Page

Author admin

IBM Brasil e Onda Datacast anunciam parceria para oferecer serviços de continuidade de negócios no Paraná

A empresa Onda Datacast, especializada em serviços de TI, Data Center e Internet, firmou parceria com a IBM Brasil para complementar suas ofertas com soluções de BCRS (Business Continuity and Resiliency Services). O objetivo é oferecer serviços voltados para continuidade de negócios, que possibilitem as empresas recuperar seu ambiente de tecnologia em caso de paradas não programadas, como apagões e desastres naturais. O foco de ação da parceria é em Curitiba e região.

Com um plano de contingência e resiliência é possível estruturar as ações necessárias em situações inesperadas, identificando e minimizando os riscos de indisponibilidade e prejuízo das empresas. Para consolidar a parceria, a IBM entra no acordo com expertise profissional, metodologia e serviços. O ambiente de contingência será constituído de equipamentos IBM hospedados no datacenter do Onda Datacast. “Oferecer um serviço regional é o grande diferencial desta estratégia. Os clientes do Paraná sentem-se mais seguros em contar com uma estrutura de resiliência em seu estado, o que possibilita o fortalecimento na região, além da prospecção de novos negócios”, comenta Marco Lúcio Leitenski, líder da IBM Brasil para o Paraná e Santa Catarina.

As soluções de contingência e continuidade de negócios da IBM buscam contribuir para a recuperação dos dados, mantendo os funcionários responsáveis por trabalhos críticos ativos e os principais processos da empresa em funcionamento. Assim, quando o ambiente de produção estiver reestabelecido, basta migrar os dados integralmente e com segurança de volta ao ambiente principal.

Segundo Carlo Moro, gerente comercial do Onda Datacast, o objetivo desta parceria é ter uma oferta diferenciada para atender às necessidades do mercado local, focada em empresas de pequeno e médio portes, pois cada vez mais os clientes enxergam a importância de garantir a integridade de seus processos. Para a empresa, esse acordo com a IBM é um marco em sua trajetória. “Atuamos há mais de 10 anos no mercado da tecnologia e, atualmente, estamos entre os líderes em serviços de internet no Sul do Brasil. Oferecer o serviço de contingência fortalece nossas operações com os clientes atuais, além de possibilitar nossa expansão para novos pontos no Paraná”, destaca o executivo.

Esta é a segunda parceria do tipo que a IBM firma no País. Além do acordo com o Onda Datacast – que irá oferecer soluções de BCRS para Curitiba e região – a IBM firmou contrato semelhante com o Grupo Ascenty, em 2012, com foco nos clientes do interior de São Paulo.

Tags, , , , ,

A tecnologia e a revolução educacional

Por Gil Giardelli*

A educação também se prepara para uma revolução. Há um ano estive em Madri, na Espanha, onde participei de um encontro mundial de educadores conectados pelas redes sociais, que anualmente se reúnem em algum lugar do mundo para entender o ensino do século 21. A conclusão a que chegamos é que somos, e seremos, educadores e estudantes durante toda a vida. O modelo educacional secular, no qual um fala e outros escutam já se esgotou.

No mundo conectado há três tipos de aluno: aquele que, em silêncio, presta atenção a tudo; outro que precisa conversar e pesquisar em rede; e um terceiro que precisa ver, sentir e tocar para aprender.
O espaço físico e as aulas cronometradas não fazem mais sentido. A educação repetitiva e decorativa torna-se obsoleta com toda a informação do mundo absolutamente disponível. No entanto, frequentar uma escola ainda é importante para compartilhar os valores da sociedade, para o coletivismo e para o trabalho colaborativo e em rede, três conceitos fundamentais para qualquer um crescer na vida e na carreira.
O professor não é mais o dono do conhecimento, mas sim o maestro do aprendizado em rede. Em um mundo atolado de informação, cada dia mais, ele terá o papel de curador da sabedoria das multidões.
Sim, teremos de estudar durante toda a vida. Em uma época, você será talvez um administrador, depois um professor, um empreendedor, um artista, um vinicultor. Não é fantástico? Prepare-se para essa realidade. Como? Corra e volte a estudar. Ao planejar seu aprendizado em 2013, mude sua postura na sala de aula, seja simultaneamente um contestador, um pesquisador e um educador.
Ficar sentado, esperando receber o conhecimento do professor, é um comportamento do século passado. Estude pelo prazer. Se for fazê-lo por obrigação ou apenas para conseguir uma promoção, é melhor nem começar. Será pior para você. E faça mais: participe de grupos de estudos on-line, que se organizam na internet, mas que realizam encontros presenciais periódicos, participe de trabalhos voluntários, de saraus de poesia, de debates e trocas de ideias. Neste mundo, em que a simples troca de informação é um motor de grandes mudanças, seu diploma tem prazo de validade curto. Mantenha a calma, vá em frente e sempre pense: que futuro estou construindo para nós e para o mundo?

* Gil Giardelli é autor do livro “Você é o que você compartilha” (Editora Gente), e especialista no Mundo.com, com quase duas décadas de experiência no universo digital. Web-ativista, é também professor nos cursos de Pós-Graduação e MBA do Miami Ad School e do Centro de Inovação e Criatividade (CIC) da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo, e da FIA-LABFIN/PROVAR em São Paulo.

Tags

IBM investe em Social Business e anuncia novos serviços e soluções

A IBM anuncia novos serviços e soluções baseados em software e cloud computing para auxiliar líderes de negócios, como diretores de marketing e de recursos humanos, na transformação de suas organizações por meio da adoção de tecnologias de social business.

As novas soluções permitirão a integração das tecnologias analíticas e de redes sociais da IBM aos processos de negócios de empresas, de todos os portes e setores de atuação, que enfrentam diariamente o desafio de avaliar e extrair conhecimento dos grandes volumes de dados gerados pelo uso das redes sociais. Isso permitirá uma maior capacitação dos times de vendas e de profissionais que lidam diretamente com consumidores, trazendo uma transformação na experiência de compra de seus clientes.

