Page

Author admin

Pela primeira vez, Uber abre inscrições para o Programa de Estágio no Brasil

Se em 2014, quando iniciou suas atividades no Brasil, a Uber contava apenas com seis funcionários, hoje já emprega mais de 1.500 pessoas em todo o País. Ao chegar aos 5 anos de presença em terras brasileiras, a empresa lança pela primeira vez seu Programa de Estágio.

O Programa de Estágio conta com 40 vagas disponíveis para atuar em áreas como Centro de Desenvolvimento Tecnológico, vendas e Operações. Previsto para início em setembro, o estágio tem duração de 1 ano e contempla diversos cursos universitários.

“Nosso serviço é usado por milhões de pessoas todos os dias, por isso, uma das características mais interessantes em trabalhar na Uber é sentir o impacto imediato daquilo que realizamos e saber que o que estamos fazendo hoje está contribuindo para construir um futuro melhor para as cidades”, comenta Pamela Chusyd, Head de Recrutamento da Uber no Brasil.

Com mais de 20 mil funcionários no mundo, a Uber acredita que grandes problemas só podem ser resolvidos coletivamente, a partir de múltiplos pontos de vista. Por isso, a empresa busca criar um time diverso e multidisciplinar.

“Nós queremos criar um ambiente de trabalho que seja inclusivo e reflita a diversidade das cidades onde operamos, Por isso, na Uber temos espaço para todo tipo de talento, independente de raça, idade, identidade de gênero ou mesmo formação”, completa Pamela.

Como participar

Para participar, o candidato deve estar matriculados em curso superior com término previsto em entre julho e dezembro de 2020 e ter inglês intermediário. As inscrições para o processo seletivo vão até o dia 16 de agosto pelo link do programa t.uber.com/estagiarios .

A primeira fase será realizada on-line com ajuda de um chat bot. Por meio da ferramenta, já é feita uma primeira seleção e são aplicados alguns testes, de maneira simples e rápida. Os candidatos aprovados nessa fase seguirão para uma dinâmica de grupo e entrevista com gestores. A previsão de início de estágio será em setembro.

Com duração de um ano, o estágio traz bolsa-auxílio, além de diversos benefícios como seguro saúde e odontológico, vale-refeição e créditos mensais para Uber e Uber Eats.

63% dos brasileiros teriam uma carreira relacionada a ciências se pudessem voltar no tempo, aponta estudo realizado pela 3M

A 3M apresenta os resultados da segunda edição do Índice Anual do Estado da Ciência (State of Science Index – SOSI), estudo global encomendado pela companhia para mapear as percepções da população em relação à ciência. Realizada com mais de 14 mil pessoas de 14 países – incluindo o Brasil -, a pesquisa, conduzida pela Ipsos, tem como objetivo analisar a imagem, a relevância e o impacto da ciência na sociedade, de modo a estimular discussões a respeito do tema.

De acordo com o estudo, 85% dos brasileiros acreditam que precisamos da ciência para resolver os problemas do mundo e 65% acreditam que os melhores dias da ciência ainda estão por vir. O tema é tão relevante para os brasileiros que 63% dos entrevistados revelaram que teriam uma carreira relacionada ao estudo das ciências se pudessem voltar no tempo, por exemplo nas áreas da engenharia, matemática, tecnologia e ciências. As principais justificativas para não terem feito essa escolha foram o alto custo da educação científica (38%), não terem estudado o suficiente (31%), o mau desempenho em matemática (25%) e a falta de percepção acerca de oportunidades de carreiras relacionadas a ciências (25%).

No entanto, o ceticismo entre os brasileiros em relação à ciência cresceu 5 pontos percentuais em comparação à pesquisa de 2018 (de 34% para 39%). Além disso, 50% da população só acredita em ciência quando ela está alinhada a suas crenças pessoais, e somente 27% a defendem durante discussões – uma explicação possível para essas contradições pode ser o fato de que os apoiadores da ciência podem não saber que é necessário um apoio a ela.

O estudo mostra desafios e oportunidades para aumentar o interesse pela ciência. Apesar de 70% dos brasileiros raramente, ou nunca, pensarem no impacto da ciência no seu dia a dia, a maioria tem um sentimento positivo em relação ao tema, mesmo com o crescimento do ceticismo. Além disso, 79% das pessoas se sentem curiosas em relação à ciência – enquanto apenas 12% se mostram indiferentes e 9% intimidadas.

“Analisando os resultados da pesquisa, vemos que os brasileiros valorizam a ciência e a veem com otimismo, mas ainda têm dúvidas e receios em relação a ela, já que o ceticismo cresceu em comparação ao ano anterior. Isso mostra como o papel da 3M, uma empresa com foco em inovação por meio da ciência, pode contribuir para aumentar o conhecimento sobre o tema e para a valorização da ciência no País. Queremos ter cada vez mais pessoas engajadas e defensoras da ciência”, comenta Paulo Gandolfi, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da 3M do Brasil.

Comunicação é fundamental

A pesquisa revela que há uma oportunidade para aproximar a ciência e os cientistas das pessoas. A comunicação pode contribuir para torná-la mais acessível. Para 85% dos brasileiros, é fundamental que os cientistas relacionem a ciência as suas vidas cotidianas, para 87% ela deve ser apresentada de uma forma que seja mais fácil de entender, e 52% acreditam que os cientistas são elitistas. Além disso, 80% das pessoas são mais propensas a acreditar em informações vindas de alguém que trabalha no campo científico.

