Page

Author admin

Banco do Brasil lança o Fundo BB Ações Games

Conhecido pelo seu perfil inovador, em 2018 o Banco do Brasil passou a ser o primeiro banco a apoiar o universo gamer no país e, desde então, tem fomentado cada dia mais o mercado de eSports brasileiro. Acreditando no potencial do setor, o BB lançou na última quarta-feira, 31 de março, o Fundo BB Ações Games BDR Nível I, um novo fundo de ações temático, destinado a todos os públicos de investidores.

A aplicação inicial é de apenas R﹩ 0,01, e podem investir tanto pessoas físicas quanto jurídicas. Os clientes podem investir por meio do app BB ou no app Investimentos BB, além do Internet Banking.

Hoje os jogos eletrônicos representam a maior indústria de entretenimento do planeta. Esse mercado movimentou 126,6 bilhões de dólares no último ano, com projeção de faturamento de 142,2 bilhões de dólares para 2021.

Para Guilherme Rossi, Head de Captação e Investimentos do BB, “A indústria de games é gigantesca e o setor vem apresentando forte crescimento, ano após ano. O lançamento do fundo está conectado diretamente a dois objetivos nossos: estarmos cada vez mais próximos do público jovem e oferecer um portfólio de soluções de investimento completo, inovador e diversificado. Ao disponibilizar um fundo que investe em empresas que fazem parte do dia a dia do público gamer, despertamos o interesse para o ato de investir e pensar no planejamento financeiro, além de contar com um alto engajamento característico desse público. Já para os investidores mais experientes, o BB Ações Games busca aproveitar as oportunidades de crescimento desse segmento ao mesmo tempo em que oferece mais uma opção de diversificação em renda variável no Brasil e no exterior.”

O lançamento do fundo está conectado ao projeto Tamo Junto Nesse Game, que visa fomentar o universo dos eSports como um todo e busca aproveitar as oportunidades de crescimento desse mercado. É importante sempre respeitar o perfil e objetivos do investidor. Os clientes BB podem contar com a nossa assessoria BB para auxiliá-los na tomada de decisão.

Para Júlio Vezzaro, Diretor Comercial e de Produtos da BB DTVM, o lançamento do BB Ações Games confirma o compromisso da nossa gestora em trazer soluções de investimento inovadoras para o mercado. Essa estratégia traz para o investidor a possibilidade de diversificar seu portfólio ao investir em empresas dos segmentos de entretenimento digital, semicondutores, novas tecnologias de software e hardware, mídia interativa, possibilitando o investimento em companhias globais atuantes em uma indústria que gera resultados financeiros robustos anualmente. Nosso objetivo é disponibilizar aos investidores, desde o varejo, passando pelo Private até os Institucionais, uma opção de investimento que busca capturar alternativas aderentes a um cenário de valorização do bem-estar e qualidade de vida e que ampliem a eficiência de alocação, para que os investidores tenham um portfólio completo para a diversificação de seu patrimônio”, afirma.

O novo fundo terá taxa de administração de 1% ao ano, com taxa de performance de 20% sobre o que exceder o Nasdaq100. O BB Ações Game investirá preponderantemente em BDRs de empresas no exterior ligadas ao mercado de games e conta com proteção cambial.

BB nos eSports


O BB começou a apoiar o segmento de jogos eletrônicos em 2018, ao patrocinar o maior evento do setor na América Latina, o Brasil Game Show (BGS), a área “Indie” da feira (onde são apresentados os jovens talentos desenvolvedores de games), e ainda premiar a Game JAM, uma maratona de desenvolvimento de jogos eletrônicos. No ano de 2019, patrocinou o Prêmio eSports Brasil (PeB), o Game XP, o streamer Gaulês e o CBCS – Campeonato Brasileiro de Counter-Strike. O BB iniciou 2020 participando da Poa Geek Week e, em julho, apresentou o Campeonato oficial de VALORANT, Ultimate Ignition Series. Neste ano, com a Game Talks BB, promoveu troca de experiências entre gamers e amantes dos eSports, com circuito de palestras online e gratuitas e participação do Squad BB, os streamers Gaulês, Pimpimenta e Ana Xisde. Por meio do eSports, o BB diversifica suas estratégias de transformação digital e rejuvenescimento da base de clientes.

Mercado Livre abre 7,2 mil vagas no Brasil e dobra operação

O Mercado Livre, companhia líder em tecnologia para e-commerce e serviços financeiros na América Latina, anunciou hoje que vai duplicar o seu quadro de funcionários em 2021. Dos 16 mil novos postos diretos de trabalho em toda a América Latina, dos 7.200 serão contratados no Brasil. Com isso, a empresa busca ampliar a sua rede logística na região e fortalecer as áreas de TI, serviços financeiros e de produtos que geram soluções tecnológicas para todo o seu ecossistema.

Após ter encerrado 2020 com um quadro de 15.545 colaboradores, a expectativa da empresa é fechar o ano com mais de 32 mil funcionários, apenas considerando os empregos diretos, um crescimento de 100% em relação ao ano passado. O plano envolve quase quadruplicar o número de pessoas que atuam na área de logística e adicionar quase 4 mil novos empregos na área de TI. Também será ampliado o número de colaboradores dedicados ao Mercado Pago, e-commerce, prevenção e segurança, marketing e diversas áreas administrativas da companhia.

“As vagas no Mercado Livre são abertas para todas as pessoas, com suas realidades e experiências únicas. Queremos aproveitar a oportunidade para trazer ainda mais diversidade para dentro da companhia e promover um ambiente com múltiplas perspectivas de vida. Acreditamos que essa diversidade é poderosa para impulsionar nossa vocação para a inovação e tecnologia, e também para contribuir com um ciclo novo de reconstrução da economia pós-pandemia”, ressalta Patrícia Monteiro, Diretora de People para o Mercado Livre no Brasil.

Em relação à distribuição de colaboradores novos por país, além dos mais de 7.200 no Brasil, serão somados 4.700 colaboradores no México, 2.800 na Argentina, 850 na Colômbia, 300 no Chile e 150 no Uruguai. As operações no Peru e na Venezuela permanecerão inalteradas.

Os novos postos de trabalho serão oferecidos a todos níveis de experiência e senioridade, com muitas oportunidades de acesso ao primeiro emprego. O processo de avaliação e contratação é baseado nos princípios culturais do Mercado Livre. Além de compartilhar a missão organizacional, a empresa busca pessoas que queiram assumir riscos, que possam trabalhar em equipe, abertas às mudanças e que possam executar suas tarefas com excelência e também se divertir. É possível encontrar as vagas disponíveis em jobs.mercadolibre.com .

“Este crescimento nos permitirá fornecer o primeiro emprego para milhares de pessoas em toda a América Latina. Estamos cientes de nosso papel social cada vez mais relevante. Este crescimento do emprego direto também irá gerar muitos outros empregos em toda a cadeia de valor e nas centenas de milhares de PMEs que usam nosso ecossistema “, acrescentou Patrícia.

Trabalhar no Mercado Livre é trabalhar em um ambiente em que cada um é protagonista de seu desenvolvimento e assume desafios para alcançar resultados extraordinários. É muito mais do que um trabalho, é viver a adrenalina de empreender, superar-se diariamente e sentir orgulho pelo impacto que a atividade do Mercado Livre gera em cada um dos países em que atua. Por isso, é uma das 10 melhores empresas para se trabalhar no mundo, segundo o último ranking Great Place to Work.

