Page

Author admin

Nuvem continua a puxar o crescimento da SAP no Brasil

A SAP Brasil anuncia os resultados financeiros do terceiro trimestre do ano fiscal de 2017. Mais uma vez, pelo sétimo trimestre consecutivo, o desempenho com aplicações em nuvem foi o grande destaque. A receita com o valor total de contratos em cloud teve alta de dois dígitos, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

“Ter um ambiente de aplicações de negócios rodando em nuvem é fundamental para nossos clientes inovarem cada vez mais e tornarem seus negócios mais eficientes. Sem dúvida, a nuvem é a palavra-chave para a transformação digital das organizações, sendo capaz de levar as empresas, de todos os portes e segmentos, a um crescimento sustentável e que atenda as exigências dos consumidores”, aponta a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka.

Outro indicativo que demonstra a performance positiva da SAP Brasil no trimestre em relação à computação em nuvem é o fato de ter aumentado em dois dígitos o número de novos clientes de nuvem em sua base. “O crescimento registrado mais uma vez pela SAP demonstra o acerto de nosso foco em manter uma parceria total com nossos clientes, entendendo as diferentes jornadas de cada um e seus desafios para desenvolver e propor as soluções de negócios mais assertivas”, salienta Cristina.

Ainda no que diz respeito ao desempenho da empresa abrangendo a computação em nuvem, o destaque no portfólio foi a solução de gestão SAP S/4HANA cloud, que atingiu um crescimento de mais de três dígitos. “Esse resultado reforça a nossa estratégia em oferecer ao mercado uma plataforma completa para o ERP, rodando em cloud e com toda a infraestrutura e suporte já prontos. Esse é um nosso importante diferencial”, lembra Cristina.

Outro item do portfólio de nuvem que teve relevância no resultado financeiro no trimestre foi a solução de gestão de capital humano SAP SuccessFactors. A receita com as vendas da aplicação subiu três dígitos. Por fim, a subsidiária brasileira aumentou em dois dígitos seus ganhos com a solução SAP HANA Enterprise Cloud, plataforma que permite a transição de aplicações on premise para um ambiente de nuvem, com processamento em tempo real.

Em se tratando de mercados em que a SAP Brasil alcançou resultados positivos, vale destacar o de Agronegócio, em que a empresa obteve alta de mais de três dígitos em suas vendas para empresas do setor. Um dos clientes do segmento que escolheu a SAP para trilhar uma jornada de transformação digital foi a Citrosuco, uma das primeiras empresas a adquirir algumas soluções do portfólio SAP Leonardo, que inclui tecnologias inovadoras como Internet das Coisas (IoT), Machine Learning, Blockchain, Big Data, Análise de Dados e a plataforma para desenvolvimento de aplicações em nuvem SAP Cloud Platform.

Responsável por cerca de 25% do mercado global de suco de laranja, a companhia brasileira possui um plano de inovação ambicioso, que inclui a implantação de algumas soluções do portfólio SAP Leonardo, entre elas, Internet das Coisas e a SAP Vehicle Insights, para monitoramento inteligente de veículos, juntamente com a solução de gestão em tempo real SAP S/4HANA e o conjunto completo da suíte SAP Supply Chain. A combinação de tudo isso vai permitir à Citrosuco um melhor planejamento baseado na demanda e aumentar a capacidade de conectar fazendas a unidades de fabricação, para um processo orquestrado que também otimize a logística de transporte em todo o mundo. A empresa também adquiriu as aplicações em nuvem SAP Ariba, SAP SuccessFactors, SAP Hybris e SAP Fieldglass, para gerenciar, respectivamente, seus processos de procurement, recursos humanos, engajamento com clientes e a força de trabalho terceirizada.

O trimestre foi positivo também para os resultados com pequenas e médias empresas. A SAP Brasil aumentou em três dígitos as vendas do principal produto da empresa para PMEs, o software de gestão SAP Business One.

Recorde na América Latina

Olhando para a América Latina, a SAP registrou seu melhor desempenho com as vendas em nuvem. Esse foi o melhor terceiro trimestre da história da SAP na região.

Com um crescimento de dois dígitos nas vendas em nuvem, puxadas pelo bom desempenho no Brasil, o destaque fica para solução SAP SuccessFactors, cuja receita cresceu dois dígitos. Clientes como o Bancolombia, o maior banco varejiosta da Colômbia, com operações em outros países da América Latina e Caribe, escolheram a aplicação para gerenciar o desenvolvimento de seus mais de 32 mil funcionários.

