Page

Author admin

5 tendências para o varejo brasileiro em 2020

Por Glauco Filho

Omnicanalidade, contas digitais, programas de fidelização, softwares as a service, self-checkout — o varejo brasileiro iniciou a nova década otimista e com vontade de inovar. Este movimento é percebido a partir das demandas que as empresas de tecnologia do setor têm recebido de seus clientes e também de pesquisas de campo. As informações mais recentes foram coletadas na NRF 2020, maior feira global do varejo, realizada no início de janeiro, em Nova York. O evento é conhecido por seu poder de revelar as tendências do varejo mundial e por atrair a presença das principais lideranças do setor.

De volta ao Brasil, trago os principais insights que tive no evento e na agenda preparada pelas comitivas brasileiras, BTR-Varese e GS&MD Gouvêa de Souza:

1. Cenário econômico favorável

A NRF é um bom termômetro sobre as expectativas dos varejistas em relação aos negócios e à economia. Nesta edição, foi possível perceber que a confiança e otimismo dos participantes brasileiros cresceu, comparado com as de 2018 e 2019. Durante a troca de ideias entre os membros das comitivas, um dos principais motivos citados para a eclosão deste movimento é a mudança do cenário econômico do país.

Esta opinião reflete, inclusive, na última Pesquisa de Confiança dos Supermercados do Estado de São Paulo, realizada pela Associação Paulista de Supermercados — APAS, que mostra que mais empresários estão confiantes, pois o percentual dos que estão otimistas com a economia e o governo subiu de 35% para 39% em 2019. Já o pessimismo caiu de 20% em outubro para 14% em novembro. A pesquisa aponta, ainda, que para 78% dos empresários, a expectativa futura de vendas do setor em 2020 é otimista. O índice vem subindo desde junho do ano passado, quando o governo federal começou a liberar o saque do FGTS.

Isso faz com que os varejistas comecem a investir cada vez mais em melhorias nos processos, novas tecnologias e serviços financeiros inovadores, para poderem oferecer cada vez mais uma melhor experiência aos clientes. A indústria de pagamento acompanha este movimento, pois a necessidade de dar crédito aos consumidores aumenta, incentivando o consumo e ajudando a baixar a taxa SELIC.

2. Gestão de dados e personalização

“Dados são o novo petróleo” já virou uma afirmação clichê no setor, mas não deixa de ser verdadeira. Armazenamento organizado de dados e sua gestão continuam sendo o grande diferencial tecnológico do segmento, pois auxiliam na aplicação de qualquer personalização na experiência do consumidor.

A importância do tratamento de dados foi destacada em diversas palestras da NRF 2020, considerando aspectos de segurança, privacidade, amplitude e integração com outras plataformas geradoras de valor, como Inteligência Artificial (AI).

E viabilizada pela gestão de dados, a personalização continua sendo apontada como estratégia-chave para a atração de novos clientes e fidelização — seja ela de serviços, produtos ou atendimento. A proximidade com consumidores e customização das ofertas se firmam cada vez mais como um diferencial de vendas.

Por isso, de acordo com um estudo realizado pela Applause, líder mundial em testes de multidões e qualidade digital, 91% dos consumidores estão mais propensos a comprar de empresas que lembram deles e são capazes de oferecer recomendações e ofertas relevantes. Outro estudo feito pelo Google mostra que uma em cada três pessoas espera recomendações de produtos personalizados de acordo com o seu perfil de compra.

Assim, percebe-se que a personalização da oferta de produtos e do atendimento é um meio de reconhecer que o cliente é único e, assim, fidelizá-lo.

3. Transformação cultural do varejo

Outro ponto discutido na NRF 2020 é a importância do impulsionamento de uma transformação cultural dentro do varejo. A disrupção do setor não irá acontecer plenamente enquanto não houver uma mudança de comportamento dentro das empresas, para que a tecnologia seja de fato aplicada com sucesso. É preciso haver uma transformação de dentro para fora.

As empresas que atendem o varejo devem desenvolver soluções que sejam aplicáveis à realidade nacional e que possam ser absorvidas sem atrito e com agilidade, para que se tornem parte da cultura de determinada rede varejista. Isso auxilia as organizações do setor a liderarem evoluções em seus modelos de atuação.

4. Varejo frictionless

Ainda que seja uma moda que só irá pegar em um futuro distante no Brasil e em mercados como o dos Estados Unidos, as lojas com mínimo de “atrito” no momento da compra foram apontadas como um dos possíveis modelos que estão por vir no varejo.

Esse conceito emergiu após diversas pesquisas de mercado revelarem que o consumidor realmente espera mais simplicidade e facilidade em suas experiências de compra, seja durante a procura do produto desejado até a sua experiência no checkout — em ambientes físicos e virtuais.

É cada vez mais claro que o cliente busca conveniência, personalização, agilidade e segurança. Por isso, cabe aos varejistas olhar a tecnologia como sua grande aliada e entender o que ela pode fazer para transformar a experiência de compra usuário. As novas plataformas precisam identificar o consumidor tanto no ambiente físico quanto no virtual, saber seu histórico de compras, seus gostos e preferências, para assim reduzir ao máximo o tal do “atrito” e minimizar a ruptura de venda.

Os lojistas passam a ter um papel mais consultivo e a oferecer opções de compra mais assertivas aos clientes, com soluções que simplificam e facilitam a vida do consumidor, seja através de um vendedor treinado nestas ferramentas, seja de forma self service.

