas até 7 de setembro de 2020 em www.go-ignite.com. Elas serão avaliadas pelos membros da aliança quanto ao grau de inovação tecnológica, viabilidade, rapidez de execução e maturidade de cada projeto. As startups selecionadas terão a oportunidade de apresentar suas propostas aos principais diretores das companhias que formam a Go Ignite, em um workshop on-line que será realizado de 21 a 23 de setembro de 2020. O evento pretende ajudar as startups selecionadas a validar suas propostas com a participação das unidades de negócios dos membros da aliança. Posteriormente, as soluções poderão ser aprimoradas e ajustar suas estratégias para alinhar melhor suas inovações aos requisitos do mercado.

As startups que concluírem com sucesso o workshop on-line estarão melhor posicionadas para lançar seus produtos ou serviços 5G no mercado, pois os membros do Go Ignite totalizam mais de 1,2 bilhão clientes na África, Europa, América Latina, Oriente Médio, Sudeste da Ásia e Austrália.

Axel Menneking, responsável pela hubraum: “A incubadora de tecnologia da Deutsche Telekom já realizou programas 5G de sucesso com startups, a partir dos quais surgiram projetos interessantes. Esperamos novos e interessantes casos de uso, que demonstrem o potencial dessa tecnologia.”

Karine Dussert Sarthe, vice-presidente executiva de Marketing e Design de Produtos na Divisão de Inovação da Orange: “Queremos muito colaborar com startups para desenvolver novos casos de uso do 5G. Estamos convencidos de que o 5G poderá agregar valor acelerando a transformação digital em um mundo que enfrenta desafios econômicos e ecológicos sem precedentes. Acreditamos firmemente que alavancar um novo ecossistema 5G vai acelerar a criação de valor 5G para o benefício de todos.”

Edgar Hardless, diretor-geral da Singtel Innov8: “Esperamos ansiosamente a participação de startups que tenham ideias interessantes para aproveitar os benefícios do 5G. Através da chamada global da Go Ignite, queremos ajudar as startups a levar suas soluções inovadoras aos mercados da região do sudeste asiático, onde o Grupo Singtel está lançando o 5G. A inovação do ecossistema nos permitirá aproveitar o potencial do 5G como um divisor de águas para acelerar a transformação digital das empresas e fornecer ofertas inovadoras e diferenciadas aos consumidores.”

Miguel Arias, diretor global de empreendedorismo da Telefónica: “A Telefónica está comprometida com a tecnologia 5G, que abrirá nosso ecossistema de telecomunicações para uma ampla gama de indústrias do mercado vertical, em que, com produtos escaláveis e de impacto global, as startups poderão desenvolver provas de conceito de novos serviços, produtos, experiências e modelos de negócios no futuro.”

Para mais informações sobre a Go Ignite e inscrições, acesse o site.