Page

Author admin

IBM Watson lança novos recursos de IA e Automação para transformar o Atendimento ao Cliente

A IBM anunciou o lançamento de novos recursos de Inteligência Artificial (IA) e automação no IBM Watson Assistant, desenhado para tornar mais fácil para as empresas criarem melhores experiências de atendimento ao cliente em qualquer canal.

Os assistentes virtuais estão ganhando popularidade devido às melhorias contínuas no processamento de linguagem natural (PLN) e na automação. De acordo com o Global AI Adoption Index¹ 2021 da IBM, 52% dos profissionais de TI entrevistados globalmente relataram que suas companhias estão usando ou considerando usar soluções de PLN para melhorar a experiência do cliente.

A IBM está adicionando novos recursos ao Watson Assistant, seu assistente virtual inteligente, para ajudar as empresas a usar inteligência artificial e PLN para resolver os problemas do cliente no primeiro contato. O Watson Assistant é desenhado para fornecer aos clientes respostas rápidas e precisas por telefone, SMS, web ou qualquer plataforma de mensagens, e transferir diretamente para um agente ativo quando um suporte adicional for necessário. Os novos recursos incluem:

• Ajudar os clientes a resolver problemas no primeiro contato com o Watson Assistant Search Skill: o recurso Search Skill do Watson Assistant agora inclui a recuperação de respostas curtas, que se baseia em um sistema inovador de perguntas e respostas (QA) do IBM Research. Isso permite que o agente virtual retorne com uma resposta, em poucas palavras, a partir de frases ou passagens mais longas, e forneça um contexto sobre a origem da resposta. A Extração de FAQ agora também está disponível no Search Skill. A Extração de FAQ foi criada para ajudar os administradores a manter o agente virtual atualizado com fontes de informação mais amplas, sem necessidade de realizar atualizações manuais constantemente.

• Facilitar uma transferência sem interrupções com o novo Agent App: o novo recurso Agent App do Watson Assistant foi desenvolvido para ajudar os agentes de atendimento ao cliente a interagir com o consumidor exatamente de onde o agente virtual parou. Quando um cliente liga, os modelos de detecção de voz da IBM, que são desenhados para fornecer transcrições mais precisas e prontas para usar, fornecem uma transcrição quase em tempo real da conversa. Quando a transferência ocorre, o novo Agent App fornece ao agente de atendimento a última transcrição diretamente na tela. Isso significa que os clientes não precisam repetir suas perguntas e os agentes têm autonomia para resolver os problemas ainda mais rápido.

• Adicionar recursos de voz para o Watson Assistant: o IntelePeer Atmosphere Communications Platform-as-a-Service agora está disponível² como um complemento no Watson Assistant para que os usuários com o plano Plus e Empresarial possam configurar rapidamente recursos de voz e um novo número de telefone para um agente virtual. Se as empresas já tiverem um sistema telefônico de centro de contato existente a IntelePeer também pode fornecer a conexão entre o Watson Assistant e o sistema telefônico existente usando os padrões da indústria. Utilizando o IntelePeer, o Watson Assistant agora pode conectar quase todas as principais plataformas de centro de contato que usam o protocolo SIP em apenas meia hora, sem codificação.

“Um desafio crítico enfrentado por quase todas as empresas hoje é a necessidade de melhorar a comunicação com seus clientes e funcionários, em todos os canais”, disse Daniel Hernández, Gerente Geral de Dados e Inteligência Artificial da IBM. “Estamos constantemente lançando inovações em processamento de linguagem natural, automação e uma IA responsável avançada, e construindo um ecossistema aberto e robusto com parceiros como a IntelePeer, para ajudar as empresas a transformarem o cuidado com o cliente com o Watson Assistant.”

Além desses novos recursos anunciados hoje, a IBM divulgou que organizações de todos os tamanhos se voltaram para o Watson Assistant para ajudá-los a resolver os problemas dos clientes diante do aumento do volume de chamadas. Por exemplo, a TIM Brasil trabalhou com a IBM para transformar seus fluxos de atendimento ao cliente. Juntos, implementaram um assistente virtual equipado com IA para ajudar a lidar com o alto volume de chamadas, mantendo a satisfação do cliente, reduzindo custos e liberando os atendentes do call center para atividades de maior valor. O assistente virtual da TIM usa o IBM Watson Assistant na IBM Cloud para processar interações de linguagem natural, respondendo por voz em tempo real às perguntas ou problemas do consumidor sobre questões como benefícios de planos e pagamentos de contas. Quatro meses depois de aumentar o número de agentes humanos de atendimento ao cliente com o agente virtual, a taxa de contenção da TIM aumentou para 75% e a resolução na primeira chamada aumentou em 85%.

Alfa investirá R$ 600 milhões em startup E-ctare

O Alfa Collab, programa de inovação aberta do Conglomerado Alfa, acaba de fechar o primeiro acordo de investimento com uma startup, trata-se da E-ctare, plataforma digital que fornece soluções inovadoras para o agricultor. Com previsão de atingir até R$ 600 milhões em três anos, o Alfa passa a operar a estruturação da carteira digital para alavancar a plataforma da agrofintech e, consequentemente, fornecer melhorias aos clientes. 

Fundada em 2017, a E-ctare é uma agrofintech voltada para soluções de crédito para produtores rurais e toda a cadeia do agronegócio, visando garantir aos seus clientes maior liquidez e preços justos em suas operações. No modelo de negócio da empresa, além de trazer uma forma inovadora de empréstimos para agricultores, disponibiliza em uma mesma plataforma, de modo simples e descomplicado, todas as operações que os clientes precisam para suas atividades, como antecipação de recebíveis, venda de produtos, entre outros. 

Francisco Perez, diretor de Novos Negócios, responsável pelo Hub de Inovação Alfa Collab e pela Área de ESG do Alfa explica que “a E-ctare é a primeira empresa participante do programa Alfa Collab a receber um investimento para consolidar os seus negócios e, assim, o objetivo do Alfa é que essas operações ocorram em prol do avanço das soluções inovadoras das startups pertencentes ao hub, que já conta com 16 empresas”. “Além disso, com este movimento, cumprimos um dos objetivos principais do Hub, que é o de fomentar startups com potencial de transformação em setores estratégicos ao Alfa e para a economia nacional”, ressalta Perez. 

Já o CEO e sócio fundador da E-ctare, Marcell Salgado, destaca que desde a fundação da empresa ocorreram cerca de R$ 200 milhões em transações na solução tecnológica e a estimativa é que, com o investimento do Alfa, esse valor ultrapasse R$ 5 bilhões nos próximos três anos. “A nossa cultura traz informações e soluções inteligentes para beneficiar o homem no campo, principalmente no setor da cafeicultura e leiteiro. Assim, o nosso objetivo é incentivar o crescimento dessa cadeia com mais possibilidades e ofertas de serviços tecnológicos que facilitem os afazeres diários dos nossos clientes. E, sem dúvidas, que todo o suporte do Alfa Collab tem contribuído muito para avançarmos e,  agora, com essa novidade, irá potencializar ainda mais os nossos trabalhos”.

Salgado comenta, ainda, que tanto ele, quanto o outro sócio investidor da startup, Fernando Alvarenga, são oriundos do setor de agricultura, algo que foi fundamental para a criação das soluções ofertadas pela empresa, pois a larga experiência que possuem lhes permitiu formatar as inovações levando em consideração as exatas necessidades dos produtores.    

Inovações oferecidas pela empresa

No sistema da E-ctare, que funciona no formato de aplicativo, os clientes contam com uma carteira digital, denominada E-ctare Pay, que oferece uma série de serviços e soluções inteligentes e alinhadas às necessidades específicas dos produtores. No app, os clientes podem efetuar diversas operações, como a antecipação de recebíveis e cotações, por exemplo. Além disso, quando o produtor solicita o crédito, ele entra diretamente no E-ctare Pay e permite a realização de TED´s, pagamentos de boletos, entre outros.  

