Page

Author admin

Da zona de conforto da inovação a novas tendências globais: o que muda para as empresas a partir de 2020

Por Arthur Gonçalves

As descobertas tecnológicas dos anos 2010 introduziram no ambiente de negócios soluções que mudaram não apenas a forma como as organizações interagem com os seus clientes, mas também a maneira com que os consumidores demandam serviços e produtos. A experiência ganhou destaque e tornou-se fundamental para as decisões de consumo, colocando a inovação como o Santo Graal de um mundo e relações agora pautados pelo digital.

A inovação veio para o centro das estratégias das organizações e, com ela, dúvidas sobre como, de fato, fomentá-la. Criar departamentos, contratar equipes ou acelerar startups? Todas as opções estavam na mesa das companhias em busca da disrupção dos seus modelos de negócios. O contexto que vivenciamos em 2020 acelerou esses processos, forçando as organizações e seus gestores a deixarem suas zonas de conforto da inovação.

Essa brusca antecipação de tendências é apenas a ponta do iceberg do que, na visão da empresa de consultoria Gartner Group, serão as organizações num futuro próximo e como elas dialogam com seus stakeholders, orientando-se por propósitos como a multiexperiência, a democratização, a transparência e a rastreabilidade no uso e tratamento de dados.

A multiexperiência já é uma realidade no contexto presente. Diante da superação das últimas barreiras que ainda existiam entre o analógico e o digital, as organizações foram – e são diariamente – desafiadas a garantir conectividade e integração de equipes em um mesmo nível de colaboração. Uma necessidade que vai além das ferramentas tradicionais para o trabalho remoto e demanda das empresas esforços em tecnologias que aperfeiçoem feedbacks, reuniões e interações no ambiente de trabalho do individual ao coletivo, e vice-versa.

Mas apenas integrar pessoas já não é suficiente no mundo atual, é preciso que o acesso a tecnologias disruptivas também seja uma realidade. Enquanto tendência, a democratização dessas tecnologias é crucial para o desenvolvimento de habilidades entre os colaboradores. Mesclar assistentes virtuais, inteligência artificial e algoritmos com pessoas capacitadas a explorar o potencial dessas ferramentas são alavancas para a competitividade das organizações.

Essa união da tecnologia com o melhor das pessoas altera o foco do debate sobre a substituição da força de trabalho dos humanos por algoritmos, para a busca de soluções que combinem o processamento de linguagem natural e IA em uma melhor experiência e oferta de soluções pelas equipes.

O contexto demanda, assim, não apenas ferramentas para a transparência, rastreabilidade e confiança no uso e tratamento de dados, mas também a preparação de equipes no que diz respeito à responsabilidade e consciência da sensibilidade dessas informações. Na Concentrix, nossos esforços resumidos nestas tendências alocaram-se em iniciativas como a entrega de softwares de comunicação com tecnologia própria direcionados às necessidades de experiência das equipes, na capacitação de sete mil horas dos agentes para integridade de dados e na potencialização do Centro de Automação Cognitiva com bots de conhecimento, assistentes inteligentes e softwares sofisticados de PNL.

O ano de 2020 é também o início de uma década e marca um novo capítulo na história da humanidade, ressignificando o valor da inovação e mudando paradigmas praticados por empresas. Os mais aptos a realizar tais mudanças serão considerados pioneiros e, outros, coadjuvantes, com a única certeza de que essa ordem pode em um curto espaço de tempo ser alterada novamente.

Arthur Gonçalves, principal consultant e head de inovação da Concentrix Brasil, multinacional de soluções de customer experience

Invasões a videochamadas: dicas de proteção contra ataques no Zoom

Diversos casos de invasão a videoconferências no aplicativo Zoom ganharam as manchetes nesta semana. Num deles, o pré-candidato a vereador em São Paulo William De Lucca denunciou que teve uma reunião sua invadida . Segundo a denúncia, os hackers atacaram com discurso de ódio e ainda compartilharam conteúdo de pornografia infantil.

Esses incidentes alertam que o risco do Zoombombing – trolls que interrompem as reuniões com conteúdo ofensivo – continuam, apesar das atualizações anunciadas em junho pela empresa e que prometiam mais segurança contra esses ataques.

A empresa de cibersegurança Kaspersky vem acompanhando o desenvolvimento dos recursos de segurança do app, um dos mais populares para chamadas, e traz algumas dicas de proteção para os usuários.

Confira abaixo algumas recomendações de analista de segurança sênior da Kaspersky no Brasil, Fabio Assolini, para uso mais seguro da ferramenta.

• Crie uma senha forte e exclusiva para a sua conta;

• Habilite a autenticação de dois fatores , o que a torna mais difícil de invadir, mesmo que os dados da sua conta vazem (embora até o momento isso não tenha acontecido).

• Depois de se registrar, além de seu login e senha, você obtém um ID de reunião pessoal. Evite torná-lo público. E como o Zoom oferece uma opção para criar reuniões públicas com seu ID de reunião pessoal, é muito fácil vazar esse ID. Se for descoberto, qualquer pessoa pode participar das suas reuniões, portanto compartilhe essa informação com prudência.

• Como revelado pela Kaspersky em março, criminosos têm criado malware disfarçados de apps populares de videochamadas para disseminar seus ataques. Por isso, use o site oficial do Zoom – zoom.us – para baixá-lo com segurança para Mac e PC e acesse a App Store ou o Google Play para seus dispositivos móveis.