5. Índice de desbancarizados são oportunidade

Uma pesquisa recente do Instituto Locomotiva revelou que existe mais de 45 milhões de pessoas desbancarizadas no país, ou seja, brasileiros que não movimentam a conta bancária há mais de seis meses ou que optaram por não ter conta em banco. Isso significa que, de cada três brasileiros, um não possui conta bancária. De acordo com a sondagem, esse grupo movimenta anualmente mais de R$ 800 bilhões. A entrada dessa parcela população no sistema financeiro e de pagamentos eletrônicos é crucial para o nosso país.

Por isso, existe um movimento de adesão às contas digitais como forma de solucionar o problema da inclusão financeira. A solução ainda oferece inúmeras vantagens aos varejistas, como o estreitamento do relacionamento com os clientes e o acesso a uma nova linha de receita para o setor. A conta digital teve uma ótima aceitação entre os participantes das comitivas, por atuar em um desafio das empresas brasileiras: oferecer serviços financeiros que vão além do cartão de loja e da concessão de crédito como acontece hoje.

Existe aí, então, uma grande oportunidade para as empresas do segmento em, por meio de uma relação amistosa que já existe com seu público, permitir o acesso aos serviços financeiros às classes C, D e E.

Brasil também é tendência

Vale destacar que o Brasil é apontado como referência internacional não só no mercado varejista, como também nos de meios de pagamento e bancário. A competitividade desses setores é grande e a instável economia brasileira pode até se apresentar como entrave no setor, mas também são fatores que fazem com que as empresas nacionais se forcem a inovar, tornando o país como uma forte tendência de inovação.

Glauco Filho, superintendente de novos negócios da Conductor

Atos finaliza aquisição da Maven Wave

A Atos, empresa líder em transformação digital, anuncia que completou a aquisição da Maven Wave, uma consultoria americana baseada em nuvem e tecnologia, e especializada em entregar soluções de transformação digital para grandes empresas. Com a aquisição, a Atos fortalece sua liderança global em soluções de nuvem para aplicações, data analytics e machine learning em plataformas híbridas e multi-cloud.

Após receber o prêmio de Google Cloud Breakthrough Partner of the Year, em 2019, a Atos continua a construir suas capacidades de soluções Google Cloud ao acolher notavelmente mais de 330 colaboradores da Maven Wave, reconhecidos globalmente como alguns dos melhores. A companhia agora possui dez especializações do Google e é reconhecida por dois anos consecutivos como Google Cloud North America Services Partner of the Year.

A adição da expertise da Maven Wave no portfólio da Atos acelera ainda mais a transformação e crescimento da companhia na América do Norte e reforça o compromisso de estender e enriquecer seu portfólio digital globalmente.

“Nós continuamos a construir capacidades profundas na entrega de serviços de digitalização, que permitem que nossos clientes transformem e entreguem as experiências que seus consumidores desejam, e esperam por meio de todas as indústrias”, afirma Elie Girard, CEO da Atos. “Nossa expertise em serviços de nuvem é incomparável, já que fornecemos uma gama completa de especializações, desde infraestrutura e migração para nuvem até data analytics e machine learning. A gama dos serviços de digitalização e o relacionamento que construímos com o Google Cloud nos faz o parceiro número um do Google Cloud no mundo.”

“Juntos, a Maven Wave e a Atos criam o mais forte portfólio de serviços Google Cloud oferecido em qualquer lugar, fornecendo aos clientes expertise e conhecimento comprovados na execução de sua transformação digital e entregando experiências excepcionais para seus consumidores”, comentam os fundadores da Maven Waven Brian Farrar, Jason Lee e Jeff Lee.

Em abril de 2018, a Atos firmou uma parceria global única com o Google Cloud para acelerar a criação de soluções seguras para nuvem híbrida, data analysis e machine learning, assim como para o ambiente de trabalho conectado. A parceria inclui a abertura de laboratórios de IA ao redor do mundo – nos escritórios da Atos em Londres, Dallas, Munique e Paris. A aquisição da Maven Wave não fortalece a parceria da Atos com o Google Cloud apenas na América do Norte, mas também em mais de 20 países onde a parceria está operando.

Cel.Lep lança programa online de inglês para treinamento do setor corporativo

O Cel.Lep, uma das principais escolas de idiomas e tecnologia do País, acaba de lançar o programa Cel.Lep Online, que oferece ao mercado corporativo uma opção de aprendizagem do segundo idioma, com o mesmo padrão de qualidade de ensino da escola ao longo dos seus 52 anos de existência. O programa foi desenvolvido em parceria com a Voxy, empresa sediada nos Estados Unidos e com atuação global, para oferecer acesso à sua plataforma digital corporativa, que conta com mais de quatro milhões de alunos em 150 países.

Com isso, o Cel.Lep consolida-se como um provedor de ensino de idiomas multicanal, com atuação em âmbito nacional, por meio do fornecimento de soluções educacionais inovadoras e de alta qualidade. Além da parceria com a Voxy no programa online, a escola oferece cursos presenciais em suas unidades próprias em São Paulo e nos programas In Company, formatados sob medida para as empresas, e programas de solução bilíngue para a grade intracurricular das instituições de ensino nos diversos Estados.

