Page

Author admin

Relatório da Stratecast | Frost & Sullivan mostra que WeDo Technologies lidera mercado global de garantia financeira de CSPs

Com base no seu relatório de análise recente do mercado de garantia financeira de operadores de comunicações (CSPs), a empresa líder em consultoria e análise de pesquisa Stratecast | Frost & Sullivan escolheu a WeDo Technologies como única vencedora do seu prêmio Stratecast Global Market Leadership 2016 na categoria garantia financeira de CSPs. A WeDo Technologies foi condecorada pela Stratecast por liderar pela segunda vez consecutiva o mercado global altamente competitivo de garantia financeira.

O prêmio de liderança em participação de mercado segue-se à extensa análise feita pela Stratecast sobre o mercado de garantia financeira de CSPs, na qual examinou mais de 46 fornecedores globais de soluções de garantia financeira (que consiste em garantia de receita, às vezes também chamada de Profit Protection ou Loss Prevention, além de gestão de fraude e garantia de margem).

“Quando uma empresa é reconhecida como a líder de um mercado altamente competitivo, como o mercado de garantia financeira de CSPs, há um nível de prova de que a empresa também é bem vista por seus clientes”, comentou Troy Morley, analista de estratégia de ODAM (Operações, Orquestração, Análise de Dados e Monetização) da Stratecast | Frost & Sullivan. “Manter essa alta consideração com uma base de clientes diversificada – a WeDo Technologies tem mais de 170 clientes em 96 países – é um desafio, mas um desafio que a empresa não só satisfez, como também superou.”

“Estamos muito satisfeitos por ser reconhecidos mais uma vez pela Stratecast | Frost & Sullivan como a líder em segurança financeira”, disse Rui Paiva, CEO e fundador da WeDo Technologies. “O relatório reconhece a nossa posição de liderança em participação, bem como o nosso potencial de crescimento. Por meio do nosso investimento concentrado e contínuo em pesquisa e desenvolvimento, estamos constantemente evoluindo a um ritmo rápido para garantir que as nossas soluções estejam um passo à frente na prevenção de ameaças que atacam a rentabilidade dos nossos clientes.”

Ao fornecer software que analisa, monitora, controla, administra, opera e otimiza de forma inteligente grandes quantidades de dados de toda a organização, a WeDo Technologies se destaca em maximizar soluções de entrega de garantia de receita e gestão de fraude que minimizam, ou até mesmo acabam com ineficiências operacionais e de negócios, permitindo que CSPs alcancem retornos financeiros significativos.

A WeDo Technologies está se concentrando nas mais recentes ameaças e desafios do mercado, fornecendo continuamente soluções de software de gestão de risco altamente eficientes a CSPs que buscam gerir questões de risco. A WeDo Technologies apoia essas necessidades por meio de uma oferta de serviço sólida, bem como modelos de entrega SaaS.

O relatório completo “Global CSP Financial Assurance 2016 Edition: Market Forecast, Market Share Analysis, and Supplier Assessment” pode ser baixado aqui.

Tags, , , ,

Quais as áreas e especificações mais promissoras nas startups em 2017?

O ano de 2016 foi um período de muita instabilidade e incertezas, principalmente com relação a economia do país. Porém, um dos setores que apontou um crescimento significativo nos últimos anos foram as chamadas “startups”. De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), existem aproximadamente 4.200 startups dos mais variados segmentos, como saúde, e-commerce, SaaS, entretenimento, educação, dentre outros.

Para acompanhar esse crescimento, as startups precisam ter em seu quadro de funcionários, profissionais especializados em áreas que são chaves para garantir o sucesso da empresa. Mas, quais são as áreas e especificações mais buscadas por essas empresas em 2017?

Segundo um levantamento realizado pela a Gama Experience, escola de transformação tecnológica que cria programas educacionais para profissões do futuro, as áreas e especificações que serão mais promissoras nas startups são:

1) Programação – Mobile:

O mundo está cada vez mais mobile. No Brasil, por exemplo, o número de telefones celulares ultrapassa o número de habitantes. Por isso, se torna cada vez mais valiosa a carreira de desenvolvedor mobile. Essa profissão é a responsável por programar, codificar e testar nas plataformas Android e/ou IOS os aplicativos e programas que são desenvolvidos, além de executar a manutenção dos sistemas, fazendo eventuais correções necessárias, visando atender às necessidades dos usuários. Os profissionais também desenvolvem trabalhos de montagem, depuração e testes, executando serviços de manutenção nos programas já desenvolvidos. Nas startups, esse profissional é cada vez mais requisitado, visto que, são empresas altamente tecnológicas e inovadoras e que precisam acompanhar cada vez mais o avanço dessas áreas. Muitas startups, inclusive, são baseadas em um aplicativo, como Uber, Waze, WhatsApp e diversas outras que vão surgindo dia após dia.

2) Business/vendas – Customer Success

É uma nova abordagem do processo de vendas. É um misto de suporte técnico e consultoria com o objetivo de fazer com que o cliente tenha a melhor experiência possível com o produto aumentando o nível de satisfação dos clientes, fidelizando-os e tornando possível a indicação dos serviços da empresa para outras pessoas. Nas startups, o profissional de Customer Success é muito importante pois ele acompanha todas as etapas da implementação do produto, age de maneira proativa, antecipa a resolução de possíveis problemas e estabelece um vínculo com o cliente. A essência do Customer Success é que o cliente é um dos ativos mais preciosos da empresa e deve receber atenção especial. Atualmente, já existem muitas startups que incluíram no DNA da sua empresa essa área, como por exemplo, Samba Tech, Trustvox, Sympla e Fleety.

3) Marketing Digital – Inbound Marketing

É o conjunto de estratégias que tem por objetivo atrair voluntariamente consumidores para o site da empresa. Tem como foco o relacionamento com o cliente, a criação de conteúdos úteis que informam e ajudam o público a resolverem alguns de seus problemas. Por meio dessas estratégias, os leads (clientes potenciais), passam por um funil que os qualificam até o ponto de tomada de decisão – a compra do produto. É uma estratégia muito adotada em startups porque diferente da abordagem tradicional “Compre meu produto, ele tem tal benefício”, o Inbound Marketing identifica a “dor” do cliente e cria conteúdos que vão ajudá-lo a resolver seus problemas, garantindo uma venda muito mais qualificada e assertiva.

4) Design – CSS

CSS significa Cascading Style Sheets que é uma “folha de estilo” composta por “camadas”, utilizada para definir a “aparência” de páginas da internet. A maioria das empresas hoje em dia, possuem sites e quem não possui está em grande desvantagem. O profissional de CSS é o responsável por tornar esses sites cada vez mais atrativos criando layouts, elementos de cores, formatos e fontes que auxiliam o usuário a entender do que se trata a página/empresa e com isso aumentar as chances de aquisição de clientes. Geralmente, toda startup possui um profissional com essas habilidades, já que é um mercado extremamente concorrido e inovador, é necessário inovar e sempre atrair mais clientes.

