Page

Author admin

Brasil, o país do podcast

Não é à toa que o Brasil foi escolhido pelo Spotify para sediar o primeiro evento 100% focado em podcast da companhia em todo mundo. O Spotify for Podcasters Summit, realizado nos dias 1 e 2 de novembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, mostrará aos apaixonados pelo tema porque o consumo de podcast no Spotify no Brasil cresce 21% em média mensalmente desde janeiro de 2018. O evento irá trazer painéis, palestras e workshops com grandes nomes do mercado para mostrar a riqueza da produção, criação e monetização de podcasts, entre outros temas.

Líder absoluto no consumo de podcasts no país, de acordo com pesquisa da VoxNet, o Spotify, plataforma de streaming de áudio mais popular do mundo, dará a oportunidade a podcasters, criadores de conteúdo e o público em geral de trocarem experiências e se inspirarem com insights e informações sobre o atual cenário de podcast, que cresce a cada dia no Brasil e no mundo. Prova disso é que o Brasil é o segundo país que mais consome podcasts, segundo pesquisa Podcast Stats Soundbites , ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

O mercado de podcasts no Brasil não para de se movimentar, criando cada vez mais possibilidades aos amantes do conteúdo em áudio. Dezenas de milhões de usuários transmitem conteúdo de podcast mensalmente em todo mundo e a audiência global de podcasts do Spotify cresceu mais de 39% do segundo trimestre para o terceiro deste ano. Além disso, o Spotify atingiu a recente marca de mais de 500 mil podcasts na plataforma.

“Queremos nos tornar a plataforma de áudio número um do mundo e estamos focados no áudio mais do que qualquer outra empresa global. O Brasil é um dos mercados mais importantes para o Spotify em busca desse nosso objetivo, já que 40% dos usuários de internet no país já escutaram podcast, segundo pesquisa do Ibope. Queremos aumentar ainda mais esse número e o Spotify for Podcasters Summit será um marco para a companhia, mostrando ao mercado que o Spotify é a casa dos podcasts”, diz Javier Piñol, Diretor do Spotify Studios na América Latina, que comandará a palestra “Coming Soon”, sobre o os novos Originals do Spotify e também sobre as tendências do mercado.

O Summit terá a participação de dezenas de podcasters, palestrantes e especialistas no assunto. Mia Nygren, diretora-geral do Spotify na América Latina, abrirá o evento com “A aposta no Podcast”, explicando os rumos do mercado e a evolução do produto ao longo dos anos. Além das palestras e workshops, que ensinarão os interessados a criar, produzir e até monetizar um podcast, a Cinemateca Brasileira estará equipada com 3 estúdios de gravação de podcasts. Um deles, chamado de Aquário, receberá grandes podcasters para gravação de episódios especiais. O crossover “Os Maiores Podcasters do Brasil”, por exemplo, terá ninguém menos que Alexandre Ottoni e Deive Pazos (Nerdcast); Cid (Não Ouvo), Edu, Fih e Maíra (Filhos da Grávida de Taubaté); Rodrigo Vizeu e Magê Flores (Café da Manhã); Ju Wallauer e Cris Bartis (Mamilos).

Gêneros de podcast mais ouvidos no Spotify Brasil

1.Sociedade & Cultura
2.Comédia
3.Educação
4.TV & Filmes
5. Notícias
6. Negócios
7. Música
8 Religião & Espiritualidade
9. Lazer
10. Esportes

Top 10 Spotify Originals no Brasil em audiência

1.Café da Manhã
2. Não Ouvo Podcasts
3. Kpapo
4. Eleição Na Chapa
5.Oêa: Copa Feminina 2019
6.Jogo de Damas
7. Reply All
8. Science Vs
9. Serial Killers
10. Xêpa / Não Salvo

Tags, , ,

Programa que visa transformar o Centro de São Paulo com inovação de startups tem inscrições prorrogadas até janeiro de 2020

A ISSO!, startup voltada para o desenvolvimento de outras startups e para a criação de um hub de talentos, prorrogou as inscrições para o seu programa HACKEANDO CENTRO até o dia 15 de janeiro de 2020.

O programa, que visa acelerar a transformação urbana e o desenvolvimento social do Centro de São Paulo por meio da construção de um ecossistema de inovação para impulsionar a revitalização da região, levará para o mesmo teto: startups, designers e hackers para desenvolver soluções tecnológicas e desenhar um centro mais:

• Conectado – prédios inteligentes, serviços digitais, internet das coisas, sensores nas ruas e inclusão digital;

• Aberto – o Centro como um ecossistema de inovação aberta, atraindo comunidades de talentos inovadores, colaborando para a criação de um modelo de governança inclusivo, mediante plataformas colaborativas;

• Sustentável e Seguro – inovação para suportar os programas de planejamento urbano, promovendo mobilidade, reciclagem, energias renováveis, economia compartilhada, utilização dos espaços ociosos, valorização do patrimônio histórico e cultural da região central.

De acordo com Alessandro Martineli, CMO da ISSO!, o HACKEANDO CENTRO é uma iniciativa que visa criar um movimento de transformação real, unindo os melhores talentos e recursos. “Temos como objetivo levar o conceito de inovação aberta para além de suas aplicações no mundo corporativo, concentrando-o nos processos complexos de renovação urbana que envolvem uma série de atores públicos, privados e coletivos que devem alinhar suas estratégias e colaborar no que chamamos de Open City Innovation (Inovação em Cidade Aberta). Queremos criar um movimento com a participação da sociedade para ajudar a tornar o Centro em um polo de economia criativa, bem como um local para os millenials morarem e trabalharem”, explica.

Inicialmente, o programa, que conta com inscrições gratuitas e premiação de R$50.000,00 em dinheiro, terá foco nas verticais: SecureTech, UrbanTech e DesignTech. A primeira edição do HACKEANDO CENTRO trabalhará a vertical SecureTech, sob o tema: “Segurança e zeladoria tecnológica para o Vale do Anhangabaú e arredores” e visa atrair startups que têm atuação na área de segurança pública para testar suas tecnologias utilizando dados reais e em um ambiente desafiador, representado pelo Centro de São Paulo.

Os participantes devem ter competências relacionadas ao enfrentamento dos problemas ligados aos desafios propostos pelo programa, por exemplo: profissionais e estudantes das áreas de Arquitetura, Design, Engenharias, Gestão de Projetos e Políticas Públicas, Segurança Pública, Tecnologia da informação e Comunicação.

Para viabilizar o HACKEANDO CENTRO, a ISSO! conta com patrocinadores. Para a primeira edição, que tem duração até maio de 2020, dividido em quatro fases, a startup tem o apoio do Banco Original. “Com os impactos positivos gerados a partir do programa, acreditamos que iremos atrair novos parceiros para as próximas edições”, comenta Martineli.

