Page

Author admin

Denis Tassitano assume vice-presidência da SAP Concur no Brasil

A SAP Concur, uma das líderes em soluções de viagens e despesas corporativas, tem um novo vice-presidente no Brasil: Denis Tassitano. O executivo deixa a posição de líder regional de Business Development da SAP para assumir o novo cargo e liderar as ações das soluções Concur em território brasileiro. Denis se reportará diretamente a Valeria Soska, Head da SAP Concur na América Latina.

Denis tem nove anos de atuação na SAP (2005-2011 e de 2017 até o momento) e sólida experiência em vendas diretas e indiretas na indústria de software. “A elevada exigência de nossos clientes requer de todos nós abordagens criativas para a resolução de problemas e habilidades para a formatação e execução de planejamentos estratégicos, além de capacidade de construção de processos simples e eficientes”, analisa o vice-presidente da SAP Concur.

“Em meio à pandemia em que estamos vivendo, acredito que os desafios de gestão por parte das organizações são ainda maiores. Um deles, o da sustentabilidade em viagens corporativas, está e sempre esteve em nosso escopo de atuação. Nosso aplicativo Triplt! apresenta aos viajantes, individualmente, suas emissões de carbono em viagens aéreas e que fornece, ainda, ideias sobre como reduzir ou compensar esse impacto no meio ambiente”, complementa o executivo.

Denis Tassitano é graduado em Propaganda e Marketing pela Universidade Mackenzie, com MBA em Marketing pela ESPM, e certificados nos programas de Educação Continuada de Marketing e Propaganda (New York University) e Administração de Negócios e Gestão (GVPEC – FGV).

Exits reforçam bons resultados do BMG UpTech

Em um período de um ano, três startups investidas pela empresa, corporate venture do Grupo BMG, foram adquiridas por grandes companhias, em seus segmentos.

No ecossistema de inovação, alcançar um exit é importante para todos os envolvidos. O termo se refere ao “ponto de saída” de uma startup, ou seja, quando ela é vendida e, assim, tem oportunidades ainda maiores para ganhar escala, se desenvolver e atingir novos mercados. Do outro lado, há o retorno financeiro aos fundadores do negócio e aos investidores que apoiaram o projeto. O BMG UpTech, braço de inovação do Grupo BMG, comemora o terceiro exit em um período de um ano. Resultado importante para reforçar que o caminho e as escolhas da empresa têm sido assertivos, além de aumentar as boas perspectivas para 2021.

 A “saída” mais recente ocorreu no final de 2020, quando a Empiricus adquiriu a fintech Real Valor, dona do aplicativo de consolidação e monitoramento de carteira de investimentos. Em 2019, a Pedala, coinvestida pelo BMG UpTech e Bossa Nova, foi vendida para a Ame, pertencente à B2W e às Lojas Americanas. A plataforma realiza entregas last mile para companhias de e-commerce, utilizando ciclistas profissionais no serviço. Já a dLieve, focada em logística, foi comprada pela VTEX, maior plataforma de comércio eletrônico da América Latina. Hoje se tornou VTEX Tracking.

De acordo com o CEO do BMG UpTech e da Bossa Nova, Rodolfo Santos, os exits representam a principal prova de que o trabalho realizado foi bem-sucedido. Isso porque um dos dilemas do investidor de venture capital, principalmente num mercado incipiente como o brasileiro, é saber se o direcionamento do negócio está correto. “Em apenas um ano (dez/19 a dez-20) e atravessando um cenário mundial adverso em 2020, três saídas e muitas histórias de crescimento contínuo e acelerado de grandes empreendedores. Trata-se de um momento de reconhecimento à tese de investimento criada pelos founders da Bossa Nova, que é sócia do BMG UpTech, e ao persistente processo de profissionalização realizado”, destaca.

Para 2021, as perspectivas são ainda melhores. Isso porque, na avaliação do executivo, mesmo com o panorama negativo provocado pela pandemia, o ano passado deu ênfase à importância da verdadeira transformação digital nas grandes empresas e potencializou a visibilidade das startups. Ou seja, mostrou que o ecossistema é resistente às crises e que os empreendedores estão aptos para o enfrentamento dos desafios, sendo que os reflexos serão mais sentidos agora. “Da nossa parte, seguiremos mais fortes na crença de que coinvestir, especialmente via programas setoriais organizados, que tracionem e preparem as startups para o crescimento acelerado, é o melhor caminho para o sucesso”, conclui Santos.

