Page

Author admin

Engineering arremata R$ 100 milhões em contratos SAP

A Engineering, companhia global de Tecnologia da Informação e Consultoria especializada em Transformação Digital, anuncia um total de R$ 100 milhões em contratos direcionados à prestação de serviços relacionados ao software de gestão empresarial da SAP.

O montante, que soma o total de novos negócios firmados no período janeiro a setembro deste ano, envolve principalmente os projetos de melhorias no ambiente SAP das empresas. O foco é obter eficiência operacional, o que inclui consultoria, sustentação e desenvolvimento de projetos.

Ao todo, várias empresas estão nesta rodada de investimentos, incluindo a Eletrobrás e a BR Distribuidora. A expectativa é que, até o final do ano, quatro novas organizações embarquem neste cenário de melhorias rumo à disrupção.

De acordo com o diretor de operações SAP da Engineering, Martim Tuma, o movimento dessas empresas em direção à excelência operacional sistêmica é o primeiro passo para a evolução dos demais pilares de Transformação Digital, que consistem em melhores experiências para o cliente e novos modelos de negócios.

“As organizações estão cientes de que, para evoluir na jornada de inovação, é preciso, inicialmente, mudar a mentalidade interna com foco no cliente. E, para isso, o cenário interno deve promover ferramentas que corroborem com esse novo mindset”, explica Tuma.

Para 2020, a Enginering do Brasil está participando de rodadas globais junto às demais subsidiárias do Grupo Engineering localizadas na Alemanha, Espanha, Sérvia, Rússia e China para definirem o modelo mundial da companhia em relação às operações SAP.

Epson anuncia novos executivos nas áreas de Vendas, Marketing e Serviços

Novos executivos chegam à Epson do Brasil para reforçar a estratégia da empresa: Marcelo Madi junta-se ao alto escalão da empresa para acelerar a atuação da empresa junto aos varejistas; já para os cargos de gerência sênior, chegam Cinthia Araújo como Gerente Regional de Marketing e David Poli é o novo Gerente de Suporte e Serviços.

Marcelo Madi é o novo Diretor de Vendas, responsável pelo canal de Varejo, com o desafio de expandir as parcerias da marca e manter as atuais, além de desenvolver os planos de expansão para o e-commerce. Graduado em Engenharia de Produção e possui MBA em Gestão de Negócios pela FGV. Já atuou em grandes empresas como Pirelli, Motorola e Samsung, e possui sólida experiência em planejamento, estratégias de negócio e e-commerce.

Cinthia Araujo possui mais de 20 anos de carreira consolidada na área de Marketing, com forte atuação em Planejamento Estratégico, Canais, Trade Marketing e Produtos em multinacionais de tecnologia como LG Eletronics e XEROX. Chega à Epson com o desafio de inovar as ações de Geração de Demanda em B2C através de estratégias vencedoras e elevar o patamar de atuação no segmento B2B, foco da empresa no Brasil. É graduada em Comunicação Social pela Universidade Gama Filho, MBA em Marketing Estratégico pela Universidade Estácio de Sá e Executivo em Negócios pela COPPEAD-UFRJ.

Já como Gerente de Suporte e Serviços, chega David Poli, que acumula mais de 14 anos de carreira em empresas de Tecnologia, Impressoras, Indústria e Serviços, liderando equipes de serviço e revendedores em multinacionais, em empresas como Videojet Technologies, Pitney Bowes e Xerox. O executivo será responsável pela implementação da estratégia de serviços no B2B, aumentando a qualidade e capilaridade do suporte Epson no Brasil para o segmento corporativo e têxtil. É graduado em Tecnologia em Engenharia Elétrica e Eletrônica e pós-graduado em Marketing, Administração e Negócios pelo Mackenzie.

CEOs globais estão insatisfeitos com as ações corporativas para atingir os Objetivos Globais de Sustentabilidade

A Accenture desenvolveu, em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU), um estudo que traz a visão dos CEOs sobre as oportunidades e os desafios para o atingimento dos Objetivos Globais de Sustentabilidade, lançados pela própria entidade em 2015. O estudo mostra que os CEOs reconhecem que a comunidade empresarial poderia ꟷ e deveria ꟷ dar uma contribuição muito maior para alcançar uma economia global sustentável, mesmo que o compromisso com os objetivos represente uma potencial vantagem competitiva para suas empresas.

O estudo traz dados impactantes, como:

• Apenas 21% dos CEOs acreditam que as empresas estão contribuindo de forma crítica para alcançar os Objetivos Globais;

• Ao mesmo tempo, 99% das empresas com mais de US$ 1 bilhão em receita anual acreditam que a sustentabilidade é importante para o futuro de seus negócios;

• 71% dos CEOs acreditam que as empresas têm o potencial para contribuir de forma crítica para alcançar os Objetivos Globais, com o comprometimento necessário;

• No entanto, 55% se veem pressionados a operar sob extrema redução de custo, o que prejudica os investimentos em sustentabilidade;

• Para os CEOs, o Objetivo Global mais longe de ser atingido é a redução de poluição nos oceanos, com apenas 13% da meta atingida;

• Apenas 44% dos líderes de negócios acreditam na concretização de um futuro de emissões zero nas suas empresas ao longo dos próximos 10 anos.

“É hora de os líderes garantirem que as metas de sustentabilidade estejam firmemente incorporadas na estratégia corporativa e no objetivo da empresa”, diz Peter Lacy, diretor da Accenture Strategy para Reino Unido e Irlanda e líder da Accenture WEF, siglas de World Economic Forum.

O estudo aponta que a comunidade empresarial global atingiu um ponto de inflexão claro na jornada para 2030. Os CEOs concordam que os negócios devem desempenhar um papel mais crítico no avanço dos Objetivos Globais e apontam para as barreiras que os impedem de fazer mais por esse objetivo, assim como os fatores que facilitariam o potencial do setor privado.

Em 2016, um ano após o lançamento dos Objetivos Globais, as ações dos líderes empresariais em relação à sustentabilidade atingiram um pico, pois os CEOs viram a oportunidade de reavaliar seus esforços de sustentabilidade. Este não é exatamente o caso três anos depois. Em 2019, os CEOs reconhecem que a execução do negócio não está à altura do tamanho do desafio dos Objetivos Globais, ou de sua ambição anterior.

Ansiosos por uma correção no curso, os CEOs estão renovando seu comprometimento para aumentar o impacto de suas ações de sustentabilidade. Dessa forma, 71% dos CEOs acreditam que, com maior comprometimento e ação, seus negócios podem desempenhar um papel crítico na contribuição para os Objetivos Globais.

“Com uma década para cumprir os Objetivos Globais, a tecnologia tem o potencial de acelerar o progresso, ajudando as empresas a aumentar sua agilidade competitiva”, diz Jessica Long, diretora de Sustentabilidade da Accenture Strategy.

No entanto, a transformação é difícil. Restrições econômicas e prioridades concorrentes são barreiras identificadas pelos CEOs para serem superadas, e eles veem a próxima década como desafiadora, por conta das incertezas geopolíticas, tecnológicas e socioeconômicas.

