Page

Author admin

Como novos modelos de trabalho favorecem retenção de talentos nas empresas

Por Tiago Alves

As relações de trabalho vêm mudando ao longo dos anos e, felizmente, têm beneficiado os trabalhadores que cada vez mais valorizam equilíbrio entre vida pessoal e carreira. Nas últimas décadas, o trabalho flexível ganhou espaço em grandes e pequenas empresas ao redor do mundo e hoje é um dos fatores que atrai e retem talentos. Há 11 anos, a Workspace Group (IWG) analisa globalmente o uso dos espaços de trabalho, e percebeu que os profissionais estão preferindo empregos que garantam também sua satisfação pessoal.

A última edição do estudo, contou com a participação de mais de 15 mil pessoas em 80 países, mostra que 54% dos respondentes consideram o fator “trabalho flexível” mais importante do que estar em uma grande empresa. Mais da metade dos entrevistados define trabalho flexível como “a possibilidade de escolher o local onde vão desempenhar suas atividades”. Note-se que os empregados querem mais do que que o home office, eles desejam ter o poder de escolha e, para isso, a empresa precisa oferecer possibilidades e confiar em sua equipe.

Os dados demonstram ainda que metade dos empresários trabalham fora do escritório principal metade da semana ou mais dias. Eles alternam trabalho em casa, espaços de coworking e salas remotas, pois nem todas as demandas exigem a presença física no escritório. Recentemente duas executivas brasileiras da Unilever passaram a se revezar em um mesmo cargo, trabalhando três dias por semana cada. Esse é o futuro do trabalho, que garante a harmonia entre vida pessoal e carreira.

No Brasil, a pesquisa envolveu 1.116 entrevistas e 76% afirmam que espaços flexíveis poderiam reduzir significativamente o tempo que gastam com deslocamento para ir e voltar do trabalho. As pessoas não querem mais perder tempo no trânsito quando podem realizar suas atividades em um local mais próximo de suas casas, por exemplo.

Os avanços tecnológicos também são aliados desse novo modelo de trabalho, pois permitem que parte das “tarefas” sejam realizadas fora do escritório tradicional. O estudo do IWG aponta que 54% dos brasileiros alegam que trabalham, por meios eletrônicos, enquanto estão no trajeto para a empresa. Então porque deveriam ir todos os dias “bater ponto”?

As empresas também são beneficiadas por esse dinamismo. Nos índices globais, nosso estudo indica que 85% dos participantes confirmaram que a adesão ao escritório flexível aumentou a produtividade dos negócios. Além disso, o formato tende a enxugar os custos operacionais, diminuir riscos e facilitar a expansão para novos mercados. As vantagens para as companhias são comprovadas, por isso, 62% delas possuem alguma política de espaço de trabalho flexível.

Em nosso contato diário com diversas companhias dos mais variados setores e trabalhadores e com os resultados da pesquisa da pesquisa global podemos afirmar que, atualmente, o modelo de trabalho que melhor atende empresas e funcionários é híbrido. Ele envolve um escritório principal, o home office e outros espaços localizados entre esses dois pontos principais, que favorecem o deslocamento das pessoas. O trabalhador não tem mais o sonho de fazer carreira em uma única empresa por toda a vida.

A maioria prioriza qualidade de vida, desenvolvimento pessoal e profissional e realização de metas. Certamente, esse modelo não sairá de “moda”. Pelo contrário, tende a ser incorporado por todos os tipos de negócios e saem na frente as empresas que oferecem essas possibilidades aos funcionários.

Tiago Alves, CEO do International Workplace Group (IWG) no Brasil

7 estratégias para que seus clientes virem fãs da sua marca nesta Black Friday

Todos os anos vemos um grande crescimento de vendas durante a Black Friday ao redor do mundo. No Brasil, um levantamento realizado pela Ebit/Nielsen apurou que as vendas no e-commerce alcançaram R$ 2,6 bilhões no período em 2018, uma alta de 23% em relação a 2017. Segundo o levantamento, o número de consumidores únicos (que fez ao menos uma compra online) cresceu 9% em relação ao ano anterior, para 2,41 milhões.

Proporcionalmente com o aumento das vendas, há também um número maior de queixas de consumidores com problemas recorrentes, que vão desde preços enganosos, prazos de entrega equivocados até a qualidade dos produtos. No ano passado, o site Reclame Aqui recebeu 5,6 mil reclamações durante o período de ofertas. Por outro lado, as solicitações de suporte ao cliente nas empresas também cresce e, segundo o Gartner, as interações por meio de aplicativos de mensagens já excedem as que os usuários enviam via redes sociais.