A segunda onda das vendas por WhatsApp e redes sociais

Por Caio Camargo, diretor Comercial da Linx

Não é novidade dizer que redes sociais como WhatsApp, Instagram e Facebook foram essenciais para a continuidade das vendas do varejo durante a pandemia. O uso dessas ferramentas se mostra vital para que os negócios possam, mesmo que longe de recuperar as vendas do passado, ao menos minimizar os impactos de permanecer com a loja física fechada.

Se muita gente “improvisou” a venda nessas plataformas durante os primeiros impactos da pandemia, buscando vender de qualquer jeito e com qualquer esforço, a situação atual do varejo (que pode permanecer por todo o ano), está levando as empresas a adotarem soluções cada vez mais adequadas de comunicação e vendas, buscando otimizar seus resultados.

A busca pelo WhatsApp, por exemplo, não é à toa. Mais de 93% dos brasileiros utilizam o aplicativo ao menos uma vez por dia, e ele se encontra instalado em mais de 99% dos celulares, segundo pesquisa da Panorama Mobile Time/Opinion Box. Ou seja, é uma ferramenta de comunicação que já está na mão do cliente, basta apenas encontrar os melhores caminhos para se conectar com ele. Mas quais são eles?

A comunicação não deve ser massificada

A lista de transmissão, embora uma opção prática na hora de enviar mensagens promocionais, já é algo tão ruim em resultados quanto o velho disparo de mensagens spam via e-mail. Em vez de enviar mensagens de maneira massificada, procure orientar seus vendedores a se comunicarem de forma mais personalizada. Quanto mais o cliente entender que está recebendo uma mensagem direcionada exclusivamente a ele, maiores serão as chances de receber uma resposta positiva. Afinal, quantas mensagens de texto ou imagens nos são encaminhadas diariamente e nem sequer são abertas? Acredite, os clientes têm a mesma percepção.

Colete e gerencie informações de seus clientes

Para saber quem compra e como compra com você, o CRM ou um sistema que lhe ajude a registrar e gerenciar esses dados são essenciais para fornecer insights para a tomada de decisão. E se antes apenas um caderninho de anotações ou um simples Excel dariam conta do recado, hoje o varejista precisa estar atento à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), evitando multas com o mal uso de dados de seus clientes.

Catálogos digitais interativos

Ao enviar um catálogo para o seu cliente, evite mandar um PDF com dezenas de páginas, tal como na versão impressa. Além da visualização ser difícil nos telefones móveis, o cliente precisa sair da plataforma, navegar e depois retomar o contato para seguir com a compra. Links que direcionam para catálogos interativos digitais, hotsites ou mesmo uma página exclusiva de seu site podem aumentar consideravelmente a taxa de conversão e os resultados.

Links nas redes sociais

Embora boa parte das redes sociais já comece a criar ferramentas próprias que possibilitem a venda de produtos diretamente no Instagram e Facebook, muitas empresas têm utilizado agregadores de links, como o Linktr.ee ou o Biolinky.co para direcionar aos seus catálogos digitais, marketplaces ou páginas especiais de seus sites, realizando a venda diretamente para seus clientes.

Links de pagamento

Se no e-commerce já há um gap enorme entre a escolha dos produtos e a finalização da compra – muitos se assustam com questões de frete ou falta de parcelamento, por exemplo -, as vendas no WhatsApp ou redes sociais precisam buscar alternativas que facilitem a jornada do consumidor, evitando atritos. Oferecer pagamentos simplificados, usando links para pagamento ou soluções como o Pix, podem evitar que seu cliente desista da compra neste momento crucial para o varejista.

Mais que um canal de vendas, um canal de comunicação

O mais importante é entender que, embora muitas empresas tenham aderido às redes sociais só após o início da pandemia, elas não devem ser observadas somente como uma ferramenta de vendas. Para o consumidor, esses canais também servem para se comunicar com a marca e, portanto, seu atendimento deve estar adequado à essa expectativa. Uma mensagem no WhatsApp, por exemplo, não pode levar horas para ser visualizada e respondida, correndo o risco de perder o cliente.

Ainda estamos passando por um cenário incerto, com as lojas físicas alternando entre abertura e fechamento de acordo com os acontecimentos em cada cidade. Por isso, o varejo não pode apenas sentar e esperar pela normalização e deve procurar mais do que apenas se digitalizar, mas criar o máximo de oportunidades e resultados com as ferramentas disponíveis para vender mais nesse momento.

realme lança oficialmente o realme 7 5G no Brasil, smartphone 5G mais acessível do mercado

A realme, marca de smartphones que mais cresce no mundo, anunciou o lançamento do realme 7 5G no Brasil. Com performance 5G a preço de 4G, o smartphone da fabricante chinesa promete democratizar o último padrão de internet móvel entre seus usuários ao seguir seu lema “ouse ir além”. O realme 7 5G proporciona desempenho inovador com display de 120Hz, carregador de 30W, bateria de 5000 mAh e é o primeiro smartphone do país com o poderoso processador MediaTek Dimensity 800U que o torna um aparelho 5G versátil e completo. 

Salto para a tecnologia 5G

Feito com o processo de fabricação de 7nm, o processador MediaTek Dimensity 800U é poderoso e eficiente. Ele é equipado com dois núcleos Cortex-A76 de alto desempenho de até 2,4 GHz e seis núcleos Cortex-A55 de alta eficiência de até 2 GHz, junto com uma GPU Mali-G57. O Dimensity 800U apresenta excelente desempenho de rede para o realme 7 5G, com suporte para Dual Sim Dual Standby (DSDS) 5G + 5G. Ele suporta a tecnologia Dual 5G SIM, que permite a conexão 5G através de qualquer um dos cartões SIM para uma experiência de internet de alta velocidade, e também 5G-CA, para um aumento significativo no desempenho e estabilidade da conexão.

O realme 7 5G é compatível com as 12 principais bandas 5G de todo o mundo: n1, n3, n5, n7, n8, n20, n28, n38, n40, n41, n77, n78. Com isso, a nova aposta da realme fornece uma experiência de rede 5G mais rápida e abrangente.

“O MediaTek Dimensity 800U é um chipset de última geração que oferece recursos avançados de imagem, multimídia e conexão 5G, para smartphones prontos para a nova geração de telefonia móvel”, destaca Samir Vani, country manager da MediaTek no Brasil. “O chipset utiliza tecnologia de produção de 7nm, inclui unidade de processamento de inteligência artificial e foi projetado para alto desempenho de núcleos múltiplos, além de contar com tecnologia 5G + 5G Dual Sim Dual Standby (DSDS)”, completa o executivo. 

Carga rápida com Dart Charge de 30W e bateria de 5000mAh

A bateria avançada de 5000mAh do realme 7 5G garante uma  vida útil mais duradoura. Junto disso, o carregador Dart Charge de 30W permite aos usuários a carga de 50% do celular em apenas 26 minutos, além de adotar solução de baixa tensão e alta corrente para maior segurança e eficiência.

O smartphone chega ao Brasil com duas cores: Prata Radiante e Azul Névoa. Enquanto o design do Azul Névoa é inspirado na natureza, a realme aplicou pela primeira vez o estiloso Logo Design no Prata Radiante. A área do logotipo apresenta com sucesso efeitos tridimensionais, estética assimétrica e um efeito visual único. 

Display de 120Hz de Última Geração 

O display do realme 7 5G conta com 120Hz, um aumento de 33,3% quando comparado ao seu antecessor, o realme 7, upgrade que proporciona uma experiência visual mais agradável em jogos e uso cotidiano. Com 6,5 polegadas, o aparelho adota o design “punch-hole”, com a câmera alocada na tela, o que permite sua máxima usabilidade, além da proporção de tela de 90,5%.

