Page

Category startup

Startups de segurança e de saúde vencem 7º Acelera Startup

Fonte: Agência Indusnet Fiesp

A Tela de Bloqueio, com um produto que impede por exemplo que ladrões entrem numa garagem enquanto o portão está sendo fechado, foi, ao lado da Livre – Montagem de Produtos Assistivos, uma das vencedoras do 7º Concurso Acelera Startup, da Fiesp. Os prêmios foram anunciados nesta terça-feira (17/11), na sede da Fiesp.

Representada no Acelera por Tarcisio Caddah Melo, a Tela de Bloqueio impede a entrada de pessoas não autorizadas em áreas de acesso restrito, em instalações fixas (residências, galpões, armazéns) ou instalações móveis (caminhões e carros-fortes, por exemplo). A patente é uma solução de engenharia que tem como suporte o princípio físico da “Gaiola de Faraday”.

Da categoria Saude e Bem-estar, a Livre realiza o desenvolvimento de equipamentos assistivos para auxílio de mobilidade, para pessoas que utilizam cadeiras de roda. Seu Kit Livre transforma qualquer modelo de cadeira de rodas em triciclo motorizado. Foi representada no Acelera por Júlio Oliveto Alves.

Os finalistas da sétima edição do Acelera Startup foram escolhidos entre cerca de 5.000 empresas. Foram para a fase final 316 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. Depois de passar por dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias, foram definidos 13 finalistas, nas categorias Geral; Agronegócio; Educação; Saúde e Bem-estar.

Os outros finalistas foram Poliol vegetal, PlayDown, DoctorID, Omnize, Biotec do Brasil, Timokids, Indigoway, Fawke, PeggyPeg, Indicadores de Necessidade de Irrigação, Opa!.

Sobre o Acelera

Uma boa ideia na cabeça e a chance de encontrar seu potencial investidor, no elevador, e convencê-lo em prazo recorde: esta é uma das propostas do dinâmico Concurso Acelera Startup. O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores.

Trata-se da maior arena de aceleração do Brasil, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de empreendedores e de investidores para a geração de negócios. Somando as seis edições anteriores, o evento já gerou investimentos de mais de R$ 3 milhões.

Tags, , , , , , , , , , , , , , , ,

Black Friday: startup cria plataforma colaborativa para encontrar promoções reais

f079c4ce-0549-4cd5-858d-b7e12ce900e4

Modelo colaborativo permite que seus 9 mil usuários ajudem equipe de especialistas a selecionarem as mais relevantes ofertas do evento em tempo real

Segundo pesquisa divulgada pela Buscapé Company, na última Black Friday, 53% dos consumidores disseram ter encontrado bons descontos, mas 57% dos entrevistados também disseram ter se deparado com falsas promoções. Neste cenário, uma startup desenvolveu uma plataforma para que os usuários possam se ajudar encontrando boas promoções, compartilhando uns com os outros tais oportunidades.

O OfertaEsperta.com, lançado durante a Black Friday de 2014, hoje conta com 9 mil usuários cadastrados, que contribuem com uma equipe de especialistas do site que avaliam cada oferta sugerida antes de publicá-las na plataforma, analisando o histórico de preços dos produtos, a confiabilidade das lojas, assim como a possibilidade de descontos adicionais, com o uso de cupons de desconto, por exemplo.

“Nosso objetivo é que nossos usuários possam aproveitar cada oferta publicada sem medo de estarem sendo enganados por qualquer motivo, portanto publicamos na plataforma somente promoções com descontos reais, de lojas confiáveis, no melhor momento possível para se fazer a compra. Caso um desses critérios não seja atendido, a oferta não é publicada.”, afirma Julieno Neves, um dos fundadores da startup.

Os descontos reais ficam entre 20 e 50%

Pesquisa divulgada pelo Google em parceria com o Ibope, revela que o tíquete médio do brasileiro deve chegar a R$1000 nesta Black Friday, quase o dobro dos R$522 gastos na última Black Friday. Apesar disto, entre muitos consumidores, a Black Friday ainda carrega a fama de “black fraude”, ou ainda, de “tudo pela metade do dobro”, em referência às lojas aumentarem os preços dias antes do evento e voltarem com os preços antigos no dia do evento, para que os consumidores acreditem que houve real queda nos preços dos produtos.

“A prática de alguns lojistas de aumentarem os preços dias antes do evento é algo que pode ser observado ainda hoje, mas isso não significa que não haverão descontos reais durante o evento. Esse é um artifício que as lojas usam pra potencializar a percepção do consumidor em relação a queda de preços, dando a impressão de que os produtos tiveram uma queda ainda mais excepcional na Black Friday.”, afirma Julieno. “Mas considerando os dados da última Black Friday, se considerarmos as promoções mais relevantes, a maioria deverá ter entre 20 e 50% de desconto real, o que pode resultar numa economia bastante considerável.”, complementa.

Promoções Relâmpago

O OfertaEsperta.com foi desenvolvido para que pudesse ter a dinâmica que eventos como a Black Friday exigem, com promoções exclusivas que começam e terminam muitas vezes em questão de horas ou minutos, e que comparadores de preços convencionais muitas vezes sequer conseguem identificar. A ideia surgiu quando os fundadores perceberam que apesar de conseguirem aproveitar boas promoções na Black Friday, seus amigos e familiares sempre relatarem que não conseguiam encontrar promoções tão boas assim.

“Participávamos de grupos de discussão na internet onde os membros se ajudavam dando dicas uns para os outros. O que fizemos foi ampliar isso e tornar todo o processo mais profissional, confiável e acessível.”, conta Julieno.

Hoje na plataforma são publicadas diariamente por volta de 200 promoções, e a estimativa é que esse número seja até 4 vezes maior durante o evento, sendo que essa quantidade deve começar a se intensificar já na quinta-feira à tarde, dia 26 de Novembro, véspera da Black Friday.

