Page

Author admin

Brasileira é uma das dez mulheres mais influentes do mundo nas tecnologias Java e Scala

view.aspxEm um universo predominantemente masculino, Fabiane Nardon , Chief Cientist da Tail Target, é umas das brasileiras a fazer parte da lista que aponta as profissionais que mais se destacam no universo da tecnologia Java

Fabiane Nardon, Chief Cientist da Tail Target, é uma das brasileiras a integrar “10 Influential Women in Java, Scala and Everything in Between”, lista que destaca mundialmente as dez mulheres mais influentes em Java, Scala e em todo o ecossistema que gira em torno dessas tecnologias.

PhD em Engenharia Eletrônica pela Escola Politécnica da USP, Mestre em Ciência da Computação pela Universidade de São Paulo e Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade de Passo Fundo, Fabiane é apaixonada por criar software com potencial de mudar positivamente o mundo em que vivemos. Desde 2012, é a Cientista Chefe da Tail Target, uma das maiores plataformas brasileiras de Data Science para publicidade e uma das ganhadoras do Duke’s Choice Award 2015, promovido pela Oracle e considerado o ‘Oscar’ da tecnologia Java.

Fabiane lidera diversas comunidades, incluindo a JavaTools na Java.net, dentro da qual mais de 800 projetos open source foram criados. Ela faz parte ainda do comitê responsável pela definição do programa do QConSP, do JavaOne, OSCON e TDC.

“O reconhecimento da comunidade é provavelmente a maior distinção que um profissional pode almejar, ainda mais quando nos destaca em ambiente no qual a presença masculina é predominante”, afirma Fabiane ao acrescentar que uma pesquisa online realizada em 2015 pela Stack Overflow – comunidade global online que reúne mais de 4,7 milhões de desenvolvedores – confirmou esta percepção aos demonstrar que, de um universo de 26.086 respondentes, em 157 países, apenas 5,8% se declararam do sexo feminino.

Conheça abaixo as profissionais que compõem a relação “10 Influential Women in Java, Scala and Everything in Between”:

• Trisha Gee (JetBrains)
• Jessica Kerr (Software Developer at Stripe)
• Agnès Crépet (Java Activist)
• Monica Beckwith, (Java Performance Consultant)
• Heather VanCura (Director of JCP at Oracle)
• Linda Van Der Pal (Founder of Duchess)
• Fabiane Bizinella Nardon ( Chief Scientist at TailTarget)
• Heather Miller (Executive Director of the Scala Center at EPFL)
• Yara M H Senger (GlobalCode and TDC)
• Tori Wieldt (Developer Advocate at New Relic)

Fabiane Nardon é PhD em Engenharia Eletrônica pela Escola Politécnica da USP, Mestre em Ciência da Computação pela Universidade de São Paulo e Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade de Passo Fundo. Desde 2012, é a Cientista Chefe da Tail Target. Entre suas especialidades, estão Specialties: Java, Computação em Nuvem, JEE, JEE, Open Source, Arquitetura de Software, Plataformas de Software, Agile Development, concepção de produtos baseados em Internet, Big Data e Data Science.

Tags, , , , , ,

8 tendências para o varejo

O varejo vem sofrendo com a baixa das vendas e apresentou, em 2015, um dos piores resultados dos últimos tempos. Especialmente neste momento, em que a concorrência entre as empresas fica ainda mais acirrada, é preciso estar atento ao mercado e ao comportamento do consumidor para entender em que direção o setor está caminhando, de modo a manter-se vivo.

“O varejo é dinâmico e quem não for capaz de se reinventar e acompanhar as tendências, principalmente em cenário de crise, ficará para trás. Hoje, temos que estar preparados para um consumidor mais ativo e precisamos de empresas mais engajadas na personalização”, ressalta Márcio Nunes, diretor de Omni Channel da Linx.

Pensando nisso, a Linx, especialista em gestão de software para o varejo, listou as principais tendências que podem ajudar os varejistas a planejar suas ações até o final deste ano.

No Friction

As relações das empresas com os consumidores devem ter o mínimo de conflito possível. Serão destaque as empresas que transformarem o relacionamento usando abordagens simples e contatos práticos e rápidos, evitando desgastes e experiências negativas com informações complexas.

Produtividade

A tecnologia tem um papel cada vez mais importante na hora de reduzir custos e tornar a operação mais ágil e eficiente. O uso de ferramentas como um CRM integrado pode proporcionar customizações mais assertivas, assim como melhorar a proximidade e otimizar o tempo de empresa e clientes, proporcionando mais experiências positivas.

Millennials

A geração que está mudando a forma de comprar valoriza fatores como excelência, simplicidade e boa experiência de consumo. O varejista precisa estar preparado para atender as expectativas deste público.

Cliente como protagonista

O cliente é o novo protagonista das campanhas e, quanto mais real ela for, melhor! Storytellings com situações reais têm um apelo maior com o público, pois ele se identifica nas campanhas.

Sem fronteiras

Nem só online, nem só offline. O varejo deve estar em todos os ambientes, afinal, o consumidor espera cada vez mais poder comprar tanto na loja física quanto na virtual (ou no aplicativo móvel e qualquer outro novo canal de vendas conveniente para ele).

Colaboração

As parcerias são grandes fontes de inovação. Os varejistas devem aproveitar as oportunidades para reunir suas diferentes especialidades visando fornecer as melhores experiências para os clientes, seja em produto, em serviços ou ambos. A colaboração gera ganhos para todos os envolvidos: empresas parceiras e consumidores.

Propósito de marca e cultura

O consumidor está cada vez mais preocupado com o que o posicionamento da marca e sua cultura representam para o mundo. Qual o propósito da sua marca? Todas as áreas da sua empresa estão engajadas?

Continua em alta

Big Data fonte de infinitos recursos de customização e melhoria de experiência de compra para os clientes – e Reestruturação da Loja Física, onde há uma forte mudança de posicionamento, com este canal refletindo a experiência física de todos os outros.

Tags, , ,

GoPro lança seu Programa de Desenvolvedores

unnamed-29

Em evento fechado hoje, em São Francisco (EUA), a GoPro apresentou o GoPro Developer Program, um esforço para apoiar empresas que buscam desenvolver experiências de usuários melhores entre seus produtos e as soluções da GoPro. Operando silenciosamente há mais de um ano, o Programa de Desenvolvedores trabalhou próximo a um largo espectro de desenvolvedores que inclui grandes multinacionais e pequenas e inovadoras startups.

“Nos últimos anos ficamos animados pela criatividade e entusiasmo de outras marcas quando elas integravam GoPro às suas próprias soluções”, afirma Nick Woodman, CEO e fundador da GoPro. “O Programa de Desenvolvedores da GoPro é uma maneira de celebrarmos o trabalho inovador da nossa comunidade de desenvolvedores e mais importante ajudar a pavimentar o caminho para o que está pela frente. Somos gratos pelo benefício que é contar com essa genialidade coletiva dos participantes e estamos muito animados por apoiá-los oficialmente e aos seus esforços com nossas ferramentas de desenvolvimento”.
As ferramentas do Programa de Desenvolvedores da GoPro permitem a criação de melhores experiências entre produtos de terceiros e os produtos da GoPro das seguintes maneiras:

Aplicativos Mobile: Aplicativos móveis que se conectam com câmeras GoPro. As funcionalidades incluem: comando e controle da câmera, live preview dos vídeos e gerenciamento de mídias.

