Page

Author admin

BB atinge meio bilhão de reais em crédito veículo por mobile

O desembolso de crédito para aquisição de veículos pelo aplicativo do BB chegou a meio bilhão de reais nesta semana, em mais de 15 mil contratos, sendo que 83% das propostas contam com resposta automática para a aprovação do crédito. Hoje, mais de uma em cada três operações de financiamento de veículos no BB já é realizada pelo canal. No último mês, a participação nas liberações foi de 36%.

O BB foi pioneiro ao lançar o crédito veículo por mobile, em 2015, e espera atingir, ao final deste ano, a inédita marca de R$ 1 bilhão em crédito para financiamento de veículos liberados pelo aplicativo do BB para dispositivos móveis.

Hoje, cerca de 12 milhões de clientes do BB são usuários do aplicativo do Banco, que está entre os cinco app preferidos pelos brasileiros, segundo pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, divulgada pelo site Mobile Time. O BB ficou atrás apenas de grandes empresas de tecnologia ou redes sociais. A pesquisa é feita semestralmente e se encontra no seu terceiro ano de realização.

Tags

CargoX contrata ex-CTO da Abril Digital para liderar mudança tecnológica no mercado de transportes

A CargoX (www.cargox.com.br) – primeira transportadora brasileira baseada integralmente em tecnologia e inovação – anuncia a contratação de Eduardo Nicola Ferraz Zagari para o cargo de CTO da companhia. A contratação tem como foco intensificar as mudanças tecnológicas promovidas pela empresa perante o mercado, aumentando as possibilidades para caminhoneiros e empresas dentro da plataforma, além de agregar novas funcionalidades aos sistemas da empresa.

O novo executivo tem como principais experiências ter liderado as áreas de produtos digitais e tecnologia de companhias como: Editora Abril e YouFind Solutions, além de unidades de negócio do Grupo Abril e Minuto Seguros, entre outras empresas do setor de tecnologia. Além disso, Nicola possui uma extensa história no mundo acadêmico, somente na PUC, de Campinas, lecionou por mais de 14 anos. Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Mestre em Automação pela Unicamp, ele também possui passagens pela FIA e Fundação Dom Cabral, onde realizou especializações com foco em gestão.

Para Eduardo, essa é uma oportunidade muito importante em sua longa carreira, pois é um mercado com grandes oportunidades para inovar em tecnologia. “A empresa fez com que me sentisse motivado, observei que o mercado de transportes é um mar a ser desbravado e isso é importante para um profissional” declara.

Essa nova contratação reforça a perspectiva de crescimento rápido da CargoX e de forte investimento em soluções tecnológicas. Federico Vega, CEO e fundador da companhia, acredita que a empresa está no caminho correto para revolucionar o mercado. “Quando falamos de tecnologia, temos que pensar em evolução constante e isso significa modificar e aprender sempre.” conclui.

Tags, , ,

Empresas portuguesas de tecnologia apresentam soluções inovadoras na FISPAL

De acordo com o boletim econômico de junho deste ano do Banco de Portugal, as expectativas para o país são positivas, especialmente no que diz respeito a investimentos empresariais. O relatório prevê crescimento na economia de 2,5%, o maior em 17 anos, e bem acima dos 1,8% previsto há três meses.

São esses bons ventos e a aposta no mercado brasileiro que trazem seis empresas portuguesas de tecnologia para a 33ª edição da FISPAL – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas. BSP Consulting, FTP Soluções Informáticas, Coimfor, Winprovit, SevWays e Ubiquity apresentarão soluções inovadoras para o setor.

A BSP Consulting oferece Serviços de Informática (software, hardware e assistência técnica) que se aplicam a todo back office das empresas, controle e gestão de dados e informação; e Serviços de Consultoria, com foco em marketing digital. Presente no mercado brasileiro há três anos, a consultoria vem à procura de novos parceiros comerciais.