A mídia social e os recursos analíticos de previsão emergiram como ferramentas indispensáveis para os CMOs (Chief Marketing Officers), que estão usando a tecnologia para tornar a experiência de seus clientes mais inteligente, intuitiva e individualizada. Segundo estudo da IBM realizado com CMOs, 82% deles planejam ampliar o uso de mídias sociais ao longo dos próximos três a cinco anos para se comunicarem com seus clientes.

A nova solução integrará a plataforma de rede social corporativa da IBM com as soluções de recrutamento, integração, aprendizado e gerenciamento de desempenho da Kenexa, empresa adquirida pela IBM em dezembro de 2012, por US$1,3 bilhão. Trata-se do IBM Employee Experience Suite, software que ajuda os líderes de RH a atrair, capacitar e motivar talentos, resolvendo lacunas de qualificação e recursos, ao mesmo tempo em que permite à força de trabalho oferecer melhores resultados para seus clientes. Os executivos podem configurar um site de recrutamento, usá-lo para integrar funcionários, apresentar opções de treinamento, conduzir pesquisas entre funcionários e gerenciar desempenho.

“A IBM está revolucionando processos do front office com a aplicação de ferramentas analíticas avançadas e computação cognitiva. O Social Business passou de uma ideia emergente para uma plataforma essencial, utilizada para mudar o modo como as empresas capacitam seus funcionários e abordam seus clientes”, afirma Sidney Sossai, gerente de soluções de colaboração da IBM Brasil. “A combinação da Kenexa e IBM contém forte potencial para mudar a forma como RH atrai, retém e treina talentos”, complementa.

Transformando a experiência dos clientes

A ascensão do novo perfil dos consumidores, que estão cada vez mais munidos de informação, levou organizações de todo o mundo a usarem ferramentas analíticas e de negócios sociais para melhorar a experiência com seus clientes. Assim, a IBM apresenta novas soluções que irão permitir às equipes de marketing projetar, testar e otimizar com facilidade campanhas publicitárias sofisticadas.

Por exemplo, a funcionalidade Social Media Publisher, do novo software, permite que CMOs enviem conteúdo, como campanhas publicitárias ou promoções, para as principais redes sociais com um simples clique, sem precisar mobilizar equipes especializadas de TI já sobrecarregadas.

Mais informações sobre Social Business:

www.ibm.com/press/socialbusiness

Tags

Gartner anuncia a mais importante Conferência do Brasil sobre Infraestrutura de TI, Operações e Data Center

Evento mostrará como acelerar a inovação, conduzir a transformação e demonstrar o valor da TI dentro das empresas
O Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, anuncia a Conferência Gartner Data Center nos dias 9 e 10 de abril, no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

Neste ano, o evento contará com dez analistas, que apresentarão pesquisas exclusivas em mais de 30 sessões com temas como a entrega de valor e excelência operacional de TI para as empresas, os próximos passos críticos na jornada pela virtualização, Cloud e tendências de modernização e transformação dos Data Centers. Além disso, os participantes da Conferência terão a oportunidade de agendar duas reuniões privadas de 30 minutos com o analista de sua preferência, ter acesso a workshops, mesas redondas, clínicas de renegociação de contratos, sessões com fornecedores de soluções e oportunidades de networking com profissionais de TI.

Entre os assuntos que serão abordados, estão as próximas tendências de virtualização, as melhores estratégias de Cloud Computing, otimização e redução de custos, soluções de mobilidade nas empresas, excelência operacional de TI, grande crescimento de dados, modernização e consolidação de Data Centers, cenário de TI nos próximos cinco anos, panorama do mercado de TI da América Latina e o futuro dos Data Centers.
As inscrições para a Conferência podem ser feitas pelo e-mail latin.america@gartner.com, pelo site www.gartner.com/br/datacenter ou pelos telefones (11) 3074-9724 / 3073-0625. Até o dia 8 de março é possível obter desconto de R$ 775,00.

Tags

Pregão eletrônico gera economia de 19% em 2012

A utilização do pregão eletrônico nas compras governamentais gerou uma economia de R$ 7,8 bilhões para o governo federal em 2012. No último ano, 46% dos R$ 72,6 bilhões em aquisições feitas pela administração pública federal, autárquica e fundacional foram realizadas por meio desta modalidade de licitação, segundo levantamento do Ministério do Planejamento (MP), com base no valor de referência dos produtos e bens adquiridos, a partir de dados do Portal de Compras do Governo Federal (Comprasnet).

Os órgãos públicos federais localizados no Rio de Janeiro (RJ) e no Distrito Federal (DF) foram os que mais usaram o pregão eletrônico em suas compras. A licitação para a aquisição de material de cirurgia para o Hospital Central do Exército (HCE), com um valor de R$ 107 milhões, é um exemplo do uso.

Já nas instituições governamentais com sede no DF, o pregão na forma eletrônica foi mais usado em valor, representando um gasto de R$ 15,1 bilhões aos cofres públicos. Esse montante representou 77% de todos os gastos de órgãos federais localizados em Brasília com aquisições, como na compra de instrumentos musicais e eletrônicos de áudio e vídeo para o Programa Mais Educação, do Ministério da Educação (MEC). Esta licitação foi no valor de R$ 327 milhões.

Compras – Além do pregão, para a realização dessas aquisições, o governo federal utilizou outras modalidades de contratação, como pregão presencial, convite, concorrência, tomada de preços, concurso e dispensa ou inexigibilidade de licitação. Esta última forma de aquisição foi responsável por 193,7 mil dos processos e movimentou 34% do valor total dos bens e serviços adquiridos. Já as compras por licitação ficaram em torno de R$ 48, 1 bilhões, ou seja, 66% de tudo o que foi contratado.

As compras realizadas com dispensa ou inexigibilidade de licitação são regulamentadas pela lei 8.666, como remédios que envolvem patente e sistemas de segurança e armamento para as Forças Armadas.

Obras – Os serviços gerais de construção para obras de engenharia civil foram os mais contratados pela União. Foram gastos nessas aquisições cerca de R$ 7,3 bilhões, valor que corresponde a 29% do total dessas compras governamentais. Já em relação aos produtos, os itens mais adquiridos foram os do grupo de veículos, que movimentaram R$ 5,5 bilhões. Do total licitado nesse ano, R$ 23,3 bilhões foram para a aquisição de bens e R$ 24,9 bilhões para a contratação de serviços.