• Não compartilhe links de conferências em mídias sociais, pois é lá que muitas vezes os invasores encontram as informações para invadir as reuniões. Mas se, por algum motivo, você decidir fazê-lo, certifique-se de não ativar a opção Usar identificação de reunião pessoal .

• Proteja toda reunião com uma senha. Isso permite assegurar que apenas pessoas autorizadas possam ingressar na conversa.

• Ative a configuração Sala de Espera, que só autoriza a entrada dos participantes após a aprovação do moderador, e também permite expulsar uma pessoa indesejada da reunião.

• Opte pelo Zoom em seu navegador. Os vários aplicativos clientes do Zoom demonstraram uma variedade de falhas. Algumas versões permitem que hackers acessem a câmera e o microfone do dispositivo; outros permitem que sites adicionem usuários a chamadas sem o consentimento deles. O Zoom foi rápido para corrigir os problemas mencionados, bem como outros semelhantes, e parou de compartilhar dados do usuário com o Facebook e o LinkedIn. No entanto, dada a ausência de uma avaliação de segurança adequada, os aplicativos Zoom provavelmente permanecem vulneráveis ​​e ainda podem empregar práticas duvidosas, como compartilhar dados com terceiros. Por esse motivo, recomendamos o uso da interface web do Zoom, ao invés de instalar o aplicativo no dispositivo, uma vez que essa versão não possui as permissões de um aplicativo instalado, limitando a quantidade de danos que pode causar.

• Em alguns casos, no entanto, ao tentar usar a interface web, você poderá descobrir que o Zoom iniciou o download do aplicativo automaticamente, e não há outra opção para conectar-se à reunião se não concluindo a instalação. Se isso acontecer, recomendamos, ao menos, limitar o número de dispositivos nos quais o app esteja instalado, e que ele seja um dispositivo secundário, sem informações pessoais.

• Em junho, o Zoom anunciou que iria adicionar criptografia de ponta a ponta em todas as videochamadas. No entanto, a empresa ainda não confirmou se a funcionalidade já está disponível para as versões gratuitas. Por isso, para empresas ou pessoas que tratam de assuntos sensíveis, recomendamos que busquem aplicativos que ofereçam comunicação de forma mais seguro (como o Threema e Signal, etc). É importante que o app ofereça criptografia de ponta a ponta, verificação da veracidade de contatos e não utilize logins baseados apenas em números de telefone. Um bom comparativo para escolher um app de comunicação seguro é esse: http://www.securemessagingapps.com/

Positivo Tecnologia é reconhecida por boas práticas de proteção à saúde dos funcionários durante a pandemia

A Positivo Tecnologia foi reconhecida pela Fundação de Vigilância em Saúde do Estado do Amazonas pela implementação de iniciativas que visam preservar a saúde dos colaboradores e minimizar as chances de disseminação da covid-19 nas duas fábricas que a companhia possui em Manaus. Entre elas, a Boreo Indústria de Componentes, voltada para produção de placas e baterias para computadores e celulares da Positivo Tecnologia.

Em fevereiro, antes mesmo da primeira notificação de covid-19 no país, a Positivo Tecnologia criou um comitê para acompanhar as questões relacionadas à pandemia com intuito de garantir o bem-estar dos colaboradores e a normalidade das operações. “Não medimos esforços para oferecer ambientes seguros, aumentar a conscientização das pessoas com relação ao novo coronavírus e garantir o funcionamento adequado das nossas instalações”, afirma Adner Uema, diretor de Recursos Humanos da Positivo Tecnologia.

Em março, a Positivo Tecnologia adotou a prática do home office para colaboradores das áreas administrativas, readequou os espaços e a rotina de trabalho das fábricas, redefiniu horários de início e término das jornadas dos funcionários, instalou telas de acrílico entre as linhas de produção, alterou as escalas de almoço para facilitar o distanciamento físico nos refeitórios e adaptou o buffet para aprimorar o atendimento. Disponibilizou ainda orientação médica, máscaras descartáveis, equipamentos de proteção individual, além de aumentar a quantidade de dispositivos com álcool em gel. Intensificou a rotina de higienização dos ambientes, ofereceu ônibus fretados, estimulou caronas solidárias, aprimorou a ventilação natural dos ambientes, reforçou a comunicação interna para gerar maior conscientização e organizou treinamentos com especialistas sobre cuidados e prevenção da covid-19. Tais iniciativas fizeram com que a Fundação de Vigilância em Saúde do Estado do Amazonas concedesse menção honrosa às fábricas da Positivo Tecnologia e Boreo em Manaus pelas boas práticas de prevenção da covid-19.

“A saúde dos nossos colaboradores é prioridade e adotamos as recomendações da Organização Mundial da Saúde para garantir a segurança de todos. Paralelamente, enfrentamos o desafio de atender à demanda por equipamentos de tecnologia e contribuir para minimizar os impactos da doença na sociedade”, diz Edson Toffoli, diretor industrial da Positivo Tecnologia ao lembrar do apoio da companhia para apoiar o aumento da fabricação de ventiladores pulmonares da Magnamed no Brasil.