Website: http://www.ofertaesperta.com

Tags, , ,

Agilidade das startups dá vantagem na crise, afirma diretor durante abertura do Acelera Startup

Agência Indusnet Fiesp

Na abertura, nesta segunda-feira (16/11), da fase final do 7º Acelera Startup, concurso de empreendedorismo da Fiesp, Bruno Ghizoni, diretor do Comitê Acelera Fiesp (CAF), disse que “por incrível que pareça”, o momento no Brasil é bom para as startups. “Vocês são mais ágeis, pensam fora da caixa.” Lembrou que os finalistas da sétima edição do Acelera Startup foram escolhidos entre cerca de 5.000 empresas e “já são mais que vencedores”.

Participam 316 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. São dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias. As categorias desta edição são Geral; Agronegócio; Educação; Saúde e Bem-estar.

Sylvio Gomide, diretor titular do CAF, fez um paralelo entre os atentados na França e a crise enfrentada pelo Brasil. No nosso caso, afirmou, parte da solução vem da educação e do trabalho. “O momento de reflexão é importante para nós”, disse. “Não podemos fingir que nada está acontecendo. A primeira resposta é educação, e a segunda é trabalho, a geração de renda, de emprego.”

Gomide explicou a importância da campanha “Não Vou Pagar o Pato”, com participação ativa da Fiesp, e pediu a participação do público.

Também elogiou a presença dos empreendedores no Acelera Startups. “É importante contar com a participação de todos vocês. Na última edição, 17 Estados participaram deste concurso.”

Os 12 mais bem avaliados (sendo oito operacionais e quatro pré-operacionais) chegarão como finalistas do evento, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (até 3 minutos), à banca de investidores mais seleta do mercado. Dois deles serão os grandes vencedores, sendo um operacional e outro pré-operacional, independentemente da categoria. Pela primeira vez, serão premiados projetos e empresas inovadoras tanto em fase pré-operacional quanto operacional.

O público pôde participar das palestras sobre inovação, investimento e empreendedorismo, também transmitidas ao vivo pela Internet. Na terça-feira (17/11) poderá acompanhar as apresentações dos pitches (apresentações) dos finalistas aos investidores.

Ambiente empreendedor

A primeira palestra, sob o título Inovação – O case da Agência Africa, teve como moderadora Daniela Saad, diretora do CAF e da área comercial dos canais pagos da Band. Em sua apresentação, Sérgio Gordilho, sócio da agência Africa, ressaltou o ambiente favorável ao empreendedorismo na Fiesp, que estimula as startups. Na Bahia, há condição semelhante para a criatividade, disse, como explicação para a grande presença de publicitários e especialistas em marketing em seu Estado.

Gordilho disse que “crise é inovação. Isso é o ponto. Tire o esse, e crise vira crie”. Numa crise, explicou, é preciso olhar de forma diferente tudo que se faz. “Porque isso é inovação – tentar fazer melhor. É alterar a forma de fazer. O que é o bom da crise? Crise é um grande momento de inovar.”

O sócio da agência Africa deu também conselhos práticos sobre comunicação ao público. “Para saber a melhor mídia é preciso conhecer seu consumidor. A melhor mídia é onde ele está. Você sabe para quem sua empresa foi feita? Vivemos um mundo de oportunidade nas mídias, porque o brasileiro é conectado. Primeiro entenda seu consumidor – a partir daí fica fácil.”

Gordilho encerrou sua apresentação estimulando os empreendedores: “Trabalhem, foquem, cresçam”.

Investimentos

O primeiro painel do dia, O mercado faz o pitch aos empreendedores – O que existe para ajudar minha startup?. teve intensa participação do público. O moderador do painel, Bruno Ghizoni, explicou que a ideia das apresentações foi mostrar o outro lado para o empreendedor.

Leonardo Pereira, chefe do departamento de capital empreendedor do BNDES, classificou como “impressionante como o empreendedorismo se desenvolve no Brasil, e mais especificamente em São Paulo, e como o ecossistema favorece isso.”

O BNDES, explicou, tenta criar produtos para dinamizar o ecossistema de inovação. Citou como problema no Brasil a remuneração dos títulos do Governo. “Dão 14% a 15% ao ano, e os investidores querem mais do que isso” na hora de escolher empreendimentos. Além desse retorno, o empreendedor precisa ficar de olho nos concorrentes. “Investidor quer ver capacidade do gestor e quer ver resultados.”

Fernanda Bordin, gerente da área de inovação e negócios da Mercedes-Benz, disse que a empresa tem abertura para startups, mas os empreendedores têm que ir preparados – “é preciso convencer muitas pessoas pelo caminho”. Disse que o LinkedIn funciona como canal para apresentar a startup à Mercedes – “mas não aquele pedido padrão de ‘adicionar’”. É preciso pensar como se fosse um pitch de elevador, contar o que a empresa tem a oferecer.

Fábio Kiyan, coordenador de Estratégia Tecnológica da Embraer, disse que a empresa toma ações focadas em fortalecer ecossistema de inovação. Parte importante do que a Embraer vai precisar, explicou, virá de startups. “O Acelera é programa muito importante para a Embraer.” Eventos como ele ajudam a Embraer a identificar fornecedores e encontrar soluções para problemas de curto prazo.

Sérgio Risola, diretor-executivo do Centro de Inovação, Empreendimento e Tecnologia (Cietec), frisou o tamanho – “é o maior do Brasil” – e a qualidade do Acelera Startup. Sobre a incubadora em que trabalha, disse que procuro “tornar simples, segura e escalável a inovação”. Cietec ajuda a criar asas, mas voa junto.

Também participaram do painel Rodrigo Comazzetto, gestor regional de São Paulo do Fundo Criatec 2, Anderson Borille, coordenador da Divisão de Engenharia Mecânica do ITA, e Alexandre Barros, coordenador da Incubadora de Negócios do Cecompi. Borille e Barros destacaram o ambiente favorável à inovação no Vale do Paraíba, com a presença de indústria aeronáutica, aeroespacial e de defesa.

