Page

Author admin

Equals lança solução de conciliação de vendas com dinheiro

A Equals , empresa especialista em gestão e conciliação de meios de pagamento, anuncia o lançamento de sua solução para conciliação de vendas em dinheiro para o varejo brasileiro. Mesmo com o constante crescimento dos meios eletrônicos, como cartões de crédito e débito, o dinheiro ainda é responsável por mais de 50% das transações do varejo nacional, e deve manter o protagonismo após a recente sanção da lei que permite descontos para pagamentos em espécie.

Atualmente, é possível encontrar dois modelos de gestão de vendas com dinheiro: o primeiro, mais tradicional, em que um funcionário vai diariamente ao banco e efetua um depósito identificado ou o pagamento de um boleto com os valores obtidos a partir do fechamento de caixa. Já no segundo, mais moderno, a empresa utiliza cofres inteligentes, normalmente operados por empresas de transporte de valores, que são responsáveis pela contagem e depósito dos valores de forma automática, diretamente na conta bancária da empresa.

Para Fabricio Costa, CEO da Equals, gerir grandes volumes de dinheiro representa um desafio maior do que em relação às vendas com cartões de crédito. “As grandes redes do varejo investem alto na automatização da coleta de valores em suas lojas com os objetivos de tornar os processos mais seguros e produtivos. A nossa solução é capaz de atender em ambos os cenários, e está pronta para ser integrada com os principais sistemas de automação do país”, afirma.

Segundo o executivo, a empresa mantém um canal de comunicação ativo com seus clientes, visando a receber sugestões de melhorias, funcionalidades e novas soluções. A partir dessas reuniões surgiu a oportunidade de ir além dos meios eletrônicos. “Hoje, já cuidamos de boa parte dos recebíveis de nossos clientes e, junto com eles, entendemos a importância de controlar as vendas com dinheiro mantendo o mesmo padrão das operações eletrônicas. ”

A nova solução foi idealizada e desenvolvida pela Equals em parceria com grandes redes de varejo e supermercados, a fim de atender médios e grandes estabelecimentos, e chega ao mercado sendo utilizada por redes como L’Occitane e Luxóttica.

Tags, , ,

Vendas 3.0 e a transformação comercial dentro das empresas

Por Carlos Campos

O novo momento da economia, muito atrelado à inovação e disrupção, e a mudança no perfil de consumo dos agentes econômicos estão forçando as empresas a se reinventarem em diversos aspectos. E essa transformação está ficando bastante evidente também nos departamentos comerciais das companhias. Para se adaptar a esse cenário, é preciso qualificar o seu público consumidor de modo a entender melhor as oportunidades de geração de vendas. Esse é o objetivo da construção de uma Máquina de Vendas.

Geração de leads qualificados, captação de clientes e concretização do negócio ou da venda. É isso que está se chamando de vendas 3.0.Para chegar a esse processo com o máximo de assertividade e perfeição é necessário fazer ajustes nos departamentos comerciais. Isso ocorre por meio de aplicação de metodologias de vendas”, afirma Campos.

Para entender como é possível aumentar a conversão das vendas, reduzindo tempo do processo de negociação das equipes e com uma produtividade satisfatória para que haja geração constante de leads, captação de clientes e efetivação do negócio, listo abaixo quatro maneiras na construção da Máquina de Vendas:

Nutra o seu público
Fornecer informações sobre o seu produto ou serviço para que o seu consumidor possa conhecê-lo melhor. Isso é fundamental para se aproximar do seu público e também de potenciais clientes. Nutrí-lo com conteúdo relevante e de qualidade sobre o seu negócio será fundamental para as etapas seguintes de aproximação. A nutrição pode acontecer por meio de aplicação de Marketing Digital (interação e contato através de blogs, redes sociais, eBooks, entre outros) e também por marketing de conteúdo. Nutrindo os seus clientes e potenciais clientes, é possível fazer uma abordagem mais assertiva na próxima etapa, que é o processo ativo de prospecção e vendas (Outbound Selling).

Use a tecnologia a seu favor
Com a evolução da tecnologia, é possível automatizar processos de vendas que até pouco tempo atrás só eram possíveis se fossem feitos manualmente. A construção de uma lista de contatos de potenciais clientes (ou leads) para aproximação e prospecção pode ser feita por meio de plataformas digitais que utilizam robôs que capturam esses contatos e verificam sua assertividade. Além disso, é possível fazer aproximação personalizada com esses contatos a partir da automação de envio de e-mails. O acompanhamento do processo de vendas e a geração de métricas devem ser feitas por meio de sistemas de CRM (ferramenta de gestão e relacionamento com o cliente).