Três caminhos para a ação em prol dos Objetivos Globais de Sustentabilidade

O cenário global incerto está levando os líderes empresariais a irem mais longe e a serem mais proativos na agenda de sustentabilidade. Com isso, os CEOs ouvidos pelo estudo recomendam às empresas do mundo todo as seguintes práticas:

Estimular a ambição e o impacto

Os líderes devem promover mudanças em suas próprias organizações e por meio da disrupção nos modelos de negócios.

Inovar na colaboração

Os principais players do mercado devem conectar-se de novas maneiras, colaborando em prol da transformação significativa em suas ações sustentáveis.

Assumir a liderança responsável

Os líderes devem assumir seu papel como agentes de mudança para defender a agenda de sustentabilidade.

Jadlog espera elevar em cerca de 50% o volume de entregas da Black Friday 2019

A Jadlog, uma das maiores empresas de movimentações de cargas expressas fracionadas do País, já está em ritmo de Black Friday. Apontada como a transportadora privada mais utilizada pelo e-commerce no Brasil, espera elevar em cerca de 50% o volume de entregas originárias deste período de grandes ofertas do varejo virtual, em relação à mesma data do ano passado.

Para atender este pico de demanda, a transportadora colocou em prática um plano para atender a elevada quantidade de encomendas a serem entregues ao consumidor final, principalmente nas próximas três semanas, em que deve ser registrado pico diário de 130 mil encomendas. A Jadlog ampliou sua estrutura, com a contratação de profissionais adicionais; locou temporariamente 10 mil metros quadrados próximo ao TECA (Terminal de Cargas) da Anhanguera, em São Paulo; adotou turnos de trabalho 24/7; e incluiu saídas adicionais de caminhões da Expedição da empresa.

“Estamos cada vez mais comprometidos com o cumprimento dos prazos e a qualidade dos serviços prestados pela Jadlog, especialmente na ocasião da Black Friday, o período de maior movimentação de remessas do ano”, afirma o presidente da Jadlog. Bruno Tortorello.

A Black Friday representa uma grande oportunidade de negócios para a Jadlog e reforça o posicionamento da empresa como especialista no atendimento ao e-commerce. Atualmente, as encomendas relacionadas ao comércio eletrônico representam cerca de 60% do total das operações da transportadora.

Recentemente, a Jadlog foi apontada como a empresa mais utilizada por lojas virtuais que contratam serviços de transportadoras privadas, segundo a pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro 2019, realizada pela ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) em conjunto com a ComSchool. Este resultado representa a evolução da Jadlog no atendimento do e-commerce.

A Jadlog se diferencia no mercado pela rapidez e infraestrutura de distribuição de encomendas, e também pelas opções de entregas que oferece aos marketplaces e consumidores finais. Além do delivery, a empresa oferece o Pickup. O Pickup é o serviço de conveniência que permite a retirada dos produtos adquiridos no comércio eletrônico em pontos comerciais parceiros, que contam com a tecnologia da Jadlog, e estão estrategicamente localizados nas cidades brasileiras.

“O Pickup, além de ser um grande alavancador de vendas no e-commerce, já que mais opções de entregas influenciam os consumidores a concluírem suas compras, também é uma opção eficiente para as entregas da Black Friday, até porque reduz significativamente o insucesso da entrega e os custos logísticos para os embarcadores e ainda aos consumidores finais, por ser uma opção mais barata de frete”, destaca Tortorello.

Até outubro de 2019, quase 2 milhões de encomendas do e-commerce já haviam sido entregues aos consumidores finais por esta modalidade. A rede Pickup da Jadlog está com mais de 2,5 mil pontos parceiros, atendendo 25 estados e o Distrito Federal. A meta é alcançar, na maturidade da rede, 8 mil pontos, estando a apenas 10 minutos a pé de 90% do mercado consumidor brasileiro.

O Pickup é um serviço consolidado e de sucesso na Europa, por meio da DPDgroup, a segunda maior rede de distribuição de cargas expressas do continente europeu, que adquiriu, em 2017, 60% da Jadlog. Ele foi incorporado ao portfólio de serviços da Jadlog no ano passado. Em 2018, na Europa, foram retiradas mais de 83 milhões de encomendas nas mais de 42 mil lojas da rede Pickup, em 27 países. Em muitos países, o Pickup representa mais de 25% das entregas do e-commerce.

Startup americana PayJoy chega ao Brasil

O aparelho celular é um desejo de muitos brasileiros, mas nem sempre é tão acessível devido à ausência de uma conta bancária ou simplesmente por não ter um limite de crédito ou então ele ser baixo. Com essa dificuldade, por que não usar o próprio celular adquirido como uma garantia para um crédito financeiro pessoal? Nesse contexto surge a PayJoy, startup americana de tecnologia que facilita a aquisição de um smartphone pelos consumidores com restrições de crédito.

Fundada em 2015 em São Francisco, nos Estados Unidos, por Doug Ricket, ex-funcionário do Google Maps, e os cofundadores Gib Lopez e Mark Heynen, a PayJoy iniciou a primeira operação no México. Atualmente, a startup tem atuação em 13 países, como África do Sul, Índia e Indonésia. No Brasil, a empresa acaba de iniciar as operações e tem à sua frente Wagner Mendonça, Líder de Desenvolvimento de Negócios.

O último investimento levantando pela PayJoy foi de 20 milhões de dólares, liderado pela Greylock Partners, empresa líder em capital de risco, seguida por Union Square Ventures, EchoVC e Core Innovation Capital que também participaram da rodada de série B. Totalizando até então mais de 70 milhões de dólares captados, a startup americana tem, ainda, como investidores as seguintes empresas: Santander InnoVentures, Assurant, Mindset Ventures, Orange Digital Ventures, Nxtp Labs, Draper Nexus, Itochu e Fenway Summer Ventures.

De acordo com o Banco Mundial, 32% da população brasileira não possui conta bancária, ou seja, são cerca de 67 milhões de pessoas sem acesso a crédito. Além disso, outro dado para se ressaltar é o uso de celular: 92% da população brasileira possui ou tem acesso a um aparelho.

Segundo dados da própria PayJoy, sua tecnologia é capaz de contribuir e impulsionar a inclusão financeira e melhorar os três indicadores-chave para os seus parceiros: aumento nas vendas de aparelhos de celulares, elevação no preço médio de venda dos mesmos e crescimento da participação no mercado. No México, por exemplo, a venda nas lojas foi um sucesso graças ao seu processo operacional simples, que já garantiu a rápida assimilação do produto. Com relação aos resultados, houve uma redução significativa da taxa de inadimplência e um aumento na propensão dos consumidores em efetuar os pagamentos.

“Estamos trabalhando e construindo uma tecnologia capaz de favorecer a inclusão financeira, algo que apresenta uma grande sinergia com países como é o caso do Brasil”, explica Mark Heynen, cofundador e CBO da PayJoy. “Apostamos no Brasil porque é um país com mercado gigantesco e bastante promissor para nossa tecnologia, principalmente porque reúne características como um alto interesse pela categoria de celulares por parte dos consumidores e grande parcela da população não possui acesso a crédito ou mesmo à conta bancária”, complementa.

