Page

Author admin

Clientes digitais versus empresas analógicas – Por Gabriel Lobitsky

A palavra transformação digital pode até parecer mais uma tendência tecnológica, afinal, todos ainda falam em nuvem, e da mesma forma como o cloud computing veio para ficar, a transformação digital também. A prova disso são as estimativas de mudanças em diversos setores da economia que são preditas em estudos.

O primeiro, da IDC, mostra que essa transformação terá um impacto superior a US$ 1 trilhão nos gastos das empresas esse ano; outro, da Accenture, afirma que até 2020, 25% de toda a nossa economia será digital e 48% do trabalho que fazemos hoje já não existirá em cinco anos. Por último, a mais recente pesquisa do Facebook afirma: até 2020, 80% dos serviços de customer service como conhecemos hoje não existirão. Mas, será que as empresas estão preparadas para o impacto dessas mudanças?

Vamos falar sobre o setor de manufatura

A indústria nunca esteve tão tumultuada e aquecida como atualmente. Mesmo falando em novos progressos, modelos de negócios e aquecimento do setor, há, ainda, uma dificuldade com o básico, que é demonstrado pelas baixas taxas de crescimento ocasionadas por atrasos em processos operacionais e de gestão. Mas, de que lado a indústria vai ficar? No das oportunidades ou das barreiras?

É evidente que o setor pode ter sucesso com a próxima geração de tecnologias, pois a digitalização, internet das coisas, machine learning, big data e realidade virtual aumentada mudarão a forma de trabalho em muitos setores, permitindo que as indústrias, por exemplo, tenham uma visão completa do presente e futuro da sua cadeia de abastecimento.

Embora o setor esteja lidando com dores constantes, a digitalização na manufatura já está acontecendo. Existem diversos casos de sucesso que comprovam isso, vemos empresas como Ferrari, Dunlop Aircraft Tyres, JR Watkins aproveitando o melhor das aplicações em nuvem e dos ERPs. Hoje, com o apoio da tecnologia, essas empresas conseguem melhorar a produtividade e ter uma visibilidade melhor dos seus negócios.

O que Uber e Airbnb têm para ensinar?

Foco no cliente e na experiência do consumidor. É assim que empresas com o modelo de entrega de serviços, como Uber e Airbnb, têm para ensinar. Hoje, serviços básicos de carona e hospedagem podem ser solicitados por um custo relativamente menor do que os ofertados pelos modelos tradicionais, e com uma experiência superior, mas o que essas empresas podem ensinar às indústrias está resumido nos seguintes pilares:

– Desenvolvimento de uma estratégia centrada no cliente

– Preocupação com a experiência do consumidor

– Foco no efeito final e não apenas no produto

Hoje, as tecnologias têm o potencial de fazer grandes mudanças e virar o jogo para o setor de manufatura, que pode ir muito além da indústria 4.0, com modelos de negócios centrados em ofertar serviços de valor e personalizados aos seus clientes.

As tendências como machine learning, internet das coisas e big data estão aí para ensinar a indústria que é possível pensar à frente do seu tempo. Afinal, a era da digitalização da manufatura exigirá que as empresas não pensem apenas no design do produto, emissão da ordem de pedido, embarque e entrega. Será preciso estar atento à experiência pós consumo, e, para isso, o setor de manufatura precisará respirar analytics e KPIs, pois toda boa experiência começa nos bastidores: com a compreensão do que os dados têm a dizer.

Gabriel Lobitsky, diretor de Vendas da Infor

Tags, , ,

Presidentes de bancos, prefeito de São Paulo e youtuber Zach King serão alguns dos destaques do Ciab FEBRABAN 2017

Mais de 280 palestrantes do Brasil e do mundo já estão confirmados para a 27ª edição do Ciab FEBRABAN, principal congresso de tecnologia da informação para o setor financeiro da América Latina. Com o tema central “Ser Digital”, os participantes poderão acompanhar 73 painéis, divididos em três trilhas técnicas: Produtos, Transformação Digital e Experiência do Cliente. O evento ocorrerá entre 06 e 08 de junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Em sua abertura, o Ciab FEBRABAN receberá Murilo Portugal, presidente da FEBRABAN; Gustavo de Souza Fosse, diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN; João Doria, prefeito de São Paulo; Maurício Machado de Minas, presidente do Conselho do Ciab e vice-presidente do Bradesco; e Adalberto Felinto da Cruz Júnior, secretário-executivo do Banco Central do Brasil.