Labs

O segundo painel do Acelera, A nova onda do mercado: Labs – O que são? O que minha startup ganha com isso?, foi mediado por Marcos Moraes, diretor do CAF. José Cláudio Cyrineu Terra, diretor de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, lembrou que inovação precisa de uma visão diferente. Disse que o hospital quer impactar o ecossistema de inovação da saúde no Brasil. Para acelerar startups da área de saúde, ajuda em pontos como a área científica. “Sem ecossistema de inovação extremamente forte, nossos problemas na área de saúde não serão resolvidos”, afirmou. O hospital criou uma “garagem” para projetos, e contratou 15 engenheiros, de áreas como mecatrônica. Conseguiu montar portfólio de 30 projetos num ano.

Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem, alertou os participantes que o modelo de negócios tem sido a deficiência nos pitches (mais de 70) que acompanhou. “Precisa evoluir nisso”, afirmou. Célio Antunes, presidente da Impacta Tecnologia, citou projeto de plataforma de e-learning desenvolvida por seus alunos. Ele comprou 20% da empresa, e a solução virou comercial.

Sobre o Acelera

Uma boa ideia na cabeça e a chance de encontrar seu potencial investidor, no elevador, e convencê-lo em prazo recorde: esta é uma das propostas do dinâmico Concurso Acelera Startup. O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores.

Cerca de 50 investidores, com potencial de investimento de R$ 500 bilhões, formarão a maior banca do país. Trata-se da maior arena de aceleração do Brasil, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de empreendedores e de investidores para a geração de negócios. Somando as seis edições anteriores, o evento já gerou investimentos de mais de R$ 3 milhões.

Confira toda programação no site http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

Tags, , , , , , , , , , , , , ,

Luckro, a primeira rede social de negócios para o varejo

Sufocados por tantas notícias pessimistas no cenário econômico do País, varejistas e empresas vão ganhar a partir do dia 4 de novembro uma ferramenta poderosa para garantir mais eficiência aos negócios. O empresário argentino Jorge Alexander Kowalski, 51 anos, com apoio de sócios conselheiros e investidores e baseado em sua experiência de 20 anos atuando em empresas como Danone, Philip Morris, Coca-Cola e Heineken, entre outras, lança a Luckro, a primeira rede social do mundo para o varejo com função comercial. “Podemos ajudar o varejo e as empresas a serem mais eficientes – a vender melhor com menores custos. Este é o conceito de uma startup digital: ajudar a resolver problemas economizando, principalmente, tempo e dinheiro”, garante Kowalski.

Ao longo de sua trajetória profissional, o empresário aprendeu que os entraves para o desenvolvimento do varejo variam de acordo com o tamanho, mas se repetem em todos os setores – de alimentos a calçados, de remédios a móveis. Para os pequenos varejistas, a dificuldade é conseguir os produtos que as grandes redes têm com as mesmas facilidades e condições comerciais, além de atendimento direto e com qualidade. Do lado do distribuidor/vendedor, a dificuldade é em se manter atualizado sobre as opções disponíveis ao consumidor e escolher quais são as melhores para cada tipo de cliente que ele atende. Já as marcas, e também os vendedores, querem chegar a mais pontos de venda, mas em um país do tamanho do Brasil o custo fica alto demais.

A Luckro vai conectar todas as pontas da cadeia, permitindo, assim, escolher melhor, comprar/negociar melhor e manter o nível de serviço do fornecedor. Em gestação desde janeiro, a plataforma será lançada, para desktop e smartphone, com cerca de mil usuários ativos. Até dezembro, esse número deve aumentar para 20 mil e a meta é fechar 2016 com 50 mil usuários e 2017, com 150 mil. Nesta primeira etapa, estão sendo convidados profissionais de dois setores varejistas: Supermercados e Bares, Hotéis e Restaurantes. Periodicamente, serão incluídos novos setores, num total de 13. O investimento previsto, até abril de 2016, será de R$ 2 milhões.

Os usuários da Luckro são divididos em três grupos: varejistas de qualquer tamanho e função, principalmente compradores e donos, embora todos os colaboradores sejam bem-vindos; vendedores, exclusivos da marca ou não; e marcas, com suas equipes de trade marketing, marketing e comercial.

Será possível fazer seis tipos de posts: ‘Ache e Compre’, ‘Falta’, ‘Alerta’, ‘Comum’, “Institucional” e “Eu fiz”. No primeiro caso, por exemplo, o varejista pode dizer: ‘Tenho uma mercearia e preciso comprar suco. Que preço e condições você me oferece?’ Hoje, o varejista perde horas todos os dias procurando a melhor proposta de preço. Em segundos, esse post de compra vai para todos os fornecedores cadastrados. Quem quiser, e for mais rápido, atende a demanda e ganha um novo cliente. Já as empresas poderão fazer promoções. Ao receber um post de oferta, o varejista pode clicar no botão ‘Eu quero’ e o contato entre o comprador e o vendedor é iniciado. Também será possível executar promoções no ponto de venda, e não será mais necessário que o funcionário da marca vá ao local para garantir que o acordo foi cumprido. Ao acionar o botão ‘Eu fiz’, a câmera do telefone é ligada e também em segundos o vendedor recebe uma foto provando a execução.
Assim, Luckro vai conectar marcas, varejos e vendedores e, como resultado, todos vão lucrar mais. A proposta é a de ampliar a rede de contatos e, como consequência, vender para mais varejos (no caso das marcas e vendedores) e conhecer novos produtos e ser atendido (no caso dos pequenos varejos que muitas vezes são ignorados pelos fornecedores e acabam recorrendo a atacadistas).

Demanda
No mundo, em média, 8% dos varejos sofre por ruptura. Isso representa mais de US$ 6 bilhões em vendas perdidas. No Brasil, o percentual chega a 15%. Com a Luckro, o varejista vai poder alertar essa falta para todo o mercado, além de poder receber, neste momento de alta volatilidade de preços, várias propostas para um mesmo produto, escolhendo a melhor opção. Só não vai vender e ampliar a carteira de clientes quem não quiser.

Quanto custa
A Luckro não é uma plataforma de e-commerce. Ela ganhará por publicidade e inteligência de mercado. No plano de negócios, o varejista nunca vai pagar nada. O acesso é ilimitado para marcas e vendedores, exceto para fazer posts especiais, publicitários ou de ofertas, e para escutar o mercado, no caso das pesquisas. Para tal, o valor mensal é de R$ 1 por varejo. Vale lembrar que mandar um vendedor para uma visita de 15 minutos em um único ponto de venda custa R$ 25.

