Category IBM

Onde o Sucesso da Transformação Digital Começa

Por Denis Kennelly, Gerente Geral, IBM Storage

O caos causado na economia e na sociedade por causa da pandemia gerou o aumento das transformações digitais e colocou um destaque sobre as capacidades avançadas que as tornam possíveis, ou seja, a nuvem híbrida e inteligência artificial (IA).

De acordo com o recente relatório da empresa de pesquisa Twilio, 97% dos tomadores de decisão das empresas disseram que a pandemia os conduziu a acelerar as transformações digitais. De forma similar, o IBM Institute for Business Value liberou um estudo de C-Suite que apontou que 62% dos executivos planejam acelerar seus esforços digitais nos próximos dois anos devido a pandemia.

Mas conforme as empresas embarcam em suas jornadas de nuvem híbrida e IA, muitas estão descobrindo que alguns dos desafios mais críticos que existem em torno da mobilidade de aplicativos, acesso a dados globais e resiliência de dados, são superados de forma mais eficiente por meio de armazenamento de dados “pronto para a nuvem” (cloud-ready), a camada fundamental de dados da nuvem híbrida.

Sistemas de armazenamento avançados e softwares que integram perfeitamente dentro de ambientes de nuvem híbrida desbloqueiam uma série de recursos, não menos importantes do que alimentar a IA. Nós criamos uma estrutura de três estágios que considero útil para a indústria, já que estamos com foco no desenvolvimento de aplicativos, dataops e serviços, além da resiliência de dados em crescimento.

• Desenvolvimento de Apps. O primeiro passo na jornada para a transformação digital é adotar o desenvolvimento e modernização de aplicativos nativos da nuvem. Usando contêiner, as organizações podem criar aplicativos portáveis e elasticamente escaláveis que são capazes de se mover rapidamente através de nuvens locais, públicas e privada de empresas complexas, bem como em edge. Aplicativos nativos da nuvem implementados na nuvem híbrida podem reagir as necessidades de negócios em tempo real (por exemplo escalar, se mover, etc.). Inovações em torno do armazenamento cloud-ready fornece alta performance no acesso aos dados, igualando demandas de aplicações independentemente de sua locação e escala.

Na perspectiva dos negócios, quanto melhor for o acesso a os dados transversalmente na empresa, mais precisos serão os resultados e previsões.

• DataOps e Serviços. Serviços inovativos de dataops e de dados podem dar às empresas capacidades cada vez mais críticas, como catalogação e marcação de dados para uma maior organização e eficiência. Eles também podem fornecer novos níveis de automação e autosserviço para desenvolvedores para melhorar drasticamente a produtividade e os insights. Por exemplo, nós fornecemos acesso a dados, descoberta e insights nativamente em todo o portfólio de armazenamento. Como resultado, não deve ser surpresa que mais negócios estejam mudando para armazenamentos híbridos cloud-ready para gerenciar e entregar melhor os dados através de seus ambientes de nuvem híbrida em expansão de forma eficiente e econômica.

• Resiliência de Dados. Resiliência, a habilidade de se recuperar rapidamente com pouco ou nenhum dano residual, assumiu um novo significado durante a pandemia. Embora crítico nos negócios, é de mesma importância proteger e prevenir disrupções de ocorrências em primeiro lugar. A habilidade de prevenir, proteger e se recuperar rapidamente de interrupções e disrupções inspira confiança na empresa e em seus resultados. Por exemplo, nossos engenheiros da IBM Storage encontraram uma forma de garantir que a qualidade sustentável dos dados seja atendida através de capacidades de detecção de ameaças avançadas e a recuperação rápida de dados em eventos de brecha. Isso é feito mantendo cópias protegidas de dados de clientes em tempo real que só podem ser acessadas por meio de uma autenticação dupla de IDs “separadas por tarefas”.

Essa estrutura de armazenamento centrada em contêiner cria uma camada de dados fundamentais para nuvem híbrida que está preparada para superar os desafios de hoje e abrir novos recursos e oportunidades para amanhã.

2021: Quando o Armazenamento de Dados Ocupa o Centro do Palco

Os desafios que as empresas enfrentam em 2021 – desde disrupções contínuas da pandemia, ao universo digital em constante expansão, até o fluxo constante de ameaças cibernéticas sofisticadas – são consideráveis.

