Page

Author admin

Supermercado Now lança aplicativo para melhorar experiência de compra de seus usuários

O Supemercado Now, maior plataforma de supermercado online, anuncia o lançamento de seu aplicativo, que tem o objetivo de melhorar a experiência de compra dos usuários. Disponível em Android e iOS, o app permite que os consumidores realizem suas compras com apenas alguns cliques e recebam seus produtos de forma rápida e prática, com dia e hora marcada, ou dentro de duas horas.

Com uma interface fácil e dinâmica, o aplicativo da Supermercado Now proporciona aos usuários uma nova experiência e praticidade ao permitir que eles tenham acesso, de acordo com a sua geolocalização, aos produtos em destaque, promoções e lançamentos de todos os supermercados parceiros.

“Buscamos sempre inovar e atender da melhor forma possível nossos clientes. Acredito que por meio do aplicativo, os usuários terão mais comodidade e facilidade para efetuar suas compras, além de se comunicar melhor com o personal shopper. Queremos concentrar todas as informações necessárias na palma da mão dos nossos usuários e proporcionar uma nova forma de acesso aos produtos”, explica Marco Zolet, CEO e sócio-fundador da Supermercado Now.

Para a criação do app, a Supermercado Now buscou entender o perfil dos compradores para desenvolver um layout que pudesse contemplar todas as necessidades de seus usuários, como acesso rápido as categorias, forma de pagamento, entre outros, com uma navegação mais fácil e intuitiva.

“Alguns estudos nos mostraram que, em compras de alta recorrência como as de supermercado, o aplicativo facilita ainda mais o acesso a recompra, aumenta o engajamento do cliente com a solução e traz um novo canal de comunicação operacional e comercial. Com esse lançamento, nossa expectativa é alcançar um crescimento de 35% na frequência de compras e 70% nas compras por dispositivos móveis nos próximos quatro meses”, finaliza Zolet.

Tags, , , , ,

Stefanini investe em ofertas que mesclam Digital, ADS e processo Ágil

A Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia, aposta em projetos inovadores combinando Digital e ADS com processo ágil. O principal objetivo é reforçar a atuação da multinacional no processo de transformação digital das empresas, além de desenvolver aplicações, customização e implementação de soluções para os diversos setores da economia, tais como varejo, finanças, indústria e governo.

O modelo de negócios chamado ADS (Application Development Services) baseia-se em um conjunto de recursos, processos e metodologias, que utiliza as melhores práticas criadas para o processo de desenvolvimento, testes e manutenções dos softwares. A finalidade é construir soluções que alavanquem dados de todas as fontes possíveis para antecipar e entregar as funcionalidades adequadas e o conteúdo apropriado, de acordo com as necessidades do cliente.

“Temos como foco ser a ponte estratégica entre usuário e tecnologia. Para nós, não basta mais só entender as necessidades e expectativas dos nossos clientes, precisamos também ajudá-los, por meio de inovação, dinâmicas e benchmark, a entender como atingir de forma eficiente o mercado e usuário final. Isso é fundamental para criarmos uma solução digital relevante, de fácil usabilidade, intuitiva e que atinja os objetivos de negócio”, afirma Leonardo Camargo, Diretor de Serviços e Desenvolvimento de Aplicações da Stefanini.

Já o processo denominado Ágil é utilizado quando não há tempo para definir – com detalhes suficientes – uma boa parte dos requisitos do projeto, antes do desenvolvimento e entrega parcial. A ideia é começar o trabalho antes de finalizar o plano por completo e ir adaptando ao longo do caminho por meio de entrega e feedback constante. Costuma ser mais eficaz quando a equipe, cliente e fornecedor contam com experiência em projetos com essa abordagem e conseguem estabelecer, ao longo do tempo, um processo de colaboração que acaba gerando entregas rápidas e eficientes.

O processo sustenta que a melhor forma de atender às necessidades dos clientes é por meio da colaboração de um grupo comprometido de pessoas, que se concentra na obtenção de resultados com rapidez, com o mínimo de sobrecarga possível. “Nossa gestão em ADS tem incorporado cada vez mais as práticas de desenvolvimento ágil. Atualmente, 70% dos nossos projetos utilizam essas metodologias. Queremos combinar Digital e ADS com processo ágil para ajudar nossos clientes a transformarem seu negócio digitalmente de forma disruptiva, oferecendo inovações digitais para que os mesmos aumentem a eficiência operacional e competividade.”, ressalta Camargo.

A Stefanini acredita em quatro passos para realização efetiva da transformação digital: inovação, estrutura digital, dados e soluções de negócios compatíveis com as necessidades do cliente. Desse modo, a base tecnológica desta revolução digital é a utilização dos sistemas ciberfísicos, internet das coisas e computação em nuvem, para que os processos de produção se tornem cada vez mais eficientes.

Nova realidade das corporações

A transformação digital é a nova realidade das corporações. Desse modo, a mobilidade deve facilitar o dia a dia, as plataformas devem ser seguras e eficientes e tudo deve ser on-line e fácil. Atualmente, a Stefanini conta com uma estrutura robusta para implementar mudanças importantes para que os clientes se preparem para a era da Internet das Coisas e da Indústria 4.0.

Como é feito o processo digital combinado com ADS

• Imersão: consiste em compreender as necessidades do cliente por meio de um cenário com informações dos usuários finais, estudos e tendências que proporcionem a geração de ideias eficientes.

• Insight: com o conhecimento dos usuários e clientes em mãos, novas ideias são geradas para atender aos desejos do usuário e objetivos do cliente.

• Prototipação: após a ideação, protótipos são desenvolvidos representando a melhor forma de apresentação das ideias levantadas, incluindo os testes de aderência, que visam a concretização esperada.

• Validação: para implementar o melhor produto, protótipos são testados e validados pelo cliente. Sempre que necessário, a geração de ideias é reiniciada para atender da melhor maneira a expectativa do cliente.

Tags, , ,

Cléber Pacheco assume Nova Diretoria de Alianças e Serviços Colaborativos da Paradigma Business Solutions

S2Publicom_strip_97630_0_full

Para comandar sua nova diretoria de Alianças e Serviços Colaborativos, a Paradigma Business Solutions, especializada em negociações e relacionamentos eletrônicos, está trazendo Cléber Pacheco, executivo vindo da AMBEV, local onde acumulou, nos últimos 10 anos, amplo conhecimento em negociações nacionais e internacionais.

Com passagem também por prestadoras de serviço e startups e atuação reconhecida com equipes globais, Cleber fará uso de sua influência e expertise em gestão de negócios no desenvolvimento e gestão de Alianças Estratégicas e da implementação de serviços Colaborativos.