Tags, , , , ,

App Filho sem Fila reduz problemas ocasionados na hora de saída de escolas

Captura de Tela 2017-01-25 às 12.39.52

Faltam apenas duas semanas para o início de mais um ano letivo das escolas. Com ele, vem o aumento do trânsito – que segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET – fica em torno de 50%; crescem as oportunidades para atos de violência – a exemplo de sequestros e assaltos (sobretudo nas cidades mais populosas); e possíveis acidentes de trânsito, geralmente ocasionados pela euforia dos alunos na hora da saída. E, ao analisar a situação de forma mais generalizada, ocorrem as infrações de trânsito, trazendo prejuízos aos bolsos dos pais.

Percebendo este cenário, diversas escolas já entenderam a necessidade de oferecer recursos que tragam comodidade e agilidade aos pais. E a solução mais inovadora para isso, foi a utilização de aplicativos que gerenciam informações e põe fim às filas de espera de carros. O app Filho sem Fila foi pioneiro neste serviço e hoje é uma das principais ferramentas utilizadas no mercado, que reduz o tempo de espera em 75%, oferecendo segurança, bem como, economia de combustível.

Um único toque: antes de sair de casa ou trabalho para buscar os filhos, os pais ou responsáveis avisam a escola com um único toque no aplicativo. Ao se aproximar do colégio, um aviso é enviado automaticamente para o mesmo, que inicia a preparação do aluno para a saída, deixando-o pronto para o embarque. Desta forma, basta encostar o carro na porta da escola e pegar a criança/adolescente, sem que seja necessário procurar por uma vaga na rua e estacionar.

O Filho sem Fila transformou-se em um forte aliado das escolas na hora de conquistar ou reforçar a credibilidade da instituição frente a seus clientes. De acordo com o sócio-diretor do aplicativo Leo Gmeiner, hoje em dia é fundamental oferecer recursos que tragam mais segurança aos pais e alunos enquanto estão sob a responsabilidade do colégio. “De forma rápida e fácil, o Filho sem Fila amplia a segurança das crianças, pois entrega dados das pessoas autorizadas pelos pais a retirar os alunos, ao mesmo tempo em que diminui o trânsito, a formação de filas duplas e a exposição dos pais à violência urbana”, declarou Gmeiner.

Atualmente, mais de 100 colégios utilizam o Filho sem Filho em todo o País, entre eles estão o Colégio São Luis (São Paulo, SP), São José (Pouso Alegre, MG), CEI (Natal, RN), Liceu Jardim (Santo André, SP), entre outros. Mais de 30 mil alunos são beneficiados e 50 mil pais e responsáveis utilizam a plataforma gratuitamente. “Esse cuidado com alunos e pais é oferecido pelas escolas, que procuram sempre fazer o melhor para aqueles que depositam a confiança da educação de seus filhos nelas”, disse Gmeiner.

Tags, , , ,

Yoshop, a nova estrela em ascensão em aplicativos de compras na América Latina

16142720_1320272938018706_8545224463619207187_n

A classificação do aplicativo Yoshop melhorou nas principais lojas de aplicativos por toda América Latina a partir de 18 de janeiro de 2017. Conforme dados obtidos a partir do App Annie, o aplicativo de compras alcançou posição entre os 3 principais, na Argentina e no Chile.

A informação no App Annie revela que nos gráficos da Argentina, o aplicativo na primeira posição é o Mercado Libre e, ocupando a segunda posição está o aplicativo OLX. Enquanto que nos gráficos do Chile, o aplicativo que ocupa a primeira posição é o Yapo.cl e o aplicativo AliExpress Shopping ocupa a segunda posição.

A Engenheira de Suporte do App Annie, Ava Guo, disse, “A informação sobre a classificação é totalmente a partir das principais plataformas de lojas, tais como a Apple e o Google. O App Annie apenas coleta a informação e a apresenta na melhor colocação, sem mudanças ou edição, para assegurar dados confiáveis”. Isso significa que o aplicativo Yoshop poderia não ter alcançado sua posição atual se não fosse por sua popularidade entre os usuários o que, subsequentemente, leva a um maior número de downloads, para vencer outros aplicativos concorrentes. Isso também indica que os usuários que fizeram o download do aplicativo o acharam útil e deixaram avaliações positivas sobre o aplicativo, as quais cont ribuíram para sua classificação e tornaram possível que ele continuasse na terceira posição no gráfico dos aplicativos.

Há planos em andamento para atualizar os métodos de pagamento e envio do aplicativo Yoshop para expandir o mercado na América Latina e ser competitivo com os demais concorrentes. Com estas atualizações, os consumidores que utilizam o aplicativo terão uma variedade de opções, mais flexibilidade e continuidade para melhorar sua experiência de compras.

Tags, ,

Atraso em disponibilidade de programa da Dirf pode comprometer declaração de imposto de renda

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) enviou, nesta terça-feira (24), ofício ao secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, pedindo a prorrogação do prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf), previsto para o dia 15 de fevereiro, e a imediata disponibilização do programa para realização da declaração.

Todos os anos o programa é disponibilizado no início de janeiro, e as empresas tinham até 28 de fevereiro para fazer a declaração. Para este ano a Receita antecipou o prazo de entrega para 15 de fevereiro, mas até esta terça-feira (24) não havia disponibilizado o programa para realização da Dirf.

A Dirf é obrigatória para todas as pessoas jurídicas, independentemente de forma de tributação. Nela o empregador informa valores de pagamentos, benefícios e retenções do Imposto de Renda na fonte. E essa é uma das preocupações dos profissionais da contabilidade. “É pela Dirf que o governo fica sabendo quanto foi retido na fonte das pessoas físicas. É também com base nela que as empresas emitem o Informe de Rendimentos, documento necessário para que o trabalhador faça sua Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda”, explica o vice-presidente de Registro do (CFC), Marco Aurélio de Almeida.

Para o vice-presidente técnico do CFC, Zulmir Breda, outro ponto de preocupação é o acúmulo de atividades que os profissionais da contabilidade têm neste período do ano. “Causou-nos descontentamento o fato de ter sido antecipado o prazo de entrega, visto que esse período do ano é complexo para as empresas, que têm uma série de outras obrigações a cumprir, como é o caso do encerramento das demonstrações contábeis anuais”, disse.

Almeida destaca que, embora os processos nas empresas estejam bastante informatizados, o que permite realizar a Dirf em pouco tempo, a depender do volume de funcionários ou, no caso das empresas contábeis, do número de clientes, será difícil cumprir o prazo estabelecido. “O programa sempre esteve disponível no início de janeiro, e os profissionaisorganizavam suas rotinas para cumprir o prazo, que era 28 de fevereiro. Este ano, além de não estar disponível , há o agravante da antecipação”.

O atraso preocupa também os fornecedores de softwares que atendem os escritórios contábeis, porque eles têm de fazer adaptações nos programas das empresas com base no que é disponibilizado pela Receita. “Na hora da validação das informações é muito comum que seja preciso fazer ajustes nos programas das empresas para compatibilizá-los com o da Receita. A Dirf é uma declaração complexa”, comenta Almeida.

A multa pela entrega fora do prazo é de 2% sobre o montante dos tributos e das contribuições informadas limitadas a 20%. Para as pessoas físicas, empresas inativas ou optantes do Simples Nacional a multa é de R$ 200.