A própria pandemia pode ter paralisado economias, mas os ventos técnicos permaneceram fortes, ajudando aos negócios a navegar por uma atuação e sucesso de longo prazo. Considere por um momento como a pandemia aumentou a necessidade de conscientização dos dados em todo o mundo e de seu acesso para apoiar colaborações maiores, entre outras funções e processos. Nesse novo mundo, onde a maioria ainda está trabalhando de casa, precisamos da habilidade para acessar e compartilhar dados de qualquer lugar.

A IBM está trabalhando com dezenas de clientes que estão adotando totalmente o modelo de nuvem híbrida centrada em contêiner para armazenamento de dados. Estamos vendo a estrutura que descrevi servindo como uma pegada para qualquer organização no meio, ou ainda considerando sua transformação digital. Uma jornada em que armazenamento de dados, acesso e gerenciamento são fundamentais para um resultado bem-sucedido.

IBM anuncia Katia Vaskys como nova Gerente Geral no Brasil

A IBM anunciou que Katia Vaskys foi nomeada Gerente Geral da IBM Brasil. Katia será responsável pelo desenvolvimento da estratégia da companhia no país, ajudando a acelerar a transformação digital de clientes e parceiros com nuvem híbrida aberta e inteligência artificial.

Com a nomeação, Katia Vaskys se torna a primeira mulher a liderar a operação da IBM no Brasil.

“Em um momento de inflexão dos negócios, com a aceleração de tecnologias que transformam indústrias e a sociedade, é um privilégio e uma honra liderar uma equipe tão diversa e talentosa em uma companhia que se reinventa constantemente”, disse Katia Vaskys, Gerente Geral da IBM Brasil. “Acredito na união de todo ecossistema – parceiros de negócios, startups, desenvolvedores, e empresas – como caminho essencial para acelerar a inovação aberta em apoio a uma nova era digital, fundamentada em nuvem híbrida aberta e IA.”

Katia Vaskys possui mais de 25 anos de experiência técnica e de negócios na indústria de Tecnologia da Informação. Desde que ingressou na IBM em 2010, Katia foi responsável pela criação da prática de Business Analytics & Optimization na unidade de Global Business Services, além de liderar o portfólio de Smarter Analytics. Recentemente, atuou como a principal executiva para contas de indústria na IBM Brasil, coordenando equipes técnicas e de vendas, e é sponsor executiva do time de Diversidade & Inclusão.

Anteriormente, Katia foi Diretora Presidente da Teradata Brasil e ocupou posições técnicas em consultoria e arquitetura de sistemas em empresas como Oracle, SAP e Siebel Systems. A executiva é graduada em comunicação social, pós-graduada em Análise de Negócios e Sistemas de Informação e conta com formação em Liderança Executiva pela Columbia Business School.

Katia sucede Tonny Martins, que foi nomeado Gerente Geral para a IBM América Latina em outubro de 2020.

IBM lança capacidades inovadoras para Watson

A IBM (NYSE: IBM) anunciou hoje capacidades inovadoras para o IBM Watson, projetadas para ajudar a escalar o uso de Inteligência Artificial (IA) nas empresas.

Desenvolvidas por IBM Research, as novas capacidades são desenhadas para melhorar a automação da IA, fornecer um nível mais alto de precisão em processamento de linguagem natural (PLN) e promover uma maior confiança nos resultados derivados de predições de IA. Elas incluem:

• Reading Comprehension (compreensão de leitura) baseada em um sistema inovador de perguntas e respostas (QA) de IBM Research. Atualmente em versão beta no IBM Watson Discovery, está planejado como um novo recurso que pode ajudar a identificar respostas mais precisas para consultas em linguagem natural de uma vasta coleção de documentos corporativos complexos. Também fornece pontuações que indicam como o sistema é confiável em cada resposta.

• FAQ Extraction usa uma nova técnica de PLN de IBM Research para automatizar a extração de pares de perguntas e respostas dos documentos de FAQ (perguntas frequentes). Atualmente em versão beta nos recursos de pesquisa do IBM Watson Assistant, está planejado como um novo recurso para ajudar os negócios a manterem assistentes virtuais atualizados com as respostas mais recentes e reduzir o tempo que consome o processo de atualizações manuais.

