Page

Author admin

Computadores quânticos vão desafiar cibersegurança em 2020 – Por Luis Casuscelli

Os ciberataques que atingiram mais de 150 países nas últimas semanas voltaram a chamar a atenção para o tema da proteção de dados de empresas, governos e indivíduos, em um mundo cada vez mais digitalizado.

A resposta de autoridades e empresas de Cybersecurity nesse caso foi rápida e impediu danos mais relevantes. No entanto, acreditar que o conhecimento que possuímos hoje será suficiente para fazer frente às ameaças cibernéticas no futuro próximo seria um engano, porque o próximo grande desafio nesse campo já tem data marcada: 2020.

Daqui a menos de três anos, estarão disponíveis para comercialização os primeiros computadores quânticos, capazes de executar operações em velocidade incomparável à melhor alternativa de computação clássica disponível hoje.

Por um lado, essa tecnologia trará suas muitas vantagens: intermediará e facilitará negociações no setor financeiro, aprimorará a definição de padrões para o mercado de seguros, auxiliará na segurança dos países e contribuirá para descobertas na indústria farmacêutica, química e na física quântica.

Por outro, a chegada dos algoritmos quânticos constitui uma ameaça sem precedentes aos sistemas convencionais de segurança da informação, exigindo o desenvolvimento da chamada criptografia “quântico-segura” (quantum safe) antes do uso generalizado de computadores quânticos.

Todos os dados que estão atualmente protegidos por padrões clássicos de criptografia deverão ser elevados a padrões quântico-seguros para permanecerem a salvo no futuro.

O período crítico é agora

Considerando que os primeiros computadores quânticos estarão comercialmente disponíveis a partir de 2020, como prevê a publicação Journey 2020, elaborada por especialistas da Atos, e que as mudanças nas normas de segurança demoram para serem postas em prática, isso faz do momento atual um período crítico.

O cálculo de tempo necessário para a transição deve levar em conta a previsão de disponibilidade comercial de computadores quânticos, menos o tempo necessário para assegurar os dados. Uma vez passado esse período, as empresas que não tiverem sua criptografia atualizada estarão à mercê de possíveis ciberataques de hackers que dominem tecnologia quântica.

Com isso, a demanda por TI quântica só deve crescer nos próximos anos. Entender e adotar computação e a criptografia quântica pode preparar com sucesso uma organização para as ameaças de segurança cibernética do futuro e ajudar tais organizações a aprender sobre suas próprias possibilidades.

Desafios e oportunidades

Uma das grandes dificuldades do processo de implementação será a carência de fornecedores e desenvolvedores de criptografia quântico-segura. Eles oferecem uma grande variedade de produtos e serviços que estão sempre se diversificando, mas o surgimento de profissionais cresce lentamente.

Os primeiros ingressantes nesse mercado serão aquelas organizações que têm altas exigências para manterem suas comunicações seguras. Empresas que têm muito a ganhar com a computação de algoritmos quânticos também serão pioneiras, já que possuem uma perspectiva mais clara de suas possibilidades.

A infraestrutura cada vez mais “inteligente” para os setores de energia, petróleo e gás e transporte, por exemplo, em combinação com a IoT, também formam um campo cada vez mais amplo para este avanço.

Para empresas dos demais segmentos, cabe fazerem uma avaliação sobre suas necessidades de segurança e possibilidades quânticas para decidir sobre como preparar sua infraestrutura de TI para o futuro com computadores quânticos.

Essas ponderações, contudo, dizem respeito apenas ao ritmo de implementação desses protocolos de segurança quântica. O caminho é o mesmo para todos e o prazo diminui a cada dia.

Luis Casuscelli é diretor de Big Data e Security da Atos América do Sul.

Tags, ,

Fintech F(x) investe em Inteligência Artificial

Altamente inovadora, a F(x) – leia-se FdeX, fintech que conecta empresas que buscam crédito à fontes de financiamento, realizou um investimento estratégico na sua área de Inteligência Artificial. Com o objetivo de oferecer o melhor serviço para seus clientes e tornar os algoritmos da plataforma muito mais inteligentes e assertivos, a empresa fechou uma parceria de transferência de tecnologia de Big Data e Inteligência Artificial com a The Hive Brasil, aceleradora com sede no Vale do Silício (EUA) que viu no mercado de crédito a oportunidade de alavancar sua tecnologia no País.

A F(x) aproxima financiadores institucionais a empresas com necessidades de financiamento através de seus algoritmos de “matching” que identificam as melhores combinações. Além disso, a plataforma disponibiliza para as empresas um pregão eletrônico pelo qual é possível receber ofertas indicativas de financiadores interessados e escolher a melhor oferta para negociação.

“Com os novos investimentos realizados em Inteligência Artificial, a grande vantagem é que os algoritmos da F(x) vão gerar leads cada vez mais qualificados para os bancos, além de acelerar a velocidade do processo de financiamento para as empresas”, explica Dan Cohen, CEO da F(x). “Atualmente o índice de assertividade dos algoritmos já está bastante elevado, afinal mais de 70% de todas as empresas listadas na plataforma não apenas receberam estruturas indicativas de financiamento, como também deram exclusividade de negociação para essas estruturas, mas nosso objetivo é aprimorar ainda mais essa tecnologia, realizando novos investimentos e focando em inovação”, complementa.