Para segurança dos usuários, o dispositivo adota o sensor de impressão digital lateral, integrando o reconhecimento de impressão digital com o botão da borda.

Além de adotar o carregador Dart Charge 30W que permite o seu carregamento em uso, bateria de 5000mAh, o mais recente padrão 5G com excelente desempenho e display de 120Hz, o realme 7 5G possui quad-câmera de 48 MP, com lentes grande-angular e super macro, características que o tornam um celular multifacetado e inovador. Indo além e definindo tendências, a realme mira em seu público jovem com o lançamento e visa democratizar a tecnologia 5G no país.

Confira aqui todos os materiais de divulgação do realme 7 5G.

Preço e Disponibilidade

O realme 7 5G estará com preço especial entre os dias 06 e 12 de abril por R$1.899,00 para pagamentos à vista e R$1.999,00 para parcelamentos em até 12x no site das Americanas. A partir do dia 13 de abril, o preço sugerido será de R$2.599,00.

Hospitalar lança jornada digital em maio e agosto

Digital Journey by Hospitalar é mais uma inovação da Informa Markets para networking do setor de saúde na América Latina

Seguindo a tradição de ser o ponto de encontro do setor de saúde em maio, a Hospitalar marca o mês com conteúdo e networking em um novo formato. Trata-se da Digital Journey by Hospitalar, de 4 a 20 de maio, a partir das 18h, uma verdadeira jornada com participantes nacionais e internacionais. Em agosto, também está prevista uma nova edição dessa plataforma online, na contagem regressiva para a 27ª edição presencial da Hospitalar, que será realizada em setembro.

Digital Journey by Hospitalar trará conteúdo especializado com temas relevantes para cada comunidade do setor, entre eles gestores hospitalares e lideranças nas áreas de inovação, digital health, facilities, atenção domiciliar, arquitetura e construção, compras, engenharia clínica e energia. O objetivo é abordar as dores vividas por esses profissionais, trazer insights e soluções e gerar oportunidades para networking e negócios.

“Programamos um tema para cada dia de encontro, de acordo com as tendências e necessidades de cada setor do mercado. A programação diária reúne grandes nomes de cada comunidade e abordará assuntos relevantes para o momento presente da saúde”, explica Juliana Vicente, gerente de Marketing da Informa Markets. Veja abaixo a programação completa.

Já estão confirmadas as presenças de Stephanie Allen, líder do setor de Saúde Global e Diretora da Health & Human Services Practice na Deloitte Austrália; Peter Lachman, CEO da International Society for Quality in Health Care (ISQua); Carlos Oyama, Diretor na Kamon Consultoria e Planejamento Estratégico; Dra Mariana Borges, coordenadora geral do Programa Melhor em Casa, do Ministério da Saúde; Gisele Mota Regis, enfermeira especialista em Controle de Infecção Hospitalar e em Hotelaria e Facilities Hospitalar e Avaliadora ONA; entre outros grandes ícones do setor. Confira abaixo a programação completa.

Os interessados podem se inscrever online gratuitamente: Inscrições Digital Journey by Hospitalar

SERVIÇO:

Digital Journey by Hospitalar – 1ª edição

Keynotes, Industry Talks, Painéis de debate e entrevistas

Quando: de 4 a 20 de maio, das 18h às 20h20

Inscrições online: Inscrições Digital Journey by Hospitalar

Conteúdo por comunidade:

04 de maio – TI e Digital Health

05 de maio – Facilities

06 de maio – Atenção Domiciliar e Reabilitação

11 de maio – Arquitetura e Construção

12 de maio – Inovação e Tecnologia

13 de maio – Compras

18 de maio – Engenharia Clínica

19 de maio – Internacional

20 de maio – Energia


Outras informações: https://www.hospitalar.com/pt/o-evento/digital-journey-pt.html

O potencial uso de Inteligência Artificial nas empresas

Por Renato Monteiro, Diretor de Tecnologia da Mars Brasil

Estamos rodeados por diversos termos tecnológicos dentro e fora do ambiente corporativo que, assim como grande parte das tecnologias desenvolvidas desde o início da história, foram criadas com para facilitar a vida dos seres humanos. Cloud, Big Data, RPA, Inteligência Artificial (IA) – atualmente, as empresas têm implementado estas tecnologias para multiplicar as capacidades humanas e otimizar processos.

Antes de nos aprofundarmos, precisamos entender termos como IA e Machine Learning e como essas duas palavras se relacionam.

Enquanto IA é o termo mais amplo da tecnologia, engloba um conjunto de ações e mecanismos com o objetivo de reproduzir capacidades da mente humana e proporcionar com que máquinas executem tarefas autonomamente (sem a intervenção humana). O Machine Learning é uma aplicação muito difundida da IA em que a máquina aprende e evolui automaticamente através de dados e exposição de experiências sem ter sido previamente programada.

Exemplo, ao comprar um novo par de sapatos, usualmente a pessoa compra também um novo par de meias; a máquina entende então que ao comprar o item A, o consumidor pode estar interessado em comprar o item B. Oferecendo esta opção proativamente, acredita-se inclusive que grande parte do crescimento de gigantes como Amazon seja devido a estas técnicas de IA.

Estas tecnologias foram desenvolvidas para que o computador consiga “imitar” nossas capacidades de aprendizado, raciocínio lógico, percepção de ambiente, entre outras. O que é chamado frequentemente de Inteligência Artificial representa todo o processo de tomada de decisão de uma máquina, baseado em dados, sendo assim, com muito mais informações do que qualquer humano normal é capaz de armazenar.

Estes mecanismos podem, por exemplo, fazer com que uma máquina tenha a capacidade de lidar de forma autônoma coordenando diversas tarefas simultâneas, que até então seriam feitas por uma pessoa. Além disso, também são uma peça importante em diversos setores da economia, como no ramo automotivo, com interfaces inseridas em um veículo que interagem com o próprio dono, no ramo financeiro, analisando dados e buscando indicativos de eventuais golpes em tempo real.

Sem muita percepção do público em geral, IA está presente em uma simples compra online como no exemplo da compra de um par de sapatos mencionada anteriormente, pois recebemos recomendações de produtos com base no histórico de buscas, costumes e até gostos de diversas formas, seja uma recomendação por e-mail, um pop-up ou uma barra de publicidade no meio da navegação pela internet.

Logo, mesmo que gradativamente, estas ferramentas terão impactos crescentes nas empresas brasileiras. A demanda por soluções fará com que as empresas contratem e desenvolvam profissionais especializados na área. Assim, as competências ligadas à essas tecnologias passam a ser cada vez mais essenciais para o mercado de trabalho, capacidades que serão as habilidades mais solicitadas do futuro à medida que a tecnologia avança e se torna dependente destes recursos.

Além disso, durante o período da pandemia, foi possível concluir que tecnologias antes desenvolvidas em anos, vêm sendo desenvolvidas e implementadas em questão de semanas, o que pode auxiliar no progresso do uso de inteligência artificial, seja em tarefas caseiras, ou em processos de linhas de produção nas fábricas.

Trazendo para a realidade da Mars, as novas tecnologias nos possibilitaram redirecionar Associados de tarefas braçais e repetitivas para rotinas de trabalho de inteligência, aprendizado e foco no consumidor.

Utilizamos alguns destes recursos com a produção de Skittles® feita nos EUA: com IA é possível calcular automaticamente a quantidade Skittles® e a porcentagem de cada cor na amostra geral da mistura, buscando a uniformidade das cinco cores e sabores dos confeitos presentes em cada pacote. Um processo que antigamente, era feito manualmente e por amostragem, com baixa exatidão e alto esforço de um Associado, em uma tarefa extremamente repetitiva.