Como funciona

A PayJoy oferece às operadoras de comunicação móvel, empresas financeiras e varejistas uma tecnologia que permite que os celulares sejam uma garantia para a compra do próprio aparelho ou empréstimo pessoal. Em caso de não pagamento as empresas poderão limitar a utilização das funcionalidades dos aparelhos e seus aplicativos.

O modelo de negócio é business to business, ou seja, a PayJoy licencia o uso desta tecnologia para seus parceiros comerciais. Nestes casos, as regras do bloqueio e os valores dos empréstimos são definidos pelos próprios parceiros, de acordo com seus interesses, podendo variar caso a caso. Adicionalmente pode ser contratado o recurso de Score que possibilita, por exemplo, ao varejista traçar um perfil de crédito mais preciso de seus consumidores facilitando o processo decisório.

Brasil bate recorde de vendas no Festival Global de Compras 11.11

O AliExpress, marketplace global de vendas online do Alibaba Group, anunciou que o Brasil bateu um recorde durante o Festival Global de Compras 11/11 deste ano registrando três vezes mais transações em comparação com o ano passado, fazendo do país, o mercado que cresce mais rapidamente na plataforma.

No Brasil, foram necessárias apenas 16 horas do festival para superar as 48 horas de vendas do evento em 2018. As categorias mais vendidas durante o 11.11 incluem Beleza e saúde, Computador e escritório, Aparelhos eletrônicos, Telefones e Telecomunicações, Brinquedos e Hobbies, Relógios – 15 vendas por minuto, entre outras.

No início do festival, o AliExpress colaborou com 11 influenciadores populares no Brasil, cujos seguidores no YouTube e Instagram totalizam 120 milhões. 10 iPhones foram doados aos consumidores que compartilharam as novidades do evento pelas redes sociais e o AliExpress sorteou ainda dois carros 0km entre os compradores brasileiros.

Os dois ganhadores receberam os carros na quinta-feira (21/11). Um dos sortudos foi um estudante da Bahia que comprou acessórios eletrônicos e roupas, gastando em torno de R$ 630. O estudante elogiou a extensa seleção de produtos que a plataforma oferece, junto com preços acessíveis.

Outra sorteada foi uma designer do Paraná que descobriu o AliExpress através do Google e destacou a variedade de produtos interessantes de qualidade e com bom preço que o marketplace oferece.

AliExpress na Black Friday

Para a próxima Black Friday, o AliExpress preparou outro sorteio exclusivo para os consumidores brasileiros, e dessa vez, o carro sorteado é uma Mercedes-Benz. A participação será por pedidos de compra – ou seja, uma compra é igual a um número da sorte e cada pessoa pode acumular até 20 números. Para concorrer ao carro, o cliente deve fazer compras a partir de US$5 (aproximadamente R$ 20) na plataforma, entre as 5 da manhã (horário de Brasília) de 29/11 às 5h do dia 03/12. O grande sortudo será anunciado após o término da Black Friday.

Os consumidores que ajudarem a compartilhar o sorteio do carro do AliExpress também terão chances de concorrer por cinquentas Xiaomi Redmi Note 8 e cem Mi Band (pulseiras inteligentes da Xiaomi).

Todos podem participar da competição, basta fazer um repost da imagem do sorteio com a hashtag #blackfridaybrasil, marcar o AliExpress Brasil (@aliexpressbr) e dois amigos entre os dias 23/11 e 28/11. O vencedor ganhará um Xiaomi Redmi Note 8 e duas Mi Bands, um para cada amigo marcado. Ao todo, serão anunciados 50 vencedores no dia 12/12.

Para acompanhar as ofertas especiais para o Black Friday no Brasil, clique aqui. A promoção começa na sexta-feira (29/11).

Transformando o 11/11 em um evento global

À medida que o grupo Alibaba se expande para os mercados globais, o AliExpress difunde o fenômeno da “satisfação das compras” para os consumidores, mudando a maneira como as pessoas compram, oferecendo conteúdo e entretenimento enquanto elas navegam e adquirem o produto desejado.

Durante o festival de 48 horas deste ano, o AliExpress convidou mais de 3.500 influenciadores on-line e blogueiros do Brasil, Oriente Médio, Rússia, Itália, Coréia, Espanha e Polônia para promover vendedores e produtos em suas contas das redes sociais.

Com o número total de seguidores superior a 100 milhões, o AliExpress obteve potencialmente acesso a mais de 10% da população dos países mencionados acima. O AliExpress também hospedou mais de 1.000 transmissões ao vivo em sua plataforma, trazendo uma nova experiência de compra para os consumidores, além de novas oportunidades de emprego.

A infraestrutura é outro ponto que o AliExpress teve que dar como uma das prioridades para conseguir tornar o evento global. Junto com Cainiao, braço logístico da Alibaba e Ant Financial, o AliExpress está colaborando com parceiros de logísticas locais, internacionais e com provedores de pagamento para facilitar a venda e a compra por comerciantes através da plataforma.

Um exemplo a ser citado é a parceria com a Turkish Post para lançar um serviço dedicado Turquia-Rússia, o que reduziu a velocidade média da entrega de 35 para 10 dias.

ParquesTecnológicos passam a utilizar o Sistema RNP para impulsionar novos empreendimentos de inovação

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), ligada ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e responsável pela rede acadêmica brasileira, está trabalhando junto à Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) em um projeto-piloto que visa, em futuro bem próximo, à criação de uma “Rede Nacional de Ambientes de Inovação”.

O projeto-piloto está sendo realizado em seis parques tecnológicos indicados pela própria Anprotec. “Com a ampliação de nossa política de uso do Sistema RNP, foram incluídos os ambientes promotores de inovação como uma nova classe de Organização Usuária e essas passaram a usufruir das funcionalidades desse sistema”, explicou Fausto Vetter, coordenador de Pesquisa & Desenvolvimento na RNP.

Para o presidente da Anprotec, José Alberto Sampaio Aranha, a parceria com a RNP acontece em um momento extremamente propício para as duas instituições. “Em nosso planejamento estratégico, colocamos como meta a criação de uma rede de inovações para possibilitar o crescimento de empreendimentos na área de inovação em nosso país. Ao mesmo tempo, também em seu planejamento estratégico, a RNP já autorizava a ampliação de sua rede para institutos e parques tecnológicos que atuam na área de inovação. Nada melhor, então, que aproveitar a expertise da RNP já existente no país, na rede de ensino e pesquisas, para um piloto que visa a criação dessa Rede Nacional de Ambientes de Inovação”, comenta Aranha.

Os parques tecnológicos que fazem parte deste piloto são: Parque Tecnológico São José dos Campos (SP); Parque Zenit da UFRGS (Rio Grande do Sul); Parque da UFRJ (Rio de Janeiro); PCT Guamá da UFPA (Pará); Parque CITTA da UFCG (Paraíba); e BIOTIC (Brasília).

