Page

Author admin

Reserva investe na TROC, startup de moda circular

O Grupo Reserva anuncia o investimento na TROC, startup curitibana de revenda online de roupas e acessórios premium. A combinação entre as empresas possibilitará que a TROC entre no mercado de moda masculina e que a Reserva faça parte da moda circular por meio da plataforma batizada de TROC RAAS – solução de logística reversa, que viabiliza empresas a transformarem roupas sem uso de seus consumidores em desconto para novas compras em suas lojas. O investimento dará continuidade no foco de sustentabilidade do Grupo e na aproximação de importantes startups.

Seguindo esse compromisso sustentável, a Reserva anuncia outra novidade, o lançamento de sua coleção de peças feitas a partir do upcycling de sobras de tecido da produção nas fábricas.

Para o CEO do Grupo Reserva, Rony Meisler, o investimento na TROC está totalmente ligado ao propósito compartilhado das duas empresas. “Nós acreditamos que a moda do futuro é circular e sustentável. Hoje nós temos orgulho de anunciar essa parceria rumo a um futuro cada dia mais consciente, juntando nossas expertises para tirar do papel a economia circular, conectando esse propósito com os nossos consumidores e tornando real essa oportunidade”, afirma Meisler.

A Reserva Mini foi a primeira marca do Grupo a estrear o serviço e após um mês de sucesso do novo projeto, a Reserva também inicia como parte da solução para um futuro mais sustentável no varejo. Para a TROC, a entrada da Reserva representa um novo nicho de atuação, pois a empresa inicia uma nova fase de vendas de roupas para o público masculino no brechó. Desde 2016, eram vendidas apenas peças para o público feminino e infantil.

Segundo a fundadora e CEO da TROC, Luanna Toniolo, a marca está em seu melhor momento e o investimento estratégico chega para a marca alcançar ainda mais rapidamente seus objetivos. “O mercado de revenda no Brasil está apenas iniciando e tem um potencial gigante pela frente. Estamos nos estruturando estrategicamente para continuar crescendo de forma consistente e coerente com nossos propósitos”, comenta a empresária.

Upcycling

O termo em inglês se refere a técnica que busca, com criatividade, dar um novo e melhor propósito para um produto ou material que seria descartado, sem degradar a qualidade e composição do material. Um item que passou pelo upcycle normalmente possui uma qualidade igual ou melhor que a de seu original. É exatamente isso que a Reserva aposta lançando a linha de peças feitas a partir do reuso das sobras de tecido em suas fábricas que estarão disponíveis no site e nas lojas física.

“Com o upcycling e a entrada da Reserva para TROC RAAS, atingimos o ciclo completo da moda circular oferecendo uma solução única e sustentável para os clientes brasileiros”, explica o CEO, Rony Meisler.

Com pólo, camiseta e bermuda, a Linha Reserva Circular fortalece o compromisso da empresa com processos de produção sustentáveis e que impactam o planeta o menos possível. A produção da linha é desenvolvida a partir de sobras de tecidos nobres. Em vez de descartados, os tecidos foram reciclados, passando pelo processo de serem desfibrados e tecidos novamente, dando novo significado ao que seria lixo. As peças oferecem conforto, com leveza e toque macio. Já a aparência é rústica, que lembra que essa peça tem uma história.

Tags,

Gigante do varejo catarinense, Koerich aposta no mercado financeiro digital

O Koerich, que figura entre as maiores varejistas de Santa Catarina, lança no mercado o primeiro aplicativo financeiro do varejo catarinense. O Konta traz a confiança do cartão de crédito Koerich, com o mais novo app financeiro do mercado. “O Konta é uma verdadeira revolução na prestação de serviços para os nossos clientes. É o primeiro, e único, aplicativo financeiro de uma rede de varejo catarinense”, explica o diretor comercial, Ronaldo Koerich.