Todas as inovações em tecnologia feitas e que ainda virão para a Mars fazem parte da decisão de colocar nossos princípios em ação: Qualidade, Eficiência, Mutualidade, além de proporcionar um sorriso em cada um de nossos consumidores, é o que nos move.

Eppendorf irá premiar jovem cientista com incentivo de mais de R﹩100 mil para pesquisas de neurobiologia

A Eppendorf, empresa alemã de biotecnologia com foco em Life Science abriu as inscrições para a 19a edição do “Eppendorf & Science Prize for Neurobiology“, prêmio internacional de ciência e neurobiologia, concedido anualmente a um jovem cientista pela pesquisa neurobiológica mais notável, baseada em métodos de biologia molecular e celular que tenha sido conduzida pelo profissional durante os últimos três anos.

Desde 2002, o “Eppendorf & Science Prize for Neurobiology” reconhece a crescente importância da pesquisa neurobiológica para o avanço da nossa compreensão de como o cérebro e o sistema nervoso funcionam, em uma busca que parece ainda crescente pelas próximas décadas.

Este ano, o prêmio será de 25 mil dólares (aproximadamente R﹩125 mil ) ao vencedor e, tem como objetivo, encorajar e apoiar o trabalho de jovens neurobiologistas promissores, com idade até 35 anos. As inscrições vão até 15 de junho e estão abertas para cientistas de todo o mundo.

Para participar, basta acessar: http://corporate.eppendorf.com/de/company/scientific-awards/global-award/

Sobre o prêmio

O vencedor do “Eppendorf & Science Prize for Neurobiology” será selecionado junto a três finalistas, por um conselho independente de cientistas presidido pelo editor sênior da Revista Science, Peter Stern. O ensaio do vencedor – que deve ter ao menos mil palavras – também será publicado na revista, com direito a uma assinatura digital gratuita durante 10 anos, além de um bônus de US﹩ 1.000 (cerca de R﹩5mil) em produtos Eppendorf gratuitos.

O prêmio é anunciado e entregue em uma cerimônia em conjunto com a Reunião Anual da Society for Neuroscience, que acontecerá em novembro. A Eppendorf oferecerá suporte total de logística, para que o vencedor participe deste evento. O ganhador também será convidado para uma viagem posterior a Hamburgo para visitar a sede da Eppendorf.

Sobre o vencedor de 2020

Christopher Zimmerman, Ph.D. do Instituto de Neurociência de Princeton venceu o prêmio por seu trabalho sobre os circuitos neurais que governam a sede e o hábito de beber. Zimmerman descobriu que os sinais sensoriais originados em todo o corpo, se juntam nos neurônios individuais do cérebro para produzir a sensação de sede. Ele demonstrou que essa nova classe de sinais do corpo para o cérebro prevê mudanças na hidratação antes que ocorram e, como resultado, ajusta o nosso nível de sede preventivamente. A pesquisa de Zimmerman revelou princípios fundamentais do comportamento ingestivo e forneceu mecanismos neurais para explicar aspectos da experiência humana cotidiana.

Avanço na fabricação de motores elétricos traz leveza e ergonomia no trabalho

A ergonomia no trabalho é a busca por facilitar a interação entre homem e a máquina no ambiente profissional, proporcionando bem-estar físico e ainda gerando um impacto positivo na produtividade, na eficiência e no bem-estar do trabalhador. “Por isso, grandes empresas estão investindo nos motores elétricos com carcaça de alumínio para os seus equipamentos, com peso consideravelmente menor do que os de ferro, e ergonomicamente mais adequado para os colaboradores, que levantam e manuseiam o motor e até os equipamentos. Além disso, por serem leves, ajudam a reduzir os custos com fretes e com movimentações, o que é um grande benefício”, esclarece Drauzio Menezes, diretor da Hercules Motores Elétricos.

Segundo ele, a aplicação de peças de alumínio injetado vem apresentando um crescimento constante em vários setores produtivos e em diferentes equipamentos. “Por causa da leveza e da facilidade em transportar ou movimentar, muitas companhias preferem investir em motores com carcaças, como no IP55 TRIFÁSICO, dedicado para redutores de velocidade em acionamento de diversas máquinas e equipamentos no setor industrial. Como esse motor é usado em praticamente todos os segmentos da indústria que atua com a elevação e a movimentação de cargas — como de papel e celulose, sucroalcooleira, de extração e beneficiamento mineral, máquinas e implementos agrícolas, máquinas de usinagem, plástico, entretenimento, entre outras — as vantagens do alumínio tornam-se um facilitador para os funcionários, reduzindo também os gastos e maiores dificuldades com logística, o que é um grande diferencial técnico”, completa.

Menezes explica que a utilização de alumínio na carcaça e nas tampas em motores elétricos proporciona vários diferenciais técnicos, pois além de serem mais leves, dissipam mais calor e são mais bonitos, por ter um acabamento superficial superior. Para a obtenção das estruturas, é utilizado o processo de injeção de alumínio sob pressão, procedimento que permite alta produção de peças com geometrias complexas, como é o caso da carcaça: “No método, o alumínio fundido é injetado em um molde com grande pressão, dessa maneira atinge o preenchimento total do molde, que depois é aberto para a peça ser retirada. Na Hercules Motores, trabalhamos com especificações técnicas detalhadas do alumínio utilizado e fazemos inspeções de recebimento em todos os lotes para garantir que essas características sejam atendidas”, detalha.

Na comparação entre a carcaça de motores com ferro fundido e a de alumínio, as desvantagens são: ter maior peso, dissipar menos calor, ter um acabamento superficial inferior e não ser totalmente sustentável. “Para reprocessar o ferro, é utilizado processo de fundição em molde de areia verde e de uma resina especial. Depois de fundida a peça, parte da areia com resina é reutilizada e parte é descartada. Para fundir o ferro, é necessário muito mais energia elétrica, enquanto que para o alumínio, basta derreter e injetar novamente. Além disso, o alumínio tem um alto valor de reciclagem”, finaliza.

Programa de pré-aceleração de startups Safira Labs está com inscrições abertas

O Grupo Safira, um dos principais do ecossistema de energia do País, anuncia mudanças no seu programa de apoio a startups, que chega à sua 3ª edição. O Safira Labs, agora, será um programa de pré-aceleração e passa a considerar startups de base tecnológica em estágio inicial, que ainda necessitam de apoio para estruturar melhor o seu modelo de negócios. Startups e empreendedores interessados em participar do programa devem se inscrever até o dia 30 de abril de 2021, através do http://safiralabs.com.br/ .

“Em um mundo cada vez mais conectado, ganham cada vez mais relevância as ideias inovadoras e os projetos digitais com potencial de contribuir para um amanhã melhor. Por isso, o Safira Labs vem, continuamente, se aprimorando e, a partir de 2021, passa a ser um programa de pré-aceleração de startups”, explica o diretor executivo do Grupo Safira, Mikio Kawai Júnior, ao lembrar que o programa já havia sido ampliado para apoiar o empreendedorismo digital em projetos que vão além do setor de energia, incubando e acelerando startups de diferentes áreas, mais ainda com sinergia com o Grupo Safira. “Estamos dando agora um passo ainda maior”, destaca.

