Page

Category startup

Aplicativo da Emprego Ligado é eleito o melhor da América Latina pelo Programa FbStart do Facebook

A Emprego Ligado foi eleita uma das cinco melhores startups com aplicativos da América Latina pelo programa FbStart do Facebook. A plataforma de georecrutamento concorreu entre mais de 1.000 competidores de 89 países. Desenvolvido para buscar vagas operacionais via geolocalização, o software ajuda o candidato a localizar as oportunidades que estejam mais próximas de sua residência.

Realizado há três anos, o programa FbStart tem o objetivo de ajudar startups a obter sucesso fornecendo ferramentas gratuitas, serviços, benefícios de parceiros e orientação. Neste ano, os princípios julgados para a eleição dos aplicativos foram: crescimento e engajamento, experiência e design, eficiência em escala e aproveitamento da plataforma do Facebook. As categorias da premiação também incluem os melhores aplicativos por região e os que mais contribuem para o bem social.

O grande vencedor da competição geral foi o app Voice Tube, de Taiwan, que ensina inglês por meio de vídeos. Os demais vencedores foram Musixmatch (App do Ano na Europa, Oriente Médio e África), RadPad (App do Ano na América do Norte) e MedShr (App de Bem Social). Os aplicativos foram julgados por uma equipe de especialistas em tecnologia de empresas como Andreessen Horowitz, ChangeCorp, DeskConnect, GitHub, Saavn e do próprio Facebook.

Tags,

InovAtiva Brasil abre inscrições para segundo Ciclo de Aceleração de startups no ano

Empresas inovadoras iniciantes de qualquer setor podem concorrem a uma das 300 vagas no maior programa público de aceleração do mundo

Começaram as inscrições para o maior e mais completo programa de aceleração do país, o InovAtiva Brasil. Startups de todo o país e de qualquer setor da economia podem concorrer a uma das 300 vagas para o programa que proporciona capacitação, mentoria e conexão aos selecionados. Os interessados têm até o dia 27 de junho para submeter inscrições, somente pelo site do programa.

Criado em 2013 pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o InovAtiva Brasil é um programa que auxilia e orienta empreendedores iniciantes com uma boa tecnologia mas pouco conhecimento de negócio, oferecendo capacitação e mentoria para o estabelecimento de novos negócios inovadores. O InovAtiva é executado pela Fundação CERTI e tem como parceiros estratégicos o SEBRAE e o SENAI.

De acordo com o Ministro Marcos Pereira, o InovAtiva Brasil é uma política pública robusta que tem potencial para elevar consideravelmente o número de empresas brasileiras inovadoras e competitivas no mercado global no longo prazo. “Esse é o quarto ano do programa e já são diversos os casos de sucesso das startups participantes, inclusive com algumas abrindo mercado no exterior”, afirmou.
Esta é a primeira vez que o InovAtiva abre um segundo Ciclo de Aceleração em um mesmo ano. A primeira edição de 2016, que vai até 29 de agosto, selecionou 300 startups de 21 estados, entre os 1.372 projetos submetidos. Segundo Secretário de Inovação e Novos Negócios do ministério, Marcos Vinícius de Souza, não há notícia no mundo de outro programa público que ofereça um ciclo completo de aceleração, com capacitação, mentoria e conexão para startups, na escala de 600 empresas por ano como o InovAtiva fará a partir de 2016.

Para Souza, atingir essa meta demonstra a maturidade alcançada pelo InovAtiva como um programa de aceleração verdadeiramente de larga escala e abrangência nacional. “O apoio do SEBRAE e de outros parceiros é fundamental para alcançarmos esse objetivo, pois só com eles o programa tem força e capilaridade para chegar a um número tão grande empresas sem perder qualidade”, afirmou.

Podem submeter projetos startups que tenham negócios inovadores com faturamento anual máximo de R$ 3,6 milhões e que não tenha recebido investimento em participação de terceiros (investidor anjo, fundo de investimento) acima de R$ 500 mil.

O programa oferece capacitação de nível mundial em empreendedorismo inovador, por meio de cursos gratuitos e outras atividades; acesso a mentores nacionais e internacionais; conexão com possíveis parceiros, investidores e grandes empresas; suporte para internacionalização; e vantagens adicionais para startups em outros programas públicos e privados parceiros.

Tags, , , , , , , ,

Última semana para se inscrever no Programa Grants4Apps da Bayer

Startups de todo o país já podem se inscrever para nova rodada do processo seletivo do Programa Grants4Apps da Bayer. Interessados têm até o dia 31 de maio para inscreverem seus projetos digitais que contribuam para melhorias na área de saúde. Nesta edição, os esforços estão direcionados aos projetos relacionados às áreas de Saúde Feminina, Cardiologia, Oftalmologia, Hematologia, Oncologia e Radiologia.

“Estamos à procura de startups que desenvolvam soluções para determinadas áreas de saúde da Bayer ou, ainda, que tenham iniciativas focadas em projetos que suportem a prevenção de doenças, aderência ao tratamento pelos pacientes, testes clínicos, awareness ou gerenciamento de condições clínicas. As soluções podem ser mobile apps ou serviços, wearables, software ou hardware. Nós não limitamos a tecnologia.”, ressalta Patrick Fenzl, IT Business Intelligence & Analytics da Bayer Brasil.