Tags, , , , , ,

Desenvolver uma plataforma própria ou adquirir uma pronta: qual a melhor escolha para sua empresa? – Por Paulo Roberto Ferreira Henneberg

imagem_release_851886 O que é melhor: fazer sua própria plataforma ou investir em uma solução já pronta? Essa dúvida vem me intrigando há anos, pois convivo com muitos profissionais que têm opiniões divergentes sobre o tema. Alguns preferem a praticidade de já começar os trabalhos com uma plataforma pronta, testada e reconhecida. Outros garantem que ter uma solução personalizada exclusivamente para o seu negócio garante uma funcionalidade muito melhor. Eu acredito que, na verdade, temos pontos positivos e negativos dos dois lados.

Uma plataforma Do It Yourself adere mais rápido aos processos da empresa, a solução é desenvolvida sob medida e não existe o custo extra com adaptações. Por outro lado, ela exige um maior tempo de implantação e desenvolvimento, a manutenção depende de sua própria equipe, fica mais sujeito a bugs (já que não foi testado por outras empresas) e precisa desenvolver uma rotina de desenvolvimento constante e manutenção, para não perder as inovações do mercado.

Já uma solução UCP (Unified Compute Platform) tem como vantagens o menor tempo de implantação, menor vulnerabilidade a bugs, upgrades programados e funcionalidades construídas tomando como base as melhores práticas do mercado. Como desvantagem temos o maior tempo de aderência aos processos da empresa, o custo de aquisição e os gastos com as adaptações que forem necessárias. No entanto, depois de muito observar o mercado, eu considero que as plataformas prontas apresentam mais pontos positivos que as plataformas DIY quando paramos para pensar em aspectos além da TI.

Meu primeiro argumento diz respeito aos profissionais da área de TI. A maioria trabalha em equipes pequenas, fazendo com que cada um precise se desdobrar para conseguir atender todas as demandas da empresa. O tempo utilizado desenvolvendo uma nova plataforma seria muito mais bem aproveitado atendendo a esses pedidos e investindo em melhorias para suas demandas diárias.

Isso pode ser comprovado com os dados divulgados na pesquisa desenvolvida pelo Edison Group. Segundo o estudo, as soluções UCP entregaram uma economia de 38,1% em TCO (Custo Total de Propriedade) quando comparada com as soluções desenvolvidas na própria empresa. Além disso, existe também uma economia substancial em Design de Serviços (59,1%), Transição (50%) e Operações (60%). Esses valores podem ser investidos em novas tecnologias e melhorias tanto para o setor como para a empresa como um todo.

Existe também um outro estudo da IDC que mostra que as soluções UCP apresentam um ROI (Retorno sobre Investimento) de 360%, apresenta 100% menos de tempo não-programado sem atividades, têm redução de custos relacionados com infraestrutura de 37% e 44% menos tempo gasto com itens essenciais de manutenção, como energia elétrica.

Outro detalhe que também considero importante é a possibilidade de ter um único fornecedor para toda a infraestrutura de TI. Isso facilita a aquisição e a manutenção dos sistemas, já que todos conversam entre si. Além disso é possível contar com toda a expertise adquirida com as outras empresas que utilizam o mesmo sistema.

Mesmo com a quantidade de vantagens oferecidas pelas soluções desenvolvidas dentro das próprias empresas, acredito que a aquisição de uma plataforma pronta seja uma escolha mais interessante. Considerando custos, tempo de desenvolvimento e necessidade de atualizações, saem ganhando as empresas que optam pela UCP.

Paulo Roberto Ferreira Henneberg, Head de Marketing e Comunicação da Hitachi Data Systems Brasil

Tags,

A tecnologia como agente transformador da experiência de compra – Por Brian Krzanich

Quando você faz compras online, provavelmente, não leva em consideração a quantidade de dados que gera.

Atualmente, os dados podem ser considerados o centro do relacionamento entre clientes e varejistas. O último varejista on-line que você visitou sabe o que você inicialmente estava interessado em comprar e o que você acabou comprando. Ele também sabe quais itens foram colocados no carrinho, mas não foram comprados.

Os dados podem ser medidos, analisados e acessados remotamente, de qualquer lugar. Eles serão os diferenciais para o crescimento dos varejistas e para que eles engajem e ampliem a sua base de clientes. Até agora, dados detalhados sobre os compradores estavam disponíveis apenas para as lojas online. Na Intel, acreditamos que cada vez mais os varejistas serão separados entre os que possuem dados e usam para crescer e otimizar a experiência de compra e aqueles que não possuem e tomam suas decisões baseadas na “experiência” e em observações subjetivas.

Quando usados de forma eficiente, os dados fornecem aos clientes um maior controle e aos varejistas mais informações. A Intel demonstrou na semana passada durante o “Retail Data Show” da NRF, em New York, ferramentas e outras tecnologias centradas em dados, que têm por objetivo transformar drasticamente tanto as experiências na loja, quanto as de compra online.

As tecnologias de Internet das Coisas (IoT) e de nuvem da Intel impactam a cadeia de fornecimento de ponta a ponta. Os sensores IoT coletam dados que podem ser analisados. Os data centers processam a informação e dão utilidade aplicável no negócio. Por exemplo, com as tecnologias da Intel é possível ver quais itens não estão na localização correta na área de vendas, além de levantarem o inventário da loja em tempo real, incluindo o que está no estoque. Elas podem até indicar quais itens entram nos provadores, mas nunca chegam até ao caixa.

Para ajudar a transformar a maneira com a qual as pessoas compram e como as lojas podem atendê-las melhor, a Intel apresenta a Intel® Responsive Retail Platform (Intel® RRP). Ela fornecerá uma profunda compreensão sobre como as lojas e como as pessoas interagem. E, ao longo dos próximos cinco anos, a Intel planeja investir US$ 100 milhões na indústria do varejo com essa nova plataforma. O investimento possibilitará os varejistas a unificarem cada parte de suas operações, criarem um impacto positivo em seus resultados e resolverem os desafios da operação do negócio.

A plataforma de varejo coleta múltiplas fontes de dados para conectar os ambientes digitais e físicos. Com os objetivos de reduzir custos e aumentar as vendas, a solução ajuda a reabastecer o estoque de forma eficiente, posicionar funcionários e outros recursos, além de rastrear o inventário – da cadeia de fornecimento até a vitrine da loja. A Intel® Responsive Retail fornece informações em tempo real sobre o que os clientes estão comprando, o que procuram além do gerenciamento do estoque.

As ferramentas centradas em dados são apenas o começo de onde a tecnologia levará a experiência de varejo. Hoje, varejistas inovadores como o Alibaba estão incentivando os clientes a usarem a realidade virtual para comprar em qualquer lugar do mundo sem sair de casa. Os clientes estão se engajando em experiências de compra personalizadas em realidade virtual, enquanto a tecnologia imersiva está abrindo portas para que os varejistas alcancem novos clientes e mercados de forma criativa.

A realidade virtual está encorajando clientes e varejistas a usarem os dados e as análises para maximizar o investimento e impactar o varejo. Com tecnologias, como robótica e inteligência artificial para reduzir a carga imposta sobre os funcionários, cada aspecto da loja e da cadeia de fornecimento permitirá que os funcionários foquem mais no cliente e em melhorar o desempenho da loja.