“O Cel.Lep Online fecha um ciclo que nos permite atender a 100% das demandas dos nossos alunos por ensino de inglês, ou seja, onde, quando, como e na intensidade e plataforma que o aluno ou cliente desejar, com alta qualidade e inovação, sempre perseguindo a máxima excelência em tudo que fazemos, como tem sido nossa missão ao longo desses 52 anos de tradição”, afirma Alexandre Velilla Garcia, CEO do Cel.Lep.

Garcia destaca que a Voxy foi escolhida a partir de uma seleção cuidadosa, de forma que o Cel.Lep pudesse contar com um parceiro reconhecido mundialmente por sua solução de qualidade. “Trata-se de um parceiro que comunga dos mesmos objetivos e valores centrais de excelência operacional, robusta metodologia pedagógica, cuidado na seleção de professores, alta inovação no ensino e aprendizagem personalizada para o mundo real”, acrescenta o CEO do Cel.Lep.

A Voxy conta com mais de quatro milhões de alunos em 150 países, voltada a equipes globais de profissionais, com soluções de aprendizagem adaptáveis e professores altamente qualificados. Sua solução inclui uma plataforma com cursos personalizados e conteúdo autêntico obtido por meio de parcerias com fontes como Bloomberg e Financial Times, incluindo notícias atualizadas diariamente, além de uma ferramenta para controle de performance de alunos e teste de nível de proficiência (Voxy Proficiency Assessment – VPA®).

“Estamos muito satisfeitos em estabelecer essa parceria no Brasil com o Cel.Lep, instituição fortemente reconhecida por sua qualidade e inovação no ensino do inglês. Nossa expectativa é crescermos conjuntamente no mercado corporativo brasileiro, com uma solução digital abrangente, que agregará um diferencial importante aos clientes no desenvolvimento de seus colaboradores”, afirma Paul Gollash, fundador e CEO da Voxy.

Entre os benefícios do Cel.Lep Online está o acesso em dispositivos móveis com o aplicativo Voxy, que é de simples e fácil manuseio. Por meio dele, o estudante pode participar de aulas virtuais, assistir vídeos, entre outras atividades, 24 horas por dia, sete dias da semana.

A plataforma da Voxy conta com professores nativos e tem sua metodologia baseada no conceito ESP (English for Specific Purposes, ou Inglês para Fins Específicos, em português) – um modelo de ensino da língua inglesa para estrangeiros, voltado a universitários ou profissionais, que tem como referência assuntos e vocabulários específicos de acordo com a necessidade e o interesse de cada aluno. A plataforma também faz uso de Machine Learning para ajudar os estudantes a aperfeiçoar seu conhecimento em determinados pontos de maior dificuldade.

Um teste de nivelamento da língua é realizado para adequar o curso às necessidades dos alunos, e o Cel.Lep ainda faz todo o acompanhamento pedagógico e de desempenho, como uma forma de garantir seu compromisso com o sucesso do aprendizado de cada um ao longo de todos os estágios.

“Com o curso online, conseguimos fazer com que a web e os aplicativos móveis em nuvem, que resolvem as questões de tempo e de espaço, sejam utilizados de uma forma eficiente para levar o ensino do segundo idioma ao aluno, com qualidade”, afirma Garcia.

ACSP: Queda nos juros pode estimular indústria da construção e ajudar na criação de empregos

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira (5) a redução da taxa básica de juros de 4,5% para 4,25% ao ano, o menor percentual desde 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação.

Segundo o economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Emilio Alfieri, o Banco Central agiu corretamente. “O BC é a entidade que mais tem conhecimento do mercado, até mais do que as próprias empresas. Então, ninguém melhor do que ele para sinalizar que está na hora de aquecer a economia e estimular os financiamentos”, diz.

É uma medida acertada porque o Banco Central verificou os dados da indústria – conforme mostraram os números do IBGE divulgados na terça-feira (4) – e entendeu que a redução na Selic poderia estimular, principalmente, a indústria da construção”, explica Alfieri, se referindo à queda de 1,1% na produção industrial em 2019, comparado ao ano anterior.

Stefanini realiza Hackathon em Brasília

A Stefanini, referência em soluções digitais, promove um Hackthon no dia 15 de fevereiro. A maratona tecnológica de inovação vai acontecer na filial da Stefanini em Brasília (DF). As inscrições estão abertas para candidatos graduados ou cursando superior na área de TI e que tenham vontade de atuar com desenvolvimento de sistemas na linguagem Java.

Durante o evento, os participantes receberão instruções detalhadas sobre o tema do desafio e os meios que poderão ser utilizados para desenvolver o projeto. Todas as soluções apresentadas serão analisadas por um júri técnico do evento, que avaliará os seguintes critérios: alinhamento ao desafio, inovação, design, usabilidade, habilidades, trabalho em equipe e análise comportamental.

Carla Alessandra de Figueiredo, gerente executiva de RH da Stefanini Brasil, destaca a importância de contar com profissionais mais colaborativos e engajados. “Queremos encontrar profissionais que tenham uma visão do todo, que estejam preparados para desenvolver projetos diferentes e simultaneamente”, comenta.

