Page

Category startup

Cresce ecossistema de startups para a Indústria 4.0 no Brasil

Empresas inovadoras dedicadas a levar a mais alta tecnologia para indústria começam a ganhar espaço no país

As startups voltadas para a Indústria 4.0 levantaram, em 2020, cinco vezes o valor captado em anos anteriores. Foram US$ 61,51 milhões investidos no ano passado, ante US$ 11,66 mi em 2019 e quase US$ 15 mi em 2018 e 2017. Os números são do Distrito Indústria 4.0 Report 2021, levantamento sobre o empreendedorismo de inovação brasileiro cujas soluções são direcionadas à indústria.


O termo Indústria 4.0 é sinônimo de inovação e tem sido usado para se referir a empresas que empregam soluções ou oferecem produtos próprios voltados para a inovação nos processos industriais, tornando possível sua digitalização. O report traz um panorama das transformações na indústria e a importância das startups para esse processo.
“Uma visão ampla e mais sistêmica da Indústria 4.0 conduz a duas perspectivas relevantes: de um lado, uma aceleração agressiva da eficiência operacional; de outro, a possibilidade real de estruturar novos modelos de negócios. O primeiro, iniciando um processo de inoculação para uma cultura digital, e ambos com impacto importante no caixa da organização, seja no curto quanto no longo prazo”, afirma o sócio-líder para o segmento de manufatura da KPMG, Luiz Sávio.


De acordo com o levantamento, há, ainda, uma grande concentração de deals nos estágios iniciais de investimento, como nos rounds Seed, tipicamente um dos primeiros que uma startup recebe. Isso ajuda a entender os valores relativamente baixos de investimento de fundos de venture capital nas startups com soluções para a indústria, posto que os valores tendem a aumentar à medida que startups avançam rumo a séries maiores de investimento -os late stages. Também indica que há uma margem para expansão dos valores nos próximos anos.


Entre as startups que receberam os maiores investimentos, lideram empresas ligadas ao agronegócio, chamando atenção para a vitalidade do setor no país e a vocação brasileira para empresas que atuam na interface entre extrativismo, indústria e tecnologias digitais. Alguns exemplos são a Solinftec, que monitora todas as etapas da produção agrícola, a Agrosmart, que oferece serviços de monitoramento de lavoura, e a GlobalYeast, que oferece técnicas de fermentação sustentável.

Enquanto o venture capital no setor ainda é tímido, o cenário é próspero para fusões e aquisições. Foram 12 de 2017 para cá, envolvendo grandes empresas globais, como a brasileira WEG e a alemã Siemens. Neste ano, houve a aquisição da startup de automação e robótica Pollux Automation pela gigante da tecnologia Accenture.
“Vivemos um momento de baixa histórica da participação industrial no PIB brasileiro. Nesse contexto, vemos o ecossistema de inovação aberta como um catalisador para a digitalização da indústria brasileira, recuperando a capacidade produtiva do país”, diz Gustavo Araújo, CEO do Distrito.


Ao todo, foram mapeadas 447 startups que atuam no setor, 27,74% delas trabalham com advanced analytics, 18,12% com internet das coisas (IoT) e 10,51% com energia. Juntas, elas empregam mais de 9.000 pessoas no país. A maior parte dessas startups foram fundadas nos últimos quatro anos – houve um crescimento exponencial desde 2013, quando começa uma aceleração no relacionamento entre indústria e startups.

Banco BV se junta ao time de mantenedores da Abstartups

O Banco BV, uma das maiores instituições financeiras da América Latina e um dos maiores bancos privados do Brasil, anuncia sua chegada ao time de mantenedores da Associação Brasileira de Startups (Abstartups).

A Abstartups inova no mercado fornecendo ferramentas de conexão e desenvolvimento para startups desde 2011, e nada disso seria possível sem os mantenedores que acreditam na causa. O Banco BV apoia a Abstartups desde dezembro de 2020 e

“O BV já trabalha com dezenas de startups e ser um dos mantenedores da Abstartups contribui com a presença do banco no ecossistema de inovação. Essa iniciativa também potencializa as conexões, usando a estrutura do BV para que as startups consigam oferecer seus produtos e acelerar seu crescimento” diz Guilherme Horn, diretor de Inovação e Estratégia Digital do banco BV.

José Muritiba, Diretor Executivo da Abstartup, ressalta que ser mantenedor é mais do que apoiar as startups, é contribuir para o fomento de todo um mercado e proporcionar o engajamento da marca: “É enriquecedor para nós termos a presença de um banco com mais de 30 anos de mercado e 100% digital, como o BV, em nosso time de mantenedores. É um relacionamento que tem tudo para dar certo, pois nosso DNA combina totalmente com o deles, tenho certeza que virão bons frutos para todos”.

O banco BV não é apenas mantenedor da Abstarturps, mas parceiro no StartupON 4, evento online que tem como meta levar mentoria de qualidade para startups em fases iniciais e realizar uma troca entre os empreendedores locais. Esta edição será para empreendedores do estado de Alagoas e Tocantins e acontecerá nos dias 29 e 30/06. O banco BV está confirmado no evento no dia 29/06.

Com mais de 13 mil startups mapeadas e os dados mais completos sobre o empreendedorismo no Brasil por meio do http://startupbase.com.br/home, a Abstartups tem um projeto desenhado especificamente para aproximar as empresas das startups que permite que a marca fortaleça seu networking, além de inovar no sistema de inovação.

Cubo Itaú e everis anunciam parceria para intensificar a transformação digital no Brasil

A partir desta semana, a everis, consultoria pertencente ao grupo NTT DATA, que oferece soluções de negócios, estratégia, transformação digital, desenvolvimento e manutenção de aplicações tecnológicas e outsourcing, passa a integrar o time de mantenedores do Cubo Itaú, maior hub de fomento ao empreendedorismo tecnológico da América Latina.

Com o Cubo, a everis pretende aumentar a oferta de inovação em torno de 30% e gerar novas soluções tecnológicas, de forma a co-criar e prototipar soluções em conjunto com clientes e ecossistema de inovação (startups, techplayers, universidades, incubadoras e aceleradoras), comprovando hipóteses para geração de novos negócios. “Neste ano, pretendemos desenvolver no mínimo 20 protótipos em conjunto com este ecossistema, para os setores financeiro, telecom, indústria, varejo, saúde e energia. Eles devem receber atenção para o desenvolvimento com tecnologias emergentes vindas de computação espacial, realidade estendida, phygital, inteligência artificial e cibersegurança”, explica Roberto Celestino Pereira, head de Inovação da everis.

No último ano, a everis desenvolveu projetos com o apoio da comunidade Cubo. Foram 12 protótipos desenvolvidos pela área de inovação, sendo que cinco com o apoio de startups do hub, entre as quais podem ser citadas as startups: Fullface (biometria facial) e Looqbox (focada em Business Intelligence), que participaram da iniciativa Open Innovation Contest e tiveram a chance de apresentar seus negócios para os executivos da NTT Data, na sede da empresa, em Tóquio.

