Page

Author admin

Banco Fibra abre vagas para diversas áreas de atuação

As oportunidades são para atuar na matriz de São Paulo, com possibilidade de regime remoto parcial

Dando continuidade ao crescimento que o Banco Fibra vem apresentando nos últimos anos, a instituição – que há 33 anos oferece serviços financeiros para o público de atacado – anuncia a abertura de 40 vagas para diferentes áreas: Comercial, Crédito, Produtos, Operações, Tecnologia, Novos Negócios, Riscos, Dados, Jurídico e outras.

Para atuar na matriz de São Paulo com possibilidade de regime remoto parcial, as oportunidades podem ser acessadas por meio da página de carreiras do banco: https://bancofibra.gupy.io/. Segundo a Superintendente de Pessoas, Maria Inês Pastori, o Fibra oferece a todos os colaboradores admitidos oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional.

“Valorizamos as relações de confiança, transparência e proatividade de nossos colaboradores em busca da melhor solução para nossos clientes”, declara Maria Inês. Certificada pelo Great Place to Work pelo 4ª ano seguido, o Banco Fibra leva em consideração em seus processos seletivos critérios de equidade e inclusão de profissionais com diversidade de gênero, raça, religião, orientação sexual, deficiência e idade. Para este ano, metade das vagas serão destinadas a mulheres, reafirmando um importante compromisso assumido pela instituição: a busca pela equidade de gênero.

Entre os benefícios oferecidos estão remuneração compatível com o mercado financeiro, vale-refeição e vale-alimentação, vale-transporte, participação nos lucros (PLR), assistência médica, assistência odontológica, auxílio-creche/babá/filhos com deficiência, extensão da licença maternidade e paternidade, vacinação anual antigripal folga aniversário e outros.

Tags

Nexoos abrirá mais de 40 oportunidades de trabalho

A Nexoos, fintech de crédito para Pequenas e Médias Empresas (PMEs), adquirida pela Ame Digital em maio deste ano, anuncia a abertura de mais de 40 vagas de trabalho para início em até três meses. As inscrições já estão abertas no link https://nexoos.gupy.io/, com processo seletivo que, dependendo da vaga, pode ser realizado inteiramente de forma online.

As oportunidades são para diferentes áreas da empresa. A maior parte delas será para Produto e Tecnologia, outras serão disponibilizadas para as áreas de Dados, Crédito, LGPD & Segurança da Informação, Marketing, Operações e Finanças. As vagas são efetivas, mas também é possível se inscrever para estágio ou para o banco de talentos. Sempre buscando quem possui tecnologia no DNA e deseja participar do crescimento acelerado de uma das fintechs que mais crescem no Brasil, em um ambiente dinâmico, colaborativo e inovador para se aperfeiçoar e se desenvolver como profissional, recebendo feedbacks frequentes e individuais de todas as áreas relacionadas, seguindo a cultura Nexoos .

A empresa oferece salário e benefícios compatíveis com o mercado, além de benefícios como Gympass em mais de 18 mil academias no Brasil, POSHER Benefícios In-Company com uma diversidade de serviços online (como aulas de yoga, pilates, mindfulness, consultas com nutricionistas e psicólogos, aulas de inglês, espanhol) para aumentar o nível de bem-estar, plano de saúde, auxílio creche, vale-transporte e Cartão de Crédito Caju, que dá a liberdade para o colaborador fazer o que quiser com o seu Vale Refeição.

Tags

Franchising tem recuperação no 2º Tri e se aproxima de níveis pré-pandemia, aponta pesquisa da ABF

O setor de franquias apresentou recuperação no 2º trimestre deste ano, mantendo assim sua trajetória rumo a níveis pré-pandemia, indica a Pesquisa Trimestral de Desempenho realizada pela ABF – Associação Brasileira de Franchising. Segundo o estudo, feito em parceria com a empresa de pesquisas AGP, o faturamento no 2º tri de 2019 foi de R﹩ 43,122 bilhões, passou a R﹩ 27,720 bilhões no ano passado e chegou a R﹩ 41,140 bilhões de abril a junho deste ano. A variação foi de -35,7% de 2019 para 2020 e de +48,4% para 2021. A receita do franchising mostra, portanto, recuperação significativa no trimestre pesquisado, quando comparado ao ápice dos efeitos da pandemia (em 2020).

O avanço da imunização da população e a consequente diminuição das medidas de distanciamento social que possibilita o funcionamento dos serviços não essenciais em horário mais amplo, somado à melhora da economia de forma geral foram os principais impulsionadores da recuperação. Além disso, outros fatores, como a digitalização dos canais de venda e a alta dos índices de confiança empresarial e do consumidor também refletiram no desempenho positivo das franquias.

FATURAMENTO 2°TRI DE 2021

Já no acumulado dos últimos 12 meses, a pesquisa mostra que o setor de franquias apresentou uma variação positiva de 4,4% em sua receita, com um avanço de R﹩ 171,426 bilhões para R﹩ 178,950 bilhões.

FATURAMENTO 12 MESES ACUMULADO

“Essa nova pesquisa corrobora dois movimentos importantes: com a abertura mais ampla do comércio, principalmente dos shoppings, o consumidor vem paulatinamente retomando seus hábitos, alavancando o desempenho das franquias. Por outro lado, as iniciativas de ajuste e digitalização tomadas pelas redes por causa do pico da pandemia continuam a se mostrar efetivas, visto o caso do delivery que mantém níveis elevados. É importante levar em consideração também que em alguns segmentos, como Turismo e Alimentação Fora do Lar, há muita demanda reprimida e mudanças na sazonalidade, de forma que vamos acompanhar de perto o comportamento do setor nos próximos trimestres para ter um quadro mais amplo. Até o momento, mantemos a perspectiva de uma recuperação robusta e uma expansão de cerca de 8% ao final de 2021”, afirma André Friedheim, presidente da ABF.

De acordo com a pesquisa, o setor totalizou 1.292.034 trabalhadores diretos nos meses de abril, maio e junho, ante 1.302.338 no primeiro trimestre, números estatisticamente muito próximos que indicam mais uma estabilidade do que uma redução significativa. Além disso, é impotante notar que o volume do 2º tri de 2021 continua superior ao registrado ao final de 2020. “O franchising tem lutado para manter os empregos, mas diante do cenário ainda desafiador e com incertezas, é preciso que haja avanços na reforma tributária, que inclua a desoneração da folha de pagamento para que o setor também avance na geração de emprego e renda”, ressalta o presidente da ABF.

Quanto ao movimento de abertura e fechamento de unidades, a pesquisa da ABF também traz dados positivos. O levantamento apontou que foram abertas 3,9% unidades nesse 2º tri frente a 1,2% no mesmo período de 2020; fechadas 1,7% contra 4,4% operações, resultando num saldo de +2,2%. O repasse de unidades foi de 0,4% para 0,8% no período, revelando que essa estratégia de manutenção dos pontos comerciais por parte das redes está voltando também a patamares pré-pandemia.

