Page

Author admin

Apple encerra 2015 como marca líder de smartphones nos Estados Unidos e na China

AED1453898606_581_news_slideshow_image_28x285

Os últimos dados de vendas de smartphone da Kantar Worldpanel ComTech para o último trimestre de 2015, encerrado em dezembro, mostra um crescimento constante do Android nos Estados Unidos e nos EU5 (grupo dos cinco maiores mercados da Europa, que inclui Reino Unido, Alemanha, França, Itália e Espanha), onde o Android alcançou 59% e 71% respectivamente.

“Agora mais do que nunca é interessante destacar a diferença do desempenho do iOS em comparação com a Apple. Como uma fornecedora, a Apple foi capaz de voltar ao topo das listas classificativas nos EUA e na China, enquanto o iOS tem lutado para voltar à cota de mercado vista em 2014 ao lado de uma série de mercados, especialmente nos EUA”, relatou Carolina Milanesi, chefe de pesquisa na Kantar Worldpanel ComTech. “A lealdade a Apple nos Estados Unidos está em seu nível mais alto desde 2012, reforçando o fato que a retenção de clientes não é um problema. No entanto, a aquisição de Android caiu de 13% no último trimestre de 2014 para 11% no mesmo período de 2015, e os que compraram um smartphone da Apple pela primeira vez contribuíram para que os números de vendas globais fossem de 20% para 11% no mesmo período”.

“Na China urbana, a Apple recuperou seu título de marca de smartphone mais vendida com uma cota de 27% e teve os três principais modelos no topo do mercado”, comentou Tamsin Timpson, diretor de visão estratégica da Kantar Worldpanel ComTech Asia. “Huawei se manteve como o mais vendido dentro do ecossistema Android, fisgando 34% das vendas. Xiaomi está agora distante no segundo lugar no ranking, com 10 pontos percentuais abaixo de Huawei.”

“O mercado norte-americano continua sendo bastante competitivo, pois a penetração de smartphones alcançou 65% entre os usuários de telefonia móvel e 84% entre as vendas globais de telefones móveis”, observou Milanesi. “O conjunto de novos compradores disponíveis está encolhendo e a ampla gama de preços do Android ajuda a arrebatar consumidores tardios que procuram seu primeiro smartphone. Durante o trimestre, 31% dos usuários de Android migraram para smartphones, ligeiramente inferiores em relação os 34% registrados no mesmo período de 2014. Esta tendência está impactando tanto o ecossistema Android quanto marcas que oferecem preços mais competitivos, como a Huawei, LG, ZTE e Alcatel, gerando um crescimento na participação do mercado, em detrimento de marcas como Samsung e HTC”.

“Entre os cinco maiores mercados da Europa, a cota de iOS cresceu consideravelmente trimestre após trimestre, mas as vendas não foram suficientes para mostrar o crescimento ano a ano”, disse Dominic Sunnebo, diretor de negócios da Kantar Worldpanel ComTech Europa. “Mais uma vez, a participação do Android foi impulsionada por um ótimo desempenho nos mercados mais conscientes de preço da Espanha e da Itália. O Android registrou também um crescimento ano após ano no Reino Unido pela primeira vez ao longo de 2015, como também aconteceu com Samsung, LG e Huawei”

“Enquanto o entusiasmo pela aquisição de smartphones continua a minguar e os mercados maduros se aproximam da saturação, os fornecedores estão buscando outras formas de impulsionar o crescimento e os lucros”, disse Milanesi. “No entanto, os smartphones não vão desaparecer tão cedo e terão um papel importante no que está por vir, desde VR, wearables até o lar conectado. Fornecedores que querem permanecer nesse negócio precisam continuar desenvolvendo e oferecendo mais serviços atraentes e recursos que promovam engajamento ou terão que encarar o risco de se tornarem irrelevantes no amplo ecossistema que os smartphones estão criando.”

Para ver o resumo dos dados em uma versão HTML e um arquivo PDF opcional, por favor, visite: www.kantarworldpanel.com/global/News/Apple-Ends-2015-as-Leading-Smartphone-Brand-in-U.S.-&-China

Sobre dados de participação do mercado de smartphone OS da Kantar Worldpanel ComTech

Os dados de participação do mercado de smartphone OS da Kantar Worldpanel ComTech fornecem aos meios de comunicação e às empresas acesso aos dados mais atualizados sobre as vendas e a participação dos sistema de operação em smartphones. Essas informações são baseadas em pesquisas extraídas dos painéis de consumo globais da Kantar Worldpanel ComTech. ComTech é o maior painel de pesquisa e rastreamento sobre dados de consumo de telefonia móvel do mundo, conduzindo mais de um milhão de entrevistas por ano apenas na Europa. ComTech rastreia o comportamento em relação à telefonia móvel – incluindo compra do telefone, contas em relação ao tempo de conexão (airtime), fonte de aquisição e utilização. Ele também oferece dados adicionais para promover uma compreensão do que impulsionou as mudanças no mercado e as dinâmicas da percepção dos consumidores. Todos os dados de consumo neste release excluem as vendas da empresa.

Tags, , ,

ICMS no E-commerce: estão querendo quebrar o setor?

O contribuinte brasileiro trabalha em média cinco meses por ano somente para pagar impostos.

Não bastasse isso, temos que lidar com distorções que complicam a vida de quem quer pagar imposto. Milhares de empresas deixam de existir sufocadas pela burocracia brasileira.

O país enfrenta uma grave crise econômica. Não seria hora de desburocratizar e incentivar o empreendedorismo?

Para o Governo Federal, não.

O Conselho Nacional de Política Fazendária – CONFAZ é constituído pelos Secretários de Fazenda, Finanças ou Tributação de cada Estado e Distrito Federal e pelo Ministro de Estado da Fazenda.

A missão do Confaz, conforme descrita em sua página na Internet, é: “promover o aperfeiçoamento do federalismo fiscal e a harmonização tributária entre os Estados da Federação”.

As reuniões do CONFAZ são presididas pelo Ministro da Fazenda ou por representante de sua indicação, então não dá para dizer que a culpa é somente dos estados.

O estrago que o Confaz vem fazendo no comércio eletrônico brasileiro começou em 2011.

Em abril de 2011 o Confaz reuniu as secretarias de fazenda de 21 estados para assinar um documento chamado Protocolo 21.

Esse documento obrigava as lojas virtuais a recolherem impostos nos Estados de destino das mercadorias, ou seja, se não bastasse a carga tributaria já elevada, seria preciso pagar imposto duas vezes.

Graças a uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIn) da qual a ABComm fez parte, tal aberração foi julgada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal em 2014.

Em setembro de 2015 o Confaz ainda não satisfeito, deu mais uma pancada no comércio eletrônico brasileiro, ao editar o Convênio 93/2015 que passou a valer a partir de primeiro de janeiro de 2016.

O convênio alterou de forma profunda a sistemática de recolhimento do ICMS, trazendo insegurança jurídica, encarecimento de produtos, aumento nos custos de conformidade e mais burocracia, inclusive para as empresas optantes do Simples Nacional.

No Convênio, ficam obrigadas as empresas que vendem mercadorias entre estados, a recolherem impostos no estado de origem e no estado de destino.

Veja aqui nosso dossiê sobre o Convênio.

Tal obrigação burocratizou e travou a operação de milhares de lojas virtuais optantes pelo Simples Nacional pois obriga as lojas que vendem entre estados, a recolherem ICMS para ambos os estados, o de destino e o de origem, numa confusão absurda de guias e duplicidades, entre outros problemas causados.

Foi ignorado o direito das empresas do Simples Nacional em terem seu recolhimento de impostos simplificado, direito esse garantido pela Constituiçao Federal (art. 170, inciso IX, e 179 da Constituição).

A ABComm está novamente mobilizada junto a outras entidades em outra Ação Direta de Inconstitucionalidade e em paralelo tenta sensibilizar o Ministério da Justiça de que tal medida causa desequilíbrio no setor além de:

Fechamento de lojas virtuais;
Aumento no desemprego;
Aumento da informalidade.
No dia 19 de janeiro o Presidente da ABComm se encontrou com o Presidente do Sebrae e outras entidades ligadas ao comércio e indústria nacionais, para assinar um ofício que foi entregue em mãos ao ministro da fazenda, Nelson Barbosa.

No Ofício as entidades expõem pontos onde o Convênio 93/2015 desrespeita o que já foi legislado com relação ao Simples Nacional.

O Ofício solicita que seja cancelada a cláusula nona do Convênio 93/2015 e que sejam cumpridas as disposições da LC 123/2006 no que se refere às obrigações das empresas optantes do Simples Nacional.

Também foi solicitado que seja desenvolvido aplicativo informatizado que utilize os dados coletados para emissão de nota fiscal eletrônica e assim facilitem os processos de recolhimento e afastem a emissão de guia do ICMS em duplicidade.

É lamentável que isso esteja ocorrendo novamente num setor que tinha muito potencial de crescimento.

Lojas Virtuais Fechadas = Mais Desemprego = Menos Arrecadação

O consumidor também está sendo prejudicado pois vai pagar mais caro pelas compras online. Os custos operacionais serão repassados, assim como os aumentos nos preços dos produtos.