Estão aptas a participar do Safira Labs startups de base tecnológica, ou seja, que deixaram a fase de ideação e já partiram para o desenvolvimento de MVP e validação, voltadas ao B2C (Business to Consumer) ou B2B2C (Business to Business to Consumer), e que sejam dos segmentos de Regtechs, Autotechs, Fintechs, Wealthtechs, Cleantechs, Insurtechs, Retailtechs, HR Techs e Datatechs.

Durante o processo de seleção das startups, serão avaliados a composição do time, considerando a presença de pessoas de ramos de conhecimento distintos e complementares, assim como a maturidade dos empreendedores; a visão de mercado; a capacidade de execução e a sua adequação às propostas programa.

Além do espaço colaborativo – o Safira Vórtex, localizado no bairro de Pinheiros, capital paulista, o programa oferece mentorias em inovação, marketing, jurídico, financeiro e estratégia; workshops e palestras; metodologia própria, desenvolvida pelo Grupo Safira; software de gestão de tarefas e processos; mentores externos reconhecidos pelo mercado, aumento da rede de networking; e um prêmio para a startup vencedora da edição.

Com uma trajetória reconhecida no setor de energia e em iniciativas de inovação, o Grupo Safira iniciou com atividades focadas em comercialização de energia e consultoria e se consolidou nestas áreas. Em 2018, deu início a um plano de transformação do negócio, com foco ainda maior em desenvolver inovação e apoiar o empreendedorismo digital, por meio de projetos que vão além do setor de energia, incubando e acelerando startups de diferentes ecossistemas, que têm potencial de convergência com o grupo.

Entre os exemplos de startups que já passaram pelo Safira Labs, estão Festa Compartilhada, Free Skate e Neo 3D. O programa já investiu mais de R﹩ 1 milhão na infraestrutura e benefícios e teve mais de 200 inscritas ao longo das duas edições.

Tetra Pak atrai startups para promover inovação na indústria alimentícia

Com o objetivo de conectar as demandas do mercado consumidor com a indústria de alimentos e bebidas, programa busca acelerar projetos que respondam às novas demandas de consumo


Uma das líderes mundiais no fornecimento de tecnologias de envase e processamento de alimentos e bebidas, a Tetra Pak está com inscrições abertas para o seu programa de aceleração de startups: o Startup Tetra Pak. O programa busca identificar empresas que estejam desenvolvendo produtos alimentícios que respondam às novas demandas do mercado consumidor brasileiro e que se destaquem por terem proposta inovadora.

Os projetos acelerados serão aqueles que se diferenciam em termos de formulação ou que entreguem algum diferencial ao consumidor, como bebidas com alto valor nutricional ou maior valor agregado. No último ano, por exemplo, a indústria de alimentos investiu no lançamento de produtos capazes de aumentar a imunidade e em bebidas que priorizam em sua formulação ingredientes de origem vegetal.

O programa de aceleração é realizado em parceria com a Plug & Play, plataforma de inovação que conecta grandes corporações a startups de diferentes setores. O programa busca acelerar negócios que já estejam em desenvolvimento, mas que ainda possam ser impulsionados, ou projetos embrionários que ainda precisem de amadurecimento.

Essa é a segunda chamada do programa de aceleração – a primeira ocorreu em janeiro, com a seleção de cinco startups. Em parceria com consultores da Tetra Pak e da Plug & Play, as empresas selecionadas estão desenvolvendo formulações e estratégias de negócios focadas no mercado brasileiro. A previsão é que novos produtos, frutos da primeira onda de aceleração, cheguem às gôndolas ainda neste ano.

No Brasil e no mundo, a Tetra Pak apoia fabricantes de alimentos e bebidas no desenvolvimento de novos produtos, fornecendo soluções integradas que vão desde consultoria de mercado até a entrega de equipamentos de processamento e envase utilizados na fabricação de alimentos e bebidas.

“Independentemente da etapa de desenvolvimento do projeto, a Tetra Pak possui um time de profissionais especializados e infraestrutura própria para dar suporte às startups aceleradas. Da definição do conceito, passando pela construção de uma nova marca e até a formulação e modelo de processamento, a Tetra Pak tem capacidade para apoiar no desenvolvimento de novos projetos”, explica Luis Antonio Kuhl, diretor de Vendas e de Novos Negócios da Tetra Pak Brasil.

Mais informações sobre o Startup Tetra Pak estão disponíveis em http://startup.tetrapak.com.br/

Aceleração e parceria para a operação fabril

A primeira onda do programa de startups da Tetra Pak ocorreu em janeiro. Dentre as empresas aceleradas estão fabricantes de bebidas Alcoólicas (Babuxca), chás (Inovamate), bebidas base vegetal (Fresco), com alto teor de proteína (Mother) e alimentos focados em nutrição infantil (Pic-Me).

As empresas participando da aceleração estão utilizando a estrutura do Centro de Inovação ao Cliente (CIC), da Tetra Pak, para realizar testes e ajustes em seus produtos. Em virtude da pandemia de Covid-19, o programa está mesclando encontros remotos e presenciais, seguindo protocolos de segurança e respeitando o fechamento de atividades determinado por autoridades locais.

Encerrado o processo de mentoria, os produtos serão processados e envasados em fábricas operando no sistema de copacking. O modelo prevê a cessão de espaço de uma fábrica existente para um produtor que ainda não tenha unidade própria de produção ou capacidade para ampliar a sua operação.

A Tetra Pak trabalha com copackers em diferentes regiões do país, sendo uma facilitadora ao conectar fabricantes com essas unidades de produção. Todos os copackers parceiros da companhia operam com máquinas de processamento e envase fornecidas pela Tetra Pak.

Nos últimos anos, a Tetra Pak tem direcionado esforços para a atração de parceiros em novos segmentos do setor de alimentos e bebidas. Do total de novos clientes atraídos pela companhia em 2020, cerca de 30% se enquadram no modelo de operação de startups.

“Nosso programa local de aceleração visa responder às latentes demandas do consumidor final e, por consequência, aos desafios da indústria alimentícia. A ideia é que possamos unir forças às empresas aceleradas para levar ao mercado soluções inovadoras e relevantes que se conectem às necessidades do consumidor brasileiro”, explica Kuhl.

Logicalis adquire empresa espanhola de cibersegurança

A Logicalis, companhia global de soluções e serviços de tecnologia da informação e comunicação, anuncia hoje a aquisição de uma participação majoritária na Áudea, empresa especializada em cibersegurança e conformidade regulatória. O investimento reforça a capacidade da Logicalis de oferecer um amplo portfólio de serviços para garantir a proteção de dados críticos para os clientes.

A Áudea foi fundada em Madrid, em 2002, e desde então está na vanguarda do mercado espanhol como especialista em cibersegurança e serviços de valor agregado. Com uma equipe de mais de 40 profissionais, a Áudea provê soluções para mais de 200 clientes nos setores financeiro, automotivo, transporte, hotelaria, bens de consumo, comércio, educação e segurança.

Para o diretor geral da Logicalis Espanha, Alex Zaragoza, a mudança global para o trabalho remoto acelerou a necessidade de sistemas e soluções de segurança robustos e, com as novas regulamentações como o GDPR, as empresas precisam ajustar e manter seus processos de segurança dentro dos limites da regulamentação. “A aquisição da Áudea nos permite implementar as suas soluções e experiência para oferecer uma estratégia de cibersegurança 360º, adequada às necessidades de cada cliente.”

O CEO do Grupo Logicalis, Bob Bailkoski, explica que não há dúvida de que as ameaças à segurança estão aumentando e a implementação de uma estratégia de cibersegurança robusta agora é essencial. “As habilidades e a inovação que a Áudea traz para a Logicalis complementam nossa oferta atual de serviços de segurança à medida que continuamos a fortalecer nossas capacidades para atender nossos clientes na economia digital.”

