Page

Author admin

Philips apresenta inovações de soluções de saúde digital baseadas em nuvem durante a CES 2017

Philips_Sonicare

Durante a CES 2017, que aconteceu de 5 a 8 de janeiro em Las Vegas, a Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA) apresentou soluções e produtos de saúde inovadores e conectados, que permitem que os consumidores se envolvam com a gestão de sua saúde. Aproveitando-se da experiência da Philips com assistência médica profissional, análises avançadas e com o poder de computação da plataforma em nuvem HealthSuite, esses novos produtos e serviços conectados de saúde digital ilustram o compromisso da Philips com inovações significativas para todos os estágios da vida – desde o nascimento até a fase adulta e o envelhecimento saudável.

“As assistências médicas profissional e pessoal estão se fundindo com modelos tradicionais de cuidados médicos, que estão sendo constantemente desafiados. Agora, a tecnologia digital conectada é a chave para permitir que os consumidores cuidem da sua saúde e da saúde dos seus entes queridos”, disse Pieter Nota, diretora executiva dos negócios de saúde pessoal e diretora de marketing da Royal Philips. ” Na CES, a Philips está apresentando seu ecossistema de soluções conectadas nas áreas de saúde bucal, cuidados de mães e filhos, cuidados do sono e respiratórios, saúde do coração e monitoramento residencial, demonstrando a sua liderança no mundo da saúde digital”, completa.

Os novos serviços e produtos para a saúde do consumidor da Philips, fornecidos pela nuvem HealthSuite, permitem que os consumidores combinem seus dados de saúde e os use de maneira mais inteligente e significativa para apoiar um estilo de vida mais saudável, administrar as suas condições de saúde, conectar e compartilhar dados com os seus médicos.

Importantes inovações de produtos apresentadas na CES 2017:

Plataforma de educação digital Avent uGrow[1] da Philips – feita para ajudar os novos pais a entender e apoiar o desenvolvimento saudável do seu bebê, o aplicativo uGrow se conecta sem fio ao monitor de bebê Avent da Philips e ao termômetro inteligente para ouvido. Ele também compara dados inseridos manualmente, tais como padrões de alimentação e sono. Reconhecendo que cada bebê é único, o ecossistema uGrow cria um ambiente altamente personalizado de apoio em torno dos bebês e dos seus pais, com o aplicativo interativo que fornece artigos com base em uma visão de um painel de especialistas em aleitamento materno, sono e psicologia do desenvolvimento. A integração planejada dos novos dispositivos da Philips ao uGrow incluem a capa de mamadeira inteligente da Philips, que monitora a temperatura do leite e o volume consumido, um purificador de ar conectado para monitorar a qualidade do ar e o sistema de iluminação com Hue, que cria um ambiente calmo e relaxante. Em breve, inserir dados e informações de monitoramento no uGrow será mais fácil, com a ativação de voz Amazon Echo.

O Avent UGrow da Philips foi selecionado como um Homenageado do prêmio de inovação da CES 2017 na categoria de produto “Tecnologia para um mundo melhor”.

Tecnologia CPAP portátil DreamStation Go da Philips – Compacto, leve e pequeno o suficiente ser transportado em uma mala de mão ou em uma maleta, o DreamStation Go da Philips, que será lançado em breve, significa que os usuários nunca terão que perder a terapia de CPAP (pressão positiva contínua da via aérea) ao viajar. Uma bateria recarregável opcional permite a utilização em locais com poucos recursos durante uma viagem de aventura, tal como caminhadas, pescas e acampamentos. O dispositivo foi feito para uma fácil triagem ao passar pela segurança do aeroporto. Seguindo a tradição da Philips de tornar a terapia de CPAP mais confortável, discreta e fácil de utilizar, o DreamStation Go possui um microtubo flexível, um design moderno e elegante, e uma interface de usuário. Como outras soluções de CPAP da Philips, ele se conecta sem fio ao aplicativo móvel DreamMapper da Philips, que fornece relatórios diários do progresso, monitoramento de metas, dicas e lembretes aos usuários para ajudá-los a manter a terapia. Como líder global em soluções de terapia do sono, a Philips tem uma longa história de inovação em dispositivos e soluções de informática para ajudar as pessoas a melhorar o sono e, principalmente, a viver uma vida mais saudável.

Programa de saúde do coração Philips – o programa de saúde do coração Philips é um programa de mudança de comportamento baseado em aplicativos, que visa reduzir os fatores de risco induzidos pelo estilo de vida para doenças cardiovasculares em adultos. Ele oferece um plano personalizado aos usuários, com base em orientações médicas e no seu perfil de saúde, que os orienta a aumentar os seus níveis de atividade física, adotar uma dieta saudável, conseguir dormir melhor, reconhecer os causadores de estresse e alcançar um peso saudável. Medições clinicamente validadas de um ecossistema de dispositivos de saúde conectados de classe médica, como o relógio de saúde da Philips, ajudam os usuários em suas tomadas de decisão diárias. A orientação do estilo de vida e a mudança de comportamento passo a passo, baseadas em psicologia, os mantêm motivados e comprometidos com a sua jornada de saúde do coração.

Plataforma de administração digital da higiene bucal Philips – com a introdução da nova escova de dentes conectada Sonicare FlexCare Platinum da Philips e do sistema de cuidados da respiração Sonicare da Philips, a Philips oferece serviços e tecnologias conectadas exclusivas para inspirar e capacitar as pessoas a cuidarem melhor da sua saúde bucal em uma única plataforma. A escova de dentes conectada Sonicare FlexCare Platinum da Philips usa uma tecnologia exclusiva com sensores inteligentes dentro da escova de dentes e orientações personalizadas que ajudam a melhorar a técnica de escovação, enquanto o sistema de cuidados da respiração Sonicare da Philips, que possui o nosso novo analisador de respiração conectado, mede, monitora e ajuda os usuários a melhorar a sua qualidade de respiração e hábitos de higiene bucal. Ambos os produtos sincronizam perfeitamente com o aplicativo Sonicare da Philips, fornecendo dados e orientações aos usuários que os capacitam a administrar e melhorar a sua saúde bucal de forma proativa. O aplicativo Sonicare da Philips é, agora, um ‘centro virtual’ para a saúde bucal pessoal, que permite que os usuários administrem a sua qualidade de escovação e respiração diariamente, compartilhem resultados com os seus dentistas e tenham orientação e assessoria personalizadas nas pontas dos seus dedos.

A escova de dentes conectada Sonicare Flexcare Platinum da Philips foi selecionada como uma Homenageada do prêmio de inovação da CES 2017 na categoria de produto “Fitness, esportes e biotecnologia”.