Preços mais altos = Mais Inflação = Menos Arrecadação

Resumindo, o Governo Federal errou ao intervir no e-commerce através do Confaz, que não tem poder de legislar e alterar a Constituição, causando desequilíbrio entre as empresas e ameaçando um setor que tem grande potencial e vem crescendo no mundo inteiro.

Ninguém ganha com isso a não ser o Confaz que teve sua vida descomplicada.

Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico

Tags,

ClickSoftware desenvolve linhas de negócio personalizadas para o mercado brasileiro de seguros

Para atender o competitivo mercado brasileiro de seguros, no qual o preço final da cobertura e a qualidade da experiência de atendimento do cliente são extremamente importantes, a ClickSoftware disponibiliza uma completa solução personalizada de gestão da força de trabalho em campo. Dividida em três linhas de negócios – Socorro Automotivo, Inspeção Prévia e Assistência Residencial – a solução desenvolvida exclusivamente para o mercado latino-americano gerencia cerca de seis mil técnicos próprios ou terceirizados das maiores seguradoras da região. Empresas como Suramericana na Colômbia e Liberty Seguros no Brasil, entre outras, contam com o agendamento automatizado e otimizado fornecido pela ClickSoftware.

Líder global no fornecimento de soluções para a gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo, as soluções da ClickSoftware oferecem às seguradoras visibilidade e controle sobre toda a cadeia de gestão de serviços e atendimento ao cliente, otimizando a previsão, o planejamento, as alterações, as programações, o agendamento de tarefas e de ordens de serviço, a mobilidade em campo e o gerenciamento em tempo real de funcionários e recursos.

Para a ClickSoftware, o mercado de seguros brasileiro e latino-americano é considerado prioritário (assim como os de telecom, utilities e bens de capital) e já representa cerca de 15% do faturamento da empresa na região.

De acordo com Sérgio Toti, Gerente de Vendas da ClickSoftware para América Latina, “o mercado de seguros é muito competitivo, por isso as seguradoras precisam melhorar a qualidade do atendimento ao cliente, cumprindo os SLAs e disponibilizando um agendamento com horário acordado com o cliente. Este controle aumenta a receita e reduz custos com itens como deslocamentos e visitas dispendiosas. Em média o aumento de produtividade é da ordem de 17%”, destaca Toti.

Linhas de negócio/ Seguradoras

Para atender as necessidades específicas do mercado brasileiro e da América Latina, a ClickSoftware atua em três frentes de negócio distintas.

Na categoria Socorro Automotivo, a solução ClickSoftware é utilizada pelas seguradoras para o despacho de emergência, localizando o socorrista mais adequado e enviando a solicitação de tarefa até ele. Estes atendimentos são direcionados já levando-se em consideração variáveis diversas, como o tipo de veículo necessário, ferramentas e habilidades do técnico, além do tipo de cobertura do segurado e a sua localização. Os clientes das seguradoras que têm o carro quebrado na rodovia e ligam solicitando o socorro, por exemplo, precisam de uma resposta rápida, principalmente se estão em regiões perigosas ou em casos emergenciais. A solução da ClickSoftware automaticamente define qual pedido é mais urgente, baseando-se em regras corporativas pré-definidas, e localiza o socorrista mais adequado para realizar o atendimento o mais rápido possível. Desta forma a seguradora consegue melhor organizar os horários e ocorrências, em associação com a agenda e localização dos seus funcionários próprios ou das empresas terceirizadas. Além disso, a ferramenta envia todos os detalhes do chamado ao socorrista, por exemplo, se a ocorrência é relacionada à bateria do automóvel, o funcionário já recebe todas as instruções sobre a bateria que deve ser levada no atendimento. Já em problemas com veículos grandes (como os modelos SUV) é necessário que a seguradora esteja ciente que o guincho a ser enviado tenha o tamanho adequado, orientação passada automaticamente pela solução Clicksoftware.

A segunda frente de atuação da companhia é denominada Inspeção Prévia. Neste contexto, a tecnologia da ClickSoftware é utilizada para o controle de processos de inspeção veicular, que ocorrem quando o cliente adquire uma apólice de seguro pela primeira vez. O avaliador tem sua agenda controlada pelo sistema e utiliza a solução móvel da ClickSoftware não somente para reportar o status da tarefa, mas também para anexar as fotos do veículo e preencher formulários sobre os danos existentes. Assim, antes da assinatura da apólice, a seguradora envia o perito, que avalia uma lista de itens que influenciam no valor final do seguro.

A última linha de negócios da ClickSoftware para o mercado de seguros brasileiro é a de Assistência Residencial. As seguradoras, normalmente, possuem sua própria rede de profissionais, incluindo encanadores, eletricistas, técnicos de eletrodomésticos, entre outros. A solução ClickSoftware encarrega-se do agendamento de horários e otimização da agenda desses profissionais, agendando a visita do técnico em data e horário definidos pelo cliente. Assim como nas demais frentes de atuação, o objetivo maior da automatização do gerenciamento da força de trabalho em campo é o agendamento do maior número de ocorrências possível, no menor espaço de tempo. Com este intuito, a solução da ClickSoftware gerencia, inclusive, as peças que os técnicos utilizam durante as visitas e sempre envia o profissional mais habilitado para atender a ocorrência. Assim que o técnico finaliza o atendimento, este realiza a leitura do código de barras da peça, anexa as fotos do equipamento que foi arrumado ou substituído e dá baixa no sistema.

Tags,

Integra Optics implanta fábrica de produtos de fibra óptica no Brasil

view

Os executivos do Grupo Integra Optics anunciaram hoje, nos Estados Unidos, o lançamento da sua primeira unidade de produção internacional em Piracicaba, São Paulo.

O lançamento da expansão internacional e a implantação da nova fábrica ocorrem durante a Feira Metroconnect 2016 que acontece em Miami. No mesmo evento, a empresa também anunciará o primeiro astronauta brasileiro Marcos Pontes, como o embaixador da marca Integra Optics.

A fábrica de produtos e componentes para fibra óptica será a primeira unidade na região de Piracicaba e seu processo será auto-sustentável, com uma equipe de engenheiros própria, que fornecerão aos clientes transceptores ópticos de alta qualidade 100% compatíveis com OEMs, componentes passivos e de rede HFC. Com grande investimento, a empresa estima gerar mais de 100 empregos direitos e indiretos. Em fevereiro, será realizado um evento oficial no Brasil para a Imprensa, empresários e personalidades.

Toda a linha de produtos da Integra Optics é submetida a testes de qualidade de acordo com padrões certificados pela ISO9001 e os produtos recebem a codificação personalizada, para garantir a compatibilidade com as plataformas específicas dos clientes. Temos uma vasta gama de transceptores compatíveis como QSPF, CFSP, CFP, GBIC, SFP, SFP+, X2, XENPAK, XFP, XFP ajustáveis, bem como GPON. Integra Optics é renomada nacional e internacionalmente pela grande variedade de transceptores 10G, com todas as variáveis positivas para entrega durante a noite e o seu pronto-uso diretamente fora da caixa.

A Integra Optics tem em sua equipe engenheiros técnicos e especialistas em programação que trabalham para garantir que nossos produtos são totalmente compatíveis com as principais marcas. Todos os nossos equipamentos são testado em nossa fábrica e cobertos pela garantia Integra Optics.

Em seu portfólio são produzidos equipamentos, aparelhos e componentes para atender o mercado de fibra óptica como condutores, receptores, switchers, transceiver, plugs e jumpers, smartcoder e outros itens que exigem excelente qualidade, design e performance. O grupo também lançou recentemente a IntegraLED, joint venture focada em produtos com a tecnologia LED, considerada a tendência para o futuro em Tecnologia.

“Existe uma imensa demanda no Brasil para a expansão das telecomunicações e banda larga adicional à medida que cada vez mais consumidores estão usando a Internet e os usuários comerciais estão migrando para a nuvem”, disse Jeff DeWeese, Diretor de Operações da Integra Optics. “Atualmente, o Brasil é o 5º país em número de usuários da Internet e é projetado um crescimento de mais de 5% desse número em 2016. Nossa unidade do Brasil se baseia no modelo que fomentou nosso sucesso nos EUA e está apta a satisfazer a essa demanda. A fábrica é nossa primeira unidade de engenharia, codificação personalizada e produção com inventário significativo e é a única unidade de operação de componentes especiais para redes de fibra óptica no Brasil.”

Segundo o Diretor Executivo da divisão Integra Optics no Brasil, Odilon Claro de Oliveira Jr “…com o estabelecimento da INTEGRA OPTICS no Brasil, além de evitarmos a saída de divisas, passaremos a exportar para as Américas do Sul e Central e gerar empregos no pais, justamente na contra mão do cenário econômico atual. A tecnologia não pode esperar por ajustes temporários na economia. Se parar, já está regredindo! Temos aqui uma empresa estruturada, com estoque robusto e com uma operação logística moderna, garantindo aos nossos clientes rapidez no recebimento do seu pedido.”

