Page

Author admin

T-Systems suporta operações do maior supermercado online da Alemanha

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, é a responsável pelo suporte ao serviço de atendimento ao consumidor do site REWE.de, maior supermercado online da Alemanha. Para oferecer o serviço, a REWE Digital, unidade de digitalização da rede varejista, utiliza a solução da Salesforce hospedada em nuvem em um dos data centers da Deutsche Telekom.

A REWE Digital está no centro da transformação digital do grupo REWE, uma das maiores redes varejistas da Alemanha. Com o processo, os clientes da rede agora podem comprar alimentos que podem ser entregues em suas casas ou retirados nas lojas mais próximas, frescos e na temperatura certa.

Os complexos processos exigidos pelo sistema são gerenciados pela REWE via Salesforce em nuvem. Se um cliente faz um pedido para ser entregue às 14h, mas depois percebe que não estará em casa antes das 14h30, a correção no pedido precisa ser feita na cadeia logística imediatamente. Todo o processo, que inclui comunicação com o cliente – via telefone, e-mail ou app – e todo o workflow de entrega, roda em tempo real em uma única plataforma.

“A eficiência do processo e a flexibilidade construída nas várias funções do sistema cria uma base firme para garantir altos níveis de satisfação do consumidor em longo prazo”, afirma Robert Zores, diretor geral e CTO da REWE Digital. Com apenas três anos, a unidade conta com 500 funcionários em sua sede, em Colônia, e outros 1.800 divididos por seus seis centros logísticos.

Nuvem escalável

O serviço em nuvem da plataforma Salesforce é extremamente escalável, dando suporte ao crescimento dinâmico da REWE Digital. A solução em nuvem é fácil de integrar a sistemas já existentes por meio de interfaces padronizadas. Com isso, os clientes da loja online podem enviar seus pedidos por diversos canais, tais como apps, e-mail ou site.

O processamento destes pedidos em tempo real é um dos requisitos de uma boa oferta de serviço online. Com o novo sistema, os funcionários da REWE podem se concentrar em oferecer o melhor serviço aos seus clientes, sabendo que o processamento será feito automaticamente.

“Estamos muito felizes pela oportunidade de suportar uma empresa líder no setor de vendas de alimentos em seu processo de digitalização. Eles não estão se beneficiando apenas de nosso conhecimento em cloud, mas também de altos padrões de segurança e proteção de dados, que para nós são uma prioridade desde o desenvolvimento da solução até sua entrega”, diz Anette Bronder, diretora da divisão digital da T-Systems.

Tags, , , ,

Fomento, Inovação e Competitividade – Por Jamile Sabatini Marques

Que o brasileiro é um povo criativo, todos sabem. Mas se beneficiar dessa criatividade para gerar um país mais competitivo é o que precisamos aprimorar. Empresas que se destacaram quanto a sua criatividade foram fomentadas por um ambiente de negócios propício para sua atividade, gerando produtos inovadores e se tornando referências mundiais, como o Facebook e Instagram, ambos com brasileiros na concepção de seus projetos.

Para termos um país mais competitivo, precisamos dar mais voz aos empreendedores criativos, que acreditam em um projeto e correm atrás para serem os primeiros em mercados globais. Para que isso ocorra, precisamos fomentar serviços e produtos pioneiros para que estejam no mercado e sejam competitivos.

O fomento por meio de recursos financeiros, relacionamento e gestão faz com que as empresas acelerem a sua curva de crescimento, ganhando tempo precioso em um mercado competitivo, onde estar à frente fará a diferença para nos tornarmos referência.

O Brasil precisa criar condições para que existam mais fundos de investimentos em venture capital (Venture Funds), que façam as apostas em ideias, serviços e produtos inovadores, desde a fase inicial.

Isso pode ser feito com poucos ajustes na Lei do Bem para que as empresas beneficiadas possam aplicar seus recursos em Venture Funds fomentando empresas brasileiras nascentes, com a aquisição de quotas, ações ou notas de débito conversíveis.

A ABES tem trabalhado nestes aspectos, demonstrando a importância de se fomentar a inovação para termos um Brasil mais competitivo. As agências de fomento, como BNDES, FINEP, CNPq e FAPs estão buscando um caminho, conhecem a importância desse tema, mas ainda precisamos aperfeiçoar, ter mais recursos e correr mais riscos. Hoje, as garantias exigidas das mentes criativas são incompatíveis com o mercado do conhecimento, com empresas nascentes e muito boas ideias morrem pela falta de fundos, quando já estão quase lá.

A legislação brasileira com foco em inovação está sendo aperfeiçoada para que estejamos atualizados e competitivos, com o Governo recuperando seu papel de indutor da inovação. Sabe-se que países que investem em inovação estão entre as principais potências mundiais. O retorno do investimento feito em empresas inovadoras se dá na forma de impostos, empregabilidade, desenvolvimento regional e principalmente na formação de quadros gerenciais voltados para a inovação e criatividade.

Países membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) têm buscado investir em inovação por meio do incentivo fiscal, sendo esta uma tendência mundial. O Brasil precisa fomentar para sair da crise, crescer e gerar competitividade. Por meio de pequenos aperfeiçoamentos, a Lei do Bem e a Lei de Informática podem e devem contribuir para a geração de novos produtos e serviços, com novas ou antigas empresas, fomentando o empreendedorismo e intra-empreendedorismo.

Jamile Sabatini Marques é diretora de Inovação e Fomento da ABES -.Associação Brasileira das Empresas de Software.

Tags, , , , ,

Estudo revela: metade das empresas exportadoras no Brasil paga mais impostos do que deveria

exportacao_becomex_recuperacao_imposto_1170529_115919

A Becomex, empresa especializada no gerenciamento integrado na área tributária e operações internacionais, acaba de divulgar um estudo que aponta que mais de 50% das empresas exportadoras no Brasil pagam mais impostos do que deveriam por não aproveitar corretamente os benefícios fiscais e aduaneiros existentes. O estudo também revela que muitas empresas sequer sabem o potencial que poderiam economizar com o pagamento de impostos e tributos.

Segundos os dados da Becomex a indústria automobilística, por exemplo, um dos maiores setores da economia nacional, tem hoje cerca de R$ 300 milhões em impostos a serem recuperados à espera das empresas solicitarem seus resgates junto ao governo.

“As possibilidades de reaver esses tributos aumentam quando a fabricante de veículos inicia um trabalho em toda sua cadeia com o objetivo de apurar todos os benefícios fiscais e aduaneiros concedidos pelo governo à indústria”, revela o vice-presidente da Becomex Rogério Borili.

O conceito de Gestão Integrada de Impostos da Becomex, que já é referência no mercado, proporciona redução significativa da carga tributária e potencializa resultados das empresas, graças à aplicação de metodologias de análise com elevado conhecimento da legislação somado a ferramentas de alta performance.

Um bom exemplo de recuperação ou isenção de imposto é o Drawback, uma devolução total ou parcial de tributos federais (II, IPI, PIS-Importação, Cofins-Importação e AFRMM), recolhidos quando há importação de matérias primas (embalagens, insumos e componentes) utilizadas na fabricação de mercadorias comprovadamente exportadas. É um incentivo às exportações, pois reduz os custos de produção dos produtos exportáveis, aumentando a competitividade no mercado internacional.

