Page

Author admin

Como evitar golpes com criptomoedas

Um grupo especialista na compra e venda de bitcoins, que inadvertidamente se afirmava como o maior do Brasil na área, tem sido alvo de processos judiciais desde junho. Isso porque os clientes não estão conseguindo sacar as quantias investidas e a Justiça, por sua vez, não está encontrando o dinheiro para ressarcir os clientes. O caso levanta uma importante discussão no mercado: como evitar golpes com criptomoedas?

Daniel Coquieri, COO da BitcoinTrade, uma corretora de moedas digitais voltada inteiramente para o mercado brasileiro, lembra que “a segurança do usuário e o cuidado para evitar ações maliciosas precisam ser as maiores preocupações das empresas, sobretudo quando elas têm o dinheiro de outras pessoas sob sua responsabilidade”. O executivo lista abaixo algumas das dicas mais importantes para evitar golpes com criptomoedas. Confira:

Procure por uma exchange de confiança

As exchanges são plataformas em que ocorrem a troca de moedas virtuais. Elas funcionam como corretoras no mercado de ações, conectando pessoas que querem comprar com quem quer vender suas criptomoedas.

Dê preferência por uma exchange que tenha certificações reconhecidas de segurança, por empresas que ofereçam instruções básicas e tirem dúvidas de seus investidores, principalmente se você estiver fazendo seus primeiros investimentos em criptoativos.

Atenção ao golpe de pirâmide

Um golpe muito comum com criptomoedas envolve o esquema de pirâmide, que funciona basicamente com um investidor inicial que convida outros para se unir ao grupo e lucrar em cima destes, sem a necessidade de venda de nenhum produto. Nesta lógica, quem está no topo sempre precisa de mais pessoas para alimentar a base e continuar o ciclo.

Geralmente, esquemas de pirâmide prometem retorno consideravelmente maior se o investidor chamar outras pessoas para participar da estrutura, além de garantir retorno certo, o que é um erro, pois o bitcoin é extremamente volátil e não assegura lucro. Cuidado com este tipo de golpe! As taxas de rendimento propostas são normalmente impraticáveis e acabam por deixar o investidor na mão, sobretudo na hora de recuperar o dinheiro investido. Nestes casos, a pergunta que o investidor deve se fazer é a seguinte: se os rendimentos são tão bons assim, por que a empresa precisa de tantos clientes?

Use processos de autenticação

Depois de encontrar a corretora de sua confiança, faça seu cadastro regular e respeite todos os processos de autenticação. Eles permitem validar se o usuário que está tentando entrar na conta é o mesmo cujos dados estão cadastrados no sistema. A medida garante um controle maior no acesso, proporcionando o máximo de segurança. Tenha ainda um e-mail com senha forte e não a compartilhe com terceiros.

Faça backups semanais

A fim de redobrar o cuidado e evitar ataques de hackers, é importante fazer backups frequentes da carteira digital, que devem ocorrer ao menos uma vez na semana. A impressão e o armazenamento de um documento físico também são uma alternativa interessante para garantir a eficácia da cópia de segurança em caso de invasão das suas informações ou perda do HD ou pendrive.

Atenção a tentativas de phishing

Uma prática bastante usada por cibercriminosos é o “phishing”, técnica para “pescar” informações e dados pessoais importantes através de mensagens falsas. O usuário é levado a informar, por conta própria e inadvertidamente, alguns dados sigilosos que permitirão o roubo de suas criptomoedas. Preste atenção a e-mails maliciosos, principalmente se vierem acompanhados de links estranhos e forem enviados por remetentes desconhecidos ou não identificados.

Os criminosos podem até oferecer segurança ou suporte técnico mas, na verdade, querem copiar seus dados e podem, inclusive, transferir as criptomoedas. Confie apenas na assistência técnica que você tenha solicitado.

Não compartilhe informações sobre suas transações

É comum que o usuário interessado em investir em bitcoins participe de fóruns especializados para tirar dúvidas e colher opiniões sobre o tema. No entanto, é preciso ter cuidado para não compartilhar informações em excesso sobre seus investimentos, como qual é a sua carteira ou a quantidade de criptomoedas que você tem. Quando o assunto é o seu dinheiro, todo cuidado é pouco.

Futuro da mobilidade no Brasil será debatido no Connected Smart Mobility

Nos dias 17 e 18 de setembro de 2019, São Paulo sediará o Connected Smart Mobility, iniciativa promovida pela Sator e que tem o objetivo de debater e apresentar soluções e tendências para a mobilidade urbana no País. A integração de diferentes modais como solução para a mobilidade no Brasil, por meio da conexão entre vários meios, tais como metrô, ônibus, bicicleta, táxi, transporte aéreo, entre outros, fazem parte da revolução da mobilidade e deve ser pensada para atender as necessidades de locomoção das pessoas nos centros urbanos, tendo como objetivo proporcionar qualidade de vida à população. Nesse sentido, a programação do evento contempla os temas: mobilidade para as pessoas, mobilidade ativa, mobilidade compartilhada, veículos elétricos, análise de dados, conectividade & integração e tendências.

De acordo com Paula Faria, diretora executiva da Sator, conectividade e integração entre os diferentes modais de transportes são pontos fundamentais para a revolução na mobilidade urbana no Brasil e que o avanço nessa área está relacionado aos novos investimentos em infraestrutura, onde é imprescindível a operação de um plano de mobilidade com transporte público integrado e infraestrutura 3.0 para mobilidade elétrica. “Também é necessário trabalhar os temas de gestão de trânsito, segurança, movimentação urbana de carga e logística e o plano de mobilidade e carga para as cidades. É importante ressaltar, ainda, que a integração entre os diferentes meios de locomoção é necessária e urgente, visto que o modelo atual não atende mais as necessidades de transporte urbano”.

E complementa: “O Connected Smart Mobility, a revolução da mobilidade urbana, traçará um panorama da mobilidade brasileira e proporcionará uma verdadeira imersão sobre o tema, envolvendo diversos atores para discutir a revolução da mobilidade, por meio de investimentos, tecnologia e inovação com foco na necessidade das pessoas, pois é fundamental a conexão entre os diferentes modais no sentido de atender as demandas de locomoção da população nas cidades, principalmente as que concentram grandes conglomerados”, comenta a executiva.”

Mobilidade como um serviço

O Centro para a Quarta Revolução Industrial do Fórum Econômico Mundial fará parcerias com governos selecionados em todo o mundo e com interesse em servir de plataforma para novas políticas e regulamentações sobre como implantar, integrar e dimensionar mobilidade aérea compartilhada em suas redes de mobilidade existentes. Os veículos autônomos já são realidade em algumas cidades do mundo, mas o Brasil é um dos últimos no ranking de aptidão para carros autônomos, segundo estudo da consultoria KPMG. O MaaS – Mobilidade como um serviço descreve uma mudança de propriedade pessoal de meios de transporte para soluções de mobilidade que são consumidos como um serviço. O conceito-chave do MaaS é oferecer aos viajantes soluções de mobilidade com base em suas necessidades de viagem.