Além disso, a Daimler e a Philips fizeram uma parceria estratégica com relação ao projeto “Mercedes-Benz Fit & Healthy” para fornecer informações essenciais aos motoristas sobre a sua saúde – dentro do carro e muito mais. O relógio de saúde da Philips permite que os motoristas monitorem os seus principais indicadores de saúde, tais como a frequência cardíaca. Esse recurso de segurança e saúde in-car[2] eleva o nível de monitoramento contínuo da saúde, ou seja, as pessoas podem revisar os seus dados e ajustar a sua forma de dirigir, se necessário – por exemplo, fazer uma pausa, se um nível de estresse for detectado. Isso poderia transformar o carro no maior dispositivo de mobilidade e bem-estar. Como líderes mundiais no monitoramento da saúde, a Philips entende o poder da informação para melhorar os hábitos e os resultados da saúde. Pegamos essa mistura de tecnologia, experiência e precisão de classe médica e a aplicamos em programas de saúde pessoal da Philips, dando aos usuários as informações necessárias para administrar a sua saúde, onde quer que estejam.

Além de inovações nas áreas de produto destacadas acima, outras inovações apresentadas pela Philips na CES 2017 deste ano incluem soluções de monitoramento residencial avançadas, que permitem que as pessoas morem de forma independente em suas casas, e novos eletrodomésticos conectados.

Tags, , ,

O data center e a transformação digital: a hora e a vez da refrigeração de precisão

Por Sérgio Ribeiro

A história da tecnologia é repleta de casos em que uma solução era, em seus inícios, aplicada de forma indiscriminada a “n” desafios. Essa regra vale para os sistemas de refrigeração para data centers. Embora ainda existam empresas que prefiram usar sistemas de ar condicionado de conforto para refrigerar seus centros de processamento de dados, esse quadro está mudando. A razão para essa evolução é simples. Os sistemas de ar condicionado de conforto foram desenvolvidos para realizar a climatização de ambientes com pessoas, não com máquinas. Em tempos de transformação digital, em que processos analógicos são aceleradamente substituídos por serviços online, a continuidade dos negócios depende do data center e só pode ser garantida pelo estado da arte em refrigeração: a tecnologia de refrigeração de precisão.

Relatório da empresa de análise de mercado TechNavio mostra que, até 2019, o market share global de sistemas de precisão crescerá 14% ao ano. Por trás desta tendência estão fatores como a valorização do green data center e o uso intensivo de soluções DCIM (Data Center Infrastructure Management) para monitorar e configurar as novas tecnologias de refrigeração.

Em todos os casos, a base para a escolha do sistema de refrigeração de um data center é compreender que os tipos de calor e os índices de umidade gerados por seres humanos não são iguais aos das máquinas.

Pessoas e máquinas: diferentes desafios de climatização

Os data centers não geram umidade e emanam muito mais calor por metro quadrado. É a situação oposta de um ambiente típico de conforto contendo pessoas em interação. Enquanto as máquinas necessitam de sistemas de refrigeração que sejam capazes de vencer uma carga de calor sensível, os ambientes de conforto necessitam de sistemas de refrigeração capazes de vencer uma carga de calor latente. O ar condicionado de conforto tem a missão, também, de combater os altos índices de umidade, visando fazer com as pessoas se sintam confortáveis nos ambientes que ocupam.

Segundo dados da Emerson Network Power, os sistemas de ar condicionado de conforto têm uma taxa de calor sensível de 0,6 a 0,7. Isso significa que, de sua capacidade total, apenas uma faixa de 60% a 70% está dedicada à carga térmica sensível (calor emitido por máquinas e equipamentos). O restante está dedicado para uma carga latente (calor com umidade, gerado por pessoas).

A implementação desse tipo de climatização não seria adequada aos data centers, ambientes que apresentam uma taxa de calor sensível superior à 90% em sua carga térmica total. Nesse sentido, o ar condicionado de precisão oferece benefícios maiores, porque foi projetado para oferecer uma taxa sensível de 0,85 a 1. Isso significa que de 80% a 100% do seu esforço é direcionado ao combate do calor sensível.

O sistema de ar condicionado de precisão é desenvolvido para manter um rígido controle de temperatura e umidade 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Se, no entanto, alguém insistir em usar um ar condicionado de conforto para refrigerar um data center, será obrigado a adquirir mais aparelhos deste tipo para atender à demanda das máquinas. Se, em vez disso, esse gestor implementasse um sistema de ar condicionado de precisão, com toda certeza o número de equipamentos ou a capacidade dos mesmos seriam reduzidas consideravelmente. Uma análise de custo/benefício ampla, focada no levantamento do TCO (Total Cost of Ownership) do sistema de refrigeração que será adotado, comprovará essa realidade. Para citar apenas alguns, um sistema de ar-condicionado de conforto tem uma taxa de vazão de ar na faixa de 350 a 400 CFM, enquanto um de precisão circula entre 500 a 600 CFM, o que contribui para maior filtragem e tratamento do ar.

Sistemas de precisão têm operação multimodal

Erros no controle da umidade podem gerar danos substanciais aos equipamentos, causar descargas estáticas, afetar os circuitos e ameaçar os dados disponíveis. Geralmente, os sistemas de ar condicionado de conforto não têm controle de umidade, tornando-se difícil manter uma umidade relativa estável. O ar condicionado de precisão, ao contrário, tem operação multimodal, para fornecer uma gama adequada de resfriamento, umidificação e desumidificação.

O monitoramento do entorno é uma variável interessante a destacar entre os sistemas de conforto e os de precisão. Os primeiros se caracterizam por apresentar procedimentos precários e limitados, trabalhando dentro de faixas de temperatura muito mais amplas e menos precisas.

Os sistemas de precisão, por outro lado, contam com plataformas de controle térmico que permitem aos gerentes de data centers monitorar remotamente as instalações em tempo real. Essas soluções de software não só ajudam a economizar energia como, também, aumentam significantemente o Tempo Médio Entre Falhas (em inglês, MTBF) e a capacidade de redundância de fontes de energia elétrica.

Quanto à eficiência no tempo, o ar condicionado de precisão também é superior. Isso acontece porque seus componentes são projetados para atender à demanda e operar continuamente 8.760 horas por ano.

Free Cooling reduz consumo de energia em 40%

Outra diferença notável é que, atualmente, os equipamentos de ar condicionado mais modernos contam com técnicas muito avançadas, conhecidas como Free Cooling. A prática da Free Cooling consiste em aproveitar temperaturas externas favoráveis para reduzir o funcionamento do compressor. Isso diminui o consumo de energia em até 40%, garantindo a climatização adequada sem consumir água, mesmo em climas quentes. Isso faz com que o Free Cooling seja uma alternativa amigável ao meio ambiente. Por exemplo, um data center de médio porte, que consome 500 KW/hora, pode economizar até USD 131.400 adotando as melhores práticas de eficiência energética. Isso se considerado um custo médio de USD 0,10 por KW/h.