Atualmente, a startup atua nas culturas de café e leite e oferece em sua plataforma uma série de serviços que simplificam e desburocratizam todo o processo de produção, estoque e venda dos produtos. Contudo, a estratégia da empresa é expandir sua atuação para outros segmentos, como o setor de grãos, por exemplo, que possui muita sinergia com as culturas nas quais já atua.   

Tags

Accenture anuncia intenção de adquirir Experity para expandir plataforma de experiências e comércio na América Latina

A Accenture (NYSE: ACN) confirma a intenção de adquirir a Experity, empresa de experiência do consumidor e soluções de e-commerce baseadas em nuvem. A Experity ajuda empresas a oferecer mais agilidade e eficiência a seus clientes no comércio eletrônico, marketing, conteúdo e dados por meio das principais plataformas baseadas em nuvem.

Acelerados pela pandemia, os gastos com comércio eletrônico do Brasil atingiram níveis históricos – quase US$ 10 bilhões nos primeiros seis meses do ano – e levaram as marcas a repensar rapidamente sua experiência de comércio. Combinada com a escala global e as capacidades da Accenture Interactive, a Experity ajudará a aumentar a capacidade da companhia de oferecer experiências integradas e centradas no cliente.

Cristiano Dencker, líder da Accenture Interactive na América Latina, disse: “A Experity vai solidificar e dar escala aos nossos serviços transformacionais guiados por experiências integradas que oferecemos a diversas indústrias e em toda a América Latina. Reforçamos nossas parcerias com as mais importantes empresas do ecossistema que, com inovação e integração de tecnologias de personalização, redefinem a interação das marcas com seus clientes”.

Fundada em 2003 e sediada em São Paulo, a Experity oferece serviços de consultoria, implementação e suporte para as principais plataformas baseadas em nuvem. Por meio de parceiros estratégicos como Salesforce, Adobe, Oracle, SAP e Microsoft, a empresa ajuda as organizações na oferta de soluções de relacionamento digital e transformacional com seus clientes.

Por onze anos consecutivos, Experity foi reconhecida como uma das Melhores empresas para quem trabalha com TI no Brasil. Aproximadamente 420 especialistas em experiência do consumidor, engenheiros de nuvem, cientistas de dados e consultores se juntarão à Accenture Interactive no País. A chegada desses novos profissionais trará escala e habilidades mais robustas para a oferta integrada de soluções de experiência do cliente baseadas na nuvem para marcas/empresas líderes de mercado como, por exemplo, bens de consumo e recursos naturais.

“A Experity é a escolha certa para clientes em busca de agilidade e tecnologia para a construção de experiências diferenciadas aos clientes. Unir-se à Accenture Interactive nos dará ainda mais opções para expandir nossa visão e entregar a transformação que os nossos clientes desejam em termos de experiências personalizadas e inteligentes ꟷ em qualquer lugar e a qualquer momento”, afirma Daniel Huallem, um dos cinco fundadores da Experity.

“As marcas de hoje precisam entregar experiências cada vez mais humanas e baseadas em dados por meio de plataformas conectadas, uma vez que o consumidor demanda experiências digitais totalmente integradas. Ao trazer a Experity para a Accenture Interactive, seguiremos aprimorando nossa capacidade de ajudar o crescimento dos clientes e garantir o sucesso no longo prazo”, afirma Flaviano Faleiro, presidente da área de Growth Markets da Accenture Interactive.

Os termos da transação não foram divulgados. A conclusão do processo de aquisição está sujeito às regras do mercado.

Diversidade e inclusão impactam positivamente o employer branding das organizações

Estudo publicado pela Harvard Business Review aponta que times diversos e com voz ativa nas empresas são 3,5 vezes mais inovadores

Empresas que apostam em times diversos e inclusivos em suas campanhas internas junto aos funcionários têm se tornado mais colaborativas. É o que aponta o estudo How Diversity Can Drive Innovation, publicado pela Harvard Business Review. Segundo a pesquisa, times diversos e com voz ativa dentro das organizações tem se tornado 3,5 vezes mais inovadores .

Para a Laura Dias, Coordenadora de Gente na Convenia , Hrtech com soluções voltadas para otimização de tempo e custo para as empresas, a área de gestão de pessoas desempenha papel fundamental para a promoção da diversidade dentro das instituições. “As práticas de diversidade começam no RH, mas elas precisam se ramificar por toda a empresa”, aponta.

Rafaela Frankenthal, cofundadora da SafeSpace, acredita que antes de adotar estratégias, as organizações precisam compreender que essas práticas vão muito além do processo de contratação. “É preciso considerar toda a jornada da pessoa colaboradora, não apenas na jornada de recrutamento, que é a primeira luz que acende quando se pensa em diversidade”, salienta. Ela aponta ainda que os departamentos pessoais devem se atentar para as iniciativas educativas, as quais podem prevenir problemas de comportamento, como assédio, discriminação e bullying, por exemplo. “É importante incentivar o processo de aprendizado de forma constante”, afirma.

Além dessas práticas, outro ponto elencado pelas especialistas, que contribuem para o employer branding das organizações, está relacionado à escuta ativa dos colaboradores. “Se você não escuta as pessoas dentro da sua empresa, é difícil compreender o que os colaboradores pensam. Por isso, precisamos estar no lugar de escuta ativa, um lugar genuinamente aberto a escutar o que a pessoa vai trazer e pensar insights no próprio RH para criar as ações”, menciona Laura.

Entre os benefícios de construir um ambiente saudável, elas mencionam o fato de que quanto mais diverso e inclusivo for o ambiente de trabalho, mais fácil será atrair e reter talentos, além de aumentar o engajamento das equipes. Sendo assim, Laura e Rafaela trazem algumas dicas que podem ajudar as empresas nesse processo:

1. Toda solução começa com um bom diagnóstico
Entenda o cenário e o contexto em que a sua organização está inserida, além de mapear ferramentas que possam contribuir para esse início. Converse com os colaboradores e busque informações sobre o tema. O diagnóstico é constante dentro do RH.

2. Defina estratégias e prioridades
Experimente e teste as experiências, entendendo quais são as prioridades da empresa. Leve em consideração o diagnóstico da organização.

3. Desenvolva uma comunicação ativa em toda a organização e constante
Seja transparente com processos, mudanças e desafios. Tenha um ciclo constante de comunicação com os times, via e-mail ou outros canais.

4. Comunique seus esforços de forma clara para o mercado e público externo 

Comunique da porta para fora aquilo que faz sentido da porta para dentro da empresa.

Healthtech cria tecnologia para apoiar pacientes em tratamento medicamentoso domiciliar

A SafePill , healthtech com foco no auxílio de pacientes em tratamento medicamentoso domiciliar, desenvolveu uma tecnologia própria para gestão de medicamentos de forma segura e efetiva. O intuito é oferecer um tratamento de assistência domiciliar, com autonomia e segurança aos pacientes e, dessa forma, contribuir para qualidade de vida das pessoas.

A healthtech oferece assistência completa e personalizada para aqueles que necessitam administrar medicamentos de uso contínuo, com uma tecnologia exclusiva de automação, onde os fármacos são distribuídos individualmente, em saches plásticos com informações sobre a validade e QR Code que possibilita a rastreabilidade dos medicamentos

Atualmente a SafePill oferece duas opções de serviços: o Standard com o valor de assinatura mensal à R﹩34,50; e a versão Premium com o custo de R﹩54,90 por mês. Em ambos, o paciente recebe em sua casa o box SafePill, com os medicamentos agrupados individualmente, por dia, dose e horário para 30 dias em ordem cronológica.

