Page

Author admin

Governador do Paraná Beto Richa participa do programa Roda Viva

Tags, , ,

Campanha do Instituto Akatu para o Dia das Mães sugere criar presente sem custo

O Instituto Akatu inicia em maio a campanha Vale Amor de Mãe (#valeamordemae), que será divulgada pelas redes sociais. O objetivo é incentivar as pessoas a usar a criatividade para elaborar um presente especial sem nenhum custo, que valorize o sentimento entre mãe e filhos, no Dia das Mães comemorado em 11 de Maio.

“Não somos contra o consumo, pois ele é necessário para todos os seres humanos. Porém, é preciso combater o consumismo que é um fim em si mesmo e não proporciona bem-estar”, diz Helio Mattar, diretor presidente do Instituto Akatu. “Com esta campanha, queremos mostrar que para demonstrar o amor não é preciso, necessariamente, comprar presentes.”

As dez peças da campanha simulam tíquetes que podem ser usados para presentear as mães com um momento especial. “Vale um abraço gostoso”, “Vale um café da manhã na cama” e “Vale um passeio no parque” são alguns exemplos de presentes que emocionam e não pesam no bolso. As peças podem ser divulgadas livremente nas redes sociais, com a condição de citação dos perfis do Akatu (https://www.facebook.com/institutoakatu no Facebook e @institutoakatu no Twitter). Um arquivo em formato “pdf” com todas as peças poderá ser baixado e usado para divulgar a campanha completa.

A última pesquisa divulgada pelo Instituto Akatu, “Rumo à Sociedade do Bem-Estar”, revelou que para mais de 60% da população brasileira felicidade é ter saúde e bom convívio social com a família e amigos. Apenas 3 em cada 10 brasileiros associa o sentimento à posse de bens.

Sobre a Pesquisa
A “Pesquisa Akatu: Rumo à Sociedade do Bem-Estar” é o último levantamento de percepção do consumidor realizado pelo Instituto Akatu. Foram ouvidos 800 homens e mulheres, com idade igual ou superior a 16 anos, das classes A, B, C e D, de todas as regiões geográficas do Brasil.

Relatório completo da Pesquisa Akatu: http://bit.ly/Pesquisa2012
Sumário de conclusões da Pesquisa Akatu: http://bit.ly/SUM2012

Tags, , , ,

Catho aponta áreas que pagam os melhores salários

Nesta semana em que é lembrado o Dia do Trabalho, 1 de maio, a Catho preparou pesquisa sobre cargos e salários do mercado de trabalho brasileiro. O levantamento aponta um TOP 5 das áreas que melhor remuneram seus profissionais. Engenharia está no topo, seguida por Administração.

A pesquisa também apresenta as maiores variações salariais do último ano. A área comercial e de TI estão no topo do TOP 10. Segundo o head de estratégia e pesquisa da Catho, Luís Testa, estas são áreas que têm apresentado grande demanda nos últimos anos. “A área Comercial, que ocupa as duas primeiras posições do ranking, teve um aquecimento especial em função dos eventos que o Brasil vai sediar neste e nos próximos anos. Já TI, que está em terceiro, tem muita relação com a alta demanda por profissionais qualificados”, observa.

Pesquisa Salarial

A Catho, site de empregos líder no país, divulga a cada três meses uma atualização da Pesquisa Salarial e de Benefícios da Catho. Este recorte faz parte da 46ª edição que contou com mais de 233 mil respondentes em 2.154 cidades brasileiras.

Tags, , , , , , ,

O que ocorre com o empregado de aviso prévio que cometer irregularidades?

Nas relações trabalhistas, tanto o empregado quanto o empregador que desejam rescindir o contrato de trabalho por prazo indeterminado, sem justa causa, deverão notificar à outra parte, antecipadamente, por meio do aviso prévio, que é a comunicação do rompimento do acordo da relação empregatícia.

De acordo com a advogada trabalhista da IOB, Ydileuse Martins, o aviso prévio tem por premissa impedir a surpresa da quebra do contrato de trabalho de uma hora para outra, possibilitando ao empregador o preenchimento do cargo vago e ao empregado a chance de uma nova colocação no mercado.