Segundo dados divulgados pela Receita Federal, nos últimos quatro anos o Drawback correspondeu a 29% de todo benefício fiscalconcedido pelo governo federal. Porém, cerca de 25% das maiores empresas exportadoras do Brasil não fazem a requisição desse benefício que pode gerar milhões de reais em “dinheiro novo” para a companhia.

Outro exemplo de benefícios que podem ser utilizados pelas empresas é o Reintegra, que como o próprio nome sugere, tem por objetivo reintegrar valores referentes a custos tributários residuais existentes nas cadeias de produção. Assim, a pessoa jurídica produtora e exportadora de bens manufaturados no País, poderá reaver parcial ou integralmente o resíduo tributário existente na sua cadeia de produção.

“O investimento em inteligência fiscal e tributária é um ponto de atenção estratégico, pois gastam 1/3 de suas receitas, em média, por não conseguir fazer os controles fiscais de forma eficiente, pagando imposto a mais desperdiçando a chance de trazer o chamado ‘dinheiro novo’ para seus cofres, o que faz toda a diferença especialmente em tempos de crise”, declara Rogério Borili.

Tags, ,

Presidente da ANCD falará sobre Certificação Digital no Conip

Julio_Cosentino_vice_presidente_da_Certisign_3_inc

O presidente da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD), Julio Cosentino, vai falar sobre Gestão de Processo Eletrônico e Certificação Digital dia 30 de maio próximo, durante a realização do Congresso de Informática e Inovação na Gestão Pública – Conip. “Vivemos um momento muito sensível no Brasil, marcado pela crise política e econômica. Entendemos que, a despeito dos acontecimentos, é meio inevitável a retomada do crescimento, ainda que de forma gradual. Nesse sentido falarei aos presentes, mostrando caminhos e ferramentas que possam ajudar nessa trajetória, com a desburocratização de processos a partir da certificação digital”, comentou Cosentino.

Segundo ele, o Conip exerce um papel fundamental como influenciador na tomada de importantes decisões e, por meio da inovação, vem promovendo o conhecimento e a troca de experiências. Julio Cosentino acredita que o Brasil já avançou bastante no campo da tecnologia, mas ainda possui muitos entraves e o objetivo de sua palestra será alertar justamente para as oportunidades que estão expostas. A palestra de Julio Cosentino será terça-feira, dia 30.

Sobre o evento

O CONIP – Congresso de Informática e Inovação na Gestão Pública acontece nos dias 30 e 31 em São Paulo e vem se mostrando ao longo dos últimos 23 anos um encontro consolidado e reconhecido como o principal fórum de inovação, constantemente apontando as tendências de uso de tecnologias na gestão pública.

O único evento do setor que aborda a inovação, a modernização da gestão pública e a melhoria contínua dos serviços públicos que o Estado oferece à sociedade nas três esferas públicas. Reúne cerca de 400 participantes, mais de 20 Estados, através de diretores de TI dos três poderes da República, além de gestores públicos.

Tags, , , ,

Stefanini demonstra jornada financeira digital no CIAB 2017

O uso de aplicativos de bancos para celular e tablets se tornou o canal mais utilizado pelos brasileiros para operações bancárias em 2016. Segundo estudo recente da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o número de operações via mobile banking, incluindo transferência, pagamentos e consultas de saldo, cresceu 96% em comparação com o ano anterior e já representa um terço do total de todas as transações feitas no País.

Com acesso mais fácil à Internet e aos smartphones, o consumidor tem transferido sua jornada financeira para a telinha do celular em busca de uma experiência mais rápida e eficiente. Para atender às instituições financeiras que priorizam experiências diferenciadas ao cliente, a Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia e com grande participação no segmento financeiro, apresentará no CIAB 2017 novas tecnologias e conceitos que podem transformar a jornada financeira digital.

Em uma das demonstrações, o visitante poderá simular a abertura de um financiamento de automóvel pelo smartphone, além de acompanhar todo o processo por trás da operação – cadastro, andamento do pedido, autorização e liberação do financiamento.

“Nosso objetivo é mostrar como as tecnologias da Stefanini se integram à jornada financeira do cliente, tornando a experiência mais rápida e eficiente. Quem visitar o estande da Stefanini poderá acompanhar todo o fluxo da operação do ponto de vista do cliente e do banco”, destaca Maristela Ramalho, líder de projetos da Stefanini Business Consulting.

Durante o evento, a empresa também demonstrará a contratação de um seguro automativo pelo smartphone. Hoje, a Stefanini pode oferecer a plataforma de serviço e integrar todas as informações com uma solução multicanal, que utiliza ferramentas que proporcionam inteligência por meio de analytics, clusterizações para disparo assertivo de campanhas e inteligência artificial.

“As soluções da Stefanini e de suas coligadas evoluem na mesma velocidade do mundo atual, podendo se adaptar às demandas das novas gerações, como a X e a Z. Pesquisas recentes sinalizam que a geração Z, que inclui os nascidos entre 1995 e 2010, já conta com um poder aquisitivo de 44 milhões de dólares, é mais imediatista que a geração anterior (millennials) e influencia 93% das compras de casa”, afirma Wander Cunha, diretor da Business Consulting da Stefanini.

De acordo com Breno Barros, diretor de inovação e digital da Stefanini, a mudança não está apenas na adoção de novas tecnologias ou na oferta de mais conveniência e praticidade. Passa por um entendimento maior das expectativas desse novo consumidor. “As novas gerações estão em busca de empresas que reflitam suas convicções e valores, que entendam o seu comportamento e ofereçam serviços personalizados e que superem as suas expectativas”, afirma.

Para acompanhar essa tendência, o Grupo Stefanini vem trabalhando na construção de um ecossistema que permite, inclusive, a abertura de um banco digital em até 90 dias. “Estamos inseridos em mundo digital, em que há uma grande demanda por eficiência, otimização de custos e conveniência para o consumidor. Os clientes querem soluções que agreguem valor e que estejam onde o cliente está. Por isso, estamos focados em oferecer ferramentas que permitam uma verdadeira transformação do negócio de nossos clientes”, afirma Marco Stefanini, fundador e CEO global da Stefanini.

Quem estiver no CIAB terá a oportunidade de conhecer outras ofertas focadas no segmento financeiro, tais como automação de captura de documentos, Blockchain e gamification.

Construção do relacionamento

Marketing Digital: campanhas em tempo real, a partir do perfil do cliente e de como ele utiliza os serviços bancários. A Inspiring, que faz parte de um centro de excelência e inovação, juntamente com outras 12 empresas do Grupo Stefanini, conta com uma plataforma de engajamento, baseada em nuvem, onde o cliente tem todo um ecossistema baseado em campanhas, fidelidade, cupons, promoções e gift cards. Batizada de IEP, ela foi concebida para ser multicanal, sendo possível integrar com redes sociais, WhatsApp, SMS e portal. A interface de programação da plataforma é bastante intuitiva e bem simples de usar.

UX: uso do design e do conceito de usabilidade de canais, conforme estilo de vida dos clientes.

Automação para Cadastros Digitais, com captura e gestão de documentos e dados: captura por foto ou scanner (imagem digitalizada), onde os templates e os dados dos documentos são validados sistemicamente. Com essa tecnologia, é possível gerir os processos internos fim a fim, possibilitando consultas on-line a bases internas ou externas para confirmação de informações, além da parametrização de regras de negócios e gestão de todas as etapas do processo em formato digital.

Selfie com face recognition: o selfie passa a ser utilizado para confirmação de identidade do usuário.