É um exemplo da contratação de serviços a licitação para a execução de melhorias de capacidade e também de duplicação na BR-116, na divisa entre Santa Catarina (SC) e o Rio Grande do Sul (RS). A obra do Ministério dos Transportes (MT) custou aos cofres públicos em torno de R$ 868 milhões.

Participação de MPEs se mantém estável

A participação das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no fornecimento de bens e serviços para o governo federal se manteve estável na comparação entre os dois últimos anos. Em 2012, esse segmento respondeu por R$ 15,4 bilhões de reais dos gastos do governo federal, pouco mais do que os R$ 15,2 bilhões de 2011. As informações foram extraídas do Portal de Compras do Governo Federal (Comprasnet) pelo Ministério do Planejamento (MP) e reúnem as despesas dos órgãos públicos da administração pública direta, autárquica e fundacional.

As compras públicas de até R$ 80 mil são exclusivas para o segmento das micro e pequenas empresas. A análise dos dados do Comprasnet demonstra que o fornecimento de bens e serviços pelas MPEs movimentou R$ 3,7 bilhões com a aplicação desta norma. “Em 2012, alcançamos uma participação de 75% nessas compras, o que demonstra ainda existir um mercado a ser ocupado por esses empresários”, avalia o secretário de logística e tecnologia da informação, Delfino Natal de Souza

Tags, ,

ICI é notícia em site inglês de inovação

Texto publicado dia 25 de janeiro no site britânico Springwise ressalta a importância do trabalho do ICI. O exemplo brasileiro escolhido foi o Passaporte Curitiba e a matéria está entre as mais acessadas sobre inovações para uso governamental. Na notícia, o site compara as ações curitibanas com projetos norte-americanos de sucesso.
“Trata-se de insuspeito reconhecimento da importância e utilidade do Passaporte Curitiba, criado e desenvolvido pelo ICI para a população de Curitiba”, comentou o diretor-presidente do Instituto, Renato Rodrigues. “Isso é muito importante para nossos especialistas, mas a melhor repercussão é que a população está utilizando o serviço”.
O Passaporte Curitiba é um conjunto de aplicativos que permite aos curitibanos e turistas o acesso a uma série de serviços, por meio do endereço www.passaportecuritiba.org.br ou dispositivos móveis. Os serviços mais em evidência são o Touch Economia, lançado no ano passado – que monta lista de compras de supermercados -, e o Touch Economia Material Escolar, que pesquisa preços de papelarias com base em lista do Procon. Este, por enquanto, é acessível em sistema Android e em breve estará disponível para smartphones em geral e PCs.
A Springwise é a primeira organização a compilar e enviar um informativo sobre inovação em uma escala global. Atualmente, cerca de 150 mil pessoas recebem as publicações diárias e semanais do site. Criado em 2002, o portal é responsável por procurar ideias, conceitos e projetos promissores que estejam prontos para adaptação, investimento e expansão internacional.

Leia a matéria traduzida, na íntegra.

Tags, ,

Sistema Fiep e NAGI oferecem curso gratuito em Gestão da Inovação

O Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação do Paraná (NAGI) em parceria com o Senai Inovação realiza em Curitiba o minicurso gratuito em “Gestão da Inovação”. A capacitação é direcionada para empresários e colaboradores de micro e pequenas empresas industriais e empresas de tecnologia da informação e comunicação (TICs) de Curitiba e região. Serão duas turmas, uma no dia 23 de fevereiro e outra no dia 06 de março. As inscrições podem ser feitas no site www.nagipr.org.br. As vagas são limitadas e os participantes receberão certificados na conclusão do curso.

Os conceitos básicos e o processo de gestão da inovação, além da importância da inovação e as condições para se inovar no ambiente de negócios paranaense e brasileiro são os principais temas do minicurso, que acontece na sede da Fiep, no Jardim Botânico (Av. Comendador Franco, 1341), das 9h as 18h. Também serão apresentados cases de sucesso, novas oportunidades de negócios e instrumentos de fomento e apoio à inovação.

O minicurso será ministrado pelo especialista em gestão industrial em conhecimento e inovação, Rodrigo de Barros, e acontece também nas cidades de Arapongas, Francisco Beltrão, Londrina, Pato Branco, Cascavel, Foz do Iguaçu e Campo Mourão.

Mais informações pelo telefone (41) 3271-9101.

Sobre o NAGI
O Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação do Paraná está presente em diversas cidades do Estado e realiza atendimento empresarial com o objetivo de transferir ferramentas e conhecimentos aplicados à gestão da Inovação às empresas. Em parceria com o Sistema Fiep, por meio da Fiep e Senai Inovação, o NAGI atende de forma personalizada a indústria paranaense com consultores e metodologias aplicáveis ao contexto de cada empresa. O núcleo também abrange instituições de ensino, pesquisa e tecnologia para fomentar ainda mais a inovação no Paraná.

Tags, , ,

DB1IT India comemora primeiro aniversário

A DB1 Informática tem expandido seus horizontes com contratações e prospecções em países como os Estados Unidos e a Índia. Sendo uma das primeiras empresas de TI do Brasil a iniciar atividades do ramo na Índia, A filial da DB1 na India completa hoje 01 ano. Os colaboradores comemoraram la com um bonito bolo e ainda fizeram um vídeo para mostrar a estruturação da sede.A DB1, incentivando o intercambio, contratou o colaborador indiano Devendra Ratnaparkhi em 2011 e seu desempenho possibilitou a parceria que hoje já mostra estar sólida.

Consumidores pouco mudam hábitos on-line

No Dia Internacional da Internet Segura, ou Safer Internet Day, a Microsoft divulgou os resultados do seu relatório semestral Microsoft Computing Safety Index (MCSI) que revelam que mais da metade (55%) dos entrevistados estão enfrentando diversos riscos e que somente 16% deles foram proativos na sua proteção e de seus dados. No Brasil, este índice é de 21%, mesmo que 87% tenham informado que já enfrentaram ameaças na Web. Este ano, o MCSI também examinou o comportamento de segurança em dispositivos móveis, descobrindo que embora menos da metade dos participantes brasileiros da pesquisa (42%) tenha feito as atualizações de segurança em seus PCs, somente 31% realiza as atualizações em seus aparelhos de celular.