A diretora executiva da Sator cita que a perspectiva de investimentos no setor de mobilidade urbana e o conceito do transporte como um serviço são pontos fundamentais. “Reuniremos gestores públicos, especialistas, empresários, representantes de diferentes segmentos, planejadores e pensadores de organizações comprometidas com a mobilidade urbana, instituições financeiras e organismos internacionais de fomento, além de startups, entidades de classe e universidades nos dois dias do evento. “Teremos ainda o CSM STARTUP HUB, um espaço dentro do Connected Smart Mobility voltado para a participação de startups, que tem o propósito de promover a participação destas organizações, tendo como principal objetivo apresentar propostas capazes de revolucionar a mobilidade urbana do país”, conclui Paula Faria.

Principais pontos da Plataforma Connected Smart Mobility
Mobilidade para as pessoas; Mobilidade ativa; Mobilidade compartilhada; Veículos elétricos; Data analytics (IOT, Inteligência artificial, Blockchain, realidade virtual e aumentada, internet das coisas, sensores, entre outros).

Dados do setor

Segundo relatório produzido pelo BNDES, nas últimas décadas, o Brasil se consolidou como um país urbano e metropolitano, sendo que os investimentos em infraestrutura de transporte público não acompanharam a urbanização. Nesse sentido, as cidades brasileiras vêm enfrentando problemas crescentes de poluição, congestionamentos e acidentes de trânsito, além de a qualidade do transporte público ser insatisfatória.

CSM – CONNECTED SMART MOBILITY – A revolução da mobilidade urbana

Data: 17 e 18 de setembro de 2019 – Paralelo ao Connected Smart Cities
Local: Centro de Convenções Frei Caneca, São Paulo/SP
Mais Informações: www.connectedsmartmobility.com.br
Promoção e Organização: Sator

O que vale mais: número de pessoas ou conversão?

Por Beatriz Oliveira, Head de Marketing da Eventbrite Brasil

Não são poucas as vezes em que ouvimos, de organizadores, participantes e até mesmo do público em geral, que um evento, para ser considerado um sucesso, deve ter o maior número de pessoas possível, seja ele do que for: workshop, festival, festa corporativa ou outros.

Se esse é seu caso e sua métrica de sucesso, melhor parar e repensar! Já tive muitas experiências, no Brasil e em outros países com culturas totalmente diferentes, em que tivemos eventos com cinco e outros com 50 pessoas. Minha pergunta, portanto, é: qual desses eventos você consideraria um sucesso?

Antes de responder, vou te contextualizar melhor. O objetivo era conversão de vendas com stakeholders específicos e, no primeiro evento, tivemos a venda efetivada para três dos cinco presentes. No segundo caso, não tivemos nenhuma venda convertida. E agora, qual evento obteve melhor resultado?

Portanto, como eu sempre costumo falar para meus colegas de trabalho, em palestras ou em bate-papo com amigos, antes de levar em consideração o número de presentes ou a casa cheia, analise o propósito de seu evento e os resultados que quer alcançar. Analise também, com mais cuidado, os propósitos das ações que deseja promover e, só então, passe a levar em consideração o número de pessoas que estão dentro de uma sala.

Se o objetivo é gerar awareness para a marca e a métrica for esgotar os ingressos ou inscrições, tudo bem focar no número de pessoas. Mas se for fechar negócios, foque sua energia no que realmente importa para os objetivos do seu evento e não somente em métricas de “vaidade”.

Ter a sala lotada é sim gratificante e nos enche de orgulho. Mas no fim do dia, o que te ajudará a bater as metas?

Movile contrata ex-Grupo Boticário com foco em iFood

Guilherme Reichmann, ex-Grupo Boticário, é a nova contratação do Grupo Movile, líder em marketplaces móveis e holding de iFood, Wavy, Sympla, Zoop, PlayKids e Movile Pay, entre outras. O executivo chega à empresa como Entrepreneur in Residence, modelo inovador de contratação no qual passará um período conhecendo toda a operação das unidades de negócios, até juntar-se ao C-level para levar a Movile até o estágio de empresa global. Seu foco inicial será no iFood.

Com mais de 15 anos de experiência, dos quais seis nos Estados Unidos, Reichmann acumulava recentemente os cargos de diretor-geral da Beauty Box e de head de ecommerce de todas as marcas do Grupo Boticário, onde trabalhou por mais de cinco anos. Antes disso, teve passagens pelo The Boston Consulting Group, Vivo e ExxonMobil. Na Movile, o executivo contribuirá com o sonho grande da empresa, de melhorar a vida de 1 bilhão de pessoas por meio dos seus aplicativos.

Segundo Reichmann, três pontos foram fundamentais para a sua decisão pela Movile: tecnologia e inovação no centro do negócio, o fato de ser uma organização brasileira com ambição de se tornar global e a cultura empreendedora forte com foco em pessoas. “Quero ser parte do processo de transformação da Movile em empresa global de tecnologia e colocar o Brasil no centro desse cenário mundial. Entendo que a forma como enxergamos inovação, capacidade de usar a tecnologia para mudar a vida das pessoas e o grande investimento em talentos serão fundamentais para chegarmos lá em pouco tempo”, destaca.

Fabricio Bloisi, CEO do grupo, reforça que a chegada de Reichmann, somada à contratação de Patrick Hruby, vice-presidente do Facebook, só demonstram a estratégia da Movile de ter os melhores profissionais a bordo. “Estamos trazendo grandes executivos do mercado que nos ajudarão a alcançar nossos objetivos em um curto espaço de tempo. O Brasil tem capacidade para ter grandes empresas globais e temos certeza que seremos os pioneiros nesse propósito.”

Formado em engenharia civil pela Universidade Federal do Paraná, Guilherme Reichmann tem MBA pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Vice-Presidente de Marketing da Iguatemi participa de painel sobre importância do omnichannel

Marcelo Miranda, vice-presidente Comercial e Marketing da Iguatemi Empresas de Shopping Centers, participou do painel “Offline + Online” promovido pelo festival blastU, em São Paulo. Na ocasião, o executivo da rede de shopping centers, ressaltou o pioneirismo da companhia no Brasil e as iniciativas recentes da Iguatemi no ambiente digital. Entre os destaques, Marcelo Miranda citou o novo aplicativo Iguatemi One, de relacionamento com clientes, e a plataforma de marketplace, Iguatemi 365.

Durante o seminário, as empresas apresentaram suas respectivas ações sobre o tema e enfatizaram a importância de utilizar estrategicamente as ferramentas digitais disponíveis para evitar pontos de atrito com o cliente. Participaram também do painel, Rodrigo Barcia, vice-presidente da Neoway, e Daniel Chalfon, sócio da Astella Investimentos.

O festival blastU acontece até o dia 14/08 e tem como objetivo conectar corporações consolidadas, empresas líderes, startups, investidores, mentores, empreendedores, estudantes e interessados em inovação, impacto e tecnologia, a fim de promover a troca de conteúdo e experiência.

Startup de educação financeira infantil recebe aporte de R$ 176 mil no Shark Tank Brasil

Com o arpão preparado, os sócios da Tindin, uma Edfintech – intersecção entre educação, finanças e tecnologia – brasileira que uniu educação e serviços financeiros em uma plataforma de mesada eletrônica educativa, fisgaram um dos tubarões do reality show Shark Tank Brasil, no episódio que foi ar na última sexta-feira, dia 09/08, às 22 horas no Canal Sony.