“A vinda de Cléber Pacheco reforça nosso objetivo de fortalecer e ampliar nossas alianças estratégicas. Sua experiência nos ajudará a fomentar as melhores práticas de mercado e estabelecer um patamar de alianças dentro de todas as áreas da companhia”, afirma Andrea Boudeville, CEO da Paradigma Business Solutions.

Nos últimos anos, a Paradigma firmou parcerias importantes com empresas líderes do mercado de TI, como a TOTVS para a criação de projetos de e-procurement com a oferta TMp – TOTVS Marketplace by Paradigma Business Solutions, que permite às equipes de Compras realizar seus processos de forma eficiente, segura e integrada de forma colaborativa com os fornecedores.

Outra importante parceria aconteceu com a Salesforce para a comercialização da plataforma de gestão de contrato e portfólio de energia WBC ETRM (Energy Trading e Risk Management) integrada ao CRM da líder global no assunto.

Este movimento da companhia determina novas oportunidades para o setor privado e o público de se beneficiarem de parcerias com uma empresa que busca soluções cada vez mais inovadoras para relacionamentos eletrônicos. “Com esta nova área, pretendemos buscar e desenvolver novas oportunidades no mercado, que provoquem a criação de melhores soluções e serviços nos diferentes setores e comunidades que a empresa atua”, finaliza Cléber Pacheco.

Tags, ,

Aplicativo para consumidores e produtores de cerveja artesanal será lançado na Brasil Brau 2017

3b3b2aba-89e0-4c52-b08c-d67be6dc2d06

O mercado de cerveja artesanal está em constante expansão no país, mesmo em tempos de crise. Segundo dados do Instituto da Cerveja Brasil, em 2017, a expectativa de crescimento é de 10% para o setor. Dentro deste cenário positivo, ocorrerá em São Paulo a Brasil Brau 2017 – XIV Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja, de 26 a 28 de julho. O evento é o principal do segmento e estima-se a presença de mais de 13 mil pessoas, centenas de marcas e uma grande novidade: lançamento do aplicativo Braunetwork.

“Nossa expectativa é que o evento impulsione ainda mais o lançamento do aplicativo, já que estarão reunidos centenas de expositores e milhares de apaixonados por cerveja artesanal. O Braunetwork tem muito a acrescentar ao público”, complementa Fabiano Belmonte, um dos sócios da Startup idealizadora do aplicativo. Além dele, Carlos Tomás e Lucas Tomás completam o time responsável pelo nascimento do app.

Disponível para iOS e Android, o Braunetwork foi desenvolvido pela empresa Megaleios e apresenta diversas funcionalidades, como área para inscrição em cursos, encontrar cervejarias mais próximas a região do usuário, comprar insumos para fazer a própria cerveja e ainda conferir calendário de eventos. “Quem baixar o aplicativo sempre receberá informações atualizadas sobre o que está acontecendo. Desta maneira, será mais fácil se atualizar”, acrescenta Carlos.

Outro ponto interessante é que o usuário poderá conferir receitas e também alugar equipamentos de outros produtores. Segundo Lucas, o aplicativo pode fazer grande diferença para cervejarias e entusiastas que estão dando os primeiros passos, isso porque “facilitará muito a vida de quem está começando a fazer a cerveja, ou mesmo de quem já está no mercado, visto que será possível conhecer outros profissionais, alugar equipamentos e trocar experiências”, finaliza.

Aplicativo Braunetwork

O aplicativo já está disponível para download nas plataformas iOS e Android e leva a assinatura da Megaleios, empresa especializada em desenvolvimento de aplicativos. Além do app em si, quem é apaixonado por cerveja artesanal também pode acessar o site oficial do aplicativo em www.braunetwork.com.br.

Brasil Brau 2017

Quando? 26 a 28 de julho de 2017.
Horários; Das 13h às 20h.
Onde? São Paulo Expo – Rodovia dos Imigrantes, km 1,5
Informações: www.brasilbrau.com.br

Tags, , , , , , ,

Como engajar usuários com notificações por push? – Por Marcelo Zeferino

Os smartphones, além de otimizarem a comunicação e o acesso à informação, representam uma plataforma com particularidades, que demandam produtos digitais e estratégias de marketing próprios. Um desses produtos é o aplicativo e entre seus artifícios de marketing está o envio de notificações por push.

O push é uma ferramenta sensível de engajamento, dada sua natureza mais intrusiva, se comparado a outros canais. Ele salta na tela do celular entre outras notificações, como mensagens pessoais e interações nas redes sociais. Nem sempre é bem-sucedido no objetivo de capturar a atenção do usuário, podendo inclusive gerar efeito contrário como a desativação do push ou desinstalação do aplicativo.

No entanto, é uma ferramenta eficiente quando utilizada estrategicamente, priorizando fatores como relevância de conteúdo e mensagens personalizadas. O push certo na hora certa, além de engajar o cliente na compra de um produto ou serviço, melhora a percepção da marca entre os usuários. E para se comunicar com uma base de clientes diversa, com diferentes perfis e comportamentos de consumo, a melhor aposta é a segmentação.

No Peixe Urbano, acompanhamos a evolução das ferramentas disponíveis no mercado para desenvolver ações com push. Nossa estratégia de envio é cada vez mais personalizada, mesclando automações de acordo com o perfil do usuário e análise de comportamentos, feita pela equipe de Marketing. Atualmente, utilizamos o Localytics para desenhar o que chamamos de “régua de disparo”, que define as categorias (por exemplo, restaurantes) e subcategorias (restaurantes japoneses, churrascarias, pizzarias etc.) divulgadas em cada dia da semana. O usuário recebe mensagens de acordo com a sua navegação no aplicativo nos 7 dias anteriores: se ele visitou ofertas de uma das subcategorias do dia, vai receber um push específico da mesma; caso contrário, receberá uma mensagem genérica da categoria. Além disso, são feitos outros envios mais pontuais, como o push de geolocalização (disparo de ofertas na região onde o usuário se encontra) e aviso de abandono de carrinho.

Para verificar a eficácia dessas ações, realizamos testes A/B com grupos de controle, avaliando índices como taxa de abertura, aumento na conversão, desativação do push e desinstalação do app. O objetivo é analisar a relevância de cada campanha, segmentando a base e separando grupos de usuários para receber mensagens diferentes ou não receber a notificação. Assim, cruzamos as métricas para avaliar o desempenho do push, observando também o comportamento de quem não o recebeu. Muitas vezes o envio parece gerar uma boa conversão, mas notamos com os grupos de controle que em alguns casos essas vendas já aconteceriam.

Os testes A/B geram parâmetros como dias da semana mais adequados para disparo, categorias que performam melhor em determinadas regiões, comportamento do usuário de iOS e Android, entre outros. Com isso, tomamos decisões estratégicas para alcançar maior relevância e reduzir o impacto negativo das desinstalações.