Dispositivos: Permite aos desenvolvedores criarem dispositivos que se conectam fisicamente às câmeras GoPro por meio do HEROBus ou sem fio via Bluetooth® ou Wi-Fi. Também traz a possibilidade de acessar várias funções da GoPro: comando e controle da câmera, gerenciamento de vídeos e mais.

Mounts e Housings: Soluções de mounts e acessórios confiáveis para os dispositivos da GoPro.
No evento de lançamento, 34 empresas das mais de 100 participantes exibiram uma grande variedade de implementações compatíveis com câmeras GoPro, incluindo:

BMW – M-Laptimer App: Para os amantes de carros, o aplicativo vai compilar e analisar dados de um dia na pista. Capturar dados telemétricos, de velocidade, localização e vídeos gravados com câmeras GoPro para trazer um feedback informativo e preciso do que o carro fez.

FISHER-PRICE: Integração de housing child-friendly compatíveis com câmeras GoPro aos seus novos produtos – incluindo o Jumperoo, Walker e Gym para ajudar os pais a celebrarem cada momento nos primeiros anos de suas crianças de uma perspectiva única.

TELEFÓNICA – Xtreamr Mobile App: Com a simplicidade de se compartilhar um link, o Xtreamr permite o compartilhamento de vídeos multi-dimensionais, ao vivo, com pessoas que você mais se importa. Produza memórias e as compartilhe em tempo real.

TIMECODE SYSTEMS – SyncBac PRO: O Timecode sincroniza câmeras GoPro para uma integração melhor para produções profissionais de televisão e workflows de filmagem.
“Conseguimos ir tão longe com o SyncBac PRO graças a incrível troca de tecnologia oferecida pelo Programa de Desenvolvedores da GoPro,” afirma Paul Scurrell, CEO da Timecode Systems Limited. “Para mim, essa é exatamente a iniciativa que a nata das empresas de tecnologia deveria estar fazendo – levando o melhor das suas ofertas e as combinando para gerar soluções elegantes e inovadoras. O resultado final é uma junção de produtos que é melhor do que a soma de duas metades, providenciando ao consumidor final a melhor solução possível”.

Para ter acesso ao kit de ferramentas de desenvolvedores GoPro e se juntarem ao GoPro Developer Program, empresas interessadas devem visitar o endereço http://developer.gopro.com/info e se inscreverem.

O Programa de Desenvolvedores da GoPro está sendo lançando junto a um programa chamado “Works with GoPro”, uma verificação de produto e processo de associação à marca de empresas que fabricam itens que trabalham junto às câmeras GoPro. As companhias que completarem a verificação “Works with GoPro” podem se valer de benefícios como marketing integrado, incluindo o uso da marca “Works with GoPro”, sabendo que estão endossados pela empresa GoPro.

Tags, , , , ,

Empresa anuncia plataforma para enxergar comportamento de clientes das operadoras de telecomunicações

A Gigamon, Inc., companhia norte-americana especializada em soluções de visibilidade de tráfego de rede, anunciou um conjunto de soluções para o mercado de Telecomunicações na América Latina que permite às operadoras enxergar os dados de suas redes com profundidade inédita. A tecnologia tem foco no conceito de subscriber-aware, ou conhecimento amplo sobre o usuário, e roda em estruturas virtualizadas, tradicionais ou em nuvem.

A empresa iniciou operações locais na região em setembro do ano passado como parte da estratégia de expansão global. O objetivo da plataforma é possibilitar às provedoras de serviços o monitoramento e análise da rede a ponto de extrair do enorme volume de informações, geradas pelo tráfego, dados valiosos sobre perfil, comportamento do usuário e suas necessidades de uso para gerar receita com novos serviços. A plataforma Visibility Fabric já é utilizada por operadoras em diversas partes do mundo e, recentemente, na América Latina, foi implantada pela Telefonica Argentina.

“A Gigamon garante um patamar de visibilidade e seleção de tráfego em nível de assinante, que possibilita que as operadoras reponham os investimentos feitos para a captação, sustentação e manutenção de seus clientes e também ampliem suas receitas com novas ofertas, além de possibilitar uma melhor qualidade na prestação de serviços para seus assinantes”, afirmou Bruno Ramos, diretor regional de Vendas da Gigamon para o Brasil, que apresentou a solução ao mercado na conferência LTE Latin America 2016, realizada neste mês, no Rio de Janeiro.

Segundo o executivo, a indústria de Telecomunicações enfrenta atualmente seus maiores desafios para o controle sobre a explosão do tráfego de dados.

“Grandes investimentos têm sido feitos pelas operadoras brasileiras nos últimos anos para ampliação de cobertura, sustentação operativa e melhoria nos serviços. Agora, precisam rapidamente equilibrar a relação receita x investimentos, trazendo novas receitas através do melhor entendimento do comportamento de seus assinantes que podem investir em novos serviços”, explicou Ramos.

A Telefonica Argentina está utilizando recursos do portfólio Gigamon para conhecer a fundo as características da utilização de seus serviços pelos clientes, detalhar como seus assinantes acessam conteúdo e, a partir daí, ajustar suas ofertas de serviço às necessidades dos usuários do sistema.
As soluções da Gigamon também têm como foco a segurança, considerando a alta vulnerabilidade das redes das operadoras com o crescimento do cibercrime. Smartphones são alvo de ataques cada vez mais frequentes. “O tráfego malicioso que passa pelas redes gigantescas das operadoras passou a ser um grande problema”, ressalta Bruno Ramos.

A visibilidade oferecida pelo portfólio que a Gigamon traz para o mercado da América Latina permite reconhecer com muito mais agilidade a atuação de cibercriminosos nas redes.

Tags, , ,

O que o futuro reserva aos CIOs? – Por Ana Claudia S. Reis

Com o atual cenário, a concorrência no mercado e a busca por inovações que otimizem os negócios estão cada vez mais presentes no dia a dia dos executivos. Para alguns líderes, estar preparado para o futuro e ter novas ferramentas que irão auxiliá-los na busca por resultados é fundamental e imprescindível. Este é o caso do CIO (Chief Information Officer).

Está intrínseco ao trabalho desenvolvido por esse executivo, liderar processos de inovação que antecipem tendências para o futuro, sempre impulsionado pelo desejo de ser o mais preparado possível para um amanhã digital, que se aproxima de forma cada vez mais veloz em qualquer setor.

Mas, apesar dessa certeza de uma digitalização veloz e mais presente, o futuro para os CIOs é motivado por uma nova necessidade de reformular o fornecimento de soluções tecnológicas interessantes, que facilitem e modifiquem a rotina de seu público-alvo. A área de TI não interrompe suas mudanças e os compradores clamam cada vez mais por velocidade e agilidade. Oferecer isso ao mercado de forma antecipada garante diferenciais atraentes e merece a atenção e o foco desse executivo.

Algumas tendências fazem parte deste percurso para o futuro da atuação do CIO. Especialistas fortalecem a ideia de que a Internet das Coisas deve ter espaço significativo no planejamento estratégico desenvolvido por esse profissional. Outro fator não deve mudar: o CIO é o responsável pelos processos de atualização de sua organização, além de pensar o digital dentro dela. Focar nas novas oportunidades de fazer negócio não deve sair do radar do executivo. Isso contribui muito para as ideias diferenciadas e o desenvolvimento de novos produtos.

