Page

Author admin

Wi-fi pública: quais os riscos e como se proteger

Utilizar a internet se tornou parte do dia-a-dia da população, mas se conectar a redes públicas pode trazer algumas consequências. Pensando nisso, a ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, compartilha pontos importantes a serem observados quando se trata de redes wi-fi públicas e segurança.

1. Tome cuidado com o que você faz após se conectar

Os cibercriminosos podem interceptar informações trocadas em redes públicas, por isso, [e recomendável não acessar serviços de homebanking, contas de email, redes sociais e outros aplicativos que exijam nome de usuário e senha para estabelecer a conexão. Se for de extrema urgência acessar dados confidenciais, é preferível usar dados móveis (conexão 4G) ou uma VPN.

2. Sempre atualizar seu sistema operacional e aplicativos

É essencial manter o sistema operacional e os aplicativos sempre atualizados, elas podem conter correções de segurança lançadas pelos fabricantes que protegem o equipamento. Além disso, ter uma solução antivírus instalada em computadores, laptops e celulares, é uma etapa essencial para sua segurança.

3. Só acessar sites que utilizem o protocolo HTTPS

O protocolo HTTPS garante que as informações transmitidas entre o computador do usuário e o site sejam criptografadas na transmissão. Essa precaução serve igualmente tanto para dispositivos móveis como para qualquer computador desktop.

4. Configurar seu dispositivo para não se conectar automaticamente

Para evitar que seu aparelho se conecte automaticamente e exponha suas informações, a ESET recomenda alterar a opção nas configurações de wi-fi, dessa maneira, qualquer conexão deve ser liberada pelo usuário.

5. Utilizar Duplo Fator de Autenticação

Nunca é demais ter uma camada extra de segurança como a fornecida pelo duplo fator de autenticação. A maioria dos serviços tem a possibilidade de configurar o acesso ao site para que, após a senha, seja necessário inserir um código adicional, que será enviado ao telefone por SMS, email, aplicativo ou chamada, pedindo uma confirmação de que é o titular da conta que está realizando o acesso.

“A rede wi-fi facilita e acelera nossa vida cotidiana, mas, infelizmente, sua popularidade é acompanhada de riscos, com os quais devemos ter o cuidado É preciso aplicar medidas de segurança apropriadas, protegendo nossas informações, para podermos aproveitar a tecnologia da maneira mais segura “, diz Camilo Gutierrez, Chefe do Laboratório da ESET América Latina.

Para saber mais sobre segurança da informação, entre no portal de notícias da ESET: www.welivesecurity.com/br/

Como estimular a inovação na minha empresa?

Por Gilberto Cheng

A resposta para essa pergunta é uma provocação a executivos e empreendedores que ainda não se questionaram sobre o motivo de não conseguirem inovar em seus modelos de negócios tradicionais. Em primeiro lugar é importante deixar claro que não existe transformação na zona de conforto. Inovar custa tempo, dinheiro e requer uma mudança estrutural que vai muito além da aplicação de novos métodos e ferramentas nos processos internos. É uma questão cultural nas organizações, e começa com as pessoas. Equipes mais engajadas também são aquelas com mais autonomia para tomar decisões estratégicas.

O que em geral acontece dentro das empresas mais tradicionais é que elas não possuem um ambiente propício para a inovação acontecer. Seja pela burocracia, excesso de hierarquia, falta de integração entre os times ou outros fatores que inibem iniciativas que podem ser revolucionárias. Os aspectos culturais são tão fortes que podem afastar as pessoas que tenham um perfil mais empreendedor. Profissionais com esse espírito inquieto gostam de ser desafiados a solucionarem problemas do dia a dia e se sentem parte da empresa quando podem ajudá-la a crescer.

Uma expressão que está na moda é a “transformação digital”, porém algumas companhias ainda não perceberam que esse movimento já é uma realidade em todo o mundo e que o preço por não investir em inovação é ser irrelevante no futuro. Em uma perspectiva clara e simples, posso afirmar que não existirá mercado para quem não mudar o mindset e reconhecer que metodologias de gestão mais ágeis são essenciais para acompanhar o ritmo de mudanças da nossa sociedade.

Em se tratando da reestruturação de uma organização, o processo em si pode ser conduzido de maneira natural para todos que fazem parte da empresa. Ela começa com pequenas ações que levam a grandes resultados e ganhos em performance e produtividade. Entender, por exemplo, que os erros fazem parte de quem se arrisca a inovar é um dos primeiros aprendizados.

Outro ponto é que – além de errar – quem decide pela inovação também está atento à dor do cliente. Essa relação mais transparente é fundamental na hora de implementar melhorias e até mesmo desenvolver novos produtos e serviços. Abraçar os erros, aprender com eles, testar novos métodos e abordagens para um mesmo problema são algumas das mudanças importantes que a inovação traz no cerne de uma organização. As inovações realmente impactantes são as que reconfiguram ou introduzem novos modelos de negócio ou experiências cativantes, e tais inovações têm sido viabilizadas na maioria dos casos através de softwares.