Destaques

No primeiro dia do evento, logo após a abertura, o auditório FEBRABRAN receberá como keynote speaker, João Doria, que ministrará palestra sobre o tema “Cidades Inteligentes”, a partir das 10h30. Em seguida, às 11h45, Sérgio Rial, presidente executivo do Santander Brasil, abordará o Mundo pós-digital. Outro destaque será Dag Detter, autor e consultor de Investimentos da Detter & CO. Ele estará em um painel, no auditório A, partir das 14h00, junto com Sérgio Cutolo, vice-presidente do BTG Pactual, e o moderador Renato Villela, diretor de Participações Societárias e Imobiliárias da Funcef. Eles falarão sobre o tema “A Riqueza Pública das Cidades”.

Já no segundo dia, a palestra de destaque será do Paulo Rogério Caffarelli, presidente do Banco do Brasil, que abordará A conveniência de ser mais que digital. Quem encerra as atividades no auditório principal é Oscar Salazar, cofundador do Uber.

O keynote speaker, que finalizará a programação do Ciab FEBRABAN, será o norte-americano Zach King. O ilusionista faz sucesso no Youtube e ficou mais conhecido ainda depois de levar seu conteúdo para outras plataformas como Vine e Instagram. Zach fará a palestra “O Contador de Histórias que há em nós”.

Trilhas Técnicas

A trilha de Produtos inclui a parte de seguros e de Meios de Pagamento, que foram desenvolvidas em parceria com a CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) e com a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços), respectivamente. Dentro desta trilha, será realizado um painel de discussão sobre a Nova Plataforma de Cobrança, que contará com a participação do João Carlos Pinto de Mello, gerente executivo da Diretoria de Soluções Empresariais do Banco do Brasil; Joaquim Kavakama, superintendente geral da CIP, e terá como moderador Leandro Vilain, diretor de Políticas de Negócios e Operações da FEBRABAN. Esse painel ocorrerá no primeiro dia, no auditório G3, às 14h.

Um dos temas que serão mais debatidos durante a trilha de Transformação Digital de todo o evento será o blockchain. Os visitantes poderão acompanhar discussões que mostram desde as aplicações dessa tecnologia, cases de grandes players da indústria bancária, até tendências que estão sendo implantadas em outros países. Além disso, a trilha também abordará temas como tecnologias disruptivas, inteligência artificial, APIs, analytics, computação cognitiva, moedas virtuais, cloud, segurança da informação e infraestrutura.

Já na trilha de Experiência do Cliente, o auditório G3 será palco de um interessante debate que abordará o Futuro das Agências e Agências do Futuro, a partir das 15h30. O painel terá a participação de Sérgio Biagini, sócio da Deloitte, consultoria que realiza a Pesquisa de Tecnologia Bancária da FEBRABAN; Maritza Guaderrama, CEO da Designit Spanhã & LATAM e Neudson Peres de Freitas, do Banco do Brasil. Outros temas que serão abordados pelos painéis serão fintechs, canais de atendimento, pessoas e user experience.

Para conferir a programação completa do congresso de tecnologia, acesse: www.ciab.org.br

Ciab FEBRABAN

Data: 06 a 08 de junho de 2017

Local: Transamerica Expo Center (avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro)

Site:http://www.ciab.org.br

Tags, , , ,

T-Systems Brasil muda quadro executivo

A T-Systems Brasil, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, concluiu duas importantes mudanças em seu quadro executivo. Luis Fernando Tadei acaba de assumir o cargo de head de Digital Transformation e Guilherme Barreiro, a função de head de Delivery de Serviços de ITO da companhia.

73f0610d7eaa575ea9409662bf01dcda

Formado em Análise de Sistemas pela USF (Universidade São Francisco) e com MBA em gerenciamento de projetos pela Babson University (EUA), Luis Fernando Tadei está na T-Systems desde 2012. O executivo tem passagens por empresas como IBM, SAP e Continental.