Os candidatos precisam ter acima de 18 anos de idade, domínio da língua inglesa e a composição da equipe requer três membros, no mínimo.

“As opções são inúmeras, mas o ponto em comum dessa iniciativa global da Bayer é a paixão pela inovação. Somos uma empresa focada em Ciências da Vida e o fomento à educação e inovação fazem parte do DNA da Bayer”, acrescenta Theo van der Loo, presidente do grupo Bayer no Brasil.

O contrato do programa será assinado somente com pessoas jurídicas, ou seja, candidatos que possuam um registro da razão social da empresa, independente do país.

“Os principais integrantes das startups selecionadas ficarão nas instalações da Bayer em Berlim de agosto a dezembro de 2016 para acelerar o desenvolvimento de seus projetos”, explica van der Loo.

A Bayer oferece uma série de benefícios para os cinco times selecionados: aporte financeiro de 50.000 euros para cada startup durante toda a estadia, coaching e treinamento intensivo com especialistas no assunto, mentoria com altos executivos da Bayer, além do acesso a uma ampla gama de contatos profissionais.

Camila Navarro, IT Digital and Innovation Manager da Bayer Brasil, vislumbra um cenário otimista para o País: “Neste ano, a subsidiária brasileira da Bayer está apostando fortemente em um mercado que já é considerado um celeiro de startups. O programa busca tecnologias e processos que proporcionem melhorias na área de saúde e essa pode ser uma chance incrível para muitos empreendedores digitais brasileiros”.

A Bayer tem investido em tecnologias de ponta para entregar mais e melhor a missão da Companhia, no compromisso conjunto a todos os colaboradores, que é fazer “Ciência para uma Vida Melhor”. Agora, os esforços estão direcionados em explorar positivamente a revolução digital a fim de fortalecer sua liderança no negócio de Ciências da Vida.

A transformação digital é mais um dos passos para que a Bayer avance e inove para atender às atuais necessidades da sociedade. O maior desafio agora é integrar e alinhar as suas capacidades de forma proativa, para agregar valor à qualidade de vida das pessoas.
Para participar, os interessados devem preencher o formulário no site www.grants4apps.com/accelerator.

Tags, , ,

Como Instituições financeiras podem se adequar para competir com empresas de tecnologia

As expectativas dos consumidores em relação às suas instituições financeiras mudaram muito nos últimos anos: num mundo em que alguns toques no smartphone permitem a realização de transações e compras online, os bancos e demais empresas voltadas à concessão de crédito passaram a competir tanto entre si quanto com startups que têm reinventado maneiras de atender as necessidades financeiras de clientes que prezam cada vez mais por customização e agilidade. Um levantamento realizado pela Bain & Company revela que 39% das pessoas com 45 anos ou mais e que pretendem mudar de banco levam em conta a qualidade das versões mobile disponíveis no mercado no momento de efetuar a troca; montante que chega a 58% se forem consideradas pessoas com menos de 45 anos.

Muitos executivos do segmento enxergam nessa tendência a oportunidade de conquistar clientes com o oferecimento de serviços diferenciados, como a possibilidade de depositar cheques via câmera de celular ou pagamento remoto de contas. Entretanto, muitas vezes a falta de alinhamento entre os serviços prometidos e a entrega pelos departamentos de T.I acaba gerando frustração e desconfiança de funcionários e clientes. Para versar sobre os fatores responsáveis por esse impasse, e por algumas alternativas, Steve Berez, sócio da Bain & Company e co-fundador da prática de T.I dentro da consultoria, coordenou a elaboração do estudo “Rebooting IT: Why financial institutions need a new technology mode”, apresentado pela primeira vez no Brasil na última semana.

De acordo com o estudo, as frustrações que acontecem nesse ambiente de negócios decorrem da falta de alinhamento entre as expectativas dos gestores de entregarem experiências tecnológicas excelentes e a dificuldade do departamento de T.I de alcançar tais expectativas. “Por vezes os gestores simplesmente não se dão conta de que sistemas em operação atualmente não foram desenvolvidos para oferecer atualizações diárias ou para permitir mudanças constantes no aplicativo. O modelo atual foi concebido para proporcionar a estabilidade, previsibilidade, mitigação de riscos e eficiência, e a maioria dos bancos e instituições financeiras tem entregado tudo isso, e muito bem. Entretanto, nosso trabalho com bancos, seguradoras e empresas de gestão de riquezas mostra que é necessário ir além disso para conquistar os clientes” completa Berez.