Inicialmente, o app estará disponível para a base de clientes da empresa, que possuem o cartão de crédito do Koerich. “Trabalhamos durante um ano no KLAB, nosso laboratório de inovação que está inserido no ecossistema de inovação de Santa Catarina. Para o desenvolvimento do Konta, realizamos um mapeamento de processo dentro das nossas lojas, e sentimos a necessidade de trazer ainda mais empoderamento ao nosso cliente. Assim, nasceu o Konta, um aplicativo totalmente intuitivo, onde o cliente pode acessar suas informações financeiras na palma da mão”, explica Ronaldo.

No Konta, o cliente pode visualizar o seu saldo, o extrato das compras, suas próximas faturas, realizar pagamentos, solicitar saques e empréstimos e realizar a retirada nas lojas. É mais um passo no processo de integração dos canais do Koerich, é loja, site e app, fazendo com que o cliente tenha uma maior experiência com a marca. Com o Konta o cliente pode escolher seu produto, acionar seu vendedor e realizar todo o processo de compra, desde a escolha do produto até o pagamento, totalmente de forma online, sem precisar ir até a loja, toda operação em conjunto. “O Konta é cartão de crédito, é aplicativo, é físico, é digital, é escolha, é facilidade. O Konta é o novo, nele o cliente faz uma compra, ele paga uma conta, é dinheiro na conta, na hora e sem burocracia. E mais, é sem anuidade e sem taxas”, justifica o diretor comercial do Koerich.

Essa migração para o ambiente digital vem com o direcionamento da empresa em investir em todos os canais para que o cliente possa decidir onde comprar, ampliando o processo de experiência do consumidor. A digitalização dos serviços financeiros do Koerich iniciou em 2015 quando a empresa completou 60 anos, lançou seu cartão de crédito com bandeira própria. Nestes últimos anos, ampliou seu relacionamento com startups e investiu no desenvolvimento de processos tecnológicos para, com suporte financeiro da Kredilig, entrar no universo das finchtecs. “Nosso objetivo é, cada vez mais, oferecer facilidades aos clientes, independente de vender mercadorias, um processo de evolução da empresa, uma experiência construída com base em nosso DNA”, comenta Koerich.

Quando questionado sobre qual o limite do projeto e a perspectiva de ampliação do universo de clientes, Ronaldo é categórico. “Nossa evolução depende do tamanho dos nossos sonhos. Nosso projeto é maior, global, caminha na direção de um banco digital, o banco da nossa gente, feito e pensado para as necessidades dos catarinenses, mas, que a médio prazo, também estará à disposição de todos os brasileiros.

O app já está disponível para download, gratuitamente, para android e ios. O aplicativo do Koerich foi criado no KLAB e desenvolvido em parceria com a Evoluum, startup especializada em soluções em TI. A Parceria entre as empresas aconteceu por meio do LinkLab, programa de inovação aberta da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) que conecta startups a grandes e médias empresas. O Koerich é uma das corporates patrocinadoras do programa.

Marcelo de Souza Vieira, CTO da Evoluum, explica que o Koerich tinha o desafio de construir um aplicativo que permitisse ao cliente Koerich o primeiro contato com “era digital”, ele precisa ser simples,  e ao mesmo tempo, fazendo com que o cliente tivesse um canal de comunicação único e completo. Para isso, buscava parceiros que pudessem ajudar na execução do projeto. “Montamos um time com profissionais do KLab e a da Evoluum para desenvolver o produto, focando no processo de desenvolvimento colaborativo”.

Tags,

Softex anuncia nova gerente de internacionalização

Ana Beatriz Pires é a nova gerente de internacionalização da Softex, entidade implementadora das políticas públicas do Governo Federal.

Nesta função, Ana Pires coordenará importantes iniciativas da Softex nesta área, entre as quais o Projeto Setorial Brasil IT+, o maior e mais abrangente plano de internacionalização competitiva de empresas desenvolvedoras de software e prestadoras de serviços de TI já realizado no país e desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Em 2019, o projeto contou com a participação de 191 empresas, que foram responsáveis pela geração de uma receita de US$ 681 milhões em exportação de software e serviços, o equivalente a 32% do total exportado pelo setor.

