Page

Author admin

Food Service: pesquisa aponta crescimento do setor em 2016

O mercado de food service (Alimentação Fora do Lar) cresceu 3% em 2016, alcançando faturamento de R$ 184 bilhões. Apesar do crescimento, houve queda na quantidade de transações do setor (-4%), dessa forma o crescimento foi sustentado pelo aumento no ticket médio, que foi de 8% no mesmo período.

Os dados acima foram apurados pela GS&MD – Gouvêa de Souza através da pesquisa CREST, maior e mais completa pesquisa do segmento de food service no Brasil e no Mundo, implementada em 14 países. A pesquisa realiza 72 mil entrevistas por ano em todo o Brasil, permitindo assim uma visão detalhada do setor.

Mesmo com a queda no número de transações, a quantidade de pessoas que frequentam os restaurantes não sofreu alterações, mas o que caiu foi a quantidade de vezes – ou refeições – que essas pessoas consomem durante o dia. Quem consumia almoço e lanche da tarde fora do lar, passou a consumir apenas o almoço por exemplo.

Outra mudança importante foi a forte queda das refeições de entretenimento, ou melhor, refeições com 3 pessoas ou mais no grupo caíram 20% em 2016 em relação ao ano anterior (2015), já as refeições de grupos com crianças reduziram 16% no mesmo período, mostrando uma clara racionalização do consumo por parte dos brasileiros.

“Mesmo com o impacto do cenário econômico desafiador, as redes que ganharam participação de mercado foram aquelas que conseguiram adequar sua oferta para atingir mais momentos de consumo dos clientes, atraindo não só mais clientes novos, mas também o mesmo cliente mais vezes durante o dia”, analisa Eduardo Yamashita, diretor de Inteligência de Mercado da GS&MD – Gouvêa de Souza.

Tags, , , ,

Gartner destaca quatro megatendências que causarão impacto nos Data Centers

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, destaca que algumas megatendências mundiais estão remodelando a sociedade e terão um impacto profundo em TI e nos Data Centers. Os CIOs (Chief Information Officers) e líderes de Tecnologia da Informação nas empresas devem desenvolver estratégias nessa direção para não arriscarem seus negócios.

“Essas megatendências globais são reflexo de uma série de processos e mudanças que vêm acontecendo no mundo e que estão remodelando as sociedades. Elas terão um impacto significativo nas estratégias de Data Center nos próximos 10 anos”, afirma Henrique Cecci, Diretor de Pesquisas do Gartner e Chairman da Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Data Center 2017. Segundo o Gartner, até 2021, mais de 90% dos grandes Data Centers irão reavaliar suas estratégias com base nessas importantes tendências mundiais socioeconômicas e ambientais.

A Pesquisa CIO 2016 do Gartner mostra que entramos profundamente na era da digitalização, exigindo que os CIOs implementem plataformas digitais preparadas para atender à demanda futura. Devem ser levadas em conta as várias opções de Data Center, como os modelos de instalação local, na Nuvem, locação conjunta, hospedagem e computação de ponta. Essas alternativas oferecerão recursos computacionais para as empresas da melhor forma possível e incluirão capacidades de TI bimodais desenvolvidas para melhorar a agilidade do Data Center.

A economia global está passando por fortes mudanças demográficas e sociais. O envelhecimento das populações, o declínio dos índices de fertilidade, novas demandas em termos de habilidades e uma redução de talentos em todo o mundo estão gerando uma crise pela falta de bons profissionais. Durante a conferência, analistas do Gartner mostrarão a importância de os CIOs desenvolverem equipes para a criação de uma base digital forte, baseada em uma estratégia de Data Center moderna e sólida, e de implementarem um plano de longo prazo para aquisição de conhecimento e habilidades.

Ao mesmo tempo, as megacidades estão se desenvolvendo e intensificando a urbanização. Conforme a população cresce e se concentra cada vez mais em um menor número de locais, os Data Centers terão que se adaptar. Esses centros urbanos densos exercerão “gravidade” em torno deles, atraindo os Data Centers para mais perto. O Gartner chama isso de “gravidade das megacidades”.

No entanto, essa força não vai ter o mesmo impacto em todos os Data Centers. Analistas do Gartner explicarão durante a Conferência Infraestrutura de TI, Operações e Data Center que os locais mais privilegiados demandam mais custos e, embora a proximidade de uma megacidade pareça atrativa, esta nem sempre é a melhor opção. Aplicações com requisitos específicos podem usar Data Centers pequenos, micro ou de ponta localizados dentro das megacidades.

Já as mudanças climáticas, combinadas ao crescimento da população e ao desenvolvimento econômico, continuarão tendo sério impacto sobre os recursos naturais essenciais, incluindo a água, alimentos, matéria-prima e energia. Com o rápido crescimento da demanda mundial por capacidades computacionais, os Data Centers vão consumir mais energia e água para manter a temperatura e a umidade dentro dos níveis necessários. Os CIOs precisam avaliar os riscos climáticos e adotar uma abordagem integrada e estratégica à sustentabilidade e à TI verde.

Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Data Center 2017

Data: 25 e 26 de abril (Terça e Quarta-feira)

Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, nº 12.559, São Paulo/SP

Site: http://www.gartner.com/events/pt/la/data-center

Tags, ,

Dubuc Motors promove financiamento coletivo de seus carros elétricos

A Dubuc Motors Inc. (Dubuc Motors), empresa responsável pelo Tomahawk, o primeiro carro esportivo elétrico 2+2 do mundo, anuncia a fase de oferta de sua campanha de financiamento coletivo de capital após a qualificação de sua solicitação perante a Securities and Exchange Commission (SEC). A empresa recebeu mais de US$ 6 milhões em indicações de interesse, e é agora a primeira a realizar conjuntamente uma oferta de Regulamento S com Regulamento A conforme o Título IV da Lei JOBS, Regulamento A+.

A Dubuc Motors agora pode vender ações a investidores credenciados e não credenciados por meio do seu site (www.dubucmotors.com), permitindo investimentos a partir da pequena quantia de US$ 200 nos Estados Unidos e internacionalmente.

“As pessoas abraçaram a ideia de que o Tomahawk, embora seja um carro esportivo exótico, pode ser tão prático quanto um sedã”, disse Mike Kakogiannakis, um dos fundadores da Dubuc Motors. “Estamos satisfeitos com a resposta do público. É emocionante ver uma comunidade de pessoas inovadoras e definidoras de tendências subir a bordo como acionistas da nossa empresa desde o início.”

Com autonomia de 370 milhas, o Tomahawk atende a um público único, acomodando os maiores e mais altos, com espaço confortável para motoristas de até 6’5″. Recursos adicionais, como bancos traseiros e espaço no porta-malas, agregam características de utilitário, tornando o Tomahawk um carro esportivo de luxo para o cotidiano. O Tomahawk está disponível para reservas mediante depósito de US$ 5.000 no site da empresa, com as primeiras entregas previstas para 2018.