Social Bank e Blockchain

Social Bank: possibilidade de implementar soluções com a utilização das redes sociais. Pode ser enriquecido com ferramentas para gestão financeira personalizada.

Blockchain: tecnologia e soluções para conversão de quaisquer valores em moeda virtual (digital cash), de forma segura, eficiente e de baixo custo. Por meio de uma parceria com a canadense Okanni, a Stefanini oferece uma solução de Blockchain, capaz de suportar vários tipos de transações, em qualquer moeda, entre pessoas físicas ou para pagamentos B2C e B2B.

Gamification

Uso de formas lúdicas para proporcionar a interação dos usuários com a instituição financeira. A utilização de incentivos ou de outras formas de estímulo promovem o engajamento do usuário e, consequentemente, o incremento no consumo ou utilização dos serviços prestados pelo banco.

Tags,

SONDA leva soluções de inteligência para o Ciab FEBRABAN 2017

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia da informação, participa do Ciab FEBRABAN, congresso referência na América Latina para o setor financeiro, que este ano debaterá as necessidades da nova geração de clientes que pensam de forma digital.

De olho nesta tendência e alinhada ao evento, a integradora levará seu portfólio de ofertas para os bancos, seguradoras e meios de pagamento, que terão acesso aos benefícios proporcionados por soluções de inteligência de mercado com análise preditiva para tomada de decisão on-line, abertura de conta corrente digital, realidade aumentada proteção de transações on-line em múltiplos canais e de segurança para procedimentos de comunicação e prevenção à fraude.

Outra novidade será a plataforma de assinatura digital com validade jurídica, que reduzirá em alta escala os gastos com processos de comunicação como impressão, logística e armazenamento de documentos.

“As soluções têm como objetivo possibilitar às empresas o aumento de competitividade, que é pautado pela Transformação Digital, bem como utilizar conceitos de big data, machine learning, data mining, algoritmos matemáticos, entre outras frentes que trazem a diferenciação no negócio com redução de custos”, conclui Antônio Eduardo Bruno, diretor comercial para o setor financeiro da SONDA.

Ciab FEBRABAN 2017

Quando: 6 a 8 de junho de 2017

Horário: das 10h às 19h

Local: Transamérica Expo Center

Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo – SP

Tags, ,

Plataforma conecta clientes a serviço de entrega de livros

A Disal, considerada a mais importante distribuidora de livros e materiais didáticos do Brasil para o ensino de idiomas, lançou sua própria plataforma de entrega com a proposta de melhorar a performance e o relacionamento entre a empresa e seus clientes. Com 19 filiais espalhadas pelo país, conta com um robusto catálogo com 300 editoras e mais de 300 mil títulos comercializados, além de estar presente nos principais canais de vendas virtuais do Brasil.

Com cinco décadas de atuação e uma visão empreendedora, a Disal aposta em otimizar a operação e, com isso, aumentar a capacidade de atendimento. “Nos últimos três anos investimos em estrutura, melhoramos processos e estamos expandindo nossa rede de livrarias próprias. Percebemos que havia uma necessidade de aprimorar ainda mais o no serviço de entrega e por isso começamos a desenhar a plataforma de entrega Disal”, comenta Francisco Canato, diretor da distribuidora.

A plataforma permite aos clientes acompanharem a entrega e se programarem para o recebimento, pois utiliza roteirização e rastreamentoem tempo real. Ao realizar a compra, o cliente já é avisado da previsão de entrega. No momento em que a mercadoria é coletada pelo transportador, o comprador recebe a informação de que sua encomenda está a caminho com horário previsto de chegada no endereço, permitindo que ele se programe para receber a encomenda.

Assim que a entrega é realizada, o motorista coleta a assinatura e digitaliza no sistema, que envia automaticamente o tracking final para o consumidor. Caso o cliente não seja encontrado, o funcionário notifica que a tentativa não teve sucesso, registrando o motivo. Além de oferecer maior comodidade e possibilidade de programação, o recurso também traz seguranças para o consumidor. No ato da entrega, além da assinatura digital, também é capturada uma foto, solucionando qualquer questionamento futuro.

A mesma dinâmica serve para as retiradas feitas em nosso Warehouse, evitando fraudes na retirada dos livros. A plataforma também permite que, caso um cliente entre em contato para verificar o status da entrega, o operador tenha condições de indicar a localização do pacote com precisão pelo monitoramento por GPS.

“A plataforma de entregas DISAL foi desenvolvida internamente, o que permitiu alto nível de personalização e maior aderência ao nosso negócio. O sistema já está em uso na cidade de São Paulo com frota própria e motoboys, e já resulta na redução do índice de insucesso de entregas, além de feedbacks muito positivos de clientes”, comenta Rafael Cleante, gerente de tecnologia da informação.

Tags, , , ,

Carro elétrico da Tesla será um dos destaques da Eletrolar Show

view (2)

A Elektra Motors, que desde o final do ano passado comercializa os veículos da marca Tesla no Brasil, confirmou participação na 12ª Eletrolar Show. Em seu estande, a loja de luxo apresentará um modelo do portfólio da companhia americana especializada em automóveis movidos por tração elétrica.

Para a feira, a Elektra, que trabalha com veículos elétricos e sustentáveis e é pioneira nesse segmento em São Paulo, levará também suas scooters (bicicletas elétricas). “Na Eletrolar Show, nossa expectativa é divulgar a marca, fechar vendas e fazer novas parcerias”, diz a diretora comercial da empresa, Monique Angeli.

Os veículos elétricos, assim como os modelos autônomos, têm chamado a atenção nos últimos anos, tanto que o segmento automotivo vem ganhando cada vez mais espaço nas feiras globais de tecnologia. Em um momento em que o mundo todo discute fontes de energia limpa, esse é um mercado com grande potencial a ser explorado.

Junto com essa novidade, a Eletrolar Show reunirá, de 17 a 20 de julho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, 10 mil produtos de 700 marcas, que serão vistos por 29 mil executivos de compras do grande, médio e pequeno varejo, que respondem por 30 mil pontos de venda em todo o Brasil. O evento terá, também, a participação de 800 compradores de grandes redes do Brasil que não têm sede em São Paulo, e 200 da América do Sul, que virão da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Venezuela para a feira, com o patrocínio do Grupo Eletrolar.

Eletrolar Show 2017

“12ª Feira de Negócios para a Indústria e o Varejo de Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos, Celulares e TI”
Data: 17 a 20 de julho de 2017, das 13h às 21h
Local: Transamerica Expo Center
Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387
Realização: Grupo Eletrolar
wwww.eletrolarshow.com.br

Tags, , , , ,

Estudantes brasileiros são premiados novamente na Intel ISEF

Os estudantes que representaram o Brasil na Intel ISEF (International Science and Engineering Fair), que acaba de ser realizada em Los Angeles (EUA), conquistaram cinco prêmios e três menções honrosas. Um dos destaques ganhou o segundo lugar na categoria Biomedical Engineering.

Os jovens cientistas fizeram parte da delegação brasileira composta por 33 estudantes, sendo que 14 deles foram selecionados na 15ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), que é realizada anualmente pela Escola Politécnica da USP, em São Paulo (SP), 15 na MOSTRATEC, de Novo Hamburgo (RS), e quatro na Escola Americana de Campinas, de Campinas (SP). No total, foram apresentados 21 projetos na feira.