“A chegada da everis significa muito, pois passa a agregar sua expertise à comunidade. Com certeza, veremos projetos importantes oriundos dessas conexões de valor geradas com as diversas pontas do ecossistema de inovação”, afirma Pedro Prates, co-head do Cubo Itaú.

Desde o início de 2020, a everis, que já estava bastante imersa no processo de transformação digital, vem apostando na contratação de profissionais que possam auxiliar no processo. Nos últimos 12 meses, mais de 2,2 mil pessoas foram contratadas para acelerar esse processo. Além disso, para auxiliar nesse desafio, a everis vem trabalhando no incentivo a capacitação de profissionais de tecnologia e colocou cerca de 15 mil bolsas para formar programadores. Até o momento, aproximadamente 400 pessoas já se formaram e 25% delas foram contratadas para compor o time.

“No grupo everis NTT Data, temos forte cultura de Open Innovation, com ‘mindset win win win’, colaboramos ativamente com o ecossistema, pesquisando as tendências e aplicações tecnológicas, discutindo os desafios digitais dos setores e clientes, prototipando soluções disruptivas e desenhando as novas ofertas e novos modelos de negócio”, complementa o head de Inovação da everis.

Para Michel Gobbato, sócio de Banking da everis Brasil, o ingresso no Cubo Itaú amplia as possibilidades da everis de contribuir para a inovação nas empresas brasileiras e consolida a posição da consultoria do Grupo NTT Data como uma das motivadoras da transformação digital, em especial junto ao setor financeiro nacional, que é uma referência global em eficiência devido aos seus investimentos constantes em tecnologias disruptivas e seguras.

Dentro de casa, a parceria com o Cubo Itaú tem como objetivo promover ainda mais a cultura de geração de negócios para ativar nos colaboradores a mente empreendedora, co-criação e, consequentemente, inovação. Empreender juntos com o sentimento de pertencimento. Inovar é uma das razões de existir da everis e trabalhar junto com um hub, como o Cubo Itaú, significa estar à frente da transformação digital no País. Isso é, sem dúvida, um motivo de orgulho e uma forma de continuarmos atentos aos desafios para a evolução do mercado nacional”, afirma Gobbato.

Novo fundo de investimento, SCALEXOPEN deve investir em até 30 startups nos próximos dois anos

Com dois aportes já realizados, chega ao mercado brasileiro o SCALEXOPEN, fundo de investimento Venture Capital para startups em estágio seed e pré-seed de base tecnológica e com alto poder de escalabilidade, que conta com a parceria da 100 Open Startups e Bertha Capital. Com o propósito de fomentar o empreendedorismo, gerar empregos e impactar positivamente a sociedade, o Fundo planeja aportar até 30 startups no período de dois anos, com valores que partem de uma média de R﹩ 500 mil, podendo chegar a R﹩ 5 milhões por startup.

Com capital comprometido de até R﹩ 30 milhões em até dois anos, o SCALEXOPEN realizou, recentemente, seu primeiro aporte na Indigosoft, fabricante e integradora de plataformas tecnológicas de alta performance focadas em robotização e Inteligência Artificial, e o segundo, na Tiffin Foods, plataforma de marketplace B2B que conecta fornecedores e representantes de alimentos saudáveis, naturais, artesanais e vegs com lojistas.

Segundo João Alfredo Pimentel, investidor fundador do SCALEXOPEN, novos investimentos em startups estão sendo negociados e, em breve, serão anunciados. “Nosso objetivo é aportar em startups para impulsionar as novas empresas do futuro, construindo um portfólio de empresas de tecnologia que se complementam para a criação de um ecossistema robusto. Para isso, vamos realizar coinvestimento com outros fundos”, explica.

Empreendedor digital serial na área da Tecnologia da Informação, Pimentel realizou seu primeiro exit, em 2020, da CorpFlex, no qual foi o fundador e criou a maior plataforma de private cloud e serviços gerenciados no Brasil. O executivo também foi um dos primeiros investidores-anjos selecionados para participar do programa de investimento das startups do Ranking 100 Open Startups, a partir de 2018, e obteve o primeiro exit com a Fix, em 2021. Desde então, tem realizado vários investimentos como investidor-anjo e contribuído para a adição de valor nas startups em que investiu.

“Junto aos nossos parceiros de negócios, agregamos smart money às investidas. Mais do que investimento, trabalhamos para adicionar valor, com acesso ao mercado, networking, governança corporativa, compliance e formação de um comitê estratégico”, diz Pimentel.

“Formamos um ecossistema ativo e cada vez mais robusto na geração de resultados em open innovation. Para o SCALEXOPEN, colaboramos na definição da estratégia de investimento do fundo e estamos montando um portfólio de investidas focado em atender às principais demandas das corporações que buscam startups na nossa plataforma”, comenta Bruno Rondani, CEO da 100 Open Startups, responsável pela originação das startups para a construção do portfólio do fundo e promoção das startups investidas na rede de corporações da plataforma.

Responsável pela consultoria técnica, a Bertha Capital traz sua metodologia de venture building, por meio de uma gestão ativista, baseada em crescimento, gestão, governança e gente, atraindo também parceiros estratégicos para o portfólio do SCALEXOPEN. “Pela sinergia que temos com a 100 Open Startups, também poderemos contribuir nas futuras negociações e processo de seleção”, conta Gustavo Souza, General Partner da Bertha Capital.

Segundo Pimentel, por meio do Fundo SCALEXOPEN, a proposta é investir em startups de empreendedores que querem mudar radicalmente o status quo e trazer um impacto positivo para a sociedade, mirando em seis áreas de interesse: Marketplace, Delivery, Serviços Financeiros e de Crédito, Programas de Relacionamento, Marketing Digital, Inteligência Artificial e Robotização de Processos.

“A pandemia impactou todos os mercados, provocando mudanças no comportamento de compra do consumidor, mas, do ponto de vista tecnológico, acelerou grandes oportunidades de transformação digital, mudando toda uma forma de se fazer negócios no mundo. Por isso, acredito que, ao compartilhar nossa visão de futuro com os potenciais empreendedores a serem investidos, que entendem a real importância da transformação digital nos mercados de atuação, iremos colaborar para a transformação dos negócios tradicionais e lineares em negócios exponenciais”, conclui Pimentel.