Desde 2015, o mercado vem observando mais atentamente o potencial do push para melhorar métricas como engajamento e retenção de usuários no app. As apostas estão se concentrando nos envios personalizados, tendência que já aparece no Brasil, já que as ferramentas com essa função estão começando a entrar no país. No caso do Peixe Urbano, o push focado no comportamento do usuário tornou as campanhas mais assertivas. Um dos resultados mais expressivos foi verificado na taxa de abertura, que chegou a dobrar com as mensagens personalizadas..

É preciso ter em vista que essa é apenas uma das ferramentas disponíveis para mobile, ou seja, o envio de push deve integrar um conjunto de ações de engajamento. Para não inundar o usuário com notificações, nem saturar a ferramenta, o mercado lá fora está constantemente olhando para outros recursos, tendência que buscamos acompanhar no Peixe Urbano.

Marcelo Zeferino, Gerente de Produto Mobile no Peixe Urbano

Tags, , , ,

O que podemos esperar do On Demand Commerce? – Por Vinícius Andrade

Sabemos que o principal objetivo de um e-commerce é vender cada vez mais, certo? Se você é uma pessoa que deseja empreender no mundo online, precisa se atentar a uma série de serviços que demandam tempo e conhecimento, para deixar seu negócio robusto e atrativo. Dessa forma, você já sai na frente dos outros empreendedores que têm medo de arriscar e apostar no novo e se livra da possibilidade de cair no mais do mesmo em um mercado que é tão competitivo.

Se você quiser começar uma empresa online, mas que seja diferenciado, você vai gostar de conhecer a mais nova aposta do setor, o On Demand Commerce. Similar ao drop shopping, o e-commerce sob demanda possibilita com que as pessoas vendam produtos personalizados exclusivos mesmo sem ter o produto em estoque, com um diferencial de vender produtos criados por você mesmo. Quem já pensou em abrir qualquer loja virtual reparou que há sempre algum problema com fornecedor, logística ou baixa qualidade dos produtos. Resumindo, situações que acarretam em perdas financeiras, dificuldades na operação e até mesmo prosperidade do empreendedor.

O que percebo é que com o surgimento de novas plataformas capazes de dar evasão na produção e também na organização do negócio, esse mercado está mudando e quebrando paradigmas. No mundo todo o On Demand Commerce ganhou muita força, pois tirou o peso de quem quer começar um negócio online. Digo isso pois por meio dele é possível terceirizar toda a comercialização de produtos, abordando desde a gestão da plataforma de venda, tecnologia da informação, fulfilment e atendimento ao cliente.

Perceba que com essa evolução e amadurecimento, os empreendedores conseguem manter o foco em seu core business, que nada mais é que divulgar e vender o produto, deixando para um especialista a gestão da operação com todos os riscos do negócio. Esse modelo está se tornando cada vez mais popular no comércio eletrônico brasileiro, pois proporciona ao lojista uma forma dinâmica e completa de gerenciar seus negócios.

Outro diferencial do conceito é a remuneração que varia de acordo com os resultados. No modelo que usamos, por exemplo, os ganhos dos empreendedores são definidos de acordo com cada produto criado, e é isso que torna o negócio verdadeiramente atrativo. Afinal, quanto mais produtos os usuários vendem, o retorno financeiro será maior para todos. Deixo aqui uma pergunta final – Por que não apostar nesse setor e ajudar a democratizar de verdade o e-commerce?

Vinícius Andrade, CEO da Vesteer, maior plataforma de criação, venda e distribuição de produtos personalizados em todo o Brasil.

Tags, , ,

Brasoftware investe em benefícios que apoiam as empresas na transformação digital com nuvem Microsoft

Amanda Almeida, Diretora de Marketing da Brasoftware

Amanda Almeida, Diretora de Marketing da Brasoftware

Maior parceira da Microsoft na gestão de contratos e gerenciamento de serviços on-line, a Brasoftware inova seu programa, o Brasoftware MAIS, para trazer novos benefícios que ajudarão os clientes com contratos de serviços em nuvem Microsoft a impulsionar a transformação digital de seus negócios.

Os novos recursos estarão disponíveis a partir de julho e posicionam a empresa, que está completando 30 anos de história, como uma provedora de soluções, ajudando os clientes corporativos a tirarem o máximo de proveito de toda tecnologia em nuvem contratada.

O programa traz uma série de novidades como informativos de consumo; canal de comunicação via rede social, onde os administradores dos contratos poderão acessar fóruns de discussão bem como conteúdos especializados; além de workshops presenciais e on-line gratuitos, com conteúdo para áreas de negócios, como Recursos Humanos, Marketing, Vendas, Finanças, entre outras.

“Com a ampliação da nossa atuação – que vai além de ofertas de tecnologia como infraestrutura, trazendo também soluções de negócios – percebemos que precisávamos ter acesso às áreas de negócios dentro dos nossos clientes, levando até elas um conteúdo verticalizado, que pudesse apresentar a tecnologia em nuvem como uma solução escalável, simples e acessível, ajudando inclusive à área de TI a ampliar o conceito ‘Cloud’”, afirma Amanda Almeida, Diretora de Marketing da Brasoftware.

“O objetivo do Brasoftware MAIS é promover a jornada dos negócios dos clientes para o mundo digital. Para isso, o primeiro passo é uma reunião com o administrador do contrato para apresentação do programa e elaboração do plano de adoção das tecnologias de nuvem. Este plano de adoção inclui, entre outros engajamentos, um workshop presencial de Dicas e Truques do Office 365 e reuniões executivas, com as principais áreas de negócio para mapear os desafios e endereçá-los a projetos de inovação tecnológica”, explica Ednei Gomes, Executivo responsável pelo programa na Brasoftware.

Outro diferencial do programa é a disponibilização de especialistas em licenciamento Microsoft, que dão apoio remoto ou presencial aos clientes para garantir que sejam feitas todas as ativações dos benefícios dos contratos firmados, bem como sanar dúvidas no modelo de consumo. “A Microsoft disponibiliza, por meio de seus contratos, uma série de recursos. Muitas vezes nossos clientes não possuem uma área específica para gerenciar tudo o que foi contratado ou os administradores acabam não conseguindo compartilhá-los em suas empresas. Por isso, faz parte do nosso programa um gerenciamento de contrato a contrato para garantir que cada cliente esteja utilizando seus benefícios e, sobretudo, acessando todos os recursos que a nuvem Microsoft pode trazer para seu negócio”, afirma Ednei.

Com mais de 1500 contratos gerenciados, a Brasoftware hoje é a maior parceira da Microsoft no Brasil, responsável pelo atendimento a mais de 5000 clientes por ano, incluindo clientes de pequenas e médias empresas e também o setor público.