Tags, , , ,

Startup Dinneer recebe novo aporte de grupo americano

dinneer-03

A startup brasileira de jantares compartilhados acaba de receber um aporte de fundos de investimentos americanos. Trata-se do Dinneee.com que conecta anfitriões que oferecem jantares em suas próprias casas – uma espécie de “Airbnb da comida”. Ela é uma das startups brasileiras com melhor presença internacional: são 270 cidades de 42 países diferentes.

Os fundos Eldar Investments e ECS Capital Partners escolheram a Dinneer, a primeira startup sul-americana a receber investimento por eles. A companhia já tinha recebido investimento, em 2016, da Bossa Nova Investimentos, que lidera um fundo que no ano passado investiu mais de R$10 milhões em 16 startups e este ano deve dobrar o valor total investido.

O Dinneer é uma das startups que representam o conceito de share economy e que vem causando impacto em vários setores da economia. Entre as gigantes do setor estão Airbnb, Uber, Doghero e Blablacar

A ideia não é ser um restaurante

Para usar o serviço como visitante, basta entrar no site, escolher uma refeição entre as oferecidas, realizar a reserva com base nos preços, os pratos oferecidos, número de visitantes e local do jantar. Assim, no dia e na hora agendados o anfitrião recebe os visitantes em casa para degustar o banquete completo.

A Dinneer acompanha o processo e se esforça para que o anfitrião siga o seu padrão de qualidade e atendimento, servindo entrada, prato principal, sobremesa e bebidas para todos visitantes. Além disso, ela também gerencia todo processo de pagamento e contato entre os anfitriões e os visitantes.

O anfitrião recebe 90% do valor do anúncio 24 horas após o encontro. “A proposta de valor é muito diferente de um restaurante, pois o ambiente caseiro e o contato próximo com o anfitrião eleva o nível da experiência. Já no restaurante tradicional o cliente não tem um ambiente exclusivo ou a oportunidade de sentar na mesa para comer com o dono do restaurante”, destaca Flavio Estevam, CEO do Dinneer.

Expansão Internacional

Nas 270 cidades em que opera – em 42 países diferentes -, a companhia visa o mercado de expatriados brasileiros, que apresenta mais de 4 milhões em todo o mundo. A ideia é que a startup facilite o trabalho para que brasileiros realizem jantares com outros brasileiros. Hoje existem mais de 3.000 anfitriões na plataforma.

Ela vai, com o dinheiro, expandir para outros mercados. “Com a nova rodada de investimento, nós vamos replicar o mesmo modelo para outros expatriados, são eles: espanhóis, japoneses e argentinos. A nossa missão é dar aos expatriados do mundo inteiro o acesso a sua comida nativa, trazendo um impacto financeiro e emocional positivo em suas vidas”, termina Estevam.

Tags, , , , , ,

Samsung anuncia parceria estratégica com a Microsoft no mercado de mobilidade empresarial

A Samsung Electronics Co. Ltd. anunciou, no Mobile World Congress, uma parceria estratégica com a Microsoft, que aumentará o poder de mobilidade dos profissionais e dará suporte à desejada transformação dos negócios através da tecnologia digital. Com essa parceria, a Samsung e a Microsoft colocarão à disposição dos profissionais a tecnologia líder para que eles trabalhem de qualquer lugar e a qualquer momento, por meio da integração do melhor dos hardwares, softwares, soluções e serviços das empresas.

Trabalhando em estreita colaboração no projeto e na engenharia do produto, a Samsung e a Microsoft sentem-se felizes em apresentar o novo Galaxy Book, um dispositivo premium 2 em 1 pensado para o cliente corporativo de tecnologia móvel. Equipado com plataforma Microsoft Windows 10, o Samsung Galaxy Book oferece acesso fácil à experiência completa do Microsoft Office em um design ultraportátil 2 em 1, que proporciona uma incomparável produtividade ao profissional que precisa se deslocar.

Disponível em modelos de 10,6 e de 12 polegadas, o Samsung Galaxy Book é leve e conta com a última palavra em portabilidade, pois o usuário pode levá-lo facilmente aonde quer que esteja indo. O Galaxy Book traz o melhor desempenho de nível empresarial com um processador Intel® Core™ i5 de 7ª Geração, Dual Core de 3.1GHz para a versão de 12 polegadas, e um processador Intel® Core™ m3, Dual Core de 2.6GHz para a versão de 10,6 polegadas.

Criar experiências absolutamente integradas que permitam a comunicação simples e segura entre dispositivos é componente chave para uma transformação móvel bem-sucedida. A Samsung aprimorou o Samsung Flow com a Microsoft no Galaxy Book. O Samsung Flow permite que os clientes sincronizem seus smartphones Galaxy com o Galaxy Book para obter acesso prático e conexão Wi-Fi através do roteador do celular quando uma conexão de dados não estiver disponível. O aplicativo Samsung Flow se comunica com o Windows Hello para login e exibição de notificações de modo simples e seguro diretamente do smartphone.

“Acreditamos que a colaboração com parceiros chave como a Microsoft é essencial para a inovação, uma vez que compartilhamos nossa visão de construir a excelência na produtividade móvel”, disse Jeeho Baek, vice-presidente sênior do Grupo de Gestão de Produtos B2B na divisão de Comunicações Móveis da Samsung Electronics. “A mobilidade corporativa permite que as empresas expandam os limites com os quais operam e que os trabalhadores ganhem flexibilidade na maneira como trabalham. Junto à Microsoft, esperamos continuar a vencer os desafios que nossos clientes enfrentam, criando tecnologias flexíveis e seguras.”

“A Microsoft e a Samsung estão trabalhando juntas para oferecer experiências móveis inovadoras e que ajudem as organizações com a transformação digital. O Samsung Galaxy Book é um ótimo exemplo desse foco em ação”, disse Peter Han, vice-presidente de Dispositivos e Soluções para Parceiros da Microsoft. “O novo Galaxy Book da Samsung destaca os recursos digitais do Windows 10, como o Windows Ink, que proporciona aos funcionários a capacidade de conseguir mais, trabalhando de forma mais inteligente, portátil e segura.”

Com esta parceria, a Samsung e a Microsoft estão colocando as necessidades de seus clientes no topo de suas prioridades. Além de trazer uma nova solução de dispositivo e software, as empresas alinharam seus programas de marketing, parceiros e vendas em todo o mundo para oferecer uma experiência positiva de compra a seus clientes.