Os estudantes premiados são dos estados do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Eles foram incentivados a desenvolver projetos inovadores que melhorem a qualidade de vida, sendo julgados por sua capacidade criativa e pensamento científico, rigor, competência e clareza mostrada nos projetos.

O Brasil, com cinco prêmios e três menções honrosas, foi o país mais premiado da América Latina e a 9ª delegação mais premiada do mundo, ficando atrás dos EUA, Índia, Alemanha, Rússia, Vietnã, Canadá, Itália e China.

A ISEF é realizada desde 1950 e já revelou milhares de talentos em ciências e engenharia. Desde 1997, a feira conta com o patrocínio da Intel e traz o nome de Intel ISEF – Intel International Science and Engineering Fair. A feira faz parte de um programa da Society for Science & the Public e da Intel Foundation (http://www.societyforscience.org/). Neste ano, foi em Los Angeles, no Estado da Califórnia, de 15 a 19 de maio, e reuniu 1.800 estudantes de 78 países.

Para recebê-los, a organização da feira contou com uma estrutura que envolveu voluntários, intérpretes e avaliadores para julgar os melhores projetos. Fizeram parte do seleto corpo de avaliadores vários cientistas de renome internacional, todos com titulação de Ph.D.s ou equivalente, ganhadores de prêmios relevantes, inclusive do Prêmio Nobel.

Trata-se de uma competição baseada na qualidade de projetos e pesquisas desenvolvidos por estudantes de todo o mundo que ainda não chegaram ao ensino superior e que competem por mais de quatro milhões de dólares em prêmios. O principal objetivo é apresentar as inovações de jovens criativos do mundo todo, além de gerar a oportunidade para que jovens talentos sejam reconhecidos internacionalmente.

INTEL ISEF SPECIAL AWARDS CEREMONY (18/05/2016)

Qatar Foundation, Research & Development – prêmio de 1.000 dólares.

De Campinas, SP
Escola Americana de Campinas
Matheus Bevilacqua

Projeto: Environmental engineering removal of heavy metal ions from industrial wastewater using algalpolysaccharide alginate
(Credenciado pela Escola Americana de Campinas)

U.S. Agency for International Development – USAID Global Development Innovation prêmio de 3.000 dólares.

De Baraúna, RN
Escola Estadual João de Abreu
Marcelo Abraão de Melo Ramalho
Beatriz da Costa Dantas

Projeto: Madeco Sabugosa: madeira ecológica, proveniente da reutilização do sabugo e da palha do milho
(Credenciados pela FEBRACE)

MENÇÕES HONROSAS

Association for the Advancement of Artificial Intelligence – Menção Honrosa

De Aquidauana, MS
IFMS – Campus Aquidauana
Luiz Fernando da Silva Borges

Projeto: Interface cérebro-computador de loop fechado hospedada em sistema de computação distribuída para comunicação com pessoas inicialmente classificadas em estado vegetativo ou coma.
(Credenciado pela FEBRACE)

American Meteorological Society – Menção Honrosa

De Camboriú, SC
IFC – Campus Camboriú
Daniel Caldas de Oliveira
Beatriz Faga

Projeto: Avaliação da qualidade do ar da cidade de Camboriú quanto à concentração de material particulado inalável (Credenciados pela MOSTRATEC)
American Physiological Association – Menção Honrosa

De São Paulo, SP
Colégio Giordano Bruno
Maria Gabriela de Carvalho Leal
Júlia Assunção Rolim
Isabela Lopes Dombrady

Projeto: A autoimagem do atleta com deficiência a partir do esporte: uma ressignificação
(Credenciadas pela MOSTRATEC)

INTEL ISEF GRAND AWARDS CERIMONY (19/05/2017)

2° lugar em Biomedical Engineering – prêmio de 1.500 dólares

De Aquidauana, MS
IFMS – Campus Aquidauana
Luiz Fernando da Silva Borges

Projeto: Interface cérebro-computador de loop fechado hospedada em sistema de computação distribuída para comunicação com pessoas inicialmente classificadas em estado vegetativo ou coma.
(Credenciado pela FEBRACE)

4° lugar em Plant Sciences – prêmio de 500 dólares

De Maquiné, RS
IFRS – Campus Osório
Maria Eduarda Santos de Almeida

Projeto: BioPatriam: Preservação da biodiversidade através de planta nativa brasileira
(Credenciada pela MOSTRATEC)

4° lugar em Environmental Engineering – prêmio de 500 dólares

De Osório, RS
IFRS – Campus Osório
Juliana Davoglio Estradioto

Projeto: Transformação dos resíduos agroindustriais do maracujá em filmes plásticos biodegradáveis
(Credenciada pela FEBRACE)

Tags, , , , ,

Nexxera e ACATE inauguram espaço para incentivos a startups

unnamed (73)

Florianópolis, um dos polos de tecnologia que mais se destacam no país, acaba de receber mais uma iniciativa que pretende promover a inovação pela aproximação de grandes e médias empresas com o mercado das startups. Com a proposta de fomentar a inovação aberta e o compartilhamento de experiências nasceu o Link Lab. A iniciativa é da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), que tem o Grupo Nexxera – líder nacional em transações eletrônicas – como co-fundador e patrocinador.

“Entendemos que também é nosso papel estimular e apoiar novas ideias no mercado, sejam elas independentes ou complementares ao nosso negócio. Esta é uma ação que já faz parte do DNA do Grupo e que vem sido desenvolvida há algum tempo; já investimos e temos startups investidas. “, explica o vice-presidente do Grupo Nexxera, Edenir Silva. Esta não é a única iniciativa da holding para fomento de ideias; o Instituto Nexxera recentemente também iniciou um projeto para desenvolver o empreendedorismo social.

Para receber o programa, um novo espaço de 640m² com escritório compartilhado e oito salas privativas foi construído no Centro de Inovação ACATE – Primavera, em Florianópolis, um dos ambientes mais inovadores da capital catarinense e premiado em 2016 como o melhor projeto de arquitetura corporativa da América Latina.

O projeto tem abrangência nacional, qualquer startup do País pode se inscrever. “Este é um projeto que já nasce com potencial de sucesso e já integra um plano de expansão nacional e internacional”, complementa Edenir Silva.

Com relação às startups que serão investidas, há também a possibilidade de que elas sejam incorporadas ao Grupo Nexxera. “Um dos principais interesses é buscar sinergia com iniciativas empreendedoras do ramo fintech, fazer com que estas ideias sejam levadas adiante e provermos maneiras para acelerá-las, afim de que elas possam ir mais rapidamente ao mercado”, finaliza o vice-presidente.

As startups participantes serão associadas à ACATE, tendo acesso a dezenas de benefícios ofertados pela entidade. Durante o programa no Link Lab, participarão de iniciativas de acesso à mercado via empresas patrocinadoras, assim como as Verticais de Negócios da ACATE, bem como workshops com parceiros selecionados em áreas como jurídica, contábil, marketing digital, comunicação, estratégia, além de receberem créditos e descontos no acesso a soluções empresariais, infraestrutura em computação na nuvem, e mais.

Como as startups podem se inscrever

As startups podem se inscrever até 16 de junho por meio do site http://linklab.acate.com.br para participarem do processo de seleção. Após esse período, as empresas patrocinadoras, com o apoio da ACATE, irão selecionar as startups que possuem melhor sinergia e alinhamento com seus negócios e programas de inovação. O programa terá início em julho.