Para mais informações sobre o programa, inscrições e patrocínio, acesse: http://hackeandocentro.com.br/

Tags, , ,

Fintech movimenta R$2 bilhões em regiões esquecidas pelos bancos

Diante das lacunas estruturais sócio-econômicas no Brasil, democratizar o acesso a serviços financeiros é uma maneira de inserir na economia os 45 milhões de brasileiros desbancarizados. Os principais aspectos positivos da expansão da tecnologia financeira no país, como a fornecida pelo Celcoin, responsável por movimentar R$2 bilhões em transações financeiras, apenas neste ano, estão em empoderar a população, gerar de renda e agregar valor para as cidades, principalmente aquelas afastadas de grandes metrópoles, com maior escassez ao acesso dos serviços financeiros.

O Celcoin, aplicativo gratuito que oferece serviços financeiros, é uma fintech que promove inclusão financeira via mais de 20 mil “agentes” – pequenos empreendedores locais, lojistas ou autônomos – que transformam smartphones em terminais para recebimento de contas, boletos, recargas de celular, compra de passagens rodoviárias entre outras operações financeiras.

Lançado em 2016, o Celcoin é responsável por impactar, mensalmente, mais de 2,5 milhões de brasileiros. Operando em 2 mil cidades brasileiras, apenas no primeiro semestre deste ano, movimentou R$ 700 milhões e concentra 65% dos agentes nas regiões Norte e Nordeste. “Em ritmo acelerado, agências bancárias e lotéricas estão fechando as portas e nós temos uma solução que facilita a vida de milhões de pessoas, fornecendo serviços financeiros convencionais, sem burocracias. Nosso objetivo é democratizar o acesso a tecnologia financeira em todo país”, aponta Marcelo França, CEO da fintech. Para expandir suas operações, recebeu R$ 6 milhões de aporte do maior fundo de investimento de impacto social, Vox Capital. A expectativa da fintech é movimentar R$ 3 bilhões em transações financeira até o final de 2019.

Considerado a evolução do correspondente bancário, o aplicativo se tornou uma ferramenta importante em regiões com menor concentração de tecnologia financeira, pois possibilita que as operações aconteçam diretamente pelo sistema e atende a uma população que não tem acesso a bancos ou lotéricas, seja porque vive em lugares distantes ou porque não tem nenhum tipo de relacionamento com as instituições financeiras tradicionais, conhecidos como desbancarizados.

O principal diferencial do Celcoin é a capacidade de gerar receita ao agente e aumentar o fluxo de clientes nos estabelecimentos, sem nenhuma necessidade de investimento ou custo. Os lojistas são bonificados de acordo com o volume de operações realizadas. “O Celcoin já representa, atualmente, de 15 a 20% da renda familiar dos agentes que usam o aplicativo. Juntos, no primeiro semestre, eles já receberam mais de R$ 5 milhões pelos serviços oferecidos.”, aponta Marcelo França, CEO da startup. A fintech também promove maior fluxo de pessoas nos estabelecimentos; em média, 150 pessoas a mais, o que torna ainda mais atrativa esta oportunidade de negócio.

Tags, ,

Ética, a empresa sem jeitinho

Por Francisco Camargo

Pessoas que clamam por ética, as mesmas que pedem recibo em dobro no taxi, atestados médicos para o filho fazer prova substitutiva sem pagar, furam fila, batem em carro parado e vão embora e tantas outras pequenas e grandes infrações éticas. Mudar a cultura do jeitinho brasileiro demora, mas pode ser acelerada se as empresas derem o exemplo. O papel delas na busca por uma sociedade mais ética é um dos mais importantes. São as empresas que geram trabalho, provisionam produtos e serviços ao mercado, representam a parcela mais significativa da arrecadação de tributos.

O que é noticiado pela mídia não depõe a favor das empresas em questões éticas, corrupção em diversos graus e em diversos níveis em grandes corporações. As médias e pequenas empresas certamente têm problemas, mas isso raramente dá notícia.

E o arcabouço legal existe, e prevê até a liquidação da empresa. Entre as principais leis, está a Lei Federal nº. 12.846/2013, que responsabiliza empresas e seus dirigentes e é um importante recurso no combate à corrupção, pois permite a punição em outras esferas além da judicial, de pessoas jurídicas que corrompam agentes públicos, fraudem licitações e contratos ou dificultem atividade de investigação ou fiscalização de órgãos públicos, entre outras irregularidades.

Algumas iniciativas têm mostrado sua capacidade de disseminar práticas éticas em setores da economia, como associações de empresas que criaram políticas anticorrupção. O objetivo é as estimular a adotarem, formalmente, os mais altos padrões éticos e morais no trato de seus assuntos, quer internos, quer externos. Desde manter as melhores práticas no relacionamento com os clientes, fornecedores, concorrentes, colaboradores e agentes governamentais até criar regras formais para implementá-las, adotando um Programa Formal de Integridade.

Como a própria lei compreendeu, a única forma de ter visibilidade sobre o comportamento ético de empresas e dirigentes é por meio de um canal de denúncias, anônimas, em que o denunciante não sofra constrangimento ou tema represálias.

Essas iniciativas oferecem para as empresas associadas canais de denúncias anônimas, gratuito, que permitem denunciar acontecimentos que não estejam em conformidade com os padrões éticos e morais estabelecidos pelas normas das empresas ou pelas leis do país.

A adesão a ela tem crescido constantemente, desde pequenas às médias empresas. Um exemplo disso foi de uma tradicional companhia de distribuição de tecnologias de infraestrutura de segurança de TI, cujo antigo programa de integridade se resumia a um código de ética convencional, e que foi totalmente revisto e adequado à iniciativa de construir uma empresa ética.

Essas ações são extremamente bem-vindas em um contexto de muitas práticas desonestas, algumas até consagradas no mercado como “levar bola” no setor comercial. E outras realmente criminosas. Pesquisa global feita pela Ernst & Young (EY) mostrou que para 96% dos profissionais brasileiros entrevistados as práticas de suborno ou corrupção ocorrem amplamente nos negócios.

Informações do Ministério do Trabalho e Emprego e do Tribunal Superior do Trabalho – TST – dão conta que o assédio moral foi a denúncia mais feita no país nos últimos dez anos. Cerca de sete em cada dez empresas possuem casos de assédio relatados.

Ainda sobre a necessidade de ajuste de conduta corporativa, a proteção dos dados pessoais coletados ou tratados ou armazenados na empresa é outra obrigação prevista na Lei 13.709/18, que entra em vigor em agosto de 2020.
A Lei Geral de Proteção de Dados, como é conhecida, limita a coleta e o armazenamento de dados de clientes, usuários, colaboradores, funcionários, visitantes etc., por empresas de todos os portes e segmentos. Sanções e pesadas multas, que podem chegar a 50 milhões de reais, poderão ser aplicadas a quem descumprir essas e outras obrigações.

É verdade que a Lei não faz distinção entre os tipos de vazamentos de dados, se intencionais ou se a empresa foi vítima de um ataque de cibercriminosos. Isto certamente vai ser um grande problema para as pequenas e médias empresas, sem recursos para contratar consultores para definir sua governança de dados, seu responsável pelos dados, nem as soluções de segurança da informação necessárias para não serem vítima de ataques e vazamentos.