Entretanto, muitas vezes a transformação necessária em termos de cultura organizacional e modelo de negócio para que as empresas consigam dar esse salto tecnológico é tão grande que exige que os líderes repensem toda a sua estrutura corporativa, passando a contratar, operar e elaborar estratégias mais como uma empresa de tecnologia do que como uma instituição financeira. Obviamente, grandes instituições financeiras não podem se dar ao luxo de jogar toda sua estrutura no lixo e recomeçar do zero, por isso, o estudo liderado por Berez, traz cinco ajustes adotados por grandes empresas que permitiram a otimização de seus serviços financeiros mobile e a obtenção de resultados, como o aumento de 100% das vendas digitais e o crescimento de receita três vezes superior à média da concorrência, são eles: Alinhamento de prioridades; Capacidade de entrega; Capacidade Operacional; Organização e Tecnologia.

“O grande desafio dos primeiros meses consiste na construção de uma rede de suporte e o objetivo do período restante é fazer com que as mudanças adotadas nesses cinco pilares sejam sustentáveis. Nesse sentido, o papel da liderança sênior é fundamental, na medida em que a manutenção de seu compromisso com a transformação permitirá que a mesma seja endossada pelos demais níveis. É importante lembrar que a mudança é, em última análise, sobre as pessoas, que devem sentir que são peças fundamentais do processo e que, mesmo que as transformações sejam por vezes complicadas, os resultados finais farão com que a adaptação valha a pena”, analisa Berez.

Tags, ,

Primeiro Crowdworking do Brasil já tem startups selecionadas

view.aspx

Sessenta e três jovens empreendedores são os pioneiros do Crowdworking Vale da Eletrônica, programa de incentivo ao empreendedorismo e inovação da Telefónica Open Future, Ericsson e Inatel, que funciona no campus do Instituto em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais. O anúncio dos 20 projetos selecionados foi realizado nesta sexta-feira em uma “cerimônia surpresa”, que emocionou os classificados. “Ter o nosso projeto selecionado era o que faltava para dar andamento no nosso produto e desenvolver o empreendedorismo em nossas carreiras”, disse a estudante Isabela Coelho, do 3º período de Engenharia Biomédica do Inatel.

O Crowdworking Vale da Eletrônica foi criado no início do ano e começou com 90 projetos inscritos. Quarenta e dois foram pré-selecionados para apresentações de pitchs e tiveram a avaliação de representantes das duas multinacionais e do Núcleo de Empreendedorismo do Inatel. “São projetos muito interessantes, com iniciativas realmente inovadoras. Na avaliação, levamos em consideração a evolução das equipes, a capacidade de realização e a aderência da ideia com a realidade de mercado, disse Alexandre Moreira, consultor de Tecnologias da Ericsson, que participou da seleção, juntamente com Tales Waisberg, consultor de Negócios da Ericsson, Vanderson da Silva, especialista na divisão de Tecnologia da Telefónica, Pedro Rivieri, diretor da Telefónica, Carlos Cerqueira, coordenador da Pré-Incubadora do Inatel e Raphael Pereira, gestor de Tecnologia e Inovação do Inatel.

Os 20 projetos selecionados são de alunos e ex-alunos do Inatel e atendem segmentos considerados estratégicos na área da Tecnologia da Informação e Comunicação, como Internet of Things (IoT), além de soluções que podem ser aplicadas em pequenas ou grandes empresas. “Criamos o projeto para participar do programa. Sermos selecionados é uma excelente oportunidade para criar uma startup madura. Poderemos validar nossas ideias com profissionais com grande experiência e assim deixar nosso projeto pronto para atender as necessidades do mercado”, disse Caio Pereira, ex-aluno do Inatel, que atua no laboratório de hardware da área de serviços do Instituto, e que junto com outros três ex-alunos criou o BVIoT, soluções de infraestrutura de IoT para Smart Cities.

Nas próximas semanas, os empreendedores selecionados já iniciam os trabalhos no espaço compartilhado criado especialmente para eles, além de toda a estrutura da Incubadora e do Laboratório de Criatividade, Ideação e Inovação do Inatel. As equipes vão receber suporte técnico, capacitações e mentorias dos profissionais, executivos e parceiros envolvidos no programa, além da oportunidade de receber apoio de futuros investidores e aceleradoras, como a Academia Wayra, que também integra as iniciativas do Telefónica Open Future e vai acompanhar as startups. “São projetos muito sólidos, muito bem estruturados, com potencial de aceleração e que podem, em um momento posterior, ser um produto ou serviço de interesse da Telefónica/Vivo”, disse o diretor da Telefónica, Pedro Rivieri.

Durante o anúncio dos selecionados, o diretor do Inatel, professor Marcelo de Oliveira Marques, falou sobre a importância do programa não só para o desenvolvimento dos jovens selecionados. “Eles vão passar por um processo diferenciado voltado ao empreendedorismo, à inovação, à geração e distribuição de valor que vão transformá-los. E temos certeza que, ao final, teremos profissionais ainda mais diferenciados e novas empresas que contribuirão para o desenvolvimento econômico e tecnológico do país”. Também foram exibidos depoimentos dos integrantes da banca avaliadora, da diretoria e presidência da Ericsson, incluindo os ex-alunos do Inatel, Eduardo Ricotta, vice-presidente da Ericsson América Latina, e Sergio Quiroga, presidente da Ericsson América Latina, que parabenizou os jovens. “Aproveitem essa oportunidade e tudo o que o programa entre Ericsson, Telefónica e Inatel oferece”.