“Queremos crescer a presença internacional de nossas empresas. Vamos buscar mercados no exterior e fazer um match com as companhias brasileiras para viabilizar uma maior aderência ao processo de internacionalização, de acordo com os seus produtos e com a sua cultura”, explica Ana Pires.

Com uma experiência profissional diversificada, abrangendo o desenvolvimento de pessoas e de negócios, Ana Pires atuou por mais de dez anos nos Estados Unidos, onde concluiu mestrado em Business pela Bellevue University e teve a oportunidade de criar projetos e programas em diversos países. Atuou nas áreas de marketing, vendas, treinamentos, compliance, financeiro e com B2C e B2B com o foco no entendimento das necessidades de cada cliente. Sua formação profissional inclui, ainda, Marketing, Recursos Humanos e Project Management pela INSPER e, atualmente, está cursando AI for Business na I2A2 – Institut d’Intelligence Artificielle Appliquée.  

Gerente de projetos e parcerias da Softex desde 2013, Ana Beatriz Pires tem assessorado pessoas e empresas em todo o Brasil a atingirem suas metas e objetivos. Sua experiência internacional a levou a atuar na conexão do Brasil com universidades, Governo, ONGs e NGOs, empresas, aceleradoras e incubadoras das mais diversas partes do mundo.

everis contrata talentos de TI para Hub Digital em Santa Catarina

Com as empresas investindo cada vez mais em transformação digital para aperfeiçoar seus modelos de negócios e oferecer experiências mais interessantes e satisfatórias aos clientes, a everis , consultoria multinacional de negócios e TI, está em plena expansão dos seus serviços no Brasil e contratando novos talentos, especializados em processos e tecnologias disruptivas para funções diversas.

“Por trabalharmos em total sinergia com os cientes, auxiliando-os a transformar seus negócios para oferecer melhores e mais inovadores produtos e serviços aos seus consumidores, temos conseguido expandir nossa atuação nacional, o que nos motiva a buscar talentos em todas as regiões do País. Nós identificamos Santa Catarina como um importante polo de formação e aperfeiçoamento de talentos e decidimos focar no estado neste primeiro momento”, afirma Ricardo Neves, CEO da everis. Nos próximos meses a everis continuará avaliando outros estados com ecossistemas de inovação para iniciar processos de seleção de talentos para formação de novos Hubs Digitais no País.

Para iniciar esse novo processo de contratação no Estado de Santa Catarina, a everis fez uma análise do mercado nacional para verificar quais estados possuíam ecossistemas de tecnologia, com formação de mão-de-obra qualificada e interessada em trabalhar com ferramentas tecnológicas disruptivas. “Estamos procurando talentos recém formados e capacitados, e dispostos a investir em aperfeiçoamento constante para trabalharem como desenvolvedores, analistas, arquitetos, engenheiros, gerentes e diretores, enfim para todos os níveis de nossa organização”, informa Neves.

O CEO também acrescenta que, inicialmente, a everis tem interesse em contratar profissionais com experiência em Big Data, Mobile, tecnologias de front-end e full stack digitals, bem como em microsserviços e plataformas como Salesforce, ServiceNow, OutSystems, entre outras. “Nós somos uma grande companhia multinacional, integrante do grupo NTT Data, com robustez financeira e plano estruturado de carreiras. Ao mesmo tempo, atuamos em todos os mercados com a agilidade, flexibilidade e eficiência de uma startup, pois somos focados em resolver desafios de negócios dos nossos clientes e inovar”, reforça o executivo.

A everis oferece benefícios flexíveis e a possibilidade aos profissionais de trabalharem em projetos nacionais e offshore para grandes companhias em todos os continentes, além de diversos programas focados no desenvolvimento dos talentos, que podem se aperfeiçoar por meio de treinamentos nas mais diversas tecnologias e demandas mercadológicas.

Desde o início da pandemia, a everis Brasil tem contratado em média de 150 profissionais por mês. Todos os novos talentos, bem como os demais profissionais da everis, estão sendo contratados e trabalharão remotamente até o fim de janeiro de 2021. “Nosso objetivo é fechar este ano com a contratação de mais 400 colaboradores, todos profissionais altamente especializados, que terão a oportunidade de trabalhar em suas respectivas cidades para grandes companhias nacionais e globais, que são nossos clientes e referências em seus respectivos setores de atuação”, conclui Neves.

