Page

Author admin

Intelbras anuncia aquisição da catarinense Khomp

A Intelbras (INTB3), indústria brasileira catarinense com 45 anos de história, anuncia a sua maior aquisição, com a compra de 75% da empresa Khomp. O objetivo é complementar a linha de produtos e soluções tecnológicas da Intelbras e a ação faz parte da estratégia que visa o crescimento sustentável, expansão da capacidade produtiva e comercial da companhia. As operações de ambas as empresas continuarão independentes.

“Um dos objetivos de nos tornarmos uma empresa de capital aberto foi incrementar o crescimento sustentável, ágil e a perenidade dos negócios, portanto realizar uma aquisição tão importante e estratégica apenas dois meses após a nossa estreia na B3 demonstra o comprometimento com nossos acionistas, parceiros, colaboradores e consumidores. A adição da Khomp ao Grupo Intelbras* amplia nosso mercado de atuação e o nosso portfólio de produtos”, comenta Altair Silvestri, CEO da Intelbras.

A Khomp, que tem sua matriz em Florianópolis (SC), possui 231 colaboradores, sendo mais de 50% do efetivo alocado em P&D. É uma empresa com 25 anos de história, e assim como a Intelbras, é referência no desenvolvimento tecnológico de produtos e serviços nas áreas de Telecom, com destaque para soluções, softwares e produtos de grande porte, Controle de Acesso e IOT para agronegócio, saúde, smart cities e energia, com foco mais direcionado à contact center, operadoras/ISP, órgãos públicos e iniciativa privada. A empresa possui atuação consolidada no mercado nacional e na América Latina, e seus negócios vem crescendo com base em receita recorrente, de modo que já representa 40% de seu faturamento.

“O apoio da Intelbras, como sócia, ajudará a Khomp a fomentar as áreas de sistemas de comunicação, dispositivos de controle de acesso e Internet das coisas trazendo a força e experiência desta importante corporação e uma infinidade de aproveitamento das sinergias.” comenta Giancarlo G. Macedo, principal executivo da Khomp.

“Já demos início à utilização de parte dos recursos adquiridos na nossa oferta primária de ações com esta aquisição, pois a empresa tem total aderência com o desenvolvimento de produtos e tecnologias de comunicação, redes e controle de acesso, o que irá ampliar os negócios B2B da Intelbras”, complementa Silvestri.

Investimentos em expansão e crescimento

Para sustentar os planos de crescimento para os próximos anos, além de investir em aquisição de empresas consolidadas no mercado como a Khomp, a Intelbras está investindo R$ 460 milhões para otimizar sua expansão orgânica e inorgânica ao longo dos próximos 18 meses. Desse valor, R$ 170 milhões serão utilizados na ampliação da capacidade produtiva e incremento das Unidades da Intelbras nas cidades de São José (SC), Tubarão (SC), Santa Rita do Sapucaí (MG) e Manaus (AM).

“Somos uma empresa brasileira sempre próxima por essência, esse é o nosso lema e o princípio que rege as nossas relações com toda nossa cadeia de valor. Nossos produtos e soluções tecnológicas aproximam e conectam pessoas, empresas e comunidades e isso só é possível, entre outras ações, ao nosso investimento em crescimento sustentável e orgânico. Temos certeza de que a aquisição da Khomp incrementará ainda mais ampliação dos negócios coorporativos da Intelbras”, finaliza Silvestri.

Vendas no delivery cresceram 101% durante a Páscoa

Com restrições de movimentação e o fechamento das lojas físicas, as vendas de refeições via delivery foram agitadas e registraram crescimento no final de semana de Páscoa deste ano. O volume mais que dobrou, com aumento de 101% comparado com o mesmo período em 2020, segundo dados da Linx, líder em tecnologia para o varejo.

De acordo com a mesma base de dados, na Páscoa de 2020, que já registrava os primeiros fechamentos do comércio por conta da covid-19, os pedidos via delivery praticamente triplicaram, com crescimento expressivo de 191% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando ainda não havia pandemia.

Para a Linx, os números evidenciam a consolidação da cultura do delivery, essencial para os restaurantes manterem as vendas durante a pandemia. No Carnaval deste ano, por exemplo, a tendência já podia ser notada: os pedidos cresceram 276% em relação ao Carnaval de 2020.

Ao todo, 240.399 pedidos via delivery foram analisados nos finais de semana de Páscoa (sexta, sábado e domingo) durante os três últimos anos. Em 2020 e 2021, em que a Páscoa aconteceu em meio a pandemia, os dias com mais vendas foram aos sábados, seguidos por sexta-feira e domingo. Em 2019, as vendas no delivery cresceram progressivamente desde a sexta-feira até alcançar o pico no domingo de Páscoa.