Tags, , , , , ,

Startup mineira quer revolucionar mercado de classificados

SempreDaNegocio

Lançada em 2016 e com a missão de ser diferente dos grandes players do mercado, o portal de classificados SempreDaNegocio promete revolucionar o setor de classificados. Com mais de 320.000 anúncios de imóveis e 240.000 de veículos, o site oferece anúncios gratuitos e planos onde o anunciante pode obter seu próprio site, interação com plataformas mobile, integração com mídias sociais e alcançar maior exposição dos anúncios.

Segundo o fundador do site, Mauricio Zanatta, “Criamos uma plataforma diferente, com base em uma pesquisa que realizamos com mais de 1.300 pessoas em 12 estados brasileiros, além de analisarmos o mercado em países como Estados Unidos, Argentina e México. Esse levantamento foi essencial para criar um portal totalmente usual, priorizando a necessidade do usuário”.

A plataforma aposta em 4 diferentes ramos de atuação: imóveis, veículos, eletrônicos e equipamentos. “Realizamos um projeto piloto na cidade de Uberaba (MG) e a aceitação foi ótima, agora preparamos nosso portal para suportar a demanda de todo o Brasil”, afirma Mauricio. Em abril, o portal registrou 92% de aceitação entre seus usuários e crescimento de 130% ao mês. A startup também pretende ser uma opção para estrangeiros que buscam hospedagem nos jogos olímpicos, através de seus anúncios.

Tags, , ,

Projeto brasileiro que acelera diagnóstico de câncer concorre a US$ 1 milhão em competição de startups

Uma startup pernambucana é a única representante brasileira em uma disputa internacional que vai premiar projetos de empreendedorismo social com até US$ 1 milhão. A Epitrack, empresa que desenvolve plataformas online para detecção digital de doenças, foi a vencedora na etapa brasileira do The Venture e parte para a final mundial do evento, que acontece no dia 14 de julho em Nova Iorque. A empresa concorre com propostas de responsabilidade social de outros 26 países dos cinco continentes.

A representante brasileira apresenta um projeto que une a tecnologia e os biossensores de reconhecimento de células cancerígenas no sangue antes mesmo da formação do tumor. Esses casos serão identificados e mapeados em nível global, facilitando o entendimento desta que é uma das doenças mais enigmáticas da atualidade. O projeto, que tem parceria com o Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da UFPE, tem como objetivo principal detectar antecipadamente indícios de alguns tipos de câncer. “Quanto mais cedo o câncer é identificado, mais fácil ele será curado. Vamos utilizar a tecnologia a favor dessa antecipação”, explica Juliana Perazzo Ferreira, Fisioterapeuta epidemiologista e sócia da Epitrack.

INSPIRE O PÚBLICO – Uma das etapas do prêmio consiste numa votação popular na internet entre os concorrentes. O The Venture destinará uma cota do prêmio no valor de US$ 250 mil (um quarto do total) durante cinco semanas, entre os meses de maio e junho, para que pessoas do mundo inteiro votem online no projeto mais inspirador. Essa etapa tem início no dia 9 de maio e vai até 13 de junho. A votação é semanal; ou seja, a campanha precisa incentivar o público a votar toda semana. Como único projeto brasileiro na disputa, a Epitrack pretende mobilizar os internautas do quinto país do mundo em número de usuários da rede (98 milhões, segundo estudo do Banco Mundial).

“A internet tem proporcionado o engajamento das pessoas em várias causas nobres. Essa é mais uma em que um simples voto pode fazer toda a diferença. Nossa expectativa em relação a final do The Venture é alta: acreditamos no impacto que nosso projeto pode ter na sociedade. Reconhecemos a qualidade dos concorrentes, mas, a saúde, como bem mais preciosos que temos, merece uma atenção especial”, explica Onício Leal, biomédico epidemiologista e sócio da Epitrack.

THE VENTURE – Sob o mote “Vença do jeito certo”, o The Venture busca encorajar os empreendedores sociais mais promissores do mundo, que têm como objetivo novas formas de desenvolver o bem-estar coletivo. O prêmio consiste num fundo de US$ 1 milhão para startups que usam seus negócios para criar mudanças positivas e tem a missão de inspirar pensadores empresariais para a transformação da realidade mundial. O fundo é financiado pela marca Chivas Reagal.

ETAPA BRASILEIRA – A Epitrack foi escolhida na edição nacional do The Venture por um júri especializado, composto de nomes como Lucas Foster, Guilherme Lichand e Maria Prata. Na final em dezembro de 2015, a empresa venceu outras três finalistas com o projeto de para expandir as plataformas de detecção digital de doenças e integrá-las a biossensores com base em abordagem molecular. A iniciativa busca a identificação de células cancerígenas no sangue para a prevenção e tratamento precoce da doença.