Capture as informações necessárias
Antes de entender e capturar as informações, é preciso definir quem é o seu cliente ou seu potencial consumidor. Para isso, é importante olhar para o seu negócio e saber qual é o perfil de cliente mais lucrativo e satisfeito de modo a atrair outros perfis semelhantes. Defina o cliente ideal utilizando conceitos de Ideal Costumer Profile. Sendo o seu cliente outras companhias, defina a área geográfica de atuação, o porte e segmento. Saiba também quem será a interface de contato na empresa (diretor financeiro, diretor comercial, diretor de tecnologia, etc.). Definido esse perfil e o contato, é preciso apurar informações sobre a melhor solução que esse cliente busca, qual é a necessidade que ele quer suprir e como eles fazem para buscar essa resolução.

Preveja a sua receita
O objetivo principal da construção de uma máquina de vendas é garantir a contínua geração de oportunidades de negócios, aumentando a conversão no menor tempo possível. A aplicação dos métodos para a previsão da receita se dá por meio da definição das métricas de vendas, quantificando quanto se tem que capturar de contatos num determinado período e a execução de abordagens por e-mails personalizados e ligações telefônicas através de cadências nas diferentes etapas do processo de vendas.

Carlos Campos é CEO e fundador da Mkt4Sales, consultoria especializada em estratégia comercial

Tags, , , ,

Fábricas inteligentes reduzirão custos de mão de obra em 25% até 2022

Com as mudanças das fábricas tradicionais para as inteligentes é esperada uma redução de 25% nos custos de mão de obra direta até 2022. A constatação é da pesquisa Fábricas Inteligentes da Capgemini, um dos líderes globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização. Embora a perspectiva de curto prazo não seja de crescimento para os empregos atuais, muitos fabricantes apontam a necessidade de desenvolver novas habilidades em seus profissionais e já tomam providências nesse sentido. Mais da metade (54%) dos entrevistados estão fornecendo treinamento em habilidades digitais para seus funcionários e 44% estão investindo na contratação de talentos com conhecimentos digitais para atender o novo perfil demandado pelas fábricas inteligentes.

Geralmente descrita como a pedra estrutural da “Revolução Digital Industrial”, uma fábrica inteligente faz uso de tecnologias digitais, como IoT (Internet das Coisas), big data analytics (análise inteligente de dados), inteligência artificial e robótica avançada, para aumentar produtividade, eficiência e flexibilidade. Os recursos da fábrica inteligente incluem robôs colaborativos, trabalhadores que usam componentes de realidade aumentada e máquinas que enviam alertas quando precisam de manutenção.

A pesquisa Fábricas Inteligentes entrevistou mil executivos que ocupam o cargo de diretoria para cima em empresas de manufatura com uma receita de mais de US$1 bilhão ao ano. O estudo foi conduzido em seis setores: manufatura industrial, automotivo e transporte, energia e utilities, aeroespacial e defesa, ciências da vida e produtos farmacêuticos, e bens de consumo. A pesquisa abrangeu companhias de países como Alemanha, China, Estados Unidos, França, Índia, Itália, Reino Unido e Suécia, realizando entrevistas qualitativas e quantitativas.

Acesse o estudo na íntegra: https://www.br.capgemini.com/smart-factories-and-the-modern-manufacturer

Tags, , ,

Inscrições para iniciativa Startups Connected são prorrogadas até dia 18 de agosto

S2Publicom_strip_100473_0_full

As ferramentas de agricultura digital estão cada vez mais presentes no campo para atender as expectativas dos agricultores em relação ao aumento da produtividade e práticas sustentáveis. Pensando nisso, a Câmara Brasil-Alemanha, em parceria com a Bayer, prorroga as inscrições até 18 de agosto para a 2ª edição do Startups Connected. Neste ano, o desafio proposto pela companhia é a redução de perdas de produtividade relacionadas a pragas e doenças e fomentar o desenvolvimento de soluções na área de agricultura digital.

Na busca por alternativas para aumentar a eficiência da proteção de cultivos podem participar startups estabelecidas no Brasil ou na Alemanha que apresentem ideias inovadoras, alinhadas com o dia a dia do produtor rural, incluindo plataformas com uma interface simples e acessível via mobile.

