Page

Author admin

Beblüe lança cartão de crédito gratuito 100% digital

A Beblüe, fintech brasileira de pagamentos, que permite ao consumidor aumentar seu poder de consumo por meio de recompensa em cashback, acaba de lançar seu cartão de crédito 100% digital. Sem plástico e sem tarifas, é a primeira solução gratuita de cartão no Brasil que possui um programa de fidelidade e recompensa atrelado.

Além da conveniência e praticidade, o novo cartão permite ao consumidor acesso rápido ao crédito extra, disponibilizado direto no aplicativo e irá garantir o maior nível de retorno de recompensa do mercado, que pode chegar a 30% de cashback ou até 20 pontos/milhas por dólar gasto. Os benefícios estendem-se ao estabelecimento credenciado, uma vez que o cartão fomenta o consumo na própria rede credenciada. Inicialmente, o cartão será aceito apenas em estabelecimentos parceiros.

Por se tratar de uma opção sem cartão plástico, o consumidor se torna livre para comprar sem depender de carteira ou celular. Tudo que ele precisa é digitar na maquininha de cartão seu CPF e senha de 4 dígitos criada no próprio aplicativo. Não depender de um dispositivo celular também é um importante avanço, já que a limitação de internet e bateria são ainda um obstáculo.

“Nossos planos são expandir as funcionalidades do cartão nos próximos meses, aumentar o poder de consumo dos usuários por meio do crédito e da recompensa e, também, permitir aos comerciantes promoverem suas vendas. A união com uma instituição financeira sólida como a que fizemos recentemente é fundamental para atingirmos esses objetivos”, afirma Daniel Abbud, cofundador e CEO da Beblüe.

Após campanha de lançamento feita em redes sociais, em que a Beblüe anunciou o lançamento do produto, a lista de espera superou a marca de 1 milhão de pessoas. Nessa primeira fase serão selecionadas apenas 20 mil usuários para testar a experiência do cartão digital Beblue. Em poucas semanas será estendido acesso para um maior número de pessoas.

Próximos passos

A intenção da Beblüe é oferecer uma solução híbrida, unificando as funções pré-pago (como um cartão de débito) e pós-pago em um mesmo produto.

“Acreditamos que o futuro do crédito é mobile. Os cartões tradicionais serão substituídos por apps que colocam os consumidores no centro de tudo, permitindo controlar melhor seus gastos e ajudando os portadores a usarem seu crédito de forma simples, garantindo uma experiência mais conveniente e transparente, sem taxas e custos escondidos, além de mais segurança. Nós estamos muito animados com as possibilidades desse novo cenário agregado à recompensa, que já é uma tendência mundial”, finaliza Daniel M. Gava, também cofundador da Beblue.

Tags, , , , , ,

Grupo Nexxera recebe o Meetup “Mulheres de Produtos” e fomenta o debate de igualdade de gênero no mercado de TI

O Grupo Nexxera, um dos principais players do mercado de tecnologia para transações eletrônicas, irá sediar a terceira edição do “Mulheres de Produto”, um projeto de incentivo à participação feminina na área de TI, na quarta-feira, 29, das 18h30 às 21h30. O objetivo dessa iniciativa é fazer com que as mulheres se sentirem mais à vontade nessa área, sabendo lidar com determinadas situações, obtendo conhecimentos específicos, compartilhando experiências, fazendo networking, conhecendo a dinâmica de outras empresas, entre outros. Tudo isso para torná-las mais seguras e fortes.

Segundo dados apresentados pela CA Technologies, uma das maiores fornecedoras de tecnologia corporativa do mundo, apenas 8% das vagas de desenvolvedores de software de todo o mundo e 11% dos cargos executivos das empresas de tecnologia no Vale do Silício (EUA) são ocupados por mulheres. No Brasil, apesar de serem maioria no Ensino Superior, as mulheres representam apenas 22% dos alunos nos cursos relacionados à computação (Censo IBGE 2010).

Áreas como tecnologia e exatas são dominadas por colaboradores do sexo masculino, porém, existe um forte trabalho para mudar este cenário e aumentar o protagonismo das mulheres, sobretudo, quando o assunto é tecnologia.

O “Meetup Mulheres de Produto” é um evento itinerante que acontece uma vez por mês. O encontro promove trocas de experiências, conversas e networking entre mulheres que atuam no setor ou pretendem explorar essa nova área.

Organizado coletivamente pelo grupo, a 3ª edição acontecerá no Grupo Nexxera por meio da iniciativa de uma colaboradora, Renata Schneider – Analista de Marketing de Produto do Grupo. “Iniciativas como essa fortalecem as mulheres e fazem elas se sentirem mais seguras no ambiente que trabalham. Isso é positivo para todos, inclusive para a própria empresa, que terá profissionais mais motivadas “, explica Schneider.

Tags, , , , ,

Primeiro evento de Inovação do mercado Fitness e Wellness já conta com centenas de startups inscritas

Nos dias 30, 31 de agosto e 1º de setembro, no Transamérica Expo Center Norte, em São Paulo, acontece a 19º IHRSA Fitness Brasil, considerado o maior evento da indústria Fitness da América Latina. Dentro deste evento será realizada a primeira edição do Fitness Innovation Brasil, uma iniciativa da Fitness Brasil e da Kogut Labs. Serão mais de 80 palestrantes, 120 expositores e 16 mil visitantes.

O objetivo da Fitness Inovation Brasil é fomentar o ecossistema de startups, promover inovação através de novos produtos e tecnologias, além de contribuir com o empreendedorismo no mercado de Fitness e Wellness. E, para isso, acontecerão uma série de iniciativas como: o Prêmio Fitness Innovation 2018, o Innovation Talks e o Startup Arena.

PRÊMIO FITNESS INNOVATION 2018

O Prêmio Fitness Innovation 2018 será concedido a uma de 10 startups pré-selecionadas nas categorias Nutrição & Suplementos, Tecnologia & Equipamentos e Metodologia & Treinos. Elas terão 5 minutos para apresentarem seus casos de inovação a uma banca de investidores e especialistas. Cada uma das vencedoras receberá um prêmio de R$ 5.000,00 além de poder ser acelerada pela Fitness Brasil Lab e conectada a rede de parceiros para ganhar escala e crescer exponencialmente.

Acontecerá também a Startup Arena, um espaço dedicado para empreendedores fazerem negócios, networking e divulgarem a sua startup na maior e mais respeitada vitrine do Fitness da América Latina. Em apenas 10 dias de inscrição, mais de diversas startups já adquiriram o espaço, dentre elas: Leths, Topa?, KDCare, Cone Training, DGLab, Physiconnect e ZW Cross.

Dentre os nomes da comissão avaliadora estão: Marcio Kogut, Serial Entrepreuner e CEO da Kogut Labs; Waldyr Soares, fundador e presidente da Fitness Brasil; Marcelo Kogut, investidor, especialista em tecnologia e COO da Kogut Labs; Fabio Saba, mestre em Ed. Física pela USP, diretor executivo da Saba Wellness Management; Gustavo Almeida, especialista em projetos pela FGV e diretor executivo da Fitness Brasil; Ricardo Cougo, consultor e professor de MBA na Uni. Federal do PR, PUC PR e Positivo; Leonardo de Moura, consultor de Marketing Digital, Co-Founder na Agência K/B.

