Page

Author admin

Unidas oferece 1º carro elétrico para terceirização de frotas no Brasil

A Unidas – segunda maior locadora de automóveis do Brasil e líder no mercado de terceirização de frotas – acaba de anunciar a inclusão de carros elétricos – Kangoo Z.E. Maxi – em sua frota para terceirização de veículos. Com o lançamento, a companhia se torna a primeira do país a viabilizar a oferta de veículos sustentáveis no mercado nacional. A novidade, que já está disponível no portfólio da locadora, tem como objetivo focar no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, aliado a expansão da companhia no setor de mobilidade urbana.

De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério das Minas e Energia (MME), as vendas dos elétricos em 2030 devem acelerar para 180 mil carros por ano, mas por enquanto, a viabilização de veículos elétricos no país ainda é um desafio. Para Dirley Ricci, Head de Novos Projetos da Unidas, o lançamento vai de encontro às iniciativas do programa de Responsabilidade Social Corporativa da companhia, que promovem um conjunto de ações que beneficiam os diversos públicos de relacionamento, levando em consideração o tripé de sustentabilidade: governança e gestão, social e ambiental.

“Queremos oferecer o melhor serviço para nossos clientes e investir cada vez mais em iniciativas sustentáveis, alinhadas aos novos tempos. Os carros elétricos contribuem consideravelmente para a preservação do meio ambiente por não emitirem CO2, mas sabemos que sua inserção no mercado brasileiro ainda é um desafio devido aos altos custos de importação e impostos. Por tudo isso, tornar esse projeto viável é uma grande vitória não só para a Unidas, pioneira no segmento, como para todo o Brasil”, afirma Ricci, que conta que, recentemente, a locadora neutralizou 100% das emissões de carbono (equivalente) da frota da companhia, tendo início na aquisição de créditos de carbono.

Além da locação dos carros para terceirização de frotas para empresas, a Unidas oferece ainda uma consultoria aos clientes para instalação de estações próprias de recarga dos veículos, operação e manutenção dos mesmos. “Entregar um serviço completo para apoiar os clientes a terem o melhor resultado que o carro pode oferecer”, destaca Ricci.

Governo Federal leva startups para Nova York, Bogotá e Barcelona

Anualmente, o StartOut Brasil, programa de internacionalização de startups realizado pelo Governo Federal, promove ciclos de imersão para apoiar a inserção de soluções brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo.

Em 2020, foram selecionados três destinos com potencial para a imersão dessas empresas. Essa escolha se deu com base na análise da abertura que esses polos têm para negócios estrangeiros, seu incentivo à inovação, bem como a possibilidade de conquistar clientes, parceiros e investidores.

A primeira imersão das startups aprovadas será em Nova York (Estados Unidos) e as inscrições já se encerraram. O segundo ciclo do ano será realizado em Bogotá (Colômbia) e a última imersão será em Barcelona (Espanha). Para participar, as startups precisam já faturar ou ter recebido algum tipo de investimento, contar com uma equipe 100% dedicada ao negócio e preencher o formulário de inscrições obrigatoriamente em inglês, com dados específicos sobre a solução e o mercado-alvo.

Serão selecionadas até 20 startups por ciclo. Estes negócios receberão consultoria especializada em internacionalização, mentoria com especialistas no mercado de destino e treinamento de pitch (discurso de apresentação de negócios) para se prepararem para a missão. No local de imersão, terão uma agenda voltada à prospecção de clientes e investidores e à conexão a ambientes de inovação, com visitas a aceleradoras, incubadoras e empresas locais; seminário de oportunidades; rodada de reuniões com prestadores de serviços; encontros de negócios organizados por um matchmaker; e demoday para investidores.

Após esse período de imersão, as cinco organizações responsáveis pelo programa continuam ajudando e monitorando as startups participantes durante os 18 meses seguintes à viagem. Assim, os StartOuters não ficam desamparados durante o processo de definição da sua estratégia de internacionalização e/ou softlanding no mercado-alvo.

“Sendo um programa de Governo, o StartOut oferece um apoio de peso aos empreendedores, mas é essencial que eles também tenham participação ativa nas atividades oferecidas, concentrando esforços em identificar oportunidades locais. E quando retornam da missão, devem imediatamente acionar toda a rede de contatos constituída durante o ciclo de imersão, a fim de concretizar os resultados desse trabalho e gerar novos negócios”, orienta o secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Gustavo Ene.

Maiores informações sobre cada um dos ciclos serão disponibilizadas no site: http://www.startoutbrasil.com.br/

O que esperar do mercado de data centers em 2020

Por Luis Domingues

O ano de 2019 foi um período de transformação digital em várias áreas e mercados – e o mercado de data centers não foi exceção. Sob crescente pressão para permanecer relevante e acompanhar as tecnologias que avançam rapidamente, os provedores de data centers viram a necessidade de transformação e de se preparar para o que está por vir.