Percebo que muitas organizações estão tornando-se empresas de software e sofisticando-se em questões de práticas de design, metodologias ágeis e tecnologias digitais. Para quem está começando é importante contar com o apoio de uma consultoria especializada no pontapé inicial dessa jornada de transformação. As organizações que buscam incubar suas iniciativas de inovação, por exemplo, podem contratar parceiros de tecnologia que facilitam e aceleram o desenvolvimento de seus modelos inovadores de entrega de valor, testando hipóteses em protótipos MVP (sigla em inglês para Produto Mínimo Viável) e obtendo feedbacks de seus potenciais clientes ou usuários de forma a tomar decisões estratégicas baseada em dados.

Por fim, a empresa que se prepara para essa jornada se mostra aberta à investimentos que irão ajudá-la a alcançar seus objetivos de negócio. Nem tudo o que está disponível no mercado é essencial para todos. O nível de maturidade tecnológica de uma organização é um fator importante a ser levado em consideração. As organizações com alto nível de maturidade em inovação são também as mais transparentes para selecionar, avaliar e interromper iniciativas. Tal transparência é fundamental para estabelecer cultura e agilidade de inovação. Cabe ainda uma análise profunda do real objetivo de cada implementação para que elas contribuam com o processo de melhorias contínuas que só é possível a partir de uma mudança cultural bem conduzida.

Gilberto Cheng, head de Inovação da Infosys Brasil

O que o futuro reserva para o mercado de impressão?

Por Luis Bairão, presidente da Ricoh Brasil

Ao olhar para a jornada de transformação digital e a evolução da tecnologia, percebemos que muitas práticas mudaram. Ao mesmo tempo, é curioso notar como outras não cairão em desuso tão cedo. Um exemplo de mercado que certamente não perdeu espaço na era digital é o de impressão. Segundo estudo divulgado pelo IDC Brasil em abril deste ano, o Quarterly Hardcopy Tracker Q4 2018, houve crescimento de 8% no mercado de impressoras no ano passado, sendo que 61% foi para o varejo e 39% para o mercado corporativo. A receita, por sua vez, aumentou 14,7%, comparada a 2017, com um total de US$ 727 milhões.

No recorte para o ambiente corporativo, é possível ter ainda mais segurança sobre a evolução que o segmento está tendo. Nos últimos anos, a crise econômica modificou a maneira como as empresas lidam e o que demandam das impressoras. Uma vez que o mercado gráfico é diretamente relacionado ao volume de negócio das empresas, é possível afirmar que as companhias procuraram reduzir custos e buscaram soluções financeiramente mais viáveis. Por isso, a estratégia de entrega destes equipamentos está mais direcionada à melhora a experiência dos usuários, fazendo com que os produtos sejam cada vez mais inteligentes.

Dentre tantas projeções do que o futuro reserva para as impressoras, o ponto focal para esse mercado é a personalização. Em um mundo cada mais adaptável, é fundamental que os equipamentos se moldem às demandas e necessidades de cada mercado. E para que isso seja viabilizado, as máquinas tendem a ser cada vez mais versáteis e com a possibilidade de customizações para cada necessidade do cliente – e isso tanto para os aparelhos já existentes quanto para os novos.

Dentro desse contexto, apresento três principais tendências que reforçam a retomada e crescimento do mercado de impressão:

1. Economia

Em um mundo cada vez mais focado em pautas de sustentabilidade, a ordem são máquinas que consigam entregar um melhor processo para o cliente, ao mesmo tempo em que reduzem o desperdício de material, horas de trabalho ou retrabalho.

2. Além da impressão

As impressoras já passaram do simples ato de imprimir. Agora, elas também são capazes de apoiar tarefas como correção de provas e atendimento por chatbots. Tais atendimentos utilizam inteligência cognitiva tanto para o nível 1 (que atende, registra, resolve ou encaminha), quanto no nível 2, que recebe os chamados encaminhados no primeiro nível, de qualquer tipo de mercado.

3. Assistente virtual cognitivo

Ele auxilia os técnicos na identificação dos problemas e reparos das máquinas, diminuindo em mais de 40% o tempo de atendimento in loco, além de evitar que as máquinas fiquem paradas por muito tempo – uma vez que tempo é dinheiro quando falamos de impressão -, o que auxilia também no aumento da assertividade da solicitação e no uso das peças.

São inúmeras as vantagens que a tecnologia traz para o mercado de impressão, mas algo permanece imutável, e reforça o crescimento do segmento: sempre buscar surpreender o usuário.

Ou seja, para conseguir atingir as expectativas quanto à posição da marca no mercado, os produtos e o que os clientes esperam é necessário trabalhar diariamente para otimizar processos e fazer com que as máquinas apoiem decisões estratégicas. Esse é o futuro da impressão.

