Page

Author admin

ABRH Brasil promove encontro “Desafios da gestão de pessoas pelo mundo”

No dia 25 de novembro, das 9h às 17h30, acontece a segunda edição do “Desafios da gestão de pessoas pelo mundo”, evento online realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH Brasil e que visa o compartilhamento de experiências significativas entre líderes de RH e C-Levels brasileiros localizados ao redor do mundo.

Em sua primeira edição, a iniciativa contemplou a agilidade na transformação digital e cultural que as organizações estão enfrentando e o papel da liderança para apresentar soluções assertivas e manter o engajamento. Neste ano, o evento busca trazer a discussão acerca de mudanças eficientes que podem ocorrer de maneira rápida, com exemplos práticos de soluções ágeis, criativas e, acima de tudo, humanas.

Para isso, contará com uma plataforma interativa onde os participantes terão espaço para exporem suas práticas no enfrentamento do atual cenário desafiador de pandemia em grandes empresas e suas estratégias de RH para vencer os obstáculos impostos. “A iniciativa é uma oportunidade de antecipar questões cruciais sobre a prática dos novos modelos de trabalhos, além de discutir aprendizados, tendências e inquietações da maioria dos líderes”, afirma Marcelo Pirani, diretor da ABRH Brasil e coordenador do evento.

O encontro está segmentado em cinco pilares de conteúdos distribuídos em seis painéis: ESG, saúde, workplace, inteligência artificial e talentos, que discutirá a escassez de mão de obra e desafios sob a ótica dos CEOs. A plataforma contará ainda com acesso gratuito por 30 dias após o evento, com diversos conteúdos, como o hall de convivência para networking, feira virtual, balcão de informações, totem de programação, totem para emissão de certificado, exposição de marcas, chat interativo, entre outras opções.

“No mundo pós-pandemia, entendeu-se que houve uma aceleração de mudanças. As pessoas entenderam que não havia uma fórmula pronta e foram em busca de alguma solução que pudessem servir suas companhias. O evento surge para que possamos compartilhar as melhores práticas, dentro de erros e acertos vivenciadas por suas companhias num momento de muita incerteza. Apesar das realidades no mundo serem diferentes, o vírus que enfrentamos é o mesmo e, por isso, queremos saber e dividir como as pessoas estão lidando com as relações humanas, com as tecnologias, da aceleração do mundo digital no mundo todo”, destaca Marcelo.

O evento é totalmente gratuito e para se inscrever basta acessar o site.

Matera busca talentos na área de TI para reforçar o seu time

O mercado de tecnologia está aquecido e a pandemia auxiliou no aumento de vagas para essa área. A Matera, empresa de desenvolvimento de tecnologia para o mercado financeiro, fintechs e gestão de riscos, realiza neste mês o seu JobCon, um processo seletivo especial para contratação de profissionais de TI em um curto período de tempo.

Nesta edição, a Matera procura talentos para as seguintes vagas: Desenvolvedor Java (pleno e sênior), Analista de Testes com Automação (pleno e sênior), Analista de Testes sem Automação (pleno e sênior).

As inscrições já estão abertas. Ao se cadastrar em uma vaga, o candidato passará por uma triagem e receberá um feedback por e-mail. Se for aprovado nesta primeira etapa, será convidado a realizar provas técnicas e de análise comportamental. Se o resultado for satisfatório, será convocado para uma entrevista técnica. Caso passe nesta fase, será chamado para participar da entrevista final no dia 27 de novembro. Neste dia, ou em até 48h, o (a) candidato(a) poderá ser contratado pela Matera e se transformar em um Materano ou Materana.

A programação do dia 27 é composta por uma palestra de abertura, às 8h30, e às 9h começam as entrevistas. Todo o processo seletivo será online. As informações sobre as inscrições pré-requisitos para as vagas do JobCon estão disponíveis neste site .

“O time da Matera é a principal força da empresa. Por isso, é muito importante selecionarmos pessoas com os mesmos valores que a Matera para complementar o time já existente”, destaca Victor Xavier, Head de Gente e Gestão.

A Matera é certificada pelo GPTW como uma das 30 melhores empresas para se trabalhar do país e é reconhecida como a 5ª Melhor Empresa para se Trabalhar no Interior Paulista, também pelo ranking GPTW.

Tags

Magalu entra no mercado de desenvolvimento de games

O Magalu, empresa que está digitalizando o varejo brasileiro, faz mais um movimento no mercado de games, desta vez com o objetivo de fortalecer a indústria brasileira do setor. A companhia – que recentemente adquiriu os portais de conteúdo Jovem Nerd e Canaltech, e está em processo de finalização da compra do e-commerce KaBuM! – lançou nesta quarta-feira, 17, uma chamada pública de apoio financeiro e de mentoria a estúdios desenvolvedores de jogos eletrônicos. A iniciativa acontece em parceria com o BIG Festival, maior evento de games da América Latina.

O projeto apoiará o desenvolvimento de jogos hipercasuais (do tipo passatempo) prontos ou ainda em processo de criação. Serão destinados 100 000 reais para três projetos selecionados. “O mercado gamer é enorme e cresce muito ano após ano, no Brasil e no mundo”, afirma Thiago Catoto, diretor do Luizalabs.. “Acreditamos que o país tem grande potencial não só como consumidor, mas como indústria produtora de games. Queremos impulsionar esses negócios e aproveitar as várias congruências que eles têm com o ecossistema Magalu.” Atualmente, há cerca de 95 milhões de brasileiros adeptos de jogos eletrônicos, segundo a consultoria de e-sports BBL

Com a ação inédita, o Magalu Games – braço da empresa no setor — inicialmente atuará com um modelo novo de publishing, criando jogos e promovendo esses games principalmente para os usuários de seu SuperApp — que alcançou a marca de 37,9 milhões de usuários ativos. Além de investir no desenvolvimento de demos, a companhia também colocará à disposição dos estúdios todo o seu ecossistema de empresas e plataformas – como o Magalu Ads, de marketing digital, e o Jovem Nerd, canal de produção de conteúdo.

Expansão

Desde que adquiriu o portal Jovem Nerd, em abril deste ano, o Magalu informou ao mercado os projetos relacionados à propriedade intelectual da plataforma, com planos para games complexos, animações, séries e até filmes. Ao mesmo tempo em que desenha esses formatos, o Magalu trabalha outras frentes no mercado brasileiro de games, com o objetivo de envolver a comunidade acadêmica nos projetos.

A médio e a longo prazos, o Magalu Games  integrará os jogos lançados ao SuperApp da companhia, com o objetivo de ampliar o alcance e aumentar o tempo de uso e a recorrência do aplicativo. A ideia é oferecer benefícios aos clientes por meio da integração com programas e produtos já existentes no ecossistema Magalu, como programas de cashback dentro dos games, entre outros. 

Com a compra do KaBuM!, o Magalu reforçou seu sortimento de produtos, principalmente da categoria de equipamentos de tecnologia, e também reforçou a posição no mercado gamer, que cresce exponencialmente no mundo e no Brasil. De acordo com estudo da consultoria Accenture, a indústria mundial de games atingirá 300 bilhões de dólares ao final de 2021, receita maior que a dos setores de música e filmes somados.