Este ano, os resultados da adoção, tanto de tecnologias mais novas como mais maduras, começarão a tomar forma no data center. Especificamente veremos o 5G impulsionar um aumento na demanda por Edge Computing, enquanto a Inteligência Artificial (IA) fará com que sejam implantados novos serviços neste mercado, tanto para o usuário final quanto funcionários internos.

Conheça as três principais tendências para o mercado de data center em 2020:

Ascensão do Edge Computing graças à promessa do 5G

Em 2020 serão disponibilizadas as primeiras aplicações que utilizam 5G de alta velocidade, baixa latência e comunicação machine-to-machine. Essas novas ofertas, como jogos em nuvem de alta resolução, controle de processos com Internet das Coisas industrial (IIoT) e aplicações com realidade aumentada no local de trabalho, demonstrarão o universo que o 5G pode revelar.

Embora não esperemos que essas aplicações sejam amplamente implantadas no próximo ano, seu potencial começará a remodelar o mercado, incluindo o setor de data centers. Por exemplo, com a capacidade do 5G de fornecer latências inferiores a 10 milissegundos, em breve será muito mais fácil implantar aplicativos 5G de baixa latência e 2020 verá o data center se preparando para essa chegada.

Para que aplicações de baixa latência sejam bem-sucedidas, é necessário mais do que apenas o 5G. É também necessário processar os dados dessas aplicações perto de suas fontes, usando a tecnologia de Edge Computing, com os chamados edge data centers. Isso reduz significativamente a latência e permite que essas novas aplicações 5G de baixa latência cumpram sua promessa. Como resultado, veremos mais data centers migrando para o Edge Computing em 2020, para levar essas aplicações ao limite de sua eficiência.

IA impulsionará a adoção de novas tecnologias

A implementação do aprendizado de máquina, deep learning e outras tecnologias de Inteligência Artificial será predominante e eles alimentam muitos dos serviços em nuvem que usamos todos os dias.

Esperamos que o uso da IA acelere este ano, à medida que as empresas usam cada vez mais os dados que coletam para criar e implantar modelos de Inteligência Artificial, impulsionando novos serviços e gerando novos insights de negócios. Se elas esperam manter essas empresas satisfeitas, as operadoras de data center precisam responder não apenas com redes e servidores mais rápidos em seu core, mas também no edge, para permitir a implantação de modelos de IA mais próximos dos usuários.

Embora isso represente um desafio para os operadores de data center, também é uma oportunidade: se eles forem inteligentes em adotar as tecnologias corretas de rede, computação e edge data center para dar suporte à IA, os clientes baterão em suas portas. É por isso que, em 2020, esperamos que os proprietários e operadores de data centers se concentrem cada vez mais em como podem oferecer o desempenho que seus clientes precisam para serviços em nuvem habilitados para IA.

IA para incentivar a eficiência da força de trabalho

Com um mercado de trabalho restrito, demanda crescente e a necessidade cada vez maior de construir centros de Edge Computing longe dos locais tier-1 para a obtenção de talentos técnicos, os operadores de data center enfrentarão um desafio relacionado ao recrutamento e retenção das pessoas necessárias.

Diante disso, podemos esperar que os operadores de data center aumentem o uso de novas inteligências artificiais e outras tecnologias inteligentes para maximizar a produtividade de seus funcionários – por exemplo, fones de realidade aumentada que utilizam a tecnologia de IA para orientar os técnicos de serviço na conclusão de tarefas. Ao mesmo tempo, os fornecedores de equipamentos de data center usarão a Inteligência Artificial para tornar seus produtos mais fáceis de instalar e usar, permitindo que os operadores de data center façam mais com menos recursos humanos.

Os operadores de data centers que esperarem para adotar esses novos recursos de IA podem experimentar um crescimento mais lento, com dificuldades em encontrar ou manter as pessoas necessárias para prestar todos os serviços que seus clientes exigem no mercado altamente competitivo de hoje.

Preparação para a próxima fase do data center

O ano de 2020 verá as primeiras aplicações de tecnologias avançadas como o 5G começarem a encontrar seu caminho dentro do data center, enquanto a implantação do aprendizado de máquina e outras tecnologias de IA criarão novas maneiras de aprender e executar. Isso significa uma maior oportunidade para os provedores de data center crescerem e aprimorarem seus negócios. Embora os benefícios dessas tecnologias possam levar pelo menos alguns anos para serem realmente concretizados, as empresas de data center que as incorporarem a sua estratégia de negócios estarão melhor posicionadas para colher os frutos que estão por vir.

Luis Domingues, engenheiro de aplicação da CommScope

SAP amplia compromisso com inovação do SAP S/4HANA e assegura clareza e opções de escolha para SAP Business Suite 7

SAP SE (NYSE: SAP) anunciou hoje um compromisso de manutenção do SAP S/4HANA até o final de 2040. Além disso, vai assegurar a manutenção geral das principais aplicações do software SAP Business Suite 7 até final de 2027, com posterior manutenção estendida opcional até final de 2030.