O aviso prévio pode ser tanto indenizado quanto trabalhado. Quando a iniciativa de extinguir o contrato de trabalho parte do empregado, este fica obrigado a trabalhar normalmente, respeitando o prazo de 30 dias. “Caso contrário, ele terá o valor equivalente descontado nas verbas rescisórias”, afirma a especialista da IOB enfatizando que uma das principais dúvidas das empresas de variados portes e segmentos que chegam na consultoria da multinacional diz respeito à conduta dos empregados quando estão cumprindo aviso prévio. Neste caso, a advogada é enfática: “Caso o colaborador cometa desvios no período em que estiver cumprindo aviso prévio, sofrerá punições”.

Se o empregado apresentar comportamento inadequado, o empregador tem todo o direito de aplicar uma advertência, mesmo no período de aviso prévio. “Conforme as normas empresariais, há possibilidade do empregado ser suspenso. Em casos mais graves, a empresa pode aplicar justa causa, convertendo o motivo da dispensa. Mas vale lembrar que, para que a justa causa fique caracterizada, é essencial que haja prova robusta e inequívoca da falta cometida”, explica Ydileuse Martins.

Desistência

Tanto o empregado quanto o empregador podem desistir da demissão, após ter comunicado o aviso prévio, como comenta a especialista em direito do trabalho da IOB, Ydileuse Martins: “Existe a possibilidade da desistência do desligamento realizado pela empresa ou até mesmo com relação ao pedido de demissão feito pelo empregado. Para voltar atrás, ambas as partes devem concordar com a revogação do ato, tornando-o sem efeito, conforme determina o artigo 489 da CLT, que diz ‘dado o aviso prévio, a rescisão torna-se efetiva depois de expirado o respectivo prazo. Mas se a parte notificante reconsiderar o ato antes de seu termo, à outra parte é facultado aceitar ou não a reconsideração’”, finaliza a especialista.

Tags, , , , , , ,

Internet e mobile banking correspondem a 47% das transações bancárias no Brasil

Internet e mobile banking responderam por quase a metade das transações realizadas no ano passado (47%), ante 37% dos canais tradicionais (caixas eletrônicos, contact center e agências bancárias), segundo a mais recente edição da Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária, que traz dados consolidados de 2013. O estudo, realizado pela Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN em parceria com a Strategy& (anteriormente conhecida como Booz & Co), conta com a participação de 18 instituições bancárias que operam no Brasil e correspondem a 97% da rede de agências do país. Além disso, o estudo foi complementado por dados de outras associações e órgãos governamentais, inclusive internacionais, a fim de ampliar e aprofundar a análise das informações.

Os dados da pesquisa impressionam pelo ritmo da expansão dos canais digitais. Em 2009, a participação desses canais era de 31%, 16 pontos percentuais abaixo em relação a pesquisa de 2013. Parte importante dessa evolução se deve ao crescimento do mobile banking. O volume de transações nesse canal aumentou, em média, 270% ao ano entre 2009 e 2013, a maior taxa média anual entre todos os meios, subindo de 12 milhões para 2,3 bilhões nesse período. No mesmo intervalo, a participação dos smartphones no número total de operações subiu de praticamente zero para 6%. Somente nas transações sem movimentação financeira, como em aplicativos para consulta de saldo, a participação do mobile banking subiu de 4% para 10% entre 2012 e 2013.

“A popularização dos smartphones, a conveniência para o cliente e os investimentos dos bancos em segurança eletrônica mostram que o mobile só tende a ganhar importância”, diz Gustavo Fosse, diretor setorial de tecnologia e automação bancária da FEBRABAN.

A Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária estima que em até dez anos o Brasil poderá atingir níveis de penetração de smartphones semelhantes aos verificados em países desenvolvidos, ao redor de 80%. No fim de 2013, a parcela da população com celulares inteligentes foi estimada em 27%, evidenciando o espaço para o aumento da relevância do canal para fins bancários. Entre 2009 e 2013, o número de contas correntes com mobile banking registrou crescimento médio anual de 134%, atingindo 11,3% da base de contas do ano passado.