De acordo com uma pesquisa realizada em 18 países latino-americanos pelo Latinobarometer, cerca de 64% da população afirma usar o WhatsApp, embora a porcentagem varie de país para país. No Brasil esse percentual é de 66%, enquanto no Chile a penetração é 80%, seguido por Argentina (76%) e Colômbia (67%). O percentual é menor no México (60%) e Peru (54%).

Mas como surpreender 4.1 bilhões de pessoas (usuários do WhatsApp, Facebook Messenger, WeChat e Viber) super conectados em um grande volume de dados e interações? Abaixo, a Zendesk compartilha sete estratégias simples para que as empresas tenham sucesso no próximo 29 de Novembro, durante a Black Friday:

Responda rápido. Tente resolver rapidamente os problemas que seus clientes apresentam ou, pelo menos, dê a impressão de que está tentando.

Personalize sua conta. Adicione uma imagem ou logotipo de sua empresa no perfil e, se possível, um contato de telefone ou email.

Use o tom correto. Avalie se a resposta ao cliente deve ser mais formal, mais amigável, etc. Ter respostas previamente escritas como apoio será útil.

Defina um horário comercial. Se você não possui equipe 24 horas, é crucial deixar isso claro para os clientes.

Implemente ferramentas para ouvir melhor o que seus clientes dizem. Ao catalogar as mensagens, você pode sistematizar as respostas fornecidas.

Transforme experiências negativas em positivas. Cada experiência que não atende às expectativas dos clientes é uma oportunidade para melhorar a imagem da empresa e fidelizar os consumidores.

Integre sua plataforma de mensagens aos demais canais de atendimento. Se você centralizar os dados de seus clientes e acompanhar seus chamados do início ao fim, fornecerá um atendimento diferenciado. Além disso, o cliente ficará feliz porque ele não terá que repetir sua história todas as vezes que trocar de canal de atendimento.

Tornar mensagens instantâneas uma ferramenta central da sua estratégia de negócios é estar um passo à frente da concorrência. E não apenas porque é um ótimo instrumento para monitorar em tempo real as preferências e necessidades de seus clientes, mas também porque, ao comparar seu impacto com o marketing digital e as redes sociais, as mensagens mostram um envolvimento muito maior, mais personalizado e rápido e, portanto, propicia um melhor retorno sobre o investimento.

Cisco tem novo diretor da AppDynamics para o Brasil

A Cisco anunciou a chegada de João Fábio de Valentin como novo diretor regional da AppDynamics no Brasil. Ele será responsável por ajudar clientes, parceiros e provedores de serviços a melhorar a visibilidade da arquitetura e o desempenho de suas aplicações, elevando a experiência do usuário e ajudando a transformar seu negócio.

Valentin tem mais de 20 anos de experiência na área de tecnologia, atuando em empresas como Siemens, CA Technologies e IDEMIA nas áreas de professional services, managed services, consultoria, infraestrutura, DevOps, automação, biometria e meios de pagamento.

O executivo é graduado em Engenharia Elétrica pela FAAP, com MBA na Faculdade Getúlio Vargas e Especialização em Inovação pela Universidade de New York.

Empresa de inteligência de aplicativos, adquirida pela Cisco em 2017, a AppDynamics oferece informações em tempo real sobre o desempenho de aplicativos, a experiência do usuário e os resultados dos negócios, para que os clientes possam avançar mais rapidamente em um mundo cada vez mais integrado e orientado por software.

Tags, ,

Edge Computing amplia a performance e escalabilidade do e-commerce para a Black Friday

Uma das datas mais aguardadas pelo consumidor, a Black Friday, que acontece este ano no dia 29 de novembro, já começa a mobilizar o varejo brasileiro. E para que a data seja um sucesso, as empresas possuem o desafio de conciliar boas ofertas com uma tecnologia que garanta alta performance em momentos de pico de acesso. Afinal, o consumidor deseja navegar pelo site e finalizar a compra de forma rápida e segura.

Em 2018, a plataforma de Edge Computing da Azion foi utilizada por quase 50% da receita transacionada pelo varejo nos dias da Black Friday, e em 2019 este número será ainda maior. Para que o usuário tenha uma boa experiência, livre de falhas e com uma excelente performance, a Azion conta com servidores colocados dentro de praticamente todas as grandes e médias operadoras de telecomunicações do País, além de um moderno framework para que desenvolvedores construam e executem aplicações de forma rápida e segura, mais próximas de seus usuários, no edge da rede.