Cercados pelo digital, mas em busca do analógico

O estudo também revelou que a maior parte das pessoas valoriza mais os seres humanos do que a inteligência artificial. 82% dos brasileiros optariam por fazer cinco amigos reais em vez de atrair 5 mil novos seguidores nas redes sociais*; 52% optariam por possuir um carro comum em vez de um carro autônomo; e 71% prefeririam um assistente humano do que um assistente de robô. A IA também gera algum temor sobre o papel da ciência e da tecnologia no futuro. Para 62% dos entrevistados, o papel dos robôs no ambiente de trabalho é algo que os faz sentir medo.

Principais mudanças em relação à pesquisa do ano anterior no Brasil

  • É menos provável que brasileiros saibam “nada” sobre ciência (18% em 2019 vs. 22% em 2018).
  • Brasileiros estão menos propensos a pensar que a ciência é entediante (19% em 2019 vs. 26% em 2018).
  • Brasileiros estão menos propensos a dizer que a ciência causa tantos problemas quanto soluções (45% em 2019 vs. 52% em 2018).
  • Brasileiros estão menos propensos a acreditar que, se a ciência não existisse, sua vida cotidiana não seria tão diferente (32% em 2019 vs. 38% em 2018).
  • Os brasileiros se tornaram mais céticos em relação à ciência (39% em 2019 vs. 34% em 2018).

Principais diferenças entre os resultados brasileiros e globais

  • Brasileiros gostariam de ter mais conhecimento sobre ciência (59% concordam completamente, contra 36% globalmente).
  • Brasileiros concordam que é importante que todos tenham conhecimentos científicos básicos, independentemente da sua profissão (63% concordam completamente contra 39% globalmente).
  • Brasileiros são mais propensos a buscar uma carreira científica se pudessem voltar no tempo (63% contra 58% globalmente).
  • É mais provável que brasileiros defendam a ciência ao debater seus méritos(27% contra 20% globalmente).
  • Brasileiros estão mais propensos a confiar completamente na ciência (40% contra 28% globalmente) e em cientistas (31% contra 20% globalmente).
  • Brasileiros estão mais propensos a pensar que outros países valorizem mais a ciência do que o Brasil (85% contra 68% globalmente).
  • Brasileiros estão muito mais propensos a acreditar que seu país está ficando para trás quando se trata de avanços científicos (74% contra 44% globalmente).
  • Brasileiros estão mais propensos a pensar que o governo seja responsável pelo financiamento da ciência (71% vs. 61% globalmente).
  • Mais propensos a acreditar que a ciência é muito importante para:
  1. Sociedade (82% vs. 60% globalmente).
  2. Comunidade local (77% contra 47% globalmente).
  3. Vida cotidiana (70% vs. 46% globalmente).
  4. Família (69% contra 42% globalmente).
  • Os brasileiros são menos propensos a desistir de sexo (18% contra 28% globalmente) do que de seu smartphone. *
  • É mais provável que os brasileiros tenham medo, em vez de entusiasmo, com futuros avanços:
  1. Robôs em todos os locais de trabalho (62% vs. 52% globalmente).
  2. Carros sem motorista em todas as estradas (54% vs. 47% globalmente).

O caminho a ser seguido: humanizar, educar e defender

Com base no Índice Anual do Estado da Ciência, a 3M está tomando medidas globais para derrubar as barreiras à ciência. Para inspirar e incentivar os cientistas a falarem sobre seu trabalho de uma forma mais atraente, a 3M criou um guia, em inglês, com conselhos práticos de cientistas e comunicadores de todo o mundo, que pode ser acessado pelo site.

A 3M também está disponibilizando uma série de vídeos com as histórias de cientistas fora de seu ambiente de trabalho, com o objetivo de reforçar a conexão entre eles e o público em geral, que estão disponíveis neste link.

Em parceria com a ONG DonorsChoose.org, dos Estados Unidos, a empresa reuniu mais de $50.000 em doações para iniciativas em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (Science, Technology, Engineering and Mathematics – STEM) nos Estados Unidos. Para conhecer os projetos ou participar da campanha de doação, basta acessareste link.

No Brasil, o Instituto 3M realiza o Desafio de Inovação e a Mostra de Ciências e Tecnologia. O Desafio contempla a formação de professores para a prática das ciências e a orientação a projetos investigativos de seus alunos. Já a Mostra tem o propósito de incentivar e reconhecer o espírito científico e a criatividade de jovens estudantes da educação básica e técnica. Em seis edições anuais o Desafio de Inovação já certificou 270 professores e a Mostra apresentou projetos finalistas de 1.258 alunos do Ensino Médio e Técnico de escolas do Estado de São Paulo.

“O Índice Anual do Estado da Ciência deste ano revela que muitas pessoas em todo o mundo estão céticas em relação à ciência, mesmo que os avanços na tecnologia tentem impulsionar mudanças positivas na sociedade”, afirma John Banovetz, vice-presidente sênior de Pesquisa & Desenvolvimento e Chief Technology Officer da 3M. “Quando pensamos em comunicar melhor as descobertas científicas e seu potencial impacto positivo, precisamos nos concentrar nos benefícios para a humanidade e mostrar como a ciência e a tecnologia melhoram a vida. A ciência promete que podemos enfrentar nossos desafios globais mais difíceis – e, ao fazer isso, criamos um futuro mais brilhante, produtivo e saudável para a próxima geração.”

Ao longo do ano, a 3M fará parceria com várias organizações para apoiar iniciativas de ciência. Além disso, a dra. Jayshree Seth, Chief Science Advocate (defensora chefe da ciência) da 3M, continuará promovendo os benefícios da ciência por meio de conteúdos e palestras nos Estados Unidos e no exterior.