Conferência ANPEI de Inovação discute como os diferentes atores estão trabalhando para fomentar e acelerar a inovação

Para mostrar como os diferentes atores da inovação nacional estão operando para fomentar e acelerar a inovação e as perspectivas para o futuro, a Conferência ANPEI de Inovação 2019 promoverá, no dia 27, às 14h30, no Palco Iguaçu, o Painel Ecossistemas de Inovação. O painel será moderado pela Gerente de Pesquisa e Inovação na Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos, Marisa Rizzi, e terá a participação de Eduardo Castanheira, Diretor Superintendente do Parque Tecnológico do Itaipu, de Marcos Vinicius Souza, Subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação/Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo e Vinicius Roman, Diretor Técnico da Neo Ventures.

O objetivo é destacar que a inovação não ocorre de forma isolada e requer a participação e compromisso de um conjunto diverso de atores. O ecossistema é composto por todas as instituições envolvidas na transformação, difusão e uso de ideias e tecnologias em novas soluções que chegam ao mercado. Essa perspectiva é útil para a formulação de estratégias de sistema e políticas em nível nacional, regional e local, e para o fomento e desenvolvimento de novos players inovadores que complementam competências e aceleram a inovação nos ecossistemas. O painel procurará mostrar quais os benefícios que podem ser capturados pelas organizações na interação com o ecossistema, como governos e organizações civis podem alavancar inovações na articulação dos atores dos ecossistemas e como a sociedade pode se beneficiar delas.

Sob o tema Inovação X.0 – As (re)evoluções que transformam a sociedade e mercados, aConferência ANPEI de Inovação 2019 espera reunir mais de 1,5 mil profissionais, entre representantes de empresas, agências do governo e instituições de ciência, tecnologia e inovação. As palestras serão centralizadas em quatro assuntos principais: Inovação em Modelo de Negócio, Inovação de Base Tecnológica, Inovação de Impacto Social e Ambiental e Ecossistemas de Inovação. O evento promoverá ainda debates, rodadas de negócios e visitas técnicas em algumas empresas e instituições do ecossistema local e regional de inovação. A programação completa está disponível no link: www.conferenciaanpei.org.br/programacao.html

Serviço

Data: 25 a 27 de setembro

Local: Rafain Palace Hotel & Convention – Av. Olímpio

Rafagnin, 2357 – Parque Imperatriz – Foz de Iguaçu – PR

Valor: R$ 575 – Associados e residentes PR/ R$ 825 para não associados

Mais informações: www.conferenciaanpei.org.br/

Governo Federal leva gratuitamente 17 startups para Boston

StartOut Brasil, programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo, escolheu 17 startups para participar do seu 8º ciclo de internacionalização. Ao todo, foram selecionados 15 negócios na categoria “ampla concorrência”, que são startups que nunca participaram ou participaram de apenas um Ciclo do StartOut Brasil; e duas startups na categoria “graduadas”, composta por empresas que já estiveram em dois ou mais ciclos de imersão oferecidos pelo programa.

Entre os dias 22 e 27 de setembro de 2019 essas empresas farão uma imersão no ecossistema de Boston, Estados Unidos, para visitar aceleradoras, incubadoras e empresas locais; participar de seminário de oportunidades, reuniões com prestadores de serviços e encontros de negócios organizados pelo programa; além de realizar uma apresentação para possíveis investidores e parceiros.

“As startups brasileiras tendem a olhar apenas para o mercado doméstico em função de seu tamanho. O programa busca justamente alterar essa mentalidade, mostrando as oportunidades de ganhar novos mercados e apoiar essas startups no processo de internacionalização. A participação do governo também ajuda a atrair a visibilidade necessária para a expansão desses negócios e a conectá-los com parceiros estratégicos”, afirma Gustavo Ene, Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia.

Veja abaixo quais foram as startups escolhidas para participar na categoria “ampla concorrência”:

  1. Engage – solução para estruturar os principais processos de desenvolvimento de pessoas dentro de uma organização;
  2. APTAH – empresa de bioinformática especializada em desenvolver e validar novos medicamentos e métodos de diagnóstico;
  3. InEvent – especialista em soluções digitais para eventos e desenvolvedora de soluções para credenciamento, logística, aplicativos de engajamento, métricas em tempo real e coletores sociais de dados;
  4. Starline Tecnologia S/A – desenvolvedora de soluções que geram clareza e simplificam todas as etapas de um processo de avaliação;
  5. Eco Panplas – tecnologia produtiva limpa e sustentável, voltada para a reciclagem de embalagens plásticas de óleo lubrificante;
  6. Pix Force – empresa que utiliza tecnologias de visão computacional, inteligência artificial e machine learning para aquisição e interpretação automática de imagens e vídeos;
  7. SlicingDice – solução baseada em nuvem que fornece todas as ferramentas fundamentais usadas por técnicos e executivos para transformar os dados brutos das empresas em decisões orientadas para os negócios;
  8. PluriCell Biotech – empresa de Pesquisa e Desenvolvimento cujo principal foco é gerar células humanas especializadas a partir de células-tronco;
  9. Bright Cities – plataforma que executa um algoritmo complexo com toneladas de dados para criar um roteiro feito sob medida para que cidades possam se tornar mais inteligentes;
  10. Delfos Intelligent Maintenance – tecnologia que permite alcançar excelência operacional aproveitando todos os dados disponíveis dentro da organização;
  11. Cíngulo – aplicativo de terapia guiada que ajuda as pessoas a superarem os problemas emocionais e aumentarem o autoconhecimento;
  12. GYTH Desenvolvimento de Sistemas Ltda. – empresa de otimização de processos e gestão de logística;
  13. Aerothermal Solutions – desenvolvedora de projetos complexos para diversos segmentos da indústria, como aeroespacial, óleo e gás, pesada, transportes e máquinas e equipamentos;
  14. 3D Biotechnology Solutions – startup que possibilita a construção de tecidos humanos vivos que comprovadamente funcionem como tecidos nativos;
  15. Ubivis – solução completa para otimizar a operação industrial com a utilização de IoT;