A plataforma de Edge Computing da Azion também permite o acompanhamento e a alteração de aplicações em tempo real, proporcionando uma maior facilidade em promover ajustes e regras de negócio durante o evento para buscar resultados ainda mais expressivos, sem deixar a segurança de lado. “Se o preço ou o estoque de um determinado produto for alterado, ou o cliente deseja executar testes A/B para entender qual oferta vende mais, a Azion garante que estas alterações sejam refletidas para os usuários em tempo real, sem que o cliente tenha que fazer deploy de uma nova aplicação no backend, aumentando a confiabilidade do processo, sem afetar a escalabilidade e performance do serviço”, explica Julio Silvello, Chief Product Officer (CPO) da Azion.

Com o objetivo de entregar uma experiência fluida, independente do dispositivo, a Azion oferece uma série de módulos e bibliotecas de software que podem ser contratadas separadamente, de acordo com a necessidade. Assim, o cliente pode expandir suas aplicações, utilizando o modelo de precificação Smart Pricing da Azion, em que a empresa paga apenas pelo que utiliza.

“Com aplicações distribuídas de maneira inteligente em uma rede composta por centenas de servidores espalhados por pontos de presença no Brasil inteiro, é possível melhorar drasticamente a performance, a segurança e a disponibilidade de aplicações web. Ao mesmo tempo, a gestão do serviço é simplificada pois todo o modelo é baseado no conceito serverless, no qual a própria Azion faz a gestão dos servidores e gerencia dinamicamente a alocação de recursos a eles, de forma totalmente transparente para os clientes.Com a Azion, nossos clientes garantem menor latência – tempo de resposta – e maior performance, especialmente no e-commerce”, destaca Silvello.

Tags, ,

Um novo jeito de pensar a carreira de Pesquisa e Desenvolvimento

Inovação, pesquisa e criatividade sempre foram consideradas qualidades centrais no desenvolvimento de produtos e soluções na Embraco, empresa global que promove qualidade de vida por meio de soluções inovadoras de refrigeração. Nas últimas décadas, temas essenciais como conservação adequada de alimentos e bebidas, armazenamento de vacinas, entre outros, foram beneficiados por projetos de diferentes áreas da indústria que trouxeram ideias disruptivas à linha de produção. À frente disso está um time global de mais de 500 pesquisadores que se dedica em busca de melhorias contínuas com foco em eficiência energética, alto desempenho e qualidade em compressores, unidades condensadoras e outras soluções desenhadas e fabricadas pela empresa.

Foi pensando em tais profissionais que a companhia adotou o esquema de carreira W. O modelo incentiva e beneficia colaboradores que desejam crescer profissionalmente por meio de um plano de metas, o qual é amparado por ações de desenvolvimento como mentoria, feedbacks e competências pré-definidas. Como a grafia da letra “W” sugere, esse modelo prevê três caminhos a serem trilhados: administrativo, técnico ou liderança de projetos. “A Embraco acredita que tão importante quanto saber onde se quer chegar, é possuir as competências, ferramentas e processos certos para usar ao longo do caminho, que integrados suportam o desenvolvimento do profissional”, explica Sabrina Luko, gerente de Talent Management da Embraco.

Alexandre Schroeder, pesquisador 1 do Laboratório de Acústica da Embraco, tem formação técnica em eletrônica. Ele entrou no processo de transição ainda na carreira Y e, após o upgrade, alcançou a posição de analista. Três anos depois, pelo plano de carreira, migrou para a carreira W e conseguiu uma oportunidade de pesquisador. Alexandre já trabalhou em importantes projetos que desenvolveram tecnologias inovadoras e foram implantados em outras plantas da Embraco. “Tinha a meta de me tornar pesquisador. Para isso, estudei e acumulei conhecimentos baseados nas demandas do dia a dia e na experiência de meus gestores. A carreira W permite que você interaja diretamente com o seu líder, trazendo ideias e muita inspiração”, afirma.

Para Laerte Campestrini, especialista de desenvolvimento 3, o programa Carreira W é muito interessante, pois permite migrar de área de acordo com os conhecimentos adquiridos e com foco nas metas estabelecidas. Ele entrou na Embraco como suporte técnico e trilhou este caminho. Hoje já submeteu projetos a serem patenteados. “Mesmo áreas de gestão administrativa podem nos receber, desde que estejamos abertos a nos capacitar para os cargos”, afirma Laerte Campestrini.