A STARTUP – A pernambucana Epitrack foi criada por Onício Leal, biomédico, epidemiologista e mestre em Saúde Pública, e Jones Albuquerque, PhD em Ciência da Computação. Atualmente conta ainda com Juliana Perazzo Ferreira, fisioterapeuta, epidemiologista, com especialização e mestrado em Saúde Pública e doutoranda em Ciência da Computação. A Epitrack atua no que o mercado chama de “eHealth”: aplicativos e solução de Internet em conjunto com outras tecnologias de informação, focada na melhoraria do acesso, da eficiência, da efetividade e da qualidade dos processos clínicos e assistenciais necessários a toda a cadeia de prestação de serviços de saúde.

A empresa surgiu com a ideia de criar mecanismos para facilitar a coleta colaborativa de dados de ocorrências epidêmicas e mapeamento de surtos de doenças infecciosas. É responsável por aplicativos como “Saúde na Copa (2014)” e “Guardiões da Saúde (2015/2016)” (Brasil), “Flu Near You” (EUA e Canadá), “Salud Boricua” (Porto Rico), utilizados para identificar cenários de epidemias de síndromes respiratórias (Influenza), diarreica ou exantemática (inclusive por arbovírus como Dengue, Chikungunya e Zika).

A ideia é encorajar os usuários a compartilhar e descrever os sintomas, coletando os dados colaborativos que geram mapas interativos e mostram os locais afetados em diferentes áreas. O objetivo das plataformas, sites e aplicativos, é identificar rapidamente o risco de surtos e epidemias de doenças infecciosas para gerenciar a resposta efetivamente. Esses dados transmitidos em tempo real permitem que autoridades de saúde analisem cenários de risco. Quando é identificado um grupo de usuários com mesmos sintomas, no mesmo espaço e tempo, pode ser um indicativo de surto. Então as equipes de vigilância epidemiológica podem atuar na investigação e interrupção oportuna de ocorrência, agindo de forma mais rápida. Todas essas plataformas se encaixam na área que é conhecida como Detecção Digital de Doenças (DDD).

O financiamento do The Venture capacitaria o finalista brasileiro a dar andamento a um projeto para expandir as plataformas de detecção digital de doenças e integrá-las a biossensores com base em abordagem molecular. Desde 2015, a Epitrack realiza uma parceria com o LIKA-UFPE, laboratório que desenvolve pesquisas há 30 anos e desde 2005 utiliza a abordagem de biossensores, dispositivos que coletam pequenas quantidade de sangue e que são capazes de gerar diagnóstico para diversas doenças, incluindo não-transmissíveis, como o câncer. A parceria Epitrack-Lika gerou a oportunidade de desenvolvimento conjunto de uma solução baseada em biossensores e detecção digital de doenças para entender como o câncer tem se distribuído nas populações, favorecendo a compreensão epidemiológica da doença que representa um dos grandes problemas de saúde no mundo.

Seria possível, por exemplo, construir cenários epidemiológicos para câncer de mama, próstata e colo do útero, ampliando o número de exames realizados em todo o continente americano. Os recursos do prêmio seriam utilizados para expandir a área de atuação da startup e melhorar o laboratório de pesquisas, ampliando ainda contratações no campo de biologia molecular e de engenheiros de hardware.

Tags, , , , , , ,

Startup de Recursos Humanos recebe investimento de R$ 600 mil

A Pin People , startup paulistana de People Intelligence, acaba de levantar sua primeira rodada de investimento-anjo, no valor de R$ 600 mil. Ao todo, são quatro investidores-anjo, que foram escolhidos em função de expertises complementares de mercado, consideradas fundamentais para o crescimento da startup: um ex-empreendedor de sucesso na área de internet; um grande executivo que foi diretor de Recursos Humanos de uma multinacional; uma consultora de grandes empresas especialista em cultura organizacional; e uma executiva da área de software e analytics.

Para chegar aos quatro investidores-anjo, os sócios de Pin People – Isabella Botelho, Verônica Mussi e Frederico Lacerda – montaram um conselho consultivo com os potenciais candidatos no ano passado. Assim, foi possível avaliar o real interesse no negócio para, em 2016, receber o efetivo aporte de capital. “Acreditamos no smart money, pois o aprendizado com nossos mentores sempre foi e continua sendo o fator-chave para o sucesso de nosso negócio. Afinal, criamos a Pin People com objetivo de transformar o segmento de Recursos Humanos por meio do Big Data, de modo a melhorar a forma como as empresas conhecem e gerem suas pessoas, tendo em vista o recrutamento, o acompanhamento e a retenção de talentos”, explica Isabella Botelho.

Fundada há dois anos e meio, a Pin People foi criada em resposta à crescente preocupação das empresas com o engajamento e a retenção de seus colaboradores, o que gera altos custos por baixa produtividade e turnover. A solução é uma plataforma inovadora baseada em inteligência artificial, por meio da qual captura, analisa e cruza dados relativos às características culturais e comportamentais de candidatos e de colaboradores para combiná-los ao ambiente de trabalho das empresas.