E as selecionadas como “graduadas”:

  1. Portal Telemedicina LTDA – central médica online que une tecnologia e medicina para atender clientes em todas as etapas do negócio;
  2. RECICLAPAC – empresa especializada no desenvolvimento de tecnologias de embalagens para logística reversa otimizada.

Ciclo Boston

Durante a missão as startups farão conexão com importantes players do ecossistema para, quando voltarem, aprimorarem sua estratégia de expansão e maximizar as oportunidades identificadas no exterior. Para preparar essas empresas para a imersão em Boston, o StartOut Brasil oferece consultoria especializada em internacionalização; acesso à plataforma Passaporte para o Mundo da Apex-Brasil; conexão com mentores que conhecem o ecossistema de destino e sessões online de treinamento de pitch.

Além disso, nos dias 23 e 24 de agosto, os participantes tiveram a oportunidade de participar de um workshop presencial em São Paulo, no qual assistiram palestras do Centro de Inovação, Excelência e Liderança (IXL Center) e do SelectUSA, programa do governo dos EUA que facilita o processo de conquista de investimento.

Nestes dois dias, as startups também puderam conhecer um pouco melhor cada um dos organizadores do StartOut Brasil, realizar network, ter acesso a agenda da missão e passar por Elevator Pitch, treinamento de pitch e reuniões com o matchmaker.

Para Roberto Machado, Cofundador da MarketFit, plataforma americana de aceleração de startups focada em treinamento de pitch, o trabalho iniciado durante o workshop ainda não terminou. “Meu papel é de ajudar as startups na preparação do pitch, ou seja, capacitá-las para se apresentarem aos investidores e outros parceiros locais que elas vão encontrar em Boston. Esse é um trabalho que está sendo desenvolvido, mas que ainda não está pronto. Temos mais umas quatro semanas para deixar os empreendedores preparados para a missão”, comenta Machado.

De acordo com ele, o mercado de Boston é dinâmico e bem desenvolvido. É um dos hubs de inovação dos Estados Unidos, junto com o Vale do Silício, Nova York e Los Angeles, por exemplo. Por isso, a missão será, não apenas para a venda de soluções e tecnologias, mas também para que os empreendedores aprendam sobre um dos principais mercados americanos.

Tags, ,

A tecnologia como aliada na gestão de soft skills

Por Ilana Brancalhão

De acordo com a pesquisa Global Talent Trends 2019 divulgada pelo Linkedin, 92% dos entrevistados afirmaram que as soft skills, ou competências comportamentais, são tão ou mais importantes do que as hard skills, as conhecidas competências técnicas aprendidas na universidade ou em algum curso que a pessoa faça para agregar conhecimento à carreira. E mais, o levantamento aponta que 89% das pessoas ouvidas consideram que “contratações ruins” estejam relacionadas a candidatos que não desenvolvem as soft skills.

Dentre as soft skills mais requeridas pelas empresas estão: liderança, comunicação, gestão de conflito, ética no trabalho, pensamento crítico e trabalho em equipe. Todas elas estão atreladas a se ter um profissional que possa se desenvolver numa companhia e agregar valor ao seu trabalho, otimizando processos e aumentando a produtividade. Por exemplo, a comunicação é a base de todos os processos dentro de uma empresa. Já a ética de um colaborador indica que ele vai seguir o propósito da empresa, terá foco, organização e comprometimento com as metas.

Se uma empresa possui apenas profissionais excelentes nas hard skills isso não será suficiente para se ter sucesso em seu segmento de atuação. Para desenvolver qualquer competência comportamental, o líder ou gestor precisa primeiro realizar uma avaliação de todo o time. É um verdadeiro ciclo que contempla identificar, avaliar, desenvolver e avaliar novamente cada colaborador. Neste processo é importante um feedback constante e com periodicidade regular.