Internet banking e o papel das agências

O acesso aos serviços bancários pelo computador também segue em crescimento. O número de contas correntes acessadas pela Internet sobe vigorosamente desde 2009, a uma taxa média anual de 19%, alcançando a marca de 41,8 milhões em 2013 – o equivalente a 40% do total. O volume de transações via internet banking também avança a uma taxa anual de 23%, passando de 7,3 bilhões para 16,6 bilhões entre 2009 e 2013. A pesquisa estima que esse crescimento está diretamente ligado à maior difusão do acesso à Internet pelos brasileiros. Enquanto 31% da população do país era usuária da rede em 2007, esse número subiu para 52% em 2013.

Apesar do crescimento do Internet banking, as agências bancárias continuam com números expressivos. A média de transações mensais com movimentação por conta corrente é equivalente para agências e Internet banking (2,3 e 2,5 transações respectivamente). Se considerarmos somente as contas que usam internet, o número de transações com movimentação financeira sobe para 6,2 por mês. O número de contas correntes por agência também cresceu, de 4.148 em 2009 para 4.511 em 2013.

Mesmo com a consolidação das tecnologias de autoatendimento online, o número de agências e postos de atendimento bancário continua se expandindo, com crescimento anual médio de 3% entre 2009 e 2013. O aumento é impulsionado principalmente por áreas que oferecem maiores oportunidades de expansão da rede nos últimos anos, como Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Nessas regiões, as taxas médias anuais de crescimento são de 7%, 6% e 4%, respectivamente, maiores que a do Sul (3%) e a do Sudeste (2%).

Outra frente de investimento dos bancos em conveniência de atendimento foram os caixas eletrônicos. O número de ATMs (na sigla em inglês) tem mantido um crescimento médio anual de 2%, e a quantidade de transações por máquina também tem se elevado: passou de 47 mil em 2009 para 57 mil em 2013. Um dos motivos que a pesquisa destaca para o aumento de transações por caixa eletrônico é a maior presença de terminais considerados completos: aqueles que funcionam com pelo menos dois recursos, como saques e depósitos. Além disso, em 2013, a porção de aparelhos adaptados para pessoas com deficiência chegou a 90% do parque instalado.

Gastos totais

Em 2013, os bancos que operam no Brasil gastaram cerca de R$ 20,6 bilhões em tecnologia, entre despesas e investimentos – um ligeiro avanço em relação a 2012, quando o montante foi de R$ 20,1 bilhões. Trata-se de um volume equivalente a 17% dos gastos em TI no Brasil, o que torna o setor bancário o maior investidor em tecnologia dentre todas as indústrias no país.

Evolução da tecnologia no mercado financeiro

O uso de novas tecnologias e o crescimento da mobilidade nas transações comerciais serão alguns dos temas abordados pela edição deste ano do CIAB FEBRABAN – Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras – que tem como tema a “Estratégia Digital no mundo hiperconectado”.

O evento, que ocorre de 4 a 6 de Junho no Transamérica Expo Center, em São Paulo, é o maior e melhor evento da América Latina tanto para o setor financeiro quanto para a área de Tecnologia. A programação desta edição inclui diversas palestras voltadas à tecnologia no mercado financeiro, abordando temas como cloud computing, big data, mobilidade e Internet das coisas. O grande destaque será a palestra sobre o futuro da tecnologia, ministrada por Steve Wozniak, cofundador da Apple.

Tags, ,

Blog da Microsoft Brasil: multitelas – para onde vai a atenção do usuário?

Por Patricia Garrido

Indicadores de mercado do IAB, e que trazem dados Nielsen Ibope, mostram que 68% das pessoas acessam Internet em computador de mesa, 44% em notebook e 11% em smartphone. Além disso, 96% das pessoas assistem à TV aberta. A pesquisa IAB sobre hábitos de mídia mostra que acessar a Internet enquanto assiste à TV é algo frequente para 61% dos brasileiros que estão online.