Após adesão, o primeiro mês é gratuito e inclui: atendimento farmacêutico por telefone ou chat, revisão farmacoterapia e frete incluso para a Grande São Paulo. Os pacientes contam ainda com o serviço de orientação médica por videoconferência.

A SafePill nasceu depois que os fundadores Arlei Alves e Felippe Carone observaram a necessidade do mercado por serviço de assistência a pacientes polifarmácia, que precisam administrar cinco ou mais medicamentos por dia. Diante desse cenário, o enfermeiro e o administrador de empresas deram início às operações em fevereiro deste ano.

Para Arlei, administrar vários medicamentos no dia a dia, com doses e horários corretos pode ser complexo, em especial para os idosos. “Fatores como embalagens, nomes parecidos, horários diferentes, bem como o processo de compra e controle da quantidade de medicamentos tornam a vida do paciente que utilizam mais de uma medicação ainda mais complexa”.

O enfermeiro também traz um alerta sobre a interação medicamentosa, considerada pelo Food and Drug Administration (FDA) a 4ª causa de morte nos Estados Unidos. No Brasil 23% das idas aos prontos-socorros está relacionada a interação inadequada entre fármacos. 10% consiste na ingestão simultaneamente de medicamentos com alimentos que podem causar riscos à saúde. “Por isso, contamos com uma equipe de farmacêuticos clínicos especializados que realizam uma análise prévia detalhada da medicação de cada paciente com a avaliação da farmacoterapia com indicação do melhor horário de administração, tempo de tratamento e orientações dos principais cuidados com a prescrição”, informa o especialista.

Este ano, a expectativa é alcançar a marca de 1 mil pacientes e, até 2023, cerca de 40 mil. Para isso, a startup conta com parcerias da indústria farmacêutica e operadoras de planos de medicamentos. Além de reunir mais de 4,4 milhões de reais em aportes financeiros de investidores como o Grupo Carone, um dos maiores varejistas do Brasil, e o Hospital Albert Einstein, onde a healthtech participa do Programa de Aceleração, da Eretz.bio.

Magalu chega aos 100 000 sellers no marketplace

O Magalu, maior ecossistema de varejo multicanal do país, bateu um novo recorde de sellers em seu marketplace no mês de setembro. São 100 000 vendedores que, juntamente com o Magalu, oferecem produtos de praticamente todas as categorias aos 33 milhões de clientes que, mensalmente, frequentam os canais digitais da companhia. Cerca de 40% desse total são os chamados Parceiros Magalu, pequenos e médios varejistas de todo o país,  até então totalmente analógicos, que ingressaram na plataforma da companhia após o início da pandemia de covid-19.

As mais de 1 400 lojas físicas do Magalu foram vitais para atingir esse patamar: atualmente,  são responsáveis por trazer seis a cada dez novos sellers do marketplace. Em agosto, a companhia lançou o projeto Agência Magalu, por meio do qual os vendedores passam a orientar o comércio local sobre as vantagens da digitalização e se tornaram um elo entre o seller e a plataforma. As lojas também passaram a funcionar como um ponto de entrada dos produtos vendidos pelos sellers. “Nossas lojas físicas hoje funcionam como agências dos Correios. Após serem deixados pelo seller em uma das lojas da rede, os produtos vendidos digitalmente entram em nossa malha logística”, diz  Leandro Soares, diretor-executivo de marketplace do Magalu. “Nos pontos físicos, o seller também pode tirar dúvidas e acessar serviços. Com isso, queremos que o varejista local veja nossa loja não como uma competidora, mas como  aliada para vender para todo o Brasil.”

A marca dos 100 000 sellers tem importância não apenas pela quantidade, mas pela qualidade dos varejistas que compõem o marketplace Magalu. Todos, sem exceção, são empresas ou empreendedores formais, ou seja, representam CNPJs verdadeiros e ativos verificados pela companhia. 

“A missão de digitalizar o varejo brasileiro passa, necessariamente, pela formalização do setor, que significa cumprir regras fiscais, sanitárias e de segurança”, afirma Soares.  “Isso é bom para o consumidor e para as empresas, que competem em pé de igualdade”, diz Soares. 

Para vender pela plataforma do Magalu, os varejistas também têm de aceitar as regras da companhia, que não aceita a venda de produtos sem a emissão de nota fiscal eletrônica e proíbe produtos piratas, falsificados e roubados. Essa política começa na entrada do seller no marketplace e é reforçada com o monitoramento contínuo dos produtos ofertados na plataforma. 

Atrativos e facilidades na digitalização

Com o Parceiro Magalu, o Magalu Pagamentos, o Magalu Entregas e os PDVs (pontos de vendas), o Magalu leva soluções de tecnologia e serviços para sellers que até então tinham operações 100% analógicas. As recém-lançadas maquininhas de cartão Magalupay permitem pagamento com cartão por aproximação e funcionam sem bobina de papel. A versão Smart do dispositivo permite vender os produtos do marketplace na loja física, com atualização de estoque automática, emissão de cupom fiscal, além da realização dos pagamentos.

Em parceria com a Hub Fintech, o Magalu oferece aos sellers uma conta digital PJ 100% gratuita. Com ela, é possível realizar PIX ilimitados, TEDs, pagamentos de boletos e depósito dos recebíveis. O sistema é totalmente integrado à plataforma da companhia. Os usuários recebem um cartão de crédito que também pode ser usado fora do ecossistema Magalu. Além disso, a empresa também conta com um sistema de crédito para os varejistas do marketplace. Com ele, os sellers podem realizar empréstimos de forma simples, sem necessidade de garantia e com taxas de juros competitivas. 

Com o Magalu Ads, os sellers terão mais possibilidades de dar destaque a seus negócios nos canais digitais da companhia. A plataforma abre a possibilidade do seller utilizar o tipo de publicidade mais adequado ao momento e ao produto que pretende promover. De branded content (publieditorial nos portais Canaltech, Steal de Look e Jovem Nerd) a Product Placement, com a Lu, maior influenciadora virtual do Brasil, usando produtos dos sellers em ações de marketing. 

BTG Pactual será o primeiro banco brasileiro a disponibilizar criptoativos nas plataformas de investimento

O BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, será a primeira instituição financeira no Brasil a oferecer acesso direto ao mercado cripto. Os clientes do banco poderão investir de forma simples, direta e segura, nas criptomoedas bitcoin e ether. A solução estará disponível de maneira gradual aos clientes do BTG Pactual digital e do BTG+, por meio da plataforma Mynt.

“Neste primeiro momento, teremos os dois principais ativos do mercado, mas vamos incluir outras criptos para negociação ao longo do tempo. Teremos uma plataforma completa com ativos baseados em blockchain. Além disso, a Mynt trará conteúdo com o objetivo de educar e informar os clientes sobre essa nova tecnologia”, diz André Portilho, head de Digital Assets do BTG Pactual.

Além de ser uma opção segura para acessar os mercados cripto, o BTG Pactual acredita que o suporte será outro diferencial do novo serviço: uma equipe própria estará à disposição para tirar todas as dúvidas dos clientes.

Estudando o tema desde 2017, o BTG Pactual foi pioneiro nessa área ao lançar em 2019 o ReitBZ, o primeiro security token emitido por um banco no mundo. Em abril deste ano, lançou também o primeiro fundo de bitcoin gerido por uma instituição financeira no Brasil. Esse lançamento, reforça e dá continuidade à estratégia do banco em facilitar o acesso aos clientes a essa nova tecnologia e classe de ativos.

O lançamento da Mynt, como braço do BTG Pactual na negociação de criptoativos, chegará para preencher parte do mercado que buscava essa solução de forma simples e segura, além de dar continuidade a estratégia do banco em facilitar acesso a essa tecnologia.