CEABS e Stellantis fecham parceria inédita para Carro Conectado

A CEABS – empresa líder em rastreamento, monitoramento, telemática e gestão de riscos e frotas no Brasil – anuncia uma parceria inédita com a Stellantis, empresa oriunda da fusão entre a Fiat Chrysler Automóveis e o Grupo PSA. Na parceria, a CEABS será responsável pelo gerenciamento e pelo monitoramento de dados do Carro Conectado, lançamento da montadora previsto para 2021.

Escolhida pela Stellantis pela liderança e conhecimento no setor, a CEABS agrega todo o seu know how para o produto, sendo responsável pela prestação de serviços de rastreamento e gestão de dados de frota para as linhas que sairão de fábrica com módulo de conectividade embarcado.

A CEABS também contribuirá com o Rastreamento dos veículos, uma solução para roubo e furto de veículos, e Gestão de Frota, com uso da telemetria, para monitoramento dos veículos. A empresa será responsável por processar dados como localização, ignição do veículo, velocidade, aceleração, curva ou freada bruscas, podendo ir além e oferecer informações como consumo de combustível, cinto de segurança ativo ou não, nível de bateria, entregando os dados para o cliente final.

O gerenciamento dessas informações poderá resultar em vantagens tanto para as seguradoras e locadoras – que poderão ter acesso a dados de dirigibilidade bem como o rastreamento e recuperação de veículos, oferecendo serviços e soluções que conversem com os hábitos do cliente no trânsito – quanto para o consumidor final – que contará com essa experiência diária de conectividade para ganhar benefícios e descontos.

Para Jorge Bau, CEO da EABR e da CEABS, a prestação de serviços oferecida pela companhia, que se comunica com mais de 240 mil antenas móveis distribuídas por todo o Brasil, e a capacidade de processamento de dados de comportamento é ideal para integrar os benefícios do Carro Conectado, um produto disruptivo e inovador no mercado brasileiro. “Desenvolvemos essa solução a quatro mãos com a Stellantis, atendendo a necessidade que a montadora trouxe ao nos procurar, e criamos uma nova linha de negócios. O Carro Conectado está totalmente em sintonia com o nosso propósito de companhia que acredita na tecnologia como principal requisito de segurança em veículos e frotas. As oportunidades de oferta de serviços e soluções que a tecnologia traz para seguradoras e locadoras são significativas, visto que os dados são uma forma assertiva de conhecer melhor a jornada do cliente”, destaca.

Para Flavio Cardoso, Head de Conectividade da Stellantis para América do Sul, a atuação da CEABS oferecendo soluções diferenciadas foi fundamental para que a parceria fosse firmada. “O sistema de gestão de frotas e a expertise da CEABS nesse segmento foram decisivos para que escolhêssemos a empresa como a responsável pelo gerenciamento de dados e informações que fazem do Carro Conectado um produto com potencial de trazer inovações bastante significativas tanto para o mercado quanto para o consumidor final. O cliente, inclusive, é figura central no desenvolvimento das nossas soluções e poderemos, agora, oferecer benefícios e descontos de acordo com os seus hábitos. De maneira geral, acreditamos que o Carro Conectado vem para transformar essa relação com o consumidor, em que a experiência passa a contemplar a compra do carro, sua manutenção e a conectividade”, avalia.

Empresa da Serra Gaúcha desenvolve ventilador pulmonar portátil

Nem todas as notícias são ruins sobre a pandemia da Covid-19. Um grupo de pesquisadores de Caxias/RS, na Serra Gaúcha, desenvolveu um ventilador pulmonar portátil, que com cerca de 5 quilos pode ser facilmente transportado, acompanhando o paciente no hospital ou mesmo em ambulâncias. O respirator, apelidado de Thor, teve seu desenvolvimento financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e se consolidou como mais uma vitória da ciência.

O pesquisador responsável da Zextec, empresa que construiu o respirador, Hugo Souza, destaca que o protótipo do equipamento começou a ser produzido em março do ano passado, para uso emergencial. “O equipamento funciona em modo único de pressão controlada, sendo indicado a pacientes que tenham indicação de intubação, necessitando ventilação invasiva. Na oportunidade, as condições de performance, confiabilidade e segurança foram confirmadas em avaliações técnicas feitas em laboratórios aferidos pelo INMETRO”, conta, ressaltando que o produto foi aprovado para testes clínicos em humanos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Entre as soluções inovadoras do produto, além da logística facilitada, está a possibilidade de economia com oxigênio que compõe a mistura de gases, pois a tecnologia permite o aproveitamento total do elemento químico em cilindros menores do que os usuais, e a não necessidade de uso de bloqueadores neuromusculares, produtos que estão em falta no mercado.

Desabastecimento
Segundo Souza, o projeto ganhou ainda mais importância no segundo surto de Covid-19, que fez com que ocorresse um desabastecimento de ventiladores pulmonares em algumas regiões brasileiras, além da escassez de insumos para fabricação dos produtos. A estimativa é de que o Thor esteja disponível para o mercado em 6 a 7 meses, a partir do início dos testes clínicos em humanos. “O ventilador já foi testado em suíno, com 100% de sucesso”, comemora Souza.

Viabilidade financeira
O valor do ventilador pulmonar portátil deve ser outro atrativo frente aos concorrentes. Por ter produção 100% brasileira, o produto deve ter um valor final de R$ 15 mil a R$ 20 mil, menos da metade dos valores praticados atualmente no mercado para esse tipo de produto. A capacidade inicial de produção é para 300 ventiladores.

ACATE completa 35 anos e mira em formação de novos talentos para o ecossistema de inovação

Com o desafio de continuar fortalecendo o ecossistema de tecnologia e inovação em Santa Catarina e colocar o estado no radar global, a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) completa 35 anos no mês de abril. Apesar do momento de crise mundial, a associação segue desenvolvendo programas e projetos estruturantes para fomentar o empreendedorismo tecnológico, formar e atrair novos talentos para o estado. Hoje, conta com 1.400 empresas associadas e está presente em nove polos regionais.  

As aceleradas transformações digitais ocorridas em decorrência da pandemia do coronavírus acenderam um sinal ainda maior de alerta para o setor de tecnologia. Ao mesmo tempo que inúmeras empresas conseguiram crescer ofertando suas soluções ao mercado, a falta de mão de obra qualificada se acentuou. Por este motivo, um dos principais objetivos da ACATE para os próximos anos é contribuir de forma efetiva para a capacitação de novos profissionais. Em 2020 a entidade  iniciou um mapeamento estadual para identificar o volume e o perfil dos profissionais demandados nas diferentes regiões do estado, que servirá de insumo para futuras parcerias e ampliar iniciativas como o programa DEVinHouse, que está formando desenvolvedores e inicia em breve novas turmas. 

“É uma situação global que também se reflete aqui: ter profissionais qualificados para que o setor continue se desenvolvendo. Todas as esferas da sociedade precisam se envolver, e a ACATE busca atuar junto ao Governo no fortalecimento da formação de base, despertando o interesse dos jovens para a área, além de estimular as empresas para que fortaleçam sua cultura para atrair e reter talentos. É uma área com empregabilidade muito alta e remuneração quase três vezes superior ao salário médio nacional”, destaca Iomani Engelmann, presidente da ACATE. 