Tags, , ,

Quais os desafios legais para iniciar uma startup?

Fabio Sertori, especialista em alianças público-privadas, está entre os mentores do encontro “Conceitos legais para iniciar uma startup”, que acontece amanhã, 25 de julho, na sede da NIBO, startup desenvolvedora de soluções em gestão financeira, no Rio de Janeiro. A Founder Institute Rio, parte da Founder Institute, uma aceleradora de startups voltada à formação de empreendedores e empresas criada no Vale do Silício (Califórnia), é organizadora do evento.

Sertori focará sua participação nos papéis do Governo como fomentador do ecossistema das startups, e exemplos de como o Governo pode alavancar o desenvolvimento de negócios de impacto.

O objetivo geral do encontro é oferecer uma plataforma para ajudar o empreendedor a criar negócios inovadores, com a finalidade de recuperar a economia do Estado e, assim reter talentos no Rio de Janeiro. Os empreendedores terão todas as informações para iniciar uma startup, como escolher o melhor tipo de empresa, formação de equipe, elaboração de contratos e os principais problemas que podem ser enfrentados a partir desta iniciativa.

Todos os mentores estão conectados com ambientes inovadores e têm experiência em apoiar startups, iniciativas societárias, acordos e investimentos. Segundo Marcos Semola, codiretor da Founder Institute Rio, os profissionais escolhidos para o time de mentores é o que determina a qualidade do produto final. “Além disso, eles possuem os mesmos valores que eu, que é sempre buscar a inovação. Esse evento visa uma causa maior, por isso todos são voluntários”, comenta Semola.

A Founder Institute Rio inicia, na segunda quinzena de agosto, um programa que contará com um ciclo de 14 sessões de treinamentos – um por semana, e tarefas aos futuros empreendedores, todos coordenados por mentores. As turmas terão entre 35 e 50 participantes e são formadas, principalmente, por participantes dos bate-papos.

Evento Founder: Conceitos legais para iniciar uma startup

Data: 25 de julho – às 18h30

Local: NIBO – Rua da Alfândega, 100 – 3º andar – Centro – Rio de Janeiro

Gratuito

Tags, , , ,

Royal Caribbean apresenta máscara de mergulho que grava e transmite imagens para redes sociais

unnamed

A companhia de cruzeiros Royal Caribbean convida o mundo a vivenciar a primeira aventura subaquática através das lentes do Snapchat Spectacles, graças a uma personalizada máscara de mergulho batizada de “SeaSeeker”. A máscara foi projetada pela Royal Caribbean para uso com os óculos Snapchat Spectacles e permite que os usuários os encaixem enquanto estiverem submersos, dando a eles, embaixo da superfície, uma perspectiva única do intrigante mundo da vida marinha.

“A máscara SeaSeeker permitirá a todos que gostam de aventuras garantirem um lugar na primeira fila para assistirem emocionantes jornadas debaixo d’água de um modo como nunca foi possível antes”, disse Jim Bearra, Vice Presidente Senior de Marketing da Royal Caribbean International. “O Snapchat continua a ser o canal favorito para viajantes e é a plataforma ideal para esta primeira exploração do fundo do mar. Estamos ansiosos para encontrar uma maneira inovadora para usar o Snapchat Spectacles com nossa máscara SeaSeeker, que está sendo patenteada para podermos trazer a experiência subaquática aos nossos hóspedes, assim como eles visitam os destinos incríveis que nos navegamos. Até tomamos a iniciativa de solicitar a patente para a máscara SeaSeeker para que possamos trazê-la com exclusividade para nossos hóspedes”.

Os três mergulhos de apresentação foram incríveis aventuras subaquáticas vistas através dos olhos de três mergulhadores bem conhecidos. Em Cozumel, México, o fotógrafo marinho de vida selvagem e protetor ambiental Roberto Ochoa deu aos espectadores um raro vislumbre sobre a migração anual de tubarões-baleia. A bióloga marinha e cofundadora da organização Oceanus, A.C., com sede no México, Gabriela Nava levou os espectadores a um projeto de restauração de um recife de coral, onde ela e sua equipe têm trabalhado para restaurar os recifes locais. Em Belize, o mergulhador livre Ashleigh Baird visitou o famoso Grande Buraco Azul, uma imensa caverna subaquática que se acredita ser a maior do seu tipo.

Interessados podem buscar mais informações nas redes sociais através da hastag #SeekDeeper ou seguindo o canal @RoyalCaribbean no Snapchat.

A Royal Caribbean International é uma companhia de cruzeiros mundialmente premiada, com um legado de inovação de 48 anos, pioneira por introduzir nos mares os navios mais modernos do planeta. Apresenta um amplo e incomparável conjunto de recursos e amenidades apenas encontrados na Royal Caribbean, incluindo, entretenimento estilo Broadway e aclamada programação que atrai desde famílias até turistas em busca de aventuras. A bordo, os hóspedes são atendidos com o melhor serviço Gold Anchor Service por cada equipe e membro da tripulação. A Royal Caribbean foi eleita a “Melhor Companhia de Cruzeiro Global” por 14 anos consecutivos no Travel Weekly Readers Choice Awards.

A companhia opera 24 dos navios mais inovadores do mundo para os destinos mais populares nas Bermudas e no Caribe, Europa, Canadá e Nova Inglaterra, Alasca, América do Sul, Ásia e Austrália e Nova Zelândia.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=V2TU53gNYYo[/embedyt]

Tags, , , , , ,

Como alcançar o próximo nível com uso de tecnologias – Por José Formoso, CEO da Embratel

Jose Formoso - Foto 5

Vivemos hoje em um mundo totalmente conectado, com a tecnologia em um papel central e como transformadora do modo de trabalho das empresas. Ao longo dos últimos anos, as organizações tradicionais tiveram que se adaptar ao uso de novas soluções, que chegavam ao mercado em ciclos a cada dois anos. Agora, o ritmo é outro. Tecnologias disruptivas, como Cloud Computing e Internet das Coisas (IoT), ganharam espaço dentro de um mercado cada vez mais instantâneo –com novos aplicativos a cada dia — e que obrigam as empresas a entrarem em um modelo constante de reinvenção. Em um cenário de competição global, o sucesso estará presente nas empresas que conseguirem promover a transformação digital e alcançarem o próximo nível.