Tags

Maior evento de empreendedorismo feminino do país acontece em novembro

A Rede Mulher Empreendedora, maior rede de apoio ao empreendedorismo feminino no Brasil, realizará nos dias 5 e 6 de novembro o 9° Fórum RME. Com o tema “Conquistando a Autonomia Econômica do Seu Negócio”, este ano o fórum será gratuito e online devido à pandemia e ao isolamento social.

O Brasil está em 7° lugar entre os países com mais mulheres empreendedoras, sendo que mais da metade delas empreendem por necessidade de sustentar a família. Pesquisas realizadas pelo Instituto RME apontam que cerca de 47% dos homens se sentem seguros com a gestão financeira de seus negócios contra apenas 28% das mulheres. Como a maioria delas precisa se dividir entre os cuidados domésticos e familiares, por exemplo, muitas vezes estes negócios não prosperam ou não dão o retorno financeiro esperado. Além da por falta de suporte como orientação, organização do fluxo de caixa, gestão de tempo, entre outros fatores.

Para Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora, é preciso capacitar essas mulheres para que elas tenham melhor qualidade de vida e ajudem ainda mais a movimentar a economia de maneira profissionalizada e assertiva. “Não é difícil achar empreendedoras que ainda usam o dinheiro dos negócios para contas pessoais. Este é um dos motivos que fazem com que eu trabalhe para que todas conquistem sua autonomia financeira e pessoal. Minha missão e das pessoas que trabalham comigo é pegar pela mão mesmo e mostrar que é possível!”, afirma Fontes.

A pré-inscrição no 9° Fórum RME já estão abertas e a organização espera que cerca de 5 mil empreendedoras participem nesta edição. Para garantir a sua vaga acesse ao link: http://bit.ly/ForumRME2020

O Instituto RME, criado em 2017, é o braço social da Rede Mulher Empreendedora – RME e está apoiado em valores como igualdade de gênero, oportunidade para todos, educação, capacitação acessível e colaboração social. O foco é capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade social em todo o Brasil e ajudá-las a conseguir autonomia sobre suas vidas e seus negócios.

Dell Technologies anuncia novo líder para Brasil

A Dell Technologies anunciou hoje o executivo Diego Puerta como novo líder da operação no Brasil, em substituição a Luis Gonçalves, que assumiu em Agosto a liderança da empresa na América Latina.

Puerta ingressou na Dell no início da operação brasileira em 1999 e, desde então, ocupou diversas posições em áreas estratégicas de Vendas, Planejamento, Marketing, Serviços e Soluções. Desde 2017, atuava como vice-presidente para o segmento de Clientes Finais e Pequenas Empresas, sendo responsável por consolidar lideranças em mercados importantes – como o segmento de pequenas empresas e computadores de linha premium -, e por desenvolver novas rotas de mercado, incluindo marketplace e vendas por aplicativo de mensagens instantâneas, bem como pela melhoria na experiência do cliente na dell.com.

Em seu novo cargo, ele vai se reportar diretamente a Luis Gonçalves. “Diego tem profundo conhecimento da operação e do mercado brasileiro, tendo sido parte fundamental de marcos importantes da história da marca no país, como no processo local de integração da Dell e EMC”, afirma Gonçalves.

Diego Puerta é graduado em Administração de Empresas pela UFRGS, tem mestrado executivo pela UC Berkeley e certificado pelo programa de General Management da Harvard Business School.

O impacto da pandemia no setor bancário

A EY divulga hoje o estudo “Performance do Setor Bancário”, que traz um panorama sobre os impactos da pandemia no Setor Financeiro, bem como uma breve análise sobre a chegada do PIX ao mercado.