A boa notícia é que a tecnologia pode ser uma grande aliada na hora de desenvolver as soft skills. Já existem players no mercado que oferecem soluções com recursos que possibilitam analisar, mapear e até realizar avaliações de desempenho e educação corporativa. O uso do mapeamento das soft skills deve ser sempre conectado ao planejamento estratégico da empresa, para saber quais são necessárias para que a organização alcance seus objetivos.

Desta forma utilizar a tecnologia para apoiar as estratégias e mapeamento dos cargos dentro de uma organização, garantem uma assertividade na escolha de equipes e possibilita subsidiar gestores com indicadores para uma melhor tomada de decisão. Ferramentas de desempenho integradas ao plano da empresa geram indicadores – tanto para os gestores como para o departamento de Recursos Humanos -, feedbacks contínuos e plano de desenvolvimentos (PDI) com acompanhamento para o aprimoramento das soft skills, permitindo a ascensão de carreira, melhor adaptação das equipes e maior produtividade.

As organizações que decidem utilizar tecnologia para gestão de soft skills agregam ao seu RH uma comunicação simplificada e com direcionamento, uma gestão de seu capital intelectual e seus talentos, permitindo que o gestor acesse as informações de forma simples e rápida.

Quando relacionamos os benefícios de uma equipe com várias soft skills em aprimoramento temos: um time multidisciplinar, uma gestão de conflitos efetiva, comunicação sem ruído, profissionais que se desenvolvem para serem futuros líderes, maiores oportunidades de alcançar os resultados de forma rápida e produtiva devido a boa integração das equipes.

Sempre ressalto que uma companhia depende de seus colaboradores para alcançar suas metas de negócio. Sendo assim, o melhor caminho para estimular o engajamento, motivar e valorizar seus talentos é realizar uma gestão de carreira clara e transparente com todos. A partir do momento que a empresa passa a olhar os colaboradores como um diferencial competitivo, ela está pronta para usufruir das tecnologias voltadas ao público interno.

*Ilana Brancalhão é arquiteta de Soluções da Benner.

Tags, ,

Startup espanhola de serviços chega a 45 unidades no Brasil

Com nove meses de atuação no mercado brasileiro, a startup espanhola de serviços Mr Jeff alcança a marca de 45 pontos de loja em 11 estados e no Distrito Federal. Parte deste resultado positivo é reflexo do formato de negócio enxuto, viável e prático que os três sócios, Eloi Gómez, Adrián Lorenzo e Rubén Muñoz, implantaram: oferecer a melhor solução de serviços aos usuários em apenas um clique.

Este ideal tecnológico, inerente ao grupo, favorece o crescimento da rede e ratifica a importância da empresa estar alinhada aos métodos de serviços online. “Sabemos que a evolução do negócio surge da necessidade de oferecer uma solução fácil e rápida para os nossos clientes. Junto a isso, damos um amplo suporte técnico e de treinamento para os nossos franqueados (partners)”, explica o CEO e co-fundador da Mr Jeff, Eloi Gómez.

Ele também conta que até junho deste ano a startup atuava como app de lavanderias mas incluiu os serviços de beleza – como cabeleireiro e manicure – em outro modelo de franquia, a Beauty Jeff. Assim, anunciou também a evolução do formato de negócios para uma super-plataforma de serviços diversos, com foco total no bem-estar das pessoas.

“Desde que fundamos a Mr Jeff em 2015 pensamos no seguinte objetivo: reunir os mundos, online e offline. Com isso, contribuir cada vez mais para a transformação digital de negócios e segmentos tradicionais, proporcionando aos clientes ainda mais facilidade”, comenta Gómez.

Presente nos estados SP, RJ, PA, SC, TO, GO, BA, MG, PR, PE e RS, a rede segue em constante crescimento. Além dos serviços de lavagem, secagem e passadoria de roupas, agora também terá serviços de lavagem de tênis de tecido/sintético ou camurça/couro, o que deve ampliar o faturamento das unidades.

Atualmente, o cliente que acessar o site ou o aplicativo da Mr Jeff, disponível para Android e iOS, pode solicitar também, além de serviços avulsos, planos mensais – PP, P, M e G. Sendo a partir de R$ 139,00 o PP (são 4 bolsas de roupas, em média 20 peças lavadas por bolsa), com delivery de retirada e entrega das roupas.

A Mr Jeff já possui mais de 1,2 mil pontos físicos em 15 países, entre eles o Brasil, e tem no plano de expansão novos mercados na Europa e Ásia, além de chegar a mais de 600 funcionários até o final de 2019 e 145 unidades no Brasil.

CI&T abre inscrições para seu Programa de Estágio na área de tecnologia

Com mais de uma década presente consecutivamente no ranking das 150 Melhores Empresas para Trabalhar (GPTW Brasil), a CI&T tem sido reconhecida por oferecer um ambiente de trabalho multicultural, com equipes engajadas em inovar, colaborar e que respeitam a diversidade. Junto com o compromisso de alavancar o potencial de negócios de grandes marcas, a CI&T vai além para desenvolver o potencial das pessoas que compõem seu time de talentos.