“A área de transformação digital da T-Systems Brasil, além de olhar para novos modelos de negócios, vai utilizar toda a tecnologia disponível para levar o mais alto nível de inovação, com valor agregado, aos clientes”, explica Tadei, lembrando que, para isso, centros de inovação da companhia em todo o mundo, inclusive no Brasil, estão à disposição da equipe como fonte de informação, sinergia, produtos e tecnologias.

00176e83074f0ef3a901920e5d030f3d

Formado em Engenharia da Computação (Universidade São Judas) e Análise de Sistemas (IBTA), Guilherme Barreiro está na T-Systems desde 2009.O executivo já passou pelas áreas de serviços SAP, gerenciamento de operações e contas globais. Na nova função, Barreiro será o responsável por todas as iniciativas em nuvem da T-Systems.

“A T-Systems é uma das empresas pioneiras em ofertas em nuvem. Há mais de dez anos estamos consolidando nossas ofertas que hoje compõem um dos mais completos portfólios do mercado brasileiro”, afirma.

Tags, ,

Startups industriais movimentam Expomafe

84ef5361-3a4e-4f80-a9fa-89ebab52f8dc

As startups AutomatSmart, Birmind Automação Industrial, ForSee, IndWise, Peerdustry, VirtualCAE e Virturian tiveram impacto expressivo na EXPOMAFE 2017 – Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial. O evento foi uma iniciativa da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) e ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), com organização e promoção da Informa Exhibitions. As startups realizaram cerca de 600 contatos com tomadores de decisão representativos de grande parte do parque industrial brasileiro, criando as bases para escalar suas soluções de Manufatura Avançada.

No terceiro dia de feira, 11 de maio, elas atraíram a atenção do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que dedicou uma hora de sua agenda para conhecer os projetos que estavam em exposição. Também esteve presente o economista Ricardo Amorim, que apresentou uma palestra sobre o cenário econômico brasileiro na cerimônia de lançamento da Feimec 2018 (Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos). Em sua palestra, Ricardo Amorim afirmou que acredita que a recuperação da economia em 2017 e 2018 será ainda mais robusta do que indicam as previsões. Para ele, não será surpresa se o Produto Interno Bruto brasileiro registrar alta de 5% a 6% no próximo ano, muito acima dos 2,5% previstos. “Houve uma virada na confiança. Confiança gera expectativa, que historicamente é sempre superada pelos resultados reais”, afirmou.

As startups fizeram parte da linha conceito da Demonstração da Manufatura Avançada, uma iniciativa em parceria com Abimaq, SENAI São Paulo, ABDI, empresas, instituições de ensino e agências de fomento. O objetivo foi mostrar na prática como transformar uma fábrica tradicional em fábrica inteligente, capaz de utilizar a tecnologia para aumentar a produtividade, a eficiência, o poder de customização e gerar retornos crescentes em escala e melhoria de processos em diversos setores do segmento industrial, além de reduzir o prazo para lançamento de novos produtos no mercado.

Veja abaixo como cada startup transforma a manufatura que conhecemos em algo completamente novo:

AUTOMATSMART TECH: sua Plataforma MTQuest monitora produtividade industrial com Mobilidade, Cloud e Inteligência Artificial, fornece índices de manutenção e integra os dados com fornecedores de solução;

BirminD Otimização Industrial: empresa de otimização industrial, utiliza soluções integradas para mapear processos, adequá-los a padrões e normas internacionais, melhorar performance e elevar a cybersegurança da operação;

ForSee: completa plataforma que transforma qualquer empresa numa indústria 4.0, usando dispositivos IoT e inteligência artificial que operam como um consultor em tempo real, analisando os dados da empresa e sugerindo ações de melhoria que já aumentaram a produtividade em até 900% e cortaram custos em até 88%.

IndWise: plataforma de gestão da produtividade de linhas produtivas, que coleta dados diretamente de máquinas e gera análises em tempo real para minimizar paradas e desperdícios produtivos;

Peerdustry: primeira plataforma de economia compartilhada para máquinas industriais do mundo;

VirtualCAE: Sistemas de engenharia de produto em ambiente virtual que analisam componentes e proporcionam otimização de material e design, objetivando a redução de custo e a melhoria do desempenho estrutural;

Virturian: solução digital de monitoramento e análise preditiva da condição de equipamentos industriais a partir da análise dos dados de operação dos motores elétricos, reduzindo número de paradas de produção e o custo de manutenção em até 30%.