Estamos desenvolvendo tecnologias que ajudarão a transformar a experiência de compras em um futuro próximo. Ao unir a realidade virtual com o poder dos dados, ajudaremos a criar a loja do futuro – inteligente, rápida de resposta, conectada e segura.

Brian Krzanich (@bkrunner) é CEO Global da Intel

Tags, , , ,

Cisco anuncia duas novas soluções para comunicação colaborativa

A Cisco, líder mundial em Tecnologia, anuncia hoje a chegada de duas novas soluções: Cisco Spark Board e Cisco Spark Meetings. As novidades, como todas as ferramentas de colaboração da Cisco, ajudam a aumentar a produtividade das equipes de forma segura, além de reduzir os custos com comunicação e deslocamentos.

Apesar das pessoas estarem mais conectadas do que nunca, ainda existem salas de reunião com recursos ultrapassados, difíceis de usar e que geralmente precisam de manutenção com frequência. Não é raro haver técnicos nas salas de reunião, apenas para garantir que a complicada aparelhagem conecte os principais executivos e clientes numa reunião importante. Situações que o Cisco Spark Board e o Cisco Spark Meetings possibilitam acabar de vez.

O Cisco Spark Board é um hardware especialmente desenvolvido para a transformação digital das salas de reuniões. É um inovador dispositivo de apresentação wireless, desenhado para resolver o problema das reuniões improdutivas e projetado para a melhor experiência de comunicação em nuvem. Além disso, a Cisco também desenvolveu um novo software que se encaixa perfeitamente ao Cisco Spark Board e que dá vida a todos os dispositivos conectados à reunião: é o Cisco Spark Meetings. Espaços físicos e virtuais agora estão conectados de forma simples, fácil e rápida, tudo na nuvem e com muita segurança.

Entre os recursos do Cisco Spark Board estão:

1. Apresentação wireless que funciona para todos, em todo lugar:

A equipe de trabalho terá acesso a todos os Cisco Spark Board da empresa, não importa em que lugar do mundo. Com apenas um clique será possível compartilhar dados ou conversar, sem qualquer necessidade de configurar uma conexão Bluetooth ou acessar uma rede Wi-Fi especial. É o compartilhamento de tela que funciona. Dessa forma, o Cisco Spark Board cria uma rede global de espaços de trabalho que pode ser acessada de qualquer lugar do PC, Mac, tablet ou celular.

2. Quadro interativo digital editável:

O Cisco Spark Board estabelece um nível elevado de funcionalidades, com a opção de conteúdo compartilhável, editável e com a segurança de ter seus dados criptografados. É o quadro interativo que todo o time pode colaborar em tempo real, a partir de qualquer dispositivo. Outra vantagem da solução é que o Cisco Spark Board salva automaticamente todos os dados, apresentações e conversas no espaço compartilhado pelo time.

3. Dispositivo de conferência em alta definição:

O Cisco Spark Board oferece áudio e vídeo em alta definição. Sua câmera 4K permite uma visão ampla da sala e a tecnologia VoiceTrack garante que as mensagens chegarão cristalinas a todos os participantes. A configuração é tão simples quanto montá-lo na parede e conectá-lo. Para os parceiros Cisco, esses lançamentos ampliarão o mercado de videoconferências. Já para os clientes, haverá um salto de qualidade e produtividade jamais visto.

Cisco Spark Meetings

As reuniões são apenas uma das muitas interações das equipes de trabalho em cada projeto. E todos precisam da melhor experiência possível neste contínuo fluxo de informações. A outra novidade anunciada hoje, o Cisco Spark Meetings, é a versão portátil do Cisco Spark Board, disponível em dispositivos como desktop, celular, tablet e Cisco Spark Board.

Ao desenvolver uma nova roupagem aos recursos do Cisco WebEx, o Cisco Spark Meetings cria uma nova forma de reunir equipes para tomadas de decisão. Tudo isso por meio da integração de hardware, software, aplicativos e nuvem. E, por estar disponível na plataforma Cisco Spark, oferece a segurança e confiabilidade que o ambiente corporativo necessita.

Faça um tour da nova experiência do usuário baseada em atividades para ver como isso torna mais fácil do que nunca fazer as coisas acontecerem. A experiência será a mesma em todos os dispositivos, com um salto na produtividade.

“O mercado corporativo vive um momento de repensar sua linha de produtividade e comunicação. A tecnologia tem mostrado cada vez mais que não é custo, mas investimento necessário para reduzir custos desnecessários. Agora, soluções como Cisco Spark Board e Cisco Spark Meeting favorecem empresas que possuem unidades em diferentes regiões a manterem a comunicação entre suas equipes na tomada de decisão e aproveitamento do tempo”, afirma Adriano Gaudêncio, diretor de arquiteturas e soluções da Cisco do Brasil.

Tags, , , , ,

Gartner: gastos mundiais com TI devem crescer 2,7% em 2017

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, aponta que os gastos mundiais com TI devem totalizar US$ 3,5 trilhões em 2017, um aumento de 2,7% em comparação a 2016. Entretanto, essa taxa de crescimento é inferior às projeções anteriores, que eram de 3%.

“2017 estava prestes a ser um ano de recuperação em gastos com TI. Algumas tendências importantes convergiram, inclusive Cloud, blockchain, negócios digitais e inteligência artificial. Normalmente, isso teria impulsionado os gastos com TI muito além do crescimento de 2,7%. No entanto, parte da incerteza política nos mercados globais promoveu uma estratégia de esperar para ver o que acontece, fazendo com que muitas empresas evitassem investimentos em TI”, explica John-David Lovelock, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.

A Previsão de Despesas Mundiais de TI do Gartner é o mais importante indicador das principais tendências tecnológicas nos mercados de hardware, software, serviços de TI e telecomunicações. Por mais de uma década, executivos globais de TI e de negócios têm usado esses relatórios trimestrais altamente antecipados para reconhecer oportunidades e desafios de mercado e basear suas decisões de negócios críticas em metodologias comprovadas.

Despesas mundiais com dispositivos (PCs, tablets, ultraportáteis e celulares) devem permanecer estáveis em 2017, alcançando US$ 589 bilhões. Um ciclo de substituição no mercado de PCs, os preços altos e as funcionalidades dos ultraportáteis premium ajudarão a incentivar o crescimento em 2018. Os países emergentes irão impulsionar o ciclo de troca de telefones celulares, uma vez que os smartphones nesses mercados são usados como dispositivo principal de computação e substituídos com mais regularidade do que em regiões desenvolvidas.

O mercado mundial de serviços de TI crescerá 4,2% em 2017. Os investimentos dos compradores em negócios digitais, automação inteligente, e otimização e inovação de serviços continuam a impulsionar o crescimento no mercado, mas o cuidado na hora de comprar, alimentado por grandes desafios econômicos, continua a ser um contrapeso para um desenvolvimento mais rápido.

“A variação de crescimento das despesas será muito maior em 2017 do que nos últimos anos. Normalmente, o ambiente econômico provoca algum nível de divisão, no entanto, em 2017, isso é agravado pelo aumento dos níveis de incerteza”, afirma Lovelock. “O resultado dessa incerteza é uma divisão entre indivíduos e corporações que gastarão mais devido às oportunidades que surgem e aquelas que retrairão ou suspenderão os gastos com TI”.

