Page

Author admin

Mining Hub adia a data de inscrições para empresas de base tecnológica trazerem suas soluções para o Ciclo 2!

Adiadas as inscrições para empresas de base tecnológica interessadas em fazer parte do 2º Ciclo do Mining Hub, uma iniciativa que busca a geração de inovação para a mineração com foco setorial e apoiado por grandes players da indústria. As empresas terão até 16 de junho, próximo domingo, as 23:59, para fazerem sua inscrição!

Para se inscreverem, startups e empresas de base tecnológica precisam ter soluções para temas como: “Eficiência Operacional”; “Fontes de Energia Alternativa”; “Gestão de Água”; “Gestão de Resíduos” e “Segurança: Operacional e SSO, Desenvolvimento Social”.

Os projetos são acelerados com o apoio da Neo Ventures, empresa consolidada, com larga experiência em apoiar grandes empresas no processo de inovação aberta e interna.

Falar de problemas financeiros no trabalho pega mal?

Parcelas do imóvel em atraso, fatura do cartão de crédito que saiu do controle e orçamento comprometido com despesas supérfluas. Quando a saúde financeira vai mal, o bem-estar físico e emocional também fica comprometido, gerando uma série de problemas que podem afetar a saúde e o desempenho profissional. Segundo Ramires B Paiva, CEO e cofundador da Creditoo, primeira plataforma 100% online de empréstimo consignado para funcionários de empresas privadas, os gestores das empresas precisam estar preparados para ouvir e ajudar em casos de emergência, bem como ficar atentos a qualquer sinal de desequilíbrio que a questão possa causar na atmosfera corporativa.

Afinal, problemas financeiros ainda são considerados um tema delicado, que requer cuidado na abordagem dentro do ambiente profissional. Caso contrário, pode “pegar mal” para o funcionário, soando como um pedido de aumento ou passando uma imagem equivocada aos colegas, associada ao descontrole, incapacidade de planejamento e falta de visão de longo prazo. Por outro lado, fazer de conta que o problema não existe não vai eliminá-lo. Quando o assunto é tratado entre colegas, o mais importante é lembrar que eles estão lidando com pessoas – ou seja, com sentimentos. Uma conversa transparente e verdadeira sempre é a melhor saída.

Estudo da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, com a Unicamp e o instituto de pesquisa Axxus, aponta que 84% dos trabalhadores brasileiros têm algum problema financeiro. Ao todo, apenas 16% conseguem fazer um planejamento de gastos e pagar as próprias contas com o salário.

O papel do RH

De acordo com Ramires, qualquer situação que fuja da normalidade merece uma intervenção pontual e personalizada por parte do RH. Os departamentos precisam estar abertos a dialogar e a prestar ajuda, desenvolvendo programas de benefícios mais completos e adequados às necessidades de cada colaborador.

“Geralmente, o endividamento está relacionado à falta de educação financeira do brasileiro. Aprender a fazer uma boa gestão das despesas, para não comprometer o orçamento de maneira insustentável pode evitar problemas no futuro”, destaca Ramires. Desta forma, estruturar programas de coach financeiro e oferecer fontes de recursos mais acessíveis aos funcionários consistem em medidas que atacam o problema diretamente, além de prevenir reincidências.

Infelizmente, nem todos os funcionários que trabalham com carteira assinada sabem que, assim como os servidores públicos, também têm direito garantido por lei a uma modalidade de crédito que possui as taxas mais baratas do mercado, o crédito consignado, com desconto na folha de pagamentos. Caso a empresa não tenha essa opção em sua política de benefícios, os funcionários podem, inclusive, solicitar ao RH que busquem parcerias com instituições.

“Cobrir o saldo negativo no banco com um consignado privado, por exemplo, sai bem mais em conta para o funcionário. Ele terá melhor prazo e menor juros para quitar a dívida cara, sem se comprometer com parcelas impagáveis”, explica Ramires. Segundo dados do Banco Central, a taxa média desse tipo de empréstimo é de 2,7% ao mês, percentual bem abaixo do cartão de crédito (11,9% a.m.) e do cheque especial (12,5% a.m.). Na Creditoo, por exemplo, a taxa de juro é a partir de 1,75% ao mês.

KingHost é uma das melhores empresas para mulheres trabalharem no Brasil, segundo Great Place To Work

Segundo informações divulgadas pela Softex, o número de mulheres no mercado brasileiro de Tecnologia caiu de 24,5% para 19,83% nos últimos dez anos. Diante deste panorama, a KingHost – empresa gaúcha com foco em hospedagem de sites compartilhada e computação em nuvem caminha na contramão deste movimento ao apresentar uma alta liderança composta em 66% pelo público feminino – o que a fez ser recentemente reconhecida na 3ª edição do Great Place to Work Mulher. A iniciativa premia médias e grandes empresas que estimulam a igualdade de gênero no ambiente corporativo.

Na prática, as mulheres estão presentes na KingHost deste o núcleo de estratégia até a área de atendimento ao cliente. “O respeito às diferenças sempre esteve muito presente na cultura organizacional, pois a diversidade faz parte do DNA da marca. Neste ano, o aumento de ações que promovam a inclusão está na lista de metas da empresa. Inclusive, a proposta extrapola o âmbito do gênero ao relacionar-se com questões de orientação sexual, idade, raça e deficiência”, afirma Fernanda Pauletti, gerente de Recursos Humanos da KingHost.

Quando se trata da inclusão feminina, a companhia que ingressou na campanha “Com Você Eu Jogo Melhor” a fim de apoiar a equidade de gênero no esporte também promove eventos internos desde 2016 com o intuito de trazer à luz reflexões sociais pertinentes. Ao todo, foram nove encontros realizados sendo cinco deles de empoderamento feminino. “Os convites para estes encontros são estendidos aos mais de 200 colaboradores. Ou seja, ninguém fica de fora da iniciativa a fim de que desponte a empatia entre os KingHosters. Como exemplos de conteúdos propostos pelo projeto, é possível citar a mulher no mercado da Tecnologia da Informação, Saúde Integral da Mulher, e, as dores e alegrias de ser uma mulher trans”, explica Fernanda.

Orlando Cintra, ex-SAP, torna-se conselheiro consultivo de startup de tecnologia

Com mais de 20 anos de experiência na área de Tecnologia da Informação (TI), Orlando Cintra assume a posição de conselheiro consultivo na startup Easysapers, que está transformando o modelo atual de consultoria de TI. Cintra ocupou diversos cargos de liderança, como presidente e vice-presidente, em grandes multinacionais de tecnologia como SAP, HP e Informatica Corp.

Cintra chega à Easysapers em um momento de crescimento da startup, que tem como meta atingir um faturamento de R$ 7,2 milhões em dezembro de 2020. “O modelo de negócio da Easysapers é disruptivo. Acredito no potencial da startup que já está revolucionando o mercado de consultoria e de serviços de TI. Por isso, meu desafio é dar suporte à expansão da startup”, afirma o executivo.