“Todos nós nos beneficiamos da ciência, mas é preciso uma comunicação eficaz para torná-la mais compreensível”, afirma dra. Jayshree Seth. “Sabemos que a comunidade científica faz um ótimo trabalho, mas é preciso que eles destaquem os benefícios da ciência para a sociedade. Ao torná-la mais compreensível, podemos reduzir o ceticismo e o medo, ajudando a promover uma nova geração de cientistas e defensores da ciência. Sou encorajada por pessoas que confiam nos cientistas. 85% das pessoas desejam saber mais sobre ciência. Mas com o ceticismo crescendo em todo o mundo, chegou a hora de nos unirmos em defesa da ciência”.

Os dados completos do estudo, incluindo os resultados obtidos em cada um dos 14 países, podem ser encontrados em 3M.com/scienceindex.

Metodologia da Pesquisa

A empresa de pesquisa global Ipsos conduziu o estudo com 14.025 adultos em 14 países entre 13 de julho e 10 de setembro de 2018. A pesquisa foi realizada por meio de uma combinação de entrevistas on-line e off-line. Aproximadamente 1.000 pessoas com mais de 18 anos foram entrevistadas em cada país. Os países do estudo incluem: Brasil, Canadá, China, Alemanha, Índia, Japão, México, Polônia, Cingapura, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. A amostra para cada país foi representativa nacionalmente com base em idade, sexo, região e raça / etnia (quando aplicável). A precisão das pesquisas on-line da Ipsos é medida usando um intervalo de credibilidade. Nesse caso, a pesquisa tem um intervalo de credibilidade de ± 0,9 pontos percentuais para todos os entrevistados.

*Dados com asterisco excluem as respostas “prefiro não responder”

Programa de aceleração de startups da Edenred Brasil tem inscrições prorrogadas

Os empreendedores interessados em fazer parte de um dos mais tradicionais programas de aceleração do mercado brasileiro, o Edenred Connect, da Edenred Brasil, líder mundial em soluções transacionais para empresas, comerciantes e empregados, ganharam mais uma semana para se inscreverem. Agora, as startups de todo o País que tenham projetos inovadores e soluções que possam contribuir com a melhoria de produtos, serviços e processos do Grupo têm até 21 de julho para se cadastrar pelo site: http://edenred.com.br/aceleracao/.

Em sua terceira edição, o Edenred Connect visa aproximar o Grupo de startups com o objetivo de apoiá-las em seu crescimento e construir parcerias de negócio, usando o modelo equity free, que não pede um percentual das empresas em troca da aceleração. Para isso, a Edenred Brasil, que integra as marcas Ticket, Ticket Log, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas, selecionará até cinco parceiros que colaborem com o desenvolvimento de seus negócios. As vencedoras serão incubadas por cinco meses, período em que receberão mentorias e participarão de workshop temáticos.

Em 2018, o selecionou cinco startups, com as quais trabalhou durante seis meses. Para o programa de aceleração deste ano, a Edenred Brasil conta com a parceria Kyvo, plataforma de inovação e design de serviços, que vai apoiar com a realização de workshops com foco nas necessidades apresentadas pelas startups, como planejamento estratégico, gestão de recursos humanos, marketing digital, análise de dados, recursos financeiros e relações mercadológicas.

“No último ano, tivemos um recorde de inscrições, foram mais de 220 startups que participaram do processo, o que mostra o potencial de atuação que elas têm em nosso mercado, a confiança em nosso programa e a solidez de grupo. Somos uma empresa que conecta empresas e pessoas e acreditamos muito na força da associação de uma empresa multinacional líder de mercado às startups, que agregam ainda mais valor ao nosso trabalho pela força e agilidade que depositam em seus negócios”, explica Gilles Coccoli, Chief Operating Officer Américas da Edenred Brasil.

Como uma precursora da inovação aberta, a Edenred desenvolveu um sistema global que antecipa tendências e explora ecossistemas que tenham afinidade com seu core business e o Programa de Open Innovation, Edenred Connect, criado em 2017, faz parte do plano estratégico de aceleração do grupo.

Após avaliação dos projetos inscritos, as startups destacadas passarão por um processo de entrevistas. As cerca de 15 finalistas participarão do Pitch Day, última etapa de seleção, agendada para 13 de agosto. Nesta data, terão a oportunidade de apresentar seus modelos de negócios destacando as oportunidades de sinergia com o Grupo. Uma banca definirá as que seguirão no programa, após avaliar quesitos como crescimento e evolução da startup, estrutura da equipe dedicada para a execução do projeto, clientes já atendidos, potencial do negócio e sua maturidade.

Inscrições para o Programa Startups Connected da Câmara Brasil-Alemanha se encerram nesta sexta-feira (19/07)

As inscrições para a 4ª edição do Programa Startups Connected, realizado pela Câmara Brasil-Alemanha, terminam nesta sexta-feira, 19 de julho. O programa tem como objetivo conectar startups e grandes empresas de diversos setores de atuação, propondo desafios e fomentando soluções inovadoras.

Esta é a primeira vez que o Hospital Alemão Oswaldo Cruz participa do programa e propõe o desafio chamado “Jornada do Paciente”, que visa melhorar o acesso dos pacientes aos serviços hospitalares. “Buscamos soluções que tornem a experiência do paciente mais confortável e menos burocrática”, explica o gerente de Inovação e Educação do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Gustavo Prado.

O médico explica que o Hospital está em busca de soluções que facilitem o agendamento de consultas, conferência da cobertura pelo convênio, importação de dados para as agendas pessoais, check-in facilitado à chegada no hospital, entre outras. “Desta forma o paciente poderá ter um acesso rápido e eficaz às informações de que precisa quando procura um serviço de saúde”, comenta.

As startups que tiverem interesse em participar do desafio devem efetuar a sua inscrição até o dia 19 de julho, pelo site www.startupsconnected.com.br. A Câmara Brasil Alemanha intermedeia todo o processo, desde a inscrição no programa até a apresentação dos cases com aderência às soluções que as empresas buscam. A startup vencedora receberá mentoria e investimentos da empresa âncora, tendo acesso a diversos benefícios, de acordo com o seu perfil e estágio de maturidade.