Flexibilidade construtiva de motores elétricos beneficia automação industrial

No segmento de equipamentos para automação industrial, como prensas e unidades hidráulicas — que possuem aplicações dedicadas —, os motores devem possuir formas construtivas diferenciadas, para que possam ser fixados conforme a necessidade, podendo em alguns casos utilizar freios, alavancas de alívio e também chapéu de proteção na tampa defletora. “Nesta área de atuação, os motores mais utilizados são da linha IEC, blindados com grau de proteção IP 55, podendo ser aplicados em vários equipamentos”, explica Drauzio Menezes, diretor da Hercules Motores Elétricos (empresa especializada em motores para diversos segmentos, como construção civil, alimentício, agrícola, industrial, entre outros).

Segundo ele, diversas empresas de automação industrial dão preferência a motores com flexibilidade e facilidade de alteração da forma construtiva: “Por isso, na Hercules, fabricamos motores que têm essa multimontagem, oferecendo a possibilidade da caixa de ligação girar de 90 em 90 graus, tendo pés removíveis e linha completa de flanges padrões C-Din – FC – FF. Com peças de reposições disponíveis para compra, tendo a vantagem de serem fabricados em uma empresa 100% nacional, que fornece 24 meses de garantia”.

Além disso, Drauzio Menezes destaca que toda a linha trifásica está dentro do IR3 — índice de rendimento mínimo exigido pelo Brasil, o que gera economia de energia, tendo ainda outros diferenciais: “Como os pés removíveis, carcaça de alumínio — que são resistentes a ambientes corrosivos e salinos —, rolamentos de primeira linha, classe de isolamento F 155 graus, bobinados em fio de cobre e fator de serviço até 1,25”.

Para maior durabilidade dos motores utilizados nos equipamentos para automação industrial, ele explica que são necessários alguns cuidados: “Na manutenção preventiva no equipamento e também nos motores aplicados, devem estar previstas a troca de rolamentos e a avaliação da temperatura ambiente, em que o equipamento será instalado. Lembrando que a ventilação do motor nunca deve ser obstruída, pois poderá causar danos em seu funcionamento e também ao equipamento. Para atender à demanda nesta área de manutenção, a Hercules conta com mais de 500 postos autorizados”, finaliza.

SAP investe R$ 7 milhões em iniciativa de certificações gratuitas de jovens consultores

A SAP Brasil lança a iniciativa SAP Learning for Employment, oferecendo cursos e certificações gratuitamente para capacitar até 4 mil profissionais em tecnologias estratégicas da SAP até o final de 2023. A iniciativa tem o objetivo de oferecer a oportunidade de uma carreira promissora, impulsionando a contratação de jovens certificados por empresas do ecossistema da SAP, incluindo parceiros e clientes. O público-alvo é formado por estudantes de graduação na área de Tecnologia, do Ensino Médio Profissionalizante e do Ensino Superior, a partir de parcerias com o setor privado, setor público e terceiro setor.

A primeira parceria será por meio do programa Minha Chance, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, que inaugura a iniciativa no Brasil. Foram oferecidas 350 vagas, sob a coordenação do Centro Paula Souza, com aulas online para alunos a partir do 4º semestre dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Gestão de Tecnologia da Informação; Gestão Empresarial; Gestão de Produção Industrial; Gestão Comercial; Logística e Comércio Exterior, lecionados para alunos em 12 unidades da Fatec em cidades do Estado de São Paulo: São Paulo (Ipiranga e Zona Leste), São Caetano do Sul, Barueri, Itu, Indaiatuba, Tatuí, Sorocaba, São José dos Campos, Jaú, Piracicaba e Ribeirão Preto.

A solução SAP Business One será a primeira a ser disponibilizada. Trata-se de um sistema de gestão empresarial e relacionamento com clientes voltado para o segmento de pequenas e médias empresas ou filiais de empresas multinacionais com novas operações no Brasil. São empresas que apresentam crescimento acelerado e necessidade de uma gestão estruturada com normas de governança e conformidade.

O Centro Paula Souza criou um curso com duração de 140 horas, que inclui 80 horas de conteúdo online da SAP em português, supervisionado pelos professores da instituição. O curso “Suporte Básico em Sistemas de Gestão Empresarial” vai oferecer uma formação completa, que inclui um módulo de 20 horas de introdução aos conceitos básicos e utilização da plataforma; outro, de 80 horas, dedicado às atividades funcionais, de suporte e gerenciamento sob o ponto de vista de usuário e de TI. Já o terceiro módulo, de 40 horas, encerra ao preparar os alunos para identificar necessidades ou problemas, definir um projeto e suas hipóteses de desenvolvimento e apresentação de propostas para adoção da solução.

Para garantir a maior empregabilidade dos alunos, a iniciativa contará com subsídio integral do valor da prova de certificação SAP para os estudantes que completarem todas as etapas do curso com êxito, incluindo a apresentação final, de acordo com os critérios do Centro Paula Souza e da SAP. Este é um grande diferencial em relação a outras iniciativas de capacitação profissionalizante.

Ao término do curso e com as certificações conquistadas, a SAP, com apoio de sua área de RH, fará um Speed Recruiting, um hackathon para colocar em contato estes jovens consultores e o grande ecossistema de parceiros. No evento, programado para o início de 2021, as entrevistas e contratações podem acontecer de forma rápida e assertiva em um momento de esperada retomada da economia.

A escolha do conteúdo para esta primeira parceria levou em consideração a alta demanda por consultores certificados e usuários especializados em Business One. Além disso, por ser uma solução global, possibilitará uma jornada de formação dinâmica e que trará uma base sólida para o profissional expandir seu conhecimento em outras soluções verticalizadas e outras plataformas de integração, que suportam a transformação digital de empresas de qualquer porte.