Outro reconhecimento promovido recentemente pela área de Pesquisa e Desenvolvimento foi a comemoração do Dia do Inventor. Durante a ação, 111 profissionais que se tornaram referência na companhia foram premiados com um pin que os diferencia em categorias conforme a quantidade de soluções criadas. Profissionais com 1 a 10 soluções desenvolvidas foram reconhecidos como “Rookie” (Novato); de 11 a 20 como “Pro” (Pro); os que apresentaram entre 21 e 30 soluções foram “Extreme” (Extremo); já aqueles que sugeriram mais de 30 soluções foram reconhecidos como “Legend” (Lendário). Atualmente, a Embraco possui dois profissionais nessa última categoria: Dietmar Lilie, com 129 patentes, e Rinaldo Puff, com 33.

Além disso, desde 2016, o time realiza um evento semestral de entrega de troféus para as principais patentes, seguido do ritual em que os inventores colam uma placa com seu nome e o título da solução na Patent Hall, localizada no setor de Pesquisa e Desenvolvimento da companhia.

Especializada em RPA, Techautomation busca parceiros para crescer no Brasil com AutomationEdge

Fernando Baldin, CEO da Techautomation

De acordo com o Gartner, uma das maiores empresas de consultoria em tecnologia do mundo, o RPA – Robotic Process Automation está entre as tendências mais promissoras no mundo corrporativo.

Várias tarefas repetitivas tomam muitas horas de trabalho de pessoal qualificado nas empresas, tempo que pode ser aproveitado em outras tarefas mais produtivas. A automação de processos com robô reduz muito o tempo de execução dessas atividades com maior eficiência e custo menor. 

Um dos entusiastas do RPA no Brasil é Fernando Baldin, que, depois de duas décadas como executivo na área de serviços de TI, deixou a Quality, empresa que adquiriu a paranaense Premier IT, para ser o CEO da Techautomation, representando a empresa internacional AutomationEdge. 

“Usar automação da maneira correta vai gerar um diferencial competitivo muito grande nas corporaçôes”, afirma Fernando. Ele explica que a grande inovação está em conciliar a tecnologia com o perfil de quem faz automação, escala e uma plataforma preparada para governança, mapeando com perfeição regras de negócio e fazendo uma boa gestão de erros.

Outra vantagem do RPA da AutomationEdge, aponta Fernando, é o fato de estar na nuvem. “As empresas não precisam contratar infraestrutura, investir em ativos caros”, explica. 

Fernando Baldin também destaca parcerias técnicas e comerciais importantes já conquistadas no sudeste e no sul do país e aposta na expansão dessa rede para alcançar crescimento exponencial em todo o território nacional. 

  Um dos casos de sucesso no Brasil é da Servopa,  uma das maiores redes de revendedores Volkswagen no país, com mais de 300 mil clientes, que tem uma enorme carga de trabalho em BackOffice, sistemas de TI, transações financeiras de clientes e fornecedores. Saiba mais no depoimento em vídeo de Celina Hara, CIO da Servopa.

Tags, , , ,

5ª edição do maior evento da América Latina sobre Experiência do Cliente acontece este mês

Em novembro acontece a 5ª edição do maior evento sobre a Experiência do Cliente da América Latina. Organizado pela mineira Tracksale, o CX Summit 2019 acontece nos dias 27 e 28 de novembro, das 8h às 19h, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Com o objetivo de gerar networking e divulgar informações sobre a Experiência do Cliente, o evento reúne profissionais para debaterem assuntos acerca do tema. Além disso, serão anunciados cases, novidades, soluções e ferramentas eficientes para o dia a dia das empresas. “Inicialmente pensamos em um evento para cerca de 1.200 pessoas, porém, recentemente abrimos mais espaço na plenária, isso significa uma experiência muito mais intensa, e completa. Nossa expectativa é que essa edição seja histórica”, explica Tomás Duarte, CEO da Tracksale e idealizador do evento.

Para tornar o encontro ainda mais completo, o CX conta como parceiros empresas como Singu, Xeque Mate, FLWOW!, Unidas, entre outros. Já como patrocinadores oficiais estão a Gol, Freshworks, Atento, Plurismidia, Beedoo, Sulamérica e Neoassist.