Segundo Hiran Zani, gerente de inovação em digital farming da Bayer, a empresa busca por meio de tecnologias digitais proteger e elevar o potencial produtivo nas lavouras. “As ferramentas de agricultura digital permitirão num futuro próximo melhorar a produtividade aliada à sustentabilidade, com foco na eficiência da aplicação dos produtos nas lavouras. Justamente por isso é importante estarmos sempre antenados às principais tendências do mercado de tecnologia, e iniciativas como esta nos permitem fomentar novas ideias no setor”, disse.

“Os ganhadores poderão se apresentar no Congresso Brasil-Alemanha de Inovação, receberão um diagnóstico e acompanhamento ao longo de três meses e terão a possibilidade de receber investimento do BMG UpTech em troca de participação minoritária. Os projetos vencedores serão ainda elegíveis ao Prêmio Ideias4Action, do Banco Mundial. Esse suporte e visibilidade podem ser fundamentais para a maturação de empresas nesta fase de evolução”, ressalta Camila Navarro, IT Digital & Innovation Manager da Bayer. Os selecionados poderão também se aproximar das empresas patrocinadoras e terão apoio na revisão de seu modelo de negócio e na criação de um plano de trabalho.

Os interessados podem se inscrever pelo site http://www.startupsconnected.com.br/categorias/agricultura-digital/ até o dia 18 de agosto de 2017.

Tags, , , , , ,

Segurança e confiabilidade ainda são desafios para bancos

Por Juan Carlos Tejedor

Fraudes constituem uma ameaça cada vez maior nos bancos – ambiente em que os clientes estão exigindo uma experiência consistente em todos os canais de serviço. Sendo assim, um dos maiores desafios que os bancos enfrentam hoje em dia é como fornecer serviços seguros e de confiança, melhorando substancialmente a experiência do usuário. Vale lembrar que as instituições bancárias precisam alcançar esse objetivo sem aumentar o custo ou complicar o processo de conformidade.

A solução ideal é uma plataforma integrada e móvel de gerenciamento de identidade e acesso multicanal (IAM), que melhore a experiência do usuário e a confiança mútua em todos os pontos de contato, reduzindo a complexidade e o custo total de propriedade. A biometria é um componente fundamental dessa solução, uma vez que fornece um meio para provar ou verificar uma reivindicação de identidade verdadeira – ao contrário de algo que uma pessoa conhece (por exemplo, um PIN) ou algo que uma pessoa tem (por exemplo, um cartão). A biometria, portanto, pode ser usada para simplificar o acesso em todos os canais bancários, melhorar a experiência do usuário, bem como o nível de confiança – além de reduzir o custo total de propriedade.

Comprovar identidade verdadeira sempre foi difícil e isso motivou a criação de métodos para aumentar significativamente a conveniência e a confiança. Na era do computador, a senha se transformou num método barato e aceitável para comprovar a verdadeira identidade, embora muito fraca. Então, quando entramos na era conectada, essa fraqueza poderia ser explorada em massa. Para prevenir e combater essa ameaça, a complexidade da senha e as regras de expiração destruíram a conveniência, com pouca ou nenhuma redução na vulnerabilidade da fraude.

Felizmente, a tecnologia evoluiu e hoje temos os meios para eliminar roubo de identidade e fraude. No entanto, a solução requer uma abordagem integrada, em que uma cadeia de confiança é estabelecida e mantida para oferecer o nível de segurança exigido de uma maneira econômica e conveniente. A biometria verificada pela máquina desempenha um papel crítico na entrega dessa solução, porque somente a biometria pode se referir diretamente à verdadeira identidade de uma pessoa. De fato, a biometria fornece o único meio para validar inequivocamente uma reivindicação de identidade, e pode fazer isso ao mesmo tempo em que elimina o custo, a complexidade e as vulnerabilidades inerentes a senhas e outros métodos que se aproximam da prova de identidade verdadeira.

Hoje, os sensores biométricos de imagem multiespectral são habilitados para criptografia e detecção de violação de hardware – que protegem não só a integridade do sensor, como também a comunicação entre o cliente e o sensor. Essa é uma característica muito valorizada pelo mercado, já que esses sensores estão cinco vezes mais precisos e quatro vezes mais rápidos nos caixas eletrônicos e multibancos, com sensível redução de erros. De modo geral, percebe-se um ganho em termos de desempenho e interoperabilidade. Por esse motivo, além do sistema financeiro, a nova linha de autenticação biométrica tem sido adotada nos sistemas de saúde, eleitoral e governamental.

