Page

Author admin

Brasil deve crescer em 2020 mais do que o dobro deste ano, diz Paulo Guedes

O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou, nesta quinta-feira, que o país deve crescer, em 2020, mais do que o dobro deste ano. “Estou energizado pelo o que está acontecendo. Estamos no caminho certo. Temos um Congresso que abraçou as reformas; a economia já começou a se movimentar; os juros caíram para 5% e devem continuar caindo”, analisou Guedes, durante pronunciamento especial no Enaex 2019.

O ministro destacou que já foi possível contornar, com a reforma da previdência, a primeira fonte de gastos e já se conseguiu atingir a segunda: o buraco fiscal. “Estamos também com uma reforma administrativa encaminhada. Nossa democracia está se aperfeiçoando e as instituições estão funcionando. Está em curso um programa de reformas que o presidente forneceu proteção para que andasse”, disse.

Guedes também afirmou que a abertura econômica deverá acontecer de forma responsável e gradual. “Temos ganhos enormes para realizar nos próximos anos com essa abertura. Vamos acelerar o ritmo de crescimento. Privatizar e abrir são as fontes do sucesso, os vetores que trazem o crescimento econômico. Ficamos acuados por 40 anos com juros altos, impostos abusivos e excesso de burocracia. Mas não se remove o que foi feito em 40 anos em poucos meses”, frisou.

Guedes falou ainda sobre as propostas do novo pacto federativo, o qual comparou a um “livro com vários capítulos, com o título ‘A transformação do estado brasileiro’”. “O excesso de gastos públicos resultou na corrupção da democracia e estagnação da economia. Precisamos do sucesso econômico para dar resiliência ao nosso processo político. O pacto é o fortalecimento da democracia brasileira; é um novo marco institucional de transformação do estado”.

Segundo o ministro, o pacto irá possibilitar a transferência para estados e municípios de até R$ 500 bilhões nos próximos 15 anos, e deve “consolidar a cultura da sustentabilidade fiscal”.

Trend Micro apresenta plataforma de segurança para organizações que constroem aplicativos em nuvem

A Trend Micro, líder global em soluções de cibersegurança, lançou o Trend Micro Cloud One™, plataforma de serviços de segurança para empresas que constroem aplicativos em nuvem. O Cloud One permite que os desenvolvedores construam apps rapidamente usando os serviços em nuvem que quiserem enquanto gerenciam os riscos.

O Cloud One possui a maior abrangência de capacidades de segurança da indústria em todas as plataformas. Foi criado para ajudar as organizações a atenderem suas prioridades em nuvem mais estratégicas e permite que os consumidores migrem aplicativos existentes, entreguem novos apps nativos e alcancem excelência operacional em nuvem.

A plataforma tem a flexibilidade para resolver desafios imediatos dos clientes e a inovação para evoluir rapidamente com os serviços em nuvem. Em seu centro, o Cloud One inclui o principal serviço de segurança de gerenciamento de workloads do mundo, que já está sendo utilizado por milhares de organizações. Ele é complementado por segurança aprimorada de contêiner e novas ofertas para segurança de aplicações, rede, arquivos e de gerenciamento de segurança em nuvem para garantir que a infraestrutura seja configurada de forma otimizada.

Soluções de segurança em nuvem são, muitas vezes, difíceis de gerenciar e implantar, inflexíveis e não fornecem o nível de visibilidade que as equipes de TI necessitam para gerir rapidamente os riscos emergentes. Diferentemente, a plataforma “all-in-one” da Trend Micro é feita para entregar proteção simplificada, automatizada e flexível, independentemente de onde a organização está na jornada para a nuvem. Os usuários da solução se beneficiarão de single sign-on, registro unificado para usuários e conta em nuvem, uma console com visibilidade única e compra e cobranças consolidadas

“Estamos há mais de uma década ajudando nossos clientes com uma transformação segura para a nuvem, desde o nascimento desta tecnologia”, diz Wendy Moore, Vice-Presidente de Marketing de Produto da Trend Micro. “Os clientes possuem uma mistura de servidores herdados, data centers virtualizados e novos serviços, como contêineres e aplicativos sem servidor, e tudo isso pode ser protegido usando o Cloud One.”

A nova plataforma de segurança em nuvem da Trend Micro suporta os principais provedores de nuvem, como Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud.

“Com mais companhias movendo sua infraestrutura e aplicativos para a nuvem e adotando um modelo de responsabilidade compartilhada, queremos que nossos clientes tenham a opção da escolha mais ampla e com os melhores produtos no mercado”, comenta Dave McCann, vice-presidente de AWS Migration, Marketplace e Control Services da Amazon. “A nova plataforma de segurança em nuvem da Trend Micro representa outro exemplo de inovação, que está disponível via AWS Marketplace. Ao alavancar funções do AWS Marketplace, como SaaS Contract API, Private Offers, e Consulting Partner Private Offers, os clientes podem contratar diretamente da Trend Micro ou de seus parceiros de consultoria ao redor do mundo. Estamos comprometidos em capacitar os clientes que compartilhamos, com aquisição e fornecimento fácil e rápido.”

Empresas como Armor em Dallas, no Texas, dependem da Trend Micro para segurança estratégica em nuvem.

“Como provedores de Segurança Como Serviço, precisamos entregar os resultados de segurança e compliance que nossos clientes demandam. Por isso, demandamos de ferramentas de segurança poderosas e escaláveis que integram facilmente no produto de segurança em nuvem da Armor, o Armor Anywhere, para proteger os ambientes virtuais e multicloud em constante evolução” afirma Josh Bosquez, CTO da Armor. “O principal objetivo da nossa companhia é fornecer segurança em um mundo multicloud dinâmico. Usamos a Trend Micro para nos ajudar a entregar essa visão e compromisso aos nossos consumidores.”

Considerando projetos e objetivos em nuvem de forma holística, Trend Micro Cloud One é capaz de fornecer segurança de nível empresarial, enquanto alavanca os benefícios e eficiências em nuvem.

A plataforma Cloud One estará disponível no primeiro trimestre de 2020, com três serviços completamente integrados: segurança de workload, rede e aplicação. Os outros componentes estarão disponíveis como soluções independentes no primeiro trimestre de 2020 e integrados ao Cloud One até o final de 2020.

• Trend Micro Cloud One – Workload Security

• Trend Micro Cloud One – Container Image Security

• Trend Micro Cloud One – File Storage Security

• Trend Micro Cloud One – Network Security

• Trend Micro Cloud One – Cloud Posture Management

• Trend Micro Cloud One – Application Security

Para saber mais sobre o Cloud One, visite http://www.trendmicro.com/cloudone.

iFood anuncia mudança no time executivo

Após seis meses atuando como CEO, ao lado de Carlos Moyses, Fabricio Bloisi assume oficialmente como principal executivo do iFood, foodtech líder da América Latina. Bloisi acumulará o cargo com o já ocupado atualmente, de CEO do Grupo Movile. A mudança reflete apenas uma adaptação do organograma ao papel já desempenhado pelos executivos na organização. Carlos Moyses passa a atuar como vice-presidente Corporativo, com foco no crescimento das operações na América Latina.