Já entre os assuntos que serão abordados estão a tendência de gestão, usabilidade e resultados dessas estratégias, ferramentas de CX e Cultura Customer Centric Hero. Como nomes confirmados como palestrantes estão Billy Nascimento (CEO da Forebrain), Thiago Quintino (CX na Fast Shop), Claudia Vale (CEO da Flow!), Manoel Carlos Junior (autor do 1º livro sobre o tema do Brasil), Arnaldo Bertolaccini (Diretor de CX do iFood), Luciana Staciarini Batista (sócia da Bain & Company), Fabiana Dutra (Employee Experience na Fiat Chrysler Latam), Andrea Iorio (CDO da L’Oreal) , Fábio Mariano Borges (diretor da inSearch), Mayla Takahashi( CX Manager na CNH Industrial), Cynthia Kitasato (superintendente de marketing da Alelo), Lucied Manduca Marques (Head de CX na Yara Fertilizantes), Gil Giardelli (professor global MBA), Carolina Trancucci (Head de relacionamento do cliente da Gol), Rodrigo Miranda (CEO Zaitt), Paula Pimenta (Diretora de relacionamento com o cliente), Pipoqueiro Valdir (empreendedor), Guilherme Kolberg (Head de CX na XP Inc.) e Rodrigo Tavares (Diretor de atendimento a clientes na PagSeguro).

Ao final de cada dia de evento, às 19h30, terá um momento de happy hour para networking e comemoração entre os convidados. Já no dia 28, acontece a entrega e divulgação dos contemplados para o Prêmio Experiência do Cliente 2019, que reconhece profissionais e empresas com iniciativas que têm mudado a experiência dos consumidores.

“Queremos levar informações sobre a Experiência do Cliente e dar cada vez mais espaço para a divulgação de informação e cases de sucesso, além de novidades e ferramentas para este mercado. O Brasil está cada vez mais entendendo a importância do Customer Experience para o negócio, mas nossa jornada ainda é grande. Acredito que o evento é uma forma de levar essa cultura e informação para as companhias dispostas a ouvir dicas sobre estratégia para alavancar uma empresa”, finaliza.

CX Summit
Data: 27 e 28 de novembro
Hora: 8h às 19h
Endereço: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 — Barra Funda — Auditório, Foyer e Praça das Sombras
Ingressos: aqui

Oracle abre mais espaço para inovação, cultura e tecnologia em São Paulo

Para promover a transformação digital, inovação, conhecimento e experiências, por meio da tecnologia, acaba de ser inaugurada a Casa Oracle, local para estreitar conexões com clientes, parceiros, estudantes, educadores, startups, desenvolvedores e comunidade. O principal propósito é incentivar a inovação em todos os níveis da sociedade, incluindo a co-criação de soluções baseadas em tecnologias emergentes e nuvem, como Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Blockchain, entre outros.

A empresa quer atrair para a Casa Oracle um público variado, como estudantes e professores do programa Oracle for Knowledge; escolas técnicas e ONGs que participam das atividades de Cidadania Corporativa, como AI for Good; startups do programa Oracle for Startups; clientes e parceiros para encontros e sessões de prototipagem e design thinking, bem como favorecer encontros com desenvolvedores no local.

A Casa conta com vários espaços colaborativos como: laboratório de inovação, espaço para design thinking, espaço de coworking para desenvolvedores, estudantes e influenciadores e estúdio audiovisual. Inclui uma área reservada para prototipagem e demonstrações de realidade virtual, análise comportamental e big data.

O espaço nasceu dos resultados do processo de transformação cultural da Oracle no Brasil, principalmente sob a gestão do presidente Rodrigo Galvão. “Estamos muito felizes e orgulhosos em ter uma casa no Brasil para permitir a consolidação da nossa cultura, como empresa de tecnologia, que habilita a transformação dos nossos clientes. Precisamos estar inseridos neste contexto e propiciar aos nossos clientes esta materialização prática de suas ideias”, diz Galvão.

Idealizada por uma equipe multidisciplinar, a Casa Oracle conta com funcionários de diversas áreas da empresa. “Eles formaram um comitê, organizaram a reforma do espaço, criaram as regras de utilização e governança da casa e até elegeram um ‘síndico’. É uma clara demonstração de como a mudança cultural da empresa vem favorecendo o surgimento de projetos ‘bottom up’, propostos pelos próprios funcionários”, explica o executivo.