Tags, , , , , ,

Mais de 30 empresas disputam profissionais em evento na Digital House

Na próxima semana, o campus da Digital House, hub de educação para a formação de profissionais de alta performance para o mercado digital, será palco de um dia diferente de recrutamento. Mais de 30 empresas terão seu espaço no Recruiting Day, um dia que tem como objetivo fazer o match entre os formandos da escola e as companhias que buscam os melhores profissionais.

Nesse dia, serão ofertadas mais de 500 vagas para os formandos nos cursos de Marketing Digital, Desenvolvimento Mobile Android e Desenvolvimento Web Full Stack. O curioso é que o modelo será diferente: não serão os candidatos que disputarão as vagas, mas sim, as empresas que irão brigar pelos melhores profissionais. Gigantes da tecnologia como Movile, Revelo, GE, Guia Bolso e Youse farão uma apresentação para fisgar os formandos para suas equipes. Cada uma das empresas presentes terá uma mesa para receber e conversar com os candidatos.

De acordo com a consultoria americana IDC, existem cerca de 250 mil postos de trabalho para profissionais de tecnologia no Brasil, um setor que movimentou US$ 38 bilhões só em 2017. Ou seja: muitas empresas procurando e poucos profissionais qualificados. Andrea Tedesco, mentora de carreiras da Digital House, aponta que esse foi o motivo que inspirou a fundação da escola no país. “Vivemos em um mundo onde não só consultorias e fábricas de software contratam profissionais de tecnologia; agora todos, literalmente, buscam esses perfis para que seus negócios façam parte da chamada Transformação Digital”, aponta Tedesco.

A especialista esclarece, ainda, que essa inversão de papéis é um modelo que surge da necessidade das empresas em encontrarem pessoas alinhadas à cultura da organização e grande potencial de desenvolvimento. “Os impactos causados pela velocidade exponencial de mudanças no mercado de trabalho são, ao meu ver, um dos importantes pilares dessa inversão de papéis”, analisa.

O Recruiting Day acontecerá com frequência na Digital House, o que significa que ainda há chances para quem ainda está em busca de uma oportunidade para trabalhar no emprego dos sonhos. Todos os meses abrem novas turmas na Digital House, e os cursos duram cerca de cinco meses – prazo suficiente para formar analistas nas áreas de Desenvolvimento Web Full Stack, Desenvolvimento Mobile Android, Marketing Digital, Experiência do Usuário (UX), Gestão de Negócios Digitais, Data Science e Data Analytics. Além disso, a escola promove eventos, workshops e encontros gratuitos para ajudar a orientar quem ainda não sabe que carreira seguir. “Sabemos que o mundo da tecnologia é novo para muita gente, e por isso, abrimos nossas portas para ajudar quem deseja entrar nessa área”, pontua Andrea. Por fim, a especialista aponta que em sua maioria, os alunos da Digital House são profissionais iniciando ou fazendo a transição para uma carreira no digital, pois vêm encontrando no setor a possibilidade de uma carreira promissora.

Tags, , , , ,

3 fatores necessários para promover a implementação do trabalho colaborativo

A computação em nuvem, por exemplo, se tornou essencial para a gestão de dados e documentos e execução de tarefas dentro das empresas – seja com clientes, colaboradores ou parceiros. De acordo com projeções do mercado, esse modelo de armazenamento tem apresentado taxas de crescimento que superam os 60% e espera-se que esse ritmo continue nos próximos dois anos. Em 2017, a Global Data entrevistou executivos brasileiros e apurou que 94% deles pretendem implementar soluções em nuvem até 2020.

Essa evolução acompanha e facilita os adeptos das duas maiores tendências dos formatos de trabalho no mundo corporativo: o trabalho remoto e o trabalho colaborativo. Isso porque, além de oferecerem infraestrutura de armazenamento de dados, algumas soluções possibilitam aos usuários o compartilhamento de documentos, a edição e backup em tempo real, migração de dados e alta conectividade do sistema.

Com todas essas ações possíveis, o profissional consegue otimizar e organizar suas demandas. Mas, para que a gestão na nuvem seja eficiente, apresente bons resultados e englobe todas essas ferramentas, é preciso considerar alguns recursos. Marcelo Ramos, vice-presidente sênior e gerente geral da Axway para América Latina – uma empresa que acelera a transformação digital – elenca três fatores essenciais para o compartilhamento e sincronização de arquivos empresariais com sucesso:

1. Segurança: uma nuvem, antes de tudo, precisa ser segura. E essa ainda é uma das maiores barreiras que impedem sua popularização. A pesquisa ‘The State of Cloud Analytics’, realizada em 2016, indicou que 40% dos entrevistados viam questões de segurança e compliance como o principal obstáculo para a implementação do serviço. Por isso, investir em um serviço maduro que permita ao usuário proteção global de última geração e conformidade com a máxima visibilidade e controles de segurança é essencial para obter sucesso.

2. Sincronização: manter informações sincronizadas é outro aspecto importante e que deve ser avaliado no momento de escolher uma solução de compartilhamento de arquivos. Imagine a seguinte situação: duas pessoas estão trabalhando em um projeto e precisam editar o arquivo ao mesmo tempo, em dispositivos e locais diferentes, sendo assim uma solução que permite a colaboração e atualização em tempo real, com acesso contínuo ao conteúdo se torna essencial.

3. Mobilidade: sabe-se que o trabalho remoto já se tornou um modelo dentro de muitas empresas, sejam elas multinacionais, que precisam conectar profissionais alocados diferentes países e regiões, ou aquelas que oferecem a possibilidade do home office para seus colaboradores. De acordo com o Future Workforce Report – elaborado pela UpWork – os gerentes de RH já estimam que 38% de seus colaboradores estejam trabalhando remotamente, o que faz com que soluções de compartilhamento e sincronização de arquivos sejam capazes de serem acessadas a qualquer momento, de onde a pessoa estiver – seja de um notebook, desktop, tablet ou celular.

Tags, , , , , ,

O que muda com o projeto de transferência de dados entre Google, Microsoft e outros?

Por Wellington Lordelo

Os dados desempenham um papel fundamental no mundo conectado. Governos e empresas estão procurando maneiras de acessar, analisar e compartilhar conjuntos de informações cada vez maiores, que por sua vez levarão a insights mais precisos e, por fim, ao crescimento das organizações. Porém, ao combinar grandes volumes de dados e as várias nuvens disponíveis para armazená-los, você pode ter um problema significativo de “migração” entre elas (e o avanço da Internet das Coisas pode complicar esse cenário ainda mais).

Nesse sentido, a colaboração recente entre Google, Microsoft, Facebook e Twitter para padronizar e simplificar a transferência de dados é um passo positivo. Chamado de Data Transfer Project (DTP), o projeto visa a criação de uma estrutura comum com código aberto que possa conectar provedores de serviços diferentes, possibilitando a portabilidade das informações de forma direta. O grande desafio que surge com essa oportunidade é fazer com que os dados sejam agregados e transmitidos com segurança e agilidade, a partir de um ambiente central e neutro.

