Page

Author admin

Experiência profissional no exterior está entre as três mais desejadas na carreira, diz pesquisa

Nova pesquisa “Carreira dos Sonhos”, elaborada pelo Grupo DMRH em parceria com a Nextview People, aponta que trabalhar em outros países, imersos em outras culturas, está em primeiro lugar entre as experiências que jovens em início de carreira (77%) e profissionais de média gestão (55%) gostariam muito que fizesse parte de sua trajetória profissional. Além disso, quando perguntados sobre o que fariam diferente se o dinheiro não fosse um problema, a maior parte dos jovens (41%) disse que viajaria mais.

Quando questionados sobre as três coisas mais importantes na vida, viajar e conhecer outras culturas foi a segunda opção mais citada pelos jovens (47%), atrás apenas de sucesso profissional (67%). Esse item também ficou entre as três coisas mais importantes na vida para a média gestão, sendo citado por 33% desses profissionais. Apareceu em terceiro lugar, depois de sucesso profissional (62%) e boa relação familiar (50%).

“Uma excelente forma de vivenciar experiências fora do país que contribuam para o desenvolvimento de carreira, principalmente dos jovens, é por meio do intercâmbio”, afirma Carla Esteves, sócia-diretora da Cia de Talentos, empresa do Grupo DMRH. “Acreditamos que essa é uma das experiências mais intensas que se pode ter. Além de levar à fluência em outro idioma, o intercâmbio coloca a pessoa em um ambiente novo, completamente diferente do que está acostumado, interagindo com desconhecidos e tendo que analisar situações, tomar decisões e agir sozinha”, complementa.

Isso tudo, segundo ela, faz com que o profissional traga na bagagem de volta uma série de competências que são valorizadas pelo mercado. “A experiência do intercâmbio, independentemente do modelo escolhido, desenvolve a autonomia, a autoconfiança, a capacidade de adaptação, a resiliência, o relacionamento interpessoal e amplia significativamente o repertório cultural do participante”, diz Patrícia Zocchio, CEO da Experimento Intercâmbio Cultural, maior rede especializada exclusivamente em intercâmbio cultural no Brasil.

Se o objetivo é ter uma carreira internacional, é interessante aproveitar o intercâmbio não só para estudar um idioma, mas também para trabalhar. “A interação com profissionais de culturas diferentes em um contexto de trabalho expõe a pessoa a situações que viverá em uma carreira internacional. E isso com certeza traz vantagens na hora de disputar uma vaga. Além disso, ainda pode render um networking valioso no futuro”, ressalta a sócia-diretora da Cia de Talentos.

Uma das apostas da Experimento para este ano são os programas que, além do curso de idiomas, oferecem também formação universitária ou profissionalizante e ainda a opção de trabalhar durante o intercâmbio, recebendo salário na moeda local. “Em um período de oscilação econômica, esse tipo de programa ganha muito mais visibilidade”, afirma Patrícia.

A pesquisa “Carreira dos Sonhos” entrevistou 72.593 profissionais entre fevereiro e março deste ano, e tem como objetivo retratar quais são as aspirações profissionais e as empresas dos sonhos de profissionais de diferentes gerações (jovens, média gestão e alta liderança). Mais detalhes sobre a pesquisa podem ser encontrados no site: www.carreiradossonhos.com.br.

Tags, , , , , , , ,

Cinco hábitos que você precisa adotar para se tonar um líder de verdade

Existem diversas definições sobre o significado real da liderança. A maioria delas acaba reduzindo o conceito a uma questão de posição de destaque do profissional. Não é apenas isso. A liderança está relacionada à mudança de atitude e de mentalidade frente aos desafios, passando pelo relacionamento com as pessoas e a busca de uni-las em prol de um objetivo comum. Ser líder está ao alcance de todos. Jacob Rosenbloom, CEO da plataforma de recrutamento Emprego Ligado, reúne a seguir os cinco hábitos mais comuns entre os líderes de sucesso.

1. Fracassos são lições
Sempre ouvimos histórias de superação, de empreendedores que quebraram, chegaram ao fundo do poço, mas depois de um tempo ressurgiram mais fortes e melhores que antes. A resiliência é uma dádiva daqueles que nunca desistem e buscam aprender com os erros do passado para alcançar o seu objetivo, motivando todos a sua volta.

2. Conectividade humana
Líderes buscam criar relacionamentos verdadeiros com as pessoas ao seu redor. Quando estão conversando com um membro de sua equipe, costumam olhar nos olhos da pessoa e sabem que estão lidando com um ser humano. Desta maneira, criam uma conexão pessoal e emocional muito forte entre ele e sua equipe.

3. Olhar em perspectiva
O mundo está em constante mudança e é preciso acompanhar a revolução que acontece a todo o momento. Para isso, é necessário estar aberto a novas experiências e manter sempre um desejo intelectual insaciável. Pesquisas indicam que a sede por conhecimento e a flexibilidade com relação a novas culturas são características associadas aos líderes.

4. Generosidade
Trabalhar para alguém que não tem empatia e não compartilha seu conhecimento e suas ferramentas é desestimulador. Os líderes mais generosos são aqueles que estão dispostos a dividir informações e recursos que facilitem o trabalho e ampliem o conhecimento de todos. Afinal, ele sabe que o sucesso dos outros é o seu próprio.