O KaBuM! é um dos precursores em esportes eletrônicos no Brasil. Criou uma das maiores equipes de League of Legends do país, a KaBuM! Esportes, tetracampeã nacional e a primeira representante brasileira no campeonato mundial. A KaBuM! Esportes apoia também outras modalidades de e-sports, como Counter Strike, FIFA e Free Fire. Ao mesmo tempo, desde junho deste ano, a união da NSE, braço de e-sports da Netshoes, com a e-Flix, empresa que faz gestão desse segmento no e-commerce, deu origem a uma nova equipe de jogos eletrônicos competitivos: a Netshoes Miners.

Arco Educação recebe aporte de R﹩ 825 milhões dos fundos de investimento Dragoneer e General Atlantic

O Dragoneer Investment Group e a General Atlantic Partners (“GA”) vão adquirir cerca de R﹩ 825 milhões em Títulos Conversíveis da Arco Educação. Ambos os fundos são internacionalmente reconhecidos por seus investimentos em empresas que apresentam grande potencial de crescimento e que possuem uma forte veia tecnológica. Dentre os investimentos de sucesso realizados pelo Dragoneer estão os aportes no Mercado Livre e no Nubank. A GA já foi investidora da Arco, XP Investimentos e Quinto Andar.

“É uma grande satisfação receber dois dos mais conceituados fundos do mundo como investidores da Arco. A parceria demonstra a confiança do Dragoneer e da GA no nosso time e nas nossas soluções”, afirmou Ari de Sá Neto, CEO e fundador da Arco.

Os recursos serão utilizados pela Arco Educação para acelerar sua estratégia de crescimento. A companhia tem atuado para trazer mais tecnologia aos seus sistemas educacionais, criar novas soluções e gerar mais valor para suas escolas parceiras.

“Ao construir a plataforma de tecnologia da Arco, o Ari tornou uma abordagem pedagógica de primeira linha acessível a mais de 1,9 milhões de alunos em todo o Brasil. As marcas da Arco são amadas por professores, alunos e pais, e impulsionam melhorias reais nos resultados educacionais”, disse Eric Jones, sócio do Dragoneer. “No nível do negócio, a Arco tem forte crescimento de receita e previsibilidade, alta fidelização de clientes e uma operação bastante rentável. Estamos entusiasmados em apoiar o time da Arco em sua jornada, à medida que eles continuam a crescer rapidamente e a expandir sua plataforma no setor de educação”, finaliza o executivo.

Martín Escobari, Conselheiro Independente da Arco e Co-Presidente, Diretor Administrativo e Head da América Latina da General Atlantic, disse: “A Arco redefiniu a educação no Brasil, aproveitando o poder da capacitação digital para expandir o acesso a experiências críticas de aprendizagem para milhões de alunos em todo o país. Apoiamos há muito tempo a missão da Arco e esperamos voltar a fazer parceria com Ari e sua liderança para impulsionar mudanças transformadoras no ecossistema educacional do Brasil.”

Os Títulos Conversíveis têm vencimento em sete anos e pagarão juros de 8% ao ano. Cada título será conversível a uma taxa de conversão equivalente a US﹩ 29 por ação. No vencimento da operação o Dragoneer terá 5,6% e a GA 2,8% do total das ações da Arco.

Tags

InvestSP e SDE anunciam as 10 startups que darão início ao programa de internacionalização SP Global

A InvestSP e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo anunciaram na última sexta-feira (12) o resultado final da seleção do SP Global, o Programa de Aceleração para Internacionalização de Startups Paulistas. A ideia é preparar as startups para o mercado internacional, o que fortalece a estratégia do Governo do Estado de buscar novos parceiros comerciais e tornar as empresas locais mais competitivas.

Das mais de 100 startups inscritas, foram selecionadas 10, que se enquadram como retailtechs, fintechs, edtechs, agtechs e foodtechs, com base na área de atuação de cada uma. O processo de internacionalização visa garantir que elas conquistem um dos seguintes mercados-prioritários: Alemanha, França, Reino Unido e Península Ibérica (Portugal e Espanha).

“O Estado de São Paulo é o principal hub de inovação brasileiro, tanto que a maior parte dos unicórnios do Brasil nasce aqui. Possuímos talentos capazes e um ecossistema rico. E o apoio da InvestSP deve ser decisivo para que as startups tenham um crescimento internacional acelerado e que o Estado se destaque cada vez mais como um polo de inovação”, afirmou Gustavo Diniz Junqueira, presidente da InvestSP.

O início do programa, que é totalmente gratuito e online, está marcado para o dia 22 de novembro, quando as 10 selecionadas receberão as boas-vindas e iniciarão oficialmente sua jornada no Programa.

No dia 24, será oferecida uma Masterclass não apenas com as 10 startups selecionadas, mas aberta a todas que se inscreveram, para que mais startups tenham a oportunidade de ampliar seu conhecimento no tema. Outro destaque será o lançamento de uma ferramenta de autodiagnóstico de planejamento para internacionalização, que é um dos diferenciais do programa.

O SP Global está estruturado em três fases: capacitação, imersão e scaling-out. Na primeira etapa, os empreendedores recebem informações e conhecimento para aprimorarem seus modelos de negócio, inclusive com mentorias para a realização de análises de mercado, que permitirão definir qual país deve ser o principal foco das ações.

Na fase da imersão, serão feitas reuniões com players dos mercados alvos para validar ideias e criar uma rede de contatos, o que permitirá identificar forças e oportunidades e avançar no desenvolvimento do plano de internacionalização.

Por fim, na etapa de scaling-out, a startup coloca este plano em prática com acompanhamento e suporte contínuo da InvestSP para garantir que o negócio cresça de forma estruturada.

Confira a lista com as 10 startups selecionadas para a SP Global:

ADROIT ROBOTICS

Desenvolvimento de sensores embarcados em tratores que permitem um raio-x do pomar e coletam imagens e informações para os produtores. Os sensores não exigem qualquer intervenção humana.

CHATCLASS

Capacitação de funcionários por meio do Whatsapp ou outra plataforma. A ChatClass desenvolveu um chatbot que ensina vendas, operações, habilidades comportamentais, compliance e diversas outras habilidades para funcionários que estão na operação no dia a dia.

CONTBANK

Fintech especializada em levar crédito e serviços financeiros inteligentes para micro, pequenas e médias empresas, atuando no Brasil com um modelo de negócios no qual cada contador é um agente de negócios focado em atender empresas, sócios e colaboradores.

EAT’S FOR YOU

Marketplace mobile de refeições caseiras. Conecta famílias que amam cozinhar e buscam uma renda extra ou principal e pessoas que desejam comer na hora do almoço uma comida feita com carinho, preço justo e comodidade.

LUDOS PRO

Ajuda empresas a transformar o ambiente de aprendizagem em uma experiência lúdica e inovadora através de técnicas interativas, trilhas de conhecimento e dados, envolvendo cada tipo de público em um cenário único de imersão e elevando os índices de aprendizagem, engajamento e produtividade.

MOBILER

Startup especializada em aplicativos de mobilidade urbana, delivery e serviços que atua no formato de SaaS Whitelabel e Tech Base Franchise. Tem como foco cidades do interior nas quais os grandes aplicativos não chegam.

ONII

Desenvolvem tecnologias para automação de varejo, com foco em lojas autônomas para condomínios e empresas. Sua tecnologia proprietária permite uma experiência de compra fluída e segura para os usuários, facilitando a vida dos consumidores.