É aqui que entra a interconexão. Ao permitir acesso direto, privado – e, principalmente, neutro – entre os diferentes players, a solução é a chave não só para a velocidade na transação de grandes volumes de dados, mas também da garantia de segurança para tal. Tanto via Internet quanto em jnterconexão é possível fazer uma transferência de dados; porém, garantir velocidade e principalmente segurança, somente um provedor carrier neutral pode oferecer tal vantagem. Ninguém vai querer que seus dados mais sensíveis possam ser interceptados e roubados por alguém mal-intencionado. Mas como a interconexão – agora aliada ao Data Transfer Project – pode ajudar?

Quando você tem um grande volume de dados, é muito difícil, demorado e caro move-los entre nuvens diferentes. No entanto, a necessidade de um modelo multicloud ou híbrido tem se tornado cada vez mais premente, à medida que as organizações precisam adequar diferentes aplicativos e cargas de trabalho a diferentes locais de armazenamento. Hoje a interconexão já facilita o acesso a dados a partir de um local central neutro e a aplicativos executados em diferentes nuvens (que exigem diferentes formatos). O Data Transfer Project tornará esse modelo multicloud ou híbrido ainda mais realista.

Além disso, a segurança das informações também é um fator relevante aqui. Empresas e governos podem ter de mover dados entre nuvens por várias razões, mas precisam fazer isso sempre com criptografia. É desejável – e, em alguns casos, legalmente exigido – não armazenar as chaves de segurança na mesma nuvem onde os dados residem. Nesse sentido, uma solução como a Equinix SmartKey pode ajudar os clientes a consolidar seu gerenciamento de chaves em várias nuvens, a partir de um local neutro / central que forneça acesso em alta velocidade.

Enfim, a interconexão e o Data Transfer Project podem alavancar em definitivo o modelo de multicloud e cloud híbrida, evitando o “bloqueio” entre nuvens e ajudando as organizações a aproveitarem melhor os serviços de diversos provedores. Ainda é muito cedo para avaliar a reação do mercado brasileiro em relação ao DTP, mas do ponto de vista da interconexão, aqui no Brasil já temos tudo pronto para suportar essa troca de dados de forma ágil e segura. A Equinix tem uma visão favorável dessa iniciativa e espera oferecer o valor esperado pelas organizações.

Wellington Lordelo, gerente de Solution Marketing da Equinix Brasil

Tags, ,

Mercado Livre Experience: especialistas ensinam a abrir loja virtual de graça em poucos minutos

Durante o Mercado Livre Experience, evento focado em inovação para e-commerce, que acontece no dia 01 de setembro, no São Paulo Expo, será possível criar uma loja virtual gratuita em poucos cliques com a ajuda de consultores e especialistas em comércio eletrônico. A iniciativa é da Loja Integrada (www.lojaintegrada.com.br) – plataforma de e-commerces mais popular do Brasil com 700 mil lojas criadas -, e tem como objetivo ajudar os visitantes do Mercado Livre Experience a abrir sua própria loja online com agilidade e segurança.

“A missão dos consultores durante o evento é orientar quem tem o sonho de abrir o próprio negócio na internet sem altos investimentos. Na Loja Integrada, por exemplo, o plano gratuito permite que o empreendedor ofereça até 50 produtos sem gastar nada com a manutenção da loja”, explica Alfredo Soares, especialista em comércio eletrônico e diretor da Loja Integrada.

Crescimento do e-commerce

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o e-commerce chegar a faturamento de R$ 37,9 bilhões no segundo semestre de 2018. Já um levantamento realizado recentemente pela Loja Integrada mostra que de janeiro a junho deste ano foram criadas mais de 36 mil lojas virtuais – só no estado de SP.

Ainda segundo pesquisa da plataforma, o investimento inicial para abrir uma loja virtual no Brasil é de menos de R$1 mil – cerca de 49% dos entrevistados disseram que investiram esse valor para abrir o novo negócio na internet. “As pessoas enxergam na loja virtual uma oportunidade de empreender e também complementar a renda. Como o investimento inicial e os riscos são baixos, isso permite que o lojista experimente, arrisque. Percebemos que a loja virtual começa como uma alternativa de renda – geralmente em paralelo com outro emprego – e, com o crescimento, torna-se a fonte de renda principal”, finaliza Soares.

Movimento “Bora Vender” incentiva empreendedorismo no comércio eletrônico

Nesta edição do evento a Loja Integrada criou o movimento #boravender, que tem como objetivo levar capacitação e ajudar os lojistas virtuais a venderem mais. O projeto irá oferecer brindes e descontos com participação de empresas parceiras do segmento de e-commerce, entre eles: setup grátis do Mercado Livre integrado com a loja virtual, três meses de serviços gratuitos, além de camisetas e outros descontos para começar um negócio de sucesso.

Mercado Livre Experience

Quando: 01 de setembro

Local: Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – Vila Água Funda, São Paulo – SP

Stand Loja Integrada: Giga 11

Tags, , , ,

Programa gratuito de aceleração destaca 12 startups com ideias inovadoras

Entre os dias 18 e 20 de agosto, o InovAtiva Brasil, programa gratuito de aceleração para negócios inovadores de qualquer setor e região do Brasil, realizou a 8° edição dos eventos Bootcamp Nacional e Demoday InovAtiva, que contaram com mais de 300 pessoas, entre empreendedores, investidores, especialistas e parceiros.

Com o objetivo de fomentar o ecossistema de startups brasileiro, estiveram presentes 68 investidores e 83 mentores de organizações como: Google, Braskem, Randon, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Techmall, Woow, Renault, Startup Farm, GV Angels, ACE, Redpoint e Baita.

O evento marca uma etapa importante do ciclo de aceleração 2018 do InovAtiva e inicia um processo de conexão das startups com o mercado. Segundo Heloisa Regina Guimarães Menezes, Diretora Técnica do Sebrae, o conhecimento, acesso à rede, ao mercado e a investidores são os principais benefícios do InovAtiva. “É um programa que cresce a cada ano, não só no quantitativo. Esse ano tivemos mais de 1200 ideias de startups inscritas. Hoje, chegamos com esse grupo e finalizamos com as 12 selecionadas”, comenta.

Durante o final de semana, as startups que se destacaram foram: Feedz, plataforma de engajamento de colaboradores; Hubot, sistema “Plug-and-Play” para casas e escritórios; Antecipa Fácil, plataforma tecnológica para leilões de duplicatas; Onsurance, empresa de seguros on demand; WhatsShare, startup focada em transformar a comunicação entre empresa e cliente via WhatsApp; PATRON, serviço web que facilita a vida de quem produz e de quem apoia a cultura nacional; InfiniBrains, ferramenta online 3D para ser utilizada por médicos durante cirurgias; Blindog, assessório para cães cegos que detecta obstáculos; VocêQpad, app de autoatendimento para restaurantes, bares e lanchonetes; SHELFPIX, plataforma de inteligência artificial para o monitoramento de gôndolas; Biosolvit, empresa de biotecnologia aplicada ao desenvolvimento de novos materiais e Aya Tech, fabricante de produtos para prevenção de doenças.

