Page

Author admin

Blau Inventta – área de PD&I da Blau Farmacêutica conduz 60 novos projetos simultaneamente em diversos estágios

Composta por 120 pesquisadores, sendo 36 profissionais Mestres e Doutores, a área de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação (PD&I) da Blau Farmacêutica – Inventta, tem trabalhado no desenvolvimento simultâneo de 60 novos projetos, em diversos estágios, e tem a capacidade instalada para absorver anualmente 15 novos projetos. Com um investimento de cerca de 4% da receita líquida, a PD&I atua em duas frentes: Medicamentos sintéticos, e Insumos Farmacêuticos Ativos e medicamentos biológicos e biotecnológicos, com equipes dedicadas a cada pilar de atuação.

“A área de PD&I possui interações estratégicas com universidades brasileiras e internacionais em cooperação com processos de desenvolvimentos de produtos e estudos regulados. Os nossos laboratórios de sintéticos e biotecnologia são equipados com o que há de mais moderno em tecnologia para desenvolvimento de produtos atualmente disponíveis. Também possuímos tecnologias específicas e direcionadas para IFAs como caracterização de estruturas de biomoléculas, garantindo assertividade em nossos processos biotecnológicos”, explica Uilberson Silva, Gerente Executivo de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação da Blau Farmacêutica.

O Inventta da Blau Farmacêutica também conta com um moderno laboratório de desenvolvimento de formulações de medicamentos sensibilizantes, equipado para desenvolver medicamentos sólidos e injetáveis.

“Atuamos com inovação incremental, buscando aprimoramento de processos e novas associações de medicamentos já existentes capazes de trazer novos benefícios para pacientes. Em sinergia com a nossa área médica, são conduzidos estudos clínicos necessários para demonstrar esses novos benefícios. Atuamos também com inovações adjacentes, uma vez que temos a capacidade de desenvolver toda a cadeia de um medicamento biotecnológico desde o PD&I do IFA até o produto final e realização de todos os estudos clínicos requeridos, devido ao know-how do nosso time”, reforça o executivo da Blau Farmacêutica.
Durante o último semestre, a Blau dobrou os investimentos em PD&I em relação ao mesmo período de 2020, reforçando a sua estratégia de novos negócios, seja com desenvolvimento interno como também com a ampliação de portfólio com parceiros existentes e busca por parceiros novos e produtos inovadores.

Veja também: Brasileira 4Results e americana Planisware anunciam parceria para acelerar transformação digital de empresas com base em gerenciamento de projetos

Contratações temporárias: ALSHOP prevê a geração de 80 mil vagas para o último trimestre de 2021

Com o avanço da vacinação e o aumento da circulação de consumidores, a ALSHOP (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) acredita que as próximas datas comemorativas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal irão elevar a oferta de vagas temporárias para o comércio em pelo menos 80 mil postos de trabalho entre os associados à entidade. 

De acordo com uma projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a estimativa é que haja a contratação de 94,2 mil trabalhadores para atender ao aumento sazonal das vendas neste fim de ano. Destes, pouco mais de 2/3 estarão alocados em shoppings centers. 

Sem mais restrições impostas pela pandemia, a ALSHOP registra que mesmo com a expectativa de contratações a pandemia resultou em 55 mil demissões só no estado de São Paulo e 10% das lojas fecharam as portas definitivamente.

Novo momento

Analisando a expectativa de contratações, o montante de 94,2 mil trabalhadores que serão admitidos estarão concentrados no sudeste.  A maior parte deles ficará empregada em São Paulo com 25,6 mil colaboradores, Minas Gerais com 10,6 mil, Rio de Janeiro com 7,6 mil e Paraná com 7,2 trabalhadores, correspondendo a 54% do total de vagas geradas.

“O Natal de 2020 coincidiu com a segunda onda da pandemia de COVID-19, e isso contribuiu para que a contratação de temporários fosse a menor nos últimos anos. Mas acreditamos neste recomeço e os lojistas associados estão bem confiantes, pois as lojas já têm recebido um fluxo maior de clientes provocando um aumento de vendas a cada mês”, comenta Luis Augusto Ildefonso, diretor institucional da ALSHOP. 

Portanto, com as lojas recebendo um maior número de clientes, os empresários ficarão mais confiantes em fazer as contratações de novos funcionários para reposição dos que foram demitidos durante as quarentenas, e mais uma quantidade de colaboradores para atender o fluxo maior de clientes esperados nessa época, dando vazão às vendas natalinas.

Os setores de vestuário, acessórios e calçados serão os que mais vão contratar, respondendo por média de 57 mil contratações, e por categorias de trabalhadores, as vagas de vendedores e atendentes serão as mais buscadas para a recolocação. O salário médio inicial está em torno de R$ 1.608,00 e a taxa de efetivação dos temporários após o Natal deverá ser de 12,2%.

“Esse é o período que o setor está mais esperando, pois mostra uma virada de chave, e acreditamos na recuperação da economia, sabemos que caminham devagar, mas a esperança e a expectativa dos associados está reacendendo. Claro que há grandes entraves como a inflação alta, custos mais altos dos insumos e a renda reduzida do consumidor, mas do ponto de vista do comércio devemos comemorar estes dados de recuperação ainda que bem tímidos” finaliza, o diretor.

Tags

IBM anuncia finalistas brasileiros da competição Call for Code

As mudanças climáticas já tiveram efeitos devastadores em comunidades ao redor do mundo, e ainda é esperado piora no futuro próximo, se nada for feito. É por isso que a IBM e seus parceiros decidiram, novamente, focar o Desafio Global Call for Code no uso de tecnologias impulsionadas por código aberto para combater as mudanças climáticas e superar os muitos desafios criados.

Foram anunciados os finalistas regionais da competição, três deles, equipes brasileiras:

 Agrofate identificou alguns dos problemas mais comuns dos pequenos produtores em São Paulo, como a falta de uma melhor previsão de tempo, planejamento ineficiente, alteração e falta de controle de umidade do solo, o que deixa os agricultores despreparados para as mudanças climáticas. Baseado nisso, eles desenvolveram um aplicativo móvel de agricultura de precisão que fornece uma previsão do tempo detalhada, recomendações para uma melhor tomada de decisão e personalização do planejamento de safra com dados obtidos através do seu equipamento sensorial. Tudo isso, utilizando tecnologias como Cloud Foundry, Db2 e The Weather Company API services.

• A Central Food quer ajudar a reduzir o desperdício de alimentos e a fome. De acordo com as Nações Unidas, 1/3 de toda a comida do mundo é desperdiçada, enquanto no ano passado, cerca de um décimo da população global estava subnutrida. Por isso, a Central Food criou um aplicativo onde comerciantes de centros de abastecimento podem publicar seus produtos excedentes a baixo ou sem custo, como forma de doação. As ONGs podem se registrar no aplicativo para ter acesso a essas ofertas e receber notificações de novos produtos via SMS. Os comerciantes podem ver o desempenho das ONGs registradas e quantas pessoas eles impactaram. A solução utiliza Android Native, Kotlin, Firebase authentication, Firebase Storage, Flask, Twilio e IBM Cloud Foundry.

• A SpecWater criou uma solução para ajudar a monitorar a qualidade da água e salvar vidas, considerando que mais de 2 bilhões de pessoas na Terra não têm acesso a um saneamento adequado, de acordo com o Organização Mundial da Saúde e a UNICEF. A SpecWater utiliza inteligência artificial para analisar o espectro da luz dentro de uma amostra de água coletada por um dispositivo IoT (um pequeno equipamento instalado em rios e lagos). Depois desta análise, os resultados são disponibilizados em um website de fácil acesso com funções expandidas, como a habilidade de acionar um alerta via SMS sobre a qualidade da água, dizendo se é seguro consumi-la ou não. A solução aproveita tecnologias como IoT Platform, Machine Learning e Watson Studio.

O Call for Code é dedicado a unir desenvolvedores e solucionadores de problemas ao redor do mundo para criar aplicações impulsionadas por tecnologia de código aberto para enfrentar alguns dos maiores desafios do mundo. Desde seu lançamento em 2018, esse movimento cresceu para mais de 50.000 desenvolvedores e solucionadores de problemas em 180 países. Através do Call for Code, os desenvolvedores conectados aprendem, compartilham sua expertise e constroem soluções de código aberto que podem ser escaladas globalmente e ser implementadas em comunidades individuais.

Nas próximas semanas, serão anunciados os top 5 finalistas globais do Call for Code, o ganhador global, assim como os ganhadores regionais, mas esse programa não termina com um prêmio. Cada ano, a IBM trabalha com os melhores times para ajudar a trazer suas soluções de código aberto à vida por meio de implantações no mundo real. Isso foi feito com o Project Owl no furacão que atingiu Porto Rico, e com o Prometeo no solo com os bombeiros na Espanha. O vencedor global deste ano irá receber suporte prático da IBM, The Linux Foundation, e de outros parceiros para implantarem sua solução.