Por exemplo, a criação agressiva de plataformas de computação em Nuvem por empresas como Microsoft, Google e Amazon é um item que está impulsionando a previsão feita para o mercado de servidores globais de atingir 5,6% de crescimento em 2017. Isso foi revisto em relação à previsão de crescimento de 3% no último trimestre, sendo um aumento suficiente para superar o esperado declínio de 3% em armazenamento externo controlado pela base e permitir que o segmento de sistemas de Data Center cresça 2,6% em 2017.

A metodologia de previsão de despesas de TI do Gartner depende fortemente da análise rigorosa das vendas de milhares de fornecedores em toda a gama de produtos e serviços de TI. O Gartner utiliza técnicas de pesquisa primária, complementadas por fontes de pesquisa secundárias, para construir uma base de dados abrangente de informações de tamanho de mercado para basear sua previsão.

Tags,

Oracle anuncia expansão do programa de aceleração de startups para promover inovação global na nuvem

A Oracle anuncia hoje a ampliação do programa Oracle Startup Cloud Accelerator. A iniciativa tem o objetivo de impulsionar a inovação e novas soluções na nuvem ao redor do mundo. Com isso, a Oracle vai levar o programa a sete novas cidades: Bristol, Deli, Mumbai, Paris, São Paulo, Cingapura e Tel Aviv.

Criado por membros da equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Oracle, o programa oferece seis meses de orientação de especialistas técnicos e de negócios, tecnologias avançadas, um espaço de coworking, acesso a clientes, parceiros e investidores além de créditos livres para as soluções de Oracle Cloud. A ação também oferece uma rede global em expansão composta por outras startups.

Com base nas próprias atividades iniciais de um novo negócio, a Oracle acredita que apoiar o empreendedorismo e a criatividade entre empresas emergentes é fundamental para a promoção da inovação tecnológica no mundo.

“Depois do sucesso do lançamento desse programa em Bangalore, na Índia, estamos empenhados em desenvolver um ecossistema de apoio às startups em todo o mundo”, afirma Thomas Kurian, presidente da área de Desenvolvimento de Produtos da Oracle. “A nuvem está abrindo espaço para inovações incríveis em todos os aspectos dos negócios e em todos os setores. Queremos apoiar essa nova revolução tecnológica impulsionada pela nuvem.”

Com sua moderna plataforma de nuvem, otimizada para garantir alto desempenho, capacidade, disponibilidade e diversos serviços, a Oracle democratizou essa tecnologia de nível empresarial com foco nas startups. O conjunto completo de recursos de nuvem da Oracle traz aos desenvolvedores de startups os recursos necessários para começar imediatamente e crescer à medida que os negócios se expandem e mudam, sejam em três camadas ou nativos na nuvem, ampliando-se vertical ou horizontalmente (scale-up ou scale-out). Com uma presença global, a Oracle presta mais de 50 serviços de nuvem integrados para dar suporte a empresas de todos os tamanhos.

A iniciativa, que teve seu programa-piloto lançado na Índia em abril de 2016, atraiu centenas de startups candidatas e muitos participantes já tiveram sucesso.

“O Oracle Startup Cloud Accelerator foi sem dúvida uma grande plataforma de para alavancar nosso negócio”, avalia Aardra Kannan Ambili, cofundador e diretor de Tecnologia da Riot Solutions, startup da área de IoT para o setor de saúde que participou do programa piloto. “Graças à Oracle, somos agora uma startup de rápido crescimento com capital de giro.”

Reggie Bradford, vice-presidente sênior de Desenvolvimento de Produtos da Oracle, será o líder para expandir o programa ao lado de Sanket Atal, vice-presidente do grupo de Desenvolvimento da Oracle, responsável pelo programa-piloto na Índia.

“Os próximos cinco a dez anos prometem em termos de inovações e crescimento que vão levar a novas ideias de negócio viabilizadas pela nuvem”, destaca Bradford. “A Oracle entende que as startups estão no centro de inovação e, por meio desse programa, pretendemos dar a elas acesso à vastos recursos e suporte para alavancar os negócios.”

O Oracle Startup Cloud Accelerator é aberto a startups de tecnologia ou baseadas em tecnologia em fase inicial. As empresas interessadas poderão se candidatar ao decorrer de 2017 de acordo com o cronograma de cada uma das novas cidades. Mais informações e inscrições pelo site: www.oracle.com/startup.

Tags, , ,

Embratel anuncia solução de Cloud Server para E-Open

A Embratel anuncia a conquista de novos clientes. A E-Open, empresa líder no desenvolvimento de aplicações, está utilizando a solução de Cloud Server da Embratel para armazenar seus dados e aplicações de seu negócio. Com um vasto portfólio de soluções integradas de Telecomunicações e TI, a Embratel oferece para a E-Open Infraestrutura como Serviço (IaaS) armazenada em Nuvem, com a vantagem de pagamento conforme o uso, dispensando eventuais custos com compra de equipamentos e de sistemas. A E-Open está hospedando no Cloud Server da Embratel uma série de aplicações que são acessadas diariamente por milhares de pessoas, como cursos de educação à distância de importantes universidades e hospitais do País.

Com foco no planejamento e execução de projetos consistentes e sustentáveis na área de software, a E-Open oferece serviços de programação de computadores e precisava de uma plataforma de alto desempenho e confiabilidade para desenvolver aplicações para seus clientes. Com a solução da Embratel, a E-Open passa a ter à disposição uma plataforma com recursos completos e customizáveis, atendendo perfeitamente suas necessidades.

“A solução da Embratel permite que a E-Open combine elasticidade, poder computacional aliados a maior capacidade de conexão de rede do País, sem a necessidade de franquias mínimas. A cobrança é realizada por hora, conforme os recursos utilizados”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções de Soluções Digitais da Embratel. O executivo destaca que a Embratel já está consolidada como provedora de serviços de Cloud Computing para o mercado corporativo e continua expandindo cada vez mais sua presença.

“Com a Embratel, conseguimos ter uma estrutura completa que nos permite liberdade para ampliar o uso de serviços de Cloud Server conforme nossa demanda. Estamos muito felizes com o serviço e com a agilidade que temos com o portal da Embratel, que permite ajustes em nosso plano, de forma automática e sem dificuldades. Esse benefício é muito difícil de encontrar no mercado”, diz André Escudero, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da E-Open.

Segundo Escudeiro, outra vantagem é o fato de o Data Center da Embratel estar localizado no Brasil, com suporte local em português (24×7) e fatura em reais. “A Embratel é a melhor opção de fornecimento de soluções de Cloud”.

A solução Cloud Server Embratel é indicada para empresas que precisam de uma infraestrutura de alta performance sob medida, com total autonomia para administrar e criar servidores em poucos minutos. A oferta não demanda franquias mínimas e é cobrada por hora de uso, de acordo com o consumo dos recursos computacionais. Com preços fixos em reais, elimina o risco financeiro proveniente de alterações na cotação do dólar. É ideal para empresas que trabalham com tecnologia como desenvolvedores de software, sites, sistemas web, e-commerce e aplicativos móveis, além de companhias com demandas sazonais de serviços de tecnologia em Nuvem.

