Page

Author admin

Startups voltadas para o setor de energia já receberam US$ 66,4 milhões em 2021

O Brasil possui hoje 157 startups com soluções voltadas para o setor de energia e, juntas, estas empresas receberam mais de US$ 85 milhões desde 2015, quando teve início o levantamento Distrito Mining Report EnergyTech 2021, realizado pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da plataforma de inovação aberta Distrito, com apoio da KPMG. O volume divide-se num total de 52 rodadas de investimentos. Chama atenção, no entanto, o aquecimento deste mercado: somente em 2021, 11 transações concentraram US$ 66,4 milhões, mais de 78% do acumulado histórico.


Segundo o estudo, as energytechs, como são chamadas as startups que se voltam para o mercado de energia, dividem-se em seis grupos. A categoria com maior representatividade é a de Energia Renovável (36,3%), formada por startups que investem, produzem ou distribuem energia limpa a partir de fontes alternativas. Em seguida, temos Gestão Energética (19,7%), cujas empresas são focadas em soluções de gestão inteligente do consumo. Com 23 startups cada, temos Eficiência Energética (14,6%), direcionada àquelas que possuem ferramentas de otimização do aproveitamento de energia e diminuição de custos em processos; e Internet da Energia (14,6%), da qual participam startups com soluções em IoT (internet das coisas) e análise de dados da cadeia produtiva.


Por fim, completando a série, temos as categorias Mercado de Energia (8,9%), direcionada às startups que operam na comercialização livre de energia; e Baterias (5,7%), composta por jovens empresas com tecnologias inovadoras nesse sentido.
No que diz respeito a investimentos, a categoria com maior número de energytechs é também aquela que tem recebido maior atenção dos fundos de venture capital. Desde 2015, foram mais de US$ 62 milhões captados pelas startups que estão empenhadas em gerar energias renováveis. Não à toa, o grupo reúne duas das startups mais investidas do setor: a Solfácil, que acumula mais de US$ 36,6 milhões captados e a Órigo Energia, que em abril deste ano recebeu um aporte de US$ 19,3 milhões. Enquanto a última oferece soluções de energia solar, a primeira define-se como uma fintech que financia projetos de energia solar.


“O número crescente de startups e investimentos no setor muito provavelmente se deve à crescente gama de problemas encontrados para a instauração de uma nova matriz energética”, afirma Gustavo Araujo, CEO e cofundador do Distrito. “O Brasil é referência na produção de energia renovável, mas há ainda um gigantesco potencial ainda não explorado. Falamos aqui de um mercado com pouca competição, o que pode alavancar muitas dessas startups a protagonistas de uma transição energética efetiva”, completa.


“A demanda mundial de energia elétrica deve continuar crescendo em ritmo acelerado, tendo como fator relevante o crescimento populacional dos países asiáticos e africanos. Consumidores mais conscientes exigem acesso à energia de qualidade a partir de uma matriz energética limpa, confiável (não intermitente) e sustentável. A falta de eficiência
energética na transmissão e na produção de energia também é um grande desafio. O gás chega como um potencial protagonista da transição, com uma grande expectativa de garantir a base da matriz energética, porém ainda sofre com entraves regulatórios ligados à criação de um código de redes eficiente e, potencialmente, um hub virtual para facilitar a ampla comercialização, além de uma equalização entre das medidas que estão sendo tomadas pelos estados e União.

Já para a geração de energia a partir de fontes renováveis, o desafio é econômico. Investir em matrizes energéticas a partir de fontes renováveis ainda tem um custo elevado. E em paralelo, principalmente no Brasil, seguimos no desafio de acelerar a produção no pré-sal para monetizarmos um recurso natural tão valioso, que garante a financiabilidade de uma série de projetos além da garantia de manutenção de retorno aos acionistas e investidores”, afirma o sócio-líder do setor de energia e recursos naturais da KPMG, Anderson Dutra.


Estatísticas gerais De acordo com o levantamento, quase metade das energytechs mapeadas possuem um modelo de negócio B2B, isto é, tomam como cliente outras companhias. São 71 (46,4%) startups atuando sob esse modelo. Se considerarmos aquelas que atendem tanto outras empresas quanto consumidores finais, temos outras 60 (39,2%) startups.


Como grande parte do ecossistema brasileiro de inovação, as startups voltadas para o mercado de energia estão concentradas nas regiões Sul e Sudeste, com 43 e 90 startups, respectivamente. Em seguida, temos o Nordeste, com 10 energytechs; o Centro-Oeste, com 4 e, por fim, o Norte do país, com apenas 2 startups.

Outro dado apresentado pelo estudo diz respeito à idade dessas startups. Mais de 59% delas foram criadas nos últimos 5 anos, muito provavelmente pela relevância que o tema tem ganhado na atualidade, seja pelo abastecimento de energia, seja pela utilização de fontes renováveis e limpas.


Startups do topo

O EnergyTech 2021 apontou,  ainda,  quais são  as cinco maiores startups do setor, considerando elementos como número de funcionários, visibilidade nas redes sociais, investimento captado e faturamento presumido. São elas Way2 Technology, Órigo Energia, Insole, Blue Sol e Solfácil.


O estudo destaca ainda uma relação de startups que têm chamado atenção do mercado por apresentarem um ritmo de crescimento acelerado, a partir da combinação dos aportes recebidos e da visibilidade que têm nas redes sociais. Nesta seleção, só são consideradas empresas fundadas a partir de 2012 e com menos de 200 funcionários. São elas Solar View, Lemon, Fohat, Tractian, Delfos, Clarke Energia, Edmond, Helius, Sunew e Solstar.

Panorama internacional


Por fim, o estudo traz ainda um panorama das energytechs no mundo. De acordo com a Tracxn, plataforma global que mapeia dados sobre o universo de inovação, em 2020, o setor recebeu mais de US$ 34 bilhões, montante distribuído em um total de 848 aportes de investimento.

Somente em 2021, no entanto, já foram US$ 21,4 bilhões, em um total de 468 rodadas, o que aponta para o alcance de novos recordes até o fim do ano.

Tags

Amcham e executivos de mais de 100 empresas assinam compromisso com o combate às mudanças climáticas

A Amcham Brasil, em conjunto com executivos de mais de 100 empresas e entidades, lançaram hoje (27/setembro), o posicionamento “Empresários pelo Clima”, que recomenda medidas para a promoção de uma economia de baixo carbono e para a retomada verde da economia.

O documento, coordenado em parceria com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) , destaca a importância de ações eficazes para a preservação do meio ambiente e combate ao desmatamento ilegal, medidas empresariais para reduzir e compensar emissões de gases do efeito de estufa, investimentos em tecnologias verdes e o desenvolvimento de mercados de carbono voluntário e regulado no Brasil.

“O setor empresarial no Brasil está cada vez mais engajado na agenda climática e consciente das oportunidades oferecidas pela transição para uma economia verde. O amplo apoio da liderança empresarial de diversos setores reunido neste posicionamento demonstra o seu compromisso e desejo por ações efetivas e ambiciosas”, afirma a CEO da Amcham Brasil, Deborah Vieitas.

A iniciativa publicada hoje também será levada para a Conferência sobre o Clima, a COP 26, que acontece em novembro, em Glasgow (Escócia), atendendo ao chamado do Acordo de Paris, que confere ao setor produtivo participação relevante no combate às mudanças climáticas, em parceria com governos e sociedade civil.

“O Brasil pode sofrer uma queda de 17% no PIB até 2048 se não adotar medidas para mitigar o aquecimento global, o que se traduz em conter o desmatamento ilegal de florestas e contribuir com a evolução para uma economia mais sustentável”, contextualiza Deborah Vieitas, citando dados do relatório global da seguradora Swiss Re.