Equipe forte
À frente da empresa está Jorge Alexander Kowalski, com 20 anos de experiência em todos os lados do balcão, que vive no Brasil desde 2003 e acumula, aqui, experiências em empresas como Femsa Coca-Cola, Heineken, Pernod Ricard e Vulcabrás, e, antes disso, Philip Morris e Esso. A criação de um conselho ajudou a formatar o projeto e a tirá-lo do papel. O conselho é formado por Leonardo da Rocha e André Paganuchi, sócios da PerformaIT, com mais de 15 anos desenvolvendo e comercializando tecnologia (Microsoft, SAP e Oracle); Isabel Moisés, mais de 20 anos de experiência nas áreas comerciais, de consultoria e RH em empresas como Heineken e Philip Morris; Pierre de Greef, ex-diretor da Apple que lançou o iTunes no Brasil, 15 anos em empresas de tecnologia e comunicações (Apple e Orange); Rino Ferrari Filho, proprietário da Rino Publicidade; Simon Schvartzman, 30 aos de Itautec, e Alina Correa, mais de 20 anos como executiva no Santander e BMI.

Como surgiu
O primeiro insight foi em julho de 2014, quando Jorge Kowalski começou a reavaliar a distribuição de tênis e sapatos e viu que os problemas eram os mesmos que já tinha encontrado anteriormente: uma rede de representantes comerciais com muitas distrações e um nível de profissionalismo irregular, profissionais sem vínculo com a marca. Então pensou em uma ferramenta de comunicação direta, mas que não colocasse em risco o tipo de contrato entre esses vendedores e as empresas e fosse capaz de unir os membros de uma comunidade e realizar transações comerciais. Com base em produtos que já existiam – redes sociais corporativas -, decidiu adicionar funcionalidades que permitissem acelerar os processos de integração e comunicação. Mas a decisão de criar a Luckro foi tomada na Praia de Copacabana. Numa tarde de verão, já não havia coco para vender. O dono da barraca já tinha tentado, sem sucesso, contato com fornecedores. O empresário perguntou se ele usaria um aplicativo por meio do qual ele pudesse dizer que estava faltando coco e recebesse ofertas de fornecedores. Na hora, ele queria saber como fazia o download.

Tags, , ,

Startup HoneyDreams participa de evento na Irlanda

A startup HoneyDreams, primeiro e-commerce de viagem com foco no segmento de turismo para casais do Brasil, participa nos próximos dias de um dos encontros mundiais mais importantes da área de tecnologia e empreendedorismo, o Web Summit 2015. A conferência reúne empreendedores, investidores, CEOs e líderes globais do setor.

O evento que ocorre entre os dias 03 e 05 de novembro, em Dublin, na Irlanda, é responsável por reunir as maiores empresas de tecnologia e fundos de investimentos do mundo. Somente neste ano participam da Web Summit mais de 30 mil participantes, de cerca de 100 países diferentes, 500 oradores, mais de 1000 investidores e 800 jornalistas credenciados.

A plataforma da HoneyDreams lançada oficialmente no início do mês de outubro para os consumidores disponibiliza online pacotes que incluem roteiros e programações completas para viagens a dois.

Convidados a integrar o grupo Alpha 2015 do evento, que se destina a apoiar startups promissoras, os sócios já embarcaram rumo a capital irlandesa para participar do evento que inicia nesta terça-feira (03). Durante o encontro, o fundador Marcus Vinicius Rossi e o investidor e mentor Mauricio Perucci terão a oportunidade de apresentar o modelo de negócios da HoneyDreams para os maiores investidores do mundo.

Das empresas que se candidataram ao programa Alpha 2015, apenas 10% foram selecionadas de acordo com a organização. A participação no programa proporciona a imersão em workshops, encontros com investidores, acesso a jornalistas especializados e também um stand próprio para apresentação da empresa, além de acesso à chamada Startup University e a todas apresentações programadas para o evento.

Para o fundador da plataforma a participação oferece a oportunidade de iniciar contatos promissores “O mundo das startups e de TI estará reunido no mesmo evento. É uma oportunidade de apresentar a HoneyDreams internacionalmente. Estamos abertos a rodadas de investimento, mas o mais importante mesmo, é estarmos na vitrine e fazendo bons contatos”, destacou Marcus Rossi.

Nesta edição do Web Summit irão participar o presidente dos estúdios de animação Pixar, Ed Catmull; o diretor de tecnologia do Facebook, Mike Schroepfer; e um dos fundadores do Instagram, Mike Kriege. A agência Bloomberg chama o evento de “Davos para Geeks”, em uma alusão ao Fórum Econômico Mundial. Entre as Startups de sucesso que já participaram do encontro estão grandes nomes como AirBnb, Vine e Uber.

Tags, , , ,

Startup de retargeting é selecionada para encontro com gigantes de tecnologia

Participar do maior encontro das principais empresas internacionais de tecnologia em seu primeiro ano é um feito que poucas startups alcançam. O mérito é da brasileira ShopBack, multiplataforma para recaptura de usuários abandonados e retenção de clientes com remarketing por meio de Big Data, que estará no Web Summit 2015, entre 3 e 5 de novembro, em Dublin, na Irlanda.

A ShopBack se junta às “500 startups mais interessantes do mundo” segundo a Fortune – onde figuram Instagram, Uber e outras marcas internacionalmente conhecidas – ao se destacar com uma tecnologia inovadora de retargeting por comportamento via e-mail e Facebook. A plataforma permite aos e-commerces e empresas que atuam na Internet recuperar leads e transformá-los em receita, aumentando o retorno sobre investimento (ROI) em até 35%.