5. Portas abertas
Em geral, os melhores líderes são bastante acessíveis, deixando claro sua disponibilidade sempre quando necessária. Tal característica faz com que as pessoas se sintam importantes e valorizadas, aumentando a motivação e a sensação de ser parte fundamental para o sucesso dos negócios.

Tags, ,

Departamento Jurídico da Fiesp discute as novas regras para a cobrança do ICMS em vendas interestaduais

O advogado do Departamento Jurídico (Dejur) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), especialista em direito tributário, Fábio Jordy, estará na terça-feira (16/8), no Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Cotia, Grande São Paulo, para ministrar palestra sobre as mudanças nas regras para a cobrança doImposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em vendas interestaduais, em vigor desde janeiro de 2016.

A medida faz com que os impostos estaduais dos produtos adquiridos sejam partilhados entre os estados de origem e de destino da mercadoria. Até o ano passado, as empresas que realizavam operações com mercadorias destinadas a consumidor final não-contribuinte do imposto eram responsáveis pelo recolhimento de todo o ICMS incidente na operação para os Estados onde estão sediadas.

Um dos pontos polêmicos que serão abordados na palestra é a inclusão das empresas que optaram pelo Simples Nacional no novo sistema de cobrança do ICMS. O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) e conseguiu uma liminar para essas empresas. A Fiesp entrou na discussão na qualidade de “amicus curiae”, com a finalidade de fornecer elementos para a Corte em prol das empresas oneradas indevidamente pela nova norma.

Palestra de Fábio Jordy

Data: terça-feira (16/8), às 18h

Local: Ciesp Cotia

Rua do Amor Perfeito, 200 – Jardim Colibri, Cotia –

Contatos: (11) 4612-9722 – faleconosco@ciespcotia.com.br

Tags, , , ,

CONARH 2016 discute gestão em tempo de crise

O maior evento sobre gestão de pessoas da América Latina e o segundo do mundo, o CONARH, acontece entre 15 e 18 de agosto, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Esta é a 42ª edição do congresso que reúne os principais profissionais do setor do Brasil e do exterior para discutir inovações e soluções da área. A principal novidade deste ano é o Espaço Corners, no qual os participantes terão acesso a quatro palestras ao mesmo tempo.

O congresso abordará o tema ‘Gestão que inspira pessoas que conquistam..’ e debaterá práticas inovadoras que podem aumentar o poder de InfluenciaAção, influência e ação, na área de Recursos Humanos nas organizações do País.

Diante do impacto da crise político-econômica nas empresas, a participação dos profissionais da área no CONARH deste ano é ainda mais importante. Nesta edição, diversos temas serão discutidos dentro deste cenário, evidenciando cases, ferramentas e ações utilizadas que indicam o caminho da transformação do clima organizacional e que podem auxiliar a atravessar esse momento delicado.

“Vamos apresentar soluções, inspirações e motivos para transformar os ambientes organizacionais para o novo, recriar e resgatar a credibilidade por meio de ações e concentrar nas pessoas que, de fato, são os responsáveis pelo futuro do País e das empresas”, afirma Elaine Saad, presidente da ABRH-Brasil.

O evento reúne no auditório principal apresentações Magnas com Nizan Guanaes, fundador do Grupo ABC; Maílson da Nóbrega, economista e ex-ministro da Fazenda; Luiz Alberto Oliveira, curador do Museu do Amanhã; Carlos Ayres Brito, consultor jurídico e ex-ministro do STF; Nicole Fuentes, assessora perita em psicologia positiva do Departamento de Educação Executiva da Universidade de Monterrey (México); Ricardo Marino, vice-presidente do Itaú Unibanco para América Latina; Claudia Politanski, vice-presidente executiva das áreas Jurídico e Ouvidoria, Recursos Humanos, Relações Governamentais e Comunicação Corporativa do Itaú Unibanco; e as apresen tadoras do programa Saia Justa do Canal GNT, Astrid Fontenelle, Barbara Gancia, Maria Ribeiro e Mônica Martelli.

Estrutura

Em complemento às Magnas, que ocorrem no auditório principal, o congresso apresenta este ano uma novidade no formato das palestras. Serão quatro apresentações simultâneas na mesma sala, chamada de Espaço Corners. Nas extremidades do auditório estão montados quatro palcos e, em cada um deles, um palestrante falará ao público. Não há divisórias ou isolamento acústico. Com fones de ouvido, o congressista poderá migrar de uma palestra para outra, alternando a audiência conforme seu interesse e, assim, aproveitar melhor sua participação.

Entre os destaques destes palcos estão: Samy Dana, economista e comentarista dos programas Conta Corrente, da GloboNews, e Hora 1, da Rede Globo; Guilherme Furtado, médico consultor da TV Globo e Canal Futura; Wagner Gattaz, presidente do Conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas; Luciana Calleti, cofundadora e CEO da Love Mondays, entre outros.

