Page

Author admin

ClickSoftware anuncia novo Diretor de Alianças para América Latina

Em virtude da crescente importância do mercado latino-americano e a necessidade de seguir investindo na região, a ClickSoftware, líder no fornecimento de soluções para organizações de serviços em campo, anuncia a contratação de Paulo Vendramini para a nova posição de Diretor de Alianças para América Latina. A iniciativa está alinhada à estratégia de crescimento da companhia, que vem ampliando a equipe para suportar a demanda na região, assegurando assim a qualidade de serviços com atendimento local, que resulte em ainda mais satisfação dos clientes. O novo Diretor de Alianças será responsável por desenvolver um modelo de venda por canais na América Latina que contemple desde parceiros globais como SAP e Accenture, regionais como Sonda IT e Indra, até alianças locais para cada um dos países da região. A ClickSoftware possui presença direta no Brasil, México, Colômbia, Argentina, Chile e Peru.

De acordo com Vendramini, a área de canais possui uma importância estratégica para o crescimento dos negócios da companhia. “O objetivo é expandir nossa capacidade operacional na região por meio de um modelo de canal de valor agregado, o que ajudará estes novos parceiros a construírem o seu sucesso juntamente com a ClickSoftware”, ressalta. A companhia atua em todos os segmentos, mas a prioridade atual são os mercados de Utilities, Telecom, Seguros, Oil&Gas e Saúde.

A ClickSoftware já realizou grandes investimentos na América Latina. Hoje, todas as operações da companhia são geridas pela sede regional, localizada em São Paulo. O país, apesar do cenário econômico conturbado que enfrenta, apresenta boas oportunidades de negócios no setor de Field Services Management (Gerenciamento de Equipes em Campo). Esse é um mercado em expansão, uma vez que todas as empresas que possuem grandes equipes de campo buscam soluções para melhorar a eficiência, alocação, redução de custos e principalmente a satisfação dos clientes com seus serviços. “Estamos desenvolvendo um programa de canais para atender as necessidades específicas da América Latina. Com uma comunidade de parceiros com um conhecimento apurado de nossa solução e que entenda as particularidades de mercado de cada país, conseguiremos manter nossa competitividade em toda a região”, finaliza o executivo.

Paulo Vendramini é graduado em Gestão de Negócios Internacionais, possui MBAs em Gestão de Negócios e Gestão Empresarial Internacional pela FGV. O novo Diretor de Alianças da ClickSoftware para América Latina teve passagens destacadas como Diretor Comercial Brasil na SOLO Network, Executivo de Vendas de Soluções de Segurança na HP e Diretor América Latina de Pré-Vendas, Diretor de Vendas Enteprise e Diretor de Canais e Alianças na Symantec.

Tags, ,

Redes de comunicação: a espinha dorsal das smart grids

Por Ulisses Souza

No Brasil e no mundo, o crescimento da população e as facilidades da vida moderna e seus gadgets, eletroeletrônicos, produção industrial etc. tornam a eletricidade artigo de primeira necessidade. Por aqui, a escassez de chuvas novamente vai pesar no bolso dos consumidores, com a bandeira tarifária vermelha, que acrescenta R$ 3,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, valendo em agosto. No mês passado, a bandeira era amarela.

E a situação se complica, em terras brasileiras, uma vez que a geração de energia é predominantemente hidrelétrica. Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel – (de julho de 2017) dão conta que 61,48% da geração de eletricidade são provenientes de matriz hídrica[i]. Todos ainda se lembram da forte seca que assolou o país em 2014 e das implicações dela na produção de energia.

O cenário, sem dúvida, enseja medidas e tecnologias que reduzam desperdício e diversifiquem as fontes de energia, especialmente as renováveis. As smart grids ou redes inteligentes na geração, transmissão e distribuição de energia elétrica são muito importantes para evoluirmos nessa questão. Elas utilizam um conjunto de tecnologias avançadas que vão de ferramentas de analytics para interpretar os dados do sistema elétrico e gestão eficaz dos ativos; geração distribuída; eficiência energética; armazenamento de energia; medidores eletrônicos, micro geração distribuída, veículos elétricos, internet das coisas, entre outras.