PRICEFY

Transforma a comunicação varejista no PDV através de uma tecnologia que permite organizar processos de criação de ofertas, numa experiência sem atrito. Realiza a geração de etiquetas promocionais, cartazes, comunicação digital, auditoria e mensuração de resultados de campanhas, com o objetivo de padronizar a comunicação e evitar divergências.

TALENT ACADEMY

Plataforma de People Analytics para desenvolvimento de pessoas e cultura. Ajuda as empresas a se transformarem através de suas ferramentas próprias de autoconhecimento e desenvolvimento, que usam tecnologia e análise de dados para conhecer os perfis e entender a experiência dos colaboradores, promovendo uma conexão entre o propósito da empresa e o propósito dessas pessoas.

UNIKE TECNOLOGIES

Está no seu DNA “desatritar” relações, em diversas jornadas diárias das pessoas, através da utilização de algumas tecnologias, tais como AI, ML, Visão Computacional e Autenticação/Identificação por Biometrias, entre outras. Pode atuar em segmentos como: varejo, educação, saúde, controle de acessos (portarias) e meios de pagamento.

Tags

Plataforma possui mais de 800 vagas de emprego para empresas de tecnologia

A GeekHunter, plataforma de recrutamento especializada na contratação de profissionais de tecnologia, está com mais de 800 oportunidades de emprego para pessoas desenvolvedoras de software e cientistas de dados. As vagas são para empresas como Ame Digital, Accenture, Grupo FCamara, IBM, Locaweb, Stefanini, Zup Innovation, entre outras, e também há vagas para companhias do exterior, com salários que começam em R$ 1,5 mil e podem chegar a R$ 26 mil, dependendo do cargo e experiência do candidato.

Além disso, mais de 90% das oportunidades aceitam o trabalho remoto, o que é, inclusive, uma grande preferência entre os programadores. Segundo levantamento feito pela plataforma, mais de 78% dos profissionais que atuam na área de TI preferem manter a modalidade mesmo após o fim da pandemia. “A contratação deixou de ser local e passou a ser global e o modelo remoto amplia as chances de encontrar bons profissionais independentemente do local de atuação. Por isso, vimos um intenso movimento das empresas na abertura de vagas nesta modalidade”, analisa Tomás Ferrari, CEO e fundador da GeekHunter.

Na plataforma, a maioria das oportunidades são para pessoas desenvolvedoras full stack, back-end e front-end. Já as tecnologias e linguagens mais demandadas são Java, React, Node.js, JavaScript, Python, C#, .NET e PHP. Há também diversas vagas para programadores mobile, cientistas e engenheiros de dados, analistas de Data Analytics e de Business Intelligence (BI). Os salários variam entre R$ 1,5 mil e R$ 26 mil e há modalidades de contratação PJ e CLT. Atualmente, são mais de 800 vagas abertas de mais de 300 empresas ativas na plataforma.

Como encontrar essas oportunidades

Para ter acesso às vagas, o profissional precisa se cadastrar na plataforma da GeekHunter de forma gratuita no link https://www.geekhunter.com.br/criar-perfil-gratis. Após ter o perfil aprovado, o candidato pode demonstrar interesse pelas oportunidades. No entanto, o processo de seleção também ocorre de forma invertida, ou seja, o candidato se cadastra uma única vez e o seu perfil fica disponível para a avaliação das empresas, que podem entrar em contato para entrevistas. Atualmente, a GeekHunter possui mais de 10 mil empresas cadastradas que buscam novos profissionais de TI no mercado.

Tags

10 passos para ativar a resiliência em tempos difíceis

Por Sandra Teschner, chief happiness officer

Estudos científicos nos mostra que a felicidade é composta em 50% pelo ponto referencial genético, 10% são circunstanciais e 40% é aprendível, logo passível de ser treinado

A busca pela felicidade é o ponto referencial mais comum entre os seres humanos. E aqui já começa o entrave: A felicidade é uma construção diária, não uma poção mágica a ser desvendada, muito menos é um dom, que enquanto alguns possuem, outros supostamente jamais chegariam lá.

Deletar ideias preconcebidas sobre o que nos faz verdadeiramente feliz, pode ser o start que a mente precisa para mostrar elasticidade em direção a algo novo. Estudos científicos* nos mostra que a felicidade é composta em 50% pelo ponto referencial genético, 10% são circunstanciais e 40% é aprendível, logo passível de ser treinado. (*Sonja Lyubomirsky, Universidade da Califórnia).

Ao enxergar o lado positivo de qualquer conceito praticamos felicidade intencional, e a prática diária desta garante a tão almejada felicidade duradoura.

A ciência contemporânea disponibiliza informações relevantes que nos auxiliam nessa jornada. No entanto, algumas respostas são bem menos complexas do que esperamos, as atividades diárias que nos auxiliam nessa construção, são simples, porém o hábito de realizá-las e a expansão cognitiva promovida por elas, garantem o resultado a longo prazo. Acontecimentos alheios a nossa vontade ocorre, a pandemia é um exemplo distópico disso. Nós só controlamos nossas ações e nossas atitudes.

Como então poderíamos creditar às circunstâncias o poder de definir se seremos ou não felizes? Por isso, elenquei 10 lições práticas para começar a praticar a felicidade intencional.

1) Ao acordar, evite fazer a busca por notícias (acredite, quase todas serão negativas!). Desative as notificações do que não lhe faz bem. Você não mudará o mundo se deixar para se informar dos acontecimentos mais tarde. Seja seletivo. Estudos mostram que más notícias como “primeiras do dia”, aumentam em 40% a probabilidade de arruinar todo o seu dia;

2) Acorde mais cedo, a manhã faz milagres!

3) Respire! Ouça algo que te diverte, ou te deixa leve. Leia um salmo, ou medite;

4) Tome banho, faça a cama, tome um café matinal em paz. Não precisa ser demorado, só precisa ser um momento seu;

5) Arrume o lugar em que você vai trabalhar, se for em Home Office ou se você vai até a empresa, deixe seu espaço sempre funcional para seu retorno, ou para o uso de outros;

6) Prioridade não se escreve no plural, defina a sua. Cada uma tem sua vez;

7) Exercite-se (no horário que der), a única atividade física que não lhe traz benefícios, é a que você não fez;

8) Afaste-se dos media coletivos, da negatividade em massa que dificilmente ajudará a alguém sair-se melhor de uma situação atípica, como a pandemia, por exemplo. Assim como existe o efeito placebo, existe o efeito Nocebo. Pânico é contagioso, traz sintomas, vulnerabiliza e não só faz a pessoa parecer doente e sentir-se assim, como através da baixa imunidade que o efeito causa, fica-se mais suscetível a adoecer;

9) Seja grato conscientemente e pratique anotando diariamente, até que seja parte dos seus dias (provavelmente em 21 dias terá se transformado num hábito);

10) Não durma sem ter feito pelo menos 3 atos de doação! Aja conscientemente em direção da bondade. Você é o grande beneficiado.

Ao inserir hábitos para uma vida feliz em sua rotina, não só seremos mais satisfeitos, como mais criativos, melhores profissionais, com relações interpessoais mais qualitativas e mais resilientes. Felicidade é um estilo de vida que nasce de uma condição interna e se propaga em coletividade.