• Um novo modelo de classificação de intenção também está disponível agora no IBM Watson Assistant. Foi projetado para entender com mais precisão o objetivo ou intenção de um usuário final ao interagir com um assistente virtual e para permitir que os administradores treinem o sistema mais rapidamente. O modelo fornece resultados mais precisos usando menos dados em comparação com outros sistemas comerciais1. Isso pode ajudar as empresas a entrarem em operação com assistentes virtuais em alguns dias e, ao mesmo tempo, atingir alta precisão.

• IBM Watson Discovery agora inclui suporte para 10 novas línguas, incluindo Bósnio, Croata, Dinamarquês, Finlandês, Hebraico, Hindi, Norueguês (Bokmal), Norueguês (Nynorsk), Sérvio e Sueco. A IBM vem continuamente adicionando suporte para línguas adicionais para ajudar as empresas a construir soluções de PLN de nível empresarial global.

Leia mais sobre as atualizações de processamento de linguagem natural aqui .

“Este ano nos mostrou que o verdadeiro poder da IA está em ajudar as empresas a agir e responder às mudanças em tempo real. Isso significa minutos e horas – não semanas ou meses “, disse Daniel Hernandez, Gerente Geral de Data e IA da IBM. “Os novos recursos de IA de hoje são mais um exemplo de como os avanços de ponta da IA provenientes de IBM Research nos ajudam a fornecer inovações em linguagem, automação e construção de confiança no IBM Watson que estão fazendo a diferença para empresas de todos os tamanhos e em todos os setores”.


Avanço nas capacidades de governança da IA para ajudar a construir confiança e transparência nos resultados de negócios

A IBM também anunciou planos para comercializar os ‘AI Factsheets’ desenvolvidos por IBM Research como parte do Watson Studio em Cloud Pak for Data ao longo do próximo ano. Assim como os rótulos nutricionais de alimentos ou as fichas de informações de equipamentos, os AI Factsheets são feitos para fornecer informações sobre as características importantes dos produtos. Padronizar e divulgar essas informações ajudará a construir confiança nos serviços de IA em todos os segmentos.

Para complementar, IBM Services for AI at Scale, uma nova oferta de consultoria, fornece às empresas estrutura, metodologia e tecnologias subjacentes para guiar as organizações em suas jornadas para uma IA confiável e ética. O IBM Cloud Pak for Data também tem novas capacidades para fornecer uma base completa para IA que pode rodar em qualquer nuvem. Leia mais sobre as atualizações de Governança em IA aqui.

Marcas líderes globais estão usando IBM Watson para infundir inteligência em seus fluxos de trabalho. Por exemplo, a EY – líder global em seguros, imposto, estratégia e transações e serviços de consultoria – está transformando o processo de due diligence de fusões e aquisições (M&A) usando o IBM Watson Discovery. Seguindo a expansão global de sua aliança com a IBM no meio do ano, a EY lançou o Diligence Edge, que inclui um modelo customizado de PLN treinado na linguagem proprietária da EY de M&A, para ajudar os negociadores a identificar e obter insights valiosos ao longo do ciclo de vida das transações, assim como tomar decisões informadas em oportunidades de valor de negócio para obter vantagem em processos de negociação competitiva.

Regions Bank tem trabalhado com a IBM para completar um modelo de caso de uso de monitoramento que utiliza IBM Cloud Pak For Data e Watson OpenScale. A Regions foi capaz de ter uma leitura contínua na precisão do modelo em produção e alcançou uma confiança superior na qualidade das predições. A IBM fornece uma abordagem padronizada e disciplinada para o rastreamento do modelo de desempenho e promoverá programas de gerenciamento de ciclos de vida de modelos de ponta a ponta da Regions. A companhia também está utilizando IBM Watson para melhorar o serviço ao cliente e diminuiu o tempo de espera das chamadas em 40% desde o início da pandemia de COVID-19 usando o Watson Assistant.

A EY e Regions Bank se juntaram a uma crescente lista de empresas que usam IBM Watson, incluindo: Japan Airlines, NatWest, Maricopa County e várias outras.