Para saber mais sobre o serviço de Cloud Server da Embratel, acesse o site: www.embratel.com.br/cloudserver.

Tags, , , , , ,

Por que as startups precisam de um ecossistema fortalecido? – Por Rafael Ribeiro

Criar uma startup no Brasil cinco anos atrás era uma verdadeiro desafio. Para começar, poucos entendiam o que significava o termo “startup”. Mesmo os primeiros entusiastas também sofriam para divulgar seu negócio, conquistar os primeiros clientes, captar investimento, aprender mais sobre inovação e outras tarefas essenciais para qualquer empreendedor. Tudo isso demandava tempo e dinheiro, dois elementos que são escassos no ciclo de qualquer startup. Quem sobreviveu àquela época, hoje provavelmente é grande referência em seu setor de atuação.

Anos depois, a tecnologia avançou, novas oportunidades surgiram e o ambiente é muito mais propício para a fundação de novos empreendimentos. Não estou dizendo que ser empreendedor agora é fácil, mas te garanto que é menos complicado do que já foi no passado. Isso se explica porque hoje, em 2017, o Brasil possui um ecossistema de startups muito mais maduro.

Mas o que isso significa na prática? Primeiramente, nossa infraestrutura evoluiu muito. Temos inúmeras aceleradoras, fundos de investimentos, organizações de apoio ao empreendedorismo e diversos serviços personalizados para atender startups (como assessoria jurídica ou de comunicação, por exemplo).

No entanto, um dos maiores benefícios para quem empreende em 2017 é o excesso de informações. Ao contrário dos primeiros anos da década, hoje temos muito mais empreendedores no país, o que proporciona um compartilhamento de conhecimento que é extremamente rico. Temos ainda universidades com cursos e metodologias voltadas às startups e diversos eventos com conteúdo qualificado.

Para fomentar essa troca de ideias entre diferentes agentes do mercado, formam-se comunidades regionais dentro do Brasil, como exemplo, temos o Sururu Valley (em Alagoas), San Pedro Valley (em Minas Gerais), StartupSC (em Santa Catarina), entre outros ecossistemas.

Essa união é fundamental para todos que estão inseridos nessas comunidades. Elas dão a oportunidade de debater sobre temas em comuns, aprender ou ensinar algo e possivelmente até fechar negócios e conquistar um investimento. Um empreendedor nunca alcança o sucesso sozinho, por isso é muito importante ter essa proatividade para fazer novos relacionamentos e trocar informações.

De acordo com os dados da ABStartups, estados como São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Pernambuco se destacam com um grande número de empreendimentos inovadores. Não é coincidência que essas regiões possuem um ecossistema fortalecido, com muito compartilhamento de ideias. Nossa expectativa é que comunidades como essas se espalhem por todo Brasil ao longo dos próximos anos.

Rafael Ribeiro, diretor executivo da ABStartups. Formado em ciências da computação e com especialização em marketing, Rafael foi co-fundador da Weblinia e da Monster Joy.

Tags, , , , , ,

Uso de drones na agricultura otimiza processos e diminui problemas ambientais

FRANCE-WINE-SCIENCE-TECHNOLOGY

Se você ainda não viu, certamente não demorará muito para encontrar um objeto voador que não identificará de primeira. São os drones, aviões não tripulados que são usados em meios civil e militar para vários objetivos. Os drones, que em português significa zangão ou zumbido, realizam funções que antes dependiam de aviões e helicópteros tripulados, buscando maior eficácia e alcance, redução de custo e mais segurança para quem pilota.

Apesar da grande polêmica acerca do uso militar, é o uso civil dos drones que pode modificar inúmeros serviços. Com formatos e tamanhos variados, a quantidade de máquinas voadoras controladas remotamente deve crescer em ritmo acelerado nos próximos anos no país e no mundo, devido à facilidade de voo, ao baixo custo e às inovações tecnológicas preparadas para cada modelo, como uso de câmeras, filmadores e sensores de raio-x.

Atualmente, longe das fábricas, estudantes e curiosos por tecnologia desenvolvem drones artesanais, aproveitando processadores, baterias e componentes retirados de smartphones e outros equipamentos eletrônicos. Há até quem fale em “revolução dos drones”, calculando milhões de drones no céu usados para diversos fins.

E, talvez, essa revolução já tenha chegado. É o caso da Amazon, que em dezembro do ano passado realizou sua primeira entrega usando uma aeronave não tripulada controlada remotamente. A ideia de entregar produtos usando drones faz parte do programa Amazon Prime Air, que tem o objetivo de fazer entregas em até 30 minutos.

A Prefeitura de Santos também inovou e está utilizando um drone para sobrevoar locais inacessíveis aos agentes da dengue, em busca de possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti. O equipamento facilita o direcionamento das ações da Secretaria de Saúde no combate à doença e tem disso inspiração para outras cidades brasileiras.

Na zona rural, os drones e os vants têm aberto mais espaço a cada dia. Por meio de imagens, os equipamentos podem detectar falhas nas plantações, áreas com falta ou excesso de água e onde é preciso utilizar agrotóxicos ou qualquer outro suplemento agrícola.

Para Julian Brandalise e o irmão Jerim Brandalise os drones/VANTs de uso agrícola estão surgindo explosivamente no mercado. Os irmãos Brandalise trabalham na empresa INOTEC Store , responsável pela venda de drones e VANTS para uso agrícola, como os pulverizadores e mapeadores, VANTs militares e de filmagem profissional, drones de corrida, entre outros.

“Os drones agrícolas aumentam exponencialmente a eficácia do trabalho nos campos. A tecnologia pode fazer uma pulverização cirúrgica, de grande precisão, que pode reduzir em até 60% a quantidade de defensivos”, explica Julian, “alguns pulverizadores carregam até 10 litros de defensivos e podem voar até 500 metros de altura”, completa o irmão Jerim Brandalise.

De uma forma geral, os agricultores usam aviões não tripulados com câmeras para mapear e identificar doenças e anomalias nas plantações. Depois, esses dados são repassados para o GPS de equipamentos terrestres que são enviados para a aplicação dos produtos.

Fazendo uma analogia, o drone é como um raio-x para um médico. Ao identificar os problemas, quais as suas dimensões e qual a sua localização no campo, o responsável pode ir até as áreas que estão com problema para tomar as ações necessárias.

“A utilização de drones ou VANT’S otimiza esse processo de pulverização e também permite levar o defensivo até áreas onde aviões tripulados não conseguem chegar, como perto de árvores ou da rede elétrica. Além de tudo, como o equipamento chega muito perto da área a ser protegida, os riscos de contaminação de locais indevidos”, completa Julian.

Reafirmando a revolução dos drones, a venda de aeronaves não tripuladas controladas remotamente tem tomado o mercado brasileiro. Em 2016 a estimativa é de que o setor tenha movimentado cerca de R$ 200 milhões de reais no Brasil. Estimativa confirmada pelos irmãos Brandalise, que começaram o ano de 2017 abrindo uma nova loja INOTEC.