Diante desses e de outros desafios contra a corrupção e a lavagem de dinheiro, sem dúvida, passou da hora de as empresas ajustarem suas práticas para transformar o ambiente corporativo e todas as suas relações de modo a priorizar o incentivo e a fiscalização de práticas que atendam à legislação.

Tais iniciativas, com canais de denúncias anônimas, permitem replicar procedimentos de excelência não apenas para a observância das leis, mas para a construção de uma sociedade melhor.

Algumas nuances dos programas de integridade

A relação das empresas com entes públicos é o ponto crítico a ser observado na Lei Anticorrupção. Os códigos de ética e conduta vedam às associadas, integrantes, terceiros e colaboradores oferecer, prometer, fazer, autorizar ou proporcionar (direta ou indiretamente) qualquer vantagem indevida, pagamentos (incluindo pagamentos de facilitação), presentes ou a transferência de qualquer coisa de valor para qualquer pessoa, seja ela agente público ou não, para influenciar ou recompensar qualquer ação oficial ou decisão de tal pessoa em benefício próprio ou da associação. Também proíbem condutas de ação ou omissão, que possam significar violação aos princípios e valores firmados nesses programas, à legislação vigente, em especial à Lei Anticorrupção, Lei de Improbidade Administrativa, Lei de Licitações e Lei de Lavagem de Capitais.”

Um dos deveres das associadas é comunicar à entidade qualquer violação e suspeita de violação de condutas vedadas neste documento. Além disso, todos os contratos celebrados com a entidade devem conter cláusula anticorrupção, fazendo menção ao código de ética, bem como todas as associadas e todos os terceiros deverão ser incentivados a adotar cláusulas anticorrupção nos demais contratos que venham a celebrar.

O código prevê ainda sanções, que vão da suspensão do direito de voto; passando por advertência por escrito, reservada; advertência por escrito, pública; suspensão temporária dos direitos associativos até a exclusão do quadro social.

Ter um país com empresas éticas, mesmo que punições sejam necessárias para isto, é o resultado que se espera. Ninguém mais suporta as constantes e diversas formas de corrupção nas instituições brasileiras. Esse ‘jeitinho’ de conseguir vantagens e burlar regras não apenas afronta as leis, mas frustra sonhos e estanca oportunidades para a população, além de travar a economia e comprometer o bem-estar de toda uma sociedade.

*Francisco Camargo é Presidente do Conselho da ABES, CEO da CLM, distribuidor latino-americano de valor agregado de Segurança da Informação e Infraestrutura Avançada.

Shoppings têm aumento de 7,2% nas vendas do 3º trimestre

De acordo com o Índice Cielo de Varejo em Shopping Centers – Abrasce (ICVS-Abrasce), as vendas do setor cresceram 7,2% no terceiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2018. No acumulado anual, o setor tem variação positiva de 8%.

Entre os fatores que contribuíram para o avanço considerável do setor estão a expansão do volume de crédito e a redução da inflação – que colaborou para aumentar o poder de compra das famílias -, além do crescimento da confiança do consumidor e da melhoria, mesmo que pequena, de oferta no mercado de trabalho. “Além disso, as datas comemorativas também impulsionaram as vendas no 3º trimestre. No Dia dos Pais, registramos aumento de 5,1%; e de 16,8% na Semana do Brasil, evento inédito que movimentou o varejo brasileiro”, afirma Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

O ticket médio entre os meses de julho e setembro reforça que os consumidores estão confiantes e gastando mais nos shoppings. A média do valor desembolsado nos empreendimentos foi de R$ 96,34, superando a média dos 1º e 2º trimestres deste ano, sendo 4% maior em comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 92,97, no terceiro trimestre de 2018).

O destaque do período foi julho, com crescimento de 10,5% nas vendas. “As férias escolares e o lançamento de filmes infantis, com sucesso de bilheteria, foram determinantes para alavancar os números do mês, que apresentou a segunda maior alta do ano. Fevereiro continua com o melhor resultado de 2019, quando as vendas tiveram elevação de 11,7%”, reforça o presidente da Abrasce.

O setor segue otimista, mesmo diante de um crescimento econômico ainda muito discreto, investindo em melhores ofertas e novas formas de consumo. “Os shoppings estão atentos às tendências mundiais para sempre inovar e atender às necessidades de seus clientes, em todos os canais, seja on ou offline”, ressalta Humai.

EXPECTATIVAS

A expectativa da Abrasce é que o setor continue crescendo até o final do ano e, por isso, a entidade mantém a projeção de 7% de crescimento em 2019. Em outubro, por exemplo, os shoppings tiveram ótimo desempenho de vendas no Dia das Crianças, com alta de 9,9% em relação a 2018, superando uma das datas mais importantes do varejo, o Dia das Mães (9,4%).

“A Black Friday e o Natal são épocas que movimentam muito o comércio de forma geral e acreditamos que os saques do FGTS contribuirão com os resultados. Além disso, outros fatores, como a aprovação da Reforma da Previdência, a Lei da Liberdade Econômica e os movimentos a favor de uma reforma administrativa têm um efeito positivo sobre o ambiente de negócios, impactando as expectativas, tanto do empresário como do consumidor”, finaliza Glauco Humai.

Atento nomeia Gustavo Tasner como Diretor de Operações

A Atento S.A. (NYSE: ATTO), líder em serviços de gestão de relacionamento com clientes e terceirização de processos de negócios (CRM/BPO) na América Latina, e um dos cinco maiores provedores no mundo, anunciou hoje a nomeação de Gustavo Tasner como Diretor de Operações e membro de seu Comitê Executivo, com vigência a partir de 01 de novembro de 2019. Gustavo Tasner reportará diretamente ao CEO da Atento, Carlos López-Abadía.

Ele reforçará as operações globais da Atento, otimizando a excelência da prestação de serviços e melhorando a infraestrutura tecnológica.

Antes de ingressar na Atento, Gustavo Tasner trabalhou 14 anos na Capgemini, onde liderou importantes transformações operacionais, desenvolveu recursos digitais e ocupou posições fundamentais, como Chefe de Operações de Serviços Empresariais para as Américas, supervisionando 10 centros de prestação de serviços distribuídos pelos EUA, Canadá, Brasil e Guatemala, atendendo 22 países. Antes disso, foi diretor de operações de Serviços Empresariais da Capgemini para a América Latina e chefiou as operações de prestação de serviços para a divisão latino-americana de BPO da Capgemini, entre outros cargos.

“Temos o prazer de anunciar a chegada de Gustavo à Atento. Suas sólidas credenciais e sua impressionante experiência em operações e tecnologia serão peças fundamentais para avançar na transformação da nossa empresa e chegar à nova geração de soluções de experiência de cliente”, disse Carlos López-Abadía, CEO da Atento. “Continuamos reforçando nossa equipe de liderança com os melhores talentos, para conseguir a melhor experiência de cliente disponível no mercado, gerando valor para nossos clientes, funcionários e acionistas”, acrescentou López-Abadía.