As notícias de hoje são mais um passo da IBM para avançar sua estratégia de negócio de IA: desde a comercialização de capacidades avançadas de PLN do Project Debater; a expansão das capacidades de automação baseada em IA com o lançamento do IBM Watson AIOps ; as aquisições da WDG Automation e a Instana2 e um ecossistema expandido de parceiros, incluindo ServiceNow; e ajudando empresas, organizações de saúde, governos e instituições acadêmicas a utilizar o IBM Watson Assistant para obter as informações que eles consideram confiáveis sobre a pandemia para as partes interessadas.

1 Qi et. al, 2020: Benchmarking Intent Detection for Task-Oriented Dialog Systems https://arxiv.org/pdf/2012.03929.pdf
2Previsto para fechar dentro de algumas semanas .

IBM Cloud oferece criptografia quântica segura e serviços criptográficos de alta proteção para ajudar a proteger os dados na era híbrida

A IBM (NYSE: IBM) anunciou hoje uma série de serviços e tecnologias em nuvem construídos para ajudar os clientes a manter o nível mais alto de proteção de encriptação por chave criptográfica disponível, para ajudar a proteger os dados existentes na nuvem e se preparar para futuras ameaças que podem evoluir junto com os avanços da computação quântica. Introduzido por cientistas de IBM Research, a empresa agora passa a oferecer suporte de criptografia quântica segura para transações de aplicativos e gerenciamento de chaves em IBM Cloud, se tornando a abordagem de criptografia de segurança quântica mais holística disponível hoje no mercado para proteção de dados.

Os novos recursos incluem:

• Suporte para criptografia de segurança quântica (Quantum Safe Cryptography Support): Usando padrões abertos e tecnologia de código aberto, este serviço melhora os padrões usados ​​para transmitir dados entre a empresa e a nuvem, ajudando a proteger os dados por meio do uso de um algoritmo de segurança quântica.

• Extensão dos serviços de IBM Cloud Hyper Protect Crypto: Novos recursos estão disponíveis para aumentar a privacidade dos dados em aplicativos em nuvem, onde as informações enviadas pela rede para aplicativos em nuvem e dados confidenciais, como números de cartão de crédito, são armazenados em um banco de dados que pode ser criptografado no nível da aplicação, apoiado pelo mais alto nível de proteção de encriptação de chave criptográfica do mercado, com a capacidade de ‘manter sua própria chave’ (KYOK – ‘Keep Your Own Key’).

“Conforme nossa dependência de dados cresce na era da nuvem híbrida e os recursos de computação quântica avançam, a necessidade de privacidade de dados se torna ainda mais crítica. A IBM agora oferece a abordagem de segurança quântica mais holística para proteção de dados disponível atualmente, para ajudar as empresas a proteger os dados existentes e se proteger contra ameaças futuras”, disse Hillery Hunter, vice-presidente e diretora de tecnologia da IBM Cloud. “A segurança e a conformidade continuam a ser um foco e uma prioridade chave para IBM Cloud à medida que continuamos a investir em computação confidencial e nossos recursos de criptografia líderes para ajudar empresas de todos os tipos, especialmente aquelas em setores altamente regulamentados, a manter os dados seguros.”

Preparando-se para futuras ameaças com Quantum-Safe Cryptography Support

Enquanto a computação quântica visa resolver problemas complexos que nem mesmo os supercomputadores mais poderosos do mundo conseguem resolver, os futuros computadores quânticos tolerantes a falhas podem apresentar riscos potenciais, como a capacidade de quebrar rapidamente algoritmos de criptografia e acessar dados confidenciais. Para mitigar esses riscos, a IBM desenvolveu uma agenda estratégica clara para ajudar a proteger a segurança de longo prazo de nossas plataformas e serviços. Essa agenda inclui a pesquisa, o desenvolvimento e a padronização de algoritmos básicos de criptografia quântica segura como ferramentas de código aberto, como CRYSTALS e OpenQuantumSafe. Inclui também governança, ferramentas e tecnologia para ajudar nossos clientes a embarcar nessa jornada para um futuro mais seguro.