“Buscamos startups em estágio de validação do minimum viable product. Caso o projeto se apresente viável, existe a possibilidade de aquisição da solução, de aceleração ou facilitação de acesso a apoio para o desenvolvimento, testes e implantação da solução proposta pela startup”, conclui Dr. Prado.

Estudo da Capgemini: 69% dos executivos de segurança querem cibersegurança com Inteligência Artificial

As empresas estão aumentando o ritmo do investimento em sistemas de Inteligência Artificial para se defender da próxima geração de ataques cibernéticos, revela um novo estudo do Capgemini Research Institute. Pouco mais de dois terços (69%) das organizações reconhecem que não serão capazes de responder as ameaças críticas sem IA. Com o aumento no número de dispositivos de usuários finais, redes e interfaces de usuário, como resultado dos avanços nas tecnologias de nuvem, IoT (Internet das Coisas, em tradução), 5G e interfaces de conversação, as organizações enfrentam uma necessidade urgente de aumentar e melhorar continuamente sua segurança cibernética.

O estudo “Reinventing Cybersecurity with Artificial Intelligence: The New Frontier in Digital Security” (em tradução livre, “Reinventando a Segurança Cibernética com Inteligência Artificial: A Nova Fronteira em Segurança Digital”) entrevistou 850 executivos de TI de nível sênior em segurança de informações de TI, segurança cibernética e operações de TI em 10 países e sete setores de negócios e conduziu entrevistas detalhadas com especialistas do setor, startups de segurança cibernética e acadêmicos.

As principais descobertas incluem:

A segurança cibernética com inteligência artificial é agora um imperativo: mais da metade (56%) dos executivos dizem que seus analistas de segurança cibernética estão sobrecarregados com a vasta gama de pontos de dados que precisam monitorar para detectar e evitar invasões. Além disso, o tipo de ataques cibernéticos que exigem intervenção imediata ou que não podem ser remediados com rapidez suficiente por analistas cibernéticos aumentou notavelmente, como em:

  • ataques cibernéticos que afetam aplicações sensíveis ao tempo (42% disseram que haviam subido, em média, 16%).
  • ataques automatizados, com velocidade de máquina, que sofrem mutação em um ritmo que não pode ser neutralizado por meio de sistemas tradicionais de resposta (43% relataram um aumento, em uma média de 15%).

Diante dessas novas ameaças, uma ampla maioria de empresas (69%) acredita que não será capaz de responder aos ataques cibernéticos sem o uso de Inteligência Artificial, enquanto 61% dizem que precisam de IA para identificar ameaças críticas. Um em cada cinco executivos (20%) possui experiência com uma falha de segurança cibernética em 2018, e 20% dos problemas custaram à organização mais de US$ 50 milhões.

Os executivos estão acelerando o investimento em IA na cibersegurança: com uma ampla maioria deles aceitando que a Inteligência Artificial é fundamental para o futuro da segurança cibernética:

  • 64% disseram que reduziram o custo de detecção de violações e nas respostas a elas – em média 12%.
  • 74% disseram que a tecnologia permite um tempo de resposta mais rápido: reduzindo o tempo necessário para detectar ameaças, remediar violações e implementar correções em 12%.
  • 69% também disseram que a IA melhora a precisão da detecção de violações, enquanto 60% afirmaram que ela aumentou a eficiência dos analistas de segurança cibernética, reduzindo o tempo gasto na análise de falsos positivos e melhorando a produtividade.

Assim, quase metade (48%) revelou que os orçamentos para segurança cibernética aumentarão no ano fiscal de 2020 em quase um terço (29%). Em termos de implementação, 73% estão testando projetos de IA em segurança cibernética. Se apenas uma em cada cinco organizações (20%) já usou a tecnologia antes de 2019, a adoção está prestes a disparar: quase duas em cada três (63%) organizações planejam implementar a Inteligência Artificial até 2020 para reforçar suas defesas.

“IA oferece grandes oportunidades para a segurança cibernética”, diz Oliver Scherer, CISO Media Markt Saturn Retail Group, principal varejista de eletrônicos de consumo da Europa. “Isso ocorre porque você passa da detecção, reação e correção manual para uma correção automatizada, algo que as organizações gostariam de alcançar nos próximos 3 ou 5 anos”.

No entanto, existem barreiras significativas para implementar a IA em escala. O desafio número um para implementar a tecnologia em segurança cibernética é a falta de compreensão de como escalar os “casos de uso” da prova de conceito para a implementação em larga escala, e 69% dos entrevistados admitiram que lutaram nessa área.

Geert van der Linden, líder de negócios de segurança cibernética do Grupo Capgemini, disse que “as organizações estão enfrentando um volume e complexidade incomparáveis ​​de ameaças cibernéticas e acordaram para a importância da IA ​​como a primeira linha de defesa. Como os analistas de segurança cibernética estão sobrecarregados, perto de um quarto deles declarou que não são capazes de investigar com sucesso todos os incidentes identificados, algo fundamental para que as organizações aumentem o investimento e se concentrem nos benefícios comerciais que a IA pode trazer em termos de segurança cibernética”.

Além disso, metade das organizações pesquisadas citou os desafios de integração com sua infraestrutura atual, sistemas de dados e cenários de aplicativos. Embora a maioria dos executivos afirme saber o que deseja alcançar com a segurança cibernética, apenas metade (54%) identificou os conjuntos de dados necessários para operacionalizar os algoritmos de IA.