Essa tecnologia emprega o que há de mais avançado para escanear e autenticar impressões digitais de dentro para fora. Ou seja, além da camada externa da pele, o sensor faz uma leitura de uma subcamada mais profunda, irrigada por vasos sanguíneos. Isso evita fraudes e permite rápida autenticação. Trata-se de uma solução robusta e capaz de comprovadamente reduzir o custo total de propriedade em aplicações autônomas e de alto rendimento.

No Brasil, 60% dos sensores biométricos instalados nos caixas eletrônicos usam a tecnologia de imagem multiespectral – autorizando mais de três bilhões de transações bancárias por ano. Na Argentina, todos os bancos usam essa mesma tecnologia antes de autorizar o pagamento de pensão. Já no Chile, um dos maiores bancos usa sensores de imagem multiespectral diretamente nos caixas. Embora o foco seja sempre eficiência e segurança, nota-se um ganho de velocidade e, consequentemente, de conveniência – já que o cliente faz tudo mais rapidamente.

Juan Carlos Tejedor é diretor comercial da HID Biometrics para a América Latina

Tags, ,

Santander Universidades inaugura primeiro espaço de coworking em agência

Instalado na unidade de atendimento da Unisinos, em São Leopoldo, modelo rompe perfil tradicional de atendimento, com gerentes especializados nas necessidades do público jovem;
O horário de atendimento será flexível, de acordo com as necessidades dos estudantes e da instituição de ensino.

O Santander Universidades inaugurará, no próximo dia 10, seu primeiro espaço de coworking em agência, na unidade de São Leopoldo (RS) da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). O novo ambiente é uma nova proposta que resignifica uma agência tradicional. Com wifi gratuito, permite aos jovens universitários e professores utilizarem o local para encontros, reuniões e realização de trabalhos de maneira confortável e informal. Ainda este ano, outras duas grandes universidades brasileiras receberão o espaço.

Com o novo conceito, os universitários estarão mais próximo das ofertas não-financeiras do Banco, como bolsas de estudo, emprego e empreendedorismo, bem como das ofertas financeiras.

Segundo o diretor do Santander Universidades, Ronaldo Rondinelli, a iniciativa “surge como um novo conceito de agência, idealizada para ser descontraída e atrativa, além de proporcionar um ambiente de convivência e colaboração”.

Sobre o Santander Universidades

O Santander foi reconhecido pelo ranking Global Fortune 500 como a empresa que mais investe em educação no mundo. Criado há 20 anos, o Santander Universidades é pioneiro em desenvolver uma oferta adequada para cada fase de vida do estudante e investe fortemente na educação superior: desde 1996, foram mais de R$ 4 bilhões em todo o mundo. Até hoje, foram concedidas mais de 140 mil bolsas de estudos em 21 países, nos quais o Banco mantém parceria com cerca de 1,2 mil universidades. No Brasil, são cerca de 400 instituições conveniadas.

Tags

SONDA traz especialista para reforçar sua parceria com a Microsoft

Para fortalecer sua oferta de cloud híbrida, que une a Cloud Empresarial da SONDA, a plataforma Microsoft Azure e a nuvem privada das empresas, a SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, traz para sua equipe um novo gerente de produtos, Marcelo Reis. O profissional, com 20 anos de experiência no mercado de data center, chega à SONDA com o objetivo de alavancar as atuais ofertas junto à Microsoft, intensificando a expansão da oferta de MultiCloud da integradora.

“A Microsoft está em um processo de transformação e busca parceiros que possam cada vez mais auxiliar as empresas na jornada da Transformação Digital. Integrando o portfólio dessas duas grandes empresas ajudaremos os clientes a se tornarem mais eficientes e competitivos”, diz o executivo.

Para alcançar o seu objetivo, Reis aproveitará a capacidade da SONDA em atender este gerenciamento da nuvem híbrida de forma integrada dentro de sua própria estrutura, que atualmente conta com uma rede de data centers na América Latina, incluindo dois centros com certificação Tier 3.

Somada à oferta da nuvem Azure da Microsoft, que nasceu com a característica de ser uma cloud híbrida, também está a plataforma de produtividade Office 365, na qual a SONDA pode customizar e suportar.

Marcelo Reis é formado em Ciências da Computação e construiu sua carreira atuando em empresas com foco em licenciamento e serviços Microsoft, tendo passado também pela Tivit e pela Cloud Target, uma startup focada na implementação e gestão de serviços em nuvem.