Hoje, como o próximo passo dessa agenda, a IBM está disponibilizando seus recursos de criptografia líderes do mercado criados por criptógrafos de IBM Research, para ajudar os clientes com uma abordagem de criptografia quântica segura para seus dados em trânsito em IBM Cloud. Os recursos foram criados para ajudar as empresas a se prepararem para ameaças futuras e podem ser úteis contra ataques nos quais agentes mal-intencionados coletam dados criptografados hoje com a intenção de depois decifrá-los, conforme a computação quântica avança.

IBM Key Protect, um serviço baseado na nuvem que fornece gerenciamento do ciclo de vida de chaves de criptografia que são usadas em serviços em IBM Cloud ou em aplicações criadas pelo cliente, agora possui a capacidade de usar uma conexão Transport Layer Security (TLS) habilitada para criptografia quântica segura, ajudando a proteger os dados durante o gerenciamento do ciclo de vida da chave.

Além disso, IBM Cloud também está introduzindo recursos de suporte de criptografia quântica segura para permitir transações de aplicações. Quando as aplicações em contêiner nativas na nuvem são executadas em Red Hat® OpenShift® em IBM Cloud ou IBM Cloud Kubernetes Services, as conexões seguras TLS podem ajudar a realizar transações de aplicações com suporte para criptografia quântica segura durante o transporte de dados e proteger contra possíveis brechas.

Protegendo dados confidenciais com IBM Cloud Hyper Protect Crypto Services

As empresas também precisam reduzir os riscos de ameaças externas e internas, bem como atender à conformidade regulamentar.

Hoje, IBM Cloud também está disponibilizando novos recursos para ajudar a proteger dados confidenciais e transações de aplicações usando IBM Cloud Hyper Protect Crypto Services, que fornecem o nível mais alto de proteção de criptografia de chave criptográfica do mercado, oferecendo aos clientes a capacidade de manter sua própria chave (KYOK – ‘Keep Your Own Key’). Construídos em hardware certificado FIPS-140-2 Nível 4, o mais alto nível de segurança oferecido por qualquer provedor de nuvem do mercado para módulos criptográficos, esses serviços permitem que os clientes tenham controle exclusivo de chave e, portanto, autoridade sobre dados e cargas de trabalho protegidos pelas chaves.

Desenvolvido para transações de aplicações onde há uma necessidade mais profunda de criptografia mais avançada, os clientes de IBM Cloud podem manter suas chaves privadas seguras dentro do módulo de segurança de hardware na nuvem enquanto descarregam o TLS para IBM Cloud Hyper Protect Crypto Services para ajudar a estabelecer uma conexão segura com o servidor web. Eles também podem obter criptografia de dados confidenciais (como um número de cartão de crédito) no nível da aplicação, antes de serem armazenados em um sistema de banco de dados.

Continuando a atender às demandas de segurança de clientes e setores altamente regulamentados

A IBM tem investido em tecnologias de computação confidencial por mais de uma década e hoje oferece computação confidencial pronta para produção para ajudar os clientes a proteger dados, aplicações e processos.

Para reforçar seu compromisso com a segurança e conformidade, a IBM continua a colaborar com seus pares no mercado para progredir ainda mais nas iniciativas de padronização. Por exemplo, as melhores práticas de segurança em IBM Cloud agora estão disponíveis como um benchmark Center for Internet Security (CIS) Foundations para IBM Cloud, e os criptógrafos de IBM Research são contribuidores importantes para os algoritmos QSC que estão listados no National Institute of Standards and Technology (NIST).

¹As chaves de criptografia e as operações criptográficas são protegidas com o certificado HSM de mais alto nível-com os serviços Hyper Protect Crypto: FIPS 140-2 Nível 4.
²Com base no IBM Hyper Protect Crypto Service, o único serviço do mercado desenvolvido com hardware certificado FIPS 140-2 Nível 4. O FIPS 140-2 Security Level4 fornece o mais alto nível de segurança definido neste padrão. Nesse nível de segurança, os mecanismos de segurança física fornecem proteção abrangente ao redor do módulo criptográfico com a intenção de detectar e responder a todas as tentativas de acesso físico não autorizado.