Tags

Cabeamento estruturado, solução ideal para a rede de informações

O cabeamento estruturado é um sistema padronizado para cabear qualquer tipo de rede de comunicações, independentemente de sua utilização final, como, por exemplo, telefonia, internet, transmissão de dados e voz, multimídia, etc.

Ou seja, qualquer forma de comunicação e de informação pode ser transmitida através do mesmo cabo utilizando uma mesma estrutura.

O cabeamento estruturado é a solução mais adequada para garantir um bom sistema de comunicações, oferecendo maior flexibilidade, principalmente para empresas que, de acordo com suas necessidades, exigem movimentação ou reorganização de setores e pessoas. Com o sistema de cabeamento estruturado é possível fazer o planejamento adequado para acomodar as alterações, acréscimos e mudanças, criando uma base sólida para a rede de informações.

O cabeamento estruturado e suas vantagens

Com o cabeamento estruturado, a empresa evita perda de tempo de trabalho, economizando investimentos e prevenindo congestionamentos em horários de pico, que poderiam reduzir de forma drástica a transmissão de dados e informações.

Com avançada tecnologia, o cabeamento estruturado oferece para as empresas grandes vantagens competitivas, permitindo que as informações sejam transmitidas ou compartilhadas através de uma mesma rede, fazendo uso do mesmo sistema operacional e agilizando todas as atividades e processos empresariais.

A rede montada com um cabeamento estruturado pode suportar todo tipo de aplicações, como dados, vídeo, multimídia e voz, através de uma grande capacidade de processamento e utilizando materiais que permitem acesso com maior velocidade.

A instalação do cabeamento estruturado tem necessidade de ser feita com materiais de primeira linha, com um serviço de infraestrutura adequado e dentro de um projeto específico para assegurar o melhor funcionamento dentro das necessidades empresariais. Além disso, também é necessário que tenha total flexibilidade para atender às mudanças internas, tanto de pessoal quanto de layout ou de novas tecnologias.

De acordo com as necessidades da rede de informações, o cabeamento estruturado pode ser montado com cabos de cobre de par torcido ou cabo de fibra ótica ou coaxial, devendo, no entanto, atender as normas técnicas específicas. Dessa forma, o planejamento para a rede física pode combinar cabos UTP, blocos de conexão e adaptadores, além de outros elementos.

Como se trata de uma rede que precisa suportar os mais diversos dispositivos de telecomunicações, pode-se fazer o planejamento sem haver necessidade de conhecimento sobre os produtos que serão aplicados. O que se torna necessário é o conhecimento da extensão do cabeamento e a segmentação do tráfego, evitando-se possíveis interferências magnéticas.

Os principais elementos do sistema de cabeamento estruturado são os cabos horizontais, instalados horizontalmente entre o piso e o teto e o cabo vertical, que interliga os diversos setores ou divisões, comunicando-se com a central e com os equipamentos de telecomunicações.

As normas técnicas do cabeamento estruturado

O cabeamento estruturado deve seguir as orientações da NBR 14565, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, segundo o método básico de composição dos projetos para redes de cabeamento para comunicação à distância.

A norma estabelece os critérios para suprir todas as necessidades, com o objetivo de atender as redes primária e secundária, abrangendo todos os componentes que constituem o sistema de comunicação de cada empresa, levando em consideração aspectos de desempenho, de comprimento, de atenuação e de largura de banda, além dos fatores específicos que possam trazer benefícios à empresa.

Uma rede de cabeamento estruturado permite eliminar a instalação de cabos os mais diversos, atendendo a todo o sistema de comunicação empresarial, oferecendo maior segurança ao sistema e permitindo a separação dos cabos condutores de eletricidade.

A plataforma oHub oferece uma lista completa das empresas que atuam no setor, fazendo o planejamento e a instalação de redes de cabeamento estruturado, atendendo todas as normas específicas para o setor de telecomunicações e possibilitando a manutenção de um sistema de informações confiável. Confira no endereço abaixo:

https://www.ohub.com.br/empresas/telecom/cabeamento-estruturado

Tags

Linx expande estratégia Digital com aquisição da ShopBack

A Linx, líder em software de gestão para o varejo, anuncia a aquisição da empresa ShopBack. A companhia tem a plataforma cloud líder para retenção, reengajamento, remarketing e recaptura de usuários, por meio de Big Data e inteligência para engajamento. Cerca de 85% do volume do e-commerce brasileiro trafega mensalmente pela solução da empresa. Com essa aquisição, a Linx se torna líder neste segmento.

Pela ShopBack, a Linx pagará R$ 39 milhões à vista e, adicionalmente, sujeito ao atingimento de específicas metas financeiras e operacionais entre os anos de 2017 e 2019, poderá pagar o valor adicional de até R$ 17.558 milhões.