Na prática, é preciso entender que se transformar não significa apenas a aplicação de tecnologias nos processos corporativos. É necessário mudar a cultura da empresa, repensando ações, posicionamento da marca, produção e distribuição de produtos e serviços, por exemplo. Aos CEOs, que enfrentam maiores desafios de gestão, cabe um novo papel de liderança, mobilizando colaboradores, fornecedores e consumidores para seguirem um novo formato de trabalho. Consequentemente, a transformação digital irá gerar novos cargos e funções menos mecânicas e mais direcionadas a resultado. Como qualquer mudança, o processo não é instantâneo e demanda um bom planejamento. Por isso, quanto antes a transformação digital começar, melhor.

O primeiro passo dessa mudança é definir um bom plano de ação. Com o apoio de bons parceiros tecnológicos, é possível fazer a escolha adequada de soluções digitais que precisam estar alinhadas ao modelo de negócios e bem desenhadas para possibilitarem o crescimento das empresas.

Antes de partir para a ação, faça um estudo detalhado das variáveis que influenciam o futuro de suas atividades. Avalie o mercado no qual a sua empresa está inserida e pesquise sobre os concorrentes. Estude a estrutura de sua organização, as áreas estratégicas e os ganhos esperados com a digitalização dos processos. Essa análise será fundamental para compreender os esforços e as necessidades de transformação.

Independente do segmento de atuação, Big Data, Internet das Coisas (IoT) e Computação em Nuvem (Cloud Computing) são algumas das novas tecnologias que impulsionarão a digitalização das empresas nos próximos anos. O aumento de produtividade, com redução de custos e produtos com maior valor agregado são alguns dos benefícios obtidos pelas empresas que apostarem na evolução de seus negócios.

Após o processo de pesquisa e de planejamento estratégico é hora de escolher os líderes de projeto que estarão à frente dessa evolução. A transformação digital é um processo irreversível, gradual e contínuo, que apenas ocorre quando todo o ecossistema no qual a empresa está inserida passa a absorver uma cultura de inovação. Por isso, as empresas mais bem-sucedidas contarão com apoio total dos colaboradores, com divisão de tarefas e alinhamento de expectativas.

Digital será a base de todas as empresas e a transformação das empresas ‘analógicas’ em novas versões mais modernas será fundamental para atender às expectativas da sociedade hiperconectada que temos hoje. É o caso de grandes empresas do ramo de varejo que criaram lojas virtuais para novos consumidores que buscam produtos e serviços acessíveis a toda hora, a partir de qualquer lugar e por meio de todos os dispositivos. Ao contrário das empresas que já nascem digitais, a transição para o novo formato demanda tempo e é natural que as empresas enfrentem alguns percalços durante esse processo.

Caberá aos líderes seguir os planos traçados e atuar com resiliência. Adaptar-se às mudanças, aos novos cenários que se apresentam e saber tirar lições dos momentos de adversidade faz parte do processo de integração de novas tecnologias ao modelo tradicional de trabalho e produção. O mundo corporativo é dinâmico e exige foco, disciplina e resistência a longo prazo, além de uma visão empresarial estratégica. Diante disso, é preciso que as empresas mapeiem os benefícios digitais que podem obter para começarem a traçar planos de evolução o quanto antes.

A inovação é transformadora tanto internamente quanto da porta para fora. Para se destacar no novo cenário digital, as organizações precisam oferecer opções diferenciadas e que surpreendam positivamente seus clientes. Um caminho interessante a se percorrer é o da personalização, que se torna possível graças às soluções digitais e ao uso de tecnologias específicas para análise de dados, como Big Data e Analytics.

A era da conectividade aproximou clientes das marcas, criando uma nova dinâmica de relacionamento, de estudo de hábitos de consumo e de previsão de anseios e de movimentos de consumo. As empresas que ainda têm dúvidas sobre o processo acabarão ficando pelo caminho. A transformação digital é o único caminho a ser seguido pelas organizações que desejam atingir o próximo nível em seus negócios. Para manter-se à frente da concorrência é preciso dar logo o primeiro passo.

José Formoso, CEO da Embratel

Startup especializada em NFE lança ferramenta que integra com plataformas de pagamento online

Para facilitar a vida das pequenas e médias empresas, a eNotas, startup especializada na emissão automática de nota fiscal eletrônica, acaba de anunciar uma integração que permite às empresas gerenciarem e emitirem de forma automática, em uma mesma interface, as notas fiscais eletrônicas (NFS-e ou NF-e) e todo o processo de cobrança. Assim, o empreendedor tem tempo para investir no que realmente importa para seu negócio.

Uma das recentes apostas da empresa foi a integração com a iugu, startup de automação financeira e primeira plataforma online brasileira a oferecer serviços completos para pagamento. Por meio de uma simples extensão do navegador Chrome, a eNotas possibilita que os clientes da iugu integrem, em apenas três cliques, um plugin ao seu painel de controle, sem necessitar de habilidades técnicas ou equipe de desenvolvimento.

Após a integração, estará disponível no painel do cliente iugu a emissão automática e gerenciamento de notas fiscais eletrônicas de serviços, de produtos e do consumidor. “A tecnologia cuida de todo processo de faturamento permitindo que o empreendedor tenha mais tempo para focar no que é realmente importante para o seu negócio. É como se um assistente virtual fizesse todo trabalho”, afirma Christophe Trevisani, CEO e fundador da eNotas.

Com a solução da eNotas, é possível ter acesso a relatórios de controle de notas fiscais, visualização do PDF e XML da nota a partir da própria cobrança, cancelamento de nota e envio para o e-mail do cliente. A plataforma ainda pode preencher o cadastro dos clientes automaticamente a partir do CNPJ e cancelar as notas de pagamentos não realizados ou estornados.

Tags, ,

Como se destacar em um hackathon

Os hackathons, maratonas de criação em tecnologia, fazem cada vez mais parte das iniciativas de fomento à inovação de empresas. Apesar de não seguirem um formato padrão, esses eventos exigem muito fôlego dos participantes que passam horas a fio desvendando dados, sistemas lógicos e usando a criatividade para desenvolver soluções que façam os olhos das empresas brilharem.

Renata Iwamoto, 26 anos, é formada em engenharia elétrica pela Poli e participa de hackathons por lazer. Segundo ela, esses eventos permitem uma experiência profissional diferente, os participantes aprendem muito na prática e o networking é incomparável.

A engenheira foi contratada pela Ambev após sua participação na segunda edição do hackathon da cervejaria, em 2016. Seu projeto não foi o escolhido, mas o que contou para a companhia foi o seu desempenho ao longo da maratona. Renata elencou cinco dicas para aqueles que também desejam se destacar:

1) Vá para aprender
Tem que ir sem medo: o mais legal é o potencial de aprendizagem que o hackathon proporciona. Vá aberto para conhecer pessoas, se desenvolver e aceitar ideias. Não se apegue tanto ao curso de formação, nem mesmo área de atuação. O mais importante é querer fazer diferente!