As vendas por canal entre as redes pesquisadas tiveram um incremento nos aplicativos de delivery, subindo de 2,1% para 6,4%. Já via e-commerce e WhatsApp, decresceram, de 2,9% para 1,8%, e de 1,7% para 0,7%, respectivamente. Quanto às vendas pelas unidades franqueadas o salto foi de 73,6% para 78,6% no período.

O estudo indica também alta da adoção do e-commerce como canal de venda pelas franquias, utilizado por 69,7% delas no ano passado e por 72,2% neste, enquanto que a participação dos franqueados nas vendas por este canal teve uma pequena oscilação para baixo, passando de 91,6% para 90,4% no mesmo período.

“Na nossa avaliação, esses dados já refletem uma retomada das vendas presenciais, por isso a menor participação das lojas próprias e alguns canais digitais, com exceção do Delivery. O aprendizado, porém, fica, sendo mais um canal e ser desenvolvido na grande maioria das redes”, afirma Silvana Buzzi, diretora executiva da ABF.

É interesse notar também que a pesquisa detectou um “descasamento” de percepção em relação à necessidade de medidas de apoio neste momento. A necessidade de retomar as vendas e treinar a equipe continuam na frente de forma geral, mas os franqueados passaram a apontar mais as demandas por crédito, melhores condições de locação e carência para pagamento de empréstimos, como mostra o gráfico.

“Com a quase eliminação das restrições e a recuperação das vendas, a prioridade passou a incluir também ‘arrumar a casa’, acertando as finanças e renegociando contratos, especialmente o de aluguel, que continua a ser um custo muito importante, principalmente nos shoppings. Nesse sentido, a ABF atuou fortemente, orientando seus associados em negociações e contratos e defendendo que o IGP-M não é o índice mais adequado para reajustar essas relações comerciais”, disse André Friedheim.

Desempenho dos segmentos

Os mais impactados pela pandemia, Entretenimento e Lazer e Hotelaria e Turismo começaram sua recuperação nos meses pesquisados, com variações positivas superiores a 800% e 400%, respectivamente.. Ambos foram beneficiados por medidas como a reabertura das atividades econômicas não essenciais e o avanço da vacinação, além de forte demanda reprimida. É importante ressaltar, porém, que esse resultado foi conseguido em relação a uma base muito deprimida no 2º tri de 2020. Moda, outro segmento também entre os mais impactados pelas medidas restritivas, foi o terceiro com melhor desempenho, com alta de 178,2%. Além dos fatores já mencionados, o maior funcionamento e movimento nos shoppings, bem como a retomada da vida social, concorreram para este desempenho. Alimentação – Comércio e Distribuição, com 71,3%, e Food Service, com 47,8% – também se destacaram. Limpeza e Conservação, com 61,9% e Casa e Construção, com 41,8%, vêm na sequência.

Para Friedheim, “cabe aqui destacar o caso do segmento de Casa e Construção que já havia apresentado ótimos desempenhos em 2020 e no primeiro trimestre de 2021, ainda alavancado por investimentos no lar e hábitos mais caseiros dos consumidores. Essas redes de fato vêm apresentando um crescimento expressivo, mostrando um mercado de grande oportunidade e resiliência para o nosso setor. Já Limpeza e Conservação representa bem a recuperação de serviços – também detectada em indicadores macroeconômicos – e que também chegou a segmentos como o de Serviços Automotivos. Essas redes costumam ser uma alternativa importante de renda e ocupação, além de gerar empregos na ponta”.

Na comparação 2º tri 2021 versus 2º tri 2019, já aparecem também com sinais positivos os segmentos de Serviços e Outros Negócios, Serviços Automotivos e Comunicação, Informática e Eletrônicos.

Observando-se o desempenho dos segmentos nos 12 últimos meses, Casa e Construção, com crescimento de 33,0%, e Saúde, Beleza e Bem-Estar, 11,8%, são os principais destaques.

FATURAMENTO POR SEGMENTO ÚLTIMOS 12 MESES

Neste levantamento, a ABF apurou dados inéditos a respeito da adoção do modelo de Dark kitchens (unidades que operam só com delivery) pelas redes do segmento de Alimentação. Enquanto 42,6% das marcas pesquisadas não têm interesse nesse formato, 24,6% planejam adotá-lo. Dentre as redes que atualmente operam com Dark Kitchens, essas unidades representam 7,2% do faturamento. As franqueadoras projetam que essa participação pode chegar a 13,5% da receita no horizonte de seis meses.

“As redes de franquias estão, com muito esforço, profissionalismo e ganhos de eficiência, superando esse período desafiador. O ecossistema de franquias certamente sairá dele mais forte e mais bem preparado para os novos desafios que virão”, conclui o presidente da ABF.

Metodologia

A Pesquisa de Desempenho Trimestral referente ao período de abril a junho de 2021 envolveu uma base amostral com 280 redes respondentes que representam cerca 29,9% das unidades e 36,6% do faturamento do setor. Abrangendo o mercado como um todo, inclusive não associados, os números do desempenho do setor de franchising são apurados em pesquisa por amostragem, cruzados com levantamentos feitos por entidades representantes de setores correlatos ao sistema de franquias, órgãos de governo, instituições parceiras e de ensino. Auditados por empresa independente, os dados divulgados pela ABF são referência para órgãos governamentais de diversas esferas, entidades internacionais do franchising, como World Franchise Council (WFC), Federação Ibero-americana de Franquias (FIAF) e instituições financeiras.

Márcio Girão assume presidência da ConTIC com desafio de ampliar participação da entidade

O engenheiro Márcio Ellery Girão Barroso é o novo presidente da Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação (ConTIC). Girão assumiu o cargo que era ocupado por Vivien Mello Suruagy.

A ConTIC reúne as principais empresas brasileiras nas áreas de serviços de Telecomunicações, internet, construção de Infraestrutura de Redes de telecomunicações e Tecnologia da Informação.

“A confederação exerce um papel importante do ponto de vista de representação na sociedade de um segmento tão importante como o de tecnologia da informação e comunicação. A ConTIC tem um grande capital intelectual capaz de contribuir para o desenvolvimento do país. Não existe país que não tenha nas TICs como principal insumo de apoio ao desenvolvimento”, afirmou.

“Onde estaríamos na pandemia sem as telecomunicações? Felizmente as telecomunicações no Brasil tem um grau de qualidade altíssimo e nossa contribuição tem sido muito importante nisso”.

Girão assume a entidade com o desafio de acompanhar a chegada do 5G no Brasil. Os desafios da nova tecnológica exigirão educação e qualificação profissional. Para ajudar a preparar os futuros profissionais para esse novo mercado de trabalho, a ConTIC e o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) lançaram recentemente uma parceria para aproximar docentes e estudantes do mercado de tecnologia da informação e comunicação (TICs). O objetivo é ajudar a formar mão de obra capacitada e preparada para as transformações do novo mercado de trabalho e para a revolução tecnológica que já estamos experimentando, inclusive a que chegará com o 5G.

Outro ponto que deve ser prioridade na gestão é o avanço do projeto de lei 10.762/2018, que cria o Serviço Social e Serviço de Aprendizagem da Tecnologia da Informação e Comunicação (SETIC) para a promoção social e aprendizagem de trabalhadores do setor, tanto nas próprias empresas de TIC, quanto nas empresas e indústria em geral que têm nas TICs um de seus principais insumos tecnológicos.