É importante reconhecer que alguns data centers mantem-se fieis ao ar condicionado de conforto devido ao preço inicial dessa tecnologia. Em longo prazo, no entanto, o sistema de conforto incorrerá em maior dispêndio de dinheiro, não somente pela quantidade de energia consumida – uma despesa crítica de qualquer data center –, mas, também porque seu sistema de regulação pode afetar a vida útil dos equipamentos. Neste sentido, se um ar condicionado de conforto danificar um dispositivo/máquina de um data center, não só será necessário investir dinheiro em reparos, mas também pagar pela perda de dados e pela interrupção de serviços.

A criticidade de um data center exige a presença de uma solução de refrigeração que contribua para a continuidade dos negócios do data center e de seus clientes. O tempo não para, e a evolução da tecnologia, também.

Eng° Sérgio Ribeiro, consultor em sistemas de gerenciamento térmico da Vertiv.

Tags, ,

Salesforce divulga pesquisa sobre o futuro do atendimento ao cliente

A Salesforce [NYSE: CRM], líder mundial em plataformas de gerenciamento de relacionamento de clientes (CRM), acaba de lançar o segundo relatório anual State of Service. Foram entrevistados mais de 2.600 profissionais de atendimento ao cliente em todo o mundo para descobrir como as tecnologias inteligentes estão influenciando os protocolos de atendimento e como os líderes da área estão respondendo às demandas cada vez maiores dos consumidores. O relatório concluiu que um atendimento ao cliente excepcional exige uma abordagem unificada em toda a organização, atendentes munidos das ferramentas e dos treinamentos certos e inteligência artificial para entregar uma experiência mais especializada.

Os clientes de hoje estão superconectados, hiperinformados e mais capacitados do que nunca. Na verdade, 70% dos consumidores e 82% dos compradores corporativos afirmam que a tecnologia facilitou imensamente a mobilidade dos serviços, fazendo da experiência do cliente mais do que uma indicação de fidelidade, mas uma maneira de se diferenciar da concorrência. Essa mudança no setor transformou o atendimento ao cliente, antes visto como uma função retrógrada e cara, em um importante diferencial.

“A experiência do cliente é a linha que separa as empresas bem-sucedidas daquelas que ficam para trás”, diz Adam Blitzer, vice-presidente executivo de Sales and Service Clouds da Salesforce. “É essencial que as empresas deem prioridade à experiência do cliente, capacitando seus atendentes a entregar um atendimento personalizado, inteligente e conversacional”.

Grandes expectativas: o atendimento dita o rumo da experiência do cliente

A entrega de uma experiência perfeita exige colaboração entre todos os setores de uma empresa. O atendimento colaborativo ao cliente aumenta as oportunidades de venda cruzada e casada, além de proporcionar experiências mais consistentes e eficientes.

● É essencial promover a colaboração entre as áreas de vendas, atendimento e marketing: 78% das equipes de atendimento acreditam que todos os funcionários são agentes de atendimento.

● As áreas de vendas e atendimento precisam trabalhar melhor juntas: 63% das equipes de atendimento possuem processos formais de colaboração com a equipe de vendas, e 65% delas são capazes de fornecer aos seus colegas de vendas informações relevantes sobre os problemas e as necessidades dos clientes.

● A colaboração entre equipes pode aumentar as vendas: 59% dos atendentes acreditam ser capazes de gerar orçamentos e pedidos de renovação de complementos diretamente no CRM.

● Experiência do cliente é um diferencial essencial para as empresas, e o investimento em excelentes níveis de atendimento é crítico: 81% das equipes de atendimento acreditam que essa é a área de maior impacto sobre a percepção da marca. Além disso, ao longo dos últimos dois anos, 89% das equipes tiveram seus orçamentos mantidos ou aumentados.

Atendentes capacitados: empresas aumentam o investimento no sucesso dos atendentes

As melhores equipes de atendimento são aquelas com acesso às melhores ferramentas e tecnologia, mas também as mais bem treinadas e que possuem uma visão global do cliente:

● Uma visão global do cliente pode aumentar drasticamente a produtividade do atendente: 79% das equipes de atendimento concordam que uma visão holística e compartilhada capacita os atendentes a oferecer consistência e continuidade em todas as interações.

● Atendentes capacitados trazem vantagens não só para o consumidor, mas também para a empresa: 64% dos consumidores e 80% dos compradores corporativos esperam que as empresas respondam às solicitações em tempo real. Para tanto, é cada vez mais importante que os times de atendimento se adaptem a essa realidade.

● Dar aos atendentes o acesso às ferramentas necessárias traz benefícios de longo prazo, inclusive para a retenção de funcionários. Dentre as equipes de atendimento mais bem-sucedidas, 90% dos colaboradores planejam estar na mesma empresa daqui um ano.

● A lógica analítica tornou-se uma ferramenta essencial para os atendentes. Entre 2015 e 2016, o uso de lógica analítica no atendimento aumentou 166%.

Métricas emergentes: KPIs de atendimento giram em torno do sucesso do cliente

No passado, o foco das equipes de atendimento ao cliente era no fechamento do maior número de casos no menor tempo possível. Entretanto, no mundo atual, centrado no cliente, o atendimento tornou-se um mecanismo de crescimento dos negócios, gerando novas oportunidades de vendas e melhores experiências com as marcas.

● As KPIs são cada vez mais focadas no cliente: 79% das equipes priorizam as necessidades dos consumidores em detrimento de suas métricas de desempenho. Além disso, 46% das equipes possuem um KPI relacionado ao monitoramento da empatia entre atendente e cliente.

● Interações por telefone e e-mail são apenas a ponta do iceberg. Interagir com os clientes da maneira que ele prefere é cada vez mais importante: mais de 50% das equipes já interagem com o cliente em pelo menos cinco canais diferentes.

● A utilização de aplicativos móveis, em especial, quase triplicaram. Entre 2015 e 2016, houve um aumento de 196% no uso de aplicativos por equipes de atendimento.

Tecnologias inteligentes promovem novas formas de conexão

Para atender às expectativas dos clientes, os times estão ampliando o uso de inteligência artificial (IA) e preditiva.

● Essas tecnologias trazem benefícios não somente para os clientes, mas também para os atendentes, ao permitir que se concentrem nos problemas mais complexos, compreendam melhor o cliente e entreguem uma experiência mais personalizada. Na verdade, 77% dos principais times de atendimento fazem um excelente uso de IA, proporcionando uma experiência aprimorada aos consumidores.