Tags, , ,

Missão leva startups do Brasil para roadshow com 150 investidores chineses

Uma missão organizada pela CBIPA (China Brasil Internet Promotion Agency) levará, em setembro, um grupo de 26 empresários brasileiros para apresentar seus modelos de negócio e perspectivas de expansão a mais de 150 investidores chineses, para o evento “2017 Brazil Roadshow: Beijing”. O encontro acontecerá ao mesmo tempo em que chefes de Estado se reunirão na cidade de Xiamen, durante a 9ª cúpula dos BRICS.

Desde 2008, a China é o maior parceiro comercial do Brasil e, nos últimos três anos, o capital chinês já presente em projetos de infraestrutura e commodities, passou a ter presença também entre as empresas locais de internet, como demonstram os casos do Peixe Urbano, adquirido pelo Baidu, e a 99, que recebeu US$ 200 milhões do player chinês Didi, em parceria com o Softbank. Segundo a consultoria inglesa Dialogic, até abril de 2017, o capital chinês foi responsável por 52% de todo o investimento estrangeiro feito no Brasil em projetos de compra e fusão de empresa (M&A)

De acordo com o presidente da CBIPA e CEO do Baidu no Brasil, Yan Di, parte dos investidores em Beijing já tem conhecimento prévio do cenário digital brasileiro. Em maio, o 30 investidores e empresários de tecnologia da China, cujos ativos somam US$ 190 bilhões, participaram do Chinnovation 2017, em São Paulo.

“Além de recursos financeiros, fundos chineses podem oferecer expertise e transferência de tecnologia, já que o país asiático vive um boom criativo e a ascensão modelos de negócios inovadores e validados em um mercado com 700 milhões de usuários de internet”, afirma Yan Di. Maior mercado digital do mundo, a China é também a maior fonte de venture funding global, com US$ 100 bilhões captados para aplicar em startups.

O CEO da CBIPA, In Hsieh, apresentará durante o roadshow o venture builder Marco Polo, programa de aceleração que replicará, no Brasil, modelos de negócio na China. “Vamos investir em startups brasileiras que trarão, aos consumidores locais, projetos inovadores e já validados na economia digital chinesa”, diz Hsieh.

Entre as empresas nacionais que se apresentarão na China, estão nomes brilhantes da economia digital brasileira, como a plataforma de frete Truckpad, o serviço de contratação de profissionais Parafuzo, o meio de pagamento BestPay, a startup Delivery Center e a Indigo, empresa global de soluções para estacionamentos. Somadas, o valor de mercado das empresas nacionais supera um bilhão de dólares.

Tags, , , , , ,

Equipotel: espaço aberto ao público oferece palestras e levanta importantes questões relacionadas à hospitalidade

a4e_strip_100354_1_full

Organizada em uma área de 25 mil m² no São Paulo Expo, a Equipotel proporcionará aos seus visitantes mais do que conhecimento sobre produtos e serviços para o mercado de hospitalidade e serviços alimentares. De livre acesso aos visitantes, o Café do Saber by NESCAFÉ® Espresso será dedicado a soluções tecnológicas ou de negócios, troca de experiências e atualização profissional.

Para o público com viés hoteleiro/turismo, algumas importantes questões envolventes serão levantadas nas apresentações e debates, entre elas: “Resultado do ingresso dos hotéis no mercado livre de energia”, “A transformação digital na hotelaria: Como a tecnologia ajuda a melhorar a experiência do hóspede”, “Como se diferenciar e sair ganhando em meio à guerra de preços da Hotelaria” e “Hotelaria: Como vender mais em 2017/2018”.

Para Manuel Gama, Presidente da FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), a expectativa é de um ano de 2017 com boa retomada para a hotelaria brasileira, com início de melhora neste segundo semestre. Ele destaca também a Equipotel como ponto de encontro importante para este setor que tende a crescer: “a feira é um evento obrigatório na agenda das redes associadas. Além de ser uma grande oportunidade de encontro com os players mais importantes de nosso mercado, a feira apresenta debates que indicam tendências para os negócios”, comenta.

Já para o público com foco em serviços alimentares, as palestras e discussões permeiam assuntos bastante atuais: “O mundo do vinho e a inovação na oferta de produtos”, “A importância do conceito e a relevância para o consumidor”, “Gestão estratégica do Cardápio: como obter resultados e diferenciação”, “A nova lei da gorjeta” e “Serviço & Atendimento: Pilares da oferta de sucesso”.