Tags,

Estudo IBM: 40% dos líderes de Recursos Humanos não estão preparados para serem os parceiros estratégicos de suas organizações

Um novo estudo do IBM Institute for Business Value (IBV), “Acelerando a Jornada para o HR 3.0”, revela que menos de 40% dos CHROs entrevistados possuem as habilidades necessárias para ajudar a empresa em sua estratégia de negócios. O estudo foi conduzido em parceria com o analista independente global Josh Bersin, da Josh Bersin Academy, com mais de 1.500 executivos de RH globais entrevistados em 20 países, incluindo o Brasil, de 15 setores.

Esse dado reforça uma outra pesquisa da IBM feita em 2018 que estima que 120 milhões de profissionais nas 12 maiores economias do mundo podem precisar passar por reskilling nos próximos três anos, devido à IA e automação. Esse desafio foi intensificado pela COVID-19, pois, conforme a transformação digital é acelerada, habilidades inadequadas revelam-se como um dos maiores obstáculos ao progresso.

Em paralelo, segundo um estudo feito com consumidores, as expectativas dos funcionários pesquisados em relação aos seus empregadores mudaram significativamente durante a pandemia. 74% dos líderes C- Level acreditam que suas organizações os ajudaram a aprender as habilidades necessárias para se adaptar e trabalhar de uma nova maneira, em comparação com apenas 38% dos funcionários pesquisados. Já 80% dos executivos que participaram da pesquisa dizem que sua empresa está apoiando a saúde física e emocional de seus funcionários, mas apenas 46% dos funcionários pesquisados concordam com esta avaliação.

“É fundamental que o RH se reinvente para acompanhar as novas necessidades de suas organizações e promover uma nova era de recursos humanos, na qual a experiência do funcionário seja central para a tomada de decisões. A visão de HR 3.0 exige que as organizações construam engajamento com funcionários remotos, passem a trabalhar de forma ágil e, ao fazer isso, impulsionem a produtividade com equipes versus indivíduos, promovam confiança em tempos incertos e cultivem forças de trabalho resilientes”, comenta Kelly Ribeiro, líder de Talent and Transformation para IBM Services na América Latina.

Outros destaques do estudo incluem:

• Quase seis em cada dez empresas de alto desempenho pesquisadas relataram usar inteligência artificial e análises de dados para tomar melhores decisões sobre seus talentos, como programas de treinamento e decisões de remuneração. 41% estão aproveitando a IA para identificar as habilidades que precisarão no futuro, em comparação a 8% nas outras empresas.

• 65% das empresas de alta rentabilidade pesquisadas recorrem à inteligência artificial para identificar habilidades comportamentais, como mentalidade de crescimento e criatividade para construir equipes diversificadas e adaptáveis, em comparação a 16% de seus pares.

• Mais de dois terços de todos os entrevistados disseram que as práticas ágeis são essenciais para o futuro do RH. No entanto, menos da metade das unidades de RH nas organizações participantes tem capacidades de design thinking e práticas ágeis.

• 71% das empresas de alto desempenho pesquisadas relataram que estão implementando amplamente uma arquitetura de tecnologia de RH consistente, em comparação com apenas 11% das demais.

“Para atingir o alinhamento de negócios de longo prazo entre líderes e funcionários, este momento exige que o RH opere como um consultor estratégico, uma nova função para muitas organizações de RH”, disse Josh Bersin, analista global independente e reitor da Josh Bersin Academy. “Muitos departamentos de RH estão buscando tecnologia, como nuvem e análise de dados, para oferecer suporte a uma abordagem mais consistente e de autoatendimento às responsabilidades tradicionais de RH. Oferecer capacitação aos funcionários por meio de suporte abrangente pode gerar mudanças estratégicas mais amplas para os negócios em geral.”

Os resultados do relatório sugerem três recomendações chave para promover uma mudança duradoura

De acordo com o relatório, os executivos de RH pesquisados em empresas de alto desempenho tinham oito vezes mais probabilidade do que seus pares pesquisados de impulsionar a transformação em suas organizações. Entre essas empresas, as seguintes ações são prioritárias:

• Acelerar o ritmo de aprendizado e feedback contínuos.
• Cultivar uma liderança empática para apoiar o bem-estar holístico dos funcionários.
• Reinventar sua função de RH e arquitetura de tecnologia para tomar decisões com base em dados em tempo real.