O papel do CFO na prevenção, detecção e investigação de fraudes

Por Antonio Gesteira


A sigla CFO, que representa no universo corporativo internacional a figura do profissional a função de um “Chief Financial Officer” ou diretor financeiro na tradução para o português, num contexto mais simplista, é o cargo definido como um executivo sênior com a devida responsabilidade pelos assuntos financeiros de uma empresa ou instituição.

Entretanto, podemos observar por meio de estudos e pesquisas recentes, que a função do diretor financeiro evolui de forma significativa com o passar dos anos. No passado, suas funções se resumiam a organizar as finanças e a contabilidade, preparar as demonstrações financeiras e adotar uma postura mínima de compliance regulatório.

Agora, o dia a dia dessa profissão requer um olhar interno e externo da organização e isso envolve um conjunto de atribuições ligado a orçamento, recursos humanos, departamento jurídico, tecnologia da informação, operações e logística, relações com investidores e, principalmente, finanças, planejamento e controle.

Mas esta supervisão vai além. Pesquisas que estão em linha com as novas perspectivas dos diversos setores de indústria apontam que, no exercício de suas funções, o chamado “novo CFO” deve incluir na agenda um olhar também cuidadoso sobre temas de riscos atuais, como a adoção de tecnologias digitais, a privacidade, gestão de identidade e segurança da informação, as soluções disruptivas e novas tecnologias, assim como as ameaças cibernéticas.

Somado a este cenário, outro ponto de preocupação ligado ao papel do CFO na gestão dos riscos empresariais está relacionado a atuação do CFO na prevenção, detecção, investigação de fraudes e desvios de conduta. Uma reflexão que podemos promover é se compete ao CFO a função de aplicar as medidas antifraude, bem como uma atuação mais proativa no sentido de evitar que esquemas financeiros e casos de assédio se perpetuem.

Em muitas organizações, a segunda e a terceira linhas de defesa estão sob responsabilidade do CFO, entretanto, muitas vezes não temos como afirmar que compete única e exclusivamente ao CFO a liderança do programa antifraude, assim como garantir que os erros, as fraudes ou desvios de conduta não ocorram.

Chamamos a atenção para o índice de turnover envolvendo a função de finanças, principalmente para cargos de liderança, dentre eles a posição de diretor financeiro. Em uma análise, ainda que preliminar, observamos que o tempo médio de um CFO na função tem sido de três anos, o que pode significar o insucesso de organizações em cumprir um ciclo completo de diagnostico, desenho, implementação e operação de programas mais robustos de prevenção, detecção e apuração de casos de fraudes e desvios mais complexos.

Como forma de auxiliar no processo de transformação da função de finanças sobretudo para os aspectos de riscos aqui abordados, elencamos algumas ações que podem ajudar a compor a lista de prioridades e que temos chamado de “agenda do CFO”. As atividades envolvem desde a realização de avaliação de riscos e fraudes nos processos críticos, implementação de mecanismos para garantir a segregação de funções e acessos, adoção de indicadores chave com o uso de análises de dados, avaliação de riscos de integridade e potenciais desvios de conduta de terceiros e colaboradores, assim como o reforço nos controles da primeira e segunda linha de defesas.

Esta agenda também deve envolver o fortalecimento do uso dos canais de captação das denúncias, monitoramento dos riscos de continuidade de negócios – incluindo Cyber, estabelecimento de protocolos robustos de apuração de denúncias de fraudes e desvios de conduta, elaboração e comunicação adequadas do plano de ações envolvendo também o ESG junto ao Conselho e implementação de ações de governança, riscos e compliance em linha com a agenda regulatória, incluindo Privacidade de Dados.

Se por um lado, dependendo do caso, podemos encontrar limitações ao imputar responsabilidades por falhas nos controles preventivos e detectivos ou que motivaram fraudes e desvios, por outro o CFO, diretor financeiro e equipe sob sua gestão, deve exercer um papel fundamental na aderência aos programas de governança, gestão de riscos e compliance bem como na manutenção do ambiente de controles internos adequado.

Antonio Gesteira, diretor executivo e líder das práticas de forense investigativo e computacional, auditoria interna e consultoria financeira da ICTS Protiviti

Mitsubishi Electric investe globalmente U$ 2 bilhões em P﹠D

Embora a pandemia tenha sido determinante para esse declínio, não é o principal culpado. A participação das atividades industriais no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro vem apresentando decréscimos desde a década de 1990, com maior intensidade a partir de 2016.