“Nossos clientes têm nos mostrado que o SAP S/4HANA é a sua direção futura e que esperam um compromisso de longo prazo da SAP para essa plataforma”, afirma Christian Klein, co-CEO e membro do Conselho Executivo da SAP. “Sabemos que nossos clientes estão conduzindo transformações profundas nos negócios usando os recursos exclusivos da solução. Nossos grupos de usuários confirmam isso. Uma pesquisa recente do Grupo de Usuários SAP nas Américas (ASUG – Americas’ SAP Users’ Group) mostrou que não há um único cliente que não esteja disposto a migrar para SAP S/4HANA. Além disso, o Grupo de Usuários de Língua Alemã (DSAG – German-Speaking User Group) indicou em sua pesquisa publicada recentemente que os investimentos dos clientes no SAP S/4HANA estão crescendo significativamente. Em resposta a isso e à demanda por opções de escolha de nossos clientes, a SAP garantirá maior flexibilidade para abraçar plenamente as oportunidades inovadoras do SAP S/4HANA que reflitam o ritmo e as complexidades específicas dos projetos de nossos clientes.”

De acordo com Thomas Saueressig, membro do Conselho Executivo e SAP Product Engineering, “o SAP S/4HANA é a arquitetura e a plataforma do futuro de nossos clientes. A SAP está comprometida com o sucesso e opções de escolha de nossos clientes. Garantir períodos de manutenção é mais um sinal de transparência e confiança. O crescimento significativo em 2019 confirma nossa estratégia e a demanda em relação ao SAP S/4HANA”.

Os principais aplicativos do software SAP Business Suite 7 incluem o SAP ERP 6.0, o SAP Customer Relationship Management 7.0, o SAP Supply Chain Management 7.0 e os aplicativos SAP Supplier Relationship Management 7.0 e o SAP Business Suite desenvolvido com o SAP HANA.

 

Forte impulso e flexibilidade

O SAP S/4HANA é o pacote inteligente de próxima geração que permite transformar empresas em negócios digitais inteligentes com base nas melhores práticas e na automação habilitada pela inteligência artificial. Ao mesmo tempo, está abrindo caminho para arquiteturas de nuvem e híbridas, impulsionando um alto nível de simplificação e redução do custo total de propriedade. Mais de 13.800 clientes já escolheram o SAP S/4HANA, e milhares estão implantando a solução para remodelar negócios e se tornar empresas inteligentes. Pesquisas recentes do ASUG e do DSAG mostraram um crescimento significativo dos investimentos dos clientes no SAP S/4HANA. O DSAG relatou que mais de 49% dos clientes planejam migrar para SAP S/4HANA nos próximos três anos, enquanto o relatório da ASUG mostrou que o número de clientes que não pretendem mudar para SAP S/4HANA caiu para zero.

A SAP apoia esse movimento com um programa completo de ofertas, serviços e ferramentas, juntamente com um vasto ecossistema de provedores de serviços de TI que representa mais de quatro décadas de sucesso contínuo, inovação e crescimento em implementações de soluções SAP.

Como resultado da colaboração com clientes, grupos de usuários e parceiros, bem como com outras partes interessadas do setor, a SAP está comprometida com o SAP S/4HANA até 2040 combinado com um suporte mais longo para SAP Business Suite 7. Isso ajudará os clientes a explorar o potencial de inovação para revolucionar processos de negócios com ótima flexibilidade, protegendo investimentos existentes.

“Os clientes que adotam o SAP S/4HANA para realizar suas transformações digitais precisam de um parceiro comprometido em apoiar a inovação dos negócios e dos processos. Assegurar a manutenção do SAP S/4HANA até 2040 representa um compromisso com os clientes da SAP, dando a eles a confiança necessária para planejar o futuro”, destaca Joshua Greenbaum, diretor da Enterprise Applications Consulting. “Esses clientes também precisam da flexibilidade para planejar as transformações com cuidado e um mínimo de interrupção em seus processos de negócios. O período de manutenção ampliada do SAP Business Suite 7 é um importante reconhecimento da SAP de que o ritmo da mudança pode variar entre clientes e que é importante dar suporte aos processos de software existentes do SAP Business Suite em sincronia com a transformação dos negócios, contribuindo para o sucesso dos clientes”.

 

Opções de escolha e proteção dos Investimentos

A SAP assegura clareza sobre a manutenção do SAP Business Suite 7, com mais dois anos de manutenção para as principais aplicações do pacote. Durante a fase de transição, a SAP continuará fornecendo sólidos recursos gerais de manutenção que os clientes precisam. Não haverá alterações contratuais e nenhuma taxa adicional será aplicada. Após esse período a SAP oferecerá opções de escolha para manter as principais aplicações SAP Business Suite 7 a partir de 2028:

  • Clientes que precisam de suporte para aplicações em fases mais longas de conversão para SAP S/4HANA podem aproveitar a oferta de manutenção estendida.  Isso vem com um bônus de dois pontos percentuais na base existente de manutenção para as principais aplicações do SAP Business Suite 7 em todas as ofertas de suporte.  A oferta estará disponível por mais três anos, a partir do início de 2028 e terminando no final de 2030.