As redes de comunicação são pré-requisito para implantar soluções de gestão, integrar sistemas corporativos das concessionárias, como o billing para cobrança, plataformas de gestão (ERP) e a tecnologia de informação geográfica GIS. Além do Analytics e Big Data. A eficácia da implementação está diretamente ligada à expertise do integrador e aos sistemas utilizados, o que requer estudo por parte dos distribuidores de eletricidade. São essas redes que identificam falhas instantaneamente, disponibilizam informações sobre os motivos e a previsão de retorno da energia e as corrigem. Algumas vezes a correção pode ser feita remotamente.

Sabemos que, hoje, a energia segue uma via de mão única: das concessionárias para o consumidor. Nas redes inteligentes será possível ter uma forma bidirecional, não apenas de energia como também de informações. Com a integração de medidores eletrônicos inteligentes será possível a interação distribuidora x residência, em tempo real, o que permite que ambas acompanhem remotamente como e quanto é o consumo, o que é ótimo para antecipar a ocorrência de problemas.

Painéis solares nas casas das pessoas, já bastante difundidos, poderão suprir as necessidades do consumidor e permitir o fornecimento da energia sobressalente, integrando-a ao sistema elétrico. Sensores instalados nas redes elétricas poderão fazer a medição de consumo remotamente; detectar problemas e enviar alertas. O alto grau de automação vai permitir ao cliente, no futuro, ligar e desligar aparelhos em casa remotamente, com a Internet das Coisas.

Vale lembrar que o custo da energia elétrica no Brasil é um dos mais caros do mundo, 46% superior à média internacional, com R$ 402,26 por MW-h, segundo a Firjan – Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. O País é o sexto maior em consumo. Perde apenas para a Índia com R$ 596,96; Itália R$ 536,14, Singapura, com R$ 459,38, Colômbia, R$ 414,10, República Tcheca, com R$ 408,91.

Todo o planeta precisa de desenvolvimento sustentável. Agora mais do que nunca. A evolução das redes de energia, com a inclusão da comunicação, vai possibilitar consumo consciente e também utilizações mais econômicas como o abastecimento de carros elétricos; semáforos inteligentes, iluminação e controle de lixo, o que contribui com a redução das emissões de gases de efeito estufa que o sistema elétrico brasileiro causa.

O que se prevê é que o montante de investimentos no setor será gigantesco. O relatório NEO (New Energy Outlook) da Bloomberg New Energy Finance (BNEF) estima que, até 2040, mais de dez trilhões de dólares sejam investidos em tecnologias de geração de energia. As tendências, segundo o estudo, são: expansão de energia solar e eólica; queda de 66% no preço dos painéis fotovoltaicos residenciais; queda no custo de energia onshore e offshore; diminuição de geração por termelétricas; liderança de investimentos da China e da Índia; sistemas de armazenamento e baterias; veículos elétricos e a demanda por novas fontes e pico de emissão de CO2 em 2026.

É esperar para ver.

Ulisses Souza é o diretor da Unidade de Valor da Alcateia, tradicional distribuidora de informática.

Tags, ,

Especialistas em seguros e tecnologia debatem sobre Insurtechs em evento da camara-e.net

Apresentar o ecossistema das Insurtechs, lançar o primeiro mapeamento do setor no Brasil e discutir as inovações desse segmento do mercado segurador. Esses são os objetivos do evento a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), por meio do Comitê de Insurtechs, realiza na próxima quarta-feira (30), das 9h às 12h, em São Paulo.

O evento acontece no Cubo Coworking, hub de empreendedorismo que, assim como as Insurtechs, traz em seu DNA o gene da transformação digital ao conectar ideias, pessoas e tecnologia. Tanto que duas startups com projetos voltados para o mercado segurador terão espaço para apresentar suas propostas durante a reunião.

Além das startups, Alessandro Maracajá, da Solutions One, e Roberto Ciccone, da Everis, irão discorrer, respectivamente, sobre a importância da tecnologia para as Insurtechs e a realidade atual do segmento.