A queda de investimentos na aplicação de recursos e modernização nas linhas de produção provocou a diminuição da produtividade, dificultando a competitividade. Além disso, o custo brasil e a sobrevalorização cambial dificultaram a retomada. Nesse cenário, vimos uma debandada de indústrias do país, principalmente, do setor de automóveis, devido às altas taxas de importação para manter a produção local.

De outro lado, a divisão de automação industrial da fabricante japonesa, a centenária Mitsubishi Electric, cresceu mesmo diante da crise. Em 2020, a companhia registrou crescimento de cerca de 12% no Brasil, em comparação com o ano anterior. De 2014 a 2020, triplicou o faturamento. Para 2021, a empresa planeja dobrar o faturamento e se consolidar como um dos principais players do setor industrial.

A corporação investiu aproximadamente U$ 2 bilhões em pesquisa e desenvolvimento para apoiar importantes negócios e desenvolver soluções inovadoras em todas suas áreas de atuação. Foi também a segunda empresa em todo o mundo a registrar o maior número de novas patentes em 2019, classificando-se entre as 10 melhores internacionalmente nos últimos seis anos consecutivos.

As últimas inovações da Mitsubishi Electric estão ligadas à Indústria 4.0 e, consequentemente, à inteligência artificial, possibilitando que as indústrias melhorem a produtividade e retomem o crescimento.

Hypera Pharma lança segunda edição do programa de conexão com startups, HyperaHub

A Hypera Pharma, uma das maiores empresas farmacêuticas do Brasil, lança nesta sexta-feira, 9/4, a segunda edição do HyperaHub, seu programa de conexão com startups gerenciado pela consultoria em gestão da inovação Innoscience. O programa foi desenhado a partir da seleção de 17 desafios, que buscam otimizar processos operacionais e negócios já existentes no dia a dia da companhia.

Presente em todos os segmentos relevantes do setor farmacêutico, a Hypera Pharma é líder em diversas categorias, com um extenso portfólio de marcas tradicionais como Addera D3, Benegrip, Buscopan, Doril, Engov, Gelol, Merthiolate, Neosaldina, Epidrat, Episol, Neo Química e Mantecorp Farmasa.

A primeira edição do programa, que contou com mais de 200 startups inscritas, realizou a execução de 12 pilotos e está negociando a contratação de 9 startups nos segmentos de RH 4.0, Indústria 4.0, Analytics e Novos Produtos, Serviço ou Tecnologias.

Com um portfólio diversificado, este ano o programa traz desafios nas frentes de Marketing & Vendas, Operação & Industrial, Novos Negócios e P&D e Produto & Sustentabilidade.

Embalagens sustentáveis, Soluções digitais para P&D, Gerenciamento logístico, Eficiência na Execução do PDV e Adesão ao tratamento de doenças crônicas são alguns dos desafios elencados pela empresa para melhorar demandas já existentes em suas operações.

“O programa traz para as startups uma oportunidade para testar suas soluções com uma das maiores farmacêuticas do País, além da possibilidade de geração de negócios de forma rápida”, comenta Maximiliano Carlomagno, sócio-fundador da Innoscience. “Isso sem falar no potencial de escala, networking e visibilidade pela chancela de uma empresa líder em seu setor.”

As startups interessadas poderão se inscrever até 21 de maio de 2021, pelo site http://www.hyperahub.com.br/. As empresas selecionadas serão convocadas para um pitch day, previsto para ocorrer em junho. Aquelas que forem aprovadas passarão por um período de imersão. As selecionadas devem ainda executar um projeto piloto ou prova de conceito, em ambiente comercial, para assim validar a aderência de suas soluções às necessidades da farmacêutica.

Ao final do programa, as startups participantes poderão se tornar fornecedoras ou parceiras estratégicas da companhia.

next faz integração com programa da Visa e clientes podem escolher causas que receberão doações

A integração entre next e a plataforma Vai de Visa busca estimular o engajamento de clientes com ações sociais por meio do programa Visa Causas, promovendo ONGs e Instituições em todo o país. No aplicativo do banco digital, clientes podem escolher instituições ou causas de sua preferência e, a cada pagamento feito com o cartão next, a Visa realizará automaticamente uma doação para a causa social escolhida pelo consumidor.

No total, são cinco causas disponíveis, cada uma apoiando diferentes instituições, como: saúde (Doutores da Alegria, ICI – Instituto do Câncer Infantil e Instituto Verter), animais (Ampara Animal, Instituto Luisa Mell e Projeto Tamar), crianças e adolescentes (Casa do Zezinho, Fundação Gol de Letra, Instituto Guga Kuerten, Instituto Reação e Projeto Guri), educação e capacitação (Instituto Ayrton Senna, Instituto Gerando Falcões, Instituto Muda Brasil e Vaga Lume), e idosos (Grupo Vida Brasil e Instituto Velho Amigo).