O posicionamento completo pode ser lido neste link <https://cebds.org/publicacoes/posicionamento-empresarios-pelo-clima/#.YUtB4rhKjIU>. A Amcham Brasil assina o documento, juntamente com diversas de suas empresas associadas, incluindo: Accenture, AES Brasil, Banco BV, Cargill Agrícola S.A, Cosan, Chubb Brasil, Embraer S.A., EY, Grupo Bayer Brasil, HP Brasil, IBM, Mastercard, P&G, PwC Brasil, SKY Brasil, Schneider Electric Brasil, Votorantim Cimentos e Votorantim S.A.

Encontro da Amcham sobre a COP 26

Nesta reta final para a COP 26, a Amcham Brasil realizará, nos próximos dias 6 e 13 de outubro, encontro com as principais autoridades públicas e lideranças empresariais para discutir os resultados esperados da reunião e possíveis impactos para o futuro do meio ambiente e dos negócios.

Confirme aqui a sua presença no encontro, que contará com a participação de Jonathan Pershing (Enviado Presidencial Adjunto para o Clima Adjunto dos EUA), Emb. Paulino Neto (Secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania do Itamaraty), Marcus Paranaguá (Secretário de Clima e Relações Internacionais do Ministério do Meio Ambiente) e Guilherme Leal (Copresidente do Conselho de Administração da Natura), entre vários outros representantes.

Brasil Pelo Meio Ambiente

Você conhece o Brasil Pelo Meio Ambiente? Clique aqui e engaje sua empresa no Movimento da Amcham Brasil que reúne mais de 120 ações corporativas de preservação ambiental, representativas de mais de R﹩ 12,7 bilhões em investimentos.

GreenV, startup de mobilidade elétrica, recebe aporte de R$22 milhões de fundo americano

A GreenV, mobilitytech que desenvolve tecnologias inteligentes em mobilidade elétrica, recebeu um aporte de R$22 milhões de um fundo americano. A empresa é liderada pelos fundadores Junior Miranda e Marcos Nogueira, além do sócio Mauro Amaral, CEO da Aceleradora 10X Digital, um dos principais especialistas em construir e escalar startups de tecnologia e negócios digitais no país. 

A startup nasceu dentro da AZ Energy, empresa referência em eletromobilidade no Brasil e líder em instalação de pontos de recarga no país. A empresa, que já conta com 1.500 pontos e está presente em 23 Estados, quer ampliar sua presença significativamente até 2025. Com o investimento, a GreenV, que passa a ter um valuation (valor de mercado) de R$88 milhões, tem como principal objetivo escalar o mercado brasileiro e ampliar sua oferta de serviços e soluções em tecnologia para mobilidade em todo o país. 

“Após focar e nos especializarmos em eletromobilidade, o nosso faturamento cresceu mais de 40 vezes em apenas três anos. Assim, este ano, nasceu a GreenV, uma startup focada exclusivamente em soluções de mobilidade elétrica. Existe uma demanda exponencial e muitas oportunidades neste segmento. ”, afirma Junior Miranda, CEO da GreenV.  

No portfólio de clientes da mobilitytech está, por exemplo, a Porsche. A startup é a responsável pela instalação de infraestrutura de recarga para veículos elétricos da marca alemã em todo o território nacional. Vale lembrar, que a montadora de alguns dos esportivos mais desejados do mundo, lançou esse ano seu primeiro modelo 100% elétrico, que já é o mais vendido do Brasil. De acordo com dados da Mobiauto, o Porsche Taycan vendeu 170 unidades nos primeiros quatro meses de 2021.    

Além disso, a startup é value provider da ABB, empresa líder mundial na fabricação de carregadores de carga rápida e fornecedora da Enel X, braço de mobilidade elétrica da multinacional italiana Enel, que desenvolve projetos de eletromobilidade para a Nissan, Mercedes e VEC Itaú.

O aporte acontece num momento favorável para o mercado de elétricos no país. Segundo a ABVE – Associação Brasileira de Veículos Elétricos, as vendas de carros elétricos e híbridos no Brasil tiveram o melhor quadrimestre da história. No período de janeiro a abril de 2021, foram emplacados 7.290 veículos eletrificados, um aumento de 29,4% sobre o mesmo período do ano passado.

Com o investimento, a empresa tem planos de consolidar o protagonismo no mercado brasileiro e sanar uma dor frequente dos donos de carros elétricos: a preocupação com a falta de pontos de recarga. “Os consumidores estão cada vez mais preocupados com as questões ambientais. Porém, se de um lado as empresas com potencial para eletrificar suas frotas querem eficiência, por outro, os donos buscam alta performance”, destaca Junior Miranda, CEO da GreenV. 

O projeto da GreenV vai de encontro ao relatório “O caminho da descarbonização do setor automotivo no Brasil”, produzido pela Anfavea e BCG e divulgado em agosto. O documento aponta que a expansão da frota de carros elétricos no país está intrinsecamente ligada à expansão dos pontos de recarga. O estudo afirma que é necessária a instalação de 150 mil carregadores, o que demandaria um investimento na ordem de R$14 bilhões até 2035. 

Além do aumento de pontos de recarga, a startup já tem em seu planejamento estratégico de desenvolvimento mais de 70 inovações que serão lançadas no mercado brasileiro até 2025, com base na Metodologia da Aceleradora de startups 10X Digital. “Após mais de um ano de planejamento, estudo do mercado global e entendimento das principais necessidades do mercado nacional suportado pela nossa experiência em automação, IOT e mobilidade, estamos seguros que traremos o que há de melhor em soluções de eletromobilidade no mundo para o Brasil”, finaliza Miranda. 

Iteris abre mais de 100 vagas para o setor de tecnologia

Após a Iteris, consultoria brasileira de serviços de TI, anunciar a abertura de sua subsidiária, a Briteris , em Delaware (EUA), a empresa, que cresceu 57% nos primeiros seis meses do ano, se mantém em constante ascensão, conquistando os primeiros clientes e iniciando novas contratações. Ao todo, são mais de 120 vagas, tanto para atuar a nível nacional quanto internacionalmente, na Briteris.

As posições abertas para fazer parte dos projetos internacionais são de Software Engineers Ruby on Rails, Python, Angular, Kotlin, Java, Fullstack, além de Tech Leads Ruby on Rails, Python e Fullstack. Lembrando que para essas funções, é necessário ter inglês fluente. Todas as vagas contam com assistência médica premium e odontológica, vale alimentação, vale refeição, Day Off no mês de aniversário, auxílio home office, GymPass, PLR, seguro de vida, subsídio para certificações, bolsas de estudo e acesso gratuito aos cursos da plataforma Alura.

A consultoria carrega no modelo de negócio a cultura people centric – centrado no cuidado com as pessoas -, aliada ao Anywhere and Together, movimento que permite que os colaboradores trabalhem de qualquer lugar do país sem perder a real conexão entre as pessoas, o trabalho, a cultura e o negócio.

“O mercado de TI está aquecido, e tanto na Iteris, quanto na Briteris, temos o objetivo de construir equipes multidisciplinares, e nesse sentido, buscamos sempre elaborar processos seletivos humanizados, seguindo as tendências que o setor de tecnologia exige, a fim de realizar contratações assertivas para os negócios dos nossos clientes”, ressalta Marcelo do Santos, sócio-fundador e VP of Services & People da Iteris.

Para saber todos os detalhes das vagas e se candidatar, acesse o link: https://www.iteris.com.br/pt-br/carreiras

Tags

Diversidade é condição essencial para a inovação

Por Rafaela Bassetti, fundadora e CEO da Wishe

Uma pesquisa da KPMG confirmou que, em épocas de crise, os investidores preferem direcionar mais de seus investimentos em um número menor de projetos, indicando a busca por negócios que apresentam menos riscos. E a tomada de decisão segue o viés inconsciente de, ao buscar por segurança, buscar seus iguais. Foi assim que vimos o ano passado bater recorde de investimento em startups, mas o aporte em startups fundadas por mulheres caiu 22%.