Assim como todos os setores da economia, com o advento da quarentena causada pelo novo coronavírus, os bancos precisaram responder de forma rápida e decisiva transformando da noite para o dia grande parte de suas operações. Em paralelo, tiveram que intensificar também sua atuação como peça chave para a sociedade no que tange à manutenção de parte da economia, com concessão, renovação e renegociação de créditos – sobretudo no segmento corporativo – e o apoio à recuperação econômica.

Desta forma, A pandemia da COVID-19 acabou impactando de forma drástica a geração de resultados do setor por meio do impulsionamento das perdas com empréstimos – vale ressaltar que o Brasil está entre os piores países em termo de recuperação de crédito, com apenas 13% recuperados, frente a 34% da média mundial. Diante deste cenário, muitos bancos anunciaram redução de despesas, com o objetivo de acelerar o encerramento de agências, e a evolução de suas plataformas digitais. O movimento segue a tendência de comportamento do consumidor, onde 50% afirmam que irão interagir mais com os bancos de forma online e digital.

O estudo na íntegra com todo o panorama do setor bancário segue em anexo. Caso tenha interesse em conversar com um especialista no assunto, Rui Cabral, Sócio-líder de Risco e Finanças para o Setor Financeiro da EY, está disponível para entrevistas.

Renner abre 80 vagas para trabalhar com tecnologia

Divulgação Lojas Renner/Fabiano Panizzi

Para acompanhar sua jornada de transformação digital, a Lojas Renner está com processo seletivo aberto para contratar 80 profissionais nas áreas de Tecnologia da Informação, Negócios Digitais e Operação de Lojas. Os profissionais irão colaborar com o desenvolvimento dos projetos de inovação da Companhia, que vêm sendo implementados para aprimorar cada vez mais a experiência dos consumidores.

“Acreditamos que a inovação é feita por pessoas. Para possibilitar o avanço contínuo da nossa transformação digital, presente em todas as áreas do negócio, buscamos talentos capazes de utilizar a tecnologia para cumprir o nosso propósito de encantar clientes”, diz a diretora de Gente e Desenvolvimento da Lojas Renner, Clarice Martins Costa.

Para muitas oportunidades, existe a possibilidade de trabalho remoto. As posições vão desde o cargo de analista até o nível gerencial, sendo as principais áreas de atuação: Omnichannel, Dados, Análise de Sistemas, Segurança da Informação, Operações de TI, Arquitetura, Produtos Financeiros, entre outras. Além da Renner, também há vagas disponíveis para a Realize CFI, instituição financeira da Companhia.

No seu dia a dia, os novos colaboradores vão trabalhar com metodologias ágeis, como Scrum e Lean, então a experiência com estes métodos será considerada. A varejista busca profissionais curiosos, colaborativos e criativos, com disposição para trabalhar em equipe e facilidade em se comunicar. “Podemos dizer que o ‘fazer junto’ é uma das competências mais desejadas pela Lojas Renner”, acrescenta Clarice. A capacidade de resolver problemas, a resiliência e a orientação para inovação também são competências valorizadas.

Há oportunidades para diversas áreas do conhecimento, mas a formação em tecnologia e a vivência neste segmento são diferenciais. Os processos de recrutamento da Companhia usam sistemas de Inteligência Artificial e machine learning, o que contribui para a identificação de talentos alinhados à cultura e aos propósitos da Lojas Renner.

Com unidades no Brasil, Uruguai e Argentina e mais de 24 mil colaboradores no total, a Lojas Renner integra há oito anos consecutivos o ranking “As Melhores Empresas para Trabalhar”, publicado pela Você S/A. A seleção é realizada totalmente online. Os interessados podem se candidatar por meio da plataforma Gupy. As vagas para a Renner estão disponíveis no link: http://renner.gupy.io e, para a Realize CFI, no: http://realize.gupy.io.

Twitter Brasil abre inscrições para programa de estágios de 2021

A partir de hoje (5), estudantes de graduação de qualquer curso poderão se inscrever para o programa de estágios do Twitter no Brasil de 2021. O processo seletivo, feito em parceria com a Companhia de Estágios, conta com 14 vagas para estagiários no escritório de São Paulo (SP) e não tem restrições de cursos ou obrigatoriedade do inglês para participação.