Para Jeferson Honorato, Diretor do next, “a iniciativa se conecta com os pilares do next de levar soluções que façam os sonhos e aspirações dos nossos clientes acontecerem, permitindo, ao mesmo tempo, que eles ajudem a fazer uma sociedade melhor ao contribuir com várias causas sociais de forma confiável e muito prática”.

“O Visa Causas é um sucesso em todo o país com mais de 255 milhões de doações já realizadas pela Visa. Com essa integração, o next passa a oferecer aos seus clientes uma experiência mais simples para contribuir de forma efetiva com diversas causas sociais. Acreditamos na força transformacional desse Programa, que contribui para o desenvolvimento do país e para as instituições sociais que estão empenhadas nesse mesmo desafio”, conta Sergio Giorgetti, vice-presidente de Marketing da Visa do Brasil.

A novidade fica disponível para todos os clientes até o final desta semana.

São Paulo é destaque em ranking internacional que aponta as “Megacidades do Futuro”

Lista do grupo Financial Times classifica as principais cidades nas perspectivas de atração de investimento estrangeiro, desenvolvimento econômico e expansão dos negócios

A cidade de São Paulo foi incluída no “Global Cities of the Future 2021/ 2022“, ranking internacional elaborado pela consultoria fDi Intelligence. O município ocupa o quarto lugar na lista das dez “Megacidades do Futuro” com melhores estratégias para atração de Investimento Estrangeiro Direto (IED) e o décimo lugar, entre as megacidades, na perspectiva “Capital Humano e Estilo de Vida”.

A participação da capital paulista nesse ranking foi articulada pela Secretaria Municipal de Relações Internacionais. Entre os destaques da candidatura de São Paulo está o Programa de Desestatização Municipal, que reúne projetos de privatizações, concessões e parcerias público-privadas (PPPs) para descentralizar as decisões da administração local. Nesse sentido, vale pontuar a atuação da São Paulo Investimento e Negócios (SPIN), a agência de promoções de investimentos e exportações do município, no apoio às empresas e aos projetos prioritários de investimentos da cidade, e também no suporte institucional e processual aos interessados em investir no município.

ranking “Global Cities of the Future 2021/ 2022” também considerou o potencial da cidade de São Paulo em reunir soluções inovadoras, a localização estratégica, mão de obra qualificada, oferta de serviços e qualidade de vida aos moradores. A lista das cidades mais bem avaliadas foi publicada na edição de Fevereiro/Março da revista fDi Magazine, que faz parte do grupo Financial Times. Para a seleção, foram consideradas os pontos fortes econômicos, financeiros e de negócios de 129 cidades de todo o mundo. Clique aqui para conferir a edição digital da revista.

A cidade de São Paulo é a única brasileira participante desse ranking. A capital paulista é responsável por 10,6% do PIB brasileiro e, mesmo com a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, continua recebendo investimentos e interesses empresariais, por conta da infraestrutura da cidade, seu capital social, potencial econômico e ambiente de negócios. Outras cidades como Singapura (Singapura), Dubai (Emirados Árabes), Londres (Reino Unido), Nova York (Estados Unidos), Xangai (China) e Buenos Aires (Argentina) também figuram entre as classificações do ranking.

ThoughtWorks amplia modelo de trabalho flexível e anuncia vagas para home office no Brasil

A ThoughtWorks, consultoria global de software presente em 17 países, oficializou, neste mês, a possibilidade de trabalho em home office definitivo para novos e atuais funcionários da empresa no Brasil. Os processos seletivos mais recentes já vêm considerando a opção.

A oferta de vagas em home office faz parte da nova política de trabalho anunciada pela empresa, que inclui ainda o modelo de trabalho híbrido, no qual os funcionários poderão alternar dias trabalhando em casa e no escritório, assim que for possível o retorno seguro aos espaços físicos. Atualmente, todos os funcionários da consultoria estão cumprindo suas funções remotamente.

A empresa já vinha investindo em iniciativas para evoluir sua política de trabalho antes mesmo da pandemia. O modelo híbrido, por exemplo, já era parte da realidade da ThoughtWorks. Com a chegada da Covid-19, a consultoria apostou em estudos de tendências e pesquisas externas e internas para evoluir sua política de trabalho, tendo como objetivo não apenas se adaptar ao momento que vivemos, mas também se preparar para diferentes possibilidades no futuro.