Para tanto, já captura dados ‘não óbvios’ sobre as pessoas, por meio do questionário ‘Jeito de Ser’, entregando informações estruturadas – como o fit cultural com candidatos – para aumentar a agilidade e assertividade da tomada de decisão de gestores e do RH. “Com isso, os gestores terão um panorama das suas pessoas, em tempo real, e poderão tomar decisões com base em indicadores de clima organizacional e possíveis tendências de comportamento. Isso ocorrerá por intermédio de um dashboard de pessoas, que está, atualmente, em fase de desenvolvimento e teste com algumas empresas de grande porte”, finaliza Botelho.

Tags, , , ,

Love Mondays é uma das seis startups brasileiras selecionadas para participar do programa de aceleração do Google

image001-2

O Love Mondays, maior comunidade de carreiras no qual profissionais avaliam as empresas onde trabalham, foi uma das seis empresas brasileiras selecionadas para participar do Launchpad Accelerator, programa de aceleração do Google para negócios do Brasil, México, Indonésia e Índia.

O programa tem por objetivo impulsionar as startups que já se encontram em fase de crescimento para que se tornem referência no país onde atuam. Para Luciana Caletti, CEO do Love Mondays, ser uma das empresas selecionadas para integrar o projeto do Google é uma oportunidade para desenvolver o negócio e trocar experiências com profissionais de todo o mundo.

“Toda a equipe do Love Mondays está empolgada, pois, além de ser um grande reconhecimento para nós, o grande diferencial da aceleração oferecida pelo Google é receber todo o suporte e mentoria de uma das empresas mais inovadoras de todos os tempos” comenta Luciana Caletti. O Love Mondays inicia essa jornada no dia 13 de junho e passará duas semanas de aceleração e imersão na sede do Google, no Vale do Silício. Além do treinamento, a startup receberá US$ 50 mil em investimento e créditos em produtos de computação em nuvem da marca.

Tags, , , ,

Contabilizei é vencedor do 3º Latam Founders Awards

O Contabilizei, escritório de contabilidade online para Micro e Pequenas Empresas (MPEs) de comércio e serviço, saiu vitorioso na 3ª edição do Latam Founders Awards Gala, premiação realizada pela Latam Founders, rede de executivos e investidores do mercado de tecnologia. A empresa ganhou o troféu disputado na categoria Melhor B2B, que premia empresas que fornecem serviços tecnológicos para outras empresas.

“Recebemos este prêmio como reconhecimento dos esforços da equipe para impactar na vida de milhares de pequenas e micro empresas espalhadas no país”, afirma Vitor Torres, fundador e CEO do Contabilizei. E completa: “A premiação indica que estamos no caminho certo e vamos honrá-la na nossa missão de democratizar os serviços de contabilidade, desburocratizando esta que é uma peça fundamental para as MPEs de todo o país.”

O Latam Founders Awards Gala também é conhecido como o “Oscar” das startups, e se distingue por atribuir às lideranças industriais o poder de nominação e premiação dos escolhidos. Além de premiar negócios de destaque, o Latam Founders Awards Gala ainda prestigia aceleradoras e investidores e oferece um espaço de networking entre altos executivos, mentores e empresários que inovam o mercado tecnológico latino-americano.

Torres atribui a conquista do prêmio ao fato da plataforma desempenhar uma função disruptiva num mercado complexo, ajudando os empresários a reduzir o gasto fixo com serviços de contabilidade num momento de crise em que austeridade e corte de gastos são palavras de ordem. “Ao reduzir em até 90% os custos com contabilidade, que é um custo obrigatório para qualquer empresário, o Contabilizei ajuda a desenvolver a economia do País, o que é especialmente bem-vindo nesse momento conturbado de crise, reduzindo o chamado “custo Brasil”, que é um dos maiores entraves ao empreendedorismo nacional”, diz.

Além de otimizar e reduzir os gastos com operações contábeis, o Contabilizei permite que o empreendedor controle suas finanças de qualquer lugar e a qualquer hora com uma tecnologia que funciona na nuvem.

Em Curitiba, sede do escritório do Contabilizei, a empresa tem colaborado para o fortalecimento do ecossistema empresarial local. “A vantagem de operar um serviço B2B realmente relevante é o impulso que se dá a toda uma cadeia de criação e produção. Por se tratar de uma solução que reduz custos, nossos clientes nadam contra a corrente recessiva da economia, apresentando percentuais de crescimento”, observa Torres.

Tags, , ,

Mercado de realidade virtual deve crescer 100 vezes em cinco anos

A startup carioca Uview360, aproveita a tendência mundial para se consolidar no Brasil e no exterior. Depois de produzir conteúdo adulto para o canal Sexy Hot, acaba de voltar do Havaí, onde produziu conteúdo esportivo para TVs norte-americanas

unnamed-34

A realidade virtual é a maior aposta em tecnologia do ano de 2016. Produtoras, fabricantes, empresários, visionários não querem ficar para trás, investindo suas fichas (e recursos) em produções revolucionárias e softwares inovadores em 360 graus. E a tendência é que essa tecnologia se popularize ainda mais nos próximos meses: de acordo com uma pesquisa realizada pela Advanced Imaging Society, de Hollywood, 70% dos americanos entre 18 e 60 anos se mostram extremamente interessados em relação à nova tecnologia. Dois terços disseram que estão mais empolgados com a realidade virtual do que estiveram antes com a TV em HD ou o 3D. O Brasil não fica para trás: a UView360, primeira produtora brasileira de vídeos em realidade virtual, atua com conteúdo de alta qualidade em 360 graus desde 2009.

