Page admin, Autor em Valor Agregado - Notícias sobre o mundo corporativo - Página 360 de 15917

Author admin

IBM apresenta 5 tendências que vão transformar os negócios no Brasil e na América Latina

A efervescência tecnológica que as organizações experimentaram nos últimos três anos reinventou a forma com que os líderes olham para o futuro dos negócios. Nesse contexto em que tecnologia, talentos e confiança são as três áreas de foco para o progresso, a IBM divulga hoje cinco tendências que transformarão os negócios no Brasil e na América Latina.

“À medida que arriscam, colocam o talento no centro da estratégia e praticam inovação aberta, as empresas permanecem relevantes em um mercado altamente competitivo e desafiador. As decisões e investimentos que fazem hoje definirão as oportunidades do amanhã. Quando unimos tecnologia, talentos diversos e o ecossistema, o resultado é inovação para as organizações, seus clientes e para a sociedade”, ressalta Marcelo Braga, presidente e líder de Technology da IBM Brasil.

Nesse sentido, o mercado também responde para acompanhar a transformação dos negócios. “Somente em 2022, as empresas no Brasil vão investir 74% de seu orçamento em tecnologias para construir capacidades digitais de longo prazo”, comenta Alejandro Florean, vice-presidente de Consultoria e Soluções Estratégicas, IDC Latin America.

O relatório “5 tendências para 2022 e além”, do IBM Institute for Business Value, revela como a demanda de consumidores, funcionários e investidores, bem como as apostas e preferências de empresas de alto desempenho, estão mudando.

Essas tendências destacam grandes mudanças que vieram para ficar.

  1. ADOÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS: arrisque-se ou congele na sua zona de conforto – Ao invés de desenvolver medidas inovadoras isoladas, líderes devem focar em implementar sistemas integrados que revolucionarão os modelos de negócios. Nesse contexto, correr riscos gera bons resultados. Empresas com uma cultura de tolerância a erros alcançaram um aumento de 10% na receita. Além disso, os que investiram em ecossistemas e inovação aberta tiveram um aumento médio na receita de 40%. Segundo o IDC, o Brasil será o país com maior consumo de novas tecnologias até 2026, o que representa uma taxa composta de crescimento (CAGR) de 16,9% no período 2021-2026[1].
     
  2. TALENTO: cuide dos seus ou partirão sem olhar para trás — Nos cinco primeiros meses deste ano houve quase 3 milhões de demissões voluntárias no Brasil[2]. Em escala global, dados do IBV apontam que mais da metade (56%)[3] dos profissionais que mudaram de empresa em 2021 citaram a demanda por maior flexibilidade como principal motivo, enquanto quase um terço afirmou querer trabalhar para uma empresa que esteja mais alinhada a seus valores. As organizações precisam reavaliar seus modelos de negócios e fazer as mudanças necessárias para serem mais atrativas, o que envolve colocar as pessoas em primeiro lugar, priorizar seu bem-estar financeiro, mental e físico, oferecendo flexibilidade e incentivando a autenticidade. As empresas que não atenderem às necessidades de seus funcionários podem sucumbir na guerra por talentos e ficar com posições não preenchidas. O impacto econômico na América Latina até o final de 2022 pode chegar a US$ 35 trilhões devido à lacuna de habilidades técnicas e digitais em todos os setores da indústria[4].
     
  3. SUSTENTABILIDADE: credibilidade das empresas em jogo – Os CEOs dizem que a sustentabilidade é uma de suas prioridades para os próximos 2-3 anos e 54% dos consumidores afirmam que estão dispostos a pagar preços mais altos por produtos ambientalmente sustentáveis. Por outro lado, pouco menos da metade dos consumidores diz confiar nas afirmações que as empresas fazem sobre sustentabilidade, e mais de três quartos desse grupo fazem suas próprias pesquisas antes de tomar uma decisão de compra. Isso significa que as empresas devem fornecer informações transparentes e detalhadas sobre o progresso de suas iniciativas se quiserem se conectar com esses consumidores orientados por propósitos.
     
  4. ECOSSISTEMA: é hora de superar limites e fazer alianças, inclusive com a concorrência — O olhar sobre o ecossistema cresceu exponencialmente nos últimos anos. Mais do que nunca, a inovação aberta impulsiona a colaboração e a cocriação para atender às novas necessidades do consumidor, cada vez mais exigente. Valorizar a inteligência coletiva e romper as fronteiras da própria organização são chave para alcançar esse objetivo, que lhes permitirá responder aos desafios de um contexto de rápidas mudanças e disrupções. A colaboração com parceiros do ecossistema, incluindo a concorrência, será necessária à medida em que as empresas avançam em suas transformações.
     
  5. CIBERSEGURANÇA — não espere que ataquem sua confiança — Embora as tecnologias baseadas em nuvem, plataformas e ecossistemas aumentem a agilidade e a capacidade de inovar, se não forem bem gerenciados, podem expor as empresas: 70% das organizações têm dificuldade em proteger dados em diversas nuvens e ambientes locais. A chave será combinar as estratégias e tecnologias, bem como uma abordagem Zero Trust, para obter melhores resultados de negócios, além de detectar e conter incidentes de segurança mais rapidamente para proteger seus ativos, clientes e negócios.

Transformação e disrupção são processos contínuos. As empresas devem arriscar, aprender com suas falhas e encontrar as combinações de tecnologias, estratégias e pessoas que podem ajudá-las a avançar. Investimentos de hoje podem significar oportunidades e preparação para enfrentar o futuro e, sem dúvida, estar melhor posicionado para aproveitar todas as mudanças positivas que a transformação digital traz. Essas são tendências que vieram para ficar.