Especialista em transformação digital de impacto, a CI&T anuncia que está com 50 vagas abertas para o seu Programa de Estágio 2020. As oportunidades são para trabalhar na sua sede em Campinas (SP) ou em seu escritório em Belo Horizonte. As inscrições vão até 20 de setembro de 2019 e podem ser feitas no site da CI&T.

O processo completo terá três etapas. As pessoas que atenderem a todos os requisitos serão convidadas para uma primeira etapa online, no dia 14 de outubro de 2019. As aprovadas nessa primeira fase participarão de uma nova etapa presencial, que será realizada no dia 23/11 no Prisma Belo Horizonte, unidade focada em projetos globais da CI&T ou no dia 30/11 na sede da companhia em Campinas (SP). As pessoas aprovadas na etapa presencial passarão por entrevista online entre os dias 02 e 13 de dezembro.

A CI&T atua na mudança de cultura e do mindset de equipes, para acelerar e viabilizar projetos de transformação digital que impactam os negócios de grandes marcas. “O Programa de Estágio 2020 traz oportunidades para que jovens talentos ingressem na CI&T e façam parte da cultura Lean Digital que impacta não apenas os negócios, mas o modo como trabalhamos. Acreditamos no valor das pessoas e na formação de times com múltiplos perfis e experiências, por isso proporcionamos diversas oportunidades de desenvolvimento na carreira. A CI&T é movida por pessoas e estamos sempre capacitando nosso time para que cada profissional consiga ver a importância do seu trabalho, para o sucesso da empresa e dos clientes”, afirma Carla Borges, head of people na CI&T.

O processo seletivo do Programa de Estágio da CI&T se destaca pela adoção de formatos inovadores, que unem o lúdico com atividades dinâmicas e com muita “mão na massa”. No último ano, por exemplo, foram 16 horas de total interação, com 20 salas temáticas e desafios que engajaram os participantes a solucionar os códigos e a sair de cada ambiente em até 1 hora e 30 minutos. Confira nesse vídeo como foi esse processo para o Programa de Estágio 2019.

“A combinação do lúdico com desafios técnicos proporciona ambientes mais descontraídos, contribuindo para que o candidato exponha todo seu talento com criatividade, enquanto avaliamos suas competências técnicas e aspectos comportamentais. Estamos em busca de pessoas que têm paixão por tecnologia, por trabalhar em equipe para um aprendizado contínuo e a criação de soluções rápidas e disruptivas de questões críticas de negócios de grandes marcas”, completa Carla Borges.

Para participar do Programa de Estágio 2020 da CI&T é preciso ser estudante de curso técnico ligado à Tecnologia da Informação ou estudante de graduação em Ciências ou Engenharia da Computação, Análise de Sistemas, Matemática, Estatística, Física ou similares com conclusão após dezembro de 2020. O tempo de estágio deverá ser de pelo menos 12 meses, sendo 30 horas semanais (8h às 15h). O domínio do inglês pode ser um diferencial para o candidato.Atualmente, a CI&T conta com 2.500 pessoas. A companhia segue firme com planos de crescimento especialmente nos mercados internacionais, mantendo sua meta de dobrar a receita a cada três anos e com previsão de chegar a R$ 1 bilhão em 2020. A empresa avançou sete posições na categoria ‘Grande Porte’ do GPTW 2019 e preparou um vídeo, contando um pouco do seu segredo para manter a marca pela décima terceira vez consecutiva no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar.

Programa de Estágio 2020 da CI&T

Inscrições: até dia 20/09/2019 no site da CI&T

Oportunidades: 50 vagas, com possibilidade de estagiar 30 horas semanais (8h às 15h), por no mínimo 12 meses na sua sede em Campinas (SP) ou no seu escritório em Belo Horizonte(MG).

1a fase, desafio online de 14/10 à 20/10

2a fase, desafio presencial em 23/11 em Belo Horizonte (MG) ou 30/11 em Campinas (SP)

3a fase, entrevista online de 02/12 à 13/12

Quem pode se candidatar: Alunos e alunas que estão nos cursos técnicos ligados à tecnologia da informação ou estudante de graduação em ciências ou engenharia da computação, análise de sistemas, matemática, estatística, física ou similares com conclusão após dezembro de 2020. Inglês pode ser um diferencial.

Para mais informações, por favor, acesse:  https://br.ciandt.com/nextgen

Congresso Brasil-Alemanha traz jornada completa da inovação

Com foco no papel da inovação e das tecnologias emergentes nos novos negócios e sob o lema “Inspire-se, crie e conecte-se – Los geht’s”, a sétima edição do Congresso Brasil-Alemanha de Inovação será nos dias 2 e 3 de outubro, no World Trade Center (WTC), em São Paulo. Com a proposta de mostrar toda a jornada da inovação, desde a idealização ao lançamento de um projeto, o evento trará em sua programação palestras e painéis, espaços de matchmaking, exposições, Copa do Mundo de Startups e a premiação das Startups Connected.