Amazon Brasil anuncia novo Centro de Distribuição em Pernambuco com cerca de 860 oportunidades de emprego

A Amazon anuncia a expansão de suas operações no Brasil com o novo Centro de Distribuição localizado em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco. A segunda operação no estado possibilitará a criação de até 860 vagas na região. Com a inauguração, a empresa já gerou mais de 2 mil vagas em 2021 apenas na área de operações no país, empregando mais de 6,3 mil pessoas no setor, além de outras milhares de vagas temporárias previstas para a Black Friday e Natal.

O novo Centro de Distribuição reforça o compromisso da empresa em acelerar cada vez mais os negócios no Brasil, oferecendo centenas de vagas com salários competitivos e benefícios diferenciados para seus funcionários. “O Nordeste é uma região de extrema importância para a Amazon, tanto que estamos inaugurando a nossa segunda operação em Pernambuco. Com isso, nosso intuito é aumentar a capacidade logística da empresa no País, aumentando a variedade e aproximando os produtos comercializados, melhorando a experiência dos clientes e reduzindo o tempo de entrega em nível nacional, além de gerar emprego e renda para as comunidades em que atuamos” explica Ricardo Pagani, diretor de operações da Amazon no Brasil. “Nós gostaríamos de agradecer ao Governo do Estado e todos os times que trabalharam incansavelmente para nos ajudar em nossa importante expansão na região”, ressalta.

“Ficamos muito satisfeitos em ver que, cada vez mais, as empresas confiam em Pernambuco para instalar seus negócios. No caso da Amazon, nossa localização estratégica e as condições necessárias para a implementação do centro de distribuição ratificaram nossa vocação para atuar como hub logístico regional. Diante de tantos desafios impostos pela pandemia temos, dentro do nosso Plano Retomada, a certeza de que essas ações são fundamentais para gerar emprego e renda para o povo pernambucano. Seguimos com essa determinação”, afirmou o governador de Pernambuco, Paulo Câmara .

“Ter uma empresa como a Amazon no estado mostra a confiança na eficiência do nosso polo logístico. Além de localização privilegiada, o estado mostra sua capacidade de dialogar com o setor privado e oferecer o apoio necessário”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Julio.

No total, com a nova operação, a Amazon passa a operar onze centros de distribuição no Brasil: cinco em Cajamar (SP), um em Betim (MG), um em Santa Maria (DF), um em Nova Santa Rita (RS), um em São João de Meriti (Rio de Janeiro) e dois em Cabo de Santo Agostinho (Pernambuco). “Nosso objetivo é realmente deixar o inventário, ou seja, os produtos mais perto dos clientes e fazer uma entrega cada vez mais rápida aos nossos consumidores” complementa o diretor.

A empresa também está comprometida com a diversidade, equidade e inclusão dentro de suas operações. Por isso, possui 13 grupos internos de afinidades, que reúnem funcionários ao redor do mundo para discutir temas socialmente relevantes em um espaço seguro e inclusivo.

“Hoje, a Amazon é uma das principais empresas empregadoras no mundo e estamos constantemente trabalhando para ser o melhor lugar para se trabalhar. Queremos cada vez mais auxiliar no crescimento local das comunidades em que atuamos, assim como no País, incluindo e empregando a todos sem distinções.” comenta Pagani.

Constantemente pensando no bem-estar dos funcionários a empresa espera implementar em todos os Centros de Distribuição do Brasil um sistema de refrigeração por meio de ar-condicionado, visando um maior conforto e um melhor clima para as mais de 6,3 mil pessoas nas operações. O Centro de Pernambuco, que possui cerca de 41 mil m², equivalente a cinco campos de futebol, já inicia com esta tecnologia – pouco vista em centros de distribuição desta escala no País.

As operações no novo prédio levam em conta os protocolos de segurança contra a COVID-19 aplicáveis, com soluções de saúde e segurança permanentes. Desde o início da pandemia, a Amazon colocou o bem-estar e saúde de suas equipes como uma de suas prioridades. Globalmente, a empresa realizou mais de 150 mudanças em suas operações para ajudar no combate ao COVID-19 e contribuir para a segurança de seus funcionários, como distanciamento social, máscaras, luvas, assim como melhorias de limpeza e processos de higienização, para citar alguns. Recentemente, a empresa anunciou também a implementação do Programa de Assistência aos Funcionários (EAP), dedicado a ajudar os funcionários e suas famílias com sua saúde emocional.

Boa Vista abre 54 vagas de estágio para trabalho 100% remoto

Para quem quer finalmente o estágio dos sonhos e começar a sua trilha profissional, essa é a hora. A Companhia de Estágios, um dos principais players de recrutamento e seleção responsável pelo desenvolvimento de programas de atração de talentos para mais de 300 empresas, está com inscrições abertas para o Programa de Estágio Boa Vista 2022.

A Boa Vista, uma das maiores empresas de inteligência analítica do país, está selecionando 54 jovens que vão ter oportunidade de trabalhar em um ambiente que prioriza o desenvolvimento, aprendizagem e bem estar dos colaboradores. Para participar, o estudante deve estar cursando Ciências da computação, Análise e desenvolvimento de sistemas, Tecnologia da informação, Tecnólogo em redes, Tecnólogo em segurança da informação, Engenharias (preferência por engenharia de produção), Ciências de dados, Estatística, Matemática, Física, Economia, Administração, Psicologia, Recursos Humanos, Direito, entre outros. 

Além disso, o programa é 100% remoto, ou seja, candidatos de qualquer lugar podem participar. Entre os benefícios estão: Horário Flexível, Vale-Alimentação e Vale-Refeição, Day off de aniversário, Auxílio Internet, Plano de Saúde e Odontológico, Convênio Farmácia, Gympass, Convênio SESC e Boas-vindas home office (R$ 1.500,00 para montagem do escritório). 

Salário: compatível com o mercado

Prazo de inscrição: 27/10

Inscriçãohttps://www.ciadeestagios.com.br/vagas/boavista/

Tags

Fiduc abre 40 vagas para profissionais de tecnologia e inovação

A Fiduc, fintech especializada na gestão de investimentos e finanças pessoais, está com seleção aberta para 40 vagas direcionadas a profissionais de tecnologia. As oportunidades vão de posições em nível analista à coordenação de equipes. A empresa busca por perfis com experiência na área para estruturar um time de alta performance, responsável por desenvolver soluções inovadoras que facilitem o dia a dia de sua rede de planejadores fiduciários associados e clientes.

Entre as vagas disponíveis estão, por exemplo, Gerente de Projeto Sn, Teach Lead, Desenvolvedores Sn Front, Desenvolvedores Sn Back, Desenvolvedores Sn Full-stack, Desenvolvedores Pl Front, Desenvolvedores Pl Back, Analista de BI Sn, Cientista de Dados, Head de UX, Designer UX, Designer UI, Coordenador de CX, Designer, Analista de Requisitos, Product Owner, Lider de Infraestrutura / DevOps, Analista de Suporte, entre outras.

Em fase de expansão, a Fiduc prevê triplicar o número de funcionários com as novas contratações. No mercado desde 2018, a fintech segue em uma trajetória crescente e possui hoje quase R$ 500 milhões em ativos sob gestão, com meta de chegar a R$ 1 bilhão em 2022. A empresa replica no Brasil o bem-sucedido modelo fiduciário criado pela Saint James Place para o varejo britânico que democratiza o acesso de investidores pessoa física de qualquer faixa de renda à gestão de patrimônio profissional, antes restrito no Brasil apenas a milionários. A Fiduc atua com o modelo Business to Business to Consumer (B2B2C), com uma rede de planejadores associados que acompanham de forma personalizada a jornada financeira de mais de 3 mil clientes.

“Nosso propósito é mudar a vidas das pessoas, ajudá-las em sua jornada de realização de sonhos a partir do planejamento financeiro e a tecnologia é uma grande aliada para empoderar planejadores em todo o país a oferecer atendimento personalizado e acesso a uma forma de investir comprometida com seus objetivos, sem conflitos de interesse. Queremos desenvolver cada vez mais dentro de casa nossas próprias soluções e ferramentas e promover uma melhor experiência do cliente”, explica Patrick Peres, responsável pela área de Inovação da Fiduc.

O executivo conta que entre os requisitos da seleção, a fintech busca profissionais que tenham experiência mínima de quatro anos na área e amplo conhecimento das linguagens JavaScript. Das habilidades pessoais, os candidatos devem ter perfil dinâmico, colaborativo e que se identifique com o propósito Fiduc. Qualificações como graduação superior e inglês não consideradas como fator eliminatório.

“Buscamos pessoas com amplo conhecimento em inovação e tecnologia, mas uma das características desse mercado é que muitos profissionais aprendem e desenvolvem suas habilidades na prática. Por isso, não limitamos a candidatura de talentos sem certificados. O mercado financeiro caminha para uma grande revolução com o open banking e queremos, sobretudo, um time preparado para viver esta mudança com a gente”, diz Peres.

Os profissionais interessados em participar da seleção da Fiduc podem conferir mais detalhes sobre as vagas no site da empresa no link (www.fiduc.com.br/vagas)

Tags

Windows 11: Uma nova era para o PC começa hoje

Hoje mais do que nunca, nossos computadores são mais do que processadores de texto e plataformas de aplicativos – eles são a porta que nos leva a tudo e a todos. E com a disponibilidade do novo Windows 11, elimina-se de uma vez por todas a complexidade para trabalhar, estudar, jogar e criar novas realidades.  