Tags, , , ,

Quatro previsões de BI e Analytics para 2017

Allan Pires, CEO da multinacional dinamarquesa Targit para a América Latina e Texas, revela as principais estratégias de TI que definirão o futuro

Aumento da liderança via Self-Service BI

Self-service é a prática de se obter um benefício sem a necessidade do intermediário, tendo em vista a redução de custo e de espera na hora de executar uma atividade. No mundo dos negócios, não poderia ser diferente. Podemos fazer alusão ao conceito chamado Customer Self-Service (CSS), que funciona da mesma forma que um autoatendimento, mas dentro das corporações. Como facilitador, a ferramenta oferece acesso imediato às informações e processos de negócios, sem a necessidade de uma equipe de TI especializada presente para a análise dos dados da empresa. O Self-Service BI é a modernização da conhecida ferramenta de Business Intelligence, podendo ser manejada oportunamente por um executivo ou profissional não especializado e, com isso, é possível descentralizar o processo de análise por meio de uma interface de fácil manuseio. As vantagens com a adoção de um modelo self-service são inúmeras como disponibilidade 24/7, redução de custo na criação e manutenção das análises e processos, além do alto grau de confiabilidade. Estas novas ferramentas tecnológicas também estão prontas para uso e disponíveis em Market Places Digitais e dispositivos móveis.

Diga adeus ao limite de exploração dos dados

Ao longo dos últimos anos, acompanhamos de perto a questão da consumerização da TI, termo utilizado para explicar a entrada de dispositivos pessoais no ambiente de trabalho, seja celular, notebook ou tablet. Muitas das análises realizadas pelos dispositivos móveis – criadas em ferramentas como o Excel – eram limitadas quanto ao volume de dados e não permitiam combinações de diversas informações ao mesmo tempo. Agora, com a introdução de novas funcionalidades em soluções já existentes no mercado, e Targit é um exemplo dessa realidade, a captura de dados em diferentes formatos se tornou possível, atendendo demanda projetada para TI Bimodal e para modernas plataformas de Business Intelligence. O InMemory Engine e o Data Discovery Unlimited proporcionam alta performance e flexibilidade, além de combinar dados (mash-up) e criar rápidas e novas análises.

Uma crescente dependência de serviços na nuvem

Os serviços na nuvem ainda cumprem o seu papel de grande importância dentro de projetos das pequenas, médias e grandes corporações. E no mundo do Business Intelligence, não poderia ser diferente – tanto como fonte de dados quanto como plataforma de entrega de BI. Um número crescente de usuários de BI precisa ser capaz de se conectar facilmente, integrar e analisar dados de fontes fora do armazém de dados existente. Não só é importante ser capaz de extrair dados de arquivos do Excel e CSV, mas também de aplicativos baseados em nuvem, como Google Docs, Google Analytics, Salesforce, Quandl, entre outras inúmeras fontes de dados baseadas em nuvem ou na Web. Este serviço desempenha um papel extremamente analítico e oferece uma visão abrangente de KPIs da empresa em relação à concorrência. Ferramentas de análise baseadas em nuvem e híbridas introduzem um novo tipo de flexibilidade em comparação a estrutura tradicional de um armazém de dados. Este é um grande benefício para as empresas que optam por aproveitar, uma vez que a liberdade da infraestrutura tradicional de BI pode reduzir drasticamente o custo total de propriedade do BI.

Internet das Coisas: o aumento do valor dos projetos de análise preditiva

O futuro é claro. Com o aproveitamento de grandes quantidades de dados acionáveis da Internet das Coisas, a análise preditiva tem sido, em grande parte, uma fantasia futurista para a maioria das empresas. Contudo, em 2017 teremos um aumento na disseminação de sensores, algoritmos e tecnologias que ajudarão as empresas a capturar e prever eventos futuros, incluindo o aproveitamento da Internet das Coisas (IoT). Mas como analisar dados real-time e ter uma visão holística do negócio? Esta é a proposta das novas versões de ferramentas de BI & Analytics. Como já sabemos, a curva de crescimento da geração atual de dados nada mais é do que uma progressão geométrica. Considerando a geração de dados das “coisas”, teremos um novo fator de aceleração. Precisamos ser capazes e competentes para analisar o fluxo crescente de dados e encontrar novos padrões de crescimento e ruptura, pontos de correção de curso, etc. Assim como a Internet das Coisas está literalmente ligada à saúde e bem estar dos usuários, o Analytics está ligado diretamente à capacidade de analisar dados de qualquer coisa e converter em mensuração assertiva para a saúde dos negócios.

Tags, ,

Furukawa oferece solução de cabeamento voltada para ambientes industriais

Poeira, umidade, produtos químicos, altas temperaturas, vibração, impacto e interferências eletromagnéticas são características comuns em ambientes industriais. Com a intensificação do uso de automação e de Tecnologia da Informação no chão de fábrica – dentro do conceito de indústria 4.0 -, essas características podem acarretar problemas às redes de comunicação instaladas nesses ambientes, prejudicando a transmissão de dados.

Com o objetivo de evitar esses problemas, a Furukawa desenvolveu uma linha de produtos específica para ambientes industriais que atende à instalação de pontos de redes sob condições adversas. “Os produtos da Solução Industrial Furukawa possuem características técnicas diferenciadas que os torna indicados para aplicações em diversas áreas, como siderurgia, óleo e gás, metrô, entre outras”, afirma a engenheira de Aplicações Mariana Pauli Balan. “A instalação de um cabeamento adequado a esse tipo de ambiente crítico permite eliminar problemas como oxidação, fadiga e vibração, que são causados por poeira, umidade e danos aos contatos, por exemplo, tornando a solução 100% confiável e segura”, explica.

Mariana destaca que a Solução Industrial Furukawa já está de acordo com os requisitos estabelecidos na nova norma ABNT 16521, publicada recentemente pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) – que trata especificamente de cabeamento estruturado para ambientes industriais. Os produtos dessa linha apresentam, entre outros diferenciais, índice de proteção até o grau IP67, o que significa que oferecem proteção total contra poeira, jatos fortes de água e imersão temporária (até 30 minutos). Os cabos metálicos possuem capas com características destinadas a suportar aplicações em ambientes com alta abrasividade, elevadas temperaturas e presença de óleos e graxas, por exemplo.

Além disso, a Solução Industrial Furukawa inclui produtos ópticos – como DIOs, cordões IP67 e outros acessórios – e produtos blindados – como patch panel, patch cords e outros -, recomendados para ambientes sujeitos a interferências eletromagnéticas. “As interferências causadas por máquinas industriais com fontes indutivas, lâmpadas fluorescentes ou fontes com elevadas tensões podem prejudicar a transmissão de dados sobre cabos de cobre. Nesses casos, recomenda-se o uso de produtos ópticos, pois são imunes a interferência eletromagnética, ou produtos blindados, com uma infraestrutura de instalação adequada”, acrescenta Mariana.