Evento: Reunião do Comitê de Insurtechs – camara-e.net
Quando: 30/08
Horário: das 9h às 11h30
Local: Cubo Coworking
Rua Casa do Ator , 919, Vila Olímpia – São Paulo, SP

PROGRAMAÇÃO

09h00 às 09h20 – Welcome Coffee
09h20 às 09h30 – Empreendedorismo (Flavio Pripas, Cubo)¨
09h30 às 10h10 – Comitê de Insurtechs (Gustavo Zobaran, coordenador)
Apresentação do Ecossistema de InsurTechs
Lançamento do 1o Mapeamento InsurTechs Brasil
10h10 às 10h30 – Coffee e Networking
10h30 às 10h40 – Startup 1
10h40 às 11h00 – “Tecnologia como chave para as InsurTechs” (Alessandro Maracajá, sócio diretor da Solutions One)
11h00 às 11h10 – Startup 2
11h10 às 11h50 – “InsurTechs, o futuro que já é presente” (Roberto Ciccone, head of insurance da Everis Américas)
11h50 às 12h00 – Encerramento

Tags, , , , ,

Samsung lança no Brasil Galaxy A5 e A7 2017 de 64GB

A Samsung lança no Brasil uma versão ainda mais poderosa dos Galaxy A5 2017 e A7 2017. Agora, será possível adquirir também os smartphones com 64GB* de capacidade de armazenamento interno, podendo ser expandida com mais 256GB com o uso de cartões MicroSD. Apresentados no início deste ano, os dois modelos trazem um design ainda mais sofisticado, com a combinação de metal e vidro, uma câmera poderosa, performance mais eficiente e muito mais conveniência aos consumidores, com a certificação IP68**, que garante resistência à água e poeira. Conheça abaixo mais características destes modelos.

Câmeras

Destaques de todas as linhas de smartphones Samsung, as câmeras destes dois modelos mantêm o excelente desempenho da linha A, sem qualquer protuberância, o que proporciona melhor ergonomia e conforto, além de manter o design elegante. Tanto a frontal quanto a traseira possuem resolução de 16MP para imagens com altíssima qualidade. Ambas ainda têm abertura de F1.9, que permite, mesmo em ambientes com pouca luminosidade, o registro de ótimas fotos, graças à boa captação de luz. Na câmera principal também há foco automático e é possível gravar vídeos em Full HD a 30 fps.

Design

Assim como as câmeras, os novos Galaxy A 2017 trazem um visual completamente remodelado e que, sem dúvida, faz jus aos elogios que vêm recebendo desde o lançamento. A combinação de metal nas laterais dos dispositivos e do vidro curvo na parte traseira dá mais resistência aos aparelhos, mais conforto ao manuseá-los e traz mais elegância à sua aparência, seguindo o mesmo estilo das linhas mais sofisticadas da Samsung.

Samsung Pay

Os novos Galaxy A 2017 também oferecem os melhores serviços para seus usuários. Ambos os aparelhos são compatíveis com o sistema de pagamentos Samsung Pay***, que permite a realização de transações em lojas e estabelecimentos de forma eficiente, cômoda e totalmente segura. Conforto e sofisticação não apenas para efetuar pagamentos, já que a solução ainda permite aos consumidores o registro não somente de cartões de crédito e débito, mas também de outros documentos pessoais, transformando os smartphones em uma carteira digital.

IP68 e tela Always On

Os aparelhos ainda carregam consigo certificação IP68 à água. Esse recurso permite que os usuários possam submetê-los a uma profundidade de até 1,5m durante um período de 30 minutos. Essa proteção ainda oferece resistência contra poeira, impedindo que os danifique. Além disso, ambos possuem a tela Always On, que possibilita acesso aos dados essenciais sem a ativação do smartphone, economizando tempo e bateria.
“Acreditamos que inovação é uma das bases para a satisfação dos consumidores. Por conta disso, estamos sempre empenhados em aprimorar todas as linhas do nosso portfolio com recursos exclusivos e de alto desempenho, que oferecerão as melhores experiências aos usuários”, afirma Renato Citrini, Gerente Sênior de produtos da área de dispositivos móveis da Samsung Brasil.
Preço e disponibilidade
Fabricados no Brasil, os preços sugeridos são de R$ 2.299,00 para o Galaxy A7 2017 e de R$ 1.999,00 para o Galaxy A5 2017.
Para mais informações, acesse https://news.samsung.com/br/ ou http://www.samsung.com/br/.

*Memória disponível para o uso do consumidor pode ter variações, conforme sistema operacional, aplicativos e/ou outros fatores. Acesse http://www.samsung.com/br/ para mais informações.