A experiência do Windows 11 começará em 5 de outubro com a atualização que será feita em fases para oferecer o Windows 11 – assim como fizemos com as atualizações do Windows 10 – e, a partir deste momento histórico, todos poderão se beneficiar de um novo Windows e fazer mais tarefas com menos cliques e toques.   

Para o Diretor de Produtos para Windows e Dispositivos da Microsoft, Panos Panay: “Toda a experiência de usuário do Windows 11 aproxima você de quem ama, capacita você a produzir e inspira você a criar. O Windows 11 proporciona uma sensação de calma e abertura. Oferece um lugar onde você se sente em casa. É seguro e foi concebido para você se concentrar em si mesmo, incluindo o novo menu inicial, a barra de tarefas, os sons, as fontes e os ícones. Nossa equipe pensou em cada pixel e detalhe para proporcionar uma experiência mais moderna e atraente.”  

À medida que olhamos para o futuro – para o próximo ano e além –, enxergamos o computador desempenhando um papel relevante e duradouro em nossas vidas, seja para trabalhar, criar, conectar, aprender ou jogar.  

“Cada um dos nossos parceiros foi fundamental para dar vida ao Windows 11. Nenhum outro ecossistema tem a amplitude e escala do ecossistema Windows para atender às necessidades das pessoas, sejam criadores, desenvolvedores, alunos e professores, empresas e jogadores – a qualquer faixa de preço e em qualquer dispositivo. Nossos parceiros têm PCs Windows 10 elegíveis para a atualização gratuita e a partir de outubro oferecerão o Windows 11 em uma ampla variedade de dispositivos, de diferentes formas e tamanhos, com novos lançamentos nos próximos meses”, disse Adriano Galvão, Vice-Presidente de Vendas ao Consumidor da Microsoft Brasil. 

A partir de 5 de outubro e nos próximos meses estarão disponíveis no país dispositivos compatíveis com Windows 11 da Acer, Asus, Dell, HP, Lenovo, Multilaser, Positivo e Samsung. 

O aplicativo Verificação de integridade do PC está disponível para verificar se o seu PC com Windows 10 é elegível para a atualização gratuita. O blog do Windows está disponível com todas as informações sobre a implementação da atualização.  

O Windows 11 foi concebido para colocar você no centro. Com o botão Iniciar no centro, você tem acesso rápido ao conteúdo e aos aplicativos nos quais está interessado, e graças ao poder da nuvem e do Microsoft 365 (vendidos separadamente), você pode ver os arquivos recentes nos quais tem trabalhado, independentemente do dispositivo que estava usando, mesmo que fosse um dispositivo Android ou iOS. 

Para aproximar você do conteúdo e das informações em que está interessado, estamos introduzindo o Widgets: um novo feed personalizado baseado em IA e na web. Você pode abrir seu feed personalizado com um clique ou deslizando o dedo da esquerda para a direita, sem qualquer interferência, pois os widgets deslizam pela tela como numa folha de vidro. Quer você esteja verificando seu calendário do Outlook, conferindo sua lista de tarefas pendentes, acompanhando as manchetes mais recentes, vendo a previsão do tempo ou revendo suas fotografias favoritas no OneDrive, os widgets trazem tudo que importa para a ponta dos seus dedos.   

O chat do Microsoft Teams ajuda você a ficar próximo de quem é importante na sua vida. Com um simples clique, você pode utilizar uma conta pessoal para conversar, fazer uma chamada por voz ou vídeo para amigos, familiares e outros contatos, independentemente do dispositivo ou da plataforma: Windows, Mac, Android ou iOS. O Microsoft Teams não é apenas para pessoas com dispositivos inteligentes; amigos e familiares podem participar da conversa por meio de mensagens de texto via SMS. Além disso, você pode abrir a experiência completa do Microsoft Teams diretamente no Chat para agilizar seus planos com agendamento de eventos, pesquisas rápidas, compartilhamento de arquivos e muito mais. 

A nova Microsoft Store no Windows não só trará ainda mais aplicativos, como também facilitará a descoberta de novos conteúdos com histórias e coleções selecionadas. Novos aplicativos estão disponíveis hoje na Microsoft Store no Windows, como Canvas, Disney+, Zoom, Epic Game Store e muito mais.

Capacitando a sua produtividade e despertando sua criatividade 

Agora, mais do que nunca, podemos fazer várias coisas ao mesmo tempo em nossos PCs, algumas delas com múltiplos monitores e guias no navegador, como editar documentos no Word ou no PowerPoint. Como novidade no Windows 11, apresentamos Layouts de Ajuste, Grupos de Ajuste e Áreas de Trabalho para oferecer uma maneira ainda mais poderosa de ajudar você a executar várias tarefas e ficar por dentro de tudo que precisa fazer.

Os Layouts e Grupos de Ajuste otimizam o espaço da tela de uma forma visualmente mais limpa, com novos designs de três colunas para telas maiores. Com as áreas de trabalho, você pode criar áreas de trabalho individuais que exibem diferentes conjuntos de aplicativos para se manter organizado e focado, criando espaços separados em sua casa e até personalizando cada área de trabalho com seu próprio nome e papel de parede. 

Windows 11 para todos 

Desde o início do desenvolvimento do Windows 11, o fator acessibilidade foi levado em consideração, com revisões de design e novos recursos. Assim, o Windows 11 é a versão mais inclusiva do Windows, construído por e para pessoas com deficiência. Oferecendo tecnologias de assistência do Windows, como Narrador, Lupa, Legendas e Reconhecimento de Voz, para apoiar pessoas de todo o espectro de deficiências.

A experiência de toque também foi transformada no Windows 11 quando você usa um tablet sem teclado. Agora haverá mais espaço entre os ícones na barra de tarefas, com objetos de toque maiores e sinais visuais sutis para facilitar o redimensionamento e o movimento das janelas, além de adicionar gestos.  

A equipe de design também habilitou a tecnologia haptic no Windows 11 para que o uso da caneta seja ainda mais imersivo, permitindo que você escute e sinta as vibrações à medida que clica e edita ou desenha.  

Com o tempo que passamos em nossos PCs, às vezes queremos escrever no computador usando a voz. Novas melhorias na escrita por fala foram introduzidas no Windows 11. Agora, com a escrita por voz, o seu PC reconhece o que você diz, e até pontua frases automaticamente para você.  

Para desenvolvedores, o Windows 11 oferece novas ferramentas e recursos 

Com o Windows 11, a Microsoft se esforçou para tornar o Windows uma plataforma mais aberta, pensando não só no processo de desenvolvimento, mas também nas ferramentas e funcionalidades necessárias para a criação de aplicativos incríveis.  Com o Windows 11, os desenvolvedores podem criar aplicativos com as ferramentas, frameworks e linguagens que conhecem e adoram.   

O Windows 11 foi projetado para jogos 

O Windows 11 foi concebido para jogos, com recursos inovadores que podem levar sua experiência de jogo em PC para outro patamar. Se o seu PC tiver uma tela compatível com HDR, o Auto HDR atualizará automaticamente mais de 1000 jogos DirectX 11 e DirectX 12 para uma gama muito mais ampla de cores e brilho. O Windows 11 também inclui a capacidade de ativar ou desativar o HDR automático por jogo.

O Windows 11 também inclui suporte a DirectStorage, um recurso introduzido pela primeira vez nos consoles Xbox Series X e Xbox Series S. Quando combinado com uma unidade de estado sólido NVMe e GPU DirectX 12, os jogos que implementam DirectStorage podem se beneficiar de tempos de carregamento reduzidos e renderizar universos de jogo mais detalhados e expansivos. 

Você poderá integrar o Windows 11 ao aplicativo Xbox para navegar, baixar e jogar mais de 100 jogos de PC de alta qualidade com o Game Pass para PC (assinatura vendida separadamente). Membros do Xbox Game Pass Ultimate também podem jogar mais de 100 jogos do console Xbox no PC sem esperar pelo download, graças ao poder do Xbox Cloud Gaming (Beta) com o aplicativo Xbox. 

Capacitando as forças de trabalho híbridas e as salas de aula do futuro 

O Windows 11 é o sistema operacional para modelos híbridos trabalho e aprendizagem. Com a rápida aceleração da transformação digital que vimos nos últimos 19 meses, é fundamental que as organizações hoje sejam resilientes e flexíveis. A mudança para o trabalho híbrido, no qual a jornada de trabalho está sempre mudando, enfatizou a importância de um sistema operacional flexível, contínuo, seguro e que funcione da maneira como você trabalha. É por isso que o Windows 11 está alicerçado sobre a base consistente, compatível e familiar do Windows 10, de fácil gerenciamento para a equipe de TI. A partir de 5 de outubro, as organizações podem começar a migrar para o Windows 11 em PCs poderosos, ou através da nuvem com o Windows 365 ou o Azure Virtual Desktop. Para saber mais sobre como o Windows 11 pode capacitar sua força de trabalho híbrida, visite o blog do Microsoft 365.  

