Page

Author admin

Onde o Sucesso da Transformação Digital Começa

Por Denis Kennelly, Gerente Geral, IBM Storage

O caos causado na economia e na sociedade por causa da pandemia gerou o aumento das transformações digitais e colocou um destaque sobre as capacidades avançadas que as tornam possíveis, ou seja, a nuvem híbrida e inteligência artificial (IA).

De acordo com o recente relatório da empresa de pesquisa Twilio, 97% dos tomadores de decisão das empresas disseram que a pandemia os conduziu a acelerar as transformações digitais. De forma similar, o IBM Institute for Business Value liberou um estudo de C-Suite que apontou que 62% dos executivos planejam acelerar seus esforços digitais nos próximos dois anos devido a pandemia.

Mas conforme as empresas embarcam em suas jornadas de nuvem híbrida e IA, muitas estão descobrindo que alguns dos desafios mais críticos que existem em torno da mobilidade de aplicativos, acesso a dados globais e resiliência de dados, são superados de forma mais eficiente por meio de armazenamento de dados “pronto para a nuvem” (cloud-ready), a camada fundamental de dados da nuvem híbrida.

Sistemas de armazenamento avançados e softwares que integram perfeitamente dentro de ambientes de nuvem híbrida desbloqueiam uma série de recursos, não menos importantes do que alimentar a IA. Nós criamos uma estrutura de três estágios que considero útil para a indústria, já que estamos com foco no desenvolvimento de aplicativos, dataops e serviços, além da resiliência de dados em crescimento.

• Desenvolvimento de Apps. O primeiro passo na jornada para a transformação digital é adotar o desenvolvimento e modernização de aplicativos nativos da nuvem. Usando contêiner, as organizações podem criar aplicativos portáveis e elasticamente escaláveis que são capazes de se mover rapidamente através de nuvens locais, públicas e privada de empresas complexas, bem como em edge. Aplicativos nativos da nuvem implementados na nuvem híbrida podem reagir as necessidades de negócios em tempo real (por exemplo escalar, se mover, etc.). Inovações em torno do armazenamento cloud-ready fornece alta performance no acesso aos dados, igualando demandas de aplicações independentemente de sua locação e escala.

Na perspectiva dos negócios, quanto melhor for o acesso a os dados transversalmente na empresa, mais precisos serão os resultados e previsões.

• DataOps e Serviços. Serviços inovativos de dataops e de dados podem dar às empresas capacidades cada vez mais críticas, como catalogação e marcação de dados para uma maior organização e eficiência. Eles também podem fornecer novos níveis de automação e autosserviço para desenvolvedores para melhorar drasticamente a produtividade e os insights. Por exemplo, nós fornecemos acesso a dados, descoberta e insights nativamente em todo o portfólio de armazenamento. Como resultado, não deve ser surpresa que mais negócios estejam mudando para armazenamentos híbridos cloud-ready para gerenciar e entregar melhor os dados através de seus ambientes de nuvem híbrida em expansão de forma eficiente e econômica.

• Resiliência de Dados. Resiliência, a habilidade de se recuperar rapidamente com pouco ou nenhum dano residual, assumiu um novo significado durante a pandemia. Embora crítico nos negócios, é de mesma importância proteger e prevenir disrupções de ocorrências em primeiro lugar. A habilidade de prevenir, proteger e se recuperar rapidamente de interrupções e disrupções inspira confiança na empresa e em seus resultados. Por exemplo, nossos engenheiros da IBM Storage encontraram uma forma de garantir que a qualidade sustentável dos dados seja atendida através de capacidades de detecção de ameaças avançadas e a recuperação rápida de dados em eventos de brecha. Isso é feito mantendo cópias protegidas de dados de clientes em tempo real que só podem ser acessadas por meio de uma autenticação dupla de IDs “separadas por tarefas”.

Essa estrutura de armazenamento centrada em contêiner cria uma camada de dados fundamentais para nuvem híbrida que está preparada para superar os desafios de hoje e abrir novos recursos e oportunidades para amanhã.

2021: Quando o Armazenamento de Dados Ocupa o Centro do Palco

Os desafios que as empresas enfrentam em 2021 – desde disrupções contínuas da pandemia, ao universo digital em constante expansão, até o fluxo constante de ameaças cibernéticas sofisticadas – são consideráveis.

A própria pandemia pode ter paralisado economias, mas os ventos técnicos permaneceram fortes, ajudando aos negócios a navegar por uma atuação e sucesso de longo prazo. Considere por um momento como a pandemia aumentou a necessidade de conscientização dos dados em todo o mundo e de seu acesso para apoiar colaborações maiores, entre outras funções e processos. Nesse novo mundo, onde a maioria ainda está trabalhando de casa, precisamos da habilidade para acessar e compartilhar dados de qualquer lugar.

A IBM está trabalhando com dezenas de clientes que estão adotando totalmente o modelo de nuvem híbrida centrada em contêiner para armazenamento de dados. Estamos vendo a estrutura que descrevi servindo como uma pegada para qualquer organização no meio, ou ainda considerando sua transformação digital. Uma jornada em que armazenamento de dados, acesso e gerenciamento são fundamentais para um resultado bem-sucedido.

Soluções Multi-tenant fomentam a transformação digital nos negócios

Por Waldir Bertolino, Country Manager da Infor no Brasil,

A transformação digital nas empresas foi acelerada devido à pandemia do novo coronavírus. Adaptar-se ao novo nunca foi uma tarefa fácil, ainda mais em um cenário de tantas incertezas e dificuldades econômicas. Para lidar com os desafios que surgiram com a Covid-19 e manter a própria sobrevivência, as companhias tiveram que reinventar os seus negócios. Inovações e tecnologias (nuvem, AI e outras) que já estavam no radar de perspectivas das organizações, mas figuravam entre prioridades futuras, passaram a ser mandatórias.

Em uma pesquisa recente conduzida pelo JPMorgan, 79% dos CIOs dizem que a pandemia os forçou a uma transformação digital mais rápida do que o planejado. Na verdade, alguns setores, como o comércio eletrônico, viram dois anos de crescimento comprimidos em apenas seis meses. Com isso, as organizações estão se voltando para a nuvem e a transformação digital está ajudando as empresas a inovarem suas estratégias de go-to-market. 

Esse levantamento comprova que o apetite do mercado por tecnologias em nuvem aumentou muito nesse período. Antes dessa crise sanitária, nossos negócios eram voltados para 30% na nuvem e 70% no local. Agora, esse percentual foi invertido sendo 70% na nuvem. Por isso, estamos cada vez mais focados em auxiliar as organizações líderes a fazer essa transição para a nuvem e a solução Multi-tenant Cloud faz parte dessa estratégia, já que é um modelo arquitetônico contido em cenários de cloud computing, onde se emprega uma estratégia de compartilhamento de recursos computacionais. A proposta deste modelo é ter um banco de dados central suportando múltiplos bancos de dados secundários. Vale ressaltar que na corrida pela jornada digital, essas arquiteturas oferecem vários benefícios e ajudam a minimizar os gastos e manter a acessibilidade de dados.

Um bom exemplo disso é a empresa Midwest Wheel, uma das maiores distribuidoras de peças de caminhão nos Estados Unidos, que utiliza o Infor CloudSuite Distribution e o Infor Birst analytics para gerenciar o estoque de seus seis depósitos, permitindo fluxos de trabalho complexos e maior capacidade de fazer negócios online. Com as soluções multi-tenant da Infor na nuvem, incluindo o Infor OS (Serviço Operacional), a empresa melhorou o atendimento ao cliente por ter estoque adequado, alcançando melhorias de até 15% na taxa de preenchimento. “Se as empresas não estiverem inovando em mais formas de aumentar a produtividade, elas ficarão ultrapassadas”, diz Steve McEnany, vice-presidente de marketing e tecnologia da Midwest Wheel. 

Diante desse contexto, o ano de 2020 trouxe muitos desafios, mas o impacto foi muito menor do que o esperado, pois por meio das soluções multi-tenant percebemos que muitas estratégias digitais que estavam no papel foram aceleradas e, dessa forma, conseguimos auxiliar os clientes na redução de custo, otimização operacional e recuperação em um cenário de pós-pandemia.

Vantagens para os negócios

Cada vez mais as organizações implementam  soluções modernas  para transformar esse período de ruptura em reinvenção e as soluções Multi-talent estão no topo da lista de prioridades. Confira as principais vantagens:

Reduz custos: os recursos computacionais são mais baratos em escala e, com a multi-tenant, é possível consolidá-los e alocá-los de maneira eficiente. Para um usuário individual, pagar pelo acesso a um serviço em nuvem ou uma aplicação de SaaS geralmente representa um custo-benefício melhor do que usar um software e hardware que atendam a apenas um locatário.