Quando a ACATE começou, em 1986, a trilhar o caminho do setor tecnológico no Estado, os números alcançados eram impensáveis na época. Hoje são mais de 12 mil empresas no setor, que faturam R$ 17,7 bilhões, e empregam 56,5 mil pessoas, segundo dados do ACATE Tech Report 2020. Na contramão da crise, a ACATE conseguiu realizar as mudanças necessárias para apoiar na velocidade com que as empresas foram desafiadas a produzir tecnologia e inovação e registrou um crescimento de 295 empresas associadas, 10,5% a mais do que em 2019. 

A capilarização da atuação da entidade para todas as regiões de Santa Catarina é um dos pontos de crescimento. Hoje, a ACATE possui em seu Conselho empresas de todos os portes e diferentes polos, inaugurou novos Centro de Inovação em parceria com o Governo e outras entidades e, mais recentemente, levou a metodologia MIDITEC para Joinville. Na visão do presidente Iomani Engelmann, isso demonstra a importância das conexões e do desenvolvimento de iniciativas conjuntas. “Ao longo de toda a trajetória da ACATE, sempre ficou claro que, quando o ecossistema é unido, todos se fortalecem. O fato de termos crescido em número de associados no último ano demonstra o valor que a entidade leva para todas as empresas e para a sociedade”, explica. 

 A Associação foi fundada em 1° de abril de 1986 com o objetivo de administrar o Condomínio Industrial de Informática (CII), prédio que abrigava as primeiras empresas de tecnologia de Florianópolis. Ao longo destes 35 anos, foram inúmeras conquistas e desafios para o desenvolvimento do setor. A criação do MIDI Tecnológico em 1998, incubadora gerida pela ACATE e mantida pelo Sebrae/SC, é um dos marcos. Outro importante momento da história mais recente da ACATE foi a inauguração, em 2015, da sua nova sede no Centro de Inovação ACATE (CIA) – Primavera, em Florianópolis. 

Nos últimos anos,  a ACATE recebeu diversos prêmios, como o de Melhor Hub de Inovação do país em 2018 e 2019 pelo Startup Awards; o MIDITEC foi eleito com uma das cinco melhores incubadoras do mundo segundo o UBI Global em 2018 e 2019, e obteve a certificação CERNE 2, sendo uma das sete primeiras incubadoras do país a ganharem este reconhecimento, das mais de 380 que existem. Além disso, participou de duas missões internacionais com a presidência da república – Índia e Estados Unidos.

De olho no futuro: atração de investimentos

Mesmo com números expressivos ao longo de 35 anos de atuação, Iomani explica que a ACATE quer continuar avançando no objetivo de colocar Santa Catarina no cenário global. “Temos o desafio de aumentar a atração de investimentos para o estado.  Mesmo em meio à pandemia, já foram injetados mais de R$ 2 bilhões na aquisição de empresas catarinenses. Acredito que no Brasil já existe um reconhecimento do nosso estado, por isso também trabalhamos fortemente o tema da internacionalização”, conta. Ele ainda ressalta que, além dos investimentos internacionais, a criação de fundos estaduais é fundamental. 

“Temos o fundo de R$ 100 milhões Invisto com a ACATE, que está sendo muito bem aceito pelo mercado, com perspectivas de fechar a rodada de captação antes do previsto. Os desafios são inúmeros, mas revisitando todo o caminho que a ACATE percorreu e conseguimos chegar até onde estamos,  vejo que vamos chegar muito mais longe”, finaliza

Histórico

– 1986 – 11 empresas de tecnologia se reuniram para representar o setor.

– 1988 – ACATE foi declarada entidade de utilidade pública em âmbito municipal e estadual. 

– 1998 – Foi criada a incubadora MIDI Tecnológico e formada uma parceria com o Sebrae.

– 2006 – Programa Juros Zero da FINEP: financiamentos para micro e pequenas empresas inovadoras catarinenses para inovação de processos, produtos e serviços

– 2009 – Na busca pelo associativismo inovador, foram criadas as Verticais de Negócio, que promovem a sinergia entre empresários do mesmo setor, criando um ambiente de colaboração e geração de negócios.

– 2013 – MIDI 2.0 Nova metodologia: treinamento e formação e capacitação do empreendedor (conhecimento em gestão financeira, contabilidade, liderança e gestão de pessoas). 

– 2015 – Há 6 anos o ecossistema de inovação ganhou um novo espaço, o Centro de Inovação ACATE Primavera. Junto com ele, veio uma necessidade de ir além de representar. A ACATE passou cada vez mais a ajudar as empresas de tecnologia e inovação a evoluir em suas jornadas.

– 2016 – Ampliação da atuação da Rede de Investidores Anjo (RIA) para os polos regionais.  

– 2017 – Criou o Linklab, programa pioneiro que aproxima médias e grandes empresas com startups que possam acelerar o processo de inovação delas e ao mesmo tempo dar às startups a oportunidade de acelerar sua participação em grandes mercados.

Iniciou o Programa ACATE Startups que ofereceu benefícios aos empreendedores, como valores diferenciados no aluguel de salas no Centro de Inovação Primavera, isenção de mensalidade, acesso a linhas especiais de financiamento, contato com fundos de investimento parceiros e participação no programa de mentoria.

– 2018 – Criou os grupos temáticos ACATE Internacionalização para reunir empresas internacionais a empreendedoras que desejam alcançar esse propósito e o grupo Mulheres ACATE com o objetivo de fortalecer o protagonismo feminino no universo tecnológico.

– 2020 – A estadualização era uma demanda importante para construir um ecossistema cada vez maior e mais próspero. Ao longo da última década uma aproximação com outros polos tecnológicos do estado foi formada. Essa aproximação rendeu um 90% de crescimento no número de associados nos 9 polos regionais parceiros da ACATE.

A pandemia pegou todos de surpresa, até mesmo as empresas mais preparadas. Novos negócios precisaram de apoio e a ACATE realizou projetos determinantes para remediar as perdas das empresas e dar impulso em seus caminhos.

O Plano de Ação ACATE Covid-19 impactou 16 mil pessoas. 104 novas empresas se associaram; 490 atendimentos realizados; e R$ 270 mil foram  liberados através da linha de crédito Únilos aos associados.

A iniciativa Fundo Garantidor ACATE (FGA), que fornecia cartas de garantia de crédito aos associados junto à instituições financeiras, contemplou 32 empresas, liberando R$ 3,9 milhões em linhas de crédito

– 2021 – Nesses 35 anos, o setor de tecnologia e inovação cresceu exponencialmente. Em 2020, Santa Catarina foi o estado com maior abertura de empresas de tecnologia. E as associadas ACATE tiveram uma produtividade duas vezes superior. Essa demanda por profissionais foi identificada e um projeto foi criado. O DEVInHouse deu oportunidade para 40 profissionais se capacitarem na primeira turma do programa e também a chance de serem efetivados pela empresa Softplan. Novas turmas serão formadas e mais profissionais chegarão ao mercado de trabalho, dessa forma o ecossistema de inovação cresce e se desenvolve cada vez mais.

Marcos Magalhães é o novo CEO do Banco BS2

Com o objetivo de ganhar escala para ampliar sua atuação no mercado de bancos digitais, o BS2 anuncia o executivo Marcos Magalhães como seu novo CEO, membro do Conselho de Administração e acionista. Ele assume suas funções formalmente no início de maio. Gabriel Pentagna Guimarães, que ocupou a posição nos últimos quatro anos, permanecerá como membro do Conselho de Administração.

“Nos últimos anos investimos fortemente na construção da nossa plataforma e em diferenciais tecnológicos do BS2, o que nos credencia a alcançar uma fatia relevante do mercado de bancos digitais, principalmente no segmento de empresas”, avalia Gabriel Pentagna Guimarães.