  • Clientes que não decidirem pelo nível de suporte estendido de manutenção até final de 2027, mas optarem por continuar com os sistemas de software SAP Business Suite 7 serão automaticamente transferidos para um modelo de manutenção específico do cliente.  Isso inclui a resolução para problemas conhecidos sem alteração das taxas.

“Na ASUG, sustentamos o tempo todo que, se você é um cliente da SAP que deseja crescer e acelerar os negócios, remover ineficiências, reduzir o atraso técnico e tirar proveito dos recursos mais recentes do software SAP, precisará migrar para SAP S/4HANA. Com as notícias de hoje, acreditamos que os clientes da SAP devem se antecipar a qualquer prazo”, afirma Geoff Scott, CEO do ASUG. “A decisão sobre o ‘ERP do futuro’ não deve se concentrar apenas na atualização técnica para SAP S/4HANA. Deve avaliar a melhor forma de preparar os negócios para o futuro. Esse anúncio não é um sinal de desaceleração. Agora é a hora de dar inícios aos planos e avançar para que os clientes da SAP possam aproveitar o valor da mudança tecnológica mais significativa na história recente da SAP”.

Michael Kleinemeier, membro do Conselho Executivo e SAP Digital Business Services, afirma que “a empresa está determinada a ajudar os clientes a ter sucesso. O compromisso mais amplo com o SAP Business Suite 7 e o suporte duradouro para SAP S/4HANA é central e proporciona aos clientes opções de escolha e flexibilidade no planejamento do caminho certo para o futuro. Agradecemos nossos clientes e especialmente aos nossos grupos de usuários pela grande cooperação para que isso aconteça”, completa.

Startups e empresas de tecnologia abrem vagas em diferentes áreas

O ecossistema de startup tem movimentado muito o mercado. Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), são cerca de 5 mil vagas abertas no setor. De acordo com a pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a previsão é que a taxa de desempregados caia de 12%, em 2019, para 11,4%, em 2025. Confira abaixo as startups que estão ajudando a economia e gerando novos postos de trabalho:

Pipefy: Para quem sonha em trabalhar em uma empresa global, uma ótima alternativa é a Pipefy, startup de gerenciamento de processos eficientes, que possui sedes em Curitiba, no Sul do Brasil; São Francisco, no Vale do Silício (EUA); e Austin, no Texas (EUA). A startup atua em mais de 150 países no mundo e acaba de anunciar a abertura do seu programa de trainee, o Young Guns, que selecionará entre 15 e 20 jovens profissionais para passarem por um treinamento de um ano com possibilidade de intercâmbio no Vale do Silício, na Califórnia. O programa está em sua quarta edição e as inscrições vão até 8 de fevereiro. Para mais informações, confira o link.

Pier: Com a missão de transformar o relacionamento entre consumidores e o mercado de seguros, a Pier proporciona uma opção mais flexível e menos burocrática para os consumidores. Com crescimento acelerado e mais de 66 funcionários a startup acaba de anunciar a abertura de quatro vagas, que vão desde atendimento ao cliente à estágio de mídias pagas. Todas as colocações têm a possibilidade de trabalho remoto. Para mais informações acesse: http://careers.pier.digital/

Resale desenvolveu uma plataforma para gestão e venda de imóveis de bancos e instituições financeiras. A startup prioriza uma jornada de compra mais ágil e acompanha todos os processos, até o pós-vendas (registro em cartório), e procura profissional para o time de desenvolvedores para trabalhar com backend serverless Python e outras tecnologias. A vaga é em Belo Horizonte-MG com média salarial de R$5.000. Currículos para: ti@resale.com.br.

BRQ: A empresa é uma das maiores de tecnologia do país e se dedica a promover a digitalização de bancos, seguradoras, companhias de telecomunicação e outras. Com mais de 2 mil funcionários em seis unidades, a BRQ possui em média 500 vagas espalhadas pelo Brasil e com salário máximo de R$ 12.000, além dos benefícios. Entre os cargos estão Desenvolvedor Java, Desenvolvedor. Net, Desenvolvedor Mobile IOS e Desenvolvedor Mobile Android e Tech Lead Mobile. As vagas estão disponíveis no link.