Mais do que qualquer outro executivo, o CIO deve batalhar pela busca da reafirmação de sua importância dentro da empresa. CIOs e outros chefes de TI devem garantir que todos estejam preparados para o ritmo acelerado das mudanças. Enquanto isso, as companhias e recrutadores que procuram novos líderes para essa área devem se atentar e avaliar a viabilidade de potenciais candidatos dentro de um perfil de rápidas adaptações e ideias. As empresas precisam considerar o quão bem um candidato irá lidar com a agitação projetada para o futuro.

Como headhunter, vejo um futuro cada vez mais desafiador para esse profissional. Portanto, cabe ao executivo assumir o seu papel com clareza, de modo que não fique para trás. A constante atualização do executivo garante também que ele seja desejado pelas empresas, e esse é um importante fator a ser levado em consideração para um futuro de sucesso do CIO.

*Por Ana Claudia S. Reis, sócia da The Caldwell Partners no Brasil

Tags, , ,

MGTI contrata assessoria nos Estados Unidos

O programa MGTI contratou uma agência norte-americana, a The Information Company, para divulgar o trabalho das empresas associadas no território norte-americano, incluindo também as startups incubadas e aceleradas pelo programa Acelera MGTI em Minas Gerais.

Além da divulgação na imprensa internacional e nas redes sociais em inglês, a parceria facilitará o intercâmbio de inovações tecnológicas e, também, investimentos de capital de risco dos Estados Unidos nessas empresas.

Com dez anos de experiência na divulgação e no desenvolvimento de negócios entre Estados Unidos e Brasil, a The Information Company vai também servir de referência para que o MGTI, através de suas organizações fundadoras e respectivas empresas associadas – Assespro-MG, Fumsoft, Sindinfor e Sucesu Minas – e parceiras ACIU, I9, UTEC, Viçosatec – facilitem o intercâmbio com aceleradoras, universidades e outras organizações de fomento à inovação no território norte-americano.

“Além de contar com uma fantástica estrutura de apoio às startups, com quase 60 bilhões de dólares investidos anualmente, os Estados Unidos são o país mais generoso do mundo: dedica anualmente cerca de 1% do seu orçamento de 19 trilhões de dólares à ajuda externa, inclusive na área de inovação, diz o CEO da empresa, Pedro Augusto Leite Costa.

Segundo ele, é impressionante o número de programas tecnológicos privados e estatais no país, mas que não são acessados por falta de estrutura, interesse ou conhecimento dos brasileiros.

“Essa contratação será um importante passo para que o MGTI avance internacionalmente e ajude as empresas associadas e as startups a ganhar uma nova dimensão nos Estados Unidos, país que também representa uma plataforma global para os serviços e produtos com tecnologia brasileira”, diz Flávia Guerra, gestora do programa.

A The Information Company também apoiará o intenso trabalho de redes sociais desenvolvido pelo programa, tanto nacional como internacionalmente, com adequações de materiais promocionais e inserções para o público especializado norte-americano.

Tags, ,

Aplicativo móvel desenvolvido pela Scopus facilitará acesso a informações e a circulação no CIAB FEBRABAN 2016

O aplicativo CIAB de Bolso, desenvolvido pela Scopus Soluções em TI, será a ferramenta oficial de consulta a informações, via dispositivos móveis, do congresso e exposição CIAB FEBRABAN 2016, que será realizado entre os dias 21 e 23 de junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Simples de usar, o aplicativo combina várias tecnologias avançadas em que a Scopus vem trabalhando, como as relacionadas ao conceito de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e à localização indoor.

“A intenção é oferecer ao visitante do CIAB uma ferramenta que ele possa usar durante todo o evento, não só para obter informações variadas, por exemplo, sobre a agenda de palestras e paineis do congresso, como também para facilitar sua circulação pela área de exposições”, afirma Nair Macedo, da FEBRABAN. Mais do que isso, o aplicativo terá algumas funções interativas, que permitirão aos usuários enviar perguntas aos palestrantes, durante as sessões técnicas e paineis do congresso, e ainda votar nos melhores estandes da feira, utilizando o dispositivo móvel.

Para tornar a experiência ainda mais interativa, a Scopus vai espalhar pelo Transamerica Expo Center dezenas de beacons – dispositivos que emitem sinais de localização e que se comunicam com o smartphone ou tablet, por meio da tecnologia Bluetooth Low Energy. Esses pequenos aparelhos emitirão alertas, exibidos na tela dos dispositivos móveis equipados com o CIAB de Bolso, avisando o visitante que ele está próximo ao café, ao restaurante, ao banheiro ou, com a ajuda da função Notificação, ao auditório onde terá início a palestra que está interessado em assistir. Nesse caso, o usuário receberá também um aviso no dispositivo móvel, alguns minutos antes do início da palestra ou painel.

Outra novidade incluída no aplicativo é a função Rota, que mostrará na tela do smartphone (ou tablet) o caminho mais curto para chegar ao estande desejado – para isso, bastará o usuário digitar sua localização. Além disso, o CIAB de Bolso trará o mapa completo da exposição, com a localização dos estandes e áreas de serviços (cafés, lanchonetes, etc.), e também a programação do congresso, com data, hora, auditório, tema e informações sobre os palestrantes.

Disponível para os sistemas operacionais Android e iOS, o CIAB de Bolso poderá ser baixado gratuitamente nas lojas de aplicativos da Google (Google Play) e da Apple (Apple Store), a partir do dia 15 de maio.

Tags, , ,

Projeto de Realidade Virtual conquista primeira edição do everis innovation experience | Hackathon no Brasil

A everis, consultoria multinacional especializada em negócios e tecnologia, do grupo NTT DATA, em parceria com a Faculdade de tecnologia FIAP, centro de excelência em tecnologia e uma das instituições de ensino mais renomadas do País, e com patrocínio da Liferay, líder em soluções digitais e web, anunciaram o vencedor da primeira edição do everis innovation experience | Hackathon.

A maratona livre de programação teve como desafio o desenvolvimento do protótipo de uma solução em que as interações entre a everis e seus públicos pudessem ser digitais e colaborativas.

O grupo formado pelos estudantes Fabio Luis Lafuente Avila, Rodolfo Izidoro de Morais e Clauber Cesario de Souza, do 4º ano de Engenharia da Computação, pela FIAP, foram os vencedores do concurso com o trabalho Virtual Makers que explora a área da Realidade Virtual. Durante o hackathon, os pesquisadores desenvolveram um projeto/plataforma capaz de promover a comunicação entre pessoas, dentro de um ambiente virtual.

A solução permitirá que duas ou mais pessoas interajam como se estivessem em um mesmo ambiente, não importa a distância em que se encontrem. Elas estarão conectadas por um dispositivo de comunicação interpessoal composto por óculos especiais. Eles possibilitam a visualização de um ambiente no quais os usuários estão, virtualmente, em tempo real. Por meio deste recurso, será possível, por exemplo, realizar reuniões, conferências etc.

“O projeto vencedor se destaca pela forma simples na qual traz a solução de um problema” afirma Roberto Pereira, executivo que lidera as iniciativas de Inovação na everis Brasil. “Estamos contribuindo para incentivar a inovação e o empreendedorismo, além de estimular o desenvolvimento de novos talentos”.