“Queremos mostrar, de uma forma simples, não técnica, como a inovação impacta os novos modelos de negócios, a partir da visão dos gestores, e como as pessoas devem olhar o processo de inovação em relação a novos negócios. Vamos realizar algo similar a um festival da inovação, possibilitando ao público acompanhar toda a jornada da inovação, desde a concepção da ideia até o lançamento”, destaca Bruno Vath Zarpellon, Diretor do Departamento de Inovação e Tecnologia da Câmara Brasil-Alemanha.

Com a expectativa de reunir mais de 800 participantes, cerca de 50 startups e mais de 20 representantes do ecossistema de inovação, entre agências de financiamento e grandes instituições interessadas em negócios inovadores, um dos destaques é a co-realização do evento com a Investe SP (SP Conecta), que trará ainda mais força para o Innovation Speed Dating, onde todos os interessados poderão receber mentorias, por meio do sistema de matchmaking.

Durante o Congresso também será realizada a etapa regional Copa do Mundo de Startups, competição global que levará cada um dos vencedores dos 40 eventos regionais para disputar um investimento de 1 milhão de dólares no Vale do Silício, e a premiação do Programa Startups Connected, iniciativa também realizada pela Câmara Brasil-Alemanha para identificar e selecionar startups para trabalharem em projetos baseados em desafios empresariais propostos por grandes empresas associadas e instituições alemãs.

Com o apoio do Ministério Alemão de Meio Ambiente, Preservação da Natureza e Segurança Nuclear (BMU), o evento terá uma exposição sobre Mobilidade Urbana Sustentável, com a participação de dez instituições, que mostrarão suas iniciativas com foco na mobilidade urbana sustentável.

Entre os palestrantes confirmados, estão: o Prof. Dr. Joachim Hornegger, Presidente da Universidade de Erlangen-Nürnberg (Friedrich-Alexander-Universität Erlangen Nürnberg – FAU), Barbara Waelkens M. Sc, Pesquisadora do Instituto Fraunhofer (Fraunhofer Institute for Interfacil Engineering and Biotechnology – IGB); Philipp Povel, CEO e co-fundador da Dafiti; e Renata Petrovic, Superintendente de Pesquisa e Inovação do Bradesco.

O Congresso Brasil-Alemanha de Inovação conta com Patrocínio Ouro das empresas BASF, Bayer e Bosch; Patrocínio Prata das empresas Lufthansa, Siemens e Vulkan; e co-realização do DWIH São Paulo (Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo) e da Investe SP.

Congresso Brasil-Alemanha de Inovação

Data: 02 e 03 de outubro, das 9h às 18h

Local: World Trade Center (WTC) – Avenida das Nações Unidas 12.551, São Paulo – SP

Inscrições e mais informações: www.inovacaobrasilalemanha.com.br/

Startups que desejam participar da Copa do Mundo de Startups podem se inscrever até dia 19 de setembro: www.startupworldcup.io/brazil

Livro ensina a importância do fracasso para o sucesso de empreendedores

Com lançamento marcado para a próxima quarta-feira, 18 de setembro, na ESPM Tech, em São Paulo, o livro Tenha Cicatrizes – Como Empreender e Aprender com Seus Erros (Alessandro Saade e convidados, Editora Reflexão) reúne casos de empresários e executivos que, em algum momento de suas carreiras, se depararam com o fracasso, tiraram lições a partir dos equívocos cometidos e transformaram seus negócios ou áreas de gestão em histórias de sucesso.

A obra é resultado da troca de experiências de um grupo de amigos, entre eles vários professores da ESPM, com características comuns: todos eles são empreendedores e executivos cheios de cicatrizes e de experiências para compartilhar. “É maravilhoso poder contar um pouco da nossa história, dos desafios, fracassos e, principalmente, falar sobre como conseguimos superar as adversidades que surgiram em nossos caminhos. Afinal, quem não tem uma cicatriz e qual cicatriz não tem uma história?”, diz Alessandro Saade, organizador do livro, que acredita que a obra poderá, ainda, servir como um guia de consulta para os desafios diários enfrentados por empresários e gestores de empresas de todos os setores.

Apoiado pela ESPM, o evento de lançamento acontece a partir das 19 horas, no auditório da ESPM Tech.

Lançamento do livro Tenha Cicatrizes – Como Empreender e Aprender com Seus Erros

Autores: Alessandro Saade, Cláudio Zanutim, Giuliano Passini, Junior Thonon, Murilo Furtado, Reinaldo Nogueira, Sérgio Santos, Costábile Matarazzo, Jayme Nigri, Marcelo Salvo, Pedro Dias e Renato Martinelli

Editora: editorareflexao.com.br

Quando: 18 de setembro

Onde: Auditório da ESPM Tech, na rua Joaquim Távora 1240, São Paulo

Horário: 19 horas

Número de páginas: 240

Preço: R$ 60,00

Onde encontrar: Amazon

Empresas de fidelidade faturam R$ 3,7 bilhões no primeiro semestre de 2019

A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) divulgou os indicadores do mercado referentes ao primeiro semestre de 2019. O anúncio foi feito hoje (17), pelo presidente da entidade, Roberto Chade, na abertura do 4º Fórum Brasileiro de Fidelização, realizado pela ABEMF em São Paulo (SP). Os números apontam um aumento de 12,7% no faturamento das empresas associadas à entidade, chegando aos R$ 3,7 bilhões nos seis primeiros meses do ano (1S19).