A Casa Oracle está situada no Co.W. Coworking Berrini, um galpão industrial totalmente reformulado que transborda inovação e autenticidade. São 6 mil metros quadrados de estrutura completa e capacidade para receber até 760 pessoas, em espaço com localização privilegiada.

As startups também estão contempladas na Casa Oracle. O local será usado para fomentar a atração de startups e sua conexão com clientes e colaboradores Oracle. A empresa vem apoiando uma nova onda de empreendedores por meio do Oracle for Startups, programa exclusivo de aceleração que possibilita parcerias de negócios e cria um ciclo virtuoso de inovação.

Recentemente renovado, o Oracle for Startups passa a contemplar empresas de todos os tamanhos e fases em todo o mundo, oferecendo créditos gratuitos e descontos em soluções Oracle Cloud, além de recursos de mentoria on-line e assistência de migração para a nuvem. Lançado há dois anos, recebeu inscrições de centenas de startups. Nesse período, 12 foram aceleradas no Brasil, com diversos projetos construídos em conjunto, clientes Oracle consumindo as soluções e algumas inclusive se tornando fornecedoras da empresa.

Algumas demos disponíveis no OpenSpace da Casa Oracle:

• CarNext: Experiência imersiva com óculos de realidade virtual em que um CFO pode monitorar como estão as suas fábricas, identificar problemas e tomar ações, analisar diversos tipos de número, etc.

• Techshop: A primeira “meshup aplication” do mundo, proporciona uma experiência fluida e intuitiva para um vendedor que tem em seu device todos as aplicações para realizar suas atividades. C (podemos projetar e várias pessoas podem ver ao mesmo tempo)

• Protótipos: São apresentadas jornadas prototipadas de várias indústrias de forma a oferecer uma experiência fluida e conversacional de hiper conveniência e personalização, como o banco do futuro, o shopping do futuro, a seguradora do futuro, etc.

Tags, ,

Eretz.bio completa dois anos de atuação

Com o objetivo de fomentar o ambiente de empreendedorismo e inovação em saúde no Brasil, a Eretz.bio, primeira incubadora de startups voltadas exclusivamente para o mercado de healthtechs, completa, neste mês, dois anos desde sua criação acumulando diversas marcas importantes para o ecossistema brasileiro e se destacando como um importante hub de inovação no país.
“Passamos por uma revolução na área da saúde liderada pela transformação digital que as novas tecnologias proporcionam ao setor. A Eretz.bio nasceu como evolução desta transformação e é, hoje, uma das responsáveis pela mudança cultural de todo o Einstein. Estamos muito satisfeitos com os resultados das startups incubadas aqui e principalmente com as mais maduras que alçam seus próprios voos”, afirma Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Nos últimos anos, mais de 1.700 startups apresentaram suas soluções para serem avaliadas pela equipe da Eretz.bio. Atualmente, a incubadora conta com 33 startups incubadas, em diferentes áreas de atuação, como Digital Health (gestão e assistência), Inteligência Artificial, Biotecnologia, Medtech e Ensino.

Outro marco em 2019 foi a realização do III Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde, considerado o maior evento de empreendedorismo e inovação em Saúde no Brasil e que, nesta edição, reuniu mais de 700 participantes e 27 startups expositoras e cerca de 200 startups presentes. “É um mercado aquecido e em expansão e continuamos atrás de soluções disruptivas capazes de contribuir positivamente e impactar o sistema de saúde como um todo”, afirma Claudio Terra, Diretor de Inovação e Transformação Digital do Einstein.

Inaugurada em novembro de 2017, a Eretz.bio proporciona aos empreendedores incubados um espaço de coworking, laboratórios e equipamentos do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEP), além de acesso às diversas unidades geridas pelo Einstein como a Unidade Morumbi e os hospitais públicos que faz gestão, o Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch e o Hospital Municipal Vila Santa Catarina – Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho.

Tão importante quanto os espaços, laboratórios e acessos às unidades assistenciais, são também os vários tipos de apoio aos empreendedores das startups. Foi estabelecido, por exemplo, um Programa de Mentoria com dezenas de executivos do Einstein e também profissionais externos com grande experiência em vários aspectos do empreendedorismo, como funding, estratégias de crescimento acelerado, gestão de pessoas, aspectos jurídicos e de propriedade intelectual, entre outros. Ademais, há um esforço da liderança de toda a organização em desenvolver projetos de várias naturezas com as startups. Atualmente já são quase 50 projetos em curso, envolvendo pesquisa clínica, validação científica, pesquisas e desenvolvimentos em conjunto e acordos também. Além disso, o intercâmbio internacional vem se fortalecendo com vários acordos formais e informais com outros centros de apoio à startups de saúde de vários países.