“Com o alto crescimento e investimentos no iFood, começamos há alguns meses uma mudança nos papéis dentro da organização. Com isso, passamos a atuar de forma mais assertiva no Brasil, consolidando o nosso protagonismo, ao mesmo tempo que utilizaremos a experiência do Carlos para buscar a liderança em outros países onde já temos presença, como Colômbia e México. “, afirma Bloisi.

Desta forma, Fabricio ficará mais focado na estratégia e aceleração do crescimento, enquanto Moyses estará dedicado a América Latina, além de outras demandas institucionais do negócio, como Modelo de Gestão e M&A. O iFood Brasil encerrou o mês de setembro com a marca de 21,5 milhões de pedidos processados na sua plataforma sendo que atualmente a foodtech está presente em 882 cidades e possui 116,2 mil restaurantes cadastrados na plataforma.

Aumenta o número de mulheres que ocupam cargos nos conselhos administrativos de empresas, mas crescimento ainda é lento, aponta Deloitte

A falta de diversidade é um dos maiores desafios nos conselhos de administração onde, consideravelmente, predomina a presença masculina. As mulheres, ainda em um lento progresso, ocupam apenas 16,9% dos assentos nos conselhos das organizações ao redor do globo, é o que mostra a edição deste ano da pesquisa Women in The Boardroom — Uma Perspectiva Global, realizada pela Deloitte.

Torna-se, então, cada vez mais claro o desafio da inclusão de mulheres e as barreiras à diversidade de gênero nas salas de reunião das companhias. Culturas desatualizadas no local de trabalho, preconceitos inconscientes e falta de apoio são alguns fatores que impedem a presença feminina nos cargos de liderança. A pesquisa destaca que as mulheres ocupam apenas 4,4% das posições de CEO e 12,7% das de CFO, que são quase três vezes mais diversas do que as de CEO.

O relatório levanta, ainda, como os países estão fazendo para aumentar essa diversidade e compartilha as estatísticas mais recentes sobre a presença de mulheres nas salas de reuniões, explorando os esforços de cada região e destacando as tendências políticas, sociais e legislativas por trás dos números.

“É comprovado que o aumento da participação feminina no mercado de trabalho pode influenciar, de forma positiva, significativamente o PIB global nos próximos anos. Apesar do longo caminho a seguir, já podemos ver um bom movimento nas empresas brasileiras como horários flexíveis, orientação e treinamento. Em conclusão à pesquisa, destacamos uma conexão entre o aumento do número de mulheres servindo nos conselhos e o desejo de um tipo mais inclusivo de capitalismo.”, destaca Patricia Muricy, sócia e ex-líder do Comitê de Crescimento da Deloitte.

Diversidade ainda é maior desafio nos conselhos de empresas brasileiras
No Brasil, os assentos são ocupados por 8,6% das mulheres, um aumento de 0,9% em relação à edição da pesquisa de 2017. Diante desse baixo crescimento, alguns projetos são discutidos pelo governo e pela ONU para aumentar esse percentual.

Um projeto de lei que introduz cota de gênero de 30% de mulheres em conselhos, até 2022, está sendo elaborado e discutido pelo governo, assim como o Programa Ganha-Ganha – exercido pela ONU Mulheres, União Europeia e Organização Internacional do Trabalho -, que tem como objetivo promover o empoderamento feminino econômico e de liderança, por meio de premiação das empresas que promovem cultura de equidade de gênero e empoderamento das mulheres no país. Outro destaque é o 30% Club, lançado este ano no Brasil, que tem como um dos propósitos alcançar 30% de mulheres nos cargos de diretoria da Bolsa de Valores brasileira B3 IBrX, até 2025. Além disso, algumas empresas já investem em programas internos para mulheres executivas, como é o caso da própria Deloitte.

“Em 2017, a Deloitte Brasil assumiu o compromisso de seguir os Princípios de Empoderamento das Mulheres, cartilha da ONU Mulher, por meio de um Comitê dedicado à questão de equidade de gênero. Programas de treinamento, orientação, networking, apoia à liderança, à implementação de programas de maternidade e paternidade, bem como trabalho flexível são alguns dos pontos abordados internamente. Acreditamos que todas as empresas devem permanecer comprometidas com a diversidade e incentivar a sociedade a criar atitudes positivas em relação ao desenvolvimento de carreiras femininas”, afirma Angela Castro, sócia e líder do Comitê Growth de Equidade de Gênero da Deloitte no Brasil.

Sobre a pesquisa

Em nome da Deloitte Global, a empresa MSCI ESG Research Inc. coletou dados sobre a diversidade nos conselhos de administração de cerca de 8.648 empresas, em 49 países da Ásia-Pacífico, Américas e EMEA (Europa, Oriente Médio e África).

Os dados foram coletados a partir de 15 de dezembro de 2018 e, com base neles, a sexta edição da pesquisa Women in the Boardroom incluiu análises globais, regionais e por país dos progressos alcançados em direção a uma maior diversidade nos conselhos de administração.

Para complementar, a Deloitte Global compilou informações sobre quotas de diversidade e outras iniciativas de diretoria de 17 outros países. Portanto, no total, a publicação reuniu informações de 66 países para promover a diversidade de gênero nas salas de reuniões.

Infosys Brasil completa uma década e foca em inovação para crescer 30% no País

Quando iniciou sua operação no Brasil, em meados de 2009, a indiana Infosys tinha intenção de atender uma demanda de mercado para ofertar seus serviços às multinacionais que atuavam no país. “A decisão [de vir para o Brasil] ocorreu por uma oportunidade de fazer novos negócios que surgiram pelo reconhecimento da qualidade e excelência dos projetos implementados em todo o mundo, além das perspectivas de crescimento do mercado brasileiro”, explica Claudio Elsas, CEO da Infosys Brasil.

De acordo com o executivo, a aquisição da consultoria suíça Lodestone, oficializada em 2012, foi um grande divisor de águas para a companhia fortalecer sua estratégia de expansão em território nacional. “A partir daquele momento, a Infosys global olhou para a operação brasileira com a intenção de investir no que fosse necessário para alcançarmos metas mais ambiciosas”, afirma. Com a aquisição, foram incorporados os funcionários da Lodestone, além de uma carteira de mais de 200 clientes.

Na ocasião, a Infosys havia divulgado a meta de obter uma receita superior a US$ 1 bilhão com projetos de inovação e consultoria em tecnologia relacionada à desenvolvimento de softwares e metodologias ágeis. A companhia, que ultrapassou faturamento global de US$ 11 bilhões no último ano fiscal, prevê crescer 30% no Brasil nos próximos anos. Apesar da empresa não descartar futuras aquisições, Elsas explica que os esforços a curto prazo serão outros. “Nosso foco é ganhar velocidade”, revela o CEO.