Anne-Laure Thieullent, líder de oferta de IA e analytics do Grupo Capgemini conclui: “As organizações devem primeiro procurar abordar os desafios de implementação subjacentes que estão impedindo que a IA alcance todo o seu potencial em segurança cibernética. Isso significa criar um roadmap para abordar as principais barreiras e focar nos casos de utilização que podem ser dimensionados com mais facilidade e oferecer o melhor retorno. Somente seguindo esses passos, as organizações podem se equipar para a crescente ameaça dos ataques cibernéticos. Ao fazer isso, eles economizarão dinheiro e reduzirão a probabilidade de uma violação de dados devastadora”.

O relatório pode ser baixado aqui.

Metodologia de Pesquisa

A pesquisa entrevistou 850 executivos seniores, diretivos e gestores distribuídos em sete setores: produtos de consumo, varejo, bancos, seguros, automotivo, serviços públicos e telecomunicações. Um quinto dos executivos são CIOs e um em cada dez são CISOs em suas respectivas organizações. Os executivos pertencem a empresas sediadas na França, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Holanda, Índia, Itália, Espanha e Suécia. A Capgemini também realizou entrevistas com líderes do setor e acadêmicos, examinando o status atual e o impacto da IA ​​na segurança cibernética.

Amizade no trabalho beneficia funcionários e gestores

Sabemos que um bom ambiente de trabalho mantém os funcionários engajados e produtivos, além de torná-los defensores de suas organizações. Nesse Dia do Amigo, comemorado no Brasil em 20 de julho, a Robert Half dá dicas de como cultivar amizades no trabalho e como o gestor pode incentivar um ambiente propício.

Uma pesquisa da Robert Half e Happiness Works (Chegou a hora de ser feliz no trabalho), com mais de 23 mil colaboradores em todo o mundo, mostrou que a amizade é muito importante durante o expediente. 86% dos entrevistados se dão bem com as pessoas de sua equipe imediata, 70% acreditam que as equipes dentro de sua organização, em geral, trabalham bem juntas, e 62% tem bons amigos no trabalho.

“Uma empresa que incentiva relações de amizades entre os colaboradores transmite uma imagem positiva interna e externamente, reforçando sua reputação corporativa, além de se tornar atrativa para novos talentos”, explica Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half.

Veja cinco dicas para cultivar amigos no escritório:

Mostre empatia. Tente entender seus colegas de trabalho, suas principais habilidades e motivações, bem como seus aborrecimentos e pressões no dia-a-dia da empresa. Compreendendo melhor seus sentimentos, necessidades e obrigações, você provavelmente reforçará sua credibilidade como um membro confiável da equipe e se tornará um colaborador de referência.

Junte-se ao clube. Participe ativamente de atividades de formação de equipes, eventos sociais, ligas esportivas e grupos de interesse organizados por sua empresa e seus colegas.

Surpreenda-se com bondade. Atos aleatórios de bondade oferecem benefícios para todos. De acordo com pesquisadores americanos, praticar ações generosas podem diminuir seus níveis de estresse e melhorar a saúde mental. É um ganha-ganha para todos.

Definir limites. Estabeleça diretrizes claras com os amigos do trabalho sobre como manter as informações pessoais em sigilo. E não deixe que brincadeiras amigáveis atrapalhem a sua produtividade ou de seus colegas.

Elogie (e seja elogiado). O feedback positivo é como uma mola propulsora para as pessoas. Um simples “Obrigado por fazer um ótimo trabalho!” pode ajudar muito a elevar a felicidade e construir relações de trabalho mais fortes.

E, para os gestores, também listamos cinco dicas para incentivar a amizade corporativa:

Construa um sistema de suporte. Crie oportunidades para os funcionários interagirem durante o horário de trabalho e fora do escritório também. Assim, é possível incentivar e despertar novas amizades.

A percepção é fundamental. Durante as entrevistas com os candidatos, destaque aspectos de sua cultura corporativa e busque pontos de adequação no candidato. De acordo com o 8º Índice de Confiança Robert Half (ICRH), esse é o aspecto que mais chama a atenção de 33% dos recrutadores em um processo seletivo.

Não eleja favoritos. Os gerentes devem fazer questão de tratar todos os funcionários de forma justa e ter uma atitude amigável em relação a todos, para que ninguém se sinta excluído.

Tecnologia a favor da equipe. Com as novas relações flexíveis de trabalho, como o modelo remoto, explorar tecnologias como Skype, Google Hangouts, Zoom, Basecamp e Slack podem fornecer formas eficientes e em tempo real de colaboração, conhecendo-se melhor e facilitando um trabalho melhor equilíbrio de vida.

Lidere pelo exemplo. Em reuniões, chame exemplos brilhantes de colaboração, assistência e apoio. Os funcionários muitas vezes observam e imitam seus líderes, portanto, ao estabelecer um tom positivo (e aumentar o moral!), Você ajudará a promover uma cultura no local de trabalho que valorize a cooperação, a empatia e a inovação.

SP Ventures e Capital Lab anunciam aporte de R$ 2 milhões na Pink Farms

A SP Ventures, gestora de fundos de investimento de Venture Capital especializada no agronegócio, e a Capital Lab, plataforma de investimento proprietário de capital seed e de risco, anunciam aporte de R$ 2 milhões na Pink Farms, primeira Fazenda Vertical Urbana (Indoor Farm) da América Latina, que tem como foco a produção de hortaliças, dentro de ambiente fechado, limpo, com iluminação 100% artificial, em estrutura vertical, com tecnologia de ponta.