**Produto resistente à água (1,5 metro por 30 minutos) e à poeira. Este produto não é resistente à água do mar.

***Verifique smartphones e cartões compatíveis, bem como mais detalhes em: http://www.samsung.com.br/samsungpay/#conheca

Tags,

Informática fomenta vendas no varejo

O setor de informática protagonizou o crescimento das vendas do comércio em junho. O desempenho no trimestre foi positivo pela primeira vez desde o início de 2015 – ou meados de 2014 para três meses consecutivos de alta, segundo o IBGE. O crescimento nas vendas de informática e comunicação, segundo último levantamento do IBGE (de -11,2% no segundo trimestre de 2016 para 7,5% no segundo trimestre de 2017). Esse segmento teve expansão de 5,1% frente a junho de 2016, no terceiro resultado positivo seguido nesse tipo de comparação.

A influência da depreciação do dólar frente ao real, com reflexo nos preços de alguns componentes eletrônicos importados, em especial para microcomputadores e aparelhos eletrônicos, além da redução da variação de preços do principal produto (microcomputadores) contribuiu para este movimento, e de quebra reflete uma maior inclusão digital.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), Lisandro Zambenedetti Granville, o desempenho positivo, mesmo diante de um cenário de crise, confirma que o brasileiro é um consumidor de tecnologias de ponta bastante ávido. “Produtos de informática são atualizados constantemente com novidades que chamam a atenção do consumidor, que tem interesse em possuir, sempre que possível, a última versão dos dispositivos de mercado” destaca.

Tags, , , ,

Operadoras móveis se movimentam para a conexão 5G no Brasil

A quinta geração de conectividade móvel será tema de debate do Futurecom 2017

“Cada habitante do país terá um smartphone até o fim deste ano”, segundo dados levantados pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) na 28ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas. Com o avanço da tecnologia dos gráficos, softwares, óculos e fones de ouvido – além do desenvolvimento das aplicações que proporcionarão novas experiências baseadas em realidade aumentada –, a conexão em 5G é um recurso cada vez mais desejado.

Mesmo que toda essa velocidade ainda não esteja à disposição do público brasileiro, as operadoras de telecomunicações começam a mensurar os investimentos necessários. Ou seja, a questão começa bem antes de os likes e shares rolarem nos celulares por aí. O Futurecom 2017 vai discutir em profundidade o tema, a começar com o painel “Como abrir Caminhos para o 5G chegar ao Brasil?”. Para mediar o painel, a jornalista Christiane Pelajo, da Globo News, no dia 04 de outubro, às 11h, no auditório Brasil.

Um recente relatório da SNS Research indica que as operadoras móveis vão ter de investir mais de 21 bilhões de dólares por ano quando tiver início a implementação das tecnologias padronizadas para o 5G. E a previsão é de que estes aportes terão de ser iniciados já em 2019. Existem dados que comprovam que ao menos 25 operadoras em 15 países já realizam demonstrações de 5G ou participam de testes com a nova tecnologia.

Mas e quanto ao Brasil? O que o público local pode esperar e para quando deve ficar a chegada do 5G às nossas terras? Em 2016, uma demo ao vivo demonstrou pela primeira vez o 5G funcionando na América Latina durante o Futurecom. A estimativa mais aceita é a de que em 2020 já começem a surgir os primeiros aparelhos prontos para a conexão ultrarrápida prometida pelo 5G (de até 20 gigabytes por segundo, contra o máximo de 1 gigabyte por segundo do atual 4G). Na prática isso deve representar um aumento no uso de recursos como, por exemplo, a realidade aumentada, que exige um fluxo mais alto e constante de dados para funcionar perfeitamente. Discute-se inclusive cases da internet residencial sobre as redes de nova geração 5G e não sobre o tradicional Wi-Fi na banda larga fixa.

Enquanto os benefícios operacionais não chegam ao público, o Futurecom 2017 explora as questões que ainda separam o Brasil da certeza de um 5G plenamente estabelecido nos próximos anos. O evento busca levantar todos os pontos de impacto para que a tecnologia chegue aos brasileiros o quanto antes, além de apresentar quais as grandes mudanças que esta apresentará quando comparada ao 4G.

“É imprescindível que seja aprovada o mais rápido possível o PLC 79 [altera o marco legal de telecomunicações], de modo a criar um ambiente adequado a maiores investimentos e a um novo ciclo de desenvolvimento do nosso setor”, afirma Laudálio Veiga Filho, presidente do Futurecom.