A Stefanini espera contratar até mais de 15 pessoas, pois quem for aprovado na maratona pode ser convocado para trabalhar para trabalhar no escritório de Brasília nos próximos dois meses. As inscrições podem ser feitas no seguinte endereço: http://jobs.kenoby.com/stefanini/job/hackathon-java/5e2c16b4ee2ba2335434db07

Hackathon Brasília

Data: 15 de fevereiro (sábado) | de 8h às 16h

Link para inscrição: http://jobs.kenoby.com/stefanini/job/hackathon-java/5e2c16b4ee2ba2335434db07

Grupo lança ferramenta para auxiliar no combate a corrupção em pequenas e médias empresas

Fornecer instrumentos de um sistema de integridade para prevenir práticas ilícitas, entre elas a corrupção, fraudes e questões concorrenciais é medida fundamental. Para as pequenas e médias empresas se adequarem ao cenário da ética já aquecido e fomentado por empresas de grande porte, as empresas Compliance Total e Contato Seguro lançam a plataforma digital Compliance Station®. O objetivo é que companhias de diferentes portes consigam criar, aprimorar e administrar seus próprios programas de Compliance customizados às suas necessidades e contexto, em uma única plataforma com diversas ferramentas e funcionalidades, de forma totalmente digital e interativa.

Na prática, a plataforma é capaz de ajudar a empresa desde a implementação do seu Mecanismo de Integridade, propiciando todas nuances de um programa de Compliance efetivo na prática, com a gestão integrada de documentações, parceiros e fornecedores do negócio, além de fornecimento do canal de denúncias, considerado o coração do sistema de compliance. Todos disponibilizados em uma única plataforma, viabilizando e tornando o Compliance uma realidade possível e acessível às PME’s. “A plataforma disponibiliza mais de mil documentos e tutoriais para facilitar a vida do gestor, que estarão à mão, à medida que uma necessidade lhe surgir à frente, seja nas atividades programadas ou em situações específicas e pontuais”, explica Wagner Giovanini, sócio-diretor da Compliance Total e Contato Seguro e profissional referência no mercado.

Ao todo, a Compliance Station® conta com 12 módulos propostos em metodologia simplificada desenvolvida para a implementação efetiva do programa, além de demais etapas estruturadas para a gestão. Fases como a de identificação de riscos, estabelecimento de códigos de conduta e políticas, comunicação e treinamentos, entre outros, compõe a estrutura proposta. Desenvolvida a partir da observação da realidade e desafios comuns às estruturas das PME’s, a plataforma considera a evolução do programa acompanhada por profissional que não necessariamente seja especialista em Compliance, adicionalmente auxiliando e capacitando-o por meio de tutoriais, relatórios de resultados, escopos de reunião e indicadores de gestão e performance do Mecanismo de Integridade por completo. “Ainda sobre o propósito da plataforma, nosso objetivo, além de apresentar uma solução completa e capaz de democratizar o Compliance, é capacitar os profissionais para o devido tratamento de todos os processos e atividades que visam proteger a empresa, prevenir irregularidades, detectar eventuais ilicitudes e promover as correções devidas”, completa Wagner.

O Grupo ressalta que a Compliance Station® foi projetada de forma a atender aos requisitos das principais certificações (ISO 37.001 e DSC 10.000), normas aplicáveis e, principalmente, da Lei nº 12.846/2013, também conhecida como Lei Anticorrupção, que prevê punições pesadas às empresas infratoras.

Informações baseadas em evidência sobre Coronavírus estão disponíveis gratuitamente

A Wolters Kluwer Health, líder mundial em fornecimento de informações para profissionais e estudantes da área da saúde, engajada na luta contra a rápida propagação do Coronavírus, está provendo acesso online gratuito às informações baseadas em evidência disponíveis sobre o vírus vindo da China em seu recurso de suporte à decisão clínica, o UpToDate. Nesta quinta-feira (30), a OMS declarou emergência de saúde pública internacional para o Coronavírus, não pelo que ocorre na China, mas pelo avanço da doença – já existem registros de casos em outros 20 países. No Brasil, existem nove casos suspeitos até o momento.

O UpToDate é o recurso que fornece suporte à decisão clínica para mais de 1,5 milhão de provedores de assistência médica em todo o mundo. Trata-se de um recurso de apoio à decisão clínica baseado em evidências, de autoria e revisado exclusivamente por médicos reconhecidos em suas especialidades, e que pode ser acessado de qualquer lugar: dispositivo móvel ou online. Mais de 6.700 especialistas clínicos continuamente mantêm e publicam atualizações sobre mais de 25 especialidade e trazem mais de 11 mil tópicos clínicos e o Coronavírus é um deles. Para ter acesso às informações e recomendações do vírus basta acessar o link.

De acordo com a OMS, a maioria dos infectados com o novo Coronavírus desenvolve sintomas semelhantes aos da gripe, e cerca de 20% progride para doenças mais graves, como pneumonia e insuficiência respiratória. O Coronavírus já matou 213 pessoas na China e infectou 9.720 – taxa estimada de letalidade de 2,19%, segundo autoridades chinesas. Isso significa que a cada 100 pessoas doentes, duas morrem. Os dados são estimados porque o número total de infecções ainda é desconhecido. Nos outros 20 países, têm mais de 100 pacientes infectados.

Sampa Week: vendas crescem 16,4% no aniversário de São Paulo

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) informa que o movimento das vendas do varejo da capital com a Sampa Week, campanha que ofereceu uma série de descontos ao consumidor entre 23 e 31 de janeiro, na semana de aniversário da cidade de São Paulo (25/01), cresceu dentro do esperado: 16,4% sobre o mesmo período de 2019.

Os dados preliminares da Boa Vista SCPC mostram que, em sua primeira edição, a semana da Sampa Week teve um desempenho bastante favorável na comparação com o mesmo período do ano passado.