Fundada em 2016 pelos engenheiros Geraldo Maia, Mateus e Rafael Delalibera, a agtech surgiu a partir de uma necessidade dos próprios empreendedores de encontrar legumes e verduras de qualidade. “Ao olharmos o mercado e a cadeia produtiva de hortaliças no Brasil, tivemos surpresas bastante negativas, principalmente pela baixa eficiência da cadeia, com perdas pós colheita que chegam a 40%. Ou seja, a cada 100kg de folhas comestíveis, apenas 60kg são consumidos”, comenta Geraldo Maia, cofundador da Pink Farms.

Com a produção em estruturas com vários níveis verticais e sem troca de ar com o ambiente externo, com controle de temperatura, umidade e qualidade do ar, a Pink Farms garante uma produtividade até 100 vezes maior do que nas lavouras a céu aberto, além de uma redução no consumo de água de até 95% e uma diminuição de até 50% no uso de fertilizantes, reduzindo os custos e impactos ambientais, e sem utilizar agrotóxicos.

“Também utilizamos o conceito farm to table, com o objetivo de reduzir a quantidade de intermediários, tempo, perdas e impacto gerado pela cadeia, sempre trazendo um produto muito mais fresco para o consumidor. É possível que o produto seja consumido no dia em que foi colhido, eliminando as perdas pós colheita e aumentando o tempo de prateleira em mais de 100%”, explica Maia.

O aporte será utilizado para construir a primeira fábrica de grande escala da Pink Farms, com foco em atender parte da demanda da cidade de São Paulo, além do desenvolvimento de sua marca de consumo. Em paralelo, por meio de sua área de P&D, a empresa busca aumentar seu portfólio com produtos como morango e tomate, entre outros, além de continuar aprimorando a tecnologia atual e de fazer novos desenvolvimentos.

“O consumidor tem buscado cada vez mais por produtos com mais qualidade e em organizações que tenham uma preocupação com o meio ambiente. Por isso, analisamos as propostas da Pink Farms e resolvemos investir em seu desenvolvimento”, finaliza Francisco Jardim, Sócio Fundador da SP Ventures.

Em parceria com a Amazon, Adobe e Magento oferecem vitrine personalizada aos vendedores da varejista on-line

A Adobe anunciou o lançamento do Magento Commerce branded stores for Amazon sellers, uma nova oferta disponível pela Magento, parte da Adobe Experience Cloud, que funciona no Amazon Web Services (AWS). Essa solução foi criada para fornecer aos vendedores uma maneira integrada para o crescimento dos seus negócios e para administrar sua presença on-line na Amazon.com e sua própria vitrine. Integração nativa com ferramentas para comerciantes da Amazon.com, como Amazon Pay e Fullfilment by Amazon, providencia para os vendedores a conveniência adicional de pagamentos seguros e serviços de entrega rápida.

Com Magento Commerce, a nova oferta foi construída para fornecer um carregamento de página mais rápido e conversões melhores, além da possibilidade de se adaptar a maiores escalas aos períodos de compra mais intensos, como a Black Friday. Operações sem servidor significam que novas funções como checkout com um clique e imagens dinâmicas podem ser utilizadas rapidamente. A funcionalidade do Amazon Pay proporciona a mesma experiência de pagamento seguro que a Amazon.com, com segurança e compliance imbutidos. Fullfilment by Amazon oferece aos clientes opções de entrega que são rápidas e confiáveis por meio da logística de operações da Amazon.

“Empresas de pequeno e médio porte estão tomando controle direto sobre como eles gerenciam a experiência do cliente para se diferenciar, crescer e construir fidelidade”, diz Jason Woosley, vice-presidente de commerce product and platform da Adobe. “Nosso trabalho com a Amazon fortalece essa grande comunidade de vendedores, permitindo que se aproximarem dos seus clientes enquanto economizam tempo e dinheiro em desenvolvimento”.

“Estamos felizes de apoiar Magento Commerce branded stores for Amazon sellers, que se baseia em nossa parceria de longa duração com a Adobe”, afirma Terry Wise, vice-presidente de channels and aliances da Amazon Web Services, Inc. “Fortalecido pela AWS, esse lançamento fornecerá aos vendedores uma maneira integrada de crescer seus negócios e se adaptar a períodos de compra intensos”.

“Somos um dos melhores vendedores de localizadores GPS, ajudando os clientes a ficar de olho nas coisas que mais importam”, disse Fernando Alegria, CEO da Optimus GPS Tracker. “Uma vitrine independente vai estimular nosso crescimento e ajudar a construir relacionamentos mais próximos com os clientes. Com a nova solução Magento Commerce, abrimos o negócio em poucas semanas.”

A nova solução já está disponível na América do Norte e se estenderá para clientes na Europa nos próximos meses. Essa oferta complementa o Amazon Sales Channel no Magento Commerce, o que permite que clientes Magento que buscam ampliar sua atuação no Amazon Marketplace consigam integrar rapidamente seu catálogo e gerenciamento de listagens diretamente do seu painel admin Magento. A solução já está disponível para download gratuito no Magento Marketplace para clientes Magento Commerce Pro e Magento Open Source 2.2.4 (e mais recentes).

Grupo ZAP abre 100 vagas para área de tecnologia

O Grupo ZAP, principal empresa de tecnologia do setor imobiliário brasileiro, possui 100 vagas abertas para área de tecnologia. As oportunidades são para analista de dados, cientista de dados, product designer, engenheir@ de dados, visual designer, agilista, engenheir@ backend, engenheir@ de software frontend, engenheir@ mobile Android e iOS e outros. A companhia planeja completar as vagas até o final de agosto. Para se inscrever no processo seletivo, os interessados devem acessar www.grupozap.com e clicar em “Trabalhe conosco” (vagas.grupozap.com/).