SafeSpace levanta R$ 11 milhões para tornar empresas mais éticas, seguras e inclusivas

A SafeSpace, startup que desenvolveu uma plataforma digital para facilitar relatos de casos de má conduta nas empresas (assédio, discriminação, fraude, etc), acaba de fechar uma nova rodada de investimento no valor de R$11 milhões. O aporte foi liderado pelo fundo ABSeed Ventures e contou também com a participação do DGF Investimentos e de investidores-anjo.

Esta é a segunda rodada fechada pela empresa e a maior já recebida no país por uma startup comandada por mulheres. Fundada em março de 2020, a SafeSpace recebeu o primeiro investimento em outubro de 2020, em uma rodada liderada pelo fundo MAYA Capital e que contou com outros 11 investidores-anjos, incluindo Ariel Lambrecht, fundador da 99; Ann Williams, COO da Creditas; Mariana Dias, CEO da Gupy e Luciana Caletti, fundadora do antigo Love Mondays.

Criada pelas jovens empreendedoras Rafaela Frankenthal, Giovanna Sasso, Natalie Zarzur e Claudia Farias, a plataforma já é utilizada em mais de 50 empresas – entre elas algumas das empresas mais inovadoras do mercado brasileiro: a Creditas, que atua no segmento de empréstimos financeiros online; a Petlove, supermercado online de produtos para animais; a Buser, empresa que está revolucionando transporte por ônibus no Brasil; e o isaac, plataforma especializada em gestão financeira escolar. No portfólio, também estão empresas que operam na América Latina, como a unicórnio NotCo, focada na produção de alimentos à base de plantas. Atualmente, mais de 15 mil pessoas colaboradoras em 7 países diferentes já têm acesso à plataforma da SafeSpace.

O canal de escuta da SafeSpace já é considerado o mais moderno e eficiente do mercado hoje, trazendo para os clientes cinco vezes mais visibilidade dos problemas internos de assédio e má conduta, permitindo a solução dos casos reportados três vezes mais rápido. “Problemas de comportamento sempre existiram nas empresas, mas hoje o risco não é apenas das pessoas envolvidas, mas também, e principalmente, das companhias. Por isso as empresas estão entendendo a necessidade de olhar para ferramentas de compliance de uma forma diferente”, explica a co- fundadora da startup Rafaela Frankenthal.

O que realmente diferencia a SafeSpace dos canais de denúncia tradicionais é que o objetivo não é simplesmente digitalizar o modelo até então adotado. O foco principal da empresa é utilizar a tecnologia para construir confiança para que as pessoas se sintam seguras de relatarem os problemas internamente, enquanto estes ainda são pequenos, e capacitar as empresas com as ferramentas necessárias para mediar e resolver as situações rapidamente. Um exemplo prático dessa inovação é a funcionalidade Connect, recém-lançada pela SafeSpace. O recurso permite que funcionários façam um relato com a condição de que não sejam a primeira ou única pessoa a fazer um relato sobre o mesmo indivíduo. Isso ajuda a encorajar os colaboradores a vencer o medo e relatar preocupações antes que os problemas se tornem mais graves, e do outro lado ajuda o Compliance e o RH a identificarem padrões de comportamento recorrentes.

As empreendedoras ressaltam que há cada vez mais casos de assédio e má conduta aparecendo na mídia, o que tem gerado nas empresas uma grande preocupação em garantir o bem-estar de seus colaboradores e a boa reputação de sua marca como forma de continuar crescendo. “Recebemos muitos contatos de empresas que estão sendo direcionadas por investidores de capital de risco ou private equity a implementarem soluções de compliance mais eficientes. Isso é uma prova de que a postura do mercado está mudando”, diz Rafaela.

Como empreendedora, ela também chama a atenção para o fato de o próprio universo das startups ainda sofrer um gap de gênero. “Temos muito poucas mulheres no comando e um volume ainda muito pequeno de investimentos voltados para as empresas formadas por um time totalmente feminino. Mas o mercado está mudando rápido, ao mesmo tempo que o produto que estamos desenvolvendo está sendo motor de mudança de cultura nas empresas, nós também estamos à frente dessa transformação como empreendedoras.”

“Apostar em um time com quatro fundadoras mulheres, que têm como missão tornar o ambiente de trabalho legitimamente seguro, traz um componente muito especial para esse investimento. Natalie, Rafaela, Claudia e Giovanna são articuladas, têm um profundo entendimento sobre esse mercado e atuam em um problema que é a dor de praticamente toda empresa. Aliada a um propósito, essa experiência se materializa em um produto muito bem acabado e extremamente eficiente enquanto solução”, afirma Geraldo Melzer, sócio da Abseed.

Tags

Fábio Faria discute parceria com Elon Musk para conectar Amazônia por satélite

Oministro das Comunicações (MCom), Fábio Faria, reuniu-se com o fundador da SpaceX, Tesla e Starlink, Elon Musk, nesta segunda-feira (15) em Austin, Texas (EUA), para discutir parceria entre as empresas Starlink e SpaceX e o governo brasileiro. Em meio aos assuntos discutidos no encontro, estão uso da tecnologia para preservação da floresta amazônica, para monitoramento de desmatamentos e incêndios ilegais, além de projetos de conectividade para escolas e unidades de saúde em áreas rurais, comunidades indígenas e locais remotos.

“Estamos trabalhando para fechar essa importante parceria entre o governo brasileiro e a empresa SpaceX. Queremos aliar a tecnologia desenvolvida por eles com o programa Wi-Fi Brasil do Ministério das Comunicações. O nosso objetivo é levar internet para área rurais e lugares remotos, além de ajudar no controle de incêndios e desmatamentos ilegais na floresta amazônica”, destacou o ministro. Para Faria os cerca de 4500 satélites, que orbitam em baixa altitude das empresas de Elon Musk, podem colaborar nesse monitoramento.

Para Elon Musk, levar internet para “as pessoas do Brasil que têm mais dificuldade de se conectar” é uma oportunidade a ser celebrada. “Estamos ansiosos para poder proporcionar conectividade para os menos conectados”, ressaltou o empresário norte-americano.

O encontro ainda teve a presença da secretária-Executiva do Ministério das Comunicações, Estella Dantas, e do secretário das Telecomunicações do MCom, Artur Coimbra.

AGENDA NOS EUA – A agenda de trabalho da missão técnica do MCom teve início na sexta-feira (12), quando o ministro Fábio Faria se reuniu com investidores. E na segunda-feira, Faria se encontrou com a CEO da empresa SpaceX, Gwynne Shotwell, na Califórnia.

Fonte: Ministério das Comunicações

Gartner anuncia que remessas de computadores ao redor do mundo cresceram 1% no terceiro trimestre de 2021

As remessas de computadores ao redor do mundo totalizaram 84, 1 milhões de unidades no terceiro trimestre de 2021, o que representa um aumento de 1% em relação ao mesmo período de 2020, segundo pesquisa do  Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas. Conforme as vacinas contra a  COVID-19  se tornam mais amplamente disponíveis, o consumo e gastos com educação passam a ser direcionador para outras prioridades, desacelerando o ímpeto do mercado.  