Para Leandro Carioni, Diretor do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação Certi, o InovAtiva Brasil promove uma conexão de startups de todos os lugares do país com o ecossistema do centro econômico do Brasil. De acordo com ele, “o Bootcamp e Demoday são eventos que abrem portas para que empreendedores do Brasil inteiro possam se conectar e fazer negócios com investidores e grandes empresas”.

Tags,

Como definir o perfil do estagiário para uma empresa

Por Ruy Leal

Há mais de 50 anos, desde a melhor adequação do instituto no país, as empresas têm à disposição formar futuras equipes a partir de estagiários bem preparados. Se esse instrumento de formação de equipes for avaliado com atenção, será verificado que se trata de forte caminho de entrosamento entre profissionais já experientes e jovens talentosos com vontade de aprender.

É comum que muitos profissionais tenham passado pelo estágio, o que facilita aos estagiários encontrar melhor receptividade nas empresas em seu programa de aprendizado prático. Isso porque já passaram pelo estágio e compreendem quais os dilemas, dificuldades e possibilidades que permeiam esse período de aprendizado. Entretanto, não é suficiente para fazer funcionar a relação dos orientadores-desenvolvedores e os estagiários.

As melhores práticas levam as empresas a observar quesitos obrigatórios que ensejam à obtenção de bons resultados. Nesses quesitos se encontram os aspectos operacionais, legais, técnicos e sociais do estágio, porém passam pelos objetivos a alcançar com o programa de estágio e pela definição dos perfis dos que atuarão nele.

Formar futuros quadros de profissionais a partir de um programa de estágio exige, antes, adequação dos perfis dos estagiários buscados com o perfil do que seja valor para a empresa. Para isso, é necessário que as partes (estagiário e empresa) tenham interesses comuns, que construam o fortalecimento da relação. Se o ponto de partida é o fato de que um lado quer vender o seu potencial e o outro quer comprar, a manutenção dos interesses só ocorrerá se houver comunhão dos perfis.

É essencial, então, que o ponto de partida para modelar boas equipes por meio de programas de estágio seja a empresa avaliar, com especial atenção, o mais adequado perfil de jovens que serão preparados para o futuro dos seus negócios. Vincular esses perfis ao foco do que se valoriza faz que as chances de êxito aumentem muito.

Ruy Leal, presente no mercado há mais de 35 anos, com a atuação em capacitação de jovens para o ingresso no mercado de trabalho e na orientação de profissionais de Recursos Humanos e educadores sobre programas de estágios, coaching e mentoring. Foi Diretor da APARH DF e Conselheiro da APARH SP.

Tags, , , ,

Quer ir ao Vale do Silício? Confira quatro exemplos nacionais para se inspirar

Por Eduardo Küpper

O Vale do Silício é o apelido de uma região na baía de São Francisco, nos Estados Unidos, e que se transformou, ao longo das décadas, no principal polo tecnológico do planeta. É lá que estão parte das maiores e melhores empresas de TI do planeta – e também é lar para algumas das melhores ideias que revolucionaram o mundo. Isso faz com que o local também seja ponto de chegada para empreendedores do mundo inteiro, dispostos a aprenderem as lições e segredos dessas organizações e implementarem em seus negócios.

Entretanto, não basta ir lá com apenas uma boa ideia na cabeça: é preciso conversar, negociar, mostrar e, principalmente, apresentar suas soluções na prática para conquistar a atenção dos investidores. Portanto, antes de fazer as malas e ir até o Vale do Silício em busca de investidores, veja algumas dicas de empresas brasileiras que conseguiram se destacar no competitivo mundo das startups.

Continue inovando e buscando soluções para o mercado

Os jovens Henrique Dubugras e Pedro Franceschi ficaram conhecidos aqui no Brasil ao criarem a Pagar.me, uma solução de pagamento inovadora que possuía recursos para atender tanto os pequenos quanto os grandes empresários. A ideia deu certo e a startup cresceu rapidamente. Mas eles não pararam por aí. Nos Estados Unidos, criaram a Brex, responsável por um cartão de crédito para empresas financiadas por capital de risco. Esse modelo de negócio já atraiu a atenção de gigantes do Vale do Silício e ganhou US$ 57 milhões de investimento por meio de Peter Thiel e Max Levchin, cofundadores da PayPal, Y Combinator Continuity e Ribbit Capital.

Esteja antenado ao mercado e ao público-alvo

Em 2017, o Bitcoin chegou a valorizar mais de 1500% e, no início de 2018, havia mais brasileiros investindo em criptomoedas do que na Bolsa de Valores. É inegável a popularização dessa categoria e a necessidade de soluções que estimulem seu uso. Essa é a ideia que motivou o surgimento da Atomic Fund, um fundo de investimento livre especializado em criptomoedas. A plataforma permite que investidores depositem suas moedas criptografadas em uma “carteira digital”. A proposta agradou os investidores do Vale do Silício. Em março de 2018, a empresa foi a única brasileira presente no programa de aceleração Boost VC Blockchain.

Busque soluções que transformam a vida das pessoas

A união entre medicina, biologia e tecnologia já é uma realidade, com desenvolvimento de soluções que combatem doenças e problemas de saúde. Conhecido como Bioinformática, esse segmento deve ter um crescimento médio anual de 16,8% até 2024, segundo o Data Bridge Market Research. A brasileira NAIAD Design de Compostos Bioativos surgiu em 2018 para pensar em produtos que possam transformar a vida das pessoas. A empresa cria moléculas bioativas atingindo os Receptores Acoplados à Proteína G. O objetivo é desenvolver medicamentos melhores para tratamento de dores, hipertensão e arritmia. Com menos de seis meses de fundação, a startup tem planos de expandir para outros países e conseguir aporte financeiro internacional.

Planeje e expanda o modelo de negócio

Startups que desejam se consolidar em seus segmentos e atrair investidores estrangeiros precisam, evidentemente, expandir sua atuação a outros mercados e impactar um número maior de pessoas. A brasileira Pipefy, responsável por uma plataforma em nuvem que permite gerentes de operações e negócios implementarem novos processos em suas empresas sem depender de TI, nasceu em 2014 e desde o início colocou como meta internacionalizar a empresa e oferecer seus serviços para outros países. Em março, recebeu aporte de US$ 16 milhões na rodada encabeçada pela OpenView Partners, Trinity Ventures, Redpoint Ventures e Valor Capital. Assim, vai conseguir consolidar suas equipes não só no Brasil, mas também em São Francisco, nos Estados Unidos.