ASTRONAUTA BRASILEIRO É O EMBAIXADOR DA MARCA

Aliando a credibilidade e experiência adquirida como astronauta, piloto e engenheiro, Marcos Pontes foi escolhido pela empresa para atuar como consultor e Embaixador da Marca no Brasil. Marcos auxiliará na conscientização da marca, no desenvolvimento de novas estratégias de negócios, na criação de novas oportunidades de negócios e parcerias. Assista o vídeo:

“Acredito que investimentos em educação, ciência e infraestrutura de tecnologia sejam importantes para o futuro do Brasil”, observou Pontes. “Portanto, quando vejo uma empresa como a Integra Optics crescendo, oferecendo excelentes produtos com alta tecnologia agregada, abrindo vagas de empregos e fazendo investimentos financeiros no meu país, quero colaborar para que ela tenha sucesso e beneficie as pessoas do Brasil e da América do Sul. Tenho a honra de estar associado a essa equipe.”

INVESTIMENTO SOCIAL NO BRASIL

Além da implantação de uma fábrica no país, o grupo Integra Optics atuará em ações de Responsabilidade Social em parceria com a Fundação Astronauta Marcos Pontes. Seguindo o exemplo da sede nos EUA que já realiza várias atividades de cunho social, a unidade brasileira prestigiará o investimento e patrocínio de ações sociais com a fundação e também com outras entidades não governamentais.

FIBRA ÓPTICA ESTÁ EM ALTA

Em março de 2015, o ministério das Comunicações, divulgou a intenção para aumentar de 197 para 300 milhões de acessos e atingir 90% dos municípios brasileiros até 2018, alcançado 45% dos domicílios urbanos utilizando a fibra óptica como estratégia para atingir estas metas, prevendo que este mercado crescerá até 2020.

Segundo um estudo realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2013, o Brasil tem o potencial de triplicar o mercado de fibra óptica até 2018. Essa afirmação constatou que o mercado interno brasileiro está em crescimento e vai demandar em investimento na produção de componentes e acessórios. Além disso, o banco aprovou linhas de créditos para fomentar o segmento, ampliando a competitividade para pequenos e médios provedores e elevando interesse de novos investidores para o setor.
O mercado brasileiro cresceu 7,4% em 2015, tornando-se o sexto maior mercado com US$ 81 bilhões em negócios, de acordo com a empresa de consultoria International Data Corporation (IDC).

Tags, , , ,

Mudanças no ICMS em 2016 – Quais são os impactos para os empreendedores?

Em vídeo produzido pela Associação Comercial de São Paulo, Ulisses Ruiz de Gamboa, economista da ACSP, comenta sobre as alterações nas regras de cobrança do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). As novas regras criaram muita burocracia e geraram uma grande polêmica no brasil. Vale a pena conferir os comentários no vídeo.

Tags, ,

Relatório Anual da Arbor Networks sobre Segurança da Infraestrutura Global revela ambiente de ameaças contínuas

A Arbor Networks Inc., divisão de segurança da NETSCOUT (NASDAQ: NTCT), divulga seu 11º Relatório Anual sobre Segurança da Infraestrutura Global (WISR – Worldwide Infrastructure Security Report), com informações recolhidas diretamente da comunidade mundial de operações de segurança sobre uma ampla gama de questões, que vão desde detecção de ameaças e resposta a incidentes até aspectos relativos a equipes, orçamentos e relacionamento com parceiros. Pela primeira vez, as organizações empresariais, governamentais e educacionais representaram quase metade dos participantes; 52% dos participantes são provedores de serviço. O relacionamento de longa data da Arbor com seus clientes e sua reputação como consultora e provedora de soluções é o que torna possível este relatório anual.

“Um ambiente de ameaças em constante evolução é um fato reconhecido pelos participantes da pesquisa”, observa o Chief Security Technologist da Arbor Networks, Darren Anstee. “Este relatório oferece amplas informações sobre os problemas enfrentados cotidianamente pelos operadores de rede em todo o mundo. Ele lembra que a tecnologia é apenas uma parte da história, uma vez que segurança é um esforço humano, com adversários competentes de ambos os lados. Graças às informações de operadores de rede em todo o mundo, podemos oferecer informações sobre pessoas e processos, proporcionando uma imagem muito mais rica e nítida sobre o que ocorre nas linhas de frente”.

As cinco principais tendências em ataques DDoS

Mudança na motivação dos ataques: No ano de 2015, a principal motivação não foi hacktivismo ou vandalismo, mas “criminosos demonstrando capacidade de ataque”, algo normalmente associado a tentativas de extorsão.

O tamanho dos ataques continua crescendo: O maior ataque registrado foi de 500 Gbps, havendo também ataques de 450 Gbps, 425 Gbps e 337 Gbps. Em 11 anos desta pesquisa, o tamanho do maior ataque cresceu mais de 60 vezes.

Ataques complexos em ascensão: 56% dos participantes relataram ataques multivetor direcionados à infraestrutura, aplicações e serviços simultaneamente, contra 42% no ano anterior; 93% relataram ataques DDoS na camada de aplicação. Agora, o serviço mais comumente visado pelos ataques em camada de aplicação é o DNS (em vez de HTTP).

Nuvem sob ataque: Dois anos atrás, 19% dos participantes observaram ataques direcionados aos seus serviços baseados na nuvem. Os números cresceram para 29% em 2014 e para 33% agora. De fato, 51% dos operadores de data center observaram ataques DDoS saturarem sua conectividade à Internet. Houve também um grande aumento no número de data centers que observaram ataques a partir de servidores dentro de suas redes: 34%, comparando-se a 24% no ano anterior.

Falhas nos firewalls durante ataques DDoS:Mais da metade dos participantes empresariais relataram falha de firewall resultante de um ataque DDoS, em comparação a um terço no ano anterior. Firewalls em linha encarregados de verificar o estado das conexões aumentam a superfície de ataque, sendo provavelmente as primeiras vítimas de um ataque DDoS, tendo sua capacidade de monitorar conexões esgotadas. E, uma vez que estão em linha, podem também contribuir para maior latência na rede.

As cinco principais tendências em ameaças avançadas

Foco em melhores respostas: 57% das empresas buscam implementar soluções para acelerar os processos de resposta a incidentes. Entre os provedores de serviços, um terço reduziu o tempo necessário para descobrir uma Ameaça Persistente Avançada (APT) em sua rede para menos de uma semana, e 52% declararam que seu tempo entre descoberta e contenção foi reduzido para menos de um mês.

Melhor planejamento: Em 2015 aumentou a proporção de empresas participantes que desenvolveram planos formais de resposta a incidentes e dedicaram recursos para responder a esses incidentes: 75%, contra dois terços no ano anterior.

Invasores em foco: A proporção de participantes empresariais observando invasores maliciosos subiu para 17% (em comparação a 12% no ano anterior). Quase 40% dos participantes empresariais ainda não têm uma solução implementada para monitorar dispositivos BYOD em sua rede. A proporção dos que relatam incidentes de segurança relacionados ao BYOD dobrou para 13%, contra 6% no ano anterior.

A questão das equipes: Houve uma queda significativa na proporção de participantes que buscam aumentar suas equipes internas para melhorar a prontidão e resposta a incidentes, de 46% para 38%.

Crescente dependência de suporte externo: A falta de recursos internos levou a um aumento no outsourcing de serviços gerenciados e de suporte, com 50% das empresas tendo contratado uma organização externa para a resposta a incidentes. Essa proporção está 10% acima do percentual relacionado aos provedores de serviços. Entre os provedores de serviços, 74% relataram ter observado maior demanda dos clientes por serviços gerenciados.

Escopo da pesquisa

354 respostas, contra 287 para o relatório anterior, de um mix de provedores de serviço Tier 1 e Tier 2/3, hospedagem, serviços móveis, empresas e outros tipos de operadores de redes de todo o mundo.
Consistentemente com os anos anteriores, a maioria das respostas (52%) veio dos provedores de serviços.

Pela primeira vez nos 11 anos de história desta pesquisa, quase metade dos participantes (48%) pertence a outros tipos de organização, proporcionando uma perspectiva mais diversificada quanto aos diversos tipos de redes. Essa porcentagem é maior que os 40% de 2014 e 25% de cinco anos atrás.
As organizações empresariais estão muito bem representadas, com 38% do total de participantes. Os outros participantes não provedores de serviços são instituições governamentais (6%) e educacionais (4%).

Os dados desta pesquisa cobrem o período de novembro de 2014 a novembro de 2015.

Tags, ,

Verint é eleita uma das maiores fornecedoras de software e serviços do mundo

A Verint® Systems Inc., uma das maiores empresas de software do mundo, comemora sua colocação entre os 100 maiores fornecedores de Software e Serviços do mundo, de acordo com o ranking “Software 500” da revista Software Magazine.

Atualmente em sua 33ª edição, o “Software 500” é um ranking anual destinado a empresas de grande e médio porte, profissionais de TI, desenvolvedores de software e gestores de negócios envolvidos na compra de software e serviços. A Verint está na 92ª posição na categoria “Inteligência de Negócios/Analítica*”.

“O Software 500 foi elaborado para auxiliar CIOs, gestores estratégicos e pesquisadores de TI com uma lista de parceiros para negócios. O ranking é uma referência rápida sobre a viabilidade dos fornecedores”, afirma Thomas Tetreault, editor e chefe de redação da Software Magazine. “Além da nossa publicação impressa que destaca a lista completa das 500 empresas, pessoas e organizações podem acessar a versão on-line em softwaremag.com. É o que chamamos de catálogo on-line de software empresarial.”