As empresas patrocinadoras buscam startups que atuem e desenvolvam soluções em áreas de Realidade Virtual e Aumentada, Machine Learning e Inteligência Artificial, Big Data, Governança e Sustentabilidade Corporativa, Fintech, Edutech, Segurança Cibernética, Internet das Coisas, Saúde e Bem-Estar, Fintech, Biotecnologia, Supply Chain e Logística, Blockchain, entre outras.

Sobre o Link Lab ACATE

O Link Lab é uma iniciativa da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) que conecta grandes e médias empresas, startups, fundos e parceiros para desenvolver negócios em um dos ambientes mais inovadores da América Latina – O Centro de Inovação ACATE Primavera, em Florianópolis, um dos principais polos tecnológicos do Brasil. Seguindo o conceito de inovação aberta, permite às grandes empresas o acesso ao ecossistema de inovação de Santa Catarina. O Link Lab tem a Nexxera como patrocinadora cofundadora e as empresas Ambev, Engie, Faculdade Cesusc, Flex Contact Center, Marisol e TeltecSolutions como patrocinadoras.

Conheça as empresas que formam o LinkLab

Patrocinadoras:

Ambev

Empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, mais de 32 mil pessoas dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalham juntas para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora, que busca sempre novos sabores e formas de surpreender seus consumidores. Além das melhores cervejas, o portfólio conta ainda com refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas como Antarctica, Brahma, Skol, Budweiser, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica e Do Bem.

Engie

A Engie é a maior geradora privada de energia elétrica do país, operando uma capacidade instalada de 11.954 MW em 29 usinas em todo o Brasil, o que representa cerca de 5% da capacidade do país. O Grupo possui 85% de sua capacidade instalada no país proveniente de fontes limpas, renováveis e com baixas emissões de gases de efeito estufa, posição que tem sido reforçada pela construção de novas eólicas no nordeste do país. O Grupo também oferece serviços relacionados à energia, engenharia e integração de sistemas, atuando no desenvolvimento de soluções de telecomunicações, segurança e sistemas de gerenciamento de risco, mobilidade urbana, iluminação pública, aeroportos, soluções digitais (plataforma customizada de software), segurança pública e infraestruturas críticas.

Faculdade Cesusc

A Faculdade Cesusc, de Florianópolis, iniciou suas atividades em 2000, e desde então se dedica a oferecer ensino de excelência, com professores protagonistas e alunos conectados com o mercado de trabalho. Com uma visão inovadora, a Instituição está entre as melhores do País, segundo o Ministério da Educação (MEC), e oferece Cursos de Graduação em Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Design de Interiores, Direito, Gestão da Tecnologia da Informação, Marketing, Produção Multimídia e Psicologia, além de diversos cursos de Pós-Graduação. A Cesusc possui cursos com nota máxima no MEC, e quer ser a melhor Instituição de Ensino Superior particular de Santa Catarina, comprovada por meio da busca por excelência nos indicadores de qualidade da educação.

Flex Contact Center

A Flex Contact Center é uma empresa jovem que atua no setor de gestão de relacionamentos com soluções full-service vendas, atendimento (SAC), backoffice, fidelização, crédito/cobrança e reconquista. Com 13 mil profissionais em apenas 8 anos de atividade, a Flex é reconhecida por sua postura inovadora e comprometimento com resultados. Sediada em Florianópolis e com operações em São Paulo, Lages e Xanxerê, a empresa busca constantemente iniciativas que possam replicar sua trajetória de sucesso. A transformação digital e suas implicações nas interações humanas é uma de nossas maiores fontes de inspiração.

Marisol

A Marisol S.A. é uma das grandes empresas no setor do vestuário brasileiro. Possui atualmente duas unidades industriais nos estados de Santa Catarina e Ceará. Fundada em 1964, a empresa se renova constantemente, sempre valorizando as pessoas, em busca de um crescimento com marcas fortes e relevantes. É uma empresa de vanguarda que procura antecipar tendências, ousa, inova e faz a diferença na vida de seus clientes, consumidores, fornecedores e colaboradores. Liderando o segmento de vestuário infantil com as marcas Lilica Ripilica, Tigor T. Tigre, Marisol e Mineral Kids, a Marisol inova também na construção de conteúdo proprietário para seus personagens através do Mundo Ripilica, em breve nas principais redes sociais e de plataformas de mídia.

TeltecSolutions

A TeltecSolutions é uma integradora de soluções de tecnologia da informação e comunicação que projeta e implanta redes de dados e voz, soluções de virtualização, cloudcomputing, armazenamento e segurança, com sede em Florianópolis (SC) e filiais em Brasília e São Paulo (SP). Conta com atuação em todo o território nacional e parcerias estratégicas de grandes players mundiais do mercado de TI, como Cisco, IBM, Microsoft, Axis, Citrix, Vmware, NetApp, Amazon. Fundada em 1991, tem atualmente mais de 90 colaboradores e atua por meio de unidades de negócio em segmentos, como Governo, Educação, Saúde e Justiça.

unnamed (74)

Tags, , , , ,

Executivos de TI discutem Internet das Coisas e tecnologias inovadoras em debate na FGV EAESP

No próximo dia 7/06, executivos de TI e de negócios interessados ou envolvidos em projetos de Internet das Coisas (IoT) poderão participar de uma discussão promovida pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP). O evento é o primeiro organizado pelo Projeto IoT, iniciativa do Centro de Tecnologia e Informação Aplicada (GVcia) que visa mapear as aplicações públicas e privadas de IoT no país nos próximos três anos.

“Os ambientes empresarial e social estão no início de um grande ciclo de transformação digital que trará grandes oportunidades e desafios”, diz o professor Alberto Luiz Albertin, coordenador do projeto. “E a Internet das Coisas une os mundos físico e digital ao permiti a busca e a integração plena das pessoas, das organizações, das coisas e das informações”.

O debate tem como objetivo apresentar algumas das principais visões e estimular a discussão sobre Internet das Coisas e outras tecnologias como propulsoras da inovação tecnológica. As inscrições, gratuitas, devem ser feitas devem ser feitas pela internet.

SERVIÇO

Evento: Internet of Things: Inovação Digital muito além da integração das coisas

Data: 07 de junho de 2017, das 8h às 13h30

Local: FGV-EAESP, Salão Nobre, Rua Itapeva, 432, 4º andar, São Paulo, SP

Inscrições gratuitas: http://www.fgv.br/eventos/?P_EVENTO=3253&P_IDIOMA=0

AGENDA

8h00 Recepção e Abertura

8h30 O GVcia e o Projeto IoT (Alberto Luiz Albertin, FGV-EAESP-GVcia)

9h00 A Oferta Tecnológica para a Inovação Digital

O mundo conectado (Luiz Carlos de Faray de Aquino, Oi)
A infraestrutura viabilizadora (Norberto Tomasini Junior, TIVIT)
Os serviços que transformam (André Avai Scatolini, Resource IT)
11h00 A Demanda pela Inovação Digital

O varejo conectado (Jesus de Francisco Garcia, Livraria Cultura)
Transformando Dados em Satisfação do Cliente (Alexandre Baulé, Embraer)
O setor de saúde se transformando (Alexandre de Barros, DASA)
12h30 O Ambiente propício para a Transformação Digital (Conselho de Executivos do GVcia)

13h30 Encerramento

Empresas Parceiras: Oi e Resource IT

Empresa Patrocinadora: TIVIT

Realização: GVcia – Centro de Estudo de Tecnologia de Informação Aplicada

Tags, ,

HERE Technologies lança aplicativo mobile para edição de mapas

view (1)

A grande vantagem de um mapa digital é que ele pode ser atualizado regularmente para refletir as mudanças constantes que acontecem no mundo. Tendo essa perspectiva em mente, a HERE Technologies, referência em localização em nuvem, está lançando na América Latina e em outros locais o aplicativo Map Creator, ferramenta que pode ser utilizada por usuários dos sistemas iOS e Android, gratuitamente. Agora, milhões de pessoas na região podem fazer parte de uma comunidade global que contribui para que os mapas da HERE Technologies estejam sempre atualizados e precisos.