5G também será explorado por vários painelistas durante o congresso. Confira a agenda do congresso nos links:

http://agenda.futurecom.com.br/pt/2017/2 e https://www.futurecom.com.br/pt/congresso/paineis-de-debates-2017.html

Futurecom 2017
Quando: de 02 a 05 de outubro de 2017, das 9h às 20h
Onde: Transamérica Expo Center – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387
Informações: www.futurecom.com.br
Programação: futurecom.com.br/pt/o-evento/programacao-geral.html

Tags, , ,

CA Technologies lança nova plataforma online sobre tendências e inovações na TI para América Latina

A CA Technologies, umas das principais empresas de tecnologia corporativa do mundo, lança o seu primeiro blog oficial na América Latina. Com a nova plataforma, a companhia amplia a comunicação com seus diferentes públicos e passa a ser uma nova fonte de pesquisa e informação para os profissionais do setor.

O Blog Tech Ideas aborda as mais recentes soluções e tendências do mercado e publicará periodicamente artigos de opinião assinados por seus executivos sobre os mais variados temas, como transformação digital, gestão de pessoas e os desafios da indústria. Já no lançamento estão disponíveis artigos sobre diferentes áreas como o desenvolvimento de aplicações, segurança, automação e mainframe.

A plataforma também será uma vitrine dos casos de sucesso da companhia, que atende hoje grande parte das corporações listadas na Global Fortune 500 e dez dos maiores bancos do Brasil. Esta seção também mostrará como as empresas da América Latina e do mundo estão driblando os desafios trazidos pelos novos consumidores digitais.

“Sabemos que obter sucesso em um mundo onde o software deixou de ser apenas um mecanismo para se tornar o coração dos negócios exige uma série de conhecimentos que não vem com facilidade. A transformação digital é um divisor de águas, e nesse caso, a diferença entre o sucesso e o fracasso pode se resumir em um click”, afirma Claudia Vásquez, CEO e gerente-geral da CA para América Latina.

O Tech Ideas já está no ar com conteúdo em português e espanhol. Para se inscrever e receber as novidades, clique aqui.

Tags, ,

Imposto sobre rendimentos de investidores anjo pode ser contestado na Justiça, alerta tributarista Janssen Murayama

O investimento em ciência e inovação é um indicador da evolução de uma economia, e hoje ele está muito atrelado ao crescente mercado de startups. Apesar de os investimentos no setor serem principalmente privados, o Estado tem papel fundamental na criação de um ambiente propício ao investimento nessas empresas. Países como Portugal e Irlanda surgem como emergentes nesse cenário, enquanto Israel, por exemplo, reúne em Tel Aviv a vanguarda tecnológica de diferentes setores. O Brasil, por sua vez, começou há pouco a dedicar atenção a essa área.

A regulamentação dos investidores anjo por aqui só ocorreu em outubro de 2016, com a Lei Complementar nº 155. Segundo a legislação, uma microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP) pode receber capital de pessoa física ou jurídica sem que o dinheiro faça parte do capital social da companhia. Isso significa que o investidor anjo não é considerado sócio e não responde pelas dívidas da empresa investida.

A remuneração do investidor passa a ter o prazo máximo de cinco anos, respeitando-se o limite de 50% dos lucros da sociedade. Esse resgate, porém, só pode ser exercido dois anos depois do aporte de capital. Todas essas regras foram mantidas pela Instrução Normativa nº 1.719, publicada pela Receita Federal em julho. No entanto, a tributação dos rendimentos das startups não agradou o mercado, mas já existe espaço para contestações judiciais.

As alíquotas do Imposto de Renda sobre essas quantias variam de acordo com o prazo de participação do investidor no negócio: quanto maior o tempo, menor a taxação. Nos contratos válidos por até 180 dias, o leão abocanha 22,5% do dinheiro. A fatia, porém, pode ser reduzida a 15% se o dinheiro ficar investido por mais de 720 dias.

O tributarista do escritório Murayama Advogados e fundador do Grupo de Debates Tributários (GDT) Janssen Murayama explica que as alíquotas são praticamente as mesmas de outros investimentos, que possuem risco bem menor do que as startups. Outras formas possuem ainda isenção tributária, como os fundos imobiliários. “O poder executivo mitigou o interesse de investidores em startups ao restringir as possibilidades que havia criado há seis meses”, critica o especialista.