Os investimentos em startups brasileiras devem fechar 2020 em cerca de US$ 3 bilhões, conforme projeção do levantamento “Inside Venture Capital Brasil”, realizado pela empresa de inovação aberta Distrito. O acumulado, em 2019, chegou a US$ 2,94 bilhões. Até novembro, os aportes de venture capital – modalidade focada em negócios com alto potencial de crescimento – ficaram distribuídos para 426 empresas nacionais.

Trend Micro oferece vagas para São Paulo e Brasília

A Trend Micro, líder mundial em soluções de cibersegurança, anuncia a abertura de 5 vagas para as localidades de São Paulo e Brasília. A Trend Micro busca profissionais apaixonados por tecnologia e com boa comunicação, desenvoltura, objetividade, criativos e com espírito de liderança para construção de uma carreira sólida. A empresa oferece salário e benefícios compatíveis com o mercado.

Perfil da vagas:

Cloud Sales Engineer – SP: necessário experiência como engenheiro de nuvem e/ou arquiteto de nuvem, e/ou engenheiro de suporte para funções SaaS ou DevOps e administração do Linux. Experiência em Engenharia de Vendas é bem-vinda, mas não necessária. Pretendemos que o colaborador lidere os recursos de automação de segurança na plataforma de Cloud One. A função inclui cargas de trabalho de “nuvem híbrida” em pipelines de aplicativos AWS, Azure, Google e DevOps. Link para inscrição e outros detalhes da vaga em: https://www.linkedin.com/jobs/view/2408601294/

Sales Engineer – SP e DF: assumirá o relacionamento técnico principal de pré-vendas para ajudar a fechar negócios, gerenciando e entregando de forma proativa informações técnicas aos clientes no local, online e por telefone. Necessário ter curso superior completo em Engenharia de Vendas e mais de 5 anos de experiência na área, além de habilidades com softwares e sistemas de segurança de conteúdo. Os candidatos de São Paulo devem enviar os currículos para: rayanne_nunes@trendmicro.com e os profissionais de Brasília para: flavio_Silva@trendmicro.com .

Channel Marketing Analyst – SP: será responsável pelo marketing para canais e distribuidores de grande volume. Também irá analisar campanhas digitais e deverá trackear novas iniciativas. As análises e recomendações darão suporte a estratégias de marketing mais efetivas e impactantes para o mercado B2B – SMB. Necessário ter formação superior completa em Marketing ou Administração com pós-graduação em Marketing, inglês fluente e experiência de no mínimo 2 anos em Marketing para B2B Customers SMB, revendas e distribuidores. Link para inscrição e mais detalhes da vaga em: https://www.linkedin.com/jobs/view/2400706241/?refId=U6gFvYg9Rlqly8Qc9rKriQ%3D%3D

Regional Account Manager – SP: será responsável por abrir, desenvolver e fechar novas oportunidades nas contas com foco em atendimento ao setor governamental. Necessário ter experiência em vendas no mercado tecnologia e pensamento voltado para resultados, com paixão por atingir metas de vendas e superar as expectativas dos clientes.

Desempenhará papel fundamental na colaboração com clientes estratégicos da região e influenciará contas com potencial para escolher as soluções da Trend Micro em um mercado altamente competitivo. Para ter sucesso nessa posição, precisa entender todos os aspectos de uma venda complexa no mercado Enterprise. Desejável habilidades de negociação e fechamento, incluindo capacidade demonstrada de gerenciar um ciclo de vendas complexo até o fechamento. Os candidatos devem enviar os currículos para o e-mail: novostalentos@trendmicro.com

“Buscamos profissionais com uma sólida experiência e que tenha boa desenvoltura dentro da sua área. O profissional precisa desenvolver o seu autoconhecimento e ter clareza sobre sua carreira e onde espera chegar”, comenta Janaina Korus, HR Manager, LAR.

Nexoos tem oportunidades de trabalho para início imediato

A Nexoos, fintech de crédito para Pequenas e Médias Empresas (PMEs), anuncia 14 vagas de trabalho para início imediato. Até o final do semestre, 30 pessoas devem ser contratadas para integrar o time.

As vagas que já estão em aberto são para áreas como compliance, tecnologia, cadastro, crédito, customer success, finanças e produtos. “O importante, independente do cargo ou da função, é que a pessoa sonhe grande, tenha senso de dono e espírito empreendedor”, afirma Felipe Kheirallah, Head de Gente e Gestão. “Quem trabalha na Nexoos tem a oportunidade de contribuir com a democratização do sistema financeiro, ajudando pequenas e médias empresas, que foram tão impactadas pela pandemia, e desenvolvendo as melhores oportunidades de negócios para os nossos investidores”, ressalta.