Vittude: Recentemente investida pela Redpoint eventures em uma rodada de R$ 4,5 milhões, a Vittude é uma startup que ajuda empresas a cuidarem da saúde mental e bem-estar dos colaboradores. A empresa está com três vagas abertas, sendo duas na posição de Sales Executive e uma para Tech Leader. Em 2019, foi a única empresa brasileira finalista da premiação internacional Cartier Women’s Initiative Awards, tendo recebido um prêmio em dinheiro de US$30mil. Atualmente, está presente em mais de 50 países. Os currículos podem ser enviados para o e-mail recrutamento@vittude.com

ChatClass revoluciona o ensino de inglês. A Inteligência Artificia da edtech conversa com alunos no idioma via áudios e textos inseridos em chats já presentes em suas rotinas. Essa forma intuitiva á impactou mais de 150 mil alunos de escolas públicas e particulares de todo o Brasil. A startup está com vagas abertas para seu time de tecnologia alocado em São Paulo nos cargos de Product Manager, UX Writer/Chatbot Writer, Software Architect, Data Scientist/Machine Learning Scientist e Visual Designer. Currículos para: talento@chatclass.com.br .

Olist: A mais nova investida do SoftBank, maior fundo de venture capital do mundo, está em forte expansão. A startup, que oferece soluções para a venda em marketplaces, anuncia que deve contratar até 400 pessoas ao longo de 2020 em diversas áreas e níveis hierárquicos. A empresa busca por profissionais que trabalhem com propósito, não tenham medo de pôr a mão na massa e queiram fazer parte da revolução do comércio mundial. Candidatos de São Paulo e Curitiba já podem conferir vagas abertas no link.

Omie: Com cultura de startup e ritmo acelerado de desenvolvimento, tendo aumentado mais de 5 vezes desde 2016, a Omie investe na evolução de suas equipes e oferece inúmeras possibilidades de crescimento em um ambiente de alta performance. Crescendo mais de 100% ao ano, a plataforma de gestão em nuvem número um para PMEs está com quase 50 oportunidades de emprego em sua sede e em franquias por todo o Brasil nas áreas de Inside Sales, Franquias, Performance Digital, Vendas, Marketing e Produtos. Todas as vagas estão disponíveis para PcDs. Assim como a descrição das oportunidades, as vagas podem ser conferidas na página de carreiras da empresa.

Bom Pra Crédito, maior marketplace de crédito online do Brasil, está com oito vagas abertas. A empresa, localizada em São Paulo, procura por Analista de Business Inteligence Senior, Analista de FP&A Senior, Analista de Governança Pleno, Analista de Growth Hacker Senior, Growth Marketing Manager, Analista de Desenvolvimento de Sistemas Senior, Analista de Infraestrutura Senior e Analista de Service Desk Pleno. Informações sobre as oportunidades e o banco de talentos da Bom Pra Crédito encontram-se neste link http://jobs.kenoby.com/bompracredito.

 

Grupo Movile abre inscrições para hackathon exclusivo para pessoas negras

Estão abertas as inscrições para o primeiro MovileHack Afro, hackathon com foco em pessoas negras, realizado pelo Grupo Movile, ecossistema de tecnologia líder na América Latina. A ação faz parte de diversas iniciativas focadas em trazer mais diversidade para as empresas do Grupo, além de promover a aproximação e capacitação para as comunidades de tecnologia. Os interessados podem se candidatar até o dia 17 de fevereiro pelo site do projeto.

O evento, com duração de 30 horas, terá como desafio estimular os participantes a propor soluções em grupo para o seguinte problema: “Como educar jovens em situação de vulnerabilidade usando tecnologia?”. Com 50 vagas, a maratona será realizada no escritório da Movile, em São Paulo, com início no sábado, 07 de março, e término no domingo, 08 de março. O MovileHack Afro marca a quarta edição de atividades realizadas pelo Grupo Movile nesse sentido. Nos anos anteriores, os hackatons despertaram o interesse de mais de 1 mil pessoas em Campinas, São Carlos e Recife. Neste ano, a expectativa é chegar a mais de 1500 pessoas inscritas.

As três melhores equipes serão premiadas com valores em dinheiro e, para o grupo que ficar em primeiro lugar, haverá também uma mentoria com Nina Silva, uma das 100 pessoas afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia fundadora do Movimento Black Money.

O evento será promovido em conjunto com o AfroMovile, grupo interno da Movile que suporta as iniciativas focadas em diversidade com foco em pessoas negras. Além disso, o evento contará também com o apoio de comunidades externas como o Movimento Black Money e o AfroTech BR. “Para nós, é muito importante promover eventos que envolvam de fato a comunidade negra e seus representantes, por isso estamos muito felizes em promover o MovileHack Afro com parceiros tão relevantes”, afirma Carolina Pinto, advogada na MovilePay e Líder do AfroMovile.

Além de fomentar a troca de conhecimentos na comunidade de tecnologia, o evento tem como objetivo também aproximar a Movile de talentos nessa área. “Nosso objetivo principal é promover a imersão em tecnologia e experiência com os produtos do Grupo, permitindo que os participantes vivenciem um pouco do que representa todo o ecossistema da Movile e consigam propor soluções para um grande desafio do nosso país, a educação. Para nós, investir na realização desse evento é muito gratificante, para dar oportunidade de reconhecimento e desenvolvimento de novos talentos”, afirma Matheus Fonseca, Coordenador de Gente do Grupo Movile.