Fundada em 1987, a Coimfor acompanhou toda a evolução do mercado ao longo dos anos e está na vanguarda de novas tecnologias em software. Um dos destaques da companhia – que tem cliente no Brasil e pretende expandir sua atuação por aqui – é um ERP para gestão comercial e de contabilidade desenvolvido especialmente para hotelaria, que melhora processos e reduz custos operacionais. Outro produto diferenciado da Coimfor é um quiosque multimídia – o Sell Point – que simplifica a aquisição e venda de produtos alimentares e/ou bebidas, reduzindo custos e quebras, sem ajuda de terceiros.

A FTP Soluções Informáticas se destaca pela ampla experiência em Tecnologias de Informação e Comunicação, com uma equipe técnica especializada em hardware, software, programadores, design e marketing. Como parceiro enterprise da PHC, a FTP fornece um conjunto de soluções de facturação e gestão de acordo com a necessidade de cada negócio.

Vocacionada para a gestão proativa de todos os recursos de TI, a Winprovit dedica-se a outsourcing, mobilidade, engineering, printing, retail, gestão e venda. A empresa apresenta na FISPAL soluções inovadoras para pontos de venda interligados por meio de servidores multi-lojas, possibilitando uma gestão de cliente mais eficiente.

Parceira SAGE, Google Cloud, Microsoft e Atlassian, a SevWays desenvolve sistemas de logística exclusivos para a necessidade de cada cliente, melhorando a performance, simplificando os processos e ganhando eficiência. Atuando em Portugal e Angola, o foco da companhia é o Brasil, com suas proporções continentais e malha logística ímpar.

Já a Ubiquity atua em três segmentos: Estratégia Digital (Digital Strategy), que comporta planejamento, design, desenvolvimento e monitoramento; Soluções de Negócios (Business Solutions), no qual estão disponíveis serviços de análise, design, desenvolvimento e suporte; e Capital Humano (Human capital), com serviços de seleção, treino e aprendizagem, técnicas e tecnologias ligadas à gestão de competências, consultoria e auditoria, transferência de conhecimento, suporte técnico, entre outros.

“Acreditamos que o bom desempenho da economia portuguesa será sustentada, sobretudo, pelo dinamismo das exportações de bens e serviços em 2017. Por isso a participação das empresas na FISPAL; trata-se de uma importante oportunidade de estreitar o relacionamento com o setor de alimentos e bebidas do Brasil e expandir nossos negócios”, afirma Guilherme Filipe Marques, empresário português que estará na feira.

Tags, , , , , , , , ,

Entidades de TI manifestam apoio ao relatório do Senador Airton Sandoval que reinsere o setor na Desoneração da Folha

A Comissão Mista do Senado vota na próxima terça-feira (27) o relatório do senador Airton Sandoval (PMDB), no qual o setor de TI é reinserido na desoneração da folha de pagamento. A proposta altera o conteúdo da Medida Provisória 774/1, pedindo também a prorrogação da aplicação do Projeto de Lei para janeiro de 2018. A ABES, juntamente com ACATE, Assespro e Fenainfo apoiam esse entendimento, uma vez que a alteração no modelo atual coloca em risco milhares de empregos e mesmo a manutenção das empresas do setor.

Os números demonstram que essa modalidade de contribuição previdenciária se traduz em um importante mecanismo de redução dos custos dos fatores de produção, estruturante para o setor de TI.

“A continuidade do modelo vigente é vital para seguir no fortalecimento deste setor inovador, jovem e competitivo, que cresce anualmente em faturamento e empregos, com influência direta em todos os setores econômicos”, afirma Francisco Camargo, presidente da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software).

Sendo assim, as entidades signatárias manifestam-se pela aprovação total do parecer e do PLC do relator visando não comprometer o futuro do Brasil em matéria de inovação e tecnologia de informação e comunicação.

Tags, , , ,

Estudo mostra as startups brasileiras que estão mudando o varejo

O mercado brasileiro já conta com 216 startups focadas em trazer soluções para o setor do varejo e consumo no Brasil. É o que mostra o Liga Insights Retail, mapeamento inédito realizado pela Liga Ventures (http://liga.ventures/), aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes empresas, em parceria com o OasisLab (https://www.oasislab.com.br), primeiro espaço brasileiro de inovação especializado em varejo.