“Essa mais recente aquisição está alinhada com os objetivos estratégicos da Linx de aquisições de tecnologias para o varejo, especialmente as que ajudem nossos clientes a melhorar a experiência de compra dos consumidores. Além disso, seguimos acelerando a migração para a nuvem e criando novas oportunidades em Big Data e inteligência para engajamento”, ressalta Alberto Menache, diretor-presidente da Linx.

A ShopBack foi fundada em 2015 como uma exclusiva multiplataforma cloud focada na retenção, reengajamento e recaptura dos 98% dos usuários que abandonam os sites dos clientes sem converter. Hoje conta com mais de 800 clientes entre eles, Webmotors, Nissan, Carrefour, Microsoft, Avianca, Hoteis.com, Bradesco, Arezzo, Schutz, Giuliana Flores, Telha Norte, Sephora, Honda, Renner, O Boticário, Motorola, C&C, Azul, Brastemp, Vivo, Oi.

Histórico das Aquisições Linx

O crescimento sustentável é objetivo da Linx. A estratégia de crescimento por aquisições da empresa teve início em 2008 e até hoje foram 23 processos nacionais e um processo internacional (Synthesis, em julho de 2017).

Tags, , , ,

Rede The Body Shop transforma a experiência de compras com a Axway

A The Body Shop, uma empresa internacional de beleza, está contando com a Axway (Euronext: AXW.PA), uma catalisadora para transformação digital, para melhorar a experiência do cliente em lojas de varejo por toda a Suíça. Com o Axway Appcelerator, a The Body Shop foi capaz de repensar seu programa de fidelidade, integrar enormes quantidades de dados e implementar com sucesso um novo e inovador aplicativo móvel para aumentar as compras em lojas. O novo aplicativo móvel Love Your Body Club, com tecnologia da Axway, possibilitou que a The Body Shop proporcionasse uma experiência contextualizada e personalizada para mais de 90.000 na Suíça.

Fundada em 1976, a The Body Shop é uma empresa internacional de beleza ética que vende mais de 900 produtos naturais diferentes em 2.600 lojas por todo o mundo e online. Para alavancar seus negócios de sucesso na Suíça e melhorar a experiência oferecida aos clientes no país, a The Body Shop trabalhou com a Axway para repensar totalmente seu programa de fidelidade de clientes Love Your Body Club. Disponível no iOS e Android, o novo aplicativo móvel com tecnologia da Axway usa a API de painel para que compradores tenham ofertas personalizadas, recebam vouchers, sejam convidados para eventos especiais, comprem produtos, vejam seu histórico de compras e as lojas locais. Ao acessar dados internos e externos usando uma rede de experiência de cliente coesa, o aplicativo pode proporcionar experiências contextualizadas ao notificar membros do programa de fidelidade sobre ofertas quando estão perto de uma loja. Se os clientes estiverem interessados, o aplicativo apresenta um código em QR code que pode ser resgatado na hora da confirmação da compra ou um voucher que pode ser usado online.

“Sempre tivemos o compromisso de fornecer aos nossos clientes a melhor experiência de compra possível”, conta Angelika Lanen, CEO da The Body Shop. “Ao trabalhar com a Axway para alavancar as mais recentes inovações móveis, fomos capazes de transformar o programa Love Your Body Club e oferecer aos nossos clientes na Suíça uma experiência de compras verdadeiramente única.”

Com o Axway Appcelerator, a The Body Shop foi capaz de atender às necessidades únicas do mercado suíço, onde diversos idiomas são falados. Ao incorporar uma troca simples de idioma no aplicativo que não exige alterar as configurações de sistema do aparelho, o aplicativo permite que a The Body Shop forneça aos compradores uma experiência eficiente. Por meio da API Analytics, a The Body Shop também pode acompanhar quantas vezes o aplicativo foi aberto, as durações de sessões, o uso de dispositivo e determinar a região do cliente – componentes úteis para melhorar a experiência personalizada individual.

O aplicativo também foi capaz de dinamizar o processo de confirmação de compra ao ajustar automática e temporariamente o brilho de tela do usuário para facilitar a digitalização de QR code pelo sistema de ponto de vendas. Além disso, a equipe da loja é capaz de ver e reestocar itens comprados recentemente para clientes para acelerar os tempos de compra.