As adaptações são parte desse trabalho de flexibilização como foco em employee experience, que é um dos norteadores da empresa. A possibilidade de escolha do formato de trabalho de preferência, para novos e atuais funcionários, tem como objetivo principal conciliar diferentes necessidades individuais com as necessidades do negócio.

Um dos desafios que a mudança traz para a ThoughtWorks é o fortalecimento da cultura entre um quadro de pessoas cada vez mais distribuído. Com presença em 17 países, a empresa já contava com uma experiência de mais de 25 anos de atuação global e pioneirismo em metodologias ágeis, o que foi fundamental para a transição bem sucedida de todos os funcionários para o trabalho remoto no início da pandemia. Desde então, a consultoria vem adaptando suas práticas de trabalho, iniciativas de desenvolvimento de pessoas e comunidades internas para garantir a evolução da cultura da ThoughtWorks em uma realidade que impõe novas relações com espaços físicos.

A expectativa da empresa é que o modelo flexível consiga, além de atender a diferentes contextos, ampliar as possibilidades de recrutamento de novos talentos. Com uma previsão de crescimento de 35% do seu quadro de funcionários no Brasil em 2021, a ThoughtWorks acredita que a opção de trabalhar de qualquer lugar do país ajude na construção de uma empresa ainda mais diversa. Uma das metas da consultoria que deve ser beneficiada pela mudança é a de aumentar a diversidade racial entre os contratados, já que a empresa poderá buscar talentos em cidades em que a população negra é maioria.

Entre os perfis mais buscados pela ThoughtWorks estão desenvolvedores de software front-end e back-end, desenvolvedores mobile iOS e Android, engenheiros de dados, analistas de qualidade, analistas de negócios e gerentes de projetos de software.

Crescimento

A novidade está em sintonia com o momento de crescimento da ThoughtWorks no mundo. Em 2021, a empresa recebeu um aporte de US﹩ 720 milhões de investidores, incluindo as empresas GIC, Siemens AG, Fidelity Management & Research LLC e Mubadala Investment Company. O investimento estipulou o valor da ThoughtWorks em US﹩ 4,6 bilhões.

Também neste ano, a ThoughtWorks expandiu sua presença na Europa ao adquirir a finlandesa Fourkind, especializada em combinar aprendizado de máquina e ciências de dados com estratégia, design e engenharia, e a Gemini Solutions Inc., sediada na Romênia e especializada em serviços de consultoria e desenvolvimento de software.

Além de desenvolver soluções inovadoras para seus clientes, a consultoria também tem forte atuação em projetos de impacto social, diversidade e inclusão. Em 2018, a ThoughtWorks Brasil provoveu, em parceria com a OLABI, organização social focada na democratização da tecnologia, um processo seletivo voltado a profissionais negros e, recentemente, realizou também um processo seletivo exclusivo para mulheres.

Para saber mais sobre os modelos de trabalho da ThoughtWorks e conhecer as vagas abertas, acesse: http://www.thoughtworks.com/futuro-do-trabalho .

Pitney Bowes Brasil anuncia novo Country Leader

A Pitney Bowes, empresa global de tecnologia que fornece soluções de comércio que alimenta bilhões de transações, anuncia o novo Country Leader da companhia do Brasil. Samuel Bellintani Caparrotti vai assumir o cargo a partir do dia 13 de abril.

Samuel é um executivo de negócios com mais de 19 anos de experiência em gestão de negócios B2B e estratégias comerciais e industriais. Já atuou em empresas multinacionais do segmento de equipamentos industriais e de máquinas. Além disso, tem amplo conhecimento em gestão e liderança de equipes de alto desempenho, quando se trata de Estratégia de Negócios, Vendas, Marketing, Manufatura, Engenharia, Qualidade e Gestão de Projetos.

“Com as constantes mudanças de mercado, nossos clientes exigem cada vez mais serviços de alta qualidade e para isso precisamos de um time de alto desempenho para atender esta demanda. Uma das minhas missões será trabalhar no desenvolvimento deste time, focando também no trabalho colaborativo e orientado a resultados, além de entender que os meus valores tem grande aderência à cultura da Pitney Bowes. Estou muito feliz de assumir o cargo e tenho certeza que serão muitos desafios pela frente, que eu estou pronto para enfrentar”, afirma Caparrotti.

Samuel dará início as suas atividades na Pitney Bowes após longo período trabalhando na Konecranes, onde atuou em diferentes posições executivas, e estava como General Manager para a América Latina.