O levantamento foi realizado com base em diversas fontes, como inscrições para os programas de aceleração e eventos da Liga Ventures, informações do Laboratório de Varejo da Universidade Positivo, recomendações, notícias em portais de negócios e busca ativa de startups. Ao todo, foram avaliadas 4.163 startups em todo o país e as 216 enquadradas em varejo foram distribuídas em 11 categorias que cobrem toda a cadeia do setor, com soluções que trazem inovações para gestão de lojas (31 startups), pagamentos (26 startups), logística (18 startups), IoT, Big Data e novas tecnologias (21 startups), entre outros.

De acordo com Rogério Tamassia, sócio-diretor da Liga Ventures, há uma ebulição de novidades surgindo para o segmento do Varejo capitaneadas pelas startups e esse é o primeiro estudo completo feito sobre esse tema no Brasil. “O relatório permite que os varejistas tenham uma visão abrangente do panorama de inovação que impacta diretamente seus negócios, bem como nos ajuda a gerar inteligência e traçar tendências desse mercado”, explica Tamassia.

Loja 4.0

Das 216 startups mapeadas, 115 foram classificadas como soluções da chamada “Loja 4.0”, conceito cunhado por Fabíola Paes, fundadora da Neomode e head of retail lab no OasisLab, e aprofundado no estudo. Graças ao smartphone, o cliente do varejo acessa uma série de ferramentas que influenciam sua experiência. Essa mudança representa uma oportunidade para aplicar na loja tecnologias como internet das coisas, realidade virtual e realidade aumentada, robótica, inteligência artificial, aplicativos, entre outras. “Essa “inteligência digital” aprimora a experiência de compra e permite ao consumidor, por exemplo, realizar suas compras de casa e ir à loja só para retirar o produto, evitando filas, ou receber ofertas daquilo que realmente interessa à sua necessidade”, afirma Fabíola.

O relatório vem pouco depois de a Liga Ventures anunciar a Liga Retail (http://liga.ventures/retail), novo programa de aceleração focado em conectar startups com grandes empresas do setor de Varejo e que também conta com parceria do OasisLab, espaço de inovação do setor com inauguração prevista para julho, em São Paulo.

As empresas e startups interessadas podem ter acesso gratuito ao estudo completo com todas as startups e categorias no endereço: https://liga.ventures/insights-varejo/

Tags, , ,

Abranet quer aumentar 10 vezes a capacidade de banda larga dos provedores

Entidade lançou o projeto Brasil Conectado a 100Gbits, que possibilitará aos provedores terem acesso a equipamentos de 100Gb por um custo menor.

Em busca da melhoria da competitividade dos seus associados, a Associação Brasileira de Internet (Abranet) acaba de lançar o projeto “Brasil Conectado a 100 Gigabits” por meio de uma parceriacom as empresasJuniper e Wztech. O objetivo é oferecer condições e preços especiais na aquisição de equipamentos de 100 Gb, com tecnologia de ponta, para alavancar a qualidade da infraestrutura brasileira da rede de internet.

Segundo o presidente da Abranet, Eduardo Parajo, hoje a maioria dos provedores trabalha com conexões de 10 Gb. “O passo mais natural seria migrar para conexões de 40 Gb, mas a relação de custo benefício, no médio prazo, é superior com os equipamentos de 100 Gb”, ressalta. “Apostamos nessa parceria para promover um salto tecnológico entre os provedores”, acrescenta.

Segundo ele, os provedores estão investindo cada vez mais em backbones para atender o aumento da demanda por banda larga. “Há uma necessidade premente de dar maior fluidez ao volume de dados cada vez maior que trafega pela internet”, afirma. Além disso, com 100 Gb, os provedores poderão começar a oferecer e explorar serviços que hoje os usuários de internet não têm, como manager service e IPTV de qualidade.

A Abranet também vem trabalhando para aliviar outros gargalos do setor, como a questão dos meios de pagamento dos serviços de internet, que geram custossignificativos e muita burocracia aos provedores. “Acabamos de fechar uma parceria com a PagSeguro com taxas reduzidas e condições melhores aos nossos associados”, conta Parajo.