“ À medida que as escolas  vão reabrindo no mundo todo, não há mais uma necessidade imediata de comprar computadores e  Chromebooks para auxiliar o ensino em casa”, diz  Mikako  Kitagawa , Diretora de Pesquis a no Gartner.   

“A demanda por computadores corporativos continua forte, liderado pela recuperação econômica em regiões-chave e pelo retorno de alguns trabalhadores aos escritórios”, acrescenta  Kitagawa. “Entretanto, o crescimento de negócios de PCs concentrou-se no segmento de desktop, enquanto a escassez de semicondutores continua restringindo  a remessa de laptops. Espera-se que a dificuldade no abastecimento destes componentes  persista  na primeira metade de 2022.” 

Como novidade neste trimestre, o Gartner incluiu os  Chromebooks nas pesquisas do setor de computadores. As remessas desse segmento caíram 17% no terceiro trimestre de 2021, devido à diminuição na demanda no mercado educacional. Essa foi a primeira queda de dois dígitos ao ano nas vendas de  Chromebooks desde sua chegada ao mercado em 2011.  

O top três do ranking de fornecedores de computadores ao redor do mundo manteve-se intocado na relação ano após ano, com a  Lenovo mantendo o primeiro lugar em remessas.   

Estimativas  Mundiais Preliminares de Remessas de Unidades de Computadores de Vendedores  

Dados do Terceiro Trimestre de 2021 (3T21) – em milhões de  unidades   

 Fabricante  Remessas  3T 21    Participação de Mercado – 3T21 (%)   Remessas  3T 20    Participação de Mercado – 3T20 (%) Crescimento  3T 21-3T20 (%)   
 Lenovo         19,945   23, 7         19,601   23, 5   1, 8   
 HP Inc.         17,624   20, 9         18,718   22, 5   -5, 8   
 Dell         15,242   18, 1         12,048   14, 5   26, 5   
 Apple           7,222   8, 6           6,725   8, 1   7, 4   
 Acer Group           6,036   7, 2           6,327   7, 6   -4, 6   
 ASUS           6,028   7, 2           5,714   6, 9   5, 5   
 Outros        12,049   14, 3         14,153   17, 0   -14, 9   
 Total          84,147   100         83,286   100   1, 0   

Notas : Dados incluem computadores  desk-based, notebooks,  ultramobile  premiums (como Microsoft Surface) e  Chromebooks, mas não  iPads. Todos os dados são estimados com base em um estudo preliminar. Estimativas finais estão sujeitas a mudança. As estatísticas são baseadas em remessas vendidas em canais. Números podem não ser compatíveis com o total mostrado devido a arredondamento.   

Fonte: Gartner ( O utubro de 2021)   

A pós cinco trimestres consecutivos de crescimento de dois dígitos, o resultado da Lenovo foi moderado no terceiro trimestre de 2021. A companhia obteve expansão em todas as regiões, exceto no Japão, onde as remessas decaíram em mais de 50%, conforme um programa governamental na região para a compra de computadores para uso educacional chegou ao fim. Em geral, as remessas da Lenovo foram adversamente afetadas pela desaceleração do consumidor no mercado e pela escassez de oferta no mercado empresarial. Simultaneamente, a empresa se beneficiou das demandas estáveis de computadores corporativos e foi capaz de ser mais flexível na resposta à escassez de componentes, devido a um mix maior de manufatura interna.  

A HP experienciou o segundo trimestre consecutivo de declínio ao ano, conduzido por uma diminuição de 30% em remessas para os Estados Unidos devido ao enfraquecimento na demanda de  Chromebooks no segmento de educação. A HP também deve continuar a enfrentar problemas na cadeia de fornecimento nesse trimestre: um grande  acúmulo de pedidos não atendidos levou a empresa a perder oportunidades, as quais seus concorrentes aproveitaram.  

Depois de certo atraso no começo da pandemia, a Dell reportou fortes resultados no terceiro trimestre de 2021, cravando seu quarto trimestre consecutivo com crescimento de dois dígitos e alcançando mais de 15 milhões de vendas  pela primeira vez. O foco limitado da Dell no mercado consumidor ajudou a empresa a ser menos impactada pela desaceleração de demandas por computadores.  

A Apple ainda conseguiu alcançar um crescimento de 7,4%, apesar do fraco mercado consumidor. Os computadores baseados em M1 da empresa foram bem recebidos pela comunidade usuária, levando a aumento de remessas. Entretanto, antecipando  um  possível  renovação de produto nos próximos meses, alguns compradores da Apple deram uma pausa na compra de laptops, o que afetou negativamente o volume de remessas 3T21.  

Visão Regional –  Depois de cinco trimestres com crescimento de dois dígitos, o mercado americano de computadores caiu 8,8% no terceiro trimestre de 2021. Remessas de desktops cresceram 8%, guiados pelas demandas em ascensão no mercado de negócios, mas a diminuição da demanda no mercado consumidor de computadores continuou. Apesar das vendas de “volta às aulas” e estoques de varejo reabastecidos, tanto as remessas de laptops quanto de  Chromebooks tiveram queda de cerca de 10% ao ano nos Estados Unidos.  

“ A relação de aparelho por estudante no mercado educacional dos Estados Unidos está começando a se aproximar de 1:1, o que tem desacelerado o passo de crescimento incremental,” aponta  Kitagawa. Segundo o analista do Gartner, a Dell garantiu  o primeiro lugar em remessas no mercado americano de computadores com, 26,1% de participação no mercado.  A HP a seguiu com 24,5%.  

Estimativas Preliminares de Remessas de Unidades de Computadores de Vendedores dos Estados Unidos para o 3T21 (Em milhões de unidades )   

 Fabricante  Remessas  3T21    Participação de Mercado – 3T21 (%)   Remessas  3T20    Participação de Mercado – 3T20 (%)   Crescimento  3T21-3T20 (%)   
 Dell   5,624   26, 1   5,102   21, 6   10, 2   
 HP Inc.   5,284   24, 5   7,591   32, 1   -30, 4   
 Lenovo   3,578   16, 6   2,937   15, 0   1, 1   
 Apple   3,240   15, 0   3,538   12, 4   10, 3   
 Acer Group   1,320   6, 1   1,666   7, 1   -20, 8   
 Outros  2,501   11, 6   2,784   11, 8   -10, 2   
 Total    21,548   100   23,618   100   -8, 8   

Notas: Dados incluem computadores  desk-based, notebooks,  ultramobile  premiums (como Microsoft Surface) e  Chromebooks, mas não  iPads. Todos os dados são estimados com base em um estudo preliminar. Estimativas finais estão sujeitas a mudança. As estatísticas são baseadas em remessas vendidas em canais. Números podem não ser compatíveis com o total mostrado devido a arredondamento.   

Fonte: Gartner ( Outubro de 2021)   

O mercado de computadores em regiões como Europa, Oriente Médio e África (EMEA) cresceu 11,8% ao ano, com 23,5 milhões de unidades, também refletindo a mistura do cenário da retomada de negócios  e uma demanda consumidora fraca. Computadores desktop mostraram um crescimento robusto de 23% ao ano.  