“A rede mundial de colaboradores, aliada à expertise da HERE no mapeamento e verificação dos espaços, torna nossos produtos ainda mais precisos, para atender a um mercado cada vez mais digital e em constante transformação”, afirma Vinícius Ferreira, gerente sênior de produtos da HERE Technologies no Brasil.

Para se tornar colaborador, basta fazer o cadastro neste site, criando um login e senha; pela conta do Facebook; ou através do aplicativo “HERE Map Creator”. Por meio do celular, o usuário pode inserir no mapa selecionado informações como condições das estradas, numerações de casas e edifícios e até velocidades de ruas e rodovias. Também é possível editar o mapa e adicionar novos lugares, inclusive durante o percurso, como postos de combustível, empresas e monumentos, que ainda não foram mapeados.

Os novos dados passam por um processo de validação de uma equipe de especialistas da empresa. Depois de aprovados, começam a integrar uma base global que alimenta diariamente mapas disponíveis em aplicativos, aparelhos de GPS e serviços de geolocalização.

Graças as suas edições contínuas, a comunidade do Map Creator contribui para a melhoria constante da nossa Cobertura de Mapas, que se torna cada vez mais conectada.

O aplicativo está disponível para download nas lojas PlayStore e iOS:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.here.mapcreator.mobile.newapp

https://itunes.apple.com/br/app/here-map-creator/id1179847301?mt=8

Números:
? Mais de 3,5 milhões de modificações no mapa desde 2015

? Mais de 700 mil quilômetros criados ou ajustados em 4 anos.

? 2 milhões de modificações totais no mapa através do Map Creator em 2016

? Mais de 350 mil modificações em endereços e pontos de interesse em 2016

Tags, ,

Fintech brasileira é premiada no British Brazilian Awards, em Londres

view.aspx

Parceira internacional da Zetra (www.zetra.com.br), a startup SalaryFits acaba de receber do Consulado Britânico o prêmio ‘British Brazil Awards’, na categoria Fintech, durante a ‘Think Brazil’, em Londres. A empresa foi reconhecida por estimular negócios entre os países levando ao mercado financeiro do Reino Unido a plataforma brasileira eConsig, software para a gestão de consignados capaz de promover sustentabilidade e inclusão financeira para a economia.

No Reino Unido, assim como em outros mercados, há dificuldade de acesso a produtos financeiros sustentáveis. Para se ter uma ideia, os ‘payday loans’ são uma das modalidades de crédito mais representativas no mercado e oferecem taxas extremamente altas que podem chegar a 1.600% ao ano. Portanto, a presença da SalaryFits no mercado se torna oportuna, ao trazer uma alternativa de crédito muito mais justa aos consumidores.

Com a SalaryFits, o empregado de uma empresa passa a ter à disposição ofertas de diversos bancos, como funciona para a busca de passagens e hospedagens, com taxas mais baixas, e as parcelas são descontadas direto na folha de pagamento, reduzindo a inadimplência.

O Brasil é prova do sucesso da plataforma. Mesmo com a crise econômica, o mercado de crédito consignado somou R$ 288 bilhões em todo o país até novembro de 2016, um adicional de R$ 15 bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior (que contabilizou R$ 273 bilhões), segundo dados do Banco Central. Neste contexto, a fintech Zetra contribuiu para a concessão de R$ 60 bilhões em crédito consignado por meio do eConsig.

Para efeito de comparação, o volume de consignado intermediado pelo eConsig é próximo ao valor concedido pelo Banco do Brasil (R$ 63,6 bilhões), o líder deste tipo de operação no país. Na comparação com outras modalidades de crédito, na média, o consignado tem taxa de juros mensal de 2,5% (ou 30% ao ano), frente aos 5,5% cobrados pelos bancos em um empréstimo pessoal (90% ao ano).

“Neste contexto, vislumbramos uma grande oportunidade para o nosso negócio, uma vez que a solução proporcionará uma redução do risco, da taxa de juros para os consumidores, assim como também possibilitará o controle da situação financeira de forma mais responsável e sustentável”, explica Délber Lage, CEO da SalaryFits no Reino Unido.

Tags, , , , ,

O futuro dos Data Centers – Por Mário Rachid

Experimente contar o número de vezes em que acessa informações e sistemas da sua empresa em um dia. Multiplique esse número pela quantidade de colaboradores que atuam com você. A conta crescerá em escala exponencial se incluir as atividades realizadas em outros escritórios. O acesso rápido e seguro a esse volume gigantesco de dados e aplicações só é possível para empresas que utilizam Data Centers de fornecedores de excelência mundial. O armazenamento externo será a melhor opção para CIOs que buscam performance, agilidade e segurança para seus dados e aplicações.

Um dos principais desafios para os líderes de TI durante o processo de transformação digital é encontrar a melhor solução para armazenamento e gerenciamento de dados com segurança, custo planejado e agilidade. As organizações que melhor se adaptam ao novo modelo de negócios digitais são aquelas que migram para Data Centers externos. A escalabilidade da solução, com a expansão ou redução da estrutura de acordo com as operações e necessidades da empresa, é fundamental para a atuação no mercado cada vez mais competitivo de hoje.

As organizações que se veem pressionadas a reduzir gastos, principalmente nos últimos dois anos, encontram na terceirização dos Data Centers a melhor solução. Custos com manutenção e atualização de equipamentos, equipe técnica especializada, energia e espaço físico passam para a responsabilidade do fornecedor, que, por sua vez, oferecem moderna infraestrutura e expertise em tecnologia.

A busca por Data Centers externos para armazenamento e backup tende a aumentar nos próximos três anos. O movimento será impulsionado pela disseminação de tecnologias disruptivas como a Internet das Coisas e a Computação em Nuvem, e pelo volume gigantesco de dados gerados pelas organizações. De olho nesse mercado, fornecedores de ponta investem ainda mais na flexibilidade, segurança e capacidade de integração dos Data Centers externos. Hoje, é fundamental implementar modelos com o self provisioning, um sistema que garante ao usuário a possibilidade de inserir aplicações e serviços em Nuvem sem a necessidade de provedores de serviços, permitindo maior colaboração entre os envolvidos no mesmo projeto.

Poder computacional, armazenamento e backup de dados continuarão, por muitos anos, sendo a grande vitrine dos Data Centers, principalmente pela demanda das empresas por uma atuação em tempo real e a rápida recuperação de dados em caso de desastres ou ataques. Outras possibilidades, porém, já são apresentadas, como o provisionamento de serviços inteligentes. Nesse cenário, o Data Center externo sugere, ou até mesmo implementa, de forma independente, o melhor modelo de configuração para a infraestrutura, a partir do comportamento das aplicações que hospeda e das relações destas com os componentes computacionais e de rede.