Eduardo Küpper, MBA pela Wharton Business School e MA em Estudos Internacionais pelo The Lauder Institute, ambos na Universidade da Pensilvânia e Co-fundador da Wharton Alumni Angels Brasil

Tags, , , , ,

InstaCarro recebe aporte de R$ 17 milhões e completa mais de R$ 100 milhões em fundos de investimentos recebidos

O ano de 2018 foi de mudanças para a InstaCarro, startup que viabiliza negócios rápidos, seguros, transparentes e com os melhores preços de lojas e concessionárias para quem quer vender o carro. A empresa ganhou ainda mais fôlego e notoriedade no cenário brasileiro e anuncia planos de expansão arrojados. Com um novo aporte, dessa vez de R$ 17 milhões, provenientes dos fundos de investimentos FJ Labs, Lumia, Hummingbird e Rise, a companhia somou um total de mais de R$ 100 milhões já recebidos desde sua chegada no mercado brasileiro, no final de 2015.

O cenário é reflexo do modelo de negócios da InstaCarro, baseado na praticidade e muita facilidade na hora de compra e venda de um carro. Com o novo aporte, a empresa vai investir em expansão regional, chegando às cidades de Curitiba, Porto Alegre, ambas no modelo B2B, e Belo Horizonte, Santos, Ribeirão Preto, Campinas e interior, no modelo B2C.

Para a atuação regional, a companhia terá um Gestor Nacional para Varejo. “A escolha dessas regiões se deu por conta do potencial de crescimento que apresentam. Não descartamos a possibilidade de expandir ainda mais. A ideia é estar também no mercado Latino Americano, iniciando pela Argentina, nos próximos cinco anos”, explica Luca Cafici, CEO e Fundador da InstaCarro, que é argentino e conta sobre os planos internacionais também por conta de sua naturalidade e forte conhecimento desses mercados.

O aumento da rede de parceiros (canais para vistoria, inspeção e avaliação) também faz parte das iniciativas. Atualmente, na capital paulista são 10, mas o objetivo é chegar a 50 até o final do ano. Para isso, a InstaCarro anuncia a criação de um plano de canais para expandir de forma escalável.

Com uma cultura altamente enraizada em tecnologia, grande parte do investimento será feita na plataforma que faz a empresa girar de maneira ágil. “Aqui enxergamos a tecnologia como investimento e jamais um custo. Quanto maior a robustez, mais a empresa evolui e proporciona benefícios para os mercados B2B e B2C como um todo”, completa Cafici.

Tags, , , , ,

10 dicas para aumentar as chances de conseguir um emprego

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) trimestral, divulgada no último dia 16/08, pelo IBGE, apresentou muito mais do que a variação da taxa de desemprego que hoje oscila na casa dos 13 milhões de pessoas. “A PNAD mostrou que temos uma grande sombra composta por pessoas fragilizadas pela situação crônica da falta de vagas de trabalho dos últimos três anos. São os que desistiram de procurar, os que procuram há mais de dois anos e os que trabalham menos do que podem”, analisa Marcelo Bueno, master coach e associado da SBCoaching.

O número de pessoas que desistiu de procurar emprego bateu um recorde histórico e é o maior desde a criação da pesquisa. São 4,8 milhões, 203 mil pessoas a mais que no 1o trimestre. “Isso demonstra que não temos somente um problema de falta de vagas, mas de profissionais que chegaram ao seu limite em diversos sentidos, e se tornam inertes a valores e motivadores como dignidade, propósito e objetivos”, explica Bueno.

O coaching não multiplica vagas de emprego, e, muito menos, é capaz de garantir que alguém conseguirá um emprego, se seguir suas ferramentas. Por outro lado, é uma técnica científica e validada de aumento de performance e condução de um indivíduo do ponto onde está para o que quer chegar. “Em um processo seletivo, ter conhecimento e ser preparado para desempenhar, de forma otimizada, o que há de mais forte em você, bloqueando a ação de fatores que, inconscientemente, o distanciam do seu objetivo, certamente agrega ao candidato uma enorme vantagem em relação aos demais”.

3,1 milhões estão procurando emprego há mais de 2 anos. Como será que ficam sua autoestima e autoeficácia?

Buscar emprego por um longo período gera efeitos profundos e pode desencadear um ciclo, no qual a conquista de uma vaga acaba por se tornar improvável. “Uma pessoa que foi recusada em dezenas de seleções e entrevistas, passa a duvidar da sua capacidade, dos seus talentos. Ela se torna insegura, desmotivada. Perde uma importante competência: a autoeficácia, que é a confiança em si mesmo, da capacidade de poder realizar determinada função ou tarefa. Isso, afeta sua autoestima, que, por sua vez, impacta em sua personalidade, comportamento, humor, além da forma como se relaciona socialmente”, conta Bueno.

“Não é raro, uma pessoa assim transparecer desinteresse para o selecionador. Ela não tem energia. Muitas vezes, evita o olhar direto, procura se proteger de alguma forma, inclusive, fisicamente, em sua postura ao sentar, cumprimentar, falar”, continua

O ciclo está feito. Negativas geram insegurança e baixa autoestima, que geram mais negativas. “Quando entra neste ciclo, o profissional não consegue dedicar suas energias para mostrar suas competências técnicas, o que pode oferecer ao cargo e à empresa. O coaching é perfeito para trazê-lo de volta para poder realmente competir por oportunidades de emprego”.

10 dicas com base no coaching para aumentar suas chances

Master coach da SBCoaching, com ampla experiência em atendimentos de equipes corporativas e professor de cursos de Psicologia Positiva Aplicada aos negócios e vendas, Marcelo Bueno montou uma lista de 10 dicas com base nos princípios do coaching que são úteis para todo candidato que está em busca de recolocação. “É duro ver estes dados e saber que em muitasempresas existem vagas abertas não preenchidas por ausência de candidatos com o perfil. Pode ser que uma parcela tenha a ver com uma questão mais técnica, de qualificação. Mas também há outra parcela destas vagas que poderiam estar preenchidas, caso os candidatos com o perfil estivessem preparados para a seleção e prontos para apresentar suas competências e habilidades”, finaliza Marcelo Bueno.

1. Trabalhe suas crenças limitantes. Crenças limitantes são afirmações e ideias que generalizamos e nos impedem de entrar em ação de uma forma positiva. Por exemplo: “o País está em crise”, “são “13 milhões de desempregados, eu sou só mais um”, “como eu vou arrumar emprego com tanta gente procurando?”. Troque uma crença limitante por uma crença fortalecedora. A forma como você se pergunta é que faz você pensar diferente. Como no caso, o que eu posso fazer para me diferenciar e encontrar o emprego que eu desejo? O que eu posso fazer de diferente para encontrar algo que tenha a ver com meus talentos e usar os recursos que eu tenho? O que eu já fiz de diferente no passado e que fez eu me destacar ou arrumar algum emprego? Ou seja, é sair de questionamentos que te limitam e ir para os que te fortalecem.

2. Trabalhe o seu estado emocional. Primeiro, crie uma âncora. Pense no estado emocional que você deseja, como, por exemplo, confiança. Toque, estimule uma parte do seu corpo, como por exemplo fechar a mão e apertar, tocar no pulso, bater na perna. Depois feche os olhos e recorde de uma situação em que você viveu este estado, procure relembrar os detalhes deste momento, enquanto ative a ancoragem fazendo o toque que você escolheu. Faça uma respiração profunda e repita diversas vezes este toque . Pronto, você agora tem uma âncora. Sempre que precisar ativar este estado emocional deve usar o toque, estímulo na parte do seu corpo que escolheu.