Goomer recebe investimento de R$ 15 milhões para liderar digitalização de bares e restaurantes

Startup com o propósito de apoiar a transformação digital do setor foodservice, a Goomer anuncia a captação de uma nova rodada de investimento de R$ 15 milhões. O aporte série A foi liderado pelo fundo Bridge One – venture capital que administra mais de R$ 200 milhões e investe em companhias B2B de alto crescimento – acompanhado pela gestora de venture capital DOMO Invest, que anteriormente já havia investido na empresa, além do fundo Aimorés Investimento. Fundada em 2014, a foodtech com sede em Sorocaba (SP), mas com atuação em todo o território nacional, se notabiliza pela experiência oferecida aos bares e restaurantes na captura de pedidos dos clientes – tanto dentro do estabelecimento quanto em casa. Para isso, a empresa disponibiliza quatro soluções específicas com esse objetivo: GoomerGo (plataforma de delivery integrada com o WhastApp, sem taxas ou comissões), Goomer Na Loja (sistema que permite ao cliente captar o QR code e acessar o cardápio digital), além do cardápio digital para tablets e em totens de autoatendimento.

Com a injeção de capital, a Goomer tem a expectativa de aumentar o seu faturamento em 300%, atingindo a marca de R$ 20 milhões no fim de 2021. Além disso, o planejamento é acrescentar 60 novos colaboradores ao time, fechando o ano com 135 funcionários no total. Para atrair os novos talentos, a startup aposta principalmente em sua cultura organizacional, que recentemente foi premiada com o selo Great Place to Work®, atingindo uma nota 96 em uma escala de 100 pontos.

De acordo com o fundador e CEO da Goomer, Felipe Maia Lo Sardo, o investimento captado será utilizado principalmente na evolução da plataforma omnichannel da foodtech, consolidando-a como um braço direito de tecnologia para o mercado de foodservice, principalmente no setor de vendas e atendimento. “Também lançamos um totem de autoatendimento de baixo custo, o Goomer Fast, que tem como propósito atender a demanda de pequenos e médios estabelecimentos. Com ele, é possível dar maior agilidade e praticidade à operação do salão, além de geralmente trazer aumento no ticket médio dos restaurantes”, explica.

Segundo João Brandão, sócio e fundador da Bridge One, a decisão de incluir a startup no portfólio de investidas foi baseada principalmente pela qualidade dos empreendedores que estão à frente do negócio, no tamanho do mercado endereçável e também pelos resultados já alcançados. “Focamos em empresas B2B que estejam liderando a disrupção em seus mercados, com alto crescimento e sólido unit economics. No caso da Goomer, todos esses ingredientes estão presentes e o potencial de crescimento dentro da base existente é um enorme atrativo”, complementa. 

Para Rodrigo Borges, sócio fundador da DOMO Invest, participar desta nova rodada de investimento reforça todo o potencial da startup no mercado e a forte contribuição para o aumento da produtividade da cadeia foodservice. “Estamos muito felizes em contribuir mais uma vez com o pessoal da Goomer e sua proposta de transformação digital. Em nossa primeira investida, acreditamos no poder da solução que eles traziam e no amplo potencial do ecossistema de atuação. Acompanhar este crescimento tem sido bastante especial e este novo aporte é resultado do excelente trabalho que o Felipe Maia Lo Sardo e todo o seu time vêm realizando ao longo dos anos”, relata.

Liderando a Transformação Digital do setor foodservice

Mais de 110 mil marcas foodservice, espalhadas em 2.700 cidades brasileiras, já utilizam uma ou mais soluções da Goomer, somente nos últimos 12 meses – de forma totalmente orgânica. “Temos uma base bastante relevante, que continua crescendo exponencialmente. Agora vamos construir mais produtos e serviços para ampliar nossa proposta de valor e, como consequência, a receita nesta base já instalada”, afirma Lo Sardo.

Até o final do ano, a expectativa é alcançar 230 mil estabelecimentos. Para sustentar esse crescimento, a startup acabou de investir na contratação de Crezos Rodrigues, novo head de Vendas & Canais, que esteve por nove anos em cargos de liderança no Peixe Urbano, e de Fabrício Nunes, head de Marketing & Comunicação, com últimas passagens pela Loft e Carrefour, além de mais de dez anos de carreira em grandes agências de publicidade. 

“A ampla experiência desses profissionais será fundamental para alavancar ainda mais a nossa atuação em todo o país, principalmente nas duas áreas em questão. Hoje a Goomer se destaca por resolver toda a parte de atendimento do estabelecimento, seja no delivery ou dentro do salão. Existimos para ser a parte da evolução dos restaurantes e encontrar a perfeita harmonia entre a tecnologia e as pessoas. Nossas soluções potencializam o desempenho da equipe de atendimento, sem obviamente substituir o trabalho humano”, conclui o CEO da foodtech.

D4Sign lança autenticação de assinatura por PIX

A empresa de assinatura eletrônica lançou recentemente a autenticação de assinatura por PIX, que permite que uma assinatura seja validada a partir de uma transferência bancária de R﹩0,01 comprovando sua identidade a partir da chave cadastrada, ou seja, a pessoa tem toda a segurança, já que a certificação da assinatura é feita pelos dados do Banco Central.

Para Rafael Figueiredo, CEO da D4Sign, esse processo traz mais segurança e inovação na utilização da plataforma. “O uso do PIX é uma forma simplificada e que traz confiança financeira para a assinatura eletrônica em todos os quesitos, mostrando a sua legalidade. Com certeza é só o início do que o futuro nos espera”.

Além disso, a empresa criou um selo de sustentabilidade digital que mostra para o cliente o quanto ele está deixando de impactar no meio ambiente ao diminuir o uso de papel. A novidade já está disponível para toda a base desde fevereiro.

Startup CARGOBR abre vagas para profissionais de tecnologia, finanças, atendimento e operações logísticas

A CARGOBR, startup líder em soluções logísticas “full-service” que integra clientes de diferentes perfis, tamanhos e segmentos a distintos recursos de transporte de forma simples, eficiente e escalável, conectando os principais transportadores do país aos embarcadores, está com vagas abertas em diferentes áreas. A empresa procura profissionais criativos, com foco em performance, que estejam em busca de desafios em uma empresa dinâmica e inovadora.

A CARGOBR busca consolidar e expandir sua malha de parceiros por todo o Brasil, bem como crescer de forma agressiva e sustentável toda sua linha de negócios. “Com um grande desafio de crescer 4x esse ano, estamos investindo na contratação de profissionais gabaritados e experientes no mercado para executar o plano estratégico desenhado para 2021”, afirma Alexandre Felix, CEO da CARGOBR. “Para esses profissionais, oferecemos um ambiente de trabalho inovador, motivador, humanizado e seguro, com oportunidade de crescimento profissional, graças a rápida expansão da empresa, que em um ano viu o número de funcionários diretos crescer cerca de 180%, passando 70 colaboradores em abril de 2020 para os atuais 190”, completa Felix.

Ao todo são 50 vagas disponíveis nas áreas de TI, atendimento, financeira e operações. A empresa está em busca de Desenvolvedores, Assistente de Atendimento, Analista Financeiro, Designer e Líder de Operações.

Por enquanto, o trabalho será em regime de home office e entre os benefícios estão: assistência médica e odontológica, seguro de vida, vale transporte, entre outros em apoio ao home office.