Além do aporte em tecnologia, a F(x) também aumentou seu time de especialistas na área. Rodrigo Guarino, sócio da The Hive Brasil, que já ocupou o cargo de CTO do Grupo Buscapé, vai trabalhar junto com Murillo Freitas, tech lead da F(x), e com Nelson Rezende, matemático com expertise em matemática computacional, no Tech Board da empresa a fim de desenvolver essas novas tecnologias dentro da plataforma da F(x).

Financiadores a um clique

A F(x) está constantemente investindo em tecnologia para garantir o sucesso do seu serviço. Com poucos cliques e seguindo apenas alguns passos, as empresas têm acesso a uma extensa base de financiadores.

Para os bancos e instituições de crédito o serviço é 100% gratuito. Para participar basta criar um usuário, uma senha e um perfil de crédito que pode incluir mais de 500 variáveis diferentes. Essas características definem o perfil das empresas com as quais os financiadores desejam trabalhar, quais as garantias aceitas e quais as características do financiamento.

Já as corporações devem atender o faturamento mínimo de R$ 10 milhões ou possuir garantias de valor superior a R$ 2 milhões e cadastrar, de maneira sigilosa e segura, uma série de informações e documentos diretamente na plataforma. Dan Cohen também comenta que a F(x) está sempre se atualizando e expandindo seus perfis de crédito, desta forma pode englobar um número maior de empresas de diversos portes.

Através dos pregões da plataforma as empresas podem escolher as melhores ofertas indicativas, dando a elas a exclusividade de negociação. A negociação final, o fechamento da operação e toda a parte transacional ocorre fora da ferramenta e são realizadas diretamente entre financiador e o tomador do recurso.

A F(x) não cobra pelo cadastro e análise de crédito das empresas, são pagos somente uma taxa para listar a empresa no pregão e uma taxa de sucesso, paga após a liberação dos recursos desejados.

Desde o início dos pregões da empresa, há cerca de 8 meses, a plataforma já gerou mais de R$ 250 milhões em estruturas indicativas de financiamento e a meta é chegar a R$ 1 bilhão em necessidades de financiamento listadas durante este ano.

Tags, , , ,

Wipro lança nove soluções para acelerar adoção de Blockchain

A Wipro Limited (NYSE: WIT, BSE: 507685, NSE: WIPRO), empresa global líder em Tecnologia da Informação, Consultoria e Serviços de Processos de Negócios, anuncia o desenvolvimento de nove soluções de Blockchain para as indústrias de Finanças (Bancos e Seguradoras), Manufatura, Varejo e Bens de Consumo. As soluções foram definidas e desenvolvidas em conjunto com clientes Wipro no Innovation Lab de Blockchain da companhia, mostrando o potencial da tecnologia de blockchain para o mundo corporativo.

As novas soluções da Wipro abrangem áreas como Delivery v/s Payments (DvP), gestão de colaterais (ativosdados como garantia depagamentopara uma obrigação de dívida) de terceiros, Skip Trace Consortia (processo de localizar o paradeiro de uma pessoa), financiamento, seguro ponto a ponto (P2P) para economia compartilhada e gestão de programas de fidelidade, com foco na indústria financeira. A Wipro também desenvolveu soluções anti falsificação e de rastreabilidade da cadeia de suprimentos, para uso por diversas indústrias. Os benefícios incluem melhoria na eficiência de processos, otimização de custos e capacidade de promover modelos de negócios mais inovadores.

O Innovation Lab de Blockchain da Wipro permite um provisionamento rápido de ambientes blockchain para a criação de protótipos e soluções que podem ser aplicadas de acordo com necessidades específicas dos clientes. Ao alavancar ambientes blockchain em um laboratório baseado em nuvem, os clientes podem acelerar o desenvolvimento de soluções blockchain, construindo modelos predefinidos prontos para uso. Junto com o laboratório, os clientes têm acesso a peritos e especialistas em tecnologia da Wipro, ferramentas proprietárias e ativos para iniciar sua jornada blockchain. O laboratório hospeda plataformas tecnológicas do ecossistema de parceiros Wipro, incluindo provedores de plataforma blockchain, provedores de aplicativos blockchain e provedores de tecnologia.

“Enquanto a primeira geração nos trouxe a “Internet da Informação”, a segunda geração, impulsionada pelo Blockchain, está nos trazendo a “Internet do Valor”, disseram Don Tapscott e Alex Tapscott, coautores da Blockchain Revolution e fundadores do Blockchain Instituto de Pesquisa, em conversa com Naveen Rajdev, CMO de Wipro Ltd., em uma edição especial da revista WOOL.