Tags, ,

Novo IDC MarketScape posiciona a Accenture/Avanade como líder em serviços de implementação de aplicativos em Microsoft Enterprise

A Accenture (NYSE: ACN)/ Avanade foi reconhecida pelo IDC MarketScape como uma líder em serviços de implementação de aplicativos em Microsoft Enterprise no mundo todo, com base tanto em suas capacidades atuais como em suas estratégias para o futuro.

O relatório “IDC MarketScape para Ecossistema Mundial de Serviços de Implementação de Aplicativos para Microsoft Enterprise”, (doc # US40150215, dezembro de 2015), avaliou 10 dos principais provedores de Serviços de Implementação de Microsoft Enterprise em aplicativos como Microsoft Dynamics, Microsoft Power BI, Microsoft System Center, Visual Studio, Microsoft Azure, Microsoft Social Engagement, Office 365, Microsoft Intune, Exchange Server, Skype para Empresas e SharePoint. A Accenture/Avanade foi avaliada como entidade única neste relatório porque suas estratégias, incluindo o go-to-market, e capacidades para serviços Microsoft são extremamente integradas.

A Accenture/Avanade recebeu uma classificação alta por parte de compradores, com base em uma série de fatores, incluindo um feedback de pesquisa muito positivo de clientes e a capacidade combinada das empresas de atingir os resultados desejados de negócios com insights funcionais e competência.

“Ser reconhecida como líder é uma comprovação do diferencial exclusivo que a Accenture e a Avanade trazem aos clientes em estratégia, capacidades e serviços Microsoft”, diz Paul Daugherty, diretor de tecnologia da Accenture e presidente do conselho da Avanade. “Essa validação do IDC MarketScape também acontece no momento em que a Microsoft está fortalecendo sua posição no mercado corporativo de tecnologia, e ilustra nosso compromisso de ajudar clientes a atingirem resultados significativos de negócios na plataforma Microsoft”.

“Essa posição de liderança no IDC MarketScape ressalta nosso histórico de sucesso como principal inovador digital na plataforma Microsoft”, declara Adam Warby, presidente da Avanade. “Como vencedoras conjuntas do prêmio Parceiro do Ano Microsoft pela 11ª vez no ano passado, a Avanade e a Accenture estão claramente posicionadas para ajudar as organizações a obterem resultados e aproveitarem o potencial do mundo digital”.

Tags, , , ,

Ford anuncia a terceira geração do Sync no Brasil, que abre uma nova era de conectividade nos veículos

view.aspx

A Ford vai lançar este ano no Brasil a terceira geração do sistema de conectividade SYNC, com novidades que trazem a mesma funcionalidade dos smartphones para dentro dos carros e um desempenho altamente intuitivo. A novidade foi anunciada pela empresa hoje em São Paulo, na abertura da Campus Party. O SYNC 3 permite o acesso por comando de voz a diversos aplicativos de uso diário, além de velocidade na conexão com os recursos do celular, entretenimento e navegação.

O SYNC 3 é compatível com os sistemas CarPlay, da Apple, e Android Auto, do Google, para interação com os novos smartphones e aplicativos. O sistema de navegação traz uma interface gráfica renovada, com mapa em 2D e 3D, atalhos para os destinos mais frequentes e comandos de toque semelhantes aos dos smartphones. O campo de busca completa o nome quando se inserem as primeiras letras, usando o banco de dados.

O projeto do SYNC 3 valoriza a simplicidade, com menos itens na tela para tornar o controle mais fácil e sem a necessidade de desviar a atenção do motorista. Os ícones e áreas de toque são maiores e os menus, mais simples. As três opções que os clientes mais usam – áudio, telefone e navegação – estão sempre disponíveis. Os contatos telefônicos são acessados por um único toque na agenda alfabética e bastam dois passos para reproduzir uma música.

Campus Party

“A Ford tem participado dos maiores eventos de tecnologia do mundo e no Brasil não poderia ser diferente. Estamos muito satisfeitos em ser, pelo quarto ano consecutivo, a única fabricante de automóveis presente na Campus Party, principal feira de tecnologia do Brasil”, disse Steven Armstrong, presidente da Ford América do Sul.

Presente em mais de 15 milhões de veículos no mundo, o SYNC é líder da indústria e peça central do plano da Ford para ser não só uma fabricante de veículos, mas uma empresa de automóveis e de tecnologia voltada para a mobilidade.

O objetivo da empresa é estreitar o relacionamento com os desenvolvedores que estão na linha de frente das tendências tecnológicas para incentivar a criação de novas soluções em conectividade, carros autônomos, mobilidade, experiência do consumidor e análise de dados.

Ouvindo o consumidor

Além de desempenho mais rápido, o SYNC 3 traz uma tecnologia de reconhecimento de voz aprimorada, gráficos mais fáceis de visualizar e comandos de tela intuitivos, semelhantes aos dos smartphones e tablets, podendo também ter seus programas atualizados por wi-fi ou USB.

“O SYNC 3 cria um novo patamar de tecnologia e conectividade em sistemas multimídia no mercado e a engenharia brasileira teve uma participação ativa no seu desenvolvimento”, explicou Caspar Hohage, diretor de Desenvolvimento do Produto da Ford América do Sul.

No desenvolvimento da nova geração do SYNC, a Ford ouviu cerca de 22.000 comentários e sugestões de clientes em clínicas e pesquisas, o maior número já envolvido em qualquer produto ou acessório da marca. Em vez de concorrentes do segmento automotivo, esse trabalho usou como referência smartphones e tablets para definir as expectativas dos consumidores.

A conectividade tornou-se um fator importante na decisão de compra dos automóveis e hoje todas as linhas da Ford no Brasil, incluindo Ka, New Fiesta, Focus, Fusion, EcoSport, Edge e Ranger, contam com a disponibilidade do sistema SYNC. A primeira geração do equipamento foi lançada em 2007 na América do Norte e chegou ao Brasil no ano seguinte.

Desde então, a Ford lidera o desenvolvimento da conectividade em veículos, usando a conexão Bluetooth e comandos de voz para o motorista poder ouvir música, falar no telefone ou acessar seus aplicativos com segurança, mantendo as mãos na direção e os olhos na pista.

Ford Garage Lab

Outras atrações da Ford na Campus Party são a exposição do novo Focus, líder dos hatches médios, equipado com sistema SYNC, e o Ford Garage Lab, instalação em formato de laboratório experimental montada em seu estande. A marca vai convidar os “campuseiros”, como são chamados os participantes da feira, a pensar em soluções inovadoras relativas ao mundo automobilístico. No desafio “O que você é capaz de criar em 90 minutos?” eles terão à disposição ferramentas como módulos eletrônicos para colocar em prática suas ideias.

Tags, , , ,

Salesforce lança serviços de marketing em nuvem para varejistas

A Salesforce (NYSE: CRM), líder mundial em plataformas de gerenciamento de relacionamento de clientes (CRM), anunciou no National Retail Federation (NRF) Big Show 2016 dois novos serviços do Salesforce Marketing Cloud para varejistas – o Salesforce Strategic Framework for Retail Customer Journeys e o Strategic Retail Professional Services para interações personalizadas (marketing 1:1), mais inteligentes com seus clientes. Estes novos serviços unem o CRM Nº 1 do mundo com a expertise em transformação setorial e na nuvem para ajudar os varejistas a aumentar as receitas através da personalização de seus engajamentos com clientes.

Os varejistas que oferecerem uma perfeita experiência personalizada ao cliente tanto na loja como online sairão na frente dos outros*. De fato, o recente relatório “Connected Shoppers Report” da Salesforce mostrou que 24% dos compradores gostariam que os varejistas soubessem quem são ao entrarem em lojas com tecnologias baseadas em localização. Quase metade (49%) dos entrevistados estão dispostos a compartilhar com as marcas os seus dados e perfis nas mídias sociais para receberem um melhor atendimento. Isto representa uma oportunidade sem precedentes para os varejistas construírem ligações mais profundas com seus clientes e acelerarem o crescimento de seus negócios.

Salesforce Marketing Cloud: Entregue aos clientes experiências personalizadas mais inteligentes e em escala

O Salesforce Marketing Cloud é um hub de marketing digital que possibilita aos profissionais de marketing planejar, personalizar e otimizar o marketing 1:1 com os clientes em múltiplos canais. Ele reúne tudo aquilo que é importante para os profissionais de marketing – uma visão completa do cliente, conteúdo, personalização, todos os canais de marketing digital (e-mail, celular, web, aplicativos, mídias sociais, publicidade) e o poder da interação com o cliente. Ao cultivar os clientes através de interações acionadas e automatizadas, bem como recolher dados para desenvolver futuras campanhas mais personalizadas, os varejistas podem envolver os clientes de uma forma mais inteligente e prever a probabilidade de eles realizarem ações específicas.