Quando pensamos no ecossistema de inovação, esperamos uma mudança de status quo relevante e, por isso, a equidade de gênero precisa ganhar força nesse território. E é neste ponto que atuamos. A Wishe nasceu da dor que identifiquei quanto empreendia: há uma grande dificuldade em conseguir investimentos.

Conversamos com empreendedoras e investidores para entender o cenário e identificamos que para elas não há muitas informações e orientações disponíveis sobre os tipos de aporte, networking com outras fundadoras que conseguiram aporte e acesso aos investidores.

Já para os investidores, além da falta de mulheres em cargos de decisão, falta conexão com os celeiros de fundadoras e processos livres de vieses inconscientes (aquele de buscar os iguais para uma tomada de decisão mais segura). As startups fundadas por mulheres tendem a ser mais diversas e isso impulsiona resultados, fomenta a economia e contribui para diminuir o gap de gênero.

Infracommerce adquire Synapcom e se consolida como maior ecossistema digital independente para e-commerce da América Latina

Em meio ao amplo crescimento do comércio eletrônico no país e buscando sempre oferecer um serviço de qualidade e excelência para o consumidor, a Infracommerce, líder no conceito de Customer Experience as a Service (CXaaS) no Brasil, acaba de anunciar a aquisição da Synapcom por R﹩ 773 milhões em dinheiro, mais 27 milhões em ações a serem emitidas no fechamento da operação. Com a transação, a Companhia se torna o maior ecossistema digital independente para e-commerce da América Latina e conclui, apenas quatro meses após o IPO, sua primeira fase da estratégia de M&A de forma sólida e sustentável para seu crescimento e planejamento a longo prazo, e os clientes terão ainda mais possibilidades, com ganho em escala e serviços.

Essa aquisição traz à Infracommerce um time de executivos e profissionais altamente capacitados e renomados no mercado, além de uma ampla possibilidade de cross sell, principalmente das soluções de tecnologia omnichannel da Companhia, trazendo os clientes da Synapcom para uma digitalização do B2B, e reforçando o posicionamento da Infracommerce como a melhor solução para D2C (Direct to Consumer) para as marcas que querem investir em um alto nível de serviço em suas operações dentro de casa.

“Seguimos a estratégia de expansão do nosso ecossistema e consolidamos a liderança do nosso modelo de negócio CXaaS”, disse Kai Schoppen, CEO e fundador da Infracommerce. “Com a Synapcom, vamos oferecer uma escala ainda mais disruptiva para marcas e indústrias, fundamental para elas vencerem em suas jornadas digitais, priorizando sempre a experiência excepcional do consumidor final”.

“Estamos muito felizes em fortalecer o ecossistema white label da Infracommerce e assim oferecer maior diversidade de soluções para centenas de marcas e indústrias. Vamos prosperar juntos por meio de uma solução integrada que combina plataforma omnichannel, dados, fintech e fulfillment”, disse Eduardo Fregonesi, CEO e fundador da Synapcom.

Com uma carteira de mais de 60 clientes como Samsung, Phillips, Hypera, Goodyear e Porto Seguro, a Synapcom movimenta atualmente mais de 15 milhões de itens em sua operação.

O fechamento da transação está sujeito à implementação de determinadas condições precedentes usuais a esse tipo de operação.

Perspectivas Futuras

Apenas quatro meses após sua Oferta Pública Inicial, a Infracommerce entregou o que prometeu: aquisições relevantes para garantir o crescimento do negócio (Summa; Tatix e, agora, Synapcom) se consolidando como o principal player de soluções digitais para e-commerce da América Latina.

A Companhia, que fechou o primeiro ciclo de investimentos anunciados no IPO com esta última aquisição, passa a contar com uma receita recorrente anualizada de R﹩ 710 milhões, cerca de 3x superior à receita total apresentada em 2020.

Em cima desta base consolidada, o foco dos próximos investimentos, além da expansão do omnichannel B2C, é no segmento de abastecimento B2B, onde a Infracommerce é líder e tem oportunidades de crescimento expressivas acompanhando o boom deste mercado.

“Somos uma empresa que já nasceu tecnológica e digital, de forma inovadora e disruptiva, que sempre trabalhou para levar as melhores soluções para o comércio eletrônico. Agora, vamos levar essa expertise também para o offline, digitalizando o mundo físico para fortalecer a integração entre os canais e aumentar a rentabilidade da operação, com grande foco no B2B, além do que já construímos no B2C”, conclui Kai Schoppen.

MDHealth recebe investimento de R﹩ 20 milhões e anuncia Wilson Borges como CEO

A MDHealth, uma das maiores empresas de educação médica independente da América Latina, acaba de receber aporte de um grupo de empreendedores no valor de R﹩ 20 milhões. Com o montante, a empresa investirá em infraestrutura, visando ampliar seu faturamento nos próximos anos. Como parte dessa iniciativa, a companhia também anuncia o seu novo CEO, Wilson Borges, que trabalha há mais de 35 anos na indústria farmacêutica e chega para auxiliar na conquista dos novos objetivos.

“A expectativa é ampliar em 50% o faturamento este ano e em mais 35% em 2022, chegando a R﹩ 22 milhões. Temos muito potencial de crescimento e nos diferenciamos de outras empresas por sermos independentes. É importante ressaltar que seguiremos assim. Assumi o cargo com um grande desafio pela frente e tenho certeza de que conseguiremos concretizar todos os planos traçados para os próximos anos”, comenta Borges.

Todo esse potencial também foi identificado por um grupo de empreendedores, liderados pelo empresário Thomas de Almeida. “Temos uma trajetória de mais de 30 anos atuando em diferentes mercados. Começamos a investir na área da saúde há cerca de sete anos com a IdenGene, startup que posteriormente foi adquirida pelo Grupo Oncoclínicas. O que nos motivou a investir na MDHealth foi a oportunidade de trabalhar com um propósito, gerando um impacto positivo para a população. Queremos focar na qualidade de vida das pessoas e melhorar o desfecho clínico daqueles que estão em atendimento”, ressaltou.

A MDHealth foi criada em 2017, a partir da ideia de evoluir o Grupo Oncologia Brasil e passar a abranger outras especialidades. Hoje, além de liderar iniciativas inovadoras em oncologia, atua nas áreas de cardiologia, neurologia, infectologia e urologia. Por meio de suas plataformas, o grupo oferece soluções para profissionais e empresas ligados à saúde, com o objetivo de aumentar o acesso à informação independente e confiável e a capacitação das pessoas que atuam no setor.

Time de experts

Wilson Borges assumiu o cargo em junho, depois de atuar em grandes organizações como Pfizer, Roche, Medley, Natulab e Zambon. O executivo aposta no conhecimento adquirido no setor e nos cursos que fez em Harvard e na London Business School para trazer ideias inovadoras e estratégias que contribuam para a ampliação dos trabalhos realizados pela empresa.

O novo CEO conta com um time de experts, que inclui o diretor de marketing e comercial, Zeca de Lucca, e o diretor de assuntos médicos, Machado Moura. Já o board da empresa é integrado por Thomas de Almeida, Michel Douglas Pereira, Álvaro Luiz da Rocha Caetano e Dr. Marcelo Sampaio. “Temos uma equipe muito bem-estruturada e repleta de profissionais altamente qualificados. Isso é fundamental para o desenvolvimento da empresa, principalmente considerando nossas metas de expansão”, destaca o CEO.