Para o executivo, o momento é de acelerar os projetos e intensificar as ofertas para os clientes já atendidos. “Temos uma vantagem competitiva muito grande que é a nossa atuação global e a possibilidade de troca de experiências com profissionais de fora. Isso traz mais robustez para nossas entregas”, explica. Na visão de Elsas, essa abordagem mais consultiva somada a ampla oferta de soluções para todas as áreas contribui para o desenvolvimento de projetos que apoiam o amadurecimento tecnológico de grandes empresas desde o início de suas jornadas digitais.

Com um total de 750 funcionários, a Infosys Brasil possui escritórios em São Paulo, Araraquara (SP), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro. Entre os clientes da empresa estão multinacionais como Braskem, General Motors, Gerdau, Eurofarma, entre outras. A América Latina representa grande potencial para a companhia, que já abriu operação na Argentina, Chile, Peru e estuda a possibilidade de abrir um escritório na Colômbia.

90% das marcas ainda falham em Customer Experience

Consumidores ao redor do mundo concordam amplamente que as marcas não conseguem oferecer boas experiências aos clientes. De acordo com os resultados da segunda edição da pesquisa global “Deliver the CX They Expect: Customer Experience Trends” da Acquia, 90% deles acreditam que as marcas estão errando o alvo em relação à experiência do cliente. Além disso, 94% dos profissionais de marketing concordam com essa afirmação, porém 80% deles acredita que sua própria marca já atende à expectativa dos clientes. A boa notícia é que os consumidores também apontam a personalização como chave para uma boa customer experience (CX): 80% afirmam que marcas que conhecem melhor seus clientes ganham sua lealdade.

“Em muitas empresas, a falta de personalização as impede de oferecer experiências de valor aos clientes. Além disso, com tantas opções disponíveis, as expectativas dos consumidores estão mais altas do que nunca. Hoje, para o sucesso de uma marca, as experiências proporcionadas aos clientes devem não apenas ser extremamente convenientes, mas também provar que a marca os reconhece como indivíduos – e suportam a tecnologia que promete melhorar a interação entre eles. Se as marcas os decepcionarem ou explorarem seus dados pessoais de forma inadequada, os clientes irão para outro lugar. Por isso, oferecer experiências satisfatórias aos clientes se torna indispensável”, comenta Brenno Valerio, gerente regional da Acquia para América Latina.

As descobertas da pesquisa global da Acquia sobre o estado do CX também destacam o delta contínuo entre o dinheiro gasto em tecnologia de marketing e a receita perdida devido à falha na conversão e retenção de clientes. O relatório examina o CX da perspectiva de consumidores e profissionais de marketing e os principais resultados incluem:

Não complique demais o CX: 90% dos clientes pesquisados ​​dizem que uma experiência conveniente é importante e 68% deles apontam que as marcas precisam reduzir o atrito para facilitar sua experiência. Assim, as marcas devem se concentrar em atender às expectativas mais básicas dos clientes, garantindo conveniência.

Personalização é imperativa: a personalização não é opcional, mais da metade (60%) dos clientes pesquisados ​​diz que as marcas não os reconhecem individualmente. Por ser a chave para atender às expectativas de conveniência do cliente e garantir lealdade, a personalização deve permanecer como prioridade.

Tecnologia “aberta” é essencial: para gerenciar os dados necessários para personalização e manter experiências simples e contínuas em vários canais, os profissionais de marketing precisam de ferramentas abertas e adaptáveis e de tecnologia de CX. O relatório aponta que 82% dos consumidores afirmam que a tecnologia deve melhorar suas experiências on-line com as marcas. No entanto, encontrar a tecnologia certa que ofereça isso ainda é um desafio para os profissionais de marketing: 57% deles dizem que a tecnologia tornou mais difícil oferecer experiências personalizadas por conta da falta de integração entre plataformas.

“Os clientes deixaram suas demandas claras e agora é a hora das organizações de marketing responderem a esses desafios”, aponta Valerio. “As marcas devem se concentrar em inovar sua geração de valor e conseguir mostrar vitórias ao longo do processo. Os dados do relatório mostram que a única maneira de atender às expectativas dos clientes é por meio do desenvolvimento de uma prática de personalização. Profissionais visionários estão de olho nas tendências, planejando e executando uma abordagem aberta que oferece personalização, ao mesmo tempo em que atendem as preocupações com a privacidade de dados para aumentar a fidelidade do cliente”, completa.

Mais de 6.000 consumidores e 600 profissionais de marketing na Austrália, Europa e América do Norte contribuíram com o relatório anual “Deliver the CX They Expect: Customer Experience Trends”. Um e-book destacando as descobertas e fornecendo análises está disponível para download em: http://www.acquia.com/resources/ebooks/deliver-cx-they-expect-customer-experience-trends-report.

Sobre a pesquisa

O relatório “Deliver the CX They Expect: Customer Experience Trends” foi encomendado pela Acquia e conduzido por meio de pesquisa online pela Regina Corso Consulting entre 15 e 26 de julho de 2019. O estudo contou com a participação de 6.013 consumidores e 600 profissionais de marketing ao redor do mundo (todos com 18 anos ou mais, em uma amostra equilibrada por idade e sexo). Entre os profissionais de marketing, todos eram diretores e ou de cargos mais elevados em empresas com receita anual de US$ 10 milhões ou mais.

Inteligência Artificial da Unimed Fesp já atende 37% dos beneficiários

Entre central telefônica e digital (aplicativo e site) hoje a Sara atende sozinha, em média, 6.200 pessoas mensalmente. Inimiga das filas de espera e com o poder de atender simultaneamente milhares de usuários, 24 horas sem parar, a Sara é a inteligência artificial da Unimed Fesp (www.unimedfesp.coop.br), a operadora do estado de São Paulo. É, atualmente, responsável por 37% do atendimento ao beneficiário e ostenta uma taxa de retenção e sucesso na casa dos 76%.
Pioneira no uso de inteligência artificial no setor de saúde, a Unimed Fesp lançou ainda em 2016 a Sara que auxilia os beneficiários encontrar uma rede local de atendimento, agendar consultas e exames, conseguir 2ª via de boletos, se informar sobre reajustes no plano e até cancelar o serviço de forma prática e simples, entre outras necessidades. Com a implantação do sistema, a Unimed Fesp já contabiliza uma economia de R$ 4,7 milhões.
Agora, o desafio é humanizar cada vez mais o atendimento digital. “Essa é uma das nossas preocupações principais uma vez que lidamos com saúde, lidamos com pessoas que muitas vezes chegam até o atendimento em uma situação emocional abalada. Temos de levar isso em consideração no treinamento e programação da Sara”, comenta Solange Poças, Gerente do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC).
Atuando tanto no online como via telefone, a Sara recebe treinamento diário e atua com machine learning. Conforme Solange, a cada nova resolução lançada pela ANS, por exemplo, ou mesmo, pelo índice de transferências da Sara para os atendentes humanos, quando ela própria não consegue resolver o problema do beneficiário é criada uma estratégia de treinamento para que ela aprenda tudo sobre aquele assunto.