Entre os novos serviços para os varejistas estão:

Salesforce Strategic Framework for Retail Customer Journeys: a Salesforce oferece agora a Estrutura Estratégica da Salesforce para Experiências de Clientes de Varejo, uma abordagem colaborativa única para ajudar os varejistas a projetar suas interações com os clientes e a executar programas de engajamento digital. Através de entrevistas e workshops cuidadosamente projetados, o Strategic Framework ajuda os varejistas a definir metas digitais, avaliar os programas existentes e identificar e priorizar oportunidades para acelerar a receita. A Salesforce colabora com os varejistas que usam ferramentas comprovadas como análise de path-to-value, e-mail e modelos de conteúdo para mobile marketing, melhores práticas de personalização, e implantação de conjuntos de ferramentas específicas dentro de subverticais do varejo como mobiliário, vestuário/acessórios e mercearia/medicamentos.

Salesforce Strategic Retail Professional Services: Uma vez que os varejistas tenham passado pela Estrutura Estratégica, eles podem utilizar os Serviços Estratégicos Profissionais de Varejo da Salesforce para implantar programas de marketing digital e gerir interações com clientes de varejo. Com base em sua ampla experiência no setor e nas melhores práticas, a Salesforce oferece o CRM Nº 1 do mundo juntamente com a expertise em transformação setorial e de nuvem para ajudar os varejistas a se conectarem de novas maneiras com seus clientes.

“Com o Salesforce Strategic Framework for Retail Customer Journeys e o poder da Plataforma de Sucesso da Salesforce, os varejistas contam com um caminho claro para aumentar as receitas através da personalização e automatização dos seus engajamentos com clientes”, disse Scott McCorkle, CEO do Salesforce Marketing Cloud. “E, com os nossos serviços profissionais de varejo, cada varejista tem acesso a um exército de especialistas em experiência do cliente, cientistas de dados e engenheiros que os ajudam a exceder as expectativas dos clientes”.

“Uma das peças mais importantes do nosso negócio é criar uma experiência integrada para os clientes, porém isso pode representar um desafio quando mesclamos a experiência online com a atenção personalizada que os clientes receberiam em uma visita à loja”, disse Kimberly Ruthenbeck, diretora de experiência da web do cliente da Room & Board. “O Salesforce Marketing Cloud nos permitiu uma comunicação individualizada com os nossos clientes, e assim pudemos proporcionar a eles uma experiência personalizada de criação de um lar perfeito, que é diferente para cada pessoa”.

Salesforce Marketing Cloud: crie experiências mais inteligentes de clientes de varejo

Com a Estrutura Estratégica para Clientes de Varejo, os varejistas podem trabalhar em parceria com a Salesforce para otimizar os seus engajamentos com clientes através do uso da tecnologia de Cloud Marketing, que compreende:

Journey Builder: Conduza os clientes por experiências personalizadas em marketing, vendas, atendimento e muito mais, unindo a voz da marca e proporcionando uma experiência integrada. Personalize cada interação com base em ações específicas do cliente, para entregar um conteúdo oportuno e relevante que chegue aos clientes quando, onde e como prefiram.

Audience Builder: Os varejistas não precisam mais construir manualmente bancos de dados personalizados para conectar diferentes sistemas. Esta plataforma de dados de clientes poderosa e fácil de usar mune os varejistas com listas de campanhas por segmento-alvo baseadas em múltiplos e complexos atributos de clientes. O Audience Builder inclui mais de 30 atributos de segmentação já prontos para varejistas, com dados de comércio eletrônico, histórico de pedidos e métricas de valores de toda a vida do cliente. Por exemplo, se um varejista quisesse segmentar a entrega de novas ofertas para os clientes com base no valor médio de pedido, um cliente com um valor médio mais elevado poderia receber uma oferta melhor, como um desconto de 30% ao invés de 15%.

Conteúdo: As empresas podem executar campanhas por e-mail, celular, marketing social e web, juntamente com a publicidade digital. Com uma localização central para gerir imagens, vídeos, textos, modelos e mensagens, os times de marketing podem se valer de conteúdo, ofertas e componentes em todos os canais.

Personalização: Crie perfis comportamentais individuais para cada contato e linhas de assunto e conteúdo dinâmicos usando os atributos dos clientes. Com o uso de aprendizagem de máquina para conduzir interações preditivas e adaptativas em toda a experiência do cliente, as empresas podem usar ricos algoritmos para distribuir conteúdo personalizado em todos os canais.

Análises: Analise os dados do cliente e o desempenho do público, testando e medindo o sucesso das campanhas, do conteúdo e outros para otimizar as experiências. O time de marketing também pode configurar relatórios analíticos personalizados, alinhados com os objetivos do negócio.

Os líderes globais entregam experiências personalizadas de clientes em escala com o Salesforce Marketing Cloud

Na Cyber Monday de 2015, os clientes do Marketing Cloud enviaram mais de 2,3 bilhões de e-mails usando o Marketing Cloud, um volume 44% maior que o de 2014 e com um aumento de 77% na média diária de novembro. Na Black Friday de 2015, o Marketing Cloud chegou à marca de 191 milhões de e-mails enviados em uma única hora.

Tags, , ,

Ministério divulga novo cronograma para desligar TV Analógica

O Ministério das Comunicações (MC) publicou hoje um novo cronograma de transição do sinal de TV analógico para o digital no Brasil. A portaria nº 378 estabelece que a implantação da TV digital vai começar com o projeto-piloto na cidade goiana de Rio Verde no dia 15 de fevereiro próximo. Ainda em 2016, Brasília será a única capital que migrará totalmente para o sinal digital. A capital federal e cidades do entorno do Distrito Federal vão fazer a transição em outubro deste ano.

No decorrer de 2017 será a vez de todas as capitais da Região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória), Goiânia, Salvador, Recife e Fortaleza. Outras cidades do estado de São Paulo e do Nordeste também passarão pela mudança no próximo ano.

Já em 2018, a transição para o sinal de TV digital vai incluir as capitais e importantes cidades das Regiões Sul, Centro-Oeste e Norte, todo o interior dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. O Ministério das Comunicações vai publicar em outras portarias a relação dos demais municípios afetados pela transição para o sinal digital.

Para o secretário de Comunicação Eletrônica do MC, Roberto Pinto Martins, a portaria faz um ajuste no cronograma de implantação da TV digital levando em consideração os grandes eventos que vão ocorrer no país até 2018. “Teremos as eleições municipais e Olimpíadas neste ano, além de novas eleições e outra copa em 2018. Todos esses eventos têm uma participação fundamental da TV aberta.”

Campanha

A portaria também intensifica a divulgação que as redes de televisão terão de fazer para avisar os telespectadores sobre o desligamento. A campanha de alerta terá início um ano antes da data prevista para a transição em cada cidade.

O número de inserções do logotipo – indicação de que se trata de uma transmissão analógica – e de tarjas informativas sobre o desligamento vai aumentar à medida em que se aproxima a data-limite para o fim das transmissões analógicas.

Além disso, 180 dias antes do prazo final, começarão a ser exibidos cartelas informativas, e 75 dias antes, vídeos informativos aos telespectadores. As localidades onde o desligamento vai ocorrer neste ano, terão 30 dias para se adequar às novas regras. Esse é o caso de Brasília e outras nove cidades do entorno do DF.

O Ministério das Comunicações estabelece que durante a campanha sobre o desligamento as emissoras de TV vão ter de adotar a proporção de tela de 16:9 (formato widescreen) em suas transmissões. Com exceção, se as emissoras assim desejarem, dos programas jornalísticos, espaços destinados à publicidade comercial e programas originalmente produzidos no formato de imagem 4:3.

Para o secretário de Comunicação Eletrônica, o objetivo de intensificar a comunicação é para reforçar junto à população de que a transição para o sinal digital é uma evolução importante da comunicação. “A população está informada sobre o desligamento, mas não tem a percepção de que é uma evolução das telecomunicações.”

Cobertura

O documento mantém como condição para o desligamento da TV analógica que 93% dos domicílios do município tenham garantida a recepção do sinal digital. O Gired – grupo responsável pela transição dos sistemas – poderá recomendar ao ministério, por decisão unânime, a alteração desse percentual.

O Gired terá de apresentar ainda ao MC um relatório trimestral sobre o processo de transição do sistema analógico de TV para o digital. Além disso, o Ministério poderá requerer, a qualquer momento, um detalhamento sobre o andamento dos trabalhos.

A portaria nº 378/2016, divulgada hoje, unifica e revoga outras cinco portarias publicadas sobre o processo de transição da tecnologia de TV, em 2014 e 2015, pelo ministério.

Fonte: Ministério das Comunicações

Tags, ,

SAP divulga crescimento de dois dígitos na América Latina em 2015

Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina

Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina

A SAP anuncia os resultados do ano fiscal de 2015 na América Latina, em que as soluções relacionadas com a transformação digital dos clientes da região desempenharam um papel fundamental. A empresa registrou um crescimento de dois dígitos da receita de vendas de software em nuvem.

A plataforma de processamento de dados em tempo real SAP HANA teve grande adesão na região, puxada pelas vendas da solução de gestão S/4HANA, lançada no início do ano passado. A América Latina é uma das principais responsáveis pelos 2.700 clientes em todo o mundo que adotaram o software.

Um grande impulsionador do aumento da receita em nuvem foi a Ariba (uma empresa da SAP), cujas soluções para fortalecer redes eletrônicas para compra e vendas entre empresas e fornecedores, alcançaram um elevado nível de adoção. As expectativas do mercado crescem cada vez mais. De acordo com dados da consultoria de mercado IDC, os varejistas latino-americanos devem investir 30% a mais no desenvolvimento do comércio eletrônico este ano e os gastos em transações eletrônicas na região alcançarão US$ 68,8 bilhões.