Flexibilidade: se você investir tudo em seu próprio hardware e software, chegará ao ponto em que ambos atingirão a capacidade máxima em momentos de grande demanda ou ficarão ociosos quando a demanda estiver muito baixa. Por outro lado, em uma nuvem multi-tenant, é possível alocar recursos para os usuários que precisam deles, conforme essa necessidade aumenta ou diminui. Sendo cliente de um provedor de nuvem pública, você pode ter acesso a uma capacidade extra quando precisar e não pagar por ela quando não houver necessidade.

Aumenta a eficiência: com a abordagem de multi-tenant, há menos necessidade de que usuários individuais gerenciem a infraestrutura e cuidem de atualizações e manutenções. Todos os locatários contam com um provedor de nuvem central, em vez de depender das próprias equipes para lidar com essas tarefas rotineiras.

Setor de franquias mantém trajetória de recuperação no 4º tri, mas sente impacto da pandemia em 2020

O balanço consolidado realizado pela ABF – Associação Brasileira de Franchising revela que o setor de franquias manteve sua curva de recuperação no 4º trimestre de 2020, se aproximando dos níveis pré-Covid-19. O estudo mostra que o franchising registrou uma receita apenas 1,8% menor no período, comparado ao 4º trimestre de 2019, que foi de R﹩ 54,966 bilhões para R﹩ 53,976 bilhões. Considerando o desempenho do ano todo, porém, o impacto da pandemia foi maior, com o faturamento geral do setor recuando quase três anos.

As políticas de isolamento social (necessárias para conter a disseminação do vírus), principalmente o fechamento dos shoppings, e a queda dos índices de confiança do consumidor e do empresariado ao longo do ano se refletiram fortemente no setor. A mudança de hábitos do consumidor, principalmente nas áreas de entretenimento e turismo, e a queda do setor de serviços – segundo o IBGE houve uma redução de 7,8% no ano passado – foram outros fatores importantes. O maior impacto foi observado no 2º trimestre de 2020, seguido de uma recuperação gradual. De outro lado, a digitalização de processos e serviços, as políticas de auxílio emergencial e o aquecimento da construção civil foram movimentos importantes para dinamizar o setor, mas não suficientes para uma mitigação maior dos impactos.

“2020 foi de fato um ano dos mais desafiadores para todos os setores da economia brasileira, e com o setor de franquias não foi diferente. Analisando o comportamento do setor ao longo do ano, com os estudos trimestrais e, adicionalmente, as consultas mensais feitas pela ABF, graças à participação de seus associados, vejo que o resultado poderia ter sido pior, mas as virtudes do franchising amenizaram a queda. Nós temos a força do trabalho em rede, uma alta capacidade de negociar com fornecedores e promover ganhos em escala, por exemplo, porém, é com muito esforço que o ecossistema do franchising está atuando para amenizar as perdas e os impactos nos negócios”, afirma André Friedheim, presidente da ABF.

Quanto ao movimento de abertura e fechamento de unidades, o levantamento indicou que o índice de unidades abertas em 2020 foi de 6,6% frente 9,2% no ano anterior. As fechadas chegaram a 9,2% ante 4,9% neste mesmo período, resultando num saldo de -2,6%. Este percentual resultou num total de 156.768 operações em 2020 contra 160.958 no ano anterior. Já os repasses tiveram uma pequena alta, avançando de 2,3% em 2019 para 2,5% no ano subsequente.

“De fato, alguns empreendedores não conseguiram atravessar um período tão longo de adversidade, mas notamos um imenso esforço das redes para manter suas operações, negociando ou suspendendo taxas e ajudando os franqueados a buscarem alternativas de redução de custos e faturamento. Em outros casos, o negócio foi repassado a um empresário mais capitalizado, uma opção muito importante para a perpetuação de negócios e empregos. Um acesso a crédito mais facilitado e a melhoria geral do ambiente de negócios nos ajudaria a manter ainda mais unidades e, portanto, a geração de empregos, renda e impostos”, afirma André Friedheim.

Média de unidades por rede sobe

Uma das tendências do setor de franquias brasileiro é o aumento do número médio de unidades por marca, o que demonstra maior maturidade das redes. De acordo com o estudo da ABF, a exemplo do que ocorreu em 2019, essa média teve uma alta de 6,5%, saltando de 55,2 para 58,8 operações em média por marca no período pesquisado. Esse dado corrobora com outra tendência: o crescimento da participação de multifranqueados, seja multiunidades (donos de franquias de uma mesma marca), seja multimarcas (proprietários de operações de diferentes redes).

Em relação ao número de redes, o balanço de 2020 indica que houve uma redução de 8,6%, cujo total passou de 2.918 para 2.668 marcas no período analisado. “Embora algumas redes de menor porte tenham cessado suas atividades, essa diminuição se deve mais a marcas pequenas que deixaram de franquear ou empresas que planejavam se lançar no setor, mas postergaram seus planos. É importante ressaltar também que tivemos alguns movimentos de fusões e aquisições e que novas marcas continuam a chegar, mostrando a atratividade do mercado nacional”, explica o presidente da ABF.

Empregos

O ecossistema de franquias é tradicionalmente um grande gerador de empregos. Contudo, ainda como reflexo da pandemia e acompanhando o movimento dos demais setores econômicos, o franchising também retraiu as contratações. Segundo a pesquisa, o número de empregos diretos passou de 1.358.139 para 1.258.884 no período analisado. “Vínhamos numa trajetória ascendente de contratações, inclusive em virtude da reforma trabalhista, porém, a pandemia da Covid-19 fez com que as redes diminuíssem esse ritmo. Isso mostra a urgência de retomarmos as reformas, principalmente a tributária, e outras medidas de desburocratização do ambiente de negócios”, observa Friedheim.

Segmentos

Dentre os onze segmentos elencados pela ABF, Casa e Construção, com uma variação positiva de 25,6% no 4º trimestre do ano passado frente a igual período de 2019, e de 12,8% em 2020 foi o principal destaque. A permanência das famílias em casa para manter o distanciamento social levou à realização de pequenos reparos, reformas e à maior valorização das residências. Outros fatores, tais como a manutenção dos juros básicos da economia (taxa Selic) em níveis baixos, o aumento do número de trabalhadores em home office e o enquadramento das atividades do setor de construção civil como essenciais também contribuíram para o bom desempenho desse segmento.

Saúde, Beleza e Bem-Estar também registrou desempenho positivo, de 5,4% no 4º tri e de 3,1% no ano. O segmento foi beneficiado pelo fato de haver uma demanda ainda reprimida, pela decisão de parte dos pacientes em aproveitar a quarentena para realizar procedimentos mais invasivos, a acentuação do desejo de bem-estar mesmo em um contexto tão delicado e o redirecionamento de recursos que seriam utilizados para outros fins, como viagens e outras atividades sociais restritas nesse período.

Com variação também positiva no 4º trimestre, Serviços e Outros Negócios (1,9%) e Comunicação, Informática e Eletrônicos (0,1%) também se beneficiaram pela permanência de parte da população em casa, pelo trabalho em home office e pelo incremento dos meios de pagamento.

Hotelaria e Turismo e Entretenimento e Lazer foram os segmentos com maior impacto devido às grandes restrições a aglomeração de pessoas e viagens. Se retirados ambos os segmentos do cálculo, de acordo com a pesquisa da ABF, o setor de franquias registraria um desempenho 0,8% maior em seu faturamento no período.

Já Alimentação, o maior segmento do franchising, diminuiu de forma sensível as perdas no 4º tri, tendo registrado uma queda de 5%. Na classificação da ABF, o segmento é formado pelos seguintes subsegmentos: Bares, Restaurantes de Serviço Rápido, Restaurantes de Serviço Completo, Empórios, Mercados e Lojas de Conveniência, Docerias e Sorveterias, Padarias, Distribuição e Produção. Se retirados Empórios, Mercados e Lojas de Conveniência; Docerias e Sorveterias e Distribuição e Produção do cálculo, o segmento focado em Bares, Restaurantes e Padarias registraria um desempenho de -9,9% em seu faturamento no período, efeito mais severo do que o resultado total de Alimentação registrado.