Após uma passagem de quatro anos pela SAP – e aproveitando seu conhecimento em gestão e inovação adquiridos ao longo de sua trajetória profissional –, o executivo passou a se dedicar a investir em negócios promissores e ajudar a acelerar o crescimento de startups. Atualmente, além da Easysapers, é membro do conselho da HyperloopTT, Yaman e Vamos Subir.

Para a Easysapers, a chegada do executivo é estratégica. “Temos um plano de crescimento definido e nos próximos anos vamos buscar mercados fora do país. Estruturar essa internacionalização do negócio passa por tomadas de decisões estratégicas para as quais vamos contar com a experiência do Orlando para nos ajudar com as melhores escolhas”, comenta Fabiano Sandaniel, cofundador e COO da Easysapers.

Tecnologia a favor da eficiência

De uma maneira 100% digital, a plataforma e os serviços da Easysapers se propõem a resolver a burocracia na contratação de serviços para tecnologias da empresa de tecnologia SAP e diminuir os altos custos relacionados à contratação de consultores SAP, profissionais que têm alta procura no mercado.

A Easysapers proporciona às empresas uma maior agilidade na contratação e entrega de projetos, com o menor custo do mercado. Segundo a startup, em sua plataforma, uma empresa consegue buscar, selecionar e alocar consultores SAP de uma forma 80% mais rápida e por um valor até 63% menor, em comparação com as demais consultorias.

Radix tem inscrições gratuitas abertas para seu primeiro hackathon

A Radix, multinacional de tecnologia e engenharia, está com inscrições gratuitas abertas para o primeiro Hackathon Radix, até 17 de junho. A maratona de desenvolvimento receberá 36 universitários e profissionais da área de tecnologia desafiados a gerar soluções para problemas reais enfrentados por duas gigantes da área de energia: a CPFL Energia e a Engie Brasil. A competição terá 42 horas seguidas de programação e dará prêmios de até R$ 5 mil aos melhores projetos. O evento acontecerá na sede da empresa no centro do Rio de Janeiro, de 5 a 7 de julho.

Estudantes de qualquer curso poderão se inscrever no Hackathon Radix, desde que tenham 18 anos completos. Profissionais do mercado, além dos próprios funcionários da Radix também poderão participar. No ato da inscrição, o candidato deverá indicar em qual dos perfis melhor se encaixa: desenvolvedor/programador, business ou User Experience (UX). Após preenchimento, o candidato deverá aguardar confirmação de participação e em que grupo ficará.

Cada empresa parceira da Radix vai propor um desafio. Para cada desafio, seis equipes de cinco pessoas trabalharão em soluções. As equipes serão misturadas: estudantes, funcionários da empresa e profissionais do mercado formarão cada time. No decorrer das etapas de coding, todas as equipes receberão acompanhamento de mentores (especialistas de diferentes áreas) a fim de promover evolução contínua e consistente dos projetos.

“Nós sempre mantivemos um laço muito estreito com a comunidade universitária e periodicamente abrimos nossas portas para profissionais do mercado interessados em trocar experiência, em eventos como o Meet Up Radix. Achar novos caminhos e usabilidade para as tecnologias têm sido o mote da nossa empresa”, diz o CEO da Radix, João Chachamovitz.

O Hackathon Radix começará às 17h da sexta-feira (5 de julho). Os desafios serão lançados às 19h do mesmo dia, e a apresentação das soluções será às 13h de domingo (7 de julho). A banca de jurados que vão selecionar os vencedores será composta por especialistas da Radix e das empresas parceiras.

Os vencedores de cada desafio vão ganhar um prêmio de R$ 5 mil reais, a serem divididos igualmente entre os membros da equipe. O segundo lugar ganhará R$ 2 mil reais, seguindo o mesmo critério. Portanto, ao todo, 20 pessoas serão contempladas pela premiação.

Para acomodar melhor as equipes, pede-se que os participantes tragam colchonetes e sacos de dormir. A empresa está montando programação com momentos de relaxamento e descontração, além de fornecimento de pizza.

IBM reconhece executivas pioneiras em Inteligência Artificial

A IBM anunciou em um evento global realizado nesta semana, no IBM Watson Experience Center, na cidade de Nova York, o ranking ‘Women Business Pioneers In Artificial Intelligence’, que reconhece e celebra mulheres em vários setores e localidades no mundo por serem precursoras no uso da Inteligência Artificial para gerar valor e negócios em suas organizações.

Entre as 40 mulheres mais notáveis está uma brasileira: Walkiria Schirrmeister Marchetti, CIO do Banco Bradesco. O banco foi pioneiro no uso de inteligência artificial no Brasil usando a plataforma IBM Watson para a criação da BIA, Bradesco Inteligência Artificial.

Para saber mais sobre essas histórias de sucesso na área de IA, e a respeito das lições que essas mulheres notáveis aprenderam ao longo do caminho, visite ibm.com/watson/women-leaders-in-ai.

As “Mulheres Líderes em IA” que receberam a distinção são:

Christine Gabbard, Gerente de Projetos de Machine Assistance de Autodesk, EUA

Claudia Ignacio, DGA Experiência de Clientes de Banco Mercantil del Norte (Banorte), México

Fernanda González, Gerente de Canais Digitais de Banco Santander Rio, Argentina

Tanuja Singeetham, Vice-presidente de Marketing de BEHR Paint, EUA

Rupinder Dhillon, Diretora de IA e Machine Learning de Bell Canada, Canadá

Harmeen Mehta,Chief Information Officer y Diretora de Cloud and Security Business de Bharti Airtel, Índia

Lorna Russell, Senior Manager, Product Management, BMC Software, EUA

Walkiria Schirrmeister Marchetti, CIO de Bradesco, Brasil

Keiko Konno, Gerente Geral da Divisão de Planificação e Desenvolvimento de Serviços de BRIDGE International Corp., Japão

Sabine Scheunert, Vice-presidente de Vendas e Marketing Digital & TI de Mercedes-Benz Cars, Daimler AG, Alemanha

Ona Juodkiene, Co-Diretora de Operações de TI de Danske Bank, Dinamarca

Maren Reinsch, Diretora de Vendas y Serviços de DB Dialog & DB System, Alemanha

Siewchoo Soh, Diretora Gerente de DBS Bank, Singapura

Claudia Pohlink, Diretora de Inteligência Artificial de Deutsche Telekom/T-Labs, Alemanha

Xiaojun Huang, Assessora Sênior de Transformação Digital de Upstream de ExxonMobil, EE.UU.