A automação de processos e o volume crescente de dados gerados por dispositivos conectados, seja para uso pessoal, seja corporativo, demandará o amadurecimento das soluções de segurança digital e a mitigação de ataques cibernéticos. Estimativas indicam que, até 2020, o número de dispositivos conectados saltará de 8,4 bilhões para mais de 20 bilhões. Há investimento em serviços preditivos, os quais protegem os elementos da infraestrutura das empresas antes mesmo da concretização de eventuais ameaças. Por outro lado, estudos apontam que o armazenamento de dados em Data Centers locais se mostrou oneroso e até duas vezes menos seguro do que em ambientes externos. Ou seja, terceirizar o Data Center é o mais indicado para o mercado atual.

Pergunte aos CIOs de grandes empresas quais são os objetivos do setor de TI a serem alcançados até 2020. Crescimento econômico, redução de custos e melhor infraestrutura certamente estarão no topo da lista. Tais metas, porém, só serão possíveis se baseadas em uma estrutura escalável, segura e flexível como o Data Center externo. A busca pela inovação precisa estar pautada na solução mais adequada a cada modelo de negócio. O futuro já está em curso e muitas organizações ficarão pelo caminho. Não existe receita pronta para que a sua grama seja mais verde do que a do vizinho. O sucesso será obtido por lideranças que se planejarem e estabelecerem contato com os melhores parceiros comerciais. Faça da tecnologia a sua grande aliada nos negócios!

A Embratel conquistou, em maio de 2017, o Frost & Sullivan 2017 Best Practices Awards para serviços de Data Center, na categoria Data Center Services Provided by Telecommunications Companies Market Leadership Award Brazil.

Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

Tags,

Por que registrar sua marca nos EUA?

Um dos patrimônios mais importantes de uma empresa é a marca. Registrar os sinais distintivos – palavras, figuras e/ou símbolos – não só garante a exclusividade da identidade visual e a segurança patrimonial, como também possibilita que investidores internacionais vejam a empresa com outros olhos.

Com a crescente onda de internacionalização de empresas brasileiras e a busca por exportar produtos e serviços, os empresários descobriram a necessidade de registro de sua marca no exterior.

Os EUA despontam como o destino preferencial para exportadores e empresas em expansão internacional e, naturalmente, também como local de registro de marcas brasileiras.

A celeridade do processo nos EUA é algo que chama a atenção; enquanto no Brasil um registro pode levar anos, o processo americano finaliza em torno de oito meses. Outra vantagem é que, diferentemente do Brasil, os EUA fazem parte do Protocolo de Madri, que facilita o registro em diversos países como Japão, China e Austrália.

Como fazer o registro

Pedro Drummond, sócio da consultoria internacional Drummond Advisors e advogado licenciado no Brasil e EUA, pontua que existem duas possibilidades de registro de marca nos Estados Unidos. “O órgão que regula o registro de marcas no território americano, o United States Patent and Trademark Office (USPTO), define como possível o registro do produto ou serviço que já está em uso (actual use) ou quando a marca que se pretende usar no futuro próximo (intent to use) ainda não está sendo utilizada”, diz.

Os passos para realizar o registro iniciam com uma pesquisa para identificar potenciais conflitos de marca. O conflito acontece quando a marca tem alguma semelhança com outra já existente, registrada ou não, que possa confundir o consumidor.

Após essa primeira análise, prefencialmente realizada por um profissional, pode-se iniciar o pedido de registro com mais segurança. “É importante mencionar que essa investigação prévia não garante que o registro seja autorizado. Além dos conflitos de marca, outros fatores podem impedir a liberação do registro, como o uso de um termo ofensivo ou do título de um filme ou livro, por exemplo”, explica Drummond.

Quando o órgão americano aprova o registro, a proteção da marca retroage à data do pedido e vigora por 10 anos. Entre o quinto e o sexto ano após a data de registro, deve ser enviada ao USPTO uma comprovação de uso da marca ou declaração justificada de não uso. Entre o nono e o décimo ano após o registro, deve ser enviada nova comprovação de uso e pedido de renovação do registro.

A taxa governamental de registro é de US$225 por classe de proteção.

Drummond enfatiza a importância de empresas brasileiras realizarem o registro de marca nos Estados Unidos. “Em um mercado com fronteiras cada vez mais fluidas, os empresários brasileiros devem buscar proteger a propriedade intelectual de forma global”, completa.

Tags, , ,

Fábricas Inteligentes: Setor automotivo pode melhorar margem operacional em até 40%

A Capgemini, um dos líderes globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, anuncia os resultados do seu relatório sobre Fábricas Inteligentes. O estudo, conduzido pelo Instituto de Transformação Digital da Capgemini, estima que um fabricante automotivo poderia atingir uma melhoria de cerca de 40% na sua margem operacional por meio de melhores custos de logística e material, eficácia do equipamento e de qualidade de produção. Como tal, a maioria das empresas industriais já embarcou na digitalização de plantas produtivas para permanecer competitiva.

Geralmente descrita como a pedra estrutural da “Revolução Digital Industrial”, uma fábrica inteligente faz uso de tecnologias digitais, como IoT (Internet das Coisas), big data analytics (análise inteligente de dados), inteligência artificial e robótica avançada, para aumentar produtividade, eficiência e flexibilidade. Os recursos da fábrica inteligente incluem robôs colaborativos, trabalhadores que usam componentes de realidade aumentada e máquinas que enviam alertas quando precisam de manutenção.

A pesquisa, que foi realizada de fevereiro a março de 2017, entrevistou mil executivos que ocupam o cargo de diretoria para cima em empresas de manufatura com uma receita de mais de US$1 bilhão ao ano. A pesquisa foi conduzida em seis setores: manufatura industrial, automotivo e transporte, energia e utilities, aeroespacial e defesa, ciências da vida e produtos farmacêuticos e bens de consumo. Diretores da Alemanha, China, Estados Unidos, França, Índia, Itália, Reino Unido e Suécia responderam entrevistas qualitativas e quantitativas.

Tags, , , ,

Holding familiar como opção de planejamento sucessório – Por Amanda Bogus

Um dos grandes desafios de uma família que acumulou recursos financeiros, em matéria de planejamento sucessório, consiste em garantir a continuidade dos negócios e a preservação do patrimônio consolidado, de modo a proporcionar segurança aos herdeiros, com o seu devido direcionamento, no momento apropriado.

Sobretudo diante de um cenário socioeconômico instável como o atual, é primordial buscar soluções para o melhor gerenciamento do patrimônio familiar, com o intuito de preservá-lo ao longo dos anos e das gerações.

Não há dúvida de que um planejamento cuidadoso é indispensável para a manutenção patrimonial. Neste contexto, a constituição de uma holding familiar pode ser uma boa opção para assegurar a preservação do patrimônio conquistado, evitando os transtornos da sucessão hereditária e oferecendo uma estrutura jurídica apta a reduzir, em conformidade com a legislação, a carga tributária incidente sobre um espólio.

Denomina-se “holding familiar” a sociedade que detém os bens da família e que pode participar de outras sociedades que integrem o patrimônio familiar. Por meio dela, pode uma única entidade controlar boa parte do patrimônio e diversas atividades econômicas de uma família.

O planejamento sucessório é um dos pilares que embasam a constituição de uma holding familiar. Permite que, previamente ao falecimento dos membros de uma família, se determine com cautela a transferência de bens aos herdeiros, adotando-se as medidas mais adequadas à sucessão.