Áreas de atuação

A MDHealth divulga diariamente materiais relevantes e exclusivos como resultados de pesquisas clínicas, artigos médicos, casos clínicos, fascículos científicos e notícias. A empresa publica ainda matérias com base na cobertura de eventos científicos nacionais e internacionais. Em parceria com os principais centros de Oncologia e Hematologia do mundo, como o MD Anderson Cancer Center, a companhia desenvolve programas educacionais exclusivos e altamente avançados. A MDHealth oferece também programas de EAD (ensino a distância) e cursos, além de promover eventos anuais próprios, como o Breast Cancer Review e o Access Review, e contar com uma estrutura própria para a realização de eventos ao vivo, webinars e advisory boards.

“Queremos democratizar o acesso às atualizações e discussões científicas que acontecem nos grandes centros de saúde nacionais e internacionais. Para garantir que essas informações cheguem ao maior número de médicos e especialistas, investimos muito em tecnologia e buscamos inovar produzindo conteúdos em diferentes formatos visando difundir e expandir a educação médica 360°”, completa Borges.

“Hoje conseguimos atuar tanto na área de saúde pública quanto na rede privada. As maiores indústrias farmacêuticas estão entre os clientes da MDHealth, mas é importante destacar que também estamos desenvolvendo um projeto com o Sistema Único de Saúde (SUS). Atuamos de forma idônea, ética e dentro dos parâmetros mais rígidos de compliance para garantir que de fato possamos impactar de forma positiva esse setor”, ressalta Almeida.

Atos abre 270 vagas em todo o Brasil

A Atos, líder global em transformação digital, anuncia a abertura de 270 vagas para diversos cargos, como cientista de dados, desenvolvedor e consultor de áreas como SAP e cloud, em todo o Brasil. A companhia, reconhecida como uma das melhores empresas para trabalhar pelo Great Place to Work (GPTW), está com diversos novos projetos em cidades como São Paulo, Santa Maria (RS) e Londrina (PR).

Além disso, com vários de seus escritórios operando por meio de home office em razão da pandemia, muitas contratações serão feitas para a modalidade de teletrabalho. Conforme a vaga, a oportunidade será, ainda, para home based, ou seja, o funcionário continuará atuando de casa mesmo após a pandemia.

Para mais informações sobre requisitos, tipos de vagas e benefícios, acesse: https://atos.net/pt-br/brasil-atos/vagas-de-emprego-em-ti-atos-brasil. 

Os currículos podem ser enviados para: recrutamento.rh@atos.net

Tags

ABBC abre inscrições para fintechs e startups participarem da 4ª edição do Prêmio Ideia

A Associação Brasileira de Bancos (ABBC) abriu as inscrições para fintechs e startups participarem da 4ª edição do Prêmio Ideia ABBC. A iniciativa tem a finalidade de conectar as associadas da entidade a soluções de inovação para o ecossistema financeiro. Para esta edição, as startups e fintechs devem apresentar cases com soluções voltadas para: Automação Financeira, Cibersegurança, Open Banking e PIX. As inscrições são gratuitas pelo site: https://premioideia.com.br/, no qual o interessado também encontra o regulamento.

Após inscritos no site, os cases serão avaliados por um time de especialistas dividido por duas equipes: Curadoria ACE – tricampeã como melhor aceleradora na América Latina – e o Núcleo de Inovação ABBC, formado por profissionais que estimulam a troca de experiências entre fintechs, startups e instituições associadas.

No início de novembro, serão anunciadas as 10 finalistas e, no dia 25 do mesmo mês, elas fazem os seus pitchs a uma comissão julgadora em um evento on-line, gratuito e exibido pelo canal do YouTube e Linkekin da ABBC. As três vencedoras ganharão troféu, mentorias e encontros para apresentarem as suas soluções ao Conselho de Administração e à Diretoria da Associação Brasileira de Bancos.

Tags

BNDES Garagem seleciona 25 startups de impacto socioambiental

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o consórcio AWL (Artemisia, Wayra e Liga Ventures), selecionou 25 startups que receberão gratuitamente apoio para alavancar seus negócios. Elas fazem parte de um grupo de 1366 empreendimentos que se inscreveram do BNDES Garagem – Negócios de Impacto. O programa foi feito com o objetivo de contribuir para criação e aceleração de soluções de impacto social e/ou ambiental, estimulando o empreendedorismo e desenvolvendo empresas que trazem retornos em impacto positivo à sociedade e ao mercado.

Esses 25 selecionados participarão do estágio de “tração”, destinado a empreendedores com um produto já criado, mas que buscam apoio para dar os próximos passos e crescer. Durante quatro meses, as startups selecionadas receberão apoio do BNDES, do Consórcio AWL e de parceiros do mercado, tanto para estimular seu crescimento, quanto para possíveis negócios e investimentos. Ao todo, 600 propostas se inscreveram para esta etapa.

Os outros 766 participantes se inscreveram para o estágio de criação, que apoiará até 20 negócios. Os selecionados receberão todo o suporte necessário para desenvolver o Produto Mínimo Viável (MVP, sigla do inglês Minimum Viable Product), validar a solução no mercado, lançar a startup e conquistar os primeiros clientes. A divulgação dos selecionados para este estágio está prevista para outubro.

Para o diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES, Bruno Laskowski, os objetivos iniciais do programa foram alcançados, o que se evidencia pela grande quantidade de inscrições e pela multiplicidade das soluções apresentadas. “Foram 1366 negócios que se inscreveram para participar do Programa BNDES Garagem. Em tração, teremos 25 startups sendo aceleradas, em todas as verticais priorizadas para o primeiro ciclo: sustentabilidade, saúde, educação, cidades sustentáveis e Govtech. São negócios, de todas as regiões do Brasil, que trazem soluções para desafios sociais, ambientais e de produtividade, estimulando o ecossistema do empreendedorismo no País e transformando positivamente a vida dos brasileiros na última milha”, avalia ele.

“Nesta seleção tivemos um olhar intencional para a diversidade, desde a construção da chamada até a definição dos critérios de seleção, como forma de ampliar o acesso ao programa. Desta maneira, estamos contentes em anunciar a participação de negócios das cinco regiões do Brasil, disse Felipe Alves, líder de Seleção do Consórcio AWL. Além disso, dentro do grupo selecionado, cerca de 40% dos negócios têm mulheres como lideranças e 27% possuem lideranças autodeclaradas negras, comenta ele. “Também percebemos um interessante grau de maturidade das startups de impacto, com muitas delas em estágio de tração e escala”.

Alves também destaca que os modelos de negócio selecionados são diversos, mas destaca-se a presença de govtechs, que são startups que têm como parte de seu modelo de negócio os governos como clientes. “Um diferencial do programa é justamente poder apoiar startups que queiram gerar impacto via setor público também”, disse líder de Seleção da AWL.

Confira a seguir a lista completa das startups de impacto selecionadas.

Arquitetura Faz Bem

A startup realiza obras padronizadas, pensadas em escala industrial, para gerar agilidade e escala, incluindo projeto de arquitetura personalizado, todo o material de construção, equipe de obra qualificada e treinada. Todo o serviço pode ser parcelado em 30 vezes no boleto, sem restrição de crédito a pessoas negativadas.

Bright Cities

A plataforma produz um diagnóstico de cidades inteligentes completo do município a partir de 160 indicadores globais, alinhados com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU e com indicadores das ISO, que avaliam 10 áreas de gestão urbana, e um roteiro personalizado de soluções adequadas para problemas específicos do município. A partir disso, a Bright Cities indica cidades regionais e globais de referência, tendo como base a performance das mais de 36 mil cidades incluídas na plataforma.