O Brasil conta hoje com mais de 100 mil empresas (acesso, conectividade, serviços de TI, aplicativos e conteúdo) no setor. Em 2016, o faturamento delas foi de cerca de R$ 139 bilhões. Em 2015, essa receita correspondeu a 1,51% do faturamento total das empresas brasileiras. Em termos do Produto Interno Bruto, foram gerados R$ 160 bilhões em 2015, o que representou 2,7% do PIB nacional.

Tags, , , ,

Mercado Livre bate recorde e registra 1 milhão de itens vendidos em 24h

Marketplace atingiu dias de picos de vendas nos meses de maio e junho, registrando 12 transações por segundo na América Latina; 80% desse resultado foram gerados pelos países Brasil, Argentina e México

O Mercado Livre (Nasdaq: MELI) (http://www.mercadolivre.com.br), companhia de tecnologia líder em e-commerce da América Latina, alcançou mais de 1 milhão de itens vendidos em 24 horas em três dias de maio e junho. Esse recorde significa a venda de 12 itens por segundo (ou mais de 1,03 milhão de produtos por dia). Brasil, Argentina e México foram responsáveis por 80% desse resultado. As categorias que mais venderam nesses períodos foram:

Casa, Móveis e Decoração
Acessórios para Veículos
Moda, Beleza e Fitness: calçados, camisas e blusas
Celulares
Informática e acessórios para notebooks e impressoras

Entre os fatores para a companhia alcançar esses picos de vendas está o investimento em oferecer frete grátis para compras a partir de R$ 120 junto com o programa de benefícios e fidelização Mercado Pontos, anunciado há poucos dias. “Com quase 18 anos de história e foco em inovação, desenvolvimento tecnológico e atenção aos clientes, estamos no caminho certo para repetir esses recordes muitas outras vezes”, afirma Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre.

Esses números também acontecem na mesma época em que a companhia passou a ser listada entre as 100 maiores empresas da Nasdaq, entrando no índice Nasdaq-100.

Tags, ,

Michael Kors lança seu primeiro smartwatch no Brasil

view (4)

Michael Kors entrou no mercado de wearables com uma nova linha de acessórios tecnológios, que inclui o smartwatch full display MICHAEL KORS ACCESS. A coleção apresenta versões das plataformas best sellers Bradshaw e Dylan ( este último ainda não disponível no Brasil), o diferencial do lançamento é o viés de moda, novidade na categoria.

O MK ACCESS full display é uma combinação de glamour e desing inovador de uma marca que lidera o mercado de luxo. Com infinidades de combinações possíveis que transformam o seu smartwatch a cada toque o MICHAELACCESS ainda permite que você esteja conectado a tudo que é realmente importante para você

A cada coleção, Michael Kors introduz novidades, novas versões de pulseiras para você personalizar ainda mais o seu MK ACCESS e novas combinações de mostradores e cores para você escolher.
Os modelos chegam à 10 das 40 lojas da Monte Carlo espalhadas entre os estados de Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, além do e-commerce da joalheria em quatro versões e banhos, por R$2.990 cada.
http://www.montecarlo.com.br
A seguir, um pouco mais sobre a tecnologia presente no gadget.

CONECTIVIDADE
Com o Android Wear™o smartwath é compatível com os sistemas Android™ e iPhone® e se conecta com seus aplicativos favoritos, como Instagram e até mesmo Uber (a funcionalidade varia de acordo com o sistema operacional do telefone)

CUSTOMIZE SEU FULL DISPLAY
Personalize seu mostrador de acordo com o seu estilo. Você ainda consegue ativar modos (combinações) automaticamente para que as transições aconteçam do dia para a noite.

CARREGAMENTO SEM FIO
TO pequeno e elegante carregador magnético facilita a viagem.

NOTIFICAÇÕES
Receba suas notificações diretamente no seu pulso. Visualize suas chamadas, textos e outros alertas do seu smartphone

TROCA PULSEIRAS
Com pulseiras adicionais em silicone e couro genuíno, os relógios podem variar ainda mais suas combinações.

ATIVAÇÃO DE VOZ/CHAMADA DE VOZ
Pesquise na Internet e na sua lista de contatos falando através do seu smartwatch (a funcionalidade varia de acordo com o sistema operacional do seu telefone).