Donna Hill, Subdiretora de Serviço, Configuração e Gestão de Continuidade de The George Washington University, EUA

Jaki Lynn Van Valin, Diretora de Gestão de Dados e Análises de Harley-Davidson, EUA

Victoria Stasiewicz, Gerente de Administração de Informação de Sistemas de informação Global de Harley-Davidson, EUA

Kyoka Nakagawa,Chief Engineer do Departamento de Criação de Valor da Divisão de Transformação Digital do Centro de Soluções Digitais de Honda R&D Co., Ltd., Japão

Sara Hines, Diretora de Experiência e Conectividade de Provedores de Humana, EUA

Seema Gaur, VP Executiva e Diretora de TI de IFFCO Tokio General Insurance Company, Índia

Elenita Elinon, Diretora Executiva de Investigação Quantitativa de JP Morgan Chase & Company, EUA

Kelly Combs, Diretora de Risco de Tecnologias Emergentes e Líder de Automatização Inteligente de KPMG, EUA

Hye-young Kim, Diretora de Inteligência Artificial de LOTTE Shopping, Coreia do Sul

Carmen Suarez, Subdiretora de Miami-Dade County, Florida, EUA

Yimei Guo, Diretora Geral e Diretora Global de Tecnologia de Investigação de Morgan Stanley, EUA

Gail Blum, Gerente de Operações de Aquisição de Talento de NBCUniversal, EUA

Sandra Cascadden, Vice-ministra Adjunta / CIO do Governo de Nova Scotia, Canadá

Pat Maqetuka, Diretora de Arquitetura de Dados e Operações de Nedbank, África do Sul

Severine Marquay, Experiência IA, Suporte Digital e Inovação de Orange France, França

Rachel Cordrey, Supervisora de Farmácia de Peninsula Regional Medical Center, EUA

MaryAnn Fleming, Diretora de Serviços de Compra e Propriedade de Habitação de RBS, Reino Unido
Erin Oles, Diretora Sênior de R+F Virtual Live, Rodan + Fields, EUA

Carolyn Staats, Diretora de Inovação do Departamento de Serviços de Informacão de Sonoma County, EUA

Jennifer Edgin, CTO, Subcomandante de Informação de U.S. Marine Corps, EUA
Lee Hatton, CEO de UBank, Austrália

Tanja Richter, Diretora de Produtos e Serviços de Consumo de Vodafone, Reino Unido

Laura Bellamy, Diretora de Experiência de Informação de VMWare, EUA

Yu Ching Lan, Gerente de Departamento de Walsin Lihwa Corp., Taiwan

Shelley Kalms, Chief Digital Officer de Woodside Energy, Austrália

O que a tecnologia tem a ver com o engajamento dos funcionários?

Por Morris Menashe

As tecnologias inovadoras desempenharão um papel cada vez maior na melhoria do engajamento de funcionários. Não precisamos discutir o impacto do engajamento dos funcionários na experiência do cliente, nos resultados financeiros, na produtividade e em outras áreas, pois as pesquisas já provaram sua importância. No entanto, como realmente fazer isso acontecer tem sido um dos problemas mais difíceis de resolver.

As pessoas propuseram gamification, mais colaboração, mais reuniões, treinamentos melhores e até filhotes no escritório. Ok, talvez não o último, mas tenho certeza de que isto foi mencionado durante alguma reunião. Embora muitas ideias tenham sido implementadas com sucesso, um dos aspectos mais difíceis de se avaliar é o impacto da tecnologia no engajamento dos funcionários. Contudo, dada a mudança na dinâmica da força de trabalho dos baby boomers em relação às gerações mais jovens, esse impacto tecnológico no engajamento provavelmente assumirá o centro das atenções. Com a aposentadoria dos boomers e a chegada dos trabalhadores digitalmente nativos, o serviço em campo poderia ser visto como o marco zero para medir e detalhar o impacto da tecnologia no engajamento e, por sua vez, nos resultados.

Turnos Geracionais

Os millennials têm pouca tolerância para processos desatualizados ou ineficientes que se estabelecem entre eles e o trabalho. Isso significa que o tempo desnecessário gasto para fazer a papelada manualmente ou consumido na estrada em função de rotas mal planejadas, não só levará à insatisfação no trabalho como tem o potencial de impeli-los a mudar de empregador. A tecnologia torna-se então fundamental para o engajamento e a satisfação das gerações mais jovens. Considere estas estatísticas sobre a importância da tecnologia para essas novas gerações:

– Uma pesquisa com mil pessoas da geração do milênio conduzida pela Microsoft revelou que 93% dos millienials citaram tecnologias modernas e atualizadas como um dos aspectos mais importantes de um ambiente de trabalho.

– Segundo a Penn Schoen Berland, 42% dos millennials afirmaram que deixariam uma empresa devido a “tecnologia abaixo do padrão”.

– 92% dos funcionários dizem que ter a tecnologia para realizar seu trabalho afeta eficientemente sua satisfação no trabalho

Esses dados só comprovam que o impacto da tecnologia no recrutamento, retenção e engajamento dessa nova geração é de suma importância. Soluções desatualizadas de gerenciamento da força de trabalho móvel, otimização de cronograma deficiente que não inclui atualizações em tempo real, por exemplo, afetam tanto o funcionário quanto o cliente e não serão toleradas por esses novos profissionais. Na verdade, essas novas tecnologias estão dando origem a um novo perfil de trabalhador digital que pode impactar positivamente seus negócios em várias áreas.

Por que é valorizado?

Considerando que 30% dos 13 milhões de novos empregos criados desde 2010 nos EUA, por exemplo, exigiram habilidades digitais, não surpreende que as novas gerações tenham preenchido essas posições. No Brasil, o domínio da tecnologia foi o requisito mais exigido pelo mercado de trabalho em 2018 segundo uma pesquisa de headhunters.

Mas por quê?

A resposta mais óbvia é que essa nova geração cresceu com a tecnologia. Esta é a geração Uber de smartphones, laptops, Facebook, Waze e outros brinquedos digitais que os mantém conectados às informações e recursos que precisam para desempenhar bem o seu trabalho em seu dia a dia. Ter que preencher um formulário em papel, procurar uma rota em um mapa ou ter que ligar para o escritório para esperar que as informações sejam retransmitidas é considerado algo da idade da pedra.

No entanto, existem outras razões também. O estudo “Technology at Work 2018” da PwC descobriu que os funcionários são motivados a usar novas tecnologias por uma das três razões a seguir:

– Isso os ajudará a avançar em suas carreiras ou a obter status (citado por 37% dos entrevistados).

– Eles estão curiosos sobre as promessas tecnológicas de melhor eficiência e trabalho em equipe (34%).

– Isso os ajuda a fazer seu próprio trabalho com mais facilidade e em um ambiente previsível (29%).