“As oportunidades são infinitas no contexto da economia digital e as empresas da região estão se preparando para competir com mais força nesse novo mundo dos negócios”, diz Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina. “Estamos mantendo nosso foco nos clientes, ouvindo suas demandas e fornecendo soluções adaptadas aos seus negócios para ajudá-los a navegar pela transformação digital”, acrescentou.

Em uma classificação por país, o crescimento no Brasil teve um destaque particular. Apesar da situação adversa do mercado, algumas empresas, como a Embraer, estão abraçando a inovação como a melhor maneira de se recuperar e crescer. A empresa de capital misto criada em 1969, que fabrica aviões comerciais, executivos, militares e de uso agrícola, escolheu a solução SAP HANA para evitar a obsolescência técnica, considerando a próxima década, e garantir o cumprimento das normas ITAR (regulação sobre o tráfico internacional de armas) com um impacto mínimo em suas operações.

As soluções on-premise (adquiridas com a compra de licenças de uso de software), que compõem um negócio tradicional da empresa, tiveram um aumento de dois dígitos durante o quarto trimestre de 2015, um fato inédito considerando que se trata de um segmento em que o mercado total está apresentando queda. Nessa área, houve uma grande atuação do Brasil e também do Chile e da América Central.

Em uma análise por setor de atividade, as áreas que mostraram crescimento mais relevante foram Saúde, Varejo e Telecomunicações.

O segmento das pequenas e médias empresas, que representa 80% do total de clientes da empresa na região da América Latina, experimentou um crescimento de dois dígitos.

Globalmente, a SAP reportou durante o ano fiscal 2015 um crescimento de 12% em moeda constante nas receitas de software e soluções de nuvem, superando a previsão de crescimento que era de 8% a 10% em moeda constante. Novas vendas de assinaturas de nuvem – um indicador-chave do sucesso da SAP na nuvem – cresceram 103% no ano fiscal de 2015, atingindo € 890 milhões.

Tags,

Como uma startup brasileira pode revolucionar a Educação no Brasil e no mundo

Estimativas da OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) indicam que, na última década, metade do crescimento econômico nos países desenvolvidos foi devido a habilidades em educação melhoradas.

Segundo a Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para a Educação Básica do MEC, para melhorar as habilidades em educação é indiscutível a importância do experimento na fixação dos conteúdos e o valor do laboratório como fonte essencial do desenvolvimento pedagógico do educando faz parte de um desafio para as políticas públicas. O órgão destaca ainda que em grande parte das escolas brasileiras, os laboratórios estão sucateados, dada a falta de investimentos dos entes públicos, que não oferecem as condições mínimas necessárias à sua modernização ou até mesmo à reposição dos equipamentos que os compõem. (Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=607-laboratorio&Itemid=30192)

O laboratório didático ajuda na interdisciplinaridade e na transdisciplinaridade, já que permite desenvolver vários campos, testar e comprovar diversos conceitos, favorecendo a capacidade de abstração do aluno. Além disso, auxilia na resolução de situações-problema do cotidiano, permite a construção de conhecimentos e a reflexão sobre diversos aspectos, levando-o a fazer interrelações. Isso o capacita a desenvolver as competências, as atitudes e os valores que proporcionam maior conhecimento e destaque no cenário sociocultural.

Assim, a necessidade de inserir novas tecnologias, mostrar a importância da alfabetização científica e tecnológica no processo de formação dos indivíduos, destacar a associação entre as diferentes teorias e o ensino experimental tornam fundamental o uso de laboratórios nas escolas na era moderna.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), no seu Artigo 35, Inciso IV, diz: “É essencial a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina”. Mostra, pois, que as escolas de ensino médio devem proporcionar ao aluno oportunidades de união entre a teoria e a prática em cada disciplina.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, Anísio Teixeira (Inep), menos de 11% das escolas brasileira possuem laboratório de ciências, e das que possuem, menos de 2% são utilizados por falta de insumos, recursos humanos e segurança.

Além da falta de investimentos em infraestrutura e a precariedade daquelas existentes, temos ainda um grande desafio para educação em nossa Era: Segundo o estudo “O que pensam os jovens de baixa renda sobre a escola” elaborado pela Fundação Victor Civita, Fundação Itaú Social, Fundação Telefonica e publicado pelo CEBRAP em 2013, o grande problema na educação brasileira é que “a Escola perdeu o papel de referência na vida dos jovens”. O que se reflete nos índices alarmantes, que colocam nosso país nas piores posições do ranking mundial da educação, dentre estes, um índice é estarrecedor e revela a má qualidade de nossa educação: “74% da população brasileira não consegue entender um texto simples”.
(Fonte: http://www.fvc.org.br/estudos-e-pesquisas/2012/pdf/relatorio_jovens_pensam_escola.pdf)

A boa notícia é que uma startup brasileira, a Beenoculus, sensível a este grande problema nacional, pesquisa e vem investindo em inovações que acredita, podem melhorar a educação brasileira. Com uma proposta de implementar laboratórios de realidade virtual para simular laboratórios reais, a empresa desenvolveu de forma pioneira em todo o mundo uma inovadora metodologia que permite utilizar a realidade virtual como uma nova linguagem de comunicação com os jovens e não apenas como mais uma ferramenta tecnológica.
Com apenas 1 ano de vida, a Beenoculus ganhou em 2015 diversos prêmios importantes em desafios de startups pelo país, e agora é finalista do movimento 100OpenStartups que identifica as 100 startups mais atraentes do mercado para as grandes empresas. Esse reconhecimento é fruto do trabalho duro e inovador de seus 5 sócios e do apoio que receberam através de mentorias para desenvolvimento de suas estratégias no Programa Promessas Endeavor, no Programa Braskem Labs e como integrante do CUBO Coworking considerado um dos espaços de inovação mais promissores em todo o mundo.

Ainda colhendo os frutos desse trabalho e parcerias, a Beenoculus inicia o ano com investimentos superiores a R$ 1 milhão já assegurados com investidores que chegaram a um Valuation da empresa entre R$ 15 e R$ 20 milhões, recursos suficientes para desenvolver seu planejamento estratégico até o fim de 2016.

Caso raro no mercado, a empresa navega contra a corrente pessimista que assola a economia brasileira, contando com um acordo de cooperação assinado com a Universidade Estácio e outros projetos já contratados, a Beenoculus pretende avançar a passos largos com seus projetos na área de educação, projetando um faturamento superior a 10X o de seu primeiro ano. Com a Estácio a Beenoculus irá desenvolver em coprodução atividades educacionais em realidade virtual e aumentada para as principais disciplinas de ensino superior, atendendo a cursos de educação à distância e presenciais. Áreas como medicina, direito, engenharia, física, química, entre outras, se beneficiarão com as diversas experiências em realidade virtual que serão desenvolvidas através de uma inovadora metodologia criada pela Beenoculus e denominada: “Metodologia de Educação Imersiva em Primeira Pessoa – MEIP”.

E do que se trata esta metodologia? O cofundador e diretor de marketing da Beenoculus Rawlinson Peter Terrabuio explica:
“Com nossa metodologia somos capazes de colocar um sujeito na posição de um outro sujeito que realizou uma determinada ação, este agora passará a enxergar o mundo em 360o através da tecnologia de realidade virtual imersiva, com o mesmo ponto de vista daquele que realizou a ação, quem executa a ação será invariavelmente um profissional, aquele que detém o conhecimento e o domínio do que está realizando, e quem visualiza será o aprendiz.”
Para entender esse conceito peguemos um exemplo de um médico realizando uma cirurgia: A Beenoculus utilizando equipamentos especiais de audiovisual 360o, capta essa ação, edita, acrescenta elementos que auxiliam no entendimento do usuário como: locução, gráficos, animações e outras informações, para então um aprendiz (um aluno ou residente médico) visualizar o procedimento realizado através do ponto de vista do médico com o Beenoculus (um hardware que é a mídia de realidade virtual desenvolvida pela empresa, e tem o mesmo nome). É com essa metodologia que acontece o grande avanço na educação: Para o cérebro do sujeito que visualiza a ação em realidade virtual, é ele próprio quem está executando aquela ação e isso faz com que retenha em sua memória uma experiência próxima a prática, com muito mais qualidade e riqueza de informações do que ao visualizar por exemplo, o mesmo procedimento, em um vídeo na TV ou no computador.

Os potenciais da tecnologia e metodologia, principalmente para um país como o Brasil que tem urgência em avançar na melhoria da qualidade da educação, são gigantescos, isso porque a empresa conseguiu desenvolver uma solução de baixo custo para levar a tecnologia para escolas e universidades, segundo Rawlinson, a infraestrutura de laboratório de realidade virtual da Beenoculus pode ser implantada em uma escola pública ou privada por menos de R$ 80 mil reais, o executivo destaca que não são necessárias obras ou locais específicos para instalação dos laboratórios já que os conjuntos são móveis, ocupam pouco espaço para sua guarda e são utilizados nas próprias salas de aula: “além da realidade virtual transportar os alunos para mundos virtuais simulando as mais variadas situações do cotidiano, agora o aluno não precisa ir até o laboratório, é o laboratório que irá até ele e a qualquer tempo e em qualquer lugar.” complementa Rawlinson.