“Desta maneira o congressista pode mudar de tema sem sair do lugar. Frequentemente, o participante tem vários temas de interesse no mesmo horário. Desta maneira, é possível aproveitar o máximo de conteúdo da programação”, afirma Ricardo Mota, Diretor do CONARH.
Cerca de 2.500 mil congressistas participam dos quatro dias de evento. Serão ministradas mais de 50 palestras, talk shows e painéis com os principais temas relacionados ao dia a dia das empresas, como os temas ligados à saúde do trabalhador para refletir na produtividade, os reflexos atuais da conjuntura político-econômica do Brasil, a importância das ferramentas tecnológicas, entre outros.

Programação
Confira as palestras Magnas voltadas aos congressistas:

– Carlos Ayres Britto, consultor jurídico e ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), abordará o tema: O que faz a ética e o que faz a sua falta, o palestrante engloba os avanços e as dificuldades na construção dos pilares da ética no Brasil e as dimensões da ética na política, na sociedade brasileira e nas organizações.

– Nizan Guanaes, fundador do Grupo ABC, com o tema: Gestão que inspira, pessoas que conquistam. Abordará a importância de atitudes positivas para mobilizar resultados sustentáveis nas organizações.

– Maílson da Nóbrega, economista e ex-ministro da Fazenda, comentará: Os próximos anos do Brasil. A palestra é uma explanação sobre as perspectivas da economia brasileira inserida no contexto político vivenciado atualmente e os possíveis desdobramentos para as empresas.

– Nicole Fuentes, assessora perita em psicologia positiva do Departamento de Educação Executiva da Universidade de Monterrey (México). O assunto será: Colaboradores mais felizes, empresas mais produtivas, baseado em resultados de estudos sobre a felicidade e as estratégias mais eficazes para melhorar o bem-estar nas organizações e aumentar a produtividade.

– Luiz Alberto Oliveira, curador do Museu do Amanhã; comentará sobre: O Amanhã é hoje e o hoje é o lugar de ação. O palestrante explorará as possibilidades de construção do futuro com base nas diretrizes de sustentabilidade e convivência.

– Ricardo Marino, vice-presidente do Itaú Unibanco para América Latina e Claudia Politanski, vice-presidente executiva das áreas Jurídico e Ouvidoria, Recursos Humanos, Relações Governamentais e Comunicação Corporativa do Itaú Unibanco, apresentarão a palestra: Cultura que inova e se transforma.

– As apresentadoras do programa Saia Justa do Canal GNT: Astrid Fontenelle, Barbara Gancia, Maria Ribeiro e Mônica Martelli encerram o evento com um bate-papo dinâmico envolvendo inspiração, liderança e felicidade no trabalho.

Confira algumas das palestras do Espaço Corners, exclusivas aos congressistas:

– Como a sua marca empregadora está sendo construída na internet? –Luciana Calleti, Cofundadora e CEO da Love Mondays;

– Irracionalmente Humano – Samy Dana, Economista e comentarista dos programas Conta Corrente, da GloboNews, e Hora 1 da Rede Globo;

– Saúde, produtividade e felicidade – Guilherme Furtado, Médico consultor da TV Globo e do Canal Futura;

– Como o RH pode fazer a diferença no momento de crise – Marcio Fabiano, Business Partner para Supply Chain e Relações Trabalhistas na Avon Cosméticos;

– Liderança transformadora: o líder dos líderes – Fernando Jucá, Sócio da Atingire;

– Liderança feminina e o empoderamento da mulher – Patrícia Cansi, Diretora de Relacionamento com o Cliente do Grupo Pão de Açúcar;

– O custo da doença mental para a economia e para a empresa – Wagner Gattaz, Presidente do Conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas.

Local: Transamerica Expo Center
Endereço: R. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – São Paulo – SP
Data: 15 a 18 de agosto
Horário: 9h às 20h

Tags, , , ,

Catho participa de movimento para identificar startups mais inovadoras

Com o objetivo de estar em contato com novas ideias do mercado, a Catho – site líder em empregos do país – decidiu apoiar pela primeira vez o movimento 100 Open Startups. A iniciativa aproxima empresas novatas e grandes companhias e reconhece as 100 startups mais inovadoras do mundo.

“A conexão com empresas que estão chegando ao mercado é algo extremamente positivo para qualquer companhia já estabelecida e tenho certeza que poderá contribuir para o aumento da velocidade de inovação da Catho”, afirma Eduardo Thuler, CEO da Catho e representante da empresa no movimento 100 Open Startups.

O executivo explica que, durante o processo de avaliação, pretende olhar para todas as startups em áreas de atuação que possam interessar a Catho. “Há uma infinidade de novos modelos de negócios e é preciso estar atento àqueles que tem potencial de agregar valor à oferta da Catho”, diz o executivo.

O Movimento 100 Open Startups

O 100 Open Startups está com inscrições abertas para qualquer startup do Brasil e do mundo que queira participar de uma rede de conexão que envolve 120 grandes empresas do Brasil – o triplo do número de empresas no lançamento da edição do ano passado. Neste ano, são 20 desafios temáticos propostos pela rede de grandes empresas das mais diversas áreas. Além disso, o movimento sai do Brasil e chega também a outros países na América Latina, EUA, Europa e Ásia.