Tags, , , , , , , , , ,

OLX fala sobre Big Data e atração de talentos no evento rio.Futuro

A OLX participará da primeira edição do rio.Futuro, conferência sobre transformação digital que acontece nos dias 25 e 26 de maio, no Rio de Janeiro. Voltado para as mudanças que o digital traz para os negócios, para a educação e para a sociedade, o evento reunirá mais de 40 palestrantes de diversos países e áreas de atuação para discutir e propor soluções sobre mobile, tecnologia, dados e pessoas.

Marcos Leite, CCO da OLX, será um dos convidados de uma mesa redonda sobre os variados usos práticos de Big Data, no segundo dia do evento, trocando informações e experiências com Luiza Boller, diretora de Marca da Booking.com, Isabella Botelho, fundadora da Pinpeople, e Cassia Messias, country manager da Socialbakers.

No mesmo dia, Simone Grossmann, CHRO da OLX, participa de uma mesa redonda com moderação de André Miceli, professor e coordenador acadêmico na FGV, e participação de Lia Vicente, Head de Marketing para Soluções de Talentos na América Latina do Linkedin, e Caio Chedid, IT Sales e Digital Manager da Robert Walters, debatendo sobre como as empresas estão trabalhando para atrair, formar e reter talentos dentro de novos perfis.

A conferência rio.Futuro é a primeira de uma série de eventos criados pela MOX Digital, empresa voltada para a organização de eventos sobre inovação e tecnologia.

rio.Futuro

Quando: 25 e 26 de maio de 2017

Onde: Hotel Prodigy Santos Dumont – Rio de Janeiro (RJ)

www.riofuturo.com

Tags, , ,

Bancos e clientes estão seguros?

Tudo e todos conectados o tempo todo; mas, estamos seguros? Desde o surgimento do serviço de internet banking até agora, com os recursos móveis, as instituições financeiras foram obrigadas a intensificar investimentos nos sistemas de segurança. Afinal, as perdas mundiais por ataques cibernéticos de várias naturezas somaram US$ 315 bilhões em 2015, de acordo com o último levantamento da consultoria Grant Thornton.

Não são raros os casos de invasão em contas dos clientes, que resultaram em prejuízo aos bancos, quando se fala em e-banking. O assunto está mais evidente do que nunca neste momento em que surgem novas tecnologias de pagamento eletrônico, Near Field Communication (NFC) ou contactless e Internet das Coisas (IoT). Na semana passada, então, aproximadamente 150 países experimentaram a fúria do ransomware denominado ‘WannaCry’. Considerado o maior ciberataque de que se tem notícia, tirou do ar os computadores baseados no sistema Windows de empresas e serviços públicos. Ainda não há notícias precisas se ele afetou algum sistema financeiro e que tenha causado prejuízos nesse segmento. A finalidade dos criminosos é o pedido de resgate pelas informações gravadas e não diretamente operações financeiras. O acontecimento, porém, demonstrou o quanto estamos vulneráveis.

“As instituições financeiras estão entre os maiores investidores em segurança, já que divulgaram recentemente investimento de R$ 18,6 bilhões em tecnologia no ano passado”, afirma Luis Veiga, diretor da CARDS. “Todos os grandes bancos estão atentos à tecnologia blockchain, uma estrutura de dados para dar confiabilidade às transações feitas com as moedas virtuais como o Bitcoin, por exemplo.” Durante o congresso da CARDS PAYMENT & IDENTIFICATION 2017, de 23 a 25 de maio no Transamérica Expo Center (São Paulo, SP), essa discussão sobre sistemas antifraude estarão em ebulição.

Os participantes podem conferir os temas Cybersecurity / Fraude, no dia 25/05, às 9h30; ou Tecnologias e Experiências de Pagamento on-line – como Criar Experiências de Compras mais Seguras e Inovadoras, no dia 23/05, às 11h. No debate entre representantes das principais instituições estarão em pauta temas como garantir segurança nas transações de pagamento, redução de riscos, biometria, machine learning como auxílio na detecção das fraudes e o que está pensando o cliente lá na ponta.