Ao fim do primeiro semestre, o número de cadastros em programas de fidelidade em todo o Brasil alcançou 132 milhões, um crescimento de 9,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior. “A quantidade de cadastros é apenas um dos indicadores do desenvolvimento desse mercado. Estamos assistindo uma evolução grande com a chegada dos programas a novos mercados, com o aumento de empresas interessadas em serem parceiras, investimentos em tecnologias que melhoram processos de emissão e de resgate de pontos/milhas, assim como a análise de dados que torna os programas mais eficientes e relevantes”, explica Chade.

Os pontos/milhas emitidos no semestre foram 149,7 bilhões, o que significa um aumento, também, de 9,4% sobre o 1S18. O total resgatado subiu 10,8%, passando de 117,0 bilhões no 1S18 para 129,7 bilhões no primeiro semestre deste ano.

Seguindo como os itens preferidos dos participantes na hora do resgate, as passagens aéreas foram o principal destino dos pontos/milhas trocados no semestre. 76,7% viraram bilhetes de avião, um percentual ainda maior que o registrado no primeiro semestre de 2018 – os outros 23,3% foram para produtos e outros serviços. Miami e Orlando, nos Estados Unidos, ocupam as duas primeiras posições no ranking internacional de destinos mais resgatados, seguidas por Buenos Aires. A lista de destinos nacionais continua liderada por São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

A taxa de breakage, que mede a quantidade de pontos/milhas expirados no período caiu 2,3 pontos percentuais no comparativo anual, alcançando 17,3% no 1S19.

Ranking completo de destinos mais resgatados

ANP anuncia lançamento do robô Hermes com tecnologia IBM

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) recém-anunciou um robô pioneiro, batizado de Hermes, para a recepção e armazenamento de todos os dados gerados pela indústria do petróleo em território brasileiro. O sistema, que conta com as tecnologias da IBM, é algo inédito no País em termos de petabytes armazenados e inteligência embarcada, e representa uma maior otimização de processos para o órgão.

Entre as soluções IBM adotadas estão tecnologias de armazenamento, gestão e orquestração de dados. Os benefícios da adoção da plataforma incluem a diminuição dos custos com pesquisas de dados de exploração e produção, além de mais segurança e velocidade na entrega destas informações para as empresas usuárias do Banco de Dados de Exploração e Produção da ANP (BDEP), resultando em estratégias mais eficazes e melhoria na geração de negócios.

Segundo Rafael Vicente, especialista em vendas de armazenamento na IBM Brasil, a tecnologia, baseada em software defined storage e que comporta mais de 40 petabytes em armazenamento, é do tipo nuvem privada, em que há uma orquestração de hardware e software para permitir grande capacidade de armazenamento a um preço extremamente atrativo. É como funcionam as plataformas de streaming. A solução faz toda a gestão do dado, migrando-o entre mídias rápidas como Flash ou Storage tradicionais e lentas (cartuchos de fitas em robôs) sem impacto para quem acessa os dados nela. A funcionalidade de migração permite que, ao longo do tempo, se possa migrar de HW (mídias, servidores, redes) de forma transparente, e otimizar os custos de guarda dos dados, o que confere uma melhoria no tempo de busca e entrega do dado, que antes demorava dias e, com a tecnologia, passou a demorar minutos.

“Antes, todo o processo de procura, montagem e cadastro de uma fita de armazenamento com informações sísmicas e de digitais de poços, por exemplo, levava em média 20 dias. Com as novas tecnologias IBM os clientes da ANP agora podem acessar a plataforma e extrair os dados sísmicos em apenas alguns minutos”, explica o executivo.

A partir destes resultados, as empresas petrolíferas conseguem mapear possíveis poços de petróleo inexplorados, trabalhar em novas regiões do litoral brasileiro e ter um melhor entendimento sobre a qualidade do petróleo extraído. Com a tecnologia, a ANP já avalia enviar diretamente os dados das empresas operadoras de áreas para exploração e produção e das empresas de aquisição de dados, por meio de links dedicados.

Juliana Coimbra, Líder da Área de Soluções de Armazenamento na IBM Brasil, explica que “as soluções de armazenamento da IBM oferecem aos clientes a possibilidade de optar pela melhor estratégia de dados para o seu modelo competitivo e extrair todo o valor que precisam para se diferenciar no mercado através de projetos de AI e multi-cloud híbrida. Isso, sempre colocando segurança em primeiro plano”.

Tags, , , ,