“Neste período, tivemos um afrouxamento das políticas de isolamento social, fora o movimento naturalmente mais intenso do fim do ano. Além disso, o crescimento do delivery e o bom desempenho dos supermercados e das lojas de conveniência ajudaram a reduzir o impacto, porém o resultado do ano ainda ficou em -15,5%”, afirma André Friedheim. O presidente da ABF completa que “o franchising brasileiro segue se reinventando, trazendo soluções inovadoras para atender as novas demandas do consumidor diante da pandemia, com um grande avanço do processo de digitalização das redes e pronto para sair mais forte desse período”.

Internacionalização

O movimento de internacionalização das marcas brasileiras no exterior se manteve estável na comparação com 2019, segundo o balanço da ABF. São 163 marcas presentes em 106 países. É importante ressaltar que a estabilidade no saldo não indica falta de mudanças, isso porque em 2020 algumas marcas voltaram a focar apenas o mercado nacional e algumas marcas, como Coife Odonto, Hot N’Tender e Number One Chicken se lançaram no mercado estrangeiro, obtendo também, prêmios de destaque no processo de Internacionalização. O levantamento envolve todos os formatos de operação internacional: unidades próprias, unidades franqueadas, máster franchising, desenvolvedor de área, exportação e joint ventures.

Entre as nações top 10 com maior presença de marcas made in Brazil, os Estados Unidos seguem liderando a lista, com Portugal em segundo lugar e o Paraguai em terceiro. No ano passado, Peru (20%), Angola (14%) e Equador (10%) foram os países que registraram maior variação na presença das redes brasileiras.

Com relação aos segmentos, Moda historicamente permanece com maior participação do franchising brasileiro no exterior, acompanhado por Saúde, Beleza e Bem-Estar e Alimentação.

Já no movimento inverso, a pesquisa mostra que no ano passado havia 205 marcas de 30 países atuando no Brasil. Os Estados Unidos também encabeçam a lista, seguidos por Portugal e pela Espanha. A Alemanha, com 20%, e os EUA (4%) foram os países que registraram maior variação em número de redes no Brasil.

“Esses números mostram mais uma vez a resiliência do franchising brasileiro. Mesmo em um cenário tão adverso, as redes mantiveram seus investimentos. Entendo também que, mais do que nunca, ficou clara a importância de diversificar negócios para reduzir riscos e buscar novos mercados. De outro lado, algumas marcas estrangeiras interromperam suas operações no Brasil. No entanto, na maioria dos casos, trata-se de movimentos pontuais, que podem ser revistos assim que a situação apresentar maior estabilidade”, diz o presidente da ABF.

Projeções

O cenário para 2021 ainda é bastante desafiador, porém, fatores como o avanço do processo de vacinação da população, como também da agenda das reformas em discussão no Congresso Nacional, especialmente a tributária e a administrativa, a implantação das medidas de ajuste fiscal e o estímulo e a facilitação do acesso ao crédito para as micro e pequenas empresas, oferecem uma perspectiva mais positiva para este ano. Nesse sentido, a ABF projeta um faturamento 8% maior, 5% mais unidades, 2% em novas redes e uma alta de 5% no número de empregos diretos gerados pelo setor em 2021.

Na pesquisa trimestral do setor, a ABF perguntou às redes de franquia quais são suas expectativas individuais para 2021, o que mostrou que para 64% dos respondentes, o crescimento será superior a 10%, e que para 19% será entre 5% a 10%. Para o presidente da entidade, “permanecendo as bases para a retomada segura das atividades econômicas a partir deste ano, acreditamos que o setor de franquias levará cerca de dois e meio para retomar os patamares pré-Covid-19”, conclui Friedheim.

Metodologia

A Pesquisa de Desempenho do Franchising Brasileiro em 2020 reuniu 340 marcas de um universo de 2.668 redes (aproximadamente 13% das franquias), que respondem por 33% das unidades e 36% do faturamento do setor. Envolvendo o mercado como um todo, inclusive não associados, os números do desempenho do setor de franchising são apurados em pesquisa por amostragem, cruzados com levantamentos feitos por entidades representantes de setores correlatos ao sistema de franquias, órgãos de governo, instituições parceiras e de ensino. Auditados por empresa independente, os dados divulgados pela ABF são referência para órgãos governamentais de diversas esferas, entidades internacionais do franchising, como World Franchise Council (WFC), Federação Ibero-americana de Franquias (FIAF) e instituições financeiras.

MEC e EMBRAPII terão unidades de inovação em 30% das Universidades Federais

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) vai credenciar até quatro grupos de pesquisadores de Universidades Federais para atuarem como Unidade EMBRAPII. Os selecionados vão contar com até R$ 12 milhões do Ministério da Educação (MEC) para executar projetos de PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) em parceria com a indústria. O anúncio da Chamada Pública foi realizado pelo Ministro da Educação, Milton Ribeiro, nesta quinta-feira (04).

A Chamada por novas Unidades EMBRAPII é uma das propostas do MEC para unir empresas e pesquisa universitária. A expectativa é alavancar os recursos investidos e gerar mais de R$ 30 milhões em projetos de inovação, à medida que o modelo de financiamento da EMBRAPII exige a contrapartida financeira dos projetos por parte do setor empresarial. O Ministério da Educação e a EMBRAPII planejam que 30% das Universidades Federais façam parte do ecossistema da EMBRAPII.

“A chamada faz parte do plano de ação do MEC para ampliar a pesquisa e a inovação na universidade. O meu desejo é que o conhecimento teórico da Universidade possa se transformar em algo prático. É a ciência aplicada de maneira a impactar a sociedade”, destaca o ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Podem se candidatar todos os grupos de pesquisadores das Universidades Federais nas seguintes áreas: agricultura, processos agroindustriais, tecnologias de alimentos; geração, transmissão de energia elétrica, inclusive as renováveis; química; bioeconomia; processos industriais; mineração sustentável; mobilidade, incluindo eletromobilidade.

Seis departamentos de Universidades federais fizeram parte do ecossistema da EMBRAPII de 2014 até 2020 (Campina Grande, Rio Grande do Sul, Santa de Catarina e Rio de Janeiro, Uberlândia e Minas Gerais). Juntas, elas desenvolveram 247 projetos em parceria com 130 empresas, resultando em 135 pedidos de Propriedades Intelectuais e R$ 430 milhões investidos em inovação, sendo R$ 250 milhões alavancados do setor empresarial.

No segundo semestre de 2020 por uma decisão estratégica do MEC, foram credenciadas onze Unidades em 10 estados brasileiros. Assim, ampliando a capacidade de interação das Universidades Federais com as empresas e contribuindo para o aumento da inovação de da competitividade nacional.

“Um importante ganho alcançado pelo projeto ao longo de sua existência foi o de credibilidade. Em relação às empresas, partimos de praticamente zero para cerca de 800 apoiadores, em seis anos. Já em relação às Unidades EMBRAPII, crescemos de três experimentais para 61, sendo mais da metade ligada ao Ministério da Educação, unindo o setor acadêmico à indústria. Estamos seguros que as empresas estão satisfeitas com o modelo de atuação nas universidades federais”, destaca o diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães.

Programa Capacitação 4.0

Além de promover a conexão com o setor industrial para inovar, a entrada das novas Universidades Federais no ecossistema da EMBRAPII é um marco para a formação profissional dos estudantes e pesquisadores. Como parte do programa do Ministério da Educação, Capacitação 4.0, lançado em outubro de 2020, as novas quatro Unidades EMBRAPII terão a missão de capacitá-los para o mundo 4.0. O aprendizado ocorre a partir de experiência real e envolve os alunos em projetos de inovação industrial em todas as fases de inovação, a partir de experiência real. A proposta é capacitá-los para o mercado de trabalho e proporcionar, além de conhecimento técnico, o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, ferramentas importantes para enfrentar crises e evoluir durante toda a trajetória profissional. A meta é beneficiar mais de 10 mil alunos em 5 anos.

Pesquisa Catho: mulheres ganham menos que homens em todos os cargos de liderança, cuja diferença chega a 24%

Em 08 de março é celebrado o Dia Internacional da Mulher. Nesta data, inúmeras discussões e reflexões são trazidas à tona, todas graves e urgentes: machismo, feminicídio, misoginia, ações que levam a inúmeras desvantagens para a mulher em relação ao homem. Uma dessas consequências, com certeza, é a falta de equidade quando o assunto é profissão e remuneração. Segundo pesquisa salarial realizada pela Catho, em fevereiro, mesmo ocupando os mesmos cargos e com as mesmas funções, as mulheres chegam a ganhar até 34% menos que eles. Em relação aos cargos de liderança, em todos os níveis as mulheres ganham menos que os homens. Em funções como gerente e diretor, elas chegam a ganhar 24% menos que os homens, por exemplo.