O mercado da realidade virtual ainda está se desenvolvendo e amplificando seu conteúdo, tanto no Brasil quanto no mundo. Por aqui vemos alguns veículos e empresas começando a experimentar a tecnologia nas suas plataformas de interação com o consumidor. Porém, enquanto alguns fabricantes e produtoras focam apenas em um tipo de conteúdo, a Uview360 aproveita esse mercado – que prevê crescer mais de 100 vezes em cinco anos – para oferecer sua estrutura em VR em diferentes tipos de experiências para diversos tipos de público, mesmo tendo como sua expertise a área esportiva.

Charles Boggiss, diretor da startup carioca, explica o trabalho que a empresa desempenha e elucida as barreiras que essa nova tecnologia deve enfrentar para se estabelecer no Brasil: ‘’Nossa proposta é produzir conteúdo da melhor qualidade possível, com todos os elementos como narrativa, luz, som, edição, pensados para esse meio por especialistas em Realidade Virtual. Como todo novo meio, é preciso desenvolver essas competências, e nossa equipe tem profissionais pioneiros nessa tecnologia a nível mundial. Além disso, para transmissões ao vivo 360 em nível profissional, é preciso investimento em câmeras especializadas, softwares, além de toda a cadeia de transmissão de dados, que hoje no Brasil, não é algo trivial’’, afirmou.

Ao contrário do que comumente ocorre com novas tecnologias, um equipamento capaz de exibir conteúdo em RV é acessível para boa parte da população no Brasil: uma câmera capaz de gravar em 360 graus pode ser comprada por valores acessíveis, enquanto equipamentos mais profissionais têm um preço razoavelmente mais elevado. Nesse cenário, a expectativa é de que, ainda em 2016, youtubers, produtores de conteúdo e até mesmo usuários comuns enriqueçam a rede criando vídeos em realidade virtual.

As redes sociais também estão ajudando a romper essas barreiras no mundo e também no Brasil, fazendo com que a RV se torne cada dia mais usual. Desde setembro de 2015, o Facebook oferece aos seus usuários o recurso para vídeos em realidade virtual. Em fevereiro de 2016, Mark Zuckerberg, cofundador da maior rede social do mundo, exaltou a tecnologia da realidade virtual e afirmou que esta será a próxima rede social. Já no mês de abril de 2016, o Youtube lançou sua plataforma 360, que permite a transmissão de vídeos em realidade virtual ao vivo, bastando possuir algum gadget que permite ver vídeos em 360 graus para ter acesso às transmissões na rede em tempo real.

UView360 – No mercado desde 2009, a UView360 possibilita uma forma diferente de estar no mundo e experimentar novas sensações. Startup carioca, esteve à frente das primeiras experiências audiovisuais em 360 graus de eventos esportivos como o Mundial de Surf, Skate Bowl, BMX Escadaria de Santos entre tantos outros. Já produziu diversos especiais em realidade virtual para as Organizações Globo, com destaque recente para os 90 anos do jornal e os 50 da TV. Na área do entretenimento, este ano assinou o especial de realidade virtual do Carnaval do G1, para quem também produziu especial dos 450 anos do Rio. Além disso, a UView360 é a produtora de conteúdo de realidade virtual responsável pela tecnologia dos vídeos e distribuição de óculos do lançamento deste ano da Sexy Hot.

unnamed-35

Tags,

Girls in Tech Brazil anuncia finalistas do Lady Pitch Night

f18ea377-8da3-4f68-81c7-77b7dc8d3ff3

A primeira edição do Lady Pitch Night no Brasil promete fazer história nos segmentos de tecnologia e empreendedorismo feminino. Por conta da expressiva quantidade de inscritos e da qualidade dos projetos apresentados, o júri decidiu aprovar dez finalistas, ao contrário dos cinco inicialmente previstos. O LPN é uma competição de negócios ainda em estágio inicial cujo foco são startups fundadas ou cofundadas por mulheres, evento que já acontece nos EUA e na Europa. Os vencedores serão escolhidos em rodadas de pitchs em evento que será realizado no dia 11 de maio, no espaço Cubo Coworking, em São Paulo, a partir das 18h30.

Além da rodada de pitchs, que contará com premiação para a vencedora e finalistas, o encontro terá talks de ícones das áreas de tecnologia e empreendedorismo. As inscrições para o público ainda estão abertas, sujeitas à lotação, apenas pelo site https://www.sympla.com.br/lady-pitch-night__56124. Entre os prêmios estão uma viagem para São Francisco, nos EUA, um ano de coworking na Plug, uma solução de gestão Eboss e outros benefícios como ingressos para eventos internacionais e nacionais de tecnologia.