*Todas as funcionalidades, características, especificações e outras informações dos produtos apresentadas neste documento, incluindo benefícios, design, preço, componentes, desempenho, disponibilidade e funcionalidades estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

**Não há data de lançamento prevista para o Brasil.

Tags, ,

Rodrigo Kede da IBM e Marcos Castro da PwC assumem a direção do IBEF-SP

Marco Castro, sócio-líder de Serviços de Auditoria da PwC Brasil (PricewaterhouseCoopers), é o novo presidente do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças de São Paulo (IBEF-SP), para o biênio 2017 a 2019 , cargo antes ocupado por José Cláudio Securato, presidente da Saint Paul Escola de Negócios, que assume cadeira como conselheiro da instituição.

Rodrigo Kede, presidente da IBM América Latina, comandará o conselho de administração da entidade, sucedendo Henrique Luz, sócio da PwC. A cerimônia de posse acontece, na quarta-feira (15/03), às 12h, em almoço no Hotel Grand Hyatt-SP, com presença de CEOs e CFOs das principais companhias do País.

Tags, , , , , ,

Aramis Menswear investe em cloud corporativa da CorpFlex

A Aramis Menswear, grife de moda masculina, adquiriu a solução cloud da CorpFlex, empresa especializada em cloud corporativa e outsourcing de TI, para hospedar sua solução de gestão empresarial – ERP. Presente no mercado há 20 anos, a Aramis possui atuação nacional por meio de suas 43 lojas próprias, 27 franquias, uma loja virtual e mais de 600 multimarcas em todo Brasil.

A parceria com a CorpFlex surgiu da necessidade da rede de lojas garantir a alta disponibilidade do ambiente de TI, que devido ao aumento da demanda apresentava paradas constantes que acabavam comprometendo a operação e gerando a insatisfação dos cerca de 90 usuários internos. “A instabilidade do nosso ambiente de TI foi determinante para migrarmos para os serviços gerenciados da CorpFlex, colocando em Cloud nosso sistema de gestão”, conta Irineu Ugliano, gerente de TI da Aramis.

O projeto teve início em junho de 2016 e foi implementado em agosto, tempo considerado recorde pela Aramis em razão da complexidade de migrar o sistema de missão crítica para a nuvem. Além da solução de Cloud, a CorpFlex é responsável pela gestão do ambiente de TI, suporte e back-up para uma estrutura que atende cerca de 90 usuários. “Estamos satisfeitos com a qualidade dos serviços prestados pela CorpFlex. Eliminamos os problemas de instabilidade garantindo a produtividade da empresa”, completa.

De acordo com Ugliano, a migração do sistema do antigo data center para o novo era a principal preocupação da área de TI da Aramis no momento da “virada da chave”, mas um planejamento bem orquestrado entre as equipes das duas empresas proporcionou uma implementação tranquila.

“Criamos, durante um certo período de tempo, um ambiente de testes para avaliar o comportamento do sistema. Essa prática garantiu a finalização da operação em apenas 36 horas, superando o tempo previsto. Fizemos uma virada bem-sucedida, sem maiores problemas, apenas com pequenos ajustes”, comemora o gerente de TI da Aramis.

Após a implantação da solução, a Aramis detectou a necessidade de ampliar o projeto para suportar a performance da empresa. “Nós fomos identificando as necessidades dos upgrades aos poucos e a CorpFlex rapidamente nos auxiliou com os ajustes do ambiente. O projeto iniciou com três servidores, e pouco tempo depois já ampliamos a infraestrutura totalizando quatro servidores. Esse foi um dos grandes benefícios desse modelo de cloud, mais econômico, ágil e flexível”, avalia Ugliano.

A satisfação com a parceria, além dos ganhos de performance e redução de custos também resultou na ampliação do escopo dos serviços da CorpFlex que irá envolver a infraestrutura de rede das lojas próprias e da matriz da empresa. A CorpFlex irá implementar firewalls de última geração para trazer mais segurança à rede e será responsável pela gestão e monitoramento dos equipamentos.

Tags, , ,

Luiz Adolfo Gruppi Afonso é o novo CIO da Edenred Brasil

A Edenred, empresa francesa líder mundial no mercado de pré-pagos e em gestão de despesas corporativas, detentora das empresas Ticket, Ticket Log, Accentiv’, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas no país, acaba de anunciar uma mudança em sua estrutura organizacional. O atual CIO Latam da empresa, Luiz Adolfo Gruppi Afonso, o LAGA, passa a assumir também o cargo de CIO da Edenred Brasil. Além disso, a partir de agora, o executivo fará parte do Comitê de Direção da empresa no país. O executivo continua a liderar a área na América Latina, posição que ocupa desde janeiro de 2016, dando suporte aos países Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Peru, Uruguai e Venezuela.

Bacharel em Administração de Empresas e formado em Análise de Sistemas pelas Faculdades Associadas São Paulo (FASP), LAGA também possui MBA em Gestão Bancária e Financeira pela Fundação Getúlio Vargas, além do CIM (Certified International Management) pela Universidade de Toronto, conquistado em 2006. Durante sua carreira de mais de 31 anos na área de TI, ele ocupou cargos executivos e gerenciais em instituições financeiras em São Paulo, Genebra e Nova York, em empresas como BankBoston, Banco Itaú, ING Barings, Banco Safra e Itaú Seguros.

Como CIO da Edenred Brasil, LAGA passará a liderar uma equipe de 420 pessoas, com foco em agilizar a transformação digital na empresa, bem como contribuir para maior sinergia entre os negócios do Grupo Edenred, por meio da Diretoria Adjunta de Service Delivery, que abrange as áreas de Infraestrutura, Data Center e Service Desk; e da Diretoria Adjunta de Governança & Escritório de Projetos, por meio das áreas de Governança de TI, Escritório de Projetos e Gestão de Arquitetura. Essas recentes mudanças fazem parte do plano estratégico global da Edenred denominado Fast Forward, que, entre seus objetivos, visa a aumentar a produtividade por meio da otimização e do aumento do conteúdo digitalizado das soluções e dos processos.

“Organizações de diversos mercados têm digitalizado seus processos e utilizado a tecnologia como parte essencial em estratégias mais assertivas para os negócios. No caso da Edenred, temos um direcionamento claro voltado à inovação e à execução de projetos de transformação digital. Fico muito satisfeito em poder liderar essas iniciativas da Edenred Brasil, que já efetua mais de 100% de suas transações no ambiente digital” finaliza LAGA.

Tags, , , , , , ,

Especialistas da UL alertam sobre o risco de hacking automotivo

Imagine dirigir pela estrada e, sem aviso prévio, o seu carro “ganha vontade própria” e começa a selecionar as estações de rádio ou ajustar o sistema de refrigeração. Ou ainda pior, o veículo aciona os freios bruscamente sem o seu comando. Embora possa soar impossível, especialistas da Underwriters Laboratories (UL), organização global de ciência da tecnologia, afirmam que a ameaça de ataques cibernéticos em automóveis é real.