Para o presidente da ACSP, Alfredo Cotait, o evento foi um sucesso. “Por ser a primeira edição da campanha, as vendas tiveram um aumento considerável, dentro das expectativas. Consideramos um ótimo resultado, principalmente por se tratar da primeira edição de um evento que, ao que tudo indica, entrará para o calendário do varejo da capital paulista”, diz.

Idealizada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a iniciativa pioneira teve como objetivo estimular o comércio a oferecer descontos especiais para alavancar as vendas e movimentar a economia dando ao consumidor mais uma chance de aproveitar não só descontos mas também as atrações turísticas na capital.

Engenharia Civil volta a acelerar no Brasil

Comprar a casa própria é um dos sonhos de 49% dos brasileiros com idade entre 18 e 64 anos, segundo estudo da Pesquisa GEM Brasil. Com a crise econômica ainda em alta no país, uma das soluções encontradas pela população foi o de adquirir o lote e administrar a própria obra. O que demonstrou uma economia de até 40% no investimento total, quando comparado ao valor de um imóvel já finalizado.

Apesar dessa opção ser uma escolha de muitos consumidores, o segmento imobiliário tem apresentado uma boa recuperação em vendas, o que abre portas para novas obras, oportunidades de emprego e movimentação de renda em 2020. Com isso, o setor espera um significante crescimento e boa contribuição para um PIB mais elevado. “Já sentimos o aquecimento do mercado nas demandas que chegam até a empresa. A busca por soluções cresceu novamente, os clientes estão vindo até nós para evitar dores de cabeça e gastos indesejados nos processos que realizam”, comenta Marcelo Lefevre, presidente da Poli Júnior, empresa júnior da mais bem conceituada escola de engenharia do país, a USP.

Com o governo controlando as contas da união, as taxas de juros e inflação tiverem uma estabilidade significativa, o que motivou a facilidade nos financiamentos imobiliários, tornando-os mais acessíveis. Esse movimento deixa as famílias mais seguras para solicitarem crédito de longo prazo, além dos investidores começarem a pensar novamente no imóvel como uma forma de aplicação em 2020. “A população está se preparando melhor para os possíveis gastos que o sonho da casa própria exige. Como trabalhamos em uma empresa com investimentos até 60% menores do que o mercado sênior, nós atendemos clientes de diversas camadas da sociedade, o que nos possibilita entender o que cada um deles mais precisa”, finaliza Lefevre.

Alexathon: AWS e SAS promovem Hackathon para desenvolvimento de soluções para educação na Alexa

O SAS Plataforma de Educação e a Amazon Web Services, uma companhia da Amazon.com, realizam no dia 15 de fevereiro, na sede do SAS (CE), o Alexathon, hackathon para criação de skills (soluções) da Alexa, assistente virtual inteligente da multinacional varejista. O evento é voltado para designers e desenvolvedores da região Nordeste. “Nossa intenção é gerar soluções para a Alexa que amplifiquem as possibilidades de aprendizado trazendo novas experiências para professores e alunos” explica Stenyo Lago, head de Tecnologia Educacional do SAS.

Segundo Lago, a ação com a AWS mostra como o SAS está um passo à frente no segmento ao adotar um posicionamento em que a tecnologia é parte importante do processo de alavancagem do aprendizado. “Pretendemos nos conectar com outros profissionais que também vivenciam tecnologia e acelerar o desenvolvimento de soluções para o setor de educação”, reforça o executivo, que informa: eventos nesta mesma linha planejados para este ano”.

O Alexathon tem duração de oito horas. Durante esse período, dez grupos – cada um com quatro integrantes – terão a missão de propor alternativas viáveis para desafios da educação como soluções que facilitem o planejamento de aulas dos professores e que incentivem a leitura, por exemplo. Na etapa final, as skills serão apresentadas pelos grupos e avaliadas por uma banca formada por lideranças da AWS e do SAS. O grupo vencedor será premiado com dispositivos Amazon Echo Dot integrados com a Alexa.

“O evento é aberto para a comunidade tech da região, além da equipe interna do SAS. A ideia é conhecer novos desenvolvedores e quem sabe, possíveis parceiros”, explica Stenyo, que também enxerga no evento uma possibilidade para ampliar a equipe de tecnologia da plataforma. “Hoje, somos 35 profissionais e queremos contratar mais 20 pessoas para ampliar o nosso time”, finaliza.

“O evento é importante para nós, pois a AWS busca sempre incentivar a educação e trazer a discussão sobre computação em nuvem, inteligência artificial, internet das coisas e outros temas de tecnologia para a região do Nordeste para ampliarmos o conhecimento local e atrair possíveis parceiros, clientes e colaboradores”, fala Paulo Cunha, AWS Public Sector Country Manager para o Brasil.

Evento: Alexathon

Data: 15 de fevereiro
Horário: 9h às 22h
Inscrição: Clique aqui (http://alexathonnosas.splashthat.com/)
Local: Avenida Engenheiro Santana Jr., 3333, Fortaleza, Ceará

SysMap oferece 100 bolsas integrais para desenvolver profissionais de tecnologia

Não é de hoje que sobram vagas para talentos na área de tecnologia no Brasil. De acordo com a Brasscom, até 2024, a demanda por estes profissionais será de 70 mil por ano, enquanto o número de formados chegará a 46 mil. Esse problema é ainda maior fora dos grandes centros, em que jovens talentos não encontram oportunidades na área de tecnologia. Atentas a esta necessidade, a SysMap Solutions, empresa brasileira de tecnologia que atua em segmentos de Telecom, Varejo, Educação, Financeiro, Indústria/Cosméticos e Energia, e o IGTI, escola de pós-graduação a distância voltada para as áreas de tecnologia e inovação, se uniram em um projeto para formar e empregar profissionais de tecnologia de qualquer lugar do País, com idade a partir de 18 anos.