O Burger King Brasil é um exemplo de empresa que respondeu rapidamente às expectativas e necessidades dos novos funcionários que se apresentam neste momento. O Burger King Brasil trabalhou com a IBM para criar um novo assistente virtual baseado no IBM Watson Assistant, que ajudou durante a pandemia a fornecer suporte de autoatendimento à sua força de trabalho, bem como comunicações e conexões mais transparentes entre si e com a liderança da companhia. A solução dá suporte a seus 16 mil funcionários e, em média, respondeu a 1.100 perguntas por dia somente em abril.

Tags, , ,

Câmara de Comércio Árabe-Brasileira impulsiona negócios com tecnologias de Cloud e Blockchain da IBM

A Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (CCAB) – organização que atua há mais de 68 anos com o propósito de conectar empresas brasileiras e árabes – anuncia a implementação da IBM Blockchain Platform rodando em IBM Cloud para digitalizar, acelerar e trazer mais segurança a processos de exportação entre o Brasil e os 22 países da Liga Árabe e, assim, continuar ajudando no desenvolvimento econômico, social e cultural da relação bilateral. O projeto é parte do sistema Ellos, plataforma desenvolvida pela CCAB para apoiar seus associados e parceiros.

A adoção de tecnologias que possibilitam a transformação digital é chave para diversos modelos de negócio. De acordo com o recente IBV COVID C-Suite Study, 64% dos executivos em todo o mundo reconhecem uma mudança para mais atividades de negócios baseadas na nuvem devido à pandemia (1). Ao mesmo tempo, a IDC espera que os gastos com blockchain na América Latina sejam de USD 200 milhões até 2023.

De acordo com o secretário-geral da Câmara Árabe-Brasileira, Tamer Mansour, a plataforma vai integrar dados de toda cadeia exportadora para os países árabes. Numa fase piloto, o projeto será implementado nos fluxos comerciais envolvendo o Brasil e a Jordânia, país que está fazendo um grande esforço de digitalização governamental e busca se reposicionar como um hub de acesso à região para outros países. “Temos um negócio baseado em relacionamentos e confiança. Oferecer uma experiência melhor e serviços com excelência para facilitar as operações dos nossos clientes é primordial. A IBM nos trouxe uma metodologia e as tecnologias necessárias para darmos um passo além nas operações, com agilidade para fazer a inovação acontecer”, comenta Tamer.

A solução também inclui o desenvolvimento de uma aplicação baseada em IBM Blockchain, oferecendo aos usuários dos serviços da CCAB mais agilidade, praticidade e transparência aos processos de exportação, atendendo os requisitos de qualidade e de compliance das diferentes legislações de importações e exportações de bens vigentes em cada país. A solução vai permitir ao mesmo tempo mais flexibilidade, estabilidade, escalabilidade e segurança para o despacho de cargas.

A CCAB também migrou seu ambiente de TI que, até então, era todo on premise, para a IBM Cloud, o que trouxe mais agilidade para o desenvolvimento de novas aplicações e possibilitou melhorias em manutenção, custos e esforços das equipes, que enfrentavam desafios diários por conta de sistemas legados e complexos.

Para Joaquim Campos, VP de Cloud e Cognitive da IBM Brasil, o acordo com a CCAB traz orgulho e mostra que a organização está avançando em seu processo de transformação digital. “Conseguimos consolidar uma parceria muito forte e próxima com os profissionais da CCAB e reforçar a IBM como um parceiro confiável de tecnologia, capaz de dar suporte aos desafios de forma completa, desde a modernização de infraestrutura em Cloud até o desenvolvimento de aplicações envolvendo Blockchain, Microsserviços e DevOps”, ressaltou o executivo.

A CCAB viu o potencial dessas tecnologias para implementar no seu serviço um processo digitalizado e rápido para os agentes do comércio bilateral entre o Brasil e os países árabes. Com isso, as organizações envolvidas nos processos de importação ou exportação passam a ter mais agilidade sobre as operações em um movimento inovador que fortalece o ecossistema de comércio exterior.