A Microsoft realizou uma pesquisa sobre o engajamento multitelas que mostra 82% das pessoas combinando diferentes telas para serem mais eficientes. Para 65%, esta é a única maneira de conseguir fazer tudo o que precisam no dia-a-dia. Esse estudo mapeou quatro diferentes tipos de comportamentos multitelas.

O primeiro chama-se “caçando conteúdo” e tem natureza multitarefa porque as atividades são simultâneas, mas não relacionadas. Por exemplo, acessar a previsão do tempo no smartphone enquanto assiste a um programa na TV. A atenção do usuário migra rapidamente de uma tela para outra. Assim, mensagens curtas e diretas podem ser mais efetivas neste momento do que convites para clique, por exemplo.

Outro comportamento é a “teia de investigação”, que acontece quando o conteúdo de uma das telas provoca curiosidade a ponto de motivar o uso de outra tela para pesquisar o assunto principal. Por exemplo, assistindo a um vídeo no desktop, o indivíduo usa o smartphone para descobrir onde o vídeo foi filmado ou o sobrenome do ator principal. As marcas promovem esse tipo de comportamento ao incentivar usuários a acessar seu conteúdo em diferentes canais de comunicação.

O terceiro é comportamento é a “Teia Social”, utilizar uma tela para enviar ou ler opiniões e comentários de outras pessoas sobre conteúdo que está sendo consumido em outra tela, neste caso, a principal. Por exemplo, enquanto assiste a um reality show na TV, a pessoa manda uma mensagem para um amigo sobre fato que aconteceu no programa.

O quarto comportamento é o “Quantum”, em que o usuário troca de telas em função do seu contexto específico ou preferência. Por exemplo, assiste à TV e vê chamada de uma peça em cartaz e usa o smartphone para conferir em qual é o teatro e o horário de sessões. Mais tarde, usa um tablet na compra dos ingressos online para poder escolher os assentos em uma tela maior. No Quantum, a mudança de tela também pode ocorrer por uma ineficiência da tela anterior e o risco é interromper o comportamento sem finalizar a atividade e perder este usuário.

As diferentes combinações de telas enriquecem o padrão de uso do online e contribuem para pensarmos sobre estratégia, objetivos de mídia e o futuro da publicidade.

Veja o conteúdo completo das pesquisas nos links a seguir:

Indicadores do mercado digital IAB: http://bit.ly/1dSBkid

Pesquisa Hábitos Mídia IAB: http://bit.ly/1ghLT1O

Pesquisa Microsoft: http://bit.ly/1gn7mCO

Patricia Garrido é Gerente de Pesquisa de Mercado & Analytics da Microsoft e membro do Comitê de Métricas do IAB Brasil.

– See more at: http://www.blogmicrosoftbrasil.com.br/multitelas-para-onde-vai-a-atencao-do-usuario/#sthash.SKRruUyU.dpuf

Tags

Pesquisa aponta Android como líder no tráfego de publicidade móvel

Somente nos três primeiros meses deste ano, a indústria de publicidade móvel já mostrou sinais de grandes passos no tráfego de informações e nos padrões de monetização. Pela primeira vez, o Android se tornou a maior plataforma mundial dentro do setor, superando o sistema iOS, de acordo com estudo da Opera Mediaworks, chamado de State of Mobile Advertising (em português, ‘O Estado da Publicidade Móvel’).

De acordo com a pesquisa, o sistema operacional do Google investiu e trabalhou para tomar parte do mercado da Apple desde o final do ano passado – mercado em que tradicionalmente perdia para o iOS. Pela primeira vez com o maior tráfego (42,8% contra 38,2% do iOS), o Android está lentamente aumentando a monetização dos anúncios e é responsável por mais de 33% da receita, em comparação aos 26,7% no mesmo período de 2013.

Entre os fabricantes de dispositivos móveis, a Samsung foi a favorita no mercado Android. Ao todo, registrou mais de 60% dos usuários e foi seguida pela LG, Motorola, HTC e ZTE. Paralelamente, os dados levantados pela companhia mostraram que, no 4º trimestre de 2013, a Ásia (22,85%) deu um salto à frente da Europa (13,5%) e ocupou a segunda colocação como maior mercado de publicidade móvel, depois apenas dos Estados Unidos (com 23%).