Desde o início da pandemia, o home office já é o modelo de trabalho adotado pela empresa e deve se manter até o final. “No entanto, depois disso, adotaremos o modelo híbrido, com vagas remotas e presenciais. Para as remotas, estamos inovando, abrindo a seleção de candidatos para profissionais de todo o país”, comemora Kheirallah. O processo seletivo também seguirá o modelo híbrido: dependendo da vaga, pode ser realizado inteiramente de forma remota.

A empresa oferece salário e benefícios compatíveis com o mercado. Para ter mais detalhes sobre o processo seletivo, o perfil das vagas e se candidatar, basta acessar o link: https://jobs.kenoby.com/nexoos.

Vagas de emprego para trabalho remoto crescem 85% no início de 2021

Por conta da pandemia, o trabalho remoto se tornou uma prática muito comum entre as empresas. Um levantamento feito pelo InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamentos, mostrou que o número de vagas no modelo home office cresceram cerca de 85% no início de 2021, comparado aos primeiros meses de 2020. O número, que agora soma 25.888, era de 4.010 no início do ano passado.

“De forma geral, acompanhamos uma retomada gradual das vagas no jobsite, isso desde junho de 2020, quando comparado aos primeiros meses de pandemia, e no último trimestre foi ainda melhor. Percebemos que as oportunidades de fim de ano, a perspectiva de vacinação e retomada da econômica também impulsionaram esses números no início de 2021”, afirma Ana Paula Prado, Country Manager do InfoJobs.

Para os trabalhadores além de um volume maior de vagas, o mercado de trabalho está cada vez mais dinâmico e a pandemia aliada com a tecnologia trouxe a possibilidade de encontrar empregos não só na sua cidade, mas em outros estados ou outros países. Isso amplia muito o leque de oportunidades e qualidade de vida aos profissionais.

Hoje, o cenário é bem mais favorável ao home office e a tecnologias que transformam a gestão de uma empresa e de pessoas, por exemplo. Diante disso, a modalidade home office tem sido amplamente substituída pelo anywhere office. Essa é a nova forma como algumas empresas enxergam o trabalho distribuído, sem a necessidade de uma sede e a possibilidade de prover mais qualidade de vida aos colaboradores, que podem ser de qualquer lugar do Brasil ou do mundo, o que aumenta o hall de possíveis contratações e facilita para que os epicentros de tecnologia, por exemplo, sejam sempre os mesmos. Afinal, bons profissionais estão em qualquer lugar.

“A facilidade de contratação em regiões mais afastadas que conquistamos nesse período, com certeza irá trazer muitos ganhos para empresas e candidatos que antes não tinham tanta escolha”, finaliza a executiva.

GFT Brasil abre 320 vagas para profissionais de tecnologia

A GFT, empresa global referência em tecnologias exponenciais para transformação digital e Business Agility, anuncia a abertura de 320 vagas em tecnologia da informação para as áreas de dados, nuvem, arquitetura e desenvolvimento de software. Desse total, 230 são oportunidades no modelo home office e as demais são para localidades onde a empresa tem escritórios como Alphaville, São Paulo, Sorocaba e Curitiba.

Dentre os requisitos das vagas, estão os perfis técnicos de acordo com cada cargo, que podem ser conferidos aqui. E também softs skills, entre eles comprometimento, proatividade, trabalho em equipe, autonomia e a organização. Durante este período de distanciamento social, a companhia adaptou processos de seleção com a realização de entrevistas, testes e contratações por meio virtual.

“A GFT está em contínua expansão e os profissionais contratados encontrarão uma empresa que oferece ótimas condições tanto em relação a oportunidades de crescimento quanto em estímulos a novos aprendizados”, explica Marco Santos, presidente da GFT para os Estados Unidos e América Latina. ” Acreditamos que um dos nossos diferenciais é pensar no colaborador em todas as etapas, desde o processo seletivo, efetivação até a integração do profissional na nossa companhia, por meio de incentivos como encontros digitais, cursos e certificações”, complementa.

Os novos contratados recebem em casa o kit de boas-vindas e equipamentos para ajudar no trabalho como computadores da companhia e auxílio internet. Ao todo, desde o início da adoção do home office, 850 profissionais entraram na empresa para atuar diretamente no mercado de tecnologia da informação, como análise e mensuração de dados, programação, análise de sistemas, entre outras áreas.