Os projetos selecionados para o LPN apresentam inovações relacionadas à Saúde, Entretenimento, Urbanismo, Beleza, Consumo, trocas de conhecimento e de dados e Educação. Os dez finalistas selecionados foram:

1 – Brand Lovers: primeira plataforma de market place, completamente social e customizada com base em big data e machine learning, de beleza, onde o usuário descobre produtos, realiza compras e compartilha sua opinião. https://brandlovers.com/

2 – Bright Photomedicine: empresa que proporciona saúde e bem-estar por meio do desenvolvimento de soluções tecnológicas em Fotomedicina (uso da luz para tratamentos clínicos). Seu primeiro produto é um curativo portátil e flexível que utiliza a luz para a redução e bloqueio da dor (fototerapia). http://www.brightmed.com.br

3 – Cuboz.com: um site gratuito que conecta pessoas para que reúnam-se em Redes para compartilhar conhecimento, filtrar, armazenar e organizar informações, comentar e debater sobre o assunto. É uma nuvem de Redes de Conhecimento. http://www.cuboz.com

4 – Daily Ride: é um app que conecta pessoas com assentos vazios em seus carros com outras indo na mesma direção. Quem dá carona, divide o custo do combustível. Quem pega carona, vai no conforto do carro por valor similar ao do ônibus (R$5). Com o aumento da cultura da carona esperamos ver um impacto no trânsito. http://www.dailyrideapp.com

5 – Epistemic: Um dos grandes desafios para quem estuda epilepsia é prever quando uma crise vai acontecer. A Epistemic está desenvolvendo um dispositivo que faz justamente isso: com 25 minutos de antecedência, informa o paciente que um surto irá ocorrer. http://www.epistemic.com.br

6 – Incast – conectando talentos: primeira plataforma para gerar e fazer negócios na área de comunicação no Brasil. Exclusiva para empresas, profissionais e artistas de publicidade, cinema, TV, teatro, rádio, eventos e todos os segmentos de entretenimento. https://incast.com.br

7 – Menu for Tourist: traduz cardápios dos restaurantes para até 8 idiomas. No aplicativo, o turista lê o menu no seu idioma e mostra para o garçom seu pedido no idioma nativo (em português no caso do Brasil). Assim, o pedido é feito sem necessidade de comunicação. http://www.menufortourist.com

8 – Omnize: plataforma de atendimento multicanal para sites de empresas. Na primeira versão, possibilita o atendimento por vídeo, voz e chat, e em próximos lançamentos também integrará WhatsApp, DM de redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter), e-mail e PABX. http://www.omnize.com.br

9 – Stella: aplicativo que estimula o uso de combinações (looks) diferentes, explorando um maior número de peças do guarda-roupa. O app se comporta como uma amiga conselheira, disponível 24×7, que vai ajudá-la a criar looks diferentes e opinar sobre o que está usando, levando em conta o tipo físico, clima, ocasião e estilo. Sumarizado e em tempo real. http://stella.mobi

10 – Timokids: aplicativo de livros e jogos socioeducativos, ilustrado em 3D com áudio em 4 idiomas e presente em mais de 190 países. Uma ferramenta de suporte para pais e professores para tratar de assuntos do dia a dia da criança de maneira lúdica. https://timokids.com.br

“O Lady PItch Night é um evento que promete tornar-se uma referência obrigatória para os empreendedores, investidores, designers e engenheiros que querem saber das tendências que estão por vir em inovação e conhecer os cases das inovadoras mais brilhantes em tecnologia no Brasil”, diz a francesa Estelle Rinaudo, co-managing director da Girls in Tech Brazil.

O evento tem o patrocínio do Banco Mundial, Cubo, Qualcomm, Cosmos Wide, Sympla, BRQ, Google Campus e apoiadores como iMasters, Rede Mulher Empreendedora, Plug Pessoas e Negócios, Punch! e Alves&Costa Consultoria.

SOBRE O LADY PITCH NIGHT:

11/05, 18h30

Espaço CUBO, R. Casa do Ator, 919 – Vila Olímpia, São Paulo – SP.

Entrada: R$ 45 até o 31/04 e R$ 65 até o dia do evento, ou caso os ingressos esgotem. Vendas somente pela internet: https://www.sympla.com.br/lady-pitch-night__56124

Sobre o Girls in Tech

O Girls in Tech (GiT) é uma iniciativa global sem fins lucrativos que busca promover o engajamento de mulheres que lidam com novas tecnologias. Composto por profissionais com capacidade para inspirar e liderar, é objetivo do grupo incentivar o crescimento da presença de mulheres inovadoras e empreendedoras no ambiente de tecnologia, criando condições para que tenham sucesso e que assumam posições de destaque nesse ecossistema.

Fundado em 2007 pela americana Adriana Gascoigne, o GiT hoje está presente em mais de 35 países. O formato de trabalho vem sendo estruturado para auxiliar mulheres em três pilares: educação formal (ensino médio), networking/mentoria e formação profissional. No Brasil, o GiT foi lançado em junho de 2013 em São Paulo, em agosto de 2015 no Rio de Janeiro quando unimos forças e iniciamos o Girls in Tech Brazil.

Tags, , , ,