“Estou muito entusiasmado por integrar a equipe da Atento e contribuir com a ampla variedade de ofertas que a empresa está constituindo. A equipe está criando infraestruturas digitais e tecnológicas que irão nos diferenciar de todos os concorrentes no setor de CRM/BPO. Acredito que a inspiração, a direção estratégica e o potencial de crescimento desta empresa líder de mercado são enormes”, disse Gustavo Tasner. “Estou ansioso para fazer parte da família Atento e trabalhar junto com a equipe, para alcançar a próxima geração de soluções de experiência de cliente em nossos mercados”.

Experiência adicional

Antes da Capgemini, Gustavo Tasner passou 17 anos em funções gerenciais, principalmente nos setores de serviços financeiros e na indústria automotiva, onde esteve ativamente envolvido no desenvolvimento de projetos de alto destaque financeiros e de RH, bem como de startups.

Gustavo Tasner é Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidad Argentina de la Empresa (UADE), tem um mestrado em Administração de Negócios Industriais pela Universidad Católica Argentina (UCA) & EOI (Madri), e concluiu um Programa de Gerenciamento Avançado na Escola Empresarial IAE, na Argentina.

eSolidar anuncia Telma Figueiredo como Country Manager no Brasil

A eSolidar , plataforma portuguesa de impacto social que oferece às instituições de caridade ferramentas fáceis para atrair recursos e aumentar a visibilidade, anuncia a administradora de empresas Telma Figueiredo como Country Manager para o Brasil.

Com pós-graduação em Finanças pela Business School São Paulo, se especializou na área financeira e possui experiências de mais de 10 anos na multinacional Grupo Tracker, conhecida pelas soluções para rastreamento de veículos. Além disso, atuou também no segmento de administração de obras e reformas de imóveis de alto padrão para locação e venda de uma familly office.

De acordo com a executiva sempre foi um desejo trabalhar com causas que ajudassem pessoas. “Já estava no meu DNA a vontade de trabalhar com propósito, mas foi a frente da eSolidar que encontrei uma maneira prática de alavancar ongs organicamente, além de promover interação de empresas com vocação solidária, funcionários, voluntários e doadores em ações que façam sentido em suas vidas”, explica administradora.

A profissional chega à eSolidar no momento em que a plataforma soma cerca de 50 mil usuários e mais de 800 instituições sociais em todo o mundo. Ao todo, a empresa já arrecadou mais de R$ 2 milhões para causas sociais, além de contar com parcerias com mais de mil celebridades internacionais, que incluem personalidades como o jogador português Cristiano Ronaldo e as cantoras Lady Gaga e Katy Perry. Recentemente a startup contou com a parceria da edição Rock in Rio 2019 com leilões de artigos de bandas e cantores de todo o mundo.

Cadastro Base do Cidadão vai na contramão da LGPD

O Cadastro Base do Cidadão (CBC), que entrou em vigor no dia 10 de outubro, que reúne informações pessoais da população, unificando a identificação do cidadão para prestação de serviços públicos “está na contramão da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)”, avalia o advogado Lucas Paglia, sócio da P&B Compliance, empresa especializada em consultoria, gerenciamento, análise e redução de riscos nos processos administrativos. O decreto foi uma promessa da campanha eleitoral de Jair Bolsonaro, que defendia melhorias disciplinares na gestão dos dados de todos os cidadãos brasileiros.

O decreto 10.046/19 do CBC, define os requisitos de centralizar os dados pessoais de todos os brasileiros e que poderão ser compartilhadas entre as diversas esferas do governo, de acordo com critérios definidos por um comitê de governança, que deverá ser formado apenas por representantes do governo. A 1ª versão do cadastro será formulada com os dados já disponíveis no CPF (Cadastro de Pessoa Física), como o número do documento, nome completo, nome social, data de nascimento, sexo, filiação, nacionalidade, naturalidade. Ficam excluídos dados protegidos por sigilo fiscal, sob gestão da Receita Federal.

Segundo Paglia, a medida traz certas adversidades, porque foi criada sem um debate prévio de como seria o cadastro dos cidadãos, além da falta de explicação sobre as finalidades da coleta dos dados. “Da forma como ela foi elaborada, pode ser principalmente uma ameaça ao direito à privacidade das pessoas”.

O especialista avalia que há situações sensíveis em relação ao procedimento do decreto quanto à coleta dos dados biométricos, como da palma da mão, digitais dos dedos, retina ou íris dos olhos: “Como será realizado, de fato, o armazenamento desses dados? Qual a política pública por trás na segurança da informação desses dados recolhidos? Quais serão os termos de uso das informações?”, questiona ao também mencionar que a atividade extrapola os limites de alçadas como da própria Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que não previa esse decreto.

De acordo com o Governo Federal, o decreto vai garantir os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade, bem como outros fundamentos, como da autodeterminação informativa (que dá direito ao acesso, correlação e exclusão de informações pessoais presentes em bancos de dados) e a inviolabilidade da intimidade.

Porém, até o momento, o governo não deixou claro como o decreto vai melhorar o serviço público. A única questão visível e preocupante com o decreto é que o cidadão não terá decisão sobre suas informações, perdendo assim o controle sobre todos os seus dados, que passam a ser de posse do Estado.

Paglia defende que seria interessante ter uma base de dados geral, em que o cidadão não precisasse levar todas as documentações para realizar algum procedimento, como atendimento médico. “Fazer uma solicitação junto a um órgão público e ter no mesmo instante os seus dados, como o comprovante eleitoral, seria ágil e reduziria o tempo de espera” diz.

Mas, segundo o especialista, a formulação do decreto possui muita nebulosidade quanto ao domínio das próprias informações que cada cidadão tem direito, o que bate de frente contra as medidas da LGPD. “Ou seja, é preciso construir um mecanismo de governança, ouvindo a sociedade, para que essa iniciativa seja efetiva, eficiente e, ao mesmo tempo, que mantenha o sigilo de cada indivíduo”, enfatiza.

Tags, ,

Black Friday: Como conquistar o cliente pelo atendimento

Por Fábio Matias

A Black Friday é o período do ano mais esperado por consumidores e empresas, principalmente as do varejo. Isso porque os consumidores aguardam a data para comprar aquele produto que estão querendo há tempos, com o melhor preço e as melhores condições de pagamento. Já as empresas vêm na época a maneira de se diferenciar, fortalecer a marca e se tornar referência para o cliente, como melhor experiência de compra e atendimento.

Porém, a cada dia está mais difícil alcançar o consumidor pelos métodos convencionais. Isso porque ele pode estar em qualquer plataforma e não se encanta mais somente pelo preço. Embora esse seja o atrativo inicial, para que feche a compra é preciso mais do que isso. Ele precisa saber, com certeza, que a empresa está apta a atendê-lo com excelência, desde a pré-compra até o pós-compra, passando pelas etapas de entrega e assistência.

Por isso, acredito que para as empresas se destacarem, ainda mais em uma época tão concorrida como é a Black Friday, a melhor alternativa é investir no atendimento, considerando opções online e offline, de acordo com o perfil do público. Destaco sete delas a seguir, que podem transformar a relação da marca com os clientes, tornando-a mais próxima, eficiente e duradoura.