● A construção de relações mais profundas com os clientes é essencial para as empresas em busca de sucesso. Atualmente, 67% dos times de alto desempenho usam inteligência conversacional em tempo real (por exemplo, analisando palavras e tons para recomendar as próximas etapas de atendimento) para estabelecer melhores relações com os clientes.

● 51% dos consumidores e 75% dos compradores corporativos esperam que até 2020 as empresas
antecipem suas necessidades e façam sugestões relevantes antes que eles resolvam entrar em contato.

● Há muito espaço para melhorar a funcionalidade do atendimento inteligente: somente 37% das equipes conseguem coletar insights durante todo o ciclo de vida do cliente e realizar análises de próximos passos que permitam que os times de vendas, atendimento e marketing antecipem as necessidades dos clientes e priorizem tarefas.

Baixe a versão completa do segundo relatório anual de pesquisa State of Service: https://www.salesforce.com/form/pdf/2017-state-of-service.jsp?&nc=7010M000002MKxkQAG

Tags, , ,

Startup lança ferramenta para aumentar conversão em sites

54ec7cd4-89c5-4ba5-ab9c-8594d9f1aeab

Quem nunca desistiu de uma compra online porque o site era difícil de usar? Nos meios digitais é muito fácil mudar de site ou desinstalar um aplicativo ao esbarrar em dificuldades. Mas porque as pessoas abandonam o fluxo de compra? O que acontece e como resolver? São essas questões que o TESTR – uma ferramenta de teste de usabilidade online – se propõe a responder.

Quem cuida de produtos digitais (sites, lojas virtuais, apps etc.) sabe que aumentar a conversão é essencial para obter bons resultados. As principais ferramentas disponíveis para isso são análise de métricas e testes A/B, mas elas só apontam onde estão os problemas e onde as pessoas abandonam a compra – não explicam o porquê.

Teste de usabilidade é uma técnica de pesquisa que mostra o que está por trás do problema e o que pode ser feito para resolvê-lo. Com ele é possível ver as pessoas usando um site ou aplicativo, realizando tarefas e comentando sobre a experiência – o que costuma revelar ótimos insights.

Segundo Elisa Volpato, especialista em pesquisa que trabalha há 11 anos com experiência do usuário (UX) e cofundadora do TESTR, é importante fazer testes de usabilidade porque “em geral a equipe que cria um produto digital não é a audiência desse produto, e isso faz uma grande diferença. O repertório de internet de um designer é diferente do repertório da Dona Maria, que vai interagir com o produto de outra forma. Testar com o público correto é essencial para obter bons resultados”.

O problema é que testes de usabilidade dependem de uma logística de organização, recrutamento e equipamentos, que deixam os projetos caros e demorados. É aí que entra o TESTR. A grande diferença é que agora é possível usar a tecnologia como aliada para eliminar a parte trabalhosa do processo, deixando o teste muito mais rápido e mais barato.

“Um teste de usabilidade convencional com 10 participantes custa a partir de R$ 25.000. Utilizando o TESTR, custa 14 vezes menos. Isso permite que empresas que não faziam testes antes passem a se beneficiar dos seus resultados, e empresas que já faziam aumentem a frequência”, explica Elisa.

Outra grande vantagem é a abrangência nacional. Testes de usabilidade normalmente são feitos em salas próprias para pesquisa e o time acaba conversando apenas com pessoas de uma só cidade. Com o TESTR é possível ter uma amostra muito mais diversa, com pessoas em várias cidades do país. E como os participantes fazem os testes em seu contexto natural de uso, elas ficam muito mais à vontade e os resultados são mais próximos de uma situação real.

COMO FUNCIONA

O TESTR é uma ferramenta self-service. No sistema, o cliente cria o roteiro de tarefas e perguntas e define o perfil dos participantes que devem ser chamados. O sistema encontra as pessoas ideais e envia um convite. Enquanto o participante faz as tarefas pedidas (como encontrar um produto ou simular uma compra), o TESTR grava a navegação na tela, a webcam e o áudio. O cliente recebe o vídeo e as respostas do participante por escrito, organizadas em gráficos e tabelas para facilitar a análise.

A ferramenta funciona na nuvem e não requer instalação nem compra de software. “A contratação é feita de forma avulsa por participante, sem necessidade de mensalidade. É possível também adquirir créditos de forma antecipada para ir utilizando conforme a necessidade”, explica Anderson Sales, cofundador da startup.

“Um dos nossos maiores desafios foi criar uma solução leve e fácil de utilizar para os participantes”, comenta Fabio Trentini, sócio responsável pela tecnologia.

INOVATIVA BRASIL E LANÇAMENTO

Foram 1.148 startups inscritas, 300 selecionas e 125 classificadas para a fase final do Inovativa Brasil, o maior e melhor programa de aceleração do Brasil. Após meses de aceleração, o TESTR participou do Demoday Inovativa e foi eleito entre as 12 melhores startups de todo o programa.

A plataforma será lançada para o mercado na versão desktop em 09 de janeiro de 2017, e os fundadores preveem uma versão para testes em celulares no primeiro trimestre de 2017.

Tags, , , , ,

Indústria 4.0: a visão do integrador de soluções – Por Jorge Brito

Indústria 4.0, Manufatura Avançada e Manufatura Digital são termos bastante utilizados nos dias de hoje para fundamentar a chamada Quarta Revolução Industrial, que dá continuidade aos antigos movimentos marcados pela evolução das máquinas.

A Primeira Revolução Industrial surgiu na Inglaterra em meados do século XVIII, tendo como fator preponderante a mecanização dos processos fabris. A Segunda, por sua vez, foi caracterizada pela eletrificação das indústrias. Já a Terceira trouxe a eletrônica e o IT para o chão de fábrica.

Finalmente, a Quarta Revolução Industrial está associada ao desenvolvimento de sensores, processos, ITC e soluções/aplicações de alta disponibilidade, o que garante maior conectividade entre as máquinas de uma fábrica e, por consequência, maior assertividade na tomada de decisões.

Esse mais recente movimento tecnológico também pode ser chamado de Revolução da Informação, visto que há uma integração de dados no desenvolvimento de novos produtos e soluções.

Sendo assim, a Quarta Revolução Industrial nos apresenta o dado certo, do local certo, no momento certo e no dispositivo certo. Tal cenário exige uma rastreabilidade na cadeia de processo, dado que o empresário, o diretor industrial e o Plant Manager se preocupam em obter a informação adequada a tempo de tomar decisões e potencializar seu negócio. Isso pode ser resumido em duas palavras: visibilidade e, mais importante ainda, previsibilidade.