Entre os benefícios da companhia, estão a ajuda de custo para faculdade e cursos de pós-graduação, idiomas e certificações, oportunidade de carreira no exterior e incentivos para o crescimento profissional.

Mais informações sobre as vagas podem ser encontradas no site da companhia: https://jobs.gft.com/go/brazil/4412501/

Simplificação da Assinatura Eletrônica permite ampliar serviços digitais

Por Marcelo Carreira, Diretor de Marketing da Access


Desde 2001, com a criação da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP Brasil), os documentos digitais passaram a ter validade jurídica em todo o Brasil e podem ainda substituir totalmente o papel, desde que assinados digitalmente.

No entanto, ainda hoje, muitas são as dúvidas e poucos os casos de uso efetivo dessa modalidade entre contratos comerciais. Um dos grandes entraves para ampliação do uso é a obrigatoriedade do Certificado Digital, que nada mais é do que uma identidade eletrônica concedida tanto para empresas como pessoa física para atestar a identificação do usuário.

É a partir desse documento que se pode obter uma assinatura digital e então imprimir sua autenticação em documentos e formulários online, dispensando os tradicionais reconhecimentos de firma em cartório. O certificado digital no padrão ICP é fornecido por uma das mais de 1,4 mil Autoridades de Registro credenciadas em todo o país de forma presencial.

Nem todas as assinaturas necessitam desse certificado, mas, sem dúvida, tais procedimentos tornam os procedimentos mais morosos e burocráticos. No caso das empresas, todas aquelas obrigadas à emissão de NF-e precisam da validação. Já os MEIs podem variar de estado para estado. Com o auxílio dessa solução, as pessoas jurídicas podem enviar ao governo informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais.

Para profissionais liberais e pessoas físicas em geral, o recurso é obrigatório para alguns tipos de transações, tais como assinatura de contratos, procurações online, acesso ao site da Receita Federal, escriturações contábeis e fiscais, entre outras. A exigência do dispositivo para declaração de imposto de renda continua restrita para valores acima de R$ 10 milhões.

Desde 2020, a utilização do software para contribuintes abaixo dessa faixa de renda, embora não obrigatória, trouxe vantagens, tais como a possibilidade de visualizar a declaração semipronta com o pré-preenchimento das informações que já estão na base de dados da Receita, tais como bens, doações, rendimentos recebidos, tributáveis ou não, evitando, assim, erros com preenchimentos manuais.

Simplificação da assinatura eletrônica

Mais tarde, o governo criou novos meios de assinatura para tentar simplificar o registro eletrônico de alguns tipos de documentos. Com a criação das assinaturas simples e avançadas, algumas transações de baixo risco e relevância puderam ser realizadas sem a exigência do certificado ICP-Brasil, enquanto apenas a assinatura qualificada manteve a obrigatoriedade.

A simplificação dessa funcionalidade se mostrou especialmente relevante durante a pandemia, quando diversos serviços precisaram migrar para o atendimento à distância. O setor financeiro, que até então, mantinha grande parte de suas operações em agências físicas, rapidamente abriu canais digitais para continuar com o atendimento, mesmo com as medidas de distanciamento social.

Com isso, formalizações de contratos de crédito, consórcio e financiamento puderam ser concluídas de maneira remota, com o uso de plataformas especializadas que obedecem às exigências legais que cada transação requer. Graças ainda ao recurso de assinatura eletrônica, o procedimento pode ser finalizado integralmente em a necessidade da presença do usuário.

Serviços de digitalização e processamento de documentos terceirizados permitiram ampliar significativamente o leque de opções, ao conseguir capturar e transformar qualquer
documento físico em formato digital, de maneira autenticada e verificada, com reconhecimento de caracteres, marcas e até conversão de código de barras, com armazenamento criptografado e uso de assinatura digital padrão ICP-Brasil.

Via de regra, a assinatura eletrônica já se provou segura, além de possuir os mesmos valores jurídicos que uma assinatura manuscrita com reconhecimento de firma. Essa funcionalidade, aliada à Lei de Digitalização de documentos e serviços especializados de Gestão e Guarda Segura de arquivos, promete, aos poucos, abolir a necessidade de se imprimir grandes volumes de papeis, que circulam de um lado para o outro recolhendo assinaturas, colocando, assim, em risco a privacidade e proteção dos dados pessoais, além de informações críticas das empresas.

Igah,Ventures conclui captação de R$750 milhões e prevê novos aportes

A Igah Ventures, gestora de investimentos voltada para empresas com alto potencial de crescimento por meio de inovação e tecnologia, concluiu em janeiro a alocação do terceiro fundo de captação, no valor total de R$750 milhões. A gestora já está alocando os recursos por meio de aportes em investidas do portfólio como bxblue, Conexa, Avenue, Acesso Digital, Dr.Jones e 321 Beauty.