Para saber sobre as vagas da CARGOBR e se candidatar, acesse: https://trabalheconosco.vagas.com.br/cargobr.

“É importante salientar que as medidas de prevenção contra a Covid19 ainda são o nosso foco, tanto para colaboradores diretos quanto para os indiretos. Todos recebem orientações, treinamento e equipamentos para evitar a contaminação”, diz Marcela Feltrin, coordenadora de RH da CARGOBR.

StartupRace : competição com inscrições abertas tem prêmio de R$ 50 mil para startups

Com a intenção de se tornar a maior corrida de startups do país, a StartupRace acaba de ser lançada e está com inscrições abertas para empreendimentos de todo o país até o dia 31 de maio. Para participar, as startups devem ter a tecnologia como pilar central do negócio, ser uma empresa constituída formalmente com CNPJ, além de já ter o produto ou serviço validado. O evento foi criado pela empresa Chiefs.Group , uma aceleradora que conecta startups early stage a empreendedores experientes, executivos seniores dos mais diversos setores e investidores para transformar a realidade de novos negócios no Brasil.

Os três primeiros colocados na competição ganharão 50 mil reais em dinheiro, 30 mil reais em assessoria jurídica, 10 mil reais investidos em criação de landing page ou site, além de uma cesta de benefícios equivalente a 100 mil reais em serviços. Também haverá premiação para o top 5 de startups participantes, com a mesma cesta de benefícios. Todos os melhores colocados, incluindo o top 10, terão acesso à dedicação part time de executivos C-Level da Chiefs.Group no negócio e a participação no evento Meet the VC’s, que consiste em um encontro com as Ventures Capital apoiadoras da competição.

A disputa terá duração de três meses com foco em performance, mentoria e networking. Todos os participantes terão acesso a uma jornada de aperfeiçoamento customizada, encontros com potenciais investidores, além de contato com uma seleta rede de profissionais de referência no mercado de atuação.

Na primeira fase, Elevator Pitch, é necessário enviar um vídeo de até 3 minutos para efetivar a inscrição do negócio na competição. Após a análise e seleção das startups, serão iniciadas as etapas de Speed Interaction, encontros rápidos entre startups e mentores para verificações sobre a preparação das startups até aqui, e Deep Interaction, um aprofundamento da interação com profissionais escolhidos especialmente para cada startup para contribuir para o futuro da mesma. A Final Race é a última etapa da competição e irá selecionar, por meio de uma banca de agentes da cena empreendedora brasileira, grupos de três, de cinco e de dez startups que tiverem o melhor desempenho e se encontrarem aptas para receber investimentos de acordo com a classificação.

“Com o lançamento da competição StartupRace queremos ampliar a oportunidade para startups de todas as regiões do Brasil se desenvolverem e conseguirem investimentos. Essa é a nossa forma de contribuir para um ecossistema empreendedor igualitário e diverso”, declara a CEO & Founder da Chiefs.Group, Cristiane Mendes.

Conexo prorroga período de inscrições para programa de desenvolvimento de startups

A Conexo, hub de inovação aberta das Empresas Randon, prorrogou o período para inscrições no Startup Creator, programa com o propósito de acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras. As inscrições estão abertas até a próxima segunda-feira, 24 de maio. Serão selecionadas para participar dessa iniciativa, 15 startups de qualquer ramo de atuação. O Startup Creator conta ainda com a participação de sete projetos de equipes das Empresas Randon que participaram do Start, programa de intraempreendedorismo da Conexo. A seleção e a mentoria técnica dos participantes têm o apoio do Sebrae RS e da consultoria Semente Negócios.

O Startup Creator procura desenvolver e validar ou tracionar soluções em estágios de maturidade para serem lançadas no mercado. A metodologia, desenvolvida em cocriação pela Conexo e Semente Negócios, conta com mentorias de executivos da região, espaço para potenciais ações de relacionamento e realização de negócios com as unidades das Empresas Randon e com a rede de parceiros da companhia, além do contato com outras startups e soluções de grandes empresas. O programa tem mais de 50 horas de atividades, como workshops práticos, atividades de consultoria, mentorias técnicas e gerenciais, construção de pitch deck para captação de recursos, eventos com investidores e demoday com o ecossistema regional.

O Sebrae RS vai apoiar as startups selecionadas subsidiando parte do valor que os participantes devem investir para participar do programa. As informações completas sobre formas de participação, investimento e critérios de seleção estão disponíveis no site http://digital.randon.com.br/startup_creator. O resultado dos selecionados será divulgado a partir do dia 26 de maio.

Getnet investe em desenvolvimento de startups em programa do Tecnopuc

A Getnet, empresa de tecnologia do Santander especializada em meios de pagamento, será, pela primeira vez, parceira do Tecnopuc – Parque Científico e Tecnológico da PUCRS, na realização da 10ª edição do Startup Garage, programa de Modelagem de Negócios voltado a empreendedores que tenham ideias ou projetos inovadores. 

O objetivo principal é transformar estas ideias em negócios, fazendo com que os participantes tenham uma visão clara sobre quais problemas da sociedade querem resolver. Rafael Chanin, professor da Escola Politécnica da PUCRS e integrante do Tecnopuc Startups, afirma “é muito gratificante ver grandes empresas como a Getnet, apoiando programas como o Startup Garage. Isso mostra como os ecossistemas de inovação estão entregando e criando cada vez mais valor para o mercado. Essa aproximação e conexão é fundamental para os empreendedores e torna nosso ambiente ainda mais conectado e global”.

Na visão da Getnet, embora esta iniciativa tenha periodicidade, é propícia para o momento de crise em que se vive. “Temos a oportunidade de contribuir para melhorar o ambiente de negócios, principalmente, sob o ponto de vista de tecnologia, que é tanto demandada nos momentos de isolamento social”, afirma Ricardo Roquette, vice-presidente de Tecnologia da Getnet.

Além disso, a empresa fortalece seu pilar estratégico de inovação, atuando em duas frentes: na vanguarda de projetos de grande impacto e na descoberta de ideias que contribuirão para transformar pessoas e negócios de forma inovadora, segura e eficiente que abrangem novas tecnologias e soluções. “Temos grande proximidade com o Tecnopuc, uma vez que nosso escritório está localizado naquele complexo, além de sinergia intelectual. Então, decidimos dar mais um passo no caminho da inovação aberta e que vai complementar nossas iniciativas, como os nossos hackathons”, completa Roquette.

O programa dura três meses com 30 projetos selecionados e inclui mentorias, workshops, palestras e trocas de experiências com profissionais do mercado. Os grupos terão encontros diários, numa jornada de desenvolvimento do negócio até a apresentação final e premiação, que acontecerá entre 16 e 18 de junho. Além do aporte financeiro, a Getnet disponibilizará seus executivos para prestar consultoria às equipes e ter participação na banca examinadora. 