MONITORAMENTO DE ATIVIDADES
O monitoramento das atividades é integrado ao Google Fit.
Você consegue visualizar calorias perdidas, distâncias e passos.

Tags, , ,

Verint anuncia os vencedores do Engage Americas Partner Awards 2017

A Verint® Systems Inc., uma das mais importantes empresas de software do mundo, anuncia os vencedores do seu Engage™ Americas Partner Awards 2017 pelos resultados atingidos ao auxiliar os clientes a alcançarem os objetivos de negócios, metas de receita e crescimento. As premiações são concedidas durante o evento anual Partner Summit, na conferência global de clientes da companhia Engage.

As empresas a seguir foram reconhecidas pelo seu desempenho exemplar em projetos vencedores, consultoria, marketing e serviço ao cliente: ConvergeOne como Parceiro do Ano na América do Norte, Digitex como Parceiro do Ano na América Latina e América Central, Advantel como Parceiro do Ano de Mercado Intermediário, Teletech como Rising Star na América do Norte e Wittel como Rising Star na América Latina e América Central.

O evento de pré-conferência deu as boas-vindas aos representantes das empresas da Américas do Norte, Central e Latina e apresentou uma combinação de networking, palestras especiais e uma sessão de analistas centrada em tópicos de engajamento de clientes, que incluem assuntos abordando a voz do cliente, a otimização da força de trabalho, o registro de conformidade e engajamento de funcionários, juntamente com estratégias de Cloud e back-office.

“O programa Verint Americas Partners Awards proporciona uma oportunidade de reconhecer nossa rede de parceiros globais pelas contribuições excepcionais em auxiliar as empresas a aumentarem o engajamento dos clientes e dos funcionários, otimizar a força de trabalho e atingir seus principais objetivos comerciais estratégicos”, afirma John Bourne, Vice-Presidente Sênior de Canais e Alianças Globais da Verint. “Nossos parceiros são uma parte estratégica do nosso negócio e estamos contentes em parabenizar os vencedores deste ano e os rising stars pelas suas incríveis conquistas.”

Tags, , , , , , , , ,

Recursos humanos e TI: união entre as áreas favorece a segurança da informação

O número de invasões relacionadas a dados continua a crescer ano após ano. No intuito de reforçar as estratégias voltadas à segurança da informação as empresas passam a buscar uma aliança entre os departamentos de Recursos Humanos e Tecnologia da Informação. O trabalho conjunto dessas equipes, que existe na maioria das organizações, é de grande importância, uma vez que suas atividades afetam todos os colaboradores.

Você conhece as três principais áreas em que essa parceria se torna indispensável para impedir brechas na segurança? Confira!

Acesso à informação

Problema: um dos principais focos da entrada de um novo funcionário é o acesso aos sistemas e plataformas. Segundo estudo da Wynhurst Group, tanto a retenção quanto o engajamento do colaborador aumentam quando seu processo de admissão e integração à companhia se completa, o que inclui o ingresso a essas ferramentas. Do ponto de vista da segurança, a cessão dela é tão importante quanto. Quando um funcionário é desligado da companhia, a equipe de TI deve ter certeza da completa remoção de todo e qualquer acesso à informação corporativa. Esse processo se tornou mais delicado nos últimos anos, com o aumento do uso de tecnologias e sistemas próprios.

Solução: fluxos de trabalho e processos automatizados podem estar programados para mandar notificações e avisar a entrada e saída de colaboradores. Essa medida, atrelada com ferramentas como Single Sign On (único ponto de entrada, em inglês) que demanda apenas uma autenticação para acessar determinada plataforma ou programa, facilita permitir ou cancelar o ingresso a sistemas de forma mais eficiente e segura.

Treinamento e educação

Problema: seja com intenção maliciosa ou falta de cuidado, os funcionários continuam a ser a principal causa de violação de dados. Apesar de estarem conscientes disso, apenas pouco mais de 50% de colaborados acreditam que treinamentos realmente aprimoram a proteção da informação, segundo estudo da instituição ISACA (Systems Audit and Control Association, Inc.). O principal problema desse tipo de programa é que usam uma abordagem fraca, com treinamentos que acontecem apenas uma vez ao ano e sem uma reciclagem ou reforço.