“Muitos de nossos clientes buscam proporcionar experiências envolventes ao desenvolver ótimos aplicativos que operam em diferentes dispositivos enquanto se conectam a incríveis quantidades de dados de backend”, explica Hendrik Unkenholz, Chefe de Desenvolvimento na Smilla AG. “Graças ao Axway Appcelerator, fomos capazes de desenvolver o inovador aplicativo para a BodyShop com tempo de programação significativamente menor, sem afetar a capacidade de apoiar o aplicativo em qualquer e qualquer aparelho. Além disso, com o Appcelerator, fomos capazes de manter o aplicativo em uma única base de códigos.

“O Axway Appcelerator possibilitou que a The Body Shop desenvolvesse novos modelos de envolvimento digital para atender às crescentes expectativas do cliente”, conta Nick Ferrante, vice-presidente executivo de vendas globais da Axway. “Com o Axway Appcelerator, a The Body Shop foi capaz de aproveitar o valor dos dados para prever e se adaptar a expectativas do cliente em constante mudança ao projetar rapidamente um aplicativo móvel diferenciado que melhora a experiência de compras e impulsiona a fidelidade de marca e as vendas.”

Tags, , ,

Futuro da saúde e da medicina entre os temas do Festival da Transformação – FT17

As principais tecnologias envolvidas na revolução que vem ocorrendo na área da saúde, novas formas de tratar doenças neurológicas e crônicas, psicóloga e qualidade de vida. Esses são alguns temas que serão abordados nas atividades focadas na área de saúde e medicina no Festival da Transformação – FT17, que ocorre nos dia 28 e 29 de outubro, na ESPM Sul, em Porto Alegre.

Medicina do Futuro ou de Precisão: a um passo da vida eterna? será o assunto de Pedro Schestatsky, professor de Neurologia UFRGS, que também vai abordar como a eletricidade e a realidade virtual têm se revelado duas grandes ferramentas em prol da massa cinzenta e poderão ser utilizadas de forma domiciliar com fins terapêuticos, especialmente em portadores de depressão, derrame ou dor crônica, entre outras condições. “Esta visão, aliada aos avanços tecnológicos diagnósticos e terapêuticos, moldará um novo tipo de paciente (proativo, dono de si) e médico (preventivo, preditivo, parceiro e personalizado) em um futuro muito próximo”, explica o professor.

Alex Tavares, Diretor Geral do Portal Dr. vai trazer as estratégias psicológicas que estão sendo utilizadas para gerar saúde através dos meios tecnológicos de comunicação à distância, apresentando táticas para o empreendedor digital usar na sua vida cotidiana para se sentir melhor. O tema será: Psicologia on-line: estratégias de promoção de saúde a distância.

Uma sessão temática feita pelo designer Marcelo Halpern e professor da Unisinos, Filipe Campelo, vai discutir a perspectiva das Tecnologias Persuasivas e Design para Mudança de Comportamento como alternativas inovadoras para a geração de uma maior qualidade de vida dos indivíduos, beneficiando áreas como saúde, educação e estilo de vida.

O futuro dos profissionais da área de saúde será o tema de Paulo Henrique Azevedo, odontólogo e empreendedor, que vai traçar os cenários de um futuro pós-emergente para que os estudantes enxergarem onde eles serão protagonistas da disrupção de uma nova saúde.

Em diferentes formatos de interação com o público como workshops, pitches, palestras e conversas, o FT17 vai trazer cerca de 450 atividades que compõem a grade do evento nos quatro pilares de conhecimento: Inovação, Tecnologia, Empreendedorismo e Marketing. O FT17 é um evento que se baseia no conteúdo e naquilo que pode expandir a percepção do público sobre seus negócios e atividades. A grade reflete a multiplicidade de conteúdos e mentes que convergem para o propósito da inovação.

Tags, , ,

ABES apoia startup que representará o Brasil em competição na Dinamarca

A Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) apoia Instituto Handsfree, startup sediada em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, que representará o Brasil na Creative Business Cup (CBC), a Copa do Mundo das startups, realizada anualmente na Dinamarca. A competição, uma das principais vitrines para negócios inovadores no mundo, ocorrerá em Copenhague no dia 16 de novembro.

O Handsfree desenvolveu um aparelho de baixo custo que permite que pessoas com deficiências físicas severas controlem qualquer equipamento, como celulares e computadores, apenas por meio de movimentos da cabeça. O projeto foi selecionado por um time de 31 jurados de diferentes setores, seguindo os critérios estabelecidos tanto pela Creative Business Cup, como criatividade e potencial de mercado, quanto pelo OpenCity Lab, que elegeu negócios que estivessem inseridos em um dos seus nove pilares de atuação (infraestrutura, mobilidade, educação, bem-estar, ecologia urbana, negócios, direito à cidade, moradia e tribos urbanas).