Para se ter uma ideia da importância da utilização da Ciberinfraestrutura nacional da RNP pelos parques tecnológicos, destacamos o Parque Tecnológico São José dos Campos, no Vale do Paraíba paulista, criado em 2006 e considerado um dos maiores complexos de inovação e empreendedorismo do Brasil.

O Parque Tecnológico São José dos Campos tem a missão de promover ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo, visando ao desenvolvimento competitivo e sustentável das empresas e instituições vinculadas. Ocupa hoje uma área de 188 mil m2, onde cerca de 6.000 pessoas transitam diariamente, e onde estão instaladas 145 empresas, quatro universidades (Unifesp, Unesp, Univesp e Anhembi-Morumbi), um campus da Fatec, um escritório do ITA e um escritório da Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas; além de quatro institutos de ciência e tecnologia. O Parque também é gestor do Cluster Aeroespacial Brasileiro e do Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação e Comunicação do Vale do Paraíba.

A participação nesse projeto-piloto com os demais parques tecnológicos é vista com entusiasmo pelo diretor de novos negócios do Parque Tecnológico São José dos Campos, Elso Alberti Jr. “Identificamos que a RNP tem recursos muito relevantes para o Parque e para nossas empresas residentes e vinculadas. Durante o projeto-piloto, vamos ter condições de avaliar questões relacionadas à infraestrutura necessária, assim como a dinâmica de distribuição e acesso das empresas, não apenas à internet como também às ferramentas disponibilizadas pela RNP. Nossa expectativa é totalmente positiva, pois entendemos o Parque como um grande articulador de empresas, universidades, instituições públicas e sociedade, em busca de processos inovadores e desenvolvimento tecnológico que possam estimular o crescimento socioeconômico de nossa região e do país”, declarou.

Para a RNP, que já oferece conexão e estrutura de conexão de ponta em mais de 1.500 instituições e laboratórios de pesquisa do país, o projeto-piloto com os Parques Tecnológicos ajudará a instituição a compreender o funcionamento e a operação de ambientes promotores de inovação e suas necessidades em termos de infraestrutura e serviços baseados em Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). A partir daí, será possível ofertar a Ciberinfraestrutura Nacional da RNP como plataforma de inovação para ambientes promotores de inovação em todo o país.

Pesquisa revela que 80% dos líderes consideram a automação de processos importante para melhorar a excelência no atendimento ao cliente

NICE (NASDAQ: NICE) divulgou insights de um novo estudo de pesquisa encomendado, conduzido pela Forrester Consulting, que mostra a conexão entre um melhor atendimento ao cliente e a Automação Robótica de Processos (Robotic Process Automation – RPA).

Os resultados da pesquisa indicam que 80% dos líderes de negócios entrevistados consideram que o RPA é importante para tornar as equipes de atendimento ao cliente mais eficientes. Os mesmos 88% consideram uma estratégia de mitigação de custos, e 72% relataram considerar o RPA um facilitador para o autoatendimento do cliente nos canais emergentes.

Essas conclusões atestam a importância estratégica de adotar tecnologias como o NICE RPA e o NEVA (NICE Employee Virtual Attendant), que promovem transformações digitais verdadeiras e completas para as empresas, capacitando os funcionários a melhorar o desempenho e automatizando níveis processuais cada vez maiores e mais complexos.

Este estudo de pesquisa destaca o rápido crescimento do mercado de RPA e indica que as implantações ainda são a ponta do iceberg, afirmando: “Segundo a pesquisa da Forrester, o crescimento da RPA continuará sendo uma tendência, com os gastos globais em serviços de RPA em 2019 superando US$ 5 bilhões – e US$ 12 bilhões até 2023”.

A pesquisa mostra que 78% dos líderes empresariais estão dispostos a aproveitar os funcionários digitais ou robôs para tarefas rotineiras, ao passo que os agentes humanos do Contact Center assumem funções mais estratégicas. Além disso, quase metade (49%) dos funcionários entrevistados afirmou que o RPA eliminou grande parte – ou a totalidade – das tarefas mais maçantes e rotineiras e os ajudou a se concentrar melhor em seu trabalho. Essas estatísticas indicam que essa tecnologia amplia o envolvimento dos funcionários e permitem melhores níveis de atendimento, aumentando a diferenciação da marca na era atual da experiência do cliente.

Além disso, o estudo também observou que 47% dos funcionários entrevistados afirmaram que às vezes – ou frequentemente – esquecem alguma etapa do processo. Isso se vincula diretamente a 41% dos gerentes e funcionários que afirmam que a redução de erros manuais é um dos três principais impactos do RPA no trabalho dos funcionários. Ambas as descobertas indicam que a tecnologia também melhora a qualidade do serviço.

“Somos muito gratos pelos insights fornecidos pela pesquisa da Forrester, que validam a movimentação do mercado em direção a soluções inteligentes de Automação Robótica de Desktop, as quais se encontram no cerne da transformação digital de uma organização. A visão geral da NICE de trazer automação para as pessoas é mais relevante do que nunca para este mercado dinâmico de alto crescimento. Esperamos expandir nossa parceria com organizações que desejam capacitar seus funcionários e levar seus negócios a novos patamares de satisfação e eficiência do cliente”, afirmou Barry Cooper, Presidente do grupo NICE Enterprise Product.

Para fazer o download de uma cópia gratuita deste estudo de pesquisa intitulado “A ascensão da RPA elevará os níveis de eficiência nos negócios”,  clique aqui.

Mais da metade dos m-consumidores brasileiros tem o hábito de comprar produtos em sites estrangeiros

Os consumidores estão comprando no celular a uma taxa maior do que nunca – em todo o mundo. Até por causa disso, expressões como “mobile first” e “mobile only” estão se tornando cada vez mais comuns entre os internautas, que passam horas a fio de cabeça baixa olhando para as telinhas de seus celulares. Este foi o pano de fundo para que o PayPal encomendasse uma pesquisa global sobre o assunto a Ipsos.

O questionário focou nos hábitos de consumo online, divididos em três áreas principais: o comportamento do consumidor na hora de pagar pelo smartphone; os principais incentivos e barreiras para comprar via mobile; e o quanto essa forma de compra online cativa esses consumidores.

A Ipsos entrevistou 22 mil consumidores e 4.600 lojistas em onze mercados, sendo 2 mil consumidores e 500 lojistas no Brasil. E descobriu, entre outras coisas, que quase 80% dos e-consumers compraram via smartphone nos seis meses anteriores à pesquisa. Apesar disso, curiosamente, 37% das empresas globais ainda não estão preparadas para dispositivos móveis (ou seja, não têm sites responsivos, que se adaptam às telas dos smartphones). Esse índice, no Brasil, é de 25%, o que faz bastante sentido, já que, segundo o IBGE, por uma questão de preço, os smartphones são o principal meio de acesso dos brasileiros à internet e às redes sociais.