Porém, o gênero feminino enfrenta outros obstáculos no mercado de trabalho, além da diferença salarial. Algumas áreas ainda são hostis à presença de mulheres. É o caso do segmento de tecnologia que, embora mesmo durante a pandemia manteve as contratações em ritmo acelerado, tem dificuldade em inserir as mulheres no setor, e menos ainda em cargos de liderança.

Segundo a pesquisa, somente 19% da área de tecnologia é composta por mulheres e, em média, elas ganham 11% menos que os homens. Em alguns cargos como engenheiros de sistemas operacionais em computação e gerente de desenvolvimento de sistemas, as mulheres chegam a ganhar, respectivamente, 33% e 18% menos que os homens. As mesmas funções são ocupadas por 15% e 19% de mulheres, apenas.

“A tecnologia pauta o nosso futuro. É ela quem dita como vamos viver, evoluir, nos locomover e nos relacionar. E apesar de sermos mais da metade da sociedade brasileira, somos apenas 19% em cargos na área de tecnologia. Nosso futuro está sendo escrito pela metade”, enfatiza a diretora de Operações da Catho, Regina Botter.

Os 10 cargos que as mulheres têm menos representatividade em tecnologia

Essa Cadeira é Minha

Frente a este cenário, o movimento idealizado pela Catho, Essa Cadeira é Minha , que completa o primeiro aniversário e tem o objetivo de estimular mulheres em cargos de liderança, e promover o diálogo com toda a sociedade, tem um novo momento o Essa Cadeira é Minha Tech.

E em comemoração a esse primeiro aniversário, neste ano, o movimento Essa Cadeira é Minha tem como foco a inserção de mulheres em tecnologia. Como uma das atividades propostas pelo movimento, em uma ação conjunta com o coletivo UX Minas Pretas, que promove a equidade de mulheres negras no mercado de tecnologia com foco em UX, e a WoMakersCode, comunidade global, criada no Brasil, com a missão de impulsionar o protagonismo feminino na TI, através de capacitação, mentoria e empregabilidade, a Catho fará a distribuição de 1,5 mil vouchers de gratuidade na plataforma da empresa para busca de vagas e envio ilimitado de currículos.

“Nosso objetivo é apoiar as mulheres nos próximos passos da carreira delas e reprogramar esses números do segmento, de modo que ele fique mais balanceado e igualitário”, finaliza Regina Botter.

Anunciando as atualizações do Dynamics 365 no Microsoft Ignite 2021

Por Muhammad Alam, Vice-Presidente Corporativo, Dynamics 365

2020 foi um alerta para todas as empresas. À medida que todos avançamos, nossa visão é ajudar a capacitar as empresas com tecnologia digital para desbloquear o potencial de serem resilientes e sustentáveis durante a próxima década e além. 

Durante o Microsoft Ignite 2021, anunciamos alguns dos novos recursos de inovação que ajudarão as empresas a se adaptarem e evoluírem, incluindo: 

  • A versão preliminar pública de abril (para a América do Norte e EMEA) dos recursos de orquestração de jornada em tempo real orientados pelo cliente no Dynamics 365 Marketing, mais insights de dados de todo o ecossistema no Dynamics 365 Customer Insights e recursos de pesquisa em tempo real no Dynamics 365 Customer Voice, para ajudar as organizações a impulsionarem interações personalizadas com os clientes. 
  • A pré-visualização pública de abril do Microsoft Dynamics 365 IntelligentOrder Management, um novo aplicativo que permite que as organizações gerenciem e orquestrem pedidos de forma inteligente através de muitos canais de pedidos diferentes e opções de atendimento ou micro atendimento, com regras e políticas facilmente configuráveis e poderosa automação e otimização em escala. 
  • Uma integração poderosa e perfeita entre o Microsoft Teams e o Dynamics 365 que inclui experiência de colaboração integrada do Teams no Dynamics 365 SalesField Service e Customer Service; ferramentas de venda digital aprimoradas no Dynamics 365 Sales; e a capacidade dos profissionais de marketing configurarem, promoverem e relatarem em eventos hospedados no Microsoft Teams diretamente do Dynamics 365 Marketing

Certifique-se de assistir à sessão do Ignite – Elevando a experiência do cliente do início ao fim com  o Dynamics 365 – para um aprofundamento nesses novos recursos. Além disso, não deixe de acompanhar as novidades e o que vem a seguir para Microsoft Power Platform e assista à sessão em destaque no Ignite para saber como as soluções do Power Platform de low-code podem trabalhar em conjunto com o Dynamics 365 para impulsionar a inovação e a excelência do cliente em toda a organização. 

Impulsionar interações personalizadas por toda a jornada do cliente 

O mundo de todos os nossos clientes mudou significativamente. O marketing precisa expandir de campanhas baseadas em segmentos para o marketing baseado em momentos, de mensagens de megafone para personalizar uma jornada do cliente holística para cada indivíduo. As atualizações do Dynamics 365 Marketing, Customer Insights e Customer Voice ajudam as empresas a atingir esse objetivo. 

Estamos anunciando recursos de orquestração de jornada do cliente em tempo real no Dynamics 365 Marketing,programado para lançamento da versão preliminar pública como parte das atualizações da Onda 1 de abril de 2021 na EMEA e América do Norte. Qualquer equipe que impulsione as experiências do cliente pode engajar os clientes em tempo real com base em interações entre marketing, vendas, comércio e serviço para conquistar clientes e ganhar fidelidade mais rapidamente. A solução permite que as equipes personalizem experiências com IA em todos os pontos de contato digitais e físicos e criem confiança do cliente com uma plataforma unificada e adaptável. 

No Ignite, anunciamos atualizações para o Dynamics 365 Customer Insights que fornecem insights ainda maiores a partir de dados em todo o ecossistema e ativação direta em novos destinos, incluindo Microsoft Advertising e serviços de terceiros. A integração profunda com o Microsoft Azure Synapse Analytics capacita que as organizações criem modelos de IA personalizados e melhorem a relevância com segmentação e direcionamento avançados. 

O feedback direto é fundamental para o crescimento, seja coletando feedback dos funcionários para melhorar a cultura da empresa ou rastreando continuamente a percepção dos clientes sobre seus serviços e produtos. No Ignite, também anunciamos recursos de pesquisa em tempo real no Dynamics 365 Customer Voice, permitindo que as organizações sejam ágeis em sua coleta e análise de feedback direto do cliente. Além disso, no Dynamics 365 Marketing, as pessoas agora podem usar as jornadas dos clientes para criar campanhas automatizadas com fluxos de trabalho acionados por respostas a pesquisas. Por exemplo, se um cliente estiver descontente com um recurso ou serviço específico do produto, a resposta pode notificar um gerente de conta para acompanhamento ou enviar um cupom por e-mail. 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha incansavelmente em mais de 190 países/regiões para salvar vidas, defender os direitos e ajudar a realizar o potencial de milhões de crianças, desde a primeira infância até a adolescência. Doadores privados e voluntários que contribuem com seus recursos, esforço e influência para apoiar a UNICEF são essenciais para o sucesso da missão. As contribuições são recolhidas por comitês locais da UNICEF em 35 países, como o UNICEF Holanda. Com o Microsoft Dynamics 365 Customer Insights e a orquestração da jornada do cliente no Dynamics 365 Marketing, o UNICEF Holanda pode envolver melhor os doadores e criar fidelidade vitalícia, entregando mensagens personalizadas e significativas em tempo real nos pontos de contato certos no momento certo. 

Juntos, esses aplicativos conectados ajudam as empresas a elevar as experiências dos clientes em todos os pontos de contato na jornada de um cliente e construir relacionamentos mais profundos com o cliente, com engajamento mais significativo por ambos os canais digitais e físicos. 

Leia a nossa história de recursos de aprofundamento para saber como começar a conduzir interações personalizadas ao longo da jornada do cliente. 

Construindo resiliência da cadeia de suprimentos, liderando através da mudança 

Consumidores e clientes esperam uma experiência perfeita de compra omnicanal e pós-compra com várias opções de entrega rápida. 

 As empresas precisam gerenciar de forma centralizada todo o ciclo de vida de um pedido, desde a admissão até a execução do pedido, para que respondam rapidamente a restrições e interrupções e ainda cumpram a promessa do pedido. 