A NCR – tradicional desenvolvedora de soluções omnichannel – traz à CARDS seu consultor sênior de Soluções de Fraude Simon Breeden. O especialista estará na palestra do dia 25/05, quando discorrerá sobre “Prevenção e Detecção de Fraudes: Como Garantir Segurança nas Transações de Pagamentos”. Breeden apresentará o software Fractals e vai focar em pontos como identificação de riscos e perdas, as novas tecnologias para gerar maior segurança dos dados e a visão do consumidor, como aprimorar a comunicação entre todos os envolvidos em uma compra, biometria e outras soluções para controle e prevenção.

Criatividade – Ataques cibernéticos que afetam o sistema financeiro podem não ser somente aqueles que invadem as contas dos clientes. Indiretamente, por exemplo, os criminosos influenciam funcionários de grandes empresas a movimentarem contas. No ano passado, a polícia federal dos Estados Unidos, o FBI, divulgou o resultado de investigações que revelaram um esquema contra 17.642 corporações, de todos os tamanhos, localizadas em 79 países. Hackers estudaram o organograma das empresas para identificar os responsáveis pela área financeira e seus hábitos. Os criminosos causaram o desvio de US$ 2,3 bilhões entre outubro de 2013 e fevereiro de 2016. O meio usado foi um simples e-mail aos responsáveis pela área financeira das empresas ordenando transferência de dinheiro para supostos pagamentos. O destino do dinheiro era uma conta bancária.

Há dois casos emblemáticos no Brasil. Em 2016, a página web de uma empresa financeira redirecionava os clientes para um site falso, que desativava o antivírus instalado na máquina do usuário e instalava um vírus coletor de dados. Já em 2013, foram roubadas informações de mais de 29 mil clientes de uma financeira, crime que só foi descoberto quase quatro anos depois, quando pessoas ligadas a empresas clientes sofreram chantagem.

Eventos que chamam muito a atenção do grande público são um chamariz para os criminosos virtuais. O chamado da Caixa Econômica Federal para o saque das contas inativas do FGTS, no início do ano, despertou os criminosos para criação de sites falsos, e-mails maliciosos e posts em redes sociais com o objetivo de distribuir trojans bancários, alterar o roteador da vítima e roubar dados pessoais. Para minimizar esse impacto, os bancos têm criado campanhas para alertar seus clientes sobre os perigos de fornecer informações para fontes que não confiam.

Tags, ,

Samsung e Anprotec anunciam nova rodada de investimentos e aceleração para startups do Brasil

A Samsung e a Anprotec anunciam neste sábado, durante o Sebrae Startup Day, a chamada pública para selecionar novos empreendedores e projetos para a terceira rodada do Programa de Promoção da Economia Criativa, resultado da colaboração entre a empresa, a Associação e o Centro Sul-Coreano de Economia Criativa e Inovação (CCEI), com o apoio do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC).

“Nesta rodada, o número de vagas foi ampliado para até 20 startups e o investimento pode chegar a R$ 250 mil por empreendimento”, destaca Antonio Marcon, gerente de Pesquisa & Desenvolvimento da Samsung e coordenador nacional do programa. “Outra grande novidade é a expansão institucional do programa, que agora conta com a parceria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), estimulando projetos inovadores também em Agricultura Digital, além de preservar outras áreas tecnológicas já fomentadas pelo programa, como Mobilidade, Realidade Virtual, Saúde Digital e Educação Digital. Estamos muito otimistas com possibilidades tecnológicas e potenciais negócios que podem surgir a partir desta nova aliança.”

“A agricultura digital visa empregar tecnologias da informação e da comunicação, além de métodos computacionais de alto desempenho, rede de sensores, comunicação e conectividade entre máquinas e dispositivos móveis, computação em nuvem e soluções analíticas para processar grandes volumes de dados, construir sistemas de suporte à tomada de decisões de planejamento e manejo em toda cadeia de valor da agricultura”, afirma Silvia Massruhá, chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária. “Nossa expectativa é estimular a inovação, com a introdução de novas soluções tecnológicas para apoiar a produção e o consumo sustentável, de forma a garantir a segurança alimentar para as futuras gerações”, complementa.

Ao ingressarem no programa, as empresas selecionadas recebem apoio financeiro e um amplo pacote de conveniências que visam o aprimoramento tecnológico e mercadológico de seus produtos e serviços. Entre as atividades destacam-se o acesso a tecnologias e laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, treinamentos, assessorias, mentorias, networking e redes de investidores.