“Dispositivos móveis muitas vezes têm tantas informações valiosas pessoais armazenadas, se não mais, quanto o próprio computador, tornando esses devices igualmente atrativos para os criminosos que roubam dados”, diz Jacqueline Beauchere, chefe de segurança on-line da Microsoft. “O último MCSI demonstrou que não importa onde e como a pessoa acessa a Internet, exercitar hábitos on-line seguros são essenciais. Existem algumas medidas e tecnologias que as pessoas podem adotar para ajuda-las a se prevenirem para que não se tornem vítimas de criminosos.”

O MCSI entrevistou mais de 10 mil usuários de PCs, smartphones e tablets, em mais de 20 países sobre suas impressões pessoais relacionadas à segurança na web, que atribuíram notas em uma escala de 0 a 100 em suas respostas. A pontuação global media foi de 34 (37 no Brasil) para segurança online em PCs e 40 para dispositivos móveis (45 é o dado local). Uma síntese do estudo está disponível no Microsoft Computing Safety Index Survey para que as pessoas possam avaliar quão seguras estão quando navegam na Internet.

Dados importantes observados pelo MCSI no Brasil:
• Roubo de senhas ou informações da conta foram citados como uma preocupação por 45% dos entrevistados brasileiros, sendo que 38% disseram que visitam sites seguros e 39% que evitam o uso de redes Wi-Fi públicas em seus dispositivos móveis.
• 63% disseram se preocupar com vírus em seus computadores, com 47% utilizando firewalls, e mais da metade (55%) realizando a instalação de antivírus em seus PCs.
• 45% dos entrevistados afirmaram se preocupar com roubo de dados pessoais, ainda que apenas 25% tenham um PIN (personal identification number) ou senha para destravar seus dispositivos móveis, e 47% disseram se atualizar sobre informações que os ajudem a prevenir roubo de identidade.
A Microsoft oferece uma série de ferramentas e recursos de segurança on-line no http://www.Microsoft.com/security, incluindo algumas dicas práticas para consumidores, tais como:
• Bloqueie seu computador e contas com senhas fortes e seu celular com um código de 4 dígitos.
• Não pague contas, acesse o banco, faça compras ou conduza negociações importantes em um computador público, em um laptop ou telefone fornecido por alguém ou hotspots Wi-Fi abertos.
• Preste atenção em bisbilhoteiros. Pessoas que roubam senhas, PINs, logins ou qualquer tipo de dado podem estar observando seus dedos ou a tela onde se digitam dados confidenciais.
• Trate mensagens suspeitas com cuidado. Evite ofertas boas demais para ser verdade e seja cauteloso com quem as faz, mesmo que essas mensagens pareçam vir de uma fonte confiável.
• Busque sinais de que o website seja seguro e legítimo. Antes de enviar dados sensíveis, procure por evidências de criptografia (por exemplo, um endereço na Web com “https” e um cadeado fechado ao lado ou na barra superior direita da página).
• Reduza os spams em sua caixa de entrada. Compartilhe seu principal endereço de e-mail e nome em software de mensagens instantâneas apenas com pessoas que você conhece ou com empresas que tenham reputação. Evite informa-los também em suas páginas nas redes sociais ou em diretórios de internet ou em sites de procura de emprego, por exemplo.

Países que participaram da pesquisa: Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Egito, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Japão, Malásia, México, Rússia, Singapura, Turquia e Reino Unido.

 

Tags, ,

Empreendedorismo tecnológico está em alta no Brasil

De acordo com relatório que o SEBRAE publicou recentemente, o Brasil está se tornando um celeiro de startups – novas e inovadoras empresas – que se destacam em todos os campos. São três mil ideias criativas que são registradas diariamente em todo o país. A inovação é a responsável por esse número e, para o empreendedor, fator fundamental para conquistar mercados e negócios.

Sobre inovação e empreendedorismo, Nei Grando reuniu no livro Empreendedorismo Inovador diversas opiniões e especialistas para tratar do assunto. “Esse é o primeiro livro de empreendedorismo de base tecnológica escrito por autores brasileiros com sólidos conhecimentos, muitos com ampla experiência em startups de tecnologia. Além de empreendedores, entre esses profissionais estão presentes consultores em inovação e negócios, acadêmicos e investidores envolvidos com capital de risco, que procuraram oferecer o melhor de si para esta obra” – explica Grando.

O livro traz uma apresentação do contexto do empreendedorismo no Brasil (capítulo 1) e do mercado para empresas de tecnologia (capítulo 2). Em seguida, aborda a carreira empreendedora e por que vale a pena empreender (capítulo 3). Apresenta vantagens e desvantagens de se ter sócios, fornecendo sugestões e dicas que podem ser muito úteis nessa escolha (capítulo 4). Explica por que o empreendedor deve conhecer os fundamentos de gestão e modelagem de negócios (capítulo 5) e depois detalha tais preceitos, esclarecendo o que o empreendedor precisa saber sobre: estratégia (capítulo 6), marketing (capítulo 7), vendas (capítulo 8), pessoas (capítulo 9), finanças (capítulo 10), criatividade e inovação (capítulo 11), networking (capítulo 12) e tecnologia (capítulo 13). O livro apresenta também como nasce uma ideia (capítulo 14), mostrando como a prototipagem pode ajudar a avaliar se a sua ideia resultará em um produto ou serviço com potencial de mercado (capítulo 15). Para ajudá-lo na modelagem de seu negócio, há elementos de criação de valor (capítulo 16), entrega de valor (capítulo 17) e captura de valor (capítulo 18). No que diz respeito à busca e aquisição de investimento, consideramos os recursos financeiros próprios (capítulo 19), com dicas de como encontrar e abordar um investidor-anjo (capítulo 20), como apresentar o seu projeto a um investidor (capítulo 21) e se vale a pena recorrer a uma incubadora (capítulo 22). Finalmente, consideramos porque o empreendedor deve buscar conselheiros e mentores experientes em gestão e negócios (capítulo 23), além de como e onde obter educação e treinamento formal para empreender (capítulo 24). Cada capítulo pode ser lido de maneira independente, de acordo com o momento que o leitor estiver desfrutando do conhecimento.

