Category private equity

Startup criada dentro da Votorantim Cimentos comemora dois anos e estuda captar R﹩ 300 mi de private equity em 2021

Em outubro de 2018 nascia a Juntos Somos Mais, uma joint-venture que conta como acionistas players importantes do mercado da construção civil Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre. A empresa gere o Juntos Somos +, maior programa nacional de fidelidade do varejo de material de construção e que funciona como um plano de benefícios para as lojas, vendedores e profissionais da obra com o objetivo desenvolver e modernizar o varejo da construção civil – um mercado que movimenta aproximadamente R﹩ 225 bilhões ao ano com 136 mil lojas e 4,6 milhões de profissionais de obra.

Criado em 2014 pela Votorantim Cimentos, o programa Juntos Somos + contempla hoje mais de 80 mil varejistas do setor e 500 mil profissionais do setor em todo o Brasil e empresas de serviços e indústrias ligadas à construção civil. Após o anúncio da entrada da Vivo Empresas, em outubro, a empresa Driv.in – referência em soluções logísticas – passou a fazer parte da plataforma sendo a 27ª empresa participante e consolidando a Juntos Somos Mais como o maior ecossistema do varejo da construção civil no País. “O Juntos Somos + já é amplamente utilizado e, de 2014 a 2020, distribuiu mais de um bilhão de pontos, concedeu cerca de 300 mil prêmios e impactou mais de 100 mil pessoas diretamente. Em junho deste ano, atingimos o recorde de pontos resgatados e nosso índice de expiração de pontos – o breakage – segue em menos de 20%, um excelente índice de engajamento”, afirma Antonio Serrano, CEO da Juntos Somos Mais.

A nova companhia também simboliza o comprometimento da Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre com a promoção de projetos inovadores para o mercado da construção civil. Outro exemplo da Votorantim Cimentos é a criação do movimento VCajuda . O objetivo da plataforma lançada em abril deste ano é capacitar e apoiar o varejo da construção civil com conteúdo relevante e soluções digitais que o ajudem nas vendas durante esse período de pandemia do Covid-19. O VCajuda também traz informações para que o consumidor final possa encontrar qual a loja mais próxima dele que está funcionando.

Já a Gerdau criou um braço de suas operações para gerenciar e acelerar os novos negócios do grupo, a Gerdau Next. A nova divisão irá desenvolver novos produtos adjacentes à produção de aço, carro-chefe da companhia, e para 2030, a meta é atingir cerca de 20% da receita da Gerdau com negócios relacionados à cadeia do aço. A Tigre segue com o objetivo de impulsionar a digitalização e transformação do setor da construção civil e, em 2020, passou a apoiar o programa de aceleração de startups do mercado. Como uma das apoiadoras Mit Hub, a expectativa da companhia é encontrar e apoiar startups que estejam desenvolvendo inovações em torno do ambiente de água e industrialização do ambiente construtivo.

Em seus dois primeiros anos como empresa independente, a Juntos Somos Mais já gerou caixa e alcançou números de participantes que esperava no seu business plan inicial atingir em três a quatro anos. A empresa emprega hoje 120 pessoas e adota uma cultura de startup, com um propósito bem definido e uma estrutura pouco hierárquica, que encoraja o desenvolvimento de ideias inovadoras. “A Juntos Somos Mais cumpre um papel importante na cadeia da construção, de qualificar ainda mais o ponto de vendas. A revenda de materiais de construção tem um aliado, no seu processo de modernização e crescimento”, avalia Otto von Sothen, CEO da Tigre.

A velocidade em testar novas ideias encoraja as empresas participantes a utilizar as soluções da Juntos Somos Mais como plataforma e veículo de inovação, aprimorando a eficiência e digitalização de todo o setor. A convivência entre empresas centenárias e uma empresa jovem também tem sido benéfica para aprimorar a gestão de ambos os lados. “Nossa empresa é gerida com diferente lógica de negócio, cultura, ambição e afinidade ao risco. Estas diferenças trazem sempre uma reflexão positiva sobre que processos das empresas tradicionais devemos implantar e quais processos devemos exportar”, complementa Serrano.