PDVs (Pontos de Venda) – Se a intenção é focar em determinado produto ou serviço para a data, seja pela relevância e aceitação do item, seja por uma questão de equilíbrio de estoque, o PDV pode ser uma boa escolha como canal de vendas, desde que o público seja aquele que busca um funcionário para tirar dúvidas, que o vendedor não interfira na jornada do cliente e que a equipe domine plenamente as informações necessárias sobre os produtos e serviços oferecidos. Isto facilita o processo para a decisão de compra.

E-mail – Considero uma das melhores alternativas para informar as ofertas, pela riqueza de informações possíveis, porque o e-mail pode ser aberto como, quando e onde o consumidor quiser. Mas, cuidado: ele não deve ser disparado sem critério, com o objetivo de atingir mais e mais pessoas. Uma estratégia bem pensada privilegia o consumidor fiel e busca atingir clientes atuais e consumidores em potencial que já tenham tido algum contato com a loja, tendo manifestado algum interesse em novidades e notícias da empresa. Caso contrário, seu e-mail será mais um a ser excluído e, pior ainda, poderá afastar o cliente da marca.

Telefone – Para que o consumidor tire dúvidas e possa saber mais sobre a empresa, o telefone ainda é um canal utilizado. No entanto, para otimizar a experiência, é imprescindível tomar cuidado com o tempo de espera e os menus intermináveis. Afinal, ninguém gosta de ficar esperando para ser atendido, e o consumidor está sempre em busca de maneiras de conseguir o que quer da maneira mais rápida possível.

Além disso, existem leis e regras específicas que protegem os clientes e os operadores telefônicos como, por exemplo:

• O atendente não pode exceder seis horas diárias, ou 36 horas por semana, de trabalho;

• É necessária uma infraestrutura de atendimento telefônico, com computador, microfone e fone de ouvido;

• As ligações para números de SAC devem ser gratuitas;

• A espera por atendimento não deve exceder mais do que um minuto.

Chat – Para este tipo atendimento, a conversa com o cliente em tempo real e a interação no ambiente da empresa – com o chat embarcado no site corporativo ou na página na rede social – são as principais vantagens. Também conta muito neste formato a capacidade de atender muitas pessoas ao mesmo tempo, condição possibilitada quando o chat funciona de forma combinada com um robô, com possível transbordo para um atendente em caso de necessidade. Para que essa estratégia alcance os resultados esperados, o chatbot precisa ser pensado desde a personalidade (seu comportamento) até as necessidades de aprimoramento, de acordo com os inputs do público. O que as empresas ganham com isso? Agilidade no endereçamento correto da necessidade do cliente, otimização da mão de obra disponível e análise de oportunidades.

SMS – Assim como o chat, o SMS oferece maior flexibilidade e conveniência para comunicar os clientes, aproximando os consumidores das marcas, pois alia a mobilidade e facilidade dos celulares a informação útil, neste caso, relacionada a produtos e serviços. Considerando que no Brasil, segundo dados de mercado, cada pessoa costuma conferir o mobile de 150 a 200 vezes por dia, em média, o SMS se torna uma opção válida e de baixo custo para as empresas se comunicarem com seus clientes, com as vantagens de que o envio é praticamente instantâneo e de que 98% das mensagens são lidas em até dois minutos. Além disso, é uma solução de fácil utilização, não dependendo de pacote de dados ou de conexão para confirmar entrega de mercadoria, avisar sobre o horário de funcionamento da loja ou informar sobre a disponibilidade do produto, dentre outras muitas aplicações.

WhatsApp – É o canal de comunicação de alta preferência dos consumidores brasileiros. No país, o aplicativo é usado por 89% das população e ocupa o terceiro lugar entre as redes sociais mais usadas, perdendo apenas para YouTube e Facebook, segundo o relatório Digital In 2019. Pode ser aplicado para atender o cliente com dúvidas, atuar na resolução de problemas e enviar status dos pedidos feitos em quaisquer canais de venda, físicos ou on-line, por exemplo. No entanto, embora tenha muitas vantagens e capilaridade, as empresas precisam ter estratégias bem definidas para este canal, com processos e estrutura para, assim, garantir mais engajamento e fidelização dos consumidores.

Redes sociais – Diante da velocidade das interações digitais, é quase impossível ficar de fora das redes sociais. Afinal, muitos consumidores usam as plataformas para compartilhar suas histórias e experiências com marcas, produtos e serviços. Porém, é preciso avaliar onde o seu consumidor está e investir em comunicações diferenciadas em cada rede. Também é fundamental que a empresa tenha um diálogo consistente, independentemente da rede social escolhida. Para evitar discordância em anúncios, postagens e respostas de comentários, você pode contratar uma equipe responsável por essa área. Dessa forma, você se mantém sempre ativo nas redes sociais e evita que alguém não seja atendido. Uma outra dica é automatizar o atendimento via redes sociais, por meio de um chatbot. Essa tecnologia permitirá fazer configurações para um atendimento mais ágil e rápido, poupando tempo e recursos.

Todos esses canais facilitam a abordagem e a interação com o cliente, possibilitando que o relacionamento construído na Black Friday perdure por muitas outras ações e datas importantes para a marca.

Fábio Matias, vice-presidente de Negócios da Zenvia, plataforma de comunicação que simplifica a relação entre empresas e consumidores

Tags, , ,

Black Friday deve crescer 21% e movimentar mais de R$ 3,15 bilhões, segundo idealizador do evento

A data mais importante para o e-commerce brasileiro e mais aguardada para quem gosta de economizar, a Black Friday, neste ano acontece dia 29 de novembro. A previsão de crescimento é de 21%, ultrapassando a faixa dos R$ 3,15 bilhões, de acordo com o idealizador do evento: www.blackfriday.com.br.
A região que deve apresentar maior crescimento é a Nordeste, subindo de 12% para 14% sua participação sobre o total de vendas nacional. A líder em vendas continuará sendo a região Sudeste, com previsão de 61% do valor total do faturamento do evento; o que revela uma população mais amadurecida para compras online.
“Devemos continuar tendo um crescimento expressivo no volume de vendas este ano. Mesmo no ápice da crise econômica, o Black Friday continuou puxando a economia para cima. Por volta de 5 milhões de pessoas compram pela primeira vez na internet a cada ano e o Black Friday é uma grande porta de entrada para elas” destaca Ricardo Bove, criador do evento.Dessa forma, é possível observar no gráfico abaixo que os momentos de crise no Brasil, incertezas políticas e baixo crescimento econômico não atrapalharam o aumento constante de compras no Black Friday:

Esse crescimento vem acontecendo não apenas no e-commerce. Em 2010, os grandes descontos aconteciam exclusivamente online — e esse meio continua liderando o crescimento. Segundo pesquisa do idealizador do evento: 58,4% dos consumidores compraram pela internet na edição anterior.

Porém, as lojas físicas estão começando a ganhar aderência à data: 26,5% dos consumidores utilizaram além da internet, também o varejo tradicional. E aqueles que preferiram fazer suas compras exclusivamente no ambiente físico representaram 15%.