“Os participantes desta etapa também irão se beneficiar de uma rede ampliada de incubadoras de empresas distribuídas em todo o território nacional. Outro fator a destacar é que, nesta edição, as aceleradoras de empresas também podem se integrar ao programa, ou seja, as startups contarão simultaneamente com o apoio integrado de incubadoras e aceleradoras de negócios”, afirma Sheila Oliveira Pires, diretora Executiva da Anprotec.

Os candidatos de todo o Brasil interessados em participar do programa podem realizar suas inscrições até 20 de agosto no portal http://anprotec.org.br/samsung. Para se cadastrarem, as startups devem apresentar seus projetos de produtos ou serviços em umas ou mais áreas de interesse. As propostas submetidas serão avaliadas por uma banca especializada, formada por comitês de executivos da Samsung, Anprotec, Embrapa e da rede de incubadoras credenciadas.

Incubadoras e Aceleradoras integradas

As empresas selecionadas nesta rodada serão convidadas a incubar seus projetos durante a vigência do programa em uma das incubadoras e aceleradoras credenciadas em todo o território nacional. Os empreendimentos oriundos de regiões e municípios diferentes das regiões das incubadoras e aceleradoras também podem concorrer e, caso sejam selecionados, serão transferidos para uma unidade recomendada pelo comitê gestor do programa durante o período de incubação.

Tags, , , , ,

4 impactos da alta do dólar para as finanças

Os acontecimentos políticos, nacionais e internacionais, refletem no valor do dólar, que hoje está em R$ 3,31. Não é a sua maior cotação, contudo isso gera impactos para todos os brasileiros – sejam investidores, empresários ou consumidores comuns. Veja abaixo os quatro principais impactos da alta do dólar para as finanças:

Competitividade entre as empresas

Os impactos tendem a ser positivos para empresas e indústrias nacionais, já que com a alta do dólar a competitividade das vendas é estimulada.

Já para as empresas importadoras, que compram seus produtos do exterior em dólar, há um encarecimento em todo o processo, o que, irremediavelmente, acaba sendo repassado para o consumidor final.

Aumento dos preços em geral

O aumento do dólar gera um aumento na inflação de modo geral, já que matérias-primas de produtos consumidos largamente no Brasil – como o trigo para o pãozinho, por exemplo – passam a custar mais caro.

Logo, o encarecimento de produtos e serviços diminui o poder de compra do brasileiro. Não se trata de um momento para pânico, mas é preciso considerar que a inflação e o desemprego também batem a porta.

O melhor a fazer é reunir a família e rever as despesas diárias e mensais, para viver em seu real padrão de vida. Infelizmente, muitas gastam mais do que ganham e não têm estrutura financeira para suportar variações econômicas.

Rentabilidade dos investimentos

Para quem tem investimentos atrelados ao dólar ou compra a moeda americana propriamente dita, a alta possibilita um aumento de ganhos. O mesmo vale para quem tem ações em grandes exportadoras.
Contudo, a instabilidade do governo Donald Trump (EUA) é um importante fator a ser considerado. Antes de tomar qualquer decisão, é válido buscar a assessoria de um especialista, evitando agir por impulso.

Encarecimento de viagens internacionais

Para quem está pensando em viajar para o exterior, o momento é de cautela e de conscientização. Afinal, o aumento nos preços se dá já das despesas básicas, como com passagens, hospedagens e uso de cartões de créditos internacionais.

Caso a pessoa ou família não tenha feito um planejamento prévio, orçando todos os custos e poupando mês a mês para realizar este sonho com tranquilidade financeira, o ideal é deixar a viagem para um outro momento.

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin – www.abefin.org.br) e da DSOP Educação Financeira (www.dsop.com.br).

Tags, ,

Parque tecnológico abre seleção para empresas

be12dc7d-52a9-4ef0-8ee0-5af084840f46

Vai até 23/05 o prazo para inscrição de projetos no Edital de Chamamento Público para seleção de empresas a ocuparem o Pelotas Parque Tecnológico, empreendimento voltado à incubação e fomento de empresas de base tecnológica.

Como integrante do Conselho de Administração do Parque, o SEPRORGS, que foi uma das primeiras organizações a se instalar no local, em novembro de 2016, apoia o empreendimento e convida empresas a buscarem os benefícios oferecidos pela instalação nesta estrutura, que conta com espaços e condições propícias ao desenvolvimento das empresas.