Esta geração é muito auto suficiente e um dos motivos é que eles confiam na tecnologia para fornecer-lhes sempre os recursos que necessitam para facilitar suas vidas. Encomendas instantâneas da Amazon, Netflix sob demanda, Uber, comunicação imediata com os amigos por meio de diferentes aplicativos, tornam suas vidas dependentes da tecnologia. Sem isso, eles sentem-se perdidos. Como resultado, a adoção de tecnologia é fundamental para engajar essa geração e é por isso que as equipes em campo precisam investir nas tecnologias corretas para preencher as vagas em aberto.

Como as empresas estão se saindo?

Dada a importância da tecnologia para a próxima geração de trabalhadores, faria sentido que o C-level estivesse implementando as mais recentes ferramentas digitais. No entanto, os resultados são misturados quando os executivos são questionados sobre tecnologia versus seus funcionários: por exemplo, no estudo referenciado da PwC, eles descobriram o seguinte:

– 90% dos executivos de alto escalão acredita que sua empresa presta atenção às necessidades das pessoas quando introduz novas tecnologias, mas apenas metade (53%) da equipe como um todo diz o mesmo.

– 92% destes executivos diz estar satisfeito com a experiência tecnológica que sua empresa oferece para fazer progressos em seu trabalho, porém apenas 68% dos funcionários concorda.

– Apenas metade (50%) do pessoal e 64% dos gerentes estão satisfeitos com os recursos de que dispõem para aprender a usar as novas tecnologias.

– 46% dizem que a empresa não valoriza funcionários tecnologicamente experientes.

Obviamente, há uma disparidade entre os dois grupos. Isso pode sinalizar a necessidade de mais treinamento, uma estratégia de gestão de mudanças mais robusta ou mesmo um método diferente de escolher a tecnologia com mais informações do campo.

Se no passado os funcionários não tinham acesso à tecnologia de ponta, como laptops, dispositivos móveis e outras ferramentas, já que eram muito caras, tudo mudou conforme o avanço tecnológico. Hoje as pessoas têm acesso a uma tecnologia mais rápida, imediata, precisa e possuem interfaces e experiência de usuário significativamente melhores do que as que interagem no local de trabalho. Dada a predominância desta nova geração, as organizações precisam fornecer aos funcionários capacidades e experiências semelhantes no ambiente trabalho às que já possuem em sua vida privada. Como resultado, a tecnologia possibilitará melhores níveis de engajamento, pois os funcionários terão as ferramentas e os recursos de que precisam para realizar seus trabalhos de maneira muito mais produtiva e eficiente.

Morris Menasche é Vice Presidente de Vendas da ClickSoftware para América Latina.

Tags, ,

FranklinCovey Brasil tem novo COO

A FranklinCovey Brasil anuncia Leonardo Chamsin como Chief Operating Officer (COO). O executivo tem a missão de expandir a atuação da marca no mercado brasileiro e terá como foco a ampliação da rede de franqueados e o fortalecimento da empresa como centro educacional de negócios.

Leonardo Chamsin, 37 anos, detém a primeira franquia da marca no país (instalada na região de Campinas) e passa para o time de líderes da empresa, ao lado de Paulo Kretly (CEO), após dois anos de atuação no conselho administrativo da FranklinCovey Brasil. Como conselheiro financeiro, estabeleceu dentro da empresa o processo de governança corporativa.

De acordo com Paulo Kretly, a escolha do executivo é parte do processo de crescimento da empresa no país, “porque acreditamos que todo processo de desenvolvimento gera necessidade de inovação. Queremos ampliar a representatividade da FranklinCovey no país mantendo a excelência na otimização de resultados dos nossos clientes”.

Com 17 anos de experiência em gestão corporativa e serviços compartilhados – e expertise em planejamento contábil e financeiro -, Chamsin tem passagens por grandes empresas como Johnson & Johnson, Alcoa, General Electric, BR Sports e Sforza Holding. É formado em Administração na PUC (MG) e pós-graduado em Controladoria e Gestão Financeira.

88i é a vencedora do CQCS Insurtech Challenge

A 88i, plataforma de serviços digitais para a distribuição de seguros, foi a grande vencedora do CQCS Insurtech Challenge, que aconteceu nos dias 12 e 13 de junho, em São Paulo. Rodrigo Ventura, CEO e fundador do aplicativo, defendeu a startup e saiu como o grande vencedor do desafio.

No CQCS Insurtech Challenge, as Insurtechs mais antenadas do mercado brasileiro tiveram a oportunidade de apresentar seus negócios para investidores, stakeholders e CEOs da indústria do seguro.

“Esta conquista é muito importante para a 88i, pois conseguimos mostrar que a nossa startup está fazendo a diferença no mercado de seguros no Brasil”, destaca Ventura

A 88i foi avaliada por agências reguladoras, seguradoras, Insurtechs, investidores, prestadores de serviços tecnológicos e empreendedores de seguro.

Com a vitória, a 88i garantiu presença na Insurtech Connect, maior evento de seguros e tecnologia do mundo, que acontece em Las Vegas, em setembro. Lá, a startup irá representar todas as insurtechs da América Latina e mostrar porque vem ganhando destaque no meio no mercado de seguro.

“É uma honra e traz muita felicidade para nós irmos a Las Vegas representar todas as startups de seguros da América Latina. Essa conquista se torna ainda mais especial, porque somos uma das poucas startups do ramo que trabalha com a tecnologia de blockchain e vem se esforçando para tornar o mercado de seguros mais simples”, conta o CEO da 88i.

A Insurtech Connect acontece entre os dias 23 e 25 de setembro de 2019, em Las Vegas, onde será discutido o futuro da segurança digital e de como as empresas podem ajudar nesse caminho.

Intellimetri recebe US$ 20 mil de programa de aceleração de startups do Google

A Intellimetri, braço de Inteligência Artificial da Vecto Mobile, acaba de ser aceita pelo Google ao seu programa de aceleração de startups. A empresa recebeu US$ 20 mil (cerca de R$ 83 mi) em créditos para a melhoria de sua infraestrutura tecnológica com os serviços baseados em nuvem oferecidos pela gigante norte-americana.

Fundada em 2018, a Intellimetri desenvolve soluções personalizadas de Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (ML) com agilidade e assertividade. Foi a solução de processamento de linguagem natural (PLN) para call centers que levou a empresa para o programa Google Cloud Platform for Startups Spark Package.

“Somos uma das três empresas do mundo que desenvolvem esse tipo de solução, e o Google reconheceu nossa expertise e nosso potencial de crescimento ao nos escolher para esse programa”, diz Rubens Zimbres, diretor de Inteligência Artificial da Intellimetri.