O grupo vencedor do innovation experience | Hackathon terá seu projeto encubado pela everis. Além disso, cada integrante que participou desta solução, recebeu um voucher de R$ 1.000,00, que pode ser trocado em uma loja de produtos eletrônicos e também um voucher de R$ 1.000,00 para que participem do programa Shift FIAP. Este programa contempla cursos da FIAP de curta e média duração nas áreas de tecnologia, empreendedorismo, projetos, negócios e inovação.

Para Roberto Godoy, sócio da área de Tecnologia da everis Brasil, “a primeira edição do everis innovation experience | Hackathon foi muito bem-sucedida e atingiu os objetivos que tínhamos na estratégia de inovação na everis. Agora, precisamos dar sequência aos próximos passos para seguir inovando com soluções tecnológicas como as utilizadas durante o evento, que apresentaram um nível muito alto. ”

A importância do trabalho vencedor

“Com o Virtual Makers, o usuário poderá transmitir de forma visual a maneira em que ele enxerga o problema. Isso seria possível por meio de streaming (transmissão ao vivo) de vídeo, convertido à perspectiva de realidade virtual (da mesma forma que acontece com vídeos 3D, ele ‘espelha’ a imagem para dar à pessoa a sensação de estar dentro do vídeo). Assim, o especialista dentro da perspectiva do usuário poderá compreender muito mais rápido o cenário e, assim, oferecer assistência visual de forma imediata”, afirma o estudante Fabio Lafuente, integrante do grupo vencedor do everis innovation experience | Hackathon.

“Assim como o projeto vencedor, todos os projetos envolvidos têm grande potencial para fazer a diferença no mercado. Estamos muito honrados em incentivar a inovação e o empreendedorismo, além de estimular o desenvolvimento de novos talentos. Precisamos cada vez mais identificar boas iniciativas, que possam contribuir para a sociedade”, destaca Bruno Pimentel, consultor da Liferay e patrocinador do evento.

Primeira edição do everis innovation experience | Hackathon

A primeira maratona de programação promovida pela everis recebeu um total de 55 inscrições. Ao todo, 15 projetos foram à fase final de apresentação. Os trabalhos foram avaliados por um corpo de jurados o qual fizeram parte o Diretor na Telefónica S.A., Pedro Riviere, o sócio-diretor das empresas BuiltCode IT Solutions e BTC Tecnologia, Luciano Gaspar, o consultor da Liferay, Bruno Pimentel, o gerente de Relações Corporativas da FIAP, Ricardo Fortes, o editor de tecnologia da revista EXAME, Filipe Serrano, o executivo da Associação Brasileira de Startup (ABStartups), Rafael Ribeiro, o sócio de tecnologia da everis Brasil, Roberto Godoy e o executivo responsável pela área de Inovação da everis Brasil, Roberto Pereira.

A análise dos projetos levou em conta os critérios de aderência ao tema, inovação, foco no cliente, relevância, qualidade da entrega e do pitch. Os outros projetos de destaques foram:

1 – Projeto Vencedor: Fabio Luis Lafuente Avila, Rodolfo Izidoro de Morais e Clauber Cesario de Souza, de São Paulo, que compuseram o grupo Makers e desenvolveram o projeto Virtual Makers. Utilizando o recurso de “Realidade Virtual”, o dispositivo de comunicação interpessoal é capaz de promover a comunicação entre duas pessoas (em tempo real), dentro de um ambiente virtual.

2 – Segundo colocado: Álvaro de Viveiros Neto, Antônio Vinicius, Arthur Prado, Rafael Gregolin, Victor Matos, todos de São Paulo, que compuseram o grupo Smart Connect e desenvolveram o projeto: “Draws Four U”. Com a proposta de transformar linguagem em imagem, a solução voltada para profissionais do segmento corporativo tem como proposta (por meio de fluxogramas), melhorar os problemas da comunicação verbal para visual.

3 – Terceiro colocado – Angélica Santos, Flavia Moura, Fernanda Fattu, Rogério Oliveira, Raphael Melo, que compuseram o grupo Evatar e desenvolveram o projeto: “Efetivação na Negociação”. Com a proposta de aumentar a interação com os empreendedores e clientes. O dispositivo de identificação facial – direcionado a executivos e empresários -, mapeia as expressões faciais em tempo real e, somado com outros recursos, auxilia no processo de consolidação de negócios.

Para mais informações sobre o everis innovation experience | Hackathon acesse o site: http://www.everisinnovation.com.br

Tags, , , , , , , ,

Home Office como tendência e solução do milênio

Um estudo recente da Polycom mostra que 78% das pessoas são mais produtivas quando têm acesso total às tecnologias que estão acostumadas. Essas pessoas esperam obter, no ambiente de trabalho, a mesma experiência que estão vivenciando em suas vidas pessoais; e as empresas que não estão oferecendo uma experiência e um ambiente de trabalho estimulantes, com um vasto conjunto de ferramentas colaborativas, perderão grandes talentos.

A flexibilidade no local de trabalho hoje é considerada um benefício, assim como vale refeição, vale transporte, entre outros.

Outro dado relevante, é que as pequenas e médias empresas, pensando na redução de custos e na qualidade de vida de seus profissionais, são as que mais aderem ao estilo flexível de trabalho.

Mas, para que a cultura organizacional mude e o home office continue em ascensão, é necessário que as empresas e os funcionários estejam atentos a uma série de detalhes.

Seguem algumas características e dicas para a eficácia do home office como forma de trabalho:

– Lembre-se que os negócios da empresa continuam sendo da empresa. Como você está no conforto da sua casa, cuidado com fofocas e exposição de processos confidenciais.

– Se você não mora sozinho, diga a todos que você está tendo um dia de trabalho normal. Você está lá, mas é como se não estivesse.

– O ideal é ter um notebook que você pode levar para casa. Sem este dispositivo, você pode acabar esquecendo de salvar determinados arquivos no pen drive ou mesmo na nuvem;

– A qualidade da sua conexão com a internet vai fazer toda a diferença. Assim você só vai se preocupar com o que realmente importa. O mesmo vale para o telefone, impressora ou tablete;

– Algumas empresas já não têm os “formatos de escritório”, cada funcionário senta aonde quiser, assim, ao saírem, os funcionários levam tudo o que é importante e não esquecem de nada;

– Quando você tem um horário de trabalho fixo, você deve mantê-lo em seu escritório em casa com a mesma precisão.

– Use as mesmas roupas para ir trabalhar, como se você realmente estivesse no escritório, isso vai ajudar na sua percepção mental.

– Escolha o melhor lugar da casa para trabalhar. Procure a melhor iluminação, instale Wi-fi, fique longe de todas as distrações e jamais trabalhe na cama.

– Use moderadamente sua TV, redes sociais e internet para uso pessoal. Sem essa prudência, trabalhar em casa pode ser uma grande armadilha.

Para acessar as informações completas sobre ambiente de trabalho flexível, acesse o infográfico: https://goo.gl/9MoxoH.