“Nós inserimos a nova informação e a estressamos com o maior número de perguntas possível sobre aquele assunto e de várias formas. O treinamento é importante, pois a Sara atende pessoas de todos os perfis e que podem perguntar a mesma coisa de diversas maneiras. Nossa ideia é sempre antecipar esses cenários para deixá-la cada vez mais “humana” em suas respostas”, explica Solange.
E a iniciativa tem dado certo. A humanização da Sara faz com que muitas vezes os clientes não notem que estão falando com um robô e, quando chegam ao atendente humano, por meio da central telefônica, comentam que estavam conversando antes com a atendente Sara, como se ela também fosse uma pessoa. “Às vezes, situações insólitas acontecem e Sara já foi alvo de cantadas”, conta Solange.
Além do volume de atendimento, afinal, a Sara atua 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, a economia de tempo por atendimento é outra vantagem. Enquanto o atendimento humano tem uma média de sete minutos de interação, a Sara consegue resolver uma situação em até três minutos em média.
Estatísticas – Gênero que utiliza a Sara:
Por idade:

Nestlé reúne cerca de 15 empresas em evento de inovação e tecnologia

A Nestlé realiza, nos dias 27 e 28 de novembro, a segunda edição do Innovation Day, sua feira de oportunidades de negócios e inovações. Durante as datas, alguns dos principais fornecedores da companhia e potenciais parceiros estarão na sede da empresa, em São Paulo, para apresentar tendências paratecnologia, marketing, operação e transformação digital. Dentre os expositores estão Adobe, Delloitte, Alice Wonders, Amazon, Delfos, Facebook, Foodini, Foxtrot, Google, InLoco, Microsoft, More Than Real, SafeTrace e ShlefPix.

O evento também contará com palestras sobre temas como “Data Privacy”, “Blockchain”, “Big Data” e “Open Innovation e Transformação Digital”, com participação de empresas como Google, StartSe, Endeavor, Natura, Siemens, 3G, CI&T, IBM, entre outros.

Na ocasião, os colaboradores de diferentes áreas da Nestlé também terão acesso às inovações dos parceiros, o que abre oportunidades para pensar novas soluções para os negócios da companhia.

A iniciativa se soma a outras ações da Nestlé em busca de parcerias e novas oportunidades de inovação dentro e fora da empresa, com o apoio de start-ups, scale-ups, empresas de tecnologia, aceleradoras, universidades, entre outros. Entre os destaques dessa frente estão concursos de inovação aberta e interna, além do apoio e realização de programas de aceleração como o Scale-Up Endeavor Tech e o Nestlé Beyond Food, uma iniciativa interna da unidade de negócios Nestlé Health Science para buscar soluções tecnológicas e inovadoras em saúde nutricional. Também são destaques os sistemas e tecnologias de personalização desenvolvidos pela companhia nos últimos anos, em parceria com fornecedores nacionais, como é o caso do sistema NESCAFÉ Dolce Gusto do Seu Jeito, que permite personalizar caixas de cápsulas, e o Ícones by Chocobot, que permite às pessoas escolherem seus bombons favoritos das marcas Garoto e Nestlé e montar uma caixa, feita na hora por um robô. Além disso, o atual e-commerce do Empório Nestlé, loja de marcas próprias da companhia, também foi desenvolvido em uma parceria com a scale-up Supermercado Now.

“Entendemos que olhar o mercado e abrir para novas tendências e tecnologias que estão sendo trabalhadas por empresas parceiras é essencial para conseguirmos enxergar novas oportunidades de inovação interna, trazendo sempre novas opções que nos permitam atender cada vez mais às necessidades da sociedade. E o Innovation Day é justamente uma oportunidade de abrirmos nossas portas pra essas novidades”, afirma a diretora de Transformação Digital da Nestlé, Carolina Sevciuc.

5 dicas para aproveitar a Black Friday com segurança

Por Alexis Aguirre

Com a proximidade da Black Friday, percebemos um aumento nas mensagens eletrônicas não solicitadas (spams) e anúncios de promoções nos websites. De fato, a redução de preço em produtos de nosso interesse é bem-vinda, no entanto, esse período exige atenção para os cibercrimes.

A pesquisa Unisys Security Index 2019 aponta que 85% dos brasileiros já foram vítimas de fraudes cibernéticas e, desse total, 36% reportaram ter recebido mensagens no smartphone por SMS ou WhatsApp simulando serviços. Dessa forma, é importante reforçar algumas orientações para desfrutar das oportunidades em segurança:

1- Atenção às mensagens recebidas: a prática de phishing, antigamente restrita a e-mails, tornou-se comum por meio de mensagens SMS e de WhatsApp. Essas mensagens oferecem promoções quase irresistíveis, por isso é importante verificar cada link antes de clicar neles. No smartphone, mensagens SMS e de WhatsApp de números desconhecidos são um importante sinal de alerta, mas preste atenção em mensagens compartilhadas por amigos ou grupos. E lembre-se de não repassar mensagens sem verificar sua autenticidade. Outra dica para detectar fraudes é verificar se a mensagem contém erros de digitação ou mesmo gramaticais, que indicam uma origem suspeita.

2- Atenção aos aplicativos falsos: atualmente, dado o volume de aplicativos móveis disponíveis nas lojas de apps, nota-se uma multiplicação do número de aplicativos falsos. Toda atenção é necessária no momento de buscar pelo app de sua loja favorita. Verifique o nome do aplicativo e do desenvolvedor, a quantidade de opiniões, a data da publicação e possíveis erros de digitação no nome e/ou descrição. E em caso de dúvida, busque por informações sobre o aplicativo móvel no website da loja.

3- Desconfie de promoções exageradas: na tentativa de chamar a atenção da vítima, algumas promoções beiram o absurdo. Se você receber um anúncio “bom demais para ser verdade”, desconfie!

4- Fique atento nas redes sociais: falsos posts podem levá-lo a websites que visam o roubo de informações ou a distribuição de malware. Anúncios dirigidos que nos perseguem em redes sociais podem esconder armadilhas.

5- Utilize sistemas atualizados e recursos de segurança do seu smartphone: deixar de atualizar o sistema operacional ou aplicativos no smartphone aumenta sua exposição na rede. Falhas de segurança envolvendo brechas de atualização são publicadas com frequência por desenvolvedores e os criminosos sempre buscam maneiras de explorá-las. Além disso, lembre-se de aproveitar recursos de segurança do aparelho. O uso de senhas fortes e verificação de identidade em mais de uma etapa reforçam a segurança.