Girão citou ainda, como desafio da sua gestão, a integração das federações que compõem a ConTIC e a ampliação da parceria com outras entidades setoriais.

Girão é graduado em Engenharia Civil pela Universidade de São Paulo, representa a Fenainfo na Contic e também atua como presidente do Clube de Engenharia.

SAP NOW Brasil 2021 discute caminhos para empresa inteligente, conectividade e sustentabilidade

Começa nesta terça-feira (14/09) mais uma edição do SAP NOW BRASIL com uma programação que inclui keynotes com as principais lideranças da SAP no mundo e no Brasil, palestras e painéis com clientes que vêm utilizando as soluções da SAP para crescer em seus mercados, ganhar competitividade e inovar constantemente. O evento, que chega à 26ª edição e mais uma vez terá formato 100% digital, traz como tema “Empresas inteligentes em rede em um mundo em transformação”.

Adriana Aroulho, presidente da SAP Brasil, vai conversar com clientes que escolheram a oferta RISE with SAP. Sob o modelo de assinatura, a oferta tem apenas um contrato para gerenciar acordo de nível de serviço, operações e suporte, tendo como centro o ERP de última geração S/4HANA, em sua versão na nuvem.

O evento brasileiro vai reforçar alguns dos anúncios globais da última edição do SAPPHIRE NOW, aterrissando os principais benefícios da SAP Business Network, rede de negócios que reúne Ariba Network, SAP Logistics Business Network e SAP Asset Intelligence Network. O objetivo é incentivar as empresas a formarem comunidades de negócios nas quais seus membros e cadeias de suprimentos possam se conectar facilmente, tudo com a máxima transparência e rastreabilidade absoluta.

A presidente da SAP Brasil ressalta que toda empresa hoje é uma empresa de tecnologia. Afinal, as companhias precisam avaliar cenários e agir rapidamente de acordo com as necessidades de seus clientes, parceiros e funcionários. Tudo isso em um mundo sob mudanças ambientais extremas, sensibilizado por uma pandemia e movido por iniciativas sociais que exigem mais diversidade e inclusão e igualdade de oportunidades. 

“Todos esses temas estarão contemplados nesta edição do SAP NOW Brasil, em que vamos interagir com empresas que estão usando muito bem a tecnologia para enfrentar essa hiperaceleração que vivemos. Elas têm obtido muitos bons resultados para seus negócios e impactado positivamente a sociedade”, resume Adriana.

O conteúdo do evento foi estruturado para contemplar três temas cada vez mais centrais para o sucesso dos negócios: ESG e como incorporar dados financeiros, operacionais e de experiência para impulsionar os processos, garantindo sustentabilidade em escala; Empresas Inteligentes em rede, sobre a importância do network de toda a cadeia, criando novos valores aos negócios do ecossistema; e a Digitalização de negócios críticos, tratando dos processos essenciais que exigem uma nova abordagem tecnológica para continuar gerando resultados eficientes na nova dinâmica dos mercados.

A temática ESG estará presente em momentos distintos do evento, como na sessão com a Votorantim Cimentos sobre “Protagonismo do ESG no Procurement e a busca por maior sustentabilidade”, ou na participação do Hospital Sírio-Libanês, que discute “A revolução digital e inovação na saúde a favor do indivíduo com o suporte da digitalização dos processos, computação em nuvem, redes colaborativas, ESG e inovação”.

O case com a Siderúrgica Ternium compartilha o modelo de cadeia de valor sustentável, focada na gestão de saúde, segurança e meio ambiente. O  tema da governança é  foco na sessão sobre estratégia nos processos da Natura.

Nas sessões da manhã, o tom será inspiracional, com os keynotes com as principais lideranças da SAP somados a bate-papos descontraídos com clientes. A tecnologia estará sempre no centro, como uma aliada para impulsionar crescimento e inovação.

Confira a agenda de Keynotes e Palestras

14 de setembro – terça-feira

9h – Abertura – Inspirações da nova cultura digital no século 21, com Adriana Aroulho, Presidente da SAP Brasil

9h30 – Muito além do petshop: a revolução da “Pet Experience”, com Marcio Waldman, CEO da Petlove e Adriana Aroulho

9h40 – Vulnerabilidade no mundo dos negócios: o ser humano na base da estratégia, com Marcelo Noll, Fundador da Labi Exames e Geraldo Rufino, Fundador da JR Diesel e Rui Botelho, COO da SAP Brasil

10h05 – De global para global: as perspectivas da digitalização, com João Schmidt, Presidente da Votorantim e Scott Russell, Membro do Conselho Executivo da SAP SE

15 de setembro – quarta-feira

9h – Abertura -A hora é agora: a sustentabilidade é um imperativo para os negócios, com Cristina Palmaka, Presidente da SAP América Latina e Caribe

9h20 – Como o “mundo por ser mais bonito” na visão da Natura&Co com Roberto Marques, CEO da NaturaCristina Palmaka e Adriana Aroulho

9h50 – Mudando o patamar da geração de energia no Brasil, com José Renato Domingues, VP Corporativo da CTG Brasil e Cristina Palmaka

10h10 – Sustentabilidade: Um imperativo, não uma tendência, com Julia White, Chief Marketing and Solutions Officer e Membro do Board Executivo da SAP Global

10h50 – Guardiões do futuro: toda ação conta para preservação da vida com Luciana Coen, diretora de comunicação e CSR da SAP Brasil, o ator Marcos Palmeira e Oskar Metsavat, designer de moda e ‘guardião da Amazonia’

No período da tarde, as trilhas de conteúdo do SAP NOW Brasil 2021 cobrem todos os processos da Empresa Inteligente

O conteúdo das tardes estará dividido em trilhas contemplando os temas de empresas Inteligentes; empresas em Crescimento; tecnologia e plataforma; gestão e cadeia de suprimentos; contabilidade, financeiro e gestão de impostos; indústrias; CRM – experiência do cliente; rede e gestão de despesas; RH e engajamento de pessoas e Mundo SAP. Link para a agenda completa.

O encerramento será feito com show da cantora Luciana Mello. Para se cadastrar e receber mais informações sobre o SAP NOW 2021, acesse o site do SAP NOW Brasil 2021.

Tags

Microsoft abre inscrições para terceira turma do programa Black Women in Tech

Nesta segunda-feira, 13 de setembro, a Microsoft abre inscrições para a terceira turma do Black Women in Tech, programa de capacitação com foco na formação de mulheres negras para o mercado de tecnologia. O projeto, idealizado e liderado pelos grupos de colaboradores da Microsoft e voluntários dos pilares de Diversidade e Inclusão da empresa – WAM (Women at Microsoft) e o BAM (Blacks at Microsoft) – visa a diminuir a lacuna de profissionais especializados em tecnologia, bem como ampliar a igualdade de gênero e racial no segmento. As interessadas devem preencher o formulário até 19 de setembro pelo site: Black Women in Tech Microsoft (office.com).    