Para entrar para o movimento, a startup deve se inscrever e escolher o desafio que tem mais sinergia com sua solução e em qual “Capital da Inovação” do programa pretende se apresentar. O processo acontece em cinco etapas. Inicialmente, as avaliações das startups são feitas online pela rede de especialistas e executivos das grandes empresas que participam do movimento.

As propostas com mais combinações com executivos de grandes empresas são convidadas a participar de um pitch pessoalmente na capital escolhida – são 12 no Brasil e 9 no exterior.

As inscrições das startups devem ser feitas pelo site: http://www.openstartups.org.br/

Tags, , , , ,

CEOs debatem marketing do futuro na Amcham-SP

No evento, palestrante e consultor Fernando Kimura compartilha tendências em neuromarketing
As transformações que o mundo digital trouxe para o marketing serão objeto de debate com as agências de publicidade Africa, Dentsu Aegis, Leo Burnett e The Group, e as empresas Paypal, Santander Brasil, VivaReal e Walmart no 2º Fórum de Marketing da Amcham – São Paulo, das 8h às 12h da terça-feira (16/8). Fernando Kimura, palestrante e consultor de marketing e inovação, apresentará tendências em neuromarketing e relacionamento com o consumidor.

As agências de publicidade vão abordar o impacto crescente do mundo digital na propaganda e os novos formatos de comunicação com o consumidor. Os painelistas são:

Sergio Gordilho, co-presidente e CCO da Africa;

Abel Reis, CEO da Dentsu Aegis Network Brasil;

Marcelo Reis, sócio e copresidente da Leo Burnett Tailor Made e

Fernando Guntovitch, presidente da The Group Comunicação

No painel das empresas, as discussões vão se concentrar nas novas estratégias de marketing, investimentos e relacionamento com o consumidor. As empresas participantes são:

Renato Pelissaro, diretor de marketing LATAM do Paypal;

Paula Nader, diretora de marca e marketing do Santander Brasil;

Mariana Ferronato, diretora de marketing do VivaReal e

Andre Chevis Svartman, diretor geral de marketing do Walmart

Tags, , ,

Quatro tendências sobre os programas de trainee em 2016

Consultora da Page Talent indica as principais mudanças e que devem fazer parte dos processos de recrutamento e seleção de talentos

Profissionais mais experientes e especializados. Processos mais dinâmicos e high-techs. Estas são algumas das tendências que devem dominar nos principais processos de recrutamento e seleção de trainees em 2016. De acordo com a consultora Manoela Costa, gerente executiva da Page Talent, unidade de negócios da Page Personnel dedicada ao recrutamento de estagiários e trainees, há quatro situações que devem fazer parte dos processos de recrutamento e seleção de trainees neste ano.

“Temos observado que as empresas buscam profissionais com mais expertise e conhecimento específico. Em tempos de dificuldades e incertezas, é importante recrutar pessoas que possam lidar com situações adversas e ter a habilidade necessária em assuntos mais técnicos. Outra preocupação dessas companhias é como atrair, engajar e recrutar esse trainee. Para fazer isso de forma mais assertiva, temos criado soluções inovadores nessas etapas e que ajudam a encontrar os melhores candidatos para as empresas”, conta Manoela.

Confira abaixo as quatro mudanças constatadas pela especialista nos processos de trainee:

– Candidato mais sênior

As empresas estão de olho em profissionais mais experientes, capazes de enfrentarem situações adversas com serenidade. “O cenário mudou um pouco. Antes os mais jovens dominavam esse tipo de vagas. Agora as companhias querem pessoas com poder de análise e resolução. A experiência conta muito agora”, explica Manoela.

– Habilidades em segmentos específicos

Outra demanda que o mercado tem solicitado com mais frequência de candidatos a uma vaga de trainee é que essa pessoa tenha conhecimento de uma área específica. “Essa habilidade é um diferencial hoje em dia. A pessoa que já tem conhecimento e experiência em um setor, é avaliada de outra forma. Ter o domínio de um mercado ajuda na hora em que esse profissional começar a lidar com as rotinas e especificidades da companhia em que irá atuar”, detalha.

– Processos mais dinâmicos

Além da experiência solicitada pela empresa, o candidato a trainee que passar pelo processo neste ano encontrará algumas etapas um pouco diferentes em relação aos anos anteriores. “Estamos mudando um pouco a forma de recrutar e selecionar esse tipo de candidato. Vimos que os Programas atraem muitas pessoas, mas um número pequeno é contratado e segue seu desenvolvimento dentro da empresa. Estamos transformando o processo seletivo em uma grande oportunidade de aprendizagem, onde mesmo aqueles que não são aprovados saem com a “mochila” mais carregada. Em algumas ocasiões há realização de workshops, palestras e outras atividades para tornar o processo mais assertivo também”, diz Manoela.

– Apresentações high-techs

A novidade fica por conta também da utilização mais intensa de ferramentas tecnológicas que facilitam a interação e contato entre recrutadores e candidatos, como vídeo-selfie, palestras online e cyber-calls. “É um tipo de adaptação de que precisa ser feita rapidamente. Como lidamos com um público muito antenado ao mundo digital, é natural que essa relação também aconteça por meio de redes sociais e recursos audiovisuais que facilitem esse contato”, finaliza.