A SAP já tem uma série de iniciativas voltadas para incentivar que mais estudantes se interessem desde cedo pelas disciplinas relacionadas ao universo STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) e que inclui atividades de formação com parceiros do terceiro setor e outras lideradas pela própria SAP, em São Paulo e no SAP Labs, em São Leopoldo (RS). “Acreditamos que oferecer a opção de uma promissora carreira em tecnologia trará grandes oportunidades a estes jovens não só pelo potencial de desenvolvimento, mas no impacto positivo no seu entorno também. Existem estudos que indicam que a demanda por mão de obra qualificada só tende a crescer nos próximos anos e que haverá escassez”, destaca Carolina Bastos, vice-presidente de Ecossistemas e Canais da SAP Brasil. “Por mais de 47 anos, e 25 no Brasil, a SAP impulsionou a inovação em nome de nossos clientes para ajudar o mundo a funcionar melhor e melhorar a vida das pessoas. Esta iniciativa tangibiliza este propósito”, completa.

“O grande objetivo dos cursos desenvolvidos no Minha Chance em parceria com empresas como a SAP é a qualificação para os estudantes com cursos que estejam alinhados com a demanda do setor produtivo e o futuro do mercado de trabalho. Os alunos que concluírem o curso e forem aprovados na prova de certificação contarão com um amplo ecossistema de parceiros e clientes como seus prováveis empregadores”, explica Pedro Brasileiro, consultor do Programa Minha Chance, da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo.

Continuidade

A próxima fase da iniciativa SAP Learning for Employment está prevista para começar em 2021 e deverá incluir novos conteúdos, como SAP Cloud Platform, focado em desenvolvimento e integração, que contempla tecnologias emergentes como Internet das Coisas (IoT), e o SAP S/4HANA, software que está no centro da estratégia da empresa inteligente. Também está prevista a expansão de parcerias com outras instituições e, eventualmente, em outros estados.

IBM atinge seu maior Volume Quântico até o momento

A IBM anunciou um novo marco em seu road map de computação quântica, alcançando seu maior Volume Quântico até o momento. Combinando uma série de novas técnicas de software e hardware para melhorar o desempenho geral, a IBM aprimorou um de seus mais recentes sistemas de 27 qubits, desenvolvido para um cliente, para atingir um Volume Quântico de 64 unidades. A empresa já disponibilizou um total de 28 computadores quânticos nos últimos quatro anos por meio do IBM Quantum Experience.

Para alcançar a Vantagem Quântica, o ponto em que certas tarefas de processamento de informações podem ser realizadas de forma mais eficaz ou econômica em um computador quântico em comparação com um computador clássico, são necessários circuitos quânticos aprimorados, que são os blocos de construção das aplicações quânticas. O Volume Quântico mede o comprimento e complexidade dos circuitos: quanto maior o Volume Quântico, maior o potencial para explorar soluções para problemas do mundo real em todas as áreas da indústria, governo e pesquisa.

Para atingir este marco, a empresa se concentrou em um novo conjunto de técnicas e aprimoramentos que usaram o conhecimento do hardware para executar de forma otimizada os circuitos do Volume Quântico. Esses métodos de hardware são extensíveis e irão aprimorar qualquer circuito quântico em qualquer sistema IBM Quantum, resultando em melhorias nos experimentos e aplicativos que os usuários podem explorar. Essas técnicas estarão disponíveis em lançamentos e atualizações futuras para os serviços do software IBM Cloud e kit de desenvolvimento de software (SDK) de plataforma cross e de código aberto Qiskit .

“Estamos sempre à procura de novas maneiras para estender os limites dos nossos sistemas para que possamos operar circuitos quânticos maiores e mais complexos e alcançar uma Vantagem Quântica mais rapidamente”, explica Jay Gambetta, IBM Fellow e Vice-presidente de IBM Quantum. “A abordagem full-stack da IBM oferece uma maneira inovadora de desenvolver aplicativos, algoritmos e circuitos voltados para o hardware, todos rodando na maior e mais poderosa linha de hardware quântico da indústria.”

O time de IBM Quantum compartilhou detalhes sobre melhorias técnicas feitas ao longo de toda a plataforma para atingir o Volume Quântico de 64, em um comunicado no arXiv .

Principais fatos sobre IBM Quantum

• A IBM atingiu o Volume Quântico de 64 em um sistema de 27 qubits implementado no IBM Q Network;
• 28 sistemas de computação quântica foram implementados na nuvem IBM nos últimos quatro anos, sendo 8 deles com volume quântico de 32;
• O IBM Q Network tem 115 membros entre clientes, governos, startups, parceiros e universidades;
• Existem mais de 250.000 usuários registrados no IBM Quantum Experience;
• Os usuários normalmente executam mais de 1 bilhão de circuitos de hardware por dia em sistemas IBM Quantum na IBM Cloud;
• Pesquisadores já publicaram mais de 250 artigos baseados nos trabalhos com sistemas IBM Quantum.

Crédito consignado – alternativa ou armadilha?

Como resultado da crise financeira em decorrência da pandemia do COVID-19, muitos trabalhadores estão com problemas financeiros, contudo, a situação se agrava para os que solicitaram crédito consignado antes desse período.