O Windows 11 foi concebido para proteção – desde o chip até a nuvem  

A Microsoft realizou uma pesquisa com tomadores de decisão da área de segurança de diversos setores nos Estados Unidos e descobriu que 75% dos executivos, vice-presidentes e CEOs sentem que a mudança para o trabalho híbrido deixou sua organização mais vulnerável a ameaças à segurança.  

Este último ano mostrou que a segurança deve estar incorporada no hardware, no chip e até a nuvem. Na verdade, 80% dos entrevistados acreditam que o software por si só não oferece proteção suficiente contra ameaças emergentes. Por esse motivo, o Windows 11 foi desenvolvido com foco na segurança para enfrentar os desafios deste novo ambiente de trabalho e outros que estão por vir.

Tags

Fintech Listo capta R$ 400 milhões

A Listo, fintech que tem o propósito de promover a autonomia financeira de pequenos e médios empreendedores, captou R$ 400 milhões por meio do lançamento do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). O valor será usado para ampliar a operação de desconto de recebíveis de cartão de crédito (pagamento em D0) no Brasil inteiro e vai financiar a operação da empresa nos próximos três anos.

Ao todo a empresa já captou R$ 850 milhões desde 2017 e operou mais de R$ 8 bilhões nos últimos três anos. “Essa é a nossa terceira captação via FIDC e além de reforçar a nossa credibilidade, também consolida nossos produtos e modelo de operação no mercado, é mais combustível para acelerar o nosso crescimento nos próximos anos”, comenta Olavo Cabral Netto, CEO e fundador da Listo.

A Listo foi fundada em 2014 e tem desenvolvido uma plataforma que reúne diversos serviços para lojistas PMEs, incluindo o gerenciamento de cobrança e de caixa dos clientes, diretamente ligado à maquininha de pagamento com cartões. “Focamos em ouvir os clientes e criar soluções inovadoras e independentes a partir das demandas que eles nos trazem, por isso investimos constantemente em novas tecnologias”. Seu carro-chefe é o produto Listo Fácil, uma plataforma de gestão financeira com ferramentas simplificadas e totalmente integrada com a solução de vendas com pagamento em D0.

Em 2017, lançou a 1º série do FIDC LF I, captando R$ 50 milhões com a finalidade de testar a viabilidade dessa alternativa de financiamento do crescimento do negócio. No ano seguinte, em virtude do rápido crescimento, a empresa já estava presente em todo o Brasil e fez a 2ª emissão no valor de R$ 400 milhões.

Atualmente, a fintech atende mais de 100 mil lojistas em todo o Brasil e atua nos mais variados segmentos, com destaque para o setor automotivo. De olho na retomada do mercado automotivo, a Listo lançou o Listo CDC, que permite ao lojista oferecer crédito direto ao consumidor utilizando o cartão de crédito. Esta solução está disponível para todo o comércio de veículos e, atualmente, permite o financiamento de carros e motos, novos e usados, em até 24 parcelas.

Durante a pandemia, a empresa lançou outros produtos para ajudar os clientes a superarem a crise. Atento ao aumento das compras remotas, a fintech lançou a solução Listo2go que combina com máquina móvel, gestão de vendas delivery e conta digital ilimitada, o Listo2go. Além disso, ela também possui uma linha de empréstimo para capital de giro, o KGC, que é dirigido aos estabelecimentos comerciais para necessidades do dia a dia, como repor estoques, pagar salários de funcionários e passar por fases de baixa na produção e/ou nas vendas.

“Há 7 anos a Listo vem desenvolvendo soluções realmente eficientes para as PMEs de diversos setores. Sempre buscando cumprir com o nosso objetivo de ajudar empreendedores na sua gestão financeira com tecnologia de ponta e alta complexidade de serviços, mas forma extremamente simplificada, intuitiva e acessível. Acreditamos que essa captação vai turbinar a nossa operação e será muito importante para que a gente ajude as empresas nesse momento de retomada”, conclui o CEO.

Claranet tem mais de 25 vagas abertas na área de tecnologia

A Claranet , multinacional de tecnologia especializada em cibersegurança, está com mais de 30 vagas de emprego abertas. As oportunidades são para contratação efetiva e variam entre trabalho remoto e presencial, em Barueri (SP), onde está localizada a sede da empresa no Brasil.

Entre as oportunidades disponíveis estão System Engineer, Devops, Data Engineer, Analista de Suporte Cloud, Analista Command Center dentre outras. Os salários são compatíveis com o mercado e a contratante ainda oferece benefícios como vale refeição e vale alimentação, transporte, convênio odontológico, seguro de vida, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), plano de carreira, auxilio creche, parceria com faculdades e escolas de idiomas, intercâmbio cultural, consultoria psicológica, financeira e jurídica.

Os interessados devem realizar a candidatura direto pelo site da empresa (clique aqui) .

Confira as vagas abaixo:


Administrador De Banco De Dados Jr

Administrador De Banco De Dados Sql Server Pl

Analista Command Center Jr Iv

Analista De Nuvem Publica Junior

Analista De Suporte Cloud Sr

Analista Infraestrutura Pl – Linux

Analista Middleware Sr

Banco De Talentos – Claralovers

Data Engineer Pl

Desenvolvedor FullStack Sr

Especialista Fiscal Sr

Especialista M&A

Executivo De Negócios – Farmer

System Engineer Jr

System Engineer Pl – AWS

System Engineer Pl – Azure

System Engineer Sr – AWS

System Engineer Sr – Azure

Tech Recruiter PL

Marfrig digitaliza relacionamento com clientes e fornecedores

A Marfrig, líder global em produção de hambúrgueres e uma das maiores empresas de carne bovina do mundo, investe para aprimorar cada vez mais o relacionamento com clientes e fornecedores. Dois projetos se destacam em 2021: os novos portais para clientes estrangeiros e despachantes parceiros, digitalizando o relacionamento com a companhia. 

Por meio de tecnologias integradas, agora os clientes estrangeiros da Marfrig — como grandes redes de varejo e restaurantes globais — conseguem acompanhar seus pedidos desde a criação até o recebimento, incluindo toda a documentação alfandegária. O canal também viabiliza o melhor acompanhamento dos times comerciais da companhia, nas unidades da América Latina (Brasil, Uruguai, Chile e Argentina), unificando processos de vendas.

“É um grande salto de qualidade no serviço e na rapidez de informação. Todas as unidades da América do Sul possuem uma plataforma integrada para inclusão dos pedidos, que possibilita um acompanhamento global de todo o trâmite comercial, diminuindo burocracia, custo e tempo e centralizando informações”, diz Joel Santiago, diretor de tecnologia da Marfrig.

Todos os clientes da Europa, por exemplo, já aderiram à plataforma. Com o novo sistema digital, o processo tradicional promove um ganho de até dois dias. “É um ambiente seguro, rápido e ágil, elevando o nível de informação e prestação de serviços a clientes internacionais e facilitando o trabalho da equipe de pós-venda”, afirma Santiago. 

Despachantes 

Já o portal para despachantes apoia as questões alfandegárias, aprimorando as trocas de documentos e informações sobre as cargas, além de dar mais agilidade ao pós-venda. O sistema consegue gerar dados, como o tempo de processos e o faturamento das plantas, fazendo com que a Marfrig tenha uma tomada de decisão mais estratégica junto a cada um dos seus parceiros. 

Mais de 30 profissionais (diretos e terceiros) do setor de Tecnologia da Informação da Marfrig atuam desde março de 2020 em ambos os projetos. As plataformas podem ser acessadas nas versões desktop ou mobile a qualquer momento do dia.

Aegea Saneamento aposta nas startups para aceleração do setor

A Aegea Saneamento, empresa líder do setor privado de saneamento no Brasil, em parceria com o Innovation Latam, desenvolveu um programa de aceleração com Startups para buscar soluções e projetos que tragam inovação, desenvolvimento, impulsionem seus negócios e ajudem a reduzir o déficit do setor. As startups interessadas podem se inscrever por meio deste link.

O programa contará com 4 desafios: Gestão e Relacionamento com stakeholders, que consiste na criação de ferramentas que possam facilitar o engajamento e a comunicação da companhia em novos locais de atuação; Plataforma de Gestão de Serviços Prestados, buscar soluções para cadastro e remuneração dos serviços prestados pelas comunidades em que a Aegea está inserida; Atualização Cadastral, para o desenvolvimento de soluções que possibilitem a atualização cadastral automática ou integrada de dados como faixa de renda, quantidade de pessoas no mesmo domicílio, informações de contato etc. e Autoleitura dos Hidrômetros, com o objetivo de reduzir os esforços dos colaboradores e otimizar o tempo de desenvolvimento em ferramentas que possam dar autonomia para o próprio usuário realizar a leitura e computar seus dados.

O programa também é aberto para Startups que ofereçam projetos em Energia, auxiliando no tratamento de água, reduzindo o impacto social e ambiental e smart cities.

Entre os benefícios e oportunidades em participar desta iniciativa, a Startup contará com mentoria de especialistas da Aegea para o desenvolvimento de proposta de valor do produto, gerando visibilidade do seu projeto para importantes lideranças e promovendo a aceleração dos negócios com oportunidades de contratação e investimentos pela companhia.