Tags, , ,

Isenção de tributos e gestão para organizações do Terceiro Setor são pauta de debate no CFC

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) realiza na próxima quinta-feira (18) o Seminário sobre Organizações da Sociedade Civil (SOSC). O encontro, em Brasília, discutirá as alterações trazidas pela Lei 13.019/14, também conhecida como Novo Marco Regulatório do Terceiro Setor, que estabeleceu novas normas para a relação entre essas entidades e o poder público. Entre os pontos que serão abordados estão as possibilidades de isenções e imunidades tributárias e a importância da contabilidade para a governança dessas organizações.

O Novo Marco entrou em vigor em janeiro deste ano e traz uma série de inovações para as entidades das Organizações da Sociedade Civil (OSC). “A principal alteração foi a possibilidade de remuneração dos dirigentes”, afirma o presidente da Academia de Ciências Contábeis do Distrito Federal (Acicon-DF), José Antônio de França. As legislações anteriores não proibiam as remunerações, mas criavam impeditivos para sua realização. Por exemplo, entidades que remuneravam seus dirigentes perdiam o título de beneficência e de associação sem fins lucrativos, e com isso ficavam sem isenções e imunidades tributárias. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Procuradores e Promotores de Justiça de Fundações e Entidades de Interesse Social (Profis), Marcelo dos Santos, a nova lei ainda requer debate. “A legislação estipula que o salário dos dirigentes não pode ser superior a 70% do valor dos que são pagos a servidores públicos, e a livre iniciativa tem regras próprias de funcionamento, que não atendem à mesma lógica do serviço público. ”

Outra mudança importante trazida pela legislação é a necessidade de chamamento público para a contratação das OSCs pelo ente público. “Essa é uma mudança importante, porque teremos uma diversidade maior de organizações contratadas pelo setor público”, afirma o procurador de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal, José Eduardo Sabo. Segundo ele, outra mudança é que as entidades não precisam mais cumprir a lei de licitações na íntegra, apenas seus princípios. “Pontos como legalidade, publicidade, transparência e outros ainda são obrigatórios, mas o processo está simplificado. ”

A contabilidade das OSC também será tema do encontro. Santos defende a tese de que a contabilidade é fundamental para a governança de qualquer organização, especialmente do terceiro setor. “A sustentabilidade dessas entidades está diretamente relacionada a uma boa gestão, e isso só é possível com uma contabilidade rigorosa. ” Sabo reforça a necessidade de cumprimento das Normas Brasileiras de Contabilidade para a viabilidade delas. “A enorme maioria são pequenas organizações, e a contabilidade traz elementos de gestão que são fundamentais para a correta e eficiente aplicação de recursos. ”

De acordo com Santos, o novo marco atua em três eixos. O primeiro é a contratualização, que impôs regras para o estabelecimento de parcerias entre os entes públicos e as OSCs. O segundo é a sustentabilidade, que define as reduções tributárias. E o terceiro versa sobre conhecimento e gestão da informação. “Esse seminário entra nesse eixo”, afirma. Durante o evento será lançado o livro Terceiro Setor e Tributação, publicação que reúne textos de especialistas na área coordenados por Sabo. “Para essas empresas sem fins lucrativos a tributação é tão importante quanto a contabilidade. Ambas são indispensáveis para gestão financeira. Como o sistema tributário brasileiro é complexo, muitas não sabem que são isentas. Em Brasília, por exemplo, as OCSs são isentas do IPTU, IPVA, ITBI e ISS, e muitas desconhecem isso”, afirma o procurador. No evento também será lançado o livro Organizações da Sociedade Civil – Associações e Fundações. Constituição, funcionamento e remuneração dos dirigentes, escrito por Sabo, Santos, França e pelo promotor de justiça do Estado de São Paulo Airton Grazzioli.

O seminário ocorrerá das 9h às 12h, no auditório do CFC. Inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser feitas no site cfc.org.br/evento. Mais informações no site do conselho (cfc.org.br) ou pelo telefone 6 3314- 9501 ou 3314-9446.

O tema será abordado, também, no 20º Congresso Brasileiro de Contabilidade, que será realizado pelo CFC de 11 a 14 de setembro, em Fortaleza. Programação completa e inscrições podem ser conferidas em cbc.cfc.org.br.

Tags, , , , , , , ,

Relatório LEED de 2016 mostra crescimento da construção sustentável para a economia brasileira

O Conselho de Construção Sustentável dos Estados Unidos (USGBC – U.S. Green Building Council) lançou hoje seu relatório LEED em Ação: Brasil (LEED in Motion: Brazil) de 2016, o qual apresenta um tremendo crescimento do setor de construção sustentável no Brasil, incluindo um aumento de 30 por cento no uso do sistema de classificação LEED para construção sustentável durante o último ano. O relatório foi lançado durante a Conferência Internacional e Exposição GreenBuilding Brasil que está sendo realizada essa semana em São Paulo, Brasil.