Para concorrer no processo de seleção é preciso que o proponente seja uma pessoa jurídica legalmente constituída e possua projetos ou atividades tecnológicas nas áreas ou setores de Tecnologia da Informação e Comunicação, Indústria da Saúde e Indústria Criativa, entre outros quesitos que podem ser conferidos na íntegra no edital.

O Pelotas Parque Tecnológico tem por objetivo ser um centro de referência para as empresas embrionárias no segmento de TIC e demais áreas abrangidas, por meio da criação de um ambiente único e favorável para disseminação da ciência, tecnologia, inovação e conhecimento.

Também é meta do empreendimento estimular a troca de conhecimento para a criação de novos produtos e serviços, o surgimento de spin-offs e a melhoria da competitividade das empresas instaladas por meio do compartilhamento de experiências e fomento de parcerias.

O edital está disponível em: https://goo.gl/6lEaIK

“Esperamos que nossos associados aproveitem esta seleção para adentrar o espaço do Parque, que é muito propício à inovação, à criação de produtos disruptivos”, comenta Sergio Santi, diretor da Regional Pelotas do SEPRORGS. “O Parque possibilita uma grande sinergia entre as empresas, universidades e entidades presentes, gerando uma convivência interessante para a geração e evolução de processos, produtos e serviços. Isso poderá ser um grande motor para mudar a matriz econômica da região de Pelotas, reforçando o mercado de TI”, finaliza.

Tags, , ,

Nova Plataforma de Prospecção utiliza Big Data para trazer clientes

Muitos consultores e executivos de mercado dizem que “Big Data é como sexo na adolescência: todo mundo está falando que faz, mas poucos realmente o fazem.”

Pois bem: a Econodata, startup gaúcha investida pela Wayra do Grupo Telefonica, está realmente tirando o máximo proveito do grande volume de dados existente na internet.

Hoje a startup lançou a nova versão do Prospector, plataforma que utiliza as tecnologias envolvidas com Big Data para permitir aos seus clientes prospectarem em uma base de dados com 20 milhões de empresas brasileiras.

“A Plataforma permite ao cliente aumentar suas receitas por meio de uma prospecção mais eficiente, mirando no alvo certo, como um sniper”, afima Paulo Krieser, CEO e fundador da Econodata.”Além disto, diminuímos os custos com o setor comercial, pois não é mais necessário os vendedores ficaram gastando horas e horas pesquisando empresas no Google.”

A startup aposta forte na inovação. Foram criados sofisticados algoritmos que extraem dados em uma grande quantidade de fontes, e posteriormente fazem o cruzamento dessas informações, trazendo grande valor ao cliente no momento da pesquisa.

Dentre as novidades da versão recém-lançada, tem-se uma base de dados com quase todas as empresas do Brasil e uma busca por dados mais atualizados.

A empresa apresenta cases como o da Città Telecom, onde se conseguiu aumentar em 10 vezes o número de oportunidades geradas utilizando a Plataforma da Econodata.

Atualmente a Econodata conta com mais de 70 clientes, como ProJuris, Viasoft e Nutricash.

Tags, , , ,

TIVIT firma parceria com Liga Ventures para se aproximar de startups

A TIVIT, líder em serviços integrados de tecnologia – agora faz parte da Liga IoT, projeto liderado pela Liga Ventures – aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes corporações. O objetivo da parceria é buscar sinergias e promover a inovação.

A TIVIT sempre estimulou o avanço e adoção de novas soluções tecnológicas, recentemente inclusive a companhia reestruturou o portfólio e criou uma nova diretoria para estimular os serviços digitais. “Apoiar a Liga Ventures faz parte do movimento de incentivo ao digital. Aos nos aproximarmos de startups, temos a oportunidade de trocar cultura e aprendizado com essas empresas, e com isso fomentar a inovação e novas soluções para nossos clientes”, afirma Norberto Tomasini, Diretor de Digital & Business Solutions Sales da TIVIT.

“É uma conexão onde todos ganham. As startups têm inovação no seu DNA e precisam criar novos negócios de forma ágil e eficaz; enquanto as grandes empresas têm acesso a mercado, expertise e uma marca consolidada”, diz Rogério Tamassia, sócio-diretor da Liga Ventures, que também tem programas com a Porto Seguro, AES Brasil, EMBRAER e Mercedes-Benz, entre outras.