Entre os produtos mais desejados estão aqueles mais caros, em que o desconto se torna mais significativo, e não são de necessidade imediata — o consumidor pode esperar o evento e se programar. Em 2019 o celular continua em primeiro lugar na intenção de compra: 37% das pessoas vão buscar um aparelho novo. Agora seguido de perto por Eletrodomésticos com 36% dos consumidores e TVs por 29,3%.

Isso está de acordo com o fato de que o ticket médio de compra durante o Black Friday seja de mais de R$600, enquanto o valor médio de compra pela internet do brasileiro em dias comuns é um pouco menor do que R$ 450.Ainda de acordo com a pesquisa, a grande maioria (70,2%) pretende gastar este ano no evento mais de R$ 500, sendo que praticamente a metade de todos aqueles que irão comprar (46,4%) possui a intenção de desembolsar mais de R$ 1.000.

Tags,

São Paulo receberá maior evento de startups da América Latina

A Associação Brasileira de Startups (Abstartups), entidade que representa o ecossistema, confirma a 6ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo – Case 2019, maior evento latino-americano voltado para startups, a ser realizado em 28 e 29 de novembro deste ano, em São Paulo.

Os participantes contarão com novidades em relação aos anos anteriores, a começar pelo espaço. Para atender o crescimento do público e de estandes, a edição 2019 acontece no Transamérica, com um público esperado de 10 mil participantes, que poderão contar com conteúdos focados no futuro da inovação.

“Hoje, as startups e o ecossistema deixaram de ser uma promessa, tornando-se a realidade do presente. Este é o momento de tomar consciência dos nossos próprios feitos e, mais importante, de não se acomodar. O futuro é líquido e está em constante transformação. E o resultado disso tudo nós vamos celebrar, investigar e entender juntos no CASE 2019”, pontua o diretor executivo da Abstartups, Rafael Ribeiro.

Entre os palestrantes já confirmados, estão: o co-fundador do Wikipedia, Jimmy Walles;a Head of Growth Marketing at SEMrush, Anna Lebedeva; Eric Santos, CEO plataforma de marketing digital RD Station; André Street, cofundador startup de processamento de cartões, Stone; Rony Meisler, fundador e CEO da marca de roupas carioca Reserva e Lara Lemann, Co fundadora da empresa especializada em investimento imobiliário MAYA Capital.

Com uma área exclusiva dedicada aos expositores e feira de negócios, o evento esse ano contará também com uma plenária e quatro arenas de conteúdo voltadas para os principais áreas dentro de uma startup: hacker (desenvolvedores e tecnologia), hipster (design, UX e produto), hustler (vendas e customer success) e hyper (marketing e Growth Hacking).

6ª Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (Case 2019)

Data: 28 e 29 de novembro de 2019, das 10h às 20h
Local: Transamérica Expo Center
Endereço: Av Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387, Santo Amaro – São Paulo (SP)

Tags,

Aviation X Lab cria a nova era da aviação

O xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos e governador de Dubai, e o xeque Hamdan bin Mohammed bin Rashid Al Maktoum, príncipe herdeiro e presidente do Conselho Executivo de Dubai, assistiram à demonstração da Thales sobre Solo, o assistente virtual para pilotos. Também são vistos (terceira a partir da esquerda) Amna Al Redha, gerente do programa Aviation X Lab, e o capitão da Emirates Mubarak Al Mheiri.

Aviation X Lab, o ambicioso projeto de incubadora específica para aviação que reúne alguns dos maiores pioneiros mundiais, foi apresentado no Area 2071 no início desta semana. O Aviation X Lab marca a parceria de longo prazo entre a Emirates e a Airbus, Collins Aerospace, GE Aviation e Thales, cujo objetivo é aprimorar a experiência de viagem. A empresa de telecomunicações du também faz parte do projeto como parceiro de inovação digital.

Em parceria com a Dubai Future Foundation, o Aviation X Lab busca inovar e criar a próxima era da aviação, com uma visão ousada que pretende trazer um impacto positivo a um bilhão de pessoas.

Sua Alteza o Xeque Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente e CEO da companhia aérea Emirates e do grupo Emirates, disse: “A aviação é um setor importante da economia dos Emirados Árabes Unidos, garantindo cerca de 800 mil empregos e contribuindo para a economia com US$ 47,4 bilhões, valor que deve aumentar quase três vezes até 2037.* Dubai está tentando diminuir os desafios do ecossistema da aviação mantendo um enfoque claro na evolução de tecnologias e inovações com impacto no setor, nas comunidades, nas gerações futuras e no nosso planeta. Queremos olhar muito além da aviação como ela é hoje e abraçar as inovações que constituem o próximo conjunto de grandes ideias do espaço aéreo. O Aviation X Lab vai identificar, apoiar e financiar essas inovações, tornando-as acessíveis globalmente. Nosso objetivo é transformar a mobilidade humana.”

O Aviation X Lab anunciou seus primeiros desafios com o prazo final de envio de propostas definido para início de 2020:

Desafio 1: Setor da aviação com carbono negativo. A aviação é responsável por apenas 2% das emissões de carbono do mundo, mas o desafio foi criado com base na premissa de que as companhias aéreas produzem 115gm de CO2 por passageiro-km, o que representa 859 milhões de toneladas de emissões de CO2 por ano. O desafio é reduzir 100gm ou 87%, chegando a 15gm de CO2 por passageiro-km até 2030.

Desafio 2: De Aeroportos a Aeroportais. O setor de viagens deve dobrar seus números nos próximos 15 anos, com 3,4 bilhões de novos viajantes, mas o modelo atual dos aeroportos é um obstáculo a essa expansão. O desafio é reformular o modelo dos aeroportos para obter 10 passageiros por m2 de infraestrutura do aeroporto, com tempo máximo de transição de 10 minutos entre a terra e o ar.

O Aviation X Lab está convidando startups, inovadores, acadêmicos, ONGs, ativistas e empresas de todo o mundo para participar dos desafios. A incubadora vai selecionar e levar as equipes a Dubai para a criação, pesquisa e desenvolvimento de protótipos em suas instalações no Area 2071. Na próxima fase, até quatro equipes serão selecionadas e convidadas a apresentar propostas a investidores para obter financiamento adicional.

No evento de abertura, foram realizadas demonstrações de três produtos: um da Thales e dois da Emirates.

A Thales mostrou como o Solo, seu assistente virtual desenvolvido pela Thales TrUE AI (Transparent, Understandable, and Ethical AI), pode aumentar a segurança e ajudar os pilotos em momentos decisivos durante o voo. Na demonstração, o Solo usou os dados disponíveis para fornecer à tripulação o trajeto mais eficiente e otimizar a eficiência do voo e o conforto dos passageiros.