De olho na indústria, principalmente a automotiva que promove uma corrida tecnológica para lançar o primeiro veículo totalmente autônomo, a UL lançou o Programa de Garantia de Segurança Cibernética (CAP) que ajuda os fabricantes, compradores e usuários finais, públicos e privados, a mitigar os potenciais riscos de segurança de dispositivos interligados por meio de avaliações metódicas de risco e avaliações.

Atualmente, alguns países permitem testes em veículos semiautônomos, ou seja, os carros já estacionam sozinhos e até guiam sozinhos, mas sempre é necessária a presença de um humano. Em meio a essa disputa, os especialistas da UL alertam que além da discussão em torno de falhas da operação, a utilização de tecnologias de consumo inteligentes para melhorar a experiência do motorista, incluindo conveniências como a ignição remota a partir de um smartphone, hotspots Wi-Fi no veículo e aplicativos de comida e entretenimento do painel podem servir como porta de entrada para que os cyber criminosos acessem os sistemas dos carros.

“Todas as conveniências eletrônicas são, potencialmente, vulnerabilidades eletrônicas”, disse Jack Dunham, membro da equipe de Segurança Cibernética da UL. “Em uma era pré-conectada, o pior cenário era a perda de informações pessoais ou número de cartão de crédito, mas o hacking automotivo tomou outras proporções, podendo causar a morte”, afirmou.

As crescentes preocupações sobre o potencial de hacking automotivo levaram a Administração Nacional de Segurança Rodoviária dos EUA (NHTSA) a lançar diretrizes destinadas a proteger veículos contra potenciais cyber ataques. O objetivo das diretrizes é garantir que a segurança cibernética seja um fator chave entre os designers e fabricantes de automóveis em um mundo onde a eletrônica conectada controlará cada vez mais os carros.

Entre outras recomendações, a NHTSA destaca que:

– Os freios, aceleração e direção – componentes rotulados como “sistemas críticos de controle para a segurança” – devem ser uma área prioritária de foco para as montadoras

– As “entradas” nos sistemas eletrônicos básicos de um carro, que os desenvolvedores de software usam para corrigir bugs, devem ser trancadas ou seladas quando os carros velocidade compatível às estradas

– Chaves de criptografia e senhas que dão acesso ao computador de um carro não deve fornecer acesso a vários veículos

Ao trabalhar com os principais interessados, a UL auxilia o avanço da segurança cibernética antes de se torne um problema. “Uma abordagem proativa em relação à segurança, ao invés de reagir às ameaças à medida que surgem, é fundamental para proteger as pessoas e permitir que as montadoras continuem a inovar com tecnologias dentro do veículo”, concluiu Dunham.

Tags, , , , , ,

Setor de Tecnologia da Informação do Paraná cresce na crise e gera mais empregos

Foto: Arquivo ANPr

Foto: Arquivo ANPr

O setor de Tecnologia da Informação (TI) vem crescendo e gerando mais empregos mesmo na crise. Enquanto muitos setores cortaram vagas e reduziram operações, a área de Tecnologia da Informação conseguiu aumentar as contratações em 2016. O setor fechou o ano passado com saldo positivo de 1,2 mil empregos, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Um dos principais polos do setor no País, o Paraná conta com um parque de 7,8 mil empresas e seis Arranjos Produtivos Locais (APLS), localizados nas regiões de Curitiba, Londrina, Maringá, Campos Gerais, Sudoeste e Oeste. O setor emprega cerca de 18 mil pessoas.

Um dos motivos para explicar o resultado está, justamente, na crise. “A recessão tem obrigado as empresas a buscar formas de reduzir custos, aumentar eficiência e racionalizar processos, o que impulsiona os negócios das empresas de TI”, diz o presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação (Assespro) no Paraná, Adriano Krzyuy.

Do saldo de vagas gerado no ano passado, Curitiba respondeu por 735 novos empregos, seguida por Londrina, com 164, Maringá (112), Pato Branco (78) e Apucarana (44). Entre as atividades de destaque no ano passado estiveram as de consultoria em Tecnologia da Informação e desenvolvimento de e licenciamento de programas de computador. “O setor de TI apresenta uma resiliência maior à crise, já que a modernização é algo inevitável. As empresas precisam também reduzir custos e aumentar a produtividade, o que vem gerando demanda para esse tipo de atividade”, diz.

INOVAÇÃO – De acordo com Krzyuy, a velocidade de inovação do mercado de TI gera demanda por profissionais qualificados, ampliando as contratações com salários maiores também. O salário médio na área de TI no Paraná é de R$ 3.348,11, 37,3% maior que a média do Estado (R$ 2.438,35), de acordo com dados do Ministério do Trabalho.

APOIO – De acordo com o coordenador de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evandro Razzoto, o Paraná vem criando um ambiente propício para o desenvolvimento do setor, com a criação, no ano passado, de uma política de governança para a área.

O objetivo é elaborar um plano de longo prazo, com a participação do governo estadual, empresas, instituições de apoio e universidades. “Há muito potencial para TI no Estado. O nosso foco é fazer do Paraná referência no setor”, afirma.

“O plano é transformar o Paraná no próximo polo de TI da América Latina até 2035. Até lá esperamos que o setor tenha uma participação significativa no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado”, diz o presidente da Assespro.

Atualmente as universidades estaduais mantêm núcleos de inovação e incubadoras que hospedam empresas novas. Na Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica (Intuel) da Universidade de Londrina, 60% das 13 empresas incubadas atualmente são da área de TI. São empresas desenvolvendo projetos para setores como agronegócio, varejo e gestão, de acordo com a Tatiana Fiuza, gerente da Intuel. Nesse ecossistema, em que há cooperação mútua, as empresas têm apoio nas áreas de planejamento, gestão, marketing e técnica e financeira.

“Há uma tendência forte de surgimento de empresas de TI voltada para a chamada internet das coisas (em que objetos usados no dia a dia podem se comunicar com a internet) e planejamento de dados, como Big Datas. Existe um grande potencial de desenvolvimento de novas companhias nesses segmentos”, diz.

Outro projeto da Intuel, em parceria com a Telefônica e o Sebrae, atua na pré-aceleração de empresas. Hoje são quatro empresas nesse estágio, com atuação nas áreas educacional, de realidade vistual, marketing digital e futebol. O objetivo para 2017 é lançar um edital para apoiar mais dez empresas nesse formato.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Tags, ,

Tomada de crédito em 2016 ficou mais difícil para a indústria, aponta Fiesp

As condições ofertadas em 2016 à indústria de transformação em São Paulo para a tomada de crédito foram piores do que as do ano anterior, segundo dados da pesquisa Rumos Crédito elaborada pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A pesquisa, que ouviu 430 companhias, constatou que 53,5% contratou, renovou ou tentou contratar ou renovar alguma linha de crédito durante o ano, sendo que, desse montante, 11,7% não teve crédito aprovado em nenhuma das linhas buscadas, e das que tiveram crédito aprovado, 25,4% conseguiram menos de 60% do valor pretendido.