“O setor de saneamento possui dados alarmante de 35 milhões de pessoas sem água tratada e cerca de 100 milhões sem acesso ao serviço de coleta e tratamento de esgoto. Os desafios do setor estimulam as empresas a desenvolverem ações e projetos que resultem em impactos econômicos e sociais. A ideia da Aegea em apostar em Startups é fato inerente às nossas premissas em ESG e na estimulação da inovação em diferentes regiões do Brasil”, afirma Klaus Paz, Gerente de Infraestrutura Digital da Aegea.

Além desta iniciativa, a companhia faz parte do World Water Innovation Fund (Fundo Mundial de Inovação da Água) que tem como objetivo unir as maiores empresas de todo o mundo para encontrar, desenvolver e acelerar as tecnologias inovadoras.

Para que haja mudanças no atual cenário do saneamento no Brasil, é necessário desenvolver projetos de tecnologia e inovação. A oportunidade de trabalhar com Startups para reduzir o déficit do setor, reforçam o compromisso da Aegea em praticar ações que resultem na melhoria de qualidade de vida da população nos locais que atuamos.

Tags

Como a área de Recursos Humanos pode ajudar a sua empresa a ser mais sustentável?

Por Ana Paula Prado, Country Manager do InfoJobs

Quando o assunto é sustentabilidade, é comum que as pessoas o relacionem às questões de meio ambiente, como exploração de recursos naturais e poluição. De fato, o conceito tem a ver com os temas citados, porém, também vai muito além disso. Quando falamos de sustentabilidade empresarial, os olhares se voltam para organizações que pensam e aplicam ações que vão beneficiar não só o seu negócio, como também o ecossistema em que está inserida.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), um dos seus principais objetivos para os próximos anos é conscientizar e promover iniciativas sustentáveis em grande parte dos países. Para isso, é necessário que, principalmente, grandes empresas, estejam também empenhadas nesses esforços. No entanto, abordar a sustentabilidade e as soluções para se adequar a ela não é um papel só de grandes instituições, mas de toda e qualquer companhia que se importe com causas ambientais e com o futuro do planeta.

De acordo com uma pesquisa da Opinion Box, 33% dos entrevistados acham a sustentabilidade de uma empresa um fator muito importante na hora de comprar um produto ou serviço. Além disso, 55% dos respondentes afirmam dar preferência às marcas sustentáveis. Portanto, como diz uma frase conhecida: “Bom para o planeta, bom para os negócios”. Mas, afinal, por onde começar?

E é aí que o RH pode ajudar! Com o passar dos anos, o setor acabou recebendo muitas atribuições. Dessa forma, ações de sustentabilidade e muitas outras passaram a ser pautas importantes e que podem ser implementadas diretamente pela área de Recursos Humanos para promover empresas mais conscientes socialmente.

É importante frisar que uma abordagem mais sustentável, partindo da diretoria e se caminhando para os demais setores, precisa estar cada vez mais enraizada no negócio. Logo, deve ser parte da estratégia da organização e cabe ao RH mobilizar e engajar os colaboradores por meio de ações voltadas para o tema. Tudo isso de forma muito bem pensada em um foco maior: proporcionar boas práticas para os funcionários dentro e fora do ambiente de trabalho.

Entre as práticas que podem ser estimuladas, é possível pensar em saídas de mobilidade urbana, como por exemplo a migração de alguns colaboradores para o home office e o investimento em treinamentos para as lideranças com o tema da sustentabilidade. Além disso, a promoção de ações colaborativas e recompensas internas para engajar o público e fomentar o uso consciente de alguns recursos também entram no escopo de ações.

Outro ponto a ser destacado é que o RH, por meio da aplicação destas práticas, deve também se atentar ao acompanhamento desses resultados. Para medir e otimizar o desempenho das ações, a área de recursos humanos pode estabelecer indicadores que vão apontar se cada projeto está sendo eficiente ou não. A sustentabilidade dentro de uma organização geralmente é alcançada a médio e longo prazo, ou seja, mesmo com a ausência de resultados imediatos, é importante que a empresa esteja ciente disso para que não interrompa essa transição.

Neste contexto, a tecnologia também tem um papel fundamental na contribuição da sustentabilidade. Isso porque além de promover uma revolução nos processos burocráticos do RH, principalmente no que se trata do recrutamento e seleção, a tecnologia também se mostrou uma grande aliada para tornar a área mais sustentável. Observe que, hoje em dia, a maioria das empresas já dispensam o recebimento de currículos de papel, reduzindo assim o desmatamento e ainda se adequando à obrigatoriedade da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Além disso, grande parte dos recrutadores já não utilizam mais fichas impressas para aplicar testes nos candidatos, uma vez que esses são realizados por meio de softwares de recrutamento e seleção, como o PandaPé, o que significa um grande ganho para todos os envolvidos no processo. Ações simples como essas são indispensáveis atualmente para empresas que desejam investir em sustentabilidade e também melhorar os seus processos.

Promover a digitalização do RH, significa contribuir com a economia de recursos e agilidade nos processos, além de ajudar as companhias a se tornarem mais sustentáveis e competitivas. E você, já está investindo nessa ideia?

Santander Universidades abre inscrições para o Santander X Brazil Award

Nicolás Vergara, superintendente executivo do Santander Universidades

O Santander Universidades Brasil anuncia a 1ª edição do Santander X Brazil Award, programa de empreendedorismo idealizado para universitários empreendedores e startups com apoio técnico e econômico, dando uma assessoria personalizada para o lançamento e aceleração de seus projetos. As inscrições vão do próximo dia 29 de setembro até o dia 25 de outubro.

O Programa Santander Award, foi lançado com foco em apoiar o empreendedorismo brasileiro composto por 2 categorias principais: A categoria Launch, focada em universitários ou pós-graduado nos últimos 5 anos, que desejam apresentar sua ideia inovadora e conhecerem o universo do empreendedorismo.


Os inscritos passarão por uma primeira avaliação dos critérios de seleção e apresentação do protótipo da sua ideia. Os 100 pré-selecionados serão avaliados pela equipe organizadora do projeto, tendo a chance de serem escolhidos para os 10 semifinalistas que apresentarão o seu MVP (Mínimo Produto Viável) – uma versão compacta de uma solução, para uma banca avaliadora, em um discurso de até no máximo de 4 minutos em inglês para executivos do Santander e de mercado.

Para os 3 melhores projetos, o banco Santander dará um prêmio em dinheiro no valor de: 1º R$15.000  R$7.000 e  R$5.000.


A categoria Accelerate é focada para Startups que deverão ser formadas por universitários, professores ou empreendedores da incubadora da universidade, que desejam apresentar sua empresa e alavancar seu negócio. As startups inscritas passarão por uma primeira avaliação dos critérios de seleção e apresentação dos projetos e produtos.

“O Brasil tem avançado muito em relação ao empreendedorismo nos últimos anos, mas ainda há muito espaço a ser explorado. O Santander Award foi desenvolvido para incentivar tanto empreendedores em fase inicial, que estão criando iniciativas e soluções, quanto Startups que buscam oportunidades para expandir o seu negócio. O programa visa não só o apoio financeiro, que é muito importante, mas também o acompanhamento e suporte nessa jornada”, explica Nicolás Vergara, Superintendente Executivo do Santander Universidades no Brasil.

As 100 pré-selecionadas também passarão por uma triagem para a semifinal entre as 10 melhores startups. Nesta fase, os selecionados para a banca de executivos do Santander e de mercado em uma apresentação de 4 minutos em inglês.

Para as 3 melhores Startups, o banco Santander dará um incentivo financeiro, para que possam acelerar seu negócio. Os prêmios serão para o 1º R$100.000  R$80.000 e  50.000. Os 6 vencedores terão a oportunidade de participar do processo de seleção do Santander Global Award, competindo não só com empreendedores nacionais, mas com universitários e startups à nível internacional.  

Programa Santander X Brazil Award:

Inscrições: de 29/09 até 25/10

Clique aqui para se inscrever.

Tags

NTT Data busca startups parceiras pelo mundo; brasileiras estão na mira

Uma das maiores empresas de TI do mundo, a NTT Data, com sede em Tóquio, prepara um encontro virtual com empresas que tenham sinergia com seus negócios, inclusive as brasileiras. No dia 13 de outubro, das 20 às 21 horas (horário de Brasília), a companhia fará um webinar onde apresentará uma visão geral de suas operações e as principais áreas para parcerias com startups. A organização é da Japan External Trade Organization (Jetro), organização de fomento de comércio exterior do governo japonês.

De acordo com Shizuko Matsudaira, vice-presidente da Jetro no Brasil, trata-se de uma oportunidade imperdível para as empresas brasileiras que buscam fazer negócios ou tornarem-se parceiras da NTT Data, empresa do Grupo NTT (Nippon Telegraph and Telephone Corporation), fornecedora global de serviços de TI e com atendimento em mais de 50 países espalhados pelo mundo. A NTT Data Brasil emprega cerca de 800 consultores e especialistas em TI. Um relatório publicado pela Jetro em 2019 mostrou que as companhias daquele país que já atuam no Brasil estão de olho nas boas oportunidades junto a empresas inovadoras do país, em especial startups.