Ao todo, serão 50 vagas para mulheres pretas e pardas participarem de mentorias técnicas e gratuitas, focadas em tecnologia e nas certificações técnicas em Fundamentos do Microsoft Azure (AZ-900) e Fundamentos de Segurança (SC-900). Além disso, o projeto também oferecerá módulos focados em soft skills, desenvolvimento de carreira e inglês básico. Ao final das mentorias, as selecionadas receberão vouchers para realizar os exames de certificações da Microsoft em AZ-900 e SC-900. As aulas se iniciam no dia 27 de setembro e serão realizadas até o dia 22 de dezembro. A formatura e cerimônia de encerramento acontecem no último dia de curso.  

Para concorrer a uma das vagas, as candidatas deverão participar de um desafio virtual chamado Cloud Skill Challenge  via Microsoft Learn, plataforma de aprendizado on-line gratuita, além de preencher um questionário de inscrição. O critério prévio para a seleção das candidatas é ter mais de 18 anos, se autodeclarar preta ou parda e cumprir os requisitos do preenchimento do questionário, que será enviado para as candidatas por e-mail. As formandas também participarão da feira de empregabilidade promovida pela Microsoft, na qual conectará as profissionais às empresas parceiras da companhia, com o objetivo de fortalecer o networking para oportunidades de trabalho.  

Com o Black Women in Tech, a Microsoft tem o objetivo de levar ensino técnico de qualidade para que mulheres pretas e pardas possam alavancar suas carreiras em tecnologia. Todos os mentores são funcionários da Microsoft, membros ou aliados das iniciativas e grupos de Diversidade, que disponibilizam seu tempo voluntariamente. A primeira edição do Black Women in Tech resultou em 26 mulheres formadas. Já a segunda turma, formou 35 mulheres. Para se cadastrar, acesse o site oficial do Black Women in Tech.  

Programa de Estágio da 3M oferece 50 vagas para diversas áreas

A 3M, multinacional de tecnologia diversificada, acaba de lançar seu Programa de Estágio 2022, em busca de universitários de diversas áreas no Sudeste e Norte do País. As inscrições devem ser feitas por meio do site de carreiras da empresa ou pelo link https://tinyurl.com/ydov7qk9 até o dia 30 de setembro.

O programa deve ser iniciado em janeiro de 2022, com duração de até 2 anos, sendo 30 horas semanais no formato 100% remoto. No entanto, é importante que os selecionados tenham flexibilidade para estagiar presencialmente nas unidades da empresa em Ribeirão Preto, Itapetininga e Sumaré, no interior de São Paulo, ou Manaus, no Amazonas, caso seja necessário.

A empresa oferece 50 vagas para todas as áreas, especialmente de Recursos Humanos, Jurídico, Engenharia, Negócios, Marketing, Logística e Finanças. Além da remuneração salarial, os estudantes terão plano de saúde, férias remuneradas e o custeio do pacote residencial de internet enquanto estiverem estagiando remotamente. Não há pré-requisito de ano letivo para participar do processo seletivo.

“Há décadas a 3M realiza seu Programa de Estágio no Brasil. Estamos sempre buscando originalidade que traga soluções eficazes às demandas da empresa e, os estagiários, sejam eles jovens ou mais maduros, têm esse perfil. Além disso, a experiência de trabalhar em uma empresa da dimensão da 3M é um desafio que enriquece significativamente o desenvolvimento dos estudantes”, afirma Heloísa Pires Vituzzo, líder de Talent Acquisition da 3M para a América Latina.

A empresa possui um banco de talentos atualizado acessado frequentemente pelas equipes de recrutadores das áreas. “É comum, inclusive, contratarmos pessoas que, no passado, já fizeram estágio conosco”, finaliza Naiara Silva, especialista de Employer Branding da 3M para América Latina.

Dootax apresenta case de automação fiscal no SAP NOW 2021

Como um dos destaques do evento que reúne as empresas mais inteligentes do mundo, a startup que otimiza as rotinas fiscais mostra case de integração com a versão SAP/4HANA para a Riachuelo

A Dootax , startup que otimiza e simplifica as rotinas fiscais, participa da 26ª edição do SAP NOW, que acontece de 14 a 15 de setembro, em versão 100% online. Apresentando empresas inteligentes em um mundo de transformação, os temas do evento são direcionados a produtos, cases de clientes e ao usuário que consome a tecnologia da SAP.

No evento, a startup apresentará o case de integração com a versão S/4HANA, para a Riachuelo, uma das principais varejistas do Brasil que está passando por um grande projeto de modernização de processos, com o objetivo de ter ganho operacional, efetividade e qualidade nos sistemas.

A integração com a Dootax como solução para a área fiscal, tem o intuito de deixar as tarefas mais gerenciais e menos manuais e todos os detalhes serão apresentados no evento por Thiago Souza, co-fundador e gerente de marketing da Dootax e Denis Pavin, gerente de TI do grupo Guararapes.

A versão S/4HANA é um sistema de planejamento de recursos empresariais (ERP) completo com tecnologias inteligentes integradas, incluindo IA, Machine Learning e funções analíticas avançadas.

Além das apresentações, o público poderá interagir com os palestrantes. Assuntos como ESG, digitalização de negócios críticos – processos essenciais exigem uma nova abordagem da tecnologia para continuarem gerando resultados eficientes na nova dinâmica do mercado – , serão abordados com o objetivo de trazer insights para impulsionar a transformação digital. As inscrições podem ser feitas no link .

Tags

Asaas compra Code Money e reforça sistema de Buy Now, Pay Later no Brasil

Com a segunda aquisição de 2021, fintech focada em micro e pequenas empresas pretende ampliar suas soluções para os consumidores finais, permitindo que eles financiem suas cobranças.  

A fintech catarinense Asaas adquiriu a startup Code Money, uma carteira digital para pessoas físicas com foco em transações financeiras, transferências peer to peer e financiamento de boletos. Até então com serviços focados em micro e pequenos empreendedores, o Asaas deve passar a entregar novas soluções financeiras também para os pagadores de seus clientes, os consumidores finais. O principal deles será o serviço de Buy Now, Pay Later, que permitirá o financiamento de cobranças.

“Esse modelo de negócios está em ascensão em todo o mundo e, apesar do grande potencial de crescimento no Brasil, ainda não é muito explorado por aqui. Queremos aproveitar essa oportunidade e dar início ao movimento, oferecendo crédito aos milhões de pagadores que acessam a plataforma do Asaas mensalmente”, enfatiza o CEO do Asaas, Piero Contezini.

A fintech também espera criar um canal de relacionamento adicional entre as empresas que utilizam a plataforma e os seus clientes, aprimorando a experiência na compra e venda de produtos e serviços intermediadas pelo Asaas. Hoje, a startup atende mais de 80 mil usuários em cerca de 2 mil cidades espalhadas por todos os estados do Brasil.

Para o fundador e CEO da Code Money, Júnior Beltrão, a negociação é parte importante do propósito do Asaas em contribuir com o dia a dia de seus clientes, aumentando a eficiência operacional por meio de fluxos automatizados. “Com a aquisição da Code Money, essa atuação será beneficiada com a entrega de soluções financeiras para mais uma parte da cadeia, os usuários finais, ou pagadores, como são conhecidos dentro do Asaas”, complementa o fundador da empresa recém-adquirida.  