3. Construa o seu objetivo de forma específica, mensure o caminho para atingi-lo, avalie a relevância na sua vida e mensure o tempo para cada etapa. Para ser específico, você tem que projetar o que seria o seu ponto de chegada, pensar em todos os detalhes, não só do que deseja, mas como você se sentiria, como seria seu dia, como se relacionaria com seus amigos e familiares, quais seriam suas tarefas, o que i teria que não tem hoje. Quando tem o objetivo claro, você pode evoluir para a mensuração do caminho a ser percorrido para atingi-lo. Por exemplo: “quero ter um emprego em determinada função. O que eu preciso? Me vestir melhor, mudar minha postura, fazer um novo currículo, me matricular em um curso mostrando que estou aprimorando meus conhecimentos”. Por fim, é importante verificar se este objetivo é relevante em sua vida, se ele faz sentido dentro do seu propósito e, então, mensure o tempo que cada etapa do caminho deverá durar para ser executada com data exata. “Até o dia 30 de agosto, terei enviado currículo para estas empresas”.

4. Elabore uma grade de prioridades para atuar no quadrante das coisas fáceis e que trazem grandes resultados. Não é fazer qualquer coisa. É fazer o que traz resultado para o seu objetivo. Eu não devo fazer um curso gratuito, porque ele é gratuito ou fácil de fazer. Eu devo fazer um curso, porque ele vai potencializar minha experiência e oferta profissional. Não adianta investir em ações sem impacto. Pare e pense. O que eu posso fazer que é rápido, fácil e me traga grandes resultados?

5. Trabalhe as forças e os talentos aliados com as oportunidades que tem com eles. Não é qualquer emprego que me serve. As pessoas dizem “eu aceito qualquer coisa”, “me ofereceu emprego eu estou lá”. Só que chega lá e, por não estar alinhado com as suas forças, você vai se desmotivando, não é o que você gosta, executa um trabalho ruim, é mandado embora e cai novamente no desemprego. E ainda perde a oportunidade de volta a esta empresa, por ter deixado uma imagem de um profissional ruim. Invista no que você é bom, nas suas capacidades e habilidades.

6. Mantenha sua mente positiva. Mude seu “mindset”. Trabalhe a gratidão. Quando eu trabalho a gratidão, isso me gera um bem-estar e a gratidão é algo de bom que aconteceu ou você recebeu e tem que retribuir. Isso vai te envolvendo em energias positivas para que tenha ânimo e conquiste seu objetivo. Você pode fazer isso, criando uma lista de 10 coisas pelas quais é grato. Leia essa lista todos os dias.

7. Tenha clareza sobre o seu propósito de vida. Escreva qual é o seu propósito de vida. Qual é o legado que você gostaria de deixar. Se hoje você não estivesse mais presente neste planeta, o que gostaria que as pessoas falassem de você? Este é o seu propósito. Isso é a sua força-motriz, é a motivação intrínseca que te faz acordar todos os dias e dizer que você vive por algo. Você precisa ter clareza de qual é o seu propósito. Uma forma de identifica-lo é fazer uma lista dos seus 5 principais talentos ou características. Depois, descreva os seus comportamentos que expressam eles. Em seguida, as ações que provam estes talentos. Identifique 5 principais objetivos pessoais e profissionais. Compreenda qual é o seu objetivo financeiro em 1 ano. Então, filtre para 3 talentos/ características. Eles serão sua missão, os comportamentos os meios para concretizá-la e os objetivos suas metas de vida.

8. Faça um trabalho voluntário. Martin Seligman, conhecido como pai da psicologia positiva apresentou um trabalho chamado Filantropia x Diversão, que mostrou que as pessoas ficam mais felizes quando estão praticando filantropia do que quando estão somente se divertindo. Doar algo, sem querer nada em troca, gera um alinhamento de que você acabará tendo isso de volta de outra forma. Uma forma concreta é que, com essa felicidade, você é capaz de ser a sua melhor versão e aumentar seu potencial e performance.

9. Entre em forma. Os resultados da prática de atividade física regular podem ser observados em diversas esferas. Temos ganhos fisiológicos, psicológicos e evidências que apontam a redução de depressão, e até de morte prematura. Precisamos trabalhar de forma sistêmica. A mente trabalha com pensamentos positivos, conhecimento, e o corpo tem que ter atividade para ter energia e força para sair daquele estágio de que “nada está dando certo”. Você pode procurar emprego andando, arejando sua mente no trajeto, nas imagens e paisagens que visualiza, exercitando seu corpo, se fortalecendo como um todo.

10. Nossa fisiologia é importantíssima para definir nossas ações e resultados. Perceba como está seu olhar, seu sorriso, sua expressão ao procurar emprego, qual a posição dos seus ombros e posturas que refletem uma ideia de “aqui não vai dar certo também, mas ok, é só mais um emprego”. Quando tem este tipo de pensamento, você está com uma fisiologia totalmente derrotada. Você precisa mudar esta fisiologia. Precisa erguer seu peito e se posicionar como em algum outro momento, no qual se sentiu vitorioso, alegre, entusiasmado. Com isso, você cria um foco, o que está buscando e onde quer chegar. Você se coloca como se já estivesse entrando para trabalhar naquela empresa, que, isso é importante para você e te gera um estado emocional positivo. Esse ciclo te faz ter uma ação e um comportamento totalmente diferente que te leva a atingir os resultados que deseja.

Tags, , , , , ,

Unisys apresenta soluções do sistema Elevate para o setor bancário no Fintech Américas 2018

A Unisys Corporation (NYSE: UIS) participa, nos dias 6 e 7 de setembro, da Fintech Américas 2018. A conferência, que terá como tema principal a transformação digital para instituições financeiras, reunirá centenas de organizações de diferentes países da América Latina e América do Norte para discutir inovações e melhores práticas que ajudem os bancos a serem mais ágeis e competitivos. A Unisys participa pela segunda vez e é patrocinadora Platinum desta edição do Fintech Américas.

No primeiro dia do evento, Jorge Gomez, diretor de serviços financeiros da Unisys para América Latina, apresentará o painel “Welcome to the age of the customer”. Para o executivo “os clientes têm cada vez mais informações e estão usando isso para tomar suas decisões. Competir na atual área de serviços financeiros disruptivos exige que os bancos respondam aos clientes de maneira cada vez mais rápida e ágil, gerenciando um ambiente de negócios mais complexo. Durante o Fintech Américas, vamos apresentar o que é necessário para proporcionar experiências sem atrito que os clientes exigem e esperam”.

No Fintech Américas 2018, a empresa apresenta para o público e clientes o sistema Unisys Elevate, solução disruptiva e integrada que pode ser personalizada de acordo com as regulamentações e condições de cada mercado, desempenhando a função de centro de integração de muitas funcionalidades e soluções, em uma única plataforma. Baseado na plataforma Retail Banking Delivery da Unisys, o produto incorpora um alto nível de segurança, com recursos integrados de biometria adaptável e análise de dados para identificar clientes, autenticar acesso e validar transações.