Uma alternativa aos investidores é tentar, na Justiça, contestar a Instrução Normativa, sob o argumento de que ela extrapola o âmbito regulamentar da Receita Federal. O art. 61-A, § 10, da Lei Complementar nº 155/2016, permite a regulamentação da tributação do investimento pelo Ministério da Fazenda. “Os parâmetros adotados para aplicação das alíquotas representam uma novidade do mundo jurídico, já que a lei 13.259/2016 — que altera apuração do IR sobre ganho de capital — se refere apenas ao ganho oriundo da alienação de bens e direitos por pessoas físicas, e possui parâmetros diferentes para a aplicação de suas alíquotas”, detalha Murayama.

Tributação das empresas

Para que a startup esteja apta a receber capital de investidores anjo é necessário estar enquadrada como micro ou pequena empresa, mas ela não precisa estar enquadrada no Simples Nacional, podendo optar pelo Lucro Presumido ou Lucro Real.

Janssen Murayama é advogado tributarista, sócio do Murayama Advogados, graduado em Direito e Ciências Contábeis pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), fundador e Diretor do Grupo de Debates Tributários – GDT.

Tags

Votorantim S.A. e 100 Open Startups lançam desafio para startups voltadas ao desenvolvimento de negócios

A Votorantim S.A. lança o desafio “Territórios Inteligentes” em parceria com a 100 Open Startups, plataforma internacional que conecta startups e grandes companhias. O desafio faz parte de uma iniciativa do Centro de Excelência da empresa, que atua nas áreas de soluções compartilhadas, tecnologia da informação e gestão de ativos imobiliários. As inscrições estão abertas até 30 de setembro e podem ser feitas por este link.

O desafio “Territórios Inteligentes” tem como objetivo propor novas soluções em gestão de territórios para aumentar a eficiência da atuação local, além de buscar formas de automatizar serviços e atividades nos territórios sob gestão da Votorantim S.A. e suas empresas investidas. A companhia busca startups que proponham soluções para monitorar territórios e mitigar riscos; conhecer e preservar a biodiversidade; fiscalizar serviços prestados em campo; identificar eventos de causa natural e construir mapas de uso e ocupação do solo.

“Somos uma empresa quase centenária e ao longo da nossa trajetória sempre buscamos trazer inovação para os negócios. Nosso foco neste desafio é encontrar startups que apresentem soluções e tecnologias inovadoras para a gestão de territórios, uma vez que a Votorantim possui uma área de 450.000 hectares, equivalente a 3 vezes a cidade de São Paulo”, conta André Carloni, gerente de gestão imobiliária do Centro de Excelência da Votorantim S.A.

No dia 17 de outubro serão selecionados os projetos das 10 melhores startups e nas semanas seguintes, serão feitas avaliações para a escolha da startup vencedora. No início do próximo ano, a startup escolhida colocará em prática o projeto-piloto com as aplicações adaptadas aos projetos da Votorantim S.A.

A 100 Open Startups é uma plataforma online patrocinada por empresas globais que, juntas, avaliam e classificam startups do mundo inteiro. As jovens empresas mais atraentes são selecionadas a partir de uma metodologia que envolve cinco etapas e uma produção baseada em atratividade, geração de negócios e atração de investimentos.

Tags, ,

Shopping virtual é aliado de petshops para alavancar vendas de serviços

Os marketplaces – plataformas de e-commerce que funcionam como um shopping virtual conectando lojistas e prestadores de serviços a compradores – ganham cada vez mais espaço no Brasil e já são responsáveis por 25% do faturamento de todo comércio eletrônico no país. Entre os segmentos que mais se destacam está o setor pet, mercado que movimentou R$ 19,2 bilhões em 2016.

Com o objetivo de ajudar os petshops a alavancarem as vendas por meio da internet, surgiu o Pet Booking – marketplace segmentado que conecta tutores a prestadores de serviços pets por meio do seu site ou app. Há um ano no mercado, a plataforma possui 17 mil profissionais cadastrados e realizou mais de 13 mil agendamentos no último semestre – entre banhos, tosas, consultas veterinárias e até reservas em creches e hotéis para pets.

Como funciona para os petshops?