No Ignite, anunciamos o Microsoft Dynamics 365 Intelligent Order Management, um novo aplicativo que permite que as empresas orquestrem a execução do pedido de forma inteligente e automatizem-no com um sistema baseado em regras amigável e facilmente configurável usando dados de inventário omnicanal em tempo real, IA e aprendizado de máquina. Eles podem medir a eficácia do atendimento do pedido e modelar a jornada de atendimento do pedido usando ferramentas de designer fáceis de usar. Já se foram os dias de regras estáticas codificadas em sistemas. 

Organizações, incluindo o fabricante de eletrodomésticos de cozinha Breville, usarão o Dynamics 365 Intelligent Order Management, que permite a captura e a execução de pedidos omnicanal. O aplicativo ajuda as organizações a escalar facilmente para suportar um novo cenário de negócios em constante mudança de admissão de pedidos, sua execução e parceiros de entrega com conectores pré-construídos – e facilmente se estender a novos modelos de negócios. As empresas podem começar a funcionar rapidamente, uma vez que se integram perfeitamente com qualquer pedido ou canal de atendimento: canais de encomenda digitais (tais como comércio eletrônico ou marketplaces ou aplicativos), canais de encomenda tradicionais (tais como EDI) e várias opções de atendimento e micro-atendimento. 

O Dynamics 365 Intelligent Order Management estará disponível em versão prévia em 30 de abril de 2021 e estará disponível no geral em 30 de julho de 2021. Assista à sessão Orquestração de atendimento inteligente para entrega otimizada no Microsoft Ignite e leia nossa história de recursos de aprofundamento para saber mais. 

Colaboração unificada para aprimorar a experiência do cliente com o Microsoft Teams + Dynamics 365 

Não é por acaso que as empresas com uma cultura construída em torno do trabalho em equipe e colaboração também são muitas vezes incrivelmente ágeis, inovadoras e em sintonia com os clientes. Diversas vezes, identificamos esse traço em organizações que usam o Dynamics 365 e o Microsoft Teams juntos para acessar, compartilhar e colaborar em informações. 

Em uma sessão em destaque no Ignite, bem como em uma história de recursos de aprofundamento neste blog, estamos destacando novas capacidades para colaborar e se conectar de forma mais perfeita às prioridades dos negócios. 

Uma experiência mais conectada e envolvente entre o Microsoft Teams e o Dynamics 365 torna simples o reunir,  conversar, ligar e colaborar diretamente do espaço de trabalho do seu Dynamics 365. Da mesma forma, ao trabalhar no Teams, você pode acessar e compartilhar processos de negócios, registros e informações do Dynamics 365 sem problemas – portanto, tudo o que você precisa para se manter focado e produtivo está no contexto da tarefa em questão. 

Além disso, as atualizações para aplicativos específicos do Dynamics 365 aprimoram as experiências de colaboração adaptadas à maneira como as pessoas de todos os departamentos e equipes trabalham juntos e envolvem os clientes. 

Impulsione a venda digital e o engajamento 

As equipes de vendas estão mudando rapidamente para a venda digital, onde os vendedores orientam e colaboram com os clientes remotamente. Uma nova experiência integrada do Teams ajuda os vendedores a aproveitarem o bate-papo do Teams diretamente no Dynamics 365 Sales para colaboração em tempo real com a equipe de vendas. Os vendedores podem ver chats, canais e pessoas relacionadas a um registro de cliente, iniciar uma conversa sem sair do Dynamics 365 e ver ações sugeridas para ajudar a fechar negócios. Também estamos apresentando uma experiência de discagem integrada do Teams para o Dynamics 365, bem como uma experiência de reunião extensível do Teams – vídeo ou áudio – que se conecta perfeitamente ao Dynamics 365 Sales. O Conversation Intelligence no Dynamics 365 Sales transcreve automaticamente chamadas e analisa conteúdo, sentimento e estilo comportamental. Nesta versão, apresentaremos a capacidade de gerar chamadas no Teams diretamente dos fluxos de trabalho dos vendedores, dentro de seu CRM, com KPIs da conversa e insights de negócios avançados que surgiram com base nessas chamadas. Essas experiências colaborativas ajudam a melhorar a forma como os vendedores se conectam com outros vendedores, clientes potenciais e clientes já estabelecidos. 

Hoje, as equipes de vendas podem acompanhar os movimentos de carreira dos contatos usando o LinkedIn Sales Navigator e podem conectar os registros de vendas ao Teams sem sair do Dynamics 365 Sales. Agora há uma nova maneira dos vendedores obterem mais valor do LinkedIn. O LinkedIn Sales Insights para o Dynamics 365 Sales permite automaticamente a importação dos dados mais recentes do perfil da empresa – como personas, número de funcionários e URL da empresa – do LinkedIn Sales Insights para uma conta correspondente no Dynamics 365, para ajudar a manter seus dados atualizados. Essa combinação ajuda as equipes de operações de vendas a reunir dados de clientes em escala, com profundidade e precisão dos registros de compradores do LinkedIn para estrategicamente engajar, desenvolver conexões e transformar relacionamentos em receita. 

Transforme os participantes do evento em clientes fiéis 

Com o Teams e o Microsoft Dynamics 365 Marketing, planejar eventos online e cultivar os seus participantes é rápido e fácil. Estamos anunciando hoje que os clientes podem configurar, promover e relatar eventos hospedados no Microsoft Teams a partir do Dynamics 365 Marketing. Em algumas etapas simples, eles podem exportar dados de participantes e visualizar segmentos de clientes criados no Dynamics 365 Marketing com base na presença de público. As jornadas dos clientes, incluindo e-mails iniciais, também são criadas automaticamente para cultivar os participantes. Os usuários podem então personalizar ainda mais o conteúdo e as experiências para os participantes baseados em como eles se envolvem e orquestram jornadas personalizadas do cliente 

Também foi anunciado que os clientes comerciais do Microsoft 365 E3 e E5 em breve receberão 6 meses de Dynamics 365 Marketing sem custo adicional. Teremos mais detalhes para compartilhar sobre esta oferta em breve e estamos entusiasmados para ver vocês colherem os benefícios destas soluções juntos. 

Resolva problemas de atendimento ao cliente de forma mais rápida e colaborativa 

À medida que as organizações aproveitam recursos como Power Virtual Agents para permitir que os clientes tenham um auto atendimento mais rápido, os problemas que chegam aos agentes são mais complexos. Novos recursos de roteamento e atribuição inteligentes aproveitam a classificação baseada em regras e aprendizado de máquina para garantir que os itens de trabalho recebidos sejam encaminhados para o agente ou fila mais adequada. No entanto, às vezes, os agentes do atendimento ao cliente precisam de conhecimento mais específico de toda a organização. Com os recursos do Teams incorporados ao Dynamics 365 Customer Service, eles podem facilmente encontrar e colaborar com o especialista no assunto certo e disponível diretamente do fluxo de seu trabalho para resolver rapidamente os problemas do cliente. Enquanto trabalham em um caso, os agentes podem acessar membros da fila e supervisores, ou descobrir agentes que resolveram casos semelhantes ou especialistas no assunto com habilidades relevantes. Os chats iniciados pelo atendimento ao cliente são visualmente diferenciados de outros chats do Teams para uma detecção mais rápida. Além disso, os agentes podem vincular chats relevantes aos registros subjacentes para que o contexto nunca seja perdido. Esses recursos, juntamente com a nova experiência de administração, simplificam a instalação e a configuração do sistema, permitindo que a organização comece a funcionar rapidamente. Estamos entusiasmados com a forma como esses recursos capacitarão os agentes a oferecer experiências mais oportunas e empáticas ao cliente. 

Melhore a colaboração por todo o serviço de campo 

O Dynamics 365 Field Service, o Dynamics 365 Remote Assist e o Microsoft Teams permitem que os técnicos de campo permaneçam conectados a ordens de serviço, informações e especialistas em tempo real. Por exemplo, o Dynamics 365 Remote Assist e o Teams permitem que os cirurgiões em hospitais dentro do Mount Sinai Health System, em Nova York, aconselhem seus homólogos a 7.000 milhas de distância em Kyabirwa Surgical Centre, no leste de Uganda. 

Estamos anunciando hoje novos recursos de engajamento do cliente para o Dynamics 365 Field Service (geralmente disponível em 1º de abril) que permitem que os clientes finais encontrem seu técnico e avaliem sua visita. Paralelamente, também estamos habilitando a versão prévia do agendamento de autoatendimento em 1º de abril, que estará disponível no geral mais para o final do ano. 