Com esse aporte, a Intellimetri vai reduzir os custos iniciais de infraestrutura com o Google e com o suporte técnico do Google Cloud, já que ela passa a ter acesso ao suporte individualizado a que têm direito os participantes do programa de aceleração. A empresa pretende utilizar a verba que seria destinada aos serviços em nuvem no desenvolvimento de novos algoritmos e soluções, explorando novas possibilidades em computação com GPUs e TPUs.

A participação no programa do Google acaba funcionando como um selo de qualidade para a Intellimetri, pois ela passa a ser vista no mercado como uma empresa que pode se tornar um expoente no desenvolvimento de soluções baseadas de AI e ML. “Nossos clientes sabem que podem contar com a segurança de estarem executando seus projetos disruptivos com uma empresa chancelada pelo Google e cujos insights estratégicos podem ser usados para alavancar a receita e aumentar seu market share”, finaliza Gerson Rolim, diretor de inovação da Intellimetri.

Fintechs e m-commerce conquistam espaço na tela inicial dos smartphones

Os aplicativos das Fintechs e de comércio móvel (m-commerce), especialmente os market-places de serviços online-to-offline (O2O), tais como os apps de corrida de automóveis e de delivery de comida, ganham mais espaço na tela inicial do smartphone, o que indica o uso cada vez mais recorrente destes serviços móveis pelos usuários brasileiros.

A constatação é da nova edição do Radar de Popularidade de Apps, dentro da mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de apps no Brasil, que entrevistou em abril 1.763 brasileiros que possuem smartphones. Em uma das perguntas, os entrevistados foram convidados a listar até 20 apps que aparecem em sua tela inicial (homescreen).

O app de corrida 99 e o iFood subiram alguns degraus no ranking e agora figuram em 13º e 16º lugares, respectivamente. O Uber passou da quinta para a quarta posição no ranking, superando o Facebook Messenger pela primeira vez.

No segmento de fintechs – que são os apps de serviços bancários e financeiros -, os destaques são Nubank e Inter. O primeiro segue crescendo e o segundo apareceu pela primeira vez no Radar. Entre os bancos tradicionais o único que aumentou sua participação na homescreen foi a Caixa, pela segunda edição consecutiva da pesquisa.

Enquanto isso, WhatsApp, Facebook e Facebook Messenger permanecem entre os cinco aplicativos mais populares na homescreen nacional, mas perdendo participação gradativamente. “Para se ter uma ideia, quatro anos atrás, em novembro de 2015, o WhatsApp estava presente na tela principal de 85% dos smartphones brasileiros. Desde então esse percentual vem caindo e agora está em 59%, o que ainda lhe garante o primeiro lugar com larga vantagem”, comenta Fernando Paiva, editor do Mobile Time e coordenador da pesquisa, que aponta que, no mesmo intervalo de tempo, o Facebook caiu de 69% para 47%. E o Facebook Messenger, de 31% para 15%.

Dentre os apps tradicionais de comunicação e redes sociais, o Instagram é uma exceção. “É verdade que ele perdeu participação entre 2015 e 2017, mas a partir dali vem reconquistando seu espaço a cada edição da pesquisa, estando agora na tela inicial de 37% dos smartphones nacionais”, acrescenta Paiva.

O relatório completo está disponível para download gratuito em panoramamobiletime.com.br/

Braskem Labs anuncia startups selecionadas para programas de aceleração Scale e Ignition

A Braskem selecionou 22 startups para participarem dos seus programas de aceleração, Braskem Labs Scale e Ignition. Os empreendedores selecionados participaram do processo seletivo realizado entre fevereiro a abril deste ano, no qual apresentaram propostas que utilizam a química e/ou o plástico para causar impacto socioambiental positivo em áreas como reciclagem, moradia, saúde, água e saneamento.

O Braskem Labs Scale prioriza soluções já validadas e disponíveis no mercado. Por meio dele, mais de 50 empresas foram aceleradas nos últimos quatro anos e 40% delas receberam investimentos após participação no programa. As 12 startups selecionadas para esta edição vão contar com o acompanhamento de um mentor padrinho da Braskem e participarão de workshops voltados aos desafios de crescimento de um negócio, como vendas, time, liderança, captação de investimento, entre outros temas, além de terem suporte individualizado em seus desafios prioritários identificados no diagnóstico no início do programa.

Já o Braskem Labs Ignition tem o objetivo de acelerar iniciativas em fase de validação. Os empreendedores escolhidos para esta edição vão participar de workshops e mentorias relacionadas à etapa de validação de negócios, desde entendimento do perfil do cliente e testes de mercado à construção do modelo de negócio e pitch de apresentação para investidores, clientes ou parceiros.

“Os programas de aceleração de startups da Braskem são uma grande oportunidade para empreendedores, independentemente de qual etapa da sua jornada eles estejam. O ecossistema de negócios de impacto positivo na sociedade está ganhando cada vez mais força e queremos oferecer nossa expertise para contribuir para a evolução destas empresas”, explica Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

Neste ano, as empresas foram selecionadas com o apoio do Quintessa, aceleradora que há 10 anos estrutura a gestão, impulsiona o crescimento e capta investimento para startups que tenham o objetivo de superar desafios socioambientais. Dentre os critérios de seleção estão o grau de inovação das soluções apresentadas, o potencial de mercado, o perfil do empreendedor e da equipe envolvida e o impacto socioambiental gerado.

“Vejo de uma forma muito positiva o interesse de grandes empresas como a Braskem em se aproximar de startups. Essa é uma tendência de mercado que pode ajudar as grandes marcas a desenvolverem novas soluções e mudarem a forma como se relacionam com clientes, parceiros e fornecedores. O Braskem Labs, em si, tem grande valor por fomentar o desenvolvimento dos empreendedores, aumentando a chance desses negócios darem certo sem exigir contrapartidas financeiras ou um equity para os empreendedores. Além disso, a Braskem genuinamente se envolve em todo o processo, com diversos executivos auxiliando como especialistas na seleção e mentores na aceleração”, finaliza Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa.

Conheça as startups selecionadas nesta edição do Braskem Labs:

Programa Braskem Labs Scale

Água Boa

A Água Boa desenvolveu um equipamento de baixo custo que é capaz de transformar até 5 mil litros de água contaminada em água potável por dia.

Eco Panplas

Realiza a descontaminação e reciclagem de embalagens de óleo lubrificante de forma ecológica: sem utilização de água e sem geração de resíduos.

Fazu

A Fazu compra hortaliças de produtores parceiros e replanta estes vegetais em estruturas hidropônicas, principalmente dentro de ONGs, próximas aos principais polos de consumo espalhados pela cidade. Além da colheita diária para entrega para restaurantes, também instala pequenos totens hidropônicos que servem como vending machine de hortaliças.

Fleximedical

A Fleximedical desenvolve carretas, vans, ônibus e containers que podem ser utilizados como consultórios, salas de exames ou cirurgias, levando acessibilidade e saúde a pacientes que moram em áreas remotas.