Para estar disponível no marketplace o estabelecimento ou profissional preenche um cadastro rápido pelo site e fornece as informações dos serviços que serão oferecidos aos clientes, além dos valores, diferenciais, formas de pagamento e habilidades dos seus funcionários.

Diferente de outros shoppings virtuais que cobram porcentagem de 15% a 35% sobre as vendas e até mensalidade dos estabelecimentos, o Pet Booking inovou em seu modelo de negócio e recebe o valor de R$ 2,99 fixos somente quando o prestador de serviços efetua uma venda, ou seja, quando o cliente realizar algum agendamento pelo app ou plataforma.

Petshops podem contar com sistema de gestão gratuito

Após o cadastro na plataforma, o prestador de serviços passa a ter a disposição uma agenda online e acesso a relatórios completos sem pagar nada por isso. “As empresas ou profissionais contam com um aliado comercial para ajudar na fidelização dos seus clientes e na busca de novos. Eles terão acesso a um poderoso sistema de agendamento e gestão, além de uma ferramenta de BI – que ajuda a administrar e expandir o negócio”, afirma Robert Dannenberg, CEO Pet Booking.

Como funciona para o consumidor?

No Pet Booking o consumidor pode agendar banho, tosa, consultas veterinárias, exames e outros serviços sem precisar ligar ou se deslocar até o estabelecimento – a busca é feita por meio de geolocalização. O usuário ainda consegue cadastrar as características do animal, como por exemplo, indicar alguma alergia, problema de saúde ou preferência de produtos, além de avaliar os profissionais e estabelecimentos disponíveis.

A ideia de negócio

O Pet Booking surgiu da dificuldade em encontrar estabelecimentos próximos e de agendar serviços em épocas de grande demanda para os seus pets. Lançado por Robert Dannenberg, empresário do setor de eventos voltado ao mercado financeiro e que esteve à frente de grandes empresas da área de internet, consultoria e gestão financeira, o marketplace iniciou suas operações em julho de 2016 com investimento de R$ 3,5 milhões. A tecnologia já é líder em agendamentos na cidade de São Paulo e também oferece os serviços no interior do estado e outras capitais pelo Brasil.

Tags, , , , ,

Máxima Sistemas lança tecnologias para redução de custos do atacado distribuidor

A redução de custos e o aumento de produtividade se tornaram prioridades para as empresas se manterem competitivas no mercado em qualquer cenário. De olho neste desafio, a Máxima Sistemas, companhia especializada no desenvolvimento de soluções móveis para força de vendas, trade marketing e logística, lança duas soluções para apoiar o mercado atacado distribuidor: uma voltada à ampliação das vendas e outra para otimizar as entregas dos produtos.

A novidade para aumentar as vendas vem com o lançamento do aplicativo maxPortal B2B, uma solução móvel que potencializa a comunicação da distribuidora com os seus clientes, ampliando seus canais de venda. O APP complementa a versão web da solução e foi criado para ser um canal direto de comunicação entre distribuidores e varejistas, visando otimizar o tempo e os processos comerciais.

Com essa solução, o atacadista distribuidor tem condições de ampliar suas vendas uma vez que esse processo não fica mais limitado ao horário comercial, além de aumentar seu alcance de atuação, uma das vantagens promovidas pela mobilidade, e simplificar ainda mais a experiência de compra. “Agora com o aplicativo, as compras são realizadas em apenas cinco cliques via smartphone, reduzindo em 50% o tempo de execução desta tarefa”, Marcelo Mendes, gestor da solução na Máxima Sistemas.

Na outra ponta da venda está o processo de entrega. Para aprimorar essa importante rotina, que é reconhecida como a que mais consome os investimentos do atacado distribuidor, a Máxima Sistemas lança o maxRoteirizador, uma tecnologia criada para reduzir custos logísticos como o alto consumo de combustível e a rápida depreciação da frota. A solução permite à companhia traçar a melhor rota para que as entregas sejam feitas no menor tempo e, com isso, percorrendo a menor quilometragem possível.

O maxRoteirizador também automatiza todo o processo de montagem de cargas e ainda realiza a seleção de pedidos no mapa para a distribuição e o sequenciamento da carga, sugerindo o melhor veículo e motorista mais apto para transportar a mercadoria, sem deixar de levar em conta as características do produto a ser entregue. Todo esse procedimento é realizado em um minuto e meio, tarefa que manualmente leva cerca de três horas para ser executada.