Caren

Com um sistema de protocolos inteligentes, a Caren permite que os profissionais de saúde acompanhem toda a jornada do paciente. Desde o pré-atendimento aos protocolos de pós-atendimento para o monitoramento do quadro clínico e que geram alertas em caso de piora dos pacientes, a Caren trabalha sempre para permitir a melhora nos atendimentos e na relação médico com paciente.

Central da Visão

Com um atendimento acolhedor em ambiente 100% digital, a startup desenvolveu soluções integradas de tecnologia capazes de identificar médicos com muita prática cirúrgica e centro cirúrgico próprio para criar pacotes completos de cirurgia até 40% mais baratos, com pagamento parcelado no cartão de crédito.

DARSH Soluções Educativas

A empresa desenvolveu o Bobby, uma tecnologia de análise de dados, que busca auxiliar gestores e professores de escolas públicas no processo de avaliação de aprendizado e tomada de decisões que a sala de aula demanda. Ele possibilita uma avaliação automatizada, personalizada e inteligente, oferecendo aos alunos, o melhor direcionamento possível para corrigir suas falhas e deficiências de forma individualizada e assim, ajudar escolas públicas a melhorar o desempenho dos seus alunos desde os anos iniciais.

Eneergia | See Energy

A startup constrói soluções sustentáveis ligadas à eficiência energética, por meio de um SaaS (Software as a Service na sigla em inglês, ou software como serviço), que reúne inteligência de mercado, ferramentas de análise multicritério, avaliação de desempenho e métodos estatísticos. Os dados energéticos de uma empresa são adicionados e transformados em informações numéricas que mostrarão indicadores de sustentabilidade, o nível de eficiência energética e o potencial de conservação de energia a ser desenvolvido.

Glic

Uma plataforma web/mobile que conecta paciente, médico, nutricionista e gestor populacional no acompanhamento do tratamento de diabetes, integrando o app de suporte à decisão ao tratamento, Whatsapp bot para interação e coleta de dados, prontuário para prescrição eletrônica e ferramenta de inteligência de negócio (BI na sigla em inglês) para gestão populacional.

Incentiv.me

A Incentiv.me oferece produtos e serviços para o ecossistema das leis de incentivo a fim de solucionar as dificuldades que existem tanto para as empresas quanto para os proponentes, oferecendo um serviço específico para cada um deles.

Korui Alternativas Ltda

A startup desenvolve soluções menstruais reutilizáveis que ressignificam a relação das pessoas com a natureza e o próprio corpo. É menos lixo, menos tabu, mais saúde, mais conforto e mais liberdade.

Lemobs

A startup criou o SIGELU, uma solução tecnológica composta por um conjunto de plataformas pensadas para a melhoria dos serviços públicos municipais, auxiliando no processo de transformação digital das cidades e tornando-as inteligentes, conectadas e inclusivas. A plataforma atua na fiscalização, atendimento ao cidadão, coleta de resíduos, obras, saúde, meio ambiente, direitos humanos, educação e acompanhamento nutricional de alunos de escolas públicas.

LiaMarinha
A LiaMarinha desenvolve e aplica tecnologias ecológicas e sustentáveis para melhorar a qualidade das águas. A tecnologia não utiliza produtos químicos e não demanda energia elétrica, além de oferecer simples instalação e manutenção, o que proporciona baixo custo operacional para o cliente e melhores resultados na gestão da água.

ManejeBem
A ManejeBem trabalha junto a grandes empresas que desejam desenvolver comunidades agrícolas rurais. Pelo aplicativo ManejeChat fornece assistência técnica rural de qualidade diariamente (online e presencial), sistematicamente coletando e monitorando a melhora de dados quanto a parâmetros sociais, ambientais e agronômicos (são mais de 300 parâmetros sujeitos a serem acompanhados), traçando planejamentos estratégicos de melhoria junto às comunidades.

Morada da Floresta

A startup desenvolve soluções práticas para a realização da compostagem no próprio local de geração dos resíduos (compostagem in loco), de fraldas ecológicas e soluções para menstruação sustentável como absorventes ecológicos, coletores menstruais e calcinhas absorventes.

Movimento #EUVISTOOBEM

O movimento #EUVISTOOBEM possibilita uma segunda chance para quem busca ressocialização. A iniciativa promove a produção de roupas com tecidos provenientes da reciclagem de garrafas PET e aparas de algodão dentro de duas unidades prisionais em São Paulo e em um núcleo na Vila Leopoldina. Para tanto emprega ex-detentas e outras mulheres em situação de baixa empregabilidade.

Portal de Compras Públicas

A startup é responsável por divulgar e operar as licitações de mais de 2000 municípios brasileiros, centralizando o alerta de oportunidades de negócio e simplificando o acesso das empresas a disputas que anteriormente não seriam sequer percebidas como oportunidades.

Recigases

Atua na regeneração dos fluidos para seu estado original para que possam continuar a ser utilizados por toda a vida útil dos equipamentos de refrigeração. A startup opera em todas as soluções necessárias para o recolhimento de fluidos refrigerantes, como locação de cilindros e recolhedoras.

SDW
A startup desenvolveu a Aqualuz, tecnologia destinada a resolver o problema de contaminação microbiológica da água de regiões áridas, que causam doenças de veiculação hídrica. A tecnologia funciona usando apenas luz solar para desinfectar a água de chuva e torná-la própria para consumo.

SOLOS

Criada na Bahia, a startup apoia marcas na superação de seus desafios de negócios relacionados à economia circular através de soluções que facilitam o descarte sustentável das embalagens.

Stella Energia

A startup oferece assinatura online de energia renovável, mais barata que o custo atual da distribuidora de energia, sem investimento pelo cliente e sem fidelidade.

T&D SUSTENTÁVEL

A empresa desenvolveu o SEA (Sistema de Economia de Água), um modelo de gestão de recursos hídricos que atua com tecnologia e metodologia próprias. Ele oferece uma ampla gama de serviços relacionados à otimização do consumo de água interno, como detecção de correção de vazamentos, técnicas de padronização de consumo, capacitação do corpo laboral, implementação de sensoriamento de consumo de água, análise de perfil de consumo em tempo real e implementação de projetos de melhoria.

Telite

Startup que recicla e transforma resíduos em novos produtos ecológicos e eficientes. Atua na produção de telhas com 100% de material reciclado, por meio do seu programa de logística reversa.

TerraMares

A startup produz biofertilizantes e biomoléculas usando microalgas (cianobactérias) brasileiras. Produto 100% nacional, criado em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e o Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA).

Toti Diversidade

A Toti é uma plataforma de ensino presencial e online que capacita refugiados em diversas áreas da programação, de acordo com as demandas específicas das empresas.

Troca

Com um software próprio de gestão, engajamento e inclusão da diversidade, a startup ajuda as empresas a medir, sensibilizar, educar e incluir a diversidade em seu ambiente de forma efetiva e duradoura.

USUCAMPEÃO

A companhia usa tecnologia para agilizar o processo da entrega das escrituras dos imóveis, por meio da Regularização Fundiária Urbana (REURB), oferecendo uma plataforma integrada até a entrega certidões de regularização fundiária (CRF) em tempo recorde.

Tags

Synapses abre mais de 100 vagas de tecnologia para todo o Brasil

Volume de vagas é decorrente do boom do segmento varejistas e procura por digitalização e aumento do faturamento

A Holding Synapses, focada em estratégia para o varejo brasileiro, anuncia a abertura de mais de 100 vagas nas áreas de tecnologia, produto e pesquisa. O alto volume de oportunidades é impulsionado pelo boom do mercado de varejo que se viu diante da necessidade de avançar e se adaptar para atender às novas necessidades dos consumidores. Foi nesse cenário que a holding nasceu visando a digitalização do segmento, criando conexões entre tecnologias robustas e os mais diversos setores do mercado varejista e da indústria nacional.