“Os vários projetos que buscam a certificação LEED ajudaram drasticamente o Brasil a aumentar sua economia sustentável. Estamos orgulhosos por nossa contribuição para com o aumento da construção sustentável no Brasil e do efeito cascata por toda a região”, disse Mahesh Ramanujam, Executivo-Chefe de Operações do USGBC e Presidente da Green Business Certification Inc. (GBCI). “Sendo o padrão líder mundial para projetos de construção sustentável, construções e operações, o LEED ajuda as inovadoras empresas brasileiras e líderes políticos a atrair novos investimentos estrangeiros, aumentar a competitividade das carteiras de imóveis e posicionar o país como um dos líderes da florescente economia da construção sustentável”.

Este oportuno relatório examina ganhos recentes e significantes na aplicação de técnicas de construção sustentável em todo o Brasil e o crescimento ainda mais forte ano-a-ano no uso feito pelo país do sistema de classificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design – Liderança em Energia e Projeto Ambiental) do USGBC, o programa de classificação de construção sustentável mais amplamente utilizado em todo o mundo. O relatório salienta que, apesar dos momentos turbulentos da história econômica do Brasil, o crescimento no número de registros para a certificação LEED é o mais forte em quase uma década. Atualmente, existem 1.114 projetos participando do LEED no Brasil, englobando mais de 32 milhões de metros quadrados brutos de espaço LEED.

O relatório também oferece opiniões e perspectivas oportunas de proeminentes profissionais do setor e destaca impressionantes projetos LEED como a NIKE Factory Store em Novo Hamburgo, a Arena Fonte Nova em Salvador, o prédio CYK e a loja Quem Disse Berenice, ambos em São Paulo.

“Estamos muito otimistas com o futuro da certificação LEED no Brasil, especialmente por causa da diversidade dos tipos de projetos que estão sendo agora certificados por todo o país”, disse Felipe Faria, Diretor Executivo do Green Building Council Brasil. “A certificação LEED se tornou popular para todos os tipos de projetos, desde prédios comerciais, instalações industriais, shopping centers para lojas de varejo, escolas, prédios públicos, residências e instalações esportivas. Esses projetos representam um conjunto diversificado de grupos de interesse públicos e privados, associações e ONGs que estão engajadas em um esforço colaborativo voltado para a promoção das práticas da construção sustentável e acreditamos que esta atmosfera positiva irá acelerar a transformação que deverá acontecer”.

O programa LEED é um programa simples e eficaz para tratar de questões complexas e algumas vezes concorrentes sobre construção e meio ambiente que afetam os seres humanos em todo o mundo. Diariamente, mais de 170.000 metros quadrados brutos de espaço recebem certificação LEED em mais de 160 países e territórios. Mais de 79.600 projetos comerciais participam atualmente do programa LEED, englobando mais de 1,4 bilhão de metros quadrados de espaço de construção. Com trajetória de realização incorporada, o LEED foi projetado para uso em vários tipos de construção, em uma variedade de climas e localidades, sempre em sincronia com as leis e exigências locais.

O relatório LEED in Motion: Brazil é o mais recente de uma série de relatórios do USGBC criados para fornecer uma imagem holística do movimento da construção sustentável nos mercados internacionais. O relatório proporciona aos defensores da construção sustentável visão e perspectiva para entenderem o uso do mundialmente reconhecido sistema de classificação LEED e terem um argumento forte para a atividade da construção sustentável. Para acessar o relatório completo, visite o endereço: readymag.com/usgbc/brazil2016/

FONTE U.S. Green Building Council

Tags, , , , , , , , , , ,

Veículos híbridos e elétricos buscam espaço nas metas de eficiência energética

Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE

Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE

A quatorze meses do início do prazo de submissão das metas de redução de emissões e de consumo por parte montadoras e importadoras que se habilitaram ao Inovar-Auto – Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotivos, em outubro de 2017, várias tecnologias de motores à combustão, de eletrônica embarcada, redução de coeficiente aerodinâmico, pneus verdes, entre outros, ganharam avanços significativos. Também lembrados no Inovar-Auto, instituído em outubro de 2012, os veículos híbridos e elétricos, no entanto, foram pouco considerados no cumprimento de metas de eficiência energética.

A opinião é de Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico, que reuniu hoje a imprensa automotiva em São Paulo para falar sobre o atual quadro de desenvolvimento do mercado brasileiro de veículos híbridos e elétricos, também sobre a 1ª edição do Movimento Paulistano do Veículo Híbrido e Elétrico (que acontece no dia 27 de agosto próximo – do Paraíso ao Estádio do Pacaembu) e sobre a 12ª edição do Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Novas Tecnologias e Componentes, que será realizada entre os dias 1º e 3 de setembro, no Pavilhão Amarelo, do Expo Center Norte.

“Entendo que as montadoras que se habilitaram ao Inovar-Auto, em sua maioria, vão conseguir reduzir o consumo energético compulsório de seus produtos, de 12,08%, o que proporciona crédito presumido de até 30 pontos percentuais do IPI, por meio de introdução de novas tecnologias como downsizing de motores, turboalimentadores, redução de coeficientes aerodinâmicos, injeção direta, start-stop, cilinder desativation, redução de peso, pneus verdes, entre tantas outras. Mas também a indústria não deveria deixar de lado os veículos híbridos e elétricos”, analisa Guggisberg, para quem o Brasil está se distanciando da tendência dos principais polos produtivos e mercados automotivos internacionais.