Don e Alex ainda acrescentaram: “A tecnologia de Blockchain promete simplificar radicalmente muitos processos de negócios, reduzindo riscos e aumentando a transparência. Empréstimos pessoais e comerciais, gestão de risco, serviços de tesouraria, mercados globais, seguros, tecnologia, operações e gestão de ativos, todos sentirão o efeito “.

Segundo o vice-presidente de transformação de serviços da Wipro, Krishnakumar N Menon, “nossa abordagem com blockchain é liderada pela inovação, impulsionada por nosso CoE (Centro de Excelência). Os clientes globais da Wipro estão ansiosos para desmistificar a tecnologia blockchain e buscar ativamente soluções que possam rapidamente entrar em produção. A próxima geração de ecossistemas digitais será construída em blockchain e, portanto, sabemos a importância de investir e dimensionar programas blockchain de acordo com as necessidades do cliente”.

Tags, , , ,

Ascenty inaugura seu sétimo Data Center no Brasil e terceiro deste ano

A Ascenty, empresa líder de Data Centers do Brasil, anuncia o início das operações de sua sétima unidade na região metropolitana de Campinas, na cidade de Sumaré (SP).

“A região Metropolitana de Campinas é muito importante para a Ascenty, por abrigar grandes empresas e ter uma demanda sempre crescente de infraestrutura de tecnologia. E a conectividade das empresas também continuará apresentando crescimento da demanda, por isso vamos continuar investindo”, afirma Roberto Rio Branco, diretor comercial, marketing e institucional da Ascenty.

Com sete anos de mercado, a Ascenty é a maior empresa de infraestrutura de data centers de alta densidade do Brasil e possui como clientes as principais empresas globais de tecnologia do mundo. A Ascenty oferece ainda uma rede de fibra óptica própria de 4 mil km conectando seus data centers com as principais operadoras, data centers e centrais de tráfego de dados no Brasil. As soluções oferecidas pela companhia visam aumentar a eficiência de seus clientes em seus respectivos core business e ainda promovem a diminuição de custos.

Os diferenciais das soluções da Ascenty são a qualidade mundial da sua infraestrutura e do atendimento, as certificações internacionais e a agilidade na prestação de serviços. Todas as unidades da empresa possuem certificação Tier III do Uptime Institute, o mais relevante reconhecimento do setor, além das principais certificações de qualidade e segurança.

A Ascenty tem sete Data Centers em funcionamento (Campinas, Jundiaí, Hortolândia, Fortaleza, São Paulo – SP1, São Paulo – SP2 e Sumaré) e mais dois em construção (Rio de Janeiro e Santiago/ Chile).

Ficha Técnica

O data center está localizado em um condomínio empresarial e utiliza mais de 20 mil metros quadrados de área construída, bem como possui uma subestação própria com abordagem dupla em alta tensão e foi planejado para uma potência total de energia de 50 MVA, com redundância Tri-bus. Possui sistema de geração a diesel, por meio de sistemas de UPS dinâmicas e uma autonomia de 48 horas sem reabastecimento.

Para garantir a refrigeração, opera com sistema de água gelada, com chillers a ar de alto desempenho e sistema rapid restore, com redundância N+2.

O data center é monitorado por câmeras CFTV 24×7, que detectam movimento em alta definição e armazenam as imagens por mais de 90 dias. Possui controle de acesso por dupla autenticação, sendo biometria e cartão magnético, além de contar com o profissionalismo de uma equipe própria de segurança 24×7.

No quesito conectividade, o data center possui duas salas de telecom, com entrada redundante subterrânea, que possuem excelente conectividade com as principais operadoras de telecom. Além disso, possui conexão direta com o PTT em São Paulo e Campinas.

Tags,

Ciab 2017: Provider IT auxilia jornada digital de bancos e seguradoras

image010

A chegada das novas tecnologias digitais impulsiona mudanças nas expectativas e necessidades das indústrias financeira e seguradora. É exatamente este cenário que define a agenda do Ciab FEBRABAN 2017, evento que acontece de 6 a 8 de junho, no Expo Transamérica, em São Paulo (SP), cujo tema é “Ser Digital”.

A Provider IT, consultoria e provedora de serviços de TI que há mais de 20 anos atua nos mercados financeiro e segurador, apresentará sua elevada capacidade em ofertar soluções que respondam rapidamente aos desafios de bancos e seguradoras na entrega de serviços digitais que melhorem a experiência dos clientes. Ao lado de parceiros tecnológicos renomados como IBM, Microsoft, Outsystems e Blockchain Academy, a companhia apresentará exemplos de seu know-how técnico e sinergia entre Negócio e TI.

“O CIAB é a oportunidade de apresentarmos na prática nossa expertise no universo tecnológico de bancos, finanças e seguros. Nossa competência nesse ecossistema, aliada à experiência prática em projetos implantados em clientes de grande reconhecimento no mercado, nos credenciaram a sermos fornecedores de soluções, mostrando que estamos alinhados às tendências e aptos a oferecer soluções para as suas necessidades”, afirma Reginaldo Santos, Diretor Executivo da Provider IT.