“A Liga IoT integra um importante ecossistema que com certeza contribuirá para o avanço da Internet das Coisas no Brasil. Esperamos com essa parceria criar novas tecnologias e gerar novos negócios juntos. Essa troca facilita a transformação digital, e com certeza irá beneficiar a TIVIT e seus clientes”, ressalta Tomasini.

O programa de inovação aberta criado para prospectar, selecionar e acelerar startups ligadas à Internet das Coisas trará soluções de negócio para diversos setores como agricultura, varejo, indústria, automação de casas e edifícios e cidades inteligentes.

As startups selecionadas passarão por um programa de aceleração de quatro meses em São Paulo. Durante esse período, elas terão acesso a tecnologias e mentorias com executivos da TIVIT e de outras empresas, com quem poderão explorar sinergias e oportunidades de negócio, além da rede de mentores da Liga Ventures e a amplo networking com potenciais parceiros e investidores. O primeiro ciclo do programa começará em 22 de maio.

Tags, , ,

SAP oferece soluções cloud focando a profissionalização de pequenas e médias empresas

A SAP anuncia uma oferta para atender às crescentes necessidades de gestão profissional das empresas de pequeno e médio porte no Brasil. Segundo a última pesquisa realizada pelo Sebrae e pela Fundação Getúlio Vargas, as mais de nove milhões de pequenas e médias empresas representavam 27% do PIB nacional. Esse número, em valores absolutos, soma um total de R$ 599 bilhões (quatro vezes mais do que o resultado da última década).

A estratégia da empresa é a oferta do software de gestão SAP Business One no formato de serviços (SaaS). Com assinatura mensal, a partir de R$ 250,00 por mês para empresas com até 25 usuários, além do custo de hospedagem na nuvem de um provedor a ser escolhido pelo cliente, este modelo de serviços flexibiliza o acesso ao software e aumenta a transparência na gestão de empresas em crescimento.

“Como não há um investimento inicial na compra de software – o que imobilizaria um capital que normalmente as pequenas empresas não tem -, a aquisição da solução torna-se realmente uma decisão de estratégia de profissionalização da gestão. Por isso, o SAP Business One é a solução perfeita para PMEs que estão pleiteando aportes e investimentos para dar um salto de crescimento, precisam profissionalizar suas operações, garantindo aos investidores transparência na gestão”, afirma Cristina Palmaka, presidente da SAP Brasil.

Hoje, no Brasil, organizações como Instituto Ayrton Senna, 1900 Pizzeria, Cisa Brasile, Global Aviation e até times de futebol, como o Palmeiras e o Botafogo (da cidade paulistana de Ribeirão Preto) utilizam o SAP Business One para fazer a gestão de suas operações administrativas.

Para se ter uma ideia da importância das pequenas empresas no Brasil buscarem a profissionalização da gestão de seus negócios, em 2016, as fintechs (empresas iniciantes de tecnologia do setor financeiro) receberam aportes totais no valor de US$ 161 milhões (cerca de R$ 515 milhões), de acordo com Relatório da Global FinTech Hubs Federation, Federação internacional que reúne associações de apoio a startups. O Brasil ocupa só a 7ª posição em volume de investimentos, o que demonstra que startups e pequenas empresas nacionais também necessitam ter uma governança bem definida da gestão para atrair investidores.

Gestão de fornecedores

Seguindo a mesma demanda por soluções que ajudem a impulsionar os negócios das PMEs, a SAP também disponibiliza ao segmento a solução em nuvem SAP Ariba, uma ampla rede online que conecta vendedores e compradores de todo o mundo.

“Com a mesma solução que já é usada por grandes companhias globalmente, empresas em crescimento podem ganhar agilidade, diminuir custos, reduzir riscos e aumentar a receita por meio de uma melhor gestão de compras e contratos com parceiros comerciais”, conclui Cristina.

Atualmente, a rede SAP Ariba conecta 2,3 milhões de fornecedores com empresas de todos os tamanhos no mundo. Só no Brasil 13.000 companhias usam a rede para otimizar seus processos de compras. Entre elas estão o Aché Laboratórios e a Atento.

Tags,