“O crédito consignado é uma modalidade de empréstimo na qual o trabalhador vincula o pagamento ao seu salário, ou seja, as parcelas são descontadas antes mesmo do dinheiro cair na conta. O lado positivo é que isso faz com que os juros sejam menores, já o lado negativo é que se tem uma dificuldade muito maior em negociar em momentos extremos como a atual”, explica o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos.

Essa dificuldade já vem sendo sentida pelos trabalhadores da iniciativa privada, sendo que os bancos já anunciaram medidas para postergar os prazos de empréstimos e financiamentos, contudo, na maioria dos casos o consignado ficou de fora desses benefícios.

“Resta ao trabalhador que está passando por dificuldade buscar a área de recursos humanos e a instituição bancária e procurar uma alternativa individual nesse momento, contudo o caminho não é simples, sendo que vivemos um período de grande risco”, alerta Domingos.

Ainda em relação a essa linha de crédito, a grande preocupação fica para quem foi demitido. A notícia boa é que a Lei 14.020, que regulamentou a suspensão de contrato e redução de jornada durante a pandemia, permitirá que trabalhadores nessa situação possam renegociar seus empréstimos consignados, financiamentos e cartão de crédito com desconto em folha.

Essa medida terá validade até 31 de dezembro deste ano (período de calamidade pública) para todos os empregados e não somente aqueles que assinaram acordos individuais.

Tomar esse crédito?

Contudo, os problemas relacionados ao crédito consignado vêm antes mesmo da pandemia sendo que esse modelo de crédito estava crescendo muito se tornando uma das principais formas de endividamento da população. O resultado são recordes de inadimplência, portanto é preciso tomar muito cuidado na hora de utilizar essa linha de crédito.

E diante a crise ainda se tem muitos trabalhadores querendo tomar essa linha de crédito, para esses o presidente da ABEFIN preparou dez orientações que devem ser levadas em conta:

• É importante conhecer a sua real situação financeira antes de tomar qualquer crédito, fazendo um diagnóstico financeiro, descobrindo para onde vai cada centavo do dinheiro durante o mês e registrando as dívidas caso existam.

• Não permita que este empréstimo e que os problemas financeiros reflitam em seu desempenho profissional, pois será muito mais complicado pagar as contas sem nenhum salário.

• Antes de buscar pelo crédito consignado é preciso ter consciência de que o custo de vida deverá ser reduzido em até 30% do ganho mensal, isto porque a prestação deste reduzirá o seu ganho mensal diretamente em seu salário ou benefício de aposentadoria.

• A opção do crédito consignado é muito usada para quitação de cheque especial, cartão de crédito e financeiras, porém a troca simplesmente de um credor por outro, sem descobrir a causa do verdadeiro problema, apenas alimentará o ciclo do endividamento.

• A linha de crédito consignado pode ser bem utilizada, mas não deve fazer parte da rotina de um assalariado ou aposentado. Sua utilização deve ser pontual e ter um objetivo relevante.

• Tem sido comum o empréstimo do nome à terceiros por parte de aposentados e até mesmo funcionários, mas este procedimento é prejudicial a todos, por isso, deve ser proibido.

• Caso encontre taxas de juros mais baixas, a portabilidade também deste crédito é necessária. Para os funcionários o caminho será falar com a área de Recursos Humanos, para os aposentados as possibilidades são inúmeras, é preciso pesquisar.

• Os juros também são um grande perigo. Mesmo com taxas baixas, a cada ano esses valores representam um quarto do valor total emprestado. Exemplo: R﹩ 1.000,00 emprestados pagará R﹩ 250,00 de juros por ano.

Domingos ainda recomenda: “para quem quer tomar o crédito consignado, antes mesmo de assinar o contrato com a instituição financeira, é importante fazer uma boa reflexão e analisar se este valor, que será descontado diretamente no salário ou benéfico, não fará falta para os compromissos essenciais mensais”, finaliza.

Mercado imobiliário cresce com facilidades comerciais, vendas digitais e menores juros da história

Mesmo em um cenário adverso, as empresas da construção civil se surpreenderam com a continuidade e, até mesmo, com o aumento das vendas. A MRV, por exemplo, segue com crescimento. Somente nos três primeiros meses deste ano, a companhia vendeu 10.493 unidades habitacionais em todo o país, um acréscimo de 27,9% frente ao mesmo período de 2019. O segundo trimestre teve números ainda mais positivos com 11.479 unidades vendidas, 37,4% a mais que o mesmo período do ano passado.

O cenário segue favorável para quem quer investir ou realizar o sonho da casa própria. Além da inflação controlada, juros baixos e opções variadas de financiamento, o consumidor ainda se depara com facilidades e promoções das empresas. A MRV, que é hoje uma plataforma de soluções habitacionais líder da América Latina, realiza neste mês o Feirão Digital e conta com descontos em várias unidades, entrada em até 48 vezes e parcelas menores que o aluguel.

“Todo nosso estoque está com condições especiais e com a menor taxa de juros da história. Apesar da pandemia e suas consequências, esse é um momento favorável para o comprador de imóvel. Com essa ação, queremos estimular e ajudar ainda mais quem já vinha planejando a compra de um imóvel”, fala Rodrigo Resende, diretor de marketing e novos negócios da MRV.