Além do próprio organizador, Nei Grando, Empreendedorismo Inovador tem como articulistas nomes de peso focados em empreendedorismo, tecnologia e startups como: Ana Maria Magni Coelho, Bob Wollheim, Carlos Eduardo Guillaume, Cassio A. Spina, Cezar Taurion, Diego Remus, Edson Mackeenzy, Felipe Matos, Joel Weisz, John Lemos Forman, Leo Kuba, Marcel Malczewski, Marcelo Amorim, Marcelo Nakagawa, Martha Terenzzo, Nathalie Trutmann, Pedro Mello, Renato Fonseca de Andrade, Robert Edwin Binder, Rodrigo Brito, Rogério Chér, Ronald Jean Degen, Rose Mary Almeida Lopes e Sérgio W. Risola.

SOBRE O ORGANIZADOR
Nei Grando é graduado em processamento de dados pela UEM, tem MBA em Administração pela FGV e cursos de extensão em Gestão do Conhecimento (FGV) e Inovação e Redes Sociais (ESPM). Teve duas empresas de desenvolvimento de software e soluções de TI, onde atuou com portais, internet-banking, home broker, CRM, GED e dezenas de outros projetos, incluindo consultoria/execução de projetos em gestão do conhecimento. Atua como consultor em modelagem de negócios, estratégia, inovação, GC e TI. Autor do blog do Nei (neigrando.blog.br) – sobre estratégia, inovação, empreendedorismo, modelos de negócios, gestão e tecnologia. Incentiva o empreendedorismo no Brasil.

 

Tags

PUCPR é sede do Global Game Jam

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) será, pela 4° vez, uma das sedes do Global Game Jam (GGJ), Encontro Internacional de Desenvolvimento de Jogos que acontece simultaneamente em todo o mundo. O evento será realizado de 25 a 27 de janeiro em cerca de 300 sedes distribuídas em 63 países de todos os continentes totalizando mais de 10 mil participantes. A expectativa é que o evento reúna 230 participantes somente na PUCPR.

O objetivo do encontro é que os jammers (nome dado aos participantes) desenvolvam jogos a partir de um tema comum que é revelado somente no início da jornada. Durante todo o período da competição, os jammers ficam nas sedes em período integral. Levam colchonetes, cobertores, travesseiros e se preparam para passar dois dias com refeições à base de fast food, sendo que a pizza figura entre os pratos preferidos. Depois do evento, todos os jogos ficam disponíveis na internet e é feito o ranking dos mais acessados.

São envolvidos diversos profissionais e amadores das áreas de criação de games: artistas, programadores, músicos, designers, entre outros. Dos desenvolvedores inscritos na sede da PUCPR, mais de 100 são da Universidade. Os alunos do curso Técnico Integrado em Informática do TECPUC também irão participar. Os demais são de outras universidades e empresas de jogos de diversos locais do país.

Não há premiação, a intenção é que cada equipe tenha um jogo novo em seu portfólio, além de aumentar a rede de contatos na área de desenvolvimento de jogos.

Outras sedes – No Brasil estão confirmadas até o momento 24 sedes nas seguintes cidades: Rio Pomba (MG), São Caetano do Sul (SP), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES), Campinas (SP), São Luís (MA), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Campina Grande (PB), São Caetano do Sul (SP), Brasília (DF), Cotia (SP), Carapicuíba (SP), Jaboatão dos Guararapes (PE). Ao redor do mundo, participam universidades de países como Inglaterra, Rússia, Israel, Canadá, Alemanha, EUA, Japão, Turquia, Polônia, Austrália, entre outros.

Serviço:

Global Game Jam – Encontro Internacional de Desenvolvimento de Jogos
Data: 25 a 27 de janeiro de 2013
Local: PUCPR – Rua Imaculada Conceição, 1155, Prado Velho

 

Tags, , ,

Acontece dia 25/01 o Roadshow HDI Brasil em Curitiba

Quer descobrir como fazer sua TI caminhar em sinergia com a planejamento de crescimento da sua empresa?
O Roadshow Paraná do HDI irá promover um debate de especialistas sobre como alocar esforços e recursos para proporcionar serviços que realmente entreguem valor para o negócio da empresa. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas. Não perca a oportunidade única!

Data: 25 de Janeiro
Local: Rua Rockefeller, 651
Rebouças – Curitiba – PR

 

HORÁRIO PROGRAMAÇÃO
8h30-9h00
Recepção e credenciamento
9h00-9h30
Abertura oficial HDI
(Thiago de Marco – Diretor Executivo do HDI Brasil)
9h30-10h15
Uma gestão mais voltada ao negócio
(Paulo Cougo – Diretor Técnico Tree Tools)
10h15-10h45
Coffee-break e muito networking!
10h45-12h00
Debate com o público: O que o service desk deve entregar para o negócio
(Casseano Filho – VP Estratégia da Asyst International + Rhealeza/ Thiago de Marco – Diretor Executivo do HDI Brasil/ Paulo Cougo – Diretor Técnico Tree Tools)
12h00 Encerramento

 

Tags, , ,

CeBIT 2013: inscrições abertas para estande Brasil IT+

“Shareconomy” é o tema central da CeBIT 2013 (www.cebit.de/home), o maior evento de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do mundo e que este ano será realizado de 5 a 9 de março em Hannover, na Alemanha. Nesta edição, a programação colocará em evidência as diversas visões sobre as ferramentas de compartilhamento do conhecimento e as plataformas de colaboração e de comunicação.

Pela 14ª vez consecutiva, a Associação para Promoção do Software Brasileiro – SOFTEX (www.softex.br) coordena a participação das empresas brasileiras por meio do programa de internacionalização competitiva de software e serviços de TI, realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil (www.apexbrasil.com.br). A organização do pavilhão está a cargo da SOFTSUL (www.softsul.org.br), agente da SOFTEX no Rio Grande do Sul.

Na visão de Adriana Martins, diretora de operações da SOFTSUL e à frente desta iniciativa desde o ano 2000, “a CeBIT é uma importante e consolidada plataforma de negócios para as empresas brasileiras de TIC. A presença continuada do Brasil nos últimos 13 anos não somente gerou muitas oportunidades como também permitiu, em 2012, a sua participação na condição de país parceiro”, destaca.