Tags, ,

PROTESTE reforça mobilização contra bloqueio da internet fixa

A PROTESTE Associação de Consumidores lançou hoje (13), petição on-line (www.proteste.org.br/contraobloqueiodainternet) contra o limite de uso de dados de internet dos serviços de banda larga fixa. A mobilização reforça os protestos contra a iniciativa das grandes operadoras de estender para a fixa o que já estão fazendo com a internet móvel: limitar e até cortar a conexão ao acabar a franquia.

Hoje, a Associação protocola na 5ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro (processo nº 0047753-86.2016.8.19.0001) uma petição reiterando pedido de liminar na ação contra as principais operadoras, em tramitação desde maio do ano passado. Na ação, cuja entrada foi em São Paulo e transferida para o Rio de Janeiro, após recurso da Oi, é pedido que as operadoras Vivo, Oi, Claro, Tim e NET sejam obrigadas a adequar suas práticas na contratação do serviço de conexão à internet aos termos do Marco Civil. Caso tenha sucesso, a medida valerá para todo o País.

Na ação, é pedido que as operadoras sejam impedidas de comercializarem planos franqueados com previsão de bloqueio da conexão à internet depois de esgotadas as franquias. Assim como deixem de impor planos franqueados com previsão de acesso restrito a determinados conteúdos ou aplicativos (zero-rating ou acessos patrocinados) depois de esgotadas as franquias.

O Marco Civil da Internet deixa claro que uma operadora de telecomunicações só pode interromper o acesso de um cliente à internet se este deixar de pagar a conta. O bloqueio do acesso à internet nos casos em que o consumidor está com a conta em dia fere não só o direito à continuidade do serviço de interesse público, nos termos do inc. IV, do art. 7º do Marco Civil; mas também o princípio da neutralidade, nos termos do inc. IV, do art. 3º e caput do art. 9º, da mesma lei. O art. 7º do Marco Civil da estabelece que o serviço de acesso à internet é essencial para o exercício da cidadania. E no seu inc. IV, determina que o serviço só pode ser interrompido nas hipóteses de não pagamento da contraprestação.

Para a PROTESTE, trata-se de prática abusiva alterar contratos, mesmo os que já estavam em vigor antes da aprovação do Marco Civil da Internet, porque o serviço de conexão à internet não é um serviço de telecomunicações, nos termos do art. 61 da Lei Geral de Telecomunicações e da Norma 04/1995, editada pelo Ministério das Comunicações.

Na ação que inclui a internet móvel, a PROTESTE pede que sejam garantidas as condições originais no momento da contratação em relação aos contratos celebrados com base na modalidade de acesso ilimitado, com ou sem redução de velocidade de provimento do serviço de conexão à internet.

Quanto aos contratos na modalidade de franquia com a previsão de redução da velocidade ao final da quantidade de dados contratados, é pedido que sejam garantidas as condições originais no momento da contratação, impedindo o bloqueio do acesso.

No caso dos contratos assinados após o início de vigência do Marco Civil da Internet (24 de junho de 2014), a PROTESTE quer que as empresas sejam obrigadas a garantir o provimento do serviço de conexão à internet, sem interrupção, nos termos do inc. IV, do art. 7º, da Lei 12.965/2014, podendo apenas reduzir a velocidade.

Tags, , , , , ,

O Business Intelligence a favor do segmento elétrico

*Por Marcelo Hermann

A conjuntura econômica atual exige que as empresas sejam cada vez mais competitivas e eficientes. Por isso, oferecer os melhores produtos e serviços a custos reduzidos sempre será uma meta a ser alcançada por qualquer companhia que queira crescer neste cenário tão agressivo. Olhar para fora torna-se um fator crucial para o sucesso de uma corporação. Os clientes mudam a passos largos a sua forma de relação com seus fornecedores de produtos e serviços e, sendo assim, a busca pela excelência no relacionamento com seus clientes também passa a ser uma questão de sobrevivência.

No segmento de Utilities, em especial no setor de distribuição de Energia Elétrica, a história não é diferente. As empresas distribuidoras de energia elétrica são submetidas a exigências crescentes por qualidade e baixo custo de seus serviços, além de buscarem eficiência operacional e da primazia no relacionamento com os consumidores de sua área de concessão. Ou seja, satisfazer os seus clientes externos, internos e órgãos reguladores do setor é um objetivo constante neste segmento.

Neste sentido, ter a disposição um ambiente analítico corporativo e robusto, que forneça dados e indicadores preciosos às camadas operacionais, táticas e estratégicas é de fundamental importância. Outro ponto crucial é que o ambiente analítico precisa fornecer não apenas indicadores de performance vitais para a camada estratégica, mas também que se preocupe com a camada operacional responsável pelos processos essenciais do dia a dia de uma concessionária de energia elétrica.

Já os sistemas de gestão comercial e técnica, além do próprio ERP (do inglês, Enterprise Resource Planning) são grandes geradores de informações nos quais ajudam os clientes a transformarem dados em inteligência competitiva. Ferramentas de KDD (do inglês, Knowledge Discovery in Databases) têm se mostrado um grande aliado na busca pela recuperação de receitas através do combate à inadimplência e prevenção a fraudes.

Na prática, o uso do Business Intelligence nas empresas do setor de concessão de energia elétrica tem o intuito de suportar as principais necessidades de análises e geração de dados, visando suportar as camadas operacionais e estratégicas da empresa. Porém, o maior desafio é transferir toda a complexidade estrutural de uma base de dados transacional complexa, em um modelo híbrido dimensional e multidimensional que garanta não apenas performance, mas principalmente qualidade da informação.

O alto volume de informações geradas e a heterogeneidade do ambiente transacional são fatores que contribuem desfavoravelmente para a construção de um ambiente de Business Intelligence neste setor. Por isso, antes de começar a empreitada tecnológica, é preciso planejar o projeto para que este esteja bem estruturado a ponto de extrair toda a complexidade dos modelos transacionais, o que é um fator fundamental para o sucesso de um projeto de BI.

*Marcelo Hermann é Gerente Sênior de Inovação Tecnológica da Divisão de Utilities da Sonda IT, maior integradora latino-americana de soluções de Tecnologia da Informação.

Tags, , , , ,

Epson ingressa no mercado de rotuladoras industriais

46c63cad-73bb-4595-bf9c-e8dccbf2fc43

A Epson, líder mundial em impressão, projeção e imagem digital, ingressa no mercado de rotuladoras industriais, lançando a LabelWorks LW-Z900FK, um aparelho projetado para economizar tempo, reduzir custos e aumentar a eficiência das empresas em tarefas de impressão de etiquetas industriais.

Apta a identificar cabos, tubulações, mangueiras, diagramas de fiação e até mesmo equipamentos perigosos, a nova rotuladora e seus novos tipos de fitas especiais foram desenvolvidos para satisfazer as necessidades específicas dos profissionais dos setores de telecomunicações, construção e eletroeletrônica, mantendo ao mesmo tempo a linha de rotuladoras de uso doméstico e profissional, mas com características e funcionalidades técnicas.

A estrutura compacta e móvel da LabelWorks LW-Z900FK, possibilita que ela seja usada em lugares onde existe dificuldade para se instalar aparelhos de mesa. Pensando nas áreas de atuação, ela foi projetada para aguentar ambientes hostis, sendo é constituída de plástico resistente a alto impacto que atende a testes de especificações de queda, de acordo com padrões militares dos Estados Unidos.