O aporte de R$ 176 mil foi feito pelo “tubarão” Caíto Maia, fundador da Chilli Beans, maior rede especializada em óculos e acessórios da América Latina, com mais de 800 pontos de venda no Brasil e em várias partes do mundo. Caíto gostou muito da apresentação criativa, firme e dedicada dos sócios durante o programa, e da proposta da Tindin, que vai de encontro a um público muito especial para a Chilli Beans: crianças e adolescentes.

O “tubarão” decidiu investir também para que este púbico possa adquirir produtos da Chilli Beans através do gateway de pagamento da Tindin, usando a mesada conquistada pelo cumprimento das tarefas, definidas pelos pais.

A rede de óculos ainda poderá disponibilizar sua linha de acessórios no marketplace do aplicativo. De acordo com Eduardo Schroeder, CEO da Tindin,”temos um marketplace no próprio aplicativo em que as crianças podem comprar produtos com a mesada acumulada. Os pais também podem inserir “produtos” ou experiências, como eletrônico e viagens. E em breve, os acessórios da Chilli Beans também estarão disponíveis”, explica o empreendedor.”

Como o Tindin funciona

O Tindin foi criado com o objetivo de desenvolver as capacidades infanto-juvenis de planejamento, negociação, poupança, investimento, consumo consciente e empreendedorismo. Funciona da seguinte forma:

Ao baixar o aplicativo gratuitamente para IOS ou Android, os pais definem o valor da mesada para transferência automática via cartão de crédito;
Os pais personalizam e definem critérios, tarefas e recompensas para as crianças;
A criança conquista sua mesada e a administra de forma digital e gamificada, e escolhe um objetivo material que adquire usando a própria mesada.
Desta forma, o aplicativo ajuda desenvolver habilidades como o hábito de poupar, planejamento, capacidade de negociação, respeito ao dinheiro e gestão financeira, além de disciplina e responsabilidade.

Mas o Tindin não se limita a uma carteira digital. O grande diferencial frente aos produtos substitutos do mercado é o trinômio: finanças-educação-gamificação. Não se trata apenas de um meio de pagamento, ou apenas marketplace, tampouco apenas plataforma educacional. É o primeiro ecossistema financeiro a aplicar educação financeira na teoria e na prática.

O mercado B2C potencial da Tindin é formado por jovens entre cinco e 17 anos, que segundo dados do IBGE, movimentam cerca de R$ 40 bilhões todos os anos. Já o mercado B2B, para o qual a Tindin vai direcionar seu modelo de negócio no segundo semestre, é formado por Escolas Fundamentais, treinamentos corporativos e EAD em geral que, juntas, movimentam quase R$ 100 bi anuais. Vale destacar que as Escolas Fundamentais são responsáveis por 60% deste montante e serão obrigadas por lei a incluir educação financeira na grade curricular, já no próximo ano.

Como nasceu o Tindin

O cientista da computação e especialista em gestão empresarial Eduardo Schroeder conta que a ideia do negócio começou em casa, quando instituiu a mesada educativa para ensinar finanças para seu filho. Anos depois, o menino fez uma proposta que se transformaria no conceito por trás do negócio: “Ele disse, ‘pai, quero comprar seu cartão de crédito, porque lojas online não aceitam moedas’, pensei, uau, faz todo sentido!”.

Fábio Rogério é graduado em desenvolvimento de sistemas para Internet, pós-graduado em Administração de Banco de Dados e pai da Alice. “Ela nem completou o primeiro aniversário, mas segundo previsões de especialistas, quando ela chegar aos 10 anos, não existirá mais o dinheiro físico”, diz o empresário.

“Nunca subestime uma criança!”, brinca, Eduardo Schroeder, fundador e CEO da Tindin, quando questionado sobre a juventude da startup. Segundo ele, a empresa, que conta ainda com outros dois sócios colaboradores atuando nas áreas de Marketing e Desenvolvimento de Software, foi constituída no modelo exponencial de negócio, o que justifica sua velocidade frente aos modelos tradicionais.

Fintech disponibiliza serviços financeiros para startups e empreendedores

O Linker, plataforma de soluções financeiras focada no empreendedor, traz ao mercado uma alternativa para que startups e empreendedores tenham acesso a soluções financeiras sem burocracia e alinhadas às necessidades do negócio. A Conta Linker é uma conta pessoa jurídica, na qual, por meio de plataforma e aplicativo 100% digitais, as empresas terão acesso a cartão para movimentação financeira, bem como serviços de cobrança, transferência de valores, pagamentos e outros. Um dos diferenciais é a ausência de qualquer cobrança administrativa, como taxas de manutenção ou anuidades.

“Nossa solução já está funcionando em versão Beta e o lançamento oficial será ainda em Outubro deste ano”, afirma David Mourão, um dos co-fundadores da Linker. “Não existe nenhuma solução financeira que tenha sido criada pensando no empreendedor. Em qualquer lugar do mundo, o empreendedorismo é motor da economia, e, se o empreendedor tem sucesso, a cadeia inteira se beneficia”.

Expectativas Após a Transformação Digital

O setor Financeiro foi um dos que mais evoluiu a partir da adoção de soluções digitais. O crescimento na popularidade de canais como Mobile Bank e Agências Virtuais amplificou a expectativa dos empreendedores por serviços e experiências tão inovadores quanto os que já são encontrados em outros segmentos.

Segundo Ingrid Barth, co-fundadora do Linker, “o empreendedor muitas vezes se vê refém de uma agência bancária física para resolver suas demandas. E fica mais complicado quando pensamos que o gerente da conta PJ, por exemplo, pode ter centenas de empresas na sua carteira, o que torna quase impossível saber muita coisa sobre todos os negócios que atende”.

Fatores como transparência, disponibilidade e tempo de resposta são essenciais no relacionamento entre clientes e empresas. Recentemente, o Linker juntou-se ao Programa de Startups da Zendesk, para construir um modelo de atendimento ao consumidor integrado e inteligente, colocando a revolução da Experiência do Cliente dentro do universo do empreendedorismo.

Para Pedro Muller, gerente de Startup Initiatives da Zendesk, “nós acreditamos que boas idéias e bons negócios não estão limitados a indústrias, geografias ou porte de empresas. Todas as companhias devem colocar os clientes no centro dos seus negócios”.

Pagamento via celular é caminho sem volta no Brasil e no mundo

Assim como houve o surgimento e crescimento das compras pela internet, agora os brasileiros estão aderindo às compras por aplicativos em dispositivos móveis. Segundo relatório do Centro de Inovação da Visa (CI), entre os países da América Latina e Caribe, o Brasil lidera em inovação tecnológica para pagamentos via apps.

Em um futuro próximo, o cenário promete ser ainda mais promissor, pois até o fim de 2020, o número de usuários de smartphones será 30% maior. Isso significa um aumento de 7,2% nas transações por celular, que não envolvam dinheiro, aponta o estudo.

O brasileiro já é o quarto maior consumidor de aplicativos do mundo: usa cerca de 10 deles por dia – e grande parte para fazer compras. Pesquisa do Instituto Qualibest, realizada no país em 2018, aponta que 81% dos internautas já encomendaram ou contrataram algum tipo de serviço ou produto por meio de aplicativos ou sites utilizando um smartphone.