A participação brasileira na CeBIT tem como objetivo a inserção dos softwares e dos serviços de TIC brasileiros no mercado internacional, bem como a promoção da marca Brasil IT+, que identifica a indústria brasileira de TI no exterior.

As empresas podem participar em modalidades que permitem a utilização da infraestrutura do estande: expositora no Pavilhão Coletivo Brasil IT+; participante nos Encontros de Negócios e prospectora. Empresas sediadas no Rio Grande do Sul contam com o apoio financeiro da Secretaria do Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI) para a sua participação.

Desde 2010, a área de exposição do Brasil na feira tem sua organização dividida em quatro trilhas diferenciadas: a CeBIT pro, orientada ao usuário profissional; a CeBIT gov, voltada aos usuários do setor público; a CeBIT life, para os profissionais e interessados em tecnologia; e a CeBIT lab, plataforma para as universidades e institutos de pesquisa.

“Depois de uma participação histórica como país parceiro da CeBIT no ano passado, nossa meta é organizar novamente uma delegação que reflita a expertise do Brasil como um provedor de tecnologias consistentes, avançadas, inovadoras e de alcance global. Em 2012, a marca Brasil IT+ recebeu uma projeção mundial sem precedentes e acreditamos que tal exposição se refletirá em novos negócios, na formação de parcerias e na realização de benchmarking para as nossas companhias também nesta edição”, destaca Marcos Mandacaru, vice-presidente executivo da SOFTEX.

Em 2012, a CeBIT recebeu 339 mil visitantes de mais de 110 países, 500 CIOs de empresas internacionais e fomentou a realização de mais de 7mil contatos de negócios.
Para informações detalhadas sobre cada uma das modalidades de adesão oferecidas, valores de investimento e sugestões de pacotes aéreos e terrestres especialmente estruturados, entre em contato com a SOFTSUL pelo e-mail operacoes@softsul.org.br ou pelo telefone (51) 3346-4422.

Tags, , ,

Intec abre vagas em Curitiba e inicia atividades em Jacarezinho

A Incubadora Tecnológica de Curitiba (Intec), que funciona no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), lançou edital de incubação para empresas que buscam apoio ao desenvolvimento de projetos/negócios tecnológicos inovadores. O edital prevê a realização de quatro chamadas para este ano, previstas para os meses de fevereiro, maio, agosto e novembro.

A Intec é incubadora pioneira no Paraná e considerada uma das melhores do Brasil. Oferece dez vagas para a modalidade de incubação não residente, ou seja, a empresa não fica instalada dentro das dependências da Intec/Tecpar, mas conta com todo o apoio técnico, jurídico e administrativo. A modalidade de incubação residente fica condicionada à abertura de vagas pela graduação de empresas já incubadas.

Para pleitear uma vaga é necessário inovação (desenvolvimento de produto novo, complementar a algum existente, nacionalização de tecnologias ou desenvolvimento de similar); disposição de capital mínimo para investimento inicial; plano de negócios desenvolvido; equipe com formação em áreas complementares; e que a empresa já tenha alguma iniciativa preliminar – no caso de produto, seria um protótipo ou uma requisição de patente.

Os interessados devem apresentar proposta preferencialmente por pessoa jurídica. É permitida a apresentação por pessoa física, entretanto, caso o empreendimento seja selecionado, deverá ser constituída uma empresa para a assinatura do contrato de incubação.

JACAREZINHO – Neste ano começa a funcionar outra incubadora ligada ao Instituto. Fica na cidade de Jacarezinho, no Parque Tecnológico Agroindustrial do Tecpar. O parque foi constituído no município e deverá ser expandido gradualmente por toda a região, com leis de incentivo à inovação e apoio das diversas instituições públicas e privadas envolvidas.

No primeiro edital são oferecidas seis vagas para empresas de base tecnológica para incubação residente e outras seis para não-residentes. Serão três chamadas, nos meses de março, julho e novembro, e os critérios de seleção e avaliação serão os mesmos já praticados na sede de Curitiba.

Informações complementares sobre critérios de participação, formato de entrega das propostas e prazos das duas incubadoras podem ser obtidas nos dois editais, que se encontram publicados no site da Intec: http://intec.tecpar.br.

Tags, , ,

Sites de e-commerce registram deflação de 8,4% em 2012

Em dezembro, o índice e-Flation registrou deflação de 2,8% nos preços apresentados nos sites de e-commerce, representando uma queda de 2,2 p.p. em relação ao mês anterior, em que totalizou -0,6%, e redução de 2,3 p.p. em comparação ao percentual de dezembro de 2011 (-0,5%).

Desenvolvido pelo Provar (Programa de Administração do Varejo), da FIA (Fundação Instituto de Administração), em parceria com a Felisoni Consultores Associados e com a Íconna Monitoramento de Preços no E-commerce, o indicador tem como proposta monitorar as variações dos preços de produtos ofertados on line, acompanhando as tendências no mercado de consumo pela Internet.

Oito categorias influenciaram o resultado de deflação observado em dezembro. São elas: “Eletrodomésticos” (-1,04%), “Informática” (-1,01%), “Medicamentos” (-0,24%), “Cine e Fotos” (-0,22%), “Livros” (-0,18%), “Telefonia e Celulares” (-0,17%) “Brinquedos” (-0,06%), e “Eletroeletrônicos” (-0,01%). Apenas duas categorias apresentaram inflação: “CDs e DVDs” (0,01%) e “Perfumes e Cosméticos” (0,13%).

Ao longo de 2012, o índice registrou 9 deflações, somando no acumulado dos 12 meses -8,4%, 2,7p.p a menos do que em 2011, quando se apurou -5,7%. Durante todo ano, a maioria das categorias registraram deflação. São elas: “Medicamentos” (-8,0%), “CDs e DVDs” (-6,0%), “Informática”(-5,9%), “Telefonia e Celulares” (-5,0%), “Eletroeletrônicos” (-2,8%), “Livros” (2,8%), “Brinquedos” (-2,5%), “Cine e Fotos” (-1,5%) e “Eletrodomésticos” (-0,9%). Somente duas categorias acumularam inflação no ano: “Livros” (2,8%) e “Perfumes e Cosméticos” (2,0%).