Nessa jornada para fortalecer o setor da construção civil no Brasil, a Juntos Somos Mais anunciou recentemente a aquisição da plataforma gaúcha Triider, um marketplace de serviços que conecta clientes com profissionais qualificados do mercado da construção civil. Para 2021, os planos da Juntos Somos Mais seguem robustos: a startup pretende levantar até R﹩ 300 milhões em investimentos vindos de fundos de private equity no próximo ano para desenvolver ainda mais o negócio, fortalecer a governança da empresa e consolidar o papel da empresa na transformação do setor da construção civil.

Advent International capta R$ 11 bilhões (US$ 2 bilhões) para sétimo fundo de private equity dedicado à América Latina

A Advent International, um dos maiores e mais experientes investidores globais de private equity, anunciou hoje que concluiu a captação de recursos para o Advent Latin American Private Equity Fund VII (“LAPEF VII” ou “Fundo”). O LAPEF VII recebeu o equivalente a R$ 11 bilhões (US$ 2 bilhões) em compromissos de investidores institucionais de todo o mundo.

Com o novo fundo, o capital total levantado pela Advent para investimentos em empresas da América Latina desde 1996 soma aproximadamente US$ 8 bilhões – o maior entre todas as empresas de private equity que atuam na região. Somando ao LAPEF VII os fundos Global Private Equity IX e Advent Tech, fechados no ano passado, a Advent captou US$ 22 bilhões nos últimos 16 meses para investimentos no mundo todo.

“O LAPEF VII reflete nosso forte histórico na América Latina, estabelecido ao longo de seis gerações de fundos e vários ciclos econômicos na região”, disse Patrice Etlin, Managing Partner da Advent em São Paulo e membro de seu Comitê Executivo global. “Continuamos a ver oportunidades de investimento interessantes na região. Pretendemos nos aliar a empresas de médio e grande porte e ajudá-las a expandir seus negócios usando nossa profunda experiência nos setores em que nos especializamos, nossa plataforma global e recursos operacionais de primeira linha.”

Dando continuidade à estratégia panregional e especializada em setores da economia dos fundos anteriores, o LAPEF VII investirá principalmente em Brasil, Colômbia, México e Peru, e também pode aproveitar oportunidades em países como Argentina e Chile. O fundo atuará nos cinco setores em que a Advent é especializada: (1) serviços e serviços financeiros; (2) saúde; (3) industrial; (4) varejo, consumo e lazer; e (5) tecnologia. O LAPEF VII terá flexibilidade para alocar capital em diferentes tipos de negócios – aquisições, carve-outs e transações de growth equity – e tamanhos, com aportes que podem variar de US$ 50 milhões a US$ 300 milhões ou mais.

“A América Latina tem um grande mercado e uma classe média em expansão, o que gera uma forte demanda por produtos e serviços de alto valor agregado”, disse Juan Pablo Zucchini, Managing Partner da Advent em São Paulo. “Além disso, diversos setores continuam muito fragmentados, e um grande percentual das empresas médias tem controle familiar. Isso cria oportunidades para gerar valor consolidando indústrias, profissionalizando negócios e acelerando seu crescimento.”

Uma ampla base de investidores institucionais entrou no LAPEF VII, incluindo fundos de pensão públicos e privados, endowments e fundações, fundos de fundos, fundos soberanos, family offices e outras instituições financeiras. A maior parte do capital veio dos investidores do LAPEF VI, com a Advent admitindo também um número seleto de novos investidores estratégicos para o novo Fundo.

“O LAPEF VII reforça a posição de liderança da Advent na América Latina e demonstra nosso compromisso com a região”, disse David Mussafer, Managing Partner da Advent em Boston e copresidente do Comitê Executivo. “Agradecemos o apoio contínuo de nossa diversificada base de investidores institucionais e temos o prazer de receber novos investidores selecionados para o programa LAPEF.”