Os clientes podem agendar no seu próprio tempo diretamente a partir dos seus dispositivos, proporcionando uma experiência mais personalizada, reduzindo erros de agendamento e reagendando eventos. Isso pode ajudar a reduzir os custos de back-office da sua organização, reduzindo o volume de chamadas agendadas, liberando recursos para se concentrar em outras tarefas. 

Lembretes automáticos de visitas de serviço garantirão que os clientes estejam prontos e disponíveis quando o técnico chegar, eliminando viagens desperdiçadas devido à indisponibilidade do cliente. O rastreamento de localização em tempo real, enquanto o técnico está em rota, ajuda seus clientes a planejar melhor o dia em torno de uma visita de serviço. Após uma visita de serviço, os clientes podem enviar feedback direto, ajudando a impulsionar melhorias dentro da força de trabalho de técnicos de serviço de campo. 

Além disso, introduziremos experiências de integração simplificadas, como adicionar novas contas de usuários e trabalhadores. Isso melhorará consideravelmente a capacidade dos administradores de fornecer um menor time-to-value para suas organizações de serviços. 

Conecte experiências por toda a organização 

Saiba mais sobre os recursos de colaboração e engajamento rumo ao Dynamics 365, inclusive como estamos permitindo que as equipes de varejo demonstrem as melhores práticas, destaquem tarefas urgentes e construam uma comunidade mais forte entre as lojas; bem como os profissionais de RH podem permitir que os funcionários visualizem saldos de tempo e enviem solicitações de licença do trabalho pelo Microsoft Teams. 

Continuaremos nosso investimento em inovação para transformar de como costumava ser o trabalho, em como queremos que ele seja: Mais eficiente, mais colaborativo, mais perspicaz – e, em última análise, mais produtivo. O Microsoft Cloud foi criado desde o início para permitir exatamente isso, e estamos ansiosos para ver o que você fará com ele. 

Fusões e aquisições movimentam US$ 2,8 trilhões em 2020, aponta Bain

O M&A Report, publicado anualmente pela consultoria, revelou ainda uma forte recuperação na segunda metade de 2020, puxada pelos negócios envolvendo os setores de Tecnologia, Telecomunicações e Saúde

O M&A Report, publicado anualmente pela consultoria Bain & Company, aponta que 2020 foi um ano volátil para o mercado de fusões e aquisições. O início da pandemia e a paralisação inesperada geraram uma interrupção quase completa da atividade, mas a recuperação na segunda metade do ano minimizou as perdas. No ano passado, foram registradas mais de 28.500 transações, totalizando US$ 2,8 trilhões, patamar próximo ao atingido em 2017. 


O levantamento da Bain com cerca de 300 profissionais de M&A aponta que o apetite permanece forte, considerando que metade dos entrevistados esperam uma maior atividade de M&A em seus setores em 2021, embora quase o mesmo número cite as perspectivas econômicas incertas como o principal obstáculo para a negociação.

Globalmente, o valor médio da empresa para ganhos antes de juros, impostos, depreciação e múltiplos de transação de amortização aumentou 14 vezes, enquanto em 2019 este valor era de 13 vezes. Isso foi sustentado por indústrias de crescimento mais rápido, onde os múltiplos se mantiveram estáveis ou aumentaram. 

Setores como tecnologia, telecomunicações, mídia digital e produtos farmacêuticos já estavam sob o olhar dos investidores e se tornaram ainda mais atrativos pelas mudanças aceleradas pela Covid-19, com um maior número de avaliações. O que não aconteceu em setores como varejo e energia, onde as avaliações enfraqueceram.

Na análise geral, 2020 foi um ano que trouxe o declínio mais profundo e a recuperação mais forte nas atividades de Fusões e Aquisições e tornou o processo digital o novo normal. “Antes, o principal objetivo de se fazer uma fusão ou aquisição, era ganhar escala. Agora passa a ser ter mais escopo”, explica Kai Grass, sócio da Bain & Company. 

Corporate Venture Capital

Uma tendência que veio pra ficar. Depois de anos em crescimento, o Corporate Venture Capital (CVC) comprovou sua resiliência no tumultuado ano de 2020, com US$ 95 bilhões investidos – soma que representa o valor de negócio anual mais alto investido por empresas de capital de risco corporativo de todos os tempos.

Os segmentos de tecnologia e saúde representam mais de 60% do valor do negócio de capital de risco corporativo, mas serviços financeiros, telecomunicações e manufatura e serviços avançados estão em alta.

As tendências em Fusões e Aquisições

Movimentos que antes da pandemia pareciam ser de longo prazo, foram acelerados. Entre eles: 

Digitalização rápida: as equipes de CVC e PE se adaptaram rapidamente ao mundo da due diligence virtual, fechamento de negócios e integração, com cerca de 70% dos profissionais de fusões e aquisições dizendo que a diligência em 2020 era um desafio.

ESG: 2020 será lembrado como o ano em que o ESG assumiu um lugar de destaque entre os critérios de M&A, exigindo das empresas mais diversidade e atenção com os critérios de sustentabilidade.

Favorecimento de negócios locais: as preocupações com a cadeia de suprimentos expostas pela crise da Covid-19 levaram quase 60% dos entrevistados a pontuar que a localização da cadeia de suprimentos será um fator significativo na avaliação de negócios no futuro.

Boom em saúde e tecnologia: depois de pressionar o botão de pausa na primeira metade de 2020, as fusões e aquisições em tecnologia voltaram a crescer. O valor de negócio para aquisições corporativas das empresas de tecnologia ultrapassou US$ 200 bilhões em cada um dos últimos dois trimestres de 2020, um nível visto pela última vez há mais de duas décadas, e que deve continuar em constante crescimento. Já na área da saúde, as fusões e aquisições caíram 37% em 2020, uma das maiores quedas entre os setores. O volume de negócios aumentou na segunda metade de 2020 e parece estar prestes a acelerar em 2021. Existem várias áreas dentro da saúde que devem impulsionar esse movimento, como farma, biotecnologia, medtechs e processamento de pagamentos. 

ABRH Brasil lança programa de educação voltado a equipes de gestão de pessoas e lideranças

Curso ABRH Brasil de Remuneração Estratégica e webinar “Etarismo e a era dos Perennials” são as ações de destaque da associação em março

A ABRH Brasil, em seu papel como agente de transformação para pessoas e organizações, promoverá, em março, duas iniciativas voltadas às equipes de Recursos Humanos e gestores. Em 18/03, acontecerá o webinar “Etarismo e a era dos Perennials” e, em 22/03, terá início o Curso ABRH Brasil de Remuneração Estratégica, com duração de três dias.

Com as presenças de Eliane Ramos, presidente da ABRH Minas Gerais, e Cris Guerra, escritora, palestrante e produtora de conteúdo, o webinar trará para o debate como o Etarismo (preconceito contra a idade) impacta na era dos Perennials. Um grupo sem distinção de idade e com interesses e ações diferentes, os Perennials não se encaixam na tradicional divisão geracional entre Baby Boomes e as Gerações X, Y e Z, ou seja, são perenes. O evento virtual é gratuito e terá início às 13h, em 18/03. As inscrições podem ser realizadas no link: http://pages.conarh.com.br/hspmkF4jxROt6/webinar-marco.html

Curso ABRH Brasil de Remuneração Estratégica

As formas de trabalho e a relação com os colaboradores mudaram, e o jeito de recompensar deve acompanhar estas inovações para que as empresas obtenham maior produtividade e otimização de recursos. Neste cenário, o Curso ABRH Brasil de Remuneração Estratégica chega para proporcionar o desenvolvimento de reflexões e estratégias relacionadas à remuneração e compensação total. A ideia é oferecer insumos para os participantes por meio da apresentação, discussão e construção de fatores-chave sobre o tema, em conformidade às características do contexto atual do mercado de trabalho.

Com duração de três dias, entre 22/03 e 25/03, o curso será ministrado por Iêda Vecchioni, diretora de Remuneração da ABRH Brasil e diretora do IMC Desenvolvimento Empresarial. As vagas para a primeira turma estão esgotadas no momento. Entretanto, duas novas turmas já estão programadas e serão anunciadas ao longo de março.

BNDES aporta R$ 487 milhões em fundo de crédito de fintech com foco em pequenos negócios

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contratou o primeiro Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) a ser investido no âmbito da Chamada Pública para Fundos de Crédito para MPMEs lançada em maio deste ano com duas modalidades de fundo. O FIDC CashMe-Plural foi o melhor classificado dentre os seis pré-selecionados de sua modalidade para a fase de análise gerencial e jurídica e receberá do BNDES aporte de R$ 487 milhões, por meio da subscrição de cotas do fundo. O fundo, que também contará com o aporte de R$ 138,3 milhões por parte da Cyrela e da BRPP, gestora do Grupo Genial, totalizará um capital de R$ 625,3 milhões.No âmbito da iniciativa, poderão receber aportes do BNDES ainda mais nove FIDCs, somando o valor total de até R$ 4 bilhões.  