“Somos um banco completo. Aqui você consolida seus investimentos, tem conta corrente, cartão, e agora cripto”, enfatiza Portilho. “Estamos sempre acompanhando as novas tendências de tecnologia e investimentos no mundo e atentos às demandas dos nossos clientes. O BTG entendeu que havia uma grande oportunidade e lacuna no mundo de cripto. A Mynt chega para preenchê-la, oferecendo a funcionalidade com segurança e atendimento de qualidade, tudo isso com a robustez e credibilidade do maior banco de investimentos da América Latina”, conclui o executivo.

O serviço começa a funcionar para clientes do BTG Pactual já no início do próximo trimestre. Quem se cadastrar na landing page terá, em primeira mão, acesso à masterclass exclusiva sobre como começar a investir em criptomoedas, além de prioridade no lançamento da plataforma.

Tags,

Ranking IBEVAR-FIA divulga as empresas varejistas mais admiradas do Brasil

Há mais de 10 anos, o Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo ( IBEVAR) e a FIA – Fundação Instituto de Administração se unem para responder a seguinte pergunta: Quais são as empresas varejistas mais admiradas do Brasil? Dessa forma, e com objetivo de reconhecer as companhias que mais se destacam no imaginário popular, o Ranking IBEVAR-FIA divulgou nesta quinta-feira (16), as empresas mais admiradas do varejo nacional pelos consumidores e pelos colaboradores.

Para Claudio Felisoni de Angelo, presidente do IBEVAR, mais importante que avaliar o faturamento, eficiência e crescimento das organizações, é entender como elas são vistas por seus clientes e funcionários. “Em épocas de crise, as palavras inovação, adaptação e reinvenção estão presentes diariamente na linguagem empresarial. Principalmente, considerando que a concorrência no varejo está cada vez mais acirrada, o que possibilita ao público escolher entre diversas marcas em diferentes segmentos. Dessa maneira, o Ranking IBEVAR-FIA tem como objetivo mostrar quais são as empresas que cativaram o consumidor ao longo do ano de maneira a colaborar com o desenvolvimento do setor”, comenta Felisoni.

Confira a lista completa das varejistas mais admiradas do Brasil em seus segmentos:

O Ranking IBEVAR-FIA trouxe a categoria das empresas mais admiradas pelos colaboradores como forma de medir sua satisfação nas empresas em que trabalham. De acordo com a metodologia do IBEVAR, toda a opinião dos colaboradores é considerada, seja elas negativas, neutras ou positivas. Abaixo, seguem as companhias premiadas:

1º lugar – Magazine Luiza

2º lugar – Lojas Zema

3º lugar – Móveis Gazin

Novas dimensões

Ainda neste ano, a edição contou com mais algumas novidades. Com a elaboração de mais quatro dimensões, que avaliam inovação, a presença das mulheres em altos cargos de liderança, os CEOs do Varejo mais presentes na mídia e as companhias com melhor reação/atendimento durante a pandemia, o Ranking IBEVAR-FIA se reconhece o esforço, empenho, criatividade e adaptabilidade das empresas frente à um mercado cada vez mais acirrado.

Abaixo, estão listadas as diferentes organizações que levaram os títulos em suas determinadas categorias:

Empresas com maior participação das mulheres em altos cargos de liderança, como, gerência, direção e conselho

1º lugar – Renner

2º lugar – Hering

3º lugar – Marisa

Empresas com melhor reação e atendimento durante a pandemia, na perspectiva do consumidor

1º lugar – Leroy Merlin

2º lugar – Mc Donald´s

3º lugar – Magazine Luíza

Inovação no Varejo (Categorias Vencedoras)

Sustentabilidade – Carrefour (Prêmio Destaque)

Inteligência de Dados – Leroy Merlin

Diversidade e Inclusão – Lojas Americanas

Varejo B2B – Pet2Pet

Varejo B2C – Grupo Soma

Personalização – Porto Belo

CEOs do Varejo mais presentes na mídia: Economia e Mercado

1º lugar – Frederico Trajano Inácio Rodrigues

2º lugar – Flávio Gurgel Rocha

3º lugar – Alexandre Tadeu da Costa

Metodologia

A pesquisa tem como base mais de um milhão de mensagens postadas nas redes sociais (textos e vídeos), somado ao banco de dados do IBEVAR, que possui mais de oito milhões de unidades de informação, compiladas todos os anos. Uma vez capturadas, essas mensagens (processo de amostragem aleatória) são decodificadas e recodificadas com códigos matemáticos específicos. Os elementos passam por um processo de mineração de dados (Data Mining) e os resultados são analisados semanticamente (Natural Language Processing).

Maior supermercado 100% online do país abre mais de 50 vagas de emprego

A shopper.com.br, maior supermercado 100% online do país, está com mais de 50 vagas abertas em diferentes áreas. As oportunidades são para Analista Administrativo(exclusivo para PCD), Analista de Contratos, Analista de Departamento Pessoal, Analista de Experiência do Cliente, Analista de Gestão do Estoque, Analista de Logística, Analista de Recrutamento e Seleção Sr, Analista de Relacionamento com o Cliente, Aprendiz, Assistente Financeiro, Comprador Jr, Coordenador de Facilities, Desenvolvedor Web Full Stack, Estagiário e Operador Jr. 

Os interessados em participar do processo seletivo e concorrer a uma vaga, que inclui oportunidade para trabalho presencial, remoto e também exclusivo para PCD, devem se inscrever por meio do site:  #SejaShopper (gupy.io). Atualmente, a shopper.com.br conta com mais de 600 colaboradores e, até o final do ano, pretende praticamente dobrar esse número. 

Crescimento também aliado à expansão

Junto com o investimento em captação de talentos, a shopper.com.br tem ainda investido seu crescimento na chegada a mais municípios. A startup expandiu seu negócio para mais 30 cidades de São Paulo somente no mês passado, refletindo assim a alta demanda pelo modelo de compra programada e expansão do varejo online. Até o final do ano, a expectativa é chegar a até 60 cidades no estado.  

Tags

EllaLink anuncia primeira conexão direta de cabo de fibra óptica de alta capacidade entre Brasil e Europa

A convite da EllaLink, empresa de telecomunicações que acaba de inaugurar o primeiro cabo submarino de fibra óptica de alta capacidade que conecta diretamente o Brasil à Europa, o governador do Ceará, Camilo Santana, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior, e Inácio Arruda, secretário estadual da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE), visitaram hoje as instalações da Cable Landing Station (CLS) — ponto de ancoragem dos cabos EllaLink –, localizada na Praia do Futuro, na capital cearense.

Na visita, o diretor Brasil da EllaLink, Rafael Lozano, mostrou ao governador Santana e aos dois secretários toda a infraestrutura tecnológica de suporte da EllaLink para monitorar o tráfego de dados entre os dois continentes. A CSL da EllaLink está abrigada nas instalações da Telxius, empresa parceira que também monitora outros cabos submarinos que saem de Fortaleza – com 14 cabos, a capital cearense é o maior hub do mundo de conexão de fibra óptica.

Com capacidade de 100 terabits por segundo (Tbps), o cabo EllaLink representa a abertura da primeira rota de conexão direta de alta capacidade com a Europa – até junho, quando entrou em operação, todas as conexões de cabos submarino de fibra óptica de última geração entre os dois continentes passavam majoritariamente pelos Estados Unidos. Ao todo, são 6 mil quilômetros de cabos entre Fortaleza e Sines, em Portugal, sob as águas do Oceano Atlântico. Os cabos contêm 4 pares de fibra óptica — cada fibra tem a espessura de um fio de cabelo.