Além disso, o equipamento inclui funções de rebobinagem automática para reduzir a margem de 10 mm para 4 mm das etiquetas industriais e, com isso, economizar custos.

A função de Liberação e Parada permite a LabelWorks LW-Z900FK segurar as etiquetas cortadas. O equipamento possui ainda um recurso que permite ao usuário pausar um processo para retomá-lo após a remoção da etiqueta. Ambas funções evitam que a etiqueta se solte do aparelho e seja perdida.

Outro diferencial são as fitas especiais, como por exemplo o tubo termo-contrátil, ideal para cabos por suas propriedades de isolamento e pelo fato de se contrair, envolvendo os fios quando expostos ao ar quente e fontes de calor. Também farão parte do portfólio, as fitas magnéticas, possibilitando a fixação permanente ou a remoção quando necessário.

A LW-Z900FK foi recentemente premiada com o prestigiado iF Design Awards, que desde 1953 recompensa inovações em design de produto. Ela foi reconhecida por sua funcionalidade e praticidade para uso em variados ambientes de trabalho.

“Estamos muito satisfeitos pelo fato de os nossos produtos terem sido reconhecidos desta maneira. A Epson está continuamente desenvolvendo equipamentos para atender as necessidades das pessoas, sendo para uso profissional ou doméstico, o que explica o sucesso de nossos produtos”, afirma Gerlinde Lesk, gerente de produtos Epson.

Tags, , , , ,

Huawei Enterprise Business Group cresce em 2015 com demanda por liderar nova TIC

A Huawei EBG gerou CNY 27,6 bilhões (USD 4,25 bilhões) em receitas anuais em 2015, um aumento de 43,8% com relação ao mesmo período do ano anterior, e o continua crescendo com solidez. O progresso da Huawei EBG foi impulsionado pela demanda do cliente por novas soluções da TIC, e o grupo permanece comprometido em gerar um ecossistema sustentável onde todos saem ganhando ao desenvolver plataformas flexíveis e seguras, com base em tecnologias inovadoras a fim de impulsionar o sucesso do cliente na nova era TIC.

A Huawei EBG atingiu um sólido crescimento concentrando-se em indústrias de alto valor e inovação em conjunto com parceiros

David He, presidente do departamento de marketing e vendas de soluções da Huawei EBG, comentou: “Em 2015, a Huawei EBG experimentou um rápido crescimento nos setores de segurança pública, finanças, transporte e nos setores de energia. Com o desenvolvimento da TIC inovadora, incluindo computação em nuvem, grandes dados, Redes Definidas por Software (SDN, Software-defined Networking) e a Internet das Coisas (IoT, Internet of Things), os modelos de negócios dos clientes, arquiteturas de TI das empresas, e ecossistemas industriais estão mudando profundamente. Para tratar dos desafios e demandas estratégicas dos clientes, a Huawei trabalha de perto com nossos parceiros para desenvolver inovações em conjunto, por meio das quais podemos prover nossos clientes com produtos e soluções diferenciados para ajudá-los a ser bem-sucedidos na nova era TIC.”

A solução Safe City da Huawei tem sido implementada em mais de 100 cidades de mais de 30 países, incluindo Oriente Médio, África e Ásia Pacífico, atendendo a mais de 400 milhões de pessoas. A Huawei colaborou com mais de 10 instituições financeiras de primeiro escalão e fornecedores de software independente (ISVs, Independent Software Vendors) em todo o mundo a fim de desenvolver a infraestrutura de TI da próxima geração para bancos com base em computação em nuvem e grandes dados. As soluções Financial Cloud e Big Data da Huawei foram adotadas por mais de 10 bancos de médio a grande porte, incluindo o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, Industrial and Commercial Bank of China) e o Banco Mercantil da China (CMB, China Merchants Bank). A Solução Digital Railway da Huawei foi implementada em mais de 100.000 quilômetros de trilhos. A Huawei atendeu a 15 das 20 maiores companhias de energia do mundo, cobrindo mais de 100.000 subestações de transformadores e 38.000 km de dutos para petróleo e gás.

Construindo um ecossistema em que todos saem ganhando com base em tecnologias e plataformas

“Novas tecnologias, incluindo arquitetura em nuvem, IoT, grandes dados (big data) e SDN estão remodelando os sistemas de Ti e modelos de negócios da empresas. A Huawei vai integrar profundamente plataformas de hardware e software em uma abordagem ‘Nuvem-Duto-Dispositivo’ a fim de construir um ecossistema da indústria mais aberto, e estabelecer uma nova infraestrutura da TIC que seja líder da indústria, inovadora e diferenciada”, declarou WK Leung, diretor de tecnologia do departamento de marketing e vendas de soluções, da Huawei EBG.

76% da receita de vendas de 2015 da Huawei EBG foi gerada a partir de canais e parceiros, um aumento de 47% em relação ao mesmo período do ano anterior. A Huawei EBG desenvolveu parcerias com mais de 300 distribuidores e parceiros de valor agregado (VAPs, Value-Added Partners) e mais de 8.000 parceiros do canal de segundo escalão. Entre eles, mais de 350 parceiros desenvolveram soluções para a indústria em cooperação com a Huawei por meio de inovação conjunta. A Huawei desenvolveu alianças industriais globais nas áreas de eLTE, SDN, virtualização da função de rede (NFV, Network Function Virtualization), 5G, sistema de operação (OS) em nuvem, cidade inteligente e plataforma aberta de finanças. A Huawei também formou parcerias estratégicas com os principais atores da indústria, como a Honeywell, Accenture, SAP e Vodafone Global Enterprise (VGE).

“Em linha com nossa estratégia de ‘estar integrado’, a Huawei continuará apoiando nossos parceiros e ajudando-os a serem bem-sucedidos na nova era TIC ao aprimorar nossos produtos, marcas, logísticas, serviços, negócios e sistemas de TI”, declarou Raymond Lau, presidente de parceiros e alianças globais da Huawei EBG.

Hank Stokbroekx, vice-presidente do departamento de serviços empresariais globais e de marketing da Huawei, apresentou os recentes desenvolvimentos em serviços da Huawei EBG. “A Huawei fornece a nossos parceiros de canais e da indústria serviços de ciclo completo eficientes, seguros e confiáveis a fim de ajudá-los a desenvolver suas competitividade essencial. Em 2015, a Huawei fez um progresso significativo em muitas áreas, como desenvolver um série totalmente nova de serviços profissionais e promover integralmente a certificação da indústria da TIC para ajudar os parceiros na transformação de um modelo de canal para um modelo de capacidade. Além disso, a Huawei aumentou o investimento em plataformas de automação com base em serviços na nuvem. Nós ansiamos prover melhores serviços aos nossos clientes crescendo juntos com os parceiros, e nos tornando o parceiro de serviços mais confiável do setor”, declarou o Sr. Stokbroekx.

Com seu princípio norteador “Infraestrutura de TIC Voltada a Negócios” (BDII, Business-Driven ICT Infrastructure), a Huawei vai acelerar suas estratégias de “foco em infraestrutura TIC” e “ser integrada”. A Huawei está comprometida em inovar em conjunto com seus parceiros e clientes; facilitando a transformação de negócios dos clientes em indústrias diferentes incluindo governo, segurança pública, finanças, energia, transporte, produção, educação, e provedor de serviços de Internet (ISP, Internet service provider); e liderando a nova era TIC por meio da capacitação do sucesso de negócio dos clientes.