Todo o projeto foi executado pela IBM Garage, usando a metodologia que promove o desenvolvimento e implementação de ideias em conjunto com o cliente para acelerar o processo de transformação digital da CCAB.
(1) https://www.ibm.com/thought-leadership/institute-business-value/report/covid-19-future-business

Tags, , ,

Um chamado tecnológico para transformar a cadeia alimentar

Por Joaquim Campos, vice-presidente de Cloud & Cognitive Software da IBM Brasil

Hoje, 16 de outubro, comemoramos o dia mundial da alimentação. A data surgiu para lembrar a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em 1945, com o intuito de alcançar a segurança alimentar de todos e garantir que as pessoas tenham acesso regular a alimentos de alta qualidade suficientes para uma vida saudável.

De acordo com FAO, a América Latina é uma das maiores exportadoras de alimentos do mundo, o que torna a indústria de alimentos um setor chave para o crescimento da região (1). Atualmente, a indústria passa por um momento de transformação, devido à globalização e digitalização de processos e serviços; algo que foi ainda mais intensificado pelo COVID-19. E é aí que tecnologias de ponta, como Cloud, AI e Blockchain, podem ajudar a percorrer esse caminho, fortalecendo as cadeias alimentares do início ao fim e abordando 3 desafios principais derivados dessa transformação: 1. Sustentabilidade; 2. Eficiência e 3. Novas formas de consumo.

1. Sustentabilidade: Ter uma cadeia agrícola e alimentar sustentável implica o uso racional de recursos como solo, água e suprimentos, para melhorar a qualidade ambiental e a vida dos produtores e da sociedade. Isso nos leva a examinar três pilares fundamentais para a sustentabilidade da indústria de alimentos: mudança climática, escassez de recursos e perda de alimentos.

Por exemplo, o setor agrícola, e principalmente a agricultura irrigada, utiliza a maior parte da água, com 70% da retirada (2). Diante disso, tecnologias como a inteligência artificial estão transformando a indústria, auxiliando na avaliação do solo, no planejamento da irrigação e no controle químico, tornando o uso dos recursos mais eficiente e reduzindo o impacto ambiental.

2. Eficiência: A indústria de alimentos é um setor que possui muitos atores que fazem parte do ecossistema, com processos associados que se multiplicam à medida que a rede se expande. O desafio seria otimizar esses processos levando em consideração três fatores principais: bom planejamento da demanda para uma população em crescimento, segurança alimentar e impacto econômico.

Por exemplo, estima-se que 30 a 40% das safras são perdidas a cada ano por vários motivos, incluindo: doenças da safra, não otimização da produção e estimativa insuficiente do abastecimento (3). Tudo isso, com o consequente impacto econômico. O uso da nuvem e suas APIs podem ajudar as organizações a planejar melhor sua produção, otimizar o uso de recursos e dimensionar soluções de forma ágil e rápida, reduzindo os custos associados.

3. Novas formas de consumo: as tendências de consumo para as próximas décadas exigirão maior flexibilidade para se adaptar aos usuários, e ainda mais, na ‘nova realidade’, com usuários hiperconectados; com um aumento das compras ‘ecofriendly’; e as novas modalidades de compra derivadas do impacto do COVID-19, entre outras.

9 em cada 10 millennials latino-americanos têm em mente o impacto ambiental em pelo menos alguma das suas decisões de compra (4). A tecnologia blockchain pode ajudar às empresas e organizações a digitalizar e aumentar os níveis de confiança em todo o ecossistema. Isso é alcançado por meio da transparência em tempo real das transações; mostrando o percurso que a comida faz do campo à mesa e dá visibilidade das informações sobre as práticas de sustentabilidade das marcas.

Várias empresas na América Latina já estão usando as tecnologias disruptivas da IBM para acelerar sua reinvenção e transformar a cadeia alimentar da fazenda à mesa, para estar mais preparada para o que o amanhã trará.

(1) http://www.fao.org/3/a-i4738s.pdf
(2) http://www.bancomundial.org/es/topic/water-in-agriculture
(3) http://www.fao.org/news/story/es/item/469315/icode/
(4) http://dev-latinspots-com.sa-east-1.elasticbeanstalk.com/sp/noticia/mercado-libre-lanza-su-seccin-exclusiva-de-productos-sustentables/51746

Tags, , ,