Este ambiente de inovação e empreendedorismo externo é complementado pelo apoio ao intraemprendedorismo. Neste sentido, vale destacar o desenvolvimento de projetos conjuntos nos últimos meses. São eles a Radsquare, especializada em soluções de automação para diagnóstico clínico e radiológico, o VarStation, plataforma completa para processamento e análise de dados genéticos humanos focados em Sequenciamento de Nova Geração ou NGS (do inglês, Next-Generation Sequencing), e o Escala, desenvolvido no Laboratório de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, que planeja e gerencia escalas e jornadas de trabalho para a saúde e outras atividades em regime de plantão.

Para 2020, os planos são receber mais startups e promover ainda mais trocas de conhecimento entre o ambiente de inovação e a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. “Temos outras seis startups que estão em vias de integrar nosso ecossistema já nas próximas semanas e esperamos contribuir e impactar positivamente a saúde no Brasil”, completa Claudio Terra.

Eretz.bio e inovação em números

33 startups incubadas presencialmente e virtualmente
3 spinoffs
+ de 1.700 startups apresentadas à equipe do Einstein nos últimos 4 anos
+ de 200 eventos gratuitos relacionados à inovação e empreendedorismo em saúde

Tags, ,

SulAmérica lança atendimento ao cliente via WhatsApp

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, inaugurou a operação de atendimento ao cliente via WhatsApp, em linha com a estratégia da companhia de oferecer a melhor experiência aos segurados por meio da inovação tecnológica. Com a adoção de inteligência artificial, o atendimento pelo aplicativo de mensagens será realizado por robôs cognitivos que já são empregados pela SulAmérica em canais de chat, aproveitando o conhecimento adquirido a partir de mais de um milhão de chamados no último ano. Disponível 24 horas por dia, incluindo fins de semana e feriados, o serviço pode ser acionado pelo número (11) 3004-9723.

“Nós, da SulAmérica, acreditamos que a experiência do cliente deve estar sempre no foco da estratégia corporativa, por isso seguimos investindo de forma consistente em inovação e excelência da operação de atendimento”, afirma o vice-presidente de Operações, Marco Antunes. “No mundo hiperconectado em que vivemos, o consumidor está cada vez mais exigente e bem informado, valorizando empresas que ofereçam a melhor jornada de compra e pós-venda, com um atendimento ágil, personalizado e nas plataformas mais convenientes ao cliente. Isso inclui o WhatsApp, atualmente utilizado por mais de um bilhão de pessoas em 180 países.”

O serviço já atende mais de 50 tipos de demandas relevantes dos clientes de saúde, automóveis, vida e previdência, como segunda via de boleto, informativo e prévia de reembolso, busca de rede médica referenciada, além de oficinas e centros automotivos, informações sobre serviços como o Médico em Casa e status da entrega domiciliar de medicamentos imunobiológicos e quimioterápicos orais. O canal também fornece orientações sobre guincho e assistência 24 horas, além de aviso e acompanhamento de sinistro de automóveis.

Os robôs inteligentes adotados na operação de atendimento via WhatsApp têm capacidade transacional, ou seja, conseguem não apenas fornecer informações como também realizar serviços de menor complexidade com alto nível de assertividade, além de surpreender o cliente com informações adicionais às solicitadas, a partir de uma análise preditiva com base em dados anteriores de atendimento.

Além disso, os bots cognitivos conseguem processar a linguagem natural humana, compreendendo inúmeras formas textuais, mesmo que incluam jargões, regionalismos ou até erros gramaticais. Por meio de machine learning e com o apoio de uma equipe de curadoria, esses algoritmos e dicionários de significados permanecem em constante evolução. A tendência é que, ao longo do tempo, a tecnologia se torne cada vez mais assertiva. Além disso, um protocolo reforçado de segurança da informação é adotado para garantir a proteção e privacidade de dados.