O resultado demonstra o apetite dos investidores para a classe de ativos de venture capital como um foco estratégico de negócio. Com o closing, a Igah passa a ter um montante de aproximadamente R$1,5 bilhão em recursos sob gestão, com 56 investimentos, 13 saídas e 3 fundos. “Essa captação reflete uma estratégia bem estruturada da Igah de trabalhar com investidores qualificados para alavancar negócios inovadores, que têm na tecnologia a base para endereçar soluções diante de ineficiências do nosso mercado”, destaca Pedro Sirotsky Melzer, um dos sócios-fundadores da Igah,Ventures, ao lado de Márcio Trigueiro e Luís Felipe Magon.

O fechamento do fundo 3 encerra um ciclo virtuoso da Igah com histórico de investimentos de peso, desde a primeira captação de R$ 100 milhões, em 2014, e a subsequente, de R$ 200 milhões, em 2019 – ambas antes da união de e.bricks e Joá Investimentos, gestoras que deram origem à Igah em 2020.

Mesmo com a pandemia, que trouxe preocupação e retração de aportes em um primeiro momento, houve uma aceleração de investimentos e ampliação da visibilidade dos ativos de venture capital como oportunidade de negócio estratégico para investidores institucionais, fundos e family offices. Mais dois aportes estão no radar ainda no primeiro trimestre e 17 até o final de 2022.

Na avaliação de Pedro, o mercado de venture capital está mais maduro, com abundância de recursos e o investidor vem aprimorando os critérios de avaliação, olhando para essa classe de ativos com mais rigor, mas também mais entusiasmo. “É uma alternativa de investimento com claro retorno de longo prazo, que tem investidores cada vez mais dispostos a assinar cheques robustos quando identificam oportunidades que endereçam soluções eficazes em seus segmentos de atuação”, finaliza.

Motorola revela suas previsões tecnológicas para 2021

O ano de 2020 já passou, e parece que 2021 será um ano com várias novas tendências, tecnologias e inovações. Os comportamentos dos consumidores continuam a se transformar, e as empresas de tecnologia reavaliaram o foco para o ano que temos pela frente. Para Dan Dery, VP de Produto Global da Motorola, podemos esperar o seguinte para 2021 e além: 

Previsão nº. 1: Os smartphones se tornarão mais do que meros smartphones e vão interagir ainda mais com o mundo à nossa volta.

O comportamento humano mudou de maneira significativa em 2020. Hoje, o desejo de conectividade e acessibilidade está mais forte do que nunca. Como fabricantes de equipamentos, já estamos reformulando nossas estratégias de produto, marketing e negócios, para garantir o alinhamento com esse “novo normal”. Mas olhar para o futuro também é uma oportunidade de permitir que uma nova onda de inovação assuma o papel principal. 

Em 2021 e além, acreditamos que essa mudança no comportamento do consumidor agirá como um catalisador de inovação em smartphones, indo além das funcionalidades tradicionais do aparelho. Com a conectividade e a velocidade melhoradas, graças a tecnologias como o 5G e processadores mais responsivos, os smartphones começarão a exercer um papel mais central em nos manter conectados. Melhorias na conectividade permitirão que o smartphone interaja de maneira melhor e mais eficiente com os dispositivos à nossa volta, transformando o smartphone, por exemplo, em um console de jogos ou em uma extensão de nossa mesa de trabalho. 

E, à medida que pessoas de todas as idades abraçarem a tecnologia nesta era de conectividade remota, também começaremos a ver como o smartphone não apenas nos ajuda a cumprir tarefas que hoje fazem parte desse “novo normal” – como trabalhar remotamente ou educar as crianças em casa –, mas também nos ajudará a colaborar, aprender, educar e a nos conectar com o mundo à nossa volta.

Previsão nº. 2: Em 2021, veremos o aumento da procura de tecnologias que entreguem uma experiência específica.

Conforme os consumidores continuarem a exigir produtos que não apenas acompanhem seu estilo de vida agitado, mas que também resolvam problemas e atendam a necessidades específicas, começaremos a ver um maior foco por parte dos fabricantes no lançamento de dispositivos que possam atender a essas necessidades específicas. Por exemplo, nos últimos dois anos, já vimos um forte foco em dispositivos com funcionalidades de jogos por parte de várias gigantes da tecnologia. Seja um computador com especificações impecáveis para jogos, como o Lenovo Legion 7i, seja um smartphone que ofereça aos gamers uma experiência de áudio impressionante, ou ainda uma tela imersiva e as velocidades mais rápidas do mercado*, como o motorola edge+, essa tendência será mantida em 2021.