Solução: personalizar o treinamento e educação para que os funcionários entendam como os assuntos abordados os afetam. Utilize exemplos de situações que podem ocorrer em suas vidas pessoais com a falta de segurança da informação, foque no que importa para os indivíduos e, em seguida, direcione esse sentimento para suas responsabilidades perante à empresa. Reforce esses conhecimentos com repetição, testes e pesquisas. Estudos mostram que em média, uma pessoa deve ouvir ou ler a mesma informação no mínimo três vezes para lembrá-la. Atualize periodicamente o material de treinamento fazendo com que fique mais relevante aos acontecimentos na companhia e novas áreas de interesse para ataque de hackers.

Recrutamento e retenção

Problema: esses momentos são desafiadores tanto para TI quanto para RH, afinal quando um vazamento de informação ou brecha na segurança se torna público fica mais difícil para atrair e reter talentos. Segundo estudo da empresa de tecnologia Cisco, apenas em 2016 já existiam mais de um milhão de vagas relacionadas à cibersegurança disponíveis em todo o mundo, e esse número tem grande chance de aumentar. Enquanto isso pode ser benéfico para pessoas que buscam ingressar nesse ramo de trabalho, também representa um problema real para companhias que buscam profissionais de segurança para contratar.

Solução: contratos temporários e outsourcing são uma saída para complementar equipes e suprir gaps em determinados setores. Outra abordagem é a contratação de indivíduos recém-formados com a oferta de programas com foco no ganho de experiência profissional em paralelo com a finalização dos estudos.

Cada departamento da organização deve ser consciente de seu papel e responsabilidade em aprimorar a integridade dos dados. Recursos Humanos e Tecnologia da Informação são áreas que devem tornar-se exemplo para o restante da empresa, lembrando que uma estratégia efetiva em prol da segurança envolve tecnologia e pessoas. O comportamento do funcionário, assim como objetivos e indicadores, devem estar alinhados para que a integridade do sistema seja parte da maneira como a empresa pensa e trabalha.

Fonte: Access, segunda maior empresa do mundo no segmento de gestão de documentos e informações.

Tags

Fábricas Inteligentes devem adicionar $500 bilhões à economia global nos próximos cinco anos

A Capgemini, um dos líderes globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, anuncia os resultados do seu relatório sobre Fábricas Inteligentes. De acordo com a pesquisa do Instituto de Transformação Digital da Capgemini, os produtores esperam que seus investimentos em fábricas inteligentes sejam responsáveis por um aumento de 27% de produtividade nos próximos cinco anos, o que deve adicionar $500 bilhões (1) à economia global.

Geralmente descrita como a pedra estrutural da “Revolução Digital Industrial”, uma fábrica inteligente faz uso de tecnologias digitais, como IoT (Internet das Coisas), big data analytics (análise inteligente de dados), inteligência artificial e robótica avançada, para aumentar produtividade, eficiência e flexibilidade. Os recursos da fábrica inteligente incluem robôs colaborativos, trabalhadores que usam componentes de realidade aumentada (2) e máquinas que enviam alertas quando precisam de manutenção. Até o final de 2022, os fabricantes esperam que 21% de suas fábricas sejam inteligentes. Setores como aeroespacial e defesa, fabricação industrial e automotiva, nos quais as pessoas já trabalham ao lado de máquinas inteligentes, devem liderar esta transição.

Digitalização das fábricas é uma necessidade

Como resultado de melhorias na produtividade e maior flexibilidade, as fábricas inteligentes se beneficiarão de reduções significativas nos custos operacionais. Por exemplo, o relatório estima que um fabricante automotivo poderia atingir uma melhoria de cerca de 40% na sua margem operacional (3) por meio de melhores custos de logística e material, eficácia do equipamento e de qualidade de produção. Como tal, a maioria das empresas industriais já embarcou na digitalização de plantas produtivas para permanecer competitiva. Apenas 16% dos entrevistados dizem que não têm uma iniciativa de fábrica inteligente, ou planos futuros para implementar uma.