Foram selecionados cenários de negócio do mercado financeiro, tais como investimentos, concessão de crédito e portabilidade de dívidas para demostrar possibilidades de aceleração no desenvolvimento de soluções digitais aliada a tecnologias em destaque. “O desafio para a indústria financeira é entregar produtos e serviços mais ágeis e flexíveis, com menos exigências, inovadores e a custos menores, oferecidos com tecnologia de ponta. Nosso diferencial é a experiência promovida por meio dessas plataformas digitais”, ressalta Santos.

Sempre propondo inovação ao mercado segurador, a Provider IT exibirá algumas de suas soluções, como os aplicativos de venda digital de seguros e capitalização e também as soluções para renovação, cobrança e comissão, além do seu novo aplicativo de sinistro inteligente, desenvolvido em plataforma IBM Bluemix. O app reduz o custo operacional para as seguradoras e agiliza o atendimento ao cliente, permitindo que o aviso seja efetuado diretamente pelo segurado, o que reduz o fluxo de ligações aos call centers das companhias para acompanhamento dos sinistros, gerando economia e melhorando a experiência dos clientes.

Acácio Alves, Diretor Executivo da Provider IT e responsável pela área de seguros da companhia, ressalta que o maior diferencial é conseguir aliar suas competências às tecnologias existentes. “Em parceria com grandes fornecedores temos nos destacado no mercado com ofertas de soluções inovadoras que respondem aos desafios de um setor em constante dinâmica”, diz.

Laboratório blockchain| Considerada hoje uma das tecnologias com maior potencial de inovação disruptiva, o blockchain têm chamado a atenção do mercado. Engajada em mais esta tendência, a Provider IT, apresentará em seu estande um exercício de aplicabilidade desta tecnologia em um cenário de intermediação financeira – a portabilidade de crédito. Em parceria com a Blockchain Academy, uma rede colaborativa de educação voltada para a formação multidisciplinar focada em bitcoin, blockchain e temas correlatos e com a Microsoft, a companhia utilizou a plataforma Microsoft ETH BaaS – Xamarin para desenvolver a prova de conceito.

Empatia no desenho de soluções| Desenhar serviços centrados em pessoas exige pesquisa e, principalmente, empatia para criar um relacionamento que gere lealdade, confiança, comprometimento e valor. É preciso que a experiência do cliente seja intuitiva, simples e encantadora. As tecnologias IBM, como computação cognitiva por meio das APIs Watson no Bluemix, são ferramentas fundamentais para o desenvolvimento rápido e seguro de soluções inteligentes.

Agilidade e Rentabilidade| Outro destaque será a plataforma OutSystems, caracterizada como Low-Code Development Platform e capaz de prover soluções móveis em curto prazo. Por meio desta plataforma, a Provider IT disponibiliza produtos alinhados ao mundo digital, cada vez mais dinâmico e exigente.

Bancos Digitais| Em sintonia com o desafio de transformação digital dos bancos, a Provider IT mostra no evento as plataformas Cyberbank Core e Cyberbank Omnichannel, de sua parceira Technisys. As soluções permitem ao banco levar ao mercado novos serviços, em tempo recorde, ao mesmo tempo em que oferecem uma melhor experiência a seus clientes, em qualquer tipo de dispositivo que estejam usando. Juntas, a Provider IT e a Technisys aliam as melhores práticas de implementação e gestão de projeto, com foco no segmento financeiro.

Tags, , , ,

McKinsey: o que diferencia os CEOs acima da média

As turbulências políticas e econômicas ao redor do mundo têm tornado o trabalho dos CEOs cada vez mais desafiador. Mas tempos de incerteza não impedem o crescimento. Para entender o que diferencia as lideranças de empresas vencedoras, a McKinsey avaliou o trabalho de mais de 600 CEOs ao longo de 10 anos. O levantamento destacou as características comuns ao seleto grupo dos 5% de CEOs que conseguiram, ao longo de sua gestão, elevar em mais de 500% o retorno aos acionistas.

A lista de CEOs excepcionais inclui líderes que apresentam desempenho notável em circunstâncias incomuns, por exemplo, guiando a empresa no processo de falência e retornando com sucesso aos mercados públicos. Também há os que conseguiram entregar os maiores retornos através do reposicionamento estratégico e da disciplina operacional ao longo de muitos anos, dentro das mais normais condições econômicas. A seguir, confira as três lições dos CEOs acima da média:

1 – O fator ‘outsider’

Pesquisa McKinsey detectou que CEOs trazidos do mercado tendem a alavancar mais modificações estratégicas do que os crescidos dentro da empresa – por isso, superam seus pares ao longo da gestão. De acordo com o levantamento, os CEOs excepcionais têm duas vezes mais probabilidade de terem sido trazidos de fora da empresa. Ainda assim, 55% dos CEOs acima da média chegaram ao cargo por promoção interna. Segundo a McKinsey, isso indica que os funcionários de carreira podem se mover de forma agressiva e obter resultados excelentes. Mas isso significa cultivar o ponto de vista de um estranho para desafiar a cultura da empresa com maior objetividade e superar a inércia organizacional que às vezes limita a extensão de ação de um insider.