Já no Reino Unido, o iOS ainda se mostrou líder deste mercado, capturando 55% das impressões de anúncios e um relevante número de 66,9% da receita. Em geral e com base nas solicitações enviadas à plataforma Opera Mediaworks, o dispositivo da Apple é a opção escolhida por 62.3% de usuários únicos, seguido pelo Android (18,6%) e pela BlackBerry (14%). A seguir demais pontos importantes do relatório[1]:

• Usuários de aparelhos móveis dão mais importância aos aplicativos do que a internet nos dispositivos. Os Apps são responsáveis por 72% das impressões nos anúncios, em contraste com o mercado global – já que aplicativos compreendem somente 31% da utilização total.

• Notícias, Informações e Esportes são as categorias mais populares. A audiência global da Opera Mediaworks prefere sites nas categorias: Social, Artes & Entretenimento e Música, Vídeo & Mídia.

• Anúncios “rich media” são os mais eficazes. As taxas de click-through (número de usuários que clicaram em um link específico) em anúncios rich media (que contém imagens ou vídeos e envolvem algum tipo de interação por parte do usuário) são quase o dobro dos banners regulares. Grande parte do sucesso é devido à popularidade das propagandas elaboradas em vídeo, sendo que 1 em cada 7 anúncios móveis – e 1 em cada 3 unidades de rich media – são vídeos. Globalmente, este número representa 1 em 40.

• As propagandas do Play Station 4 da Sony definiram uma barreira livre para chamar mais atenção do consumidor. Os dados mostram que uma vez que o consumidor se envolve com os blocos de anúncios de vídeo e em cada ação adicional – que é necessária para visualizar o anúncio – é diminuída as chances do usuário concluir o processo. Recentemente, a Sony rodou um exemplo de publicidade que direcionava os consumidores ao conteúdo mais atraente da marca.

• Anúncios para jogos e smartphones lideram o espaço publicitário. Os anunciantes para games valorizam as altas taxas de click-through e as campanhas para os dispositivos móveis, que resultam o maior número de impressões.

[1] Dados referentes ao mercado do Reino Unido, que podem ser aplicados em outras regiões do mundo.

Tags, , , , , , , ,

Caridadx: tecnologia a serviço do bem

O Caridadax é um site baseado no conceito de crowdfunding (financiamento coletivo) para apoio de causas sociais. A iniciativa é da empresa curitibana Visionnaire Informática ao investir em uma startup em parceria com um grupo de jovens empreendedores.
Saiba mais sobre o projeto em uma reportagem em vídeo do programa de tv Valor Agregado.

Tags, , , , , ,

Empresas de TI buscam soluções diferenciadas para a falta de mão de obra

É crítico o déficit de mão de obra na área de TI. A expansão acelerada do segmento – hoje, em 10% ao ano podendo chegar a 12% em 2015 – contrasta com a falta de profissionais capacitados, o que pode travar o setor no Brasil. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontam que, aproximadamente, 78,5 mil vagas de TI serão criadas em 2014, ao passo que apenas 33,6 mil pessoas serão formadas para ocupá-las. A estimativa é de que o número de vagas a serem preenchidas em 2015 chegue a 117 mil. Em 2020, apontam estimativas de especialistas em RH, haverá um déficit de mão de obra na ordem de mais de 400.000 profissionais de TI.

“Algumas empresas já estão terceirizando projetos de sistemas na Índia, pois a mão de obra qualificada custa um terço do valor pago no Brasil, considerando hora trabalhada, diz a CEO da HSD”, Susana Falchi. As empresas têm lançado mão de outras soluções, como terceirizar projetos, “importar” mão de obra, ou até mesmo criar uma universidade própria.

Uma das soluções encontradas pelas empresas de softwares foi promover treinamentos para capacitar e manter os funcionários. “Na era do conhecimento, os executivos entendem cada vez mais a necessidade do desenvolvimento contínuo e permanente das competências de seus colaboradores”, afirma Susana.