Para mais informações: https://www.pucrs.br/garage/#

Abstartups abre inscrições para o Batch#2 Impact

Durante todo o mês de Maio estão abertas as inscrições do Batch#2 Impact, programa da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) para fomentar ainda mais o ecossistema de inovação no Brasil.

O selecionado para se tornar um Associado Impact terá a oportunidade de participar de programas de mentoria, treinamento de pitch, conversas com investidores, colaborar para o blog da Abstartups e fazer networking em diversas oportunidades exclusivas, como o Jantar Impact.

Para se tornar um Associado Impact, a startup precisa estar preparada para uma criteriosa seleção que leva em conta o faturamento, time, investimentos, impacto no ecossistema e o produto. Startups consolidadas no mercado como Buser (transporte colaborativo), Docket (Lawtech), Gama Academy (Educação), Track.co (Customer Experience) e PontoMais (Recursos Humanos) já foram Associado Impact e por isso tiveram a oportunidade de estarem em eventos exclusivos para fazerem networking, programas de mentoria e treinamentos de Pitch – que são diferenciais na carreira de um empreendedor de sucesso.

O mais recente case de sucesso oriundo do programa Associado Impact é o Customer X, startup de software para gestão de Customer Success, que recentemente recebeu um aporte de R﹩1,5 milhão de cinco grandes grupos de investidores.

As inscrições para o Batch#2 Impact vão até o dia 31/05 e o resultado será divulgado em 07/06. Para se increver, basta acessar: http://abstartups.com.br/associados-impact/

Grupo Nexxees adquire startup de meios de pagamento

O Grupo Nexxees, holding sediada em Florianópolis (SC) e proprietária da Nexxera, empresa provedora de soluções de automação bancária, utilities e plataformas de gestão financeira, anuncia a aquisição da Gold Soluções, startup especializada em BPO Financeiro em meios de pagamento. O acerto reforça a estratégia nacional do Grupo Nexxees para expansão de novas frentes de negócio. A estimativa é gerar uma receita bruta acima de R$ 70 milhões nos próximos cinco anos.

“Estamos investindo e adquirindo participação em novas empresas voltadas a serviços e entregando, efetivamente, o propósito de uma empresa SaaS”, disse Edson Silva, presidente do Grupo Nexxees.

Segundo o CEO da Gold Soluções, Alessandro Jung, a união com a Nexxera levará mais segurança em tecnologia e conectividade com todo o ecossistema financeiro, promovendo soluções que serão aplicadas na automação e inteligência em serviços de BPO financeiro. 

“Isso eleva a qualidade de nossas entregas e potencializa o propósito de melhorar a gestão financeira das empresas, unindo tecnologia com atendimento humanizado consultivo. Estamos construindo algo único no mercado, que potencializará os resultados de todos que estiverem conectados na cadeia de valor.”, afirmou.

A negociação foi assessorada pela Stark, primeira M&ATech do Brasil, que tem como missão promover M&As dentro do segmento de Middle Market, conectando PMEs a investidores com custos mais acessíveis e de forma muito mais rápida, transparente e moderna por meio do uso da tecnologia.
“A Stark tinha como objetivo encontrar uma empresa com visão moderna e com foco em levar soluções para PMEs. A Nexxera foi, sem dúvida, o melhor match para o nosso cliente”, explicou Gualtiero Schlichting, CBO da Stark e advisor da transação.

O que significa a aquisição

A união das duas empresas amplia a base tecnológica e a extensão das análises, provendo um amplo BPO financeiro e mercantil, digital e escalável, com foco em orientar os clientes para uma gestão 360 graus, integrada ao ecossistema da cadeia produtiva do cliente. Com público-alvo no mercado PME, o objetivo é levar uma plataforma completa de gestão, promovendo redução de custos e perdas, aumento de resultados e melhor gestão do fluxo de caixa, otimizando a rotina financeira e provendo acesso a linhas de crédito inteligentes.

Como será o processo

O processo de aquisição ocorrerá em etapas, até o controle majoritário, acompanhando um planejamento de investimento e crescimento. Os aportes ocorrerão ao longo de 24 a 36 meses. O primeiro será de R$ 2,4 milhões, investidos na modernização das plataformas de atendimento, ampliação da eficiência operacional e das ofertas BPO e adição de novas tecnologias, como o Hubly (plataforma de gestão financeira) e o Vizzoo (conciliador de cartões), entre outras. 

Por que investir nesta área?

A má gestão financeira – mais precisamente, a falta de controle sobre o fluxo de caixa – é um dos principais motivos do fechamento de micro e pequenas empresas, mercado que hoje representa aproximadamente 18 milhões de estabelecimentos no país. A pandemia trouxe ainda outros agravantes. E o empreendedor necessita de apoio e soluções que auxiliem na sua gestão financeira e recuperação. O Grupo Nexxees confirma seu investimento em sustentabilidade ancorado, neste momento, em dois pilares: econômico, para a recuperação das empresas, seu poder de compra e venda; e social, focado na empregabilidade, já que o segmento PME responde pois mais de 76% dos empregos no Brasil.

Grupo Prosegur busca startups criativas e inovadoras na segunda edição do Programa COME IN

O Grupo Prosegur acaba de lançar a segunda edição do COME IN, programa pioneiro de Open Innovation criado para enfrentar os desafios de segurança do futuro. A empresa abre suas portas novamente para o talento e criatividade das startups brasileiras ou estrangeiras que possam fornecer soluções inovadoras para a transformação das atividades do setor de segurança. Na primeira edição, em 2020, mais de 300 propostas foram apresentadas e sete startups iniciaram seus trabalhos na Prosegur.

COME IN é uma oportunidade para entrar no mundo da segurança, gestão de numerário, cibersegurança ou transformação digital em parceria com uma empresa líder no setor. A iniciativa busca startups que tenham um produto funcional ou protótipo que responda a alguns dos desafios apresentados pela equipe de Inovação. O Grupo Prosegur está em busca de empresas com ideias criativas e inovadoras que queiram validar suas tecnologias em um ambiente real e crescer em escala global.

A segunda edição do COME IN já apresentou seis desafios: quatro nas áreas de negócios – Prosegur Security, Prosegur Cash, Prosegur Alarms e Prosegur AVOS (terceirização de serviços de alto valor agregado), além da Cipher, em cibersegurança, e um desafio corporativo, para a área Jurídica. Os participantes poderão enviar seus projetos por meio do link até 14 de junho e, em seguida, as propostas serão avaliadas por um comitê de seleção.

Os projetos finalistas serão convidados a participar do ‘Selection Day’, quando poderão apresentar suas soluções para o comitê de seleção e para os responsáveis das áreas administrativas e de negócios do Grupo. As startups selecionadas terão a oportunidade de trabalhar em conjunto com profissionais da empresa para desenvolver a proposta de valor de seu produto e lançar um piloto.