As etapas do processo seletivo para participar do Summit envolveram apresentação da startup e sua solução, divulgação dos números conquistados e três entrevistas por conferência. A ShopBack começou a atuar no mercado virtual brasileiro no início de 2015 e já tem em seu portfólio 140 grandes marcas de diversos segmentos, como Ambev, Centauro, Itaú, Tecnisa, Jeep, Pepsi, Ricardo Eletro, Localiza, HP, Viajanet. Ao todo, movimenta em sua plataforma cerca de R$ 600 milhões por mês.

“Essa é uma excelente oportunidade de mostrar para o público internacional como conseguimos trazer para o e-mail e rede social dos clientes, com baixo investimento e risco zero, uma tecnologia de retargeting utilizada por empresas como Google e Facebook”, afirma Isaac Ezra, diretor executivo da ShopBack.

Em três dias, o evento deve receber mais de 30 mil pessoas de 100 países. “O networking neste encontro será fundamental para cumprirmos nossa meta para 2016, de expandir para os mercados norte-americano e europeu”, completa Ezra.

Conheça as ferramentas da multiplataforma da ShopBack:

ShopTarget – A exclusiva tecnologia de Behavior E-mail

Retargeting – Retargeting por Comportamento consegue identificar o cliente pelo cruzamento de milhões de informações por segundo, somados ao histórico de navegação, permitindo a interação mais assertiva. Possibilita, ainda, o envio de e-mails com alerta de redução de preços e recomendação de produtos relevantes.

ShopSocial – Outra tecnologia exclusiva que permite a recuperação de carrinhos abandonados através das redes sociais dos usuários. Além de possibilitar uma comunicação mais próxima e direta com os clientes, é possível programar a exibição da mensagem no momento da tentativa de abandono, de acordo com a localização, durante inatividade ou qualquer outra ação.

ShopConvert – Retenção do usuário por meio de overlays dinâmicos e com recomendações ativados a partir do seu comportamento. É possível programar a exibição da mensagem no momento da tentativa de abandono, de acordo com a localização, durante inatividade ou qualquer outra ação, a fim de entender o motivo e incentivar uma interação.

ShopCart – Permite o envio de e-mails personalizados para clientes não logados após o carrinho abandonado.

ShopLead – Recupera leads desconhecidos, que não estavam logados nem forneceram informação, por meio de comportamento revelado por cookies de navegação e cruzamento de dados, para identificação e envio de mensagem de e-mail.

ShopAlert – Programa a exibição de alertas com informações relevantes ao cliente, como quantidade de estoque de produto, número de visitantes online e outros dados motivadores para recuperar compradores por impulso.

Tags, , ,

Brasil Mais TI e Start-Up Brasil são destaques da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

A Softex, pelo segundo ano consecutivo, participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2015) apresentando os programas Brasil Mais TI, maior projeto de capacitação em Tecnologia da Informação gratuito do país, e pela primeira vez, o Start-Up Brasil, que visa selecionar e apoiar empresas nascentes de base tecnológica.

Promovido simultaneamente em diversas localidades do país pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o evento tem como proposta mobilizar a população, em especial as crianças e os jovens, em torno de temas e atividades ligadas às áreas de Ciência e Tecnologia.

Entre os dias 19 e 25 de outubro, em todos os períodos, a Softex promoverá em seu estande no Pavilhão do Parque da Cidade, em Brasília, uma série de iniciativas. Professores e alunos terão informações sobre os mais de 20 cursos de programação e as demais funcionalidades oferecidas pela plataforma Brasil Mais TI. Os alunos terão também a oportunidade de participar de dois diferentes cursos lúdicos e campeonatos: Imagine Cup da Microsoft, e Hora do Código da Fundação Lemann.

“A proposta do Brasil Mais TI é cativar o interesse dos jovens pela programação. Um levantamento realizado pela unidade de inteligência, estudos e pesquisas da Softex aponta para um déficit aproximado de 408 mil profissionais de TI em 2020. O programa tema proposta de despertar a vocação e assim estimular a entrada de novos profissionais em um setor considerado estratégico para o país”, destaca Ana Beatriz Pires, gestora do projeto na Softex.

Estimulando o espírito empreendedor – Quatro startups que integram o programa Start-Up Brasil se revezarão na apresentação de suas empresas inovadoras aos estudantes que visitarem o estande da Softex. O objetivo é estimular o espírito empreendedor dos jovens e mostrar que a abertura de um negócio próprio é uma opção possível para qualquer pessoa.

Nos dias 21 e 22, os alunos poderão conhecer o projeto de construção do ciclo-elétrico híbrido da baiana Guell, um veículo elétrico leve de duas rodas com um inovador desenho industrial e um conjunto eletroeletrônico de baixo custo, além dos projetos de simuladores de voo da Virtual Avionics, que trabalha atualmente no desenvolvimento de um novo sistema a ser empregado tanto para fins recreativos quanto para a formação de pilotos em escolas de aviação e empresas aéreas.

Já nos dias 23 e 24, o estande será ocupado por duas startups focadas em educação: a editora digital EvoBooks, que possui conteúdo interativo e atraente, e a Overdrive, criadora da plataforma de educação tecnológica Kubi que auxilia professores a ensinar robótica e programação através de desafios e vídeos curtos utilizando a linguagem da internet.

O Start-Up Brasil é uma iniciativa do MCTI com gestão operacional da Softex e realizado em parceria com aceleradoras. Atualmente, apoia 183 startups nacionais e internacionais, possui uma rede de 17 aceleradoras em 7 estados brasileiros e mais de 50 parceiros públicos e privados.

Confira a programação completa da SNCT 2015 acessando http://semanact.mcti.gov.br/

Fonte: Softex

Tags, , , ,

Startup brasileira inova com serviço de lavanderia por assinatura online e atrai investidores internacionais

794929_1

Criado para resgatar a cultura da antiga lavadeira, que deixava as roupas limpas e perfumadas, o serviço de assinatura online aLavadeira.com foi fundado há 2 anos para trazer mais praticidade à rotina dos brasileiros. A iniciativa nasceu com o objetivo de ser uma versão nacional de um hábito já popular na Europa e nos Estados Unidos; a utilização de lavanderias externas para as roupas do dia a dia, mas com um conceito tecnológico e personalizado para as necessidades de cada assinante.