Essas dicas nos ajudam a mitigar ou reduzir os riscos, mas nunca os eliminam. Embora sigamos todas as recomendações e controles, vale lembrar nunca chegaremos a um ambiente ideal “sem riscos”. Por isso, durante a Black Friday, além de estar de olho nas ofertas, é preciso ter atenção para não cair em armadilhas. Se você é um profissional de segurança, assegure-se que os controles de segurança da empresa são eficazes e que seus usuários estejam conscientizados dos riscos, responsabilidades e precauções a tomar. Garantir a segurança é dever de todos!

Alexis Aguirre, diretor de Segurança da Informação da Unisys na América Latina.

Valores organizacionais: como mantê-los vivos em ambientes de rápido crescimento?

Há cerca de quatro anos, o Brasil foi palco de um grande boom de startups, que consolidou um cenário formado por mais de 12 mil empresas, de acordo com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Entre 2018 e 2019, as novas organizações enfrentaram um cenário próspero de investimentos — só em 2018 foram movimentados R$5 bilhões nesse segmento. De lá para cá, muitas startups cresceram significativamente e renderam um grande desafio às áreas de Recursos Humanos: como manter vivos os mesmos valores que representaram tanto sucesso no início das operações em uma maior escala de atuação?

A Mercos, startup de tecnologia que desenvolve software para gestão de vendas, é um dos exemplos de empresas cuja área de RH voltou seus esforços para a criação de políticas que mantivessem vivos seus valores mesmo com a rápida expansão — a plataforma movimentou R$21 bilhões somente em 2018, e registrou crescimento de 300% nos últimos quatro anos. Neste período, a empresa focou em políticas para promover cultura e clima organizacional sob a batuta de Sirlaine Branco, head de recursos humanos. “O grande trunfo dessa atuação foi de fato fazermos com que os valores deixassem de ser apenas um quadro institucional na parede para se tornarem um fator inserido em todos os nossos processos”, comenta.

Posição estratégica

No escritório da Mercos, hoje formada por 130 funcionários, não há divisões de salas ou áreas da operação, o que já é bastante comum no universo das startups. A diferença é que a equipe de RH se posiciona bem no centro. “Essa é uma estratégia para manter o canal de comunicação sempre aberto para os colaboradores, e também para que estejamos atentos às necessidades da empresa”, explica Sirlaine. “Estimulamos a total liberdade de funcionários sentarem-se ao lado de um par ou líder para compartilhar sugestões. Tornamos esses processos o mais práticos possível”, completa.

Feedbacks efetivos

A cada mês, líderes e liderados se encontram para uma conversa informal que acompanha o desenvolvimento de cada profissional. Ao fim de cada semestre, uma avaliação 360º é documentada, com participação de pares e incluindo uma avaliação formal da liderança. “Essa é uma maneira de acompanhar de perto se as posturas que esperamos estão sendo de fato adotadas. Esses encontros incluem avaliações de competências técnicas, comportamentais e objetivos de carreira”, complementa Sirlaine.

Engajamento constante

O sentimento de dono (ou “ownership”) é uma das receitas para que a identificação da equipe com a empresa seja consolidada. Neste sentido, uma das políticas focada no engajamento e na penetração dos valores consiste na organização de encontros multidisciplinares periódicos dos quais participam todos os funcionários, com o objetivo de debater cada valor da empresa. “Fazemos também uma reunião todas as sextas-feiras para falar sobre resultados e metas da empresa”.

De geração em geração

Garantir que novos colaboradores tenham fit com os valores da organização é um dos pontos centrais para que a cultura se propague. Para isso, as estratégias de recrutamento da Mercos também foram revisadas. Uma etapa final e decisória para qualquer contratação é a etapa de fit cultural. “Essa fase é imprescindível para a escolha de um candidato. Para assegurar uma análise imparcial, o gestor que participou das outras fases da entrevista não participa dessa etapa”, conta Sirlaine. “As perguntas não envolvem experiências profissionais, e sim aspectos culturais, baseados nos valores que a empresa tem”.

Confira a programação dos principais eventos da SPTW 2019

Entre os dias 23 e 29 de novembro acontece um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo, a São Paulo Tech Week 2019 . O festival, que está em sua 5ª edição, terá como tema central a inovação e as transformações sociais em diferentes áreas e promete movimentar a cidade de São Paulo.

Com o patrocínio de SPACES, Regus, ArcelorMittal, TOTVS, Daniel Advogados, Embratel, Sympla, Estação Hack SP from Facebook e Atento, além de dezenas de apoiadores, a programação já conta com mais de 500 eventos e mais de 60 temáticas, incluindo inovação, IoT, internacionalização, sustentabilidade, diversidade, atração de talentos, transformação digital, Indústria 4.0, lawtech, criptomoedas, UX/UI, criatividade e tecnologia.

“O festival se consolidou como um dos maiores do mundo e cada vez mais tem atraído empresas e investidores do Brasil e do exterior com interesse em fazer negócios com a cidade de São Paulo.”, analisa Juan Quirós, presidente da SP Negócios.

A seguir, confira os eventos que serão destaques da São Paulo Tech Week 2019:

CASE 2019

Principal evento de startups da América Latina, o CASE 2019 traz quatro frentes de conteúdos para empreendedores e empresas que querem crescer exponencialmente com as melhores práticas das startups que mais crescem no mundo. O evento irá acontecer nos dias 28 e 29 de novembro, no Transamérica Expo Center e tem expectativa de reunir mais de 10 mil participantes por dia.

CX Summit

O CX Summit é o maior evento de Experiência do Cliente do Brasil e reúne profissionais e empresas de alto nível de conhecimento e networking para discutir o tema. Nos dias 27 e 28 de novembro, serão apresentados os melhores cases, soluções e ferramentas do mundo para serem utilizadas no dia a dia das empresas, com validação de tendências de gestão, usabilidade e resultados dessas estratégias e ferramentas de CX, aprendendo a encantar profissionais com a cultura Customer Centric Hero.

Festival Ninja

Durante os últimos anos a Midia Ninja lutou lado a lado de mulheres, artistas, indígenas, negros e negras, LGBTQI+, hackers, ambientalistas, veganos, cineastas, dançarinos, artistas plásticos, professores, estudantes, metalúrgicos, sem terra, sem teto, moradores de rua, prostitutas, crentes, cientistas, músicos, ciclistas, canabistas, designers e garis. Juntos, nas ruas e nas redes; dividindo sua trajetória com centenas de personagens que ajudaram a Mídia Ninja chegar até aqui. Agora é hora de reunir toda esta inteligência coletiva em um grande evento: a primeira edição do Festival Ninja – Narrativas Independentes, jornalismo e ação. O evento será realizado nos dias 23 e 24 de novembro.

G10 Favelas

G10 Favelas – Slum Summit do Canal Transformadores é um evento que promete ser um encontro de líderes e empreendedores de diversas comunidades brasileiras, para a assinatura de um Protocolo de Cooperação e Diretrizes para um Desenvolvimento Econômico Sustentável dessas áreas urbanas. Criado por Comunidades, em uma comunidade, contará com a participação de entidades governamentais, empresas privadas, ONGs e convidados especiais do Brasil e do exterior e irá acontecer no dia 23 de novembro, em Paraisópolis.