A grande parte das pessoas que já vinham se planejando para a compra da casa própria não mudou de ideia. Dos brasileiros que pensavam em adquirir um imóvel, 22% efetivaram a compras em junho, segundo pesquisa realizada pela consultoria BRAIN Inteligência Estratégica. Isso equivale a seis pontos percentuais a mais que março, e três pontos percentuais maior que abril, meses iniciais da pandemia.

Outro ponto que contribuiu para o sucesso das vendas foi a digitalização do processo. A MRV em março expandiu a atuação de sua plataforma de venda digital para todas as mais de 160 cidades onde atua. A ferramenta possibilita realizar toda a jornada de compra de um apartamento em poucas horas, sem sair de casa.

“De forma remota o cliente pode fazer o tour virtual por todas as unidades à venda, escolher o condomínio e o apartamento que deseja, enviar a documentação, realizar a simulação e a aprovação de crédito, negociar a proposta de compra e assinar o contrato digitalmente. Tudo isso é acompanhando de forma online por um consultor de vendas”, explica Resende.

Covid-19: A transformação da indústria na dimensão do futuro

Por Anita Dedding

Empresas que estavam tendo bons resultados com retomada da economia, com crescimento de 1,2% do PIB em 2019, com reformas importantes, melhores indicadores e ainda com uma agenda positiva, agora enfrentam uma brusca mudança no cenário, exigindo agilidade dos seus executivos de empresas na tomada de decisão, para enfrentar as deteminações do governo,  para a preservação da saúde, seguindo as orientações da OMS.

Com a disseminação mundial de uma nova doença, o COVID-19 está provocando nas sociedades onde se incluem as empresas, uma corrida para a imunização e o enfrentamento contra o coronavírus, levando a transformações no ambiente social e de trabalho, criando novos valores, junto com a consolidação de uma imagem positiva e forte frente o atual cenário. No ambiente de trabalho estão sendo experimentadas novas formas do senso de pertencimento organizacional, levando a novos olhares sobre a avaliação da eficiência, o desempenho, a motivação e principalmente sobre o comprometimento de cada colaborador. 

Home office, um ambiente digital, um dos protocolos a serem seguidos pelas empresas, para a segurança dos colaboradores para evitar contágios, foi adotado como solução emergencial, o trabalho remoto subsequente ao início da pandemia foi abrupto, configurando a principal mudança nas relações de trabalho esse ano. Essa solução tem se mostrado bastante efetiva, e está sendo um dos maiores desafios para empresas manter um novo modelo de gestão, junto ao seu maior ativo, o capital intelectual, motivado. Esse ambiente deve oferecer possibilidade para dar continuidade aos trabalhos da empresa, com infraestrutura necessária, flexibilidade pela interferência normal de um ambiente residencial e ainda com um controle eficaz das atividades e dos processos em execução.

A fusão casa/trabalho, uma realidade hoje, onde atividades profissionais se confundem com atividades prazerosas e o lazer em um único ambiente. Cuidados trabalhistas, desgastes familiares, jornadas de trabalho excessivas, saúde dos colaboradores, comprometimentos, devem fazer parte da agenda do RH da empresa.

Como benefício as empresas vivenciam uma aparente diminuição de conflitos internos, um ambiente harmonioso e favorável para a realização de trabalhos individuais ou conjuntos, onde um grupo pode interagir online, na elaboração e revisão de documentos, pareceres, estudos, entre outras atividades.

Para a indústria madura e tradicional, calcada em processos e tecnologia, oportunidades se desenham para torná-las dinâmicas, voltadas para a inovação, consequentemente preparadas para a grande mudança. As empresas precisam estar conscientes de que não existe mais um único caminho a percorrer, devem vislumbrar uma atuação o mais amplo possível, visando sua atualização, modernização, e foco na sua diferenciação no mercado. Existirá sempre muitas formas de envolver as diversas áreas técnicas e expertises junto com toda a infraestrutura instalada nas empresas, para ampliar e criarem novas possibilidades de negócios, produtos e serviços, tendo nas pessoas, as suas contribuições nessa jornada de renovação. As pessoas em situações adversas, se sentem desafiadas, se unem, tornam-se mais humildes na sua interação e articulação, para buscarem soluções de superação.

Com a pandemia, as indústrias estão ficando mais adaptativas, precisam avaliar e investir em novas tecnologias, diante do momento em que estão vivendo, um ambiente desconhecido e incerto e ainda precisam sair de forma fortalecida para um uma mudança de paradigma, um novo futuro no mercado.

Para isso as organizações romperão barreiras culturais, organizacionais e buscarão um novo modelo de liderança, de forma a acompanhar a transformação da economia com mudança em hábitos de consumo, com adoção acelerada do comércio sem contato físico, crescimento de serviços públicos digitais, junto com a transformação digital, uma nova maneira de pensar, uma nova mentalidade estratégica, mais do que que da infraestrutura de TI. A Transformação Digital está voltada sobretudo, aos principais fatores: Clientes, Competição, Dados, Inovação e Valor.

Diante disso, a mudança não é mais uma opção, sem inovação não será possível responder de forma rápida e construtiva, sendo necessário a valorização do trabalho em rede, de um ambiente de cooperação, a utilização do Marketing Digital, E-Commerce, Varejo Digital, entre outros recursos, ferramentas em alta no momento, e devem estar no planejamento da retomada em um cenário em transformação.

Esta nova realidade vai transformar a empresa, o mercado, os seus clientes e os seus parceiros de negócios. E não há porque acreditar que a sua empresa não será transformada.