A dinâmica da empresa, solidez do projeto e os resultados expressivos obtidos neste curto período de tempo, credenciaram aLavadeira.com para receber um importante aporte de capital, de R$ 6,4 milhões, de dois fundos – o CVentures e o CRP Empreendedor.

Totalmente inovador, o modelo de negócios tem seu diferencial concentrado na gestão logística e operacional, que prioriza eficiência, qualidade e o atendimento personalizado online. A ideia dos sócios Humberto de Andrade Soares (administrador de empresas, 39 anos) e Gilson Gonçalves (engenheiro eletricista, 31 anos), surgiu quando um deles foi procurar um apartamento para morar e percebeu que as áreas de serviço dos novos empreendimentos eram muito reduzidas. Foi daí que decidiram criar uma lavanderia com um conceito não existente no mercado, que pudesse lavar toda a roupa da família.

“No Brasil as lavanderias ainda são muito voltadas para a lavagem de roupas especiais. Neste segmento a tecnologia não evoluiu no mesmo ritmo dos demais setores da economia e praticamente não houve inovação”, avalia Soares. Para executar a ideia, a dupla procurou uma solução que aumentasse a produtividade e encontrou a resposta justamente na tecnologia empregada para o controle e cuidado das peças.

Duas vezes na semana, a empresa retira, lava, passa e entrega toda a roupa da família. O contato entre empresa e cliente acontece via internet, por onde é possível contratar o serviço.

Com o investimento trazido pela chegada dos novos parceiros, aLavadeira.com pretende aperfeiçoar o atendimento e otimizar a operação, além de expandir a capacidade produtiva. Para o primeiro trimestre de 2016, aLavadeira.com pretende expandir sua atuação, se prontificando a receber milhares de novos assinantes.

Com a inauguração de um novo centro de cuidado têxtil, ampliação do maquinário e do quadro de funcionários, a expectativa é multiplicar a capacidade em 20 vezes, atendendo até 30 mil famílias e gerando 400 empregos diretos. Além disso, a empresa tem planos para expandir para novas regiões já em 2016.

Tags, ,

Consinco investe em aceleradora de startups

A Consinco, desenvolvedora de sistemas de gestão (ERPs) para redes de varejo, atacado e distribuidores do País, anuncia a criação do SEVNA Seed, a primeira aceleradora de startups de base tecnológica instalada em Ribeirão Preto, em São Paulo. O SEVNA Seed será voltado a empresas que possuam, prioritariamente, soluções para as áreas de educação, e-commerce, saúde/bem-estar, corporativa, agronegócio, mídia, mobilidade urbana, internet das coisas e sociedade da Informação.

Com um aporte inicial estimado de R$ 4,5 milhões, em investimentos diretos e indiretos, o SEVNA Seed prevê investir e trabalhar na aceleração de nove startups, em um prazo aproximado de 20 meses. Cada empreendimento poderá chegar a receber até R$ 500 mil de investimentos.

Do valor total, R$ 2 milhões serão aportados pelo SEVNA. Os demais investimentos serão provenientes de parcerias com grandes empresas e instituições. A Amazon, maior empresa de varejo online do mundo, por exemplo, oferecerá um crédito de US$ 100 mil para cada startup utilizar em recursos na plataforma do grupo. Entre as parcerias previstas, já estão confirmados o Polo Industrial de Software de Ribeirão Preto (PISO), o Sympla, o Movimento Empreende Ribeirão (Mover) e a Universidade de São Paulo (USP).

O SEVNA Seed é uma iniciativa encabeçada por um grupo de 10 empresários, que buscam oferecer condições a empreendedores e negócios inovadores, em estágio inicial, para se consolidar no mercado de forma rápida e sustentável. O projeto nasceu dentro do Instituto SEVNA, entidade sem fins lucrativos, fundada em 2011, a partir do espírito empreendedor desses empresários, formados e atuantes na área de tecnologia da informação na região de Ribeirão Preto.

O grupo é formado pelos empresários Carlos Henrique (Techno Software), Ronan Rocha (Heurys), Dario Gouvea (DiaSystem/Linx), Flavio Barros (Consinco), João Duarte (Utilsoft), João Paulo Geroldo (2Gather), Adriano Bernardes (SimplificAção), Milton Macedo (Ribeirão System), José Carlos Porto (SMARAPD) e Wladimir Bianchi (TTI).

“O propósito do SEVNA Seed é despertar, lapidar e acelerar os empreendedores com o sonho de transformar o Brasil por meio do sucesso de seus negócios inovadores”, afirma o executivo Ricardo Agostinho, presidente do SEVNA Seed. “A entidade apoia-se no tripé ideia inovadora, competência e capacidade de execução. A experiência da equipe e de seus fundadores mostra que inovação, conhecimento para colocar a ideia em operação e desejo de empreender e vencer são a base de um negócio sólido e lucrativo”, diz.

“O investimento em aceleradoras de startups é uma excelente oportunidade para as empresas e investidores acompanharem de perto os movimentos de empreendedorismo e inovação. A iniciativa do SEVNA Seed e nosso investimento nesse projeto são totalmente aderentes ao propósito de inovação permanente da nossa empresa”, afirma Flávio Barros, presidente da Consinco.

SELEÇÃO

O programa já está aberto para inscrições por meio da plataforma Fundacity, especializada em aceleração de startups. A seleção ocorrerá em dezembro. O início do programa está previsto para janeiro de 2016.

O critério de seleção determina que as startups possuam, no mínimo, dois empreendedores – um com perfil de negócios e outro técnico – dedicados ao negócio. Fundadores, investidores e colaboradores do SEVNA participarão da seleção por meio da pontuação dos critérios previamente definidos, agrupados por equipe, ideia, grau de Inovação, produto e mercado.

A aceleração inclui mentorias com especialistas de diversas áreas e experiência de mercado. Parte importante do processo de capacitação dos empreendedores será composta por workshops, de acordo com o programa de aceleração e, principalmente, conforme o estágio de cada startup. Dentre os workshops, destacam-se: Business Model Canvas, Blue Ocean Strategy & Value Proposition, Revenue Models, Design Thinking, Customer Development, MVP, Information Architecture and Wireframming, Pitching, Optmization, Analytics, A/B Testing, Adwords, Growth Hacking e Valuation.