“Encerramos 2012 com a identificação de muita cautela no comportamento do consumidor, que pesquisou muito mais antes da compra durante todo o ano passado. O que facilitou a competitividade das empresas neste segmento e segurou a inflação destes produtos”, comenta Claudio Felisoni, presidente do conselho do PROVAR/FIA.

O e-Flation é avaliado a partir da segunda quinzena do mês anterior à primeira do mês em referência. Os itens que compõem a cesta de cada uma das categorias são aqueles que, sendo os mais anunciados entre os sites mais procurados, resultam no que se chama de “campeões de vendas”.

Tags, , , , , ,

Prefeitura pede ao ICI dados sobre contratos e pessoal

Foram empossados nesta terça-feira como conselheiros do ICI Fábio Dória Scatolin (secretário municipal de planejamento e gestão), Joel Macedo (procurador geral do município), Gina Paladino (diretora-presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e da Companhia de Desenvolvimento de Curitiba) e Ricardo Mac Donald Ghisi (secretário do governo municipal). Curitiba, 15/01/2013 Foto:Cesar Brustolin/SMCS

A Prefeitura de Curitiba pediu nesta terça-feira (15) ao Instituto Curitiba de Informática (ICI) uma série de informações necessárias para avaliar os serviços prestados pela instituição à administração municipal. O documento com as solicitações foi entregue à direção do ICI durante a reunião em que tomaram posse quatro novos integrantes do Conselho de Administração do Instituto, indicados pelo prefeito Gustavo Fruet.

Entre as informações requisitadas pela Prefeitura estão: qual é a estrutura funcional e de cargos do ICI, com nomes e salários; como é a distribuição dos funcionários do ICI alocados nas unidades da Prefeitura e respectivos custos; demonstração da planilha dos contratos e anexos do ICI com a Prefeitura, incluindo nomes das empresas prestadoras de serviço; quantidade de quilômetros e mapa urbano da rede de fibra ótica de propriedade da Prefeitura, do ICI e terceiros utilizados nos serviços de comunicação, bem como seus respectivos custos de operação e manutenção; cópia do contrato do ICI/Prefeitura Municipal de links de dados (a partir de 2011).

As informações já haviam sido solicitadas pela equipe de transição de Gustavo Fruet, em novembro e dezembro do ano passado, mas não foram fornecidas.

Conselheiros

Foram empossados nesta terça-feira como conselheiros do ICI Fábio Dória Scatolin (secretário municipal de planejamento e gestão), Joel Macedo (procurador geral do município), Gina Paladino (diretora-presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e da Companhia de Desenvolvimento de Curitiba) e Ricardo Mac Donald Ghisi (secretário do governo municipal).

O Conselho de Administração do ICI é composto por 10 membros – quatro indicados pelo poder municipal e seis pela iniciativa privada. Os representantes da iniciativa privada foram designados na gestão anterior.

Eleição

Durante a reunião, o diretor-presidente do ICI, Renato José de Almeida Rodrigues, colocou o cargo à disposição. Ele permanece desempenhando a função no período de transição, que pode se estender até 60 dias.

Neste prazo, a atual administração do município espera receber as informações solicitadas ao ICI e se inteirar da situação.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Curitiba se prepara para aprovar Lei Municipal de Inovação

O projeto da Lei Municipal de Inovação de Curitiba deverá ser votado pela Câmara de Veradores ainda este semestre. Iniciativa do Senai Centro Internacional de Inovação, o projeto foi entregue, em 2012, ao vereador Felipe Braga Cortes (PSDB). “Começamos a debater no final do ano passado, porém, não houve tempo hábil para votação e aprovação. Agora vamos alinhar o texto junto com a equipe do novo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e reapresentar já na primeira sessão, em fevereiro, com a expectativa de sancionar em, no máximo, três meses”, explica o vereador. A Lei Municipal de Inovação irá complementar a Lei Estadual, sancionada pelo governador Beto Richa em setembro de 2012.

Lideranças empresariais, universidades e representantes de centros de Pesquisa e Desenvolvimento e Inovação (P&D&I) defendem a importância da aprovação imediata de uma Lei Municipal de Inovação voltada às iniciativas de P&D&I das empresas com sede em Curitiba. O objetivo é fortalecer as parcerias publico-privadas de transferência de conhecimento e tecnologia entre universidades e empresas, além de garantir recursos financeiros e incentivos fiscais para as iniciativas inovadoras e posicionar o governo municipal como ator importante de fomento ao desenvolvimento de inovações, por meio da sua participação e uso do seu poder de compra.

Segundo especialistas, a aprovação de uma lei voltada ao incremento da inovação no município não conflita ou se sobrepõe às Leis Estadual e Federal. “Uma legislação municipal é complementar as já existentes e trará benefícios efetivos às empresas, como incentivos com base na receita do município, uma vez que a contrapartida da inovação irá contribuir para o desenvolvimento de Curitiba”, afirma o coordenador do Conselho Temático de Política Industrial, Inovação e Design da Fiep, Rodrigo Martins.

Para o gerente de inovação do Senai no Paraná, Filipe Cassapo, a Lei Municipal irá facilitar a obtenção de recursos em todas as esferas. “Uma legislação municpal irá garantir o acesso das empresas a recursos locais e ainda poderá facilitar, por crescimento em escala, a captação de recursos estaduais e federais”, explica.

Benefícios – Entre os benefícios que a Lei Municipal poderá trazer, estão os incentivos fiscais e a criação de um Fundo Municipal de Inovação (FMI), com recursos do município para o fomento de ideias e projetos inovadores, além de permitir uma proximidade maior entre as empresas, universidades e institutos de pesquisa e desenvolvimento. O texto também deverá prever a aquisição e incorporação de soluções inovadoras pela Prefeitura, fazendo uso do poder de compra do município.