“É uma imensa alegria para nós, da EllaLink, disponibilizar essa conexão direta do Brasil com a Europa, sem depender dos Estados Unidos, unindo duas culturas muito próximas, como a brasileira e a portuguesa, e também a da América Latina com a da Espanha”, disse Lozano. “O novo cabo permite reduzir em até 50% a latência, como é chamado o tempo de resposta na transmissão de dados, beneficiando não só negócios digitais (serviços em nuvem, bancos eletrônicos, mídia de entretenimento e jogos online), como pesquisas científicas”, acrescentou o diretor da EllaLink.

O governador Camilo Santana destacou o investimento privado de 1 bilhão de reais que permitiu a entrada em operação do cabo EllaLink. “Tem grande importância para a transmissão de dados e voz num momento em que a pandemia acelerou a necessidade de conexão de dados no mundo inteiro”, afirmou o governador cearense. Santana lembrou a importância estratégica de Fortaleza na área de conexão digital e disse que seu governo está investindo mais. “Lançamos o programa Ceará Conectado, que vai democratizar o acesso à internet e transformar o Estado em hub tecnológico”, disse.

O governador cearense lembrou que, depois da chegada do cabo da EllaLink, o governo agora negocia com a Amazon a criação de um Data Center na capital cearense. “Não queremos ser apenas receptores e transmissores de grande quantidade de dados, queremos que as grandes empresas de tecnologia e de informação estejam presentes aqui no Ceará e, para isso, precisamos investir em capacitação de profissionais de TI”, ressaltou.

A CLS que foi visitada pelo governador e comitiva serve de hub de conexão do cabo EllaLink para os dois lados do Atlântico, estendendo a transmissão de dados da capital cearense para São Paulo e Rio de Janeiro, no Brasil, e de Sines a Lisboa, Madri e Marselha, do lado europeu.

Um dos beneficiários do novo cabo da EllaLink é o Consórcio BELLA (Building the Europe Link to Latin America), formado por comunidades de pesquisa e educação europeias e latino-americanas, que necessitavam de uma rede de fibra óptica que suporte a transmissão de grande quantidade de dados com baixa latência para trocar informações e estudos sobre vários temas, como o das mudanças climáticas.

Cliente-âncora da Ellalink, o BELLA é formado pelas redes acadêmicas da Europa (Géant) e da América Latina (RedCLARA).  A nova rota do cabo EllaLink será fundamental para a comunidade científica dos dois continentes. Vários trabalhos científicos de peso terão seus dados e resultados compartilhados em tempo real pelo BELLA, com a ajuda do cabo EllaLink. Um deles é o Copernicus, Programa de Observação da Terra da União Europeia que monitora em tempo real efeitos das mudanças climáticas.

O cabo EllaLink também vai facilitar acesso a informações dos projetos de física de altas energias envolvendo o Grande Colisor de Hádrons (LHC), o acelerador de partículas da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN), e os dados fornecidos pelo telescópios ópticos e de rádio da European Southern Observatory (ESO), no Chile, entre eles do telescópio Cherenkov Telescope Array (CTA).

Monitor do PIB aponta crescimento de 0,6% na atividade econômica em julho

O Monitor do PIB-FGV aponta, na análise da série dessazonalizada, crescimento de 0,6% na atividade econômica em julho, em comparação a junho e crescimento de 0,3% no trimestre móvel findo em julho, em comparação ao findo em abril. Na comparação interanual a economia cresceu 6,6% em julho e 9,6% no trimestre móvel findo em julho.

“Em julho, primeiro mês do terceiro trimestre, a taxa de crescimento contra ao igual mês do ano anterior tem decrescido fortemente desde abril, quando foi observado o fundo do poço da recessão. Essas taxas de crescimento deverão continuar decrescentes, tendo em vista que a economia melhorou a partir de maio de 2020. Esses resultados estão influenciados pela recuperação de todas as atividades, exceto agropecuária, com destaque para o setor de outros serviços, em razão de maior percentual de pessoas vacinadas. O mesmo ocorre para os componentes da demanda, excetuando-se exportação, devido à forte desvalorização cambial”, afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Neste relatório, foi realizado exercício adicional com relação a série com ajuste sazonal uma vez que a pandemia de Covid-19 exerceu influência nos fatores sazonais de 2020 que podem não estar realmente relacionados a sazonalidade.

Alguns institutos de estatística internacionais estão analisando esses impactos e, por esta razão, além do ajuste sazonal habitual que contempla o período de janeiro de 2000 a julho de 2021, foi realizado adicionalmente o ajuste sazonal para 2020 e 2021 considerando os fatores sazonais referentes a 2019 e o fator calendário corrente.

Os resultados mostram que, caso os fatores sazonais da série do PIB utilizados sejam aqueles do período de 2000 até 2019, a taxa de variação em julho de 2021 seria de 1,7%, superior à de 0,6% observada considerando todo o período de 2000 até julho de 2021. Esses resultados sugerem que as taxas ajustadas sazonalmente devem ser analisadas com cautela pois a pandemia pode ter influenciado os fatores sazonais não apenas por razões econômicas como também estatísticas.

ANÁLISE DESAGREGADA DOS COMPONENTES DA DEMANDA

A análise gráfica desagregada dos componentes da demanda foi feita na série trimestral interanual por apresentar menor volatilidade do que as taxas mensais e aquelas ajustadas sazonalmente, permitindo melhor compreensão da trajetória de seus componentes.

Consumo das famílias

O consumo das famílias cresceu 9,5% no trimestre móvel findo em julho em comparação ao mesmo período do ano passado. Esse resultado foi influenciado, principalmente, pelo crescimento de serviços (10,3%). Na série com ajuste sazonal o consumo das famílias cresceu 2,1% no trimestre móvel findo em julho, em comparação ao findo em abril.

Formação bruta de capital fixo

A FBCF cresceu 23,5% no trimestre móvel findo em julho em comparação ao mesmo período do ano passado. Conforme apontado no Gráfico 4 do Press Release, todos os componentes mantêm trajetória de crescimento. No entanto, na análise da série dessazonalizada a formação bruta de capital fixo apresentou retração (3,9%) no trimestre móvel findo em julho, em comparação ao findo em abril.

Exportação

A exportação apresentou crescimento de 3,8% no trimestre móvel findo em julho, em comparação ao mesmo período do ano passado. Conforme apontado no Gráfico 5 do Press Release, apenas os componentes da agropecuária e da extrativa mineral não apresentaram crescimento. Cabe destacar que o componente de serviços apresentou crescimento (25,1%) pelo quarto mês consecutivo.

Importação

A importação apresentou crescimento significativo de 32,1% no trimestre móvel findo em julho, em comparação ao mesmo período do ano passado. Conforme apontado no Gráfico 6 do Press Release, todos os componentes da importação apresentaram crescimento. O destaque fica para bens intermediários com crescimento de 43% influenciado pela demanda da indústria.

MONITOR DO PIB-FGV EM VALORES

Em termos monetários, estima-se que o PIB no acumulado do ano até julho de 2021, em valores correntes, foi de 4 trilhões, 946 bilhões e 291 milhões de reais.

TAXA DE INVESTIMENTO

O Gráfico 7 do Press Release destaca em duas linhas as médias das taxas de investimento: a de cima mostra a média das taxas de investimento mensais desde janeiro de 2000 (18,0%); a de baixo, a média das taxas de investimento mensais desde janeiro de 2015 (16,0%). Observa-se que a taxa de investimento em julho de 2021 foi de 17,4%, na série a valores correntes. Este resultado apresenta uma taxa de investimento abaixo da taxa de investimento média mensal considerando o período desde 2000.

Mastercard expande o alcance do open banking com a aquisição da Aiia

A Mastercard assinou um acordo para adquirir a Aiia, provedor europeu líder de tecnologia de open banking que oferece conexão direta a bancos por meio de uma única API, permitindo que seus clientes desenvolvam e lancem novas soluções digitais que atendam às necessidades da vida cotidiana, do trabalho e do lazer.