A seguir, alguns pontos de interesse do mercado e fatores de sucesso para a Manufatura Avançada:

– Análise preditiva (M2M mais IoT e Big Data);
– Produtos, processos e máquinas conectados (M2M mais IoT);
– Fábricas inteligentes – Smart Factories (M2M mais IoT);
– Integração e soluções completas (E2E);
– Alto conhecimento no negócio do cliente (Core Business);
– Alto conhecimento das tecnologias envolvidas, tais como: Agile Methodology, RFID, Mobiles;
– Projetos que utilizam tecnologias abertas (Open Source Technology);
– Alto poder computacional com alta disponibilidade (Cloud Computing, High Availability Data Center).

Jorge Brito, Head M2M, IoT, I4.0 e Inovação na T-Systems do Brasil

Tags, , ,

Capgemini acelera iniciativa global de FinTech para atender às demandas de inovação do mercado

A Capgemini, um dos líderes globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, lança sua iniciativa global voltada a FinTechs com o objetivo de apoiar seus clientes de serviços financeiros. A iniciativa se baseia na expertise em integração da companhia para checar, selecionar e evoluir a inovação de seus clientes por meio das tecnologias das FinTechs, a partir de um intenso processo de curadoria e colaboração conduzido pelos Applied Innovation Exchanges (AIEs), que são os centros de inovação da Capgemini no mundo.

“Seja gerando uma experiência excepcional ao cliente ou melhorando sua eficiência operacional, a inovação das FinTechs é um catalisador para o setor. Como o ritmo de inovação da tecnologia de serviços financeiros acelerou, a Capgemini decidiu desenvolver esta iniciativa para conectar seus clientes com a inovação das FinTechs também de forma mais rápida”, explicou Thierry Delaporte, líder da unidade de negócios de serviços financeiros globais da Capgemini e membro do board executivo do Grupo.

A iniciativa FinTech da Capgemini é única porque vai além do conceito tradicional de incubadora, abrangendo etapas de conexão, curadoria, incubação e investimento. Desta forma, a Capgemini se diferencia como participante ativo no processo de validação, evoluindo as principais propostas de valor das FinTechs participantes em colaboração com seus clientes do setor. Adicionalmente, a companhia endereçará os maiores desafios da inovação externa, eliminando lacunas de adoção como dificuldades de integração, gerenciamento de dados e mudanças de processo, além de requisitos de conformidade e regulatórios.

As empresas participantes da iniciativa experimentarão o processo de curadoria da Capgemini, que verifica e seleciona inovações que ajudarão a atender às demandas do mercado. Serão tomadas providências para que todas as categorias de FinTechs, bem como startups orientadas para a tecnologia empresarial, candidatem-se para participar da iniciativa de alavancar a inovação no setor de serviços financeiros.

Uma vez selecionadas pelo processo de curadoria, as inovações das FinTechs serão refinadas e evoluídas por meio de uma incubação conduzida em colaboração com os clientes. A iniciativa FinTech global abrangerá todos os segmentos e áreas de processo abordados pela prática de serviços financeiros da Capgemini. A rede global de AIEs da companhia não serão utilizados apenas nas fases de curadoria e incubação, mas também como canais para a realização de bootcamps, hackathons e innovation days. Além disso, os participantes terão acesso a uma grande comunidade de conselheiros, clientes e parceiros da Capgemini para co-criar modelos de negócios, proporcionando oportunidades para ganhar vantagens competitivas.

A Capgemini trabalhou em parceria com o MaRS Discovery District, um hub global de inovação sediado em Toronto, que abriga o maior cluster de tecnologia financeira do Canadá. “Esta relação é um forte reconhecimento da qualidade da inovação da FinTech no país. O processo de curadoria da Capgemini certamente proverá novos canais para que as FinTechs canadenses identifiquem oportunidades de negócios e investimentos em mercados globais emergentes”, explicou Adam Nanjee, líder de tecnologia financeira da MaRS.

A Bluechain, que foi formada em 2015 para comercializar uma tecnologia de pagamento inovadora, projetada para aumentar a segurança em uma ampla gama de situações de pagamento, está participando da iniciativa FinTech da Capgemini. De acordo com Mike McAuley, CEO da Bluechain, “nossa tecnologia vai transformar o futuro dos pagamentos. Quando operamos no espaço de tecnologia de pagamentos de nicho na Austrália, ficamos muito satisfeitos por trabalhar com a Capgemini, como conselheiros e parceiros de canal global para a distribuição de soluções de pagamentos baseadas em nossa tecnologia”.

Para obter mais informações sobre a iniciativa, entre em contato pelo e-mail: financialservices@capgemini.com

O World FinTech Report, estudo recém-lançado da Capgemini, pode ser baixado no website: www.br.capgemini.com

Tags, , ,

Provider IT e IBM promovem hackathon com foco em soluções móveis para os segmentos de seguros e finanças

unnamed-91

Engajada às tendências mais inovadoras do mercado, a Provider IT, uma das principais consultorias e provedoras de serviços de TI do país, e a IBM, acabam de realizar no Rio de Janeiro seu primeiro hackathon em conjunto, uma maratona que teve como objetivo trazer soluções para os segmentos de seguros e finanças por meio do desenvolvimento de software. Ao longo de 48 horas, os participantes foram desafiados a desenvolver alternativas e soluções empregando a plataforma IBM Bluemix, que ajuda os desenvolvedores a construir e executar aplicativos e serviços na nuvem para dispositivos móveis e web, em sintonia com os conceitos de internet das coisas (IoT) e computação cognitiva – na IBM representada pela tecnologia IBM Watson.

“Este tipo de iniciativa tem impacto no que diz respeito a inovação, por meio do desenvolvimento de novas soluções aplicando as tecnologias mais avançadas, com criatividade, excelência técnica e, sobretudo, aderência real. Nós tiramos nosso time de desenvolvedores de suas rotinas de trabalho para que eles possam criar e desenvolver ideias que contribuam de maneira efetiva para novas soluções. Este tipo de desafio traz benefícios para todos os envolvidos”, ressalta Cristiana Berardo, responsável pela área de Sistemas Corporativos e Soluções Digitais da Provider IT.

O hackathon IBM – Provider IT reuniu um grupo de profissionais da área de programação de software da consultoria, que foram divididos em quatro equipes, sendo três delas desafiadas a criar soluções tecnológicas em formato de aplicativos voltados ao setor de seguros e uma equipe ficou responsável pelo desenvolvimento de uma solução direcionada ao segmento de Bancos e Finanças, todas utilizando os recursos da plataforma IBM Bluemix. Para isso, os programadores contaram com cinco apoiadores técnicos da IBM durante toda a realização do evento. Além disso, os desenvolvedores tiveram o suporte de outros cinco mentores da Provider IT que nortearam os grupos com visões práticas de negócios.