A Índia lidera nesse quesito: 92% dos consumidores indianos disseram já ter usado o smartphone para fazer pagamentos online; e 81% dos comerciantes indianos garantem estar otimizados para aceitar compras via mobile. Com 83%, a Itália é o principal mercado europeu para consumidores que fazem compras online via smartphone; ao mesmo tempo, apenas 65% das empresas italianas relataram ter um site ou aplicativo otimizado para celular. Já nos EUA, 72% dos consumidores usaram um smartphone para pagar online desde o começo do ano, enquanto 57% das empresas relataram oferecer uma experiência otimizada para celular – este é o segundo índice mais baixo entre os países pesquisados, perdendo apenas para o Japão, com 49%.

A seguir, os principais highlights da pesquisa Ipsos, tanto do ponto de vista dos comerciantes quanto dos consumidores brasileiros:
• 76% dos consumidores pesquisados disseram usar dispositivos móveis para fazer compras ou pagamentos online.

• 74% dos lojistas brasileiros entrevistados garantiram que têm versão otimizada (responsiva) de suas lojas online para smartphones.

• Em relação ao tíquete médio do comprador online brasileiro, ele gasta em torno de R$ 503 por mês em compras via celular.

• 60% dos consumidores brasileiros dizem pagar contas ou fazer compras online via celular pelo menos uma vez por semana.

• Já os comerciantes entrevistados garantiram que 44% de suas vendas online se dão por meio de dispositivos móveis.

• Outra informação interessante é que 43% dos consumidores entrevistados no Brasil disseram ter feito compras online por meio de redes sociais nos seis meses que antecederam a pesquisa realizada pela Ipsos.

• Do outro lado, 52% dos lojistas nacionais entrevistados garantiram já estar vendendo produtos e serviços via redes sociais.

• 94% dos m-consumers brasileiros pagam contas ou fazem compras via aplicativos instalados em seus celulares. Destes, 47% garantem usar os aplicativos pelo menos uma vez por semana.

• A Ipsos também quis saber quantos internautas brasileiros costumavam fazer compras online internacionais via dispositivos móveis. E mais da metade (51%) respondeu que esta é uma modalidade comum de compras.

• Do lado dos lojistas pesquisados, 74% deles se dizem integrados ao comércio internacional e já venderam online, via smartphone, para consumidores de outros países.

• Ainda nesse quesito, uma informação surpreendeu os pesquisadores da Ipsos: segundo os lojistas online brasileiros, 48% do volume de suas vendas vêm de clientes internacionais – que compram online via dispositivos móveis.

• A Ipsos descobriu também que 54% dos consumidores brasileiros preferem comprar produtos ou serviços e pagar contas via smartphones – média muito maior que a global, que é de 43%.

• 74% dos lojistas online brasileiros têm sites responsivos (que se adaptam às telas de smartphones) e adaptados para a experiência de compra móvel – a média global é de 63%.

• Dentre os quase 26% de lojistas que ainda não estão prontos para o comércio via smartphones, 40% garantem que a otimização de seus e-commerces é a prioridade para os próximos 12 meses.

Outras informações interessantes coletadas pela Ipsos:
• 92% dos consumidores brasileiros compram online, contra 95% da média global.

• 60% dos brasileiros compram ou fazem pagamentos online pelo menos uma vez por semana, contra uma média global de 48%.

• 66% dos compradores brasileiros navegam pela internet em seus smartphones à procura de produtos ou serviços pelo menos uma vez por dia, contra uma média global de 56%.

• 70% dos consumidores brasileiros pesquisados da geração Millennial buscam produtos ou serviços por meio de seus smartphones pelo menos uma vez por dia.

• 47% dos brasileiros pesquisados pela Ipsos costumam fazer compras online por dispositivos móveis quando estão na cama, antes de dormir.

• Já 17% dos brasileiros pesquisados que fazem parte da geração Millennial preferem comprar online via smartphone quando estão nas lojas.

• Ainda em relação à geração Millennial brasileira, 20% dos pesquisados pela Ipsos garantem que fazem compras online via smartphone principalmente quando saem com os amigos.

Em nome do PayPal, a Ipsos entrevistou cerca de 2.000 consumidores em cada um dos 11 países (cerca de 22.000, no total), entre 18 e 74 anos, que têm ou usam um smartphone; e cerca de 300 a 500 executivos ou tomadores de decisão em empresas nos 11 países pesquisados (cerca de 4.600, no total), que vendem ou aceitam pagamentos online de consumidores ou de outras empresas. A Ipsos entrevistou, com questionários online, consumidores nos Estados Unidos, França, Alemanha, Itália, Espanha, Austrália, Índia, Reino Unido, Japão e México, além do Brasil, entre 23 de julho e 25 de agosto de 2019. Os dados foram ponderados na Austrália quanto a idade e renda, para replicar o estudo realizado anteriormente. Nenhuma outra ponderação foi aplicada.

“A pesquisa da Ipsos demonstra o quanto o conceito de ‘mobile only’ já está no horizonte. E também como o Brasil vem se posicionando para ser um mercado importante para o comércio online. Trata-se de uma sociedade entusiasta da tecnologia móvel e que tem no smartphone um amigo inseparável. Faz todo o sentido, portanto, que os e-commerces estejam, em sua imensa maioria, preparados para vender via equipamentos móveis. Pensando nisso, o PayPal tem investido em segurança e comodidade para ser o principal parceiro tanto de quem compra online pelo celular quanto de quem vende online aqui no Brasil ou lá fora” – Thiago Chueiri, diretor de Desenvolvimento de Negócios do PayPal Brasil

Home office pode ajudar a desencadear epidemia de solidão e perda de produtividade nas empresas, diz estudo

São Paulo, 25 de novembro de 2019 — A A.T. Kearney, consultoria global de gestão estratégica, divulgou recentemente o Global Trends 2019-2024, em que elenca as tendências — de mercado, econômicas, de saúde ou infraestrutura — que mais impactarão o cenário e o ambiente operacional em todo o mundo nos próximos cinco anos.Em sua mais recente edição, o estudo aponta a epidemia de solidão como uma dessas tendências, e alerta para os impactos que ela pode ter não apenas na saúde das pessoas, mas também na produtividade das empresas.

Segundo a análise, fatores como as mudanças de padrões e comportamento nos ambientes mais modernos de trabalho e o uso excessivo das redes sociais, entre outros, darão a essa tendência de solidão o status de epidemia. E além do impacto na saúde física e mental dos cidadãos, ela também acarretará a perda de produtividade nas empresas.

De acordo com o estudo, a solidão e o reduzido senso de pertencimento no ambiente de trabalho devem impactar o ambiente corporativo como um todo. A análise indica ainda que o número de trabalhadores remotos cresceu 115% entre 2008 e 2018, e são justamente esses colaboradores os mais propensos a desistir do trabalho por causa da solidão. “É fundamental promover ações de socialização, como happy hours, reuniões e treinamentos presenciais para despertar nos colaboradores o sentimento de que ele é parte do grupo e importante para a empresa”, sugere Sandra Strongren, gestora da área de Recursos Humanos da A.T. Kearney no Brasil. “Outra boa prática é a adoção de programas de mentores. O colaborador escolhe alguém mais sênior para que seja uma espécie de tutor dentro da companhia. É para essa pessoa que ele pedirá conselhos sobre sua vida profissional”, diz Sandra, lembrando que esse tipo de política ajuda a desenvolver no funcionário os sensos de direcionamento, inclusão e propósito.