A Emirates apresentou duas soluções inovadoras baseadas em IA. Uma solução colabora para um importante objetivo de sustentabilidade: reduzir o desperdício de alimentos. A tecnologia fornece previsões e recomendações em tempo real, que garantem aos clientes seus pratos favoritos a bordo, minimizando as quantidades de alimentos não consumidos. O Bahja, um aplicativo criado por uma equipe da UAE Nationals, utiliza a tecnologia de reconhecimento facial para ajudar a medir a satisfação dos funcionários e fornece feedback em tempo real. O aplicativo incentiva os funcionários a compartilhar suas motivações com a comunidade de usuários, contribuindo com ambientes de trabalho mais favoráveis e, portanto, clientes mais felizes.

O Aviation X vai operar em ciclos de 12 meses com cinco fases ativas principais: lançamento dos desafios; busca de startups do mundo todo; validação de conceitos; análise de viabilidade rápida e captação de recursos. Durante essa jornada, o X Lab oferecerá suporte logístico, pesquisa, recursos, feedback de colegas, orientação e estreita colaboração.

O Aviation X Lab foi criado em outubro de 2017 com o acordo assinado na presença de Sua Alteza o Xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos e governante de Dubai.

*Dados da IATA.

Evento em São Paulo discute os impactos da tecnologia na próxima década

A Locaweb Corp Cluster2GO, unidade de negócios da Locaweb com estrutura e equipes dedicadas ao mercado corporativo, promove no dia 4 de novembro o Digital Living 2030 para discutir iniciativas de pesquisas que contribuam com a vida digital, por meio de uma parceria entre a Universidade de Tel Aviv, de Israel, e a Universidade de Stanford, dos Estados Unidos, que conduzem pesquisas interdisciplinares de análises de dados, ciência comportamental computacional, entre outros temas. As instituições trabalham em colaboração com empresas líderes mundiais.

O professor Irad Ben-Gal, chefe do Departamento de Inteligência Artificial da Universidade de Tel Aviv, vai participar do encontro. Com mais de 20 anos de experiência, ele é especialista em Inteligência Artificial, machine learning, e predictive analytics. O evento vai discutir o desenvolvimento de infraestruturas, processos e métodos que serão implementados para abordar as grandes questões essenciais de impacto em nosso bem-estar ambiental, social, pessoal e profissional na próxima década, na esperança de proporcionar uma melhor experiência de vida.

Após a apresentação, a Locaweb Corp Cluster2GO também irá promover uma rodada de negócios com o professor Irad Ben-Gal e Manoel Lemos, sócio e diretor-gerente da Redpoint eventures, o primeiro fundo brasileiro de capital de risco patrocinado por empresas do Vale do Silício. Estarão também no evento Guilherme Barreiro, diretor da Locaweb CORP Cluster2GO, Diego Santos, gerente de produto, Fábio Ogawa, gerente de operações e Vanessa Alves, marketing e parcerias da Locaweb CORP Cluster2GO.

O encontro será a partir das 18h30, no Cubo — Alameda Vicente Pinzon, 54 — Vila Olímpia, em São Paulo exclusiva para executivos e influenciadores convidados.

Serviço
Quando: 4 de novembro de 2019
Horário: a partir das 18h30
Onde: Cubo – Alameda Vicente Pinzon, 54 – São Paulo

Tags,

Sequoia consolida aquisição da Nowlog e reforça atuação na Região Nordeste do país

A Sequoia, uma das maiores operadoras logísticas de e-commerce e tecnologia do país, acelera sua expansão nacional com a consolidação da Nowlog Logística, segunda aquisição da empresa no ano, que irá reforçar a malha de distribuição nacional para entregas expressas, principalmente nos estados do Nordeste.

“Foi uma aquisição estratégica para reforçamos nossas operações de Last Mile, principalmente nos estados do Nordeste. Com esse incremento, estimamos crescer cerca de 80% em 2019”, afirma o fundador e presidente da Sequoia, Armando Marchesan Neto. A estimativa de faturamento para este ano é de R$ 800 milhões e pode chegar a R$ 1 bilhão, em 2020, em função de novos contratos em implantação e outras aquisições.

DNA tecnológico

A Sequoia nasceu focada no atendimento ao e-commerce e hoje presta serviços para variados segmentos. Com DNA no comércio eletrônico, tem uma ênfase muito grande em tecnologia. Além do ecommerce, o grupo é líder no mercado de entrega de meios de pagamento, que são as maquininhas de cartões. Com know how tecnológico, a companhia é responsável pela logística integrada das maquininhas, e o processo contempla desde armazenagem, instalação, troca, manutenção e logística reversa, com alto índice de desempenho de entrega no prazo e qualidade de atendimento.

A Sequoia também é conhecida pela flexibilidade e desenho de soluções inovadoras e de entregas rápidas, como é conhecido no mercado o “Same Day Delivery”, além de realizar operações dedicadas para entregas entre 4 a 6 horas após o pedido do cliente.

Tags, , , ,

Wolters Kluwer Health harmoniza conteúdos de suas soluções de suporte à decisão clínica

As soluções de efetividade clínica da Wolters Kluwer Health , líder mundial no fornecimento de soluções e informações para a indústria de saúde, estão de cara nova e ainda mais alinhadas. As mudanças aprimoram a experiência do usuário e fazem parte da estratégia da companhia de prover conteúdos harmonizados baseados em evidência e informações contextualizadas, com a mesma linguagem, para atender as distintas equipes — enfermagem, farmacêuticos, médicos – dentro de uma instituição de saúde. O objetivo da companhia é não só, cada vez mais, padronizar os cuidados na saúde e aprimorar a qualidade do atendimento, como também reduzir os índices de erros médicos e a variabilidade indesejada do cuidado.

“Conformidade é a palavra que melhor explica nosso propósito com essas mudanças. É mais do que visual. Buscamos a conformidade e a harmonização em todos os níveis e para todos os profissionais. Hoje somos capazes de trabalhar com as necessidades e prover muito do que uma instituição de saúde precisa em termos de saúde e medicina baseada em evidência e que a permita prover os melhores cuidados, melhorar a efetividade clínica e reduzir a variabilidade do cuidado”, explica Nayara Gerez, especialista de produtos Customer Success Specialist da Wolters Kluwer Health.

Com a modernização da interface, o Uptodate®, solução de suporte à decisão clínica baseada em evidências, e Lexicomp®, solução que provê para as equipes de atenção informações relacionadas às terapias medicamentosas. Isso significa que independetemente da área em que o profissional atue, ele terá acesso a informação que se complementam, algo que contribui diretamente para a uniformização do suporte à decisão clínica.

O uso desse tipo de solução é fundamental para o dia a dia das instituições de saúde que prezam pela qualidade do cuidado com o paciente. Tanto o Uptodate® como o Lexicomp® agregam inteligência ao fluxo de trabalho das equipes que estão em contato direto com o paciente. Além da nova interface, o Uptodate® também está ainda mais personalizado e pode ser customizado de acordo com o histórico e perfil do do profissional. É possível configurar para receber alertas, favoritar conteúdo, ver históricos de acesso e visualizar na página inicial se algum conteúdo que acessa com frequência foi atualizado, entre outros recursos que agilizam e facilitam o dia a dia do profissional de saúde para se manter atualizado. Outro diferencial importante é que o usuário pode não só verificar seus acessos que se são registrados como créditos/horas que podem virar certificados de educação cotinuada, que comprovem a atualiazação nas especialidades sobre as quais acessou conteúdo.