Excluindo o Japão, o mercado de PCs da Ásia Pacífica cresceu 5,7% ao ano, seu sexto trimestre consecutivo de crescimento. Apesar do impacto da variante Delta, os países da área Ásia -Pacífico estão amplamente voltando ao normal, então há menos crescimento incremental no mercado de computadores , devido aos efeitos iniciais da pandemia. No entanto, o mercado japonês viu um declínio significante comparado ao ano passado. Além do fim do programa governamental que financiava a compra de aparelhos para educação, a relutância de empresas japonesas em adotar uma abordagem híbrida de trabalho também impactou significativamente o crescimento do mercado em geral.  

“Diferentes de negócios no Oeste Europeu a na América do Norte, empresas japonesas não são motivadas a aprimorar laptops para trabalho híbrido, já que muitas companhias já pararam com o trabalho remoto ou planejam fazê-lo quando abrirem os escritórios”,  explica a analista.  

Mirando o futuro, o quarto trimestre de 2021 vai presenciar o lançamento global do Microsoft 11, a primeira grande atualização do sistema operacional da Microsoft desde 2015. O lançamento do Windows 11, porém, deve ter um impacto imediato limitado para o mercado de negócios, enquanto computadores de classe empresarial continuarão disponíveis com o Windows 10 até 2023. O Gartner prevê que no começo de 2023, menos de 10% de novos computadores corporativos terão o Windows 11 instalado . Em geral, dados do Gartner indicam que as remessas de computadores nas próximas  férias serão mais fracas do que o ano passado, com demandas mais guiadas por substituições do que novas compras.  

BRQ Digital Solutions faz terceira aquisição em menos de 6 meses

A BRQ Digital Solutions , empresa líder na construção de jornadas de transformação com robustez e segurança, acaba de fechar mais um M&A integrando os serviços da TOPi, um dos principais parceiros da Salesforce no Brasil (Platinum Consulting Partner) com 13 anos de pioneirismo no mercado.

Atualmente, a TOPi conta com 150 profissionais e mais de 200 clientes ao redor do mundo, é parceiro nível platinum da plataforma número 1 de CRM no mundo e referência em grandes projetos de implantação e consultoria Salesforce.

“Com a nova aquisição, criamos escala para despontar em novos mercados estratégicos e impulsionar nosso crescimento com solidez. Nossa expertise em tecnologias como Inteligência Artificial, Cloud, Advanced Analytics, conectadas ao know-how da TOPi em Salesforce vão elevar a experiência do consumidor e ajudar nossos clientes a ter a melhor gestão de relacionamento. Se o cliente cresce, nós também crescemos. Essa é a razão do nosso investimento”, explica Antonio Rodrigues, Chief Investor Relations Officer da BRQ.

Já para Wendel Lemos, CEO e fundador da TOPi, o movimento representa a criação de uma estrutura robusta de oferta de serviços de soluções Salesforce para clientes atuais e futuros. “Como parte da BRQ, potencializamos nosso compromisso de elevarmos empresas ao sucesso com estratégias inovadoras, tecnologias de ponta e know-how de mais de uma década para gerar valor de negócio”.

A TOPi é a terceira aquisição recente da companhia, que integrou nesse semestre as operações da BMSIX e da Livetouch ao portfólio de serviços. Rodrigo Frizzi, Chief Digital Officer da BRQ confirma a estratégia de ampliação e fortalecimento das frentes de negócios “Combinando nossas forças com empresas altamente especializadas, expandimos a capacidade de entrega da nossa plataforma de serviços em projetos de Cloud, Mobile e Salesforce a fim de implementar uma jornada digital ainda mais completa e escalável para nossos clientes”, complementa.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado será informado sobre os fatos subsequentes e a conclusão da referida operação, na forma da legislação aplicável.

Bossanova anuncia comitê Indústria 4.0 para investir até R$5 milhões em startups do segmento

Em parceria com a Produttare Consultoria, iniciativa tem como objetivo encontrar soluções de inteligência artificial, robótica, IoT e computação em nuvem

A Bossanova Investimentos, micro venture capital que investe em startups em estágio de pré-seed em todo o país, acaba de lançar o Comitê Indústria 4.0 para investir até R$ 5 milhões em startups do segmento. Em parceria com a Produttare Consultoria, que já atua há 25 anos em projetos de Gestão de Operações e Excelência Operacional para empresas industriais, varejistas e de serviços, a iniciativa tem como objetivo encontrar soluções de inteligência artificial, robótica, IoT e computação em nuvem.

O projeto será liderado por um time de especialistas e profissionais da área como: Junico Antunes, CEO da Produttare; Esdanio Nilton Pereira, Sócio da Produttare e fundador da FENP Consulting; Roberto dos Reis Alvarez, Conector global, Venture Partner (Seldor Capital, NYC, EUA); Harro Burmann, Consultor Associado; João Emilio Gonçalves, Superintendente de Desenvolvimento Industrial na CNI.

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), entre outubro e novembro de 2021, as tecnologias da indústria 4.0 que mais impactam de forma positiva na lucratividade das empresas são os sistemas de conexão máquina-máquina, big data e inteligência artificial. Entre as companhias que adotaram as duas primeiras inovações, 32% disseram estar lucrando mais do que no período pré-pandemia, e as que têm inteligência artificial, o índice é de 30%.

Para João Kepler, CEO da Bossanova, esses dados mostram o quão promissor está o segmento para as startups e esse é o momento para oferecer ainda mais possibilidades e recursos para que as startups possam ganhar escalabilidade e atingir novos horizontes. “A ideia principal do Comitê é unir a expertise em investimentos da Bossanova com os conhecimentos que a Produttare tem para entender as dores do mercado industrial, para juntos, encontrarmos as soluções mais inovadores e com alto potencial de crescimento”, explica.

Para participar do comitê, as startups precisam ter modelo de negócios B2B ou B2B2C; solucionar problemas da Indústria; ter o modelo de negócio SaaS ou que combine software & hardware; aplicar tecnologias de IoT, IA, software de gestão empresarial, robótica, AR/VR, blockchain, BIM, redes, segurança de dados e outras; que tenham pelo menos duas pessoas no time fundador; mais de um ano desde a fundação e que já estejam operando; além de ter o faturamento mínimo de R$20mil.

As empresas interessadas em participar do Comitê Indústria 4.0 podem se inscrever pelo site.

Tags

Omie anuncia compra do Banco Digital Linker

A Omie, plataforma SaaS de gestão (ERP) na nuvem, anuncia hoje o signing da compra do Banco Digital Linker. Fundada em 2019, por David Mourão, Ingrid Barth e Daniel Benevides, a fintech oferece serviços financeiros e soluções bancárias, como conta digital, cartão de crédito e gestão de cobranças, para mais de 30 mil PMEs, já sendo parceiro de mais de 100 escritórios de contabilidade. O valor da transação foi de R$120 milhões incluindo um conjunto de ações da Omie, incorporando 100% do capital social do Linker. Tudo isso ocorre em um momento no qual os neobanks e fintechs começam a olhar além da pessoa física e iniciam uma batalha pela pessoa jurídica, especialmente pelas pequenas e médias empresas, o que vem movimentando bastante o mercado.

Dessa forma, além de integrar as soluções das duas empresas para ter uma oferta mais completa, a Omie vai também expandir fortemente a base de clientes de Conta Corrente e Serviços Financeiros do Linker, que serão posteriormente potenciais clientes para o ERP Omie. A construção desse ecossistema, além de ampliar o mercado endereçável da Omie, deve permitir uma maior fidelização dos clientes e o avanço em sua cadeia de valor.