Amigos no trabalho

O estudo da A.T. Kearney aponta ainda que ter amigos no trabalho importa, especialmente para os profissionais mais novos. Segundo o levantamento, 74% dos da Geração Z (nascidos a partir de 1995) e 69% dos Millenials (1980 – 1994) dizem que tendem a ficar numa companhia quando têm mais amigos ali. Os índices se comparam a 59% dos trabalhadores da Geração X (1965 – 1979) e 40% dos Baby Boomers (1945 – 1964) com a mesma opinião.Ranking de solidão (por gerações)

Segundo o Global Trends, a Geração Z é a mais solitária e afirma estar em piores condições de saúde do que as gerações mais velhas.
Nível de solidão (por idade)
Escala de solidão da UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles)

Nota: Índice de 43% ou superior é considerado solidão, conforme a escala da UCLA (2018)
Fonte: Relatório U.S. Loniliness Index, 2018. Análises A.T. Kearney
Implicações para as empresas
A A.T. Kearney sugere que as empresas criem oportunidades para interação significativa entre os seus colaboradores. Além disso, indica a construção de uma cultura de bem-estar, incluindo desde a criação de uma atmosfera de boas-vindas para os novos contratados até cursos relacionados a saúde da família e nutrição, por exemplo.Confira aqui a íntegra do estudo Global Trends 2019-2024.

CX Summit: Primeiro dia de evento trouxe dicas, exemplos e insights sobre como melhorar a experiência do cliente nas empresas

Teve início nesta quarta-feira (27) a 5ª edição do CX Summit, maior evento de Experiência do Cliente da América Latina. O primeiro dia foi marcado por histórias, dicas e painéis sobre transformação digital e o universo do consumidor.

Durante a abertura do evento, Tomás Duarte, fundador do evento e CEO da Track, agradeceu a presença dos convidados e falou sobre o público do CX. “Na última edição do evento tivemos 800 pessoas e hoje batemos o recorde de público com 1.400 participantes, 150 colaboradores, 125 cidades e 663 empresas. É uma alegria ver gente de inúmeras regiões aqui, disponíveis para saber mais sobre Customer Experience, um assunto cada vez mais necessário para as marcas”, avalia.

A palestra de abertura foi ministrada por Andrea Iorio, CDO da L’Orèal , que abordou o tema “6 competências para surfar na transformação digital”. Em sua fala, Andrea compartilhou dicas sobre as competências básicas para que qualquer pessoa possa se desenvolver no mundo corporativo digital. “Precisamos todos entender como a flexibilidade cognitiva, a execução inovadora, o conhecimento sobre comportamento humano, o pensamento crítico, o crescimento sustentável e o altruísmo digital podem garantir o seu futuro e o seu sucesso”, explica.

Manoel Carlos Jr., autor do 1º livro sobre Experiência do Cliente do Brasil, falou sobre “A viagem fantástica pela experiência do cliente”. “Estamos em um tempo em que precisamos contar boas histórias, as pessoas precisam disso. Uma forma de fazer isso, por exemplo, é utilizando os 5 sentidos, isso é memória afetiva e há marcas que investem nisso e se dão super bem”, explicou o autor, colocando exemplo marcas como a Reserva e Tiffany. Além disso, também deu dicas para as marcas e conduziu o público à reflexão: “Precisamos sempre pensar no que fazer e como fazer, buscar as dores, resolver situações e fazer isso com amor, o segredo é ser apaixonado pelo que se faz”, finaliza.

No decorrer do dia, Caio Poli, da 99app; Cláudia Vale, da EID Instituto e Flow;Fabio Borges, da InSearch; Fabiana Dutra, da Fiat; Billy Nascimento, da Forebrain; Prof. Gil Giardelli; e Thiago Quintino, da FastShop, foram nomes que passaram pelo palco do CX Summit. O evento acontece até o dia 28.

Wolters Kluwer Health nomeia Fabio Miyagawa como novo gerente de marketing para a América Latina

A Wolters Kluwer Health, líder mundial em fornecimento de informações para profissionais e estudantes da área de saúde, tem um novo gerente de marketing. Fabio Miyagawa possui ampla bagagem profissional em marketing no setor de tecnologia, atuando especialmente com mercados da América Latina e América do Norte. O executivo também possui experiência com marketing B2B em diversos segmentos como saúde, varejo, supply chain management, além de manufatura.

Miyagawa estará à frente da estratégia de marketing da Wolters Kluwer Health para toda a América Latina, com o objetivo de planejar e implementar ações que contribuam para ampliar o alcance e a adoção de soluções de efetividade clínica da companhia na região. O foco do trabalho estará centrado nos hospitais e profissionais e instituições de saúde. “Temos como meta posicionar e incentivar ainda mais a utilização das soluções baseadas em evidência da Wolters Kluwer Health, que ajudar a melhorar a Efetividade Clínica contribuindo para a redução da variabilidade do cuidado. Os recursos de suporte à decisão clínica fazem toda a diferença não só no quesito efetividade clínica, mas também contribuem com o aprimoramento da gestão da qualidade e atenção à saúde”, ressalta Miyagawa.

As soluções da WoltersKluwer Health estão entre as mais usadas e reconhecidas pelos médicos e estudantes de medicina no mundo. Além do Uptodate – que é a ferramenta líder global em suporte à decisão clínica, utilizada por cerca de 1,8 milhão de profissionais de saúde em mais de 180 países – o portfólio de Efetividade Clínica da Wolters Kluwer Health no Brasil é composto pelas soluções de Clinical Drug Information Lexicomp e MediSpan , que incorporam a informação e tecnologia necessárias para fortalecer a tomada de decisão sobre medicação. Ao todo são mais de 2,5 mil hospitais, 43 mil drogarias, quatro das cinco maiores redes de farmácia, e sete dos dez prontuários melhores classificados no KLAS.

Confiança da Indústria avança em novembro

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas avançou 1,7 ponto em novembro, na comparação com o mês anterior, para 96,3 pontos, maior nível desde maio de 2018 (97,2 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice subiu pela primeira vez desde março de 2019, ao passar de 95,3 pontos para 95,5 pontos.

“Embora o ICI permaneça em nível baixo em termos históricos, o avanço de novembro foi expressivo e bastante disseminado entre os setores industriais. Por esse ponto de vista, o resultado parece favorável, mas há que se considerar que esse movimento se respalda essencialmente na melhora das expectativas, e que a confiança ainda permanece em patamar baixo em termos históricos. Contudo, vale ressaltar que a maioria dos indicadores sem ajuste também avançaram na comparação interanual, sugerindo que o quarto trimestre de 2019 será melhor do que 2018”, comenta Renata de Mello Franco, economista da FGV/IBRE.