Grandes empresas mundiais como o Google, a Samsung e o Facebook com a Oculus VR tem suas soluções em realidade virtual, porém a desenvolvida aqui no Brasil pela Beenoculus tem vantagens sobre todas elas: Em relação ao Gear da Samsung a solução da Beenoculus custa 5 vezes menos, comparando com o Oculus Rift essa diferença aumenta para 15 vezes, ao contarmos impostos e custos de importação essa diferença será ainda maior, cerca de 30 vezes o custo do Beenoculus, com diversos recursos como ajuste de foco, ajuste de DIP (distância intrapupilar) permitir assepsia para uso coletivo e se tratar de um bem durável, a solução da Beenoculus está pronta para ser adotada pelas escolas e é muito mais robusta que por exemplo o projeto do Google Cardgoard, um dispositivo descartável feito de papelão.

Mas além de tudo isso, o grande avanço na proposta da Beenoculus é tratar a tecnologia como linguagem de comunicação com os jovens e não como mais uma ferramenta pedagógica.O executivo da Beenoculus destaca que “as atividades educacionais que estão sendo desenvolvidas permitirão aos alunos ter sentimentos e emoções enquanto aprendem, isso é efetivo, aprendendo assim a pessoa retém conhecimento porque vivencia experiências em Realidade Virtual muito próximas a prática”

A Beenoculus está depositando 4 novas patentes de equipamentos de audiovisual 360o para produzir conteúdos para a educação e destaca que está desenvolvendo parcerias com outras empresas e startups que irão fazer uso destas tecnologias para juntos construírem um grande acervo de obras de Realidade Virtual Imersivas para a Educação.

“Nós estamos chamando as empresas para trabalharem com a Beenoculus, empresas de games, de audiovisual, estamos desenvolvendo esse ecossistema, o BEE de nossa marca não é só uma palavra bacana em inglês com sonoridade, trata-se de um símbolo, BEE é Abelha em inglês e representa a cooperação, a colaboração, esse é o nosso DNA, não vamos fazer essa transformação na educação sozinhos, precisamos de Autores, Professores, Criativos, Matemáticos, Físicos, Designers, Programadores, Cineastas, Câmeras, Cientistas, Investidores, entre outros, a Beenoculus traz oportunidades para esses profissionais, para todo o ecossistema, temos um grande problema na Educação em nosso país e é essa enorme carência e necessidade que nos faz usar toda a nossa imaginação e criatividade para desenvolvermos uma inovação mundial que acreditamos irá transformar não só a educação no Brasil, mas em todo o mundo! Quem quiser poderá se unir a Beenoculus para fazer essa transformação.” conclui Rawlinson.

Tags,

Brasil terá participação especial no Congresso Aerospace Technology 2016

O Congresso Aerospace Technology 2016, um dos principais eventos da indústria aeroespacial mundial, contará com uma sessão especial dedicada à colaboração Brasil-Suécia. O evento acontecerá na cidade de Estocolmo, na Suécia, entre 11 e 12 de outubro de 2016, e tem o objetivo de promover a pesquisa e o desenvolvimento técnico e industrial do setor aeroespacial. É organizado pela Sociedade Sueca de Aeronáutica e Astronáutica (FTF), em cooperação com o Programa de Inovação Estratégica Aeronáutica (INNOVAIR), a Academia Real Sueca de Ciências de Engenharia (IVA), com o apoio do Centro de Pesquisa e Inovação Sueco Brasileiro (CISB).

A edição deste ano terá como tema a “Tecnologia sueca aeroespacial em um mundo globalizado”. A programação será dividida em sessões plenárias e painéis técnicos. Haverá também exibição de produtos e tecnologias aeroespaciais. Nas sessões plenárias, estão previstas palestras sobre o sistema de inovação aplicado ao setor, investimentos em P&D suecos na área espacial e seu impacto no desenvolvimento da sociedade, entre outros focados no ecossistema nacional. Os projetos desenvolvidos com o Brasil e outros parceiros serão apresentados nos painéis técnicos.

Os painéis serão norteados por tópicos, tais como: tecnologias sustentáveis; novos combustíveis; novos materiais e processos, como os híbridos, compósitos e nanomateriais; tecnologias em subsistemas e sistemas, como aviônica, autonomia, sensores e sistemas de gerenciamento; entre outros.

Os interessados devem submeter os papers até o dia 1º de março pelo site www.ft2016.se/. “Trata-se de uma excelente oportunidade para apresentação dos primeiros resultados do portfólio de projetos da cooperação Brasil-Suécia em Aeronáutica e Defesa e para a intensificação da sua rede de relacionamentos, pois além da oportunidade de interagirem intensamente com os suecos, há expectativas de que os pesquisadores brasileiros possam visitar indústrias e universidades suecas buscando parcerias futuras”, destaca Alessandra Holmo, Managing Director do CISB. “O Congresso está, ainda, conectado ao 4th Brazilian Swedish Workshop in Aeronautics & Defence, que será realizado em 13 de outubro em Linkoping, mais um estímulo para os brasileiros aplicarem”. ressalta.

Sobre o CISB – O Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB) tem como objetivo de identificar, desenvolver e apoiar projetos de P,D&I que envolvam tecnologias avançadas em diversos setores. Seu modelo operacional é inspirado nos parques tecnológicos suecos e baseado nos princípios de inovação orientada por desafios, inovação aberta e hélice tripla. O CISB atua como facilitador, catalisador e gestor da rede colaborativa formada por seus membros e parceiros dos dois países.

Tags, ,

Especialista comenta vantagens de trabalhar em uma empresa familiar

É muito comum encontrarmos jovens universitários fazendo cara feia ou franzindo a testa quando é cogitada a hipótese de trabalhar em uma empresa familiar. Esta não é uma reação somente dos jovens estudantes, ou dos recém-formados. Muitos profissionais, inclusive aqueles que já estão na luta por um lugar ao sol, resistem na hora seleção em algumas empresas e preferem sonhar apenas com as tais multinacionais.

Trabalhar em uma empresa familiar não significa colaborar com uma companhia fundo de quintal. Muito pelo contrário, nas economias capitalistas, a maioria dessas empresas se inicia com as ideias, o empenho e o investimento de seus empreendedores e parentes, chegando a patamares invejáveis no cenário econômico mundial.

O preconceito com empresa familiar remonta à imagem construída sobre este tipo de organização, fortemente associada a um negócio pequeno, administrado apenas pelos parentes, muitas vezes fadado ao insucesso e sem qualquer possibilidade de crescimento profissional das pessoas que não sejam membros da família proprietária. Felizmente, esta imagem está equivocada e isso faz com que poucos acabem sabendo desta verdade.

As organizações familiares movem a máquina da economia mundial, além de tirar os preconceitos sobre estas empresas. Se perguntar para uma turma de universitários onde querem trabalhar, a maioria prefere uma grande empresa multinacional. Infelizmente, eles não sabem que eliminando as Organizações não Governamentais – ONGs – e as empresas públicas, o restante são empresas familiares.

A imagem que a maioria das pessoas faz de empresas familiares são de negócios pequenos e administrado apenas pelos parentes, muitas vezes fadado ao insucesso e sem possibilidades de crescimento profissional para os que não são membros da família.

Observamos exemplos de empresas familiares desde pequenos estabelecimentos como um pequeno bar administrado pela família assim como organizações multinacionais como o Wal-Mart, a maior empresa de faturamento do mundo, ou a Cargill, a maior companhia privada que comercializa produtos básicos e primários, tais como grãos e outras commodities. Não faltam exemplos de empresas nacionais como o Pão de Açúcar, o Itaú, a Gerdau e a Votorantim, cuja existência em si eleva a importância desse tema.

Sendo assim, a empresa familiar é uma excelente oportunidade de trabalho, mesmo para firmas de pequeno porte. As empresas familiares apresentam diversas vantagens competitivas com relação às empresas não familiares, sendo que algumas desvantagens podem se tornar pontos fortes para essas organizações.

Entre uma série de atrativos, destaque para alguns pontos como agilidade na tomada de decisões; respeito e influência perante a comunidade; disposição dos familiares em investir o próprio capital ou oferecer garantias pessoais para levantar recursos; colaboradores leais e obedientes, entre outros.

Não percebendo estas vantagens, muitos universitários, ao torcerem o nariz para empresas familiares, acabam restringindo suas opções para multinacionais, e decidem que devem ingressar em organizações como Ford, Henkel, Lego, Barilla, Bombardier, Danone, The Washigton Post, Cemex, Michelin, C&A, Heineken, Marriot, LG, dentre outras. O que poucos sabem é que todas essas organizações são exemplos de empresas familiares, porém com a família controladora situada fora do Brasil.

Definimos empresa familiar como toda organização na qual uma ou poucas famílias concentram o poder de decisão envolvendo o controle da sociedade e, eventualmente, participam da gestão. Sem restrição quanto à área de atuação da empresa, quanto ao seu tamanho, quanto à formatação jurídica da sociedade ou com relação ao tempo de existência. Com isto, a maioria das organizações em operação no mundo é empresa familiar, podendo ser encontrada em praticamente todas as indústrias e ramos econômicos ao redor do mundo.