O bootcamp online contará com 100 bolsas integrais para o curso de Desenvolvedor Salesforce, uma das 15 profissões em alta no País de acordo com o estudo recente divulgado pelo Linkedin, e as inscrições estão abertas até o dia 12 de fevereiro. O curso oferece ainda vouchers para a prova de certificação da Salesforce, com a oportunidade de contratação remota e imediata pela SysMap para os 30 melhores colocados ao final do curso.

“Queremos ajudar a diminuir o gap de profissionais qualificados na área de tecnologia. A ideia é dar a oportunidade para que jovens talentos de qualquer lugar do País, principalmente fora dos grandes centros, possam ingressar no mercado de trabalho, atuando na plataforma que mais cresce na área de tecnologia e ocupar uma posição entre os 3,3 milhões de novos empregos que serão criados no ecossistema Salesforce em todo o mundo até 2022, movimentando US$ 859 bilhões”, afirma Geraldo Magela, vice presidente de operações da SysMap Solutions.

O curso terá duração de 2 meses e será 100% online. Com aulas intensivas e uma abordagem prática, demandará dos participantes uma dedicação de até 4 horas por dia. O programa permite uma avaliação contínua do aluno. Para participar é necessário ter 18 anos ou mais, noções básicas de programação e leitura básica em inglês para a realização dos simulados e provas de certificação. As inscrições estão abertas até o dia 12 de fevereiro no site que traz mais informações sobre o bootcamp. Ao todo, serão 5 módulos online com o intuito de capacitar e certificar profissionais para a atuação na empresa.

“Vamos preparar interessados para o exame de certificação Salesforce Platform Developer 1, por meio de um programa online prático, intensivo e imersivo, que também irá possibilitar aos profissionais certificados a oportunidade de trabalhar na SysMap”, conta Guilherme Cavalieri, diretor acadêmico do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI).

BRQ contrata Marcos Spinelli como Head de Operações SAP

A BRQ Digital Solutions, uma das maiores empresas de tecnologia do país, tem investido fortemente no seu time de gestores e acaba de anunciar Marcos Spinelli como Head de Operações SAP.

Spinelli possui mais de 20 anos de experiência no mercado de SAP desenvolvendo projetos em grandes empresas da América do Sul, Brasil e Argentina. Em sua carreira, foi também Diretor Executivo da Resource e, antes de se juntar à BRQ, ocupava o posto de Head of Solutions, na Everymind.

“O desafio é apoiar o crescimento da companhia e criar uma estrutura com foco nas soluções de inovação da SAP, complementando o portfólio atual da BRQ e se conectando fortemente às estratégias de Transformação Digital.” afirma Spinelli.

Para suportar esse crescimento, cerca de 100 pessoas, de especialistas à novatos, devem ser contratadas para se unir ao time de consultores SAP da BRQ.

Selic: o ciclo de cortes chegou ao fim?

Por William Teixeira

Na metade do ano passado, Paulo Guedes já havia mencionado que enxergava a taxa de juros em menos de 4% (na casa de 3%), isso era absolutamente normal e saudável para um país que pretendia retomar o crescimento econômico. Na época, a Selic estava em 6,5% e vimos a taxa caindo para 4,5% no final de 2019. O mercado, em sua maioria, estava satisfeito com esse cenário.

O Copom já falava que 4,5% era a projeção para esse ano, mas não foi o que aconteceu. Alguns dados como o arrefecimento da indústria, no final do ano, e a preocupação com uma possível contração do PIB se imaginava em função do coronavírus são fatores que fazem com que o governo seja ainda mais agressivo em relação a taxa de juros.

Em relação aos números da economia real, o endividamento aumentou um pouquinho, em relação a 2019, subiu 0,5%, chegando a 65,6% das famílias. Isso não é necessariamente ruim, se avaliarmos que esse endividamento não aumentou a inadimplência. Números que podemos ver claramente nos balanços dos bancos. Inclusive, essas instituições continuam com lucros muito altos, mostrando para todo mundo que a relação entre taxa de juros baixa e banco perdendo dinheiro, de fato, não existe.

Enfim, sabemos que a Selic caiu 0,25%, mas a grande pergunta é: esse é o final do ciclo de corte ou não? Já se apostava que 4,5% era o último patamar do ano anterior, e isso não aconteceu. Nesse sentido, o mercado tem revisto com muito cuidado, muita cautela, as projeções de Selic para esse ano. Ainda mantemos sob o foco a questão do coronavírus e da indústria, mas esse é o grande questionamento para as próximas reuniões: se ainda tem espaço para mais uma queda na taxa de juros?

William Teixeira, sócio e head de renda variável da Messem Investimentos.

Eventbrite apresenta nova diretora geral Latam

A Plataforma global de vendas de ingressos on-line, Eventbrite anuncia sua nova diretora geral para América Latina, que ocupava antes o cargo de Head de marketing da empresa, Beatriz Oliveira. A partir deste ano, a executiva será responsável por toda operação latino-americana, que inclui as áreas de vendas, marketing, administrativa, recursos humanos e atendimento ao cliente.