O open banking está democratizando os serviços financeiros ao colocar os consumidores no centro de onde e como seus dados são usados para fornecer os serviços que desejam e precisam. Fintechs e bancos usam esses dados – com a autorização do consumidor – para fornecer acesso mais fácil e inclusivo a crédito, gerenciamento financeiro pessoal, carteiras digitais e serviços de pagamentos. A Mastercard desempenha um papel central neste ecossistema como um intermediário confiável com uma rede de dados segura.

“O valor do serviço de open banking vem da capacitação de consumidores e empresas a usar seus próprios dados para obter soluções de serviços financeiros de forma simples, segura e rápida. A aquisição da Aiia ancora nossos esforços de open banking na Europa e nos permite continuar a atender nossos clientes onde quer que estejam”, disse Craig Vosburg, Diretor de Produto da Mastercard. “À medida que o open banking continua a gerar inovação, estamos comprometidos em fornecer um conjunto exclusivo de plataformas de tecnologia, conectividade e infraestrutura de dados combinadas com privacidade de dados e princípios de segurança. Isso ajudará fintechs e instituições financeiras a inovar, coletar feedback e escalar com mais rapidez e eficácia do que nunca para potencializar experiências mais inteligentes e significativas”.

Hoje, a plataforma e experiência de open banking da Aiia, incluindo sua forte conectividade com API e recursos de pagamento, tem mostrado um crescimento significativo juntamente com um foco implacável na qualidade. A Aiia deu vida a um modelo único de open banking na Europa, impulsionado pela privacidade, segurança, qualidade e acesso de dados. Sua abordagem centrada no cliente e ambição de criar um open banking que simplesmente funcione complementa os canais de distribuição, tecnologia e práticas de dados existentes da Mastercard.

“Durante a última década, trabalhamos para transformar a Aiia em uma plataforma bancária aberta líder voltada para a qualidade, que integrou centenas de bancos e fintechs em trilhos bancários abertos e seguros. Trabalhamos junto com bancos, clientes e autoridades locais para garantir que nossas APIs mostrem o verdadeiro efeito do open banking. Estamos entusiasmados em fazer parte da Mastercard e progredir em nossa jornada de capacitar as pessoas a colocar seus dados financeiros e contas em ação – com segurança e transparência”, disse Rune Mai, CEO e fundador da Aiia.

Solidificando uma Fundação para a Inovação


A Mastercard foi um dos primeiros defensores do open banking em todo o mundo. A empresa fez movimentos ousados para combinar sua tecnologia proprietária e especialização em pagamentos multirail com fortes parceiros que oferecem serviços complementares. Em 2019, a Mastercard lançou sua primeira oferta de conectividade de open banking no Reino Unido e na Polônia, por meio de uma parceria com a Token.

Com a aquisição da Finicity em 2020, a Mastercard reforçou um forte compromisso com seus clientes, reunindo plataformas de tecnologia de primeira linha, recursos dedicados e uma infraestrutura global para catalisar a inovação e continuar a fornecer serviços localizados ao cliente. Este compromisso continuou no início de 2021 com os Serviços de Pagamento Mastercard, um conjunto mais amplo de recursos de pagamento de conta para conta e serviços bancários abertos adquiridos na aquisição da maioria dos negócios de Serviços Corporativos da Nets.

A experiência da Aiia em fornecer acesso seguro e protegido aos dados complementa os princípios de responsabilidade de dados da Mastercard, continuando a colocar o indivíduo no centro do processo. Esse relacionamento reforça o trabalho liderado pela equipe Finicity da Mastercard para estender as melhores práticas relacionadas a dados em vários setores. A conectividade da empresa na Europa permitirá que a Mastercard entregue os aplicativos de decisão de crédito e pontuação de crédito da Finicity para clientes europeus. Da mesma forma, a conectividade da Finicity nos EUA ajudará a fornecer os serviços de informações de conta e aplicativos de pagamento da Aiia aos clientes norte-americanos – além de oferecer aos clientes globais um acesso mais fácil, rápido e seguro a serviços de open banking.

A Aiia é um Provedor de Serviços de Iniciação de Pagamentos (PISP) e Provedor de Serviços de Informações de Contas (AISP) licenciado e opera sob a supervisão da Autoridade de Supervisão Financeira Dinamarquesa (FSA).

A transação, que tem previsão para ser concluída no final do ano, está sujeita às condições habituais de fechamento. Os termos do acordo não foram divulgados.

Kangu registra aumento de 1800% em contratações diretas e anuncia mais oportunidades de emprego

A Kangu, plataforma tecnológica que viabiliza soluções logísticas inovadoras e sustentáveis, tem tido expansão contínua de suas atividades com o crescimento do e-commerce no Brasil nos últimos anos. De 20 colaboradores nos primeiros meses de 2020, a empresa atualmente conta com 380 pessoas efetivadas. Estes dados revelam crescimento de 1800% do quadro de colaboradores nos últimos anos, sendo 406% apenas nos últimos 12 meses.

Para este mês de setembro a Kangu está com mais de 20 vagas em aberto para preencher posições nas áreas de Administração, Comercial, Jurídico, Operação, TI, Vendas e também para o Banco de Talentos. Todas as contratações são para o estado de São Paulo, sendo algumas híbridas, outras presenciais ou integralmente remotas. Também há possibilidades de atuação em outros países da América Latina – como Colômbia e México, onde a Kangu mantém operações.

Segundo Maria Marta, Head de Gente e Gestão da Kangu, os diferenciais de um candidato para se tornar colaborador(a) da empresa estão na pretensão de aprender e de crescer junto com a empresa. “O nosso DNA inovador, somado ao impacto positivo que geramos nas cidades e na nossa rede, tem trazido um crescimento exponencial para toda a operação. Para atender este crescimento, buscamos pessoas que queiram trabalhar em algo que acreditam, além de estar sempre em busca de aprender e contribuir para seguir evoluindo com a empresa”, disse.

Vagas na Kangu


Além dos rendimentos e demais benefícios, a Kangu oferece treinamentos, avaliações de desempenho, parcerias com instituições de ensino superior, MBA e de idiomas para seus colaboradores. Todas as vagas abertas priorizam negros, pessoas com deficiência e LGBTQIA+ e reforçam o ambiente de trabalho na Kangu como seguro e acolhedor. “Acreditamos na diversidade e entendemos que esse é o segredo para continuar oferecendo os serviços que melhor se adequam a todos os tipos de clientes. Assim como cada pacote enviado pela Kangu, é uma forma de estimular uma sociedade mais sustentável e inclusiva”, complementa a Marta.

São pelo menos 20 vagas para contratação imediata, sendo algumas delas para reposição do Banco de Talentos. Confira:

Analista Contábil Jr. (Auditoria) | São Paulo e Remoto
Analista Contábil Jr. (Latam) | São Paulo e Remoto
Analista de Dados Jr. | São Paulo e Remoto
Analista de DP (Folha de Pagamento) – Bilíngue (Espanhol) | São Paulo/SP
Analista de Experiência do Cliente Pleno | São Paulo e Remoto
Analista de Qualidade Jr. | São Paulo e Remoto
Analista de Transporte Sênior | São Paulo e Remoto
Analista Fiscal Jr. | São Paulo e Remoto
Analista Jurídico | São Paulo e Remoto
Assistente de Logística | São Paulo/SP
Assistente de Monitoramento | Campinas/SP
Banco de Talentos | São Paulo e Remoto
Consultor de Negócios | Santos/SP
Consultor de Negócios | São Paulo/SP
Consultor de Negócios | São Paulo e Remoto
Coordenador Financeiro | São Paulo e Remoto
Desenvolvedor(a) PHP Sênior | São Paulo e Remoto
Supervisor(a) de Atendimento CX | São Paulo e Remoto
Técnico de Segurança do Trabalho Jr. | São Paulo/SP

Para mais informações e efetivar candidatura: kangu.gupy.io

Tags

Estudo internacional valida uso de Inteligência Artificial para predição de complicações da Covid-19 em pacientes hospitalizados

Imagine a possibilidade de prever, com 24 horas de antecedência, se um paciente internado com Covid-19 vai ter uma piora em seu quadro clínico e precisará ser intubado. Ou, então, se este mesmo paciente irá apresentar melhora no dia seguinte e poderá receber alta. Parece impossível em meio a uma pandemia de um vírus que apresenta variantes perigosas e atinge os pacientes de maneiras distintas, não é mesmo? 