unnamed (76)

2 – Ações estratégicas

CEOs acima da média são significativamente mais propensos a promover uma revisão estratégica da empresa em seus dois primeiros anos de trabalho. A mudança de direção estratégica normalmente requer a liberação de recursos, reduzindo os custos em setores de menor prioridade. Embora os programas de redução de custos sejam um movimento que não costuma provocar arrependimento nos CEOs no geral, esse seleto grupo tem apetite acima da média por esse tipo de iniciativa.

unnamed (77)

3 – Equilíbrio organizacional

O redesenho das organizações parece ser uma ferramenta comum ao kit dos CEOs de alto desempenho – e particularmente importante para os que assumiram empresas de baixo desempenho. Mas os líderes acima da média não costumam fazer esse tipo de ação antes de dois anos no cargo. De acordo com a pesquisa, o dado pode ser parte da estratégia: CEOs que herdaram empresas de alto desempenho podem prejudicar o processo por meio de uma restruturação. Há também um número determinado de iniciativas e mudanças que os funcionários são capazes de absorver em um curto espaço de tempo.

Para qualquer CEO que comece uma transição, há muito a aprender com os melhores. Adotar a visão de um outsider produzirá as ideias imparciais necessárias para movimentos revolucionários. Prestar atenção ao contexto da organização, no entanto, ajuda a calibrar a velocidade e o alcance da mudança.

Tags,

Credit Suisse, Pátria, Santander, Itaú e outras buscam talentos em conferência de carreira gratuita

A Fundação Estudar está com inscrições abertas para a Conferência Na Prática, evento gratuito destinado a universitários e recém-formados. Marcado para o dia 1º de agosto, o encontro será inteiramente focado na área de mercado financeiro, a fim de conectar os jovens com diferentes organizações e apresentá-los aos diferentes mercados e funções do setor.

A Conferência Na Prática contará com a presença de empresas dos mais variados segmentos, como bancos de atacado e varejo, bancos de investimentos, fundos de venture capital, fundos de private equity, seguradoras e gestoras de meios de pagamentos. Organizações como Credit Suisse, JP Morgan, Citibank, Pátria, Santander, Pragma, 3G Radar, Creditas, Brookfield, IGC e Itaú estão entre as confirmadas.

Serão selecionados 250 jovens de alto potencial, que poderão participar de sessões de speed coaching com especialistas, conferir painéis com profissionais sobre as diferentes áreas de atuação em mercado financeiro, ouvir bate-papos com líderes inspiradores e, principalmente, interagir face a face com recrutadores e executivos das empresas – que estarão na conferência para se conectar com jovens talentos. A Fundação Estudar também realiza um mapeamento das organizações e dos jovens, a fim de ajudá-los a encontrar aquelas que mais se encaixam com o seu perfil profissional.

Dentre os selecionados, cerca de 50 participarão ainda do pitch de talentos, um momento do evento no qual cada um ‘vende seu peixe’ durante dois minutos para as organizações, que avaliarão o potencial desses jovens e poderão convidar aqueles que mais se destacarem para eventuais conversas sobre oportunidades.

O evento também oferece a possibilidade de networking por meio do aplicativo de celular, garantindo que os participantes enviem suas próprias dúvidas sobre carreira durante os painéis. As empresas também utilizarão o app para localizar potenciais candidatos e marcar entrevistas.

A Conferência Na Prática Mercado Financeiro acontece na Câmara Americana de Comércio (AMCHAM), em São Paulo. As inscrições são gratuitas e vão até 11 de junho pelo site https://estudar.napratica.org.br/conferencia-na-pratica-mercado-financeiro.

Conferência Na Prática Mercado Financeiro

Data: 1º de agosto de 2017
Horário: das 7h30 às 18h
Local: Câmara Americana de Comércio (AMCHAM)
Endereço: Rua da Paz, 1431 – Chácara Santo Antônio – São Paulo
Inscrições: até 11 de junho
Site: https://estudar.napratica.org.br/conferencia-na-pratica-mercado-financeiro/

Tags, , , , , , , , ,

Mesmo com crise econômica, quatro em cada dez brasileiros compram por impulso

Quem nunca comprou algo que não precisava e não estava nos planos? Aparentemente um ato inofensivo, isso pode se tornar um problema grande, principalmente em meio à crise econômica que o Brasil ainda está passando. A pesquisa “Uso do Crédito” realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 37% dos consumidores admitem ter comprado algo de que não precisavam nos últimos 30 dias, devido à facilidade de crédito. Os itens mais comprados por impulso são roupas, calçados e acessórios (14%), perfumes e cosméticos (8%), idas a bares e restaurantes (6%) e smartphones (6%).

Na visão dos entrevistados, as lojas que mais facilitam o crédito e estimulam as compras são as virtuais (29%), seguidas dos supermercados (19%) e lojas de departamento (17%).