No webinar do dia 13 de outubro, a ser realizado pela plataforma do Zoom em inglês, terá como convidado o engenheiro da NTT Data, Ken Fujiwara. Na programação, temas como análises de dados de carros conectados, cloud computing, 5G e tecnologia para indústria pesada e construção. A participação é gratuita.

Inscrições podem ser feitas até o dia 11 de outubro pelo link https://www.jetro.go.jp/form5/pub/jad/nttdata_na. Mais informações com a Jetro São Paulo no e-mail infosao@jetro.go.jp.

Tags

Locaweb anuncia a aquisição da Squid e entra para o mercado de Creators Economy

A Locaweb anuncia mais uma importante aquisição! Desta vez a aposta da companhia é a Squid , a maior plataforma de Creators Economy do Brasil, focada em conectar criadores de conteúdo com empresas que querem utilizar a relevância e audiência desses influenciadores para fazerem negócios e venderem mais.

Fundada em 2014 na cidade de São Paulo por Felipe Oliva e Carlos Tristan, a Squid é pioneira no segmento de marketing de influência no Brasil e possui as melhores soluções e plataformas para conectar influenciadores e criadores de conteúdo às marcas. A empresa nasceu acreditando na importância da humanização das estratégias digitais e no poder das vozes de empresas e pessoas para o mercado. Atualmente são mais de 100 mil influenciadores cadastrados, desde nano até grandes nomes com centenas de milhares de seguidores.

O histórico da Squid conta com importantes reconhecimentos. Foi eleita uma das startups mais promissoras do Brasil e entrou no ranking “100 Startups to Watch”, passou pelo programa de aceleração da Endeavor (Scale-Up), entre outros diversos prêmios. Tudo isso aconteceu graças ao desenvolvimento constante de um produto inovador, que se tornou referência no mercado.

A plataforma foi criada para resolver um problema real das empresas e agências, que já acreditavam no uso de influenciadores para gerarem mais negócios, porém, faziam isso de forma não estruturada, sem dados ou uma inteligência por trás, que fosse capaz de conectá-las com o seu público de maneira mais eficaz. Além disso, existia uma concentração nos grandes influenciadores, mas a Squid ajudou a dar visibilidade também para os pequenos e médios, que muitas vezes, tem uma conexão maior com o seu público, conseguem engajar mais e de fato, criam uma identificação com as marcas que estão representando.

A Squid tem um papel muito claro nas duas pontas. De um lado consegue ajudar os influenciadores no mercado de creators economy, dando visibilidade para eles, ajudando a monetizar os seus negócios, não só com posts, mas também comunidades, produtos, parcerias com empresas etc. Do outro lado, ajuda as empresas que querem se conectar com seus potenciais clientes, mas de maneira natural, onde eles estiverem. Os criadores de conteúdo são excelentes canais para isso, graças a proximidade que eles têm com as suas audiências, engajamento e relevância.

“A forma como as pessoas interagem com as marcas vem mudando muito ao longo dos últimos anos. Quem nunca comprou um produto ou contratou algum serviço depois de ver alguém que admira e acompanha nos canais digitais falando sobre ele ou simplesmente o utilizando. A Squid está trazendo para o grupo Locaweb a oportunidade de juntos, democratizarmos esse mercado de conteúdo no Brasil.” Afirma Fernando Cirne, CEO da Locaweb.

Por meio do machine learning, a Squid automatiza todo o processo de identificação, recrutamento, gestão e pagamento de influenciadores digitais, unindo tecnologia e um time especializado, que ajuda marcas a impulsionarem o resultado de suas campanhas, aumentando vendas e dando visibilidade.

Com a sua plataforma extremamente completa e intuitiva, o que permite uma escalabilidade da operação, inclusive, com foco nos PMEs, a Squid já chega no grupo com infinitas possibilidades de sinergias. Levando em consideração que a base da Locaweb conta com aproximadamente 600 mil clientes, grande parte pequenas, médias empresas e lojas virtuais e que todos tem potencial de utilizarem criadores de conteúdo para impulsionarem os seus negócios, existe uma oportunidade enorme de crescimento.

Além disso, influenciadores também são ou podem se tornar empresas. As soluções que todo o grupo Locaweb oferece, como por exemplo, plataforma de comércio eletrônico e gestão de redes sociais, meios de pagamento, sites, domínio, entre outras, serão ferramentas fundamentais para ajudar na profissionalização desses mais de 100 mil criadores de conteúdo conectados na plataforma.

“Sempre acreditamos no potencial da nossa solução e crescemos muito e de forma orgânica nos últimos anos. Para darmos os próximos passos e conseguirmos trabalhar na cauda longa, precisávamos de um parceiro estratégico, que nos desse a autonomia e estrutura para seguirmos os nossos planos. Várias companhias e fundos nos procuraram, mas desde as primeiras conversas, tivermos a certeza de que a Locaweb seria a melhor opção para nós.” afirma Felipe Oliva, co-fundador e CEO da Squid.

A Squid vem apresentando forte crescimento desde que foi fundada. Atualmente sua base reúne mais de 100 mil influenciadores, que produziram mais de 300 mil conteúdos, que foram exibidos mais de 700 milhões de impactos. Sua receita anual recorrente (ARR) é superior a R$ 100,0 milhões, com crescimento de triplo dígito em 2021

Seguindo o modelo de atuação da Companhia em outros processos de M&A, a Locaweb adquire 100% da Squid por R$ 180 Milhões. Os sócios fundadores Felipe Oliva e Carlos Tristan permanecerão na operação junto com todo o time de colaboradores. Os empreendedores ainda poderão ter direito a receber earnout, que está vinculado ao atingimento de metas estipuladas pelo grupo.

Uma das pioneiras em soluções Business to Business (B2B) para transformação digital de negócios no Brasil, a Locaweb nasceu para ajudar empreendedores e negócios a desenvolverem sua presença online e prosperarem na web. Ao longo dos últimos anos, a empresa realizou importantes aquisições, fortalecendo a atuação em diversos mercados como o de e-commerce, redes sociais, recorrência, marketing cloud, hospedagem, cloud computing, pagamentos e aplicativo mobile. A Locaweb possui cerca de 3 mil funcionários, mais de 600 mil clientes e 20 mil desenvolvedores e agências parceiras. Com 23 anos de atuação, a empresa segue crescendo e inovando por meio de desenvolvimento e aprimoramento interno de produtos bem como de aquisições.

KPTL lança novo fundo para startups de mineração

A KPTL , uma das principais gestoras de Venture Capital do País, com mais de 60 empresas investidas no portfólio, anuncia a criação de seu mais novo fundo de investimentos dedicado a atrair startups que resolvem dores do setor com soluções de base tecnológica. Com o apoio do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), o Fundo KPTL Mineração pretende captar R$ 500 milhões e já nasce sob a bandeira da inovação por ser o primeiro do tipo na América Latina e um dos primeiros no mundo. O anúncio marca a abertura do EXPOSIBRAM, o mais tradicional e relevante evento do setor, que começa hoje (5) e vai até quinta (7), online.

A ideia do Fundo KPTL Mineração é impulsionar o ecossistema de inovação dentro do setor. Oferecer às empresas cotistas que tenham acesso às soluções de startups já num estágio de maior maturidade. Com o fundo, as mineradoras alavancam suas iniciativas individuais de Corporate Venture e de Open Innovation. Elas ampliam sua capacidade de interação com o ecossistema, e contam com uma gestora especialista em investimento em inovação para fazer os melhores investimentos e principalmente para ajudar as investidas a entregar todo seu potencial, um grande desafio deste estágio de desenvolvimento da inovação.

A posição como cotista de um fundo especializado setorial também oferece aos investidores uma posição privilegiada para acompanhamento da vanguarda da inovação na área. Em um segundo momento pode, inclusive, criar condições para que essas startups possam ser alvo de investimentos ou aquisição, após terem recebido o investimento e a governança por parte do time de gestão da KPTL por alguns anos.Já para o empreendedor que recebe aporte de um fundo com vários cotistas do setor, abre-se um amplo mercado em potencial. O fundo proporciona um fator multiplicador e complementar do capital, que amplia a potência do investimento. Assim, tem-se a oportunidade de alavancar os resultados e ganhar escala. Além disso, oferece ao investidor transparência, governança, benefícios fiscais no ganho de capital, proteção patrimonial, pois é fiscalizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e tem portfólio auditado e avaliado no mercado.

Para Renato Ramalho, CEO da KPTL, o setor ainda está em fase inicial de desenvolvimento de seu ambiente de inovação. “Um fundo de Venture Capital fará o papel estratégico de fortalecer e retroalimentar esse ecossistema. Contribuirá para o desenvolvimento de soluções early-stage, sendo uma estratégia complementar para que os CVCs tenham um pipeline forte para ser analisado. Hoje muitos não conseguem investir por não ter startups com oportunidades maduras o suficiente no mercado”, esclarece Ramalho.

Fundado em 1976, o IBRAM é uma organização privada, sem fins lucrativos, com mais de 120 associados, responsáveis por 85% da produção mineral do Brasil. Estimula uma mineração alinhada à sustentabilidade e indutora das boas práticas de ESG (sigla em inglês para meio ambiente, responsabilidade social e governança). A entidade será uma das norteadoras da estratégia do Fundo KPTL Mineração, assessorando e aconselhando os gestores em seu compromisso com “uma profunda transformação da indústria da mineração, em nossos processos e técnicas”, conforme sua carta compromisso, publicada em 2019.