Porém, um artigo publicado na Nature Medicine – uma das maiores publicações científicas do mundo –, 15/9, de autoria de cientistas de vários países liderados pelo Mass General Brigham e NVIDIA – entre eles dois especialistas em Inteligência Artificial (IA) da Dasa, a maior rede integrada de saúde do Brasil –, mostra como um modelo de IA robusto e altamente generalizável pode auxiliar na triagem de pacientes com Covid-19 e melhorar a administração de recursos e os cuidados com as pessoas internadas nos hospitais. 

No estudo, Felipe Kitamura, Head de Inovação em Operações Diagnósticas da Dasa, e Gustavo Corradi, médico especialista em IA na Dasa, mostram que a utilização de algoritmos por meio da técnica de Federated Learning – Aprendizado Descentralizado ou Colaborativo, numa tradução livre – pode prever casos de infecção pelo novo coronavírus que podem se agravar ou não, possibilitando aos médicos tomadas de decisões informadas em dados, mais assertivas e rápidas. 

Como um algoritmo prevê a evolução da infecção pelo vírus? 

Os algoritmos, instalados na rede do hospital onde os pacientes com Covid-19 estão internados, aprendem com dados monitorados e coletados não só dos seus pacientes, mas também de outras instituições que possuem o mesmo sistema, sem que os dados saiam das Instituições “mães”. 

“Esse modelo é diferente dos algoritmos atuais, que estimam apenas o risco de morte. Saber que um paciente tem maior risco de morte não é uma informação acionável”, explica Kitamura. Corradi complementa: “Se você consegue prever que em 24 horas um paciente vai precisar ser intubado, você não manda para casa. Enquanto isso, você consegue dar alta hospitalar para outas pessoas porque sabe que não haverá necessidade de intubação. Ou seja, os algoritmos facilitam as decisões dos médicos”. 

A pontuação de risco gerada pelos algoritmos, de acordo com os pesquisadores, permite ainda prever a necessidade de oxigênio e pode ser usado antes mesmo de ter PCR positivo, como em casos de pacientes sintomáticos sendo atendidos no Pronto-Socorro, já que a decisão do médico de internar ou não está relacionada com os recursos que o hospital detém para o atendimento. 

“Como os dados usados para ensinar a IA são muito diversos em toda a sua natureza, desde a amostra da população até as informações sobre o vírus, o aprendizado federado permite que os algoritmos aprendam melhor, tornando-os cada vez mais acurados”, esclarece Kitamura.  

Privacidade e segurança dos dados 

Este é um dos maiores estudos com uso de Federated Learning do mundo até o momento, com mais de 16 mil casos de coronavírus mapeados e 20 instituições internacionais de quatro continentes diferentes envolvidas. Segundo Kitamura, o sistema é altamente seguro e a privacidade dos dados dos pacientes é garantida. “A criação do modelo é importante, mas ainda está no âmbito de pesquisa e, para ser implementado, passará por etapas regulatórias. De toda forma, o estudo mostrou a viabilidade do Federated Learning para produzir rapidamente um modelo robusto, preciso e generalizável, sem tráfego de dados de pacientes entre as instituições”, ressalta Kitamura. 

“Na NVIDIA, acreditamos que o aprendizado federado pode acelerar a adoção de soluções baseadas em IA na medicina, criando modelos em setores onde os dados são limitados”, disse a Dra. Mona G. Flores, chefe global de IA médica da NVIDIA.  

O Massachusetts General Hospital, dos EUA, participante do estudo, planeja validar essa IA em produção e buscar a aprovação dos órgãos competentes em breve.  

O aprendizado federado permite que pesquisadores de todo o mundo colaborem e o modelo EXAM está publicamente disponível para uso em pesquisa por meio do NVIDIA NGC Software Hub.  

Acesse o estudo completo: https://www.nature.com/articles/s41591-021-01506-3 

Hackathon oferece a chance de contratação de até 50 profissionais

A Labenu , EdTech que oferece cursos voltados para a inclusão de pessoas no mercado de tecnologia, realiza, a partir do dia 25 de setembro, o seu primeiro hackathon, o Tech Start Labenu, em parceria com as empresas Accenture e ServiceNow. O evento busca ser mais uma ferramenta de inclusão de pessoas no mercado de tecnologia, trazendo os mais diversos perfis de profissionais para participar da competição. As inscrições podem ser feitas de 13 a 23 de setembro, de forma gratuita, pelo site: https://www.labenu.com.br/techstart.

A iniciativa, 100% gratuita, acontecerá de forma online no formato de uma maratona de desenvolvimento e conhecimento, tendo como objetivo ensinar ServiceNow para quem participar e ainda possibilitar a contratação de até 50 pessoas pela Accenture ao final do evento, para trabalhar com a ferramenta. Além disso, quem for contratado participará de uma outra qualificação interna da ServiceNow, o NextGen, um programa voltado para dar uma oportunidade para pessoas que desejam entrar no mercado de TI, dando especial atenção para os grupos de baixa representatividade (mulheres, afrodescendentes, LGBTQIA+, etc) a entrarem no mundo de tecnologia com este serviço.

De acordo com o CEO da Labenu, Luciano Naganawa, essa é uma oportunidade aberta a qualquer pessoa e que esteja buscando um desafio profissional. “Não é preciso que o participante saiba programar em ServiceNow. O nosso hackathon será aberto ao público que possui uma graduação (concluída ou em andamento), que seja curioso e aceite um desafio, principalmente em uma área que tem crescido todos os anos, que é a de TI”, afirma.

O objetivo do evento é estimular o pensamento criativo dos participantes, colaboração e cooperação, utilizando ao máximo o produto da ServiceNow. “O mercado de tecnologia apresenta uma demanda muito alta por profissionais qualificados. Estamos muito contentes em fazer parte dessa iniciativa em conjunto com a Accenture e a Labenu, para formar novos jovens talentos para o nosso ecossistema, dando oportunidades para quem está iniciando sua carreira em tecnologia”, pontua Sandro de Camargo, diretor de parceria e alianças para América Latina da ServiceNow.

Mesmo sem experiência prévia com a ferramenta, os participantes receberão treinamento, terão acompanhamento para que possam entregar um bom resultado ao final dos nove dias de evento. Além disso, os participantes também vão concorrer a prêmios de diferentes valores (até um máximo de US﹩3.000,00), entregues aos três primeiros colocados do Hackathon.

Serviço

O que é: Hackathon Labenu, Accenture e ServiceNow (Tech Start Labenu)
Quando: 25/09 até 03/10
Período de inscrição: de 13 a 23 de setembro
Linkhttps://www.labenu.com.br/techstart
Valor de investimento: gratuito

Tags

XP Inc. realizará Hackaton de Dados online e poderá contratar participantes que concluírem desafio

Entre os dias 25 e 26 de setembro, a XP Inc. realiza de forma online o Hackaton de Dados com o objetivo de promover o conhecimento, integração e o desenvolvimento de soluções tecnológicas baseadas em Big Data. Os participantes que concluírem os desafios poderão ser convidados para trabalhar na XP Inc. 