Já as companhias que buscaram crédito, mas que decidiram pela não contratação, afirmam ter encontrado custo alto (77,8%); exigências elevadas para garantias (72,2%) e prazo muito curto para a quitação do contrato (22,2%).

Entre as empresas que tiveram o crédito recusado ou aprovado parcialmente, os motivos elencados foram garantia insuficiente (33,6%), elevado endividamento da empresa (25%), dívidas em atraso (19%) e restrição cadastral (19%).

Já das companhias que não buscaram crédito, 16,4% afirmaram que não foram atrás por estarem muito endividadas ou com dívidas em atraso e 12,7% porque já esperavam que o custo seria muito alto.

A linha mais pretendida foi a de crédito para capital de giro – almejada por 71,3% da indústria, quitação de dívida (40,9%), investimento (14,8%), exportações (7,4%) e outros (2,2%). As empresas que participaram da pesquisa podiam indicar mais de uma linha de crédito, portanto, os percentuais somam mais de 100%.

Das empresas que participaram da entrevista, 22,1% têm faturamento anual de até R$ 3,6 milhões, 29,6% acima de R$ 3,6 milhões, 29,3% acima de 16 milhões até 90 milhões, 10,9% acima de R$ 90 milhões até R$ 300 milhões, 5,1% acima de R$ 300 milhões, com 3% não respondendo essa questão. As companhias que mais buscaram crédito foram as de faturamento entre R$ 16 milhões e R$ 90 milhões, representando 62,7% delas.

Tags,

Fortaleza sedia Congresso de Provedores e Data Centers

Nos dias 5 e 6 de abril o Nordeste será palco de um megaevento na área de tecnologia: o 6° Congresso RTI de Provedores de Internet e o 8° Congresso RTI de Data Centers, que acontecerão simultaneamente no Hotel Praia Centro & Convenções, em Fortaleza, CE. Importante ponto de tráfego de dados entre a América Latina e o resto do mundo, a capital cearense está se tornando um hub de telecomunicações, com a chegada de cabos submarinos vindos dos EUA, Europa e África e a construção de grandes data centers na região, abrindo um enorme potencial de investimentos no mercado de tecnologia.

Além de mostrar a vocação da cidade para um ambiente de inovação, o evento tem o objetivo de promover o intercâmbio de informações técnicas e comerciais fundamentais para as empresas de base tecnológica ou que dependem da Internet para o sucesso dos seus negócios. Os congressos devem reunir mais de 400 profissionais, a maioria provedores de Internet do Ceará e estados vizinhos, além de gerentes de TI e data centers de grandes empresas da região, como bancos, órgãos públicos e indústrias.

Destaques

No dia 5 de abril, na parte da tarde, a abertura do evento terá dois destaques: o Secretário de Telecomunicações do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, André Müller Borges, que apresentará as iniciativas do Governo Federal para promover a inclusão digital no Brasil, e o Secretário Mosiah Torgan, da Secretaria do Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, que mostrará como a cidade está se tornando hub internacional de telecomunicações e serviços de nuvem e os incentivos governamentais nesse sentido.

Haverá ainda um painel de debates sobre os cabos submarinos que chegam em Fortaleza, com a participação das operadoras internacionais Angola Cables, Globenet e Telxius, do Grupo Telefonica. As operadoras apresentarão seus planos de investimentos e como a chegada dos cabos submarinos pode melhorar a conectividade para as empresas brasileiras de Internet e data centers e fomentar o mercado de tecnologia no Nordeste.

No encerramento do primeiro dia haverá uma palestra especial apresentada por Marcos Pontes, o primeiro e único astronauta brasileiro a ir ao espaço. Ele contará sua história de vida, desde a infância pobre na periferia de Bauru, no interior de São Paulo, passando pelo treinamento de astronauta e as emoções ao ver a Terra do espaço.

Segundo dia do congresso

No dia 6 de abril serão apresentadas as palestras com temas mais específicos dos mercados de provedores e data centers, com a participação de empresas locais como Etice – Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará, e operadoras Brisanet e Wirelink. Mas também haverá palestras de especialistas de São Paulo, caso da palestra da Netflix.

O evento contará ainda com uma feira paralela com 40 empresas, fabricantes de cabos ópticos, sistemas de energia, software e outros equipamentos para a infraestrutura de redes e data centers. Serão realizados dois minicursos sobre projeto e instalação de fibra óptica, voltados para os técnicos das empresas.

A grade completa pode ser acessada no site www.arandanet.com.br.

Mercado de provedores de Internet

Em sua sexta edição, o Congresso de Provedores é realizado desde 2013 em diferentes cidades do país: começou em São Paulo, mas depois foi levado para Recife (PE), Natal (RN) e Belo Horizonte (MG), devido à característica regional desse mercado. Em todas as edições, sempre reuniu um grande número de participantes (mais de 400) e empresas na feira paralela.

Trata-se de um setor que desconhece crise. A Brisanet, por exemplo, empresa com sede em Pereiro, a 300 km de Fortaleza, festeja números excelentes, com a expansão da clientela e também dos funcionários. A rede de fibra óptica administrada pela Brisanet chega hoje a 18.000 quilômetros em 32 cidades. São 50.000 clientes, que se somam aos 25.000 do sistema via rádio. O plano é dobrar o número de municípios atendidos nos próximos anos, alcançando a Paraíba e Pernambuco. A empresa, fundada em 1997, foi concebida e desenvolvida por José Roberto Nogueira, empreendedor cearense, que foi tema de reportagem da Revista Veja em dezembro. O congresso terá uma palestra sobre rede de fibra da Brisanet, onde os participantes poderão conhecer de perto o trabalho realizado pela empresa.

O setor de provedores de Internet, que cresceu 30% no último ano, já atende 3 milhões de assinantes e corresponde a 15% do mercado brasileiro de banda larga fixa. As empresas somam mais de 5000 no país e crescem três vezes mais rápido do que as teles. Cabe a eles a democratização das conexões nas pequenas cidades do interior e zonas rurais do país.

Um dos grandes desafios do setor é a implantação da fibra óptica. O país tem cerca de 26 milhões de assinantes de banda larga, dos quais apenas 3% são conectados por fibra. Para atingir o patamar equivalente a 12,5 milhões de residências é necessário investir R$ 9 bilhões. A expansão seria realizada pelos pequenos e médios provedores, que têm maior facilidade e interesse em chegar a localidades às quais as grandes operadoras não vão.