Um destes serviços é o Chama, aplicativo de entrega de botijões de gás com operação em São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte. O app oferece um comparativo de preços dos fornecedores do produto e informações como tempo de entrega de cada um. Recentemente, a empresa passou a oferecer a possibilidade de pagamento diretamente via aplicativo com cartão de crédito, processo que antes era feito no momento da entrega.

Para Otávio Tranchesi, Diretor de Marketing do Chama, o consumidor brasileiro já confia nesse tipo de transação e isso se reflete na adoção pelos usuários. “O mercado deve ficar atento às inovações, já que as perspectivas por aqui são otimistas”, explica o executivo. Até 2023, o setor de pagamentos móveis deve passar de US$ 1,08 trilhão a US$ 4,5 trilhões, segundo a Allied Market Research.

A praticidade e segurança em relação ao pagamento via aplicativo é o que mais tem atraído os consumidores para este tipo de tecnologia, aponta Tranchesi. “É uma forma de se evitar problemas devido à falta de dinheiro ou troco, além de panes na maquininha. E, claro, os dados do cartão precisam da segurança de serem processados por uma plataforma de confiança, para prevenir fraude, entre outros riscos”, explica.

No Chama, para que a funcionalidade de pagamento in-app fosse implementada com sucesso, foi realizada uma adoção gradual do serviço: “Primeiro testamos com um grupo reduzido de pessoas, revendedores e usuários, para depois ampliar, um processo todo pensado que tem dado muito certo”, enfatiza Tranchesi.

Pagamentos sem barreiras como diferencial de compra

No caso de apps como Chama, Uber ou iFood, as transações de pagamento são processadas pela Adyen, plataforma ponta a ponta que utiliza inteligência de dados e machine learning para tokenizar dados de cartão com segurança e permitir pagamentos em um único clique, eliminando etapas desnecessárias na experiência de compra.

“Por anos, pagamentos foram um elemento complicado tanto para consumidores quanto para comerciantes. Se hoje temos a praticidade de comprar online por apps onde e quando quisermos, o processo de pagamentos deve proporcionar também essa praticidade” comenta Tulio Gambogi, head de de Adquirência e Produtos da Adyen para a América Latina. “Precisamos possibilitar que o consumidor pegue com o método que preferir, com toda a segurança e estabilidade de plataforma”.

Como conquistar uma recolocação profissional?

Por Luciana Carreteiro, fundadora da empresa Kyma Coaching

Conquistar uma nova posição no mercado de trabalho é o sonho de muitos brasileiros, principalmente diante do crítico cenário atual. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), hoje o Brasil possui 12,8 milhões de pessoas desempregadas.

Para se destacar em meio a esse panorama de baixa oferta e alta demanda, e conquistar a tão sonhada vaga é importante pensar estrategicamente. O primeiro passo é encarar a recolocação como um projeto que possui um checklist de ações, com rotina de entregas e prazo. A especialista em desenvolvimento de alta performance para liderança, Luciana Carreteiro, elaborou algumas dicas para ajudar na elaboração deste plano. Confira:

Etapa zero: atualize seu currículo e o seu Linkedin. Uma das perguntas que mais faço para meus clientes atualizarem o seu CV é: qual foi a sua contribuição nesse trabalho? Os recrutadores não querem ler uma lista de tarefas, e sim o que você ajudou a conquistar. Seja honesto, não venda algo que você não é.

Edite o seu Linkedin, observe se ele traz as palavras-chave ideais para o tipo de vaga que você procura. É importante que o ícone “resumo” transmita a mensagem de quem você é ao ponto de gerar curiosidade do leitor saber mais.

1) Estabeleça um prazo para o projeto terminar e uma rotina de trabalho: estabeleça um prazo compatível e realista. É importante não se frustrar e não confundir necessidade financeira com prazo de recolocação. Sabemos que quanto mais importante o cargo, mais entrevistas e maior a tendência de se alongar.

Para se alcançar uma meta, não existe mistério, é preciso ter disciplina: dedique todo dia, algumas horas à sua recolocação, focando nas atividades essenciais, planejando sua semana.

2) O principal fator de recolocação é o networking: aqui o lema é bem simples, “quem não é visto, não é lembrado”. Caso você já conheça a pessoa ou já tenha trabalhado com ela, retome o contato. Envie uma mensagem via Linkedin, Instagram ou mesmo WhatsApp, criando uma aproximação, ou então marque um almoço ou café com a intenção de se relacionar, onde os dois possam se beneficiar.

Acredito que o processo de networking não é apenas colecionar contatos e sim aprender com eles. A sua intenção vai determinar a qualidade do contato. Por isso, pense em reciprocidade, e passe a também oferecer a sua ajuda. Seja empático aqui, principalmente quando não conhece a pessoa.

3) Faça uma lista das empresas que você gostaria de trabalhar: coloque alguns critérios que vão te ajudar a priorizar as empresas, como interesse e admiração pela companhia, proximidade com a sua casa, intimidade com as categorias que já trabalhou, programas de diversidade, vagas abertas, entre outras.

Liste entre 50 a 100 empresas e todo dia trabalhe nessa lista com estratégias diferentes.

4) Seja ativo no Linkedin: a utilização do Linkedin evoluiu. Não é só uma plataforma de job search e sim uma plataforma de conteúdo e atualização.

Procure ler e interagir com algumas publicações. No Linkedin a consistência é mais valorizada do que o excesso.

Pense que se um recrutador fosse procurar hoje suas atividades recentes no Linkedin, o que você gostaria que ele encontrasse. Escolha temas de seu interesse, assim seus comentários irão fluir com naturalidade.

5) Esteja antenado nos temas de sua relevância: leia diariamente notícias sobre o seu mercado de atuação, tendências, livros, inovação. Cadastre-se em portais de notícias, participe de eventos. Para todos os setores, as notícias de economia são importantes. É relevante se manter antenado.

6) Procure a ajuda de um coach de carreira: se comprometer com alguém aumenta as suas chances de sucesso em qualquer área de atuação. Portanto, avalie a sua disponibilidade em ter um coach de carreira te auxiliando em todo esse processo. Esse suporte profissional será muito benéfico, inclusive na hora de preparar as entrevistas e a sua entrada na nova empresa.

7) Mantenha o controle emocional: com a ajuda do seu coach, fale o que está te atormentando e procure evoluir nas suas crenças limitantes e seus sabotadores. É essencial digerir as experiências passadas. Todo projeto tem altos e baixos, por isso seja resiliente e persistente. Uma entrevista é sempre uma oportunidade de se exercitar e estar cada vez mais pronto. Todo pico de euforia ou inércia irá te travar em algum momento. Mantenha-se equilibrado com os pés no chão.

92% dos clientes esperam que empresas solicitem feedbacks

A pesquisa A percepção do consumidor brasileiro sobre o serviço de atendimento ao cliente, realizada pela NeoAssist em parceria com a MindMiners, aponta que 92% dos consumidores esperam que as empresas que os atendem solicitem feedbacks para implementar melhorias nos produtos e serviços que oferecem. “O atendimento é responsável por grande parte da falta de fidelidade do consumidor. Um fator que pode contribuir com a falta de fidelidade é a percepção que o consumidor tem sobre a utilidade de seus feedbacks”, diz o estudo. Por isso, cada vez mais, as empresas estão valorizando a opinião dos clientes e buscam aperfeiçoar seus produtos e serviços por meio de diferentes metodologias.