Quando recebem o contato de bancos, lojas ou financeiras lhe oferecendo cartões, aumento do limite do cheque especial ou crédito extra, 36% veem a proposta e avaliam de acordo com o orçamento, 24% não chegam nem a ver a proposta e 17% não veem a proposta porque sabem que o orçamento não permite. No entanto, 11% ouve e aceita a proposta porque gosta de ter crédito disponível ou avalia de acordo com a vontade de fazer compras.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o consumidor precisa ficar atento às armadilhas do crédito fácil. “É muito comum as pessoas receberem oferta de um cartão de crédito assim que abrem uma conta em banco, ou mesmo ter acesso a linhas de crédito que ficam disponíveis de forma automática na conta corrente, estimulando a contratação de um empréstimo, por exemplo”, diz Kawauti. “Porém, nem sempre o crédito é necessário ou vem a ser a melhor solução. É um instrumento bastante útil para viabilizar metas de consumo, sem dúvida. Entretanto, se o consumidor não estiver com o orçamento preparado para quitar as parcelas, o endividamento pode fugir ao controle e trazer inúmeros problemas”, analisa.

Dinheiro e cartão de crédito são formas de pagamento mais utilizadas

O levantamento identificou que as formas de pagamento mais utilizadas nas compras são o dinheiro (68%), o cartão de crédito (45%) e o de débito (35%). Mais da metade (58%) buscaram evitar determinadas formas de pagamento a crédito nos últimos três meses, principalmente os financiamentos (27%) e crediários (23%).

Quase metade da amostra (47%) sente que atualmente há maior dificuldade das lojas em aceitar certas modalidades de pagamento, especialmente o crediário (24%), o cheque pré-datado (23%) e o financiamento (18%). Quando o estabelecimento não aceita a forma de pagamento que o consumidor escolheu, 37% daqueles que têm sentido mais dificuldades desistem da compra, mas 27% garantem que acabam pagando à vista.

O pagamento à vista é escolhido por 38% dos entrevistados caso o preço seja muito inferior que na compra parcelada, mas 19%, no entanto, preferem parcelar, caso a diferença de preço não seja grande para poder comprar mais coisas se necessário.

A maioria (67%) conhece a diferença do valor à vista e do valor parcelado de um produto. Considerando os últimos 30 dias anteriores a pesquisa, os consumidores pagaram, em média, três prestações/parcelas de cartão, cheque, empréstimo ou financiamento. Considerando todas compras parceladas feitas, em média, os entrevistados demorarão seis meses a pagar todas elas.

Cartão de crédito é a forma de parcelamento preferida de 61%

A grande aceitação do cartão de crédito entre os consumidores brasileiros transparece mais uma vez, quando se considera a forma de parcelamento preferida dos brasileiros: 61% dos que irão parcelar nos próximos mês preferem utilizar o cartão de crédito (queda de 10,8 pontos percentuais em relação a 2016). Outros 14% dizem preferir o crediário/carnê, enquanto 10% preferem utilizar o cartão de lojas.

Ainda considerando quem pretende comprar parcelado no próximo mês, no momento de definir o número de parcelas da compra, quatro em cada dez escolhem a opção que oferecer a menor quantidade possível de prestações (43%). Em contrapartida, 26% sempre pedem o número máximo de parcelas sem juros, independentemente do valor da compra, enquanto 19% afirmam que quanto maior o valor da compra, maior o número de parcelas pedidas para pagar.

Dois em cada dez entrevistados (20%) planejavam comprar parcelado roupas, calçados e acessórios, já 13% celular e smartphone e 10% móveis para a casa. Considerando até o final de 2017, os produtos mais visados para compras parceladas são celulares e smartphones (17%), roupas, calçados e acessórios (15%) e eletrodomésticos (13%).

23% tiveram crédito negado no último mês. 37% acreditam que está mais difícil conseguir crédito em 2017

Em oposição a quem consome devido ao crédito fácil, o levantamento do SPC Brasil e da CNDL também mostra que 23% dos consumidores tiveram crédito negado no último mês ao tentar comprar numa loja de forma parcelada, sendo os principais motivos, nome sujo (6%) e limite de crédito excedido (5%). Com o acesso ao crédito mais restrito, muitos lojistas parecem dispostos a facilitar as condições de compra e garantir mais recursos em caixa, uma vez que metade dos consumidores garante ter recebido ofertas de descontos para efetuar o pagamento à vista em dinheiro nos últimos 30 dias (50%).

Praticamente quatro em cada dez entrevistados acreditam que em 2017 está mais difícil conseguir crédito (37%, com queda de 10,2 p.p em relação a 2016), ao passo em que 33% julgam estar igual e 18% pensam estar mais fácil este ano. Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Júnior, é natural que quem empresta recursos esteja mais cauteloso, em meio ao desdobramento da profunda recessão que tomou conta do país nos últimos dois anos. “As condições para a concessão ficaram mais rígidas e nesse período houve um ciclo contínuo de alta dos juros que acabou encarecendo e desestimulando a busca por empréstimos. Como só recentemente essa tendência em relação aos juros foi revertida, ainda não houve tempo para que o consumidor percebesse reflexos positivos”, explica Pellizzaro.