Graduada em Publicidade pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, Beatriz começou sua carreira como trainee de eventos na Amcham, da qual saiu para assumir a gerência de eventos na Unisys. Entre 2009 e 2020, teve passagens pela IBM Brasil e pela Oracle, onde ficou por sete anos até assumir o cargo de Head de Marketing da Eventbrite em agosto de 2018.

“Aceitei esse desafio porque gosto, confio e tenho muito orgulho do time que temos, especialmente no Brasil. É uma equipe que aceita muito bem mudanças, é unida e não mede esforços para garantir que os organizadores de eventos que escolhem a Eventbrite tenham sucesso em suas iniciativas. Além de focar em alcançar os objetivos da empresa. O mercado de eventos apresenta grandes oportunidades de profissionalização, as pessoas ainda compram ingressos off-line e esse é um setor que a nossa tecnologia pode oferecer muitos benefícios e segurança, tanto para os produtores de eventos quanto para os participantes”, diz Beatriz.

TST confirma que não existe vínculo empregatício entre motoristas e a Uber

Em decisão inédita, o Tribunal Superior do Trabalho, em julgamento da 5ª Turma, confirmou que não existe vínculo de emprego entre a Uber e os motoristas parceiros. A decisão vai na mesma linha de 75 acórdãos proferidos por Tribunais Regionais e mais de 240 sentenças de diversas varas do trabalho pelo país, que afastaram o vínculo empregatício ou declararam a incompetência da Justiça do Trabalho em ações contra a Uber.

O julgamento desta quarta-feira (5/2) anulou o reconhecimento de vínculo empregatício entre a Uber e um motorista independente proferido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região-São Paulo, reforçando o entendimento já adotado também pelo Superior Tribunal de Justiça em julgamento de conflito de competência.

De acordo com o relator da ação, ministro Breno Medeiros, os motoristas que utilizam a plataforma da Uber para gerar renda têm autonomia e flexibilidade que são incompatíveis com o vínculo empregatício, já que podem escolher trabalhar o quanto e onde quiserem. Além disso, afirmou que o fato de ser reservado ao motorista o equivalente a 75% a 80% do valor pago pelo usuário configura a relação comercial entre a empresa e o motorista, incompatível com o vínculo de emprego.

O Tribunal Superior do Trabalho reconhece o caráter inovador do modelo, que conta com mais de 600 mil motoristas parceiros atualmente cadastrados na plataforma, em mais de 100 municípios em todo o país, e os usuários do aplicativo, que hoje já superam a marca de 22 milhões.

Associações Comerciais participam de ato contra o aumento de impostos, contra a PECs 45 e 110 e a favor da desoneração da folha

A rede de Associações Comerciais, coordenadas pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), participará de um ato contra o aumento de impostos; contra as PECs 45 e 110, que tratam sobre a unificação de tributos; e a favor da desoneração da folha. Uma manifestação será realizada em 17 de fevereiro, às 10h30, no Clube Esperia, na capital paulista. O protesto é organizado pelo Movimento de entidades e lideranças empresariais.

“A Facesp participa deste movimento que visa a mobilização de toda a rede de Associações Comerciais, que representa mais de 200 mil empreendedores no Estado, para que possamos defender um amplo debate que tenha como prioridade o contribuinte e as pequenas e médias empresas e não apenas as contas do governo”, afirmou o presidente da Facesp e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Alfredo Cotait Neto.

A expectativa é que este primeiro ato reúna mais de mil pessoas. Trinta entidades e movimentos da sociedade civil participam do movimento. Diversos especialistas e autoridades confirmaram presença, entre eles: Everardo Maciel, ex-secretário da Receita Federal e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público; e Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

“Vamos ser firmes no posicionamento contrário às PECs 45 e 110 e a forma como está sendo conduzida as discussões sobre o novo modelo tributário brasileiro”, adiantou Cotait. “A população em geral, os trabalhadores e a classe empreendedora precisam ser ouvidos, porque são eles que sofrem com esta carga tributária gigantesca. A discussão deve ser transparente e não ficar resumida à classe política e às autoridades do governo”, criticou.

Uma pesquisa realizada pela ACSP, que motivou a campanha “Novo Ano Novo”, mostra que os 153 primeiros dias trabalhados do ano são apenas para pagar impostos.

CONTRA AS PECs 45 e 110

A PECs 45 e 110 propõem a extinção de diversos tributos que incidem sobre bens e serviços. “As PECs criam um cenário de taxação de imposto em 25%, o que, na prática, não dará chance de sobrevivência a nenhuma empresa. E mesmo sendo inviável é o que consta nos projetos em discussão no Congresso Nacional”, alertou Cotait.

Representante de mais de 420 Associações Comerciais, a Facesp defende que a desoneração da folha passe a ser prioridade. “Quando o empresário tem a contribuição patronal substituída por um imposto de transição financeira, temos um efeito positivo. Os salários se ajustam, a atividade econômica é revigorada, os custos são reduzidos e, indiretamente, a renda do contribuinte cresce há um aumento na geração de emprego”, avaliou Cotait.

NOVOS ATOS

Outros atos como o que ocorrerá em 17 de fevereiro estão sendo planejados. No dia 11 de março, a manifestação será no Congresso Nacional. “A missão da Facesp e das Associações Comerciais é proteger os empreendedores para que eles sigam produzindo, gerando emprego e renda e a questão dos impostos nos preocupa muito”, ponderou o presidente da Facesp.