Focada em potencializar a relação entre equipes de produção e clientes, a metodologia DevOps (Desenvolvimento + Operações) tem sido amplamente adotada em empresas de tecnologia que atuam com engenharia de software. Uma pesquisa da CA Technologies apontou que 16% das empresas brasileiras já utilizam esse modelo, posicionando o Brasil em quarto lugar na aplicação do DevOps nos negócios. O método vem como uma forma de investimento das empresas em formação e infraestrutura, visando alcançar melhores resultados, já que propõe um maior alinhamento entre as equipes de desenvolvimento e operações das empresas de tecnologia, otimizando processos internos, utilizando ferramentas e capacitando as pessoas. O objetivo é fazer com que o cliente perceba um valor maior nas soluções entregues, com um alto nível de qualidade e aderência.

Entre as organizações brasileiras que estão adotando o método está a Paradigma Business Solutions. Com sede em Florianópolis/SC e mais de 20 anos de estrada, a empresa iniciou um processo de implantação do DevOps em todas as unidades, que estão utilizando o método desde o segundo semestre de 2018. A empresa detectou ganhos significativos no aspecto da velocidade, produtividade e qualidade das entregas. “A criação de ambientes para clientes foi altamente otimizada, e a atualização do produto no mercado tornou-se mais fácil e ágil. Foram percebidos também ganhos na segurança da informação, o compliance, visto que os processos ficam registrados de forma automatizada e aumenta a confiabilidade do processo”, explica Rodrigo Werlang, Diretor de Tecnologia na Paradigma.

Outra forma de entender as necessidades do cliente e como atendê-las da melhor maneira é oferecer uma versão trial do produto. A BRy Tecnologia — empresa que atua na aplicação de protocolos criptográficos para tornar operações digitais mais seguras há 18 anos, com tecnologias como carimbo do tempo, assinatura e certificação digital — utiliza um recurso parecido, disponibilizando o piloto de alguns dos produtos de seu portfólio para que os clientes possam testá-los por um período determinado. “Ao longo do teste, os usuários podem sugerir alterações para otimizar as aplicações que pretendem contratar para o uso em seu dia a dia”, conta Rafael Godinho, Diretor Comercial da empresa. Ele também destaca que os produtos comercializados pela BRy são produzidos pela própria empresa, por isso há mais flexibilidade para customizar suas soluções que fazem a diferença para o cliente.

Bruno Soares, cofundador e CEO da Feedz — plataforma para a gestão ágil e estratégica de pessoas que integra vários serviços em um único ambiente — explica que as melhorias no produto desenvolvido pela startup são feitas com base em feedbacks dos clientes, por meio de chat contínuo disponível na plataforma, ou por meio de pesquisa de satisfação disponibilizada trimestralmente. A funcionalidade de gestão de tarefas atrelada a parte de gestão de objetivos da plataforma foi desenvolvida do zero devido ao retorno de um cliente, por exemplo. “Nós acreditamos que os feedbacks dos clientes são muito positivos. Primeiro, porque estreitam o laço de relacionamento com nossos clientes, e segundo porque desenvolvemos com base em necessidades reais e não achismos da equipe interna da empresa”, finaliza Bruno.

A percepção dos clientes sobre mercado e produto também é uma forma utilizada por empresas de tecnologia para definir seu modelo de negócio, como foi o caso da Involves, desenvolvedora do Agile Promoter, software para gestão de trade marketing. “Uma agência de trade marketing estava com dificuldades no gerenciamento de seu time de promotores de venda e veio até nós com esta demanda. Ao pesquisar mais sobre este mercado, descobrimos que outras empresas enfrentavam as mesmas dores, portanto, havia um mercado para revenda da solução, de forma escalável”, relata Pedro Galoppini, CPO da Involves, sobre a história de surgimento da Involves com base em demanda de clientes. Em função do aumento no número de clientes, hoje em dia a empresa coleta os feedbacks de forma mais seletiva, de acordo com uma visão estratégica de produto da empresa. “A partir da definição de frentes prioritárias para evolução do nosso produto, os times entram em contato com os clientes de forma a se aprofundar nos problemas apontados por eles e que se encaixam no que damos conta de atender, vista a quantidade de solicitações que recebemos diariamente. Sem prioridade não há estratégia”, explica Pedro.

Competitividade – Atender aos feedbacks dos clientes é prioridade para a divisão de Agricultura da Hexagon. Sempre que um usuário faz uma sugestão de melhoria, uma requisição é enviada à equipe de Pesquisa e Desenvolvimento e o procedimento se torna prioritário. “O feedback nos coloca em nível de igualdade ou até superioridade em relação aos concorrentes e nos direciona para atender o cliente com o que ele realmente precisa, e não com o que nós muitas vezes supomos ser relevante fazer”, explica Fabiano Arendt, gerente de pós-venda e engenharia de aplicação da Hexagon Agriculture. O executivo dá o exemplo do shape de linhas, função que permite que a trajetória das máquinas agrícolas seja criada no escritório das usinas, garantindo melhor aproveitamento da área e ganhos operacionais. O shape de linhas foi implementado pela Hexagon a pedido de usinas de cana-de-açúcar. “Durante todo o processo de desenvolvimento, os clientes foram dando retorno de como estava funcionando e de como deveria funcionar. Foi um desenvolvimento conjunto, que garantiu à Hexagon não apenas atender aos clientes, mas se manter competitiva”, conta Arendt.

Telemarketing: PROTESTE explica como o consumidor pode se inscrever no “Não me Perturbe”

Inaugurado no dia 16 de julho, o site “Não Me Perturbe” reuniu quase 1,5 milhão de cadastros em sua primeira semana de funcionamento. A ferramenta é decorrente de uma ação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Em junho, o órgão determinou que as principais empresas do setor deveriam implementar uma lista nacional e única de consumidores que não querem receber chamadas de telemarketing com ofertas de serviços de telecomunicações.

Não Me Perturbe

Para deixar de receber chamadas com ofertas de serviços de telefonia, TV por assinatura e banda larga, o consumidor deverá acessar o site e preencher o formulário de inscrição. A suspensão das chamadas ocorre em até 30 dias após o registro no site. Ao final do processo, o usuário recebe um comprovante do bloqueio realizado. E pode, a qualquer momento, desbloquear uma ou várias prestadoras para que voltem a realizar ofertas de telemarketing.

O site “Não Me Perturbe” foi desenvolvido pelas operadoras Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, Telefônica/Vivo e TIM, em parceria com a Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom).

A medida se refere a ligações relacionadas a ofertas de serviços e produtos de telecomunicações. E alcança apenas as empresas de telefonia, que respondem por cerca de 32% das chamadas indesejadas. A lista vale para todo o Brasil. E não substitui alguns cadastros geridos por Procons nos estados.

“As ligações podem vir de qualquer lugar do mundo, o que configura um grande desafio. Até setembro, no entanto, pretendemos evoluir o ‘Não Me Perturbe’ e entregar uma solução completa, que sirva de exemplo também para outros setores”, disse Elisa Leonel, superintendente de Relações com Consumidores da Anatel.