“Por um lado, a restrição ao crédito impacta sensivelmente o comércio, pois as pessoas tendem a reduzir o consumo, especialmente no caso de produtos e serviços de maior valor. Mas, por outro lado, evita o crescimento da inadimplência. O ideal será quando estivermos numa situação em que o consumo cresça de maneira sustentável”, indica o presidente. Para ele, é preciso ter muito cuidado na hora de contratar o crédito. “É melhor adiar um sonho de consumo do que contrair uma dívida de longo prazo e, sobretudo, incompatível com a renda e o orçamento.”

Metodologia

A pesquisa traça o perfil de 601 consumidores de todas as regiões brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos e pertencentes às todas as classes sociais. A margem de erro é de 4,0 pontos percentuais e a margem de confiança, de 95%.

Acesse a pesquisa na íntegra e a metodologia em:
https://www.spcbrasil.org.br/imprensa/pesquisas

Tags

CFA Society Brazil lança prêmio de inovação financeira

Até 17 de julho estão abertas as inscrições para a primeira edição do Prêmio CFA Society Brazil de Inovação Financeira, que tem como objetivo fomentar a pesquisa na área de finanças e gerar um banco de ideias para o desenvolvimento do mercado brasileiro.

Promovida pela CFA Society Brazil, a iniciativa reconhecerá as melhores monografias sobre os temas: inovação nos mercados financeiros e de capitais; novos rumos na relação entre setor público e mercados; e avanços na regulação de conduta dos participantes dos mercados.

O primeiro colocado irá receber R$ 20 mil, o segundo R$ 12 mil e o terceiro, R$ 8 mil. O trabalho consiste de uma monografia de 30 a 60 páginas e um dos requisitos é que o autor já seja graduado. Os resultados serão divulgados no dia 25 de agosto. Mais informações estão disponíveis em: https://cfasociety.org.br/premio/.

Tags, , ,

Aplicativo SulAmérica Auto oferece novo serviço para clientes

Os clientes SulAmérica Auto ganharam ainda mais comodidade e praticidade para controlar tudo sobre o seu seguro de automóvel na palma da mão. Completo e intuitivo, o aplicativo SulAmérica Auto está de cara nova, com novo visual e navegação mais fácil, e passa a oferecer o serviço de acompanhamento de sinistro.

Agora, pelo ícone “Consulta de Status”, o cliente tem acesso ao histórico do processo de sinistro, podendo verificar, por exemplo, o dia e o local da vistoria agendada, a previsão de entrega do veículo após os reparos e a data de pagamento da indenização. Quando há atualizações, o segurado também recebe uma notificação sobre o andamento do processo.

Disponível na App Store (iOS) e no Google Play (Android), o aplicativo disponibiliza ainda o serviço de pequenos reparos (arranhões, amassados etc.) por meio de uma parceria com a empresa Car10. Em poucos cliques, o segurado envia fotos do dano no veículo e recebe orçamentos de oficinas próximas em poucas horas para realização do reparo. Após a escolha do local de preferência, o cliente agenda o conserto e pode pagar, com desconto, direto pelo aplicativo ou na oficina.

Outra facilidade é a possibilidade de solicitar, também com desconto, os serviços de lavagem a seco, higienização de ar-condicionado, cristalização de vidros, limpeza técnica de motor, hidratação de couro, enceramento e polimento, entre outros, da parceira Easy Carros. Os serviços são realizados na data e no local escolhidos pelo segurado, como residência ou trabalho, e também podem ser pagos direto pelo aplicativo.

“Acreditamos na importância de oferecer soluções que possam facilitar o cotidiano de nossos segurados. Hoje, o aplicativo SulAmérica Auto vai além do seguro: é uma central de cuidados para o veículo do cliente”, afirma o vice-presidente de Auto e Massificados da SulAmérica, Eduardo Dal Ri.

O app permite também que o segurado solicite reboque ou auxílio à pane e acompanhe a chegada do prestador. Disponibiliza ainda diversas informações, como dados sobre a apólice, cartão do segurado, localização dos postos de vistoria e dos Centros Automotivos SulAmérica (CASAs) e canais de atendimento da seguradora.

Tags,

Super Acelera da Fiesp envia melhores startups para o Vale do Silício

A cada ano mais de mil empresas iniciantes tentam ser as melhores no Concurso Acelera Startup, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Agora, no Super Acelera Fellowship Fiesp, a peneira é ainda mais fina. Participam dele os melhores empreendedores que passaram pelas 14 edições do Concurso Acelera Startup, sendo nove na capital e cinco no interior do estado. O prêmio para as cinco melhores startups é a participação em um programa de aceleração de 3 meses no Vale do Silício, na Bridge SV, nos EUA. Organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF) e pela Fiesp), o Super Acelera Fellowship Fiesp acontece nos dias 31 de maio e 1º de junho na sede da entidade.

O Super Acelera foi criado para atender à necessidade de internacionalização e troca de experiências das startups com o Vale do Silício, que é considerado o berço da inovação mundial.