No próximo ano, acreditamos que isso irá além de jogos e chegará a segmentos de consumidores com outras necessidades específicas, como recursos fotográficos de grau profissional para os gurus das redes sociais e especificações de conveniência para o consumidor mais ativo, e até dispositivos mais portáteis e flexíveis. Por exemplo, em 2021, os consumidores continuarão a procurar soluções tecnológicas que ofereçam portabilidade, mas que não dispensem a inteligência e a funcionalidade que vêm junto com uma tela maior. 

Apesar da redução em viagens neste ano, mais do que nunca os consumidores precisam de soluções tecnológicas que sejam flexíveis e portáteis o suficiente para acompanhar seu estilo de vida em constante evolução. Hoje em dia, carregamos menos coisas que no passado; nossas “viagens” consistem em subir e descer o elevador, ir à portaria, ir à cozinha ou à sala de estar. E, da mesma forma que andamos com notebooks e carregadores, ter um dispositivo dobrável que ofereça portabilidade, funcionalidade e poder de processamento, tudo ao mesmo tempo, será a solução.

Previsão nº. 3: A realidade virtual e a realidade aumentada vão se expandir para as compras.

Em 2021, soluções de realidade virtual e realidade aumentada (VR/AR) se expandirão para além do uso em jogos e na educação, alcançando o segmento de compras. Desde o ano passado, consumidores em todo o mundo reduziram as compras presenciais, principalmente como resultado do distanciamento obrigatório imposto pela covid-19. Não acreditamos que essa tendência vá mudar tão cedo. 

Com  volumes de dispositivos 5G estimados em 190 milhões de unidades apenas em 2020, começaremos a ver consumidores usando realidade virtual e realidade aumentada para experimentar produtos, provar roupas ou até mesmo para projetar os espaços de casa, tudo no conforto do próprio lar. Fazer compras ou experimentar um novo produto em potencial não mais necessitará do toque físico no produto. Assim, os fabricantes terão de encontrar novas maneiras de fazer com que suas experiências sejam as mais realistas possíveis. E, em grande parte, isso será possível graças aos avanços do 5G e à sua adoção em larga escala.

Para saber mais sobre as previsões tecnológicas da Motorola e da Lenovo para 2021 e além, acesse o LenovoStory Hub.

ESG em alta: empresas apostam em ações de saúde mental

A saúde mental está em alta, tanto na tela da TV, quanto na vida privada e corporativa. Prova disso é que  dados fornecidos pelo Google apontam alta de 98% nas buscas sobre o tema em 2020, versus a média verificada nos dez anos anteriores. Ainda, a pergunta “como lidar com a ansiedade”, por exemplo, bateu recorde de interesse na última década. Já em relação a 2019, o crescimento foi de 33%. O aumento das buscas pelo tema estão em sintonia com o isolamento social causando pela pandemia da covid-19, que vem afetando a saúde mental de muita gente ao longo dos últimos meses.

E há resultados concretos disso: uma pesquisa realizada pela Coordenação Estadual de Saúde Mental da Secretaria da Saúde (SES) apontou aumento da busca por atendimento em saúde mental nos postos de saúde e nos serviços de atenção especializada desde o início da pandemia de coronavírus. Apenas nos serviços da Atenção Básica (como nas Unidades Básicas e Estratégia Saúde da Família), 78% gestores municipais perceberam um aumento na demanda desta natureza. Já nos serviços da atenção especializada (Centros de Atenção Psicossocial), esse aumento foi relatado por 68% dos gestores.

Em alta, o tema também chegou às instituições privadas. Considerada um pilar das empresas do futuro, o selo ESG (environmental, social and governance, ou responsabilidade ambiental, social e de governança, em português)  tem afetado a forma como as marcas lidam com o mundo e com seus colaboradores. Além de investirem cada vez mais em ações sustentáveis, iniciativas que promovem qualidade de vida aos colaboradores também ganharam cada vez mais espaço em 2020.

Together We Are Stronger: o mantra da quarentena da GO.K

Não somente no Janeiro Branco, campanha que convida as pessoas a pensarem sobre a sua saúde mental, ou no Setembro Amarelo, considerado o mês de prevenção ao suicídio, é que as marcas têm investido no bem-estar dos colaboradores. A GO.K, consultoria de inovação digital, por exemplo, criou a campanha interna “Together We Are Stronger”, para amenizar a quarentena dos funcionários. 