Data centers

Realizado desde 2008 em São Paulo, neste ano o Congresso de Data Centers será realizado em Fortaleza devido ao potencial de investimentos na região Nordeste. Além do ambiente favorável do ponto de vista geográfico e político, o mercado de data centers continua crescendo de forma significativa, impulsionado pelas aplicações cada vez mais digitais. Atualmente cerca de 16 bilhões de dispositivos estão conectados no mundo e 90% das informações que temos hoje foram geradas nos últimos dois anos. Computação em nuvem, aplicativos, dispositivos móveis e redes sociais aumentam o volume de dados e demandam infraestruturas cada vez mais complexas, com grande capacidade de armazenamento, flexibilidade e rápido tempo de resposta.

O congresso mostrará como se preparar para as novas exigências que estão definindo os rumos do setor, levando os maiores especialistas para falar sobre computação em nuvem, colocation, segurança, IoT – Internet das Coisas e eficiência energética. Ao levar a iniciativa para o Ceará, o congresso contribui para fomentar mercados importantes, de grande potencial de crescimento, mas ainda fora do radar dos grandes eventos do setor, geralmente concentrados na capital paulista.

Mercado de data centers

Segundo um estudo da DatacenterDynamics, o mercado brasileiro de data centers deve movimentar US$ 11 bilhões em 2017, impulsionado por investimentos em novos equipamentos e soluções, migração para plataformas como o colocation e terceirização. Ainda de acordo com a pesquisa, o país concentra 45% de todos os centros de armazenamento de dados existentes na América Latina. Já o mercado de nuvem tem um potencial de US$ 250 bilhões no mundo, crescendo de 7% hoje para 46% em 2020, segundo o IDC, empresa de estudos de mercado.

Congressos Provedores de Internet e Data Centers 2017

Data: 5 e 6 de abril de 2017

Local: Praia Centro Hotel & Convenções

Endereço: Av. Monsenhor Tabosa, 740, Praia de Iracema, Fortaleza, CE

Horário: Dia 5 de abril das 14 às 18h; dia 6 das 9 às 18 horas

Organização: Aranda Eventos

Telefone: (11) 3824-5300

E-mail: info@arandaeditora.com.br

Web site: www.arandanet.com.br

Tags, , , ,

The Everywhere Store – O futuro do varejo

view (1)

O evento The Everywhere Store (TES), em seu terceiro ano, aconteceu na cidade de Nova Iorque logo após a NRF Big Show, um dos maiores eventos de varejo do mundo. Com todos os players concentrados na Big Apple, a Tlantic, organizadora do TES, com o apoio do Kaizen Institute, optou por levar o evento à cidade. Na 6ª Avenida, bem no centro de Manhattan, o TES recebeu no Kimpton Hotel Eventi, palestrantes e membros do mercado varejista, do mundo acadêmico e de tecnologia para discutir o futuro das lojas e a realidade do Omni-Channel. Foram mais de 15 palestrantes e varejistas de vários países que, juntos, debateram os desafios e delinearam o futuro do setor, apresentando soluções que estão implementando. Além dos debates, houve também o momento dedicado às startups que apresentaram suas ideias disruptivas e criações tecnológicas voltadas à resolução de problemas da indústria do varejo.

Os principais pontos levantados e discutidos por todos os conferencistas foram: a integração entre lojas físicas e lojas online – principalmente no que diz respeito à informação de comportamento dos consumidores; a importância de oferecer aos clientes a melhor experiência de compra possível; as ferramentas tecnológicas para engajar clientes dentro da loja; as Pop-up Stores para criação rápida e temporal de lojas e testar novos conceitos; o problema da falta de produtos em estoque nas lojas (também online); a importância dos colaboradores no crescimento das vendas e o paradigma da expansão física das lojas versus o incremento da faturação, mostrando como a maturidade da rede varejista nao tem necessariamente a mesma correspondência no crescimento de faturação: fim da expansão das redes varejistas como forma de crescimento – conclusão levantada por Marshall Fisher em sua palestra.

“A Loja é a Rede Social” foi o tema do evento deste ano.

“Quisemos levantar o desafio de entender como varejistas de todo o mundo, de diferentes tamanhos e segmentos, se estão adaptando a esta realidade da Loja enquanto agente de conexão entre pessoas, produtos e serviços”, comentou Paulo Magalhães, CEO da Tlantic.

Daniel Corsten, professor da IE Business School e autor da pesquisa da Procter & Gamble apresentada no The Everywhere Store, foi mais uma vez o âncora do evento. “A nossa comunidade TES tem crescido por todo o mundo”, disse Daniel.

A 4ª edição do evento TES está já marcada para o ano de 2018, na cidade de Nova Iorque.

Tags, , , , , , , ,

Globosat lidera mercado com suporte de soluções cloud da SAP

Lançado em 1991, com 4 canais, a Globosat hoje é a maior plataforma digital entre as TVs por assinatura do País. A rede, que reúne 32 canais, alcança quase 50 milhões de espectadores em 16 milhões de domicílios, e só entre janeiro e outubro de 2016 respondeu por 54 milhões de horas de streaming. Para suportar tecnologicamente a estratégia que lhe garante 35% de market share, a Globosat, que desde 2009 é parceira da SAP, com o uso completo da suíte SAP BO, e há dois anos foi robustecida com um contrato bem mais abrangente, acaba de completar a última onda de implementações de soluções da empresa de software.

“Em 2013 iniciamos o ciclo que visava trocar a plataforma de sistemas de gestão de backoffice da Globosat”, conta Alexandre Santos, Diretor de Sistemas de Informação da Globosat. “Primeiramente fizemos a revisão dos processos de gestão e backoffice da empresa; em seguida, fizemos um projeto de Software Selection onde levantamos 2 mil macro requisitos funcionais, essenciais para nossas operações, abrindo uma concorrência para selecionar a plataforma capaz de responder a essas exigências, suportar nossa estratégia de crescimento, bem como escolher quem nos apoiaria nesta trajetória”.

Depois de um processo rigoroso, que envolveu vários players do mercado, e com apoio da EY, a escolha da Globosat foi não só pela tecnologia das soluções SAP como também pela implementação da SAP Serviços e pelo processamento em HEC HANA. A parceria deu tanto resultado que, ainda naquele ano, a SAP Serviços recebeu da Globosat o Prêmio de fornecedor-parceiro de excelência 2015.