Além disso, as instituições que têm o Uptodate Advanced® – que disponibiliza 60 protocolos interativos (Pathways) que cobrem as condições de saúde nas quais a variabilidade do cuidado já é conhecida — também experimentarão a mesma interface tanto no UpToDate® Pathways como no Lab Interpretation™.

As soluções de efetividade clínica da Wolters Kluwer Health

O UpToDate, recurso de suporte à decisão clínica mais usado no mundo, ajuda a incorporar nos fluxos de trabalho conteúdo confiável e permite que profissionais da saúde adotem abordagens de cuidado mais eficientes. Mais de 80 estudos associam melhorias no atendimento ao paciente e no desempenho hospitalar ao uso generalizado do UpToDate. São 6, 7 mil especialistas clínicos que continuamente mantêm e publicam atualizações, mais de 250 mil pesquisas por ano, de 11.000 tópicos clínicos, 465 mil referências e 430 artigos pesquisados e revisados.

Já Lexicomp, que pode ajudar as instituições a reduzirem os índices de erros médicos por medicação, provê para as equipes de atenção informações relacionadas aos medicamentos que podem ser acessadas rapidamente quando surgiram dúvidas a respeito da terapia medicamentosa. Traz conteúdo e recursos adicionais para apoiar decisões e administração de medicamentos, como, por exemplo, informações a respeito de dose, indicação de uso, interações, toxicologia, compatibilidades IV, comparações de até quatro medicamentos, considerações sobre gravidez e lactação e medicamentos associados a melhores resultados e até informação para pacientes em português. Estão disponíveis informações completas sobre mais de 2,5 mil medicamentos, cobrindo 99% das 300 principais drogas de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Tags,

Easynvest abre 80 vagas em diversas áreas

Easynvest, maior corretora independente do Brasil, anuncia a abertura de 80 vagas para integrar o time da empresa. Impulsionadas pelo crescimento da corretora, há posições para diferentes cargos — de analista a gerente — para áreas de marketing, design, agilidade, B.I. (Business Intelligence), desenvolvimento, backoffice, risco, entre outras. Os pré-requisitos variam de acordo com escopo e cargo.

Com a proposta de revolucionar o mercado financeiro a partir de um modelo de negócio diferenciado, a cultura interna da empresa reflete o mantra “sem gravata, sem economês”. “Na Easynvest, nossos esforços são voltados para sermos acessíveis e inclusivos dentro e fora de casa. Acreditamos em um ambiente com diversidade e respeito, atributos que também buscamos em novos talentos”, explica Simone Lima, gerente de RH Estratégico da corretora. O processo seletivo é customizado a depender da área ou complexidade do perfil, com a possibilidade de incluir testes técnicos, entrevistas presenciais ou online.

Entre os benefícios oferecidos pela Easynvest, estão os planos de saúde e odontológico, Vale Refeição, Vale Alimentação, Vale Transporte, day off no mês do aniversário, Gympass e subsídio para pós-graduação e cursos ou treinamentos, entre outros. Alinhado com a cultura de pluralidade e inclusão, o dress code é “venha como se sentir confortável” e o horário é flexível. “Além do pacote completo de remuneração, a Easynvest tem uma cultura muito diferente do mercado financeiro, com DNA jovem e leve”, completa Lima.

Para participar, acesse: http://bit.ly/vagas-na-easynvest

Tags,

GenesisGroup e AgroSafety associam-se para fortalecer a segurança agroalimentar na cadeia produtiva

Luiz Roberto Trevizan (Diretor Técnico do Agrosafety), Nelson Bechara (Presidente do GenesisGroup), Adauto da Silva (Diretor Comercial do Agrosafety)

O GenesisGroup, empresa especializada em soluções em testes, inspeções, certificação e rastreabilidade na cadeia agroalimentar, fortalece ainda mais sua estrutura e a oferta de soluções de alta confiabilidade por meio de associação colaborativa com o laboratório AgroSafety, baseado em Santa Bárbara D’Oeste (SP).

“O mercado e o consumidor estão mais exigentes e atentos a aspectos de qualidade e de segurança alimentar e isso impulsiona processos mais eficientes, com o uso de novas tecnologias, a custos menores e tendo como parâmetro decisivo a redução dos impactos ambientais. O GenesisGroup busca novas parcerias estratégicas para se tornar cada vez mais inovador e, assim, atender às exigências do mercado. O AgroSafety será extremamente importante nesse processo, pois utiliza a mais moderna tecnologia de análises disponível e tem o respeito das empresas e da comunidade científica”, explica Nelson Bechara, presidente do GenesisGroup.

Com 13 anos de atuação no mercado, o AgroSafety é um laboratório de análises independente, altamente tecnológico, que nasceu dentro da ESALQ/USP e se estabeleceu nas cadeias agrícola e animal, além de foco ambiental. “Oferecemos ao mercado um amplo portfólio de análises, contando com o respaldo de importantes certificações e acreditações, como das Boas Práticas Laboratoriais (INMETRO BPL 023), ISO 17025 INMETRO, IN 26 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e

REBLAS (Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde) ANVISA, além de utilizar a mais moderna tecnologia para análises, como espectrometria de massas de alta resolução” explica Adauto da Silva, sócio diretor.

“O GenesisGroup investe seguidamente para ser líder em testes, inspeções, certificação e rastreabilidade na cadeia agroalimentar na América Latina, oferecendo soluções completas aos seus clientes. No trajeto ‘do campo à mesa’, as análises laboratoriais são fundamentais em termos de segurança alimentar. E esta demanda dentro do grupo tem crescido significativamente. Afinal, estamos falando do alimento que chega à nossa mesa”, ressalta Nelson Bechara.

Tags, ,

Amgen anuncia chegada de novo diretor de Recursos Humanos no Brasil

A Amgen, uma das maiores empresas de biotecnologia no mundo, anuncia a nomeação do executivo Thiago Pastore para o cargo de Diretor de Recursos Humanos da companhia no Brasil. Com mais de 20 anos de experiência, Thiago assumirá o posto a partir do dia 1º de novembro de 2019, onde terá o importante papel de prover, direcionar e coordenar todas as estratégias e funções de RH na filial brasileira — atendendo os mais de 400 funcionários da empresa no país.

O executivo brasileiro saiu do país por cinco anos para atuar como parceiro de negócios de RH da Amgen em Thousand Oaks, sede da empresa na Califórnia. Thiago também foi líder de Eficiência Organizacional (OE) e Gestão de Talentos, onde contribuiu com a atração, retenção e internacionalização de diversos talentos da Amgen. Anteriormente, o executivo atuou na Unidade de Negócios de Inflamação e Nefrologia dos EUA (INBU), na equipe comercial da afiliada em Porto Rico e também na sede do Brasil.

Antes de iniciar sua carreira na Amgen, ocupou diversos cargos de liderança em RH nas indústrias Bristol-Myers Squibb, Wyeth e Pfizer.