Gota Ambiental

A GOTA é uma solução de tratamento de esgoto para áreas rurais e isoladas.

Infra Solar

Oferece pontos de recarga elétrica abastecidos por energia solar em locais estratégicos nas cidades.

Instituto Muda

Solução privada de baixo custo para coleta seletiva em condomínios residenciais.

IQX – Inove Qualyx Tecnologias

Aditivo capaz de viabilizar a economia circular nos fabricantes de embalagens flexíveis e também, para tornar mais rentável a reciclagem.

Litro de Luz

Leva luz até moradores de comunidades locais através de uma tecnologia simples, econômica e ecologicamente sustentável, composta por garrafas plásticas, painéis solares e lâmpadas LED.

Meu Copo Eco

A Meu Copo Eco oferece uma solução de copos reutilizáveis e retornáveis através de um modelo de empréstimo de reutilizáveis com logística reversa e higienização.

Nucleário

O Nucleário é um produto inovador instalado ao redor das mudas nos projetos de restauração florestal que aumenta a eficiência e barateia a manutenção pós-plantio. De maneira autônoma, o Nucleário possibilita o acúmulo de água da chuva, barreira física contra formigas cortadeiras e controle permanente das gramíneas invasoras, além de reduzir o uso de agrotóxicos.

SO+MA

Programa de benefícios que gera “créditos” a partir da entrega de materiais recicláveis nas casas so+ma. As recompensas oferecidas têm como objetivo gerar economia, melhorar capacitação profissional e/ou facilitar acesso a bens e serviços.

Programa Braskem Labs Ignition

Dorothy

A Dorothy fica distribuída pela plantação coletando e identificando em tempo real os esporos do fungo que são disseminados pelo ar antes da contaminação da planta. De forma automática, transmite esta informação para o app do agricultor que recebe recomendações georreferenciadas de onde aplicar o fungicida e qual melhor fungicida para aquele fungo.

Fluxus

Módulos subterrâneos para a drenagem da água de chuva, oferecendo recarga do lençol freático, e possibilitando a retenção de água de chuva para aproveitamento.

Hubittat

Desenvolvimento de módulos fabricados com plástico reciclado para a pavimentação de ciclovias.

Innovak

A Innovak desenvolveu um produto para fabricação de colchões substituindo a resina de poliuretano com a resina de polietileno, trazendo mais sustentabilidade para toda a cadeia (fabricação, montagem e descarte).

Insolar

Oferece energia renovável de forma conveniente e acessível em locais de difícil acesso a tomadas USB, promovendo o encontro e a interação entre pessoas.

Lumintech

Marcadores ópticos a base de nanopartículas em diferentes materiais como plásticos para embalagens, tintas para impressão gráfica, filmes plásticos, tecidos e produtos líquidos.

Safe Drinking Water For All – SDW

Dispositivo de baixo custo que utiliza luz solar para potabilizar água de cisternas por 20 anos, suprindo uma família diariamente com água tratada.

SmartCase

Embalagem biodegradável, ativa e inteligente.

Soloplásticos

Blocos estruturais feitos com os resíduos do plástico, com altíssima resistência e fácil montagem, sem usar cimento ou água nem na fabricação nem no assentamento.

Yoo Inovação

Cadeira de rodas com configuração nova para dar mais autonomia a cadeirantes, além de valorização do seu estilo. Dentre as soluções estão uma esfera frontal capaz de vencer obstáculos do piso e interface com mais segurança e leveza.

Tags, ,

A scale-up brasileira PlataformaVerde vence o Latam Edge Award 2019 em Londres

Foi hoje pela manhã, em um dos mais modernos espaços de eventos de Londres, dentro do Science Museum, que a scale-up brasileira, PlataformaVerde, conquistou o Latam Edge Award 2019 competindo na com mais 4 finalistas, 3 do Brasil e uma chilena.

Depois de passar por duas seleções feitas por bancas formadas por experts em inovação da América Latina e do Reino Unido, a PlataformaVerde conquistou o prêmio que lhe dará direito a um ano de serviços grátis de empresas como a Deloitte, GrupoCASAUK (PR) e Brasil, Eydos Digital ( Marketing Digital, Sapovalova Coaching, Fieldfisher ( advocacia) , abertura de escritório e conta em banco pela SGS Partners e um escritório no Wework Labs com duas posições totalmente sem custo. Se fosse pagar para obter estes serviços, a PlataformaVerde desembolsaria o equivalente a £ 125.000.

“Com este prêmio vamos ousar em ser globais”, comentou Chicko Souza, CEO da PlataformaVerde que já começa a pensar nas várias atividades que terá que desenvolver no Reino Unido para expandir sua empresa. “Competimos com soluções muito bacanas e não achei que fossemos ganhar”, finalizou comentando também que o processo de coaching antes do prêmio permitiu que ele melhorasse sua apresentação que foi de 3 minutos apenas.

PlataformaVerde™ é a primeira rede fechada de network e gestão ambiental do mundo. Por ela a empresa consegue gerir seu CRM ambiental de forma consolidada, on time e online com toda a sua rede de relacionamentos que atua na gestão, controle, transporte e destinação dos seus resíduos sólidos. Apenas as empresas convidadas têm acesso às informações que são compartilhadas com o intuito de rastrear e inibir: aterros irregulares, pontos de descartes viciados, transportadoras, veículos, destinos não licenciados, entre outros. A PlataformaVerde tem 1200 clientes ativos , 60 funcionários e atua no Brasil.

58 % dos profissionais com deficiência se sentem desmotivados por falta de perspectiva na carreira

Inseridos no mercado de trabalho, muitas das vezes, para cumprir o preenchimento exigido pela Lei de Cotas por parte das empresas, 58% dos profissionais com deficiência desistem do trabalho por falta de perspectiva na carreira, é o que aponta uma pesquisa realizada pela Catho em parceria com a I.Social, ABRH Brasil e ABRH SP. Dentre os outros fatores que o levam a desistir ou mudar de emprego, está também o fato de se sentirem apenas parte da cota (52%).

Com o objetivo de potencializar a inclusão de profissionais com deficiência no mercado de trabalho, a Catho se une pela primeira vez ao Reatech, maior evento de tecnologia em reabilitação, inclusão e acessibilidade da América Latina, para reforçar a importância do ambiente online na promoção oportunidades de emprego.

Ao longo de programação a empresa prestará serviços de orientação, bem como cadastramento de currículos de profissionais com deficiência ou reabilitados pelos INSS. Os interessados devem comparecer com o currículo e uma cópia do laudo ou certificado de reabilitação profissional.

O Reatech será realizado entre os dias 13 e 16 de junho, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, na capital paulista. Em sua 16º edição, o evento irá apresentar novos produtos e sua evolução por meio da tecnologia e da preocupação com a responsabilidade social, bem como irá discutir avanços e desafios do segmento.