Com a compra, a Code Money passa a ser um produto dentro da operação Asaas e deverá ganhar um novo nome e posicionamento nos próximos meses. Os fundadores, Júnior Beltrão e Thuran Crespi, passam a integrar o quadro de executivos e acionistas da fintech.

Formado em Marketing, pós-graduado em Gestão Estratégica, Doutor em Antropologia e sócio de uma agência de publicidade catarinense, Beltrão irá assumir a Diretoria de Marketing do Asaas, sendo responsável pela estratégia acelerada de go-to-market. Já Crespi ficará na liderança técnica do produto Code Money, com o objetivo de utilizar rapidamente a infraestrutura de BaaS (Banking as a Service) do Asaas para gerar mais funcionalidades para seus usuários, além de impulsionar a adesão dos pagadores Asaas à carteira digital.

A Code Money foi fundada em 2017, na cidade de Brusque (SC), e se mudou para a capital catarinense Florianópolis em 2019 por questões estratégicas e de capital intelectual. Fora os fundadores, a empresa também tinha sete acionistas minoritários, provenientes de duas rodadas de investimento, que tiveram sua participação comprada durante a aquisição. Um deles também era investidor do Asaas, o que colaborou com o processo de compra. 

Segunda aquisição do Asaas no ano 

A aquisição da Code Money é a segunda realizada pelo Asaas em 2021. Em maio, a empresa já havia anunciado a compra de uma startup de ERP SaaS, que teve como objetivo adicionar funcionalidades de gestão financeira ao portfólio da fintech. 

A estratégia de aquisições faz parte do plano de se tornar um super app do empreendedor com uma categoria própria e inovadora, batizada de Entrepreneur Assistant — Assistente do Empreendedor. “Essa idéia é resultado da convergência dos segmentos de negócios da área financeira e de tecnologia, que estão sendo disrompidos pela hiper-conectividade, convergência da informação e inteligência artificial”, afirma o CEO do Asaas. 

Além das aquisições, o Asaas vem apostando em uma série de ações para crescimento, fortalecidas desde o início da pandemia, quando seu principal público — autônomos e micro e pequenos empreendedores — passou por uma digitalização acelerada. As principais novidades neste ano foram os lançamentos de um cartão de crédito e do Pix e a homologação do Banco Central como 31ª instituição de pagamentos autorizada do país. As estratégias têm apoio do aporte recebido pelo Asaas no fim de 2020, uma rodada de R$37 milhões liderada pelo fundo de investimento Inovabra Ventures, braço de venture capital do Bradesco. 

Buscando aumentar a oferta de produtos para os seus clientes, o Asaas também deve anunciar em breve uma nova captação de investimento. Para 2021, a meta da fintech é atingir mais de 100 mil clientes e alcançar R$6 bilhões em volume total transacionado em sua plataforma.

Ondas Exponenciais e Resiliência Digital

Por Rodolfo Fücher, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Software

O título deste artigo retrata o novo normal, onde o normal é o não normal. A tecnologia troca de lado, deixa de ser causa para virar efeito ou consequência. Em um momento, a tecnologia é responsável por alimentar a onda da disrupção, em um outro, passa a ser o salva vidas. Fatores externos, como a pandemia, tornam-se verdadeiros tsunamis, tirando mercados do nosso alcance e levando os negócios a capotarem. Mas, em qualquer situação, a tecnologia passou a desempenhar um papel fundamental para a sobrevivência dos negócios e foi, de vilã, transformada em heroína.

As “ondas exponenciais” passam a ser presentes, intensas e inesperadas, desfazem cadeias globais de valor, mudam hábitos e práticas de empresas e pessoas, e reforçam a necessidade premente de trabalhar sob a resiliência do digital. Fica claro distinguir os que estavam atentos às novas tecnologias e os que não estavam. Não há mais espaço para desatentos. Três tipos passam a existir: aqueles que se afogam, aqueles que capotam mas sobrevivem (como dizem: tomam um “caldo”), e os que surfam a onda. A pergunta é simples: qual deles você quer ser? A resposta é fácil, mas estar preparado para surfar a onda requer muita dedicação e experimento. Aprender com os erros e acertos de outros pode ser um dos caminhos. Um modelo recentemente muito procurado é o da inovação aberta, forma barata e de baixo risco, mesmo em segmentos tradicionais, em que inovar é também fator de sobrevivência, como alimentação, construção, financeiro entre outros.

O que mais pode acontecer? Difícil responder. Mas muitos especialistas dizem que precisamos mudar os nossos hábitos se queremos continuar vivendo neste planeta Terra. Em 2050, seremos 10 bilhões de pessoas, convivendo em apenas 20% do globo terrestre – parte habitável e produtiva. Segundo o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), o número ideal de habitantes que a terra conseguiria abrigar de forma sustentável seria entre 1,5 a 3 bilhões de pessoas. Hoje já existem diversas startups ao redor do mundo pesquisando como produzir carne animal em laboratório com base em célula tronco, outras desenvolvendo carne vegetal com o objetivo de reduzir drasticamente o impacto ambiental na produção animal. Agora, imagine um produtor de proteína animal, com milhões investidos em espaço e produção, quando em Singapura descobrem uma forma de produzir carne vegetal de frango e a base de célula tronco, de forma rápida, saborosa, nutritiva, sem impacto ambiental, sem necessidade de grandes galpões e etc… isso não está longe de acontecer nesta cidade-estado do continente asiático. E por uma razão muito simples: acabam de aprovar uma lei permitindo a produção de venda de carne a base de célula tronco .

Nessa busca frenética por inovar, estar preparado para surfar a onda, criar novas oportunidades, novas fontes de renda, novos modelos de negócio, como os inúmeros aplicativos conhecidos como gig economy que nos países da União Europeia geram renda para cerca de 1/3 da população, podemos encontrar um poderoso inimigo: a regulamentação. Com o poder de um tsunami, ela pode aniquilar modelos de negócios e milhares de novas oportunidades. A questão tributária é a pior das piores placas tectônicas, qualquer movimento sem o devido debate eleva ainda mais o risco de se fazer negócios no Brasil, onde até o passado é incerto. Certamente estaríamos na idade da pedra caso a mais de 5 mil anos fosse publicado uma lei proibindo as mais diversas aplicações do fogo e da roda devido seus potenciais riscos.

Ainda há um outro elemento extremamente importante para surfar a próxima onda: fator humano. Identificar e preparar as habilidades e competências necessárias torna-se vital. Conhecer novas tecnologias e tendências passou a ser fundamental para qualquer colaborador de qualquer empresa. Há empresas treinando todos os funcionários em inteligência artificial, assim eles podem contribuir para a melhoria de processos e novos modelos.

Para refletir mais sobre estes pontos e ajudar empresas a alcançarem a resiliência digital e surfar a próxima onda exponencial, o ABES Conference 2021 ” Ondas Exponenciais, Resiliência Digital ” promove debates nos dias 14, 15 e 16 de setembro. Serão três dias de trocas de expectativas e experiências. No primeiro dia, o tema é a resiliência digital. No segundo, o foco é o ambiente de negócios e as transformações regulatórias necessárias para a economia digital. Finalmente, no terceiro dia, o destaque fica para o protagonismo humano e a construção das competências necessárias para essa nova era.