POSIÇÃO DE LIDERANÇA DA ADVENT NA AMÉRICA LATINA


O novo fundo consolida a posição da Advent como um dos maiores e mais experientes investidores de private equity na América Latina. Nos últimos 24 anos, a Advent investiu ou comprometeu US$ 6,8 bilhões em 64 negócios na região e vendeu a totalidade de suas posições em 43 empresas, sendo nove por meio de IPOs. Hoje, o portfólio de empresas latino-americanas da Advent emprega mais de 80.000 pessoas. A companhia tem a maior equipe de private equity dedicada à região, composta por cerca de 40 profissionais de investimento e de apoio ao portfólio em escritórios em Bogotá, Lima, Cidade do México e São Paulo.

Desde a abertura de seu escritório em São Paulo, em 1997, a Advent investiu US$ 3,7 bilhões em 27 empresas brasileiras.

Em reconhecimento a essas realizações, no últimos 15 anos, a Advent foi nomeada 11 vezes como “Firm of the Year” na América Latina. A indicação foi feita por profissionais da indústria e editores da revista Private Equity International.

A ABORDAGEM DA ADVENT PARA A CRIAÇÃO DE VALOR


Na América Latina, como em outras regiões, a Advent adota uma intensa abordagem operacional para investir. A companhia faz parcerias com equipes de gestão das empresas investidas para criar valor de longo prazo por meio de melhorias operacionais, crescimento orgânico e aquisições, tanto nacional quanto internacionalmente. Para implementar essas iniciativas, a Advent tem uma grande rede de recursos na região. Isso inclui os 39 profissionais de investimentos e de apoio ao portfólio e 30 operating partners e operations advisors externos — executivos sêniores com profundo conhecimento setorial.

Ao colocar em prática esse modelo, a Advent ajudou empresas latino-americanas a crescer e gerar valor de forma significativa. Desde 2006, as empresas controladas pela Advent por um período de pelo menos um ano aumentaram a receita e o EBITDA em média 14% e 13% ao ano, respectivamente, durante o investimento. Sob o comando da Advent, o valor das empresas do portfólio latino-americano dobrou para US$ 41 bilhões.

INVESTIMENTOS E SAÍDAS RECENTES NA AMÉRICA LATINA


Os investimentos recentes da Advent na América Latina incluem o Nubank, o maior banco digital independente do mundo; a CI&T, um provedor global de serviços de transformação digital; a Prisma Medios de Pago, empresa líder em pagamentos da Argentina; o Grupo BIG (antigo Walmart Brasil), terceiro maior varejista de alimentos do Brasil; o Grupo Farmacéutico Somar, fabricante líder de medicamentos genéricos no México; a YDUQS, a segunda maior empresa de ensino superior do Brasil; e a Canvia, provedor líder de serviços de TI no Peru.

As vendas recentes de participações da Advent em empresas na América Latina incluem a Easynvest, maior plataforma de investimento digital do Brasil; a Lojas Quero-Quero, maior varejista de materiais de construção do Brasil em número de lojas; a Ocensa, dona do maior oleoduto de petróleo bruto da Colômbia; Grupo Biotoscana (GBT), uma empresa biofarmacêutica líder na América Latina; International Meal Company (IMC), uma das maiores operadoras de restaurantes da região; Alianza Fiduciaria e Alianza Valores, a maior empresa independente de administração de recursos da Colômbia; Faculdade da Serra Gaúcha (FSG), empresa privada de ensino no sul do Brasil; Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), o segundo maior terminal de contêineres do Brasil; e Grupo Fleury, o maior provedor brasileiro de serviços premium de diagnóstico médico.

Além do LAPEF VII, a Advent está investindo os recursos de seu nono fundo global de private equity, o GPE IX, dedicado a aquisições na Europa, na América do Norte e na Ásia; e de um fundo de tecnologia, o Advent Tech.

Este press release não é uma oferta ou solicitação de uma oferta, convite ou incentivo para investir em qualquer fundo da Advent International. Nenhuma pessoa pode investir em qualquer fundo da Advent International, exceto de acordo e sujeito aos termos da documentação do fundo aplicável e à lei aplicável.

Tags,