Apesar do crescimento do número de cursos voltados para TI e das inscrições, os dados são preocupantes. Um estudo da Brasscom mostra que mais de 80% dos alunos não conclui o curso. “O cenário é agravado pela rápida evolução tecnológica, pois existe uma caducidade das tecnologias entre dois e três anos”, afirma Susana. Ela defende a necessidade de educação continuada ou formação complementar anualmente. “Esse papel deveria ser realizado pelas empresas com apoio do governo, pois o segmento educacional não tem essa velocidade para adequação de conteúdos”, diz.

Qualificação in company
O impasse torna-se ainda maior, pois as empresas têm necessidades de tecnologias específicas e as universidades formam estudantes com visão abrangente, o que limita a atuação do profissional. Para fazer frente a essa dicotomia, a Audaces, empresa líder no mercado de vendas de CAD/CAM na América Latina que atua no desenvolvimento de softwares e máquinas para automação dos processos produtivos das confecções, criou a Universidade Audaces. “Buscamos desenvolver tecnicamente os profissionais da empresa e também levar conhecimento ao mercado em que atuamos”, conta Vera Lucia Brasil Nunes, diretora de Capital Intelectual da Audaces.

A Universidade Audaces atua na disseminação do conhecimento existente na empresa para todas as áreas, capacitando os colaboradores para atuação nas rotinas diárias e possibilitando o crescimento com o desenvolvimento de novas competências. “A inovação é estimulada a partir do momento que não limitamos o desenvolvimento ao seu cotidiano. Mentes abertas criam mais, inovam mais. Nesse processo de capacitação, são utilizados não só treinamentos presenciais, com equipe interna, instrutores Audaces ou ainda instituições externas, mas também EAD”, diz Vera. Em 2013, a empresa realizou mais de 20 mil horas de treinamentos EAD e mais de 40 mil horas de treinamento presencial ministradas a clientes e colaboradores, tanto internamente como em outras instituições.

Segundo Vera, a preocupação da Audaces vai além da capacitação dos seus colaboradores, pois a área de Capital Intelectual, que engloba além da Universidade, o RH e Desenvolvimento Organizacional, busca atrair, captar e reter profissionais alinhados aos valores e cultura da empresa para que todo o investimento na formação e desenvolvimento das pessoas reverta no crescimento da própria organização de forma sustentável.

Salários
Um dos sintomas típicos do déficit de profissionais qualificados é a distorção dos salários. Profissionais mais jovens e qualificados passam a receber salários equivalentes a posições sêniores, com mais tempo de atuação. “O crescimento da massa salarial nos últimos anos vem acompanhado pela queda de produtividade e da dificuldade de as empresas conseguirem mão de obra qualificada e reter talentos”, destaca Susana. Ela lembra que o salário médio pago para profissionais de nível técnico está em torno de R$ 3.000,00. Em linhas gerais, um Administrador de banco de dados, conhecido como DBA, ganha atualmente R$ 12.000,00.

Outra questão que interfere é a postura desses profissionais. Eles são jovens e preferem trabalhar por projeto, o que impacta na relação de trabalho. “É comum esses profissionais terem empresas abertas para emissão de nota fiscal, pois preferem o trabalho autônomo ao vínculo empregatício, cumprindo jornada de trabalho e limitando a participação em outros projetos”, diz Susana.

Tags, , , ,

Desafios do RH: uma perspectiva de negócio

A mais recente pesquisa da Affero LAB, em parceria com o IBOPE Inteligência, traz um panorama atual de como a área de RH é percebida no contexto organizacional

No estudo, mais de 600 executivos, com cargos de decisão em grandes empresas, apontaram suas perspectivas sobre o papel do RH e seu posicionamento nas questões estratégicas das organizações. Com uma amostra composta por 46,4% de profissionais de RH e 53,6% das demais áreas da organização, a proposta da pesquisa foi fazer uma análise comparativa e verificar como o RH é percebido por seus próprios profissionais e pelas outras áreas.