Artigo escrito por Pedro Adachi, especialista em empresas familiares e sócio da Societàs Consultoria.

Tags,

Intel provê solução de gerenciamento térmico e energético para Mandic Cloud Solutions

A Intel foi escolhida pela Mandic Cloud Solutions, uma das principais empresas brasileiras de computação em nuvem com mais de 20 anos no mercado, para ajudar a resolver um problema comum nas empresas: reduzir os altos custos com energia elétrica. A solução encontrada foi a ativação do Intel® Node Manager, um recurso disponível nos servidores baseados na família de processadores Intel® Xeon®, que tem como principal funcionalidade a optimização do uso de cada watt consumido pelo parque instalado, e do software OMPC (Open Manager Power Center), da Dell, que gerencia o consumo de energia e temperatura dos servidores. Isso permitiu à Mandic Cloud Solutions balancear o uso dos equipamentos, reduzindo o consumo de energia e ampliando a capacidade de uso de seus servidores. O resultado foi uma diminuição de 30% no consumo de energia elétrica e um aumento em até 40% da capacidade de ocupação nos racks de servidores da Mandic.

Acompanhando esta redução no consumo, também foi possível um maior controle e monitoramento das temperaturas dos servidores, diminuindo consideravelmente o risco de paradas inesperadas. Além disso, a Mandic Cloud Solutions minimizou o impacto ambiental de sua operação.

“Aperfeiçoar a gestão do consumo de energia elétrica sempre foi um aspecto de grande importância para empresas competitivas. Com o passar do tempo, a elevação no preço da energia e um mundo que caminha cada vez mais rápido para favorecer empresas com um perfil sustentável, fez com que este tipo de gestão se tornasse imperativo. Deixou de ser uma opção e se tornou uma das principais obrigações dos gestores. E isto vale para as companhias de todos os tamanhos”, explica Fábio Iunes de Paula, Diretor da Área de Negócios da Intel.

“Oferecendo soluções de IaaS (Infrastructure as a Service) e SaaS (Software as a Service) para seus clientes, a Mandic Cloud tinha um desafio no gerenciamento de consumo de energia elétrica. Estamos muito satisfeitos em contribuir para os bons resultados obtidos”, conclui.

Na visão de Diego Morgado, gerente de operações da Mandic Cloud Solutions, a solução foi além da superfície do problema. “ O projeto trouxe visibilidade de algo que não era perceptível a olho nu. Energia também exige gestão, que por sua vez traz aumento de eficiência”. Como a Mandic tem 100% de seu negócio baseado em data centers e servidores, Morgado explica que o grande foco da companhia é oferta de alta disponibilidade, qualidade e desempenho. “Algo muito alinhado a isso é o preço. Temos vários concorrentes fortes no mercado e por isso precisamos de uma estrutura tão boa quanto e com preço competitivo”, completa.

Para colocar toda a operação de pé, foram necessárias apenas duas semanas. Assim que a solução entrou em funcionamento, a área de operações da empresa dedicou os 30 dias seguintes à coleta das primeiras informações que permitiram fazer a análise técnica. A partir dos resultados desta análise foi possível estabelecer os parâmetros para o gerenciamento de toda a infraestrutura. Através disto, foi possível fazer um balanceamento eficiente de todo o data center.

“Isso é extremamente importante para nós, uma vez que conseguimos evitar a criação de zonas quentes e reduzir o consumo de ar condicionado”, afirma o Morgado. “Essa inteligência só é possível graças ao fornecimento de informações em tempo real. Se a equipe recebe o alerta de que um servidor está consumindo demais, o balanceamento de carga é feito na hora, estabilizando o ambiente”. Hoje 100% do parque de data centers é monitorado de forma centralizada, permitindo identificar rapidamente quais máquinas estão consumindo mais energia do que deveriam, e porquê.

Para mais informações sobre o Intel Node Manager, acesse http://www.intel.com/content/www/us/en/data-center/data-center-management/node-manager-general.html.

Tags, , ,

Economia Digital é destaque do SAP Forum Brasil, que acontece em março

Nos dias 15 e 16 de março, a SAP realiza a 20ª edição do SAP Forum Brasil. O evento traz as últimas tendências e soluções para gerar oportunidades para as organizações, impulsionando os negócios digitais. No ano passado, mais de 12 mil pessoas participaram.

Desde a primeira edição, o SAP Forum Brasil procura estar à frente das tendências do mercado, mostrando que a inovação deve ser parte integrante do negócio da empresa. Este ano, entre os principais temas que serão abordados estão o da Economia Digital e das mudanças que estão exigindo uma transformação das empresas na condução de seus negócios.

“O objetivo é mostrar, por meio de apresentações de importantes nomes do mercado, como alguns novos direcionadores estratégicos para o sucesso das organizações estão provocando as transformações dos negócios e evidenciar o papel da inovação tecnológica como um habilitador dessa jornada para as empresas”, enfatiza o diretor de Marketing da SAP Brasil, Ricardo Kazuo.

O SAP Forum Brasil terá mais de 500 sessões divididas em três grandes categorias: Tecnologia, Linhas de Negócios (Recursos Humanos, Finanças, Cadeia de Suprimentos e Marketing e Vendas); Mercado (Varejo, Bens de Consumo, Setor Público e Serviços Financeiros, entre outros). Durante os dois dias de evento, haverá demonstrações das soluções mais inovadoras, cases de sucesso, além de várias atividades exclusivas. Entre os palestrantes confirmados estão Delfim Netto, economista e professor; José Davi Furlan, cofundador do movimento Business Transformation Brazil; e Monja Coen, missionária da tradição Soto Shu.

“O SAP Forum Brasil pode ser considerado como um evento para Recursos Humanos, Logística, Marketing e demais segmentos e áreas de organizações porque a transformação digital significa a interligação de todos os elementos da cadeia de valor no ambiente corporativo: clientes; colaboradores; fornecedores, armazenamento de dados e internet das coisas. É importante destacar que temos soluções para contribuir com todos esses setores”, afirma Kazuo.

Em 2015, o SAP Forum recebeu o prêmio de O Melhor Evento Corporativo da América Latina concedido pelo Festival Latino-Americano de Promoções e Eventos – FIP Festival, uma das mais importantes premiações de marketing da América Latina. E no Prêmio Caio, considerado o “Oscar dos Eventos”, conquistou dois jacarés de ouro: Melhor Evento Corporativo e Melhor Seminário e Fórum.

“Esse reconhecimento é o fruto de um grande trabalho em equipe e com os nossos parceiros de negócios que acreditam e participam dos eventos. Junto com esse importante ecossistema oferecemos a cada edição do SAP Forum as principais soluções para redefinir modelos de negócios e melhorar a produtividade dos nossos clientes.

Serviço

SAP Forum Brasil 2016
Data: 15 e 16 de março de 2015
Hora: das 9h30 às 20h
Local: Transamérica Expo Center – Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – São Paulo, SP.
Para se inscrever e mais informações, acesse www.sapforum.com.br.

Tags,

Softex: Keying into the omni-channel trend, Brazilian retail IT is seeking business at the 2016 NRF Big Show

In recent years, there has been a drastic change in the profile of consumers, who are multi- and cross-channel today, accessing diverse sales channels, sometimes combining physical and virtual environments. They are omni-channel.

For the seventh straight year, Brazil will be present at the NRF Big Show, the world’s largest retail fair, and the fifteen companies* comprising the Brasil IT+ pavilion will present a diversified portfolio of solutions and services for the retail sector, including everything from ERP (Enterprise Resource Planning), e-commerce and logistics, to WMS (Warehouse Management Systems), security and digital intelligence. The show will take place from January 17th to 19th, at the Jacob K. Javits Convention Center in New York.

The Brazilian presence at the NRF Big Show encompasses the export promotion project of the software and IT services industry, developed by Softex in partnership with Apex-Brasil. The aim is to foster new business opportunities in the international market, and strengthen the image of competency of the national software and IT services industry, identified abroad by the brand Brasil IT+. Today, the 165 companies comprising the Sectorial Project account for nearly 1/3 of the total volume of Brazilian exports in this sector.

“Omni-channel allows consumers interacting with the brand not to perceive the differences between the on-line and off-line worlds. This trend is an evolution of the multichannel concept, since it is completely focused on the consumer experience. Because of how sophisticated and demanding the Brazilian retail market is, the solutions developed by our companies are already adhering to this new and irreversible market reality,” emphasizes Softex President, Ruben Delgado, adding that the goal of the delegation is to boost Brazilian market share 30% in the North American retail market over the next five years.

“Brazil today is experiencing an economic moment that favors our national exports. About 50% of our companies’ exports target the North American market, showing that we were right to have chosen the United States as the priority for our efforts to foster exports and internationalization, carried out together with Apex-Brasil,” observes Guilherme Amorim, manager of the Softex Sectorial Project.

*CI&T, Control Informatica, Dextra, DP6, e-Trust, Icaro Tech, Actminds, MC1, MHA Sistemas, PC Informatica, Piori, Resource, RZ2, Prime Systems and SER

Tags, , ,