Para o presidente da ABES, Francisco Camargo, ter uma iniciativa brasileira eleita para participar da Creative Business Cup é importante para que o país se destaque entre os players globais. “Projetos inovadores e inclusivos, como esse do Handsfree, fortalecem o desenvolvimento do setor e chamam atenção de investidores estrangeiros para o mercado brasileiro”, comenta Camargo.

O Instituto Handsfree, fundado há apenas dois anos, é uma associação sem fins lucrativos e toda a receita das vendas dos equipamentos é reinvestida na organização. “O projeto possui uma alta capacidade de escala e é sustentável financeiramente. Até o momento, foram investidos R$ 600 mil na startup e esperamos uma grande visibilidade do projeto durante a competição por essa Copa. Os países europeus, em especial, são mais sensíveis ao tema da assistência aos portadores de deficiência em razão das duas guerras mundiais “comenta Philippe Magno, diretor de marketing do Instituto.

A parceria da ABES e do Instituto Handsfree surgiu do programa da ABES de fomento e apoio a Startups. “A ABES apoia institucionalmente o Instituto, divulgando suas necessidades de patrocínio para vencer essa Copa do Mundo junto aos seus associados, interessados em apoiar ações de mobilidade e acessibilidade. O desenvolvimento de aplicações de IoT focadas em acessibilidade contribuem para a construção de cidades cada vez mais inteligentes e colocam o Brasil em uma posição de destaque no mundo” finaliza Camargo.

Tags, , , , , ,

CCP lança primeiro e-commerce brasileiro dedicado exclusivamente a lojistas de shopping centers

A CCP (Cyrela Commercial Properties), uma das empresas líderes do Brasil no segmento de imóveis comerciais, vai lançar em novembro o “ON Stores”, e-commerce projetado especialmente para os lojistas dos seis complexos de compras e lazer administrados pela companhia nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás.

Primeiro marketplace do gênero na indústria brasileira de shoppings, o “ON Stores” permitirá a varejistas, de diferentes segmentos, usar um canal exclusivo de vendas online, com relevante tráfego, estrutura simplificada e um diferencial de operação: todos os itens adquiridos pela internet deverão ser retirados pelo cliente na respectiva loja física.

Segundo o diretor-presidente da CCP, Pedro Daltro, o objetivo é ampliar conveniência aos clientes e gerar mais oportunidades aos lojistas. Daltro estima que o “ON Stores” opere inicialmente com uma base de 50% do total de locatários dos shoppings da CCP. “Pela funcionalidade, benefícios e potencial, o ON Stores deve gerar aumento inicial de 5% sobre as vendas totais “, calcula.

Operando no conceito omnichannel, o e-commerce da CCP poderá ser acessado em desktops ou dispositivos móveis. Terá como vantagem competitiva estar integrado a uma tecnologia derivada do ON, projeto lançado em janeiro para atuar nos shoppings da rede como concierge digital. Em oito meses, a plataforma superou três milhões de visualizações e meio milhão de usuários ativos.

Se para os clientes a proposta é ampliar conveniência, para os lojistas o foco é oferecer vantagens como vendas adicionais devido à retirada dos produtos nas lojas físicas; baixo investimento; custo de operação inferior à média de outros marketplaces; maior relevância na internet; e novo canal de venda para divulgação e diversificação de público e portfólio.

Todos os shoppings da rede (Grand Plaza Shopping, Shopping Cerrado, Shopping Cidade São Paulo, Shopping D, Shopping Metropolitano Barra e Tietê Plaza Shopping) terão a própria loja virtual, integrada ao ON e customizada conforme mix de lojas e de produtos.

O modelo da CCP não existe no Brasil. Nos Estados Unidos, onde o e-commerce está mais avançado, marketplaces similares atraem clientes, mas os redirecionam às lojas virtuais dos varejistas. “No ON Stores, o usuário permanece no mesmo ambiente digital até finalizar a compra, sendo que o lojista, no painel de controle online, acompanha toda a movimentação, incluindo vendas, pagamentos, estoque e outras informações gerenciais”, explica Daltro.

Tags, , , , , ,

Google Cloud anuncia novo diretor de vendas para Latam

Com 20 anos de experiência, João Carlos Bolonha chega à empresa para ajudar os clientes na transformação digital de seus negócios

Como parte das ações locais da área de Cloud, o Google anuncia a chegada de João Carlos Bolonha como diretor de vendas para a América Latina. Com 20 anos de experiência, o executivo possui especialização em liderança organizacional pela Georgetown University, MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), graduação em computação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e é formado pela Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETESP). Nos últimos anos, Bolonha esteve à frente da operação de soluções Cloud da Microsoft, onde foi responsável pela implementação da área.