“Sempre acreditamos que serviços financeiros e software de gestão estão em uma trajetória de convergência, e que “o ERP é o novo Internet Banking”. Entretanto, muitas empresas podem começar a sua jornada apenas por serviços financeiros, podendo evoluir para usar o software de gestão conforme aumentam a sua maturidade nos negócios”, afirma Marcelo Lombardo, cofundador e CEO da Omie. “Encontramos no Linker não apenas um produto super bem desenhado para esse fim, mas também identificamos um time de primeira linha e motivado em se juntar a essa grande missão, compartilhando o sonho grande de destravar o crescimento das micro, pequenas e médias empresas brasileiras.”

A Omie segue focada em entregar sua visão de que fazer um sistema de gestão simples, intuitivo e eficiente, é a melhor forma de contribuir para a prosperidade dos pequenos e médios negócios e, acima de tudo, do Brasil. Os clientes da empresa seguirão com total liberdade para escolher os serviços e soluções que queiram utilizar, inclusive financeiras, que julgarem mais adequadas a sua necessidade. Há poucos meses, a Omie também divulgou uma parceria inédita com o Banco Itaú, na qual o maior banco brasileiro oferecerá a plataforma da Omie para seus 1,5 milhão de clientes PJ em um formato co-branded.

Assim como a Omie, o Linker apresentou forte crescimento ao longo de 2020 e 2021. Neste período de pandemia, a fintech também teve um papel fundamental ajudando milhares de PMEs a se digitalizarem e, mesmo após a reabertura do mercado, esse crescimento segue consistente. Entre julho do ano passado e junho de 2021, o volume transacionado na plataforma da fintech aumentou 15 vezes, e com o segundo trimestre movimentando 70% mais que o primeiro. Já o volume movimentado no cartão de crédito aumentou quatro vezes esse ano, enquanto a função de pagamentos de conta cresceu 70% desde janeiro. A operação e os colaboradores do Linker serão totalmente incorporados pela Omie.

“Desde o início do Linker, enxergamos que as pequenas empresas de hoje demandam soluções financeiras que vão além do modelo tradicional de banco. De lá para cá, o Linker evoluiu muito com um melhor entendimento das dores dos empreendedores e, desenvolveu diversas soluções inovadoras e integradas”, afirma David Mourão, fundador e CEO da fintech. “Acreditamos que esta nova fase irá requerer uma proximidade ainda maior com as necessidades das PMEs, repensando mais profundamente a relação entre bancos e empresas. Com a Omie, principal referência em serviços para PME, teremos uma oferta complementar ao que já oferecemos e, além disso, com sua grande cultura de execução, se mostrou o parceiro ideal para oferecer essa solução completa e integrada ao ecossistema de PJs. Juntos iremos liderar a transformação da indústria e faremos desaparecer as barreiras entre serviços financeiros e softwares de gestão para que o empreendedor invista seu tempo no que realmente importa: o sucesso do seu negócio.”

David tem 18 anos de experiência no mercado financeiro, tendo trabalhado 6 anos em Nova York no Itaú Asset Management e na Vinci Partners. Além de David, os outros fundadores da Linker e que passam a fazer parte da Omie são: a COO Ingrid Barth, que tem 16 anos de experiência no mercado financeiro, com passagens por Santander e JP Morgan, além de ter atuado como Head de PJ no Neon, e o CDO Daniel Benevides, que tem 17 anos de experiência em design e tecnologia, trabalhando com projetos no Brasil e no exterior. Daniel também foi co-fundador do Neon onde permaneceu por 4 anos como CDO.

Com sua solução que combina software de gestão (ERP), educação empreendedora e serviços financeiros, a Omie deve fechar o ano próximo a 100 mil clientes. Recentemente, a empresa divulgou ainda dois M&As com a aquisição da Devi Tecnologia, empresa de software para varejo, e da G-Click, ferramenta na nuvem para gestão de processos para escritórios de contabilidade. Anteriormente, em novembro de 2020, a Omie já havia adquirido a Mintegra, solução que integra marketplaces e plataformas de e-commerce a sistemas de gestão.

Desde sua fundação em 2013, a Omie já levantou pouco mais de R$ 690 milhões de investimento em rodadas anteriores ao novo aporte da Tencent, anunciado no fim de outubro e de valor não revelado. Os eventos mais relevantes foram a rodada Série A em 2018, liderada pela Astella Investimentos, a Série B em 2019, liderada pela Riverwood, e a Série C, em agosto deste ano, liderado pela Softbank, com a participação do investidor existente Riverwood e notáveis gestores de fundos de ações brasileiros, como Dynamo, VELT, Hix Capital, Bogari Capital e Brasil Capital, além da Endeavor Catalyst.

TecBan abre inscrições para programa de inovação aberta com startups

A TecBan, empresa de soluções tecnológicas e inovadoras que integram o físico e o digital para tornar o ecossistema econômico do País mais eficiente, busca startups para solucionar desafios estratégicos nas áreas de Open Finance, Criptomoedas e Inteligência Artificial aplicada a RPA (Robotic Process Automation).

Em sua primeira edição, podem participar startups que apresentem soluções escaláveis e que tenham recebido ao menos uma rodada de investimentos ou esteja em negociação com o mercado. As inscrições estão abertas até o dia 30 de novembro.

Como mantenedora da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), a TecBan escolheu realizar o lançamento do seu programa de inovação aberta com startups durante o CASE 2021, o maior e mais importante evento de startups da América Latina. Durante o evento, a empresa conta com um estande virtual onde os interessados e entusiastas poderão conhecer os detalhes das iniciativas e desafios que estarão abertos ao ecossistema de inovação.

Ainda como parte do lançamento, Tiago Aguiar, Head de Novas Plataformas, e Luis Felipe Gomes Carvalho, CEO da AEVO, realizarão, no evento online, uma palestra com o tema “Como sua startup pode ser parceira de grandes empresas e realizar negócios transformadores!”

Conheça os desafios:

– Open Finance

Soluções que favoreçam a escalabilidade do negócio, experiência do cliente, segurança e cruzamento de dados para aplicação em plataformas de negócios abertos em Open Banking e Open Insurance.

Inscrições

– Criptomoedas

Soluções de custódia, segurança cibernética e redução de emissão de carbono utilizado na mineração de moedas digitais (Blockchain, CDBC)

Inscrições

– Inteligência Artificial aplicada a RPA (Robotic Process Automation)

Estamos em busca de soluções em Inteligência Artificial aplicada a RPA para a melhora de processos nas áreas de Compras, Jurídico e Analytics.

Inscrições

Para participar do CASE 2021 e ter acesso ao estande da TecBan, acesse o site neste link .

Tags

Edenred Brasil abre vagas de trabalho em São Paulo nas áreas de tecnologia e auditoria

A Edenred, líder mundial em soluções transacionais para empresas e detentora das marcas Ticket, Ticket Log, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas, abriu vagas de trabalho na capital e na Grande São Paulo. Serão selecionados profissionais para atuação nas áreas de tecnologia e auditoria. Entre as oportunidades divulgadas, estão as vagas de Analista Segurança da Informação TI Sênior, Gerente de Segurança da Informação Regional Brasil e Especialista Auditor Regulatório.