Com mais de 4.000 funcionários e crescimento anual médio de 60% nos últimos 8 anos, a Movile, com foco na promoção da diversidade no Grupo, realizou no último semestre um grande programa de estágio e jovens talentos usando o método de contratação às cegas. “Acreditamos que também é nosso papel fomentar a presença de pessoas diversas no setor em que atuamos e o MovileHack Afro é um passo importante para nós nesse caminho”, completa Matheus.

Inscrições através do site movile.com/hack

Automation Anywhere traz cinco previsões para RPA em 2020

Por Prince Kohli, CTO da Automation Anywhere

A cada dia novas empresas e executivos descobrem os benefícios da automação inteligente para a otimização de tempo. A tecnologia tem provado seu valor constantemente e em 2020 não será diferente, pois ainda há muito a ser explorado. Aqui estão as cinco principais novidades em RPA que podemos esperar para o ano.

1) A eliminação de quase todo o uso de papel em médias e grandes empresas – Com o surgimento de plataformas de RPA nativas da nuvem, tecnologias de machine learning que amadurecem rapidamente e compreendem a palavra escrita, possivelmente passaremos o ponto de virada para a adoção onipresente no próximo ano. Até 2025, haverá modelos de IA fáceis de implementar e que aprendem rapidamente para a grande maioria dos documentos em papel das empresas, para que os trabalhadores humanos nunca mais precisem processar uma nota fiscal.

2) Recessões econômicas vão acelerar a adoção de automação – Especialistas de empresas de investimento alertam para uma recessão global “iminente”, potencializada por um estoque global de US﹩ 13 trilhões em dívidas com rendimentos negativos. Nessa crise, as empresas precisarão encontrar novas maneiras de aumentar a eficiência, gerar receita e atender às necessidades dos clientes. Com 85% do mercado de RPA ainda inexplorado, a desaceleração econômica incentivará todas as empresas a mergulhar na automação.

3) A RPA desempenhará um papel importante nas iniciativas globais de privacidade e governança de dados – Com a chegada do 5G e a explosão de dispositivos conectados, a próxima década certamente será definida pelo Big Data. Nesta nova era, veremos ainda mais pressão sobre as empresas para serem totalmente transparentes sobre as informações que coletam e como são usadas, com legislações como o GDPR (na Europa) e a Lei Geral de Proteção de Dados no Brasil, representando apenas a ponta do iceberg da governança de dados. Além disso, à medida que a inteligência artificial possibilita o aumento no número de malwares, os bots inteligentes e seguros serão uma linha de defesa crítica contra violações de dados.

4) Contratação de profissionais com conhecimento em RPA irá aumentar – Com mais de cinco mil vagas de empregos nos EUA, já existe uma demanda incrivelmente alta por especialistas em RPA. No próximo ano, as habilidades de RPA devem ser exigidas em todas as funções – desenvolvedores, analistas de negócios, gerentes de programas e projetos, entre outros – e em todos os setores – TI, BPO, RH, educação, seguros e bancos. Como resultado, o número de funções em aberto (e salários iniciais) tende a subir.

5) A automação inteligente (orientada por IA) substituirá totalmente a automação baseada em regras – Embora muitas plataformas RPA já ofereçam recursos de IA, hoje robótica de processos e inteligência artificial são usadas como duas entidades separadas – uma baseada em regras e a outra adaptativa e preditiva. No próximo ano, a RPA e a análise de processos serão totalmente infundidas com IA e machine learning, acelerando a exploração e descoberta de processos, simplificando drasticamente o esforço humano nessas áreas. No futuro, os bots poderão identificar automaticamente as melhores atividades para automatizar, agir com base nessa percepção e otimizar as implantações para garantir os melhores resultados possíveis.

Startup gaúcha fatura mais de R$ 5 milhões com plataforma para nutricionistas

Quem realiza acompanhamento nutricional está acostumado a sair do consultório com um grande número de papeis – de planos alimentares a receitas específicas. O incômodo com esse costume não muito prático foi o start para a criação da Dietbox , empresa que desenvolveu o software de Nutrição mais utilizado no Brasil. Hoje, após seis anos, a startup mantém uma média de crescimento de 60% ao ano, e fecha 2019 com faturamento de mais de R$ 5 milhões.

Responsável pelo primeiro software online deste mercado, a Dietbox foi criada com a missão de fortalecer e transformar o mercado do profissional de Nutrição através de tecnologia, inteligência de mercado e relacionamento com diferentes stakeholders. De lá para cá, muita coisa mudou e atualmente, de acordo com pesquisa realizada pela empresa com nutricionistas recentemente, os aplicativos de nutrição despontam como uma das principais formas de comunicação entre profissional e paciente – 20,3% dos profissionais utilizam alguma ferramenta, ficando atrás apenas de Whatsapp e e-mail.