A Transformação Digital e o próximo passo no RH 3.0

Por Paulo Oliveira, gerente de marketing da Apdata


As relações pessoais vêm mudando desde antes da pandemia, com a evolução gradual da tecnologia e a flexibilização de acordos trabalhistas. Em 2020, o mundo viveu um dos principais momentos no processo da transformação digital e o setor de recursos humanos precisou correr para se adaptar ao novo normal que veio para confrontar os processos tradicionais.

Uma pesquisa, conduzida pelo Instituto Locomotiva, apontou que 47% das empresas já começaram a se movimentar para adotar soluções de modernização no RH e outras 21% afirmaram que já utilizam métodos inovadores em seus processos, abrindo caminho também para as novas habilidades técnicas que devem surgir a partir dessa digitalização.

O Brasil caminha para um RH cada vez mais digital, caracterizado, principalmente, por mudanças de mentalidade em relação ao negócio e por um uso mais estratégico e integrado da tecnologia. E, nesse novo patamar, a transformação digital mostra uma nova maneira de tomar decisões, com base em dados e indicadores que direcionam as empresas a uma verdadeira convergência entre o mundo real e o virtual.

O processo de recrutamento, nesse contexto, também começa a ser totalmente modificado, quebrando paradigmas e promovendo uma cultura galgada no conhecimento e não mais no cumprimento de critérios e tradições que não conseguem medir ou avaliar talentos e aptidões.

As soluções de Onboarding chegam como a cereja do bolo para tornar esse conceito ainda mais enraizado em empresas de todos os tamanhos, facilitando as imersões, melhorando o engajamento e ajudando a reter colaboradores e reduzir custos, tão importante em tempos de incertezas.

As empresas que conseguirem avançar nessa transformação vão impulsionar seus processos para um patamar cada vez mais alto, construir uma relação cada vez mais humanizada que, hoje, pode ser o ponto de partida para um desenvolvimento realmente sustentável e contínuo a longo prazo.

Entram nessa conta, ainda, a segurança dos dados e economia de tempo, que permitem planejamentos mais objetivos, colaboradores mais focados no negócio e uma drástica diminuição do turnover, rotatividade e absenteísmo que, atualmente, são algumas das principais dificuldades enfrentadas pelas empresas.

Na prática, tais ferramentas têm o potencial de elevar a Gestão de Pessoas a um estágio de grande reconhecimento, que ultrapassa as barreiras da comunicação interna para revelar aos clientes os verdadeiros valores e cultura que são construídos e alimentados diariamente nas organizações.

O crescimento do comércio eletrônico e as tendências para 2021

Por Henrique Donnabella, Diretor Geral da Collinson Brasil

A pandemia de COVID-19 marcou o ano de 2020 como o maior acelerador do comércio eletrônico e o início de uma nova era para o varejo. Dados de uma pesquisa da McKinsey revelam que esse cenário global foi o responsável por gerar, em apenas 90 dias, mudanças no comércio eletrônico e no comportamento do consumidor que aconteceriam apenas em 10 anos.

Segundo o Movimento Compre&Confie, que reúne várias lojas do varejo brasileiro para a transformação do mercado digital, o e-commerce foi ampliado em 56,8% no ano passado se comparado aos primeiros meses de 2019. A América Latina foi, pela primeira vez, a região de maior destaque em relação ao crescimento do comércio eletrônico, registrando um aumento de 36,7%, de acordo com da dados levantados neste ano pela eMarketer.

Com um cenário de declínio econômico e as carteiras dos consumidores mais vazias, há uma maior necessidade de que as marcas de todos os setores verticais ajam e sejam mais relevantes para os clientes, gerando, crucialmente, mais receita. Vamos explorar por que e como as marcas devem ir além por seus clientes, buscando sempre a experiência mais excepcional, e destacar a importância dos dados e de fluxos de receita diversificados em uma era de convergência de pagamentos.

O mercado em evolução – aceleração do comércio eletrônico: a passagem das compras off-line para as compras on-line

Devido ao desenvolvimento tecnológicos e ao ambiente de pagamentos em rápida mudança, fazer compras on-line está muito mais fácil para os consumidores. A maneira como compramos e pagamos por nossos produtos e serviços segue em reinvenção. Com essa nova tecnologia de comércio sustentando os hábitos de compra do consumidor e seu comportamento de pagamento, o futuro ruma ao comércio eletrônico em uma velocidade estonteante.

As compras on-line agora dominam o panorama do comércio, e não apenas entre a geração mais jovem. A pandemia forçou uma geração mais velha de consumidores, comumente chamados de baby boomers, a abraçar o comércio eletrônico, e suas expectativas em termos de segurança, velocidade, simplicidade, transparência e valor são tão altas quanto as dos consumidores mais jovens.