O ponto alto do programa é o chamado “Demoday”, evento em que as empresas aceleradas demonstram para uma plateia de parceiros, grandes players e potenciais investidores seus planos e seu modelo de negócios.

O SEVNA Seed está hospedado no Supera Parque, o Parque Tecnológico de Ribeirão Preto, que faz parte do Sistema Paulista de Parques. A aceleradora é vizinha e parceira do campus da USP de Ribeirão Preto, que reúne quase 14 mil estudantes de graduação e pós-graduação. Em um raio de 100 quilômetros, também estão instalados os campi da Unesp, da USP e de universidades federais, como a UFSCar, além de universidades particulares.

Tags, ,

Startup cria ferramenta que evita desperdícios e perdas financeiras em farmácias

A startup Arquivei tem chamado a atenção de empresas de todo o país – já possui milhares de clientes em 25 estados brasileiros. Inicialmente, a primeira ferramenta oferecida era a gestão de notas fiscais, obtendo todos os documentos emitidos contra o CNPJ das empresas contratantes do sistema, organizando e guardando de forma legal, isentando clientes de multas em caso de fiscalização – até mesmo a Arcos Dourados, gestora da rede McDonald’s no Brasil, se rendeu à novidade.

Agora, a empresa, sediada em São Carlos, um dos pólos tecnológicos mais famosos do Brasil, acaba de lançar ao mercado uma nova ferramenta, o aplicativo +Farmácia, capaz de reduzir exponencialmente perdas com medicamentos vencidos. A dinâmica do novo produto consiste em basear-se nas informações cedidas pelo fornecedor. “Uma vez que a farmácia compra um produto, uma Nota Fiscal Eletrônica é emitida pelo fornecedor e enviada diretamente para a Secretaria da Fazenda. O Arquivei obtém automaticamente esta nota, extrai informações de medicamentos e alimenta o App +Farmácia, que realiza uma pré-análise para identificar possíveis riscos referentes à validade dos produtos a serem entregues. Basta, então, apenas informar um período mínimo para venda, o App identifica automaticamente produtos vencidos ou com vencimento próximo, permitindo uma ação imediata e evitando perdas”, explica Christian De Cico, 28, diretor e fundador da empresa.

Para avaliar a efetividade do novo aplicativo, o Arquivei realizou um estudo de caso com a rede de farmácias Rosário, durante 30 dias. Ao final, segundo De Cico, o +Farmácia acabou prevenindo em 80% os gastos referentes à incineração e perda de produtos com potencial de venda.

Sobre o Arquivei

Idealizado em 2013 e colocado em prática durante 2014, o Arquivei é um programa online que se conecta à Secretaria da Fazenda e baixa as NFes emitidas contra o CNPJ da empresa, concentrando-as num Painel de Gestão de Notas, o que facilita e otimiza o arquivamento dos documentos com garantia legal. Além dessa solução, a empresa tem criado outras ferramentas com foco na organização e redução das perdas para empresas de diversos ramos.

Tags, , ,

Startups podem ter mais investimentos com mudança no Supersimples

Seminário da Softex no Rio Info 2015 debateu projeto que incentiva o investidor-anjo a aplicar recursos em novos empreendedores

O Projeto de Lei que amplia os limites para o enquadramento no Supersimples abre uma nova janela para startups brasileiras. Um dos dispositivos incluídos no PLC, aprovado na Câmara e que tramita no Senado, institucionaliza a figura de investidor-anjo, que poderá colocar recursos em novos empreendimentos sem ter que se tornar sócio.

Esse dispositivo permite tanto pessoas físicas quanto empresas atuarem como investidor sem que haja vínculos administrativos com a nova empresa. O investidor-anjo não terá direito a voto ou gerência. Por outro lado, não responderá por qualquer tipo de dívida – tributária ou financeira – caso a nova microempresa fracasse.

“Grandes ideias precisam estar acompanhadas do mínimo de capital para serem iniciadas e disputar nesta selva que é o mercado. O Projeto permite a quem investe capital nessas grandes ideias não ficar contaminado com a eventual falta de êxito da empresa. É uma forma inovadora e moderna de promover o desenvolvimento econômico, que vai beneficiar as startups”, comenta o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), um dos parlamentares que trabalharam pela aprovação do texto na Câmara.

O deputado foi mediador na Mesa Redonda sobre o Programa Start-Up Brasil do Seminário Competitividade Global das Empresas Brasileiras de TI, promovido pela Softex no âmbito do Rio Info 2015.

Autor da emenda parlamentar ao Orçamento que garantiu ao estado do Rio de Janeiro o montante de R$ 400 mil para financiamento de projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação, Leite defende também o financiamento coletivo, feito por meio de sites na internet, como outro novo caminho para dar suporte às startups. O parlamentar propõem incentivos fiscais para quem participar de financiamentos coletivos. “Quem aposta em crowdfunding tem que ter algum tipo de incentivo fiscal porque está contribuindo para o desenvolvimento econômico”, argumenta Leite. Projeto de Lei de autoria do deputado ainda em discussão na Casa propõe a dedução de 10% no imposto de renda do valor investido por apoiadores. Em caso de projetos sociais, o benefício chegaria a 50% do valor.

O presidente da Softex, Ruben Delgado, que coordenou o evento, destacou que o programa Start-Up Brasil é uma demonstração do potencial que os novos negócios passam pela mudança cultural. “A nossa cultura é a cultura do pertencimento. Hoje não existe mais ‘o meu empreendimento’ ou ‘o meu governo’. Os novos empreendedores não têm medo de compartilhar ideias e isso é que faz a startup algo revolucionário”, comenta. “Esse movimento que se faz agora com as startups não é de um governo, é de um estado. Os números do Start-Up Brasil mostram que aquilo que se semeia hoje trará bons frutos rapidamente”, diz Delgado.