A pesquisa mostra, ainda, a Dietbox como líder de mercado, tanto entre softwares online, quanto offline – a plataforma aparece em primeiro lugar na lembrança do entrevistado, com 79% de citações entre os softwares de nutrição. Atualmente, o sistema conta com mais de 140 mil profissionais e estudantes e mais de 2 milhões de pacientes cadastrados.

Segundo André Piegas, um dos sócios-fundadores da startup, os dados mostra o quanto o mercado de Nutrição estava carente de uma plataforma que otimizasse o relacionamento entre especialistas e seus clientes e, principalmente, fidelizasse o paciente. “A Dietbox economiza o tempo dos nutricionistas, os ajuda em gestão e controle financeiro, e é uma plataforma na qual ele pode concentrar planos alimentares, receitas, pedidos de exames e realizar uma troca diária com os pacientes”, explica. Ao mesmo tempo, a Dietbox oferece ao paciente uma experiência única e personalizada aos pacientes, e os incentiva na trajetória de reeducação alimentar.

Em 2019, a startup decidiu personalizar a plataforma para a Nutrição Chilena, e deu seu primeiro passo rumo ao processo de internacionalização. Para este ano, a Dietbox prevê um faturamento acima de R﹩ 8 milhões e a longo prazo, o objetivo é expandir o processo para outros países da América Latina.

Fusões e aquisições em TI crescem 35% em 2019, aponta KPMG

O número de fusões e aquisições de empresas de tecnologia da informação aumentou 35% em 2019, se comparado ao ano anterior. Com um acréscimo de 41 operações em relação ao número apresentado em 2018 (117), o segmento concretizou 158 transações no último ano. Os dados são de pesquisa da KPMG realizada com 43 setores da economia brasileira.

Dentre as transações realizadas por empresas de TI em 2019, 111 foram domésticas e 40, do tipo CB1, ou seja, realizadas por empresas estrangeiras que adquiriram empreendimentos de brasileiros estabelecidos no Brasil. Também se concretizaram cinco operações de categoria CB2, isto é, empresas brasileiras adquirindo empreendimentos de estrangeiros estabelecidos no exterior, e duas do tipo CB3, em que empresas brasileiras adquirem empreendimentos de estrangeiros estabelecidos no Brasil.

Ranking geral

Segundo o levantamento realizado em 2019, o setor de empresas de internet manteve a liderança, saltando de 169 operações em 2018 para 293 em 2019, uma alta de 73%, seguida pelas áreas de tecnologia da informação (158), hospitais e laboratórios de análises clinicas (87), imobiliária (77), outros setores (72), alimentos, bebidas e fumo (52) e companhias de energia (51).

Ranking regional

Com relação à questão geográfica, a pesquisa apontou que as regiões Sudeste e Sul do Brasil foram as que mais se destacaram, com as respectivas operações de fusões e aquisições em cada Estado destacadas a seguir: São Paulo, 750; Rio de Janeiro, 119; Paraná, 73; Minas Gerais, 60; Rio Grande do Sul, 53; e Santa Catarina, 44.

Kraft Heinz realiza evento para se aproximar de startups

Em busca de se aproximar de startups e encontrar soluções inovadoras para os desafios do dia-a-dia, a Kraft Heinz Company realizou seu primeiro Demo Day em 3 de fevereiro, que dá início ao processo de Open Innovation na companhia. Em parceria com o inovabra habitat, espaço de coinovação dedicado à geração de negócios de alto impacto baseado nas tecnologias do Bradesco, a gigante do setor alimentício iniciou sua busca por startups com soluções para a área de Procurement e Legal e Finanças.

O evento foi o primeiro de um programa de Open Innovation, que surgiu da necessidade da companhia de ganhar agilidade e eficiência em todas as áreas. “Mapeamos e priorizamos desafios para buscar novas tecnologias e parceiros que nos ajudem nessa jornada de inovação. Por meio do inovabra habitat, conseguimos ter acesso a esses parceiros”, explica Juliana Bernardo, gerente de Insights&Innovation da Kraft Heinz Brasil e líder do projeto. “A solução foi simples: unir quem tem o desafio com quem tem a solução”, continua Juliana.

O objetivo dos DemoDays é apresentar o programa de Open Innovation e os desafios de cada área às startups selecionadas para que ofereçam suas soluções. A solução que melhor atender à proposta da Kraft Heinz será convidada a participar de uma reunião com o time da área para o possível desenvolvimento de um projeto piloto ou prova conceito.

Para entender os desafios, a Kraft Heinz realizou um workshop com executivos da companhia, onde mapearam, discutiram e priorizaram problemas a serem resolvidos pelas iniciativas das startups do ecossistema do inovabra. Além de Procurement e Legal e Finanças, Operações, Agricultura — Operações, TI, Marketing, Comercial e Trade e People também tiveram desafios mapeados pelos executivos e terão Demodays ao longo do primeiro semestre.

Tenha um propósito!