“O Google está vivendo um momento único no mercado, com a estruturação de componentes essenciais para o negócio, com o pagamento em moeda local, políticas comerciais e de governança simples, o que traz mais segurança e velocidade de adoção aos nossos parceiros e clientes”, afirma Bolonha.

Para Bolonha, hoje, o maior desafio das empresas é se organizar para incorporar as tecnologias de computação em nuvem, que estão em constante evolução. Para atingir esse objetivo, muitas corporações tradicionais estão rompendo barreiras, sejam culturais ou de governança, pois sabem que a adoção da tecnologia é um caminho sem volta. “O meu objetivo será impactar os clientes desta nova região de Cloud para que consigam absorver ao máximo os benefícios da nuvem”, explica.

Entre as tendências que devem impactar o mercado brasileiro está o aumento de modelos de negócio 100% baseados na nuvem, uma realidade já comum para muitas startups brasileiras, mas que deve se estender rapidamente. Bolonha acredita que haverá, nos próximos anos, um aumento exponencial de empresas disruptivas habilitadas pela nuvem, em diversos setores. Com relação às empresas tradicionais, o executivo acredita que devam ter uma escala mais clara e acelerada na nuvem.

Recentemente, o Google anunciou o lançamento de uma região de Cloud aqui no Brasil, para atender clientes da América Latina. Entre os diferenciais anunciados estão a redução de até 95% na latência e a cobrança em reais, que facilitou e democratizou a contratação de serviços de Cloud no país.

Tags, ,

Israel, destino startup

Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da FGV leva a Israel interessados em vivenciar a cultura high tech. Programa inclui visitas e workshops – inscrições vão até 31 de outubro

O pioneirismo e a liderança de Israel como nação das startups são tema da segunda edição da Missão Empreendedora do CENN (Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios), da Fundação Getúlio Vargas. O programa, uma parceria com a Universidade de Jerusalém, inclui uma viagem ao destino, de 7 a 16 de janeiro de 2018, quando os visitantes poderão vivenciar e entender por que o país foi chamado pela The Economist como o superpoder da indústria high tech.

Organizada pelo Prof. Gilberto Sarfati, a Missão Empreendedora terá visitas a startups, encontros com líderes das empresas e workshops com temas como o conceito de segurança no país, desenvolvimento de produtos amados pelo público e estratégias de inovação. Além disso, os participantes terão a oportunidade de conhecer lugares turísticos como Massada, Kedma e o Museu do Holocausto.

A inscrição do programa vai até 31 de outubro. Interessados devem entrar em contato com o CENN pelo e-mail cenn@fgv.br.

II MISSÃO EMPREENDEDORA FGVCENN – ISRAEL, THE STARTUP NATION
7 a 16 de janeiro de 2018
Inscrições até 31 de outubro
Mais informações: aqui.

Tags, ,

O futuro das estratégias omnichannel

Por Yuri Fiaschi

O cenário da mensageria passou por grandes mudanças em 2016 e ao longo de 2017. O conceito de omnichannel já está bem disseminado, mas no ano passado ficou ainda mais conhecido, tornando-se fundamental para o crescimento da mensageria. Além disso, temos o fortalecimento dos apps de mensagens instantâneas, com o incremento do investimento de grandes corporações, o desenvolvimento de chatbots e a internet da coisas (IoT), o que faz de 2017 o ano da comunicação em termos de inovação. Aqui estão algumas tendências que podem ajudar na elaboração de estratégias omnichannel:

Aumento do uso de apps de mensageria por grandes corporações: Aplicativos de mensagens instantâneas entrarão na era do application-to-person (A2P), continuando uma tendência já presente em 2016. Desde que a primeira mensagem de texto foi enviada, em 1992, o cenário desse mercado passou por transformações radicais. Nos últimos anos, a comunicação person-to-person (P2P) foi dominada por aplicativos como WhatsApp ou Viber. Em 2017, a previsão é de que as empresas incluam esses apps no seu mix de marketing. Para muitos deles, isso fará parte de uma ampla estratégia multicanal ou omnichannel. Porém, é improvável que um aplicativo de mensagens instantâneas seja bem-sucedido, se for a única ferramenta de comunicação. É necessário torná-lo parte de uma plataforma integrada de omnichannel. Isso deve levar os apps a buscar parcerias com os provedores de mensageria, que , por sua vez, ofereceriam seus melhores serviços para atrair grandes corporações.