Com acompanhamento psicológico e os encontros intitulados “10 minutos de Sanidade”, que acontecem diariamente em poucos minutos para conversas descontraídas, visando minimizar os impactos do isolamento social, a marca intensificou suas ações nesse sentido. Mesmo antes da pandemia, a GO.K já oferecia yoga, aulas de alongamento e nutricionista para o time.    

Staying Alive: o suporte da Openbox.ai

Logo no início da pandemia, a Openbox.ai, fintech de antecipação de recebíveis, colocou em prática o projeto Staying Alive. A iniciativa visa cuidar do bem-estar emocional e financeiro da equipe, oferecendo suporte necessário para evitar crises. Para entender como a empresa poderia ajudar o time durante a pandemia, Manoella Mees, Head de Gente e Futuro da Openbox.ai, entrevistou cada colaborador para entender suas necessidades antes de dar início ao projeto, que já começou personalizado.

Com reuniões semanais de apoio ao time e encaminhamento psicológico para sessões terapêuticas individuais, o projeto Staying Alive também conta com o “Kit Auxílio Crise”. Nele, cada integrante do time pode acionar o auxílio por três meses, recebendo uma ajuda financeira para colaborar com seu núcleo familiar. Em alguns casos, a empresa também ofereceu suporte jurídico e financeiro para apoiar aqueles que precisavam de ajuda para obter o auxílio governamental e uma linha direta com o setor jurídico para os familiares que também demandavam esse apoio. 

A estrutura do home-office do time Openbox.ai também foi levada em conta: a fintech forneceu cadeiras, notebooks, máscaras e equipamentos. Para incentivar outras PME’s, a empresa divulgou a iniciativa em um webinar aberto ao público.

Nova pandemia: a da saúde mental demanda cada vez mais cuidados

Segundo o neuropsicoterapeuta Álex Cavalcante, ações como essas vêm para fomentar a importância do que pode ser chamada de uma pandemia de saúde mental, além da do novo coronavírus. “No meu consultório, notei o aumento de casos de pacientes deprimidos e ansiosos”, reforça. Nos atendimentos realizados por conta da ansiedade no trabalho, ele menciona que a cobrança por metas e o comportamento inadequado de lideranças pode causar sofrimento psíquico nos colaboradores.

Entre os sintomas de ansiedade generalizada, o profissional lista a musculatura rígida (em modo de luta e fuga), palpitações no coração, boca seca, intestino preso. Álex ainda traz uma provocação: será que a improdutividade está conectada com esses problemas ou será que o perfil profissional do colaborador é que não se adequa ao cargo? “Do ponto de vista da consciência, usando a psicanálise como ferramenta, é importante que o indivíduo se pergunte o que tem de fato no dia a dia do seu trabalho causado o seu transtorno mental: relacionamentos interpessoais, trabalhar fazendo o que não gosta, cobranças exacerbadas… é importante colocar isso em pauta”, destaca.

Acolhimento emocional deve ser meta das empresas, afirma especialista

Ainda, o especialista aponta que é preciso que o trabalhador verifique se o seu perfil está ligado às políticas da empresa  – e se ela faz parte da sua doença ou da sua cura. Nesse sentido, Álex Cavalcante reforça a importância do olhar das empresas no sentido dos cuidados com a saúde mental dos colaboradores. “A capacitação emocional deve ser um dos principais pilares no setor de RH, principalmente no novo universo da pandemia – as corporações devem estar preparadas para acolher e auxiliar os funcionários. Medidas como essas aumentam a produtividade e diminuem o turnover nas contratações”, explica.

Ambientes hostis podem prejudicar colaboradores, sim, mas é possível “se blindar” disso com uma boa base emocional, segundo Álex Cavalcante. “Quando você pratica técnicas de relaxamento e de meditação, a prática de atividade física e uma alimentação saudável, o sistema fisiológico é beneficiado e a ansiedade, causada ou não pelo trabalho, é evitada”, ensina.  Dormir bem, conviver com pessoas que nos fazem bem, também fazem parte desse processo para beneficiar a Saúde Integral, que inclui a saúde física, psíquica e das relações sociais.

Quando as empresas trabalham com a percepção da personalidade dos colaboradores, de forma personalizada, a saúde mental ganha ênfase e movimentos como os do Janeiro Branco ajudam as pessoas a encontrarem dias melhores”, detalha. Estar perto da natureza, além de apostar em um tempo só para si, também fazem parte das indicações de Álex Cavalcante, tanto para seus pacientes quanto para as iniciativas privadas.