Desta forma, garante-se desde cedo a solidez do patrimônio familiar e seu resguardo contra muitos imprevistos ou vicissitudes, tais como divórcio, falecimento inesperado de um dos membros da família ou desentendimentos entre eles. Além disso, evita-se também a necessidade de inventário ou discussão judicial sobre um eventual testamento, inclusive os decorrentes custos e os tributos aplicáveis, bem como o desgaste com a demora em sua conclusão, uma vez que os respectivos processos podem arrastar-se por anos, especialmente se os herdeiros não chegam a um acordo quanto à distribuição dos bens.

Uma antecipação da sucessão e da solução de questões sucessórias pode ser realizada com a constituição de uma sociedade (holding familiar), cujo capital pode ser integralizado mediante aportes de bens móveis e imóveis que constituem o patrimônio da família. Após integralizadas as quotas da sociedade, os quotistas podem doá-las, ou seja, cedê-las e transferi-las gratuitamente a seus herdeiros, na proporção que considerarem conveniente, respeitando os limites da parte disponível e da legítima.

Para evitar a interferência de terceiros no patrimônio, a doação pode ser gravada com cláusulas restritivas de direito, como, por exemplo, de usufruto, incomunicabilidade, inalienabilidade e reversibilidade.

A reserva de usufruto permite que o doador disponha dos frutos dos bens e os administre enquanto em vida, sendo que o donatário (herdeiro) só poderá fazê-lo ao fim do usufruto, em princípio quando do falecimento do doador.

Por sua vez, a cláusula de incomunicabilidade impede que os bens recebidos pelo donatário sejam repassados, por exemplo, ao seu cônjuge em caso de divórcio ou falecimento. Esta cláusula é pertinente, sobretudo, quando o donatário é casado sob o regime de comunhão de bens, no qual o cônjuge tem direito aos bens recebidos pelo outro por meio de herança ou doação.

Sendo a doação gravada com a inalienabilidade, o bem doado não poderá ser alienado (vendido ou doado) pelo donatário ou penhorado, enquanto vigente a restrição imposta pelo doador.
Por fim, a cláusula de reversibilidade garante que o bem doado retorne ao doador, caso o donatário venha a falecer antes dele.

Ressalte-se ainda que a holding familiar é uma alternativa legal para a redução da carga tributária que incidiria em um processo sucessório “normal”, no âmbito de um inventário ou mesmo, sendo o caso, da abertura de um testamento. Advirta-se, entretanto, que, a fim de garantir a efetividade de tal benefício, faz-se necessária uma análise detalhada de cada caso e a adoção de medidas específicas voltadas a otimizar a organização fiscal do patrimônio particular, por meio de uma racionalização da carga tributária, em consonância com a legislação aplicável.

Amanda Bogus é advogada, bacharel em Direito pela UniCuritiba e pós-graduada em Direito Público pela Escola da Magistratura Federal do Paraná – ESMAFE/PR. Integra o Departamento Societário da Andersen Ballão Advocacia.

WannaCry: a ameaça não acabou – Por Eduardo Bernuy Lopes

Eduardo_B_Lopes_web170525_153959

Lembram do ataque cibernético no último dia 12 de maio que atingiu mais de 345 mil dispositivos em 150 países em cinco dias após o incidente? Estima-se que 97% dos dados as máquinas infectadas foram criptografados, gerando pedidos de resgate. Até esta data, os prejuízos do ransomware somavam mais de US$ 112 mil, o equivalente a cerca de R$ 365 mil e já existem mais de 320 variantes do WannaCrypt original.

Embora o susto aparentemente tenha passado e os infectados já tenham retomado suas atividades, o que a maioria não sabe é que o dano poderia ser muito maior. A quantidade de dados vazados pela NSA equivale a mais 8 ataques, além do que ocorreu no dia 12 de maio. Assustador, não?

Entretanto, o que é mais espantoso é o despreparo das empresas em relação a este tipo de incidente, uma vez que novas vulnerabilidades são descobertas, disponibilizadas e até comercializadas diariamente. Além disso, não é novidade para ninguém que todos os dias surgem ameaças cada vez mais avançadas.

O WannaCry ou WannaCrypt surgiu a partir de uma invasão realizada em 2016 na Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana. O grupo de hackers Shadow Brokers alegou o roubo da “suíte” de invasão apelidada de FuzzBunch, que possuía o EternalBlue, desenvolvido em 2013 e usado pela NSA para espionagens em ambientes com sistemas operacionais da Microsoft. Diversas fontes afirmam que foram localizados links do malware com a Coreia do Norte. O EternalBlue serviu de base para a criação do WannaCry, porém outras ferramentas do tipo também estavam no “pacote” invadido pelo grupo hacker.

Ainda em 2016, o Shadow Brokers publicou na deep web um leilão do ransomware WannaCry, com o EternalBlue incorporado em seu código fonte, com a proposta de 1 milhão de Bitcoins. Sem sucesso, em janeiro de 2017 foi realizada uma nova oferta de ferramentas de espionagem exclusivas para sistemas Windows, incluindo o WannaCry. Desta vez o valor chegava a 100 Bitcoins (US$ 80 mil).

Ao descobrir a vulnerabilidade, a Microsoft disponibilizou diversas atualizações de segurança em março de 2017. A instalação do patch e atualização do sistema teriam evitado a infecção nas máquinas atingidas. Entretanto, as atualizações para as versões Windows XP, 8 Server 2003 e 2008 só foram disponibilizadas em 13 de maio.

O que também muita gente não sabe é que as primeiras infecções causadas pelo WannaCry foram feitas por meio de redes BOTNET que realizavam varreduras em IPs da internet a fim de verificar vulnerabilidades em relação ao patch de segurança disponibilizado pela Microsoft em março deste ano, sem precisar da interação “humana” como por exemplo ataques de phishing. Após contaminar a máquina, o malware se encarrega de localizar outras máquinas vulneráveis na mesma rede e propaga o vírus.

Apesar de todo o histórico, as infecções ocorreram por falhas simples de segurança, que poderiam ter sido evitadas com a atualizações constantes do sistema operacional e aplicativos, além da implantação de políticas de segurança mais assertivas. A falta de atenção quanto a e-mails e programas maliciosos, algo que é utilizado há tanto tempo pelos invasores, revela que a proteção dos dados precisa ser levada mais a sério por usuários e empresas.

Para quem ainda não se protegeu, mas se safou do ataque, é fundamental instalar todas as atualizações disponibilizadas pela Microsoft, antivírus e demais programas utilizados. Outra dica é usar o firewall de forma mais inteligente, desabilitando o protocolo SMB das máquinas com o auxílio deste tutorial. Se o sistema operacional utilizado não possui mais suporte, é possível instalar os patchs de segurança emergenciais disponibilizados pela Microsoft. Se você foi atingido, garanta que o dispositivo infectado seja formatado antes de restaurar o backup dos dados, caso tenha. No caso de empresas, além de todas estas ações, recomenda-se a manutenção constante de toda a rede por profissionais ou empresas confiáveis que avaliem todos os gargalos a fim de implementar as melhores soluções de acordo com a necessidade de cada negócio.

Os ataques só são bem sucedidos porque recomendações teoricamente óbvias como estas não são seguidas por empresas e usuários. Que tal dar mais atenção a segurança dos seus dados desde já? Os ataques não possuem aviso prévio. Vai esperar pelo próximo?

Eduardo Bernuy Lopes, Gerente de Segurança da Informação da REDBELT

Tags, ,