Atividades previstas no Reatech

Atualização profissional

Paralelamente à área de exposição da feira, as palestras, cursos e workshops consolidam o caráter especializado e de desenvolvimento do setor.

Reackathon

Grande novidade da edição, o Reackathon será uma maratona de inovação e aprendizado voltada a soluções de acessibilidade. A intenção é buscar propostas que poderão fazer a diferença na qualidade de vida de milhares de pessoas em todo o mundo.

Casa Conceito

Durante os quatro dias de evento, os visitantes poderão conhecer em detalhes uma casa adaptada para pessoas com mobilidade reduzida. A ideia é “provocar” os participantes, instigar a importância da acessibilidade nos espaços e mostrar o quanto são indispensáveis alguns equipamentos que podem mudar a vida das pessoas.

Atividades esportivas

Uma quadra poliesportiva será instalada no pavilhão da Reatech e visitantes poderão participar das atividades. Serão campeonatos amadores para estimular um contato mais humano com a realidade do esporte para pessoas com deficiência. Sem intervalos, serão 32 horas de atividades durante todos os dias da feira, com uma programação variada. Além da participação do público, acontecerão torneios profissionais de Basquete em Cadeira de Rodas e Vôlei Sentado. Os torneios terão a presença de atletas da Seleção Brasileira.

Test-drive

As montadoras de automóveis apresentarão seus veículos com transmissão automática e adaptações como acelerador e freios manuais. As pessoas também poderão participar dos test-drives que serão realizados durante os quatro dias de evento.

Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade

Data: de 13 a 16 de junho de 2019

Horário: 13 e 14, das 13h às 20h | 15 e 16, das 10h às 19h00

Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 – Água Funda, São Paulo – SP, 04329-100

SONDA expande atuação no setor financeiro, com soluções de analytics

A SONDA, maior empresa latino-americana de serviços de TI, tem expandido e intensificado sua atuação no setor financeiro por meio de duas soluções analíticas: uma para gestão de risco para bancos e uma para identificar e prevenir eventuais fraudes.

As soluções foram desenvolvidas em parceria com o SAS, que utiliza inteligência artificial na geração de resultados. O analytics de gestão de riscos para bancos auxilia no processo de controle de ativos e passivos, riscos operacionais, precificação e na simulação de balanço. Já o analytics para identificação de fraude contribui para evitar e prevenir falhas sistêmicas, perdas e desvios de condutas, além de diminuir erros humanos.

“Nos últimos anos, a SONDA expandiu sua atuação no mercado financeiro por meio de soluções tecnológicas que entregam resultados mais assertivos e robustos. Em um cenário em que a transformação digital avança de forma exponencial, as soluções de analytics representam um passo importante para tornar as instituições financeiras mais competitivas”, explica Adriano Espósito, Diretor de Transformação Digital da SONDA.

A SONDA é um dos maiores provedores de tecnologia para bancos do Brasil. A empresa mantém contratos com os dois maiores bancos públicos do país. O portfólio varia desde soluções de outsourcing de TI, sistemas de impressão à soluções de inteligência analítica.

Tags, , ,

Microsoft traz tecnologias para o banco digital do futuro no CIAB Febraban 2019

Nesta semana, a Microsoft leva ao CIAB Febraban soluções que aceleram a transformação digital dos negócios financeiros, com a apresentação do conceito de banco digital do futuro. O combate a fraudes financeiras é uma preocupação antiga para os bancos, mas ainda existem fragilidades de difícil solução. A IA é uma aliada importante das instituições financeiras para solucionar este problema. Algoritmos de aprendizado de máquina, por exemplo, auxiliam na análise do histórico de pagamentos e transações, localizando com maior precisão tentativas de fraude.

No Brasil e com participação na CIAB Febraban 2019, a fintech Simply, aplica tecnologia Microsoft em seu novo serviço de análise de documentação para combate a fraudes. Sem a necessidade de instalação de um app, utilizando a tecnologia PWA, os bancos podem capturar dados, documentos, selfie e geolocalização de futuros clientes e enviar as informações diretamente para o fluxo operacional dos bancos de forma segura e com baixo custo. Por meio do aprendizado de máquina e redes neurais, o serviço analisa as informações para simplificar o processo de onboarding, eliminando a necessidade de uso de aplicações de terceiros para a validação de dados. Com o uso da Microsoft e os recursos de Inteligência Artificial, a Simply reduziu para questão de segundos uma atividade que antes levava minutos, agregando mais qualidade de serviço, baixo custo e menor risco.

Na África do Sul, a Microsoft e o Standard Bank Group anunciaram recentemente uma parceria estratégica para acelerar a transformação do maior grupo bancário africano. Com o uso de ferramentas como Azure, Dynamics e Office 365, a instituição melhorou a sua interação com os clientes, enquanto aumentou os requisitos de segurança e compliance.

Durante painel sobre a evolução da I.A. e o futuro da indústria financeira, Guillermo Kopp, Diretor de serviços financeiros da Microsoft apresentará as tendências aplicadas ao setor bancário e como os serviços cognitivos estão sendo utilizados para avaliações de crédito, combate à fraude e para aprimorar os atendimentos via chatbot com interações mais precisas, de linguagem natural e traduções de idiomas.

Com investimentos do Fundo BR Startup, a fintech Olivia chega ao Brasil para ajudar no gerenciamento de finanças pessoais utilizando IA na nuvem Microsoft. Integrada ao aplicativo bancário do usuário, a tecnologia oferece leitura precisa sobre o status financeiro, considerando a possibilidade de gasto diário e formas de investir o dinheiro ocioso. As interações são realizadas por meio da API de linguagem natural do Microsoft Azure, e rodam diretamente no aplicativo bancário, ou seja, o usuário não precisa baixar outro aplicativo, as funcionalidades do Olívia rodam diretamente na instituição financeira parceira. Futuramente, dentro do conceito de open banking em que os dados bancários pertencem aos usuários e não às instituições, será possível analisar diversas contas ao mesmo tempo, oferecendo, desta forma dicas e insights sobre como utilizar melhor o dinheiro independentemente de onde ele esteja. Nos Estados Unidos, o aplicativo já ajudou muitos americanos a sair do vermelho. O usuário médio começa economizando apenas 0,8% da sua renda por mês. Em apenas 60 dias, esse valor salta para 5,7%, mudando a saúde e a vida financeira das pessoas.

“Enxergamos no sistema financeiro um grande potencial com a transformação digital e a adoção da IA e dos serviços de nuvem para aumentar a segurança e a eficiência dos serviços,” conta João Nunes, diretor de nuvem na Microsoft Brasil. “A adoção de tecnologias de linguagem natural aproxima empresas e pessoas com maior fluidez, facilitando a interação sem fronteiras. Em paralelo, o uso de blockchain como serviço facilita a implementação de serviços de segurança e torna cada transação mais segura e rastreável”, continua.