As vagas são baseadas no escritório de São Paulo, localizado na região da Consolação. Os mais de 800 funcionários da empresa recebem benefícios como frutas, aulas de dança e de ginástica, subsídio para academias, espaços com sinuca, pingue-pongue e video game. Há ainda serviços de barbearia, manicure e massagem com preços acessíveis dentro da empresa. Os profissionais possuem plano de carreira, Processos de Desenvolvimento Individual, cursos de liderança, além dos benefícios básicos de mercado (Vale refeição, Vale Transporte, Plano de Saúde).

O processo seletivo é baseado em triagem de currículo, entrevistas com a área de Gente e Gestão, pares e líderes. Dependendo do perfil, será proposto um case em que a criatividade e visão de resolução de problemas serão analisados. Na entrevista presencial, o candidato deve se sentir a vontade de para vir com a roupa que considerar mais confortável e será recebido com snacks.

A empresa possui como cultura o estímulo à autonomia de seus colaboradores, permitindo que senso de pertencimento e responsabilidade esteja regularmente presente. A colaboração e a solução rápida de problemas também são pilares importantes, pois entende-se que a participação intensa de diversos colaboradores acelera o desenvolvimento de novos caminhos e cria conexões genuínas entre os participantes. Por fim, pontos como o reconhecimento e a transparência são primordiais, pois quando um colaborador se sente parte do processo de forma integral, consegue pensar em novas soluções e uma atuação estratégica alinhada com o negócio da companhia.

Para Marcel Viana, CTO do Grupo ZAP, a companhia busca por pessoas que se identifiquem com os valores da companhia, colaboração e desejem vivenciá-los intensamente dentro da rotina. “Procuramos pessoas que sejam apaixonadas por aquilo que fazem e que entendam que a tecnologia é um meio para gerar impacto positivo no mundo. Competência técnica é fundamental, mas não é suficiente. Esperamos que todas as pessoas que se juntam ao nosso time consigam trabalhar com um altíssimo grau de autonomia e responsabilidade, respeitando a diversidade que temos aqui dentro e participando da construção de um ambiente de trabalho excepcional”, conselha.

Cashback World apresentará soluções inovadoras para o mercado de fidelização no Fórum e-Commerce Brasil

A Cashback World, maior Comunidade de Compras multicanal e multissetorial do mundo e parte da holding myWorld, apresentará soluções inovadoras e tecnológicas na 10ª edição do Fórum e-Commerce Brasil, que acontecerá nos dias 16 a 18 de julho, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Segundo dados da ABEMF (Associação Brasileira de Empresas do Mercado de Fidelização), houve um aumento da adesão a programas de fidelidade em 25%, em 2018. Além disso, o mercado de e-commerce também teve uma taxa de crescimento considerável, nos últimos anos. Só em 2018, cerca de 58 milhões de brasileiros fizeram pelo menos uma compra online, o que resultou em um aumento do número de pedidos em 20%. Esses dados só confirmam a necessidade de programas mais robustos para corresponder à demanda dos e-commerces.

“Fidelizar um cliente hoje é muito mais difícil; você precisa oferecer, além de um bom serviço, vantagens, praticidade, inovação e um bom custo-benefício. O cliente está muito mais crítico e por isso entendemos que aliar tecnologia de ponta com as melhores estratégias do varejo é a combinação ideal; é isso que vamos mostrar no Fórum e-Commerce Brasil, deste ano. Acredito que essa será uma ótima oportunidade de nos apresentar a quem ainda não nos conhece nesse mercado”, afirma Damazio.

A Cashback World já está presente em mais de 47 países, somando cerca de 1.500 colaboradores, até o momento. A marca oferece aos seus 13 milhões de Afiliados, benefícios de compras atraentes, como Cashback (dinheiro de volta) e Shopping Points, em mais 130.000 empresas parceiras e 400.000 pontos de aceitação em todo o mundo. Além disso, a empresa transforma as compras em uma experiência para todos os seus clientes. A experiência de compra baseia-se no shopping 4.0, a tendência de compras do futuro: multicanalidade, compras em escala internacional, entretenimento e fidelidade do cliente com base em tecnologia de ponta, como aplicativos móveis e serviços baseados em geolocalização.

O principal objetivo da Cashback World E-Commerce é criar a melhor experiência de compra online para os consumidores, gerando o maior volume de negócios possível para Empresas Online. Dessa forma, um e-commerce parceiro da Cashback World terá visibilidade global nos 47 países em que estamos presentes, o que possibilita ganhar novos consumidores, ter mais vendas, aumentar seu market share e entregar aos seus clientes o diferencial de receber Cashback e Shopping Points a cada compra realizada.

A 10ª edição do Fórum e-Commerce Brasil espera mais de 16 mil congressistas e 150 expositores, além de contar com 15 salas, onde acontecerão palestras e formações específicas ministradas por expositores. Grandes nomes do varejo e da tecnologia irão falar um pouco sobre suas experiências, como o gerente de Desenvolvimento de Negócios do eBay para a América Latina, Xavier Aguirre; o diretor de Varejo da Amazon, Daniel Mazini, além da gerente de Marketing de Produtos do Facebook, Silvia Ramazotti, e o especialista em performance da Google, Nick Brady. Para adquirir ingressos, basta acessar o site.

CEOs brasileiros recomendam livros fundamentais para todo empreendedor

O filósofo e escritor iluminista Voltaire dizia que a leitura engrandece a alma. É unânime que os livros são fontes inesgotáveis de conhecimento, porém, na imensidão de opções disponíveis, escolher qual obra ler pode ser uma tarefa complicada. Para auxiliar nessa curadoria, o 12Min, aplicativo de leituras rápidas, em áudio e texto, com os pontos mais importantes de livros de não-ficção, convidou CEOs de grandes negócios para indicar obras que são fundamentais para todo empreendedor.