Com o aporte do BNDES, o FIDC CashMe-Plural passará a disponibilizar para empreendedores financiamentos de até R$ 2 milhões de reais por meio da plataforma eletrônica da CashMe, fintech do Grupo Cyrela, que é especialista em empréstimos com garantia de imóvel. A previsão é que o custo final para o cliente na obtenção de crédito via CashMe fique em até IPCA + 1,15% ao mês, consideravelmente abaixo dos 4% ao mês, limite de custo exigido no edital da Chamada. O prazo médio das operações pode superar 4,7 anos. A projeção é de que sejam beneficiados 1.700 MPMEs e profissionais autônomos de diversos setores. 

Além da modalidade de crédito citada, a CashMe, juntamente com o Instituto Cyrela e ONGs parceiras, dedicará um time para que até R$ 500 mil do valor aportado no fundo sejam destinados ao microcrédito, com o objetivo de melhorar a situação de vulnerabilidade econômica de mulheres e famílias de baixa renda. Considerando o efeito da revolvência, que consiste na concessão de novos empréstimos à medida que as parcelas dos empréstimos anteriores vão sendo pagas pelos clientes ao fundo, a expectativa é de que estes recursos beneficiem 1.000 microempreendedores, com operações de tíquete médio de R$ 1,5 mil. Como um todo, o fundo deve chegar a beneficiar 2.700 clientes.    

Segundo o Diretor de Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES, Bruno Laskowsky, os FIDCs formatados pelo BNDES foram concebidos no contexto das medidas emergenciais elaboradas pelo BNDES durante a pandemia, e representaram iniciativa inovadora dotada de um papel estruturante de longo prazo na ampliação dos canais de crédito a pequenos e médios negócios brasileiros, ao complementar a oferta de crédito disponibilizada pelo sistema bancário, agregando com isso recursos na economia. 

Para Paulo Gonçalves, co-fundador da CashMe, o ponto principal é logicamente, levar um crédito justo para os Micro, Pequenos e Médio Empresários. Acrescenta ainda: “O processo todo de desenvolvimento nos proporcionou trocar e aprender muito com nossos parceiros! Hoje temos a certeza de que o aporte será levado e gerido de forma segura e saudável!”. 

“O Grupo Genial está muito honrado com a oportunidade de proporcionar o desenvolvimento e o acesso ao crédito de diversas MPMEs através da estruturação de um FIDC com a CashMe e o BNDES, em um momento tão desafiador de nossa economia. A presença do BNDES certamente potencializará o alcance desta iniciativa”, comenta André Schwartz, CEO do Banco Genial. 

Chamada Pública para Fundos de Crédito para MPMEs – O BNDES estima alcançar em torno de 2 milhões de empresas com esta iniciativa, que tem como foco qualquer empreendedor com acesso a um meio de pagamento, seja por meio de uma maquininha, por marketplace ou via fintech, mesmo que não seja bancarizado. A expansão do crédito por meio de canais alternativos é uma tendência mundial e está alinhada ao propósito social do BNDES. O banco poderá ter uma participação de até 90% do capital de cada fundo, observado o limite de R$ 500 milhões de cada. Os recursos deverão ser aplicados em negócios no Brasil. 

Saiba como os FIDCs podem ser um instrumento de ampliação do acesso ao crédito em https://agenciadenoticias.bndes.gov.br/detalhe/blogdesenvolvimento/FIDC-como-instrumento-de-ampliacao-do-acesso-a-credito/ 

A Chamada Pública pode ser acessada em https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/mercado-de-capitais/fundos-de-investimentos/chamadas-publicas-para-selecao-de-fundos/chamada-publica-para-selecao-de-fundos-de-credito-para-mpmes/

Samsung Creative Startups acelera projetos com potencial de contribuir na melhoria da educação

Depois dos desafios em 2020, a área da educação busca consolidar soluções inovadoras, o que coloca as edtechs, como são chamadas as startups voltadas para o setor, como tendência neste ano. Esse movimento do mercado já aparece no Samsung Creative Startups, programa de aceleração de startups da companhia. A atual edição da iniciativa conta com quatro projetos – sendo três de Manaus e um de São Paulo – com potencial de melhorar a forma como professores e estudantes compartilham conhecimento à distância.

O Batch#5 teve seus 14 selecionados em junho de 2020. Os empreendimentos voltados para a educação são projetos que vão desde maneiras de otimizar o ensino remoto, com a oferta de laboratório virtuais, até a utilização de games para auxiliar no aprendizado.

“Temos como propósito no Creative Startups detectar o potencial de transformação da sociedade, buscando startups que forneçam o empoderamento por meio da tecnologia para tornar o mundo melhor. Antes mesmo do distanciamento social que marcou 2020, identificamos a ampliação de ferramentas para digitalização da educação como uma demanda importante que poderia ser atendida com eficiência pelo programa”, declarou Paulo Quirino, Coordenador Nacional do Programa Creative Startups na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Samsung. “Em um momento no qual as conexões de internet se tornam mais rápidas e eficientes, as edtechs se tornam fundamentais porque trazem soluções para a educação acompanhar a nova realidade tecnológica”, complementou.

EDTECHS NO BATCH#5 DO CREATIVE STARTUPS


CAEx


A startup de São Paulo está desenvolvendo uma plataforma educacional interativa baseada em Realidade Aumentada, voltada para o Ensino Fundamental. Por meio de um dispositivo mobile, alunos e professores têm acesso a laboratórios de ciências e matemática interativos e imersivos, que estimulam metodologias ativas e geram pensamento crítico, comunicação e colaboração. Por meio de ambientes didáticos e divertidos, são ampliadas a autonomia tanto de estudantes quanto de professores, aumentando a capacidade de resoluções de problemas e aguçando a criatividade.

GAWA


A startup de Manaus está aprimorando a GAWA, uma plataforma no formato de fliperama ou arcade que pode ser jogada a partir da coleta de tampas plásticas. A ideia é promover a sustentabilidade. O processo da coleta por meio de sensores, vinculado a um software para gestão e benefícios ao usuário, conciliando gamificação, logística reversa e educação ambiental. Os estudantes são estimulados de forma divertida a coletar resíduos recicláveis (tampas plásticas) e, com isso, a educação ambiental ultrapassa o período escolar, alcançando todas as idades, pois a coleta das tampas plásticas pode gerar pontuação para descontos na compra de produtos em empresas parceiras. Serão exibidos ao usuário o mapeamento dos locais onde possam encontrar a GAWA e as opções de jogos que se abrem depois que é realizado o descarte na plataforma. Também é possível acompanhar o seu nível de contribuição com os descartes, já que serão acumulados pontos que podem ser trocados por descontos em produtos ou brindes.

LAZU


A startup de Manaus desenvolve uma plataforma de ensino que aproxima aprendizagem e leitura com conversas mais leves e conteúdos adaptados para o desempenho e a região em que o aluno busca vaga em universidades. Em um dispositivo mobile, os estudantes têm acesso a conteúdos atualizados em uma linguagem simples, gráficos que facilitam o entendimento, indicações de organização de estudo e um banco de mais de 5 mil questões de vestibulares e provas de algumas das principais universidades do país, além de criar planejamentos com foco em vestibulares regionais, indo além do ENEM.

MANAÓS TECH


A startup de Manaus desenvolve uma plataforma com atividades utilizando Realidade Aumentada para maior engajamento dos alunos em conteúdos de pensamento computacional, lógica, programação, desenvolvimento de games e apps, atrelando as atividades ao conteúdo estabelecido pela Base Nacional Comum Curricular. Com o objetivo de tornar o aluno protagonista do aprendizado, são oferecidos quatro cursos, para faixas etárias que vão de 5 a 16 anos, sempre adotando a metodologia STEAM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) para alinhar conhecimentos regulares com tecnologia, gerando uma aprendizagem significativa e habilidades essenciais para o futuro, mas em um ambiente divertido para estimular criatividade e pensamento lógico de uma forma leve e marcante.

Samsung Creative Startups


As 14 startups selecionadas para o Batch#5 do Samsung Creative Startups são de sete cidades diferentes (Manaus/AM, Florianópolis/SC, Londrina/PR, São Paulo/SP, Campinas/SP, São Caetano do Sul/SP e Itajubá/MG) e, além de educação, contemplam áreas como saúde, segurança, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e controle parental. Desde a primeira edição, em 2016, 45 startups foram aceleradas.