Como método de aprendizado, o Hackaton será em formato de desafios relacionados à área financeira, principalmente para incentivar a interatividade entre os participantes em um ambiente virtual, de inovação, inclusão e colaboração multicultural. 

As inscrições para o Hackathon são individuais. Os profissionais selecionados participarão dos treinamentos no primeiro dia e as equipes serão sorteadas para a composição dos desafios do hackathon realizados no segundo dia.

Além disso, o formulário de pré-inscrição ficará disponível até o dia 16/09. Após o preenchimento, os candidatos receberão um teste de fit cultural e, em seguida, um pequeno teste técnico, que será de curta duração. A divulgação dos participantes selecionados, com base no perfil do teste cultural e os requisitos mínimos de participação, será no dia 20/09. 

“Promover o conhecimento, integração e desenvolvimento de soluções tecnológicas também são atitudes que fazem parte do propósito da XP Inc. Queremos levar informação para diversas pessoas e profissionais, com a missão de revolucionar o mercado financeiro a partir da tecnologia”, afirma Renato Cunha, sócio e Chief Strategy and Transformation Officer da XP Inc. 

O Hackaton de Dados da XP Inc. conta com o patrocínio da Microsoft, realização e suporte da Azure Brasil e eSeth Cloud.

Para mais informações e inscrições, acesse: https://www.xphackdados.com.br/index.html

Programa de aceleração da AES Brasil em parceria com a Liga Ventures seleciona três startups em novo ciclo

A AES Brasil , empresa geradora de energia renovável, selecionou três startups em seu 3º ciclo de aceleração em parceria com a Liga Ventures , maior ponte para fomentar a geração de negócios entre grandes empresas e startups. Ao longo do processo, o programa contou com mais de 260 inscrições e as startups contempladas terão a oportunidade de cocriar projetos relacionados aos desafios internos mapeados pela companhia.

Entre os desafios mapeados pela companhia para esse ciclo estão: soluções para estruturação, análise e visualização de dados; soluções para curadoria de conteúdo de monitoramento de mercado; e soluções para gestão de departamento jurídico.

“Neste ciclo, buscamos startups maduras que pudessem desenvolver soluções inovadoras e tangíveis aos desafios propostos pelas áreas Comercial, Financeiro, Jurídico e Regulatório da empresa. Junto à Liga Ventures iremos validar essas soluções por meio de provas de conceito para que, ao final do programa, as startups possam se tornar fornecedoras e parceiras da AES Brasil. Acreditamos que a aproximação com o ecossistema de inovação reforça nossa visão estratégica e impulsiona o futuro do setor elétrico”, afirma Julia Rodrigues, gerente de P&D e Inovação da AES Brasil.

Durante quatro meses, as startups contarão com o acompanhamento dos especialistas e da rede de mentores das corporações parceiras, além do apoio e orientação da Liga Ventures, que possui grande expertise no ecossistema de inovação e já foi responsável por programas de sucesso com mais de 50 empresas, acelerando mais de 350 startups, em mais de 50 ciclos de aceleração.

“Este é nosso terceiro ciclo em parceria com a AES Brasil e, diferente dos anteriores, dessa vez nós apostamos na busca por startups com potencial para propor soluções que pudessem auxiliar na resolução de desafios internos da empresa. O objetivo é gerar valor para a companhia, ao mesmo tempo em que ajudamos a startup a desenvolver seus negócios com auxílio de especialistas que possam orientá-los nesse processo”, afirma Rogério Tamassia, cofundador da Liga Ventures.

Conheça as startups selecionadas:

Crawly

A Crawly automatiza a busca por dados não estruturados em grande escala para empresas. Áreas como pricing, riscos, compliance e outras que precisam de levantar dados, informações e documentos em fontes diversas manualmente, passam a realizar em minutos o que antes demandava semanas, gerando saltos em produtividade e economia.

Oncase

A Oncase possui uma série de produtos técnicos que aceleram qualquer trabalho com dados e uma metodologia de co-criação ágil para construção de soluções inovadoras data-driven. Além dessa frente consultiva, a Oncase possui o Scora Journey, que reúne todos os dados da Jornada do Cliente em um único local e, por meio de uma inteligência artificial, extrai insights que ajudam as corporações a atuarem de forma personalizada por conhecer cada vez mais seus consumidores e aumentar a eficiência das áreas de vendas, marketing e atendimento.

Projuris

Plataforma de Inteligência Legal. Entregam tecnologia para tornar rotinas mais ágeis, seguras e precisas, eliminando riscos, falhas e possibilitando desenvolver e ampliar o desempenho dos profissionais que confiam na Projuris.

Tags

SysMap Solutions tem mais de 350 vagas abertas

A SysMap Solutions, empresa especializada em apoiar a transformação digital por meio de integração de sistemas e consultoria em processos de tecnologia, está com mais de 350 vagas abertas que abrangem diversas áreas, sendo muitas delas na área de Salesforce, para diversos perfis, como desenvolvedores, líderes técnicos e especialistas Vlocity. As oportunidades também abrangem as áreas de dados, desenvolvedores Full Stack, Back-end e Front-end, designers UX e UI, arquitetos de microsserviços, entre outras. As vagas são, na maioria, para trabalhar remotamente, permitindo a candidatura de profissionais de qualquer lugar do Brasil e do mundo.

O setor de tecnologia tem ofertas abundantes de emprego, e de acordo com uma pesquisa divulgada pelo site vagas.com, esse foi o setor mais buscado para atuação remota, representando 38% das pesquisas. Isso possibilita que diversas empresas pensem na contratação em nível nacional e internacional. “Como empresa brasileira há mais de 20 anos no mercado, estamos sempre investindo em formar profissionais no nosso país, gerando emprego em todas as regiões. Além disso, decidimos expandir nossa busca por profissionais de TI em outros países também por uma necessidade que o mercado nacional atualmente não consegue suprir”, diz o CEO da empresa, Daves Souza.

Além da preocupação em contratar profissionais qualificados, as empresas de tecnologia procuram formar novos talentos com projetos de capacitação internos, promovendo programas de trainees, bootcamps, webinars e treinamentos em geral. Existe uma escassez de profissionais na área de tecnologia do país: segundo a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação (Brasscon), o Brasil forma anualmente cerca de 45 mil pessoas na área de tecnologia, mas as companhias abrem 70 mil vagas por ano, o que mostra a relevância da área e a importância das empresas terem políticas atraentes para retenção e formação de colaboradores.

“A necessidade das pessoas se manterem distantes fez com que as tecnologias que suportam o trabalho remoto fossem essenciais para as empresas manterem os negócios funcionando. Toda essa estruturação aumentou ainda mais a demanda de novos profissionais para os times de TI, o que ajudou a acentuar a falta de mão de obra qualificada no setor. Com tanta oferta de trabalho, manter bons funcionários na empresa vai além do contrato. O que realmente move profissionais da área de informática, tão importante quanto a questão financeira, é a oportunidade de atuar com novas tecnologias e tendências, trabalhar com gestores inspiradores, além do incentivo para desenvolver a autogestão e a possibilidade de trabalhar em home office”, pondera Daves.

O grupo SysMap Solutions, que também conta com as startups triggo.ai e TriggoLabs, atualmente tem cerca de mil colaboradores, com escritórios em São Paulo, Belo Horizonte e Dallas, e tem mais de 200 empresas clientes. A triggo.ai é especialista na área de Data Analytics, BI, Inteligência Artificial, Big Data e várias outras soluções na área de dados. A TriggoLabs fomenta a transformação digital e inovação nas empresas através de workshops de Service Design Thinking e serviços de UX e UI.

Os profissionais interessados podem consultar mais informações sobre as vagas e se candidatar pelo site: https://www.sysmap.com.br/sejasysmap.php