“A primeira edição do COME IN, em 2020, foi um sucesso. Nós recebemos centenas de ideias inovadoras em um contexto marcado pela incerteza, e onde a segurança assumiu um nível de importância muito alto. Agora, lançamos a segunda edição cientes de que o desafio é ainda maior. A visibilidade que a segurança ganhou nos força a continuar elevando o nível de excelência em tudo o que fazemos. Nesse contexto, sabemos que a colaboração é um elemento essencial e estamos confiantes de que existam muitos projetos inovadores que precisam ser explorados e que nos ajudarão a construir nosso futuro mais próximo”, comenta José Daniel García, diretor corporativo de Inovação do Grupo Prosegur.

CINCO DESAFIOS PARA STARTUPS DO COME IN

1) Proteger as pessoas em espaços de lazer por meio de soluções inovadoras

A área Prosegur Security – no Brasil liderada pela SegurPro, lança o desafio de apoiar o renascimento do setor cultural e de lazer com a volta de grandes eventos em espaços seguros. Por isso, a divisão de negócio busca soluções inovadoras que facilitem a identificação, acesso e permanência dos participantes em grandes espaços públicos, como teatros, cinemas, casas noturnas, ginásios, estádios etc., através de uma combinação eficaz entre segurança e privacidade.

2) Melhorar o controle da frota analisando dados

A Prosegur Cash busca otimizar o uso de seus dados para melhorar a mobilidade de sua frota, a fim de evitar acidentes, reduzir o impacto ambiental e racionalizar o uso de combustível. Portanto, eles procuram uma solução que permita extrair todos os parâmetros de seus carros-fortes e receber avisos antecipados de possíveis falhas do veículo por meio das informações transmitidas à sua plataforma de análise de dados.

3) Desbloquear todo o potencial de dados obtidos por dispositivos de segurança

A Prosegur Alarms pretende aprimorar a análise de dados de seus dispositivos de segurança. A divisão da Prosegur busca ideias para detectar riscos potenciais por meio de informações coletadas por sensores para fornecer uma resposta mais eficaz aos seus clientes. Além disso, a solução deve fornecer dados sobre diferentes variáveis que permitam aos usuários ter uma visão mais completa do que está acontecendo em sua casa, negócios ou veículos.

4) Mapear o perfil financeiro dos clientes para mitigar riscos de inadimplência ou crédito

A Prosegur AVOS, área de negócio especializada em transformação digital utilizando reprogramação e automatização de processos, busca uma solução que, por meio do tratamento de dados e Inteligência Artificial (IA), os apoie na tomada de decisões sobre a viabilidade de aplicações para produtos de crédito, empréstimos etc. Para isso, eles procuram uma proposta de customer scoring que possa ser integrada com a operação atual e oferecer um serviço integral de gestão de riscos.

5) Melhorar as estratégias de detecção usando testes automatizados da Equipe Roxa em ambientes multisoc

A Cipher, unidade de cibersegurança do Grupo Prosegur, busca as melhores tecnologias e sistemas de gestão para garantir negócios no mundo digital e oferecer soluções de segurança 24 horas por dia, sete dias por semana. Portanto, é necessário que a solução proposta forneça uma maneira distinta de gerenciar o roteiro da estratégia de detecção de ameaças, criando um diferencial para seus Managed Security Services (MSS), melhorando seu recurso avançado de detecção de ameaças.

6) Automatizar o processo de revisão e análise de riscos de documentação legal

O Departamento Jurídico do Grupo Prosegur quer otimizar a revisão da documentação que gerencia a área por meio de uma ferramenta que emita uma análise de risco jurídica para cada um dos textos analisados. Esta análise, supervisionada por um advogado, seria automaticamente enviada ao requerente, que poderia, com base nesse relatório, optar por negociações e/ou mudanças nas condições.

AngloGold Ashanti convoca startups para tornar seu Centro de Educação Ambiental autossuficiente

Além do desafio da produtora de ouro, outras cinco temáticas estão disponíveis. Inscrições no M-Start Ciclo 6 do Mining Hub devem ser feitas até 30 de maio

Reduzir a captação de água nova, sejam superficiais ou subterrâneas, além de aprimorar a gestão racional dos recursos hídricos. Esses são alguns dos objetivos do desafio da AngloGold Ashanti no M-Start Ciclo 6,programa de inovação do Mining Hub, primeiro hub de inovação aberta do setor de mineração no mundo, com 25 mineradoras e 13 fornecedores associados.

O novo desafio proposto pela AngloGold Ashanti, uma das empresas que fazem parte dessa iniciativa, apoiada pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), é a busca de inovações para ajudar a transformar o Centro de Educação Ambiental (CEA), localizado em Nova Lima, MG, em um espaço autossuficiente.

Como o CEA já está inserido em meio à natureza, busca-se como desafio implementar um sistema de captação de água das chuvas para armazenamento, tratamento (se necessário) direcionamento e uso do recurso em atividades administrativas, operacionais ou de paisagismo, realizando também em tempo real o monitoramento do sistema por meio da Internet das Coisas (IoT).

O sexto Ciclo do M-Start do Mining Hub tem o objetivo de desenvolver soluções para desafios em seis temáticas diferentes: Desenvolvimento Social, Eficiência Operacional, Fontes de Energia Alternativas, Gestão de Água (desafio da Anglogold Ashanti), Gestão de Resíduos e Rejeitos e Saúde e Segurança Ocupacional. As inscrições devem ser feitas on-line até 30 de maio pelo site: https://www.mininghub.com.br/programas/m-start/

Vale ressaltar que esta é a segunda participação do CEA nos ciclos do M-Star. Em 2020/2021, foi concluído o desafio do Ciclo 4, que proporcionou soluções que proporcionaram redução na energia para o Centro de Educação Ambiental.

Abstartups e Gov ES anunciam 15 startups vencedora do Pitch Gov ES

No último dia 14/05, foi anunciado na página oficial do Governo do Espírito Santo o resultado do Pitch Gov ES, um programa em parceria com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), que tem o objetivo de resolver problemas do estado usando a tecnologia das startups como aliada.

O Pitch Gov ES teve início a partir de realização de oficinas colaborativas que resultaram em 16 desafios de 7 áreas da administração pública: Saúde, Segurança Pública, Gestão Pública, Educação, Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Econômico e Sustentável e outros poderes.

O programa recebeu 445 inscrições de startups do Brasil todo com propostas inovadoras para resolver os problemas do estado e cada uma das propostas foi analisada pela Abstartups, utilizando os critérios descritos no edital. 45 empresas chegaram a fase final em que deveriam apresentar um pitch para uma banca avaliadora.