Power Dialing

As ligações incessantes de telemarketing são oriundas de um conceito tecnológico chamado Power Dialing. Os números de telefone são inseridos em um software de discagem automática. No entanto, o sistema não possui inteligência de software. Por isso, estabelece a conexão telefônica com um atendimento primário eletrônico, antes de posicionar o contato com um atendente humano.

Em razão da automatização do sistema, não há como marcar um consumidor que já foi contatado. Desta forma, as pessoas que já receberam ligações acabam sendo incomodadas várias vezes, ignorando registros anteriores.

De acordo com especialistas, essas chamadas também podem fazer parte de uma estratégia para não deixar os atendentes de telemarketing ociosos. A estratégia consiste em fazer um número de chamadas maior do que o de funcionários que trabalham em determinado turno. Dessa forma, o software faz a discagem e encaminha até que todos os atendentes estejam falando com algum cliente. Quando isso acontece, as chamadas excedentes são encerradas, mesmo que tenham sido atendidas.

Elo passa a aceitar pagamentos via Google Pay

A partir de hoje, a Elo passa a aceitar pagamentos das compras dos cartões Elo de crédito e de débito, emitidos pelo Banco do Brasil e Bradesco, por meio do Google Pay. A plataforma, que dispensa o uso de cartões físicos, permite pagamentos por aproximação de forma fácil, rápida e segura.

Com a parceria, a Elo, empresa 100% brasileira de tecnologia de pagamentos, passa a oferecer mais uma opção de pagamento para os portadores dos cartões que, ao realizarem compras pelo Google Pay, continuarão a ter acesso às recompensas e benefícios oferecidos aos clientes.

“Queremos oferecer os benefícios do Google Pay para todos os brasileiros”, diz Felipe Cunha, head de parcerias para Google Pay na América Latina. “Ter uma marca como a Elo em nossa plataforma representa um passo importante para atingir este objetivo.”

“Os hábitos de consumo estão em transformação e a tendência é que o consumidor tenha cada vez mais opções de pagamento. Nossa associação com o Google Pay é um passo em direção a esse futuro do mercado de pagamentos no Brasil”, analisa Felipe Maffei, diretor de produtos da Elo.

Para Eduardo Condé, gerente executivo na diretoria de meios de pagamento do BB, “modernizar nossas soluções de pagamento tem sido um dos nossos principais desafios nos últimos anos e temos feito isso de forma pioneira no mercado brasileiro, em conjunto com nossos parceiros. A chegada da Elo no Google Pay reforça nossa atuação e amplia o leque de soluções que colocamos à disposição dos clientes do BB que possuem cartões Ourocard Elo”.

“O Bradesco mantém o compromisso em oferecer todos os jeitos de pagar pelo celular. Agora os clientes que possuem os cartões Bradesco Elo Débito, Múltiplo ou Crédito também poderão realizar suas compras através do Google Pay”, analisa Vinicius Urias Favarao, diretor do Bradesco Cartões.

A Elo emprega a especificação D-PAS da Discover Global Network, a marca de pagamentos da Discover e a rede global de pagamentos que mais cresce, parceira da Elo desde 2015. Por meio desta aliança, a marca passou a ser a primeira 100% brasileira de tecnologia de pagamentos a ter aceitação internacional.

Como pagar com Google Pay

O primeiro passo para utilizar o serviço de pagamentos é baixar o app, disponível para smartphones Android. Em seguida, é preciso cadastrar o cartão de crédito ou de débito que deseja usar. Para fazer compras em lojas físicas, basta desbloquear o smartphone e aproximá-lo da maquininha de cartão até que apareça uma mensagem de compra autorizada. Assim, o cliente tem mais agilidade e praticidade nas compras do dia a dia.

Líderes conhecerão método para serem mais efetivos na gestão de pessoas

Líderes que desenvolvem seu autoconhecimento e suas inteligências emocional e comportamental conseguem obter melhores resultados no gerenciamento de pessoas e no comprometimento de todos com o propósito da organização. Essa é uma das propostas do Processo Hoffman e que será apresentada na palestra “Quem Está à Sua Frente?” para líderes e profissionais de RH, Treinamento e Desenvolvimento, no dia 10 de setembro, em São Paulo.

O Processo Hoffman da Quadrinidade é um curso de autoconhecimento aplicado em 14 países que propõe a integração das quatro inteligências humanas: emocional, intelectual, espiritual e corporal. Líderes de equipes e de negócios que passam pelo treinamento têm acesso a ferramentas para identificar suas fortalezas, aceitar suas vulnerabilidades, ampliar seu potencial e desenvolver autogerenciamento e autoliderança.

Não à toa, o método foi aplicado pela Universidade Harvard em sua Escola de Líderes, onde teve seus resultados comprovados: após o treinamento, os alunos demonstraram melhoria significativa em todos os 52 domínios de competência emocional relacionados à liderança.

A diretora do Centro Hoffman no Brasil e uma das maiores especialistas de autoconhecimento do país, Heloísa Capelas, mostrará, na palestra, como o desenvolvimento pessoal pode ser mais eficiente para os resultados das empresas do que focar apenas nas competências profissionais. As inscrições estão abertas e devem ser feitas neste link.

“Cuidar de pessoas tem tudo a ver com o nosso ser integral. E só aqueles que conseguem gerenciar e liderar a si mesmos estão prontos para gerir uma equipe, trabalhar com propósito e investir no desenvolvimento do potencial de cada liderado”, diz Heloísa Capelas, que é assistente social, coach, palestrante, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora dos best-sellers “O Mapa da Felicidade” e de “Perdão, A Revolução que Falta”.

O Processo Hoffman é indicado àquelas empresas que investem no cuidado e nos potenciais de seus funcionários.

Impacto nos alunos

Os alunos do Processo Hoffman ganham mais satisfação pessoal, bem-estar e empatia, entre outros benefícios. O resultado foi comprovado cientificamente por um estudo da Universidade da Califórnia.

Líderes empresariais que fizeram o Processo destacam que o aprendizado pessoal é duradouro e tem efeito multiplicador entre os colegas de trabalho.

“Aprendi que é possível desenvolver e aprofundar a resiliência, e superar todos os obstáculos e adversidades que a vida oferece. Recomendo o Processo Hoffman para todos aqueles que querem ter uma vida de sucesso, com prosperidade e felicidade em abundância”, diz Janguiê Diniz, fundador do grupo Ser Educacional, um dos maiores da área de Educação no Brasil, e ex-aluno do Hoffman.

O treinamento

O Processo Hoffman é um treinamento de imersão com duração de 7 dias, em que os participantes ficam em um hotel, completamente isolados da vida profissional e pessoal, e focam seu olhar para si mesmos, a fim de habilitar as ferramentas internas que fomentam sua autoliderança, inteligência emocional, inteligência espiritual e muito mais. Os exercícios e dinâmicas os ajudam a enxergar crenças que formaram ao longo da vida e que hoje os impedem de progredir em seu desenvolvimento. O método foi criado em 1967, por Bob Hoffman, na Califórinia (EUA).