Diego Figueredo, CEO da Nexo AI:”Como o Google Funciona”, Eric Schmidt

“É um livro que mostra os desafios enfrentados pelo Google ao criar alguns dos produtos que utilizamos hoje”, resume Diego. A obra de Eric Shmidt detalha como o avanço da tecnologia transferiu o poder das corporações para os consumidores. “Para sobreviver, é essencial concentrar esforços na qualidade dos produtos e em profissionais exponenciais, que mesclem conhecimento técnico, tino comercial e uma criatividade sem limites”, complementa.

Dener Lippert, CEO da V4 Company: “Empresas Feitas para Vencer” Jim Collins

O best-seller descreve os resultados de um estudo conduzido por Jim Collins em diversas empresas, apresentando exemplos de negócios que deixaram de ser medíocres para se tornarem excelentes. “É uma obra que narra o que difere as companhias boas das que triunfaram, e expõe os conceitos práticos para se ter em mente no dia a dia de condução do seu próprio empreendimento”, comenta Dener.

Thiago Lima, CEO da LinkApi: O Príncipe, Maquiavel

“Indico esse livro porque sua principal lição é ensinar aos leitores como exercitar a ciência política no mundo corporativo. Muita coisa mudou desde que foi escrito, mas os conselhos continuam valiosos para serem aplicados no mundo dos negócios”, explica Thiago. ‘O Príncipe’ foi escrito em 1532, era do Renascimento, e se propõe a ser uma espécie de manual para um bom governante, servindo como um guia de como chegar ao poder e se manter nele.

Wendell Toledo, CEO da Artluv: “Tração”, Gabriel Weinberg e Justin Mares

A obra pode ser descrita como um guia para ajudar startups a conseguirem clientes. “O livro mantém a relevância óbvia em se ter um bom produto, mas defende que ele evolua junto com os canais de distribuição, pois normalmente os empreendedores primeiro lançam o negócio e depois pensam em como atingir a escalabilidade de usuários, clientes e vendas”, justifica Wendell, sobre sua indicação.

Renan Nishimoto, Presidente executivo da Brasil Júnior: “Startup – Manual do empreendedor”, Steve Blank e Bob Dorf

Escrito por Steve Blank e Bob Dorf, o livro é um manual para nortear as startups a seguirem na melhor direção. “Ele traz toda a visão, desde a validação da ideia até trabalhar com marketing para dar escala ao negócio”, explica Renan. “É um guia completo e didático, que traz uma ótima visão sobre empreendedorismo e sobre como fazer as coisas de forma mais ágil e completa sob a ótica do cliente”, finaliza.

Patrick Negri, CEO da Iugu – “Receita Previsível”, Aaron Ross e Marylou Tyler

Livro instigante e útil para empreendedores e empresas que querem evitar perdas de tempo e dinheiro. “De forma objetiva e com muitas cases reais o livro foi um guia quando a iugu começou a sair do papel, pois influenciou na direção de negócio que temos hoje e que, consequentemente, reflete em nossos clientes”, explica Patrick. “Acreditamos no potencial da metodologia que os autores apresentam, pois há muitos cases reais e objetivos de como obter sucesso na receita de uma empresa, sem perder muito tempo e dinheiro”, complementa.

CINQ Technologies Praised by Clutch.co for Position Among Top Performing Developers in Florida

At CINQ Technologies, we pride ourselves on merging the culture and creativity of a startup with the experience and maturity of a certified software developer. Part of this startup culture is an intense emphasis on establishing strong relationships with our clients, based on the foundations of trust, engagement, and perhaps most importantly, honest communication with our clients.

Software development is only becoming more important in today’s tech driven economy, and we understand the importance of our work for our client’s business, now and for the future. Recently, Clutch has released rankings of the top Business to Business (B2B) companies in each of the 50 states. We are proud to be included in these rankings under the Development category in the state of Florida. Clutch has ranked as one of the top software developers in Florida out of nearly 125 competitors!

“We are very happy to be listed as a top performing B2B company on Clutch! We know that the methodology used by the company is based on a variety of factors, such as market presence, clients and customer ratings, and this is definitely part of our Customer Intelligence strategy.”

– Aldir Brandão, CTO at CINQ Technologies

Clutch is an established B2B ratings and reviews headquartered in Washington D.C. Clutch separates itself from its competition by having an incredibly in-depth review process before they rate the company. The process starts with market research and analysis, and most importantly, the analysts conducts interviews with the clients of the company. The end result of this process is an incredibly unbiased review and rating of the company. This is exactly what sets Clutch apart from its competitors, and is an inherent reason as to why we are so happy to have been reviewed by Clutch. Our profile currently has 4.5 stars out of a possible 5.0 stars! We are ecstatic about our ranking and we would love to include some of their thoughts below:

“I will always reach out to CINQ as my first choice for development.” – CTO, GT Software

“CINQ Technologies is always looking for ways to improve their business.” – Senior Software Development Manager, SITA Canada Inc.

We would also like to take this time to discuss Clutch’s sister sites, The Manifest and Visual Objects. The Manifest lists companies in a very efficient manner to a potential client, showing the company’s size, location, and the service that they provide, all in a glance. The Manifest also offers potential client’s a How-To Guide for buying the services of a third party business in order to help the client hire the third party.

Similarly, Visual Objects help buyers make informed decisions about their future partners. The site visualizes a company’s portfolio items on their Clutch profile, and gives client’s an easy to view display of each company, like ours, in order to help the client decide on who can best execute their vision.

CINQ Technologies is very proud of the high praise we have received from Clutch. We understand the importance of our clients in these rankings, and we sincerely thank them for taking the time to be interviewed by Clutch. We look forward to continuing our partnership with Clutch in order to further our tradition of excellence in order to deliver the best product to our clients.