Tags,

Samsung aposta em serviços exclusivos para fidelizar o consumidor

view.aspx

Para atender cada vez mais o público exigente e seletivo, a Samsung investe em ferramentas e serviços que trazem diferenciais e exclusividades que, efetivamente, oferecem vantagens para o consumidor. Um exemplo é o Samsung Concierge lançado recentemente para os usuários dos novos Galaxy S7 e Galaxy S7 edge.

O Samsung Concierge, antecipa tendências e garante a evolução contínua da companhia em ofertar o melhor para os clientes. O atendimento exclusivo e personalizado traz benefícios para usuários do Galaxy S7 e Galaxy S7 edge que buscam praticidade e agilidade no atendimento das demandas do dia a dia.

O atendimento desse serviço gratuito é realizado por meio da dedicação exclusiva de um profissional da Samsung, que estará disponível* para atender as necessidades tecnológicas dos usuários, dando dicas para obter o melhor desempenho ou ajudando o usuário a resolver questões de configuração, transferência de dados ou até mesmo agendando horário para serviços que necessitam de assistência técnica. Para deixar o serviço ainda mais personalizado, o cliente será atendido sempre pelo mesmo concierge, que já possui o histórico do consumidor, evitando a necessidade de repeti-lo a cada ligação.

Ao apresentar este diferencial, a empresa procura melhorar a vida de seus consumidores e oferecer a oportunidade para que eles utilizem todo o potencial dos smartphones da empresa para facilitar o seu dia a dia. “Nosso objetivo é oferecer uma variedade de experiências móveis integradas e que beneficiem o usuário. O Samsung Concierge foi criado para ser um serviço único e personalizado para cada consumidor de acordo com as suas necessidades”, afirma Loredana Sarcinella, Diretora Sênior de Marketing da Divisão de Dispositivos Móveis da Samsung Brasil.

*O Samsung Concierge poderá ser acionado pelo aplicativo ou pelo telefone 0800 940 0944. Saiba mais em: www.samsungconcierge.com.br

Tags, , , ,

NEC dá início à construção do Sistema de Cabos do Atlântico Sul

view.aspx

Primeiro sistema de cabos submarinos a conectar a África e a América Latina incentiva o intercâmbio comercial e econômico entre os continentes

A NEC Corporation, provedora líder de sistemas de Tecnologia da Informação (TI), e a Angola Cables S.A., operadora de telecomunicações angolana, anunciaram hoje que o contrato para a construção do Sistemas de Cabos do Atlântico Sul (SACS), o primeiro sistema de cabos de fibra óptica submarino no hemisfério sul a conectar diretamente a África e a América do Sul, teve sua execução iniciada. Com conclusão esperada para 2018 e custo estimado em US$ 160 milhões, o projeto será financiado pelo Japan Bank for International Cooperation (JBIC) e pela Sumitomo Mitsui Banking Corporation (SMBC), com apoio da Nippon Export and Investiment Insurance (NEXI), por meio do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).

O SACS vai conectar a capital angolana Luanda à cidade brasileira de Fortaleza (CE) numa linha direta entre os continentes africano e sul-americano com extensão de 6,2 mil quilômetros pelo Oceano Atlântico. Essa linha é capaz de realizar transmissões de dados de altas velocidade e capacidade. Além disso, a partir de Fortaleza, o sistema permite a conexão entre Angola e Miami, nos Estados Unidos, por meio de outro sistema de cabos submarinos.

Dotado de tecnologias ópticas de última geração, o SACS deve ser o sistema submarino de telecomunicações mais avançado do mundo. Conectado a um centro de controle que conta com tecnologia Software-Defined Networking (SDN), o SACS será capaz de suportar aplicações de largura de banda intensiva e terá um design inicial para capacidade de 40Tpbs (100Gbps x 100 comprimentos de ondas x 4 pares de fibra).

“Nosso maior objetivo é aprimorar a qualidade das comunicações entre a África e as Américas com uma rota inteiramente nova no hemisfério sul. Por meio dessa rota, vamos oferecer capacidade, produtos e suporte em adequação às cada vez mais complexas especificações de dados demandadas nos dois continentes”, afirma o CEO da Angola Cables, António Nunes. “O SACS contará com tecnologia de última geração e um projeto 100G-coerente que vai proporcionar baixa latência e entrega confiável mesmo nas demandas de largura de banda mais desafiadoras, além de conectividade direta entre data centers nos dois lados do oceano”.

“O Sistema de Cabos do Atlântico Sul é o único a conectar diretamente Angola ao Brasil e ao resto do mundo. A NEC Corporation se orgulha de ser a empresa que vai implementar o sistema e gostaria de agradecer à Angola Cables a oportunidade de fazer parte desse projeto”, disse o diretor-geral da divisão de Redes Submarinas da NEC, Toru Kawauchi. “Gostaríamos de estender ainda nossa gratidão ao JBIC, ao SMBC e à NEXI por apoiar essa iniciativa. Sem esses parceiros, o SACS não seria possível. Como um dos maiores provedores de sistemas de cabos submarinos no mundo, com mais de 40 anos de experiência no segmento e mais de 200 mil quilômetros de cabos instalados, a NEC está absolutamente comprometida com a conclusão desse projeto e em desenvolver a atual relação comercial que possui com a Angola Cables”.

Tags, , , , ,

A palavra tecnologia é feminina

Não é apenas no mês da Mulher que a discussão deve ser tomada. O feminino deve ser cada dia mais reconhecido e valorizado nas empresas

*Por Antonio Loureiro e Marcelo Vianna

Durante um TED Talk publicado no início de fevereiro desse ano, a advogada e política americana e também fundadora da organização sem fins lucrativos Girls Who Code, Reshma Saujani, disse que meninas são geralmente ‘treinadas’ para serem perfeitas, devem atingir sempre as melhores notas e se comportar bem. Os garotos, por outro lado, são encorajados a ‘se jogar’, e mesmo que se machuquem, o importante é o fato de que tentaram. Segundo Reshma, a sociedade cria meninas para serem perfeitas, e meninos para serem bravos. No mundo da tecnologia, onde muitas vezes somos obrigados a arriscar, não é difícil perceber esse reflexo. Ainda há um número muito baixo de mulheres trabalhando no setor, e com um salário ainda menor – elas recebem 74,5% do salário dos homens, segundo um estudo do IBGE. Para se ter uma ideia, das 200 maiores empresas do Brasil, apenas três possuem mulheres no comando. Pensando nisso, nos perguntamos: por que existem tão poucas mulheres na tecnologia? Como as empresas podem fazer para empoderar as suas mulheres e, junto disso, aumentar a sua participação nos negócios?

Obviamente que o pensamento machista e até um pouco repressor de muitos setores da tecnologia precisa mudar, valores como a flexibilidade da mão-de-obra feminina, e o poder de organização e criatividade, devem ser valorizados; como no caso em que mais de uma atividade precisa ser feita ao mesmo tempo e pela mesma pessoa; as mulheres, muitas vezes devido às imposições da sociedade, criaram um forte poder de resiliência e adaptação, que são essenciais nessas situações.

Existe também o falso pressuposto de que para atuar em tecnologia é necessário conhecimento matemático; ao contrário, engana-se quem imagina que não pode trabalhar com o marketing ou, com os setores comerciais de uma companhia de TI. E até – por que não? – dentro de áreas de desenvolvimento, que pedem um toque a mais de criatividade.