O estudo da E-bit|Nielsen, empresa de mensuração e análise de dados, demonstra que em 2021 as vendas online tendem a continuar em crescimento. O levantamento prevê que o e-commerce deve crescer 26%, atingindo um faturamento de R﹩ 110 bilhões.

Com as expectativas dos consumidores em torno da experiência de comércio eletrônico mais altas do que nunca, a necessidade dos varejistas de fornecer uma experiência de e-commerce excepcional para seus clientes nunca foi tão essencial – desde uma entrega barata e eficiente no dia seguinte até provadores virtuais onde você pode experimentar roupas no conforto da sua própria sala de estar.

Encontrar novos clientes por meio de novos canais para impulsionar o ROAS

Com mais empresas precisando adotar o comércio on-line, juntamente com os desafios gerados pela pandemia para atender à demanda crescente e às expectativas ampliadas dos clientes, há uma necessidade crescente de que os varejistas encontrem novas maneiras de ser mais versáteis em suas estratégias para alcançar novos clientes e impulsionar o retorno sobre os gastos com publicidade (ROAS, de return on advertising spend).

Fora do Brasil, a cervejaria escocesa Brewdog é um exemplo de varejista que, em meio à pandemia, precisou atingir um novo público, já que um de seus canais, ligado a alimentos e bebidas para companhias aéreas, não apresentava bom desempenho. A solução da Brewdog foi atrair novos clientes por meio de ofertas personalizadas e relevantes, neste caso por meio de nossa rede de portais de compras, o que lhe permitiu atingir uma base de consumidores ampliada, alcançando milhões de novos clientes em potencial.

Uso de recompensas vinculadas a pagamentos para entender melhor o comportamento do consumidor

No entanto, encontrar novos canais é apenas parte do desafio. A maior falha em potencial para os varejistas hoje é a incapacidade de se adaptar às necessidades e comportamentos em constante mudança dos clientes. À medida que os consumidores se tornam cada vez mais perceptivos e exigentes, as marcas não podem deixar de colocá-los em primeiro lugar. Entrar e permanecer na mente do cliente deve ser a prioridade número um. Aqueles que não o fizerem perderão relevância.

Assim, os dados das transações são um dos elementos mais importantes que as marcas precisam levar em consideração no futuro. Por meio deles, é possível obter informações importantes sobre o comportamento dos consumidores, o que permite que os varejistas os conheçam melhor. O resultado disso é a construção de ofertas e recompensas mais personalizadas e que atendam à real demanda dos clientes.

A chave para obter os valiosos dados das transações dos clientes está nas recompensas vinculadas aos pagamentos. Ao longo dos anos, os programas de fidelidade e recompensas, oferecendo reembolso ou pontos de fidelidade, evoluíram para permitir uma interação mais diária com seus clientes. Por exemplo, substituindo os programas de passageiro frequente por parcerias entre companhias aéreas e varejistas, com o apoio de prestadores de serviços especializados em recompensas vinculadas a pagamentos, que recompensam os consumidores com base em seu comportamento de gastos. Essa abordagem não só dá à marca uma oportunidade maior de interagir com seu cliente no dia a dia, como também fornece uma fonte valiosa de dados, permitindo uma visão mais ampla sobre o comportamento e os hábitos de compra de seus clientes. Mais e mais marcas dos mais variados setores, desde grupos de hotéis até prestadores de serviços financeiros e grandes programas de fidelidade estão hoje aderindo a essa estratégia.

A melhor maneira de garantir que essa abordagem seja mutuamente benéfica para o consumidor, para o programa e para o varejista é trabalhar com um prestador de serviços especializado em recompensas vinculadas a pagamentos, que possibilitará a convergência de informações de pagamento e dados do programa de recompensas para criar um ecossistema digital de comércio de fidelidade.

O engajamento significativo da marca é fundamental para programas de recompensas, assim como ofertas e incentivos relevantes. Ao mesmo tempo, as empresas estão enfrentando uma grande crise, com uma competição feroz pelo dinheiro do consumidor. Esse ambiente apresenta uma oportunidade para os varejistas trabalharem com um programa de recompensas por meio de um prestador de serviços de comércio especializado para garantir o engajamento do consumidor atual, fazendo uso dos poderes da moeda de fidelidade e canais de marketing únicos para proporcionar uma troca de valor verdadeiramente dinâmica. Em um mercado em constante mudança, a importância dos dados das transações para ajudar a fornecer percepções sobre o comportamento do cliente nunca deve ser subestimada. São essas percepções que ajudarão as marcas a apresentar ofertas e recompensas mais personalizadas e relevantes em tempo real, que demostrem a importância das transações diárias para os programas. Esse é o verdadeiro poder das recompensas vinculadas aos pagamentos.