2) É preciso ter afinidade com as funções desempenhadas no desafio
Tenha em mente que é preciso ter afinidade com as funções de gerente de projetos, desenvolvedor, designer ou mesmo empreendedor. Mas não esqueça de que estamos falando em afinidade. Não é preciso ter experiência nessas áreas.

3) Escolha bem seu time
Os participantes montam o grupo de maneira proativa, por isso é importante escolher um time com pessoas de diferentes perfis. A diversidade traz muito valor.
Na Ambev, por exemplo, isso acontece na nossa rotina diária. A cervejaria acredita que um ambiente de trabalho mais diverso é propício para o surgimento de novas ideias.

4) Respeite todas as etapas
Cuidado com o desenvolvimento de cada etapa. É preciso escolher o problema dentro do tema proposto pela empresa, pesquisar as causas e validá-lo – fazer pesquisas na rua e falar com o público afetado. Depois desses passos, faça um brainstorming com o time para pensar em possibilidades de solução.

5) Construa uma apresentação matadora
Tão importante quanto ter uma boa ideia é saber explicá-la aos jurados. Apresente o projeto de forma clara e cronológica, incluindo as vantagens da solução para o negócio. Faça pesquisas na internet sobre pitch. Há muitas dicas sobre como se portar e apresentar.

A Ambev está com inscrições abertas para seu Hackathon 2017. O desafio do ano é: melhorar a experiência de consumidores na hora de beber cerveja.

Data: dia 5 e 6 de agosto

Local: Espaço CUBO – Rua Casa do Ator, 919, Vila Olímpia, São Paulo/SP
Inscrições até 30 de julho no site www.ambev.com.br/hackathon

Tags, , , ,

GFT renova certificação CMMI nível 3

A GFT, companhia de Tecnologia da Informação especializada em Digital para o setor financeiro, renovou a certificação CMMI nível 3. Desenvolvida pelo Instituto de Engenharia de Software (SEI) da Carnegie Mellon University (CMU), o modelo, utilizado pela GFT desde 2005, avalia a qualidade dos processos e sua aplicação em organizações que desenvolvem projetos de TI.

Para obter a certificação nível 3, todas as áreas de processos foram avaliadas, levando em consideração aspectos como planejamento e monitoramento de projetos, gerenciamento de riscos, desenvolvimento de requisitos, integração de produtos, verificação e validação, gerenciamento de configuração, uso de métricas e treinamento de pessoal. Com a revalidação do CMMI Nível 3, de acordo com o método de avaliação oficial do CMMI Instituto SCAMPI Classe A V1.3, está confirmado que a metodologia de desenvolvimento utilizada pela GFT atende aos requisitos do modelo e está sendo aplicada de forma eficiente em todos os projetos da empresa.

Esta avaliação abrange todos os centros de desenvolvimento do Grupo GFT envolvidos na estratégia do Modelo de Entrega Global, que estão localizados na Alemanha, Brasil, Espanha, Itália, Reino Unido e EUA e, pela primeira vez, incluiu a Costa Rica e a Polônia. O modelo de gerenciamento da GFT oferece aos clientes o serviço adequado no lugar certo porque permite designar o especialista que mais se adequa aos requisitos de determinado projeto, independentemente de sua localização, enquanto um especialista local, que está perto do cliente, coordena todo o processo. O modelo, que é baseado em uma metodologia interna derivada do CMMI nível 3, garante que todos os clientes recebam um gerenciamento de qualidade consistente e eficiente e sem irregularidades.

“Nós reorganizamos e harmonizamos gradualmente os processos locais com os do Grupo GFT, alinhando-os aos do modelo CMMI e seus padrões. A recertificação do CMMI nível 3 reforça a segurança que oferecemos em todos os nossos projetos, além de potencializar a confiança que os clientes colocam em nós”, finaliza o diretor de risco e qualidade operacional da GFT, Manuel Urban.

Tags, , ,

Lava Jato, o seu efeito colateral de compliance e a TI

Por Eduardo Borba, presidente da SONDA

Diferente de outros escândalos políticos, que revelaram práticas ilícitas em âmbito público, a Lava Jato ganhou repercussão porque trouxe à tona o esquema de corrupção no mundo empresarial. Este cenário acabou culminando no agravamento da crise econômica, que passou a sofrer com a incredibilidade no mercado internacional.

Por outro lado este movimento de pratos limpos trouxe um efeito colateral positivo: a pressão dos mercados e consumidores por mais transparência corporativa, que fomentou a criação da Lei Anticorrupção, vigente desde 2014, e que prevê a chamada responsabilidade objetiva. Com isso, basta que algum colaborador, fornecedor ou parceiro se envolva em atividade de corrupção ou lavagem de dinheiro para que a empresa seja culpada, mesmo que se alegue desconhecimento.

O não cumprimento de leis e regulamentos pode levar as empresas a pesadas multas e sanções legais e regulamentares, além da perda de reputação. Por isso, vemos as organizações brasileiras correndo para adotar medidas de compliance para preservar sua imagem e patrimônio. Estamos diante de uma mudança histórica no País. A busca e implementação dos programas de conformidade deverá aperfeiçoar a forma de se fazer negócios, colocando o Brasil em um patamar internacional e sustentável, além de, futuramente, erradicar a corrupção. Este é o desejo!

O efeito da adoção dos programas de compliance deve introduzir diretrizes de conduta com objetivo de coibir a prática fraudulenta e evitar atos ilegais por parte de funcionários, parceiros e fornecedores. Internamente, dois pilares podem apoiar inicialmente às organizações a nortearem as ações dos colaboradores: um código de ética e um canal de denúncias. Este é o primeiro passo.

De acordo com estudo da empresa de consultoria ICTS, o uso do canal de denúncia tem sido um mecanismo em ascensão no âmbito corporativo brasileiro. Somente de 2014 para 2016 houve um aumento de 45% no número de denúncias em 88 companhias pesquisadas. Isso reflete que a ferramenta abre possibilidades de comunicação transparente, objetiva e segura, permitindo às empresas identificarem e atuarem sob situações que impactem nos negócios da empresa.

Para ter controle das informações é fundamental contar com a tecnologia, que garante proteção para não haver roubo de informação e controle e rastreabilidade de acesso, além de assegurar normas de qualidade quanto às exigências de órgãos reguladores.

Mapeamento de dados, busca na internet, registro de sistemas corporativos, análise de imagens e de dados digitais, assim como a adoção do Big Data, são mecanismos de combate à corrupção que somente podem ser operacionalizados com a ajuda da tecnologia da informação.

Inicialmente, o compliance parece um fardo adicional, mas, após a estabilização, tende a entrar no âmbito da normalidade, quando os negócios serão mais lícitos em todos os aspectos, atingindo um padrão de nível internacional. O compliance, que antes era considerado um diferencial, hoje se tornou uma condição indispensável para não ficar fora do mercado. Para o investidor, significa ter muito mais segurança no retorno do seu investimento.