De acordo com CEO da Holding, Fernando Gibotti, a demanda de profissionais de tecnologias de informação é cada vez mais crescente, e há a procura por mão-de-obra qualificada é árdua pois, anualmente, as escolas e universidades brasileiras qualificam 50 mil novos profissionais, mas o mercado interno necessita de 100 mil. “A possibilidade de poder trabalhar remotamente nos dá a oportunidade de trazer profissionais de outros estados. Continuamos crescendo de forma sustentada e conscientes da nossa responsabilidade e da nossa contribuição para o varejo e para a indústria brasileira”, ressalta o executivo.

Uma das nove empresas da Holding, GS Ciência do Consumo, especializada em ciência e comportamento de consumo e que atua com CRM, tecnologia e inteligência de dados para o varejo, é responsável, por 30% das vagas abertas, devido a aceleração da digitalização dos varejistas durante a pandemia e do cenário entusiasta projetado pelos supermercadistas para os próximos anos. Só este ano, já cresceu 76% em relação ao ano anterior e já projeta um crescimento exponencial para os próximos cinco anos. O avanço do negócio é reflexo do sólido crescimento dos varejistas durante a pandemia e do cenário entusiasta projetado pelos supermercadistas para os próximos anos. As vagas da GS envolvem desenvolvedores e engenheiros de dados.

A Synapses tem sede localizada a pouco menos de 450 km da capital paulista, em São José do Rio Preto que ainda é destaque nesse segmento pelo parque tecnológico que possui por conta das universidades que formam profissionais qualificados e pelos cursos técnicos gratuitos que algumas instituições oferecem. No total, já conta com uma equipe de 200 profissionais especializados em diversas áreas, entre elas, tecnologia da informação, marketing, estatística, psicologia, geografia, administração, economia e jurídico.

As vagas abertas e suas descrições podem ser conferidas no portal https://synapses.sa.com/talentos

InovAtiva Day proporcionará conteúdo e conexão para empreendedores de todo o país de forma gratuita

Estão abertas as inscrições para a segunda edição do InovAtiva Day, evento organizado pelo InovAtiva, política pública de apoio ao desenvolvimento do ecossistema nacional de empreendedorismo inovador. Na ocasião, serão oferecidos painéis com grandes nomes do empreendedorismo e inovação do país e atividades de conexão, todos abertos ao público, com o objetivo de integrar e capacitar empreendedores, incentivar e promover trocas de conhecimento e conexões entre atores dos ecossistemas regionais.

O evento será realizado virtualmente no dia 9 de outubro, das 09h às 18h00 de forma gratuita a qualquer pessoa interessada. As inscrições podem ser feitas pelo site até dia 8 de outubro.

Realizado pela Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento reforça o plano de expansão do InovAtiva que assumiu o compromisso de realizar 15 mil atendimentos a startups e projetos inovadores no país nos próximos anos.

“Com o InovAtiva Day, promovemos atividades de capacitação e conexão de forma gratuita para pessoas de Norte a Sul do país, aproveitando o extraordinário hub que construímos. Nossas startups estão crescendo com apoio efetivo, em um ambiente cada vez mais livre para empreender. O evento é uma das muitas ações que realizamos com o objetivo de fomentar o ecossistema de empreendedorismo inovador nacional. O Brasil já é um terreno fértil para nossos empreendedores desenvolverem o seu negócio e transformarem nosso país em uma referência mundial em empreendedorismo inovador”, enfatiza o Secretário Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa.

“O InovAtiva Day, é um ambiente favorável para que os empreendedores do nosso Brasil acessem conteúdos de capacitação bem como se conectem com atores estratégicos do ecossistema de startups. É uma excelente oportunidade para interiorizar o acesso a inovação em todos os municípios brasileiros, que é uma das diretrizes do Sebrae”, explica o diretor técnico da instituição, Bruno Quick.

Além das atividades abertas ao público externo, os 394 negócios inovadores que participam dos programas de aceleração promovidos pelo hub terão acesso a um Treinamento de Pitch exclusivo. A atividade envolve a apresentação de suas ideias a bancas de mentores e avaliadores, em preparação para seus pitches oficiais no InovAtiva Experience, evento de conclusão dos ciclos de aceleração.

Programação

As atividades gratuitas acontecerão virtualmente ao longo do dia 9 de outubro, na forma de palestras com grandes nomes do empreendedorismo inovador brasileiro, painéis interativos com convidados das cinco regiões do país e programações voltadas para impacto socioambiental. Veja a programação e se organize para aproveitar da melhor forma:

9h às 10h | Programação Magna de Abertura: Fiz do meu sonho uma startup de sucesso – apresentada por Rodrigo Terron, CEO da Rocketseat;

10h às 11h | Painel 1: Opções de investimentos em startups: oportunidades e cenários – apresentado por Carolina E. Cassel, Head de Investimentos Captable e Guilherme Enck, Cofundador Captable;

11h às 12h | Painel 2: Dicas práticas para se conectar com grandes empresas – Andrei Golfeto, profissional de New Ventures no iFood;

14h às 14h30 | Painéis simultâneos organizados pela Comunidade InovAtiva: Speed Networking Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul;

14h30 às 17h | Painéis simultâneos organizados pela Comunidade InovAtiva: Ecossistema do Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul;

17h às 18h | Programação Magna de Encerramento: Ferramentas e estratégias para atrair seu cliente – apresentada por Ricardo Françoso, Diretor de Vendas na GrowthHackers e Flávia Paixão, idealizadora do projeto Empreender com Paixão.

Tags

Emplifi adquire Go Instore, software de live commerce, e oferecerá livestream no Brasil

Emplifi, marca focada em care, que une Socialbakers e Astute, anunciou a aquisição da Go Instore, uma plataforma de streaming de vídeo ao vivo baseada no Reino Unido. A Go Instore permite o comércio ao vivo conectando clientes online com especialistas em produtos da loja usando vídeo ao vivo em alta definição. Sua tecnologia de vídeo de ponta fornece às marcas um novo canal por meio do qual podem interagir e atender seus clientes, fortalecendo a abordagem omnicanal da Emplifi – encontrando clientes, onde quer que estejam. A partir de agora, a Emplifi passa a oferecer os serviços da Go Instore também no Brasil.

Com a adição da Go Instore, a Emplifi Social Commerce Cloud está liderando o mercado de comércio como a plataforma preferida para marcas com foco na experiência do cliente. Hoje, mais do que nunca, as marcas precisam ser capazes de fornecer experiências de compra ao vivo, bem como fornecer soluções autônomas de transmissão live para permitir que construam mais rapidamente experiências de conexão-conversão com seus públicos. O vídeo ao vivo pode ser usado para fornecer aos clientes uma série de serviços personalizados, incluindo sessões de estilistas virtuais, consultores de moda, especialistas em produtos ou vendedores – ou usá-lo para hospedar eventos de vídeo em streaming em seu próprio site ou por meio de plataformas sociais como Facebook e Instagram para lançamentos de produtos, campanhas sazonais ou promoções de marketing de influenciadores.

“Estamos entusiasmados em dar as boas-vindas à Go Instore na família Emplifi com seu pessoal, plataforma, cultura e clientes fantásticos”, conta o CEO da Emplifi, Mark Zablan. “Esta aquisição é outro marco importante em nossa jornada para ser a plataforma CX preferida de marcas que desejam oferecer a seus clientes ótimas experiências em todos os pontos de contato em sua jornada. Estamos empolgados para começar a ajudar as marcas a conectar e converter consumidores de forma mais rápida e direta por meio do poder do vídeo ao vivo e da mídia social.”