Por Willian Kahle

“As pessoas podem trabalhar duro por dinheiro, mas só dão a vida por uma causa!” A frase é de Charles Schwab, fundador de uma das maiores corretoras de investimentos do mundo, que leva seu nome e mantém mais de US$ 1 trilhão sob custódia.

De fato, engajar a equipe com um propósito maior, que não seja apenas ganhos financeiros, tem um impacto muito grande no dia a dia. Quando acreditamos no que fazemos, nossa intensidade e confiança sobem de patamar. Agregar algo diferente para a sociedade, causar um impacto positivo na vida das pessoas ou revolucionar determinado mercado, promovendo inovações transformadoras têm um valor imensurável, que vai muito além do que dinheiro, não acha?

Analisando as grandes empresas que dominam os seus respectivos setores, vemos que elas transcendem a procura pelo lucro e passam a buscar um objetivo. Em alguns casos, algo até mais abstrato, visando alcançar patamares muito maiores.

Para exemplificar, gosto de usar o case da Apple, pois é simples e todos conhecem. Ela tem o propósito de desafiar o status quo, de pensar diferente. E basta uma pequena análise para ver que isso é realmente verdade. Foi a primeira empresa a criar celulares sem teclado e a utilizar ícones nos programas de computador. Sua lista de inovações é grande!

Agora, imagine-se trabalhando em uma corporação que pretenda não apenas crescer, mas desenvolver alternativas que mudem para sempre a vida de milhões de pessoas para melhor. Afinal, além de seus próprios produtos, empresas como a Apple forçam seus concorrentes a inovarem também, gerando uma competitividade que impacta positivamente todo o mundo.

Logo, o “porquê você faz?” é mais relevante do que “o que você faz?” ou do “como você faz?”. É nisso que se baseia a teoria do Golden Circle, de Simon Sinek, autor do livro “Comece pelo porquê” e referência global dos empreendedores em todo o mundo. Segundo ele, o propósito torna tanto os clientes quanto a equipe muito mais fiéis. Ter um “porquê”, além de diferenciar sua marca das demais, reduz a necessidade de entrar em uma guerra de preços para vender mais ou de salários para contratar bons colaboradores.

As pessoas também desejam ver o seu trabalho materializado em benefícios a sociedade. Nós, da Messem Investimentos, por exemplo, buscamos ir muito além de simplesmente distribuir aplicações financeiras. Focamos em entender as pessoas, compreender seus sonhos e receios, para alinhar de uma forma cada vez melhor as expectativas dos nossos clientes. Os investimentos são um caminho para ajudarmos as pessoas a realizarem os seus sonhos e terem uma vida mais tranquila.

Mais do que entender de investimentos, nosso negócio baseia-se em entender as pessoas. E esta última é a parte mais importante de todo o processo. Fazemos isso buscando a proximidade, escuta ativa e nos interessando verdadeiramente pelo próximo. E fazemos isso porque existimos para cuidar do futuro das pessoas!

Willian Kahle, sócio e assessor financeiro responsável pela área de expansão e performance da Messem Investimentos

ACE vai capacitar profissionais do futuro com curso gratuito sobre inovação

De acordo com a ACE Innovation Survey, uma pesquisa conduzida pela ACE Cortex, unidade de inovação corporativa da ACE, sobre o panorama do setor no Brasil, a inovação é valorizada por cerca de 90% das empresas. Pensando nesse cenário, a ACE, empresa de inovação, acaba de anunciar o lançamento de um curso sobre o tema. O Innovation Academy será totalmente gratuito, e os inscritos passarão por um processo de seleção para serem aprovados no programa.

“Existe uma carência de profissionais qualificados e de alto desempenho no mercado, então decidimos tomar a frente na educação e desenvolvimento dessas pessoas, disseminando o conhecimento sobre inovação, que faz parte do DNA da ACE, contribuindo assim para o crescimento e futuro do Brasil”, declara Pedro Waengertner, CEO e cofundador da ACE.

O curso abordará temas diretamente relacionados à inovação, tangibilizando o trabalho em Squads e a Transformação Digital. Serão apresentados conceitos de rotinas ágeis, como Scrum e Kanban, além de trabalhar um mindset de startups, como definição de Personas, Job To Be Done e Proposta de Valor. Utilizando as metodologias ACE, o curso terá atividades práticas e debates de cases reais. Os conteúdos serão ministrados pelos profissionais da ACE, que tem ampla experiência e vivência diária dos temas abordados.

Além de passar pelo curso gratuito, os alunos que se destacarem e tiverem um match com a empresa poderão receber uma proposta para integrar o time da ACE.

O curso acontecerá em três sábados consecutivos em março (com início em 7 de março), além de um encerramento onde os alunos irão apresentar seus trabalhos para os partners da empresa. Para se candidatar ao processo seletivo, os interessados devem acessar: http://www.innovationacademy.com.br/ e preencher o formulário até o dia 20/02/2020. Como requisito para participar, é preciso ter alguma experiência ou conhecimento com vivências ágeis ou startups.