O presidente da ABVE reconhece a atual predominância dos motores à combustão, hoje responsáveis – no mundo – por cerca de 95% dos veículos comercializados. Apenas 5% são híbridos ou elétricos. No Brasil, em 2015, foram emplacados 846 veículos híbridos e elétricos, o que significa 0,00042% dos 2.017.639 automóveis licenciados. “Esses dados mostram claramente como os híbridos e elétricos podem contribuir com as metas adicionais de 15,46% e 18,84% em eficiência energética do Inovar-Auto, que proporcionam créditos presumidos de mais 1 e 2 pontos percentuais no IPI, sem agredir a participação dos motores à combustão, mas de grande valia à sociedade e ao meio ambiente”, enfatiza Ricardo Guggisberg.

Entraves e avanços – Em 10 anos de atuação, os principais entraves enfrentados pela ABVE e os carros elétricos são a alta carga tributária, alto preço das baterias, dependência por infraestrutura de eletropostos, falta de padronização de plugs, falta de políticas públicas que estimulem a venda, regulação da cobrança de energia elétrica e redução de IPI para modelos localizados no País em regime de SKD (Semi Knock Down) e CKD (Completed Knock Down).

De outra parte, o setor de VHEs já conseguiu alguns avanços como o incentivo dos BNDES na redução de taxas de juros e ampliação do prazo de pagamento na compra de ônibus híbridos e elétricos, isenção do IPVA em sete estados (Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe), redução parcial no IPVA em três estados (Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro), imposto de importação foi zerado ou reduzido de 35% para 0%-7%, dependendo da eficiência energética para veículos elétricos puros, híbridos plug-in e células de combustível, isenção do rodízio na cidade de São Paulo e instalação do primeiro eletroposto em rodovias, uma parceria da CPFL e a Rede Graal, intermediada pela ABVE.

Diante desses dois cenários – entraves e avanços –, a ABVE mantém seus pleitos de regulação da venda do combustível energia elétrica, redução do IPI, aprovação de infraestrutura para recarga de veículos elétricos, padronização de plugs e equiparação do imposto de importação concedido aos veículos elétricos para motocicletas, scooters, bicicletas e componentes.

Carreata – A ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico promove no próximo dia 27 de agosto, sábado, a carreata da 1ª edição do Movimento Paulistano do Veículo Híbrido e Elétrico, com o objetivo de levar informações do setor à população por uma mobilidade mais sustentável.

A concentração de proprietários de automóveis, motocicletas, skates, bicicletas e ônibus, com a devida autorização da CET – Companhia de Engenharia do Tráfego – acontece na Praça Amadeu Amaral, no Paraíso, às 9h, e às 10h,o comboio segue pela Avenida Paulista até alcançar a Praça Charles Miller, no Estádio do Pacaembu.

Durante o trajeto, a entidade vai mostrar a real situação do setor de veículos híbridos e elétricos no Brasil e os exemplos de sucesso de projetos de mobilidade verde ou sustentável na Alemanha, Canadá, Chile, China, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Índia, Itália, Japão, Noruega, Portugal e Suécia.

“Há dez anos, participamos de audiências públicas e de diferentes fóruns do setor automotivo brasileiro. Mas como o Brasil é adepto aos motores à combustão, sempre enfrentamos dificuldades de, ao menos, mostrar as tecnologias limpas, configuradas nos veículos elétricos. Há uma predisposição dos brasileiros em relação aos híbridos. Mas tanto um como o outro encontram ausência de políticas públicas e de incentivos, como ocorrem em outros países. Por isso, decidimos fazer uma carreata. Tenho convicção de que a sociedade paulistana e, a brasileira, vai aprovar a ação da ABVE”, argumenta Guggisberg.

12º VE – A grande novidade do 12º Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias, de 1º a 3 de setembro, no Pavilhão Amarelo, do Expo Center Norte, será o lançamento oficial do Projeto MUV – Mobilidade Urbana Verde, cuja proposta e estudos preliminares nasceram na ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico.

Transporte sustentável, o Projeto Zona MUV – Mobilidade Urbana Verde significa incentivar todas as formas de mobilidade de baixo impacto ao meio ambiente – baixa emissão de poluentes e de ruído – o que inclui desde o ato de caminhar até todos os meios de transporte híbridos e elétricos, o que incluí desde caminhões, ônibus, veículos de transporte de carga e de pessoas, até bicicletas, scooters, motocicletas, triciclos e as suas modalidades de uso: táxi, carona, veículo compartilhado.

O projeto objetiva estimular a eletromobilidade como um todo, bem como a integração de modais; a melhoria na qualidade de vida, com significativa redução de emissão de gases de efeito estufa; além de auxiliar os governos na busca por soluções já atestadas para o transporte em diversas localidades pelo mundo; criar demanda e trabalhar a oferta de soluções em políticas públicas de mobilidade e, sobretudo, de estimular a indústria da mobilidade elétrica no Brasil, ao gerar emprego e renda.