Os 16 participantes criaram quatro projetos. O grande vencedor foi o aplicativo de aviso e acompanhamento de sinistros, que reduz o custo operacional das seguradoras e agiliza o atendimento ao cliente. A solução vitoriosa foi escolhida por uma mesa de jurados, composta por executivos da Provider IT e da IBM, que avaliaram os projetos segundo critérios de ineditismo, impacto aos negócios e completude. “As soluções e ideias apresentadas durante o hackathon serão utilizadas pelos nossos executivos de conta em suas atividades de pré-venda e podem, em breve, ser incorporadas ao portfólio da companhia”, explica Berardo.

A estreita parceria da Provider IT com a IBM contribuiu para o sucesso da jornada de desenvolvimento. “Os desenvolvedores ficaram extremamente motivados com seus aplicativos e APIs implementadas via a plataforma IBM Bluemix. A diretoria da Provider IT acompanhou as equipes de perto, contribuindo no processo de revisão das ideias. Estamos certos de que a constante evolução da parceria com a IBM vai alavancar novos negócios por meio do Bluemix”, finaliza a executiva.

Tags, , , , ,

Twitter aponta Fiamma Zarife como nova diretora-geral do Brasil

unnamed-90

Fiamma Zarife (@fzarife) é a nova diretora-geral do Twitter Brasil. A executiva desempenhava o papel de diretora de agências na empresa desde julho de 2015, sendo responsável pelo relacionamento com agências de publicidade. Em sua nova função, Fiamma irá liderar a operação brasileira, antes dirigida por Guilherme Ribenboim (@guilhermerib). Ribenboim permanece como vice-presidente do Twitter para a América Latina, mas também assume novas responsabilidades e irá liderar globalmente a área de desenvolvimento de soluções para clientes do Twitter, com base em Nova York.

“A escolha de Fiamma para comandar a operação brasileira busca aprofundar o que fazemos desde que chegamos ao Brasil há quatro anos: gerar valor aos nossos usuários e criar relacionamentos estratégicos com parceiros de mídia, agências de publicidade e marcas”, diz Ribenboim.

Fiamma destaca que o mercado brasileiro é um dos cinco principais do Twitter no mundo e tem enorme potencial de crescimento. “É com muito orgulho que recebo a missão de comandar a operação do Twitter no país e dar continuidade ao trabalho iniciado em 2012. Queremos preservar a cultura do Twitter Brasil, que coloca os objetivos de negócios de parceiros e clientes no centro das nossas decisões”, afirma.

Fiamma acumula mais de 20 anos de experiência nos setores de telecomunicações, finanças e petrolífero. Atuou como VP de conteúdo e serviços da Samsung na América Latina, onde foi responsável, entre outras atribuições, pelo desenvolvimento de parcerias com produtores de conteúdo locais e regionais e pelo Samsung Ocean, um centro de capacitação tecnológica voltado a empreendedores. Antes disso, teve passagens por Claro, Oi, Telecom Italia, ATL, Banco Boavista e Petrobras Distribuidora.

Tags, ,

CES 2017 Unveils Game-Changing Innovation to the World

The future of technology was unveiled yesterday on opening day of CES® 2017, as more than 3,800 companies debuted products across a record 2.6 million net square feet of exhibit space. Opening day featured future-focused product announcements and keynotes from the leaders of Carnival Corp., Huawei and Nissan, in addition to a C Space keynote with chairman and senior executive of IAC and Expedia, Inc. Barry Diller and chairman and CEO of MediaLink Michael E. Kassan. Owned and produced by the Consumer Technology Association (CTA)TM, CES 2017 runs through Sunday, January 8, in Las Vegas, Nevada.

Keynotes

Gary Shapiro, president and CEO, CTA kicked off CES 2017 by exploring how technology transcends industries, transforms lives and fosters innovation. “Today’s innovators are working long hours and late nights to change lives for the better – and in some cases they’re saving lives,” he said. Shapiro announced that CTA will invest $1 million in five initiatives to help create better paying American jobs that maintain U.S. leadership in technology and innovation. “Our industry supports 15 million jobs and it’s time those of us in corporate America take an ethical responsibility and ownership in our national future.” Shapiro also announced CTA’s “Let’s Go Humans” campaign, celebrating innovators and creators who are developing technologies that are improving lives and making the world a better place to live.

Immediately following Shapiro, Arnold Donald, president and CEO of Carnival Corporation, took the opening keynote stage to unveil the Ocean Medallion, a first-of-its-kind wearable that acts as a personal digital concierge for cruise guests. The Medallion enables guests to access rooms, make on-board purchases, locate family and friends and so much more to maximize the cruise experience. “Each guest is different and the things that make them happy are different,” said Arnold. “Our mission is to personalize and simplify the vacation experience for everyone.”

During the C Space keynote, IAC and Expedia’s Barry Diller discussed changes in the media landscape and how the advertising industry is being challenged today by fake news. This interview-style session was moderated by MediaLinks’ Michael E. Kassan and addressed the potential negative consequences of the public’s newly-found freedom to publish content. “Before, you needed a distributor,” said Diller, “Now you push a button and publish to the world; while that’s freeing, it has lots of nasty consequences.”

Richard Yu, CEO of Huawei Consumer Business Group delivered a keynote address on Thursday afternoon. He said the company has invested $38 billion in R&D in the last 10 years and announced a new smartphone with a dual-camera – a second generation Leica Dual camera, featuring dual sensors and 2X hybrid zoom. Yu showcased an ultra-long lasting battery with the Huawei SuperCharge, which charges four times faster and lasts 50 percent longer than other smartphone batteries. He also introduced the Mate 9, the world’s first intelligent smartphone to integrate with Alexa, the intelligent voice service.

Wrapping up the day, Nissan Motor Corp. chairman and CEO Carlos Ghosn shared the company’s vision for a zero-emissions, zero-fatality world. “The destructive triangle of autonomous drive technology, electric vehicles, connected cars and services means we will see more change in the next ten years than we did in the last 50,” said Ghosn. He then announced that the next-generation Nissan Leaf electric vehicle will come with the semi-autonomous ProPilot system, as well as the company’s plans to launch their Seamless Autonomous Mobility (SAM) system. Developed from NASA technology, SAM enables a “human in the loop” approach to autonomous driving, which monitors a vehicle’s path from a distance, providing peace of mind to drivers.

SuperSessions and Conferences

Opening day featured dynamic SuperSessions and conferences, including the Sports Business Innovation conference, C Space Storytellers panel series and the Innovation Policy conference.

The Stoked About 5G SuperSession, moderated by ReCode Senior Editor of Mobile Ina Fried, featured executives from 20th Century Fox Film, BMW Group, Ericsson and SK Telecom. The panel discussed the possibilities for innovation using the new 5G network – a network that reacts faster than the human brain.