Segundo José Henrique Dieguez, coordenador geral de Serviços e Programas de Computadores, da Secretaria de Política de Informática do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o sucesso do programa se devem, em grande parte, ao rigor com que os projetos inscritos são selecionados. “O filtro para aceitação dos projetos é extremamente rigoroso”, diz, apontando que apenas 6,5% dos projetos inscritos são aprovados pelo Start-Up Brasil. “Esse é o conceito do programa. O processo de aprovação é difícil, mas a entrega é satisfatória”, acrescenta. Em quatro chamadas, foram feitas 2855 inscrições. Desse total, 183 projetos foram apoiados e atualmente são acompanhados de perto pelo programa.

Ver resultados do Programa em: http://startupbrasil.org.br/demo-day-start-up-brasil-e-venture-forum-reunem-20-startups-de-destaque-e-apresentam-numeros-de-crescimento/?lang=pt

Fonte: Start-Up Brasil

Tags,

10 Lições que as startups ensinam para a vida

Muito se fala sobre a cultura de startups e como fazer uma empresa dar certo. Mas o caminho inverso também é válido e pode agregar conhecimentos e práticas valiosas para a vida de quem não está na onda do empreendedorismo, mas gostaria de acelerar seu desenvolvimento. O coordenador geral da Pós-Graduação da Universidade Positivo, de Curitiba (PR), Leandro Henrique Souza, listou alguns conceitos e dicas muito comuns entre a nova geração de empreendedores e que podem ser adaptados para potencializar o sucesso da sua vida pessoal. Confira.

1. Haja rapidamente e quebre paradigmas (move fast and break things)

Esse é o mantra que Mark Zuckerberg, CEO do Facebook prega até hoje. A ideia é que a velocidade da criação é a chave para o sucesso, mesmo que algumas coisas não estejam 100% certas ou ainda precisem de ajustes. É preciso agir rápido, sair na frente e estar em constante movimento para ir em busca do sucesso.

2. Pivotar

O termo vem do inglês – pivot -, que significa girar ou mudar. É bastante usado no mundo de startups e representa a flexibilidade que é preciso ter para mudar a direção, se for preciso. O erro está mais perto do acerto que do fracasso. Pivotar não significa um fracasso, mas sim um ajuste de trajetória e uma nova visão ou perspectiva de algo.

3. Tenha um olhar periférico

Uma boa dica de leitura é o artigo “Restrições são libertadoras”, de Fábio Akita. O argumento do autor é válido não só para o mundo dos negócios, mas também para a vida pessoal. Ficar esperando que surjam melhores opções, um cenário mais promissor ou uma oportunidade melhor não vai levar ninguém a lugar algum. Já o contrário se prova verdadeiro, pois a necessidade é a mãe da inovação e da criatividade.

4. Correr riscos inteligentes

Essa dica é muito simples e direta: arrisque mais! Tente novos projetos, ouse tirar ideias do papel, experimente novos caminhos e maneiras de fazer coisas diferentes. Ao sair da tão falada zona de conforto, você se depara com diferentes necessidades e situações que podem te surpreender. Corra riscos inteligentes. E, afinal de contas, o não você já tem.

5. Empreenda pelas razões certas

Seja significativo. Buscar a solução de um problema ou elevar a qualidade de vida das e não apenas o lucro, com certeza é mais recompensador e pode render até mais financeiramente, pois seu produto ou serviço se venderá sozinho. Além disso, se você conseguir identificar e criar algo que resolva um problema que você tem, com certeza estará ajudando centenas de outras pessoas. Então, ao adotar a filosofia de agir pelas razões certas, o dinheiro acaba sendo uma consequência natural.

6. A boa aleatoriedade

Ver e ser visto, conhecer novas pessoas e interagir são recomendações que trazem benefícios tanto para sua vida pessoal como profissional. Se seu interesse é por inovação, por exemplo, confira os eventos que estão acontecendo em sua cidade e participe. Aproveite para conhecer pessoas que compartilhem do mesmo ideal ou sonho que você, troque ideias e multiplique conhecimento. É aquela velha história: ninguém arruma um novo namorado ficando em casa.

7. Colabore informalmente

Viu um link interessante na internet? Leu uma matéria que pode interessar a alguém? Então envie a informação para a pessoa e colabore com o interesse dela. Isso é chamado de colaboração informal e faz bem, tanto à sua imagem pessoal, quanto à sua rede de amizades e conhecidos, pois você se mostra ser alguém que compartilha informações úteis e significantes para a rede de relacionamentos.

8. Sentimento de urgência

Não deixe nada para depois! É sério! Sempre quis fazer aquele curso de gastronomia? Então faça. Sempre sonhou em aprender como se desenvolve aplicativos para celulares? Então procure uma instituição de ensino e se matricule ou pesquise por conta e seja autodidata, já que as opções são inúmeras. Quem vive a realidade das startups sabe que tempo é importante e vale mais do que dinheiro. Então o importante é não ficar parado acumulando sonhos e deixar as realizações para depois.

9. Seja enxuto

Essa dica vem do conceito de lean startup e envolve a eliminação de desperdícios para maximizar a performance. Ou seja, otimize suas ações para ter o melhor resultado possível, tanto no tempo, como com os recursos e sem perder qualidade. Esse conceito é ideal para quem tem uma meta, mas ainda não tem certeza de como alcançá-la. A sugestão é descrever o passo a passo inicial e aí tentar enxugar e otimizar cada ação. Isso vale para uma empresa, para uma viagem de férias ou para a construção de uma casa.

10. Se permitir – viver a vida fora do escritório

Por fim, depois de tantas dicas, a mensagem final é: permita-se um pouco. Se tem algo que todos podem aprender com a cultura startup é que a vida não acontece somente dentro das paredes de um escritório, durante o horário comercial. Ao afrouxar um pouco as linhas que dividem a vida pessoal e a profissional, pode ser possível aproveitar um pouco mais os dois lados. Ir trabalhar em um café no centro da cidade ou tirar umas horinhas para você durante a semana, já que aquela ideia surgiu no meio do fim de semana e você aproveitou para adiantar o projeto, pode ser uma forma de tirar o melhor proveito das situações.

Tags, ,