Anita Dedding, Gerente Divisional de Tecnologia Industrial da ABIMAQ

Kearney abre processo para seleção remota de estagiários em Data Analytics

A Kearney, uma das maiores consultorias globais de gestão de negócios, com mais de 95 anos de trajetória, abriu inscrições para o seu processo seletivo para estudantes de graduação. A companhia, que há 25 anos atua junto a grandes corporações no Brasil, oferece oportunidades de estágio em Data Analytics neste semestre.

Este ano, devido ao cenário imposto pela pandemia da Covid-19, a Kearney adequou todo o processo seletivo, substituindo o tradicional roadshow por webinars e etapas presenciais por fases online.

O perfil elegível ao processo considera candidatos com conhecimentos em ciência de dados e formatura de graduação entre dezembro de 2021 e dezembro de 2022.

Pietro Alves, recrutador da Kearney, destaca que a empresa busca estudantes que possuam contato com Data Analytics, Análises Preditivas e Problemas de Otimização. “Acreditamos no potencial dos estudantes de graduação que já estejam familiarizados com o tema. Caso qualquer candidato tenha dúvidas sobre o seu nível de domínio, encorajamos a participação. Teremos a oportunidade de avaliar os desempenhos individualmente ao longo das etapas”, sugere.

A companhia não restringe os cursos. O processo é aberto a estudantes de qualquer curso e escola – desde que se enquadrem no perfil de formatura proposto e tenham o conhecimento nessa área específica.

“O processo teve suas etapas adaptadas às necessidades impostas pelo isolamento social, mas seguirá uma estrutura semelhante à do modelo convencional”, explica Sandra Strongren, gerente sênior de Recursos Humanos da Kearney no Brasil. Pietro explica que o processo seletivo não contará com a dinâmica em grupo, etapa tradicional da segunda fase do recrutamento on campus da Kearney, mas trará uma etapa com um assessment em Analytics aliado a uma entrevista técnica, seguidos de entrevistas com resolução de caso até a fase final.

Inscrições

Os interessados em conhecer um pouco mais da consultoria e participar do processo seletivo devem fazer suas inscrições através do site http://bit.ly/kearneypainelvagas até o dia 10/09.

Os primeiros webinars acontecem ainda em agosto. O primeiro deles está marcado para o dia 26 de agosto, às 18h (http://bit.ly/kearney26ago – senha: kearneywebinar1). O segundo acontece em 28 de agosto, às 12h (http://bit.ly/kearney28ago – senha: kearneywebinar2). Os interessados já podem clicar nos links e adicionar os lembretes em sua agenda através do botão “Add to my calendar”. Na última semana de inscrições, a companhia ainda fará mais duas sessões de webinar, nos dias 8 e 9 de setembro.

Recrutamento online

Desde o início do isolamento social, em março deste ano, a Kearney já está em seu terceiro processo de seleção e somou nove novos estagiários ao seu quadro de consultores.

Estudo da IBM mostra que estudantes brasileiros acreditam que inteligência artificial impactará suas carreiras, mas se sentem despreparados

Um novo estudo da IBM (NYSE: IBM) e Morning Consult1 revela que os adolescentes sabem que a Inteligência Artificial (IA) e a ciência de dados irão impactar suas carreiras, mas se sentem despreparados para trabalhar com essas tecnologias. A maioria (70%) dos alunos entrevistados no Brasil, com idades entre 14 e 18 anos, acredita que a IA terá um impacto grande ou muito grande em sua vida e carreira, mas apenas 41% deles disseram que se sentem devidamente equipados para usá-la.

A pesquisa pediu aos adolescentes que classificassem seu conhecimento sobre tecnologias emergentes, bem como sua disposição para aprender mais sobre elas e interesse em carreiras em tecnologia. Cerca de 66% dos alunos afirmaram estar interessados em seguir carreira em tecnologia, porque consideram que a maioria dos empregos exige o uso de tecnologia. E enquanto a maioria (59%) estava interessada em tecnologias emergentes como nuvem e cibersegurança, IA é a que mais desperta a atenção entre os jovens. Mais de 65% dos estudantes brasileiros disseram que estavam interessados em aprender mais sobre inteligência artificial.

Segundo a UNESCO, mais de 146 milhões de alunos na América Latina continuam a ser afetados pela interrupção das aulas presenciais, em decorrência da COVID-19, o que aumenta ainda mais a lacuna no desenvolvimento de competências voltadas para as necessidades do mercado de trabalho. Para ajudar a preparar a próxima geração de líderes de tecnologia com o conhecimento necessário sobre IA para trabalhar com a ferramenta de maneira responsável, a IBM está anunciando dois novos recursos online gratuitos que oferecem os fundamentos para professores e alunos:

• Educação em IA disponível no Open P-TECH: A ISTE (Sociedade Internacional para Tecnologia em Educação) e a IBM desenvolveram um novo curso online onde os usuários podem ganhar um certificado digital de educação em inteligência artificial ao explorar conceitos por trás dos sistemas de IA, considerar suas implicações éticas, revisar aplicativos de ferramentas e muito mais. O curso está disponível no Open P-TECH, plataforma de educação digital gratuita da IBM que oferece conteúdos em português e leva skills digitais e profissionais a 250 mil alunos em todo mundo. Saiba mais aqui.
• IBM AI Education: É um pacote de aprendizado profissional online em parceria com MindSpark, que contempla webinars gratuitos elaborados por e para educadores. Nove institutos orientam educadores do ensino fundamental e médio por meio dos conceitos básicos da IA e conexões de sala de aula, com tópicos que incluem introdução à IA, processamento de linguagem natural, ética e robótica. Educadores também terão a chance de ganhar um selo digital IBM AI Foundations for Educators e se tornarem equipados para compartilhar o conhecimento básico de inteligência artificial com seus colegas e alunos. Saiba mais aqui.