CTA’s Gary Shapiro sat down with Federal Trade Commission Chairwoman Edith Ramirez to discuss consumer privacy, the Internet of Things, patent trolls and the sharing economy. Ramirez emphasized the need for Congressional action to ensure the functions of internet-enabled devices are transparent. “All of the innovation you see on the CES show floor depends on the use and gathering of data, and that’s only going to accelerate, especially in regard to artificial intelligence and machine learning,” said Ramirez.

David Kirkpatrick, founder and CEO of Techonomy, moderated The Challenges Facing an Artificially Intelligent World SuperSession. Speakers included Chris O’Connor, general manager, IBM Watson, Dr. Vivienne Ming, co-founder, Socos, Jeroen Tas, CEO, Connected Care & Health Informatics, Philips, and Paul Daugherty, chief technology & innovation officer, Accenture. The panel discussed the future of Artificial Intelligence (AI), how it will grow to become all-inclusive, similar to IoT, and how AI will enhance human lives, help further develop our abilities and change our society.

CNET’s Next Big Thing SuperSession was moderated by CNET Editor-in-Chief Lindsey Turrentine and CNET’s Editor-at-Large Brian Cooley. The panel explored barriers to unlocking the smart home. Obstacles discussed included cost, complexity and security. When the group turned to discuss security, they were briefly joined on stage by actress Carly Chaikin, who plays the hacker Darlene on the USA television series “Mr. Robot.” Security of the smart home, the panelists agreed, is the starting point of any smart home device.

C Space Storyteller Sessions

Thursday’s C Space Storyteller sessions kicked off with Margo Georgiadis, president, Americas at Google, moderating a panel with leaders from Universal Pictures and AT&T. The executives took a deep dive into how each brand leverages mobile to grow stronger and drive business results. They also touched on how to win the war for attention with so much content competition, with the consensus being to hook and hold audiences with compelling content.

Next, executives from Hulu and Live Nation took the C Space stage to discuss how they are redefining the concert experience through a new frontier: Virtual Reality. Kevin Chernett, executive vice president, global partnerships and content distribution at Live Nation Entertainment and Noah Heller, vice president, emerging technology at Hulu addressed the new frontier of leveraging virtual entertainment to give fans unprecedented access into the worlds of top artists both on and off stage.

Mike Parker, president, iCrossing moderated an afternoon Storytellers panel with executives from Bridgestone, PepsiCo and Whirpool Corp. to explore customer behavior driven by technology and innovation. Marketers need to manage the flow of data and leverage the analytics while learning more about their audiences. Brands will be challenged to maintain consistency with their stories, given the new tools coming into the market.

Rounding out the Storyteller sessions, President of Verizon Digital Media Services Ralf Jacob talked with leading content creators about how OTT strategies and technologies have enabled them to engage audiences and further drive opportunities. The goal isn’t to get the most clicks, but to keep their audiences coming back, increasing page time and sharing information with the brand. Engaging new users presents a gamble because marketers are forced to use new strategies with little data.

Sports Business Innovation

David Levy, president of Turner, kicked off the Sports Business Innovation Conference Track on Thursday. Panelists included WNBA player Sue Bird, NBA analyst Grant Hill, NCAA President Dr. Mark Emmert, and NBA Commissioner Adam Silver. The panel, moderated by Turner Sports Sportscaster Ernie Johnson, covered a number of topics related to technology’s effect on professional sports. Seven-time NBA All-Star Grant Hill put it best, “We are all connected. Not just in how you interact with fans, but how you manage your body.”

The three subsequent panels examined topics varying from an athlete’s life outside of sports, the challenges of, and strategies for, consumer engagement and the massive opportunity presented by the growing popularity of eSports. Participants included Chris Bosh of the NBA’s Miami Heat; Draymond Green of the NBA’s Golden State Warriors and Dexter Fowler’s of Major League Baseball’s St. Louis Cardinals, as well as executives from Bleacher Report, Dell and Ford.

To round things out, Federal Communications Commission (FCC) and Federal Trade Commission (FTC) Commissioner Roundtable Session was moderated by Julie Kearney of CTA with panelists FCC Commissioners Mignon Clyburn, Mike O’Rielly and Ajit Pai and FTC Commissioners Maureen Ohlhausen and Terrell McSweeny. FCC Commissioners kicked off the panel with broad agreement on the ongoing broadcast spectrum incentive auction, each commenting they are optimistic the incentive spectrum auction will succeed and make resources more efficient. The FTC Commissioners identified ongoing issues for data privacy and security for consumers with IoT, but stressed that any approach to regulating should be flexible enough to promote innovation.

Thursday also featured the Stuff Wearable Tech Awards, highlighting the 10 best wearables coming to market. The full list of award winners and honorees can be found at Stuff.tv.

CES 2017 runs through Sunday, January 8. For the latest breaking news and product announcements, visit CES.tech.

Tags, ,

Raul Moreira, presidente do conselho da Cielo, assume presidência executiva da Alelo

Raul Francisco Moreira assume a partir da próxima segunda-feira (09/01) como novo presidente da Alelo, empresa líder no setor de benefícios e despesas corporativas. Funcionário de carreira do Banco do Brasil por mais de 29 anos, atuou como membro do Conselho de Administração de empresas no segmento de pagamentos eletrônicos, como EloPar, Elo, Alelo e Livelo. Participou também de projetos relevantes para o mercado de cartões como Diretor Vice-Presidente da Abecs (Associação Brasileira de Empresas de Cartões). Exerceu ainda a Presidência do Conselho de Administração da BB Seguridade e desde 2015 ocupava a Vice-Presidência de Negócios de Varejo do Banco do Brasil. Sua formação é em Gestão da Tecnologia da Informação.

“O Raul tem participado ativamente da trajetória da Alelo como integrante do Conselho de Administração da empresa e tem toda a confiança dos sócios Bradesco e do Banco do Brasil. Ele chega para presidir a empresa num momento muito bom, de crescimento, e terá uma equipe engajada para alavancar ainda mais o negócio”, destaca Marcelo Noronha, vice-presidente executivo do Bradesco e atual presidente do Conselho de Administração da Alelo.

“Estou muito feliz com esse desafio e espero me integrar da melhor forma possível na cultura vencedora da Alelo. Esse é um sonho que se realiza e tenho certeza que será um ano de muito trabalho, aprendizado e conquistas com uma equipe inspiradora”, afirma Raul Moreira, novo presidente da Alelo.

Eduardo Gouveia, que presidiu a Alelo desde setembro de 2013, assumiu a presidência da Cielo no dia 02 de janeiro.