A escalada do omnichannel: considerando o potencial de negócios, empresas de todos os tamanhos vão abraçar o omnichannel em 2017. A Juniper Research previu que 160 trilhões de mensagens on-line ou via celular serão enviadas por ano até 2019, e as via omnichannel serão responsáveis pela maior parte delas. Diferentes canais de comunicação serão unidos por meio de novas formas de gerenciamento tecnológico e métodos mais simples de integração.

Robôs conduzindo os negócios: o atendimento ao cliente será dominado por robôs? Um cenário que parecia distante ficará mais perto em 2017. A tendência é de que, em vez de as empresas forçarem seus clientes a esperar para falar com o contact center ou não disponibilizar atendimento fora do horário regular de trabalho, os robôs façam esse trabalho e melhorem a eficiência do negócio. Além disso, os robôs podem ser vistos como o próximo grande passo na ampliação e no desenvolvimento de plataformas de comunicação, com o potencial de impactar todo um ecossistema.

O crescimento da internet das coisas (IoT) para conduzir integrações via APIs para SMS: as empresas estão buscando cada vez mais formas de conectar dispositivos em carros, casas e nos nossos bolsos. Este ano veremos o SMS profissional tornar-se o mecanismo de entrega de confiança para muitos desses aparelhos conectados. Seja para dar suporte a aspectos críticos de infraestrutura para a indústria, seja para conduzir cidades conectadas ou aplicações de IoT com alto risco, o SMS será essencial para a entrega de mensagens. Neste ano, o potencial para APIs de SMS crescerá ainda mais com a IoT e vai conduzir essa demanda para a integração de um componente de mensageria SMS em vários pontos de um ecossistema.

É importante que as empresas fiquem atentas a essas tendências, já que esse é o futuro da comunicação corporativa. O omnichannel, o chatbot e o SMS como ferramentas são uma realidade e estão cada vez mais presentes. As soluções fazem a diferença no atendimento aos clientes e maximizam a eficiência dos negócios. Em 2017, vamos ouvir falar muito dessas soluções.

Yuri Fiaschi é Sales Director Latam da Infobip

Tags,

Por que as empresas perdem seus maiores talentos?

Por Adriano Meirinho

Diversos gestores já ficaram perplexos quando algum de seus melhores funcionários pediu demissão. Perder um braço direito, aquele funcionário que sempre esteve nos seus 20%, não é algo prazeroso. Mais preocupante do que isso: geralmente estas perdas não são silenciosas, são acompanhadas por tentativas de chamar atenção para algo que não está dando certo na empresa.

O que a maioria dos gestores pensa é que o motivo principal dessas saídas é o salário, mas raramente essa é realmente a razão fundamental. Para os top talentos, o desenvolvimento profissional e de carreira vem em primeiro lugar. Alguns motivos reais para essa perda podem ser:

1. O funcionário não sente-se valorizado

Mais uma vez, reconhecimento não se trata de dinheiro. Se você olhar a pirâmide de Maslow sob a ótica do trabalho, necessidade de auto-estima e de auto realização são as duas maiores carências do ser humano.

Se você não reforça por meio de gestos, elogios ou aquele email inesperado dizendo um “parabéns” por um serviço bem realizado, você vai falhar na retenção destes top talentos. Não é necessário de bônus financeiro para reconhecimento, afinal palavras são de graça e os efeitos são poderosos.

2. O funcionário não tem visão de futuro

É muito comum que grandes talentos desanimem de seu trabalho por se sentirem estagnados, não desejarem fazer a mesma atividade pelos próximos anos ou por acharem que a empresa chegou no limite do crescimento. Eles querem mais aspirações, mais desafios, mais oportunidades de crescimento e aprendizado.

Visões vagas sobre estratégia e futuro da empresa impactam negativamente nestes profissionais, então converse sobre as suas aspirações. Procure formas de incentivo para projetos desafiadores, cursos e eventos que mantenham seu top talento em movimento.

3. Seus líderes se apropriam e escondem seus talentos

Sabe aqueles líderes que se apropriam de ideias dos membros da equipe? Invariavelmente, líderes fracos escondem os talentos da equipe para seus superiores, sempre ofuscando a existência e o valor destes. São líderes fracos.

Ser colocado nessa posição de inferioridade quando seu trabalho é o que destaca a equipe é um motivo mais do que justo para querer sair. Fique atento aos gestores de sua empresa e sempre perceba por conta própria o trabalho de seus funcionários em particular.