Para desenvolver soluções de tecnologia, a Microsoft é parceira do 3º hackaton do CIAB Febraban, realizado entre os dias 8 e 9 de junho com o tema “Entender para Atender Melhor os Clientes na Era da Economia Analítica”. Além da mentoria de profissionais da Microsoft, desenvolvedores utilizaram a plataforma de nuvem Azure para o desenvolvimento das soluções criadas no hackathon. Os vencedores serão anunciados no dia 11 de junho durante o evento.

Blockchain

A Microsoft também levará ao Ciab suas soluções em nuvem para blockchain, com a apresentação do serviço Azure Blockchain, uma forma de configurar redes seguras em poucos cliques com tarefas pré-definidas para melhorar a governança corporativa, como a adição de membros, nós e o processo de autenticação. Em parceria com a JP Morgan, a plataforma Quorum, construída sobre o Ethereum, será a primeira a integrar o novo serviço da Microsoft.

Para dar maior flexibilidade ao desenvolvedor de blockchain, a Microsoft e a Ethereum Foundation lançaram uma nova extensão para o Visual Studio Code. Como resultado, o editor simplifica o uso de contratos inteligentes baseados em blockchain, facilitando o processo como um todo, desde a sua criação, edição e implementação na rede Microsoft Azure.

“O uso de blockchain é um passo importante quando pensamos em sistemas financeiros,” explica Marcelo Eisele, executivo de contas do setor financeiro e especialista em blockchain da Microsoft Brasil. “A implementação permite maior segurança nas transações e um exemplo disso é a execução de contratos inteligentes dentro da plataforma Azure Blockchain, que permite isenção nas transações e a rastreabilidade das informações,” conclui.

Diebold Nixdorf mostra integração do mundo físico ao digital no CIAB 2019

A Diebold Nixdorf, empresa líder mundial na condução da jornada conectada e no mercado brasileiro de prevenção a fraudes, está presente 29ª edição do Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras (CIAB FEBRABAN) com suas soluções em software e hardware para mostrar a experiência da jornada completa do usuário. O evento acontece até quinta, 13 de junho, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Entre as novidades relacionadas à transformação digital dos bancos, os visitantes poderão conhecer a plataforma SERVCore Onboarding, utilizada em aplicativos mobile para a abertura de contas digitais, e também o software de automação de canais SERVcore Multichannel, capaz de criar um verdadeiro ecossistema ominichannel.

Outra tecnologia em destaque é a linha Vynamic™, que permite que os bancos criem e personalizem a experiência dos clientes em suas conexões tanto nos canais digitais, como nos físicos. Dentro da suíte Vynamic™, outras ferramentas são responsáveis por manter a gestão de terminais de autoatendimento e agências, como a Vynamic Connection Points, e também por transformar o modelo de relacionamento entre cliente e gerentes de agencias – Vynamic Digital, além de Vynamic View e CCO, soluções voltadas para operação e redução de custos tanto com monitoração como com gestão de numerários de ATMs.

Completando as três linhas de produtos de software que estão no CIAB, a Diebold Nixdorf mostra a Solução OFD – Online Fraud Detection, voltada para a prevenção a fraudes em canais digitais, fundamental para que clientes e bancos operem suas transações eletrônicas de forma conveniente e segura. O visitante tem a oportunidade de entender também como funciona o centro de inteligência OFD, que detecta e monitora ocorrências suspeitas em tempo real, acelerando a resposta a incidentes e a prevenção a novas fraudes.

Tecnologia de reciclagem é o futuro da automação bancária no Brasil

O custo envolvendo o gerenciamento de numerários é um dos maiores investimentos feitos pelos bancos e, para garantir mais segurança e diminuir estes valores, a ATM com função de reciclagem torna-se uma solução viável para as instituições financeiras.

O equipamento ATMR 4500 possui diversas funcionalidades, como a reciclagem de cédulas e o depósito inteligente de cheques sem o uso de envelopes. A ATM também permite a reciclagem das cédulas depositadas para saques, de forma segura e simples. O produto conta com a tecnologia premium RM4, quarta geração de módulos recicladores, desenvolvidos pela própria Diebold Nixdorf.

A introdução de máquinas recicladoras nas instituições bancárias permite aos clientes a utilização de novos serviços, como depósito online de dinheiro e cheques com crédito imediato na conta do favorecido. Antes, esta ação só era possível se realizada nos caixas dos bancos.

Essa movimentação dos clientes para os terminais de autoatendimento também permite que os bancos foquem seus recursos para a venda de novos serviços, além de garantir um atendimento mais personalizado para seus clientes.

Uma das características fortes dos produtos desenvolvidos pela Diebold Nixdorf é a possibilidade de personalização do equipamento de acordo com o perfil de cada instituição, o que traz ainda mais inovação em conceitos digitais de autoatendimento. O stand da Diebold Nixdorf fica na entrada do pavilhão – hall C37.

Tags, ,

Hackathon da Fiesp cria soluções para as áreas de desburocratização e governo digital

A Fiesp e o Governo Federal promovem a 9ª edição do Hackathon, nos dias 15 e 16 de junho, na sede da Federação, na Avenida Paulista. O evento é uma maratona na qual os participantes passam dois dias desenvolvendo soluções tecnológicas para promover a inovação. Neste ano, os desafios são nas áreas de Desburocratização e Governo Digital. O objetivo do Hackathon é selecionar projetos capazes de colaborar na transformação e inclusão dos serviços públicos federais na era digital, ajudando a solucionar problemas de toda a sociedade. A abertura do evento será às 9h30 da manhã do sábado, 15, e a maratona vai até domingo, 16, às 13h30, com apresentação dos vencedores e a cerimônia de encerramento.

As 25 equipes selecionadas terão acesso a tecnologias de última geração e serão orientadas por grandes especialistas da área. Os critérios para avaliação das melhores soluções tecnológicas são: protótipo, código fonte e apresentação. A programação inclui palestras, brainstorming e mentorias gratuitas para todos os participantes. Como prêmio, um representante de cada equipe vencedora nas duas categorias ganha uma semana em Copenhagen, país número um no mundo em governo digital, com direito a um curso de metodologias e ferramentas para transformação digital.

Desde a 1ª edição, mais de 800 pessoas já participaram do Hackathon da Fiesp, para desenvolver soluções tecnológicas nas áreas de: educação, saúde, segurança, indústria automobilística, indústria eletroeletrônica, pedofilia e corrupção.

9º EDIÇÃO DO HACKATHON

Dias: 15 e 16 de junho

Local: Prédio da Fiesp (Avenida Paulista, 1313)

Mais informações: www.fiesp.com.br/hackathon

Tags, ,