Andrea Spinelli é a nova Chief Financial Officer da Movile

A Movile, investidora estratégica que desenvolve negócios de tecnologia como iFood, MovilePay, PlayKids, Afterverse, Sympla e Zoop, anuncia Andrea Spinelli como nova CFO da empresa. Com mais de 20 anos de atuação no mercado, a executiva agregou ampla experiência à frente dos departamentos financeiros de outras empresas de tecnologia como Facebook, Microsoft e Oracle, além do segmento de entretenimento com atuação na Netflix.

Graduada em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (USP), Andrea traz à Movile suas habilidades em gestão e operações financeiras, incluindo planejamento, controle, relatórios e auditoria interna/externa. Também conta com experiência no desenho de estratégias financeiras regionais e gerenciamento de operações, através de automação, escalonamento, indicadores-chave de desempenho e centralização/externalização.

À frente da área financeira da Movile, Spinelli espera contribuir para realizar o sonho grande de impactar positivamente a vida de 1 bilhão de pessoas com os aplicativos e soluções de todas as empresas investidas do Grupo. “Após uma longa experiência em multinacionais, resolvi assumir como CFO na Movile para apoiar a expansão de uma empresa nascida no Brasil a ganhar o mundo. Quero participar desse sonho grande e preparar empreendedores para desenvolver a economia e a sociedade”, afirma Spinelli.

Qlik apresenta soluções no SAP NOW Brasil

A Qlik, multinacional referência em análise e integração de dados, fará apresentações nos dias 14 e 15 de setembro na trilha de tecnologia e inovação, durante o SAP NOW Brasil, maior evento de tecnologia e negócios do Brasil. 

Matthew Hayes, vice-presidente de Negócios SAP da Qlik, falará sobre como data lakes e data warehouses, baseados em nuvem, estão cada vez mais populares entre as grandes instituições que executam seus negócios em aplicativos SAP, com uma visão detalhada de cada um dos endpoints SAP suportados pela Qlik para fornecer dados quase em tempo real.

Hayes falará também sobre como usar a ferramenta Qlik Gold Client para apoiar projetos SAP. Após as apresentações, os executivos da Qlik Brasil estarão disponíveis para sessões Meet the Experts, em que poderão interagir com convidados.

Além das sessões, os participantes terão a oportunidade de conversar com os palestrantes por meio da plataforma de interação do evento, em que será possível agendar uma reunião com o executivo e organizar chats com a presença de outros convidados. A plataforma conta, ainda, com uma página exclusiva da Qlik, com conteúdos, como vídeos e apresentações, disponíveis aos participantes na modalidade on demand.

“Estamos muito felizes de participar do SAP NOW, que é referência no setor. Vamos abordar temas extremamente relevantes para empresas que estão de olho no futuro de seus negócios ”, afirma Olímpio Pereira, Country Manager da Qlik Brasil.

Com uma grade repleta de atividades, a 26ª edição do evento permitirá que os participantes criem trilhas de interesse e preencham a agenda com os melhores conteúdos para os seus respectivos negócios.  Os interessados em participar devem se inscrever por meio deste link

SAP NOW Brasil 2021

Data: 14 e 15 de setembro

Inscrições: Link de inscrições

Painéis:

  • 14/9 (terça-feira) – às 17h50 – Painel: Tecnologia e plataforma
  • 15/9 (quarta-feira) – às 12h40 – Painel: Tecnologia e plataforma

Tags

Omie anuncia abertura de mais de 600 vagas até o fim do ano

A Omie, plataforma de gestão (ERP) na nuvem, anuncia a abertura de mais de 600 vagas até o fim de 2021. As oportunidades vão desde estágio até cargos para alta direção e as posições podem ser ocupadas por pessoas que morem em qualquer lugar do País. No momento, a empresa está com 210 vagas abertas. Entre as áreas de atuação, destaque para vendas, comercial, tecnologia, customer success, comunicação e recursos humanos. Para concorrer, os candidatos devem acessar o portal https://trabalheconosco.vagas.com.br/omie.

“No início de agosto, a Omie recebeu um aporte de R$ 580 milhões do SoftBank, em uma rodada Série C. Os recursos serão utilizados em diversas frentes e uma delas é aumentar o quadro de colaboradores da empresa”, conta Luiz Massad, Diretor de RH da Omie. “A ideia é que, até o fim do ano, o quadro de funcionários passe dos atuais 950 para 1,5 mil.”

A Omie oferece diversos benefícios, como vale-refeição, assistência médica e odontológica, seguro de vida, GymPass, cursos para desenvolvimento pessoal e profissional, além de parcerias com universidades. “Dentro da Omie somos orientados por resultados e estamos sempre em busca das melhores soluções para os nossos clientes. Por essa razão, buscamos pessoas com mentalidade de crescimento para fazer parte do nosso time. Valorizamos muito os perfis que tenham capacidade de adaptação, senso colaborativo e, sejam motivadas pela inovação e pelo aprendizado contínuo, para termos sempre os melhores profissionais que acompanhem as recorrentes mudanças do mercado”, destaca Massad. 

A scale-up possui em seu DNA o desejo pela transformação do ecossistema empreendedor. Com um crescimento significativo, a empresa aumentou em 66% o número de colaboradores de dezembro de 2020 a agosto de 2021. A Omie procura profissionais capazes de potencializar ainda mais os resultados. Além disso, a cultura organizacional valoriza a confiança, a transparência e a lealdade entre equipes, parceiros e clientes. “Para nós a jornada importa e é no dia a dia de nossos colaboradores, parceiros e clientes que transformamos os desafios nas mais incríveis experiências”, finaliza o executivo. 

Tags

Fintech Blu está com mais de 100 vagas abertas

A Blu , fintech brasileira que oferece soluções financeiras para facilitar a relação entre varejistas independentes e seus fornecedores, está contratando para mais de 100 vagas de emprego em diversas posições e áreas. Os interessados em participar do processo seletivo devem acessar o site da Blu, se cadastrar na plataforma de recrutamento Gupy, selecionando a vaga de interesse.

A fintech passa por um novo momento de expansão e profissionalização, e após levantar uma rodada de investimentos Série B, de R﹩ 300 milhões, liderada pela Warburg Pincus, pretendem utilizar o dinheiro para investir na criação de novos produtos, como soluções de crédito para varejistas, assim como investir em seus colaboradores e na ampliação dos times, especialmente na área de produtos e tecnologia.

“A pandemia veio para mudar o mundo que conhecíamos, e como toda transformação, traz suas dores, mas também traz oportunidades. Um aspecto que vejo que foi muito positivo é o fim das barreiras geográficas. Agora podemos contratar pessoas de qualquer lugar, sem restrições, e com isso descobrimos novos celeiros de talentos antes inacessíveis, como por exemplo o interior do Paraná, o Nordeste, etc, o que nos força a repensar a forma de recrutar e gerenciar pessoas por completo”, explica Rafael Sobral, co-CEO da Blu.