Outra entidade presente em busca de ampliação dos debates relacionados ao setor de serviços alimentares é a ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes). “A Lei da Gorjeta, da Terceirização e do Trabalho Temporário e Intermitente, além da Reforma Trabalhista, pode trazer ao nosso setor mais segurança jurídica e consequentemente mais previsibilidade e investimentos. Estamos firmemente empenhados na retomada do crescimento econômico, sendo esse outro motivo de prestigiarmos a feira”, comenta Percival Maricato, presidente da associação.

Reconhecida como uma das cinco principais feiras de negócios do mundo para o setor de hospitalidade e serviços alimentares, a Equipotel contará com planta setorizada, aproximando ainda mais vendedores e compradores. Pela primeira vez a feira será realizada simultaneamente à FEBRAVA, mais importante evento para o segmento de AVAC-R contemplando os setores de Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado. Abaixo, a programação completa do Café do Saber by NESCAFÉ® Espresso:

Segunda-feira (11/09)

14:30 as 15:15 – Resultado do ingresso dos hotéis no mercado livre de energia – Alan Nogueira (Gerente de patrimônio e manutenção na Deville).
15:30 as 16:15 – O mundo do Vinho e a inovação na oferta de produtos: Como conquistar novos clientes – Luiz Lima (CEO da importadora Mercovino).
16:30 as 17:15 – A importância do CONCEITO e relevância para o consumidor e o sucesso no Foodservice – Emmanuel Melo, Renata Shimizu e José Aurélio Claro Lopes.
19:30 as 20:15 – A transformação digital na hotelaria: Como a tecnologia ajuda a melhorar a experiência do hóspede – Cláudio Cordeiro, Diretor de Hospitality da TOTVS.

Terça-feira (12/09)

15:30 as 16:15 – Como se diferenciar e sair ganhando em meio a guerra de preços daHotelaria – André Berberi (Gestor de Expansão Signature Brasil).
16:30 as 17:15 – Gestão estratégica do CARDÁPIO: Como obter resultados e diferenciação – Simone Galante, Raoni Saade e Eduardo Scott.
18:30 as 20:15 – Ressignificando o Conceito de Motel no Brasil – Felipe Martinez (Diretor e um dos fundadores da ABMOTEIS).

Quarta-feira (13/09)

14:30 as 15:15 – Apresentação de Pesquisa FOHB – Orlando de Souza (Diretor Executivo FOHB)
15:30 as 16:15 – A Nova Lei da Gorjeta – Fabio Zinger Gonzalez
16:30 as 17:15 – SERVIÇO & ATENDIMENTO: Pilares da oferta de sucesso – Marco Amatti e Hamilton Caio Gouvea

Quinta-feira (14/09)

15:30 as 16:15 – Hotelaria – Como vender mais em 2017/2018 – Flávia Mardegan, Consultora Signature Brasil.
16:30 as 17:15 – DELIVERY e TO GO: A importância de preparar seu Negócio para a mobilidade – Nathalia Sifuentes e Diris Petribu Faria
17:30 as 19:15 – Ressignificando o Conceito de Motel no Brasil – Felipe Martinez (Diretor e um dos fundadores da ABMOTEIS).

Vale ressaltar que a programação pode sofrer alterações.

EQUIPOTEL – 55ª EDIÇÃO
Data: 11 a 14 de setembro de 2017
Horário: Segunda a Quinta-feira das 13h às 21h
Local: São Paulo Expo, São Paulo – SP
Informações: www.equipotel.com.br

Tags, , , , , ,

Como os dilemas da inteligência artificial impactam a advocacia

Por Rodrigo Bertozzi

Não tem mais retorno: a inteligência artificial já chegou ao mundo empresarial e social. E ao da advocacia também! Por isso, os advogados têm que se adaptar à essa nova realidade. Para tanto, é necessário mudar o mapa mental do curto prazo com que costumamos nos orientar. Na prática, nossos clientes já estão há tempos lutando para compreender e dominar a tecnologia de cognição em suas operações. E assim, num piscar de olhos, a sociedade está se transformando rapidamente. Não apenas as práticas empresariais, mas a forma como os consumidores adquirem seus serviços mudou muito. O futuro já chegou, mas muitos de nós acreditávamos que essas transformações levariam anos para chegar ao Direito – e ainda mais ao Brasil.