A Globosat optou por praticamente todo o portfólio de soluções cloud da SAP, trabalho que foi dividido em 7 projetos, norteados por dois grandes pilares, como conta Alexandre Santos: “O primeiro pilar reuniu as soluções de gestão de negócios (SAP ERP) e de capital humano (SAP HCM, SAP SuccessFactors). O segundo, as soluções de pré faturamento (Hybris Billing), específico para faturamento da receita de assinaturas, VOD e Pay-per-view oriundo de contratos com as operadoras de distribuição de Pay-TV”, destaca o executivo.

“A menina dos olhos de todo esse pacote implementado foi o Success Factors, que trouxe a modernidade que a empresa buscava na relação com os seus colaboradores, contribuindo para a transformação digital pela qual a Globosat está passando”, salienta Alexandre Santos. Ele conta que a última onda desse amplo projeto tecnológico da Globosat foi completada em novembro de 2016 com a implantação da suíte completa do Hybris Billing, “automatizando todas as memórias de cálculo e regras complexas contratuais que atendem aos canais e joint ventures da Globosat”.

Nuvem como opção preferencial

O diretor de Sistema de Informação conta que a opção para rodar as soluções foi a de trabalhar o máximo possível em cloud, rodando tudo em HEC – HANA Enterprise Cloud da SAP. “Optamos pelo HEC, que proporciona segurança, rapidez e atualizações automáticas. Decidimos não investir na ampliação de nosso Datacenter, mas contarmos com esse serviço da SAP”, destaca o Diretor de Sistemas da Globosat. O executivo brinca que, hoje, “a Globosat é meio brasileira, meio alemã: produtos SAP, ambiente de processamento SAP e suporte também SAP para a sua plataforma de gestão”.

No total, mais de 120 pessoas trabalharam no projeto desde seu início, que alcançou um alto nível de engajamento e alinhamento na empresa e com todos os parceiros envolvidos. “Do menor analista ao board da corporação, envolvendo diretamente 4 diretores e o CFO, todos se dedicaram totalmente ao processo, recorda Santos. O maior volume de trabalho foi completado em 11 meses, dos 20 meses previstos, e foi dividido em 3 ondas. Dez nacionalidades de técnicos se revezaram ao longo do processo. “Uma das grandes vantagens proporcionadas pela escolha das soluções, pelo know how de implementação da SAP Serviços e pelo forte conceito de gestão conduzido no projeto, foi que as operações das diversas áreas da Globosat nunca precisaram ser interrompidas. Não houve descontinuidade nas operações ou a necessidade de “soluções de continuidade”, nunca paramos de receber, comprar, contratar, etc… Em nenhuma situação tivemos que retroagir alguma coisa – não houve atrasos nos processos”, relata Santos.

Sergio Cruz, vice-presidente de Serviços da SAP, destaca a importância, para o sucesso de um trabalho desse escopo, da parceria consolidada entre a SAP Serviços e a Globosat. “Um programa de transformação digital com o escopo proposto na Globosat somente é possível com o engajamento dos executivos por parte do cliente. E a SAP teve o apoio e acompanhamento do projeto de perto pelos executivos da Globosat, o que trouxe agilidade para as decisões necessárias para o sucesso do projeto”. Outro fator inovador, segundo Cruz, foi que a SAP foi responsável não somente pela disponibilização do Software e Serviços de Implementação, mas também pelos serviços em Cloud de Infra-estrutura e pelo AMS. “A SAP é responsável end-to-end nas soluções SAP na Globosat, reforçando a estratégia da SAP de engajamentos e parcerias de longo prazo”.

Hoje, entre outros benefícios, o grande volume de processos financeiros e contábeis da Globosat, que demandavam semanas de trabalho, passaram a ser finalizados em minutos. E as planilhas foram aposentadas.

“Acertamos ao optar pelas soluções e pela implementação da SAP Serviços. A competência fez a diferença”, sintetiza Alexandre Santos.

Tags, , , , ,

Robôs farão até o trabalho dos CEOs

Estudo da McKinsey indica que automação não vai extinguir empregos – mas mudará a vida de mais da metade dos trabalhadores em todo o mundo

Automação é uma ideia que desde sempre inspira obras de ficção científica. Mas o uso de robôs e algorítimos para aprimorar a produção, logística e outros setores vitais de empresas não apenas é uma realidade como o avanço tecnológico está prestes a abrir uma nova era da automação. É o que mostra estudo da McKinsey. Segundo o levantamento, cerca de metade das atividades hoje realizadas por humanos será automatizada até 2055 – o equivalente a 16 trilhões de dólares em salários.

Mas a relação entre homens e máquinas não será de conflito. Pelo contrário: menos de 5% das atividades humanas podem ser totalmente automatizadas, segundo a McKinsey. Cerca de 60% de todas as ocupações têm ao menos 30% de atividades que podem ser feitas por máquinas. Ou seja, mais profissões serão modificadas do que extintas. O uso de robôs ainda melhora a performance dos negócios ao reduzir erros e elevar a produtividade, atingindo patamares que a capacidade humana não seria capaz de alcançar. Para se ter uma ideia, o estudo estima que a automação tenha potencial para elevar o PIB global entre 0,8% e 1,4% anualmente.

Os efeitos da automação também não ficarão restritos ao chão de fábrica. Segundo a McKinsey, até os CEOs terão seu trabalho afetado: a análise de relatórios e dados para tomar decisões, por exemplo, pode ser realizada por algorítimos. Ao todo, 1/4 do trabalho dos CEOs poderá ser automatizado.

O cenário brasileiro segue a tendência: a McKinsey estima que, considerando-se apenas a economia formal, o potencial de automação no país seja de 50%, o que afeta 53 milhões de empregados. Os setores industrial e varejista são os que têm o maior número de processos que poderão ser modificados pelo uso de softwares ou máquinas inteligentes – o que atingiria mais de 20 milhões de postos de trabalho.

No Brasil e no restante do mundo, garantir que a convivência entre homens e máquinas seja de fato pacífica exigirá mudanças no ensino. É preciso repensar o currículo para educar pessoas com as habilidades que realmente serão necessárias no futuro – como programação, robótica e serviços para uma população cada vez mais velha.

Tags, , , ,

Twitter anuncia novas melhorias na segurança da plataforma

O Twitter anuncia mais melhorias para aumentar a segurança na plataforma, oferecendo novas ferramentas para que o usuário possa controlar a sua experiência. Nas últimas semanas, o Twitter já havia apresentado uma série de novidades nesse sentido, como atualizar a forma de denunciar Tweets abusivos, coibir a criação de novas contas abusivas, implementar resultados de pesquisa mais seguros, ocultar Tweets potencialmente abusivos ou de baixa qualidade e reduzir notificações de conversas iniciadas por pessoas bloqueadas ou silenciadas.

unnamed (20)

Aproveitar a tecnologia para reduzir conteúdo abusivo

O Twitter está trabalhando para identificar contas envolvidas em comportamento abusivo na plataforma, mesmo que esse comportamento não tenha sido denunciado. A plataforma então age limitando a funcionalidade de uma determinada conta por um período definido, permitindo que os seus Tweets sejam visualizados apenas por seus seguidores. Essa medida pode ser tomada, por exemplo, se a conta está envolvida em padrões de comportamento que violam as regras do Twitter.