As mais de trinta empresas que já aderiram ao Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos vão proporcionar também a experiência de pilotar carros, bicicletas, patinetes, skates, scooters, todos elétricos ou híbridos, durante a mostra que está em sua 12ª edição.

Ambas indoor, uma pista será destinada aos veículos híbridos e elétricos. Na outra, a pista Smart City, com bicicletas, patinetes, skates, scooters, entre outros equipamentos, todos elétricos. “Será uma maneira muito interessante de colocar o consumidor final em contato com as novas tecnologias de mobilidade. É certo que veículos elétricos e híbridos são uma minoria ainda, mas – de outra parte – é fundamental que os brasileiros conheçam os produtos de emissão zero ou de baixíssima emissão veicular. E que as cidades precisam ter alternativas de escolha, por reduções mais expressivas de gases de efeito estufa”, analisa Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE.

“A Toyota do Brasil, por exemplo, vai mostrar o recém lançado Prius”, enfatiza Guggisberg. “Bosch, Mercedes-Benz, Eletrabus, Lexus, CPFL, Moura, Caixa Econômica Federal, Volvo, BYD, Compact Car, Club Car, Cooltra, Power Solutions, Schreder, Semikron, SI – Soluções Inovadoras, Tramontina, entre outras, também prometem levar novidade ao Salão”, complementa.

Tags, , , ,

Setor de hospedagem web realiza rodada de negócios

Acontece dia 1º de setembro, em São Paulo, a 4ª Rodada de Negócios da Associação Brasileira de Infraestrutura e Hospedagem na Internet (Abrahosting). O evento coloca frente a frente, em mesas de negociação, os executivos dos principais provedores de serviços de hosting e de data center do país com os representantes das empresas fornecedoras. Os associados da Abrahosting são grandes compradores de itens como servidores, equipamentos de rede, software de gestão, aplicativos e dispositivos de segurança.

Em sua última edição, os participantes da Rodada realizaram negócios com a movimentação de cerca de R$ 1,5 milhão e com a participação de 90 negociadores, representando 70 empresas, entre provedores de Internet e fornecedores de insumos. Além desses negócios diretos, a Abrahosting estima que um grande número de contratos de venda de tecnologia e serviços, que acontecem em meses seguintes, são gerados durante a Rodada.

Além das mesas de negociação direta, o encontro da Abrahosting conta com debates temáticos, envolvendo tópicos como tendências da tecnologia e expectativas de mercado para os provedores e fornecedores do setor.

Segundo dados da Abrahosting, o segmento de hospedagem e infraestrutura de Internet movimenta R$ 1,2 bilhão ao ano no Brasil e deverá investir cerca de R$ 90 milhões em tecnologia no atual exercício.

O evento será encerrado com um coquetel de confraternização para a comunidade de hosting.
Empresas interessadas em participar da Rodada de Negócios. Mais informações sobre o evento estão disponíveis aqui: http://www.abrahosting.org.br/Evento/RodadadeNegocios.html

Rodada de Negócios Abrahosting

DATA: 01/09/2016 (quinta)
HORÁRIO: 16 às 21h
LOCAL: Meliá Hotel – SP
EMAIL: contato@abrahosting.com.br

Tags, , ,

Desempenho positivo do comércio eletrônico no Dia dos Pais mostra sinais de recuperação do setor, aponta FecomercioSP

Após os bons resultados de vendas online com o Dia das Mães e dos Namorados, o desempenho positivo do comércio eletrônico no Dia dos Pais mostra sinais de recuperação do setor. É o que prevê a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), por meio de seu Conselho de Comércio Eletrônico.

De acordo com estimativas da E-bit, o faturamento nominal do e-commerce no Dia dos Pais deve crescer 15% se comparado ao mesmo período de 2015, quando as vendas online alcançaram R$ 1,58 bilhão, ante R$ 1,82 bilhão esperados para esse ano.

O número de pedidos também deve apresentar variação positiva, passando de 3,9 milhões para 4,1 milhões. O mesmo acontece para o tíquete médio, que deve chegar a R$ 444 em comparação aos R$ 404 registrados na mesma época de 2015.

Para o presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP e CEO da E-bit, Pedro Guasti, o comércio eletrônico teve um início de ano difícil, mas começou a reagir em maio. “Uma boa performance do e-commerce no Dia dos Pais já seria um terceiro sinal de que o mercado voltou a crescer. O primeiro foi o Dia das Mães, e o segundo, o Dia dos Namorados, em junho. Se realmente o Dia dos Pais for positivo como estimamos, nós de fato teremos boas notícias para o segundo semestre, com uma previsão de crescimento para 2016 de 8 a 10%”.

Presentes online

As vendas do e-commerce para a data devem se concentrar em itens como livros, celulares, smartphones, calçados e perfumes. Segundo Guasti, a tendência aponta para a escolha de presentes com tíquete médio menor. “Por outro lado, para agradar pais tecnológicos e pais que andam na moda, há muitas oportunidades de vendas de celulares e artigos esportivos, eventualmente por conta das Olimpíadas no Brasil”, reforça.

Tags, , , , , , , , ,