Paulo Henrique Pentagna Guimarães, presidente do Conselho de Administração e fundador, reforça que o banco possui 28 anos de uma história bem-sucedida, quando se consolidou como um dos importantes players no mercado de crédito consignado, para depois se reinventar como um banco digital. “Agora é hora de ganhar escala. Esse movimento reforça nossa governança e nos impulsiona rumo a objetivos maiores. O Marcos reúne todos os atributos necessários para expansão do BS2, e além de vir como o principal executivo do banco, também será sócio na Instituição”, comenta.

Com vasta experiência no mercado financeiro, Magalhães foi consultor na McKinsey & Co, diretor no grupo UOL e executivo do Itaú Unibanco por 15 anos. Neste último, exerceu funções de liderança nas divisões de Banco de Varejo, Crédito ao Consumo e Pagamentos como head de Produtos, Cartões & Financeiras e Crédito & Cobrança. Foi presidente da Rede por 3 anos e também integrou os conselhos de administração do Banco Carrefour, LuizaCred e FIC.

Magalhães tem formação em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco e MBA pela London Business School, além de especializações no IBGC, MIT, INSEAD e Swiss Finance Institute.

“O BS2 é fruto de uma longa trajetória de sucesso e, especialmente nos últimos anos, conseguiu se reinventar e construir uma plataforma tecnológica de ponta, que nos permitirá crescer de forma abrangente e sustentável. Chego com a missão de dar robustez à governança da organização e escalar o negócio, com um leque mais amplo de produtos de crédito para o varejo, principalmente para empresas”, diz Marcos Magalhães.

Smiles divulga vencedores de seu primeiro Hackathon depois de maratona de 53 horas

Após uma maratona de ideias com mais de 50 horas e que envolveu cerca de 100 times, a Smiles anuncia as três equipes vencedoras da primeira edição do Hackathon da companhia. Smiles Teens, TripInvest e Fe_Smiles foram os destaques e conquistaram 1 milhão, 500 mil e 250 mil milhas, respectivamente.

A educação financeira foi o assunto que dominou os projetos, seguido de gamificação, remuneração de milhas e diversidade. O time vencedor, Smiles Teens, trouxe a importância de começar o planejamento ainda jovem, seguindo uma linguagem e formato dentro do universo dos adolescentes. O aplicativo conduz o público para uma jornada de responsabilidades, com etapas a serem cumpridas até a realização do sonho de viajar. O TripInvest, segundo lugar, proporciona uma organização financeira, determinada pelo perfil do viajante e investimento mais adequado ao seu estilo. Por fim, o Fe_Smiles é um canal no WhatsApp, que utiliza de inteligência artificial, para ajudar no plano de economia, acúmulo de milhas e escolhas de viagem.

“Foram dias intensos e de muito aprendizado. Em poucas horas, recebemos projetos de muita qualidade, que reuniram mentes e perfis dos mais diversos, mas com uma sensibilidade apurada do cenário que atuamos e de como podemos fazer a diferença. Também foi inspirador entender como a viagem tem um significado diferente para as pessoas e que ela pode transformar muito a jornada de cada um e da sociedade”, comenta Luiz Borrego, CIO da Smiles.

A Smiles vem trabalhando em iniciativas mais acessíveis e democráticas ao longo dos últimos anos e a realização do primeiro Hackathon é reflexo dessa nova etapa.  Na última semana, um time de sete jurados teve a missão de avaliar muitos projetos que proporcionaram um encontro de diversidade de ideias. Também resultou em uma mobilização dos profissionais da Smiles, que foram mentores e trouxeram a visão da empresa, dos serviços e produtos, assim como ajudaram no constante processo de amadurecimento da empresa.

A companhia já estuda realizar uma nova edição. “O primeiro Hackathon superou nossas expectativas tanto no número de participantes quanto na riqueza de ideias e novos olhares. Essa é uma das principais vantagens de promover um evento como esse, ou seja, proporcionar troca de informações, entender a visão e desafios do ecossistema, construir um canal de relacionamento com diferentes públicos onde temos a oportunidade de compreender novas perspectivas e caminhos”, finaliza Luiz.

SAS reestrutura área de marketing na América Latina

O SAS, líder mundial em analytics, está reestruturando a sua área de marketing na América Latina com o objetivo de suportar uma série de mudanças que a companhia vem promovendo na sua estrutura global de negócios. O foco é integrar a região com a operação norte-americana, de modo a aproximar mais as regiões – especialmente em verticais estratégicas da organização -, permitindo melhor aproveitamento de sinergias.

Com as mudanças, Kleber Wedemann, diretor de Marketing do SAS para América Latina, passa a responder também pelas verticais de telecomunicações, tecnologia e mídia e pelos negócios destinados ao segmento de pequenas e médias empresas (SMB, na sigla em inglês) nos Estados Unidos. Com a ampliação do escopo de Wedemann, Thais Cerioni, então PR and Communications Manager da empresa para o Cone Sul, assume também como head de Marketing do SAS Brasil, mantendo as suas atribuições anteriores.

A Go-To-Market Manager do SAS para América Latina, Simone Bervig, também teve suas responsabilidades expandidas para os setores de telecomunicações, tecnologia e mídia e SMB nos Estados Unidos. As mudanças são uma evolução natural da área, que vem atingindo os resultados projetados, e acompanhando a estratégia da companhia em alinhar e aproveitar as sinergias entre as operações lideradas pelo vice-presidente do SAS, Marvio Portela.

A reestruturação também prevê a criação de novas posições, tanto na área de marketing do SAS no Brasil quanto na operação de telecomunicações e SMB nos Estados Unidos. “O time de marketing da América Latina apresentou resultados excepcionais nos últimos anos, e somos conhecidos em todo o SAS por nossa entrega ágil, bem como nosso estreito alinhamento com as vendas. Por isso, vejo essas mudanças como resultado de uma construção em equipe”, explica Wedemann. “Estou muito orgulhoso e animado para essa nova fase, tanto na minha carreira quanto nas carreiras do meu time. Acredito muito no valor das diferenças e da diversidade de pensamentos e experiências neste incrível grupo de pessoas”, conclui o executivo.

Capgemini é nomeada líder no Quadrante Mágico do Gartner 2021 para Provedores de Serviço de Dados e Análises

A Capgemini anuncia que foi nomeada Líder no Gartner 2021 “Magic Quadrant for Data and Analytics Service Providers” (em tradução livre, “Quadrante Mágico para Provedores de Serviços de Dados e Análises”), por sua visão completa e capacidade de execução. O Quadrante Mágico do Gartner avaliou um total de 19 provedores de serviços e suas ofertas de dados e análises e posicionou a Capgemini como Líder pela quinta vez consecutiva.

“Estamos muito satisfeitos por sermos reconhecidos como Líderes pelo Gartner em seu Quadrante Mágico para Provedores de Serviços de Dados e Análises. Acreditamos que este posicionamento ilustra o compromisso da Capgemini em entregar transformações digitais verdadeiramente baseadas em dados dos negócios de nossos clientes. Fazemos isso por meio de uma abordagem colaborativa, combinando serviços escalonáveis ​​e soluções inovadoras, aproveitando nosso portfólio de dados de serviço completo e recursos analíticos”, disse Zhiwei Jiang, CEO da Área Global de Negócios de Insights and Data da Capgemini.

A equipe de Insights and Data da Capgemini, composta por cerca de 25.350 profissionais globalmente, engaja seus clientes com liderança de pensamento e pesquisa relevantes e traz inovação para sua entrega de dados e análises.