Uma banca experiente, formada por diretores dos comitês e departamentos da Fiesp e parceiros especiais, como o Ciesp, Sesi-SP, Senai-SP, Sebrae-SP, selecionará cinco startups, entre as quinze finalistas, para participar do programa de aceleração no Vale do Silício oferecido pela Fiesp.

Todos os finalistas terão o seu tempo de apresentação para essa bancada, depois de ter um dia inteiro de mentoria de especialistas de diversas áreas.

Sobre o Concurso Acelera Startup

O Concurso Acelera Startup é o maior evento de investimento-anjo da América Latina e tem como objetivo fomentar o empreendedorismo, além de integrar as necessidades e as expectativas dos empreendedores e dos investidores interessados em investir em projetos e/ou empresas inovadoras.

Os participantes, previamente selecionados pela Comissão Organizadora, têm a oportunidade de participar de palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias, inclusive com investidores. Os melhores empreendedores (finalistas) têm a oportunidade de apresentar os seus negócios, no modelo de “elevator pitch”, à banca de investidores mais seleta do mercado. Dentre os finalistas, os mais bem avaliados são considerados vencedores do concurso, para fins de premiação.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 22 mil inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 300 mentores e mais de 250 investidores. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 10 milhões.

Tags, ,

Roche e 100 Open Startups abrem inscrições para desafio que busca soluções na área de oncologia

Com o objetivo de antecipar e desenvolver soluções cada vez mais completas, a Roche, líder global em biotecnologia e patrocinadora do Movimento 100 Open Startups, plataforma internacional que conecta startups a grandes empresas, anuncia o desafio “Transformando a Jornada Oncológica”, para startups e grupos de pesquisa e desenvolvimento que tenham abordagens inovadoras em projetos na área da saúde.

As inscrições serão abertas no dia 24 de maio e poderão ser realizadas até o dia 31 de julho, pelo site www.openstartups.net/Roche. A startup ou o grupo de pesquisa vencedor será anunciado em novembro de 2017 e receberá da Roche os seguintes incentivos:

– Subsídio de serviços corporativos: serviços de consultoria (construção de modelo de negócio, estratégia de crescimento ou estruturação interna);

– Subsídio de materiais de escritório/reagentes ou patrocínio para participar de um evento ou congresso internacional de referência.

“O 100 Open Startups é uma oportunidade de incentivar projetos inovadores que estejam alinhados ao nosso papel de transformar conhecimento científico em benefícios para a sociedade, com descobertas e iniciativas que respondam às necessidades médicas, especialmente em áreas ainda não atendidas, e ao nosso compromisso de buscar alternativas junto aos setores público e privado para que essas inovações sejam inseridas na cadeia de saúde, à disposição de quem precisa delas”, comenta Rolf Hoenger, presidente da Roche Farma Brasil.

Para concorrerem ao desafio, os projetos precisam se enquadrar nas seguintes categorias:

Descobertas Oncológicas – startups e grupos de P&D que tenham terapias de primeira classe, bem como novas plataformas tecnológicas com o potencial de transformar descobertas e gerar medicamentos inovadores:

Imunoterapia de câncer: terapias que promovam a imunidade contra o câncer, por meio de modulação da função de células efetoras do sistema imune e do microambiente tumoral;

Terapias moleculares direcionadas: parcerias que proporcionem acesso a plataformas, tecnologias e dados de saúde;

Tecnologias inovadoras: parcerias para aumentar a capacidade de P&D e complementar o portfólio da empresa, em particular relacionadas às modalidades: moléculas pequenas, anticorpos, terapias direcionadas, terapias baseadas em oligonucleotídeos e entrega de fármacos.

Oncologia Digital – iniciativas para aumentar a eficiência da prestação de cuidados de saúde, trazendo soluções digitais que ampliem a produtividade dos hospitais e capacitem pacientes com câncer para um melhor gerenciamento de cuidados pós-hospitalares:

– Softwares de gestão hospitalar e excelência operacional;

– Plataformas de gerenciamento de cuidados integrados centradas no paciente;

– Ferramentas de relatório de desempenho hospitalar para transparência para com o paciente;

– Dispositivos médicos domésticos e tecnologias para cuidados remotos;

– Smart wearables para monitoramento de saúde.

Oncologia Acessível – soluções para resolver a distribuição desigual de recursos e serviços de câncer e melhorar a qualificação e distribuição de profissionais de saúde e equipamentos em todo o País:

– Conectar mais pacientes ao sistema de saúde e aos serviços de tratamento de câncer;

– Melhorar a detecção e diagnóstico do câncer;

– Melhorar a qualificação e distribuição de profissionais e equipamentos de saúde.

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que o número de novos casos de câncer deverá crescer exponencialmente nas próximas duas décadas ao redor do mundo. A sobrecarga de mortalidade por câncer na América Latina é maior do que na Europa ou nos EUA e aumentará para mais de um milhão de mortes por ano até 2030. “Temos um desafio enorme com o câncer e esta é a oportunidade para startups da área de saúde se conectarem a nós a fim de desenvolvermos, em parceria, projetos inovadores no combate à doença”, finaliza Hoenger.

Tags, , , ,