As empresas vencedoras são do país todo e receberão até R﹩ 30 mil para a realização de testes pelo período de 6 meses, podendo renovar por mais 6 meses. Dependendo do resultado, as startups podem ser oficialmente contratadas pelo governo estadual. José Muritiba, Diretor Executivo da Abstartups, afirma que está muito feliz com o resultado dessa parceria e vê benefícios para todos os envolvidos. “O maior beneficiado do Pitch Gov ES é, sem dúvida alguma, a população, que terá melhorias em seu estado. Para as startups é uma oportunidade única de trabalhar com o poder público e mostrar para a sociedade o poder da tecnologia e inovação de um dos setores que mais crescem no país”, finaliza.

A lista completa dos vencedores:

• MedBolso (PA) – Gestão de plantões e escalas dos profissionais de saúde nos hospitais;

• EGSA Tecnologia e Inovação LTDA (RJ) – Acompanhamento da jornada do paciente da entrada até a alta;

• Botnicks (SP) – Gestão eficiente dos recursos humanos do estado, da Secretaria de Gestão e Recursos Humanos;

• UMANNI Inovação em Tecnologia de Sistemas (SP) – Rede de compartilhamento de competências para melhor gestão dos recursos humanos do estado;

• Prisma IS.COOl (ES) – Redução do abandono e evasão escolar com métodos mais atrativos;

• 7Waves (SP) – Conectar o projeto de vida dos jovens e perspectivas de futuro na educação;

• Alva (ES) – Melhor gestão do reingresso de presos e individualização do tratamento penal nos presídios;

• Violin (RJ) – Melhoria da gestão da contagem do cumprimento da pena no sistema prisional e melhoria da interface com o Poder judiciário no agendamento das audiências;

• JMM Tech (MG) – Registros e consultas de ocorrências no ambiente das unidades policiais civis, da Polícia Civil do Espírito Santo;

• Connectdata Technologies (SP) – Controle de circulação nas centrais de abastecimento da CEASA, da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca;

• Milênio Bus (SP) – Melhoria na gestão de fluxo de passageiros e de oferta de transporte no sistema Transcol;

• Digitalk Tecnologia Digital (SP) – Oferta de atendimento remoto aos agricultores familiares em todo o território capixaba;

• TAQE (SP) – Otimização da seleção de candidatos no SINE em todo o Estado, da Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social;

• Ideia No Ar (PR) – Dinamizar a conexão entre empreendedores da economia criativa;

• Atlas.IA (SC) – Facilitar o acesso gratuito do cidadão à justiça, desafio em parceria com o Tribunal de Justiça do Espírito Santo;

Startup Connectabil recebe R$750 mil de aporte de investimento anjo

Focada em contratação de profissionais contábeis e financeiros, a startup Connectabil conquistou seu primeiro aporte. O cheque de R$750mil vem pelo investimento anjo e é assinado pelos grupos Anjos do Brasil e 1289 CapitalA captação será direcionada ao aprimoramento da ferramenta através de inteligência artificial. 

“Esse é o primeiro investimento da Connectabil e estamos muito felizes. Com o aporte, a startup irá focar no aprimoramento da experiência dos candidatos na plataforma, através de inteligência artificial, e com isso acelerar o seu crescimento”, comenta Vitória Oliveira, fundadora da startup. 

Através da plataforma, as empresas conseguem contratar os serviços contábeis e financeiros de acordo com suas demandas de seleção. Por meio de cruzamento de dados e inteligência artificial, a Connectabil faz a seleção de profissionais e o fit com a vaga de maneira ágil e fácil. Em seus três anos de atuação, a Connectabil já intermediou mais de 2 mil contratações e é o primeiro banco de profissionais do setor no Brasil. Profissionais de todo Brasil podem se candidatar a essas vagas gratuitamente e o processo de seleção é totalmente online. 

Criada em 2018, a startup é o resultado de duas experiências anteriores de Vitória, que na época tinha apenas 24 anos, mas já havia vivido a realidade e as dores de recrutar dentro de uma consultoria e empresa contábil. A empreendedora começou sua carreira em consultoria de recursos humanos, onde a demanda pelas áreas de BackOffice financeiro chegava a representar quase 50% do faturamento da empresa. 

A ideia do negócio nasceu da necessidade da fundadora em sanar algumas das dores do setor que ela percebia pela sua experiência. Entre eles, o turnover alto, a procura por profissionais qualificados tecnicamente e afinados com a cultura da empresa e a necessidade de agilidade em repor um profissional dado os 120 prazos do calendário contábil. A tecnologia da Connectabil permite que o processo seletivo seja finalizado entre escritório e profissional em sete dias corridos, ou seja, sendo até dez vezes mais rápida do que outra ferramenta. 

“‘O sim muda tudo’ é o slogan interno da Connectabil, acreditamos que o SIM, é um superpoder e temos isso como nosso mantra, salvar pessoas através do SIM em suas carreiras.”, compartilha Vitória. 

Crescimento em escala, com tração de investimentoSegundo Vitória, a Connectabil tem como principal objetivo se tornar mais do que uma plataforma de recrutamento e seleção para contabilidade e finanças. A startup quer ser a chave para a dinamização do processo de recrutamento de pessoas dentro desse mercado e assim, ajudar os candidatos a encontrarem com mais facilidade suas oportunidades.   

“O investimento foi um sucesso porque a empresa estava no momento ideal, com um valor adequado e a empreendedora evidenciou paixão pelo negócio, com assertividade para realizar seus sonhos”, relata Fernando Nitz, investidor líder da startup. 

Conexo, Semente Negócios e Sebrae RS buscam startups do Rio Grande do Sul para acelerar

Com o objetivo de acelerar o desenvolvimento e go-to-market de soluções inovadoras criadas por startups e pequenas empresas do Rio Grande do Sul, a Conexo, hub de inovação das Empresas Randon, e a Semente Negócios, empresa de aprendizagem empreendedora, irão promover um programa de aceleração focado em startups em estágio inicial. O Startup Creator selecionará 15 projetos, que terão parte do valor investido para a participação subsidiado pelo Sebrae RS, e acontecerá de junho a dezembro.

O programa espera capacitar empreendedores por meio de workshops, consultorias, mentorias técnicas com especialistas e executivos da Randon e participação em eventos de pitch para investidores em busca de viabilizar o desenvolvimento de startups para o mercado. Durante o Startup Creator, o negócio passará por dois ciclos, composto por seis etapas, onde será possível realizar o planejamento de MVP, desenvolver a solução, elaborar a estratégia de lançamento, executar a prova de conceito e elaborar a estratégia de go-to-marketing.

Além disso, as Startups trabalharão junto com equipes selecionadas no intraempreendedorismo da Randon, fomentando a troca de experiências e acelerando o aprendizado, e também outras 14 horas consultorias com especialistas da Semente. Ao final, um pitch será apresentado para uma banca de investidores.

“Esta iniciativa será uma oportunidade ímpar para empresas com soluções tecnológicas, que poderão transformar diversos setores. Estamos muito otimistas com esse projeto e temos a certeza que essa trilha implicará em um desenvolvimento muito positivo aos negócios participantes”, comenta Fernanda Cardoso Setti, da Semente Negócios.