“O IBRAM entende que o fundo para mining techs é um componente crucial para podermos vislumbrar o desenvolvimento deste nicho de mercado. Promover a inovação e o consequente desenvolvimento de soluções para a indústria mineral são ações que demandam linhas de crédito, que, efetivamente, estimulem o empreendedorismo nesta área”, Flávio Ottoni Penido, diretor presidente do IBRAM.

Para Gustavo Roque, advisor e líder da estratégia do Fundo KPTL Mineração, um fundo de Venture Capital é o ponto de partida para que as mineradoras possam testar e aprender sobre estratégias de investimento em empresas de base tecnológica. “Será uma ferramenta complementar à estratégia dessas empresas para que tenham um pipeline forte para seus investimentos através de veículos de investimento próprios”, acredita Roque, idealizador e co-fundador do MiningHub, polo de inovação das mineradoras.

É sempre importante ressaltar que as preocupações com um futuro mais sustentável passam diretamente pela mineração. Todo o movimento de redução das emissões de carbono e energia renováveis precisam do setor, responsável direto pelos insumos para construir painéis solares, baterias para veículos elétricos e pás para geração de energia eólica. Por exemplo, para aumentarmos a frota de veículos elétricos será necessário mais cobalto, cobre, manganês e níquel. Ou seja, precisaremos produzir minério de forma mais inovadora para apoiar essa transição. E claro, aumentar a segurança do trabalho, além do uso e desenvolvimento de novas tecnologias para mitigação de riscos e acidentes.

Mais tradicional e relevante evento do setor mineral brasileiro, a Expo & Congresso Brasileiro de Mineração 2021 acontece de 5 a 7 de outubro. Reúne os mais importantes líderes do segmento da mineração que compartilharão, em ambiente virtual, seus projetos, casos de sucesso, novidades, novos negócios e perspectivas para as próximas décadas. Na programação, palestras e debates por especialistas internacionais em mineração e setores afins sobre o contexto político e socioeconômico global, além dos desafios do setor mineral. Saiba mais neste link .

Experiências anteriores

A expertise da KPTL na gestão de fundos de Venture Capital remonta a 2003. Já passaram pelo seu portfólio mais de 100 startups, entre quase 10 mil avaliadas. A gestora é responsável pelos fundos Criatec e Criatec 3, que têm o BNDES entre os principais cotistas e cases de sucesso como Magnamed, Agrotools e Rank My App.

No portfólio atual da KPTL, três empresas estão envolvidas diretamente com a mineração. Com a Vale entre suas principais clientes, a SVA Tech criou um sistema próprio de vídeo monitoramento baseado em Inteligência Artificial e recebeu uma nova rodada de R﹩ 6 milhões em setembro. Já a Fractal Engenharia estrutura, coordena e fiscaliza sistemas de alerta e salas de situação contra desastres naturais, além de fazer modelagem e mapeamento de áreas de risco. Por fim, a ATIVA Soluções oferece telemetria e gerenciamento remoto para informação em tempo real dos equipamentos do setor.

A KPTL também tem experiência em trazer grandes companhias para o Venture Capital. Desde setembro, a Multilaser, gigante do mercado de produtos eletrônicos, é cotista do Fundo GovTech, que investe em companhias que aportam tecnologia para ampliar e melhorar a oferta de serviços públicos. Já a Jacto, uma das líderes nacionais na produção de maquinário rural, investiu no Fundo Agro por meio de seu family office, a Tridon Participações. A Valid, uma das mais tradicionais certificadoras digitais do mercado, também é cotista do Fundo Criatec 3.

Tags

5G com redes abertas traz transformações em diferentes segmentos de mercado

Durante a jornada do Visionary Week 2021, a NEC reuniu no painel “Redes 5G abertas: estamos na rampa da iluminação?” representantes de duas empresas líderes em importantes projetos de redes abertas (Open RAN) na Ásia e Europa: Naoki Tani, vice-presidente executivo, CTO e gerente geral de Inovação da NTT DOCOMO, e Santiago Tenório, diretor do Grupo de Arquiteturas de Redes da Vodafone. Participaram também da conversa Atswo Kawamura, vice-presidente executivo e presidente da Unidade de Redes da NEC, e Nozumo Watanabe, vice-presidente executivo da NEC, que contaram com a moderação de Patrick Lopez, vice-presidente de Gestão de Produtos e de Produtos 5G da NEC.

O painel abordou as conquistas da aliança O-RAN, constituída por 300 operadoras de telecomunicações, como a NTT e a Vodafone, bem como fornecedores do setor, a exemplo da NEC, entre outros, instituições e universidades. Em 2018, essas empresas estabeleceram, juntas, que liderariam o estabelecimento das especificações das redes abertas, baseando sua visão em duas premissas – que sejam abertas e inteligentes. Os executivos discutiram também os grandes desafios que ainda impedem uma expansão mais acelerada das Open RAN, que são: a integração dos sistemas de diferentes fornecedores; a garantia de performance; as expectativas em relação a menores custos de TCO e competitividade.

“Nós estamos aqui em um momento-chave para o setor, no qual forças e experiências em TI e Telecom estão unidas para viabilizar a entrada do mundo em uma nova Era. Isto porque Open RAN é uma nova indústria e um passo necessário para o 5G se expandir nos próximos dois ou três anos, trazendo novos produtos e serviços ainda nem imaginados por diferentes segmentos do mercado, que tendem a beneficiar a sociedade como um todo”, disse Kawamura, da NEC. Ele apresentou as iniciativas da companhia japonesa para viabilizar contratos em diversos países e destacou as atuações nos projetos com a NTT DOCOMO e com a Vodafone.

Os avanços da NTT DOCOMO nos projetos de open RAN

A NTT DOCOMO iniciou a oferta de serviços comerciais 5G em março de 2020, no Japão, com base na arquitetura O-RAN. “Rapidamente expandimos nossa capacidade e velocidade usando a tecnologia de quinta geração. Atualmente, temos mais de 10.000 estações-base e mais de cinco milhões de assinantes que utilizam essa solução móvel. Pretendemos dobrar esses números até o final deste ano fiscal”, afirmou Tani, da operadora japonesa.

Segundo Tani, esta é uma grande conquista, porque o 5G transformará os valores da sociedade e trará soluções que serão a base para a evolução de várias indústrias. No entanto, para que isso aconteça, será necessário que ofereça flexibilidade, escalabilidade e rapidez em todas as aplicações. “É fundamental investirmos nas redes abertas, que devem combinar ativos de diversos fornecedores, com soluções críticas para os mais variados propósitos, o que nos motivou a desenvolver relações com múltiplos fornecedores, contemplando várias interfaces todos os dias, visando viabilizar nossos serviços comerciais 5G”, explicou.

Recentemente, a NTT DOCOMO adotou, pela primeira vez, a solução NSA (versão Non-standalone) para melhorar seus ativos 4G e pretende implementar, no segundo semestre deste ano fiscal o 5GC, da NEC, para iniciar os serviços SA (standalone). A operadora já tem também redes abertas implementadas por todo o Japão, que reúnem as capacidades de diferentes equipamentos e soluções de diversos fornecedores combinados livremente, incluindo mmWave e portadoras agregadas sub6 GHz. “Assim, temos maior flexibilidade e qualidade de desempenho de classe global na nossa rede, pois cada fornecedor está pronto para concentrar suas habilidades com liberdade para inovar”, detalhou Tani. Agora, nas redes de acesso por rádio, a NTT DOCOMO quer explorar a abertura entre as estações-bases e as unidades de resposta (RUs); entre softwares e hardwares nas estações-base e com o software RAN Intelligent Controler (RIC).

No final de 2020, a NTT DOCOMO já fazia interoperabilidade e contava com 15 tipos de equipamentos de diversos fornecedores interconectados para atender especificidades de várias regiões, o que garantiu a companhia cobrir mais de 574 cidades até o fim de março deste ano. “Neste momento, estamos montando um laboratório que poderá ser remotamente acessado por várias operadoras de fora do Japão, com o intuito de tornar possível para qualquer uma delas testar O-RAN e vRAN livremente, sem precisar modificar sua infraestrutura”, comunicou o executivo da operadora japonesa.

O pioneirismo da Vodafone nas redes abertas

Para Santiago Tenório, da Vodafone, empresa que colocou em prática o primeiro projeto efetivo de Open RAN no Reino Unido, o 5G não é o principal motor das redes abertas, que são o tópico deste ano e provavelmente da década. “Há alguns anos está ocorrendo uma consolidação do mercado, que resultou em uma diminuição do número de operadoras em até três vezes em determinadas regiões. Os fornecedores, por sua vez, também estão bastante desagregados, o que traz benefícios, como a redução de custos a longo prazo e a flexibilidade, mas também a complexidade de integração”, reflete Tenório.