Para o Brasil, o legado da Lava Jato é a educação que este movimento vai promover. A mudança tende a eliminar um grande problema, que era a voz dos maus se sobressaindo ao silêncio dos bons. Esse histórico denegriu negócios e agora todos estamos passando a ser vigilantes. O comportamento está mudando e as pessoas mudarão as empresas.

Tags, ,

TI e Governo – Transparência e Participação Já! – Por Mauro Herson

No Brasil, a Operação “Lava Jato” está desmascarando um turbilhão de práticas ilícitas, tanto na esfera governamental quanto na privada. Uma das consequências geradas foi o acirramento, por parte da sociedade civil, de cobranças de maior aderência à ética nestas duas esferas. No âmbito público, muito embora as manifestações de 2013 já clamassem prioritariamente por ações anticorrupção, o profundo debacle econômico e político causado pela Operação tem induzido o governo a acelerar a prestação de contas à sociedade civil a partir de uma agenda em que a transparência e participação compõem dois dos principais pilares. Neste cenário, o uso do estado da arte da tecnologia da informação para provimento desta agenda tem-se mostrado essencial.

A transparência pública diz respeito ao compromisso dos governos em prestar contas à sociedade das decisões, regulações e regulamentações, principalmente aquelas envolvendo o orçamento público. No Brasil, a publicação da Lei nº.12.527/2011 criou a LAI – Lei de Acesso à Informação – que regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas sem necessidade de se apresentar motivo. Posteriormente, em 2016, a publicação no Diário Oficial da União da Lei nº 13.341 criou o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) com missão primordial da defesa do patrimônio e autoridade públicos e do combate à corrupção.

A busca por maior transparência e democratização requer a utilização intensiva da TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação), a partir do que se denominou governo eletrônico (e-Gov), que traz como retorno maior credibilidade, eficiência e fomenta maior participação. O governo eletrônico estimula o diálogo do governo com ele próprio (G2G), com o mundo dos negócios (G2B) e com o cidadão (G2C). Pregões eletrônicos, sistemas integrados (ex: SIAF – Sistema de Administração Financeira) e Portais de Transparência constituem algumas das diversas soluções que propiciam redução de custo, qualidade da informação e melhoria da transparência. Diversas outras soluções inovadoras têm sido incorporadas e visam maior transparência no Brasil e no mundo. O site http://transparency.globalvoicesonline.org exemplifica algumas. Novas tecnologias estão sendo empregadas em soluções inovadoras, como a utilização de blockchain para permitir identificar, em tempo real, doações de candidatos a partir do acompanhamento de transações financeiras, por exemplo, ou o uso de inteligência artificial para identificar casos suspeitos de má administração de gasto público pela “Operação Serenata de Amor”. Embora a tecnologia seja fundamental no processo de mais transparência para lidar com um volume imenso de dados, inúmeros problemas devem ser equacionados no que tange à obtenção de informações fidedignas (e em tempo hábil), seleção e organização dos dados coletados, facilidades de busca e apresentação inteligente das informações.

A participação dos cidadãos nas tomadas de decisões políticas, está associada ao surgimento da democracia participativa em virtude da representativa não conseguir dar respostas adequadas às demandas da sociedade. A própria Constituição de 1988 abriu espaço para estas práticas participativas. Neste novo modelo, a população, mais engajada nas questões políticas, participa diretamente (plebiscito, referendo, iniciativa popular, audiência pública, orçamento participativo e consultas) ou indiretamente por meio de organizações da sociedade civil.

De forma análoga à transparência, a TIC tem propiciado uma grande diversidade de soluções que vêm aprimorar, fortalecer e agilizar as experiências de participação cidadã. Consultas públicas e processos democráticos para construção conjunta de políticas públicas entre governo e sociedade, compõem uma das soluções gestadas a partir de portais dos órgãos oficiais onde as contribuições e diálogos com outros participantes são a tônica. Orçamentos Participativos, que permitem ao cidadão influenciar sobre os orçamentos públicos, por sua vez tiveram uma implementação digital na qual, a partir de uma votação eletrônica pela internet, o cidadão pôde opinar sobre suas preferências. Constata-se com mais frequência a criação dos Conselhos como fórum de apoio à decisão política, em que membros devidamente qualificados participam presencialmente e virtualmente para definição de agenda e espaço temático para as contribuições dos grupos.

A participação direta do cidadão na priorização e discussão de demandas constituiu uma solução inovadora do Gabinete Digital, realizada pelo governo do RS, por meio das iniciativas “Governador Responde”, “Governador Escuta” e “Agenda Colaborativa”, espelhadas na experiência da chanceler alemã, Angela Merkel, na mobilização na rede durante a campanha de Obama e dos sites UK Open Data e e-Sergipe. Práticas ainda mais diretas foram o “Demoex” (Suécia) e a “Listapartecipata” (Itália), na qual os parlamentares deveriam votar as deliberações segundo manifestação on line feitas por membros do partido. Recentemente, no Brasil, foi lançado o aplicativo para celular “Mudamos+” para colher assinaturas digitais de apoio a projetos de iniciativa popular.

No cenário político e econômico atual, com os governos nas três esferas tendo que equilibrar um orçamento para lá de enxuto, com um nível de desemprego alto, a pauta das manifestações de 2013 se fazem cada vez mais presentes e prementes, e cabe à TIC um papel de destaque no leque de soluções para o incremento da democracia digital e melhoria da gestão pública. O leque de soluções é quase tão vasto quanto o dos problemas, uma boa “bússola” se faz necessária para apontar aonde se quer chegar e de que forma. Neste cenário é mais do que bem-vinda a metodologia desenvolvida pela PUC-RJ e apresentada recentemente no Congresso de “Internet e Democracia nos Municípios Brasileiros”, que propõe a produção de um índice que, a partir de diversos critérios, mede o nível de avanço de um município em relação a essa prática. Com isso, seria possível aferir, como um “nível de maturidade”, a situação de um governo quanto às práticas de e-Gov que permitisse planejar o que se deseja alcançar, quando e a que custo. Portanto, o cenário quanto à TI, está pronto para Transparência e Participação Já!