“Tecnologias como IA, nuvem e segurança cibernética estão desempenhando um papel fundamental na educação e promovem mudanças significativas nas formas tradicionais de ensino e aprendizagem. O avanço da tecnologia está acelerando e devemos nos concentrar em fornecer aos alunos e professores acesso a ferramentas e conteúdo de qualidade para que a oportunidade e o crescimento profissional sejam pervasivos em nossa sociedade”, disse Tonny Martins, gerente geral da IBM Brasil.

A pesquisa e o novos cursos se somam aos esforços existentes de Responsabilidade Social Corporativa da IBM para aprimorar o conhecimento de jovens estudantes na América Latina. Por exemplo:

• Fundação Bradesco e Open P-TECH: a Fundação Bradesco, que há mais de 60 anos desenvolve um amplo programa socioeducacional, selecionou o Open P-TECH para proporcionar aos seus alunos do ensino médio da Unidade de Campinas conteúdos sobre skills digitais e profissionais. Além disso, os conteúdos de Open P-TECH também estão disponíveis aos alunos da Escola Virtual, que oferece cursos on-line inteiramente gratuitos há quase 20 anos, em áreas como Administração, Contabilidade e Finanças, Desenvolvimento Pessoal e Profissional, Educação e Tecnologia. Atualmente, a Escola Virtual está com mais de 3 milhões de alunos cadastrados em sua plataforma.
• Junior Achievement Américas e Open P-TECH: a IBM anunciou uma colaboração com a Junior Achievement Américas que treinará 5 mil alunos de 10 países latino-americanos em tecnologias inovadoras e habilidades profissionais usando a plataforma digital.
• Cisco + IBM Alliance for Virtual Class Continuity: IBM e Cisco estão ajudando instituições educacionais a continuar suas aulas regulares usando a plataforma Cisco WebEx e o conhecimento de voluntários IBM. Mais de 9.300 professores e educadores foram treinados, atingindo mais de 164 mil alunos em toda a região.

1 A pesquisa foi realizada entre 6 de janeiro e 5 de fevereiro de 2020 e teve a participação de cerca de 3.635 alunos do ensino médio (não universitários) com idades entre 14 e 18 anos em vários países, incluindo o Brasil. A pesquisa foi global e encomendada pela IBM à Morning Consult.

 

Agricultura digital brasileira: avanço e desafios

A digitalização do campo no Brasil tem avançado significativamente nos últimos anos. Se antes o digital era visto como de nicho e vanguarda, hoje vem sendo adotado por produtores de diferentes portes, culturas e regiões do país. De acordo com Ronaldo Giorgi, Diretor de Agricultura Digital da Syngenta no Brasil, a jornada digital começou pelos grandes grupos mais tecnificados, como as usinas de cana-de-açúcar e os cotonicultores. Atualmente, o cenário é outro, com o adendo de novas tecnologias, como plantadeiras e colheitadeiras com ferramentas digitais integradas, sistemas de monitoramento de lavoura, ferramentas de gestão financeira, soluções de imageamento, entre muitas outras.

Apesar dos avanços, Ronaldo aponta dois desafios ainda presentes na digitalização do agro brasileiro. “Primeiro, há um problema de cobertura de sinal de internet nas lavouras. O outro fator é a falta de mão de obra qualificada”, explica. Além disso, ele explica como a Syngenta Digital tem buscado superá-los. “Para superar a falta de cobertura, temos desenvolvido soluções que operem offline e que sincronizem as informações quando os dispositivos chegam a um local com cobertura. Em paralelo, temos buscado apoiar os produtores na jornada de transformação com nosso time de especialistas e temos disponibilizado treinamentos, como o Digital Academy, para melhor prepará-los”.

Uma das tecnologias que contribui para a expansão do mapa da agricultura digital no Brasil é o Cropwise Protector. Utilizado por mais de 2.500 produtores brasileiros, presentes em 4,5 milhões de hectares, o sistema coleta dados da lavoura e os transforma em diagnósticos para o gerenciamento remoto das lavouras, podendo, inclusive, ser usado de modo offline. Esta tecnologia dá suporte à tomada de decisão pelos produtores, além de melhorar a gestão e a sustentabilidade da agricultura.

Outro projeto que tem contribuído para a expansão digital, sobretudo entre pequenos e médios produtores, é o Controle Certo. O programa é oferecido pela rede de distribuidores e cooperativas parceiras da Syngenta, que presta o apoio técnico para agricultores sem equipes especializadas em monitoramento. O serviço inclui o uso da tecnologia do Cropwise Protector e mão de obra qualificada para o monitoramento das lavouras. “Esse formato tem ajudado a difundir a tecnologia de norte a sul do Brasil. Na safra passada, foram mais de 1 milhão de hectares monitorados, auxiliando os produtores na coleta de dados e na tomada de decisão”, destaca Thais Andrade, Gerente Regional de Transformação Digital da Syngenta Digital.