Greentech Challenge

O Green Innovation Group traz para a América do Sul pela primeira vez o Greentech Challenge, evento que acontecerá de 25 a 28 de novembro em São Paulo e contará com competição entre startups verdes, além de palestrantes e painéis da área de negócios sustentáveis. Durante o Greentech Challenge, 12 startups selecionadas de sustentabilidade passarão por um intenso programa de rápido crescimento. Nos primeiros três dias, consultores de várias indústrias treinarão startups para ajudá-las a ter sucesso nos mercados doméstico e internacional. O treinamento se encerra na quinta-feira (28) com o Dia do Investidor, quando as startups apresentarão seus negócios a todos os convidados, incluindo os investidores locais.

HUB SPTW 2019

Uma das grandes novidades para essa edição, a HUB SPTW traz para o público entre os dias 25 e 27 de novembro o melhor e mais relevante conteúdo e experiências oferecidas por diferentes setores que permeiam o dia a dia dos brasileiros. Serão três dias de programação 100% gratuita e contará com palestras, painéis, workshops e experiências de marca, atraindo empreendedores, entusiastas, profissionais e empresas de áreas e setores em sinergia com os temas apresentados.

Hyper Festival Brazil

Único evento brasileiro exclusivo sobre produção e negócios com Realidade Aumentada, Virtual e Experiências Imersivas, a Hyper Festival Brazil acontece no dia 23 de novembro, no Digital House. Painéis com os melhores profissionais do mercado e dezenas de expositores com suas soluções, softwares, hardwares e produtos e muito networking e negócios fazem parte da programação.

Pixel Show

Organizado pela Zupi, o Pixel Show é o maior Festival da América Latina de Criatividade e acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro. Desde 2005, o Pixel Show tem participação de criativos nas áreas de ilustração, motion graphics, design gráfico, UX design, quadrinhos, 3D, artes visuais, graffiti, moda, arquitetura, publicidade, tecnologia, design de produto, FX, make-up, cinema, games e muito mais.

Roadsec São Paulo 2019

Maior festival hacker da América Latina, o Roadsec SP acontece no dia 23 de novembro e traz grandes atrações incluindo keynotes internacionais e mais de 60 palestrantes, 40 oficinas e comunidades, 20 DJs e muito mais. O evento conta com 8 eixos de conteúdo ao longo de suas 24h: hardware, software, ataque e defesa, blockchain e criptoativos, privacidade e sociedade, carreira e empreendedorismo, ciência e engenharia social.

SP Elevator Pitch

O SP Elevator Pitch, realizado em parceria da Câmara de Comércio Brasil-Canadá, SPTW e SP Negócios acontece no dia 24 de novembro e irá promover uma competição em que os representantes das startups pré-selecionadas são desafiados a realizar um pitch para jurados brasileiros e canadenses dentro do elevador do tradicional Edifício Martinelli, um dos mais imponentes prédios do centro da capital.

Startup Weekend Smart Cities São Paulo

Entre os dias 22 e 24 de novembro acontece o Startup Weekend, um evento de imersão e uma experiência única onde empreendedores e aspirantes a empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis para serem lançadas. Nesta edição, o tema será “Smart Cities”, soluções inovadoras que irão melhorar a conectividade das nossas cidades.

5ª São Paulo Tech Week
Quando: de 23 a 29 de novembro de 2019
Onde: São Paulo/SP
Informações: www.saopaulotechweek.com

Tags, , ,

Com mais de 160 lojas físicas, rede gaúcha faz investimentos em TI e abre nova era ao setor varejista

Unir tradição aos mais avançados recursos tecnológicos disponíveis para o setor de varejo e moda. É isso que fez a Lojas Lebes, que possui mais de 160 lojas físicas em mais de 100 municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, mais de 3 mil funcionários e um milhão de clientes ativos.

Como parte do seu processo de transformação digital, a rede gaúcha aposta nas soluções SAP e acaba de fechar um contrato de implementação do S/4 HANA Retail for Merchandise Management com a FH, empresa de tecnologia especializada em processos de negócios e software.

A escolha pela SAP se deu pelo fato de ser um dos melhores ERPs do mundo e reconhecida pelo alto padrão de eficiência e qualidade. “Com a SAP, a Lebes está preparada para o presente e para o futuro. Essa tecnologia, reconhecida mundialmente, coloca a Lebes em outro patamar, elevando o seu nome e a sua marca, aprimorando os processos e dando transparência total para a empresa. Para viabilizar o projeto, realizamos um grande processo de seleção com seis empresas e a FH foi a que melhor preencheu os nossos requisitos por contar com técnicos bem preparados, conhecimento e experiência de atuação no varejo, além de preços competitivos”, revela Otelmo Drebes, presidente da companhia.

A solução S/4 HANA Retail for Merchandise Management foi desenvolvida especificamente para o mercado de varejo e fashion, sendo uma plataforma RP inteligente facilmente contestável em relação às soluções SAP, como ferramentas de comércio e de interface com o cliente. “Trata-se de uma tecnologia de alto nível de automação que facilita a gestão de grades, integridade do negócio, além de promover um impacto positivo na produtividade e gerenciamento de processos”, explica o Head of Sales da FH, Rodrigo Ribeiro de Souza.

Esta é uma solução que permite indústrias do segmento da moda, manufatura e varejo, que atuam com processos específicos de compra e comercialização em grades, evoluírem rapidamente também para estratégias Omnichannel, utilizando-se das melhores práticas comprovadas do setor. A primeira onda de implementação já foi iniciada pela FH em setembro de 2019.

Para Roberto Reimann, Director of Business Unit Consulting Service, o projeto promete alavancar outras migrações. “Nossos clientes deste setor usam a plataforma SAP ECC, que terá a manutenção e atualização descontinuada em 2025. Por isso, este projeto é estratégico para nós, pois alavancará a migração para a solução”, esclarece.

Visão que é confirmada pelo Diretor de TI e Controladoria da Lojas Lebes, Luis Brocca, que vê a implementação como o acesso à tecnologia mais atual em solução de um ERP corporativo. “A ferramenta nos oferece as melhores práticas para o varejo, o que garante ganhos em produtividade e escala para o negócio. Assim, teremos sempre um portfólio de soluções à disposição para ser implementado a qualquer hora, o que dá agilidade e maior retorno aos investimentos da Lebes”, finaliza.

A empresa, que fatura mais de R$ 1 bilhão, disponibiliza um variado mix de produtos nas linhas de moda feminina, masculina, infantil, acessórios, calçados, móveis, eletrodomésticos e tecnologia. A rede conta com duas lojas chamadas de Lebes Life Store que, além do comércio de produtos, oferece serviços como café, restaurante, farmácia, entre outros. Há também uma fábrica de confecção de marca própria comercializada exclusivamente em suas lojas, além de um centro administrativo e um moderno centro de logística.