Deste modo, temos a obrigação de racionalizar dois sistemas distintos. O primeiro são as oportunidades que nascem da adoção das tecnologias de cognição nas mais diversas esferas de negócios e de como isso atinge as pessoas. O olhar de curto prazo sugere reunir os advogados do escritório e definir uma nova maneira de analisar o impacto econômico do que está a ocorrer: no tributário, nas relações de consumo, nas fusões e aquisições, enfim, faça a diferença, crie novas abordagens junto aos clientes e construa o espaço para a sua carreira individual ou na advocacia.

A segunda consideração é a mais crucial; até mesmo imediatista. Já ouvi muitos dizerem coisas como “acabou a advocacia; viveremos a era do advogado robô!”. Calma! A inteligência artificial não substituirá o advogado, mas estará ao seu lado para ampliar de maneira incrível as habilidades de pesquisa, escrita e modelos mentais comparativos – redefinindo os conceitos de produtividade a índices de ficção cientifica, criando teias de novas ideias nas mais diversas áreas do Direito moderno.

Essa segunda análise é cheia de nuances. Sim, a tecnologia de cognição irá tirar emprego e função dos profissionais que não atuam em nichos específicos, como advocacia de volume. Jamais vai tirar de todos, mas daqueles menos preparados, infelizmente. Advogados que não têm contato com o cliente (empresarial ou pessoa física) podem deixar de ser estratégicos. Por isso, fiquem alertas! Ai daqueles que nunca se preocuparam em buscar diferenciais na carreira. Que julgam que não é necessário esforço para escrever e dar palestras; ou que não têm tempo para isso – afinal, são coisas de professor… Para estes, a tempestade já começou. Não apenas por conta da inteligência artificial, mas pelo contexto de excesso de profissionais no mercado brasileiro – disparado o maior do mundo. Trabalhos repetitivos, tarefas intermediárias ou simples vão desaparecer em um piscar de olhos!

O que fazer para estar alinhado com o novo olhar

A inteligência de cada pessoa é única, mas não é por isso que pode se dar ao luxo de ignorar o avanço impressionante da tecnologia de cognição no mundo jurídico. Todos os que apostaram contra as revoluções tecnológicas perderam. Deve-se utilizar a tecnologia de cognição para ampliar os horizontes e ter sucesso no mais intrigante desafio dos novos tempos.

Procure se orientar com os melhores profissionais. Desse modo, a inteligência artificial poderá ajudar seu escritório a economizar e também a ganhar fortunas – com menos estrutura e mais inteligência de mercado jurídico, social e econômico. Um novo modo de atender clientes, de realizar pesquisas de um jeito nunca antes imaginado, de apoiar a construção de teses jamais cogitadas, de economizar milhares de horas.

Insisto: o futuro chegou. Então, mexa-se!

Rodrigo Bertozzi é sócio da Selem Bertozzi Consultoria

Tags, , , , , ,

Dicas para retenção de talentos nas empresas

Um dos principais problemas em muitas organizações é a capacidade de reter colaboradores, e segundo a pesquisa do LinkedIn Talent Solutions 2016, realizada com 3.894 recrutadores, a retenção tornou-se a principal prioridade dos profissionais de recursos humanos, sendo mencionada por 42% dos entrevistados.

Para Ivan Jacomassi, Diretor de Negócios da Perfix Consultoria, não existe fórmula mágica para promover a retenção. ‘É necessário um conjunto muito bem estruturado de ações para fortalecer a capacidade de retenção dos colaboradores’.

Portanto, ele ressalta que é preciso considerar três frentes principais para manter talentos em sua empresa: captação, ambiência e fidelização.

No item captação deve ser estruturado e avaliado o perfil dos colaboradores, pois é primordial que esteja alinhado à missão, visão e valores da organização. ‘A cultura organizacional sempre será um forte fator de influência motivacional sobre as pessoas, caso não haja esse alinhamento um processo chamado dissonância cognitiva pode se instaurar, podendo ocasionar desde uma ressignificação pessoal até a frustração e futura evasão do colaborador’, afirma Ivan.

Isso deixa clara a importância da realização de um bom processo de recrutamento e seleção, pois contratar indivíduos compatíveis com a cultura da organização é o primeiro passo para que haja a retenção.

O segundo item a ser trabalhado é a ambiência, tendo em vista que o clima organizacional é um fator que pode influenciar diretamente no desempenho dos funcionários e sucesso de seu negócio.