Hoje, mais do que nunca, é preciso que as empresas reconheçam o valor da mulher no mercado tecnológico, por outro lado, e até mais importante, a mulher deve perceber em si o potencial para se dedicar ao setor. Existem projetos que fomentam a participação feminina na tecnologia; segundo o Staffing Industry, a empresa inglesa de recrutamento Empiric, planeja investir e atrair mais de 5 000 mulheres para a área até 2020. O Girls Who Code, de Saujani, tem como meta colocar um milhão de mulheres no mercado da computação também até 2020. E claro, essas iniciativas não acontecem apenas fora do país, no Brasil a cientista da computação Camila Achutti, fundou o blog Mulheres na Computação, para incentivar as brasileiras. E existem ainda muitas outras oportunidades para mulheres que desejam conhecer e atuar em um universo tão interessante.

No caso das empresas, a tarefa é instigar a criação de grupos de discussão sobre a atuação feminina no mercado e até dentro da própria empresa. As ações de levantar pautas e compartilhar experiências vão, sem dúvida, enriquecer não só a relação de equipe, mas também a relação com a própria empresa. Além disso, a companhia pode criar políticas específicas para a contratação de mulheres em posições estratégicas, e até aplicar em parcerias com universidades, para que haja o incentivo dessas meninas na carreira. É preciso que mais cadeiras sejam ocupadas por mulheres. É preciso que mais tempo seja dedicado a esses talentos, muitas vezes, receoso de tentar e não conseguir. Se vocês foram ensinadas a serem perfeitas, sejam então, perfeitas na bravura. Alguma de vocês já percebeu que ‘tecnologia’ se escreve no feminino?

*Antonio Loureiro e Marcelo Vianna são sócios fundadores da Conquest One, consultoria brasileira de TI com atuação em Outsourcing e Hunting.

Tags, , , , , ,

Startup promete revolucionar a propaganda médica no país

Estamos numa era de mudanças cada vez mais rápidas e a medicina, combinada à tecnologia da informação, não para de evoluir, apresentando novidades praticamente todos os dias. Não há um mês em que não surja um novo aplicativo para facilitar a vida de médicos e pacientes: são ferramentas que oferecem controle de indicadores e evolução de tratamentos, bulas e consultas de medicamentos pela web, além de ferramentas para a gestão de clínicas e consultórios para todos os gostos. Tudo na palma da mão. Só que um segmento dentro da área da saúde permanece ainda pouco inovador: a atividade de propaganda médica.

Foi pensando nisso que três empreendedores cariocas resolveram criar um aplicativo capaz de trazer otimização de tempo para o médico, da mesma forma que acesso facilitado a especialistas de todas as regiões do país para os laboratórios.

Daniel Araujo, Silvio Balestieri e Thiago Araujo se uniram para criar a Lab in Hands (www.labinhands.com.br), uma startup focada em desenvolver soluções inovadoras para a indústria farmacêutica. O aplicativo Lab in Hands une recursos de e-commerce e propaganda médica em uma interface amigável e customizada, que promete encurtar a distância entre P&D e a prescrição, levando o que há de mais moderno a respeito de novos medicamentos, além de estudos científicos, em primeira mão, diretamente aos smartphones e tablets dos médicos de todo o país.

– O médico pode solicitar qualquer amostra que desejar apenas com um toque, dentro próprio aplicativo, sem ter que esperar a visita de um representante, ou ligar para o laboratório. E, o melhor de tudo: sem qualquer custo para o médico, que passa a poder conhecer todos os medicamentos de cada laboratório, incluindo bulas e estudos sobre os princípios, além de poder solicitar as amostras na quantidade e no momento em que for mais conveniente para ele.”, explica Daniel Araujo, um dos sócios da Lab in Hands.

Como o tempo para o médico é uma prioridade, o desenvolvimento do app priorizou a experiência do usuário. Com uma navegação simples, rápida e intuitiva, o acesso às informações foi facilitado ao máximo. Por exemplo: caso o especialista não consiga se lembrar do nome de um medicamento, estes aparecem em lista e podem ser encontrados também por especialidade e classe – Cardiologia > Anti-hipertensivo > Nome do medicamento.

A função que tem mais chamado a atenção, contudo, é a de solicitação de amostras. Com poucos toques, o médico escolhe que medicamentos receber, quantidade e tipo de apresentação, visualiza a solicitação, verifica o endereço de entrega e, ao fechar o pedido, recebe um código automático, com data de previsão de entrega. O Lab in Hands conta ainda com área de vídeos sobre os medicamentos, em alta resolução, desenvolvidos pelos próprios laboratórios.

Oriundo do segmento farmacêutico, onde atuou por 10 anos, Daniel afirma que ter a amostra à mão facilita em muito a prescrição, mas ressalta que o principal benefício do novo aplicativo é o fato de este levar o acesso a medicamentos modernos às áreas mais remotas do país, regiões em que os laboratórios não costumam possuir representantes.

De acordo com o empreendedor, o site vem registrando um crescimento impressionante desde a data em que entrou no ar, há quatro meses. De fevereiro a março, o aumento de visualizações foi de 250%. “Temos recebido solicitações de diversas clínicas, hospitais, laboratórios e médicos no Brasil e fora dele”, comemora Daniel, e por conta do sucesso, a expectativa da Lab in Hands para o segundo semestre de 2016 é chegar a 10.000 médicos no Brasil utilizando a plataforma diariamente.

Tags, , , , ,

Zenvia apresenta novo Diretor de Negócios Corporativos

Fábio Matias, novo diretor de Negócios Corporativos da Zenvia

Fábio Matias, novo diretor de Negócios Corporativos da Zenvia

A Zenvia, líder brasileira no mercado de serviços móveis, anuncia a contratação de Fábio Matias como seu novo Diretor de Negócios Corporativos. A contratação faz parte da estratégia de crescimento e expansão da companhia e o executivo atuará no posicionamento de mercado e no fortalecimento da relação da Zenvia com clientes e operadoras. Além disso, o novo diretor desenvolverá ações comerciais e de marketing, colaborando com novas soluções de interação digital.

“Estou muito animado com esta nova oportunidade. Há muita complementaridade nas experiências formadas e adquiridas pela Zenvia e me sinto motivado em poder contribuir diretamente com a estratégia de crescimento e expansão da empresa”, afirma o novo diretor.

A chegada do novo diretor faz parte do processo de crescimento e expansão da Zenvia. A empresa está apostando na diversificação do seu portfólio em 2016 e espera um faturamento 30% maior do que em 2015. No ano passado, a receita registrada foi de R$ 270 milhões, um aumento de 75% em relação a 2014.

Fabio Matias é formado em Ciências Contábeis pela Universidade da Região de Joinville (Univille), possui MBA Empresarial pela Fundação Dom Cabral, MBA em Marketing pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e MBA em Identidade Empresarial pela Formação Ontopsicológica Interdisciplinar Liderística (FOIL). O executivo tem extensa experiência na gestão de negócios em software, marketing estratégico, gerenciamento de produtos e vendas, e já atuou em empresas como Datasul, TOTVS, Bematech, Localiza e Grupo Interplayers.

Tags, , ,