“Essas aplicações previnem fraudes e aprimoram a experiência dos clientes, além de cumprir requisitos regulatórios e reduzir significativamente os custos de certificações e normas de conformidade da indústria financeira”, afirma Luis Carlos Rego, vice-presidente e líder de serviços financeiros da Unisys para América Latina.

Também serão apresentadas soluções de segurança do sistema Stealth para instituições financeiras. Essa solução garante proteção adaptável por meio do uso da tecnologia de microssegmentação em empresas, protegendo usuários, dados, aplicações e sistemas contra ameaças cibernéticas. Mediante a criação de comunidades seguras, usuários e dispositivos autorizados conectados à rede (seja no data center, em nuvem pública, ATMs, Internet das Coisas, etc.) são protegidos em segmentos criptografados criados pelo Stealth, camuflados contra invasores externos e protegidos contra ameaças internas.

Serviço – Fintech Américas 2018

Data: 6 e 7 de setembro

Local: Fontainebleau Miami Beach (4441 Collins Ave, Miami Beach, FL 33140, EUA)

Painel – “Welcome to the age of the customer”

Data: 6 de junho

Horário: 9h35 às 10h

Palestrante: Jorge Gomez, diretor de serviços financeiros da Unisys para América Latina

Mais informações: http://www.fintechamericas.co/

Lei de privacidade de dados aquece mercado de trabalho no Brasil

Na última semana, o Presidente Michel Temer sancionou a PLC/53, popularmente chamada de GDPR brasileira. Com a aprovação final da lei, foi estabelecido um prazo de 18 meses para as empresas se adaptarem e implementarem as mudanças necessárias. Para aplicar as devidas alterações, no entanto, as empresas precisarão contratar ou capacitar seus profissionais.

Para Frederico Costa, diretor da Randstad Technologies, a demanda por profissionais especializados em segurança da informação deve crescer cerca de 30% nos próximos seis meses no País. “Como o prazo para adaptação das empresas brasileiras é o dobro do que os europeus tiveram, haverá tempo para treinar os profissionais atuais”, explica. De acordo com o especialista, a Europa viu a demanda por esses profissionais crescer em 80% nos 3 meses até que a lei entrasse em vigor, e muitas empresas tiveram que terceirizar as soluções devido ao curto prazo para adaptação.

Na Europa, o movimento aconteceu logo após o escândalo do Facebook com a Cambridge Analytics, como uma forma de solucionar o problema urgente. “Com a grande repercussão do caso, empresas no mundo todo começaram a se preocupar com a segurança de dados, com reflexos inclusive no Brasil”, relembra o especialista. Já no Brasil, a aprovação da lei é reflexo de um movimento global e, por isso, não há tanta pressa.

De acordo com Frederico, o Brasil experimentará um aumento na demanda por profissionais com cargos de analistas e especialistas, com foco em Ethical hacker, SOC, CSO e DevSecOps.

Rodobens lança programa de conexão com startups

Estão abertas as inscrições para o programa Inova Rodobens, da Rodobens Consórcio, que tem como objetivo se associar a startups, transformar o setor de consórcio e aprimorar a experiência de seus clientes e parceiros de negócios.

O programa priorizará três desafios importantes para alcançar os objetivos: fidelização de parceiros a partir do acesso facilitado às ferramentas de tecnologia e ao cliente final, ampliação do perfil do público ao apresentar de forma simplificada o produto e o mercado de consórcios e realização de vendas por meio de um canal digital atrativo para o consumidor. A companhia pretende unir seu know-how com a tecnologia e mind-set das startups.

“O Inova Rodobens conectará a organização com startups. A ideia é que estas empresas apresentem um produto mínimo viável (MVP) experimentado em pequena escala ou que já esteja no mercado. A Rodobens poderá contratá-la como fornecedora ou realizar uma parceria comercial para ofertar soluções para seus cooperados”, explica o diretor geral da Rodobens Consórcio, Ronald Macedo Torres.

O cronograma está composto por quatro fases: período de inscrições para todo o Brasil até o dia 10 de setembro, pré-seleção dos inscritos, evento Pitch Day para apresentação das soluções e divulgação dos selecionados em 5 de outubro. A propriedade intelectual original da solução apresentada continuará sendo da startup. Potenciais investimentos em Equity poderão ser discutidos, dependendo da aderência da solução à estratégia da Rodobens.

Para mais informações sobre o programa e inscrições, acesse o site http://lp.startse.com.br/programa/programa-inova-rodobens

Tags, , , , , ,

Pedro Waengertner aponta 5 dicas para liderar startups de sucesso

O mercado de startups tem crescido cada vez mais nos últimos anos. De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), em 2017, o país registrava cerca de seis mil. A instituição estima que existam entre 10 a 15 mil empresas, mas muitas ainda estão em fase de ideias e nem todas com CNPJ ativo.

De acordo com o especialista em startups do meuSucesso.com e fundador da ACE, Pedro Waengertner, o volume de investimentos no setor está aumentando e deve manter esse ritmo de crescimento nos próximos anos, fato favorável para que mais empreendedores decidam colocar seus negócios em prática.

“O Brasil tem muitas oportunidades a serem preenchidas por startups, uma vez que o mercado está crescendo em nichos específicos e promovendo o desenvolvimento com tendências que tragam novidades para o consumidor. Hoje, é perceptível um aquecimento do setor como nunca foi visto antes”, avalia Waengertner.

Entre as tendências esperadas para o futuro das startups, além do aumento de investimentos no setor, o especialista aposta na internacionalização das empresas brasileiras. “A visão geral é que essas tendências nos próximos anos serão muito fortes. As startups brasileiras pensarão em internacionalização para mercados em qualquer lugar do mundo”, aponta. “Outro movimento em crescimento é o de financiamento das startups, por meio dos chamados ICOs (oferta pública de ações feita com criptomoedas)”, acrescenta.

Líder de uma das maiores aceleradoras de startups da América Latina, Waengertner aponta algumas dicas para que empreendedores tenham sucesso no universo das startups.

1 – Observe os hábitos de consumo dos clientes

Preste atenção no hábito de quem está na ponta e veja como as pessoas estão mudando e consumindo as coisas. Por exemplo, veja o que elas estão consumindo no celular, o que está na primeira tela, tudo isso é uma boa pista do que está por vir. A maneira que você tem para mapear as tendências, além de olhar os relatórios econômicos que surgem, é observar as coisas mais sutis, ou seja, os movimentos na ponta, identificando os novos hábitos dos indivíduos.

2 – Esteja preparado para assumir seu papel como líder

Você deve estar pronto para crescer rapidamente e assumir uma posição de liderança no mercado em que atua, ou seja, uma startup precisa crescer mais rápido do que o mercado e se destacar perante a concorrência dentro da sua categoria.

3 – Você sempre pode melhorar

Hoje, o mercado abre espaço para startups de todos os tipos atingirem a excelência. Uma dica muito importante para as que querem se consolidar é, basicamente: não acredite que você não pode melhorar.