No entanto, em relação a essa questão, Ivan ressalta que é importante notar que a pesquisa de clima não mede a “verdade real”, mas sim a “verdade percebida”. ‘A organização não pode apenas medir o clima, é preciso compreender quais são seus pontos fortes e fracos dentre as diferentes dimensões que compõem a análise de favorabilidade, como a liderança, comunicação, estrutura, equipamentos, salários e benefícios, identidade, entre outros, e criar planos de ação que permitam atacar e sanear os pontos críticos, favorecendo a percepção, melhorando o clima, a produtividade e gerando maior disposição das pessoas à permanecer em seus postos de trabalho’, declara.

Após um processo de seleção bem alinhado e estruturado e o trabalho contínuo em prol do clima organizacional, o próximo passo é trabalhar a questão da fidelização do colaborador para com a empresa. Para este aspecto, a organização precisa ser capaz de criar perspectivas junto às pessoas, elas precisam ter em mente até onde podem chegar e como devem agir para atingir estes níveis mais altos. De acordo com Ivan Jacomassi, ‘Neste sentido a capacidade de oferecer planos de carreira aos colaboradores é fundamental, pois pessoas sem perspectivas se frustram e procuram por novas oportunidades’.

Cabe ressaltar aqui, que segundo a pesquisa 1000 Maiores Empresas Brasileiras realizada pela consultoria Gestão e RH, para 92,4% dos entrevistados o reconhecimento é o fator mais importante para se reter talentos nas empresas.

Para tanto, Ivan ressalta que é necessário a aplicação de avaliações de desempenho, feedback e planos de desenvolvimento dos indivíduos. ‘Este conjunto de ações, irá determinar quais direções o indivíduo precisa seguir para que gere mais valor à empresa, fazendo jus ao reconhecimento desta’.

Tags, , ,

Site ajuda empresas que querem terceirizar frota de veículos

86c3dc61-50d7-4e95-8660-2b9064d6ff59

O mercado de locação de veículos, segundo a ABLA em seu anuário de 2016, teve um faturamento de R$ 16,2 bilhões, com mais de 7.000 empresas atuando no setor e uma frota superior a 850 mil veículos. E 56% destes são utilizados na terceirização de frotas, ou seja empresas de todos os tamanhos que optam por alugar ao invés de comprá-los.

Ainda no levantamento realizado, a ABLA indica que o setor como um todo gera mais de 470 mil empregos diretos e indiretos e recolhe cerca de R$ 5,3 bilhões em tributos federais, estaduais e municipais.

E este grande mercado se deve ao fato de que manter e administrar uma frota de veículos na empresa é uma atividade meio, que não gera resultados diretos, mas é essencial para a logística de distribuição e atendimento ao cliente.

Ao terceirizar a frota, a empresa não precisa mais se preocupar com o fato de manter uma grande quantidade de veículos, podendo se dedicar com mais atenção à sua atividade-fim. A responsabilidade de manutenção da frota passa a ser da empresa contratada, que deve garantir a disponibilidade dos veículos necessários para a logística da empresa.

É possível terceirizar frotas de diversas quantidades e modelos de veículos. No mercado existem desde grandes empresas até as de menor porte que atendem clientes com uma necessidade pequena de veículos.

E para a empresa encontrar o melhor fornecedor para sua situação, o oHub ajuda neste processo de uma maneira bastante simples. Basta fazer um pedido indicando a quantidade e tipo de veículos, que em menos de 24 horas os fornecedores interessados entram em contato.

Segundo Alexandre Pajola, sócio da plataforma, “não é mais necessário ficar pesquisando em mecanismos de busca, preencher formulários em diferentes sites pedindo orçamentos, no oHub é feito um pedido único e nós encaminhamos para a nossa rede de empresas que terceirizam frotas. Um trabalho de mais de 1 hora é realizado em menos de 5 minutos agora.”

O oHub tem ótimas empresas de terceirização de frotas e é a melhor forma de encontrá-las. Pois além de gastar menos tempo no processo de pedido de orçamento, também é possível comparar as propostas e economizar, escolhendo aquele com o melhor custo benefício.

No endereço https://www.ohub.com.br/empresas/transporte-e-armazenagem/terceirizacao-e-gestao-de-frotas o oHub lista as empresas que terceirizam frotas nos principais Estados brasileiros. E na mesma página é possível fazer o pedido de orçamento.

Tags, , ,