A plataforma defende a liberdade de expressão de qualquer ponto de vista, mas se uma conta viola repetidamente as regras do Twitter, providências podem ser tomadas em relação a ela. O Twitter vai atuar apenas quando tiver a segurança, com base em seus algoritmos, de que o comportamento das contas é abusivo.

Mais controle com novas ferramentas

O Twitter também está anunciando novas opções de filtro para as notificações, o que dará mais controle sobre o que se vê publicado por certas contas, como aquelas que não trazem nenhuma foto no perfil ou têm endereços de email não verificados. Ter mais opções de filtro para as notificações era uma solicitação de muitas pessoas.

unnamed (5)

Além disso, o recurso de silenciar, que em novembro de 2016 já permitia ao usuário remover das suas notificações palavras específicas, frases ou mesmo conversas inteiras, também está sendo expandido. Agora, será possível silenciar esses itens na timeline e decidir por quanto tempo esses conteúdos permanecerão assim: um dia, uma semana, um mês, ou indefinidamente. Esse era outro pedido importante das pessoas.

unnamed (6)

Comunicar mais claramente as ações sobre segurança

O Twitter tem tornado seus processos relativos à segurança na plataforma cada vez mais transparentes e abertos. A partir de agora, o usuário será notificado quando o Twitter receber o seu relatório sobre contas ou Tweets denunciados às equipes de suporte e informado se outras medidas forem tomadas. Tudo isso ficará visível na aba de notificações do Twitter.

unnamed (7)

unnamed (8)

As mudanças estão sendo desenvolvidas globalmente nos próximos dias e semanas e em todas as línguas representadas na plataforma. Mais novidades estão por vir e, enquanto isso, para outras informações, acesse @TwitterSafety.

Tags

SulAmérica Saúde lança serviço pioneiro de reembolso digital

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, acaba de lançar o serviço de reembolso digital, funcionalidade inédita incorporada ao aplicativo SulAmérica Saúde que agiliza o processo de reembolso de consultas de até R$ 1.000,00. Inovadora, a tecnologia utiliza algoritmos de machine learning para reconhecer recibos médicos por meio de uma foto, que pode ser feita pelo próprio segurado via câmera do smartphone, e encaminha o pedido para análise de forma rápida e segura. Pelo próprio aplicativo, o usuário consegue acompanhar todas as etapas até o pagamento.

“A SulAmérica investe continuamente em inovação tecnológica para aprimorar a experiência do cliente. Fruto dessa estratégia, o reembolso digital é uma facilidade pioneira no mercado de saúde suplementar que proporcionará ainda mais agilidade e comodidade para os segurados”, afirma o vice-presidente de Saúde e Odonto da SulAmérica, Maurício Lopes. Em fase de implementação, a novidade será disponibilizada gradativamente para toda a base de clientes da SulAmérica Saúde a partir de março de 2017.

O aplicativo SulAmérica Saúde já registra aproximadamente 1 milhão de downloads, com 10 milhões de transações realizadas pelos usuários dentro do app ao longo de 2016. Hoje, os beneficiários conseguem acessar rapidamente, via smartphone, serviços como carteirinha virtual, rede médica referenciada, medicamentos com desconto e chat com a central de atendimento.

“Estamos empregando o que há de mais moderno na área de tecnologia para agregar valor ao cliente e facilitar a utilização do plano de saúde. Com esta nova funcionalidade, tornaremos o processo de pedido de reembolso mais simples, permitindo que os segurados sigam os trâmites por meio do celular de forma transparente e dinâmica”, explica o vice-presidente de Operações da SulAmérica, Marco Antunes.

Para os segurados que desejarem, a solicitação de reembolso ainda poderá ser feita por meio do portal Saúde Online, dos terminais de autoatendimento SulAmérica Express ou por entrega do protocolo no RH da empresa cliente. Além do aplicativo SulAmérica Saúde, a companhia desenvolveu para clientes os apps SulAmérica Odonto, SulAmérica Investimentos, SulAmérica Auto, SulAmérica Garantia de Aluguel e SulAmérica Institucional. Todos estão disponíveis para download na Google Play Store (Android) e na Apple Store (iOS).

Tags, , , , ,

Broadsoft é considerada “visionária” pelo Gartner por soluções para contact centers

BroadSoft, Inc. (NASDAQ: BSFT), líder global de soluções de Comunicação Unificada em Nuvem (UCaaS), anunciou que foi posicionada pela Gartner, Inc. como Visionária no Quadrante Mágico de 2016 com a solução desenvolvida para Contact Centers (CCaaS). O relatório avaliou 10 fornecedores de software diferentes em quesitos como a capacidade de executar soluções e a capacidade de visão que avalia, entre outros fatores, a inovação da empresa. O Quadrante Mágico do Gartner define visionário como “fornecedores com fortes capacidades de produtos e serviços multicanais, além de uma estratégia clara para vendas, marketing e desenvolvimento de negócios. Eles se diferenciam adicionando recursos exclusivos de funcionalidade e/ou entrega.”

“O mercado CCaaS está nos estágios iniciais e, à medida que as implantações crescem em escala e complexidade, a BroadSoft está fortemente preparada, com uma solução que ajuda os contact centers de qualquer tamanho a otimizarem seu desempenho além da redução de custos – ao permitir uma migração tranquila das instalações tradicionais para a nuvem”, disse Michael Tessler, CEO da BroadSoft. “Estamos entusiasmados por sermos reconhecidos como visionários no Quadrante Mágico de 2016”.

O BroadSoft CC-One é uma solução para contact centers em nuvem baseada em dados que utiliza análises preditivas para reduzir os custos operacionais e melhorar os resultados do negócio, além de permitir que as empresas se comuniquem com os clientes de qualquer canal que escolherem – voz, email, texto, celular, web ou mídias sociais – para uma verdadeira experiência omni-channel. A integração do CC-One com o portfólio da BroadSoft de comunicações unificadas em nuvem e aplicativos que promovem a integração da aquipe de trabalho permite que os provedores de serviços ofereçam uma solução única com a flexibilidade de escalonar para grandes empresas.

Segundo o Gartner, “Contac centers como um mercado de serviços na América do Norte está crescendo rapidamente e fornece aos líderes de infraestrutura e operações responsáveis por contact centers uma série de alternativas viáveis para soluções tradicionais locais em vários tamanhos de implantação e níveis de complexidade”.

Tags, , ,