De acordo com Alexandre Santille, co-CEO da Affero Lab, concorrência, maior mobilidade e economia baseada no conhecimento, são algumas das mudanças que fazem com que os profissionais de RH sintam-se cada vez mais cobrados a se envolver, efetivamente, com os resultados de negócios. “Além das suas práticas tradicionais como recrutamento, seleção, benefícios, recompensas, o RH sofre pressão para atuar mais estrategicamente, agregando valor por meio do capital humano”, diz Santille.

Nesse cenário, saber o quanto a área de RH é envolvida nas questões estratégicas e o peso que a alta liderança realmente dá para a aprendizagem e desenvolvimento torna-se uma oportunidade de entender os desafios atuais desta área que ganha cada vez mais importância na arena dos negócios.

Destaques apontados pela pesquisa:

• Profissionais das demais áreas indicam “Lucratividade” (29,3%) e “Crescimento da organização” (28,1%) como as questões mais prioritárias, enquanto profissionais do RH apontam “Gestão de talentos” (25,9%) e “Redução de custos” (22,5%). Esses dados, de certa forma confirmam a percepção de que as demais áreas dão menor atenção à gestão de talentos do que o RH , priorizando desafios que estão mais diretamente ligados aos resultados de negócio.

• Há uma grande disparidade entre as áreas quanto à importância do “Desenvolvimento de lideranças”, que dispara entre os profissionais de RH (53,4%) em relação aos profissionais das outras áreas (26,6%). Isso pode estar relacionado, por um lado, ao entendimento habitual do RH, que vê a liderança como uma das principais responsáveis por engajar pessoas e estimular a performance. E por outro, à dificuldade das demais áreas em relacionar a qualidade da liderança aos níveis de turnover e aos níveis de excelência na performance da organização, por exemplo.

• Os dados demonstram como as áreas de negócios ainda não reconhecem o RH com um papel estratégico atuante. Apenas 29,7% dos profissionais das outras áreas têm a percepção de que o RH esteja envolvido nas decisões estratégicas. Curioso observar que a percepção do RH quanto à sua própria participação nas decisões estratégicas é muito superior (60,6%) do que observado pelas outras áreas.

• 73,0% dos profissionais de RH afirmam que T&D é algo muito importante para a organização contra apenas 56,1% de outras áreas. Esses dados mostram o grau de importância que o RH dá ao desenvolvimento do capital humano da organização, mas também revelam a defasagem em perceber essa importância estratégica entre os profissionais das áreas mais diretamente responsáveis pelos resultados de negócio.

•O RH está muito mais satisfeito (50,8%) com o próprio trabalho do que seus “clientes” das outras áreas (18,7%), que revelam grau de satisfação baixo quanto às iniciativas de T&D propostas pela área de RH. Um alerta para que o RH procure entender melhor a efetividade das intervenções de aprendizagem e desenvolvimento que implementa.

• Todos parecem concordar que os fatores que mais preocupam o CEO sejam “Custos” (34,9% RH e 25,8% outra áreas) e “Crescimento” (17,3% RH e 22,9% outras áreas) da organização. Curiosamente, apesar de toda discussão em torno da escassez de profissionais capacitados para enfrentar os desafios atuais no cenário de negócios, na percepção das outras áreas e do próprio RH “Talentos” aparece em penúltimo lugar como fator de maior preocupação para o CEO.

Tags, , , , ,

RICMAIS Paraná: a aposta do grupo RIC de comunicação na convergência de mídias

No programa de tv Valor Agregado, entrevistei o gerente de conteúdo do grupo RIC sobre o portal RICMAIS Paraná. Luiz Andrioli falou sobre o trabalho que agrega os conteúdos de rádios, tvs e outras publicações em um grande portal.

Tags, , , , ,

Inscrições gratuitas para rodada de negócios internacional da BITS 2014 até 30 de abril

A quarta edição da BITS – Business IT South America, versão Sul-Americana da CeBIT, que ocorre de 13 a 15 de maio, contará, novamente, com o BITS Business Matchmaking, rodada de negócios que promove o encontro entre empresas nacionais e internacionais trazendo novas oportunidades e estimulando parcerias na área de Tecnologia da Informação e da Comunicação. A Rodada acontece das 14h às 19h, no pavilhão de exposições.