No Brasil, seis municípios possuem uma Lei de Inovação: Joinville e Florianópolis em Santa Catarina, São Bernardo do Campo e Sorocaba, em São Paulo, Vitória, no Espirito Santo, e Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Além dessas, outras cidades estão seguindo o mesmo caminho: Curitiba e Maringá, no Paraná, Juiz de Fora e Varginha, em Minas Gerais, Recife, em Pernambuco, e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

“A ideia central da criação de valor no município por meio da Lei Municipal da Inovação é recompensar, com o direcionamento de recursos financeiros, em formato de subvenções ou isenções fiscais, as empresas que fortalecem a economia e os empregos locais por meio da pesquisa, desenvolvimento e inovação”, explica Cassapo.

Um bom exemplo, segundo o gerente de inovação do Senai no Paraná, é o que irá ocorrer na cidade de Florianópolis, que pretende aplicar R$ 15 milhões de recursos do orçamento municipal via Fundo Municipal de Inovação e Programa de Incentivo à Inovação.

Cassapo acrescenta que, assim como fez com Curitiba, o Senai Centro Internacional de Inovação está à disposição dos municípios – Prefeituras e Câmaras de Vereadores – para orientar no desenvolvimento de um projeto de lei municipal de inovação.

Tags, , , ,

Estudo da IBM aponta tendências para a adoção de novas tecnologias

A IBM apresenta o relatório “Tech Trends 2012: o caminho mais rápido para o futuro”, no qual constata que a tecnologia representa uma parte cada vez mais integrante das organizações, em todos os segmentos de mercado. Cloud computing, dispositivos móveis, business analytics e social business estão entrando com prioridade estratégica de negócios para diversas indústrias.

A IBM entrevistou cerca de 1.200 empresas de tecnologia de todo o mundo, incluindo o Brasil, e ouviu líderes e tomadores de decisões de negócios que definem quando, onde e como suas organizações adotam e investem em novas tendências. Quase dois terços indicaram que as novas tecnologias são estrategicamente importantes para suas empresas. Porém, enfrentam obstáculos significativos como a escassez de profissionais qualificados e preocupações com a segurança de suas informações.

O estudo aponta que cerca de 1,5 bilhão de pessoas usam regularmente as redes sociais, sendo que a maioria desse percentual foi conquistada entre 2009 e 2012. Assim, soluções para mobilidade e análises de dados são essenciais para a continuidade dos negócios. Nos próximos dois anos, cerca de 70% das organizações irão aumentar os seus investimentos em tecnologias móveis e business analytics.

Segundo o estudo, há uma crescente demanda por profissionais com qualificação nestas quatro áreas, porém, não há um número suficiente de profissionais com o conhecimento adequado para preencher esses cargos. Cerca de 90% das organizações pesquisadas informaram não possuir profissionais com as designações necessárias para atuar nessas áreas.

A situação pode ficar ainda mais preocupante. Apenas uma em cada dez empresas pesquisadas afirmou ter todos os requisitos e habilidades para atuar com cloud computing, dispositivos móveis, business analytics e social business. Já três, de cada quatro estudantes e educadores, afirmaram enfrentar dificuldades moderadas ou grandes em suas capacidades para atender às novas demandas do mercado de tecnologia.

“A falta de conhecimento é um problema global e crítico para os negócios, pois atua como um obstáculo para a adoção das tecnologias avançadas, fundamentais para o sucesso de qualquer organização. Diminuir ou eliminar a diferença de habilidades não é tarefa para uma só empresa. Organizações dos setores público e privado devem trabalhar juntas a fim de assegurar que os profissionais tenham as habilidades necessárias para colocar a tecnologia em prática e usá-la para solucionar os maiores desafios das empresas e da sociedade”, afirma Ricardo Mansano, gerente do Centro de Inovações da IBM Brasil.

Segurança da informação

Segurança é outro ponto de destaque no relatório, já que os entrevistados indicaram o tema como um dos obstáculos mais significativos para a adoção das novas tecnologias. “A segurança é um importante desafio na área de negócios e as empresas estão lutando para protegerem não apenas seus sistemas, redes e dispositivos, mas também o que é, sem dúvida, o seu ativo mais importante: a informação”, comenta Mansano.

Entre os entrevistados, 62% citaram a segurança como uma das três principais áreas de investimento para as suas organizações nos próximos dois anos. O estudo ainda apontou que, por conta da segurança, cerca de 60% ainda não se sentem confiáveis para a adoção de dispositivos móveis.

Além disso, mais da metade dos entrevistados dizem que sua política de segurança de TI não são suficiente para atender às necessidades de cloud computing e de social business. “Nossa capacidade de continuar a abastecer a inovação depende da maneira como formamos profissionais nas principais áreas de tecnologia e como incentivamos o desenvolvimento de habilidades em ciências, tecnologia, engenharia e matemática. As necessidades são imediatas, mas os processos levam mais tempo para mostrarem os resultados”, finaliza Ricardo.

Programas de capacitação

Com o intuito de atender à demanda do mercado, a IBM criou o Programa IBM Smart Professional. Trata-se de um modelo inovador de relacionamento entre Universidade e Empresa que reúne profissionais de TI, professores e estudantes em ciclos de capacitação de acordo com a necessidade do mercado, oferecendo certificação nas universidades parceiras do programa.

Além disso, a empresa também oferece capacitação através do portal IBM developerWorks, que permite acesso gratuito aos conteúdos direcionados aos profissionais da área de TI e estudantes. Desde tutoriais até artigos, os usuários têm acesso a downloads gratuitos e podem utilizar todo o conteúdo disponível, participar de fóruns e debates e compartilhar experiências através das diferentes comunidades de TI.

Com uma média de 100 mil acessos por mês no país, o portal developerWorks aborda as últimas tendências no mercado de TI e conta com uma vasta biblioteca técnica, atualizada semanalmente com conteúdo de alta qualidade.

Visite o site do estudo e tenha acesso ao relatório completo e a um infográfico interativo com detalhes sobre a adoção de tecnologia em cada país participante, além de dados complementares:
http://public.dhe.ibm.com/common/ssi/ecm/en/xie12346usen/XIE12346USEN.PDF

Informações sobre Smart Professional:
http://www.ibm.com/br/developerworks/smartprofessional/index.phtml

Informações sobre portal IBM developerWorks:
https://www.ibm.com/developerworks/br/

Tags, , , ,