Tags,

Tecnologia para Contabilidade Fiscal: Questor amplia presença no Brasil para triplicar receita até 2020

oão Carlos Pellegrini, CEO da Questor

oão Carlos Pellegrini, CEO da Questor

Para aumentar a capilaridade e fortalecer seus negócios em todo o território nacional, a Questor Sistemas Inteligentes, uma das principais provedoras de soluções tecnológicas voltadas à área de contabilidade fiscal do país, anuncia uma nova estratégia de expansão para impulsionar seu crescimento. A iniciativa contempla a abertura de um escritório em São Paulo, nomeação de dez novas revendas, além de novas contratações nas áreas técnica e de vendas. Com isso, a Questor estima um incremento de 30% nos negócios em 2017 e alcançar um faturamento de R$ 135 milhões até 2020.

De acordo com João Carlos Pellegrini, CEO, a Questor está entre as líderes no mercado do Sul do país, onde nasceu. Porém, a empresa, cujas soluções atendem a legislação fiscal de todos os estados brasileiros, quer expandir sua atuação, sobretudo na região Sudeste por sua elevada demanda de negócios. “Estamos abrindo um escritório na capital paulista de onde poderemos apoiar mais nossos parceiros comerciais e viabilizar uma presença mais consistente nesta região. Pretendemos também aumentar a capilaridade no Centro-Oeste e Nordeste, mercados que demandam muito por soluções de contabilidade fiscal. Para isso, estamos nomeando mais dez revendas, sendo cinco delas localizadas no interior de São Paulo, além do Rio de Janeiro”, revela o executivo.

A Questor consolidou-se uma das principais provedoras de software para a área de contábil e fiscal do país, com um ecossistema de soluções e serviços que movimenta cerca de R$ 45 milhões. A companhia vem ganhando destaque no mercado por oferecer uma tecnologia que promove agilidade e eficiência, aumento da produtividade e redução de custos de até 30% para as empresas.

Para alcançar suas ambiciosas metas a Questor aposta na diversidade de seu portfólio, que atende desde escritórios de contabilidade, até provedoras de serviços em regime BPO (sigla em inglês, para terceirização de processos de negócios), pequenas e médias empresas e grandes departamentos contábeis corporativos. Atualmente a tecnologia Questor processa 1,5 milhão de folhas de pagamento ao mês e seus clientes publicam mais de 7 milhões de documentos eletrônicos em nuvem por ano. Além disso, atende 350.900 empresas e possui 73.500 usuários ativos, com uma taxa de 97% de satisfação entre seus clientes.

Tags, , ,

Stefanini anuncia investimentos nos Estados Unidos e Ásia

A Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia, anuncia novos investimentos na América do Norte a Ásia-Pacífico com o objetivo de crescer 25% até 2020 nas regiões. Para alcancar essa meta, a empresa está focando em uma oferta inovadora e reforçando sua atuação no processo de transformação digital nas empresas.

Atualmente, a companhia conta com uma estrutura robusta para implementar mudanças importantes para que os clientes se preparem para a era da Internet das Coisas e da Indústria 4.0. A base tecnológica desta revolução é a utilização dos sistemas ciberfísicos, internet das coisas e computação em nuvem, além de uma rede de informações em tempo real, para que os processos de produção se tornem cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis.

“Hoje, conseguimos montar um banco 100% digital para qualquer instituição, promover o engajamento dos clientes com campanhas de fidelização, oferecer uma assistente virtual capaz de compreender e processar solicitações via texto e voz de maneira rápida, eficiente e intuitiva, além de garantir mais eficiência operacional para as estruturas de backoffice”, destaca Marco Stefanini, CEO global do Grupo Stefanini.

Estratégias para América do Norte e Ásia-Pacífico

Com mudanças no direcionamento das operações na América do Norte e Ásia, vários escritórios também passarão por mudanças físicas em 2017, incluindo o headquarter para as duas regiões, localizado na área de Detroit.

No novo escritório, a Stefanini vai inaugurar o primeiro Global Innovation Center nos Estados Unidos, reforçando a cultura da inovação e trazendo muitos benefícios para funcionários, parceiros e a comunidade.

“A América do Norte é um dos maiores consumidorass de tecnologia e uma das maiores promotoras da inovação. Uma vez que estamos presentes nos Estados Unidos desde 2001, chegou a hora de atingirmos voos mais altos e ambiciosos na nossa operação no país, incluindo a possibilidade de aquisição de uma empresa que esteja alinhada com a nossa estratégia de fortalecermos a presença na área de Digital Solutions”, finaliza Stefanini.

A Stefanini está presente nos Estados Unidos há 15 anos, iniciando sua operação em Fort Lauderdale, Flórida. Hoje, a empresa também conta com escritórios em Southfield (Michigan), Atlanta (Georgia), Chicago (Illinois), Nova York (New York), Houston (Texas), Philadelphia (Pennsylvania), Richmond (Virginia) e Davenport (Iowa).

Tags, , , , ,

Grupo Malca traz ao mercado a nova linha de multifuncionais da Toshiba

O Grupo Malca, responsável pela distribuição de multifuncionais da Toshiba no Brasil, apresenta 23 novos produtos distribuídos em duas linhas de impressoras multifuncionais: a monocromática e a colorida. Os novos modelos da e-STUDIO combinam um conjunto de funções para atender às necessidades de impressão, gerenciamento de documentos e fluxo de trabalho das aplicações de negócio.

Todas as funções dos novos equipamentos, inclusive, foram desenvolvidas para tornar as operações das organizações mais eficientes e econômicas, melhorando o fluxo de trabalho. Com a inclusão do multicore processador Intel® Atom , por exemplo, a execução de tarefas complexas, tais como aplicações simultâneas e integradas de reconhecimento óptico de caracteres (OCR), fica simplificada.

Já a plataforma de aplicativos integrada permite o uso de aplicações integradas ou de terceiros, além de enviar trabalhos para a nuvem, o que permite aos usuários móveis trabalhar a partir de qualquer lugar.

A experiência mais intuitiva do usuário também é garantida com o controlador e-BRIDGE tipo tablet de nove polegadas, que possibilita trabalhar com a interface, proporcionando uma maior flexibilidade para atender necessidades de determinado fluxo de trabalho, como a criação de perfis de cores para ajustar a diferentes tipos de materiais, iluminações ou cores Pantone específicas.

Por sua capacidade de fornecer até 240 imagens por minuto e armazenar até 300 folhas de cada vez, a digitalização dupla alimentador de documentos (DSDF), ajuda os usuários finais para uniformizar os seus projetos mais difíceis.

Os novos modelos avançados e-STUDIO tem um hardware mais durável e confiável, o que maximiza o período de utilização das multifuncionais e reduz o seu custo total de propriedade. O design inovador dos novos produtos é completado com uma aparência sofisticada em fosco e na cor preta, que se adapta aos ambientes de negócios mais modernos.

Muito mais que inovação e design, a Toshiba também se preocupa com um planeta mais sustentável. Para isso, os novos produtos cumprem todos os critérios rigorosos de grandes programas e normas ambientais, tais como a EPEAT® ouro, a RoHS e a ENERGY STAR® .

“As novas linhas e-STUDIO reúnem os produtos multifuncionais mais inovadores e intuitivos do mercado. A Toshiba entende que cada empresa tem necessidades únicas, por isso a integração foi o foco para desenvolver produtos personalizáveis, que atendam às complexas necessidades dos usuários de negócios de hoje”, finaliza o gerente de canais do Grupo Malca, Luiz Alberto Ribeiro.

Tags, , ,