Competição reúne startups para criar soluções inovadoras para o mercado de alimentos

A Duas Rodas, líder brasileira na fabricação de aromas e ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, patrocina por meio da sua divisão de negócios Aromas & Condimentos o Desafio Visionários, primeira competição de soluções inovadoras para o mercado de alimentação envolvendo startups organizada pela Tacta Food School. O evento conta também com a parceria da Seara Alimentos.

Podem participar projetos em fases iniciais, modelos de negócio, startups ou scale-ups. Os candidatos podem se inscrever gratuitamente até dia 30 de novembro pelo site. A competição termina com a apresentação de cinco projetos escolhidos para cerca de 300 líderes da indústria de alimentos, durante o Horizonte Food 2020, fórum multifocal que traça o cenário do setor para o ano de 2020, que acontece dias 30 e 31 de janeiro, em São Paulo.

“Para nós, faz todo sentido patrocinarmos essa iniciativa, uma vez que está alinhada tanto ao nosso negócio, já que visa encontrar soluções para as maiores indústrias alimentícias, quanto à inovação, que é o pilar estratégico para orientar o nosso crescimento sustentável”, explica o Diretor Comercial e de Marketing, Hilton Siqueira Leonetti.

Competição conta com quatro desafios

Dois dos quatro desafios foram propostos pela Duas Rodas. No Desafio 3, com a temática Clean label & Plant-based, a empresa busca soluções voltadas à fabricação de produtos vegetarianos clean label e com poucos ingredientes. No Desafio 4, The Silver Generation, as soluções em alimentos devem ser destinadas à terceira idade, levando em consideração as suas necessidades nutricionais e os diferentes momentos de consumo, indulgência e praticidade.

“Nós realizamos com frequência pesquisas de comportamento que indicam tendências de consumo. Nesse sentido, nos tornamos referência para avaliar as melhores soluções voltadas a públicos mais específicos”, comenta o executivo.

A Seara Alimentos propôs os outros dois temas: Food Sustainability (Desafio 1), no qual o foco é a redução de consumo e desperdício, além da economia circular na indústria de alimentos; e Food Score & Valuation (Desafio 2), voltado às startups com soluções de plataforma, que conectem consumidores para avaliação de conceitos e atributos de alimentos. Nesse caso, levam-se em consideração os aspectos técnico-sensoriais e afetivos de forma prática e confiável, para aumentar a velocidade e assertividade de projetos.

Segundo o regulamento, a primeira etapa de avaliação dos inscritos será realizada pela Tacta Food School. E, a partir da 2ª fase de avaliação, representantes da Duas Rodas e da Seara Alimentos participarão do processo.

“Esse tema é de extrema importância para nós, da Duas Rodas, já que fomentamos a Planta.vc, a primeira plataforma de inovação aberta direcionada à cocriação de ideias inovadoras, insights e soluções voltadas à indústria de alimentos e bebidas do País”, acrescenta o Gerente Geral de Inovação da Duas Rodas, Steven Rumsey.

Vencedores ganham visita à fábrica da Duas Rodas em Jaraguá do Sul

Dentre os prêmios destinados ao vencedor, está uma visita à fábrica da multinacional em Jaraguá do Sul e acesso à equipe técnica da empresa para ajudar a direcionar futuros trabalhos. “Nós possuímos a maior capacidade produtiva e o portfólio mais completo do mercado. Oferecemos a oportunidade de conhecerem nossa fábrica, pois contamos com modernas instalações aliadas à tecnologia de ponta e à diversidade de processo, o que reforça o nosso diferencial competitivo no mercado. Além disso, é muito interessante ver de perto todo o processo de produção dos nossos aromas e ingredientes”, afirma Hilton Leonetti.

O primeiro colocado ainda ganha: apresentação para a diretoria da Seara; 10 horas de Consultoria da Tacta Food School; um mês de acesso à ferramenta de inteligência de mercado Mintel GNPD Americas; e busca prévia e registro da marca com a OrtenziAvila Advogados, além de três horas de mentoria jurídica/negócios.

“A participação da Duas Rodas como sponsor deste Desafio reforça o protagonismo que a empresa tem na busca de soluções inovadoras no mercado de alimentos. Como uma das maiores empresas de ingredientes da América Latina, esta é uma excelente oportunidade para startups de todos os estágios que desejam se conectar com os líderes da indústria alimentícia, ganhar visibilidade e buscar futuros investidores e clientes”, afirma a Diretora de Inovação da Tacta Food School, Cristina Leonhardt.

ENAEX 2019: Custo Brasil é entrave a ser solucionado para abertura da economia

Abrir a economia sem corrigir o Custo Brasil não faz sentido, afirmou Marco Polo Mello Lopes, presidente executivo do Instituto Aço Brasil. Para Lopes, é preciso aliar uma abertura gradual do mercado brasileiro à correção de mazelas. “O decisivo agora é aproveitarmos o timing para identificar e solucionar o alto Custo Brasil. Abrir a economia sem fazer isso é loucura”, disse.

Lopes também recomendou a adoção imediata do Reintegra até que a reforma tributária seja realizada. “O Reintegra é um mecanismo que foi criado para corrigir uma anomalia que são os resíduos tributários gerados pela cumulatividade do nosso sistema tributário. Infelizmente essa discussão foi abandonada. Minha recomendação é que se implemente de imediato o Reintegra até que venha a reforma tributária e corrija efetivamente essa anomalia”, destacou.

Lopes participou de painel do Enaex 2019, nesta quinta-feira.

Ricardo Keiper, diretor da GE Celma, também participou do painel que falou sobre ações para elevar produtividade e gerar competitividade. “O caminho da competitividade e da produtividade não é fácil. Ele só poderá ser trilhado se democratizarmos as facilidades disponíveis, como o Portal Único e a DUE. Além disso, sem dúvida, a reforma tributária é fundamental para fornecer segurança para que as empresas continuem brigando e vencendo o mercado internacional”, disse.

Tags,

Startup de Marketing Digital cria plataforma e automatiza análise de concorrentes

A Incubadora de Negócios ESPM , escola de negócios referência nas áreas de Marketing, Administração, Consumo, Economia Criativa e Gestão, hospeda a startup Metlycs. Criada por ex-alunos, a Metlycs é uma plataforma de marketing digital que analisa e acompanha os dados da concorrência das empresas usuárias de forma instantânea.

O cadastro e o acesso à plataforma são gratuitos. “Os usuários podem testar à vontade o pacote básico de serviços e contribuir para o aperfeiçoamento da ferramenta”, diz Lucas Longhi, um dos fundadores da startup. “Nosso sistema apresenta funcionalidades inéditas e nos posiciona à frente dos demais.”

Segundo Longhi, o principal diferencial da Metlycs em relação a outras soluções de marketing digital é a automatização das informações. O usuário abre os sites das empresas concorrentes na plataforma e escolhe as informações que deseja rastrear. O gerenciador da atividade receberá uma notificação, no e-mail cadastrado, a cada mudança de dados.