O evento é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria – CNI, da FIERGS, através do seu Centro Internacional de Negócios – CIN-RS, em parceria com a Apex-Brasil e Sebrae-RS. Este ano o evento conta com um importante convênio internacional com o Enterprise Europe Network – EEN, maior rede de empresas da União Europeia.

A EEN conta com grupos setoriais que atuam na promoção de oportunidades e instituições que representam clientes demandando e ofertando negócios. Dentro deste escopo, a Leibniz Universität Hannover, a European-American Business Organization e a Agência para a Competitividade e Inovação I.P. são co-organizadores do evento, apoiando na prospecção de empresas da Alemanha, Estados Unidos e Portugal respectivamente.

“Esta aliança é um grande meio de divulgação de oportunidades de negócios, para captar empresas internacionais e promover as empresas brasileiras inscritas no evento”, destaca Kurt Ziegler, Coordenador do CIN-RS. O Business Matchmaking 2014 ainda terá maior espaço e comodidade no ambiente físico. A expectativa é contar com mais de 70 empresas de dez estados brasileiros e mais de 30 internacionais.

Em 2013, as rodadas da BITS reuniram 15 países e cerca de 100 empresas nacionais e internacionais. Ocorreram 323 reuniões, o que gerou uma expectativa de negócios de US$ 13 milhões de dólares.

As inscrições para as rodadas 2014 são gratuitas e podem ser feitas até 30 de abril no endereço: www.b2match.eu/bits2014

BITS une exposição com atividades paralelas

A BITS 2014 contará com pavilhão de exposição, com estandes de países como Portugal, Alemanha, Argentina e Índia. As BITS Global Conferences, congresso internacional oficial, traz os principais temas e tendências do mercado para atualização profissional. Este ano o foco é Datability e Inovação. Saiba mais em www.bitsouthamerica.com.br/programacao-global.php

O CIO Project aproxima executivos de grandes empresas compradoras de TIC das empresas expositoras. Teve sua primeira edição em 2013 e devido ao grande sucesso foi ampliado. Este ano terá a presença de mais de 40 CIOs.

Feira atrai eventos simultâneos de diferentes segmentos

Uma das marcadas da adaptação da BITS ao mercado sul-americano é realização de eventos simultâneos, que reúnem e movimentam diferentes públicos e setores da tecnologia, além de academia e governo. Veja os eventos que estão dentro da BITS este ano:

• IX Seminário de Telecomunicações – realizado pelo Conselho de Infraestrutura e o Grupo Temático de Telecomunicações – GT Tel, da FIERGS, vai reunir profissionais de tecnologia, indústria de equipamentos, prestadores de serviços, operadoras e clientes para debater as tendências do mercado e as soluções.

• Social Here#BITS – evento sobre o mundo digital para empresas abordando marketing, mídias sociais, novas tecnologias e empreendedorismo, de maneira dinâmica interativa, com painel sobre Startups.

• DASH GAMES – O primeiro evento internacional voltado exclusivamente para a indústria de jogos Latino-Americana propõe o compartilhamento de informações sobre produção e mercado.

Mais informações sobre os eventos simultâneos da BITS em www.bitsouthamerica.com.br/eventos.php

Sobre a BITS
A BITS – Business IT South America é promovida e organizada pela Hannover Fairs Sulamérica, empresa do grupo Deutsche Messe AG, em parceria com a FIERGS – Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul. A Feira tem patrocínio Master do Sebrae e apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

Em 2013, a BITS contabilizou uma visitação com mais de 12 mil acessos de profissionais ligados ao setor de Tecnologia da Informação e Comunicação. A feira reuniu 206 empresas, de 20 países. Nas Global Conferences, foram mais de 700 participantes que assistiram a mais de 50 palestras nacionais e internacionais nos três dias de evento. As Rodadas geraram expectativa de US$ 13 milhões em negócios, reunindo 14 países.

Informações: www.bitsouthamerica.com.br

Tags, , ,