Tags, , , ,

Samsung NEXT anuncia fundo de US$ 150 milhões para ampliar suporte global a startups

Samsung NEXT (antigo Samsung Global Innovation Center – Centro de Inovação Global de Samsung) anuncia a criação de um fundo de investimento de capital empreendedor de US$ 150 milhões para aumentar o suporte global da Samsung a startups em etapa inicial na busca pela inovação avançada de software e serviços. O fundo permite ao Samsung NEXT construir, sobre a sua plataforma de inovação global de várias etapas, um apoio aos empreendedores de tecnologia, com financiamento, recursos e expertise de domínio profundo.

“Vemos o software e os serviços se tornando parte central do DNA da Samsung Electronics, e as startups são fundamentais para conseguirmos esta visão”, afirma David Eun, Presidente e Fundador do Samsung NEXT. “A Samsung continua abraçando o empreendedorismo em todos os níveis e este fundo demonstra o nosso inabalável comprometimento em dar suporte a interessantes empresas globalmente”.

O fundo tem como alvo os investimentos de pré-Semente aos Série B, com foco em realidade virtual, inteligência artificial, IoT (Internet das Coisas) e em outras novas tecnologias de ponta. As empresas que têm recebido capital procedente do fundo até neste momento são: Converge Industries, Dashbot, Entry Point VR, Filament, Intezer, LiquidSky, Otto Radio, 2Sens, SafeDK e Virtru.

“Os nossos investimentos trazem o poder da plataforma da Samsung às startups para acelerar o seu crescimento e, consequentemente, seu sucesso”, comenta Brendon Kim, Vice-Presidente e Diretor Executivo do Samsung NEXT Ventures. “O fundo da Samsung NEXT amplia os nossos alcance e capacidades globais, enquanto aumenta o acesso da Samsung a grandes ideias, produtos e talentos”.

Em setembro, o Samsung NEXT lançou o seu último escritório em Tel Aviv, Israel (Samsung NEXT Tel Aviv). A nova localização é a quinta para a organização, que atualmente possui equipes em Mountain View, Nova York, São Francisco, nos Estados Unidos, e Coreia do Sul. O Samsung NEXT inaugurará mais unidades em 2017.

“Estamos muito apaixonados por realizar parceria com as startups e desenvolver relacionamentos significativos nos ecossistemas de novas empresas ao redor do mundo”, diz Emily Becher, Diretora Executiva do Samsung NEXT Start e responsável pela expansão internacional do Samsung NEXT. “Potencializamos os especialistas locais para alimentar a força de tração e aumentar a escala para as startups em todo o mundo”.

Para coincidir com a expansão internacional do Samsung NEXT e o lançamento do fundo, a empresa tem iniciado seu primeiro esforço de reformulação, que inclui a renomeação da sua organização para “Samsung NEXT” e a emissão de um novo logo e um site. Com isso, a meta da companhia é simplificar sua identidade e esclarecer sua mensagem e missão.

Pela primeira vez, no Parque Eureka da CES 2017, o Samsung NEXT apresentou as startups apoiadas, que estão superando aos limites com as novas tecnologias de ponta e as soluções inovadoras. O estande contou com a presença dos fundadores dessas empresas e ofereceu experimentação de produtos únicos, tais como:

– Baobab Studios – Animação em realidade virtual (VR). baobabstudios.com

– BioBeats – Inteligência artificial (AI) e saúde digital. biobeats.com

– Branch – Ligação de dados móveis. branch.io

– Filament – IoT. filament.com

– LiquidSky – Computação e jogo em nuvem de ultrabaixa latência. liquidsky.tv

– Lotik – Inteligência hídrica wireless. lotik.io

– Mapzen – Serviços de mapeamento de fonte aberta. mapzen.com

– Otto Radio – Coleta e apresentação ao público de notícias e transmissões de programas pela internet com o toque de um botão. ottoradio.com

– UniKey – Controle de acesso alternativo. unikey.com

Tags,

O que mudar em seu planejamento de marketing em 2017 – Por Rafael Damasceno

Em 2016, passamos por um momento de extrema instabilidade política, que resultou em um impeachment presidencial, além de outros fatores que atingiram diretamente os rumos da economia brasileira. Investimentos em queda e incertezas no futuro, fizeram com que o PIB (Produto Interno Bruto) recuasse mais de 4% nos primeiros três trimestres desse ano, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no final de novembro. São sete trimestres seguidos de recuo!

Apesar dos economistas não estarem tão animados com a ano que chega, meu otimismo me faz considerar a velha lógica de “quanto pior a crise, melhores os anos seguintes”, 2017 poderá nos brindar com uma retomada no crescimento econômico, abrindo assim, novas oportunidades para voltar a investir. Esse cenário nos leva a uma simples pergunta – sua empresa e os projetos dos quais você faz parte estão preparados para explorar essa oportunidade? Creio que esse seja um momento para ajustar seus esforços de Marketing Digital e aproveitar ao máximo a evolução que está por vir.

Primeiramente, é preciso analisar o quanto você investe de seus recursos para levar visitantes para seu site. Certamente deve ser um número muito superior ao que é investido no que acontece após a chegada deles ao seu site. Lembre-se que é isso que transformará essas visitas em clientes ou leads e esse desequilíbrio provavelmente está impedindo seus projetos de crescerem em seu máximo potencial. O direcionamento de tráfego para uma página que não está otimizada para converter esses visitantes traz baixíssimo retorno.

Ao planejar as ações de marketing digital da sua empresa em 2017, busque um equilíbrio entre os investimentos em geração de tráfego e otimização de conversão (CRO). A principal vantagem disso é um exponencial aumento de faturamento, já que o aumento das suas conversões, sejam elas vendas diretas ou leads qualificados, naturalmente aumentará os seus recebimentos. Isso faz com que sua margem de lucro também suba. Temos exemplos de empresas que obtiveram 10% de aumento em seu faturamento, após investimentos na conversão de visitantes, e que tiveram 50% de aumento nos lucros, pois eles elevaram seus ganhos sem adicionar novos custos ao seu negócio.

Outro fator bastante relevante é o aumento do ROI (retorno sobre o investimento) em todas as fontes de tráfego de seu site, que otimizado traz mais eficiência na conversão. Com um retorno favorável, é possível investir de forma mais agressiva em mídia do que seus concorrentes, o que lhe dá uma vantagem competitiva gigantesca.

Após passarmos por um período tenebroso, acredito que 2017 será de fato um ano de novas oportunidades e precisamos aproveitá-las ao máximo de forma eficiente. Pense muito e reveja suas perspectivas para explorar os próximos 12 meses para que seu negócio cresça na velocidade mais alta possível, assim você colherá os frutos desse esforço por um bom tempo!

Rafael Damasceno, CEO da Supersonic, primeira empresa brasileira empresa 100% focada no aumento das taxas de conversões de sites

Tags, , , ,