A solução ainda conta com algoritmos que proporcionam segurança à carga e ao motorista indicando se o caminhão passará por regiões onde há maior ameaça de risco para o transporte. “Benefício muito pertinente nos dias de hoje devido ao crescimento do número de roubo de cargas nas estradas brasileiras”, conta Fabrício Santos, gerente de mercado da companhia.

Para o presidente da Máxima Sistemas, Wagner Patrus, o mercado atacadista distribuidor tem focado em projetos que, além de reduzir o custo de suas operações, também propiciem maior produtividade, equação que se tornou indispensável para ser mais competitivo. “Nossa estratégia surge no momento em que a tecnologia volta a ser a mola propulsora para as empresas ampliarem sua capacidade de atuação frente ao novo cenário econômico”, finaliza Patrus.

Tags, , ,

Grupo New Space anuncia parceria com a Superare para oferta de chatbots

O Grupo New Space, um dos líderes em serviços de tecnologia para o setor financeiro no Brasil, anuncia a sua entrada no mercado de chatbots, com o lançamento de uma aplicação que oferta financiamentos de veículos de forma 100% digital. A ampliação do portfólio de serviços é propiciada pela parceria da companhia com a Superare, empresa brasileira pioneira na oferta de soluções conectadas com plataformas de notificações via redes sociais, como Messenger Bots do Facebook, Google e Twitter.

“Ficamos bastante interessados nas soluções apresentadas pela Superare e fechamos a parceria para lançar esse chatbot. Trata-se de uma plataforma de conversação integrada diretamente ao Facebook Messenger que utiliza as tecnologias Cognitive Services e o Serviço de Linguagem Natural e Machine Learning (LUIS), ambas da Microsoft”, afirma Fernando Adriano, Diretor de TI do Grupo New Space.

Rômulo Barbosa, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Superare, demonstra uma expectativa muito positiva com a parceria: “O Grupo New Space conhece com propriedade as operações e processos no mercado financeiro. Juntando isso à nossa capacidade de desenvolvimento de bots, tenho certeza que o acordo será muito benéfico para ambos. Em pouco tempo, já desenvolvemos uma ferramenta inovadora, que agrega inteligência de coleta de informações com um canal de interação para possíveis novos clientes”.

Destinado a instituições financeiras, o primeiro produto fruto dessa parceria vai muito além da simples troca de informações sobre valores e modelos de carros. O processo se inicia com a ativação do bot, que pode acontecer através de voz, imagem, texto, QR code, entre outros. Conforme a interação ocorre, a solução passa a ofertar as melhores propostas de financiamento, de acordo com o perfil do interessado, que tem à disposição uma ferramenta totalmente interativa de suporte para a conclusão do seu negócio. Além do Facebook, o bot pode ser instalado em diversos outros canais, como aplicativos, Skype, site e Telegram.

A novidade é integrada com o Fraud Monitor e o Dossiê Digital, dois produtos da NS Prevention, unidade do Grupo New Space especializada em inteligência cibernética, prevenção a fraudes e análise de riscos. Ambos são responsáveis pela checagem de possíveis irregularidades, trazendo mais segurança durante as negociações. Por conta dessa análise prévia, a instituição financeira recebe um “score” (nota) do possível novo cliente. Assim, consegue repassar as melhores condições de financiamento e de outras ofertas que podem ser agregadas.

“A instituição financeira pode, por exemplo, oferecer cotações de seguro para o veículo. Caso o interessado já seja cliente, é possível até aproveitar um desconto ou uma condição específica. Esse processo já consta no protótipo da nossa solução”, completa Adriano. Outros benefícios destacados pelo executivo são economia com funcionários, agilidade e assertividade para o atendimento aos clientes da instituição financeira.

Chatbots em alta

Pesquisas globais mostram que 75% das empresas planejam construir um bot inteligente para o seu negócio ainda esse ano. Além disso, 67% dos entrevistados acreditam que o uso dos chatbots irão superar o uso de aplicativos móveis nos próximos 5 anos. Outro levantamento de mercado também evidencia o bom momento vivido pela tecnologia de inteligência artificial: até 2020, as pessoas conversarão mais com os chatbots do que com seus próprios cônjuges.

Tags, , ,