Pela primeira vez, todas as etapas de seleção de candidatos serão realizadas virtualmente. Parte do processo já era feita remotamente, incluindo dinâmicas em grupo e entrevistas com a área de recrutamento. Agora, por conta do atual cenário do país, a empresa fará as demais atividades e entrevistas no ambiente digital. Outra novidade é a divisão da etapa inicial em dois dias diferentes, antes finalizada em um único dia.

“No Twitter, buscamos proporcionar um ambiente inclusivo com oportunidades de desenvolvimento, conexão com um propósito e envolvimento com a comunidade. O programa de estágio oferece uma experiência rica nessas três frentes. As pessoas selecionadas poderão fazer parte de projetos de diferentes áreas da empresa, vivenciando nossa cultura e contribuindo com suas próprias perspectivas e pontos de vista. A ideia é que todos se sintam seguros e confortáveis para mostrar sua autenticidade e se desenvolver enquanto colaboram ativamente com nossa missão de servir à conversa pública”, afirma Orlando Laragnoit, gerente de aquisição de talentos do Twitter para América Latina e Canadá.

O estágio terá início em janeiro de 2021, de forma remota ou presencial – a ser definido de acordo com as políticas globais da empresa e orientações globais de saúde. Além da bolsa-auxílio, os escolhidos receberão benefícios como plano de saúde e dental, vale-transporte, vale-refeição, e auxílio para academia. As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de outubro.

Para saber mais sobre o programa, fazer sua inscrição ou compartilhar a oportunidade, os estudantes podem acessar a página da Companhia de Estágios dedicada ao programa do Twitter . Informações e novidades sobre o assunto também estarão disponíveis no perfil do @ TwitterBrasil , no Twitter.

Da voz ao digital: um caminho de transformações

Por Kleber Tobal Bonadia

Você já parou para pensar que a voz é uma das ferramentas de vendas mais antigas de que temos conhecimento? Também podemos considerar que é uma das tendências mais fortes e uma das tecnologias mais sofisticadas do setor de Gestão de Relacionamentos.

Sim, a voz é um poderoso instrumento de comunicação e, muitas vezes, o diferencial para fechar o negócio com um determinado cliente. Isso nos leva a crer que, por mais tecnologia que haja envolvida em um processo, o que realmente importa é que, sempre que necessário, do outro lado estará uma pessoa.

Apesar de soberana, ao longo dos anos a voz teve que compartilhar seu protagonismo com outras formas de comunicação. Por meio de canais digitais e soluções que possibilitam falar quando e onde queremos (ou teclar, se for mais conveniente para o momento), transformamos a nossa comunicação e muitos dos nossos relacionamentos. Sem dúvida foi um importante passo para a humanidade e, principalmente, para as companhias que acompanhavam e sentiam cada vez mais de perto essas mudanças.

Dentro desse processo, muitas empresas, e aqui destaco as de telemarketing que mais tarde se tornariam grandes contact centers, tiveram que acompanhar essa tendência e as novas formas de fazer relacionamento. Essas companhias e, consequentemente, suas operações, aceleraram para adequar seus processos e tecnologias às necessidades de um mercado que exigia soluções disruptivas e cada vez mais profissionais qualificados. Um cenário que se transformou rapidamente direcionado para um único caminho: o digital.

As empresas foram preparando suas operações para interagir com o “consumidor digital”, aquele cliente que quer ser atendido no dia, na hora e no lugar de sua preferência. Com muita inovação, investimentos em tecnologias complexas como Machine Learning, Inteligência Artificial, Bots, Big Data & Analytics – além da capacitação de profissionais para a realidade de um mercado em constante evolução – o mercado trilhou sua caminhada da voz ao digital. Nesse caminho, a equação para o sucesso era simples: alta performance e resultados sustentáveis aliados ao atendimento humanizado. Afinal, ainda não existe nada mais completo para atender uma pessoa do que outra pessoa.