“Estamos extremamente entusiasmados em unir forças com a Emplifi para oferecer experiências de compra ainda mais poderosas nos sites e canais sociais de nossos clientes”, afirma André Hordagoda, cofundador da Go Instore. “A visão, inovação e velocidade de comercialização da Emplifi alinham-se perfeitamente com a Go Instore. Juntos, vamos acelerar a transformação do varejo com o comércio social”, complementa Aman Khurana, cofundador da Go Instore.

Go Instore, que é baseada em Londres, tem mais de 60 funcionários e mais de 100 clientes globais, incluindo Currys, Pandora, Signet Jewelers, Samsung, HP e muitos mais.

Com a adição da tecnologia de live commerce, a Emplifi continua sua estratégia de entrada no mercado em ritmo acelerado. Saindo da recente mudança de marca e fusão das empresas Astute Solutions e Socialbakers, a aquisição da Go Instore pela Emplifi ajuda a fortalecer sua posição como líder CX e fornece às marcas uma plataforma de ponta a ponta para marketing social, comércio social e serviço e atendimento omnicanal.

Cortex, tem mais de 30 vagas para Tecnologia e Vendas com benefícios ampliados

Vagas para profissionais de todas as regiões do país incluem benefícios como licenças-maternidade e paternidade estendidas, além de auxílio para home office e infraestrutura

A empresa de inteligência de dados Cortex está contratando profissionais para diversas áreas, com ênfase nas de tecnologia e vendas. São posições para Designer de Produto, Engenheiro de Software, Executivo de Contas, Engenheiro de Vendas, entre outras.

Ao todo são mais de 30 vagas. A empresa possui escritórios nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, mas adota o modelo remote first e contrata profissionais de todo o país.

Os interessados em participar do processo seletivo podem se inscrever pelo link https://cortex.gupy.io/?utm_campaign=%5Bgupy%5D%20p%C3%A1gina%20de%20carreiras%20principal&utm_source=imprensa&utm_medium=referral

Além dos benefícios tradicionais, a Cortex oferece incentivos extras aos profissionais, como licença maternidade ou paternidade estendida, ajuda de custo para pagamento das contas de luz, internet e auxílio home office, para o profissional remoto estruturar sua estação de trabalho.

A Cortex nasceu como uma startup de tecnologia especializada em inteligência para marketing e vendas. De lá para cá cresceu e conquistou clientes em diversos segmentos, como Unilever, Stellantis, Vivo, Globo, XP, Sulamérica, Ifood e Corteva, entre outros.

Em 2020, a empresa recebeu um aporte de R﹩ 170 milhões dos fundos Softbank e Riverwood, e se tornou o maior investimento em Big Data e IA da América Latina. Em 2021, a Cortex comprou a startup ITB360 para reforçar o portfólio de soluções em inteligência de vendas.

A empresa também é certificada Great Place to Work – que reconhece os melhores ambientes de trabalho em 106 países ao redor do mundo.

Tags

Grupo Boticário está com 160 vagas para a área de tecnologia no modelo de trabalho remoto

Oportunidades na área tech priorizam a diversidade geográfica e de equipes, comunicação assíncrona, bem-estar, ganho de agilidade em linha com as novas práticas da companhia

O Grupo Boticário está com cerca de 160 vagas abertas em tech para trabalho remoto – um dos novos modelos de trabalho implantados pela companhia para os seus de 12 mil colaboradores por todo o país. De forma inédita em seus 44 anos de história e na vanguarda do setor, a partir de agora as áreas administrativas da companhia, incluindo grande parte da área de tecnologia, passarão a trabalhar de forma 100% remota, enquanto as demais serão divididas entre os modelos híbrido e presencial, de acordo com as atividades desempenhadas. As novas práticas estão pautadas na inovação, priorização da tecnologia e bem-estar, visando ganho de agilidade e eficiência, além de permitir que a companhia conte com talentos de todas as regiões do Brasil ampliando, portanto, sua diversidade geográfica.

Á área de tecnologia do Grupo Boticário é uma das grandes beneficiadas neste sentido. Atualmente, 90% dos profissionais tech da empresa atuam no modelo de trabalho remoto, sendo que cerca de 20% estão fora do eixo São Paulo e Região Sul do país. Antes da pandemia, apenas 5% dos colaboradores de tecnologia eram de outros estados. As cerca de 160 vagas abertas para trabalho remoto em tech são para posições diversas, incluindo desenvolvedores, design de produtos, UX, especialista em engenharia de dados, entre outras. Os interessados podem se candidatar por meio do site de recrutamento do Grupo Boticário: https://www.grupoboticario.gupy.io

Para garantir harmonia e alinhamento entre todas as equipes do Grupo Boticário – da indústria ao administrativo -, os novos modelos de trabalho priorizam a comunicação assíncrona e digital. A empresa disponibilizará diversos treinamentos e contará com profissionais dedicados a acompanhar o período de transição, com forte participação da liderança. A partir das orientações do RH, os colaboradores poderão adotar boas práticas como uso de canais oficiais para mensagens no lugar de reuniões, flexibilidade de horário e autonomia para delimitar bloqueios na agenda para momentos de foco, almoço, rotina com filhos, e outras atividades.

Aqueles que não necessitem de estrutura física específica, como equipamentos disponíveis exclusivamente nos escritórios e fábricas, ficarão oficialmente designados ao trabalho remoto. O modelo híbrido será adequado especialmente às áreas de pesquisa, que periodicamente precisam estar nos laboratórios da empresa. Já os responsáveis por lojas próprias do Grupo Boticário, pela produção em fábricas e centros de distribuição, permanecerão exercendo suas funções presencialmente.

A medida entra em vigor a partir de setembro e será reavaliada depois de um ano da implantação. O acompanhamento contínuo levará em consideração pesquisas de satisfação e clima dentro da empresa. Para quase metade dos colaboradores, que estarão nos modelos híbrido e remoto, uma agenda de encontros presenciais bimestrais facilitará a integração do time durante a transição.

Tags

Em evento do IBEF-SP, líderes de grandes empresas apontam as habilidades do executivo de finanças do futuro

Debate promovido nesta quarta-feira (22) discutiu as necessidades do desenvolvimento de práticas ESG, autoconhecimento e aprendizado constante

O mercado de trabalho passa por intensas e profundas transformações, que vão exigir dos executivos de finanças novas competências e habilidades para se manterem em consonância com a expectativa das empresas. Com o tema “Reskilling” do Profissional de Finanças”, a série Jornada do CFO, organizada pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças de São Paulo (IBEF-SP) recebeu nesta quarta-feira (22) especialistas para um debate online sobre o que esperar dos profissionais da área nos próximos anos.

“O renomado psicanalista Dr. Jorge Forbes, um dos maiores pensadores brasileiros propõe a discussão sobre um novo mundo que se anuncia e se estabelece e provoca-nos sobre como, então, devemos compreendê-lo e habitá-lo. Ele comenta que viver, amar, liderar, trabalhar, empreender será diferente e, provavelmente, ninguém ainda está pronto para esta nova realidade. Diante deste novo contexto de mundo que se apresenta, também as organizações e os profissionais que nelas trabalham, precisarão ter um olhar para dentro no sentido do auto conhecimento e para fora em relação aos esperados novos conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA) no dia a dia de suas atividades e desafios profissionais, portanto, buscando constantemente “reskilling”, “upskilling”, “crossskilling” e praticando diuturnamente o “lifelong learning” se pretendem perpetuar-se no mercado de trabalho de forma competitiva e atual”, afirma João Marcio Souza – CEO Talenses Executive Latam e VP Marketing e Comunicação do IBEF-SP.

Para a sócia Fundadora & CEO da CS Recursos Humanos & Governança Corporativa, Célia Silvério, as competências dos profissionais de finanças do futuro irão além dos conhecimentos técnicos. Os executivos precisarão estar preparados para adotar na rotina profissional práticas ESG e as competências de human skills (habilidades humanas).