Palestra “Quem Está à Sua Frente?” por Heloísa Capelas, diretora do Centro Hoffman no Brasil

Data: 10 de setembro de 2019
Horário: 19h30
Local: Espaço de Eventos do Villa Lobos Office Park
Av. Queiroz Filho, 1700 – Vila Hamburguesa, São Paulo (SP)
Inscrição online: conteudo.centrohoffman.com.br/palestra-quem-esta-a-frente-heloisa-capelas
Entrada: R$ 20 ou doação para o abrigo Bezerra de Menezes, em São Paulo. Mais informações no link acima.

Empresa de tecnologia lança aplicativo para colaboradores e otimiza comunicação interna em 20%

A cultura de inovação e transformação digital deve partir de dentro para fora das empresas. Com essa ideia em mente, a Neobpo, empresa especializada na oferta de soluções, aliando consultoria, tecnologia e serviço de BPO, lançou o Neoclick.

Disponível para Android e iOS, o aplicativo foi desenvolvido para atender as principais solicitações recebidas pela área de DHO (Desenvolvimento Humano Organizacional). Entre os serviços disponíveis estão consultas de holerite e lista de parceiros como instituições de ensino, restaurantes, academias, cabelereiros etc.

Mais de 10 mil colaboradores já aderiram à ferramenta. Com isso, o número de solicitações feitas para a área de DHO em outros canais teve uma redução de 20%. “Isso mostra como o nosso time recebeu bem a novidade. Também prova que entendemos quais eram as principais dúvidas e conseguimos esclarecê-las de forma ágil e totalmente digital”, explica Ana Alice Limongi, diretora de DHO.

O aplicativo ainda ajuda a área a direcionar suas campanhas de comunicação interna, permitindo a aplicação de filtros por cargo, unidade de negócio ou operação. Também possibilita gerar relatórios para verificar o desempenho das campanhas.

“O desenvolvimento dessa ferramenta está muito conectado com a nossa cultura de otimizar processos, promovendo eficiência e transformação digital, pra dentro e fora de casa”, conclui Ana Alice.

JDA traz estratégia global de Canais para o Brasil e anuncia parceria com a Stefanini

A JDA Software, empresa líder mundial de software de supply chain, traz a sua estratégia global de Canais para ampliar a sua atuação no País, para alcançar, além dos grandes players, as médias e pequenas empresas da manufatura, varejo, distribuição e serviços. A empresa também anuncia parcerias locais como a da Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia. A JDA Software é líder em todos os quatro Quadrantes Mágicos do Gartner no segmento de Supply Chain.

“Temos um grande potencial de clientes que podem se beneficiar com as ferramentas de supply chain da JDA. Iniciamos em junho o treinamento com a nossa equipe de desenvolvimento e de vendas com os especialistas da empresa. Já estamos analisando algumas oportunidades de negócios que podemos gerar. Durante o treinamento, algumas ferramentas me surpreenderam bastante como a JDA CatMan, que pode entregar vários diferenciais para o mercado”, disse Stella França, gerente de Produtos da Stefanini.

A capacitação oferecida pela JDA teve foco em três soluções: TMS, WMS e CatMan ministradas por especialistas dos EUA, México e do Brasil. “A JDA Brasil, alinhada com a estratégia mundial, alterou seu modelo de go-to-market indo ao mercado ampliar a sua atuação e cobertura, ao utilizar o ecossistema de canais de vendas, consultoria e implementação. Nossos clientes buscam inovação, integração, flexibilidade e proximidade; e com este novo modelo, nós podemos atender a todas as demandas que a transformação digital exige de nossos clientes”, afirma Samuel Baccin, novo Diretor de Alianças do Brasil, da JDA Software.

A JDA possui um escritório local em São Paulo com uma equipe sênior, e a Stefanini contará com o apoio de toda a estrutura da JDA, que possui mais de 5 mil colaboradores a nível global e regional Latam (México e Chile), além de um Centro de Excelência no México com 160 profissionais.

FTT estreia na 45ª edição do Conarh

Comprometida com a transformação social por meio da educação, a Faculdade de Tecnologia Termomecanica (FTT), instituição que oferece ensino superior gratuito e que está há 8 anos consecutivos no grupo de excelência do Ministério da Educação (MEC), desenvolve uma série de ações em prol da inserção do seu aluno no mercado de trabalho e ostenta um índice de 80,9% de alunos dos últimos períodos empregados ou estagiando. Essas experiências serão compartilhadas durante Expo ABRH, principal feira de negócios da área de gestão de pessoas na América Latina, que ocorre juntamente com a 45ª edição do Conarh (Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas), que será realizado entre 13 e 15 de agosto, no São Paulo Expo.

Somente no primeiro semestre de 2019, foram firmados 188 novos contratos de estágio e a expectativa para o final do ano é superar as 229 contratações realizadas em 2018. De acordo com Viviane Viana, coordenadora do Núcleo de Apoio à Carreira (NAC) da FTT, já são 41 novas organizações conveniadas, nos seis primeiros meses deste ano, para oferecer vagas que totalizam em mais de 400 empresas concedentes de estágios cadastradas pela Faculdade.

“Nosso rol é composto por empresas de vários segmentos, como a T-Systems do Brasil, Basf, Nèscara, Itaú Unibanco, Toledo do Brasil e as montadoras Volkswagen, Mercedes-Benz, GM e Ford, dentre outras. Algumas corporações preferem estagiários FTT, ou seja, lançam as vagas de estágio primeiro para nossos alunos”, revela Viviane.

Segundo a diretora acadêmica Luciana Guimarães Borges, na FTT, o aluno tem acesso a atividades e oportunidades muitas vezes oferecidas em consultorias especializadas em recursos humanos, como por exemplo, aplicação de ferramentas de autoconhecimento para orientação de carreira, auxílio na elaboração de currículo, apoio na busca de oportunidades profissionais e preparação para processos seletivos (entrevistas e dinâmicas), todos eles realizados de forma individualizada.

“Nosso empenho vai além da formação profissional, nós buscamos capacitar e empoderar jovens para que exerçam a cidadania responsável. A instituição possui forte compromisso com a transformação social, e a participação no processo de inserção dos estudantes no mercado de trabalho é parte desse ciclo. A forma como essas iniciativas são desenvolvidas pela faculdade, de forma gratuita, são inovadoras”, afirma a diretora.

Consultoria e capacitação

A FTT também realiza o acompanhamento e a supervisão dos estágios, por meio do mapeamento do desempenho do aluno, estudo que aponta para o desenvolvimento de gaps e fortalecimento das potencialidades; de visitas de estágio às empresas concedentes para avaliação do programa e identificação de melhorias no curso; e de encontro de supervisores de estágio, evento que reúne professores e gestores de empresas para compartilhar as melhores práticas em gestão de talentos e discutir o futuro do trabalho.

Ainda no âmbito da preparação do aluno para ingressar ou melhorar sua performance no mercado de trabalho, a FTT também promove ações como a Trilha de Carreiras, atividade em que profissionais do mercado são convidados para compartilhar sua trajetória profissional com as turmas ingressantes, possibilitando a confirmação da escolha profissional dos estudantes; Employer Match, que visa explorar a diversidade de atuação dentro do curso escolhido; Laboratório de Carreiras, treinamentos para o desenvolvimento de competências mapeadas nos relatórios de acompanhamento de estágio; FTT Carreiras, evento que inspira as trajetórias profissionais dos estudantes em curso com a participação de profissionais renomados do mercado; e a Feira de Carreiras, que reúne mais de 15 estandes de empresas e agentes de integração disponíveis para tirar dúvidas sobre programas de estágio e trainees.