4. O funcionário leva trabalho para casa

Aquele seu funcionário que sempre fica até mais tarde, responde emails aos finais de semana e sempre está disponível para algo relacionado ao profissional pode estar ficando fadigado. Não abuse e não torne comum essa prática de usar da boa vontade de seu funcionário fora do ambiente do trabalho.

Líderes precisam conter sua ansiedade também. Essa tarefa realmente precisa ser feita a noite, nos finais de semana, no meio de um feriado? É realmente urgente e tal demanda vai fazer alguma diferença se for feito na segunda-feira ao invés do domingo? Então deixe para o horário em que ambos estão comprometidos com o trabalho.

5. Conquistas não são celebradas

Metas batidas, um resultado inesperado super positivo, empresa crescendo mais do que o previsto… A maioria das empresas tratam estes acontecimentos como obrigação, sem elevar isto a uma conquista passível de celebração, tornando-se chatas e não inspiradoras metas alcançadas. O reforço positivo e comemorar vitórias é sempre prazeroso e faz com que os funcionários sintam-se parte da empresa de verdade, sintam que estão trabalhando com um propósito.

Por último, um dos motivos da saída de top talentos são as ofertas de trabalho. Sim, grandes funcionários são assediados por outras empresas o tempo todo. Fique ciente que seu top funcionário responderá positivamente em um contato para uma nova proposta se um dos pontos acima estiverem faltando para sua auto-realização profissional.

Perder os melhores funcionários de sua equipe pode ser a fagulha que faz com que seu negócio desande. Não deixe que ela se torne fogo valorizando cada um dos top talentos por tudo que ele pode oferecer.

Adriano Meirinho é CMO e co-fundador do Celcoin, aplicativo de serviços financeiros para quem não possui conta em banco.

Tags, , ,

Evento nos EUA apresenta as últimas inovações tecnológicas em automação industrial

Entre os dias 15 e 16 de novembro de 2017, a empresa Rockwell Automation promove a 26ª Automation Fair®, no George R. Brown Convention Center, em Houston, nos EUA. O evento oferece a profissionais do setor a oportunidade para descobrirem como a empresa conectada pode ser globalmente mais competitiva.

Na programação, 160 expositores, diversas sessões técnicas, laboratórios hands-on, workshops e fóruns setoriais, que abordarão temas como: cyber security; a indústria e a internet das coisas; empresa conectada ou indústria 4.0; compliance; cloud computing; big data analytics; mobilidade e outros.

O evento anual atrai milhares de pessoas e oferece programação gratuita e diversificada sobre outros temas igualmente importantes, como: máquinas com segurança embarcada para redução de acidentes; avanços industriais pela convergência da informação e da tecnologia da operação; indústria conectada e mobilidade em operações fabris proporcionando maior produtividade e competitividade; tecnologias para sistemas de energia com altos índices de precisão; velocidade de resposta, produção sustentável e redução de custos.

“A proposta do Automation Fair é apresentar produtos e soluções que possam trazer benefícios práticos para as empresas e seus clientes finais; trazendo a empresa conectada para a vida prática; apresentando cases reais e problemas reais; mudando esta visão de que IoT é apenas um conceito; indo para a prática destas ideias inovadoras; e comunicando que esta transformação tecnológica é inevitável para as empresas que querem se manter competitivas, diz Rodrigo Marangon, Diretor Regional da Rockwell.

Sobre o setor de automação industrial

Caminhando contra a maré da retração econômica, o mercado de automação industrial segue em franca prosperidade. A projeção de crescimento da automação no Brasil entre 2014 e 2016 foi de 12%, segundo pesquisa da InfoComm para este período.

A transformação tecnológica inevitável atingiu o setor industrial e colocou as empresas num lugar de investidores e desenvolvedores de serviços e produtos tecnológicos que possam otimizar processos; permitir acesso transparente aos dados, gerar maior produtividade e qualidade ao reduzir os custos, reduzir o tempo de inatividade, melhorando a coordenação da sua cadeia de suprimentos, e proporcionando melhorias na logística e gestão.

Segundo a consultoria IDC, a Internet das Coisas (IoT), movimentou US$ 4,1 bilhões no Brasil no ano de 2016. O conceito demanda forte automação para interligar, conectar e interagir no mundo digital. No mercado corporativo, as empresas migrarão aplicações tradicionais, como telemetria e monitoramento, para o paradigma de IoT.

Fornecedores de equipamentos e desenvolvedores de plataformas, softwares e soluções industriais também intensificarão o lançamento de soluções de IoT customizadas e em escala para as corporações; criando e sinalizando o caminho sem volta da transformação tecnológica industrial, a indústria 4.0 (I4.0).

Tags, ,