Para participar, os projetos, que podem ser de qualquer segmento, devem estar em estágio inicial (ou seja, ter um público-alvo bem definido, conhecimento sobre o mercado, um modelo de negócio aparentemente viável com hipóteses claras para testar e um canal aberto com um número significativo de pessoas que se importam com o problema e buscam por uma solução) e possuir CNPJ registrado no Rio Grande do Sul. As inscrições devem ser realizadas até dia 15 de maio, no link.

Programa de aceleração Startup Creator:
– 16 horas de treinamentos
– 6 horas de Peer Group Meetings
– 14 horas de consultoria individual Semente
– 7 horas de mentoria técnica individual da Randon
– 2 horas de mentoria técnica coletiva da Randon
– Pitchday final com banca de investidores, inclusive Randon Ventures
Data para inscrição: até 15/05/2021
Período do programa: junho a dezembro
Público-alvo: Startups do Rio Grande do Sul em fase de validação do modelo de negócio
Link de inscrição: http://digital.randon.com.br/startup_creator

Startup brasileira Quicko anuncia rodada Series B de R$ 100 milhões

A Startup brasileira de mobilidade Quicko anuncia uma rodada Series B de R$ 100 milhões. O novo investimento foi aprovado pelo Grupo CCR e J2L Partners, que já haviam aportado R$ 37 milhões em 2018, na mesma proporção do anúncio atual, de 80% e 20%, respectivamente. A Quicko é uma plataforma que usa tecnologia para oferecer às pessoas deslocamentos urbanos mais inteligentes. A plataforma funciona como um Marketplace de mobilidade e conveniência, oferecendo sugestões de rotas combinando os diversos modais públicos e privados disponíveis, como ônibus, metrô, trens, táxis, carros de aplicativo e bicicletas compartilhadas, além de serviços como aluguéis de guarda-chuva e baterias externas para a recarga de celulares e outros dispositivos.

“O Quicko App é a primeira e única plataforma brasileira de Mobility as a Service (MaaS), ou Mobilidade como Serviço. Nossa ideia é reunir tudo o que o cliente precisa para suas jornadas diárias, desde a sugestão de rotas de transporte até a compra de passagens, desbloqueio e uso dos serviços de mobilidade”, explica o CEO da Quicko, Pedro Somma. “Trata-se de colocar a mobilidade a serviço das pessoas, transformando os dados de todos os modais disponíveis em informações e ferramentas que facilitam e melhoram os trajetos urbanos.”

O Quicko App também permite a recarga de bilhete único e mostra a localização dos ônibus em tempo real, evitando que as pessoas precisem pegar filas ou fiquem expostas a riscos desnecessários de contaminação pelo coronavírus esperando nos pontos. Ele conta também com uma Central de Notificações, com notícias importantes sobre a operação do transporte público, enviando alertas para usuários em caso de problemas que afetem os deslocamentos. A plataforma tem ainda uma ferramenta colaborativa para que os usuários compartilhem entre si informações sobre a lotação, atrasos ou má conservação dos ônibus, entre outras.

Lançado em novembro de 2019, em São Paulo, o Quicko App chegou no ano passado ao Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. No primeiro trimestre de 2021, o aplicativo também começou a operar em mais quatro cidades: Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza e Campinas.  Com o novo investimento, será possível acelerar a expansão para todas as principais regiões metropolitanas do Brasil até o fim do ano, além de desenvolver novas ferramentas para facilitar ainda mais os deslocamentos urbanos.

Mesmo em um cenário desafiador de redução dos deslocamentos provocada pela pandemia, o aplicativo vem apresentando crescimento expressivo. Enquanto o número de usuários do transporte público chegou a cair para 20% do registrado na pré-pandemia, o Quicko App teve mais de 3,2 milhões de downloads e cresceu mais de 11 vezes em número de usuários em 2020. Isso se deve ao fato de que muita gente ainda precisa se deslocar para atividades consideradas essenciais e não tem como adotar o trabalho remoto. Para essas pessoas, o aplicativo é uma ferramenta fundamental para trajetos mais seguros.

Pensando em como apoiar o combate ao coronavírus, o Quicko App recentemente lançou uma nova ferramenta para auxiliar as pessoas no processo de vacinação contra a Covid-19. O Mapa de Vacinação mostra a unidade de vacinação mais próxima, com a indicação dos melhores trajetos para chegar lá. A plataforma reúne ainda informações sobre pré-cadastro, endereços e horários dos postos de vacinação e o calendário por faixa etária, ajudando o usuário a chegar no local de forma mais rápida e segura, usando transporte público, bicicletas, a pé ou por carros de aplicativo.

Para Somma, este segundo aporte recebido demonstra a satisfação dos investidores com os resultados e a confiança no potencial de expansão para os próximos anos. “Ter esse reconhecimento e esse voto de confiança da J2L e da CCR nos coloca em posição de brigar com as plataformas estrangeiras. Nenhuma delas tem o conhecimento da realidade brasileira e a agilidade que nós temos para desenvolver soluções relevantes para os clientes, os operadores e o poder público locais.”

“A CCR é uma empresa que busca oferecer soluções de infraestrutura em mobilidade humana, de forma conectada com os preceitos ESG”, diz o CEO do Grupo CCR, Marco Cauduro. “Além de concessões nos modais rodoviários e de aeroportos, o Grupo conta com uma Unidade de Negócios de Mobilidade, que já atua no Metrô de São Paulo, por meio das concessionárias ViaQuatro e ViaMobilidade, responsáveis pelas Linhas 4, 5 e 17 do Metrô de SP; no metrô de Salvador/BA, no VLT Carioca e em Barcas/RJ. Recentemente, o Grupo venceu o leilão das Linhas 8 e 9 da CPTM e passará a transportar mais de 3 milhões de passageiros, diariamente. Por isso, o crescimento da Quicko é importante para a CCR: ela nos permite conhecer melhor e estar mais próximos de nossos clientes, aplicando os conceitos de Mobility as a Service que se conectam com o nosso propósito ‘Viva Seu Caminho’. Assim as pessoas podem apreciar a jornada com segurança, além de conquistar mais qualidade de vida, pela economia de tempo e de recursos”, completou Cauduro. 

“A oportunidade de participar do mercado digital é ir além de simplesmente digitalizar um core business. Neste sentido, entendemos que a Quicko é um negócio inovador com um conceito disruptivo na relação com o usuário de transporte público no Brasil”, diz Lúcio Otávio, sócio da J2L Partners. “Construindo realmente a primeira plataforma de MaaS brasileira, a Quicko leva conveniência, informação e comodidade ao usuário de transporte público, estabelecendo uma relação diária e de confiança. Com tudo isso temos a convicção de que cresceremos de forma acelerada, tanto geograficamente quanto no número de usuários, pois estamos preenchendo a lacuna existente hoje no mercado de mobilidade brasileiro.”