A tecnologia também verifica a instabilidade de websites, gerencia o relacionamento com clientes (CRM) e cria campanhas de e-mail marketing. Permite criar landing pages e pop-ups para a captação de contatos — recursos utilizados em websites para rastrear e direcionar os consumidores na jornada de compra — e analisar métricas de campanhas de marketing digital.

A Metlycs foi criada no final de 2018, a partir de trabalhos de marketing digital de Longhi, ex-aluno do curso de Publicidade e Propaganda da ESPM SP, e seu sócio Matheus Lugon. “Dado o empenho da dupla, a startup tornou-se parte da Incubadora de Negócios da escola, onde seus criadores passaram a receber apoio gerencial, operacional e financeiro”, afirma Letícia Menegon, coordenadora do Centro de Empreendedorismo, da ESPM SP. “A empresa está em uma fase madura e pronta para encarar o mercado.

Integrações: transformando o Supply Chain

Quando um cliente realiza uma compra online, para que ele seja informado em tempo real onde seu produto está, além do prazo de espera para recebimento, é necessário que o sistema de tracking de qualquer estabelecimento esteja integrado com seu ERP (Enterprise Resource Planning). Por sua vez, esse sistema precisa ser ligado a outro software que informa ao consumidor o status daquele produto. Sem uma integração eficiente, informações erradas serão geradas, quebrando expectativas de stakeholders e, posteriormente, gerando nos consumidores uma má experiência. Parece complexo, mas já existem plataformas que são responsáveis por auxiliar todo o ciclo, como é o caso da LinkApi. A startup possibilita que empresas desenvolvam, monitorem e distribuam suas integrações de APIs de forma eficiente.

O processo se inicia na compra da matéria prima, passando pela produção até a sua distribuição. Segundo Thiago Lima, fundador e CEO da startup, “quando a cadeia dessa logística está alinhada e os dados transitam normalmente entre empresa e fornecedores, conseguindo acompanhar todo o processo do produto, isso impacta diretamente não só a equipe interna que possui o controle e desenvolvimento da mercadoria, mas também o consumidor final, criando laços e o tornando mais fiel a marca”.

E como integrar os processos? Thiago compartilha duas opções:

A primeira opção é interna. Deve-se analisar todas as regras de negócio de cada um dos sistemas, estabelecer os fluxos que esses dados vão percorrer e tratá-los para que os sistemas possam se “conversar”. Criando assim visualizações personalizadas para cada tipo de informação desejada, e assim, otimizar cada parte do seu processo.

Já a segunda forma é utilizar uma plataforma de integração, ou iPaaS, que serve para abstrair as complexidades citadas acima, e permite que as integrações sejam feitas de maneira rápida e eficiente. Segundo o relatório da Netskope de 2018 revela que atualmente, empresas consideradas enterprise utilizam uma média de 1,246 aplicações na nuvem. Ou seja, ainda que todas essas aplicações tenham como objetivo principal simplificar, automatizar ou aprimorar processos, há uma consequência imediata da manutenção e centralização de todos os dados e insights gerados por esses softwares. Um iPaaS permite a conexão de todas essas pontas de maneira muito mais simples e ágil, levando à uma tomada de decisão baseada em dados.

Conselhos fiscais das estatais não podem ter indicações políticas, diz IBGC

Os requisitos e vedações estabelecidos pela Lei 13.303/2016 (Lei das Estatais) para a ocupação de cargos de conselho de administração e diretoria de empresas públicas e sociedades de economia mista têm gerado controvérsia sobre sua aplicabilidade a membros de órgãos de governança não explicitamente citados pelo artigo 17.

Em defesa da observância das melhores práticas e dos comandos da Lei das Estatais em sua essência, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) reafirma sua convicção de que um dos principais avanços dessa legislação está justamente no esforço em proteger organizações de controle estatal da influência de interesses político-partidários e eleitorais, que fomentaram casos notórios de ineficiência, corrupção e danos à sociedade brasileira.

A maior expressão dessa finalidade está no artigo 17, que define critérios mínimos de qualificação e de inelegibilidade. Exigir que membros do conselho fiscal cumpram, portanto, pelo menos os mesmos requisitos e vedações válidos para os administradores é essencial para que a legislação tenha a efetividade necessária e alcance seu propósito de aprimorar a governança das estatais.

Conselheiros fiscais são responsáveis por fiscalizar, de maneira independente, os atos da administração. O processo de seleção de seus membros deve atender a critérios que sejam considerados sólidos e que possam mitigar conflitos de interesses.

A história recente tem ensinado que qualquer tentativa de flexibilizar a aplicação desse ou de quaisquer outros princípios da lei e da boa governança em empresas estatais deve ser combatida, tendo em vista que pode constituir grave retrocesso na busca por eficiência, responsabilidade, transparência e integridade na administração desse tipo de organização.

Vivara e Linx anunciam parceria tecnológica para otimizar estoques e fortalecer operação Omnichannel

A Vivara, maior rede de joalherias do Brasil, anuncia a Linx como nova parceira tecnológica para suas 230 lojas espalhadas pelo país. Por entender que o perfil do consumidor está em constante transformação, a marca investe em soluções tecnológicas para tornar a experiência de compra ainda mais completa, ampliando as possibilidades de integração e fusão entre o físico e o digital.

Para isso, a Vivara habilitará lojas físicas para atuarem também como centros de distribuição estratégicos, capazes de atender aos pedidos gerados em todos os seus canais, inclusive no e-commerce. Além disso, a marca poderá fazer uma verdadeira integração dos estoques. Neste cenário, o consumidor ganhará novas opções na hora de coletar ou receber seu produto, enquanto a rede pode aumentar o fluxo de seus pontos de venda, além de diminuir custos logísticos.

Com a novidade, a Vivara passa a ter um sistema omnichannel atendendo pedidos originados em qualquer canal independentemente de onde o estoque esteja localizado, evitando possíveis rupturas. Com isso o consumidor ganhará mais flexibilidade e agilidade na escolha de como comprar e receber seu pedido.

“Desde 2016, a Vivara caminha em direção à transformação digital com o Omnichannel. Esse é mais um passo para evoluir a governança do nosso negócio e oferecer a melhor experiência tanto em lojas próprias ou e-commerce. Todas trabalhando com o mesmo propósito: permitir ao consumidor escolher quando, onde e como ele obterá nossos produtos”, explica Marina Kaufman, VP de Marketing da Vivara.

Para Alessandro Gil, diretor executivo de E-commerce, Omnichannel e Marketplace da Linx, “no varejo, a transformação digital é estimulada pela necessidade de oferecer aos consumidores uma experiência fluida entre o mundo físico e o virtual. O resultado é uma espiral positiva de vendas, uma vez que o varejista reforça seu relacionamento com o consumidor, obtém mais dados sobre ele, passa a compreender suas necessidades e realiza ações mais personalizadas”.