Quem assumir o posto de Analista Segurança da Informação TI Sênior ficará responsável por garantir segurança nas práticas de desenvolvimento, privacidade e segurança de rede. Já o Gerente de Segurança da Informação Regional vai liderar o plano de segurança das soluções da empresa, além de fomentar a cultura de cyber segurança. O Especialista Auditor Regulatório, por sua vez, será responsável por avaliar a eficiência dos controles, contribuindo com soluções que permitam a proteção dos ativos da empresa.

“A Edenred Brasil estimula seus colaboradores a transformarem redes de conexão em redes de valor. As oportunidades abertas refletem o novo momento que todos nós estamos passando e estão alinhadas à contínua expansão dos negócios, que visa sempre atender às necessidades dos clientes, da empresa e da sociedade”, ressalta Alaor Aguirre, Vice-Presidente da Edenred Brasil.

Além da remuneração, a Edenred Brasil disponibiliza os benefícios aos colaboradores, como a plataforma de treinamentos Edenred Digital University e a plataforma Viva Melhor, que contempla o acesso à uma equipe multidisciplinar composta por médico do trabalho e da família, nutricionista, fisioterapeuta, educador físico e enfermeiro. A empresa também dispõe do flexplace e do flextime, programas que difundem a cultura de inovação e bem-estar e garantem jornadas flexíveis e modelo híbrido de trabalho.

Os interessados nas oportunidades devem se candidatar por meio dos links:

Analista Segurança da Informação TI Sênior

https://wd3.myworkdaysite.com/recruiting/edenpeople/Edenred_Careers/job/Brasil—So-PauloSP/ANALISTA-DE-SEGURANA-DA-INFORMAO-TI-SR_JR001889

Gerente de Segurança da Informação Regional Brasil

https://wd3.myworkdaysite.com/recruiting/edenpeople/Edenred_Careers/job/Brasil—So-PauloSP/GERENTE-DE-SEGURANA-DA-INFORMAO-CISO-1_JR001890

Especialista Auditor Regulatório

https://wd3.myworkdaysite.com/recruiting/edenpeople/Edenred_Careers/job/Brasil—BarueriSP/Analista-de-Auditoria-Interna-Sr_JR001166

Demais oportunidades da Edenred: https://wd3.myworkdaysite.com/pt-BR/recruiting/edenpeople/Edenred_Careers 

Tags

Azul lança check-in automático por WhatsApp

A Azul passou a oferecer neste mês um serviço inovador que chega para tornar a experiência digital ainda mais completa para seus Clientes: o check-in automático por WhatsApp. O serviço é voltado para Clientes que ainda não tiverem realizado seu check-in em até três horas antes da decolagem do voo recebem diretamente no WhatsApp o cartão de embarque.

No novo serviço, a própria Azul identifica os Clientes que ainda não fizeram check-in e estão com os dados completos e, em seguida, faz a marcação do assento, enviando, por fim, o cartão de embarque pronto por WhatsApp, oferecendo praticidade e agilidade.

Caso o Cliente não possua bagagem, ele pode ir diretamente ao portão de embarque ou, caso tenha comprado o bilhete pelo site ou app, pode ainda fazer uma rápida parada na bancada digital, despachar suas malas e seguir para o portão. Com o novo serviço, os Clientes da Azul passam a vivenciar toda a conveniência da experiência de compra digital da Azul também no momento da emissão do cartão de embarque.

“A Azul é uma empresa que não para de estudar formas de tornar a experiência de seus Clientes cada vez mais especial. Percebemos que as pessoas estão desejando mais o autosserviço, e é por isso que estamos expandindo e aprimorando as nossas tecnologias e serviços digitais, tornado assim a Experiência Azul muito mais completa”, afirma Jason Ward, vice-presidente de Pessoas e Clientes da companhia.

Inicialmente, a novidade chega aos Clientes dos aeroportos de Congonhas (em São Paulo), Manaus, Recife, Ribeirão Preto, Campinas, Cascavel, Vitória, Goiânia, Florianópolis, Fernando de Noronha, Campo Grande, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Belém, Cuiabá, Porto Seguro e Maceió. Ao longo das próximas semanas, os Clientes que embarcarem em mais de 100 aeroportos servidos pela Azul também estarão elegíveis ao serviço.

Além da novidade, a Azul também disponibiliza a opção de check-in por outros canais, como pelo aplicativo da companhia, que oferece funcionalidades como marcação de assento, compra de bagagem e informações sobre o voo, o ônibus da Azul, o programa de fidelidade da companhia e outros serviços.

Factorial chega ao Brasil com vagas abertas para o time nacional

A Factorial, plataforma tecnológica que ajuda as empresas a automatizar e centralizar os processos do RH, anunciou em setembro sua chegada ao Brasil, carregando um aporte de US$ 80 milhões, liderado pela gestora de fundos Tiger Global. Para quem deseja fazer parte de um time internacional, há 12 vagas abertas para os setores de marketing, vendas e produto. Essas são apenas as primeiras oportunidades na empresa, que investirá grande parte do aporte no Brasil e pretende ter um time com mais de 150 pessoas até o final de 2022.

A abertura de novas vagas faz parte do plano de expansão global da empresa, que tem como foco o mercado brasileiro e estadunidense e também, marca a abertura do escritório em São Paulo. Atualmente, são 4 vagas para outbound, 3 para inbound, 3 para executivo de contas, 1 para produto e 1 para Customer Success. Para se inscrever, clique no link.

Tags

FortBrasil está com quase 40 vagas disponíveis para diversos setores

A FortBrasil , fintech de serviços e soluções financeiras que se consolidou como especialista na administração de cartões Private Label co-branded, acaba de anunciar 38 novas vagas abertas em setores diversos. Entre as principais áreas para trabalhar estão disponíveis vagas para cargos de Especialista em Compliance, Product Owner, Riscos e Controles Internos, HR Business Partner e Auditor Sênior

Ao longo dos últimos meses, a FortBrasil alcançou novas parcerias e conquistou novos espaços. Atualmente, a fintech conta com mais de 400 varejistas parceiros, presentes em mais de 3.400 lojas por todo o Brasil. As novas posições estão disponíveis para Estados como Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro e outros das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste, de forma 100% remota, com exceção dos promotores comerciais. “Estamos felizes em promover novas oportunidades para profissionais de diversas partes do país. Seguimos com sucesso o nosso plano de expansão alcançando patamares sustentáveis e formando alianças significativas”, afirma José Pires Neto, co-fundador da FortBrasil.

Além da expansão, a FortBrasil segue se consolidando como marca empregadora, com foco na atração e retenção de talentos, para o co-fundador da empresa, isso é o que a diferencia de outros players do mercado. “Nós investimos no conhecimento de nossos colaboradores e promovemos novas oportunidades sempre que possível com foco em novos talentos,” afirma o executivo. A empresa já foi nove vezes vencedora da premiação GPTW (Great Place to Work), índice que classifica as melhores empresas para se trabalhar no mercado.

Já com relação aos benefícios, são comuns para todas as posições os vales refeição e alimentação, além de auxílio home office, planos de saúde e odontológico, convênios educacionais, Gympass, convênio com o SESC, cartão Vai Bem e diversos outros.

Os interessados podem se cadastrar nas vagas disponíveis acessando aqui .

Tags