Os pioneiros na adoção, incluindo fábricas nos Estados Unidos e Europa Ocidental, estão liderando a corrida; metade dos entrevistados na Alemanha, Estados Unidos, França e Reino Unido já implementaram fábricas inteligentes, contra 28% na Índia e 25% na China. Uma divisão é vista também em vários setores; 67% da indústria de manufatura e 62% das aeroespaciais e de defesa têm iniciativas de fábricas inteligentes. No entanto, pouco mais de um terço (37%) das empresas de ciências da vida e farmacêuticas estão alavancando a tecnologia digital em busca de um modelo de negócio disruptivo.

“Um efeito colateral da globalização é que as empresas têm um conjunto mais diversificado de concorrentes, com tecnologia e ferramentas à sua disposição para melhorarem constantemente. Com a finalidade de criar polos de criatividade e nos destacarmos na multidão, estamos usando a tecnologia para fortalecer a nossa oferta”, diz Paul Boris, vice-presidente de Indústrias de Manufatura da GE Digital. “Por exemplo, abrimos nossa primeira fábrica inteligente em 2015 e conseguimos reduzir as paradas não planejadas entre 10% e 20%”.

Com ganhos econômicos provavelmente conservadores, fábricas inteligentes poderiam acrescentar $1,5 bilhão à economia global

O dinheiro está transbordando nas fábricas inteligentes; mais da metade (56%) dos entrevistados investiram $100 milhões ou mais em iniciativas de fábricas inteligentes nos últimos cinco anos e 20% investiram $500 milhões ou mais. No entanto, de acordo com a análise do Instituto de Transformação Digital da Capgemini, apenas um pequeno número de organizações (6%) está em estágio avançado de digitalização da produção. Além disso, apenas 14% dos respondentes estão “satisfeitos” com o seu nível de sucesso.

Fabricantes estão prevendo que 21% das suas plantas serão fábricas inteligentes até o final de 2022. À medida que os esforços dos fabricantes crescem e os retornos melhoram, o relatório prevê investimentos adicionais em digitalização. A previsão do estudo da Capgemini é de que metade das fábricas poderia ser inteligente até o final de 2022 com os ganhos de produtividade adicionando até $1,5 bilhão para a economia global.

“Este estudo deixa claro que estamos agora na revolução digital industrial e que o impacto disso na produtividade será profundo”, diz Jean-Pierre Petit, líder global de Manufatura Digital na Capgemini. “Os próximos anos serão críticos à medida que os fabricantes e seus concorrentes intensificam suas capacidades digitais e aprimoram sua abordagem para maximizar os benefícios comerciais”.

Fábricas inteligentes mudarão o mercado de trabalho global

A mudança para fábricas inteligentes virá com uma redução significativa nos custos de mão de obra direta. A pesquisa da Capgemini mostrou que os fabricantes esperam uma redução de 25% nos custos de mão de obra em fábricas inteligentes até 2022. Embora a perspectiva de curto prazo seja sombria para empregos de baixa qualificação / baixo salário, muitos fabricantes reconheceram a obrigatoriedade das habilidades e estão agindo sobre ela. Mais da metade (54%) dos entrevistados estão fornecendo treinamento em habilidades digitais para seus funcionários e 44% estão investindo na aquisição de talentos digitais para preencher a lacuna de habilidades.

“Estamos vendo um grande sucesso no trabalho de nossos funcionários com novas tecnologias. Por exemplo, utilizamos robôs inteligentes em nossos negócios onde há questões ergonômicas, criando um ambiente mais seguro para os trabalhadores e dando-lhes tempo para se concentrarem em outras tarefas mais importantes”, diz Gregoire Ferre, diretor Digital da Faurecia. Sobre os planos de fábricas inteligentes da Faurecia, ele acrescentou: “O lançamento de fábricas inteligentes greenfield, bem como a digitalização das mais de 300 plantas da Faurecia, é um elemento fundamental do nosso programa de transformação digital. Também estamos vendo o sucesso em ‘renovar’ os processos antigos para sermos mais eficientes com, por exemplo, a redução do uso de papel ou com a adoção de tecnologia como parte do nosso esquema de manutenção preditiva – o que economiza tempo aos nossos funcionários”.