Mauro Herson é sócio-fundador da RSI Redes

Tags, , ,

FGV EAESP promove debate sobre o futuro das relações entre empresas e o governo brasileiro

A Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) realizará no dia 26, a partir das 19h, um debate, gratuito, sobre o futuro das relações entre empresas e governo no Brasil. Estão confirmados:

Guilherme Cunha Costa, presidente da ABRIG (Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais) e Diretor da Dominium; Marco Antonio Teixeira, professor da FGV EAESP; Milton Seligman, professor do Insper e Global Fellow do Brazil Institute do Woodrow Wilson Center; Paulo Henrique Spirandeli Dantas, membro do Conselho Deliberativo do IRELGOV (Instituto de Relações Governamentais) e sócio da Demarest Advogados e Paulo Nassar, presidente da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) e professor livre-docente da ECA-USP.

Desde 2013, uma série de mudanças parece afetar o pano de fundo das relações entre empresas e governo no Brasil: manifestações populares de vários matizes, nova relação entre constituintes e políticos, investigações de combate à corrupção, alterações nas regras de financiamento eleitoral, discussões sobre a regulamentação do lobbying e mudanças nas políticas econômica e industrial. Os painelistas debaterão quais os impactos dessas tendências para o futuro das relações entre empresa e governo no Brasil e para o trabalho dos profissionais de relações governamentais. O debate será coordenado pelo professor da FGV EAESP, Rodrigo Bandeira de Mello.

Inscrições: http://portal.fgv.br/eventos/futuro-relacoes-entre-empresas-e-governo-brasil

Evento: O futuro das relações entre empresas e o governo brasileiro

Data: 26 de julho de 2017, das 19h às 22h

Local: FGV EAESP, Salão Nobre, Rua Itapeva, 432, 4º andar, São Paulo, SP

Tags,

T-Systems Brasil e FIAP anunciam parceria para o Innovation Challenge 2017

A T-Systems Brasil, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acaba de anunciar uma parceria com a FIAP, um dos centros de excelência em tecnologia mais respeitados do País. A ação vai alavancar a edição 2017 do Innovation Challenge, iniciativa que desafia os alunos da instituição a desenvolverem novas soluções para o mercado.

Com o objetivo de oferecer aos estudantes uma experiência diferenciada, o Innovation Challenge é, na prática, um programa de empreendedorismo e inovação. Os participantes formarão equipes e competirão em um desafio no qual deverão criar ideias e soluções e concorrer ao prêmio de melhor projeto de inovação do ano letivo.

Para a edição deste ano, a T-Systems apresentou o desafio Smart Factory aos cerca de 250 alunos do 1º ano dos cursos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Divididos em grupos de cinco pessoas, eles deverão desenvolver um software que simule um processo de produção industrial, desde a entrada do pedido até a chegada do produto ao estoque, passando pela escolha dos fornecedores e pela fabricação.

“Todo o processo terá que ser apresentado em um portal acessível por qualquer dispositivo. Eles deverão utilizar o conceito de mobilidade”, explica Luis Fernando Tadei, head de Digital Transformation da T-Systems Brasil. Ele lembra que os projetos serão avaliados seguindo os critérios de lógica, desenvolvimento e integração com ambientes SAP e não-SAP e que, para a apresentação do desafio, executivos da T-Systems realizaram quatro reuniões com os estudantes ao longo do mês de maio.

Eliminatórias

Apresentado o desafio, os alunos da FIAP poderão desenvolver seus projetos entre os meses de junho e outubro. Tadei e Fernando Vidoi, gerente de inovação da T-Systems Brasil, serão os responsáveis pelo acompanhamento do todo o processo de criação das soluções apresentadas. Parte desse processo envolve a realização de encontros mensais com os grupos, que receberão mentoria dos executivos. “O objetivo destes encontros é tirar dúvidas, trocar ideias e dar foco aos projetos”, explica Tadei.

Entre os dias 23 e 25 de outubro, serão eleitos os 10 melhores projetos e, no dia 26 de outubro, uma banca formada por gestores da T-Systems Brasil irá analisar os finalistas, anunciando os três melhores. Nesta fase, o grupo vencedor receberá bolsas de estágio para seus integrantes, válidas a partir do início de 2018. Já as equipes que ficarem em segundo e terceiro lugar ganharão camisetas e mochilas, respectivamente.

Para Rita de Cássia Rodrigues, coordenadora de graduação da FIAP, o Innovation Challenge é uma oportunidade de interação entre os alunos da instituição e o mercado. “De um lado, o desafio estimula a transferência de cultura entre os jovens e as empresas e, de outro, estas têm acesso a novos talentos”, afirma.

Ao final do processo, os três melhores projetos serão premiados no FIAP Next, festival de tecnologia realizado anualmente pela FIAP, e também serão submetidos a análise de investidores, onde poderão participar do Startup One, onde os projetos se transformam em startups. O grupo vencedor recebe bolsas de estudo, para um curso de empreendedorismo, no Babson College (EUA).

Tags, , , , ,

SmartFocus apresenta plataforma para integração do varejo online e offline

Pensando no conceito de integração do varejo como um todo, a SmartFocus, com a sua plataforma The Message Cloud, mostra como o conceito de comunicação Omnichannel pode fazer a diferença nesta nova maneira de consumir.

Presente no Fórum E-Commerce Brasil 2017 e no E-Commerce Day Buenos Aires, a SmartFocus estará preparada para se debruçar com os varejistas e mostrar na prática como podemos usar os dados já presente nos diferentes sistemas a favor de uma comunicação mais efetiva e inteligente com o seu cliente.

Entendemos que na era do mobile first, cada vez mais, o cliente está participativo, e navegando entre o online e offline, dessa forma os clientes ficam menos fiéis às marcas, exigindo um novo olhar do varejista.

Esta dura realidade, insere o varejista no novo contexto da tão falada Big Data, a ciência dos dados, para analisar e tomar decisões mais precisas e estratégicas.

Pense em todos os dados gerados pela atividade da empresa: e-mails, atendimentos do SAC, vendas online, vendas offline, ações em redes sociais. Agora pense em como condensar todas estas informações, cruzar, planilhar, analisar e por fim chegar a melhor estratégia de ação.

A plataforma da SmartFocus, permite ao varejista ganhar agilidade e precisão, identificando em segundos o perfil do seu cliente fiel e encontrar outros iguais a ele. De maneira intuitiva, a plataforma permite o engajamento com o consumidor a qualquer hora, em qualquer lugar e em qualquer device.

Segundo o Managing Director, Jorge Planet Mira, “Precisamos nos adaptar a esta nova realidade, a maneira de consumir e de se relacionar com as marcas mudou e, cada vez mais, o consumidor exige ser tratado de maneira única e certeira. Dificilmente temos uma segunda chance”.

Pensando nisso a equipe estará presente nestes eventos para apresentar a plataforma que facilita a estratégia e se adapta a esta nova realidade. “Estamos focados em oferecer mais que uma tecnologia, temos uma equipe dedicada a prestar um serviço completo e personalizado para cada um dos nossos clientes” finaliza Jorge.

Tags, , , , ,