4 – Seja exigente com os resultados

Existem muitos recursos acessíveis, o mercado e a qualidade das startups melhoraram. É preciso ser muito mais exigente com os resultados, com os números que serão apresentados para o mercado, com a qualidade do produto que se está colocando no mercado e, principalmente, como você vai levar esse produto até o seu cliente.

5 – Estratégias para o futuro

Planejar é fundamental. Todo empreendedor deve pensar em como posicionar o seu negócio perante a concorrência. Embora esteja no Brasil, é preciso pensar em como concorrer globalmente. Mesmo que você não decida sair do país, em algum momento vai chegar uma startup de outro lugar do mundo e ela vai competir com o seu negócio, então, você precisa ter uma startup de classe mundial para conseguir competir no mercado.

Tags, , , ,

91,84% dos brasileiros acreditam que o sistema eletrônico de votação pode ser violado nas eleições

Em outubro próximo, os brasileiros vão eleger quais candidatos ocuparão os cargos de presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador de estado e do Distrito Federal, senador, deputado federal, estadual e distrital. A votação acontecerá simultaneamente em todo o país no dia 7 de outubro, em primeiro turno, e no dia 28 de outubro de 2018, para os casos de segundo turno.

Em meio à corrida eleitoral, não é surpreendente descobrir que os brasileiros estão bem preocupados com a segurança cibernética desse processo, como revelam os resultados de uma pesquisa conduzida pela Avast, líder global em produtos de segurança digital.

O levantamento apontou que 79,42% dos brasileiros têm grande interesse nas questões políticas do país, porém, 10,54% dos entrevistados não se manifestaram a respeito e 10,03% deles não estão interessados no assunto. Quando questionados se vão às urnas este ano, 93,54% afirmaram que sim. No entanto, apenas pouco mais da metade (55,37%) disseram que já sabem em quais candidatos vão votar, enquanto 44,63% seguem sem esta definição a poucos meses antes da eleição.

Quando questionados se acreditam que os partidos políticos ou seus candidatos possam ser alvo de cibercriminosos, 96,15% dos entrevistados expressaram preocupação com um sim retumbante. Da mesma forma, com relação à percepção dos entrevistados sobre a influência do vazamento de dados nos resultados das eleições, 94,39% afirmam que isso pode impactar a opinião pública e, consequentemente, os resultados eleitorais.

“As afirmações que os cibercriminosos russos tiveram alguma influência na eleição presidencial dos Estados Unidos, quando constatou-se o vazamento de informações dos candidatos e de suas campanhas, provocaram claramente um alerta entre os brasileiros sobre a influência da filtragem de dados dos candidatos nos resultados do processo eleitoral”, disse André Munhoz, Country Manager da Avast para o Brasil.

A confiança dos brasileiros no voto eletrônico

A pesquisa da Avast também abordou a confiança dos brasileiros no sistema eletrônico de votação para as eleições de 2018. Quando questionados a respeito, 91,84% dos brasileiros acreditam que esse sistema pode sim ser violado.

“Mesmo com uma enorme população, o Brasil tem se destacado pelo uso do seu sistema eletrônico de votação para a coleta e validação de votos de forma ágil, revelando os resultados das eleições poucas horas após o encerramento da votação”, comentou Munhoz. “No entanto, a cada nova eleição, é fundamental assegurar ao público que melhorias contínuas de segurança sejam implementadas no sistema, para garantir que o processo democrático não seja violado”, finalizou.

O estudo da Avast foi realizado em Julho de 2018 e contou com a participação de 1.595 brasileiros, sendo destes 84,39% homens e 15,61% mulheres. Dentre a base de entrevistados, 68,76% possuem nível superior de escolaridade.

São Paulo recebe maior congresso de relacionamento com clientes do mundo, o CONAREC 2018

“Desvendando o pós-consumidor: a transformação inevitável” é o tema do CONAREC (Congresso Nacional das Relações Empresa-Cliente) deste ano, maior e mais importante evento de relacionamento com clientes do mundo. O evento deste ano, que será realizado nos dois dias, 4 e 5 de setembro, traz as grandes tendências sobre comportamento e relacionamento com o consumidor. O CONAREC é um guia imprescindível para compreender e mapear as melhores práticas, inovações e ideias para reorientar a gestão de clientes, reunindo mais de 240 palestrantes, sendo mais de 70 CEOs.

“Na edição deste ano, o CONAREC vai discutir uma tendência importante: a ascensão do pós-consumidor, uma nova mentalidade que une consumidores de diversas gerações e perfis e que se caracteriza pela intolerância com a burocracia, impaciência com regras preestabelecidas e insatisfação com tudo que represente perda de tempo”, afirma Jacques Meir, diretor executivo de Conhecimento do Centro de Inteligência Padrão (CIP). “Essa nova mentalidade do consumidor obrigada as empresas a serem transparentes, mais ágeis e capazes de prover experiências mais intensas, eliminando tudo que significa obstáculo para transações. Esse mindset muda também a forma de se viver em sociedade e pode mudar até mesmo a organização política”, explica Meir.

O evento contará com a presença de palestrantes ilustres e referências mundiais em comportamento e tendência do consumidor, como Joe Pine, cofundador da Strategic Horizons LLP, que falará sobre “O pós-consumidor: uma visão do cliente que está reescrevendo as regras e impondo um novo mindset para o mercado e a sociedade”’.

Outros dois nomes de peso são Eddie Yoon, fundador da EddieWouldGrow, que vai falar sobre “Os superconsumidores e o novo mindset que está mudando e descontruindo negócios mundo afora”, e Michael Solomon, o guru do comportamento dos consumidores e professor de marketing da Saint Joseph’s University, cujo tema da palestra será as “7 verdades essenciais do marketing e por que você deve ignorá-las”.

Grandes nomes do varejo e do marketing de empresas multinacionais e nacionais participarão das palestras e dos workshops, contribuindo com novas visões de negócios, modelos, conceitos e tendências de futuro do pós-consumidor.

Entre os confirmados para participar do evento, estão: Paulo Correa, CEO da C&A; Conrado Leister, country managing director do Facebook & Instagram Brazil; Flávio Dias, presidente da Via Varejo; João Campos, CEO da Pepsico Brasil; Juliano Ohta, CEO da Telhanorte; Noël Prioux, CEO do Grupo Carrefour Brasil; Agricio Silva Neto, CEO da Claro TV; João Pedro Paro, presidente da Mastercard; Eduardo Fischer, co-presidente da MRV Engenharia; Hugo Rodrigues, chairman e CEO da WMcCann; Luis Gutiérrez, diretor-presidente nas áreas de Auto e Seguros Gerais do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre; Paulo Miri, presidente Home Appliances Brasil da Whirlpool; Marco Stefanini, global CEO and founder da Stefanini; Roberto Medeiros, CEO da Multiplus; Iuri Miranda, CEO do Burger King; Michel Sarkis, diretor-presidente do Banestes (Banco do Estado do Espírito Santo); Fabio Avellar, VP de Experiência do Cliente da VIVO, entre muitos nomes grandes executivos.

O CONAREC é organizado pelo Grupo Padrão e será realizado no Hotel Transamérica, em São Paulo.

Confira a programação completa: www.conarec.com.br

Tags, , ,