A expertise adquirida com essas mudanças rumo à inovação fez com que um mercado inteiro também se transformasse, agora com foco principal na jornada do cliente. As empresas e, consequentemente, seus profissionais, se readequaram para atender as necessidades por tecnologias mais complexas. Essa transformação digital chegou acelerando processos, contribuiu para que muitas corporações se reposicionassem no mercado, modificou o mindset e, principalmente, transformou a maneira de fazer relacionamentos, sempre deixando o cliente protagonizar o atendimento no canal de sua preferência.

Kleber Tobal Bonadia, diretor Comercial no Grupo Connvert.

Tags, ,

Por que os e-commerces pequenos também devem se preocupar com a cubagem?

Muita coisa mudou por conta do coronavírus. Além da rotina de todos os brasileiros, pequenos e médios empreendedores que tinham lojas físicas precisaram se mexer para continuar com a renda e, uma solução utilizada pela grande maioria foi a migração para o e-commerce.

Diferente da venda física, os novos e-commerces precisam se preocupar com alguns fatores, que antes não existiam, como, por exemplo, o valor do frete. Dentro deste preço está incluso a medida da carga, conhecido como cubagem, e dependendo da forma que é medida, pode alterar o preço da entrega.

De uma forma geral, a cubagem é essencial para as empresas de logística identificarem o espaço que cada carga ocupará nos veículos usados para o transporte. Por esta razão, a métrica influencia no custo do frete. Entender como operar esse cálculo ajuda os pequenos empresários, inclusive, a terem mais critérios para escolher entre Correios e transportadoras privadas para cada tipo de envio.

Porém, sabe-se que os empresários precisam se preocupar com milhares de coisas ao mesmo tempo, e pensando nisso, a Pitney Bowes, multinacional especializada em soluções de logística, encomendas e pacotes, oferece o OneShip DESK®, equipamento portátil que oferece mais produtividade e agilidade no processo de medição e pesagem de volume.

“A OneShip Desk é um equipamento com tecnologia de primeira linha que permite a empresa aumentar a produtividade do dia a dia. Ao invés de ter que fazer as medidas de forma manual, com o equipamento, pode-se pesar e captar as dimensões da encomenda com precisão, além de que, ela conectada a uma impressora básica, consegue emitir etiquetas com dados do peso e volume. Isso ajuda muito a calcular o frete com precisão, pois o valor informado para o cliente será assertivo”, afirma Silvio Maemura, Presidente da Pitney Bowes Brasil.

Atualmente já são mais de 1,3 milhão de lojas online no Brasil, segundo a 6ª edição da pesquisa Perfil do E-commerce Brasileiro, que mostra, também, um esforço dos negócios de varejo para não deixar de vender durante a pandemia.

Os pequenos e-commerces que contam com a OneShip Desk relatam que ter essa tecnologia disponível é uma vantagem, porque além de ajudar na produtividade, permite que eles negociem contratos mais vantajosos para entrega de encomendas, pois estão cientes do que está em jogo.

Os pequenos negócios são um destaque desse modo de venda: 88,7% do total possui até 10 mil visitas por mês. Além disso, as lojas menores que oferecem até 10 produtos correspondem a 76,55% do total. Enquanto isso,12,17% têm de 11 a 100 produtos e 11,28% apresentam mais de 100.

“A pandemia transformou os hábitos de consumo, gerando um notável aumento no número de consumidores online. O varejo passou de uma média de 5,1 milhões de consumidores para 8,9 milhões no mês de julho. Ter tecnologias que facilitem o processo de cubagem e pesagem e dão mais assertividade e segurança se tornou o diferencial”, explica Maemura.

O Presidente da Pitney Bowes Brasil ainda afirma que os pequenos e médios e-commerces precisam se preparar para a Black Friday e, também, para o Natal, pois a tendência de compra online vai continuar.

“Todos precisam contar com eficiência para dar conta do recado. Sabemos que o frete é um fator decisivo na hora da compra online, então, além de contarem com a OneShip Desk, recomendo que façam cotações de frete com Correios e transportadoras privadas e consigam gerar envios sem ter que negociar contratos individuais”, finaliza o Presidente.