Conectando mais de 15 mil lojistas clientes e 2,5 mil fornecedores parceiros por meio de uma plataforma exclusiva de soluções financeiras customizadas para o varejista dos segmentos onde atua, a empresa funciona como uma alavanca para aumentar a competitividade do lojista e permitir o desenvolvimento saudável de pequenos e médios varejistas. Mesmo em meio à pandemia, em 2020, a empresa registrou um TPV (Volume Total de Pagamentos) de R﹩ 3,5 bilhões apenas em 2020, o que representou um crescimento de 71% no ano, e viu o volume de transações entre varejo e indústria na sua plataforma crescer quase 3x no mesmo período.

Uma das primeiras empresas do Rio de Janeiro a iniciar o trabalho em home office, a Blu começou essa transição em fevereiro de 2020, e em março, já nas primeiras semanas de restrições causadas pela pandemia do novo coronavírus, todos já estavam trabalhando remotamente. Com cerca de 300 funcionários, graças ao modelo, atualmente a empresa conta com colaboradores até mesmo fora do Brasil.

“Após iniciar o trabalho em home office, nós percebemos que a pandemia duraria muito mais que algumas semanas. Ouvimos muito os líderes e, principalmente, escutamos todas as pessoas do nosso time. Perguntamos o que elas sentiam e desejavam, e como poderíamos colaborar. Assim, oferecemos apoio logístico, como cadeiras, computadores e sinal de internet, e oficializamos a Blu como uma empresa 100% remota no final do mês de Julho de 2020. Estamos remotos até hoje e com profissionais em toda parte do país”, finaliza o co-CEO.

Tags

Catho apresenta novo Diretor de Estratégia

A Catho, marketplace de tecnologia que conecta empresas e candidatos, anuncia Renato Campos como novo Diretor de Estratégia da empresa. Com mais de 20 anos de experiência em Consultoria Estratégica, de Gestão e Banking, o executivo está na Catho desde desde 2019, contribuindo para entregáveis importantes da área de Estratégia, com destaques mais recentes no suporte nas discussões do novo modelo para candidatos, evolução do processo de OKRs e plano estratégico de longo prazo da empresa. Nesse momento o executivo enxerga como seu  principal desafio traduzir a estratégia de longo prazo para orientar objetivos de curto prazo para os times de operações, produtos e tecnologia.

Renato é graduado em Engenharia Mecânica pela Unicamp, pós graduado em Administração de empresas pela FGV e possui MBA pela Wharton School of Business – Universidade da Pennsylvania. Com sólida experiência em Consultoria Estratégica, trabalhou na Booz&Co, BDO e foi consultor independente, atuando em diferentes setores. Atuou em corporações como MasterCard, Banco Itaú e Wex Inc Brazil.

Bossanova Investimentos lança comitê para investir até R$5 milhões em startups com soluções para o segmento de segurança

Para ampliar acesso ao mercado de Venture Capital, projeto “CT Segurança” já está em fase de captação e destinará o montante para até 10 empresas

Com a missão de ampliar o acesso ao mercado de Venture Capital no Brasil, a Bossanova Investimentos, micro venture capital que investe em startups em estágio pré-seed com atuação em todo o país, lança comitê para investir em startups com soluções para o mercado de segurança. Nomeado de “CT Segurança”, projeto terá até R$ 5 milhões para aportar em até 10 empresas inovadoras, escaláveis e que resolvam problemas nesse segmento.

Idealizado em parceria com o maior hub de segurança eletrônica da América Latina – o CT Segurança, o comitê busca por companhias que atuem em diversas vertentes do setor desde segurança eletrônica a patrimonial, buscando oportunidades inovadoras em toda a cadeia como sistemas de alarmes, proteção perimetral, drones, controle de acesso, bilhetagem, vídeo monitoramento, inteligência artificial, portarias remotas, cyber segurança, cidades inteligentes, entre outras.

O projeto será liderado por um time de especialistas e profissionais da área como: Adalberto Bem Haja, CEO da BHC Sistemas de Segurança; Christian Visval, Fundador e Proprietário do CT Segurança; Kleber Reis, Sócio proprietário da Engenharia Segura Consultoria e Representação; Antônio Malheiros, Software Engineering Manager no Mercado Livre; Helcio Binelli, Sócio proprietário da Pgb Security; Cândido Brito, Diretor da Alarm Center; e Mauro Mandeltraub, Fundador e Diretor da Mantra Monitoramento.

De acordo com João Kepler, CEO da Bossanova Investimentos, o objetivo é oferecer todos os recursos necessários para que as startups evoluam e tenham conexões valiosas para atingir novos patamares e conquistarem novas oportunidades de negócios.

“Sabemos que o mercado está bem aquecido. Por isso, buscamos cada vez mais por empresas tecnológicas que solucionem problemas de forma inovadora. Com a aceleração da transformação digital, o segmento de segurança se tornou um meio imprescindível para reduzir a incidência de vulnerabilidades. Esperamos dar todo o suporte financeiro e o nosso know-how para que esses players possam crescer ainda mais”, comenta o investidor.

Startups interessadas podem se inscrever por meio do link: https://bossainvest.com/ct-seguranca/

Tags

Banco PAN adquire participação majoritária na Mobiauto, maior plataforma digital de compra e venda de veículos independente do país

O Banco PAN (BPAN4) anuncia a compra de 80% das quotas da Mobiauto, a maior plataforma digital independente para comercialização de veículos do Brasil. O deal reforça o apetite do Banco em ampliar sua estratégia digital e será instrumento importante para alavancar a participação do PAN no financiamento de veículos leves e motos. O objetivo é aprimorar a experiência dos clientes e aumentar o engajamento dos lojistas parceiros, ampliando o ecossistema do PAN através de tecnologia e contextualização dos produtos e serviços.

“A aquisição da Mobiauto amplia a oferta de produtos e serviços na nossa plataforma. Vamos seguir investindo em tecnologia para oferecer aos nossos clientes a melhor e mais completa experiência.”, afirma Carlos Eduardo Guimarães, CEO do Banco PAN.

Criada em 2019 e focada em promover maior eficiência e praticidade na relação de compra e venda de veículos, a Mobiauto é hoje um dos maiores classificados de carros online do Brasil com 4,6 milhões de acessos por mês.

“Nascemos como uma das plataformas digitais mais inovadoras do mercado de veículos, com crescimento acelerado nesses dois primeiros anos em função do desenvolvimento in-house de ferramentas que facilitam o dia a dia dos nossos clientes, e da intensa criação de conteúdo disponibilizado através da nossa revista online. Nessa nova fase, vamos ampliar nossa capilaridade, contando com toda a infraestrutura do Banco para ofertar nossas soluções para seus mais de 12 milhões de clientes e 19 mil lojistas parceiros em todo território nacional”, destaca Sant Clair de Castro Júnior, CEO da Mobiauto.