Ricardo Cury é o novo Head de Customer da everis Brasil

A everis, consultoria multinacional de negócios e TI do Grupo NTT Data, tem um novo diretor de relações com os consumidores (Head de Customer) – Ricardo Cury. Na nova função, Cury terá o desafio de apoiar os clientes entender suas demandas de negócios e as expectativas de mercado consumidor, contribuindo com ideias e estratégias de vendas, marketing e relacionamento digitais capazes de estabelecer e estreitar as relações com diferentes públicos, reforçando a cultura de foco no cliente (Customer Centric) por meio de múltiplos canais digitais. Além disso, o novo diretor trabalhará para criar negócios que tragam valor às empresas-clientes da everis e aos seus clientes, identificando os melhores caminhos para desenvolver novos horizontes de desenvolvimento dos negócios.

“Meu desafio é tornar as relações das empresas com os clientes ainda mais sinérgicas, interativas e produtivas, entendendo suas expectativas mercadológicas e dos consumidores. Isso porque só assim conseguirei contribuir para a adoção de estratégias digitais assertivas que impactarão nos negócios e aumentarão as receitas, além de serem capazes de ganhar a fidelidade das pessoas e gerar vendas, com redução de custos, ganhos de produtividade e de rentabilidade”, afirma Cury.

Para do Raphael Bueno, sócio responsável por Digital Strategy da everis Brasil, a ampla experiência do novo diretor de Customer em planejamento estratégico, marketing digital, ferramentas digitais disruptivas e analíticas, CRM, Omnichannel, mídias sociais e e-commerce será fundamental para aperfeiçoar as soluções tecnológicas de negócios oferecidas aos clientes.

“Cury é um profissional experiente, que vem dedicando a sua carreira a criar e implementar estratégias mercadológicas bem-sucedidas, apoiando-se em ferramentas de marketing digital disruptivas. Não tenho dúvida de que se tornará internamente os olhos e a voz dos nossos clientes, exigindo que continuemos nos dedicando à inovação e oferta de soluções customizadas para cada companhia, com a intenção de ajudar a encantar e reter os consumidores por intermédio de jornadas de consumo mais satisfatórias e interessantes”, afirma Bueno.

Com 15 anos de experiência nas áreas de marketing de empresas dos setores de banking, seguros, telecomunicações e utilities, Cury atuou, anteriormente, como diretor de Marketing Digital da Accenture para a América Latina e da agência Salem, assim como gerente sênior de Marketing da Minuto Seguros.

Demanda no setor de serviços cresce 63% no Brasil em 2020, aponta pesquisa

Em levantamento inédito, GetNinjas revela que mais de 4 milhões de pedidos foram realizados no aplicativo no último ano

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor de serviços registrou alta de 2,6% em novembro de 2020 e que este foi o sexto mês consecutivo de crescimento. Apesar do setor não ter se recuperado completamente, consumidores têm procurado cada vez mais a digitalização para a contratação de serviços, é o que mostra o levantamento inédito realizado pelo GetNinjas, maior app de contratação de serviços da América Latina, que registrou um aumento de 63% na procura em 2020, em relação ao ano anterior, e que representa mais de 4 milhões de pedidos realizados.

Entre as categorias mais solicitadas que apareceram na pesquisa, estão: Reformas e Reparos, que inclui serviços de pedreiro, mudanças e carretos, eletricista, montador de móveis e encanador; e Assistência Técnica, sendo pedidos relacionados aos serviços de conserto de celular, televisão, geladeira, lava-roupa e notebook.

Para Eduardo L’Hotellier, fundador e CEO do aplicativo, houve uma mudança significativa no comportamento do consumidor e que foi norteada por conta da pandemia. “Com o distanciamento social, as pessoas passaram a ver mais vantagens em buscar serviços digitalmente. Além de prático, o consumidor pode negociar o preço com até quatro profissionais diferentes e ter acesso a avaliações de clientes anteriores”, comenta.

Além disso, o estudo mostra que o aplicativo recebeu mais de 600 mil novos cadastros de profissionais, em especial das categorias de Reformas, Serviços Domésticos, Moda e Beleza e Saúde.

O aplicativo possui mais de 500 tipos de serviços que são oferecidos pelos mais de 2 milhões de profissionais cadastrados em todo o Brasil. Para mais informações sobre a contratação de serviços, acesse o site ou aplicativo do GetNinjas.