Como usar o WhatsApp Business durante a Black Friday

Por Alexandra Lima

O WhatsApp Business foi disponibilizado no Brasil oficialmente em março deste ano. A plataforma já está impulsionando o atendimento das empresas justamente pela penetração que o WhatsApp tem no País. Segundo o estudo Panorama de Mensageria de agosto de 2019, 98% dos smartphones brasileiros têm o aplicativo instalado. Ter um canal de atendimento via WhatsApp, portanto, é virtualmente poder alcançar quase todos os brasileiros que possuem um smartphone. Por esse motivo, o WhatsApp deveria ser uma peça-chave no atendimento das empresas durante datas especiais, quando aumenta a demanda no varejo.

É o caso da Black Friday, período em que as empresas têm grande procura de atendimento para compras. Ter um canal oficial para comunicação com o cliente pode fazer grande diferença nesse processo. Por exemplo, o WhatsApp pode ser usado como um canal de contato com um consumidor que não conseguiu finalizar sua compra no e-commerce da marca. Essa agilidade no atendimento pode fazer a diferença: além de fidelizar o cliente, pode evitar que ele desista do processo de compra em seu site e procure a concorrência.

Nesse período, o WhatsApp pode ser utilizado para atendimento a clientes, formalização da compra efetuada ou problemas no cartão de crédito, e avisos de data de entrega com rastreamento de pedido. Lembrando sempre que a empresa precisa, no início do cadastro do cliente, solicitar o opt-in para envio dessas informações via WhatsApp. Com uma conta oficial do Whatsapp, ao enviar informações para o consumidor, mesmo que o telefone da empresa não esteja cadastrado na agenda do celular, o aplicativo informa o nome da empresa, a logomarca, o horário de funcionamento, endereço e serviços oferecidos. Além disso, é possível cadastrar respostas automáticas fora do horário de atendimento e manter todo o histórico das mensagens enviadas e recebidas pelos clientes em uma única plataforma.

Além de coletar o opt-in dos clientes, as marcas também devem se atentar na elaboração das mensagens dentro do aplicativo. A jornada do consumidor deve ser desenhada para que ele navegue e interaja de forma intuitiva a fim de que o atendimento seja eficiente. Outro ponto é seguir as regras de boa conduta do WhatsApp, o que inclui não irritar o cliente com mensagens excessivas, lembrando que campanhas de marketing ainda não são permitidas pelo WhatsApp. Se uma companhia desobedecer às regras estipuladas pelo aplicativo, corre o risco de ter sua conta corporativa bloqueada.

Ainda dá tempo de implantar o Whatsapp e ter uma comunicação estruturada para atender à Black Friday, divulgar o número no site da empresa para dúvidas dos clientes, ou mesmo somente para enviar notificações de entrega.

Alexandra Lima, gerente de Vendas da Infobip

Tags, , ,

Indigo e BeepBeep fecham parceria para expansão de estações de carros elétricos compartilhados

A Indigo, líder mundial em gestão de estacionamentos e mobilidade individual, fechou parceria com a BeepBeep, startup de compartilhamento de carros elétricos, para incentivar a mobilidade urbana mais sustentável e oferecer uma nova experiência a seus usuários. O acordo vai transformar estacionamentos da Indigo em smart stations, ou seja, pontos de retirada e recarga de carros elétricos compartilhados na cidade de São Paulo.

A proposta é fortalecer os estacionamentos como hubs de mobilidade, inicialmente na capital paulista, e, futuramente, em todo o Brasil. “A população está mudando a forma de se locomover, e a Indigo, como uma empresa pioneira em mobilidade urbana, quer consolidar essa ideia sustentável para todo o sistema de transporte. Precisamos incentivar a mobilidade compartilhada, não importa se é por carro compartilhado ou próprio, patinete ou bicicleta; no resto do mundo a integração de diferentes meios de transporte já está consolidada e temos certeza de que há oportunidade para trabalharmos dessa forma aqui no Brasil”, destaca Thiago Piovesan, diretor executivo da Indigo.

Segundo Fábio Fagionato, CEO e cofundador da BeepBeep, a Indigo tem muito a acrescentar na ampliação de pontos de acesso para os carros compartilhados. “A Indigo traz essa experiência de serviços com carros compartilhados nos países onde atua e entendemos que essa expertise global é muito importante para difundirmos a mobilidade inteligente”, explica.

A Indigo já conta com uma estação de recarga para carros elétricos no estacionamento do SP Expo, na zona sul de São Paulo. A apresentação das novas smart stations Indigo-BeepBeep será feita durante o Welcome Tomorrow 2019, evento que vai debater o futuro da América Latina em diversos aspectos, entre eles a mobilidade urbana, de 6 a 10 de novembro, no SP Expo, em São Paulo.