As empresas selecionadas para participar do Creative Startups contam com um pacote de serviços e conveniências, que inclui acesso a ativos, tecnologias, laboratórios de P&D, treinamentos, assessorias, mentorias, networking e redes de investidores, além da infraestrutura, dos serviços tradicionalmente oferecidos pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e sua rede de incubadoras, aceleradoras e parques tecnológicos e até R﹩ 200 mil, livres de equity, para serem investidos no desenvolvimento e aprimoramento dos produtos e serviços apresentados, conforme regras previstas pela Lei da Informática.

O programa ampliou seu alcance e investimento da empresa na edição atual, que tem encerramento previsto para o segundo semestre deste ano. Durante o período de isolamento social, as atividades presenciais passaram a ser virtuais, sem nenhum prejuízo para os participantes. Mas a digitalização não foi uma completa novidade, pois a iniciativa já realizava 80% de sua programação online, como uma medida para atender a startups de diversas regiões do Brasil.

Antecipação de recebíveis cresce como alternativa de crédito para pequenos negócios

Fintech Asaas, focada em micro e pequenos empreendedores, registrou um aumento de 167% na demanda pela antecipação de recebíveis em 2020. Modalidade ajuda a manter capital de giro em ordem com menos gastos e burocracias do que empréstimos.

Apesar de ser essencial para o crescimento dos negócios, o acesso a crédito costuma ser um dos desafios enfrentados pelas micro e pequenas empresas.  Além da burocracia dos bancos, as altas taxas de juros e os riscos envolvidos acabam afastando empreendedores, que nem sempre contam com garantias ou analistas para avaliar riscos. Nesse contexto, a antecipação de recebíveis tem crescido como alternativa de crédito. Em 2020,  a fintech Asaas teve um aumento de 167% no número de clientes usando a modalidade e antecipou mais de R$ 51 milhões.

Na pandemia, a antecipação tem sido uma maneira de ajudar pequenos negócios que não conseguiram acessar outras formas de crédito. De acordo com pesquisa do Sebrae e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apenas 16% das 6,7 milhões de micro e pequenas empresas que solicitaram crédito nos primeiros meses de isolamento social conseguiram obter o dinheiro. Por outro lado, as startups especializadas em antecipação de recebíveis tiveram um aumento de 70% na procura, segundo estimativa da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs).

“Essa modalidade de crédito pode ser essencial para que os negócios mantenham seu fluxo de caixa em dia mesmo durante um período de crise, conseguindo pagar suas contas e atender às necessidades urgentes sem o risco de se endividar que poderia vir de um empréstimo”, explica Eduardo Kruger, diretor de produto do Asaas, fintech que oferece uma conta digital completa focada em micro e pequenos empreendedores, incluindo antecipação de recebíveis para pagamentos via boleto bancário e cartão de crédito. No ano de 2020, os valores antecipados pela fintech cresceram mais de 200% em relação a 2019.

“A antecipação de recebíveis é uma operação de crédito que permite que a empresa receba imediatamente, à vista, valores de pagamentos de clientes que foram parcelados ou só entrariam no caixa depois de um tempo”, explica Guilherme Panizzon, product manager no Asaas. 

Para oferecer essa opção, algumas instituições financeiras cobram apenas as taxas de juros e de operação relacionadas ao pagamento que foi antecipado, o que geralmente é muito inferior aos juros decorrentes de empréstimos. No caso das fintechs, todo processo costuma ser bem simples e rápido, bastando uma aprovação preliminar, já que se trata de uma operação de menor risco. 

Visa Everywhere Initiative abre inscrições para edição de 2021

Para estar entre os vencedores dos US$100.000 em prêmios da competição, startups precisarão solucionar problemas da indústria relacionados ao futuro do mercado de pagamento

A Visa abriu as inscrições para que startups do Brasil participem da quarta edição do Visa Everywhere Initiative (VEI), uma competição global que oferece até US$100.000 em prêmios para startups com soluções inovadoras. Os interessados devem se inscrever até o dia 2 de abril pelo site da Visa.

Diferente das edições anteriores, em 2021 o VEI deixa de ser uma competição regional para se tornar uma competição global, com etapas mais longas e competições entre as principais regiões do planeta. Nesta edição, o modelo da competição passa a considerar primeiramente o país e depois a região, com a final global, sendo disputada entre as fintechs escolhidas de em cada uma das cinco regiões (CEMEA, Europa, América do Norte, América Latina, Oceania).

O objetivo de realizar a mais abrangente edição da história do VEI exigiu uma reformulação quanto ao modelo de evento realizado. Neste ano, o VEI 2021 oferecerá uma experiência totalmente inovadora e integrada, que possibilita que todos os interessados em uma experiência mais completa se inscrevam para receber informações sobre oportunidades e competições em sua região. Ao todo, serão distribuídos US$100.000 em prêmios para as startups que mais se destacarem durante a competição, sendo US$50.000 o prêmio máximo e destinado à fintech vencedora da final global, marcada para 14 de setembro.

Beatriz Montiani, Diretora de engajamento com Fintechs da Visa do Brasil e responsável pelo Programa de Aceleração no país, explica que o objetivo da competição é atrair mentes criativas que estejam resolvendo desafios de pagamento e do comércio enfrentados por empresas de todos os tamanhos e setores, como, facilitadores de serviços digitais, emissão digital, valor agregado para os estabelecimentos comerciais ou consumidores e recuperação de pequenas e médias empresas.

“Reconhecer que as startups são a força motriz da inovação é fundamental para o nosso negócio. Além disso, a Visa tem como prioridade apoiar empresas de todos os cantos do mundo que estejam desenvolvendo soluções para habilitar movimentações de fundos, sem fricção e em qualquer lugar”, afirma Beatriz Montiani.

Desde o lançamento do Visa Everywhere Initiative, em 2015, startups de seis continentes e mais de 100 países conseguiram captar coletivamente mais de US $2,5 bilhões. Para a nova edição, a Visa promoverá e organizará eventos virtuais e transmissões ao vivo na América do Norte, Europa Central, Oriente Médio, África, América Latina e Caribe, durante os meses de competição.

As startups apresentarão suas ideias em etapas regionais para um júri composto por especialistas de toda a indústria de pagamentos e, na sequência, os vencedores de cada etapa regional serão convidados a participar da final mundial. Além do grande vencedor da competição, o segundo e o terceiro colocado também concorrem ao prêmio “Favorito do Público” e todo o progresso mundial das startups é atualizado e publicado na página inicial do portal global do Visa Everywhere Initiative.

Informações adicionais

Quem pode se inscrever na Visa Everywhere Initiative?

Profissionais criativos e que estejam resolvendo desafios de pagamento e comércio enfrentados por empresas de todos os tamanhos e setores, como:

Facilitadores de serviços digitais e emissores digitais

  • Blockchain e criptomoedas;
  • Crowdfunding (financiamento coletivo);
  • Banco como um serviço;
  • Patrocinadores de BIN;
  • Emissores / processadores;
  • Gerentes de programas.

Emissão digital:

  • Blockchain e criptomoedas;
  • Empréstimos alternativos;
  • Gestão de finanças pessoais;
  • Transferência e remessa de fundos;
  • Banco digital (conhecido também como neobanco);
  • Carteiras digitais, transferências e P2P;
  • Benefícios para trabalhadores;
  • Contas a pagar;
  • Cartões corporativos (conhecidos também como ferramentas de gestão de gastos).

Valor agregado para as finanças de estabelecimentos comerciais ou consumidores

  • Dados e análises;
  • Identificação, autenticação e segurança;
  • InsurTech (empresas de tecnologia e seguro);
  • Fidelidade;
  • Ferramentas e serviços comerciais;
  • Infraestrutura de pagamento e processamento;
  • Tecnologia para varejistas;
  • Outros.

Recuperação de pequenas e médias empresas

  • Transferência de fundos (desembolsos, intraconta, P2P, pagamentos);
  • Aceitação (aceitação de comércio eletrônico e móvel);
  • Gestão de risco (chargebacks, etc);
  • Gestão de marca (desenvolvimento comunitário, etc);
  • Outros.

Prêmios

A final mundial decidirá os vencedores de quatro prêmios em dinheiro:

– Vencedor geral: US$50.000

– Favorito do público: US$25.000

– Segundo lugar: US$15.000

4-  Terceiro lugar: US$10.000