“Entramos na era do protagonismo. Cumpridas nossas obrigações técnicas, entram aqui considerações acerca de resiliência, empatia, comunicação, atenção ao social, a influência interna, a solução de conflitos, humildade. Não somos mais CFOs, somos executivos de negócios que temos que buscar resultados através de pessoas”.

Diante do cenário de constante e acelerada evolução tecnológica nos processos, a CFO da Pepsico Brasil e VP do IBEF-SP, Flávia Schlesinger, destaca que é fundamental ao profissional do futuro se adaptar às mudanças e incorporar novas habilidades.

“Com o volume de dados que a tecnologia trouxe, a questão é como aprender rápido essas informações. Num mundo onde a inteligência artificial é tão importante quanto a internet, é preciso entender as novas funções. Não temos um executivo de finanças só técnico, mas mais importante que a técnica, são as habilidades humanas, como empatia e colaboração”.

“O skill de aprender a aprender é essencial”

O termo “lifelong learning”, ou “aprendizado ao longo da vida”, é um conceito que ganha um número cada vez maior de adeptos nas empresas de todos os portes e segmentos. A ideia é que o aprendizado tem que ser frequente, uma vez que o mercado de trabalho está em constante transformação.

“Essa necessidade de aprender o tempo todo é inerente ao tempo que a gente vive. O skill de aprender a aprender é essencial, não existe um ponto de chegada. É um aprendizado constante. Temos que abraçar a incerteza e estar dispostos a aprender. O autoconhecimento é fundamental para que as pessoas se desenvolvam nesse mundo tão disruptivo”, afirmou Ana Pliopas, coach executiva e de carreira e professora da FGV-EAESP.

Para a CFO, Conselheira e VP IBEF Conecta, Magali Leite, o executivo de finanças do futuro tem que ter a capacidade de se reinventar e conseguir conciliar várias carreiras nesse ambiente em constante mudança. “O profissional vai ter muitas carreiras ao longo da vida. Tudo que a gente está vivendo tem a globalização como origem e a intensa transformação do ambiente tecnológico. Uma das coisas que faz diferença no dia-dia da gestão é estimular a construção de carreiras paralelas, ter disponibilidade para ajudar, estimular esse networking fora da sua zona de conforto”.

Criada por veteranos da inteligência de Israel, CySource chega ao Brasil com treinamento em cibersegurança

Acostumados a lidar com alguns dos mais rígidos protocolos de segurança do mundo, Israel se tornou, após massivos investimentos, uma referência mundial em cibersegurança. Agora, parte desse conhecimento chega ao Brasil com a CySource, centro de referência e pesquisa em cibersegurança criada por veteranos da inteligência militar israelense, com o objetivo de prover segurança cibernérita para empresas brasileiras e formar novos profissionais no segmento.

Composta por especialista que já detectaram falhas na defesa de empresas globais como o Facebook, WhatsApp e Amazon, além de experiência em empresas líderes no mercado de tecnologia, como o NSO Group, a CySource atua em três frentes: pesquisa para mitigar ameaças cibernéticas, por meio de serviços para a proteção de sistemas de dados de companhias, bancos e entidades governamentais e na área educacional.

Com suas soluções, a CySource é responsável pela proteção de nomes como o Banco Hapoalim, considerada a instituição financeira mais segura do mundo, e o gabinete do Primeiro Ministro de Israel, Naftali Bennett. Na parte de treinamentos – que vão do básico ao avançado – a didática dos cursos une conhecimentos teóricos, obtidos em estudos de ataque e defesa hacker, com simulações práticas.

Por meio de uma plataforma online, a empresa oferece diversos treinamentos em língua portuguesa, como Hacking Ético, Perícia Forense Digital e Pentest Profissional, o mais procurado, que capacita os profissionais a testar a vulnerabilidade dos sistemas das corporações e desenvolver uma barreira de defesa contra ciberataques.

“Procuramos compartilhar o conhecimento mais atualizado a partir da nossa divisão interna de pesquisa e ataque de segurança cibernética avançada, que é constantemente compartilhada na nossa plataforma para criar uma comunidade de conhecimento. Trazendo esse tipo know-how, queremos ajudar a transformar o ecossistema cibernético no Brasil, formando milhares de novos profissionais em uma área que, apesar de extremamente importante, carece de mão de obra”, explica o CEO e fundador da CySource, Amir Bar-El, que já foi responsável por liderar unidades de inteligência do Mossad, o famoso serviço secreto de Israel.

Estima-se que a área de Tecnologia da Informação (TI) demandará cerca de 420 mil profissionais até 2024 no mercado de trabalho brasileiro, segundo dados da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), número que se contrapõe à baixa quantidade de formação e qualificação na área.

Brasil no centro da expansão mundial

O Brasil é dos mercados mais estratégicos para a expansão internacional da CySource, que já atua em países como Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Inglaterra, França, Japão, Suiça e Áustria. Com a expertise oriunda de um dos maiores polos mundiais em cibersegurança, a empresa também busca oferecer soluções para proteger companhias e ativos críticos no país para companhias e governos, com serviços já alinhados a diretrizes da LGDP (Lei Geral de Proteção de Dados). 

A aposta nesse nicho no Brasil ainda é motivada pelo aumento exponencial de invasões em sistemas de informação no país. As notificações referentes a ataques cibernéticos contra empresas brasileiras cresceram 220% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2020.

Recentemente, uma das principais redes de departamento do Brasil, a Lojas Renner, sofreu um ataque cibernético criminoso, que ocasionou indisponibilidade de mais de 24 horas em parte de seus sistemas, assim como outros casos notórios se tornaram mais frequentes, como os ocorridos com a JBS, Secretaria do Tesouro Nacional e o Grupo Fleury.

“Como a tendência é sempre os invasores buscarem novas maneiras de burlar os sistemas de defesa cibernéticos, apostamos na tecnologia, que tem como base a experiência do exército israelense, associado a pesquisa de segurança cibernética global como forma de frear a guerra cibernética”, completa o CEO da CySource.

OLX Brasil disponibiliza mais de 180 vagas de emprego

A OLX Brasil, uma das maiores plataformas de compra e venda online, anuncia a abertura de mais de 180 vagas em diversas áreas da empresa. Só para Tecnologia, são 112 oportunidades para trabalho totalmente remoto, mesmo após a pandemia. As demais 76 posições são para as áreas de Marketing, Comercial, Operações, Rentals, Gente, Finanças e Estratégia. As vagas são para todos os tipos de graduação, desde jovem aprendiz até cargos de gestão.

Dentre as oportunidades, 82 são para ZAP+, 62 para OLX e 44 para atuar nas duas unidades de negócios da empresa. A pandemia acelerou os projetos da OLX Brasil de oferecer vagas 100% remotas abrindo a possibilidade para contratar talentos de todo o país, proporcionando uma diversidade regional nas operações da empresa.

“Com a distância física estabelecida pelo home office, adaptamos nossas dinâmicas de trabalho para fortalecer as relações e o convívio entre as equipes. Oferecemos atividades por videoconferência, como workshops para capacitação profissional, horários flexíveis, apoio psicológico, aula de yoga, meditação, ginástica laboral, e todo o suporte necessário para cuidar da saúde física e psicológica de todos nossos colaboradores” comenta Sergio Povoa, CHRO da OLX Brasil.

Toda a companhia segue trabalhando em home office. Os novos contratados também receberão todo suporte técnico e equipamentos para trabalharem em suas respectivas casas.

Diversidade e inclusão fazem parte da cultura da OLX Brasil, que defende a importância de representar e respeitar as diferenças, além de apoiar projetos internos e externos que incentivem o debate e a formação.

Para conhecer mais sobre as oportunidades na OLX Brasil, acesse o link.

Tags