Brasil faz primeira videochamada com uso do “5G puro”

Os livros de história registraram a primeira vez que a voz humana foi transmitida por meio de ondas radiofônicas, o início da transmissão de TV e o começo da internet no país. Esta sexta-feira (9/4) também marcou um acontecimento histórico para o Brasil: a primeira videochamada utilizando a tecnologia 5G standalone (o “5G puro”), de ponta a ponta, na América Latina. A ligação foi feita pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, diretamente das instalações da Nokia, em São Paulo (SP), ao presidente Jair Bolsonaro, presente no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

A Nokia é uma das fabricantes de equipamentos 5G e fez parte do roteiro da missão internacional feita pelo governo brasileiro para conhecer a tecnologia. Com a finalidade de viabilizar a conexão com a quinta geração de internet móvel, o gabinete presidencial no Palácio do Planalto recebeu uma estrutura específica para essa rede, o que possibilita uma videoconferência em ultra velocidade, totalmente estável e sem interferência, entre o presidente da República e o ministro. É a primeira vez que dois terminais de 5G standalone foram conectados na América Latina.

Parte do excelente desempenho do 5G em relação à geração anterior de dados móveis deve-se à baixíssima latência – tempo de resposta muito curto -, que é a raiz do uso industrial e das novas realidades sensoriais dessa nova tecnologia. É como se os dados fossem transmitidos e recebidos mais rápido que um piscar de olhos. Dentre as aplicações para o usuário comum de internet está o carregamento instantâneo de vídeos em altíssimas resoluções (como 4K e 8K), jogos on-line sem interrupções, realidade aumentada e casas inteligentes. Na telemedicina, por exemplo, será possível fazer cirurgias remotas. Já a indústria poderá fabricar até mesmo carros autônomos.

Com o 5G, surgirá a demanda por um novo perfil profissional, voltado para a economia digital. De olho nesses trabalhadores do futuro, as empresas que dominam a nova geração de dados móveis têm investido em projetos experimentais e capacitação. Nesta sexta, a Nokia firmou um acordo de cooperação com o MCom, a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) para a implantação de um laboratório 5G na universidade, importante polo de pesquisa tecnológica brasileiro, na Paraíba.

5G no Brasil


Assim como ocorreu durante a visita da missão 5G na Europa e Ásia, em fevereiro, o Ministério das Comunicações (MCom) tem buscado conhecer, de forma isonômica, as iniciativas desse tipo de conexão em desenvolvimento no Brasil.

Enquanto o edital do 5G segue em análise pelo Tribunal de Contas da União (TCU), o MCom tem se empenhado e está aberto a conhecer as tecnologias das empresas que fabricam equipamentos da nova geração de conectividade. A previsão é a de que o leilão das radiofrequências ocorra ainda neste ano, e que todas as capitais contem com o 5G standalone até julho de 2022.

Licitação


O MCom estabeleceu uma série de compromissos que pretendem reduzir as desigualdades regionais em telecomunicações para as operadoras vencedoras do leilão de radiofrequências. Essas empresas terão de viabilizar o projeto Norte Conectado, que levará internet a cerca de 10 milhões de habitantes via fibra ótica subfluvial.

Também será obrigatória a oferta de sinal 4G ou superior em todas as localidades com mais de 600 habitantes, além da conexão de até 48 mil km de rodovias federais, o que atende a uma demanda antiga de motoristas, caminhoneiros e passageiros nas estradas brasileiras.

As portarias publicadas pelo ministério para orientar o edital também preveem a criação de uma rede privativa para o governo federal, que poderá ser oferecida a outros Poderes. A rede será construída e operada por um parceiro privado, mas será o meio utilizado para o tráfego de informações confidenciais, sigilosas e sensíveis, por meio de criptografia do Estado.

Ainda de acordo com as definições do MCom para o certame, todos os municípios deverão ser atendidos por fibra ótica – ao menos em suas sedes -, e as empresas ficarão responsáveis por amparar famílias beneficiárias de programas sociais e que assistam à TV aberta via antena parabólica. Pelo fato de esse tipo de antena interferir no sinal 5G, esses aparelhos serão substituídos gratuitamente por outros, que recebem sinal via satélite.

É importante ressaltar que as participantes do leilão são as operadoras de telecomunicações, como as que oferecem o sinal de telefone e dados móveis dos celulares, por exemplo. As fabricantes dos equipamentos 5G poderão ser contratadas pelas operadoras de acordo com os próprios critérios.