Mais informações sobre os resultados abaixo. Dados completos no Portal IBRE, no link http://bit.ly/2QYthND .

Startup de brasileiro fecha parceria com multinacional Nvidia

Startup focada em salvar vidas com sistemas de segurança que usam tecnologia de inteligência artificial, a Aiquimist, comandada pelo jovem programador brasileiro Nicholas Guimarães, 22 anos, acaba de fechar a parceria dos sonhos de toda empresa nascente. A Nvidia Corporation, multinacional de tecnologia com sede na Califórnia (EUA), acaba de inclui-la em seu programa Inception (espécie de banco de soluções a nível mundial), que dará todo o suporte necessário – inclusive de cientistas seus – para a startup continuar aperfeiçoando seu algoritmo de segurança até torna-lo vendável a nível mundial.

A Nvidia é responsável pela explosão recente da A.I. (Artificial Intelligence), com a geração de tecnologias que tornaram possível explorá-la em projetos de atendimento por chat em e-commerce e de assistentes de aparelhos celulares, como a Siri do Iphone, por exemplo. Ter colocado a Aiquimist “debaixo de seu guarda-chuva” é uma prova irrefutável de que enxerga grande potencial nos projetos da startup.

O mais ambicioso desenvolvido pela Aiquimist, até agora, é o AllSeenEye, que, conectado a câmeras de vídeo, consegue detectar, em tempo real, o porte de armas de fogo. Ainda emite alertas imediatos (para polícia e todo tipo de usuário) sobre o local e o tipo de armamento detectado. A tecnologia ainda pode emitir alertas para que pessoas nas proximidades de ataques se afastem, e até avisos para as redes sociais interromperem eventual transmissão ao vivo de um episódio envolvendo arma de fogo.

“Esse projeto de armas é 100% para proteger pessoas”, define o programador Nicholas. Ele teve a ideia de trabalhar no algoritmo após conhecer e avaliar sistemas de reconhecimento facial usando A.I. desenvolvidos por chineses, israelenses e russos.

Refletindo sobre a facilidade com que esses sistemas podem ser “enganados” apenas com o uso de óculos e boné por quem não quer ser reconhecido pelas câmeras de segurança, questionou-se: “Sempre que acontece algum ato que coloca as pessoas em risco tem uma arma de fogo envolvida. Por que não desenvolver um algoritmo de reconhecimento de armas? “. E começou a desenvolver e treinar a rede neural, que já é capaz de identificar armas de fogo curtas ou longas (pistola, revólver, fuzil, escopeta) em filmagens de vídeo.

Segundo o jovem programador, a ideia inicial é que o sistema seja utilizado por governos, em câmeras de segurança de escolas, aeroportos, estações de trem e ônibus ou no trânsito, por exemplo. Mas empresas privadas, como agências bancárias, estádios e shoppings, também podem se beneficiar dele. Em qualquer hipótese, trata-se de uma ferramenta para proteger vidas, por meio de uma verificação sistemática e constante das imagens das câmeras. Ao contrário do monitoramento humano, este não para e tem condições de checar numerosas câmeras 24 horas por dia.

Votorantim apresenta soluções inovadoras no CASE 2019

O Centro de Excelência da Votorantim participará nos dias 28 e 29 de novembro da 6ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo – Case 2019 – maior evento latino-americano voltado para startups no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

O Centro de Excelência da Votorantim estará presente apresentando duas de suas soluções mais inovadoras: Avaliei – empresa de soluções tecnológicas que fornece ferramentas de avaliação imobiliária por meio de uma plataforma online; e Loss Prevention – solução com foco em aumentar os ganhos e evitar perdas financeiras.

A expectativa é que 10 mil pessoas circularão nos dois dias do evento que trará conteúdos focados no futuro da inovação. Informações e inscrições pelo site http://case.abstartups.com.br.

Avaliei
A Avaliei é uma empresa de soluções tecnológicas que fornece ferramentas de avaliação imobiliária por meio de uma plataforma online. É a primeira startup do Centro de Excelência da Votorantim.

O principal diferencial da solução é tornar o processo mais ágil e assertivo, integrando tecnologias como Geo Data Analytics e Inteligência Artificial, em conjunto com dados de mercado, econômicos e sociais, aliados à expertise imobiliária. Além disso, otimiza recursos ao trabalhar com uma base de engenheiros cadastrados que atuam sob demanda para a realização de vistoria técnica aos imóveis avaliados.

A solução atende a todas as necessidades de avaliação de imóveis, seja para pessoas físicas ou jurídicas, mas tem como foco de atuação o atendimento a instituições financeiras que concedem crédito com lastro imobiliário e que precisam de informações e atualizações rápidas e precisas.

Loss Prevention

Erros, desperdícios e abusos podem levar a perdas que comprometem a rentabilidade. Quanto antes forem detectadas anomalias e fraudes, maiores serão as chances de evitar perdas.

O software, concebido no modelo SaaS (Software as a Service), pode ser adaptado para diferentes demandas como transações com parceiros de negócios, despesas de viagem dos funcionários e pagamentos externos. As vantagens da ferramenta são: detectar transações anômalas mais cedo; simplificar esforços de triagem; melhorar a precisão da detecção a um custo menor; prevenir futuras anomalias; e dissuadir atividade suspeita.

A tecnologia de processamento em memória ajuda a equipe a realizar um processo rápido e de análises de dados históricos. Além disso, usando critérios granulares, é possível reduzir o número de falsos positivos.

CASE 2019

Data: 28 e 29 de novembro de 2019, das 10h às 20h

Local: Transamérica Expo Center

Endereço: Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387, Santo Amaro – São Paulo, SP

Informações e ingressos: http://case.abstartups.com.br

Tags,

Linx e Magalu anunciam criação de parceria inédita que conecta o Marketplace às lojas físicas

A Linx, líder e especialista em tecnologia para o varejo, e o Magalu, a principal plataforma digital voltada para o varejo do Brasil, acabam de anunciar uma parceria que vai permitir que sellers do marketplace do Magalu utilizem seus pontos físicos como opção de entrega para seus produtos vendidos na plataforma da companhia. Agora, quando um cliente fizer uma compra no site do Magalu ou Netshoes, de um produto vendido por um seller, na hora da escolha da forma de entrega, ele poderá optar por retirar o produto na loja física daquele parceiro.

Para ter acesso ao modelo de entrega em loja física, o seller do Magalu precisa ser usuário do Linx OMNI OMS (Order Management System). Com essa aliança, o consumidor poderá reduzir prazo de entrega e custo do frete na compra de seus produtos. A solução permite que o cliente tenha acesso a dados de geolocalização, que mostram as lojas mais próximas que podem entregar seu produto de forma rápida e com mais conveniência. Caso a opção seja receber a compra em casa, os sellers podem utilizar os serviços dos parceiros logísticos do Magalu e da Linx.