Segundo o executivo, neste cenário vão prevalecer os fornecedores que ofereceçam os melhores padrões de qualidade e forem capazes de ampla colaboração entre si, com o ingresso na cadeia, inclusive de pequenas empresas que ofertem componentes sofisticados para nichos muito específicos, fomentando a inovação. “O problema de desagregar coisas é ter de reintegra-las depois. Sabendo disto, estamos à procura de alguns tipos de sistemas de integração, cujos resultados devem ser anunciados em breve. É provável que tenhamos alguns componentes desenvolvidos dentro de casa. Mas a indústria, no geral, tem necessidade de um modelo que funcione para operadores de todos os tamanhos”, acredita o diretor da Vodafone.

Santiago fez questão de enfatizar também que outro aspecto fundamental para a evolução das redes abertas tem sido o trabalho realizado pelas alianças O-RAN e TIP, que vêm padronizando as interfaces e harmonizando os sistemas, os quais são a fundamentação das redes abertas. “O RIC (RAN Intelligent Controller) é um dos resultados do trabalho da Aliança O-RAN, em especial da NTT e da NEC, que agora só precisa ser padronizado para ter sua primeira implementação em 2022 e deve ter uma excelente aplicação até 2023″, comentou. A Vodafone já fez testes com Open RAN em ambientes rurais e urbanos, que provaram que é a melhor arquitetura e que de fato funciona.

Os grandes desafios para a maior evolução O-RAN

Apesar dos grandes avanços alcançados nos projetos de redes abertas, quatro grandes desafios ainda persistem: a integração dos diferentes sistemas (hardwares e softwares), a garantia de performance das soluções, os custos de TCO e a competitividade.

Os participantes concordam que a maioria das operadoras pode resolver as questões de integração, assim como está fazendo a DOCOMO. O desempenho e o consumo de virtualização pela RAN (Radio Access Network), devido à desagregação do hardware e software, são ainda mais desafiadores e a aliança O-RAN tem tentado resolvê-los combinando novos hardwares e aceleradores, que já vêm sendo testados. ‘Nós podemos expandir a oferta de O-RAN por meio dos ecossistemas formados pela DOCOMO e pela Vodafone e as redes de operadoras globais já podem contar com isto”, ressalta Tani.

O vice-presidente da NTT DOCOMO reforçou, ainda, que a expectativa é de que o 5G evolua de modo significativo como infraestrutura para toda a indústria e forneça novos valores para as questões sociais, desde que tenha ampla capacidade de acesso, flexibilidade e agilidade para atender às mais variadas demandas de indústrias de diversos setores. “Para tornar isto realidade, é essencial que as redes abertas contem com ecossistemas de fornecedores multifuncionais e altamente especializados, todos colaborando ativamente e seguindo as premissas básicas de oferecerem soluções abertas e inteligentes”, afirmou Tani.

Tenório, por sua vez, acredita que a integração será realmente solucionada por diferentes fornecedores que ofereçam partes integráveis aos demais, de acordo com as especificações e padronizações da Aliança O-RAN. “Atualmente, nós estamos fazendo uma RFI para quebrar o sistema de integração em partes e descobrir quem é melhor em desenvolver cada uma delas, sendo que, em alguns casos, nós faremos partes dentro de casa”, explicou o executivo da Vodafone.

Para Watanabe, há muitas expectativas em relação aos fornecedores por parte das operadoras e a NEC tem aproveitado sua expertise em redes abertas e as oportunidades para ampliar sua participação nos projetos, oferecendo rádios O-RAN 5G Massive MIMO, com os quais querem contribuir para o projeto da Vodafone. Além disso, o Grupo NEC conta com a subsidiária Netcracker, de soluções de Inteligência Artificial (IA), para atender às operações de redes automatizadas em todos os domínios e camadas. “Nós estamos ansiosos para desenvolver grandes projetos de Open RAN e estamos procurando maneiras de obter sistemas de integração, que nos permitam estar localizados próximos dos clientes, atuando como centro de desenvolvimento e entrega de soluções completas e abertas de redes de telecomunicação”, completou o executivo da NEC.

Ao abordar a redução de TCO, Tenório disse considerar uma ilusão dos elos da cadeia de telecomunicações imaginarem que conseguirão de imediato diminuir os custos totais de propriedade (TCO). “Pelo contrário, podemos esperar, na prática, custos mais altos nos primeiros anos, porque as redes abertas são um novo modelo de negócio, que exigirá investimentos iniciais e ainda é preciso resolver os problemas de integração e de segurança. Porém, quanto mais fornecedores apresentarem boas soluções e houver a certeza da boa performance, mais os custos se dissolverão no médio e longo prazos, ou seja, depois de uns três anos. Isto porque a desagregação reduzirá os TCOs em vários setores depois das implementações. Além disso, com o incremento da competitividade, os preços começarão a se reduzir mais rapidamente e a inovação se intensificará com a disseminação do RIC no mercado, que será a grande diferença entre Open Ran e as arquiteturas proprietárias”, conclui Tenório.

Pesquisa do Gartner indica que a escassez de talentos é a maior barreira para a adoção de tecnologias emergentes

Executivos de TI citaram falta de talento antes do custo de implementação e riscos de segurança 

De acordo com a mais recente pesquisa do o Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, a escassez de talentos é a principal barreira para a adoção de tecnologias emergentes. O estudo mostra que 64% dos executivos de TI identificam a mão de obra como um complicador nesse processo de transformação, contra apenas 4% em 2020. A falta de disponibilidade de talentos foi citada com muito mais frequência do que outras barreiras este ano, como custo de implementação (29%) ou risco de segurança (7%). 

A disponibilidade de talentos é citada como o principal fator de inibição para a implementação de novas soluções em todos os seis domínios de tecnologia incluídos na pesquisa – infraestrutura de computação e serviços de plataforma; rede; segurança; local de trabalho digital; automação de TI; e armazenamento e banco de dados. Os executivos de TI citaram a disponibilidade de talentos como o principal fator de risco de adoção para a maioria das tecnologias de automação de TI (75%) e quase metade das tecnologias de local de trabalho digital (41%). 

“O esforço contínuo em direção ao trabalho remoto e a aceleração dos planos de contratação em 2021 exacerbou a escassez de talentos de TI, especialmente para habilidades de sourcing, que permitem o uso da Nuvem, Edge Computing, automação e entrega contínua”, avalia Yinuo Geng, Vice-Presidente de pesquisa do Gartner. “Como um exemplo, de todas as tecnologias de automação de TI perfiladas na pesquisa, apenas 20% delas avançaram no ciclo de adoção desde 2020. A questão do talento é a culpada aqui.” 

Investimentos e implantações de tecnologias emergentes estão se acelerando – Apesar dos desafios em relação à contratação de talentos, os líderes de TI e de Infraestrutura e Operações (I&O) afirmam que aumentaram a adoção de tecnologias emergentes para impulsionar a inovação conforme as organizações começam a se recuperar da pandemia. 

Em todas as áreas de tecnologia, 58% dos entrevistados relataram um aumento ou um plano para aumentar o investimento em tecnologia emergente em 2021, em comparação com 29% em 2020. Além disso, as funções de I&O testemunharam uma redução nos prazos de implantação, com todas as tecnologias em implantação esperadas alcançar a adoção nos próximos seis a 18 meses. 

“Isso indica que as organizações se sentem mais confortáveis ​​implantando diretamente novas tecnologias para acelerar o crescimento, em vez de depender de um longo período de observação para desenvolver o caso de negócios”, diz o analista. 

Além disso, um número maior de líderes (dentro e fora da função de TI) está influenciando as decisões de investimento em tecnologia neste ano, impulsionando a tendência de “entrega democratizada”. Em 2021, 82% dos líderes de TI concordam ou concordam totalmente que os líderes de negócios fora de TI influenciam as decisões de adoção de tecnologia emergentes em todos os domínios de tecnologia avaliados. 

Nuvem e tecnologias de segurança priorizadas – Resiliência e melhoria da infraestrutura crítica de TI são as principais prioridades para equipes de I&O e outros líderes de TI em 2021, de acordo com a pesquisa. Como resultado, eles estão priorizando implantações de Nuvem e investimentos em tecnologias de segurança. 

Para permitir o movimento de informações entre locais físicos e virtuais, as organizações estão investindo pesadamente na criação de uma sólida base de Nuvem Híbrida, suportada por tecnologias Multicloud. Sistemas de Nuvem distribuída, corretores de segurança de acesso à Nuvem (CASBs) e planejamento de recursos empresariais (ERP) baseados em Nuvem estão entre as aplicações que estão chegando à fase de implantação em 2021, com os entrevistados afirmando que a resiliência é o principal motivador de investimento para 63% dessas tecnologias Cloud. 

Além disso, a segurança da infraestrutura é uma prioridade significativa para as organizações à medida que lidam com ameaças crescentes, especialmente para dispositivos de Endpoint e ambientes de trabalho híbridos. De 2020 a 2021, o número de tecnologias de segurança em implementação aumentou acentuadamente – de 15% para 84%. Em 2021, 64% dos entrevistados relataram que aumentaram ou planejam aumentar os investimentos em tecnologias de segurança, contra apenas 31% em 2020. “Os líderes de tecnologia que não revisarem sua estratégia de segurança de infraestrutura enfrentarão muitos desafios com novos ataques cibernéticos em suas organizações”, diz Geng.