“Temos a oportunidade de modificar o atual sistema tributária, então que façamos uma atualização transparente e que, verdadeiramente, possa criar condições de um crescimento vigoroso na economia brasileira”, finalizou Cotait.

AGEDA
Ato contra o aumento de impostos, contra as PEC 45 e 110 e a favor da desoneração da folha

Local: Clube Esperia (Av. Santos Dumont, N° 1.313 – Santana, SP)
Quando: 17 de fevereiro, às 10h30

Movimento de consumidores nas lojas físicas brasileiras deve crescer 4% na semana do Carnaval 2020, estima Seed Digital

O movimento de consumidores nas lojas físicas brasileiras (de rua e de shopping) deve aumentar 4% na semana do Carnaval 2020 (última semana de fevereiro), em comparação com a semana do Carnaval 2019. A projeção é da empresa de coleta e análise de dados do varejo Seed Digital.

“O desempenho do varejo no Carnaval deve seguir a linha de recuperação das últimas duas grandes datas comerciais (Black Friday e Natal). O ano de 2020 tende a ser mais movimentado do que 2019, que apresentou quedas de fluxo de pessoas em todos os meses do ano no varejo físico nacional consolidado. Indicadores econômicos apontam retomada de crescimento, o acesso a crédito aumentou e as taxas de juros estão na mínima histórica, impactando diretamente o consumo do país”, analisa Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital.

Ele acrescenta que “o crescimento acelerado do e-commerce, em conjunto com a integração ao varejo físico, mostra que as empresas estão cada vez mais preocupadas com a experiência do cliente, com investimento no online sem deixar o mundo físico de fora. Portanto, por essas premissas, é possível estimar o mercado de varejo mais movimentado como um todo”.

Já em relação à média semanal de 2020, na semana do Carnaval 2020 o fluxo de consumidores nas lojas físicas deve cair 5%. Segundo Sidnei Raulino, o faturamento deve acompanhar esse comportamento e, portanto, é essencial que o empresário foque no atendimento ao cliente para o aumento da taxa de conversão para obter mais ganhos, aproveitamento melhor a ida dos clientes que vão até o estabelecimento. O CEO da Seed Digital dá as seguintes dicas para os lojistas:

• Acompanhar indicadores e traçar planos estratégicos ao longo do ano, para minimizar o baixo volume no Carnaval – isso pode ser essencial na apresentação de resultado no final do ano;

• Fazer ações promocionais como queima de coleção e de modelos antigos em estoque;

• Entender qual tipo de experiência o cliente deseja nessa época do ano;

• Para o segmento de vestuário, vender coleções temáticas de Carnaval é uma boa estratégia para alavancar vendas; para demais ramos, uma boa solução é dar atenção para produtos com maior procura no período (protetor solar, adereços, acessórios).

EMBRAPII capta R$ 40 milhões para desenvolvimento de projetos em Mobilidade e Logística

Empresas da cadeia produtiva do setor de mobilidade e logística contam com R$ 40 milhões não reembolsáveis para desenvolver projetos de inovação em parceria com a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa de Inovação Industrial). O valor gerará o investimento total de R$ 100 milhões em novas soluções tecnológicas para o setor, já que à quantia é somada os recursos econômicos da Unidades EMBRAPII (centros de pesquisa) e a contrapartida das empresas.

A instituição oferece à indústria o diferencial de viabilizar projetos sem a necessidade de aguardar por edital, tornando-se um processo ágil, flexível e sem burocracia. Empresas de diferentes portes podem ser beneficiadas atendendo a demanda de toda a cadeia produtiva, tais como: eletromobilidade, Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC), siderurgia, baterias, conectividade, biocombustíveis, novos materiais, inteligência artificial, entre outros. A expectativa é contratar 60 projetos ao longo de 2020.

Para viabilizar os projetos, a EMBRAPII fica responsável por até um terço do investimento, o restante é dividido entre o centro de pesquisa, que disponibiliza mão de obra e equipamentos, e a empresa parceira. Nos casos que envolvem mais de uma empresa e pelo menos uma delas seja pequena, o aporte financeiro aumenta e pode chegar até 50% do valor do projeto. O objetivo é estimular inovação com startups para aumentar a interação com grandes empresas. Conheça mais das duas modalidades .

O diretor de Planejamento e Gestão da EMBRAPII, José Luis Gordon, destaca que a instituição conta com uma rede de Unidades EMBRAPII com infraestrutura e profissionais qualificados para atender demandas industriais. Nos cinco anos de atuação, a EMBRAPII consolidou-se como uma importante ferramenta para a indústria brasileira inovar. Já são mais de R$ 1,4 bilhão em projetos, trabalhando com cerca de 600 empresas. “O modelo é ágil, flexível e desburocratizado. As empresas não precisam esperar edital para desenvolver seus projetos, os recursos já estão disponíveis na Unidade”, enfatiza Gordon.

Os R$ 40 milhões foram captados com a indústria em 2019, por meio da Política do Rota 2030, estratégia do governo federal para o desenvolvimento da cadeia produtiva do setor automotivo nacional. O Brasil é o 9º produtor de autopeças e veículos no mundo. Internamente, o setor automotivo responde por 22% do PIB industrial e gera cerca 1,3 bilhão de empregos diretos e indiretos no País.