Tags,

7 práticas para adotar na retomada nos escritórios

Mesmo ainda em pandemia, as empresas de diversos setores já começaram a avaliar a retomada da economia e a volta para o escritório. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 13 milhões de brasileiros afastados do trabalho, retornaram às suas ocupações desde maio, outros 8,3 milhões permanecem em regime home office.

“Com muito tempo em casa e seguindo as regras de distanciamento social, as pessoas passaram a nutrir uma esperança para essa retomada, tanto de trabalho como na convivência. Porém, deve-se manter os cuidados, não deixar levar pela agitação e se esquecer das regras básicas para o momento que ainda é de pandemia”, avalia Celson Hupfer, CEO da Connekt, plataforma inteligente de recrutamento digital e Doutor em Psicologia Social.

Para auxiliar na retomada, o especialista dá 7 dicas sobre cuidados que devemos considerar neste momento. Além disso, também comenta sobre as tendências que permanecem mesmo após a pandemia.


Protocolos comuns


O Brasil segue o exemplo das empresas de fora do país e entre as práticas mais comuns que devem ser adotadas estão: uso de álcool em gel e disponibilização do item em toda a empresa, medição de temperatura diariamente, uso da máscara, distanciamento entre pessoas e mesas de trabalho, frequência na limpeza de superfícies, cartazes indicativos sobre as mudanças e convívio no local, marcações no chão e etc.

Retomada gradual
Mesmo que a retomada seja uma realidade, é preciso ter cautela em realizá-la. Uma opção que pode ser adotada é o retorno aos poucos, de forma escalada e por grupos. Para isso deve ser analisado o perfil dos colaboradores, segmentando os que moram mais perto e os que moram mais longe da empresa, e se moram sozinhos, com pessoas que estão no grupo de risco ou se fazem parte dele.



Em qualquer tempo e lugar


O ‘any time, any where’ deve ser levado em conta pelo líderes no momento da avaliação sobre a retomada, pois a flexibilização de tempo e lugar e o poder de escolha é algo muito atrativo do ponto de vista dos colaboradores. Além disso, ainda pode desenvolver mais engajamento, produtividade e empenho da equipe.

Espaços com atenção especial


Banheiros, cozinhas e salas de reunião ou de descanso merecem atenção especial. É preciso manter uma limpeza frequente ao longo do dia e ainda se possível, instalar dispensers automáticos e manter controle de lotação dos locais.

Confiança


Se no momento que a pandemia instalou-se no país os líderes tiveram que confiar mais nos colaboradores, a flexibilização traz a tona a importância disso de novo. Em um momento onde os colaboradores poderão decidir onde irão trabalhar, os chefes terão que demonstrar ainda mais confiança. “Esta é uma oportunidade para já colocar em prática as skills do futuro, como poder de empatia, confiança e liderança, um caminho para isso é a comunicação”, pontua Hupfer.

Retenção de talentos


O papel das empresas e dos colaboradores e a troca desta relação ficou ainda mais evidente. Com isso, a conservação de talentos pode ser uma tendência para os próximos anos. Para isso é possível buscar novas práticas de reconhecimento e feedbacks para gerar a satisfação de colaboradores no ambiente de trabalho, é preciso também gerar oportunidades de crescimento e desenvolvimento e fazer com que cada um sinta que está fazendo a diferença na empresa.

Novos modelos de liderança


Outra tendência ou prática que poderá ficar em evidência são as novas formas de liderança, que deve ser mais empática, flexível, diversa e aberta ao diálogo para melhorias ou novas ideias, e que coloca o ser humano no centro das decisões.

“Mesmo com a retomada, é necessário manter alguns hábitos na rotina para a readaptação. É importante continuar avaliando a produtividade, respeitar as pausas para almoço e cafés, desligar do trabalho em momentos de descanso, avaliar necessidades de reuniões presenciais, já que hoje a videoconferência pode ser melhor opção. A ferramenta é uma tendência e deve ser usada também para momentos de conversa entre a equipe”, finaliza Hupfer.