Metodologia do Relatório de Fábricas Inteligentes da Capgemini

A pesquisa, que foi realizada de fevereiro a março de 2017, entrevistou mil executivos que ocupam o cargo de diretoria para cima em empresas de manufatura com uma receita de mais de US$1 bilhão ao ano. A pesquisa foi conduzida em seis setores: manufatura industrial, automotivo e transporte, energia e utilities, aeroespacial e defesa, ciências da vida e produtos farmacêuticos e bens de consumo. Diretores da Alemanha, China, Estados Unidos, França, Índia, Itália, Reino Unido e Suécia responderam entrevistas qualitativas e quantitativas.

(1) Nos próximos cinco anos, produtores esperam que fábricas inteligentes tragam melhorias de desempenho que excedam significativamente os seguintes esforços:
• Produtividade cresça anualmente a uma taxa de crescimento de 7 vezes desde 1990
• Importantes itens de custo esperados para serem racionalizados em mais de 11 vezes a taxa de melhoria desde 1990
• Indicadores de qualidade que deverão chegar a mais de 12 vezes a taxa de melhoria desde 1990
(2) Componentes podem incluir capacetes, projeções, lentes, tablets, vestíveis, entre outros
(3) Com fábricas inteligentes, um produtor automotive médio com $ 1 bilhão de receita e 5% de margem operacional seria capaz de aumentar sua margem em 40% – ou 2 pontos percentuais para 7%.

Tags, , , ,

Lançada ferramenta gratuita para gestão horizontal de empresas e startups

Acaba de ser lançada o Honeycomb, a plataforma da metodologia de gestão estratégica para empresas que querem operar com mais foco e transparência, além de conectar o propósito da empresa com o de seus colaboradores.

A metodologia, já implementada em sua versão inicial em 8 startups e 2 empresas, chega na sua versão aberta ao público e gratuita. Uma das empresas que a adotou foi a Swissnex Brazil, iniciativa do governo suíço que conecta startups e acadêmicos dos dois países.

“A swissnex Brazil estava em um momento crucial de amadurecimento e consolidação organizational e o Honeycomb foi a ferramenta perfeita para nós melhor definirmos e estruturarmos de forma transparente e clara os nossos objetivos estratégicos, e para monitorar o nosso progresso como equipe.”, contou Gioia Deucher, CEO da Swissnex à época.

Criado para ser o modelo de gestão interno do grupo abeLLha (que agrega uma incubadora de negócios sociais, o app GoodPeople e o Honeycomb), a metodologia começou a se tornar um produto com o tempo: “As pessoas que conheciam o Honeycomb ficavam empolgadas e queriam operar desta maneira nas suas empresas. Percebemos que tínhamos um produto comercial forte em mãos e resolvemos lançar a plataforma para que o impacto se escalasse para mais e mais empresas e pessoas”, conta a fundadora Ana Julia Ghirello que havia implementado uma gestão parecida quando era vice-presidente do bomnegocio.com.

O Honeycomb está disponível no site www.honeycomb.do para qualquer empresa o startup que queira implementá-lo. funciona assim: a cada trimestre a equipe define as áreas estratégicas do negócio e quais os objetivos a serem alcançados. Em seguida, listam as ações necessárias para chegar aos objetivos definidos. Depois disso, a equipe cria papéis com responsabilidades claras para que o dia-a-dia operacional da empresa flua. Finalmente, cada um se candidata para os papéis e objetivos que pretende tocar, declarando seu nível de habilidade (de 1 a 3) e nível de motivação (também de 1 a 3).

“A gente percebeu como é importante ter organizações com gestão focada nas pessoas. Quando o seu propósito está conectado com o da empresa e você sabe exatamente suas funções e como elas impactam no objetivo a ser atingido, a sensação de pertencimento é gigante”, conta Fel Mendes, cofundador do Honeycomb. O time de fundadores ainda conta com o sueco-carioca Maxim Kejzelman.

Para empresas que já operam e querem implementar uma gestão transparente e focada nas pessoas, os criadores da metodologia também oferecem consultorias que variam entre 12 e 20 mil reais de acordo com o tamanho do time. Para startups, a equipe está preparando uma série de workshops gratuitos, em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte.

Tags, , , ,