A plataforma Mobiauto está estruturada em três principais linhas de negócio: (i) classificados online e Revista Mobiauto; (ii) plataforma de gestão one stop shop, com diversas soluções para lojistas e concessionárias como integrador web, CRM, ERP, Site white label, call tracking, entre outros; e (iii) plataforma de repasse B2B, que conecta revendas, concessionárias, locadoras e bancos na desmobilização de veículos. Além disso, a plataforma oferece soluções adicionais como ferramentas de inteligência de mercado e cursos de formação.

“As pessoas buscam uma experiência rápida, segura e transparente na hora de comprar e vender seu automóvel. Com a aquisição da Mobiauto, vamos unir nossa experiência em crédito no mercado de veículos e nossa extensa base de clientes à experiência da plataforma, que se diferencia justamente pela sua usabilidade e facilidade de navegação, atendendo às necessidades específicas dos consumidores e de concessionárias e lojistas. Assim nos posicionamos em todas as etapas do segmento de veículos e enxergamos ainda diversas opcionalidades, como a possibilidade de oferecer outros produtos do banco neste ambiente”, explica Alex Sander Gonçalves, Diretor Comercial e de Produtos do Banco PAN.

“Esse é um movimento natural considerando o aumento da digitalização dos hábitos de consumo. Estamos trabalhando para que, cada vez mais, o cliente encontre em nossa plataforma tudo o que ele precisa. Não queremos financiar um carro apenas. Queremos engajar esse cliente a continuar com a gente ao longo dos anos”, finaliza o executivo.

A jornada de inovação dos caixas eletrônicos

Por Matheus Neto, Gerente de Soluções de Hardware da Diebold Nixdorf

Quando os primeiros caixas eletrônicos chegaram ao Brasil, no início dos anos 1980, a grande novidade era a possibilidade de retirar dinheiro ou emitir um extrato de forma automatizada. De lá para cá, evidentemente, muita coisa mudou. Embora para muitos sacar ou depositar moeda em espécie continue sendo a grande função desses equipamentos, a verdade é que os ATMs (sigla em inglês de Automatic Teller Machines) podem e devem ir muito mais além. Hoje, essas máquinas já são verdadeiras agências bancárias digitais, com mil e uma utilidades. E o melhor: estamos apenas no começo de uma nova era nessa indústria fundamental. 

Por exemplo: esqueça as máquinas que ocupavam grandes áreas e dependiam de uma enorme rede de processos manuais – para contar, retirar ou abastecer as caixas com dinheiro em espécie. Agora, a realidade é outra, com terminais mais inteligentes, adaptáveis e principalmente conectados, estamos caminhando para um ambiente em que a experiência dos clientes (e dos próprios bancos) será muito mais fluída, prática e ágil. 

A jornada de inovação dos ATMs está plenamente em acordo com a necessidade de transformação digital enfrentada pelas instituições financeiras. Não por acaso, dados da mais recente pesquisa divulgada pela Febraban destaca o aumento nos investimentos em TI, digitalização e novas formas de atendimento aos clientes. Segundo o estudo, o volume investido pelos bancos em 2020 é 8% superior ao montante aplicado no ano anterior – e 38% mais do que em 2016. 

Vale destacar que essa marcha de evolução não está acontecendo apenas agora, ou por conta da pandemia. Nestes últimos quarenta anos, os caixas eletrônicos foram ganhando uma série de recursos e ferramentas para tornar o uso das máquinas mais seguro, fácil e completo. Isso inclui pontos como a leitura de cartões magnéticos, solicitação de pins especiais, adoção de chips, criptografia avançada, monitoramento remoto, biometria e muito mais. 

Neste processo, um dos passos mais recentes e importantes é a adoção dos recicladores de notas. Essa é uma inovação que nem sempre está visível aos consumidores, mas que foi fundamental para proporcionar mais agilidade às operações. Antes, para as transações de depósito, as máquinas operavam por meio do uso de envelopes e isso fazia com que as notas ficassem bloqueadas por muito tempo dentro do terminal, até que uma pessoa fizesse as interações manualmente. Agora, no entanto, as notas são inseridas diretamente no ATM, são contadas e lançadas automaticamente nos sistemas e, principalmente, ficam à disposição para outras transações, reduzindo a necessidade de dinheiro em circulação através dos carros fortes e de logística para reabastecimento dos terminais, contribuindo para uma melhora no trânsito e consequentemente reduzindo a emissão de carbono por conta da redução de circulação dos carros fortes. 

São inovações como essas que ajudaram a manter os caixas eletrônicos em evidência até aqui. Mas como dito anteriormente, é possível dizer que estamos, agora, entrando em um novo capítulo desta história, com uma verdadeira revolução no modo como utilizaremos os terminais de autoatendimento bancário. Com a inclusão de recursos baseados em Inteligência Artificial, Automação de Processos, Machine Learning e Internet das Coisas (IoT), os terminais permitirão uma experiência mais integrada, eficiente e personalizada aos consumidores, oferecendo assim o mix certo de serviços para cada perfil.   

Isso é especialmente relevante em países como o Brasil. Em uma sociedade ainda bastante dependente da circulação de dinheiro em espécie, mas ao mesmo tempo cada vez mais conectada, com bancos agora 100% digitais, a utilização de ATMs inteligentes será certamente fundamental para permitir a inclusão das pessoas na economia que se apresenta para o futuro. 

A presença desses caixas automáticos de nova geração significa a oportunidade para atendermos necessidades latentes, seja para reaproximar as pessoas que já aderiram às operações on-line como para permitir o acesso a quem ainda prefere ou precisa usar o papel moeda como foco de suas transações. Temos de nos lembrar que pelo menos um quarto da população brasileira não possui contas em bancos, mas movimentam também bilhões de reais todos os anos. 

É importante que a evolução dos caixas eletrônicos acomode diferentes públicos – atendendo quem precisa apenas de consultas rápidas ou transações pontuais ou clientes que necessitam movimentar grandes quantias diariamente. Uma análise que corrobora esse ponto de vista é a de que, embora o índice de transações Mobile continue crescendo e que isso represente uma consequente diminuição no volume de operações em ATMs, também é notável que os valores movimentados a cada saque ou depósito estão aumentando – somente no ano passado caixas eletrônicos e terminais de pontos de venda movimentaram cerca de R$ 23 bilhões. 

O avanço do Open Banking, a massificação cada vez maior do uso de ferramentas digitais, como PIX, e a inclusão de novas funcionalidades no gerenciamento de contas e investimentos com certeza ampliará a necessidade dos bancos de oferecer soluções que integrem dispositivos inteligentes e ATMs, permitindo a construção de sistemas sem toque (touchless) e sem cartão (cardless). É preciso que o caixa eletrônico representa uma facilidade extra à disposição dos clientes. Um componente que permita a real integração dos canais de atendimento dos serviços bancários, otimizando a segurança, a assertividade e a confiança das pessoas. É a integação do físico com o digital. 

Não há como descolar a inovação dos ATMs das características culturais de cada local. Por mais que a digitalização econômica esteja em curso, é bastante provável que o papel-moeda permanecerá relevante por um longo tempo. Paralelo a isso, é função da indústria fazer com as vontades e necessidades das pessoas sejam atendidas. E isso explica a grande transformação que temos acompanhado, elevando o ATM a um novo patamar, como uma agência bancária completa e sempre disponível para os clientes.