“A consultoria do NAC é oferecida para os graduandos, pós-graduandos e alunos do curso técnico em Mecânica. A instituição prima pelo desenvolvimento integral dos seus alunos, trabalhando todas as dimensões, por meio de projetos filantrópicos, programas de extensão universitária, iniciação científica, desafios empresariais, além da constante atualização de seus cursos para que eles estejam sempre alinhados às demandas do mercado e do próprio aluno”, finaliza a diretora.

O estande da FTT na Expo ABRH é o 80-D, que fica na Rua 4, do São Paulo Expo, localizado na Rodovia dos Imigrantes, s/n – Km 1,5 – Vila Água Funda. Mais informações: www.conarh.org.br

Empresa usa meta-algoritmo para evitar viés em contratação

A Rocketmat – startup de soluções para seleção de candidatos e gestão de pessoas por meio de Inteligência Artificial – está implantando uma nova metodologia para garantir total imparcialidade nos processos de seleção de novos colaboradores ou promoção dos atuais dentro das empresas.

Nesta fase, os especialistas da Rocketmat estudam diferentes formas de cálculos matemáticos, nas quais, por meio de metodologia própria, incluem um meta-algoritmo, capaz de aprimorar ainda mais os processos de identificação de talentos. Tiago Machado, sócio e um dos fundadores da Rocketmat, explica que a metodologia aplicada tem a finalidade de detectar e corrigir eventuais classificações enviesadas que possam ter surgido nas primeiras análises.

“Em outras palavras, é como se um algoritmo entrasse em campo para vigiar se os seus pares matemáticos estão fazendo o trabalho corretamente, eliminando todas as possibilidades de escolhas com preconceitos de gênero, idade, raça e outros”, acrescenta.

A metodologia implementada do meta-algoritmo potencializa ainda mais as decisões do departamento de Recursos Humanos, pois garante não apenas um ajuste fino no processo de contratação de candidatos e candidatas, mas também reduz qualquer inconsistência ou decisão subjetiva durante as etapas de seleção.

Na Rocketmat, Matthew é o nome do robô – ou, tecnicamente falando, um “composto matemático e computacional” – responsável pela identificação das características comuns dos colaboradores que mais entregam bons resultados à organização e melhor se adaptam à cultura local. Seus algoritmos coletam os dados internos da empresa e as informações dos currículos interessados na vaga, criando um modelo de raciocínio capaz de fazer previsões. Já no universo da gestão de pessoas, a inteligência artificial permite, por exemplo, dizer se um funcionário está prestes a pedir demissão e até recomendar sua transferência para outro setor.

A partir de agora, Matthew terá companhia para ajudá-lo a encontrar e selecionar os perfis mais condizentes às oportunidades e cargos disponíveis nas organizações e a tornar o trabalho da equipe de pessoas ainda mais fundamentado.

Realidade aumentada e campanha social são destaques da Ticket para o CONARH 2019

Entre 13 e 15 de agosto, a Ticket, marca de benefícios de refeição e alimentação da Edenred Brasil, participa do Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas – CONARH 2019. Na oportunidade, a marca apresentará o lançamento da campanha do Ticket Alimentação Natal, que, neste ano, fará a doação de R$ 0,10 para cada transação realizada com a solução.

Esta é a primeira vez que a marca realiza esse tipo de campanha social e o valor arrecadado será direcionado à ONG Arrastão, que tem foco na formação de jovens em técnicas de gastronomia, preparando-os para o mercado de trabalho.

“Acreditamos fortemente no poder de transformação social a partir da capacitação profissional e nosso apoio ao projeto representa o investimento da Ticket no futuro, no engajamento e no empoderamento do ser humano. A gastronomia e a culinária têm o poder de gerar transformação e sua associação com a capacitação não apenas melhora a autoestima dos jovens, como amplia a compreensão sobre a importância da alimentação saudável”, afirma Felipe Gomes, Diretor-Geral da Ticket.

Além disso, os 150m² do estande da marca estarão recheados de tecnologia, com games, totens interativos e experiência com realidade aumentada, que refletem seu protagonismo na atuação digital e a aproxima ainda mais do público por apresentarem, de maneira inovadora, os diferenciais das soluções em saúde, alimentação e transportes, que integram seu portfólio e multiplicam os benefícios oferecidos.

Um exemplo, é o game desenvolvido com foco no sistema de gestão do Ticket Transporte. Com a solução, as equipes de recursos humanos não apenas realizam o controle de saldo excedente do vale-transporte de seus empregados, como podem otimizar as rotas de transporte para evitar conduções adicionais. O serviço viabiliza uma economia de cerca de 35% nos créditos de transporte e permitem mais controle nos pedidos, com processos automatizados, fáceis de usar e que entregam relatórios completos.

Saúde em foco

A Ticket também marcará sua presença no evento com a participação de duas palestras com foco em saúde, na Arena Gym Pass. Como construí minha vida e Gestão de Saúde Como Estratégia de Negócio, serão os temas abordados pela jornalista Mariana Ferrão e pela Business Partner da Ticket, Juliana Viana, respectivamente.

O compromisso da Ticket com a saúde vem desde a criação do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), criado em 1976, visando melhorar a situação nutricional dos trabalhadores brasileiros por meio da prevenção de doenças profissionais decorrentes da má alimentação e promover a saúde, de modo que o rendimento dos trabalhadores melhore, além de reduzir os acidentes de trabalho.

Além do Ticket Restaurante e do Ticket Restaurante, diretamente relacionados ao PAT, outra solução disponibilizada pela marca com foco em saúde é o Ticket Saúde. Com ele, as empresas têm uma opção complementar para viabilizar acesso à saúde de qualidade, por meio de um cartão pré-pago. Assim, consultórios e clínicas médicas e de exames laboratoriais ficam acessíveis aos colaboradores a preços que variam de R$60 e R$ 80. Os valores praticados pela rede credenciada são cerca de 80% inferiores à média observada no segmento particular. Além disso, medicamentos adquiridos em farmácias credenciadas têm 20% de desconto.

Antecipação Salarial

A Ticket também levará ao CONARH sua solução para antecipação salarial: o Ticket Plus, cartão multiconvênio vinculado à rede Good Card, com mais de 600 mil estabelecimentos credenciados em todo o Brasil, incluindo 40 mil farmácias em que os descontos em medicamentos podem chegar a até 60%. A solução auxilia na gestão financeira das empresas e ajuda a evitar o endividamento do trabalhador, pois pode ser utilizado nas despesas do dia a dia, em diferentes tipos de comércio e não aplica cobrança de juros, taxas e mensalidades.

CONARH 2019 – 45º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas

Data: 13 a 15 de agosto
Local: São Paulo Expo – Avenida A, Rua 7
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, km 1,5

Programação de palestras da Ticket na Arena Gym Pass

13/8, às 10h15 – Como construí minha vida, por Mariana Ferrão
15/8, às 14h15 – Gestão de saúde como estratégia de negócio, por Juliana Viana, gerente de Recursos Humanos da Edenred Brasil