Esta experiência tornou-se viável através dos investimentos em tecnologia da Linx no tema de Omnicanalidade. Com o lançamento desta sua solução, a empresa se consolida como a maior referência no tema, no País – além de permitir que várias marcas líderes possam promover a transformação digital na relação com seus consumidores.

“Estamos fazendo história, promovendo uma experiência real de Omnichannel, conectando a audiência incrível do Magalu com marcas admiráveis que transformaram a loja física também em showroom e centro de distribuição”, explica Jean Klaumann, vice-presidente da Linx Digital.

“Por meio da tecnologia, transformamos o Magalu em uma plataforma digital. Agora, queremos, ajudar o seller analógico a se digitalizar e elevar o nível do serviço oferecido. Com essa solução da Linx, as empresas analógicas poderão disponibilizar os produtos de seu catálogo do ponto físico na plataforma de vendas do Magalu”, afirma Leandro Soares, diretor executivo de marketplace do Magalu. “A multicanalidade é outro ponto muito importante da nossa estratégia. Sabemos o quanto nossos clientes gostam de ter a opção de retirar em loja e, com essa parceria, vamos oferecer essa facilidade nos pontos físicos dos sellers”.

Experiência completa em todos os canais

A Linx tem se mostrado um parceiro tecnológico completo para varejistas que buscam integrar canais físicos e online, assim como potencializar o e-commerce. Por isso, a empresa consegue oferecer ao varejo ferramentas que viabilizam parcerias como essa estabelecida com o Magazine Luiza, que geram benefícios para o lojista, as marcas que vendem por meio dele e ao consumidor final.

Além de todos os benefícios que a parceria promete, o fluxo nas lojas físicas também deve aumentar. Por conta disso, o varejista poderá vender mais produtos durante a visita de um consumidor que apareceu apenas para retirar um item comprado online.

Cognizant abre vagas de emprego para programadores

A Cognizant , uma das empresas líderes mundiais em tecnologia e negócios, realiza nos dias 30 de novembro e 1.º de dezembro, o primeiro Hackathon Day, com o objetivo de desenvolver profissionais que estão iniciando a carreira na tecnologia Mulesoft.
O Hackathon é um evento que reúne programadores para trabalhar em grupo, com um case específico ou em soluções para um ou mais projetos, o que permite o desenvolvimento de habilidades técnicas e pessoais, como trabalho em equipe e pensamento ágil.

“O universo de recrutamento e seleção se reinventa a todo instante, e, quando o assunto é seleção para vagas de tecnologia, os hackathons têm sido uma opção interessante para empresas que desejam recrutar talentos para atuar com determinadas ferramentas”, afirma Carla Catelan, responsável pela área de aquisição de talentos da Cognizant no Brasil.

Ainda de acordo com Carla, serão 15 horas de aprendizado, que envolve trabalho em equipe, programação, contato com uma plataforma de APIs e networking com os melhores profissionais de tecnologia da Cognizant.

O Hackathon Day será realizado no escritório da Cognizant, em São Paulo. Para participar, os estudantes precisam ter experiência em desenvolvimento de software, inglês intermediário ou avançado e se candidatarem por aqui:
http://www.walljobs.com.br/vagas/hackaton-day-cognizant-rua-jaceru-151-vila-gertrudes-sao-paulo-sp-04705-000 ou http://bit.ly/hackathon_day.

Em plataforma de rastreio do EBANX, consumidor pode acompanhar encomendas da Black Friday e informações sobre o despacho postal

O EBANX, fintech que cria soluções de pagamentos para latino-americanos acessarem produtos e serviços globais, oferecendo métodos locais como boleto e parcelamento, acaba de lançar uma nova versão do EBANX Track, plataforma de rastreio de compras online criada pela empresa. Consumidores poderão acompanhar a entrega de pedidos feitos em sites nacionais e internacionais, inclusive durante as promoções da Black Friday, que tiveram início nesta semana.

Com base em informações de mais de 600 transportadoras de todo o mundo, o EBANX Track consegue localizar uma encomenda mesmo antes de ela entrar no território nacional, utilizando o código de rastreio fornecido pelos sites em que a compra foi feita.

Entre as novidades do EBANX Track, estão:

Aviso sobre o pagamento do despacho postal: o despacho postal é uma taxa que passou a ser cobrada no ano passado pelos Correios, sobre encomendas internacionais, para processos de tratamento aduaneiro. Quando um pacote é taxado, o consumidor deve pagar o valor de R$ 15 aos Correios para que a encomenda seja liberada para entrega. Com base no código de rastreio, o EBANX Track consegue alertar o usuário se sua encomenda está sendo taxada pelo serviço de despacho postal. O usuário pode acessar, pela própria plataforma, um link que o direciona para a página de pagamento dos Correios. Desta forma, o processo ganha em agilidade e velocidade, e o pedido pode ser retirado em menos tempo;

Envio de notificações: pode ser feito por email e push, diretamente no navegador do usuário. O consumidor pode ainda atribuir um nome à encomenda, acabando com a confusão dos códigos de rastreio. Cada pacote poderá ser identificado com termos como “fone de ouvido do site X”, “camiseta do site Y”, etc;

Mais informação sobre o status do pedido: para saber onde o pacote se encontra em tempo real, o EBANX Track disponibiliza o status do pedido, com local de origem, destino e localização atual, em qualquer lugar do mundo.

Em um ano de funcionamento, a plataforma já atendeu 2 milhões de pessoas, rastreou 2,3 milhões de pacotes e recebe em média 300 mil usuários ativos por mês. Idealizado pelo EBANX, o EBANX Track traz em seu DNA a expertise da fintech, que há sete anos trabalha processando pagamentos de compras feitas em sites globais de comércio digital.

“A experiência de compra online envolve mais etapas do que apenas a navegação no site e o pagamento. Uma delas é a espera pela chegada do produto. Saber o caminho do seu pacote, desde a saída do país de origem até sua casa, é uma forma de visibilidade que gera confiança. O objetivo principal do EBANX Track é deixar a experiência de compra ainda melhor”, afirma Ariel Patschiki, diretor de produto para end user do EBANX.

Como parte dessa proposta, além do rastreio, o EBANX Track também oferece diversos conteúdos em vídeo e em texto relacionados a informações e serviços sobre compras internacionais, como explicações sobre o que é o despacho postal, saber em qual agência dos Correios está uma encomenda, prazos de entrega, entre outros.

Na outra ponta, a ferramenta também melhora a experiência para as empresas de e-commerce que operam com o EBANX: o EBANX Track disponibiliza aos sites clientes da fintech um dashboard de controle logístico, em que os sites podem acompanhar o envio de seus produtos de forma unificada e atuar de forma preventiva caso identifiquem algum gargalo logístico na cadeia de entrega.

Atualmente disponível em português e espanhol, o EBANX Track pode ser acessado pelo site track.ebanx.com, e irá ganhar uma versão em aplicativo até o primeiro trimestre de 2020, que poderá ser baixado gratuitamente tanto no sistema iOS quanto Android.

Tags, ,